Issuu on Google+

[ELEIÇÃO 2012] 331 mil eleitores de oito cidades paraibanas vão utilizar pela primeira vez o voto biométrico - Pág. 4 Fonte: INMET

CARIRI-AGRESTE

LITORAL Sol, nuvens e chuvas 29o Máx. 21o Mín.

Fondue

Foto: Divulgação

clima&tempo SERTÃO

Correio das Artes

Para esquentar as noites de frio nada melhor que um bom fondue. Confira as receitas de fondue de chocolate e de queijo que o Atual traz para você. Página 7

Sol, com muitas Sol, com muitas nuvens nuvens 31o Máx. 33 o Máx. 18o Mín. 20 o Mín.

Fonte: Marinha do Brasil

O

MARÉS

Correio das Artes deste mês traz uma homenagem ao poeta e crítico literário Hildeberto Barbosa. Ele escreve para o suplemento desde 1975.

A UNIÃO

R$ 1,00 Assinatura anual R$ 160,00

118 ANOS - TERCEIRO JORNAL MAIS ANTIGO EM CIRCULAÇÃO NO BRASIL

www.paraiba.pb.gov.br

H ORA

ALTURA

05h30 11h47 18h02 23h56

ALTA baixa ALTA baixa

2.5m 0.2m 2.4m 0.4m

Twitter > @uniaogovpb

João Pessoa, Paraíba DOMINGO, 3 de julho de 2011

ANO CXVIII - Número 132 Domingos Sávio

Nos trilhos da Maria Fumaça, a Paraíba conquistou riquezas e progresso até 1960, antes das rodovias

DESENVOLVIMENTO

PÁGINAS 21 e 22

PB vai realizar 1º transplante simultâneo de pâncreas e rim AtuaL !

Na próxima estação, a aposta fica por conta das estampas, com muito tecido fluido, barriga à mostra, palha e ráfia misturada a tecidos nobres

Esportes

Transplantes, está realizando um treinamento na França, de onde deverá retornar no início de agosto. A cirurgia será realizada no Hospital Antônio Targino, em Campina, único no Nordeste e segundo no país a realizar transplante de rim com doador vivo via laparoscópica. PÁGINAS 9 e 10

No mês de setembro, a Paraíba deverá realizar o primeiro transplante simultâneo de pâncreas e rim, considerado o melhor tratamento para pacientes com diabete grave e insuficiência renal crônica. Para isso, o médico cirurgião Marcelo Gonçalves, integrante da equipe da Central de

Foto: Divulgação

Brasil enfrenta a Venezuela neste domingo pela Copa América. Jogo acontece na Argentina. PÁGINAS 13 a 15

Foto: Divulgação

Dragagem do porto deve terminar em setembro Foto: Divulgação

>>> EM CABEDELO

Movimentação no porto cresce 45%

MODA Saias e estampas em alta no verão ○

Plugado Moeda

O Porto de Cabedelo acumulou nos últimos cinco meses um crescimento de 45%, fechando o mês de maio com 185.530 toneladas movimentadas. Atualmente o Porto de Cabedelo passa por um processo de dragagem que está sendo realizado pelo Governo Federal. A obra, orçada em R$ 47 milhões e tem previsão de conclusão para o mês de setembro,

PÁGINA 5 ○

DÓLAR > R$ 1,556 (compra) R$ 1,558 (venda) DÓLAR TURISMO > R$ 1,480 (compra) R$ 1,620 (venda) EURO > R$ 2,260 (compra) R$ 2,263 (venda)

o que vai elevar o calado do porto de 9,14 metros para 11 metros e permitirá ao terminal a receber navios de 45 a 50 mil toneladas. Com a conclusão das obras, o Porto de Cabedelo passará para uma segunda etapa do seu projeto estruturante. PÁGINA 12 ○

jornalauniao.blogspot. com

paraiba.pb gov.br

> ÁGUA - Cagepa investe na compra e instalação de hidrômetros para evitar desperdício > BENEFÍCIO - Detentos poderão descontar um dia de pena a cada 12 horas de estudos

AUTOSSUSTENTÁVEL >>> DISQUE 115 - A Cagepa disponibiliza ao usuário um Teleatendimento. Você pode solicitar serviços e consertos. Ligue grátis, inclusive de telefone público, em todo o Estado.


Opinião ○

>>>

EDITORIAL

○ ○ ○ ○ ○ ○

Neste momento não há revolução sem Chávez, pode haver governo, o que é diferente”.

opiniao.auniao@gmail.com > REDAÇÃO: 83. 3218-6511/3218-6509

(CIENTISTA POLÍTICO NICMER EVANS, em entrevista a BBC Brasil sobre o afastamento de Hugo Chaves, em tratamento médico em Cuba)

Timeline no

Twitter @uniaogovpb

Tudo vai dar certo... professormelo@yahoo.com.br

3 JULHO 2011 O Twitter do José Serra também foi alvo da ação de hackers na semana que passou. E ele usou o próprio microblog para avisar aos seguidores da invasão. Veja abaixo alguns outros comentários na internet das celebridades brasileiras. @joseserra_ - José Serra Minha conta do Twitter foi invadida esta noite. As mensagens espúrias já foram excluídas. Vou tentar entender o que aconteceu... @MarceloTas - Marcelo Tas Sarney "comemora" em sua coluna na Folha de hoje os 25 anos do Plano Cruzado, maior vexame da economia brasileira. Avestruz... @jairoliveira - Jair Oliveira Afff. A intenção era o Ceni refazer o 100° gol. Acho q eles entenderam q era pra tomar 100 gols num jogo só!!!! Êêê Sao Paulo... @Marcelodedois - marcelo peixoto melhor programa pra uma noite de sexta : pentear o cabelo da boneca da minha filha... E eu não faço direito e ela me da esporro ... @LitaRee_real - Rita Lee Solta a penosa! Força na peruca! Vai lá e dance como se ninguém estivesse olhando. Se escutar uma gargalhada sou eu @Junior_Lima - Junior Lima como tem gnt amarga nesse twitter!! hahah aff!! #QuemAmaBloqueia @mionzinho_ - Victor Coelho Uma Barbie Dilma seria exotica, tipo cabelo Bart SImpson e só roupas vermelhas! Hahahaha @evandromesquita evandro mesquita Deprimente esse quadro do cqc q eles abusam e sacaneiam humilhando as pessoas q ajudam na rua. Bom é c os políticos

Tudo pronto, todos os preparativos à recuperação econômica da Grécia foram predefinidos pelo FMI, Banco Europeu e credores alemães e franceses. Nos próximos quatro anos os gregos vão contar com a injeção de 110 bilhões de dólares em sua economia, para garantir que o país não aplique moratória ou leve os bancos europeus a bancarrota. Enquanto que na maior economia do mundo, Estados Unidos, a ajuda econômica de 650 bilhões de dólares serviu apenas para manter o controle monetário da gigantesca dívida pública e manter um pequeno ritmo de recuperação econômica, sem que entrasse na espiral de recessão. Porém o principal objetivo era elevar o consumo doméstico, aumentar a produtividade e assim reduzir a alta taxa de desocupação de sua força de trabalho, já acima de 9% da população economicamente ativa (PEA). Na Itália a dívida pública forçou a aprovação de um plano nacional de "austeridade" para controlar os gastos do Governo, cuja dívida pública atinge 120% do Produto Interno Bruto, e com as perspectivas demográficas negativas para os próximos anos há o temor de endividamento previdenciário muito além da arrecadação.Inclusive é um dos grandes temores atuais das economias europeias, o envelhecimento da população seguida de uma baixa fecundidade gerando enormes déficits, pondo em risco conquistas sociais, tais como os sistemas públicos de saúde, que funcionam melhor que muitos sistemas privados no Brasil. Mas nós aqui no Sul subdesenvolvido assistimos algo novo, que as gerações anteriores não assistiram: países subdesenvolvidos abalam a economia mundial!

○ ○

palhadas pelo Estado, pode ser afirmado, sem medo de equívoco, que a Paraíba promove "o maior São João do mundo", tendo Campina como a principal vitrine da festa. Esse é um potencial que necessita, cada vez mais, de aperfeiçoamento e integração. Há uma tendência para cada município realizar os seus festejos, sem tomar conhecimento do que o vizinho promove, ocorrendo repetições de atrações e coincidências de formatos, num "desperdício" de ação injustificável. Se cada cidade puder agregar um diferencial a mais, o provável é que o aspecto turístico seja reforçado. Quem for a Bananeiras, por exemplo, atraído pela configuração de atrações tradicionalíssimas, poderia sentir-se motivado a visitar algum município das redondezas que lhes apresentassem algo diferente. Itens como patrocínios, infraestrutura, programações, hotelaria, estradas, segurança, entre outros pontos comuns às cidades que promovem festas de massa no período junino, poderiam ser discutidos e engendrados em conjunto, provavelmente sob a liderança do Governo do Estado e seus órgãos afins. Com o trabalho integrado, diversificados "pacotes" poderiam ser "vendidos" em simultaneamente, valorizando o todo e minimizando investimentos de divulgação. A partir de agora, há menos de um ano para esculpir a ideia, benéfica à Paraíba e suas tradições, tendo Campina e João Pessoa como epicentros desse movimento.

Demétrio Melo

. > E-mail: auniaoredacao@gmail.com > twitter: @uniaogovpb

Junho integrado O São João de Campina Grande termina hoje. Encerrada mais uma etapa do calendário cultural e turístico do Estado. Ao lado de João Pessoa, Bananeiras, Boqueirão, Monteiro, Santa Luzia, Patos, Itaporanga e Cajazeiras - além de centenas de outros municípios que realizam os festejos juninos de forma modesta, mas não menos intensa - a Paraíba pode apregoar a supremacia do ciclo, mantendo acesa a chama de uma tradição secular que, embora espalhada por todo o Nordeste, ganha por aqui contornos tão enraizados como o carnaval para Pernambuco, Rio e Bahia; o Círio de Nazaré e os "bois", para os Estados do Norte; e as festas da uva, para os Estados do Sul. Quando se fala em São João, se pensa em Campina e na Paraíba. Apenas em Campina, o paraibano e o visitante tiveram a oportunidade de presenciar a força artística de Flávio José, Assisão, Os 3 do Nordeste, Luciene Melo, Elino Julião Junior, João Gonçalves, Eliane, Jorge de Altinho, Dominguinhos, Capilé, Zé Calixto, Cicinho Lima, Nando Cordel, Elba Ramalho, Ton Oliveira, Luizinho Calixto, Aleijadinho de Pombal, Antônio Barros e Cecéu, Zé Ramalho, Pinto do Acordeon, Genival Lacerda, Louro Santos, entre centenas de outras atrações ligadas às tradições juninas, incluindo também bandas românticas de cunho popular. Juntando com as cerca de 500 apresentações da Rainha da Borborema, as 50 da Capital (Gil, Alceu, Biliu etc.) e as centenas de outras es-

2 João Pessoa > Paraíba > DOMINGO, 3 de julho de 2011 ○

}

A UNIÃO

Recentemente a China inaugurou a maior ponte do mundo sobre águas marítimas, custou mais de R$ 3,6 bilhões ao Governo Central, além do trem de alta velocidade ligando Pequim a Xangai. Já em terras tupiniquins os investimentos para os jogos da Copa também chamam a atenção do Mundo, só que pela lentidão com que os estádios e outras infraestruturas estão sendo construídas ou reformadas. Na edição 2218 da Revista Veja indicava que a Copa do Mundo de 2014 deveria ser transferida para 2038, já que o atraso das obras matematicamente leva a essa interpretação. O Brasil, por ser uma das economias com maior expansão, ou pelo menos maiores possibilidades, tem ainda que apresentar um plano de ação, a partilha política dificulta investimentos de grande volume de capital. Voltando a ceara europeia os desarranjos econômicos põe em dúvida a capacidade das economias honrarem com seus compromissos, sua forte dependência por insumos importados e a alta do barril de petróleo dificulta a retomada do consumo. As exportações do continente não conseguem competir com as da China, que oferece melhores preços e maior volume de matéria exportada. O plano de austeridade da Grécia, que servirá de modelo para Portugal, Espanha e demais países do continente que recorrerem ao FMI, pode se mostrar mais uma falácia do pensamento da economia liberal, pautada em subsídios e protecionismo. É mais uma contradição que o sistema atual deverá responder. Vamos continuar aqui no Hemisfério Sul, vamos assistir às grandes economias tentarem, até agora sem muito sucesso, escapar da recessão e da depreciação de seus estilos de vida, uma austeridade financeira não garantirá o alimento diário do grego, mas acalmará a ânsia dos especuladores...

Domingos Sávio

ARTIGOS & CRÔNICAS Eu e a brisa ○

Carlos Pereira cpcsilva@bol.com.br

Lá fora sopra uma brisa suave, quase fria. Aqui dentro, entre quatro paredes, o termômetro da sala marca 25 graus excelente temperatura para esta cidade sempre quente.Como é noite de São João, nestas ruas do bairro todas asfaltadas - nem sinal de fogueira. Isso é coisa pra periferia que ainda teima em manter as coisas do passado como se o povo ainda desse valor a elas. Mas, eu falava da brisa. Como é saudável, benfazeja e bem-vinda uma brisa que sopra vinda do mar. Aliás, daqui deste décimo andar, quase não consigo mais ver o verde do mar de Manaíra - ele foi engolido pelos edifícios que, aos poucos , foram se acumulando e me tirando a vista tão saborosa de antes. O quê se há de fazer? É o progresso que chega à cidade de 400 anos de história que até pouco tempo não tinha tantos

arranha-céus nem congestionamentos e agora se iguala às outras cidades grandes onde já não se vive em paz. Tem mais é que conviver com este progresso que, se um lado nos facilita a vida, colocando o mundo aos nossos pés, ou as mãos ao alcance de um mouse que nos transporta para a China em questão de segundos, por outro, nos tira a tranquilidade de antigamente - de dormir com as janelas abertas, sem grades ou muros com cercas eletrificadas. A brisa sopra pela janela aberta e lá fora os carros passam em velocidade. Para onde estarão indo essas pessoas que resolveram ficar por aqui, ao invés de dançar o forró pé-de-serra no interior? Para onde vão, de onde vêm tudo é um mistério. Arrisco olhar para dentro dos carros, mas o máximo que consigo ver são os faróis amarelos na frente e os faroletes vermelhos atrás os bólidos deslizam no asfalto em busca de quê? Os últimos rojões desse São João insosso da cidade que cresceu, estouram no ar e uns

assovios finos me lembram os tempos de menino de Jaguaribe. Naquele tempo, o máximo que me permitiam os cruzeiros eram os mijões e diabinhos, além de uma caixa de traques de chumbo. Nem a fumaça das fogueiras por aqui existe mais. Como fazer fogueira em cima do asfalto? E aquele tempo de fumaceira, misturado com cheiro de pólvora das noites de São João, definitivamente acabou. Olho pela janela pela última vez esta noite, antes de me recolher à leitura de Carlos Drummond e sinto na face a brisa que agora chegou forte até parece que veio com cheiro de maresia. Apago a luz da sala, acendo a luz de um abajur e nessa meia-luz, quase na penumbra, fico a ouvir "Eu e a brisa" do inigualável Johnny Alf : "Ah!, se a juventude que essa brisa canta ficasse aqui comigo mais um pouco." "Fica ,oh ,brisa fica, pois talvez quem sabe, o inesperado faça uma surpresa..."

Aeroportos: ainda muito distantes do ideal Fábio Barros

fabiodebarrosaraujo@hotmail.com

É notório que um dos grandes gargalos que travam o desenvolvimento do Brasil são os seus aeroportos. Com o advento da Copa do Mundo e as Olimpíadas, está se fazendo um esforço concentrado, para que as obras necessárias sejam realizadas rapidamente e para que não ocorra um colapso, expondo o país a um vexame internacional. Várias propostas est��o na mesa, inclusive utilizando o instituto da PPA (Parcerias Público-Privadas), instrumento que viabiliza financeiramente a consecução de obras tão vultosas. Acontece que, apenas construir terminais de passageiros ainda é muito pouco. Para um país que se vangloria de sua atual pujança econômica, que empresta dinheiro ao Fundo Monetário Internacional, o atual cenário ainda é de um país em desenvolvimento, com uma longa jornada a trilhar. Em qualquer país de primeiro mundo, seja na

Europa, Ásia ou América do Norte, os aeroportos não são apenas terminais de passageiros para embarque e desembarque. São verdadeiras centrais logísticas integradas, que, de forma planejada, compõe uma peça importante da mobilidade urbana das grandes cidades, onde aviões, trens, carros e ônibus convergem de forma sincronizada, complementando um ao outro. Em Frankfurt, na Alemanha, 50 milhões de passageiros por ano transitam pelo complexo, que ainda incluem estações de ônibus e trens, com conexão imediata para toda a Europa. No JFK, o maior aeroporto de Nova York, um sistema integrado de trens e metrôs faz com que o passageiro chegue ao centro da cidade em cerca de 20 minutos, pagando menos de R$ 30,00. Em São Paulo, para ir do Aeroporto de Guarulhos até o Centro, não se gasta menos de R$ 100 de táxi ou R$ 24,00 de ônibus. Só que o trajeto pode demorar até 2h, num trânsito infernal. Não basta fazer um prédio bacana, com vidros espelhados e granito. É crucial

que o ambiente em volta do aeroporto possibilite mobilidade e praticidade ao passageiro. Em Dallas, também nos EUA, o Aeroporto é tão bem estruturado que se transformou numa verdadeira cidade autônoma, atraindo várias empresas de logística, que lá instalaram suas bases e centros de distribuição. Em Cingapura, considerado o melhor aeroporto do mundo, existe um SPA com piscinas para os passageiros relaxarem antes de vôos longos, além de cerca de 60 restaurantes a disposição. No polêmico projeto do trem bala SP-Rio, o ponto inicial de embarque é em Viracopos, o aeroporto que atende a área metropolitana de Campinas, um dos maiores centros de carga da América Latina. É pouco, mas é um começo. É uma ideia que poderia se estender por outras cidades. Não precisava ser um trem da alta velocidade. Apenas um confortável e seguro, que utilize energia mais limpa e barata, que desafogue as nossas violentas e congestionadas estradas.

A UNIÃO

SUPERINTENDENTE Severino Ramalho Leite

DIRETORA DE OPERAÇÕES Albiege Fernandes

SUPERINTENDÊNCIA DE IMPRENSA E EDITORA Fundado em 2 de fevereiro de 1893 no governo de Álvaro Machado

DIRETORA TÉCNICA Beth Torres

EDITORA-GERAL Beth Torres

DIRETOR ADMINISTRATIVO José Arthur Viana Teixeira

EDITORA ADJUNTA Renata Ferreira

BR-101 Km 3 - CEP 58.082-010 Distrito Industrial - João Pessoa/PB PABX: (083) 3218-6500 / ASSINATURA-CIRCULAÇÃO: 3218-6518 Comercial: 3218-6544 / 3218-6526 - REDAÇÃO: 3218-6511 / 3218-6509 www.paraiba.pb.gov.br

Editores setoriais: Damásio Dias, Emmanuel Noronha, Giselle Ponciano, Henrique França, Ivo Marques, José Napoleão Ângelo, Juneldo Moraes, Neide Donato e William Costa. Projeto gráfico: Ricardo Araújo


○ ○ ○ ○ ○ ○

O Governo do Estado entrega, na próxima terça-feira, o novo Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande. Com capacidade de atender a 1,9 milhão de pessoas, de 173 municípios. Na obra, foram investidos R$ 100 milhões.

politica.auniao@gmail.com > REDAÇÃO: 83-3218-6511

> EDITOR: Damásio Dias > E-MAIL: damasiodias@gmail.com >TWITTER:@damdias

3 João Pessoa > Paraíba > DOMINGO, 3 de julho de 2011

NOVO HOSPITAL DE TRAUMA

FOTO: Divulgação

Política A UNIÃO

>>> QUINZE PRÉ-CANDIDATOS > Parlamentares percorrem bases eleitorais para garantir apoio às suas pretensões

Deputados aproveitam recesso para viabilizar candidaturas a prefeito

FOTOS:Divulgação FOTO:Egdfgdfgdfgdfgdfgdf

Ademilson José ademilson1956@gmail.com

Quinze deputados estaduais já são apontados como possíveis candidatos a prefeito ou vice-prefeito nas eleições municipais do próximo ano. Além do feriadão junino, os indicados terão alguns dias a mais para intensificar os contatos com as bases e para trabalharem suas campanhas pelo interior do Estado.

A

ampliação do prazo de suspensão das atividades parlamentares se deve à realização de uma reforma completa do plenário da Casa, cujos carpetes serão renovados, o painel eletrônico e o ar-condicionado consertados. Além disso, haverá uma varredura geral nos telefones dos gabinetes dos deputados. As medidas foram anunciadas pelo presidente da Assembleia, deputado Ricardo Marcelo, aos parlamentares. "Realmente são obras necessárias e o presidente me informou que, iniciadas na próxima semana, obrigarão pelo menos mais uns dez dias de

recesso", afirmou o deputado Aníbal Marcolino (PSL). "O plenário já está com as obras de carpete em andamento, mas sobre o restante ainda não tenho confirmação do presidente", completou, por telefone, Mariel Farias, secretária Executiva da Casa. "É um prédio de 35 anos e realmente tem exigido alguns cuidados a mais da parte do presidente", afirmou, por telefone, o segundo vice-presidente da Mesa, deputado Trócolli Júnior (PMDB), que está de folga em Bananeiras, ao completar que "o ideal seria mesmo um prédio novo, mas isso não tem sido possível até agora".

João e Trócolli visitam eleitores na Grande JP Dois outros deputados que não perderam tempo no feriadão junino e nem agora no recesso parlamentar é o tucano João Gonçalves e da base aliada, e Trócolli Júnior que é da bancada peemedebista. Depois de ter tido seu nome citado para vice do atual prefeito Luciano Agra, João Gonçalves disse que tem intensificado suas visitas nas bases e que, se o recesso for ampliado, esse trabalho também será ampliado. "Nosso principal trabalho é na Assembleia e, sobretudo, no plenário, mas se o recesso precisar ser ampliado não vou ficar parado", afirmou João Gonçalves, ao enfatizar que do último dia 20 até hoje já comemorou o São João e o São Pedro em quase todos os bairros da cidade. Ele lembrou que segue as orientações do seu partido independentemente de lados, mas que tendo seu nome cotado nas circunstâncias em que foi na semana passada, não poderia ficar calado. "Sempre estive à disposição do partido e dos aliados e, em caso de ali-

ança, realmente não descarto uma vice de composição para ser submetida ao nosso eleitorado", afirmou Gonçalves. Mesmo tendo tirado este final de semana para uma visita a alguns municípios do Brejo e do interior do Estado, Trócolli Junior garantiu em entrevista que os festejos de São João e de São Pedro foram todos dedicados a visitas a comunidades de Cabedelo, município que, em 2012, deve mesmo ser um dos candidatos. Ele disse que, do Renascer ao Jacaré e de Intermares às ruas do centro da cidade, visitou centenas de eleitores e dezenas de correligionários e que com a força que o seu partido tem no Estado, dificilmente perderá a eleição naquela cidade. "Tudo é uma questão de tempo e de trabalho", resumiu Trócolli, ao explicar que tudo isso, no entanto, em nada prejudica o seu mandato de deputado. "Pelo contrário. É justamente como deputado, representando os eleitores em plenário, que acredito também contribuir para o projeto de prefeito", concluiu ele.

DeputadosJoãoGonçalves,naCapital,eTrócolliJr,emCabedelo,buscamvotos REVOGAÇÃO DE PROCURAÇÃO PÚBLICA MÁRCIO GOMES DA SILVA e MARIA APARECIDA ALBUQUERQUE NUNES, brasileiros, casados, comerciantes, residente à Av. Sabiniano Maia, nº 645, Centro, Guarabira, portador, da Cédula de Identidade RG. Nº 331.433.230-SSP-SP e do CPF nº 272.217.618-17, vêm através de seu advogado e bastante procurador, perante este ínclito Cartório de serviço notarial e registral, com afinco na Lei 6.015/ 73, requerer a REVOGAÇÃO DE PROCURAÇÃO PÚBLICA que outorgaram a: OZETE RIBEIRO DE LUCENA ANDRADE, brasileira, casada, professora, CPF nº 132.899.264-00, casada com ANTÔNIO DE ANDRADE GOMES, CPF 161.865.674-00, residente na Rua Edvardo Toscano, 136, Primavera, Guarabira/PB e, JOÃO BATISTA RIBEIRO DE LUCENA, brasileiro, divorciado, comerciante, CPF nº 403.955.964-91, residente e domiciliado na Rua Napoleão Laureano, 783, Bairro Novo, Guarabira/PB, acostado aos seguintes fatos e fundamentos: O negócio jurídico que envolva as partes foi desfeito em comum acordo, não havendo mais qualquer razão fática ou jurídica para a validade dos instrumentos procuratórios, registradas no Livro nº 202, fls., 145 e fls., 146, no Cartório Toscano de Sales - 2º Ofício de Notas da Comarca de Guarabira/PB.

DeputadosDaniellaRibeiroeGuilhermeAlmeidasãoapontadosemCampinaGrande;BrancoMendesdisputanoConde,eCartaxo,naCapital,vivemomentodedecisão

Sete abriram o jogo sobre a disputa Dos 36 deputados, 15 estão sendo citados para prefeito ou vice-prefeito e desse total, sete estão trabalhando abertamente e aguardando que sejam lançados. A lista começa com o primeiro vice-presidente Edmilson Soares (PSB), que vai sair candidato em Barra de Santa Rosa, continuando com o primeiro secretário, Branco Mendes (DEM) que, depois de dois mandatos em Alhandra, agora aponta para uma disputa no vizinho município do Conde.

Trócolli Júnior (PMDB) já fala abertamente na pretensão de disputar a prefeitura de Cabedelo e, ao invés de uma só, o deputado Aníbal Marcolino (PSL) já tem seu nome colocado para duas cidades. Ele quer e espera que seu partido lance seu nome em João Pessoa, mas em viagem pelo Brejo no feriadão junino acabou saindo de Sapé com seu nome também já lembrado. Em João Pessoa, Luciano Cartaxo é um dos nomes do

lado do Partido dos Trabalhadores, o mesmo ocorrendo com Guilherme Almeida (PSC) e Daniella Ribeiro(PP) na cidade de Campina Grande. No município de Sousa, André Gadelha (PMDB); Anísio Maia (PT), em Cabedelo; e Léa Toscano(PSB), em Guarabira, também podem estar na disputa pelo cargo de prefeito no ano que vem. Numa espécie de ponto de espera e avaliação, se colocam os nomes de Antônio Mineral (PSDB), em Patos; Ar-

naldo Monteiro (PSC), em Esperança; Francisco Quintans (DEM), em Sumé; e Domiciano Cabral (DEM), em Bayeux. Candidato a prefeito nas eleições passadas e agora citado como possibilidade de vice ao lado do atual prefeito, João Gonçalves é outro deputado que tem aproveitado os festejos juninos e o recesso para visitar eleitores e para tentar "botar fogo" numa candidatura em 2012. Se consegue, só o tempo dirá e só Deus sabe.

[PRA ESCOLHER]

[DE VOLTA PRA CASA]

Dr. Aníbal avalia a disputa Edmilson quer realizar sonho em Barra de S. Rosa na Capital ou em Sapé Em viagem pelo interior, especialmente por Barra de Santa Rosa, o primeiro vicepresidente da Assembleia Edmilson Soares (PSB) disse que trabalha e faz contato com as bases desde o início do recesso e que nesse feriadão junino pôde confirmar a possibilidade de realizar um sonho de criança que é ser prefeito de sua cidade. "Além do apoio do prefeito e amigo Evaldo Costa, tenho sentido uma receptividade muito boa pelo município. Acho que esse é o momento de realizar meu grande sonho de adolescência", afirmou o deputado, ao lembrar que deixou Barra de Santa Rosa com apenas nove anos, quando saiu para fazer dois cursos na Capital, o primeiro deles de Matemática que terminou com 23 anos. Ele disse que também esteve em Juazeirinho, Sousa e Aparecida, mas que a maior parte desses dias de recesso tem aproveitado para estreitar o relacionamento com outras lideranças da região e

Edmilson é vice-presidente da AL para cumprimentar o eleitorado que já lhe deu boa votação pra deputado. Também pedagogo, Soares é bastante didático quando fala de sua cidade. Lembra que saiu de Barra de Santa Rosa num caminhão de agave e que toda essa história tem influído muito na receptividade que encontra junto à população da cidade. "Está fluindo e fluindo muito bem", afirma ele em relação à sua candidatura e ao reconhecer que fez muito bem quando mudou seu domicílio.

"Fiquei feliz em ter meu nome citado para Sapé, mas meu projeto mesmo é a Capital do Estado". A afirmação partiu do deputado Aníbal Marcolino(PSL), ao explicar que o caso de Sapé foi somente porque obteve dois mil votos pra deputado. Lembrou que a aceitação do seu nome é fruto do período que foi médico do PSF naquela cidade, trabalho que, segundo ele mesmo, acabou tendo um fim trágico. "Há uma regra que médico do PSF deve atender somente dezesseis pacientes por dia, mas já que eu atendia mais de oitenta, o prefeito achou que eu fosse afastado", disse. Aníbal Marcolino contou ainda que no feriadão junino chegou a ser convidado por amigos para ir assistir a um show de Bruno e Marroni no domingo passado em Sapé, mas que aproveitou o recesso para contatos também em Sousa, Pombal, Cajazeiras e outros municípios do interior do Estado.

Marcolino deseja ser prefeito de JP Explicou que, havendo mesmo prolongamento do recesso parlamentar, vai aproveitar para estreitar os contatos pelos bairros da Capital do Estado, especialmente no que se refere a reuniões com dirigentes e lideranças do seu partido. Sobre a possibilidade de recesso ampliado, Aníbal frisou que é ruim porque os trabalhos de plenário serão prejudicados, mas que pela conversa que manteve com o presidente Ricardo Marcelo, a medida necessária.


4 ○

A UNIÃO

Política ○

João Pessoa > Paraíba > DOMINGO, 3 de julho de 2011 ○

>>> CONTAGEM REGRESSIVA > Com divulgação de calendário eleitoral, TRE e partidos começam a preparação

Mais 331 mil eleitores vão contar com eleição biométrica na PB em 2012 Rodrigo de Luna

FOTO: Ortilo Antônio

erickson_rodrigo@yahoo.com.br

Mais de 331 mil eleitores de oito cidades paraibanas deverão votar, pela primeira vez, em urnas com identificação biométrica, durante as eleições 2012. Um projeto do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) apresentado ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pretende iniciar no segundo semestre a implantação da eleição biométrica nas 12ª, 16ª e 71ª zonas eleitorais, o que contemplaria as cidades de Campina Grande, Boa Vista, Massaranduba, Lagoa Seca, Piancó, Olho D’água, Emas e Catingueiras.

H

oje, na Paraíba, apenas Cabedelo e Pedras de Fogo identificam os eleitores através da impressão digital. De acordo com a coordenadora de eleições do TRE-PB, Patrícia Soares Lemos, o documento solicitando mais de 100 urnas com leitura biométrica, através da impressão digital dos eleitores, já foi encaminhado ao TSE. “O Tribunal Superior Eleitoral abriu o processo de licitação para aquisição dos novos kits biométricos. Nós conversamos com pessoas dos setores responsáveis, que sinalizaram uma reposta positiva acerca do repasse dessas urnas para a Paraíba”, esclarece. A partir da confirmação da vinda dessas urnas, o TRE dará início ao procedimento semelhante ao que houve em 2009 para o recadastramento biométrico dos mais de 31 mil eleitores da cidade de Cabedelo e dos 17 mil de Pedras de Fogo, que representam cerca de 2% do total do eleitorado paraibano, estimado em 2,7 milhões de pessoas. O modelo biométrico representa muito mais segurança e agilidade para as eleições, já que evita fraude na hora do voto. Em 2010, a 57ª Zona Eleitoral, sediada em Cabedelo, se destacou entre outras Zonas Eleitorais do país, com o tempo médio gasto na habilitação de eleitor para votar, utilizando a biometria de 30,1 segundos, superando a média nacional de 36,5 segundos. “A identificação biométrica tem por objetivo garantir a segurança do voto. Estamos trabalhando para que, em 2018, todas as seções eleitorais da Paraíba tenham urnas biométricas”, garantiu o presidente do TRE-PB,

o desembargador Manoel Monteiro. “Assim que o TSE liberar as urnas para a Paraíba, nós vamos solicitar também verbas orçamentárias específicas para realização do recadastramento”, afirma Patrícia. A substituição das urnas comuns por biométricas tem se expandido em todo o país, entre os estados de Alagoas e Sergipe (com eleição 100% biométrica), além de São Paulo, Curitiba e Pernambuco. A meta do TSE, quanto aos 2% do eleitorado brasileiro votando através desse sistema, já foi cumprida. Na Paraíba, com a futura implantação, o percentual passará de 2% para 14%. Ainda de acordo com a coordenadora das eleições, a implantação das novas urnas nas duas zonas de Campina Grande (274.726 eleitores) - que abrangem também os municípios de Lagoa Seca (18.198), Massaranduba (9.013) e Boa Vista (4.958) – se deveu em função do grande desenvolvimento tecnológico da região, além do fato de Campina ser a segunda maior cidade da Paraíba. “Campina é um dos polos de tecnologia da informação do Brasil e, por isso, merece esse investimento”, diz. No caso da Zona de Piancó (11.576 eleitores) – que agrega Emas (2.671), Catingueira (3.875) e Olho D’Água (6.260) – a escolha foi em virtude da distribuição do avanço por todas as regiões do Estado. “Já havíamos beneficiado o Litoral, com a cidade de Cabedelo, a Zona da Mata, com Pedras de Fogo, o compartimento da Borborema, com Campina Grande, e agora também o Sertão, com Piancó e cidades vizinhas”, completou.

A partir desse mês, funcionários e coordenação das eleições do TRE se reúnem para dar início aos preparativos para o pleito nos 223 municípios da Paraíba

Eleitores cadastrados serão primeiros incluídos no novo Registro Civil Os 1,2 milhão de eleitores dos 60 municípios pioneiros no projeto biométrico do TSE serão os primeiros cadastrados para o novo Registro de Identificação Civil (RIC). A implementação será possível graças ao acordo de cooperação assinado entre o TSE e Ministério da Justiça. O novo registro vai unir, em apenas um documento, o RG, CPF e Título de Eleitor de cada cidadão. “No caso da Paraíba, os eleitores de Cabedelo e Pedras de Fogo serão os primeiros a garantirem esse direito. Em seguida, os moradores das oito cidades, onde deverão ser implantadas eleições biométricas em 2012”, confirma Patrícia Lemos. O recadastramento biométrico é feito através de um kit de dados, que inclui um notebook, uma câmera, um scanner portátil e um software de captura de imagem. Com a coleta da assinatura de cada eleitor e uma foto, é possível fazer o cadastro e a emissão de um novo título. “No caso da assinatura, nós fazemos a digitalização, para que tudo fique ainda mais seguro”, explica a coordenadora das eleições na Paraíba. Para as oito cidades que deverão ser contempladas, o calendário do recadastramento ainda será definido. “Haverá muita divulgação, longos prazos e chamados, assim como houve em Cabedelo e Pedras de Fogo, para que ne-

nhum eleitor fique de fora”, garante Patrícia. Todos esses detalhes serão divulgados no segundo semestre, logo depois de uma reunião geral para definir os detalhes das eleições 2012 que deverá acontecer nas próximas semanas. NOVAS ZONAS ELEITORAIS - Os ajustes para as eleições 2012 devem se intensificar a partir desse mês de julho. O TRE-PB está aguardando a publicação da resolução que cria três novas zonas eleitorais, em João Pessoa, Santa Rita e Campina Grande, além do remanejamento de quase 90 mil eleitores da zona da Prata para Água Branca. De acordo com a coordenadora da Corregedoria do Tribunal Eleitoral na Paraíba, Vanessa do Egypto, o objetivo da medida é desafogar as sessões, facilitar e agilizar a hora do voto. “Esse projeto foi apresentado ao Tribunal Superior Eleitoral e aprovado, falta apenas a publicação dessa resolução para darmos início ao processo de implantação”, explica. Ainda de acordo com Vanessa, houve várias reuniões e a criação de uma comissão estadual, envolvendo os juízes eleitorais das cidades de Sapé, Patos, São João do Cariri e Santa Luzia, junto com o juiz corregedor na época de criação do projeto, Carlos Neves, para que fosse estudada uma forma de corri-

Recém-criado, PSD corre para cumprir prazos Com a divulgação, essa semana, do Calendário para as Eleições 2012 pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), tem início a contagem regressiva para eleitores, candidatos e partidos. No caso dos cidadãos, maiores de 18 anos, a busca é pelo título de eleitor. Para políticos e legendas, a corrida é pelo registro. O fim do prazo para os candidatos que pretendem

concorrer estarem com sua filiação partidária regularizada, e terem como domicílio eleitoral a circunscrição na qual pretendem disputar mandato eletivo termina um ano antes do pleito, no dia 7 de outubro de 2011. Esse é o mesmo prazo para todos os partidos que quiserem participar das eleições estarem com registro no TSE. Quem já entrou nessa corrida foi o Partido Social Democrata (PSD), criado esse

ano pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab e que, na Paraíba, tem como dirigente Rômulo Gouveia. O vice-governador se diz bastante tranquilo com os prazos. “Tudo será cumprido conforme determina a legislação. O número de assinaturas mínimas para que o partido fosse criado era de 500 mil em todo o país. Já passamos de um milhão. Na Paraíba, cuja exigência era de 12 mil, já estamos em mais de 30 mil”, comemora.

Neste final de semana foi lançado o diretório do PSD em João Pessoa, cuja presidência ficará por conta da vereadora Raíssa Lacerda. Ainda segundo Rômulo, o partido já está espalhado por mais de 20 estados e na Paraíba em cerca de 130 cidades. “Não são os números que nos interessa, mas principalmente a qualidade do nosso partido que vai disputar as eleições em mais de 100 cidades do Estado”, finalizou.

gir as distorções e aproximar a Justiça Eleitoral do cidadão. O projeto considerou o crescimento e remanejamento populacional dos municípios e a atual distribuição do eleitorado. Para João Pessoa, a proposta foi criar a 78ª Zona Eleitoral, já que as atuais se encontram com número de eleitores acima do mínimo previsto (70.000) e uma já chega ao limite de 101.923. De acordo com a redistribuição dos eleitores, essa zona seria dividida pela metade. Em Campina Grande, o segundo maior município do Estado, a proposta foi criar a 80ª Zona Eleitoral, que desafogaria a 17ª, hoje, com 99.258 eleitores. Esse número também seria reduzido em 50%. Em Santa Rita, a distribuição é ainda mais desproporcional. Atualmente a Zona Eleitoral sediada no município possui um eleitorado de 94.768 eleitores, distribuídos em Santa Rita (85.254) e Lucena (9.514). Pelo projeto do TRE, a 2ª Zona (Sul) seria mantida, e ficaria com os bairros Popular, Tibiri Fábrica, Tibiri II, Eitel Santiago, Marcos Moura, Cicerolândia e Odilândia, totalizando 50.811 eleitores. Paralelamente, seria criada a 79ª Zona (norte), referente à cidade de Lucena e aos bairros Bebelândia, Centro, Várzea Nova, Forte Velho, Lerolândia, Liberdade e Livramento, totalizando 43.954 eleitores.

De acordo com as informações do TRE, as mudanças não exigem investimentos nem a necessidade imediata de construção de novas instalações, pois, foi realizado concurso público recente, o que possibilita a remoção de servidores de outras zonas. Mesmo assim, para Santa Rita, existem recursos da ordem de R$ 378 mil previstos no orçamento 2011 para a construção do fórum, segundo informação do Setor de Engenharia e Arquitetura da Secretaria de Administração e Orçamento do TRE. Vanessa do Egypto explica que o TSE formou uma comissão especial para analisar os pedidos de mudanças de zonas em todos os estados. Apenas cinco membros em todo o país foram chamados para compor a comissão e ela é um desses. “Nós realizamos reuniões, através de teleconferências e presenciais para definir os encaminhamentos”, confirma. Sobre o remanejamento de Zonas Eleitorais, a coordenadora diz que os critérios adotados também foram facilitar o processo de votação e até mesmo de trabalho dos servidores, com redução de custos de locomoção, diárias, transporte e comunicação na prestação dos serviços eleitorais. A proposta é remanejar os eleitores da 74ª Zona Eleitoral – Prata para o Município de Água Branca.

Números de eleitores por Zonas Eleitorais João Pessoa Zona Eleitorado 1 - 91.230 64 - 90.377 70 - 101.923 76 - 96.686 77 - 86.703 Santa Rita (hoje) Município Eleitorado Santa Rita - 85.254 Lucena - 9.514 Santa Rita (como vai ficar)

Zona Eleitorado 2 - 50.811 79 - 43.954 Campina Grande Zona Eleitorado 16 - 55.607 17 - 99.258 71 - 54.416 72 - 98.803


! AtuaL

João Pessoa > Paraíba > DOMINGO, 3 de julho de 2011

Moda & Comportamento

A UNIÃO

5 ○

EDITOR: Neide Donato

I

E-MAIL: neidedonato@gmail.com

I

TWITTER: @Neidedonato I atual.aunião@gmail.com I REDAÇÃO: 83.3218-6511

BLOG!

A designer Ana Carolina, inspirada pelo blog original da estilosa Hoje Vou Assim, mas ao mesmo tempo frustrada por não possuir o mesmo casting de marcas do seu guarda-roupa, criou a versão off price do seu blog, mostrando que dá também pra se vestir bem e barato. http:// hojevouassimoff.blogspot.com/ FOTOS:Divulgação

As hot pants ficam de fora no verão paraibano; já estampas, tecidos fluidos, barriga à mostra, bermudas, tramas rústicas, tipo juta, palha e ráfia com tecidos mais nobres devem desfilar tranquilamente pelas ruas

Vai pegar no verão 2012 > José Alves

zavieira2@gmail.com

A

Vestidos, pantalonas e estampas vão invadir as ruas na estação do calor

mais lida revista de moda do mundo - a Vogue - elaborou uma lista com as apostas e as tendências da moda e de beleza que provavelmente estarão em evidência no verão de 2012, mas segundo a especialista em moda, coordenadora do Curso de Tecnologia em Design de Moda e professora de Pesquisa e Criação de Moda do Unipê, Gabriela Maroja, as revistas de moda arriscam sobre as tendências, mas em primeiro lugar é necessário refletir bastante sobre esta questão. Atualmente a tendência é focada no consumidor, e se ele não aceita determinados produtos, mesmo que eles sejam lançados pelo melhor estilista do mundo, acho bastante improvável que virem "hit". "Alguns itens já vem se confirmando há algum tempo, mas outros não emplacam a exemplo das hot pants na moda praia, pois a brasileira gosta mesmo é de mostrar o corpo e de se bronzear. As túnicas e saias longas também têm um público bem específico, então a questão de dar certo, é adaptar a tendência ao gosto, corpo e estilo de vida de cada um", observou Gabriela. De todos as apostas da revista Vogue para o mundo fashion do próximo verão, a professora Gabriela acredita que muitos desses itens podem não dar certo na Paraíba, porque os paraibanos (homens e mulheres) ainda são bastante conservadores no quesito moda, e não gostam muito de ousar. Segundo ela, um detalhe interessante é que as peças-chave escolhidas pela Vogue vão ao encontro deste conservadorismo, ou seja, nada é muito exagerado ou ousado ou chamativo, a não ser as estampas que ainda são o pavor das mulheres! Elas têm medo de chamar a atenção e de não saber combiná-las, por isso evitam. Mas a estampa pode e deve ser usada sobretudo em cidades com o nosso clima e nossa iluminação natural, cai muito bem. Vejo que o cabelo liso já é um clássico da mulher brasileira, elas adoram chapinhas e escovas especiais, mas particularmente, este visual foi muito de passarela, na "vida real". O cabelo segue o requisito da maquiagem, quanto mais natural, melhor. Calças cigarretes, tramas rústicas, sandálias com palha e juta também são excelentes pedidas para nosso verão. Acho que são itens que podem ser adotados sem medo, afirmou à especialista. As dicas da Vogue também podem ser utilizadas em João Pessoa por sermos uma cidade litorânea, com verão o ano inteiro e uma luminosidade natural impressionante, devemos adotar tudo que clareie, que seja adaptado também ao nosso clima e claro, ao gosto particular de cada um. "Os saltos agulha em festas na praia nem pensar, eles são para ocasiões mais urbanas, ok. Gosto muito das saias e calças com transparência, mas não acho que devem pegar muito aqui. Até porque nosso calor acaba sendo um fator a ser considerado ao adotar modas que venham não só do exterior, mas também do sudeste que possui clima diferente do nosso. Os ombros arrendondados e estruturados também são tendências já há algumas estações mas que não fica bem em todos", enfatizou.

n ...

Novas tendências estão sendo criadas Quando indagada se a moda verão é a mesma em todo o continente, Gabriela afirmou que nos dias atuais cada vez mais as tendências estão se pulverizando, pois ela é adaptada ao consumidor de cada local. As tendências deixaram de ser verticais, ou seja, ditadas por grandes marcas internacionais, e cada dia mais vem das ruas, de acordo com costumes locais e estilo de vida de cada comunidade. "Mas é claro que existem também as "macrotendências" que determinam algumas coisas a nível mundial, sobretudo cor, estampas e silhuetas. Não é mais como uma regra que seja lançada em Paris para ser copiada aqui. Hoje a moda aqui é mais democrática e está cada dia mais com a nossa cara, ou seja, com a famosa identidade brasileira", esclareceu a especialista. Gabriela disse que o que é usado na estação mais quente do ano pelo mundo, pode não cair bem para a Paraíba por causa de nosso clima, sobretudo, devemos ter cuidado com os

tecidos, que devem permitir a transpiração (nada pior do que uma roupa suada ou com odor desagradável num dia de calor), mas em geral, as marcas hoje também pensam no Nordeste em geral, que constitui hoje grande público consumidor no Brasil. Ela afirmou que não existe certo e errado para adotar tendências aqui, o que existe mesmo é o bom senso, aqui ou em qualquer parte do mundo! Independente da aposta da Vogue Gabriela acredita que as tendências de moda para o verão 2012 na Paraíba serão as saias curtinhas e os vestidinhos leves, que mesmo não tendo sido o forte das tendências apontadas pela Vogue, apareceram nas passarelas para as jovens que aproveitam o verão intensamente, gostam de mostrar o bronzeado e de estarem sempre fresquinhas. Os biquines mais tradicionais, tipo os de lacinho, de laterais mais larguinhas, mas, com a barriga mais à mostra também tendem a fazer mais sucesso por aqui do que as hot pants, que são mais para efeito de passarela.

n ...

# Top 10

Pode usar sem medo Gabriela Maroja, assegura que as paraibanas podem adotar no próximo verão as calças cigarretes, em tecidos de algodão, jeans, com batinhas, camisetas e tops, compondo com lencinhos e tamancos, sandálias baixas e tênis, mais verão impossível! Também podem misturar as tramas rústicas, tipo juta, palha e ráfia com tecidos mais nobres mas não menos leves como chiffon, seda pura e algodão egípcio. Lindo para a gente usar aqui! Quanto à maquiagem ela afirma que a mais natural possível. Gabriela disse que é a mais adequada ao nosso clima no verão. Pode-se usar um ponto de cor, que é outra tendência forte, cor nos olhos e boca, mas devemos ter cuidado e usar no dia-a-dia o mais natural possível. No que diz respeito às estampas ela afirma que as tropicais são as ideais. O tema está na moda mundialmente! Nossas cores, fauna e flora são motivos de inspiração para muitos designers de moda e a dica da Vogue é válida, ou seja, usar shapes (modelos/formas) mais básicos e "cleans" para equilibrar a estampa. Nada mais verão que uma bela estampa. Já as túnicas são ótimas opções para o pós praia, seja por cima do biquine, ou após o banho como micro vestido (claro que vale o bom senso no comprimento), recomenda a especialista. Ela ressaltou que os vestidos longos ou curtos em tecidos super leves como o algodão, voil de algodão, seda pura, em estampas alegres e principalmente o branco continuam reinando após um inverno claro. Biquines e maiôs que valorizem o ponto forte de cada corpo devem ser bastante usados, já que o modelo hot pants+ top tomara que caia é para poucas.

# BELEZA Ib nobnobnbonbonbo onoon eognogngon on Procedimentos como peeling depilação aonon lasergon requeon gon gon de gong ogn gongongog - PáginaPágina 00 6 remona on assistência profissionais capacitados

> O verão 2012, segundo a Vogue:

1. Estampas de fauna e flora: tucano, arara, 2. 3. 4. 5. 6.

Gabriela Maroja aposta nas estampas

n ...

7.

Clássico sempre

O bom e velho jeans na versão calça, saia e shorts, este é clássico sempre, não deve sair do armário e quem tem pouca grana para investir em itens de moda, investe nos acessórios e está tudo certo. Mas o mais importante hoje, o que é de fato a grande tendência é o consumo consciente e sustentável. Comprar o que vai usar, o que fica bem. A pessoa também deve valorizar os itens e os profissionais de sua terra, esta sim é a grande "sacada".

# GASTRONOMIA O fondue é uma ótima opção para esquentar as noites frias de inverno. Confira as receitas - Página 7

8. 9. 10.

aquelas de Rugendas e Debret, folhagens, hibiscos... Shapes limpos ajudam a fugir do lookfantasia! (Pedro Lourenço). Salto agulha: prepare-se para se equilibrar em saltos finíssimos. Detalhe: de dia e de noite (Alexandre Birman para Pedro Lourenço). Ombros arredondados: herança de Balenciaga (a referência da vez), os rounded shoulders estão em túnicas e vestidos (Triton). Lisomania: pode tirar a chapinha do fundo da gaveta, porque os lisos voltaram com força total - na versão mais escorrida possível, solta, ou no rabo-de-cavalo (Animale). Maquiagem 'nada': pele perfeita feita com esponja (as bases estão cada vez mais tecnológicas) e iluminada em pontos estratégicos, como têmporas, osso do nariz, 'v' do lábio superior e centro do queixo (Cori). Hot pants na moda praia: apesar de seu DNA vintage, o duo hot pants de cintura alta e top tomara-que-caia provou ser a maneira mais fresca de encarar a areia (Adriana Degreas). Saia longa transparente: a saia que promete ganhar as ruas de dia e de noite cobre o necessário e deixa o restante da perna apenas 'velado'. Linda com túnicas! (Maria Bonita). Calça cigarrette: depois do reinado das pantalonas, as calças 60's sequinhas com barra afunilada se revelam o shape da vez. As túnicas e tops estruturados com ombros arredondados são a combinação perfeita (Neon). Tramas rústicas: palhas, ráfias e jutas vieram misturadas com sedas em tramas que promovem o hi-lo de materiais (Osklen). Túnicas: os tops alongados foram onipresentes, uma herança de Balenciaga (mais uma, na verdade) cuja força Vogue já vem apontando há tempos! (Gloria Coelho).

# CARREIRA Sine aumenta em 10% a oferta de empregos na Paraíba , no primeiro semestre Página 8


! AtuaL

Sustentável A Donaflor Mobília, empresa especializada em produzir móveis para a área externa em fibra sintética e alumínio, apresentou em sua coleção 2011 peças também em madeira. A empresa também respeita o meio ambiente e a madeira utilizada é de manejo florestal sustentável.

Consumo & Afins

FOTOS:Divulgação

O inverno é a melhor época do ano para se fazer um peeling linda e saudável pode provocar efeito contrário. Segundo o PhD, professor e dermatologista, Jader Freire Sobral Filho, o mercado oferece um grande número de opções - muitas delas sem efeito e têm apenas fins lucrativos - é necessário que antes de comprar qualquer produto, a pessoa consulte um dermatologista, que é o profissional capacitado para este trabalho. Ele dará as orientações sobre quais os produtos específicos para cada tipo de pele. Um dos serviços mais procurados nessa época do ano, o peeling é é um procedimento que leva a descamação da pele (superficial, médio ou profundo) e tem uma série de riscos e efeitos colaterais, de forma que, este procedimento só deve ser feito com o dermatologista. "Eu não recomendo que a pessoa compre qualquer produto baseado em propaganda para fazer um peeling. O mais se-

zavieira2@gmail.com

Antes de se submeter a tratamentos como peeling e depilação a laser é aconselhável procurar referências sobre o profissional para evitar cair nas mãos de pessoas incapazes

H

á décadas as pessoas tentam fazer de tudo para ficar dentro dos padrões de beleza e com a pele bonita, mas às vezes um tratamento com produtos que são lançados pelo mercado, prometendo pele

Vitrine

Bem vestida por baixo A coleção Glaumor da marca de lingeries Liebe está simplesmente linda. As peças super femininas e sensuais fazem qualquer mulher se sentir uma verdadeira diva.

guro é que o interessado em fazer esse procedimento consulte antes um dermatologista, porque só assim, ele pode fazer um peeling seguro e adequado conforme o seu tipo de pele", alertou. Algumas embalagens alertam sobre reações alérgicas, mas as pessoas ignoram e acabam se dando mal. "Nesses casos de compra de produtos, as pessoas alérgicas deveriam fazer teste de contato (patch test) para avaliar se são alérgicas aos componentes dos produtos e assim evitariam este problema", disse Jader. Quanto às pessoas que são alérgicas inclusive a um peeling, cabe ao dermatologista fazer antes uma avaliação para saber se o paciente tem alergia, porque neste caso, existe outras opções de ácidos que podem substituir os clássicos peelings. Em tese, disse Jader Freire, toda substância é um veneno e depende da dose. Eu recomendo que o peeling seja orientado pelo dermatologista, porque só assim as pessoas evitam maiores problemas. A melhor época para se fazer um peeling é no inverno - porque nessa temporada o sol aparece pouco e com

mais e que iria passar. Mas quando chegou em casa, o rapaz começou a sentir febre e as costas ficaram inflamadas com as queimaduras do laser. Ele além de tomar antiinflamatório, teve que procurar outro médico que constatou que ele teve lesões de queimaduras de 1º e 2º graus. A advogada do jovem, Lisanka Alves, acredita que ele será ressarcido pelos danos sofridos. Para ter um bom resultado na depilação a laser, a dermatologista Jozian Quental, explicou que a pessoa precisa fazer várias sessões. "Depende muito da área onde será feita e qual é a densidade dos pelos do homem. Em geral, para tirar a barba, por exemplo, a pessoa precisa fazer de 10

Neide Donato

menos intensidade, e quanto menos a luz do sol, a pessoa evita manchas em razão da exposição solar.

PEELING CIRÚRGICO - Muitas pessoas acreditam que fazendo um peeling cirúrgico vão ficar cerca de 10 anos mais jovem, entretanto o peeling cirúrgico hoje em dia é pouco realizado - mas é um mito pensar em ficar 10 anos mais jovem com este tipo de peeling. Mas seja qual for o tipo de peeling uma pessoa deve usar protetor solar, evitar o sol, não mexer na pele ou remover as escamas. O paciente também deve prevenir herpes com tratamento específico e usar hidratantes. O peeling é uma opção para melhorar textura da pele e das rugas superficiais, porém, hoje existem muitas opções que devem ser utilizadas de forma paralela (cirurgia, cremes e lazer). “Eu sempre recomendo que nenhuma pessoa deve fazer um peeling por conta própria com produtos que estão sendo lançados no mercado, o caminho correto é procurar um profissional capacitado e seguir suas orientações”, aconselha o dermatologista.

a 15 sessões, uma a cada mês", diz ela. Ela disse que o laser pode ser uma boa solução quando utilizado com profissionalismo. Muitos homens retiram com laser apenas os pelos das áreas onde eles encravam mais, como o pescoço, costas e barba. Para muitos homens o procedimento dói menos do que antigamente. Mas a dermatologista Edislene Viscardi conta que, em alguns casos, é mais dolorido e a anestesia é necessária. Ela explica que os negros devem tomar cuidado, pois podem ficar com manchas na pele após passar pelo laser. "Atualmente, há lasers que protegem mais a pele e não há problemas, mas mesmo assim, o médico deve fazer um teste no paciente antes de depilar, afirma Edislene".

Luxo na boca ○

Efeito contrário

Depilação a laser pode provocar queimaduras

MODA E COMPORTAMENTO

O livro ” Ganhar dinheiro não é pecado”, lançamento da Thomas Nelson Brasil, apresenta uma ideia tão simples quanto desafiadora: a de que é possível ser bem-sucedido e gerar lucro sem corromper seus princípios éticos e morais.

João Pessoa > Paraíba > DOMINGO, 3 de julho de 2011

n ... Além do peeling, outro procedimento que só deve ser realizado por profissionais capacitados é a depilação a laser. Os riscos de sofrer uma queimadura são reais. Recentemente um jovem de 24 anos, que mora em João Pessoa e prefere não se identificar, se submeteu a uma depilação a laser para se livrar dos pelos nas costas, com uma dermatologista e ganhou grandes feridas. O caso foi parar na Justiça e ele está solicitando ressarcimento geral dos gastos, já que o procedimento não é barato. Na hora do procedimento, ele disse que sentiu muita dor e chegou a reclamar da dermatologista que estava utilizando o laser, mas ela disse que as dores eram nor-

Boa leitura

A nova linha Seda Pro-Natural foi cocriada com o expert internacional Jamal Hammadi.Os benefícios cosméticos dos ingredientes naturais potencializados por uma moderna tecnologia no cuidado com os cabelos. Essa é a proposta da nova linha Seda ProNatural.

Beleza

A UNIÃO

> José Alves

Natural

6

Com fórmula de hidratação intensa e mais brilho para os lábios, o Rouge Coco Shine acaba de ser lançado no Brasil. Disponível em 25 cores, o produto contém o complexo Hydratender, que garante lábios macios por até 8 horas. Além da hidratação, sua textura fluida facilita a aplicação graças à mistura de derivados da cera à base de plantas e de fitosterol presente em sua composição.

SAIBA MAIS

Níveis de Peeling: Nível 1 – Muito Superficial Para manchas muito superficiais, aspereza, pele sem brilho, pele descamativa , pele “seca”, peles “cansadas” e “maltratadas”. Nível 2 – Superficial Para manchas superficiais, aspereza, rugas finas, acne ativa. Nível 3 – Médio Para rugas, manchas, cicatrizes de acne , sulcos e marcas de expressão. Nível 4 – Profundo Para envelhecimento total da pele, cicatrizes de acne muito profundas.

O doutor Jader Freire aconselha cuidados na hora de escolher o profissional

Esmalte 3D A moda agora foca nos esmaltes, que ganham liberdade para ousar nas cores. A Sally Hansen trouxe ao Brasil a linha de 32 cores chamada InstaDri, esmaltes holográficos que possibilitam um efeito 3D, ou seja, sensação de profundidade. Além disso, eles secam em 60 segundos, e possuem lexygloss Complex que proporciona endurecimento e um brilho espelhado para as unhas.

Receita caseira Nessa época em que os lábios insistem em rachar, uma receitinha caseira faz o maior sucesso na recuperação da pele dessa área sensível. A pomada Bepantol (sim aquela usada para passar em assaduras de bebês) serve como protetor e hidratante. Eu testei e gostei muito do resultado. #ficaadica.

Dicas, sugestões ou comentários para esta coluna: atual.auniao@gmail.com


! AtuaL

Bulas adequadas

Mais 120 bulas de medicamentos já foram publicadas no Bulário Eletrônico da Anvisa. Elas foram adequadas às novas regras, como determina a norma RDC 47/09, visando uma escrita clara e simples para que o paciente entenda como o produto age no organismo: as indicações, os riscos e as contraindicações. Ponto para os laboratórios que estão ajudando os consumidores.

Livros & Afins

Doação

7

Gastronomia

A UNIÃO

Tirando a roupa

Tem sempre alguém esperando sua doação. Não cruze os braços para esse problema. Doar sangue não dói, é fácil, rápido, não afeta a sua saúde e você salva muitas vidas. Não existe nada que substitua o sangue. Assim, ele é vital e quando uma pessoa precisa de uma transfusão de sangue, ela precisa de você! A quantidade de sangue retirada não afeta a sua saúde. ○

Há pelo menos 10 anos celebridades e atletas do mundo inteiro tiram a roupa para a revista Cosmopolitan britânica. As fotos fazem parte da campanha Everyman Male Cancer Campaign http:// www.everyman-campaign.org/, uma campanha que chama atenção, educa e arrecada fundos para pesquisas sobre o câncer de testículo e de próstata. ○

D

João Pessoa > Paraíba > DOMINGO, 3 de julho de 2011

Esquentando As noites mais frias convidam a ficar em casa saboreando algo quentinho. Além das tradicionais sopas, o fondue cai muito bem para aquecer o corpo e matar a fome.

e origem Suíça o fondue (fundida) é um prato feito normalmente à base de queijo aquecido. O creme deve ser servido sobre uma fonte de calor que pode ser uma lamparina, também conhecida como espiriteira ou rechaud, ou outra fonte de calor pouco intenso e do qual as pessoas se servem diretamente. Além dos de queijo existem receitas com

FOTOS:Divulgação

chocolate e carne. O prato original consiste basicamente em uma mistura de queijos (normalmente dos queijos Gruyère e Emmental) fundidos com vinho (ou, como na receita original, a Kirschwasser alemã), que vai à mesa acompanhada de pedaços de pão, batatas e cenouras. Esses acompanhamentos devem ser mergulhados na fondue com um garfo especial antes de serem consumidos.

Versões com chocolate e carne também agradam o paladar O prato original é uma mistura de queijos fundidos com vinho que vai à mesa acompanhada de pedaços de pão, batatas e cenouras

# Faça você mesmo > Receita 1 > Fondue de chocolate preto

3 pitadas de pimenta-do-reino

> Fondue de queijo

Ingredientes:

1 pitada de noz-moscada

Ingredientes:

150g de chocolate meio amargo

400g de queijo gruyére ralado

2 colheres (sopa) de manteiga

Modo de Preparo:

200g de queijo emmenthal ralado

1 xícara de creme de leite fresco

1 dente de alho sem casca partido ao meio

¼ xícara de leite condensado

1 xícara (chá) de vinho branco

Modo de Preparo: Coloque na panelinha o leite condensado, a manteiga e o creme de leite. Leve ao fogo baixo para que comece a ferver. Acrescente o chocolate picado e misture bem para que o chocolate derreta. Transfira para o aparelho de fondue e sirva acompanhado de pelo menos 4 das frutas abaixo. Morango, banana, maçã, mexirica, abacaxi, kiwi e uva Itália.

1 colher (chá) de suco de limão 2 colheres (chá) de maisena 4 colheres (sopa) de leite

Carmenère - Exclusividade do Chile Antes do Novo Mundo começar a investir nos vinhos varietais (elaborados com uma única variedade) e tendo a Califórnia como pioneira; os consumidores raramente eram informados sobre as variedades das uvas usadas na elaboração dos vinhos que estavam bebendo. A tradição européia ditava que a origem do vinho era mais importante. Por essa razão predominavam os tintos de Bordeaux (cortes de Cabernet com Merlot) os Riojas espanhóis (com predominância da Tempranillo), os Chianti (de Sangiovese) ou os Hermitages (com Syrahs do Norte do rio Ródano) e os Borgonhas (elaborados com Pinot Noir). Na década de 60, quando a Califórnia passou a vender seus vinhos destacando as variedades com as quais eram elaborados; essa novidade, aparentemente ingênua, provocou uma profunda mudança na mentalidade dos apreciadores de vinho de todo o mundo. A grande massa de consumi-

4 colheres (sopa) de vodca

> Receita 2

dores norte-americanos que se iniciava nos segredos da bebida, não estava familiarizada nem com as regiões produtoras e muito menos com seus diferentes estilos. Todo o esforço de marketing estava direcionado para esse público-alvo, mostrando o mundo da vitivinicultura a partir da variedade de cada cepa. Entender o que se estava bebendo a partir das uvas com as quais uma garrafa de vinho tinha sido elaborada, foi uma excelente ideia de compreender melhor a bebida por parte desses novos consumidores para quem as palavras Vêneto e Toscana ou Médoc e Renânia, indicativas das regiões produtoras, não tinham o menor significado. Embora atualmente se privilegie o terroir, a tradição e a interferência do homem; ainda são as cepas que dominam o mercado, mesmo que se desconheça a influência do clima, do solo, da topografia e do homem. Entretanto, há que se considerar o fato

Esfregue o alho na parte interna de uma panela própria para fondue. Coloque o vinho e o suco de limão e leve ao fogo até amornar. Reduza o fogo, junte os queijos e mexa bem até começar a derreter. Adicione a maisena dissolvida no leite e continue a cozinhar, mexendo sem parar, em movimentos na forma de 8 para o queijo não ficar em ponto de fio. Acrescente a vodca, a pimenta e a noz-moscada e misture por mais 2 minutos, ou até ficar cremoso. Transfira a panela para o fogareiro e leve à mesa. A fondue deve continuar a ferver. Sirva com pedaços de pão, de preferência os de casca dura, como o pão italiano. Espete-os no garfo próprio para fondue e mergulhe no queijo.

de algumas cepas não se adaptarem bem fora da sua região de origem, como acontece com a Pinot Noir, uma uva delicada, elegante, distante e complexa, originária da Borgonha na França. É extremamente caprichosa quando a retiram do seu habitat natural. Muita gente, em toda parte, continua lutando para domá-la buscando um equilíbrio na planta, para conseguir uma boa maturação e adequá-la a estágios em madeira como acontece com suas irmãs borgonhesas. Na coluna anterior mencionamos a experimentação que vamos fazer no jantar de 20.7.2011, utilizando uma Sauvignon Blanc sul-africana como aperitivo. Logicamente foi preciso pensar em algum(s) tinto(s) para harmonizar com o bufet propriamente dito. Com essa finalidade escolhemos um Carmenère chileno, sabendo-se que apesar da uva ter sua origem em Bordeaux, é atualmente uma exclusividade chilena, onde por muito tempo foi confundida com a Merlot e, só começou a demonstrar sua identidade própria a partir de 1996. A uva Carmenère é encontrada no Chile desde meados do século XIX, quando foram realizadas as primeiras importações de mudas da França. Pode ter sido por seus aromas doces, pela suavidade dos seus taninos ou por suas diferenças em relação à Cabernet Sauvignon, que se originou a confusão. Logo após o seu descobrimento, a febre da Carmenère se alastrou no país onde, atualmente, mais de quarenta vinícolas a têm em seus portfólios; muito embora seja uma

cepa difícil, com longo período de maturidade que fizeram-na um grande desafio. Antes do ataque da Phyloxera, praga que devastou os vinhedos da França e de quase todo o mundo, a Carmenère tinha um papel relevante que desapareceu levando de roldão a sua fama. O Chile, como algumas poucas regiões do mundo, nunca foi atacado pela praga que, por isso lhe reservou um papel histórico. Os problemas com essa variedade começaram quando se tentou elaborar vinhos mais ambiciosos. Os produtores chilenos tiveram que fazer milagres para adaptá-la; resultando um aprendizado nesses 15 anos de experiências, que justifica o título obtido de ícone maior da viticultura daquele país andino. Essa extensa e íntima convivência com a nova cepa resultou um currículo com os seguintes ensinamentos: um clima ensolarado com uma boa dose de frescor à noite; água em abundância até o período que antecede a colheita e, provar as uvas até que os aromas vegetais (comuns nos frutos pouco maduros) tenham desaparecido. Colhida no momento adequado, essa cepa proporciona frescor e profundidade com aromas de cerejas maduras. A Vinícola Aurora produz um Varietal Carmenère, em seus vinhedos na Serra Gaúcha, dentro da Linha Pequenas Partilhas que já escanseamos em pelo menos três reuniões mensais do Clube do Vinho-PB; sempre muito bem apreciado e com ótima relação qualidade X preço. Vamos agora provar a exclusividade chilena!!!

Dicas, sugestões ou comentários para esta coluna: clubedovinhopb.blogspot.com


8

! AtuaL ○

Mercado de Trabalho ○

}

"Pensar em fazer grandes coisas é o melhor pretexto para não fazer as pequenas." Jacinto Benaventeh.

Sua Carreira

A UNIÃO

João Pessoa > Paraíba > DOMINGO, 3 de julho de 2011 FOTOS:Arquivo

Entre janeiro a maio deste ano, já foram oferecidas 8.652 propostas de emprego e, desse total, 3.625 conseguiram preencher a vaga disponível no mercado de trabalho

Sine aumenta em 10% oferta de empregos > José Alves

zavieira2@gmail.com

No primeiro semestre do ano passado, foram ofertadas 7.855 vagas e, desse total, 4 mil terminaram preenchidas

A

umentou em 10% a oferta de emprego pelo Sistema Nacional de Emprego - Sine-PB - em relação ao primeiro semestre no ano passado. Neste primeiro período, ou seja, de janeiro a maio de 2011 já foram oferecidas 8.652 propostas de emprego e desse total, 3.625 conseguiram preencher a vaga disponível no mercado de trabalho. Atualmente, cerca de 60 ofertas são oferecidas diariamente pelo Sine-PB, e as áreas mais procuradas são as do comércio, indústria e administração. Sobram constantemente vagas na área da construção civil, em razão a falta de profissionais qualificados e isso acontece porque muitos profissionais desta área se deslocaram para outros estados. No ano passado o número de ofertas no primeiro semestre foi de 7.855 e desse total quatro mil foram aproveitados no mercado de trabalho, mais do que neste semestre, porém, segundo a diretora do setor de captação técnica de intermediação de mão de obra do Sine-PB, Rita Rocha, isso se deve ao fato da nova gestão estadual ainda está realizando novas parcerias com empresas e trazendo muitas outras empresas para o Estado da Paraíba. "Acredito que em pouco espaço de tempo teremos um aumento de vagas no mercado de trabalho em razão do trabalho que vem sendo realizado pelo Governo do Estado, que a todo custo vem atraindo novas empresas para a Paraíba", disse Rita. O perfil das pessoas que procuram emprego através do Sine-PB é diverso. São profissionais de Nível Fundamental, Médio, Superior e Técnico. O interessante é que o Sine dispõe de um excelente banco de dados que atende as empresas do Estado como também de outros estados, que buscam mão de obra qualificada na Paraíba. O Sine-PB também tem a opção de milhares de currículos disponíveis para seleção de empresas.

n ...

Chances maiores para quem tem cursos técnicos As pessoas que tem cursos técnicos têm mais chances de emprego pelo Sine-PB por serem mais qualificadas. "Obviamente elas têm mais opções de serem inseridas no mercado de trabalho, pois temos muitas ofertas nessa área", afirmou. O Sine-PB inclusive tem dicas de cursos de capacitação onde as pessoas podem se preparar melhor para o mercado de trabalho, através do Plano Territorial de Qualificação (Planteq). "Só este ano iremos oferecer cursos profissionalizantes em 33 municípios do Estado. É através do Planteq que o Estado tem a finalidade de contribuir para criar mais e, melhores oportunidades de trabalho, dando incentivo as ações de Qualificação Social e Profissional, na execução de cursos nas diversas áreas", observou. Rita informou também que as vagas que surgem são oferecidas respeitando o público prioritário onde são inseridos trabalhadores rurais e da pesca, além de trabalhadores do Sistema Publico de Emprego, inclusão social, trabalhadores dos programas de geração de emprego e renda, representantes de fóruns, co-

]

Só este ano iremos oferecer cursos profissionalizantes em 33 municípios do Estado

]

missões ou conselhos e pessoas com deficiência. Um detalhe é que a faixa etária para essas vagas começam a partir dos 16 anos. Ela afirmou que para não perderem a vaga em um emprego, os candidatos devem preparar um bom currículo (dados pessoais, cursos de qualificação, escolaridade e experiência (caso tenha) se não tiver, o interessado deve colocar a frase "Em busca do primeiro emprego". A pessoa interessada em um emprego deve colocar no currículo a verdade pois quando for selecionado se não comprovar o que escreveu, com certeza vai perder a oportunidade, alertou a diretora do setor de captação técnica de intermediação de mão de obra do Sine-PB. Ela enfatizou que a pessoa

Rita Rocha credita o aumento à atração de novas empresas deve comparecer para entrevista na empresa que almeja trabalhar com roupas comportadas, maquiagem leve, cabelos bem penteados, perfume suave e acessórios delicados, além de ser simpática, educada e sincera. Na Paraíba existem 18 agências do Sine, instalados em Alagoa Nova, Araruna, Bayeux, Cabedelo, Cajazeiras, Campina Grande, Catolé do Rocha, Esperança, Guarabira, Itaporanga, Mamanguape, Patos, Santa Rita, Sapé, Sousa, Teixeira, Monteiro e João Pessoa, além das Casas da Cidadania instaladas nos Shoppings Tambiá e Manaíra, além da Casa da Cidadania do bairro de Jaguaribe. Rita informou também que ainda este ano deverão ser inaugurados Sines nas cidades do Conde e Pombal.


FOTO: Divulgação

> TELEFONES ÚTEIS 3218-4410

3214-3042

100

0800 285 9020 Defesa Civil

A UNIÃO

Denuncie a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

Procon Municipal

SAMU

Casa da Cidadania Tambiá

cotidiano.aunião@gmail.com

Polícia

Cotidiano

Bombeiros

192

190

193

○ ○ ○ ○

[FOTO&LEGENDA]

João Pessoa > Paraíba > DOMINGO, 3 de julho de 2011

EDITOR: Henrique França I E-MAIL: franca.henrique@gmail.com I TWITTER: @riquefranca

A Prefeitura de João Pessoa está construindo, no conjunto Valentina Figueiredo, um novo complexo olímpico que vai atender a Capital com modernas instalações esportivas, distribuídas em 12,4 mil metros quadrados de área construída.

9

REDAÇÃO: (83) 3218-6511

FOTO: Divulgação

A Central de Transplantes da Paraíba vem se destacando no país na realização desse tipo de procedimento cirúrgico, que se constitui um avanço e uma grande saída para quem está à espera de uma solução para viver

>>> PROCEDIMENTO > É a melhor saída para pacientes com diabete grave e insuficiência renal crônica

Transplante simultâneo

de pâncreas e rim será realizado este ano na PB >Cleane Costa cleanec@gmail.com

No próximo mês de setembro, a Paraíba deverá realizar o primeiro transplante simultâneo de pâncreas e rim, considerado o melhor tratamento para pacientes com diabete grave e insuficiência renal crônica.

P

ara isso, o médico cirurgião Marcelo Gonçalves, integrante da equipe da Central de Transplantes, está realizando um treinamento na França, de onde deverá retornar no início de agosto. O paciente, que receberá os órgãos, já está à espera do transplante. A enfermeira chefe da Central de Transplantes da Paraíba, Miriam Carneiro de França, informou que isto está sendo possível graças à associação da equipe de transplante de pâncreas de João Pessoa com a equipe de rim de Campina Grande, liderada pelo médico Rafael Maciel, formando a equipe pâncreas/rim. Ela adiantou que a cirurgia será realizada no Hospital Antônio Targino, em Campina Grande, único no Nordeste e segundo no país que realiza transplante de rim com doador vivo por via laparoscópica. O outro Estado que oferece esse tipo de procedimento é

Pág. 10

Para realizar o procedimento, o médico cirurgião Marcelo Gonçalves, integrante da equipe da Central de Transplantes, realiza treinamento na França, de onde deverá retornar no início de agosto. O paciente, que receberá os órgãos, já está à espera do transplante. São Paulo. "Este é um diferencial nosso", declarou Miriam Carneiro, adiantando que o serviço é oferecido desde outubro do ano passado e que este ano dará mais esse passo no tratamento dos diabéticos que já apresentam importante perda da função renal, melhorando sua qualidade de vida. A enfermeira chefe da Central de Transplantes disse ainda que os hipertensos, diabéticos e tabagistas têm mais propensão a sofrer de problemas renais, por isso recomenda que os

Secretaria da Segurança vai promover o Fórum Paraíba Unida pela Paz

dois primeiros grupos devem controlar a doença, enquanto o terceiro grupo é aconselhado a deixar de fumar. Ela explicou que no caso dos hipertensos a pressão sanguínea rompe os capilares - vasos sanguíneos muito finos e frágeis - e as toxinas passam a se acumular no organismo levando os rins a perderem sua capacidade de filtrar. Já quem sofre de diabete, quando a doença não é controlada, o sangue entope os capilares, comprometendo os rins; e quem fuma poderá vir a sofrer complicações renais, porque os capilares ficam endurecidos. Miriam Carneiro comentou que se as pessoas tivessem mais cuidado com a alimentação e houvesse menos poluição no ar, a lista de espera por um transplante de rim seria bem menor. Para os que esperam por um transplante de fígado, a enfermeira observou que uma vacinação contra hepatite poderia evitar a doença. Segundo ela, 80% das pessoas que estão na lista de espera apresentaram problema no fígado por causa de hepatite. "A hepatite é mais perigosa para contágio do que Aids, pois enquanto o vírus da hepatite se espalha no ar, a Aids só é contraída através do contato sexual", alertou.

FOTO: Evandro Pereira

A enfermeira Miriam Carneiro informou que o transplante será realizado no Hospital Antônio Targino, em CG

DADOS ESTATÍSTICOS ATÉ MAIO DE 2011 CAPTAÇÕES Córnea 164 TRANSPLANTES Córnea 66 LISTA DE ESPERA Órgão Coração Córnea Fígado Rim

+ Cotidiano

Rim Cadáver

Fígado

Válvula

10

5

3

Rim Cadáver 8

Rim Intervivo 5

Fígado 2

Coração 0

Quantidade 4 41 12 308

Pág. 12

Movimento de cargas no Porto de Cabedelo cresce 45% nos cinco primeiros meses de 2011


10 ○

A UNIÃO

Geral

Cotidiano ○

João Pessoa > Paraíba > DOMINGO, 3 de julho de 2011 ○

>>> NO PAÍS > O ato de doar órgãos ainda é um tabu e muitos vêem a questão com desconfiança

Cresce a lista de pessoas à espera de doação de rins para transplante >Cleane Costa

FOTO: Divulgação

cleanec@gmail.com

A doação de órgãos em todo país ainda é considerada um tabu e muitos vêem a questão com desconfiança, principalmente quando se trata de órgão que se pode doar em vida, como o rim.

C

onforme as estatísticas da Central de Transplantes da Paraíba, até o mês de maio deste ano, das 365 pessoas que estavam na lista de espera por um órgão, 308 precisavam de um rim. Já foram realizados oito transplantes de rim originado de cadáver e ou cinco de rim intervivo. A central captou 10 rins de cadáveres. A enfermeira chefe da Central de Transplantes da Paraíba, Miriam Carneiro de França, analisou que a maior dificuldade da doação de rim em vida é porque as pessoas acreditam que terão algum tipo de prejuízo e ficam com receio de passar a viver apenas com um rim. "Não existe qualquer prejuízo, pois o outro rim vai trabalhar naturalmente", observou. Miriam Carneiro comentou que com a técnica implantada em Campina Grande transplante de rim com doador vivo por via laparoscópica deverá aumentar o número de doadores de rim, pois, dessa forma, eles sofrem menos dor, têm uma estadia hospitalar mais curta e uma recuperação muito mais rápida. Além disso, a cicatriz resultante da cirurgia é bem menor, variando entre 0,5 e 1,2cm.

mou que deve ser observada a Lei 10.211, de 23 de março de 2001, segundo a qual somente a família é quem pode autorizar. Ela destacou que, por isso, é importante que as pessoas avisem suas famílias sobre o desejo de doar seus órgãos ou tecidos depois da morte. "Essa é uma oportunidade da família transformar um momento de dor em algo bom", apelou, destacando que a doação de órgãos e tecidos de um cadáver na Paraíba pode salvar ou melhorar a qualidade de vida de sete pessoas, com a retirada de duas córneas, dois rins, um fígado, um pâncreas e um coração. A enfermeira chefe da Central de Transplantes da Paraíba,Miriam Carneiro de França, tranquilizou as famílias com relação ao ato de doação, explicando que isto somente é possível depois que a equipe médica confirma o diagnóstico de morte encefálica, o que pode ser feito também por um médico de confiança da própria família. A morte encefálica (quando o sangue deixa de circular no cérebro) pode ser diagnosticada por meio de exames clínicos - dois num intervalo de seis horas - que detectam a capacidade de comunicação e resposta aos estímulos cerebrais e por meio de exames complementares como é o caso da angiografia e do doppler transcraniano. Depois de comprovada a morte encefálica, a Comissão Intra-Hospitalar para Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT) vai trabalhar para manter os outros órgãos funcionando, por meio do tratamento intensivo, enquanto que a equipe da central de transplante se encarrega de fazer a abordagem da família e tentar convencê-la a autorizar a doação. Em 2010, foram realizados 223 transplantes, sendo 180 de córnea, 32 de rins e 11 de fígado. Para mais informações sobre doação de órgãos ou tecidos, os interessados podem ligar para a Central de Transplante no telefone 3244-6192. Para doação de córneas, avisar ao Banco de Olhos pelo telefone 3216-5744.

COMO DOAR - Ela esclareceu que a doação de rim em vida pode ser feita por um parente até o terceiro grau e por quem não é parente. No caso dos parentes, o doador deve ir até o Ministério Público e preencher um formulário no qual, entre outros, deve comprovar o grau de parentesco para poder receber um documento denominado Termo de Autorização para Disposição de Corpo Vivo, que é assinado pelo Curador da Saúde e encaminhado para equipe médica que fará o transplante. Para o cônjuge e quem não é parente, o processo de doação já é mais complicado, a fim de se evitar o "comércio" do órgão. Nesse caso, o doador deve abrir um processo judicial e o juiz é quem vai analisar e decidir pela autorização ou não. Quando a doação dos órgãos ou tecidos é originada de cadáver, Miriam Carneiro infor-

As campanhas sobre doação de órgãos ganham espaço no país e tentam conscientizar a população a apoiar esse gesto em defesa da vida

Paciente viveu agonia de esperar por um fígado Há sete anos, Ana Carmem Navarro de Morais viveu a agonia de estar numa fila à espera de um fígado. Ela tinha somente 24 anos e um câncer no fígado. O transplante era a única saída para se manter viva: fazia ou morria. Foi um longo ano de muito sofrimento e um dos maiores problemas enfrentados por ela na época foi o fato da Paraíba ainda não dispor do serviço de transplantes. Primeiro ficou numa lista de espera em Recife, mas notando que havia muitos outros na sua frente, resolveu mudar para o Ceará, onde finalmente recebeu um órgão novo. "Foi um período bem nebuloso", lembrou Ana Carmem, enfatizando que o pior período de todo o processo da doença foi a espera.

#MartinhoMoreiraFranco ○

Neste domingo em que o Brasil estreia na Copa América, agradeço aos deuses do futebol por pouparem a Seleção de entrar em campo com um jogador chamado Leandro Damião, pois isso não é lá nome de jogador de futebol, pelo amor de Deus! Temo, porém, que, em futuro não muito distante, a Seleção Brasileira possa entrar em campo com a atual formação de uma equipe composta por jogadores das divisões de base do São Paulo (com enxerto de dois profissionais), vejam só: Goleiro: Bruno Roberto (sub-15); laterais: Lucas Vinicius (sub-15) e Henrique

"A sua vida fica parada e a família para junto com você", comentou. Hoje ela tem uma vida completamente normal: voltou a trabalhar - Coordenação de Planejamento da Reitoria da Universidade Federal da Paraíba - sai e se diverte como todas as outras pessoas. E garantiu: "Faço absolutamente tudo o que eu fazia, acho até que mais coisas do que fazia antes". Ela contou que sua recu-

MARTINHOMOREIRAFRANCOéjornalista ○

martinhomoreira.franco@bol.com.br

Bola murcha

Miranda (profissional); zagueiros: Arthur Henrique (sub-17) e Gabriel Henrique (sub-15); meio-campo: Rodrigo Caio (profissional) Pedro Henrique (sub-17) e Leonardo Bruno (sub-15); atacantes: Douglas Henrique (sub-16), Rafael Rogério (sub17) e Paulo Marcelo (sub-16). E vocês viram como tem Zé, quero dizer, Henrique? Parece "Silva", não é verdade? Pois bem, o vice-presidente de Comunicações e Marketing do São Paulo, Júlio Casares (isso é lá nome de presidente de Comunicações e Marketing!), justifica a predominância de nomes compostos como uma forma de "valorizar o atleta".

O transplante era a única saída para Carmem Navarro de Morais se manter viva: fazia ou morria. Um dos maiores problemas enfrentados na época foi o fato da Paraíba ainda não dispor de uma Central de Transplantes.

Por isso, quem chega agora à base do clube perde automaticamente o apelido e passa a ser chamado pelo nome de batismo. Enquanto isso, o veterano Rogério Ceni vai engolindo seus franguinhos, hein! Eu acho é pouco. CRIATIVIDADE Neste domingo em que o Brasil estreia na Copa América (II), reitero que o Hino Nacional merece respeito e eu gosto, mas não resisto a bater continência à criatividade (e ao senso crítico) do brasileiro. Senão, cantarolem comigo a versão que corre do nosso hino na internet:

Num Posto da Ipiranga, às margens plácidas, De um Volvo heróico Brahma retumbante Skol da liberdade em Rider fúlgido Brilhou no Shell da Pátria nesse instante Se o Knorr dessa igualdade Conseguimos conquistar com braço Ford Em teu Seiko, ó liberdade, Desafia nosso peito à Microsoft. O Parmalat, Mastercard, Sharp, Sharp Amil um sonho intenso, um rádio Philips De amor a Lufthansa à terra desce Intel formoso céu risonho Olympikus

peração a surpreendeu, pois com um mês após a cirurgia do transplante já estava na praia e voltou a comer tudo. Ressaltou, entretanto, a importância de se tomar a medicação indicada e fazer o acompanhamento médico constante. "O paciente transplantado tem que ter a responsabilidade, porque recebeu um órgão e tem que cuidar bem dele", recomendou. Ana Carmem, que hoje é presidente da Associação dos Portadores de Hepa-topatias, Transplantados Hepáticos e Familiares - Apheto, fez um apelo para que as pessoas se informem para acabar com as ideias preconcebidas e informem sua família sobre o desejo de doar seus órgãos quando morrer. Ela reconhece ser este um momento de

muita dor para a família, mas tem certeza que esta respeitará a vontade do ente querido de salvar muitas vidas. Para Ana Carmem, a doação também serve de conforto para a família que perde um ente querido. Ela teve a oportunidade de conhecer os pais do seu doador, por iniciativa própria deles. "Eles me procuraram, eu aceitei o contato e eu servi de um conforto para eles. Eles me tratam como se fosse uma filha também. Perderam um filho, mas se conformaram", ressaltou, acrescentando que atualmente mantém contato com a família do seu doador por e-mail e telefone. E conclamou: "Sempre vale a pena você ter a chance de salvar vidas".

A imagem do Bradesco resplandece Gillete pela própria natureza És belo Escort impávido colosso E o teu futuro espelha essa

Grendene Cerpa gelada! Entre outras mil é Suvinil, Compaq Armada. Do Philco deste Sollo és mãe Doril Coca Cola, Bombril!"

SAIDEIRAS Neste domingo em que... (III), vale a pena recontar a historinha sobre um francês, um inglês e um brasileiro que estão no Museu do Louvre, em Paris, diante do quadro Adão e Eva no Paraíso: Diz o francês: - Olhem, como os dois são bonitos! Ela, alta e magra; ele, másculo e bem cuidado. Devem ser franceses. O inglês: - Que nada! Vejam os olhos deles: frios, reservados... Só podem ser ingleses. E o brasileiro: - Discordo totalmente! Prestem atenção: não têm roupa... não têm casa... só possuem uma maçã pra comer... e ainda pensam que estão no paraíso. Só podem ser argentinos, ora! *** Jogo no feriado de Corpus Christi, o narrador abre a transmissão esportiva na emissora de rádio: - Neste glorioso dia de "Habeas Corpus", data em que Afonso Pilatos lavou as mãos...


João Pessoa > Paraíba > DOMINGO, 3 de julho de 2011 ○

Geral ○

A UNIÃO

Cotidiano ○

11 ○

FOTOS: Marcos Russo

O fórum será realizado no período de 6 a 8 deste mês, no Espaço Cultural, e reunirá personalidades da Paraíba e de outros Estados ligadas à área de segurança

>>> ABERTURA > A solenidade acontece na próxima quarta-feira

Governo promove este mês o Fórum Paraíba Unida pela Paz A Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Seds) promove, entre os dias 6 e 8 de julho, na Fundação Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa, o Fórum Paraíba Unida pela Paz. A intenção é estimular a participação social na formação de políticas públicas para a área de segurança.

D

urante a solenidade de abertura, na próxima quarta-feira (6), às 19h, o governador Ricardo Coutinho assinará o projeto de lei que dispõe sobre a organização e funcionamento do Conselho Estadual de Defesa Social e lança a Campa-

nha do Desarmamento/Ativação do Comitê Paraibano pelo Desarmamento. Às 20h30, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, participa da conferência “Pacto pela Vida: o processo de construção de uma nova política de segurança pública no

Estado de Pernambuco”. Na quinta-feira (7), a partir das 8h30, os debates abordarão os temas da Gestão compartilhada; Sistema de justiça integrada; e o papel dos municípios na Segurança Cidadão, com a participação dos secretários Harrison Targino, da Cidadania e da Administração Penitenciária (Sedasp), e Lúcio Flávio Vasconcelos, secretárioexecutivo da Casa Civil, do procurador-geral de Justiça da Paraíba, Oswaldo Trigueiro Filho, do procurador da República de Pernambuco, Luciano Mariz Maia, além da secretária nacional de Segurança Pública, Regina Miki. Encerrando a progra-

mação do Fórum Paraíba Unida pela Paz, na sexta-feira (8), também a partir das 8h30, serão discutidas políticas públicas e participação popular; prevenção social e controle da violência; e o papel da sociedade civil organizada. O evento contará com as participações dos secretários Cláudio Lima, da Segurança e Defesa Social do Estado e Raymundo Silvany, secretário-executivo da Sedasp, da professora da Unicamp/RJ, doutora em Antropologia, Jaqueline Muniz, do senador Cássio Cunha Lima, do economista e pesquisador Sérgio Cavalcante Buarque, além do arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagotto.

Coronel da PM destaca importância do evento O subcomandante geral da Polícia Militar da Paraíba, coronel Washington França da Silva, colaborador do projeto e um dos coordenadores do fórum, acrescenta que a iniciativa do Governo representa a efetivação da democracia participativa, que permeia a Constituição Federal e constitui o Estado Democrático de Direito consagrado, no artigo 1º da Carta Magna. Segundo o coronel Washington, a segurança pública é um desafio não só do Estado, mas também da sociedade civil. “O Fórum Paraíba Unida pela Paz tem o objetivo de democratizar o debate e envolver a sociedade na formulação de propostas. A partir do evento, vamos criar um conselho estadual, que funcionará como uma espécie de câmaras temáticas, formadas por representantes de instituições públicas e da sociedade civil organizada, responsáveis por apresentar diagnósticos de cada região. As câmaras terão a função de colaborar com a elaboração do Plano Estadual de Segurança Pública”, adiantou o militar.

Fórum tem o objetivo de democratizar o debate e envolver a sociedade na formulação de propostas As câmaras temáticas serão responsáveis ainda pelo monitoramento e fiscalização da execução de políticas públicas, no âmbito da Segurança Pública, além de encaminhar reclamações, denúncias, sugestões e críticas referentes às políticas públicas relacionadas à Justiça Criminal para as ouvidorias ou órgãos go-

vernamentais competentes. “O fórum é um processo que não se esgota após os três dias de discussões. O trabalho deve ser contínuo. A integração com a sociedade deve ser um dos principais eixos de atuação da secretaria, ao lado da articulação das forças de segurança entre si e com outros órgãos governamentais.

É por meio dos conselhos comunitários que temos mais consistência para análise da situação”, avaliou. As inscrições são gratuitas e abertas ao público em geral. Para participar do fórum de discussões e consultar a programação completa, o site é: http://paraiba.pb.gov.br/especiais/pbunidapelapaz/.


○ ○ ○

> AZALEIA

> GERDAU

esquisa feita pela fábrica da Vulcabras Azaleia, P Federação das A localizada em Itapetin- Indústrias do Rio de

○ ○ ○ ○ ○

grupo brasileiro O Gerdau (GGBR4) ganhou três posições

Janeiro mostra que 30% da indústria nacional consideram negativa a eventual fusão entre o Pão de Açúcar e Carrefour.

ga, ameaça deixar a Bahia e se instalar em Nova Délhi, capital da Índia. Com isso,18 mil serão demitidos.

12 João Pessoa > Paraíba > DOMINGO, 3 de julho de 2011

> GIRO ECONÔMICO > FUSÃO

economia.auniao@pb.gov.br

no ranking mundial dos fabricantes de aço e tornou-se, em 2010, o décimo maior conglomerado siderúrgico.

> REDAÇÃO: 83.3241-1010 ○

EDITOR: Henrique França > E-mail: franca.henrique@gmail.com > twitter: @riquefranca

Economia A UNIÃO

>>> INCREMENTO > Volume transportado em mercadorias é recorde, segundo Companhia Docas

Movimento de cargas cresceu 45% no Porto de Cabedelo entre janeiro e maio > Teresa Duarte

vimento de 96.622 toneladas. "A movimentação nos últimos cinco meses bateu um recorde histórico em todos os anos de movimentação de cargas da Companhia Docas", revelou Wilbur. Dentre os principais produtos que o porto exporta estão os combustíveis (gasolina e álcool), graneis sólidos (trigo), ilmenita e escórea (insumos) e o Ptcoke - espécie de carvão que é utilizado na indústria de cimento, que são exportados para a Itália, China, Europa e Ásia. Na opinião dele, um dos principais fatores que tem contribuído para o acréscimo na movimentação do porto é o aquecimento na indústria da construção civil e a migração de cargas vindas do Porto do Recife. "O aquecimento na indústria da construção civil é sem dúvida o principal fator para o crescimento da nossa movimentação, mas, também é bom destacar outro ponto dessa contribuição que são as muitas cargas que estão migrando do Porto do Recife para Cabedelo", informou.

teresaduarte2@hotmail.com

O Porto de Cabedelo acumulou nos últimos 5 meses deste ano um crescimento de 45% no setor de cargas, fechando o mês de maio com uma movimentação de 185.530 toneladas.

D

me, a movimentação do mês de maio representa um incremento de 92% em relação ao mesmo período do ano passado, que registrou um mo-

e acordo com o diretor presidente da Companhia Docas da Paraíba e administradora do Porto de Cabedelo, Wilbur Holmes Jáco-

FOTO: Branco Lucena

Acréscimo na movimentação do Porto é atribuído ao aquecimento na indústria da construção civil

Terminal passa por processo de dragagem Atualmente, o Porto de Cabedelo passa por um processo de dragagem que está sendo realizado pelo Governo Federal, através da Secretaria de Portos. A obra, orçada em R$ 47.000.000, tem previsão de conclusão para o próximo mês de setembro o que vai elevar o calado do porto de 9,14 metros para 11 metros, passando a receber navios de 45 a 50 mil toneladas. Com a conclusão das obras de dragagem o Porto de Cabedelo passará para uma segunda etapa do seu

projeto estruturante. Tratase do reforço do cais envolvente (muros onde os navios atracam), que terão que ser elevados aporte de menos 15 para menos 20 metros, o que vai deixar o Porto de Cabedelo pronto para suportar navios de grandes portes até os próximos 20 anos. TERMINAL MÚLTIPLO USO - Para tanto, o Governo do Estado já enviou à Secretaria dos Portos, em Brasília, o segundo projeto que é o do

#Relações de Consumo ○

Klébia Ludgério ○

procon@procon.pb.gov.br.

As carteiras de estudantes, os direitos e as dificuldades Conquistado ao longo de anos de luta, o documento de identificação estudantil - conhecido popularmente como Carteira de Estudante - é um instrumento que deve garantir direitos como a meiaentrada e a meia-passagem a estudantes. Entretanto, o que ocorre atualmente é que a emissão destes documentos acabou se tornando uma espécie de comércio. O mais importante (a garantia dos direitos dos alunos) vem sendo esquecido, e o que vem ganhando notoriedade é a disputa de entidades pelo direito de deter a confecção da identidade estudantil. O preço é um dos pontos que nos desperta preocupação. Enquanto proprietários de gráficas garantem que é possível confeccionar o documento por até R$ 3, entidades estudantis cobram até R$ 15 para entregar aos estudantes a carteira de identificação. Não fosse já o absurdo do preço cobrado - dinheiro que muitas vezes faz falta às famílias mais carentes, estudantes também têm sofrido com a demora para a entrega dos documentos. Segundo

denúncias realizadas por estudantes, a espera pode ultrapassar dois meses. Justamente esta demora fez com que o Procon-PB determinasse a ampliação do prazo de validade das carteiras 2010, que seria encerrado no último dia 30. Tal atitude foi em atendimento a solicitações realizadas por diversos estudantes ao Procon Estadual e teve como principal objetivo evitar que aqueles que já fizeram a solicitação do documento, mas ainda não o receberam, sejam prejudicados. De toda forma, os estudantes que se sentirem lesados por problemas relacionados às carteiras estudantis, deverão procurar o Procon Estadual, que prestará o apoio necessário para que o direito conquistado ao longo de anos seja garantido. PROJETO - Considerando o preço exorbitante cobrado para a emissão do documento estudantil e a impossibilidade de estudantes mais carentes de pagarem por este valor cobrado, o Procon-PB irá entrar em contato com deputados estaduais e solici-

Terminal de Múltiplo Uso, e aguarda a resposta do Governo Federal. De acordo com Wilbur, o maior desafio da Cia Docas atualmente é conquistar a verba necessária para o reforço do cais, que será determinante para a modernização da infraestrutura do porto. Segundo ele não adianta fazer a dragagem do porto sem o reforço do cais com estacas com 20 metros, porque é um processo de continuidade que vai preparando o Porto de Cabedelo para

dragagens futuras, já que a tendência é o aumento significativo da capacidade de carga das embarcações. Wilbur faz apelo aos políticos da Paraíba para que reforcem a liberação de verbas junto ao Governo Federal para a segunda fase do projeto, "já entregamos à Secretaria de Portos, o projeto do Terminal de Múltiplo Uso, agora há a necessidade de toda bancada federal e estadual se unirem em busca do resgate a infraestrutura do Estado da Paraíba", finalizou.

tar a elaboração de um projeto de lei que vise garantir o recebimento da carteira estudantil gratuitamente aos alunos de escolas públicas ou integrantes de programas como o Programa Nacional de Inclusão de Jovens (Projovem) e o Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies). REUNIÃO - Tendo em vista os problemas com os preços cobrados e os atrasos na emissão dos documentos, os representantes de entidades estudantis foram convocados para reunião na próxima terçafeira (5), no Procon-PB. O objetivo do encontro será cobrar mais agilidade no processo de emissão e entrega das carteiras, além da realização de debates para que um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) seja firmado e garanta as boas práticas no processo de confecção da identidade estudantil. CREDENCIAMENTO - Por cerca de um ano, apenas duas entidades estudantis estavam autorizadas a emitir as carteiras, fazendo com que Diretórios Centrais de Estudantes (DCEs) precisassem terceirizar o serviço. Desde o mês de maio, por meio de decreto assinado pelo governador Ricardo Coutinho, DCEs foram autorizados a emitir o documento. Com a ampliação dos autorizados a participar do processo de confecção e emissão, a expectativa é que os preços cobrados possam ser reduzidos. PARTICIPE Você pode nos enviar sugestões de temas para esta coluna através do e-mail procon@procon.pb.gov.br.

INDICADORES [DÓLAR]

VARIAÇÃO

R$ 1,556

0,26%

Comercial

COMPRA: R$ 1,5560 VENDA: R$ 1,5580

[EURO]

R$ 2,260

VARIAÇÃO

-0,11%

COMPRA: R$ 2,2608 VENDA: R$ 2,2632

[OURO]

R$ 77,5

VARIAÇÃO

-3,7267%

[ÍNDICES ECONÔMICOS] INFLAÇÃO

IPCA 0,00% IGP-M 0,45%

INDICADORES TR 0,13% CDI 12.13% SELIC 12,25%

[BOLSAS] Brasil

EUA Espanha França Japão

| Bovespa

| | | |

Nasdaq Madri CAC 40 Nikkei

[ANOTE] 1,59% 1,53% 1,28% 0,63% 0,53%

SALÁRIO MÍNIMO: R$ 545,00 POUPANÇA: MÊS: 0,6578%

ANO: 6,90%


Esportes A UNIÃO

Twitter

esportes.auniao@gmail.com

@diogotaekwondo

REDAÇÃO: 83.3218-6511

13 ○

Diogo Silva (Lutador de Taekwondo) Eu consegui...classifiquei pra olimpiadas de londres....to muito feliz...nao paro de chorar

> EDITOR: Ivo Marques > E-MAIL: ivo_esportes@yahoo.com.br > TWITTER: @ivo_marques

João Pessoa > Paraíba > DOMINGO, 3 de julho de 2011

>>> NA ARGENTINA > Equipe comandada por Mano Menezes enfrenta hoje a Venezuela em La Plata

Seleção em novo desafio Técnico brasileiro relembra a vitória heróica de 2004 na mesma competição e espera conquistar o seu primeiro título no comando da “canarinha”. Copa América da Argen tina, que começa para o Brasil neste domingo, às 16h, contra a Venezuela, em La Plata, é a primeira competição oficial da era Mano Menezes. E na cabeça do treinador, a principal recordação desse torneio é o título de 2004, com vitória histórica sobre a anfitriã deste ano, nos pênaltis. “A recordação mais forte que tenho é da conquista de 2004. A competição estava indo embora e nós empatamos o jogo com um gol do Adriano, depois vencemos nos pênaltis. Estávamos praticamente fora, mas o jogo deu uma demonstração de como é o futebol: tem de acreditar até o fim na sua capacidade”, falou Mano. Naquela época, o treinador nem imaginava estar na situação de agora. Ele ainda era técnico do XV de Novembro de Campo Bom-RS, semifinalista da Copa do Brasil. E por conta desse trabalho foi contratado pelo Caxias. De lá foi para o Grêmio, teve passagem de sucesso pelo Corinthians e desembarcou ano passado na seleção. “Proporcionalmente foi muito rápida essa transformação na minha vida. Mas no futebol você está sempre sujeito a mudanças e precisa estar preparado para quando as oportunidades maiores surgem”, disse o comandante, que até agora fez oito amistosos pelo Brasil, com cinco vitórias, um empate e duas derrotas.

Ilustração: Ulisses Demétrio

A

# COPA AMÉRICA

Grupo B 3 de julho Brasil

x Venezuela La Plata

16h

Paraguai

x Equador

Santa Fé 18h30

x Paraguai

Córdoba

9 de julho Brasil

Venezuela x Equador

16h

Salta

18h30

Paraguai

x Venezuela Salta

19h15

Brasil

x Equador

13 e julho Córdoba 21h45

Os jogadores brasileiros estão prontos para encarar mais um grande desafio e conquistar a Copa América

n ...

n ...

A dupla esperança de gols do Brasil na Copa América, torneio que começou sexta-feira na Argentina, tem apenas 20 anos de idade na média. Neymar, 19, e Alexandre Pato, 21, formam a parceria ofensiva mais jovem da seleção na história da competição sul-americana. Apesar de ser um atacante de origem, Robinho tem atuado como um meia no esquema montado por Mano Menezes. Nos treinamentos em Los Cardales, cidade que fica a 60km de Buenos Aires, é visível que Neymar e Pato se posicionam mais à frente, com o jogador de 27 anos um pouco recuado, próximo ao armador Paulo Henrique Ganso. Após a Copa do Mundo de 2010, aconteceram oito amistosos, e Neymar e Pato anotaram três gols cada. Robinho ainda não balançou as redes depois do Mundial da África do Sul. Fora de campo, a dupla é badalada. Neymar,

O técnico Mano Menezes testou a semana toda o seu time titular para a Copa América. A atividade realizada no Hotel Sofitel La Reserva Cardales teve evolução no ataque e o treinador mais uma vez não fez experiências, postura que prova a sua convicção para o time que considera ideal para o torneio. Desta forma, não há dúvidas de que o Brasil estreia contra a Venezuela, neste domingo, às 16h (de Brasília), em La Plata, com a seguinte formação: Júlio César; Daniel Alves, Lúcio, Thiago Silva e André Santos; Lucas Leiva, Ramires e Paulo Henrique Ganso; Robinho, Alexandre Pato e Neymar. O regulamento da Copa América 2011 traz uma mudança em relação às edições anteriores: agora, os 12 que não começarem o jogo poderão ficar na reserva para serem incluídos nas três substituições que são permitidas. Até a Copa América de 2007 da Venezuela, as seleções podiam inscrever 22 jo-

Neymar e Pato, a dupla de ataque mais jovem

Alexandre Pato e Neymar são as esperanças no ataque brasileiro com seu moicano, é o principal astro do futebol nacional no momento, vai ser pai no fim do ano e vira notícia por onde passa. Além disso, leva à histeria seu fã-clube de ‘neymaretes’. Pato é mais introvertido, não gosta de falar com a imprensa, porém sua vida amorosa atrai jornalistas, fotógrafos e cinegrafistas. Foi casado com a atriz global Sthefany Brito e agora namora Barbara Berlusconi, filha do primeiro-ministro italiano Sílvio Berlusconi.

No discurso, Mano procura proteger os atletas. Diz que o Brasil não depende só de Neymar. “A prova de que a seleção depende menos de Neymar é que temos outros jogadores de alto nível capazes de compartilhar essa responsabilidade. É mais difícil sempre ter de ser o mais importante e decisivo. Ao compartilhar a tarefa, você fica mais livre para jogar. Não tenho a preocupação de ele não ser na seleção o que vem sendo no Santos”, opinou o treinador.

Mano Menezes já tem o time definido

Técnico passou a semana toda testando a equipe titular gadores e sete eram permitidos no banco. Agora, as seleções puderam inscrever 23 jogadores - devido à inclusão do terceiro goleiro - e 12 jogadores serão permitidos no banco. Já o técnico da Venezuela, César Farías, está confiante numa boa apresentação da equipe, apesar de alguns des-

falques importantes como o zagueiro Juan Fuenmayor que sofreu lesão no joelho e foi cortado. “Vamos enfrentar a melhor seleção da América e temos a obrigação de nos apresentar bem na estreia e quem sabe conquistar um bom resultado diante do Brasil”, disse.


14 ○

A UNIÃO

Esportes ○

João Pessoa > Paraíba > DOMINGO, 3 de julho de 2011 ○

>>> SELEÇÕES > Protagonistas na última Copa, Paraguai e Uruguai querem repetir façanha; Chile aposta em Sanchez

Técnico paraguaio teme o Brasil O Paraguai ainda nem estreou contra o Equador (partida que será hoje, às 18h30, em Santa Fé), mas o técnico Martino já pensa nos outros adversários do Grupo B: Brasil e Venezuela.

N

o comando da equipe que disputou a Copa do Mundo em 2010, Martino está disposto a fazer uma campanha melhor do que na África do Sul e, quem sabe, chegar a uma final. Mas, antes disso, tem que avançar na fase de grupos, o que explica a preocupação incessante de conhecer cada rival. Sobre o Equador, adversário de hoje, a preocupação do técnico paraguaio é o armador Valência. Mas prevê que, no decorrer da partida, ganhe vantagem com a falta de peças de reposição do adversário. "O Equador tem problemas para substituir, mas o que há (no time titular) é bom, é forte. O time tem jogadores excepcionais como o Valencia", disse Martino sobre o primeiro adversário. Na segunda rodada, será a Seleção Brasileira quem cruzará o caminho do técnico e do Paraguai. E para conseguir um bom resultado no dia 9 de julho, Martino "seca" o time de Mano Menezes na primeira

rodada, para jogar contra os ânimos dos brasileiros. No entanto, teme os diversos talentos individuais da equipe canarinho. "Contra o Brasil vamos torcer para que estejam num dia ruim e que seja um bom dia nosso, para que tenhamos um equilíbrio. No entanto, existem talentos que podem decidir a partida em uma jogada", disse Martino. Quanto a terceira seleção a ser encarada, o comandante exalta a qualidade de jogadores venezuelanos que atuam no futebol europeu. "Eles vêm de um processo como o nosso. Em algum momento trocaram de treinador, mas a essência permanece a mesma e existem talentos importantes", avaliou, por fim. Quanto ao próprio time, quem deve receber boa parte dos holofotes é o atacante Lucas Barrios, do Borussia Dortmund (ALE), de 26 anos. O companheiro de ataque dele deverá ser o experiente Roque Santa Cruz, do Manchester City (ING).

GOLEIROS: Justo Villar (Valladolid), Diego Barreto (Cerro Porteño), Roberto Fernandez (Racing).

DEFENSORES: Paulo da Silva (Zaragoza), Antolin Alcaraz (Wigan Athletic), Darío Veron (Pumas UNAM), Aureliano Torres (San Lorenzo), Marcos Caceres (Racing, Argentina), Ivan Piris (Cerro Porteño), Elvis Marecos (Guarani).

MEIO-CAMPISTAS: Cristian Riveros (Sunderland), Edgar Barreto (Atalanta), Enrique Vera (LDQ), Víctor Caceres (Libertad), Nestor Ortigoza (San Lorenzo), Jonathan Santana (Kayserispor), Hernan Perez (Villarreal).

ATACANTES: Roque Santa Cruz (Blackburn), Nelson Haedo Valdez (Hercules), Lucas Barrios (B. Dortmund) - foto Osvaldo Martínez (Monterrey), Marcelo Estigarribia (Newell's), Pablo Zeballos (Olimpia).

[URUGUAI]

CHILE

Sanchez é a esperança do Chile na Copa Na Europa, esqueçam Neymar. O nome mais comentado no momento é o de Alexis Sánchez, principal jogador do Chile na Copa América. O atacante do Udinese, no entanto, ainda carece de maior reconhecimento na América do Sul, mas ninguém nega que a competição continental possa antecipar este processo. Sánchez tem apenas 22 anos e é visto como uma das maiores promessas - senão realidade - da Roja na última década. Em 2005, aos 16, despontou no Cobreloa e, depois de vendido aos italianos, defendeu ainda o Colo Colo e River Plate por empréstimo. Passou pelas divisões de base do Chile e foi um dos grandes nomes do elenco de Marcelo Bielsa na última Copa do Mundo, apesar de só ter dado uma assistência em quatro jogos até a eliminação para o Brasil nas oitavas de final. Agora, pode se dar ao luxo de dizer que "é o cara" da Seleção. Foi no ano seguinte à África do Sul que o chileno decolou com a camisa do Udinese: 12 gols, seis assistências e uma dupla com o artilheiro do Campeonato Italiano, Antonio Di Natale

O TIME PARAGUAIO

[>>>]

O Uruguai conquistou a primeira edição da Copa do Mundo de Futebol, em 1930. Vinte anos depois, derrotou o Brasil dentro do Maracanã e se sagrou bicampeão mundial. Dali para frente, a seleção celeste viveu muitos altos e baixos. Somente em 2010, no Mundial da África do Sul, que a Celeste voltou a protagonizar no cenário internacional. E para confirmar este momento e reerguer o futebol nacional, a equipe de Diego Forlán, Suarez e Loco Abreu busca o título da Copa América a partir de amanhã, contra o Peru. Por todo este momento, o técnico Óscar Tabárez afirma que seria "pouco inteligente" deixar o Uruguai fora da lista de favoritos. Os fatos comprovam a coerência da frase: a Celeste Olímpica alcançou o quarto lugar na Copa da África do Sul, na melhor campanha em mundiais desde 1970. O Peñarol é vice-campeão da Libertadores, perdendo para o Santos de Neymar e Ganso. Além disso, o Uruguai é o maior ganhador do torneio ao lado da Argentina com 14 títulos cada um, embora o último te-

PRETENDIDO pelo Barcelona, Alexis terá maior exposição na América

[>>>] (28 gols), que deu o que falar em muitas das 31 partidas que disputou. Não é à toa que a equipe terminou em quarto, classificada para a próxima Liga dos Campeões. O desempenho foi mais do que o suficiente para gigantes e novos milionários do continente disputarem os seus direitos. Até a última quarta-feira, sobraram apenas dois: Barcelona e Manchester City. Mas os ingleses, após terem mais uma proposta reclinada, juntaram-se ao rival United, Juventus, Chelsea e Inter de Milão. Especula-se que o negócio com os catalães ultrapasse os £ 36 milhões (cerca de R$ 90 milhões). Mas o técnico Cláudio Borghi também tem outras apostas para a competição, mais conhecidas dos brasileiros. Trata-se dos meias Valdívia, do Palmeiras, e Fierro, do Flamengo.

DEFENSORES: Gonzalo Jara (W. Bromwich-ING), Pablo Contreras (Paok-GRE), Waldo Ponce (Cruz Azul-MEX) Arturo Vidal (B. Leverkusen-ALE).

MEIO-CAMPISTAS: Marco Estrada (Montpellier-FRA), Gary Medel (Sevilla-ESP), Rodrigo Millar (Colo Colo-CHL), Carlos Carmona (Atalanta-ITA), Francisco Silva (U. Católica-CHL), Maurício Isla (Udinese-ITA), Gonzalo Fierro (Flamengo), Matias Fernández (Sporting-POR) Jorge Valdivia (Palmeiras).

nha sido conquistado em 1995. Na Copa América, a sorte deu uma mãozinha para que a boa fase continue: o time não deve ter trabalho para avançar à segunda fase, já que caiu no Grupo C, juntamente com o Peru, lanterna das Eliminatórias; México, que vai disputar o torneio com um time jovem, e o Chile, grande rival da primeira fase. O Uruguai mantém a estrutura tática e a estratégia da Copa: 4-4-2 em formato de losango, liderado por Diego Forlán, o craque da última Copa. Jogando centralizado ou se deslocando pela esquerda, o atacante do Atlético de Madrid é um jogador diferenciado capaz de atuar tanto na armação quanto na finalização das jogadas. Na frente, Cavani e Suárez movimentam-se constantemente, invertendo as posições. Na defesa, o Uruguai recua suas linhas, marca no próprio campo, deixa que o adversário domine a bola e busca o contra-ataque. Sete jogadores integram o bloco defensivo, entre eles os três volantes marcadores Arévalo, Pérez e Ramírez.

O TIME URUGUAIO

O TIME CHILENO GOLEIROS: Cláudio Bravo (R. Sociedad-ESP), Miguel Pinto (Atlas-MEX) Paulo Garcés (U. Católica-CHL).

Em boa fase desde a Copa, Celeste estreia amanhã

ATACANTES: Jean Beausejour (América-MEX), Felipe Gutiérrez (U. Católica-CHI), Luis Jiménez (West Ham-ING), Humberto Suazo (Zaragoza-ESP), Alexis Sánchez (Udinese-ITA) - foto, Esteban Paredes (Colo Colo-CHI) Carlos Muñoz (S. Wanderers-CHI).

GOLEIROS: Muslera (Lazio-ITA), Silva (Defensor-URU), Castillo (Colo Colo-CHL)

DEFENSORES: Lugano (Fenerbahçe-TUR), Godín (A. de Madri-ESP), Coates (Nacional-URU), Victorino (Cruzeiro), Scotti (Colo Colo-CHL), Cáceres (Sevilla-ESP), Pereira (Benfica-POR).

MEIO-CAMPISTAS: Alvaro Pereira (Porto-POR), Arévalo Ríos (Botafogo), Eguren (S. Gijón-ESP), Pérez (Bolonha-ITA), Gargano (Napoli-ITA), González (Lazio-ITA), Lodeiro (Ajax-HOL), Rodríguez (Porto-POR).

ATACANTES: Cavani (Napoli-ITA), Forlán (A. de Madrid-ESP), Suárez (Liverpool-ING), Loco Abreu (Botafogo), Hernández (Palermo-ITA)


A UNIÃO

João Pessoa > Paraíba > DOMINGO, 3 de julho de 2011 ○

Esportes ○

15 ○

>>>CALENDÁRIO > Dirigentes criticam a realização de um torneio oficial no pleno Campeonato Brasileiro FOTOS: Divulgação/Photocamera

As estrelas do Santos, Elano, Paulo Henrique Ganso e Neymar, estão fazendo muita falta ao clube nas disputas do Brasileiro. O time comandado por Muricy Ramalho está na zona de rebaixamento, porém com dois jogos a menos

Copa América atrapalha os clubes No dia da estreia na Copa América, sobram críticas a respeito da baixa presença na seleção de jogadores que atuam no Brasil.

P

oucos, porém, consideram os transtornos causados aos clubes que liberam estes atletas. A origem dos problemas é um velho conhecido: o calendário do futebol local. O Brasil é o único dos 12 participantes da Copa América a não interromper suas competições durante o torneio continental. Os clubes locais acabam prejudicados ao cederem jogadores – fato recorrente na história do futebol nacional. As exceções são os anos de Mundiais, em que o Campeonato Brasileiro é paralisado por cerca de 45 dias. Nas temporadas em que há Copa das Confederações, Olimpíada ou Copa América, nada acontece. – É um absurdo ter um torneio oficial no meio dos nossos campeonatos. A tabela da Copa América está definida há anos. Deveriam ter feito algo organizado e planejado para não prejudicar tanto os clubes – critica Adalberto Batista, diretor de futebol do São Paulo, clube que perdeu Lucas, seu principal jogador, para a seleção. Em 2009, o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, reco-

nheceu a possibilidade de adaptar o calendário brasileiro ao europeu. Na época, o cartola disse estar na hora de iniciar “uma grande conversa” neste sentido. Na prática, no entanto, pouco aconteceu. As discussões até foram retomadas, mas em virtude do novo contrato dos direitos de TV firmado com a Globo este ano. O novo calendário, que deverá valer a partir de 2012, terá uma folga no meio do ano para que os clubes excursionem no exterior. E só. Caso saia do papel, a proposta impedirá que os problemas deste ano se repitam no futuro. No momento, só resta lamentar. Opiniões divididas -As soluções emergenciais para o calendário nacional dividem opiniões. Principal prejudicado pela Copa América, o Santos tenta o adiamento de partidas no Brasileirão para amenizar as perdas de atletas. A possibilidade, no entanto, é descartada por outros. O São Paulo, por exemplo, ficou sem o meia Lucas. A partir da próxima rodada, perderá outros quatro jogadores (Bruno Uvini, Casemiro, Henrique e Willian José) para a seleção Sub-20, que disputará o Mundial da categoria de 29 de julho a 20 de agosto. Porém, o Tricolor não considera vantajoso ter jogos adiados, já que disputará a Copa Sul-Americana no segundo semestre. – Daí teríamos quatro partidas por semana. Estoura quem for jogar – explica Adal-

O goleiro Victor está longe da crise que o time atravessa no Brasileiro

berto Batista. Já André Silva, vice de futebol do Botafogo, não tem posição definida sobre a paralisação do Brasileiro durante estas competições. – Isso não foi bom em 2010. Tivemos um grande índice de lesões. Um dos motivos apontados para isso foi a paralisação, que exigiu a intertemporada – diz. Na quinta-feira, a CBF até fez mudanças no calendário do Brasileirão em virtude da Copa América. O motivo, no entanto, não foi amenizar os desfalques. A entidade anunciou alterações nas Séries A e B para “evitar conflitos” com os jogos da seleção na grade de programação da TV. Através de ofício divulgado em seu site oficial, a CBF apontou as mudanças nas tabelas de acordo com as possibilidades de a seleção avançar na Copa América. Há simulações para o caso de o Brasil se classificar como primeiro, segundo ou até terceiro colocado de seu grupo. As projeções vão até a final da competição. Não há, no entanto, nenhuma informação a respeito do pedido de adiamento de jogos feito pelo Santos. – Ainda não temos resposta. A área técnica da CBF alega que é preciso ver a situação dos outros clubes – afirma o presidente do clube, Luís Álvaro de Oliveira. O presidente do Santos, Luís Álvaro de Oliveira assegura que o calendário tem de estar compatível com a demanda que se tem pelos melhores jogadores disponíveis

Já Fred não faz falta ao Tricolor

O atacante Lucas desfalcou o São Paulo nas duas últimas rodadas e o time perdeu para Corinthians e Botafogo no mercado e, ao mesmo tempo, com a realidade dos clubes. “É uma situação de virtual injustiça um time como o Santos, que investe para compor um elenco competitivo e campeão, não contar com seus jogadores quando uma competição da importância do Brasileiro é realizada. De fato, com o time desfigurado, fica muito complicado você ser competitivo. Isso deve ser repensado. Para ele, as possibilidades do Santos no Brasileiro ficam comprometidas. “Não tenho dúvida. Por isso, espero compreensão para que repensem o calendário do Santos na competição. Tanto o Santos quanto o técnico Muricy (Ramalho) pensam que o Santos não é um mero protagonista, é um candidato ao título. Ora, para que chegue-

QUEM CEDEU JOGADORES PARA A SELEÇÃO...

mos lá, precisamos de condições mínimas. Temos um elenco grande e um plano para repor as peças que saíram. Mas você tem um problema sério de desentrosamento. Estamos preocupados com o futuro próximo”, concluiu. Se a Seleção Brasileira passar da primeira fase na Copa América, o calendário do Campeonato Brasileiro será alterado pela CBF para

SANTOS

Neymar Ganso Elano SÃO PAULO Lucas GRÊMIO Victor FLUMINENSE Fred BOTAFOGO Jefferson

atender aos interesses das emissoras de televisão que possuem os direitos de transmissão da competição nacional das Séries A e B. Na Série B, três mudanças foram confirmadas. Como a Seleção Brasileira tem jogo marcado para o dia 9 de julho, às 16h, ASA x Paraná, Sport x Ponte Preta e Icasa x Náutico passaram de 16h20 para 21h do mesmo dia.

Mesmo sem o goleiro Jefferson, o Botafogo está conseguindo bons resultados e já aparece em quarto lugar


16 ○

A UNIÃO

Esportes

João Pessoa > Paraíba > DOMINGO, 3 de julho de 2011

>>> STOCK CAR > Paraibano venceu a Corrida do Milhão, em 2008, no mesmo circuito da prova de hoje

Valdeno Brito de volta ao Rio > Horácio Roque

Além da lembrança feliz, o autódromo tem um circuito que irá esconder os defeitos do carro do paraibano, que tem problemas para desenvolver velocidade nas retas. Este, segundo o piloto, ainda é um dos problemas técnicos que ainda persiste desde que a temporada começou. "A expectativa para a prova do Rio é muito boa", disse Valdeno. "Em Campo Grande, conseguimos resolver alguns dos problemas de desempenho que estavam atrapalhando, mas ainda estamos sofrendo muito com a velocidade de reta. Felizmente, o circuito de Jacarepaguá não nos deixará em maus lençóis neste quesito". A esperança, segundo Valdeno, não acabou. Ainda há 75 pontos na disputa e ele, com 12 pontos, está somente a 21 pontos do décimo classificado para a fase final, que é o Duda Pamplona. "O fim de semana será sem dúvida difícil, marca registrada da categoria, mas acredito que teremos boas chances de conquistar um bom resultado. Estamos todos muito focados neste objetivo e eu confio no trabalho que a equipe e eu podemos realizar".

rdohelyos@hotmail.com

Restam mais três corridas antes dos play-offs da temporada deste ano da Stock Car.

O

u sejam, somente mais três oportunidades para o paraibano Valdeno Brito conseguir ficar entre os dez que avançarão para esta fase final. E, mais uma vez, ele terá pela frente um circuito que traz boas lembranças: o de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, quando venceu a primeira edição da Corrida do Milhão, em 2008. A prova será disputada hoje, às 11h30. "O Rio de Janeiro é um lugar especial para mim, onde tive a vitória mais importante da minha vida ao vencer a Corrida do Milhão de 2008. Então é sempre bom retornar. Espero que este clima gostoso da cidade me ajude a melhorar no campeonato em busca da classificação para o pla-yoff", declarou o piloto.

FOTOS:Divulgação

Paraibano Valdeno Brito volta ao circuito de Jacarepaguá para tentar se recuperar na temporada, que não tem sido boa até este momento

[FUTEBOL FEMININO]

SEGUNDA DIVISÃO

Kashima duela contra o invicto Auto Serrano enfrenta o Paraíba por vaga Apesar de jogar fora de casa, o Paraíba de Cajazeiras é o grande favorito diante do Grêmio Serrano, em jogo isolado hoje, às 9h30, no estádio Amigão, em Campina Grande, pela quarta rodada do Campeonato Paraibano da Segunda Divisão/2011. O representante cajazeirense lidera isoladamente e com folga a disputa, com nove pontos ganhos. Após vencer o Flamengo da Paraíba (2 a 0), o Serrano ainda almeja obter a outra vaga. Com quatro pontos ganhos e ocupando a terceira posição, a equipe promete ser ofensiva e acabar com a invencibilidade do time sertanejo. Para o diretor de futebol, Valdir Cabral, o grupo está otimista e confiante em aproveitar o mando de campo e conseguir mais três pon-

> Wellington Sérgio wsergionobre@yahoo.com.br

Botafogo e Auto Esporte podem sacramentar de vez uma grande final do Campeonato Paraibano de Futebol Feminino, nesta quarta rodada, que acontece hoje, a partir das 15h15. Líder isolado da competição, com nove pontos ganhos, o alvirrubro de Mangabeira enfrenta o Kashima, no Juracisão, em Mandacaru. As meninas automobilistas defenderão a invencibilidade e os 100% de aproveitamento, sendo uma das grandes surpresas da disputa e forte candidata ao título. O Kashima ocupa a quarta colocação e busca a reabilitação das duas derrotas, contra o Botafogo (3 a 0) e o Treze (4 a 0), respectivamente. Segundo colocado, com sete pontos ganhos, o Botafogo encara o América, no estádio Leonardo Vinagre da Silveira, a Graça, em Cruz das Armas. Atual campeão paraibano as "Belas do Belo" buscam

Garotas do Kashima terão missão complicada na tarde de hoje a terceira vitória consecutiva e torcem por uma derrota do Auto Esporte para assumir a ponta da tabela. Coincidentemente o próximo compromisso do time da Maravilha do Contorno será contra o alvirrubro de Mangabeira, numa grande disputa pela liderança. O América, que segura a lanterna, com nenhum ponto ganho, cumprirá apenas a tabela. No terceiro jogo da rodada, Sapé e Treze, se enfrentam, no estádio Tadeuzão, na Terra do Abacaxi.

O Galo da Borborema está na terceira posição, com quatro pontos ganhos, enquanto o Sapé vem logo depois, com três. As meninas galistas ainda sonham em obter uma das vagas para próxima fase da competição. As trezeanas terão que ganhar do Sapé e América, além de torcer por tropeços do Botafogo, que está na vice-liderança, com sete. O Sapé ainda corre por fora, mas terá que ganhar os dois jogos que restam, contra o próprio Treze e o Kashima de João Pessoa.

Coisas de futebol ○

tos. O último compromisso da equipe será contra o Flamengo da Paraíba, no dia 17 deste mês, no estádio Leonardo Vinagre da Silveira, a Graça, em Cruz das Armas. O "todo poderoso" Paraíba terá apenas um desfalque para o compromisso na Serra da Borborema. O atacante Somália recebeu o terceiro cartão amarelo e pode ser substituído por Lee. Mesmo sem contar com uma peça importante no esquema tático, o treinador Danilo Augusto aposta na motivação do elenco para continuar na ponta e caminhar para obter o título. "Queremos manter o rendimento que o time vem conseguindo na disputa. O objetivo é somar pontos dentro e fora de casa na busca de conquistar o título", avaliou.

edonio@uol.com.br

Edonio Alves

Finalmente, o desfecho Com a decisão do Supremo Tribunal de Justiça Desportiva de Futebol da CBF em proclamar o Treze Futebol Clube Campeão Paraibano de 2011, finalmente o nosso capenga campeonato estadual de futebol chega ao fim. E coube a mim, dentre todos os colunistas de esportes de A União, comentar em primeira mão o desfecho triste, deprimente e lamentável do campeonato deste ano. Além de triste, deprimente e lamentável, acrescento vergonhoso ao rol de adjetivos necessários para qualificar ainda que precariamente tudo que se viu no andamento das coisas do futebol paraibano desde a fatídica partida entre Botafogo e Treze, no dia oito de maio, em Campina Grande, até essa decisão do STJD, no Rio de Janeiro. Elencar aqui em lista a sequência de ações e atitudes absurdas perpetradas por dirigentes (dos clubes e da própria Federação Paraibana de Futebol), jogadores, árbitros, torcedores, audito-

res dos tribunais, policiais, imprensa, técnicos, enfim, todos os representantes dos diferentes setores que compõem o futebol profissional do nosso Estado, contra o próprio futebol do nosso Estado, seria uma tarefa inglória, posto que faltaria espaço para a correta apreciação crítica desses absurdos. É de bom alvitre, contudo, para não fugirmos à função crítica que a prática do jornalismo nos faculta, comentar ao menos alguns aspectos do abominável desfecho a que chegou o campeonato desse ano, com o seu melancólico encerramento nas barras dos tribunais. E que tribunais, meus amigos! Tanto o daqui - o TJD da Federação Paraibana - quanto o de lá - o STJD da CBF -, se mostraram, ao fim do imbróglio jurídico em que se transformou o campeonato, nada mais do que personagens sombrios, suspeitos e fanfarrões, dignos de figurarem como elementos principais que foram - mas não protagonistas, que não

foram - de uma típica ópera bufa, daquelas de matar de rir, após nos arrepiar os cabelos. Que fique claro desde já - até para abonar as observações que farei a seguir sobre o último ato dessa ópera - que considero o Treze o verdadeiro campeão paraibano de mérito, porque provou em campo que tinha o melhor time do certame, vencendo todos os jogos que disputou menos um: a primeira partida das duas contra o próprio Botafogo. Todavia, que fique claro também a minha consideração de que o seu título é merecido, porém ilegal, uma vez que a equipe desrespeitou as normas do esporte, o que bem o demonstra a simples leitura do artigo 205 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, a que foi incurso por ter provocado o encerramento precoce de uma partida em que o resultado lhe era favorável. Entretanto, pasmem, também absolvo aqui o Treze, uma vez que o fim do campeonato (ou melhor da ópera bufa) nos tribunais deixou a mensagem clara de que se os próprios homens encarregados de cobrarem o cumprimento das leis do esporte não fazem, não seria o Treze que iria fazê-lo. Refiro-me aqui ao não cumprimento, nesse caso, do curso inteiro do devido processo legal, com as demandas seguindo os trâmites ordinários de decisões tomadas em primeira instância seguirem, por força de recurso, às instâncias seguintes, até desembocar tudo para a decisão final do mérito da questão na Corte

Suprema, algo que não houve. E não houve porque o que o STJD fez foi interromper esse processo legal - faltavam decisões em segunda instância ainda no âmbito do TJD da Paraíba - e decretar, numa decisão política e não jurídica, o fim do campeonato. E o que dizer de tudo isso? Encerro com as palavras sábias e sensatas de um torcedor do próprio Treze, postadas no portal Voz da Torcida sobre o encerramento dessa ópera de mau gosto: "Deixando as polêmicas de lado, senhores torcedores (Treze, Botafogo, Campinense, Nacional, Sousa, e demais clubes paraibanos, bem como todos os que querem ver o futebol da Paraíba, grande para brigar ao menos com RN e PE), devemos nos mobilizar para colocar uma gestão dinâmica na Federação Paraibana de Futebol e principalmente no TJD que ficou desmoralizado com sua postura. Sejam componentes de Campina Grande, João Pessoa ou demais cidades, sejam pessoas da imprensa, do comércio, indústria, poder judiciário, pouco importa. Quando vamos sacudir a PB e administrar o futebol para todos com justiça, imparcialidade, equidade? Se toda essa polêmica recente em nosso futebol não servir pra nos mobilizarmos em prol de nosso futebol, então nós desportistas paraibanos vamos ficar apenas dependendo desse futebolzinho regional, com uma administração patética da Sra. Rosilene e de um TJD teatral. Vamos acordar gente!!!"


PATRIMÔNIO Estação Cabo Branco completa 3 anos de fundação Página 20

17 ○

A UNIÃO ○

EDITOR: William Costa

I

E-MAIL: wpcosta.2007@gmail.com

Palco ○

I cultura.aunião@gmail.com I REDAÇÃO: 83 3218-6511

João Pessoa > Paraíba > DOMINGO, 3 de julho de 2011

Cultura & Diversão

DICA!

AcesseoportalCartazdeCinema,dedicadoàproduçãoaudiovisualnoNordeste,que traz informações sobre estreias e festivais. O endereço é www.cartazdecinema.com.br

Crescer com saúde

As ilustrações do Livro Infantil de Maristela Mendonça são assinadas pelo artista plástico Josenildo Suassuna

Maristela Mendonça adapta a estória de Chapeuzinho Vermelho para ensinar as crianças a terem hábitos alimentares saudáveis

Livro tem quase um metro de altura e foi ilustrada pelo artista plástico Josenildo Suassuna

A partir dessa discussão, foram elaboradas três cenas para a composição do livro, em que a estória tem um desfecho inusitado: "Eu tive a ideia e, com Josenildo, descobri como mostrar. A cena da Vovó se passa na cozinha, mostrando o armário com a pirâmide alimentar adaptada. O Lobo não come a Vovó, mas sim a comida toda do armário, e adoece", explica a autora, que chama a atenção dos pais para a formação dos hábitos: "Quanto mais cedo se apresentar os alimentos saudáveis às crianças, melhor. O que é determinante é o que a família se alimenta", afirma, ao lamentar a troca do arroz com feijão por miojo e fast food: "Hoje há crianças diabéticas e hipertensas, e isso eram doenças dos adultos".

> Isabella Araújo isabellaag@gmail.com

I

magine a estória de Chapeuzinho Vermelho em que a menina sai pela estrada afora com uma cesta cheia de frutas da estação, ao invés dos doces, encontra na despensa da vovó uma verdadeira lição de como deve ser uma cadeia alimentar saudável, e, a partir daí, o conto infantil toma outra direção, tendo a participação do Lobo Mau e dos demais personagens da trama. Pois foi com essa ideia que a professora aposentada do Departamento de Letras da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Maristela Mendonça, hoje recém-formada em Nutrição, elaborou um livro gigante (com quase um metro de altura por 65cm de largura) e apresentou às crianças de escolas públicas e privadas de João Pessoa. O livro faz parte da elaboração do trabalho de conclusão de curso de Maristela na área de saúde, mas a proposta é inserir as noções de uma alimentação mais equilibrada às crianças na faixa de idade dos cinco aos sete anos, fase em que muitas vezes os hábitos alimentares estão se firmando, e que por isso mesmo prescindem de orientações sobre uma dieta balanceada. O caráter lúdico desse importante ensinamento vem justamente a partir da estória infantil. Para elaborar o livro, Maristela debateu como deveria ser as ilustrações da obra com o artista plástico paraibano Josenildo Suassuna, que foi responsável pela concepção geral do material. O livro, que conta a estória adaptada de Chapeuzinho Vermelho, teve as cenas reduzidas para focar no objetivo da alimentação saudável: "Fiquei muito contente com esse trabalho porque consegui mostrar para as crianças uma coisa que elas vão utilizar para o resto da vida, numa etapa em que se cria o hábito. É importante dizer que não existe o alimento bom e o ruim, mas sim o mais e o menos saudável", frisa Maristela, ao tratar do tema e reconhecer a preferência do gosto infantil pelos doces.

Nesta edição

Fotos: Marcos Russo

n ... MARCHAND Maristela é uma figura conhecida no meio das artes de João Pessoa. A professora mantinha uma galeria na Avenida Nossa Senhora dos Navegantes, a Artenova, onde fez contato com uma série de artistas plásticos na década de 80, numa época escassa de galerias. "A galeria fazia parte de um movimento cultural da cidade. Uma vez levei uma exposição para a Grécia de artistas paraibanos, com catálogo em francês e isso foi feito na raça, porque não tínhamos patrocínio", lembra Maristela, que sempre promoveu um intercâmbio de experiências e ideias, seja atualmente na literatura com saúde, seja na troca de experiência nos movimentos artísticos: "Não queria ficar restrita ao ambiente físico da galeria porque nesse espaço deve ter intercâmbio, deve ter entrelaçamento de ideias de artistas. Todas as coisas que fiz foi porque gostava".

ENTUSIASMO - Mas, o entusiasmo de Maristela ao falar sobre esse trabalho e sobre a experiência na sala de aula com as crianças é tanto, que ela não pretende parar por aqui e deve levar adiante esse estudo numa especialização em Nutrição clínica, continuando a focar o público infantil. Entretanto, a concepção do trabalho da professora/aluna não foi aleatória. Maristela promove uma ligação do campo da Saúde com a própria formação como professora do Departamento de Letras da UFPB, que construiu uma trajetória acadêmica com graduação em francês e com mestrado em Literatura Brasileira, direcionada para o estudo do cordel e da oralidade. "A minha vida toda fui professora, comecei ensinando na Aliança Francesa com 19 anos. Na UFPB segui para o mestrado em Literatura Brasileira e fui para a literatura oral, pois me apaixonei por literatura de cordel", afirma Maristela, que estudou a cordelista Maria das Neves Batista Pimentel, a quem dedicou esse trabalho recente. "Ela sustentava a família vendendo os folhetos, mas, à época, o cordel era do universo masculino. Por isso, utilizava um pseudônimo e publicava com o nome de Altino Alagoano", resgata a professora, que promoveu essa ligação entre a saúde e a literatura. ○

# LIVROS O jornalista e editor Paulo Roberto Pires lança romance sobre os bastidores do mundo literário - Página 18

]

Maristela Mendonça lançou mão de sua experiência como professora e nutricionista.

# CINEMA A estrela da atriz norte-americana Katharine Hepburn brilha mais forte no longa-metragem Mary Stuart - Página 19

# MÚSICA

] ○

O cantor de soul e blues norte-americano Karl Dixon será a próxima atração do Oi Blues By Nigth - Página 20


18 ○

A UNIÃO

Palco

João Pessoa > Paraíba > DOMINGO, 3 de julho de 2011

>>> AGÊNCIA ENSAIO > 16º aniversário

# William Costa

Foto: Divulgação

wpcosta.2007@gmail.com

Ononbonbonb ob

Coisas da vida... É coisa rara de acontecer, mas na tarde de terça-feira pude dispor de algumas horas livres, pois cheguei cedo ao centro da cidade para um encontro com a minha filha Mariana, que ensaia os primeiros passos no jornalismo e precisava de algumas orientações, não nos planos teórico ou prático da profissão, e sim no de geografia urbana, pois conhece pouco a área histórica de nossa Capital, o que me parece bastante comum às jovens de sua idade. Sentei-me num daqueles quiosques de higiene duvidosa do Parque Solon de Lucena, pedi suco de laranja, e aproveitei a folga para terminar de ler O fuzil de caça, excelente romance epistolar de Yasushi Inoue, que há tempos cochilava em minha estante à espera de meus olhos, na companhia de Kawabata, Okakura e Akutagawa, entre outros grandes nomes da literatura japonesa, que adoro. Estava concentrado no desfecho da história de Josuke Misugi, Midori e Saiko, personagens envolvidos no dramático triângulo amoroso narrado por Inoue, quando uma voz que parecia vir de longe aumenta repentinamente de volume e se materializa numa pergunta à queima-roupa, despertando-me daquele doce torpor: - Vai uma graxa aí, senhor? Só então percebi que usava sapatos de couro, naquele dia. Olhei para o meu interlocutor - um rapaz magro, moreno claro, com aquela pele sem brilho que identifica os fumantes -, e dispensei-o sem muita convicção. Ele insistiu e eu quis saber, então, o valor do serviço. Não respondeu. Repeti a pergunta e ele, já sentado e manuseando escova, bisnaga e flanela, falou baixo e ligeiro: - Cinco reais, mas é completo, vai ficar novinho, o senhor vai ver! Ora, meus sapatos são novinhos, o preto do couro é que estava meio opaco, é verdade. Ademais, da última vez que engraxei sapatos no centro da cidade só me levaram três paus. - Mas quando foi isso, senhor? É, faz muito tempo. Baixei a guarda e esperei pelo pior. É que, mesmo quando não preciso do serviço, sou dado a ajudar as pessoas e, uma vez ou outra, acabo entrando pelo cano. Tem coisa que só acontece comigo. Li um romance cujo protagonista tinha como principal característica beber bourbon a qualquer hora do dia. Fiquei fascinado pela bebida e só sosseguei quando fui a um dos restaurantes chiques de nossa orla marítima e pedi... um borboun! O garçom inclinou-se, baixou a voz e confidenciou: - Bombom o senhor só vai encontrar naquela banca ali, do outro lado da rua. Desisti. Outro dia, de passagem por Condado, no Sertão da Paraíba, fui até um armarinho e pedi Wella Med. - Só tem vela branca -, respondeu o senhor que me atendeu. Um amigo que estava comigo explicou que aquela marca de xampu não existia mais e que ele talvez tenha entendido "vela verde". Pode? Lembro de uns sapatos de couro e camurça dos quais gostava muito. Andavam meio rotos e, passando pelo centro, resolvi engraxálos. Um magrelo, cigarro na boca, pulou à frente do batalhão de engraxates da Praça Vidal de Negreiros, e ganhou a parada: - Aí, doutor? Vai uma graxa? Tá precisando, heim!? Três reais, doutor, isso não paga nem o cigarro. Aquiesci, desconfiado. Acendi um cigarro e observei o serviço. A graxa era preta e os meus sapatos, marrons. - Fique frio, doutor. Quando enxugar vai ficar do jeito que saiu da loja. O senhor vai ver! Não vi. Até jogá-los fora de tão velhos, continuaram pretos. Outro dia estava fazendo não sei o quê na cidade baixa e me chamaram a atenção um letreiro e uma faixa: Chrystynna Cabeleireiros. Corte promocional R$ 1,50. Não resisti. A situação devia estar ruim para alguém. Entrei no salão, decorado com grandes retratos de astros e estrelas do cinema. A mulher que me atendeu quis saber o tipo de corte que eu pretendia. Igual àquele, e apontei o dedo para Alain Delon. Ela riu meio sem graça. - Com esse seu cabelo não dá não, senhor. O retrato não é mostruário, é só pra enfeitar. Faça do seu jeito, mas que fique bonito. Ela iniciou o trabalho, mas percebi que suas mãos estavam trêmulas. É o primeiro corte do dia? - Não, é o primeiro corte da minha vida. Eu era empregada doméstica, mas fiz um curso e estou começando hoje na profissão. O resultado, claro, foi desastroso. Uma costeleta pra lá, outra pra cá, "caminhos de rato" por todos os lados. Enfim, a R$ 1,50 eu queria o quê? Vou relembrando esses fatos sem desgrudar o olho do rapaz. Puxo conversa, outra mania. Como é o seu nome? - Fabiliano. Fabiano? Não, senhor. É Fabiliano, mesmo. Diferente, não é? Foi meu pai que botou. Disse isso e me entregou a identidade. Leio: Fabiliano Mariano da Silva, 13.3.1993, natural de Bayeux-PB. Ah, você nasceu aqui pertinho, então? - Não, doutor, é que erraram. Eu sou de Itapororoca, mas vim morar em Bayeux e tirei minha identidade lá, mas tá assim na certidão de nascimento. Cartórios! Até logo e boa sorte, rapaz. Pago os cinco reais da graxa, os quatro dos sucos e vou-me embora. - Pai, de sapatos novos? É Mariana que chega. Não, querida, serviço bem feito. Pelo menos desta vez.

Horóscopo

l Nova > 01/JUl 21:22

l Cheia > 15/JUl 20:12

Crescente > 09/JUl 02:10

l Ming. > 23/JUl 11:48

Áries (21/03 a 20/04)

Libra (21/09 a 20/10)

● Este é o momento de você olhar para as suas emoções, para as suas bases, relacionamentos familiares e tudo aquilo que lhe nutre interiormente. Há importantes questões que precisam ser transformadas.

● Tenha consciência de quem é, para saber das mudanças necessárias nas relações, libriano. Você está num processo de reconstrução de suas bases e questões familiares e emocionais.

Touro (21/04 a 20/05)

Escorpião (21/10 a 20/11)

● Você aprecia a aparente segurança que as questões conhecidas lhe proporcionam. Mas este momento enfatiza a necessidade de ir além, de pensar de outro modo, de se abrir a outras possibilidades.

● Alguns relacionamentos chegarão ao final, talvez porque já tenham cumprido seu propósito. Perceba os comportamentos e padrões que tendem a se repetir em sua vida. Todos estão sendo instigados a evoluir.

Gêmeos (21/05 a 20/06)

Sagitário (21/11 a 20/12)

● Inseguranças existem, sobretudo porque não há mais ao que se apegar, geminiano. Neste momento estão ativadas questões que já foram mexidas na metade do ano passado.

● Valores e recursos são temas evidenciados neste momento e que passam por mudanças. Neste dia que precede a Lua nova reflita sobre o que precisa ser eliminado e concluído. Observe suas reações e emoções.

Câncer (21/06 a 20/07) ● Você sente intensamente as energias de transformação que o atual momento evoca. Mudanças nos relacionamentos e acontecimentos significativos na carreira e na família.

Leão (21/07 a 20/08) ● Faz parte do processo da vida que as coisas findem e renasçam, nativo de Leão. Neste momento é fundamental entender o que precisa ser concluído, eliminado, modificado. Velhos padrões emocionais não fazem mais sentido.

Virgem (21/08 a 20/09) ● Grandes ensinamentos de desapego e de percepção do que é valioso, virginiano. Há muito a ser curado e transformado. Momento crucial do ano. Hora de despertar.

Primeira Galeria de Fotografia da Paraíba funcionará em Jaguaribe

> Isabella Araújo isabellaag@gmail.com

A

Agência Ensaio, responsável por despontar uma geração de fotógrafos na Paraíba em 16 anos de existência, vide nomes como Mônica Câmara, Felipe Gesteira, Assuero Lima, Rizemberg Farias e Aurílio Santos, está preparando a 16ª edição do projeto Lambe-Lambe, para o segundo semestre de 2011, com o objetivo de mostrar a produção dos amantes da 'escrita da luz'. Além do projeto, que é pioneiro no país, a Ensaio vai inaugurar a primeira Galeria de Fotografia da Paraíba, que funcionará na Rua Alberto de Brito, em Jaguaribe, configurando um espaço importante para a exibição da produção paraibana e de outros profissionais convidados. O local onde funcionará a

galeria está sendo adaptado, conforme indica o fotógrafo paraibano Ricardo Peixoto, que está à frente da Agência. A galeria deve ser aberta durante as atividades do Lambe-Lambe, que devem ocorrer nos meses de agosto e setembro. Ricardo Peixoto explica que, para esse ano, a programação deve ser definida em julho, mas antecipa o lançamento da revista Imagens Submersas e a preparação do edital para o Salão Novos Talentos da Fotografia, que congratula os melhores trabalhos inscritos. As atividades do LambeLambe devem transpor os limites geográficos da Capital paraibana e vai mobilizar a cena da fotografia também nas cidades de Santa Rita, Bayeux, Cabedelo, Lucena, Pombal e Sumé. Ricardo Peixoto ressalta que o projeto funciona de forma independente, mas todo e qualquer apoio é bem vindo, uma vez que foi essa realização que possibilitou o aguçamento do olhar fotográfico de anônimos, até chegarem à profissionalização e às premiações. "O projeto é uma grande festa, com o encontro de todos os amantes da fotografia. Estamos elaborando uma pro-

]

Este ano, as atividades do Lambe-Lambe devem transpor os limites geográficos de João Pessoa.

]

gramação, em que vamos formar uma comissão de seleção que vai destacar os três melhores trabalhos fotográficos inscritos", antecipa Ricardo Peixoto. O crescimento do evento é comemorado por ele, quando apresenta números de participantes ao longo dos anos: "A primeira edição do Lambe-Lambe teve a participação de 35 fotógrafos, na primeira atividade na Aliança Francesa. O maior público participante foi em 2002, quando a edição reuniu 200 fotógrafos", relembra. O Projeto Lambe-Lambe atua em diversos espaços, como restaurantes, galerias e ruas, mostrando o que as lentes de anônimos e famosos captam da

realidade. Além de promover a interação entre fotógrafos, a comunicação entre cidades nesse circuito de eventos, com exposições e oficinas, os participantes ainda exploram as diversas linguagens, como texto, música e cinema, integrando-os à fotografia, somente para citar as inúmeras possibilidades que o meio permite. O caráter vanguardista da Ensaio pode ser conferido pela própria trajetória construída dentro da concepção da escritora americana Marilyn Ferguson, na frase "Que haja transformação, e que comece comigo", que encabeça o blog da Agência (www.agenciaensaio.blogspot.com). Ricardo Peixoto, que participou no ano passado do festival Une Terra Pour Vivre, no 3º Festival Brésilien en Sud Charente, na França, defende a imaginação como elemento fundamental de todo o processo de concepção fotográfica, em tempos de transformações tecnológicas. Ele comemora o surgimento de talentos no cenário paraibano: "Vemos com alegria essa geração de fotógrafos que vem surgindo e que passaram de alguma forma pelo Projeto Lambe-Lambe", afirma.

# Roteiro de Cinema

A LUA E SEU ASTRAL

Vitrine fotográfica em Jaguaribe

EM CARTAZ

# Seu Astral “Mercúrio ingressa em Leão e a comunicação fica mais expressiva e entusiástica. A noite tende a ser dinâmica madrugada adentro.”

Ricardo Peixoto defende a imaginação como “elemento fundamental de todo o processo de concepção fotográfica, em tempos de transformações tecnológicas”

Capricórnio (21/12 a 20/01) ● Renascer, percebendo a sua força interior é a indicação astrológica aos capricornianos. Fase de desapego que pode se manifestar especialmente em termos de sentimentos e relações. Desista do controle, do domínio.

Aquário (21/01 a 19/02) ● Certos momentos são permeados por uma energia especial, transformadora. No dia que precede a Lua nova reflita e se conscientize de como este momento é importante.

Peixes (20/02 a 20/03) ● Uma ética diferente para o que é compartilhado entre você e as pessoas, pisciano. Muito a ser trabalhado interiormente, muitos sentimentos prestes a renascer. Força interior.

HOMENS E DEUSES (Des Hommes et des Dieux, França, 2010). Gênero: Drama. Duração: 122 min. Legendado. Classificação: 12 anos. Direção: Xavier Beauvois, com Lambert Wilson, Michael Lonsdale, Olivier Rabourdin, Philippe Laudenbach. Um grupo de frades franceses convivem em perfeita harmonia com a população muçulmana até esta relação ser interferida por um grupo de fundamentalistas, que massacraam trabalhadores e espalham o medo. CinEspaço 1: 14h, 19h e 21h30. CARROS 2 (Cars 2, EUA, 2011). Gênero: Animação. Duração. 106 min. Dublado. Classificação: Livre. Direção: John Lasseter/Brad Lewis. O mundo todo se transforma numa pista de corrida quando o superastro Relâmpago McQueen volta à ação, com seu melhor amigo Mate, para reunir os melhores e mais velozes do planeta neste novo capítulo eletrizante da saga de Carros. Mate e McQueen precisarão de seus passaportes ao se verem em um mundo de intrigas, emoção e cômicas fugas aceleradas ao redor do planeta. CinEspaço 3/ 3D: 14h, 16h20, 18h40 e 21h. Manaíra 2: 13h20, 15h40, 18h e 20h20. Manaíra 5: 14h20, 16h40, 19h e 21h20. Manaíra 6/3D: 13h50, 16h10, 18h30 e 20h50. Tambiá 5: 14h20, 16h20, 18h20 e 20h20. O PODER E A LEI (The Lincoln Lawyer, EUA, 2011). Gênero: Drama. Duração: 118 min. Legendado. Classificação: 14 anos. Direção: Brad Furman, com Matthew McConaughey, Josh Lucas, Ryan Phillippe. O advogado Michael Haller procura serviços fáceis onde o dinheiro é garantido. Um dia ele aceita defender o jovem Louis Roulet, detido por agressão e tentativa de estupro. Mas o caso acaba jogando Michael numa assustadora situação, onde a tensão aumenta a cada. CinEspaço 1: 16h30. Manaíra 1: 18h50 e 21h25. ESTAMOS JUNTOS (Brasil, 2011). Gênero: Drama. Duração: 95 min. Classificação: 14 anos. Direção: Toni Venturi, com Cauã Reymond,

Leandra Leal, Nazareno Casero. A médica Carmem leva uma vida independente em São Paulo, ao lado do amigo DJ, Murilo. Ela vive uma aventura amorosa com um músico argentino, Juan, ao mesmo tempo em que divide sua intimidade com um enigmático homem. Mas quando sintomas de uma grave doença surgem na rotina desta médica residente sua vida se transforma, para sempre. Manaíra 3: 14h50, 18h40 e 20h45. QUALQUER GATO VIRA-LATA (Brasil, 2011). Comédia. Duração: 98 min. Classifcação: 12 anos. Direção: Tomas Portella, com Cléo Pires, Dudu Azevedo, Rita Guedes, Malvino Salvador. Tati gosta de Marcelo e tenta demonstrar seu amor, mas só consegue afastá-lo. Ao assistir uma palestra do professor Conrado, que desenvolve um guia de sedução a partir de Darwin, ela decide aplicar a teoria polêmica no seu relacionamento. Tudo vai bem até que o professor também se apaixona por ela. Manaíra 4: 14h15, 16h30, 18h55 e 21h15. Tambiá 1: 18h10 e 20h10. X-MEN - PRIMEIRA CLASSE (X-Men: First Class, EUA, 2011). Gênero: Ação. Duração: 132 min. Dublado e legendado. Classificação: 12 anos. Direção: Matthew Vaughn, com Jennifer Lawrence, Rose Byrne, James McAvoy. Antes de Professor X e Magneto, Charles Xavier e Lensherr Erick eram dois jovens que estavam descobrindo seus poderes. Eles trabalharam juntos com outros mutantes a tentativa de deterem uma ameaça global e neste processo deram início à rivalidade que os acompanhou pelo resto de suas vidas. CinEspaço 2: 18h30 e 21h10. Manaíra 1: 13h40 e 16h20. Manaíra 8: 15h20, 18h20 e 21h. Tambiá 4: 13h30, 15h55, 18h20 e 20h45. KUNG FU PANDA 2 (Kung fu panda: The kaboom of doom, EUA, 2011). Gênero: Animação. Duração: 90 min. Dublado. Classificação: Livre. Direção: Jennifer Yuh. Po agora é Dragão Guerreiro, protegendo o Vale da Paz juntamente com os Cinco Furiosos, seus amigos e colegas mestres do Kung Fu. Porém, surge um vilão que planeja usar uma arma secreta e impossível de ser detida

para conquistar a China e destruir o Kung Fu. Po terá de rever seu passado e descobrir os segredos de suas misteriosas origens e, assim, conseguir revelar a força que necessita para vencer. vencer CinEspaço 2: 14h e 16h. CinEspaço 3/3D: 14h, 16h, 18h, 20h (Dublado) e 22h (Legendado). Manaíra 7: 14h, 16h, 18h10 e 2010. Tambiá 1: 14h10 e 16h10.

Carros 2 [Animação]

SE BEBER, NÃO CASE 2 (The Hangover 2, EUA, 2011) Gênero: Comédia. Duração: 102 min. Legendado. Classificação:16 anos. Direção: ToddPhillips,comBradleyCooper, EdHelms, Zach Galifianakis, Heather Graham e Liam Neeson. Phil, Alan e Doug vão a Tailândia para o casamento de Stu. Após a despedida de solteiro inesquecível, em Las Vegas, Stu optou por um seguro e sossegado café da manhã para a festa de pré-casamento. No entanto, as coisas nem sempre saem como planejado. O que acontece em Las Vegas pode ficar em Vegas, mas o que acontece em Bangkok não pode sequer ser imaginado. CinEspaço 4: 14h40, 17h, 19h20 e 21h40. Tambiá 3: 14h40, 16h40, 18h40 e 20h40. PIRATAS DO CARIBE 4: NAVEGANDO EM ÁGUAS MISTERIOSAS (Pirates of the Caribbean: On Stranger Tides, EUA, 2011). Gênero: Aventura. Duração: 141 min. Dublado e legendado. Classificação: 12 anos. Direção: Rob Marshall, com Johnny Depp, Penélope Cruz, Geoffrey Rush. O capitão Jack Sparrow cruza com uma mulher de seu passado, a filha do lendário Barba Negra. Sparrow está em busca da fonte da juventude e não sabe se a relação deles é amor, ou se ela é apenas uma cruel golpista que quer saber como chegar a fonte. Tambiá 2: 15h, 17h40 e 20h20.

Divulgação

# Preços BOX Cinema Manaíra - Segunda-feira: R$ 11 e R$ 5,50. Quarta-feira: R$ 11 e R$ 5,50. Terça e quinta-feira: R$ 13 e R$ 6,50. Sexta, sábado, domingo e feriados: R$ 18 e R$ 9. Salas 3D - Segunda a quinta-feira: R$ 22 e R$ 14. Sexta, sábado, domingo e feriados: R$ 24 e R$ 12. Informações: 3268-5454/ 2106-6311. MULTIPLEX Tambiá - Segunda e quarta-feiras: R$ 8 e R$ 4. Terça e quinta-feira: R$ 10 e R$ 5. Sexta, sábado, domingo e feriados: R$ 12 e R$ 6. Sala 3D - Segunda e quartafeira: R$ 15 e R$ 7,50. Terça e quinta-feira: R$ 13 e R$ 6,50. Sexta, sábado, domingo e feriados: R$ 18 e R$ 9. Informações: 32144020. CINESPAÇO Mag Shopping - Sexta-feira a domingo e feriados: R$ 17 e R$ 8,50. Segunda, terça e quarta (exceto feriados): R$ 12 e R$ 6. 5ª Cinematográfica (exceto feriados): R$ 7 (preço único). Sala 3D - Sexta a domingo e feriados: R$ 24 e R$ 12. Segunda, terça e quarta (exceto feriados): R$ 20 e R$ 10. 5ª Cinematográfica (exceto feriados): R$ 10 (preço único). Informações: 3048-1140.

SE LIGUE! Mudanças de última hora na programação são de responsibilidade exclusiva dos exibidores.

SERVIÇO

l Funesc [3211-6280] l Mag Shopping [3246-9200] l Shopping Tambiá [3214-4000] l Shopping Iguatemi [3337-6000] l Shopping Sul [3235-5585] l Shopping

Manaíra (Box) [3246-3188] Sesc - Campina Grande [3337-1942] l Sesc - João Pessoa [3208-3158] l Teatro Lima Penante [3221-5835 ] l Teatro Ednaldo do Egypto [3247-1449] l Teatro Severino Cabral [33416538] l Bar dos Artistas [3241-4148] Galeria Archidy Picado [3211-6224] l Casa do Cantador [3337-4646] l


19

A UNIÃO João Pessoa > Paraíba > DOMINGO, 3 de julho de 2011 ○

>>>CINEMA > DVD/Lançamento

#Cena Aberta

Fotos: Divulgação

Palco

cultura.auniao@gmail.com

Escolas de jazz reúnem-se no Brasil

#

O guitarrista paulista Lupa Santiago, membro da diretoria da Associação Internacional das Escolas de Jazz, conseguiu fazer com que o encontro anual da entidade fosse realizado no Brasil. O evento começa hoje e termina na sextafeira (8), em São Paulo. O Brasil é o primeiro país da América do Sul a receber o evento em 21 anos. O Consulado Americano informou que trará para o evento o saxofonista e compositor norteamericano David Liebman, criador da associação. No período do evento, a expectativa é reunir alunos e professores de 40 instituições de ensino musical do mundo para trocarem experiências sobre jazz. Programação: http:// www.iasj.com e http:// www.souzalima.com.br/iasj/ program.html

Ononbonbonb ob

Comunicurtas em Campina Grande

#

A sexta edição do Comunicurtas - Festival Audiovisual de Campina Grande será realizada no período de 29 de agosto a 3 de setembro deste ano, na ‘Rainha da Borborema’. O Comunicurtas 2011 - que terá cinco mostras competitivas - é realizado pelo Departamento de Comunicação Social da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). O objetivo do festival é reconhecer os profissionais da publicidade, do telejornalismo e envolvidos no audiovisual de forma geral. Trata-se de um evento com prestígio crescente no país, em sua área. Mais informações podem ser obtidas no site www.comunicurtas.com.br.

Katharine Hepburn (1907-2003) é reconhecida como símbolo feminista e foi uma das mais famosas estrelas de cinema

O brilho de Katherine Hepburn Atriz talvez tenha encontrado o grande papel de sua vida em Mary Stuart > Luiz Zanin Oricchio Agência Estado

T

alvez no drama histórico Mary Stuart, Katherine Hepburn tenha encontrado o grande papel de sua vida. Ela é nada menos que estupenda ao interpretar a trágica rainha da Escócia, que renega o grande amor de sua vida para manter o poder. Mesmo assim o perde, como também perde a vida no confronto com a rainha da Inglaterra, Elizabeth. Katherine, que durante as filmagens mantinha um caso com o diretor John Ford, dá mostras aqui de uma entrega

completa ao papel. Esse é um dos pontos altos do filme. O outro, o absoluto equilíbrio com que Ford conduz a intriga palaciana. Como estamos aqui longe do universo em geral associado ao diretor - o do western poderia haver o temor de certo ranço, traço muitas vezes presente no filme histórico transformado em museu de imagens. Nada disso acontece. O rigor dos planos, o despojamento dos meios e a concentração com que Ford distribui os elementos visuais fazem de Mary Stuart uma grande experiência cinematográfica. Ford não constrói um museu da história; ao contrário, faz com que ela renasça, com todo o frescor, diante dos nossos olhos. Katherine, mais uma vez, é responsável por essa sensação de vida Em especial quando surge, de volta à Escócia depois de haver passado 30 anos na França. Numa corte formada por conspiradores, em duas ou três cenas, ela consegue distinguir quem são seus inimigos e quem são os aliados.

Quem poderá lhe valer na dificuldade e quem está apenas bajulando e trocará de barco na primeira tempestade. A arte de Ford consiste em apresentar a complexa disputa pelo poder sem qualquer firula discursiva. Com poucas frases e um trabalho sábio na composição das imagens, ele nos traz para dentro dessa guerra travada a distância entre as duas mulheres. Como o próprio Ford dizia, rabugento, ele era um homem vindo do cinema mudo. Homem portanto de poucas palavras. Habituado a resolver as dificuldades de expressão contando apenas com a força das imagens, sem a muleta do verbo. Quando o sonoro chegou, John Ford estava pronto para enfrentá-lo, sem baratear sua forma de expressão. Isso é o que o torna grande. De modo que somos conduzidos pelo drama de Mary Stuart através dessa forma rigorosa em que Ford o inscreve. Mary é toda poderosa quando aparece em primeiro plano, ao chegar e sentar-

se ao trono; é pequena quando renuncia ao Conde Bothwell (Frederic March) e sai por uma porta que parece engoli-la. É enorme quando os olhos de Katherine brilham e enfrentam os juízes, colocados num plano superior. Depois se fragiliza ao saber da morte do amado e ao consentir sentar-se na cadeira - ela que encarara em pé seus algozes. Por fim, é grandiosa no momento terrível do cadafalso. O drama de Mary Stuart poderia ser descrito como o da intermitência do poder, sua oscilação e incerteza, que se expressa no corpo da rainha.

# SERVIÇO >Título:MaryStuart > Produção: EUA, 1936 > Direção: John Ford > Elenco: Katherine Hepburn, Frederic March > Distribuição: Versátil > Preço: R$ 44,90

KARL DIXON EM JOÃO PESSOA

#

O Projeto Oi Blues by Night retorna em outubro a João Pessoa, no Teatro de Arena do Espaço Cultural José Lins do Rego, com um show do cantor Karl Dixon. Além de interpretar blues, Karl é considerado um dos nomes mais conceituados da cena de soul music de Nova Iorque, e faz parte do grupo vocal The Harlem Jubilees Singers, da Big Apple, com o qual já fez turnês por vários países. Um programa musical de alto nível, sem dúvida.

Festival Sergipano de Micrometragens

#

As inscrições para o TR3S.minutos - 1º Festival Sergipano de Micrometragens - já estão abertas. Poderão participar do evento filmes gravados exclusivamente com tecnologia digital e que deverão ter, no mínimo, 30 segundos, não podendo ultrapassar três minutos de duração. Mais uma oportunidade para o pessoal da área mostrar seu talento. As inscrições são gratuitas e poderão ser feitas pelo site www.tresminutos.org.

Fepac está com inscrições abertas

#

Já estão abertas, com encerramento em 1º de setembro próximo, as inscrições para a oitava edição do Festival Paraibano de Coros (Fepac), que será realizado de 9 a 12 de novembro. O evento, cuja coordenação é do maestro Eduardo Nóbrega, não tem caráter competitivo e visa difundir a arte do canto coral no Brasil, além de incentivar o intercâmbio cultural entre os participantes. Os interessados podem se inscrever pelos correios ou pela internet, no site www.festivalparaibanodecoros.com.br.

GUIA

Tudo Por Dinheiro, à noite na Globo

# GLOBO 05h45 - Santa Missa com Padre Marcelo 06h45 - Sagrado 06h55 - Paraíba Comunidade 07h30 - Pequenas Empresas 08h00 - Globo Rural 09h00 - Auto Esporte 09h30 - Esporte Espetacular 12h35 - Aventuras do Didi 13h10 - Os Caras de Pau 13h55 - Temperatura Máxima: Por Água Abaixo 15h35 - Futebol 2011: Brasil X Venezuela 18h00 - Domingão do Faustão 20h45 - Fantástico 23h05 - Central da Copa 23h40 - Domingo Maior: As Panteras 01h20 - Sessão de Gala: Tudo Por Dinheiro 03h25- Corujão

07h30 - Catdog 08h00 - Malcon 08h40 - Viver Bem 09h00 - Lugar Certo 09h30 - Don & Juan 10h00 - Auto Motor Vrum 10h30 - Brasil Caminhoneiro 11h00 - Infomercial 12h00 - Auto+ 12h30 - Band Esporte Clube 14h00 - Fórmula Truck: Etapa de São Paulo 15h30 - Futebol Feminino: Brasil X Noruega 17h00 - Band Esporte Clube (Continuação) 18h00 - Terceiro Tempo 19h45 - Futebol 2011: Copa do Mundo Sub17 22h00 - Domingo no Cinema: O Ataque dos Tubarões 23h30 - Canal Livre 00h30 - Entrevista Coletiva 01h00 - Show Business (Reprise) 01h45 - Cine Band: Grite, Grite Outra Vez 03h45 - Espaço Vida Vitoriosa

A Record exibe hoje a série ‘Heroes’

# RECORD 07h15 - Desenhos Bíblicos 08h00 - Record Kids 09h30 - Viver Bem 09h50 - PB Tem - Fiep 10h20 - Correio Cidades 11h00 - Correio Espetacular 12h00 - Tudo É Possível 16h30 - Programa do Gugu 20h30 - Domingo Espetacular 23h15 - Repórter Record 00h00 - Série: Heroes 01h15 - Programação IURD

# SBT

# BAND 05h45 - Espaço Vida Vitoriosa 07h00 - Mac Steel (Desenho)

09h30 - Criadores e Cia 10h00 - Rota do Forró (Reprise) 10h30 - São João (Compacto) 11h00 - Domingo Legal 15h00 - Eliana 19h00 - Roda a Roda Jequiti 19h40 - Sorteio da Tele Sena 19h45 - Programa Sílvio Santos 00h00 - São João de Campina Grande 01h00 - De Frente com Gabi 02h00 - Serie: Could Case/Arquivo Morto 03h00 - Série: Divisão Criminal/The Closer 04h00 - Série: A Sete Palmos/Six Feet Under 05h00 - Encerramento

O filme O Ataque dos Tubarões, na Band

05h59 - Abertura 06h00 - Cory na Casa Branca 06h30 - Aventura Selvagem (Reprise) 07h30 - Pesca Alternativa 08h30 - Vrum 09h00 - Centavos da Sorte

# REDE TV 07h00 - Deus Te Quer Sorrindo 08h00 - É Notícia 09h00 - Centavos da Sorte 09h30 - Viver Bem 09h50 - TV Kids 10h00 - Arrastapé.Net 11h00 - Manhã da Gente 11h50 - Clip Especial 12h00 - Se Liga no Pida 13h00 - Bola da Vez 14h00 - RedeTV Esporte Especial 17h00 - Olhar Digital 17h30 - Clip Especial 18h15 - Ritmo Brasil 18h45 - Belas na Rede 20h00 - Último Passageiro 21h00 - Pânico na TV 23h30 - Dr Hollywood 00h30 - É Notícia 01h30 - Bola na Rede 02h00 - Rede Verdade (Reprise) 02h40 - Cidade em Ação (Reprise) 04h00 - Rede

l Funesc [3211-6280] l Mag Shopping [3246-9200] l Shopping Tambiá [3214-4000] l Shopping Iguatemi [3337-6000] l Shopping Sul [3235-5585] l Shopping

Manaíra (Box) [3246-3188]

l Sesc - Campina Grande [3337-1942] l Sesc - João Pessoa [3208-3158] l Teatro Lima Penante [3221-5835 ] l Teatro Ednaldo do Egypto [3247-1449] l Teatro Severino Cabral [3341-6538] l Bar dos Artistas

[3241-4148] Galeria Archidy Picado [3211-6224] l Casa do Cantador [3337-4646]

Clint Eastwood é Harry Callahan em Dirty Harry: Na Lista Negra

> > > DIRTY HARRY: NA LISTA NEGRA - Peter Swan cria uma lista de

oito pessoas famosas que correm risco de serem mortas em São Francisco. Mas aquilo que deveria ser um jogo chamado Lista Negra se torna realidade quando o ator Johnny Squares e a crítica de cinema Molly Fisher, que estavam na lista, são assassinados. O detetive Harry Callahan começa a perseguir o assassino com a ajuda de Samantha Walker, uma da repórter com quem se desentendera no passado. SE LIGUE: Hoje, às 22h, no TCM

> > > TRUE LIES - Arnold Schwarzenegger é um especialista em combate ao terrorismo diz a mulher que trabalha como vendedor, mas acaba revelando sua verdadeira profissão e envolve a mulher e a filha em um caso de no qual está trabalhando. SE LIGUE: Hoje, às 19h30, no Fx

> > > CLICK - Um arquiteto atarefado descobre um controle remoto universal que o permite avançar ou retroceder para diferentes partes da sua vida. Mas complicações surgem quando o controle começa a tomar decisões próprias. SE LIGUE: Hoje, às 20h, no Universal

> > > THE DEFENDERS - Homem do passado de Nick retorna a Las Vegas

SE LIGUE! Mudanças de última hora na programação publicada nesta AGENDA são de responsibilidade exclusiva dos exibidores e organizadores dos eventos.

SERVIÇO

>>> DESTAQUES A CABO

# Roteiro de TV

17 anos após desaparecer na véspera do julgamento do assassinato de sua esposa. Ele chega para provar sua inocência por meio de novos aparatos tecnológicos. SE LIGUE: Amanhã, às 21h, no Sony


20 ○

A UNIÃO

Palco ○

Lado b ○

João Pessoa > Paraíba > DOMINGO, 3 de julho de 2011 ○

>>> JOÃO PESSOA > Equipamento público

Três anos promovendo a ciência, a arte e a cultura Atividades serão abertas hoje pela manhã com uma apresentação da Banda 5 de Agosto

Estação Cabo Branco comemora aniversário neste domingo com programação especial

Fotos: Ortilo Antônio

> Isabella Araújo isabellaag@gmail.com

A

Estação Cabo Branco - Ciência, Cultura e Artes, localizada no bairro do Altiplano, em João Pessoa, comemora neste domingo três anos de atividades, desde que abriu as portas para o público. Neste período, o espaço vem oferecendo opções de lazer, ciência, cultura e arte para aproximadamente dois milhões de pessoas que já passaram pelo local. As comemorações ocorrem durante todo o mês de julho, mas hoje, o complexo arquitetônico está oferecendo uma programação especial a partir das 10h, em que a Banda 5 de Agosto vai recepcionar os primeiros visitantes, seguindo com o plantio de árvores, distribuição de mudas, realização de oficinas e de exposição fotográfica. O encerramento das atividades ocorrerá às 19h, com show da Orquestra Sanhauá da

Em três anos, cerca de dois milhões de pessoas já foram beneficiadas com atividades de lazer, ciência, cultura e arte na Estação Cabo Branco

Paraíba. A diretora geral da ECB, Marianne Góes, explica que, passados os três anos de inauguração do equipamento, o desafio atual é ampliar as ações do complexo, "consolidando o espaço e acolhendo o público, sendo também uma ferramenta de inclusão social através das atividades desenvolvidas", explica. Até o final do mês, o equipamento estará com a exposição 'Esconde Esconde', da artista plástica Manu Dsouza, bem como com monumentos Barrocos do Brasil, do professor Nivalson Miranda, mas ainda é possível se surpreender com o painel de Flávio Tavares, disposto no hall de entrada, com a pintura em óleo sobre tela (são nove metros de comprimento por três metros de altura) intitulado "O Reinado do Sol", elaborado especialmente para compor a Estação Ciência, Cultura e Artes. Toda a obra da ECB integra o projeto do renomado arquiteto Oscar Niemeyer e equipe de auxiliares, formada pelos arquitetos Cydno Silveira e Luiz Marçal, com a ocupação de um espaço de 8.571 metros quadrados de área. A localização do empreendimento é no Altiplano, próximo à Zona Especial de Preservação Ambiental, mais conhecido como Parque do Cabo Branco, que é patrimônio geográfico, histórico e cultural da cidade. Um anexo à ECB está em obras, e deve abrigar um espaço para Galeria de Artes Plásticas, mais quatro salas de convenções e um restaurante para o público. A diretora afirma que a obra mais aguardada da expansão será a sala de exposições plásticas, que deve ser um marco para os eventos do tipo na cidade. "Toda a expansão tem como objetivo facilitar a difusão das atividades artísticas, culturais e científicas, que é a proposta da Estação como um dos melhores centros do tipo no país".

# Hildeberto Barbosa Filho Chico Viana: cronista da palavra Escrever crônica é saber lidar com a trivialidade; ir ao rés do chão, como diz Antônio Cândido, para daí extrair algum ingrediente de beleza e perenidade que as coisas e os eventos do dia a dia podem conter. No seu ar de gênero literário quase livre e todo aberto, à crônica não escapa, ora ao contato da chama lírica de um poema com toda a sinuosidade e ambivalência de percepção que lhe é peculiar, ora ao movimento típico de um relato que a faz irmanar-se ao conto, ou mesmo, em certas investidas, ao apelo digressivo de uma peça de ideias, de uma reflexão acerca das miudezas e nadas que tecem e destecem a crosta do cotidiano. Gênero-desafio, não é qualquer escritor que, no esgrimir da palavra diária, desataviada e comum, sabe contornar os perigos e as facilidades que rondam o seu entorno estilístico, a sua autonomia textual, o seu "claro enigma" sempre renovável. A marca do cronista, me parece, reside no olhar, na maneira com que contempla e capta a banalidade das ocorrências, a singularidade de pessoas e fatos, objetos e imagens que povoam o contínuo tecido da vida. Se nesse cronista o olhar se elabora no fluxo da correnteza lírica, naquele, o impulso reflexivo, mesclado ao senso de humor, às vezes tocado pelo ácido da ironia, conforma os limites da análise e da interpretação que se modulam em cada peça. E assim a crônica se realiza no seu à vontade, ao mesmo tempo ordenado e rigoroso. Tais considerações teóricas me ocorrem porque ando lendo e relendo certas crônicas de Chico Viana, pinçadas de A idade do bobo (Ideia, 2010). Chico Viana que não é nenhum estreante, pois consolida seu nome, no rol dos cronistas da casa, com títulos

como De mãos atadas (1977), Astronauta sem luar (1992) e A rosa fenecida (2002). Pois bem: em Idade do bobo sobeja o humor de raiz filosófica, num viés que diria machadiano. Aquele humor que, sem dispensar, em algum momento, o halo lírico, tende, no entanto, a privilegiar o recorte crítico e irônico face aos chamados das coisas da vida. A esse humor se associam o sentido de observação e a capacidade de reflexão, culminando num registro aforismático comprometido, sem pedantismo, com a desconstrução: das ideias, das frases, das palavras... Veja-se, a propósito, o título da coletânea e atente-se, em particular, para uma série de crônicas em que o sortilégio da palavra, suas pertinências inventivas e seus clichês saturados, convoca o jogo do pensamento, fazendo convergir a matéria lúdica com a sabedoria linguística. "Palavreando", "Traição", "O poder da frase", "Alienação gramatical", "O sol nasceu", "Solecismo amoroso" e "A precisão dos clichês" constituem todo um repositório a sinalizar para o velho professor de português que se esconde por trás do escritor. Nesse sentido, diria que Chico Viana é sobretudo um cronista da palavra, mesmo que tal imperativo não elida decerto o cronista da vida. Mas Chico Viana é também o cronista-leitor. Professor de literatura e respeitável ensaísta literário, faz emergir, em suas páginas, o substrato das múltiplas leituras que efetuou ao longo da vida. Uma crônica, por exemplo, como 'Conversa com Antonio Maria', seria simplesmente impossível se o autor não convivesse, em intimidade aconchegante, com o humor e o lirismo do cronista "carioca"; não convivesse, digo, pela experiência de leitura desse que,

ao lado de um Fernando Sabino, de um Paulo Mendes Campos e, principalmente, de um Rubem Braga, é responsável pelo refinamento e leveza da crônica brasileira. Mesmo nas peças mais diretamente tocadas pelo apelo da existência, pelos filamentos imprevisíveis da rotina, pelo secreto poder das coisas factíveis, penso que brota, no desenho seguro do escritor, a figura imperceptível e presente de um leitor inveterado. Leitor de Machado, leitor de Eça, leitor de Sartre. Eis um paideuma que recorre de modo subterrâneo, fortalecendo o giro reflexivo do autor, compondo, fragmentária mas substancialmente, a formação daquele olhar com o qual dialoga com o outro, sempre tomado pela presença do avesso, do inesperado, do surpreendente e do risível... Qualquer texto literário, assegura Roland Barthes, em sua famosa Aula, contempla uma mimesis, uma semiose e uma mathesis, isto é, uma representação da realidade, uma operação sígnica e um conjunto de saberes. Se é assim, a crônica vale sobretudo pelo conjunto de saberes, pela mathesis que a compõe. Em outros termos: a crônica é o gênero típico da sabedoria, de uma sabedoria difusa e assistemática, mas que por isso mesmo deve vincar e perdurar na alma do leitor. 'Divino vinho', 'O primeiro gibi', 'Plástica e bom senso', 'O filme da vida', 'O beijo de Maradona' e 'A idade do bobo', entre tantas outras, exibem, na sua singeleza e gratuidade, esse sabor do saber como característica essencial. Por isso, observa muito bem Mercedes Cavalcanti, em lúcido prefácio: "A presa de Chico Viana transcende o invólucro carnal. Vai ao âmago do ser, à sua busca desesperada por dar sentido à existência". > hildebertobarbosa@bol.com.brI


Geral

A UNIÃO

○ ○ ○

> EDITOR: Neide Donato > E-MAIL: neidedonato@gmail.com > TWITTER:@Neidedonato

Progresso e riqueza nos trilhos da Maria Fumaça > Hilton Gouvêa hiltongouvea@bol.com.br

O trem desbravou os ermos e levou desenvolvimento e novidades diversas para todos os recantos da Paraíba

P

iuí, Piuii, Piuiiíi... O trem de passageiros anunciava assim sua passagem no interior da Paraíba. Este apito, característico das locomotivas a vapor de fabricação belga ou inglesa, era conhecido nas dezenas de estações que a Great Western Ralway e a Rede Ferroviária do Nordeste construíram na Paraíba, entre 1880 e 1960, em pontos estratégicos do Litoral, Várzea, Brejo, Cariri e Sertão. O resfolegar da máquina, que impulsionava 300 cavalos de força contra o êmbolo da caldeira alimentada a lenha ou carvão, fazia um ruído à parte e forçava os passageiros a consultarem os relógios. Era hora de embarcar no comboio, já pronto para partir e levar os usuários ao destino desejado. O transporte ferroviário, do tipo Maria Fumaça, surgiu na Paraíba sob a regência da Princesa Isabel, em 15 de dezembro de 1871. Ao assinar o decreto nº 4.838, a filha de D. Pedro II concedeu o direito de construir e explorar a Ferrovia Conde D'Eu aos políticos-empresários Diogo Velho Cavalcanti de Albuquerque, Anísio Salatiel Carneiro da Cunha e André Rebouças, ligando a sede da Província de Parahyba do Norte (a atual João Pessoa) à vila de Alagoa Grande, com ramais para os povoados de Ingá e Independência (a Guarabira de hoje). Esta concessão não vingou, embora, em 1880, tenha sido iniciada a construção da primeira estrada de ferro paraibana. "O progresso entrou na Paraíba pela linha de ferro. Por onde o trem apitava sobrevinha uma emoção nova, advinda da prosperidade econômica", costumava dizer, em seus escritos, o historiador Horácio de Almeida. Assim, em 1881, inauguraram o trecho que unia João Pessoa ao Entroncamento, em Gurinhém, com 30km de extensão. Era detentora da concessão a Companhia Estrada de Ferro Conde D'Eu, criada em pleno Brasil Imperial. Integrado à rotina dos paraibanos, o trem se consolidou como principal meio de transporte no Estado, daí a afirmação de Almeida de que, "na Paraíba, o progresso veio sobre trilhos". Verdade? Sim. Na região da Várzea, a fortuna dos donos de engenhos e usinas aumentou do dia para a noite, por causa da facilidade de transporte proporcionada pela ferrovia. O fazendeiro do Sertão ficou, também, mais apatacado: transportava o gado com segurança para os principais mercados, sem provocar o emagrecimento forçado das reses, nas longas caminhadas.

FOTOS: Hilton Gouvêa

Estação ferroviária do Engenho Reis, em Cruz do Espírito Santo: sinais de abandono, onde antes havia razoável movimetação comercial

n ...

Zé Lins e outros ilustres, frequentadores assíduos

Onde o trem passava, a riqueza estava presente. A fortuna que emanava dos canaviais da Várzea do Paraíba e dos algodoais sertanejos estava à vista dos curiosos. Por que? Nas terras do Engenho Outeiro, em São Miguel do Taipu, a 66km de João Pessoa, existia uma parada estratégica, a Estação de Itapoá, historicamente conhecida por registrar a presença de passageiros ilustres, entre eles o escritor José Lins do Rego e o cangaceiro Antônio Silvino. Lins, em suas visitas ao engenho, deixou por lá a marca indelével de sua passagem. Logo na entrada da casa grande existe uma moldura que guarda um artigo de Zé Lins, enfocando curiosidades inéditas do Engenho Outeiro. Por exemplo: Seu fundador, Lourenço Bezerra de Albuquerque Mello, trouxe da França, há 120 anos, a planta do prédio. Daí a semelhança da construção, com alguns edifícios

históricos franceses. Os pórticos do terraço parecem com o Arco do Triunfo. A fachada imita a arquitetura do Louvre. Também vieram da França os mosaicos do piso, as grades de ferro da varanda, as portas e janelas de madeira e uma escada de ferro em caracol. Sem falar que, o deslocamento facilitado pelo trem, para os grandes centros comerciais, também colocou o Engenho Outeiro anos à frente de outras construções existentes na Paraíba. O Engenho Outeiro foi o primeiro do Estado a dispor de banheiros em seu interior, onde instalaram uma ducha escocesa - outra inovação da época. No pátio havia um claustro de palmeiras, que causava admiração aos visitantes. A casa inteira era servida por moinhos de água, que alimentavam um reservatório, ligado a torneiras internas e externas. O trem testemunhou e contribuiu com toda essa opulência.

FOTO: Hilton Gouvêa

> REDAÇÃO: 83.3218-6511

21 João Pessoa > Paraíba > DOMINGO, 3 de julho de 2011 ○

auniaoredacao@gmail.com

Trilhos do Engenho Reis: agora trilha de animais e motociclistas

n ...

1889: Ramal da Capital a Cabedelo

Locomotiva WGB-3: pioneira no transporte de algodão, em Campina Grande

Ao receber, em 1883, uma bifurcação para o Norte, a ferrovia chegou a Camarazal (Mulungu) e, em 1884 à Vila Independência (Guarabira), daí prosseguindo para Nova Cruz-RN até Natal. Ao Sul parou em Pilar. O ramal de 18km, ligando João Pessoa ao Porto de Cabedelo, só chegaria em 1889. A Proclamação da República forçou a paralisação dos trabalhos. O conde D'Eu, marido da princesa Isabel, era sócio secreto do barão de Mauá, o primeiro homem a explorar ferrovias no Brasil. Louis Philippe Marie Ferdnand Gaston d'Orleans este o verdadeiro nome do nobre francês -, também era o chefe do serviço da contra-espionagem de seu sogro, o imperador D. Pedro II. Ele viria para a inauguração da estação conde D'Eu, em Guarabira, mas resolveu ficar no Recife, para não perder de vista um agitador republicano famoso, Joaquim Nabuco, que pregava abertamente contra a monarquia. (Continua na Página 22)


João Pessoa > Paraíba > DOMINGO, 3 de julho de 2011 ○

Resgate ○

22

A UNIÃO

Geral ○

>>> TREM > Vendedores de água tiravam seu sustento durante as viagens que levavam pessoas e cargas

Cargas, histórias e cultura transportadas nos vagões > Hilton Gouvêa hiltongouvea@bol.com.br

E

m 1901 - onze anos após a Proclamação da República -, foi construído um trecho ferroviário de 25km, que ligava Camarazal (Mulungu) à Alagoa Grande. A Great Western, nesta época, arrendou a linha férrea ao Governo Federal, que abriu o ramal Pilar-PB a Timbaúba-PE e completou o trecho Guarabira-PB, Nova Cruz-RN. Depois, em 1907, o trem chegou a Campina Grande, trazendo mais progresso e fortuna para seus usuários. A chegada do trem a esta cidade coincidiu com a exportação de 50 mil toneladas de algodão paraibano para Liverpool. A locomotiva GB-3 levou a preciosa carga para o Porto do Recife. De lá, o algodão foi embarcado para a Inglaterra. Mais uma vez, o trem, pioneiramente, espalhava progresso e dinheiro e, agora, trazia divisas. O algodão paraibano superava em qualidade os similares egípcios e mexicanos, seus principais concorrentes no mundo. A locomotiva que rebocou os fardos de

algodão para a capital pernambucana, se encontra no Museu do Trem, em Recife. "Ela cumpriu sua missão e está em repouso eterno", brinca o guarda-freios aposentado Josenildo Barros Amorim, que uma vez por semana visita a réplica da GB-3, no Museu do Algodão, em Campina Grande. Nos trens Maria Fumaça havia de tudo: vagões para transporte de animais e cargas e assentos de primeira e segunda-classe. Nos vagões de primeira classe as cadeiras eram removíveis e permitiam que os passageiros viajassem sentados, de frente para o outro. Na segunda classe os assentos eram tipo banco de igreja. Em ambos os vagões era permitida a entrada de vendedores de água e lanches. E quem não gostasse de viajar confinado, poderia ficar em pé, nas plataformas, embora o risco fosse grande. "Eu vi um rapaz cair de uma plataforma, em Itabaiana, e o trem moer seu corpo", lembra o vendedor de pipocas José Marcos Brasil, 78 anos, hoje residente no Alto dos Populares, em Santa Rita. Zé Severo, 62, vendia água no trem que fazia o percurso Cabede-

lo-Bananeiras. "A gente não pagava o bilhete: quando o cobrador chegava com seu alicate trec-trec, eu me escondia. Alguns toleravam a presença da gente e faziam vista gossa", conta. Severo ganhou um dinheirinho vendendo água dentro dos vagões. O equipamento não era grande nem pesado: bastava uma quartinha de barro, um copo de alumínio e pronto. Cada copo custava um Cruzeiro. Se o freguês fosse exigente e usasse da água para lavar o copo antes de beber, pagava o dobro. A melhor água era a de Santa Rita. Nas estações de Camarazal e Logradouro (Caiçara), ninguém comprava água de beber. Eram águas salobras. Dois amigos de Severo foram vítimas do trem. O aguadeiro e seus colegas pegavam "morcego" nas composições que faziam manobras em Santa Rita, antes de iniciarem as viagens. Zé Lima acabou esmagado por um vagão, numa operação de atrelagem com a locomotiva. João escapou, mas perdeu o braço esquerdo. Severo ressalta que os trens de antigamente emprestavam aos passageiros um sonho de aventura.

FOTOS:HiltonGouvêa

Túnel da Serra da Viração, em Bananeiras: o trem passava por dentro da rocha

n ...

Trem chegou por túnel em Bananeiras

A estudante Jéssica Caline mostra o local assombrado por almas e zumbis

n ...

Assombrações de arrepiar

Fortunas e progressos à parte, o trem guarda histórias de arrepiar em seu trajeto, ainda contadas hoje por pessoas que as ouviram dos pais, avós e amigos. A Estação de Reis, atualmente em ruínas, localiza-se a poucos quilômetros da área urbana de Cruz do Espírito Santo, município vizinho a Santa Rita. Aqui, corre a PB-004, uma rodovia estadual, projetada em plano paralelo ao da Ferrovia, em cujas margens encontram-se monumentos históricos, como a Ponte da Batalha, a capelinha homônima e a Igrejinha do Socorro. A história dos moradores locais, sobre o antigo trem, é de fantasmas e assombrações. A estudante Josélia Eliezer, 24 anos, residente no Sítio Socorro, costuma rezar na capelinha do mesmo nome, em intenção das almas penadas. E quem são essas almas? Segundo ela, são seres etéreos que surgem nos canaviais, pertinho da Estação de Reis, assustando quem passa por ali. Ao lado da Capelinha do Socorro, as aparições lembram figuras extraterrenas, divulgadas pelo cinema. É o que diz a sobrinha de Josélia, Jéssica Caline, 18. Por coincidência, essas figuras fantasmagóricas, que aparecem na PB-004, numa linha paralela a da antiga via férrea, escolheram, para local de suas exibições, um setor onde hou-

ve muitas guerras entre holandeses e brasileiros. Em um só desses confrontos morreu Ippo Eyssens, segundo governador holandês da Paraíba. Sua morte aconteceu nessas imediações, em 14 de outubro de 1636, quando assistia a uma farinhada, no engenho de Manso Fransen. Dizem alguns historiadores que Eyssens foi degolado a golpes de espada, pelo capitão Francisco Rebelinho, líder de um trôço apoiado por brasileiros e portugueses. Segundo o historiador Laet, nesta batalha morreram Eyssens, 40 soldados holandeses e 19 índios. "Um rapaz já ouviu espadas tilintando e choro de gente no meio da noite", afirma Jéssica, que aponta uma mangueira como área predileta da aparição de fantasmas e zumbis. Do exército luso-brasileiro, morreram, a poucos metros da Igreja do Socorro, o Capitão Bento de Castro e o Alferes Jacinto de Lima. No mesmo local, Rebelinho mandou arcabuzar o mulato Cosme de Almeida, acusando-o de traição. Está explicado o porque das aparições sobrenaturais? A Igrejinha do Socorro, restaurada pelo Iphan em convênio com a Prefeitura de Santa Rita, talvez seja a única do Brasil que tem uma espécie de terraço. Os escravos assistiam missas ali. Só os senhorios brancos podiam entrar na igrejinha.

No início da década de 20 a linha férrea já havia chegado a várias regiões da Paraíba. Mas, parte do Brejo, que incluía Bananeiras, na época grande produtora de café e fumo, ainda não contava com este serviço. As promessas foram várias e os filhos ilustres da terra já não acreditavam na construção da Ferrovia. Para conseguir o progresso dos trilhos para sua terra natal, o então governador Solon de Lucena, em discurso público, lançou uma frase que pode ser chamada de profética: "o trem chegará aqui nem que seja por baixo da terra". Chegou. Em 22 de setembro de 1922, técnicos da Great Western, em parceria com engenheiros brasileiros, conseguiram perfurar o enorme rochedo da Serra da Viração, entre a Vila de Camucá (Borborema) e Bananeiras. E construíram um túnel de 202m. Enfim, os trilhos chegaram ao predestino. A esta altura, a praga Cerococus paraibensis já havia dizimado os cafezais bananeirenses, que produziam 1 milhão de sacas ao ano. Este café rivalizava, em qualidade, com os similares de São Paulo e Paraná. A estrada férrea ligando Bananeiras à Vila Independência via Camucá, Pirpirituba e Itamataí, integrava a linha Norte da Great Western e foi chamada E. F. Independência ao Picuhy. O ramal nunca chegou a Picuí, 45km adiante. A estação foi construída em 1925 e acabou desativada em 1967. A Rede Ferroviária Federal SA, suprimiu o ramal em 18 de abril de 1970. Atualmente, o Hotel Pousada do Brejo funciona no prédio da antiga Estação, que não sofreu reforma externa.

Tibúrcio: ex-maquinista da RFN

José Severo: ex-vendedor de água

n ...

Maquinista trabalhava em pé Quem era maquinista ou auxiliar de caldeira nos trens intermunicipais ou interestaduais não tinha tempo para engordar. A explicação, em pormenores, é do foguista aposentado José Tibúrcio de Oliveira, 87 anos, aposentado da Rede Ferroviária do Nordeste. Ele passou a trabalhar nos trens, na década de 50, no percurso João Pessoa - Campina Grande, com baldeação em Itabaiana. A cabine era bastante estreita para o foguista e o maquinista. O banco de sentar não passava de um arremedo. Mais de 80% das viagens eram feitas em pé, com o maquinista manobrando as alavancas, freios e o cordão da buzina a vapor. O foguista cuidava de olhar a pressão na caldeira e de abastecê-la com lenha. "Se a bicha perdesse pressão, o trem caminhava devagar, principalmente nas subidas. Quando chovia, a gente se molhava. Mas o corpo enxugava logo, por causa da temperatura de mais de 80 graus", lembra Tibúrcio. O mecânico de trens José de Moura Serrano, 79 anos, residente em Ca-

bedelo, a 18km de João Pessoa, lembra os números das locomotivas inglesas da RFN: iam de 200 a 278. Também recorda uma passagem cômica e perigosa, na sua vida de ferroviário. Ele fora mandado a Natal, consertar uma locomotiva. E teria que voltar com ela para Cabedelo, acompanhado de um "piloto", aquele maquinista experiente, que a empresa reservava para conduzir as máquinas quebradas às gares de origem. O "piloto" não estava nos seus dias. Perdeu-se no roteiro, entrou numa vicinal e, ao manobrar errado, deixou a locomotiva sem freios. Resultado: a máquina passou direto por quatro estações, até parar em local plano, espontaneamente. Ao olhar para o tênder (o vagonete que conduzia lenha e água para abastecer as locomotivas em movimento), Tibúrcio notou que boa parte da "ração" havia sido gasta. A máquina chegou aos trancos na Estação de São José-RN. Um tênder transportava 14m cúbicos de água e igual quantidade de lenha. Esta era a cota de combustível que a máquina consumia, a cada 36km.


23 ○

Resgate

A UNIÃO

Geral

João Pessoa > Paraíba > DOMINGO, 3 de julho de 2011 ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

>>> DISCURSO > Ernani Sátyro aborda o tema e fala sobre as ações do governo

Nordeste diante da ameaça de mais uma seca O

Sr. Ernani Sátyro (PDS - PB como Líder) - Sr. Presidente, Srs. Deputados, por diversas vezes, nesta Legislatura, tenho ocupado esta tribuna para falar sobre problemas do Nordeste, principalmente aqueles ligados às secas que vêm afligindo as populações nordestinas, praticamente há três anos. Agora mesmo, acabo de regressar do meu Estado, a Paraíba. Fui como sempre, ao Sertão, a região mais castigada pela estiagem, e pude verificar que a situação se tem agravado. Isto aconteceu, Sr. Presidente, não porque tenha faltado, de modo absoluto, a precipitação das chuvas. Choveu, mas pouco. Não choveu o necessário para que tivéssemos uma safra de cereais, das chamadas lavouras de subsistência. A própria safra de algodão - e o algodão é o mais importante produto da agricultura paraibana - é pequena, porque também faltou chuva no momento oportuno e porque a praga da lagarta atingiu de uma maneira terrível os algodoais. Aqueles agricultores mais previdentes, que tomaram as medidas adequadas de combate às pragas através da pulverização dos seus roçados, ainda têm uma produção pequena. Outros, porém, ou por imprevidência, ou por falta de recursos, não tomaram essa providência. De modo que a falta da safra de algodão vem contribuir para o agravamento da crise. Esse é um problema muitas vezes secular. Todos quantos se referem a ele vêm mencionando, dentre as primeiras providências do Império, aquela assistência que poderíamos chamar de paternal do Imperador D. Pedro II, até a ação mais eficiente, mais consciente e disciplinada, que foi, na República, a do Governo de Epitácio Pessoa, quando atacou as obras das estradas de rodagem, das estradas de ferro e da construção de portos e grandes açudes. Tal obra infelizmente foi interrompida logo a seguir, no Governo de Artur Bernardes. Posteriormente, no Governo de Getúlio Vargas, e estando à frente do Ministério da Viação o nordestino e paraibano José Américo de Almeida, muitas dessas obras foram retomadas. Foram construídos grandes reservatórios em vários Estados da região Nordeste. Não se pode, por conseguinte, negar que, sob o Governo Getúlio Vargas, e com a presença de José Américo de Almeida no Ministério de Viação e Obras Públicas, o Nordeste não tenha tido uma assistência para o combate à terrível crise das secas. Não se pode negar que outros governos, como Juscelino Kubitschek, se desvelaram em proporcionar a nossa região os recursos necessários à construção de obras. Os Governos da Revolução não se têm descuidado do problema do Nordeste, embora, com o crescimento assustador da população, por mais vultosos que sejam, os recursos terminam tornando-se limitados. Este ano, por exemplo, a situação poderia ter sido muito mais dolorosa, porque no mês de abril cessaram de vez as chuvas, e a situação era tão grave que nem sequer os reservatórios tinham tomado água, os açudes, na sua maioria, estavam secos, salvo grandes reservatórios como Orós, Curemas, Mãe-D'água, na Paraíba e outros. De modo geral, os açudes estavam secos, faltava água nos poços e algumas cidades estiveram ameaçadas, até a beira de uma catástrofe. Depois, como, por milagre, caíram chuvas abundantes, que, se por um lado trouxeram prejuízos, destruindo algumas dessas barragens, por outro lado encheram a grande maioria dos açudes. Afinal de contas, o problema, não apenas para as populações, como para os rebanhos, perdeu aquele caráter, aquele aspecto de verdadeira calamidade. O Sr. Jorge Viana - Permite-me V. Exª. um aparte? O SR. ERNANI SÁTYRO - Com prazer. O Sr. Jorge Viana - Como nordestino, permito-me interromper V. Exª. para parabenizálo pelo tema que traz hoje a este plenário sobre o nosso sofrido Nordeste. Os jornais noticiam a respeito de grupos de retirantes assaltando cidades em busca do que comer, frente à seca e à miséria que assolam aquela região. V. Exª. faz uma retrospectiva dos tempos de Getúlio, ou até um pouco antes, mostrando que efetivamente recursos têm ido para o Nordeste, mas eu lembraria que as condições atuais de juros e financiamentos é que têm impedido o nosso desenvolvimento. No início deste século, Pernambuco tinha um orçamento maior que São Paulo. No entanto, só em duas grandes obras no Centro-Sul, perfeitamente dispensáveis, a Ponte RioNiterói e o Aeroporto do Galeão, o Governo investiu mais do que teria investido em 10 anos no Nordeste. Os juros de 35%, diferenciados, impedem qualquer plantio naquela região. V. Exª. sabe que os juros para se comprar um boi hoje são de 60%, para um trator, de 75%. Para se comprar um avião, apenas de 1% ao mês. Como disse, efetivamente o que falta é apoio do Governo à nossa região. Veja V. Exª. que o Banco do Nordeste dá para a agroindústria do Nordeste apenas 500 milhões de cruzeiros, recurso insuficiente para montar apenas uma indústria. Isso é tudo o que o Governo aloca para a agroindústria nordestina. Peço desculpas a V. Exª. se me demorei um pouco no aparte.

O SR. ERNANI SÁTYRO - Honrou-me V. Exª. com o aparte oferecido. Dizer-se que o Governo atual não tem dado assistência é uma injustiça. Essa assistência pode não ser inteiramente satisfatória, dada a vastidão das necessidades, dada a extensão da crise por que passa o Nordeste. Mas seria uma injustiça negar-se ao Governo do Presidente João Figueiredo o máximo de esforço, de boa vontade para minorar a situação de penúria do Nordeste. Agora mesmo, regressou de mais uma de suas viagens ao Nordeste o Ministro Mário Andreazza, que levou vultosas somas de recursos para a Paraíba. Não recursos apenas de promessas ou de palavras, mas de atos concretos, através de assinaturas de convênios, principalmente com as Prefeituras de João Pessoa e de Campina Grande. E Campina Grande é uma cidade do interior que sofre os efeitos das estiagens do mesmo modo que, embora em ponto menor, a capital, João Pessoa, porque já se foi o tempo em que a seca era um fenômeno, uma crise que atingia apenas o Sertão da Paraíba, como de outros estados. Nos últimos anos, a escassez de chuva tem atingido até o Litoral e as regiões chamadas brejeiras, onde, em épocas passadas, não se conhecia essa calamidade. No entanto, aceito a ponderação do nobre aparteante, no sentido de que o problema não é só de armazenamento de água, não é só de irrigação, embora isso seja muito importante. O problema é também de assistência ao agricultor, o problema é de barateamento dos juros para a agricultura, para a pecuária. E, nesse sentido, têm sido repetidos também os meus apelos, mas não se pode negar a ajuda prestada pelo atual Governo, que, dentro daquela região castigada, no caso dos pequenos agricultores, deu até o perdão total de sua dívida, e, no caso dos médios e grandes agricultores e pecuaristas - se é que existe alguma coisa de grande no Nordeste, além do nosso idealismo e da nossa capacidade de sofrer - se não houve dispensa do pagamento de suas dívidas houve, no entanto, prorrogação do vencimento desses débitos, sem juros e em condições mais ou menos satisfatórias. Injustiça, portanto, seria jogar sobre esse ou aquele governo a responsabilidade por uma crise que resulta mais de condições atmosféricas, que resulta mais de condições econômicas do que da falta de ação de qualquer governo. O Governo tem feito, em alguns casos, o que pode, em outros casos não tem feito o suficiente pelo Nordeste. Mas o que podemos fazer nós, representantes do povo nordestino no Congresso Nacional, é continuar clamando e reclamando, sem fazer, no entanto, de nossa palavra um gesto de desespero, um gesto de falta de confiança, porque, afinal de contas, maior ou menor, essa assistência se tem feito sentir. Agora, tomamos conhecimento que há invasão de cidades. Foram recentemente retomados os alistamentos de trabalhadores, mas aonde chega autorização para alistar 200, aparecem 2.000, e o problema, realmente, assume cores sombrias, assume caráter assustador. Além de tudo, Sr. Presidente, existe uma espécie de profecia - chamarei a isso profecia do Centro Técnico Aeroespacial de São Paulo, antigo Centro Tecnológico da Aeronáutica, uma previsão de mais 3 ou 4 anos de seca à nossa frente, e isso causa uma terrível inquietação nas populações nordestinas. Não conheço, realmente - e tenho conversado com pessoas entendidas na matéria - não conheço um dado científico rigoroso pelo qual se possa afirmar que vamos ter 2, 3 ou 4 anos de seca, ou 2, 3 ou 4 anos de bom inverno. Não conheço nenhum dado científico rigoroso, preciso, pelo qual se possa prever, com essa antecedência, seca ou inverno para os próximos anos. Tudo quanto se tem dito no Centro Técnico é baseado em estatística, o que vale dizer, em probabilidades, em coincidências. Não há uma afirmativa baseada em elementos científicos satisfatórios para uma previsão dessa natureza. O Sr. Otacílio Queiroz - Nobre Deputado Ernani SÁTYRO, não vou tomar muito do precioso tempo de V. Exª. O SR. ERNANI SÁTYRO - V. Exª me honra com seu aparte. O Sr. Otacílio Queiroz - Um debate sobre a problemática do Nordeste demandaria muito tempo. Referiu-se V. Exª. ao Centro Técnico Aeroespacial da Aeronáutica, reconhecida entidade técnico-científica. Pois bem, nobre Deputado. A colocação que faço neste aparte, que peço seja incluído no discurso de V. Exª. ... zer.

O SR. ERNANI SÁTYRO - Com muito pra-

O Sr. Otacílio Queiroz - ... é uma ótima oportunidade para um esclarecimento por parte do Governo. Através do noticiário da

]

Problema é também de assistência ao agricultor, é de barateamento dos juros

]

imprensa estou tomando conhecimento de divergência entre dois órgãos altamente respeitáveis do ponto de vista técnico-científico, ambos vinculados ao Governo. Diz a imprensa - e depois passarei às mãos de V. Exª. o jornal - que o relatório feito pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, somente agora divulgado, contesta a tese levantada pelo Centro Técnico Aeroespacial, de que a Região Nordeste sofreria os efeitos de uma grande estiagem, que se prolongaria até o ano de 1985, com um pico no próximo ano. Aí está a gravidade da coisa. O relatório do CTA classifica de "antecipação e forte influência política a divulgação pelos meios de comunicação". Mais adiante em seus comentários, diz a imprensa que "as autoridades de Brasília estão desconfiando de que por trás do relatório do CTA existiriam grupos interessados na indústria da seca e que justamente esses grupos estariam patrocinando a divulgação a nível nacional das alarmantes notícias de nova seca para os Estados nordestinos". Vejam V. Exªs. a gravidade: são duas entidades com responsabilidade científica e tecnológica. Portanto, destaca-se esse conflito. E a população do Nordeste, sem dúvida aqueles mais avisados, que acompanha todos esses pronunciamentos, está numa dúvida de suma importância. Quem agindo sob influências maléficas de política malsã, de política que visa a financiamentos sob o critério da indústria da seca? Necessariamente, o governo tem de se manifestar, tem de esclarecer, tem que pôr em pratos limpos essa divergência. Um relatório desmente a seca e diz que há influências políticas lá dentro. Como uma organização do gabarito do Centro Tecnológico de São José dos Campos, reconhecida e autorizada em todo pais, estaria subordinada a isso? E como o CNPq vem fazer uma acusação desta natureza? Aqui temos nobre Deputado, um assunto de gravíssima importância, e não pode a população nordestina ficar à mercê desses pronunciamentos, sem uma diretriz, sem um único fundamento para seus desígnios e para a solução, pelo menos parcial, desses problemas. Aí está a denúncia, e passo às mãos de V. Exª. um número de "O Norte", jornal altamente acreditado em nossa terra, que divulga, em primeira página essa denúncia do próprio CNPq contra o CTA.

O SR. ERNANI SÁTYRO - Muito obrigado a V. Exª. Recebo como valiosa a contribuição de V. Exª., porque estamos diante de uma contradição entre dois órgãos da maior responsabilidade. Insisto nas minhas afirmações: ninguém tem elementos científicos rigorosos para fazer afirmações dessa ou daquela natureza. Retiro, porém, dessa divergência, qualquer conotação política, qualquer responsabilidade do Governo. O Governo não pode intervir num debate científico, não pode impor sua opinião em torno desse tipo de indagação, e muito menos privar órgãos técnicos de manifestar seu ponto de vista, de expor suas opiniões a respeito do que eu chamarei, até, de hipóteses. Recebo, por conseguinte, o aparte do Deputado Octacílio Queiroz como uma contribuição valiosa, como sempre se espera de sua inteligência, da sua cultura, do seu patriotismo. Mas retiro-lhe essa conotação política, retiro do caso essa suspeita de que haja intervenção ou influência política na divergência entre esses órgãos. Concedo o aparte ao nobre Deputado Horácio Matos. O Sr. Horácio Matos - Deputado Ernani SÁTYRO, V. Exª. faz uma análise muito perfeita do problema das grandes estiagens do Nordeste. Com a experiência do homem político que tem demonstrado ser, revela amplo conhecimento dessa situação. Querendo colaborar com V. Exª. tenho a dizer que não culpo o Governo, acusando-o de falta de imaginação ou de má vontade em servir o Nordeste, mesmo porque quando criou o POLONORDESTE, ou o PIDERP, mostrou imaginação em benefício do Nordeste. Mas culpo os tecnocratas que à frente desses órgãos, em tão boa hora criado pelo Governo, querem resolver o problema do Ceará como se

estivessem também cuidando do problema da Bahia. Sabemos perfeitamente que num Estado como a Bahia a situação climática difere muito, e por isso mesmo os técnicos procuram aplicar os recursos de maneira diferente daquelas que desejamos. O SR. ERNANI SÁTYRO - Peço a V. Exª. que abrevie o seu aparte porque o meu tempo está findando. O Sr. Horácio Matos - Cria-se, por exemplo, o POLONORDESTE. Os tecnocratas logo compram uma frota de carros, fazem viagens de avião - e por aí os recursos vão-se diluindo. Quero crer que talvez somente 30 ou 40% desses recursos são aplicados na sua destinação. Por isso mesmo, não culpo o Governo, porque tem demonstrado boa vontade. Afinal criar o programa do POLONORDESTE significa boa vontade em servir o Nordeste. O SR. ERNANI SÁTYRO - Muito obrigado a V. Exª. pela contribuição. Sr. Presidente, diante desse antagonismo de opiniões, o Governo não pode ser futurologista. O que é de seu dever ele está fazendo, embora devamos apelar para que faça mais ainda - dar assistência constante ao homem do Nordeste, aproveitar ao máximo o que resta de energia dos trabalhadores daquela região, mas, ao mesmo tempo, continuar com o seu programa de criar reservatórios de água, ou seja, o que tecnicamente se tem chamado de aproveitamento dos recursos hídricos do Nordeste. A construção dos açudes, das barragens, as obras de irrigação, o crédito agrícola; em suma, o desenvolvimento do seu programa, que se desdobra em várias modalidades. O Governo tem de fazer isto sem se deixar contagiar por esse alarma, em se deixar atemorizar por essas predições. O Governo há de prosseguir normalmente, sensatamente, dentro da sua obra, dentro dos seus objetivos de resolver o problema das secas, sem poder intervir numa discussão até certo ponto acadêmica, embora de efeitos alarmistas. Ouço o Deputado Octacílio Queiroz, desde que S. Exª. seja rápido na sua intervenção. O Sr. Otacílio Queiroz - O Relatório do CNPq, que é um órgão diretamente ligado ao Governo, acusa o CTA na sua manifestação supostamente científica e nega sua influência política. Inclusive, há a insinuação de que há favorecimento à indústria da seca. São eles dois órgãos governamentais. Portanto, o Governo tem a extrema necessidade de definir essa situação, que considero o ponto frágil nesse assunto. O SR. ERNANI SÁTYRO - Perfeitamente. Mas o que acontece, Sr. Presidente, é que, embora tratando-se de órgãos oficiais - vamos raciocinar com calma e serenidade - no momento em que o Governo procurar garrotear, procurar privar qualquer desses órgãos de suas manifestações, embora não rigorosamente científicas - insisto no que vinha afirmando - aí, sim, o Governo seria censurável, porque, de cada um desses lados, os elementos técnicos de que dispõem aqueles que estão intervindo no caso são independentes da vontade do Governo. É nesse sentido que acho a intervenção do Governo impossível e não aceito a conotação política que dá ao caso o Deputado Otacílio Queiroz. Mas devemos prosseguir no objetivo de aproveitar ao máximo possível os chamados recursos hídricos da região, dando a máxima assistência bancária possível, porque uma coisa é certa: mesmo construídos os reservatórios, mesmo feitas as barragens, mesmo perfurados os poços, a chuva não depende de nós, mas das condições atmosféricas ou, em última análise, da vontade de Deus. De modo, Sr. Presidente, que, louvando o interesse, o carinho com que o atual Presidente da República, João Figueiredo, vem tratando o Nordeste, como nordestino, sinto-me no dever de pedir sempre mais, de alertar sempre, embora não cometendo a injustiça de negar o que S. Exª. tem feito em benefício do Nordeste. Ouço, com prazer, o Deputado Carlos Chiarelli. O Sr. Carlos Chiarelli - Nobre Deputado Ernani SÁTYRO, apenas desejo, em nome da liderança do nosso partido, que tem a honra de contar em seus quadros com um parlamentar do brilho, da honestidade e da idoneidade de V. Exª., sublinhar claramente a posição de apreço da sua bancada e da sua liderança pela manifestação tão idônea, pertinente e séria que V. Exª está fazendo. O SR. ERNANI SÁTYRO - Muito obrigado. Com estas palavras, Sr. Presidente, encerro estas minhas considerações em benefício do Nordeste, reclamando sempre, pedindo mais, porém reconhecendo que o Presidente tem-se esforçado por corresponder às grandes necessidades, à grande crise que aflige a população nordestina. (Palmas).


Resgate

João Pessoa > Paraíba > DOMINGO, 3 de julho de 2011 ○

24

A UNIÃO

>>>JORNAL DE HONTEM

Geral ○

# Fernando Moura

fernandomoura.pb@gmail.com

"Kátia de França" e o bastardo festeiro

FOTOS:Divulgação

"P

onta do Seixas", "Kukukaia" e "20 palavras girando ao redor do sol" são títulos de algumas das mais conhecidas canções da compositora, intérprete e violonista paraibana Cátia de França, artista da primeira linha da MPB, expoente da geração que nos legaria Zé Ramalho, Vital Farias, Hugo Leão, Elba Ramalho, Jarbas Mariz, Bráulio Tavares, entre outras feras despontadas entre as décadas de 70 e 80. Melodista e letrista cheia de raízes e modernidade, Cátia é um poço de surpresa em cada música que compõe e canta. Essa é a faceta que todos reverenciam. "Kátia de França", porém, é praticamente desconhecida dos seus admiradores e o público em geral. Ninguém sabe - ou, provavelmente, se lembra - de outros títulos de sua lavra, como "Mãos que traduziram um adeus", "Comunicar sem se trumbicar é a questão", "Mas, qual rumos devemos seguir?" ou "Como se faz uma cidade sorrir?". "Cátia" e "Kátia" são a mesma pessoa, mas a que usa "K" não deu esses títulos para canções e sim a densos e "badalados" artigos e reportagens publicados em A União, a partir do início de 70, ao lado de Diógenes Brayner e Severino Batista, que se revezavam diariamente em meia página do jornal, com ilustrações ou fotos fortes e "psicodélicas". No ápice da ditadura militar, esses jovens articulistas ousaram escrever sobre tudo que estava "à margem" do noticiário, sem nenhum pudor aparente. Suicídio, paquera, solidão, sexo, doidos, idosos, vestimentas, televisão, menores abandonados, gravidez precoce, fofoca, praças, filhos bastardos, machismo, mendicância, prostituição, negritude, moda, celibato, urbanismo, drogas, esportes, entre diversos outros temas envolvendo os hábitos e costumes da cidade que se "modernizava", apesar das sombras daqueles dias. Escreviam sobre política nas barbas da censura, sem sofrer incômodo por um longo período. Em conjunto, compuseram um tratado sociológico de importância relevante aos que desejem estudar as entrelinhas do período, testemunhadas em textos cheios de sensibilidade e rebeldia. A atitude dos redatores e do próprio jornal (dirigido por José Souto) não passaria despercebida nem hoje, nem à época, como pontua uma nota da coluna "Mirante", assinada pelo então redator-chefe, Antonio Barreto Neto, ainda no comecinho das publicações, que se prolongariam por todo o ano: "As matérias assinadas que veem sendo publicadas na última página deste matutino começam a interessar a uma larga faixa da opinião pública. Isso é comprovado através dos telefonemas que chegam à redação e dos comentários ouvidos em muitos pontos de encontro. Matérias de gente nova" (AU, 29/ 01/1970). A qualidade e quantidade dos textos de "Kátia" daria um livro elucidativo. Fica a sugestão para Ramalho Leite, pois só dessa forma o "Jornal de Hontem" conseguiria reproduzir com fidelidade e abundância as pérolas adornadas nas velhas páginas do matutino. Para ilustrar a circunstância, vai transcrito o trecho principal de um desses artigos ("Ei. Bicho, qual é a tua"), publicado em 3 de março de 1970, onde a repórter narra as peripécias de um jovem bastardo chamado "Joca", em busca de diversão e ascensão social, encontrando um final inesperado. Com vocês, "Kátia de França", a "contadora" de remotos cotidianos da cidade imberbe: "- Dá a dica... Onde irá a patota? - No Jardim Treze de Maio, um

No ápice da ditadura militar, a articulista “Kátia” de França escrevia em A União sobre o que estava fora do noticiário tradicional

embalo, bicho. Existem êsses verdadeiros ´devoradores´de assustados ou tertúlias. Dependendo do lugar, as festinhas tomam os mais variados nomes. Para alguns pais arcaicos, tornam-se um verdadeiro terror ou melhor ´atentado´. Consiste em dar uma reunião dançante, com livre acesso a estranhos. Turma jovem, discoteca ´quente´, hi-fi ´prafrentérrima´ e o importante ter mamãe e papai in. Tem gajo que possue faro firme para essas festinhas, muitos vestem-se cedo numa justérrima calça, de preferência blue-jeans, camisa estampadona, basqueteira e vamos descobrir os redutos. Atuam na primeira da noite: no Expedicionário. - Como foi o embalo? - Ah... Furado; as ´minas´ muitos recatadas, bebida só Coca e Fanta... Vê só? - E as folgas? - Que nada... O coroa vigiando tudo; apertar um pouco, mão boba e o velho em cima. Nosso herói parte dessa pra outra, a noite de sábado é longa, os assustados estão a sua espera. Passa a escova no cabelo enorme, ajeita a roupa e pega o lotação ´alusinagem´na Torre. Aquilo foi uma verdadeira baderna total. As saias só tinham cóz, miniblusas; na radiola portátil só dava Nilton Cezar, Paulo Sérgio, Nelson Ned. Bebida? Batida de limão. - E os coroas? A ´mina´era órfã? - Que nada... A mãe dela é separada do marido... Vê que boca? Foi um ´folclore´ doido. Joca saiu dessa e partiu pra outras. Fim de semana seu é cheio dessas festas. Quando quer ´carnaval´, vai pra Oitizeiro, Marés, à luz de lamparina. Ele segura as negrinhas ao som de coronel Limoeiro, Marinês, Ludugero. - É bom esses ´arrasta-pé´? - Bom é, mas muito perigoso. Quase sempre finda em peixeirada, tiros e brigas. Tem nêgo que só fura no trazeiro que pro outro não perder o couro e morrer rindo. Festas perto do centro, Joca entra com outro jeito e charme. As roupas têm de ser mais caras e quentes, até a loção tem que ser caprichada. - Ataco no Sesc, Voluntárias... Uma pena dançar separado, mas é moda, né? Porém compensa pela transparência das blusas e o comprimento das barras. Joca é igual a muitos rapazes da sua idade. Sua filosofia de vida apoiase na alienação, no esquecimento pre-

meditado das coisas sérias. Filho natural de um industrial famoso dentro da sociedade, mora com a mãe numas dessas casinhas de um conjunto qualquer. D. Edileuza é professora de um grupo em Jaguaribe. - Não vou perguntar quanto a senhora ganha, porque todos já sabem. Joca tem conhecimento sobre sua condição de filho natural? - Tem sim, mocinha. Contei pra êle; deixei ele crescer para entender dessas coisas. - Ele lhe ajuda? - Um pouco. Já foi ascensorista, servente; atualmente trabalha numa oficina. - E o pai de seu filho, não ajuda em nada? - Hoje não; quando Joca era pequeno, ele vinha aqui, dava dinheiro e presentes. Depois do menino grande, êle desapareceu. O maior sonho de Joca era ir a festa de ´gente da alta´. Toda vez ao passar nos lotações, não se cansava de olhar aquelas mansões da Epitácio Pessoa. Pegar ao menos naquela grama, que aos seus olhos sonhadores parecia ser dourada. Até que um dia surgiu a chance. - Como foi, Joca? - Ah... Fiz um trabalho numa caranga de um gajo e daí ficou meu freguês. Fomos indo, e um dia ele apareceu ´ligado´ queria ´beijar Cristina´. - Espera um pouco... Mas o que é isto aí? - Ora, maconha. Consegui arranjar para o Márcio, mas em troca eu queria ser convidado para uma festinha na mansão dele. - Que tal, deu certo? - Na mosca. Cheguei na tal mansão com Márcio do meu lado.

Passei por todo mundo. Coroas não havia nenhum. E as gurias eram coisa de louco. - Você é um viciado? - Não sou. Já provei de tudo, não gostei. Odeio ficar preso a alguma coisa, depender de algo. Daí em diante não faltou chance, os convites choviam para o Joca. Era o Beto Rockfeller da Epitácio Pessoa, de Tambaú...Um dia ia com a mãe pelo comércio quando viu o LTD do pai de Márcio. - Olha lá, mãe...Aquele é o pai de um cara amigo meu... Vê só que carro. Dona Edileuza olhou sem interesse, porém algo provocou-lhe um choque tremendo: aquele era o pai do seu filho". Depois desse ponto, a repórter Kátia de França resume o drama que envolveria os personagens: confissões, chantagens, prisões, poder, sofrimento e desencanto. Ao final, daria a sentença do caso: "(...) Resta disso tudo uma mãe chorosa, um adolescente sacrificado e muitos ´homens monstruosos´ que dão a vida a filhos naturais marginalizando-os. Escondidos na sociedade, escudados em ´cheques em branco´ êles são ameaças para mocinhas puras e ingênuas. Será que já não basta a ´Sodoma´ dos grandes salões? Por que desvirtuar os lares pobres e honrados". Nesse aspecto, as coisas mudaram pouco de lá pra cá. Exceto que os "Jocas" de agora também tem pais chamados "Jocas". A patifaria foi nivelada. * * * Para Ruth Avelino e Cristovam Tadeu.


JORNAL A UNIÃO