Page 34

HILDA HILST NOTAS, DOBRAS E DESDOBRAS

É importante situar historicamente alguns fatos em relação à escrita de Hilda Hilst no final dos anos 60 e começo dos 70. Em 1967 ela escreve "A possessa" e "O Rato no Muro", iniciando uma série de oito peças teatrais que escreveria até 1969. Ainda em 1967 lança um livro de poesia, Poesia (1959 / 1967). Em 1968 escreve as peças "O Visitante", "Auto da Barca de Camiri", "O Novo Sistema" e "As Aves da Noite"; no ano seguinte "O Verdugo" e "A Morte do Patriarca". Hilda não escreve mais nenhum texto para o teatro, e em 1970 publica sua primeira obra em prosa, FluxoFloema [obra na qual inicia uma pequena revolução na língua portuguesa por intermédio de experimentações na linguagem], mesmo ano no qual sua mãe morre, e Hilda começa suas gravações e estudos baseados nos experimentos do pesquisador sueco Friedrich Juergenson relatados no livro Telefone Para o Além. HH se dedica, ao longo desta década que se iniciava, à gravação, por meio de ondas radiofônicas, de vozes que, assegurava, seriam de pessoas mortas. No mesmo período anunciou a visita de discos voadores à Casa do Sol [Coincidentemente, um dos trabalhos produzidos por Paulo Meira, um dos artistas residentes para o projeto é uma rádio, a "Rádio HH"]. Depois desse primeiro livro em prosa segue-se um segundo, Qadós [1973], "o ser-pergunta" de Hilda, e só então, sete anos depois de seu último livro de poemas, lança outro livro de poesia, Júbilo, Memória, Noviciado da Paixão [JMNP], lançado em 1974. É nele que estão os "Poemas aos Homens do Nosso Tempo", que inspiraram o projeto. Quando Hilda escreveu JMNP ela ainda estava sob influência do contexto vivido por ela na época de escrita das peças de teatro, nas quais a maioria das vozes são masculinas. Da mesma maneira na qual em seu teatro seus personagens colocam em ação todo um arsenal simbólico, sua poesia também

Profile for Ateliê Aberto

Poemas aos homens do nosso tempo - Hilda Hilst em diálogo  

O projeto Poemas aos homens do nosso tempo de curadoria de Ana Luisa Lima, Ateliê Aberto e Jurandy Valença, partiu de um programa de residên...

Poemas aos homens do nosso tempo - Hilda Hilst em diálogo  

O projeto Poemas aos homens do nosso tempo de curadoria de Ana Luisa Lima, Ateliê Aberto e Jurandy Valença, partiu de um programa de residên...