Issuu on Google+

Camaradas do PPS, saudações! É muito importante que esta mensagem chegue a todos e todas dentro do Partido, sobretudo porque minha intenção é produzir um debate de ideias, capaz de contribuir com a construção de um PPS militante, que atenda aos anseios daquilo que eu e meus companheiros e companheiras acreditamos que seja o motivo da existência de um partido político: a transformação, para melhor, da vida das pessoas. Claro que isso se materializa em conquistas diretas produzidas por centros comunitários, associações, sindicatos e todas as formas de organização social. Neste momento em que nos mobilizamos para participar de mais um Congresso Estadual do PPS, com certeza, além das questões locais que se apresentam nos congressos municipais, é importante que nossa militância atente para a necessidade de dar à direção estadual do PPS um caráter cada vez mais representativo, assegurando que todas as regiões do Estado possam compor seu Diretório e estejam representadas na Executiva partidária. É preciso que as críticas reiteradas sobre a ausência da direção partidária nos municípios, com a nova direção, possa dar saltos mais significativos no sentido de mudar essa realidade. Também, vejo como sendo muito importante que a direção partidária possa agir coletivamente, tomar decisões de forma democrática e colegiada, dado um novo e necessário rumo à organização partidária, que passa pelo fortalecimento e apoio às ações de nossa militância e de nossos prefeitos e parlamentares em cada cidade deste Estado. Essas ações não são tarefas simples, que possam ser praticadas pela vontade exclusiva de uma só pessoa, por isso, não devem ser tomadas como uma crítica pessoal e isolada, mas, como uma necessidade de autocrítica do coletivo partidário às práticas que tem nos levado até aqui a deixar de atuar como Partido, como coletivo, seja nas nossas ações cotidianas como militantes de causas sociais importantes, seja como dirigentes partidários que deveriam acompanhar as agendas de atuação da sociedade civil em congressos, em manifestações e, principalmente, nas lutas por demandas justas e reivindicadas junto aos órgãos públicos. É fato que muitas e muitas vezes ficamos distante


daquilo que aprendemos a chamar de “movimento social”, por isso, reitero aqui a ideia de que precisamos assumir coletivamente esta crítica, para não reduzirmos o debate a pessoas, individualizando uma responsabilidade que tem que ser do conjunto dos militantes do PPS e, em especial, de sua direção. Acredito, de forma tranquila e serena, que é possível fazer deste PPS que muitas vezes parece ser apenas um aglomerado de pessoas tendo como único objetivo as eleições, uma agremiação forte, com identidade de pensamentos, capaz de respeitar as diferenças, mas focado na defesa de seus princípios e do programa que nos fez preferir estar aqui. Acredito, então, para finalizar esse breve contato, que nossa maior tarefa será construir uma organização interna que nos permita errar muito menos do que temos errado até o momento, com uma atuação externa que resgate junto à sociedade a imagem de um PPS propositivo; atuante; fiscalizador do poder público; apoiador das lutas e manifestações públicas que julgar coerente com sua história e seus princípios, enfim, um PPS militante. Por estar ciente desses desafios e por vivenciar nossa realidade ao longo de anos, pois dedico minha militância a este Partido muito antes de estar como parlamentar, quando estive desde 2005 como dirigente do Diretório Municipal de Belém, é que coloco meu nome para discussão como presidente do PPS no Pará. Por fim, quero deseja pleno êxito aos congressos municipais do PPS, colocar o mandato de deputado a disposição de todos e dizer da minha disposição de somar no fortalecimento de um Partido independente, vigilante e responsável. Saudações

populares

e

socialistas,

rumo

necessárias. Um forte e fraterno abraço!

Augusto Pantoja Deputado Estadual e Líder do PPS

às

transformações


Carta do Dep. Augusto Pantoja aos camaradas do PPS