Page 1

engrid earltupper ESTRUTURA CURRICULAR E ENTREVISTA COM O PROFESSOR DR. MARCOS DA COSTA BRAGA.

fauusp DE CIRURGIÃO DE ÁRVORES A MULTIMILIONÁRIO, CONHEÇA A HISTÓRIA DO INVENTOR DA TUPPERWARE

agendacultural EVENTOS CULTURAIS EM SÃO PAULO PARA O MÊS DE NOVEMBRO.


DEZEMBRO2015

fauusp


Nascido em 1907 em Nova Hampshire, cresceu e viveu em fazendas de Massachusetts durante a sua infância. Foi fortemente influenciado por seu pai, que foi inventor. Earnert Leslie Tupper patenteou uma ferramenta que facilitava a limpeza de galinhas.

Trabalhou em várias áreas antes de se encontrar. Queria ser inventor, mas foi vendedor porta-em-porta da fazenda, caixa de correio, e até obreiro na ferrovia. Em 1929, fundou sua própria empresa de arboricultura, a Tupper Tree Doctors Company, que faliu em 1939 devido à Grande Depressão.

Dentre muitas invenções que não foram produzidas, Tupper pensou em um barco movido a peixe.

Aos 24 anos, casou-se com Marie Whitcomb. Cinco anos depois, tiveram o primeiro de seus cinco filhos. Glenn Tupper foi um dos únicos que entendeu o sistema de fechamento, inspirado em latas de tinta

“Queria estar na invenção, que é onde meu coração está, em vez de no trabalho com árvores, com o qual não me importo muito.”


Trabalhou na DuPont de 1937 a 1938 graças ao seu contato com Bernard Doyle. Foi estudando e experimentando o plástico, através da sua purificação e modelamento.

“Foi (quando estava trabalhando) na DuPont que a minha educação realmente começou.” O plástico que Tupper tinha em mãos da DuPont era preto e rígido. Tupper transformou-o em um plástico transparente, flexível e sem cheiro.

“Estou pronto para ir trabalhar de verdade... para que nós mais velhos não pareçamos tão ociosos e estúpidos para nossos filhos e netos, ou para visitantes espaciais que certamente pousarão aqui um dia, botando 75% de nósna fogueira por nos considerarem reprodutores destestáveis, sem valor para o futuro.”

Ao final de sua vida, expulsou Wise da Tupperware e vendeu a empresa $16 milhões. Morreu de um ataque cardíaco aos 76 anos. Tupper se divorciou e abriu mão de sua cidadania americana, vivendo em uma ilha que comprou na Costa Rica.

A partir de 1940, graças à Brownie Wise, as vendas dos utensílios explodiram.

Os Tupperware Parties possibilitaram as vendas dos Tupperware, que foram um fracasso em lojas físicas. Eles continuam até hoje.


Professor Doutor Marcos da Costa Braga

ENTREVISTA Graduação em Desenho Industrial pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1985) Mestrado em Artes Visuais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1998) Doutor em História Social pela Universidade Federal Fluminense (2005)

Atualmente é professor do Departamento de História da Arquitetura e Estética do Projeto - AUH da FAUUSP. É membro do corpo editorial do periódico científico Estudos em Design e membro do Conselho Editorial da Revista Arcos da ESDI. Foi coordenador do curso de Design da Unicarioca e da Faculdade de Desenho Industrial Silva e Sousa. É autor de vários artigos sobre história do design no Brasil e do livro ‘ABDI e APDINS RJ: História das Associações Pioneiras de Design do Brasil’, publicado pela editora Blucher, que obteve o 2o lugar na categoria ‘Trabalhos Escritos Publicados’ no 25º Prêmio Design do Museu da Casa Brasileira. É um dos coordenadores da coleção de livros Pensando o Design publicada pela mesma editora. Organizou o livro ‘O Papel Social do Design Gráfico’ publicado pela Editora SENAC-SP. Tem experiência em Desenho de Produto e Programação Visual, atuando principalmente nos seguintes temas: desenho industrial, ensino, programação visual, comunicação visual e história do design no Brasil. É membro do grupo de pesquisa História, Teoria e Linguagens do Design e do Laboratório de Fundamentos da arquitetura e do urbanismo- LABFAU, ambos da FAU USP.

Como o curso de Design da FAUUSP surgiu?

Apesar de o curso ter sido formalizado somente em 2006 a partir de uma comissão de professores em 2005, ele já vinha sendo desenvolvido em conjunto ao curso de Arquitetura da FAUUSP.

Como seria um panorama geral do curso?

O curso pertence à FAU, mas é um curso integrado, com cursos convidados, que podem contribuir de forma positiva. Então, o curso usufrui da presença forte dos três departamentos: a História como contexto, a Tecnologia como viabilidade material e o Projeto como processo e finalidade, transformando a intenção em material. Por isso, é interdisciplinar. Ao mesmo tempo, teoria e fundamento têm grande importância no curso.

Qual o perfil do aluno formado?

Justamente por ter uma carga significativa de teoria e fundamento, o aluno tem um background mais extenso. Assim como em toda a USP, que é pública, o aluno deve ter uma visão humanista e social. Ele deve

repensar a sociedade e o seu papel na sociedade, levando a ela a sua consciência. De forma alguma o profissional formado nesta instituição tem capacidade projetual inferior. Isso é comprovado pelo fato de vários alunos já terem sido premiados em vários concursos. Sendo assim, o aluno formado deve ter, ao mesmo tempo e peso, uma visão da importância da inserção da sua profissão na sociedade, e uma capacidade e competência projetual profissionalmente falando.

Mercadologicamente, como o aluno é visto?

Em encontros anteriores com donos de grandes empresas, foi dito que os alunos da FAU têm vantagens sobre os demais. Isso se dá porque são mais capacitados para refletir: têm maior flexibilidade para se adaptarem às diferentes situações em que são inseridos. Eles conseguem entender melhor a profissão e os contextos, inclusive mercadológicos, em que estão situados. Por isso, existem muitos alunos que estão atualmente ocupando importantes posições em diversas áreas do mercado.


Existem outros cursos comparáveis?

Na cidade de São Paulo, a FAU é o único curso público. Em termos de tradicionalismo, o do Mackenzie e, possivelmente, o oferecido pela Anhembi Morumbi têm uma preocupação maior com contexto. A capacidade projetual pode ser o que interessa para o mercado, mas não para a sociedade. Muitas universidades oferecem pseudo-formações que têm como desculpa a rápida inserção no mercado. Podemos citar a UNESP inse (Universidade Estadual de São Paulo) em Bauru e as UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e ESDI (Escola Superior de Desenho Industrial) no Rio de Janeiro.

Qual a postura do aluno assim que sai da faculdade?

A sociedade não está preparada para o verdadeiro potencial do designer. As vagas oferecidas hoje são para técnicos, e o que se espera dos bacharéis formados é que preencham essas vagas. O designer deve se provar capaz de realmente projetar e inovar, e não somente realizar tarefas. Ele deve ser batalhador e se inserir na sociedade. Não será facil, mas ele precisa enxergar até onde é possível ir. en


DEZEMBRO

1

FRIDA

KAHLO CONEXÕES ENTRE MULHERES

SURREALISTAS NO MÉXICO

A mostra desembarca no Instituto Tomie Ohtake (mesmo lugar que recebeu Salvador Dalí e Joan Miró) com 20 obras da artista. Além de contemplar a vida artística da pintora mexicana Frida Kahlo (1907 - 1954), a mostra também presenteia o público com pinturas de Maria Izquierdo, Remedios Varo, Lenora Carrington e outras out artistas mexicanas. Ingressos: R$ 6,00 Gratuito aos Dom. Endereços: MAM; Pq. do Ibirapuera, portão 3.

2

PROJETO PORTINARI Ingressos: Gratuíto Endereço: Parque Candido Portinari

Avenida Professor Fonseca Rodrigues, 1365 Alto de Pinheiros - Oeste


3

AS MEMÓRIAS

DE MARNIE Com direção de Hiromasa Yonebayashi, As Memórias de Marnie é uma adaptação do livro homônimo da autora britânica Joan G. Robinson. A mais recente obra do Studio Ghibli ganhou sua versão animada em Julho de 2014 no Japão. Anna é uma menina de 12 anos, filha de pais adotivos, sempre muito solitária e não exatamente feliz. Um belo dia, em um castelo numa ilha isolada, ela conhece Marnie. A menina loira loi de vestido branco se torna a grande e única amiga de Anna, mas ela descobrirá que Marnie não é exatamente quem parece ser. Nos cinemas Cinemark e California Filmes.

4

PANORAMA DA

ARTE BRASILEIRA

DA PEDRA DA TERRA DAQUI

Cada artista constrói uma ambiência com suas obras, sejam elas vídeos, esculturas, fotos, pinturas, instalações ou projetos. Paralelamente, as esculturas pré-históricas apresentam-se com doses igualmente surpreendentes de coesão e variedade. Tempos e espaços chocam-se, enquanto especificidades locais, e tendências globalizantes se confundem. É um enigma de origens e, ao mesmo tempo, de impacto perante o estado da visualidade de nossos dias. Mas, por que não também uma outra forma de ver o panorama da arte brasileira? Ingressos: R$6,00 - gratuito aos domingos, Endereço: MAM - Musei de Arte Moderna, Pq. Ende do Ibirapuera, portão 3.


AUP2308 Mídias Impressas  

Disciplina ministrada pela Prof.ª Dr.ª Sara Miriam Goldchmit. Trabalho em grupo com Bárbara Sayuri Niwano e Maiyara Itimura. 2º semestre de...

AUP2308 Mídias Impressas  

Disciplina ministrada pela Prof.ª Dr.ª Sara Miriam Goldchmit. Trabalho em grupo com Bárbara Sayuri Niwano e Maiyara Itimura. 2º semestre de...

Advertisement