Page 1

apresenta


para solicitar uma proposta, entre em contato mail: contato@artenegus.com.br site: www.artenegus.com.br fone: (11)3578-8161 | (11)9.7064-5775

apresentação e sinopse APRESENTAÇÃO A intenção do projeto é a realização de um curso teórico e prático de Histórias em Quadrinhos, também chamadas no Brasil de HQ’s, que aconteçam em módulos que abarquem as várias características dessa linguagem artística. As Histórias em Quadrinhos possuem narrativa (que podem abarcar diferentes gêneros, como ação, aventura, terror, drama, romance, documental, etc.) que mistura elementos da literatura com elementos da ilustração quase de maneira sobreposta. É uma linguagem híbrida que recebe influência de diferentes poéticas artísticas, e esse tipo de mescla acontece há muito tempo. Remontando uma possível história das Histórias em quadrinhos chega-se ao Antigo Egito, onde os hieróglifos possuíam a mescla que as HQ's possuem hoje, pois tal escrita, sagrada para os egípcios de então, mesclava imagens de desenhos figurativos com elementos de ordem mais próximos a uma espécie de alfabeto. E tais histórias, que mesclavam literatura e desenhos, continuam existindo em todo o processo histórico do ocidente, até mesmo nas igrejas católicas, onde, ao redor dos salões das igrejas, existem quadros que mostram as diferentes situações dramáticas de Jesus durante a via sacra. Abaixo de cada quadro uma inscrição textual, e o próprio quadro é a ilustração dessa inscrição, ou seja, uma história em quadros. Isto acontecia porque se acreditava que a idéia de mesclar texto literário com imagens fosse uma maneira de promover as idéias religiosas para distintas classes sociais, gerando inclusive a possibilidade de afeiçoar os não alfabetizados ao texto literário. Tal processo de instigar o público ao hábito da leitura existe até hoje, como, por exemplo, no intuito de realizar uma rápida progressão do interesse infantil na literatura foram adotadas as Histórias em Quadrinhos como material paradidático no Parâmetro Curricular Nacional (PCN) das escolas públicas. E é justamente a possibilidade de despertar este interesse que norteia a realização deste projeto. A ideia do projeto não é apenas criar material de interesse infantil, mas também não exclui essa possibilidade, visto que o “infantil” é apenas uma das possibilidades de público para as obras dessa poética. O foco da proposta é direcionar oficinas de Histórias em Quadrinhos para artistas e demais interessados

que queiram criar material nesta linguagem artística. Ou seja, oficinas que capacitem profissionais a criarem suas próprias HQ's. A oficina ocorrerá, do ponto de vista metodológico, em módulos que desvendarão as etapas de criação de uma história em quadrinhos. E para cada etapa haverá exercícios práticos, com o intuito de que, para avançar ao próximo módulo, a outra etapa deca ser exercitada, intencionando que, ao final do curso, o participante tenha uma pequena história pronta.

SINOPSE A linguagem das Histórias em Quadrinhos pode abarcar diferentes gêneros, como ação, aventura, terror, drama, romance, etc., misturando elementos da literatura com elementos da ilustração quase de maneira sobreposta. É uma linguagem híbrida que recebe influência de diferentes poéticas artísticas. Este curso é direcionado para artistas e demais que queiram criar material nessa linguagem. Ou seja, capacitar profissionais e/ou iniciantes a criarem suas próprias HQ's.


para solicitar uma proposta, entre em contato mail: contato@artenegus.com.br site: www.artenegus.com.br fone: (11)3578-8161 | (11)9.7064-5775

objetivos e justificativa OBJETIVO GERAL ∙ Realizar curso modular com atividades teóricas e práticas em História em Quadrinhos, compreendendo sua estrutura, seus alicerces, seus elementos particulares, com foco no desenvolvimento de uma obra nessa linguagem artística. OBJETIVOS ESPECÍFICOS  Possibilitar campo de formação de profissionais e espectadores da linguagem das Histórias em Quadrinhos;  Estudar as Histórias em Quadrinhos de maneira prática e teórica em encontros modulares;  Promover o conhecimento acerca da adaptação de literatura para roteiro, que, apesar de distintos, ambos carregam o potencial de serem contadores de histórias;  Trabalhar a pesquisa prática na ilustração e diagramação das histórias em quadrinhos; JUSTIFICATIVA As crianças começam muito cedo a comunicar seu fascínio pelo mundo por meio de desenhos, ilustrando seus pais, seus irmãos e seus amigos com rabiscos que nem sempre caracterizam bem as pessoas ou objetos retratados, mas mesmo assim, tentam através de garatujas comunicar a ideia do mundo onde vivem. É importante dizer que em um grande momento da infância, mais precisamente até a alfabetização, o mundo nos é comunicado somente a partir do poder das imagens. Por isso o poder de empatia que a imagem cria no decorrer de toda a vida do ser humano é muito forte. Pensando nisso cria-se uma ponte muito estreita que existe desde a infância e continua durante a fase adulta entre o espectador e os manifestos artísticos que se utilizam de imagens, entre eles as Histórias em Quadrinhos. Nisso nota-se as relevâncias que têm ao espectador a existência de boas Histórias em Quadrinhos, que, dê preferência, abarquem diferentes gêneros, no intuito de atender a diferentes públicos. O Brasil já teve um mercado de HQ's bastante

profícuo, contudo, principalmente durante a década de 1990 passou por um período onde a maior demanda dos temas das revistas que publicavam HQ's vinham de editoras norte-americanas. Criando uma massificação de Gibis (outra maneira de referenciar as Histórias em Quadrinhos) que abordavam histórias cheias de estereótipos e limitando o gênero apenas às fantasiosas histórias de super-heróis. Na década de 2000 o mercado brasileiro começou a novamente ganhar a força que perdera na década de 1990. Começaram a ter adaptações de qualidade de obras literárias como a de “O Alienista” de Machado de Assis, realizada pelos gêmeos Fábio Moon e Gabriel Bá ganhando inclusive o prêmio Jabuti de literatura. Os estúdios Maurício de Souza ganharam várias publicações, incluindo “Turma da Mônica Jovens” atendendo a uma faixa etária que já não se identificava apenas com as antigas histórias da Turma da Mônica. Foi também na década de 2000 que o Brasil ganhou vários prêmios específicos de quadrinhos, como o Eisneir Award (principal prêmio dessa linguagem artística) onde foram premiados os já citados gêmeos (Bá e Moon) e Rafael Grampá, pela publicação de “Mesmo Delivery”, uma História em Quadrinhos que mostra um universo underground das estradas. Aqui no Brasil, nessa última década, iniciou-se uma profusão de títulos e maneiras de se publicar Histórias em Quadrinhos, como exemplo vale citar: “Menina Infinito” de Fábio Lyra, uma publicação emestilo de romance; “O Dobro de Cinco” de Lourenzo Mutarelli, gênero detetivesco; “Chibata!” de Hemeterio e Olinto Gadelha, uma publicação que remonta a história da Revolta da Chibata por João Cândido; “Có!” de Gustavo Duarte, HQ de humor; “Power Trio” DO pessoal do coletivo Mondo Urbano, estilo alternativo/underground; entre vários outros. Toda essa movimentação que acontece com a linguagem das Histórias em Quadrinhos, que em grande parte do tempo converge e dialoga com a literatura, denota a importância em se estimular a produção desse tipo de narrativa. Na idéia de fomentar artistas e espectadores desse manifesto.


para solicitar uma proposta, entre em contato mail: contato@artenegus.com.br site: www.artenegus.com.br fone: (11)3578-8161 | (11)9.7064-5775

demais informações CARGA HORÁRIA Mínimo de 16 horas | máximo de 40 horas

PÚBLICO-ALVO Estudantes de artes, quadrinistas, artistas, cineastas, roteiristas, educadores e demais interessados em criar Histórias em Quadrinhos.

RECURSOS NECESSÁRIOS (para turma de até 30 participantes)     

   

Sala com mesa e cadeiras de acordo com a quantidade de inscritos; Quadro branco, canetões e apagador (ou flipchart, quadro negro, coisas similares); Projetor multimídia (se estiver disponível); Material fotocopiado aos participantes (05folhas por participante) Papel sulfite (média de 20 folhas por participante, sendo que se todas as vagas estiverem preenchidas totalizam 600 folhas – uma resma de 500 e uma de 100); Lápis HB (01 por participante, totalizando 30 unidades); Borracha – 15 unidades Apontador – 05 unidades Caneta Nanquin descartável ponta 0.5 (01 por participante) totalizando 30 unidades – ccaso não haja a 0.5 pode ser 0.8 (esse item pode ser alterado de acordo com a necessidade da instituição) Régua de 30 cm – (01 por participante, totalizando 30 unidades)

Projeto Signos e Soluções para História em Quadrinhos  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you