Issuu on Google+

EDITORIAL (texto fictício) 29 linhas “Para nós que atuamos no terceiro setor a parceria com empresas públicas e privadas torna-se uma condição para que possamos desenvolver um trabalho de qualidade. A importância do apoio que temos recebido da Celpe, através do programa de Educação pela Arte, do Instituto Ayrton Senna, transcende o aspecto financeiro e se coloca numa verdadeira relação de parceria, que tem se estreitado e solidificado ao longo desses dois anos”. “Para nós que atuamos no terceiro setor a parceria com empresas públicas e privadas torna-se uma condição para que possamos desenvolver um trabalho de qualidade. A importância do apoio que temos recebido da Celpe, através do programa de Educação pela Arte, do Instituto Ayrton Senna, transcende o aspecto financeiro e se coloca numa verdadeira relação de parceria, que tem se estreitado e solidificado ao longo desses dois anos”. “Para nós que atuamos no terceiro setor a parceria com empresas públicas e privadas torna-se uma condição para que possamos desenvolver um trabalho de qualidade. A importância do apoio que temos recebido da Celpe, através do programa de Educação pela Arte, do Instituto Ayrton Senna, transcende o aspecto financeiro e se coloca numa verdadeira relação de parceria, que tem se estreitado e solidificado ao longo desses dois anos”. “Para nós que atuamos no terceiro setor a parceria com empresas públicas e privadas torna-se uma condição para que possamos desenvolver um trabalho de qualidade. A importância do apoio que temos recebido da Celpe, através do programa de Educação pela Arte, do Instituto Ayrton Senna, transcende o aspecto financeiro e se coloca numa verdadeira relação de parceria, que tem se estreitado e solidificado ao longo desses dois anos”. “Para nós que atuamos no terceiro setor a parceria com empresas públicas e privadas torna-se uma condição para que possamos desenvolver um trabalho de qualidade. A importância do apoio que temos recebido da Celpe, através do programa de Educação pela Arte, do Instituto Ayrton Senna, transcende o aspecto financeiro e se c oloca numa verdadeira re página 3 Sustentabilidade: a energia que nos move 40 linhas Se a todas as ações do programa de sustentabilidade da Celpe pudessem ser resumidas numa única frase, ela bem que poderia ser as externalidades do bem. Com os avanços e o aprofundamento do debate sobre a sustentabilidade hoje, um dos pontos mais discutidos são as externalidades que cada seguimento, empresa ou pessoa provoca ao meio ambiente. E isso significa dizer que todos


nós somos responsáveis pelo que produzimos ou consumimos. Desde o impacto que o som da nossa festa provoca na casa do vizinho ao lixo tóxico que todos os dias dezenas de indústrias ainda descartam no meio ambiente: tudo isso são externalidades. Mas quando uma empresa do porte da Celpe, que pertence ao terceiro maior grupo econômico do país, resolve abraçar essa causa com responsabilidade, o seu resultado se propaga por toda a sua cadeia de valor e comunidade, colaborando para torná-las econômica, social e ambientalmente justas, ou sustentáveis. E essa é a maior contribuição que o seu programa de sustentabilidade está trazendo para o planeta. O grupo Neoenergia atua no mercado energético brasileiro há mais de 10 anos e está presente em nove estados, atendendo a um público consumidor de cerca de oito milhões de pessoas. Mas o que talvez pouca gente saiba é que por trás de toda a complexidade de fornecer energia para tanta gente, está uma empresa preocupada com questões sociais e ambientais, além claro, da econômica. Para o consultor em sustentabilidade Paulo Branco, a empresa que pensar que só precisa apresentar resultados para os acionistas, corre um sério risco de, a longo prazo, não ter bons resultados para esse acionista. Reconhecimento - Mas se tem algo que vem orgulhando a Celpe, não é o fato de fazer parte de um dos maiores grupos econômicos do país, mas o de vir se destacando e sendo reconhecida no setor de energia como uma empresa comprometida com a sustentabilidade das pessoas e do planeta. "Hoje não temos um projeto de responsabilidade empresarial, temos um programa de ações. Conseguimos internalizar esses conceitos e ainda levá-los para a nossa cadeia de valor", enfatiza André Gondin, assessor de sustentabilidade do Grupo Neoenergia. Atualmente muitos grupos empresariais já divulgam suas práticas de sustentabilidade. Mas Celpe quer ir além. Ao apresentar seu relatório de sustentabilidade, o Grupo não pretende apenas prestar contas à sociedade, mas reassumir compromissos com os seus públicos. "Mostrar, para nós, o significado de palavras como ética, respeito, compromisso, transparência", complementa Gondin. Ao realizar pelo segundo ano consecutivo uma Conferência sobre Sustentabilidade a Celpe acredita que quanto mais debater em profundidade, temas como responsabilidade social e desenvolvimento sustentável, mais a sociedade avançará em boas práticas corporativas. A instituição quer mostrar que a sustentabilidade não é um modismo e, sim um compromisso com o futuro do negócio, com uma sociedade mais inclusiva, e um consumidor mais consciente dos seus direitos e deveres. Página 4 Entrevista já está editada. Transparência e ética nos négocios


Otema responsabilidade social empresarial se tornou uma das prioridades do grupo que controla a Celpe, na perspectiva de estabelecer um novo parâmetro na relação com todos os seus públicos interessados. É o que revela nos tópicos desta entrevista, André Gondin, assessor de Sustentabilidade do Grupo Neoenergia. >> MOTIVAÇÃO Nós hoje (Grupo Neoenergia) atendemos a cerca de oito milhões de clientes, a maioria no Nordeste, através das distribuidoras Coelba, Celpe e Cosern. Desse total, mais da metade é de baixa renda e isso aumenta nossa responsabilidade em fazer que esse público tenha acesso a energia e possa utilizá-la de forma segura e eficiente. O fato de ter esse público como cliente nos levou a desenvolver programas e projetos que pudessem atendê-lo. Quando se passa a ter acesso a energia de forma eficiente e segura, com a redução dos macacos (ligações clandestinas), além de dimimuir os riscos adaptamos a condição de pagamentos desses clientes a sua conta de energia e reforçamos a cidadania. O que se objetiva com a troca de geladeiras é que as pessoas possam se beneficiar e pagar uma conta menor. >> SUSTENTABILIDADE E O NEGÓCIO Hoje, se as pessoas e as organizações não entenderem que a sustentabilidade, o desenvolvimento sustentável e a responsabilidade social faz parte do seu negócio certamente lá na frente vai perder em competitividade em relação a outras empresas. Então nós somos uma empresa de energia elétrica, temos que pensar também no impacto que causamos ao meio ambiente quando está construindo uma linha de transmissão ou ligando um consumidor. Quando você contrata uma pessoa, quando demite, como é que isso feito. Como é que isso é visto e tratado pela empresa. Todos esses processos hoje são inerentes a sustentabilidade. Quando você começa a produzir essas discussões internamente, as pessoas começam a acordar para esse processo. >> MOBILIZAÇÃO É tudo aquilo que eu estou idealizando dentro do Grupo Neoenergia, como é que o meu parceiro, fornecedor de serviço, de material está fazendo? Não adianta eu estar preocupado hoje em não ter mão de obra infantil, quando meu fornecedor utiliza esse recurso. Não adianta querer abolir esse tipo de condição quando meu fornecedor não está preocupado. Então você precisa levar essa preocupação para a sua cadeia produtiva. E fazer que seu consumidor tenha a mesma visão e contribua da mesma forma. Você assim vai multiplicando o processo em torno da sustentabilidade. >> PARTES INTERESSADAS A disseminação do processo é o grande desafio. Você tem que promover encontros e capacitações. Nós somos associados ao Ethos, que é um instituto de referência na área e que tem colaborado muito na difusão do tema. Hoje desenvolvimento sustentável, sustentabilidade, virou, digamos assim, moda. Todo mundo fala nisso e às vezes muitas empresas falam, dizem que fazem,


mas na realidade não praticam. Começa a ter uma infinidade de eventos que de certa forma trazem muita informação e gera uma consciência nas pessoas. >> CRESCIMENTO RSE Esse tema começou a ser pauta na empresa de cinco, seis anos pra cá. Até então as pessoas desenvolviam ações socais, muito vinculadas a interesses próprios, mas hoje se tem uma visão do todo. A sustentabilidade não pode ficar de fora do bojo das suas ações. Os governos começam a ter uma preocupação muito grande, porque começam a ser cobrados, e aí a união das empresas, do governo, e do terceiro setor em prol desse movimento é algo irreversível. >> INVESTIMENTOS CELPE Seguimos a agenda de responsabilidade social do Ethos, que abrange: Valores e Transparência, Público Interno, Consumidores e Clientes, Meio Ambiente, Fornecedores, Comunidade, Governo e Sociedade. Obviamente que comunidade é nosso grande tema por atender a população como um todo. São focos muito ligados como a educação, o meio ambiente e a cultura, ou seja, projetos que possam integrar a comunidade e através disso difundir a sustentabilidade. >> 2ª CONFERÊNCIA CELPE Este tipo de evento permite fomentar na sociedade o debate sobre sustentabilidade. É o instrumento que você tem para trazer essa discussão para dentro da empresa. No passado, o que você tinha era o marketing cultural, era vender uma imagem sem conteúdo. E o Grupo Neoenergia busca investir muito na promoção desse tema, na sua difusão, na implementação dessas ações. Página 5 Equilíbrio com a natureza 44linhas O movimento de responsabilidade social empresarial tem apresentado uma inegável evolução no Brasil. Quem no passado poderia imaginar que a superintendência de engenharia de uma companhia energética, ao construir uma linha de transmissão, iria se preocupar em contornar uma reserva ambiental ou em preservar os ninhos de passarinhos feitos em cima dos postes de alta tensão? Mas é o que vem acontecendo com a Celpe. Certificada pela norma ISO 14001 desde 2002, a companhia dá atenção especial ao sistema de gestão ambiental. "Buscamos a sustentabilidade através da implantação de técnicas ou metodologias que não agridam a natureza, de forma que nossas ações tenham menor impacto ao meio ambiente", ressalta o gerente de engenharia da Celpe, Aldo Formiga. Todo novo projeto que puder causar impacto a natureza precisa da aprovação do departamento de meio ambiente. De acordo o gerente, não


destruir uma reserva ambiental traz benefícios também para a empresa. "Poupamos trabalho para o futuro, porque cada vez mais essa preocupação será cobrada. Além de termos a tranquilidade de não estarmos agredindo o planeta", esclarece Formiga. Uma rede que não tem os seus cabos protegidos basta que um galho de árvore passe perto que o sistema desarma, por questões de segurança, e corta o fornecimento de energia. Ao proteger esses cabos a poda foi reduzida. Mas reduzir não é suficiente. É fundamental saber executá-la bem. Para isso, a Celpe capacitou sua equipe com professores universitários. Uma ave muito conhecida no Sertão, a Casaca de Couro, também foi beneficiada pelas ações do setor de engenharia. As aves construíam seus ninhos no alto dos postes, e o material usado nos ninhos fechava a rede e havia a interrupção no abastecimento de energia. O revestimento dos cabos e do isolador permitiu uma convivência harmoniosa com a ave. A preocupação ambiental na Celpe começou em cumprimento de um requisito legal (licenças ambiental ou de operação). Mas a partir daí a empresa percebeu que considerar as variáveis ambientais aumentava a eficácia além de gerar oportunidades. "Com a logística reversa dos carretéis de cabos, ao invés de descartá-los devolvemos para o fornecedor. Evitamos o corte de milhares de árvores. Mas também atingimos os outros pilares da sustentabilidade. Para enviarmos as bobinas de volta montamos uma pequena estação de desmonte. São idéias inovadoras, que agregam valor as empresas", exemplifica Francisco Carvalho, gestor de meio ambiente da Celpe. Em Fernando de Noronha, a Usina Tubarão tem certificado ISO 14001, é totalmente silenciosa e o transformador é a seco, para evitar risco de acidentes. Além de ser da cor verde para melhor se integrar ao ambiente. Para aumentar a eficiência e eficácia da companhia também foi realizado em 2005 um diagnóstico ambiental de todas as suas linhas e redes. Foi mapeada toda a vegetação do estado e se passou a identificar e incidência de chuvas ou o tipo de terreno, além de saber os exemplares de plantas que serão achados em cada região. "Antigamente era dado o mesmo tratamento de poda em qualquer lugar. Mas sabemos que a vegetação não cresce igual no litoral e no sertão, por exemplo. Então conseguimos ser mais eficiente e eficaz e já estamos além das condicionantes de licenciamento", conclui Carvalho. Página 6 Projeto reduz corte de árvores 28 linhas O discurso da sustentabilidade exige uma inovação permanente na busca por novos paradigmas. E essa inovação não significa necessariamente novas tecnologias. Muitas vezes é uma ideia simples, que surge de um melhor aproveitamento de materiais que já utilizamos. O programa Logisverde é um pouco assim. Criado por Alibert Duarte, da Coelba, também do Grupo Neoenergia, ele reduz o desmatamento de árvores, gera recursos e cria postos


de trabalho. Isso tudo apenas com a reutilização dos carretéis de madeira usados para transportar os cabos elétricos. Em fase de implantação desde 2008, o Logisverde promoveu a devolução (logística reversa) este ano de 600 carretéis somente em Pernambuco. Adotado nas três distribuidoras de energia do Grupo no Nordeste (Celpe, Coelba e Cosern) em 2009 o projeto conseguiu evitar o corte de 15 mil árvores. O equivalente a 30 mil bobinas. “Como 2009 foi um ano de crise internacional não aconteceram muitas obras. Mas a economia é muito expressiva, principalmente quando consideramos todo o Grupo”, pondera Alexandre Pascoal, gerente de suprimentos da Celpe. A estrutura de madeira - usada para enrolar e transportar os condutores - que antes era descartada, hoje é desmontada e devolvida para o fabricante, reduzindo o custo deste material na próxima compra. Apesar de gerar uma pequena receita, a motivação do projeto é puramente ambiental. Essa madeira recebe um tratamento com veneno para assegurar a sua durabilidade e quando do seu descarte ela era utilizada como mesa de bar, espetos de churrasco e para queima em fornos a lenha, trazendo um risco para a população. De acordo Pascoal a equipe aprovou de imediato o projeto e muitas pessoas manifestaram o interesse em participar. A grande preocupação foi com a cadeia de valor. “Conscientizar as empresas terceirizadas sobre a consciência ambiental foi o nosso desafio. Mas desde a contratação desses parceiros que já buscamos os que se alinham com a nossa preocupação como meio ambiente. Pensar no planeta já faz parte do nosso dia adia”, reforça Pascoal. Página 7 25 linhas Indo muito além da Reciclagem A preocupação com a geração excessiva de resíduos sólidos também está presente na cultura da Celpe. Desde 2002 que a coleta seletiva vem sendo trabalhada dentro da empresa, porém, o mais importante não é separar o lixo e, sim, reduzir e repensar o consumo. Estudo publicado pela Fundação Avina em parceria com o Instituto Ethos mostra que em 2006 a produção mundial de lixo chegou a 2,02 bilhões de toneladas e a previsão é de que até 2011 haja um crescimento de 37,3%. No Brasil, segundo o IBGE, a produção média por habitante é de 0,9 kg por dia, que numa população média de 189 milhões de brasileiros dá algo em torno de 167 mil toneladas por dia. O que comprova que não há reciclagem que reverta o problema do lixo no mundo. A produção de resíduos na Celpe é um problema enfrentado com preocupação ambiental e um modelo de gestão alinhado com os pilares da sustentabilidade, que são o social, o ambiental e o econômico. O uso de canecas e de meios eletrônicos, além dos informativos fixados em locais de grande circulação de colaboradores é apenas um exemplo de como o repensar o consumo é levado a sério.


Somente no edifício sede da Celpe são recolhidos seis mil quilos de resíduos por mês, entre papel, papelão e plástico. A companhia doa o material coletado e não paga pelo serviço de recolhimento dos resíduos do seu pátio. Além de a empresa estar contribuindo para a preservação ambiental, está fornecendo matéria prima para empresas que trabalham a reciclagem e está otimizando os recursos. "Eu tenho dois ganhos, na realidade. Por não está poluindo o meio ambiente e por não ter custo para recolher esse material, além do lado social pela geração de empregos que ele possibilita", ressalta, Pablo Andrade, gerente de administração da Celpe. Fumaça Monitorada 18 linhas Mas a fumaça também é considerada um resíduo e a fumaça preta que sai dos carros da Celpe são alvo de preocupação ambiental. Semestralmente a frota é vistoriada e avaliada para poderem circular. Até um opacímetro foi adquirido pela empresa para garantir um melhor agendamento da frota. "Com essa medida garantimos que os veículos não poluam o meio ambiente e que não fiquem parados no pátio. Porque ao fazer o monitoramento da fumaça estamos, também, prevenindo outros tipos de problemas em nossos carros e conseguimos evitar que tenhamos um carro a menos na rua atendendo aos consumidores", destaca Pablo. A Celpe é pioneira no estado nesse trabalho de monitorar a sua frota. Mesmo não sendo obrigatório em todos os estados, os veículos a diesel - onde o nível de emissão de CO2 é muito maior - são monitorados. Já a política da companhia para os veículos do tipo passeio é usar o álcool, por ser menos poluente. Para 2010 a meta de trabalho é prolongar o uso de pneus. Tendo por base uma resolução do Conama de outubro deste ano, que orienta a fabricantes e importadores a aumentar a vida útil dos pneus, a Celpe pretende testar em 10% da sua frota a remoldagem ou recapeamento dos pneus antes do seu descarte. Para isso, critérios de segurança vão ser levados em consideração. Páginas 8 e 9 OK entrevista com Paulo Branco Página 10 30 linhas O consumidor como aliado Praticamente todas as atividades em uma sociedade moderna só são possíveis com o uso de uma ou mais formas de energia. Mas combater o desperdício de energia elétrica não significa abrir mão do conforto. É possível aproveitar todos os benefícios que a energia oferece na medida certa, sem desperdiçar. Orientar o consumidor sobre como utilizar racionalmente a energia é sustentabilidade.


Desta forma, ele está preservando os recursos naturais e contribuindo com o planeta. Essa é a missão do departamento de Eficiência Energética da Celpe. Ao todo, são 18 projetos voltados para conscientizar e sensibilizar o consumidor sobre o uso racional da energia. Os programas vão desde a troca de geladeiras Procel por equipamentos antigos, que consomem e poluem muito mais, a cursos e projetos de consultoria e troca de equipamentos mais econômicos. O programa Educação com Energia conta agora com uma forte aliada. Uma unidade móvel foi adaptada para percorrer todo o estado, propagando os conceitos sobre o uso seguro da energia, consumo consciente e prevenção de acidentes. Montada com tecnologia de ponta, em cima de uma carreta, é possível expandir o veículo e formar uma sala de aula e laboratório climatizado para pesquisas online e exibição de filmes em terceira dimensão. Serão capacitados professores, diretores e estudantes. A meta é atender 20 mil alunos de 165 escolas públicas dos ensinos médio e fundamental, através de uma parceira com a Secretaria de Educação. E à noite, uma tela externa permite até a exibição de filmes para grandes públicos. As palestras e cursos também podem ser oferecidos em eventos de interesse público. Mas o programa que tem maior alcance é o Nova Geladeira, onde o eletrodoméstico pode ser trocado ou vendido com 80% de desconto. "O intuído do programa é retirar do mercado equipamentos antigos, inserindo uma tecnologia mais eficiente. Se não houvesse a troca, consumidor ao invés de estar diminuindo a carga estaria aumentando. E reduzir o consumo é o foco principal dos programas de eficiência energética para qualquer público", destaca Lídice Carvalho, analista de eficiência energética da Celpe. Economia e reflorestamento 18 linhas Os clientes que não são considerados baixa renda também podem ser beneficiados pelos programas de eficiência. Através do Energia Verde, os consumidores que moram nos municípios de Recife, Olinda e Jaboatão podem conseguir bônus para trocar freezers, refrigeradores e condicionadores de ar por aparelhos mais eficientes. Para isso é preciso contribuir para o reflorestamento da Mata Atlântica.O cliente recebe o dobro em bônus para a troca de até dois eletrodomésticos com selo Procel. "A idéia é conscientizar a população de que nós também emitimos CO2 (gás carbônico) quando demandamos o consumo. Estamos com isso incentivando o cliente a neutralizar sua emissão", esclarece Lídice Carvalho. Outros projetos visam a troca efetiva da matriz energética de chuveiros e centrais de ar por energia solar. "Realizamos esse trabalho no Abrigo Cristo Redentor, no Hospital Regional de Arcoverde, no Barão de Lucena e no Cefet. Nesses casos fazemos um estudo de eficiência energética do prédio e trocamos os equipamentos". Mas a Celpe também oferece este serviço para empresas privadas. O custo do projeto e dos equipamentos é abatido a partir da economia que a empresa terá com a economia obtida.


Página 11 50 linhas Mobilização em rede Se mobilizar colaboradores para uma efetiva compreensão do conceito de sustentabilidade não é uma tarefa fácil, imagina quando você precisa mobilizar sua cadeia de valor. O cenário fica ainda mais difícil quando além de implantar conceitos novos você precisa alterar antigas práticas. É isso que a Celpe vem fazendo com as empresas prestadoras de serviço. Quando se fala em sustentabilidade a primeira coisa que as pessoas costumam lembrar é do planeta, da natureza. Muitos esquecem que o principal ator da natureza é o homem. Uma gestão sustentável significa, principalmente, respeitar os direitos individuais e coletivos das pessoas. A Celpe identificou que muitos dos seus parceiros não davam a devida atenção a questões básicas como o cumprimento da legislação. As irregularidades iam desde profissionais sem contrato formal de trabalho, atrasos de salários e o não recolhimento do FGTS e do INSS. A companhia poderia simplesmente cortar as empresas que apresentam irregularidades. Essa seria a forma mais usual, mas a Celpe entendeu que o seu compromisso com a responsabilidade social empresarial implica em um diálogo permanente e um engajamento junto aos seus públicos, a partir de um relacionamento ético e transparente. Para estreitar essa sinergia a Celpe oferece três importantes canais de diálogos com as empresas terceirizadas. Uma linha 0800, onde os colaboradores podem se comunicar para denunciar alguma irregularidade ou boas práticas que estejam sendo desenvolvidas por aquela instituição. Um jornal impresso, "Conectado", onde a Celpe repassa informações sobre segurança, saúde do trabalhador e ainda promove a interação entre as empresas. Além de um site que está em fase de finalização, devendo estrear no próximo ano. A Celpe trabalha hoje com 46 empresas terceirizadas, num total aproximando de cinco mil funcionários. "Esses colaboradores precisam estar motivados para atenderem bem ao consumidor final. Por isso a nossa preocupação com treinamento e informação. O 0800 é o canal mais rápido e eficiente. Muitos desses colaboradores estão a centenas de quilômetros e o telefone é a forma mais rápida e barata para essa comunicação. Já o jornal é usado para apresentar iniciativas relevantes dos empreiteiros e, desta forma, motivar os outros a seguirem boas práticas de sustentabilidade", enfatiza Robertha Cavalcanti, analista de gestão e controle da Celpe. O trabalho em parceira também é reforçado pelo Projeto Travessia, que visa capacitar todos os funcionários das empresas terceirizadas para garantir a boa qualidade dos serviços oferecidos pela Celpe. Os cursos são nas áreas especificas que eles trabalham como ligação nova, corte e religação, manutenção e construção, além da parte de segurança e atendimento ao cliente. O custo de cada turma varia entre R$ 6 mil e R$ 10 mil. O curso é ministrado


pelo Senai, o que possibilita que o certificado possa ser usado pelo funcionário dentro ou fora da Celpe. Já foram investidos R$ 900 mil desde dezembro de 2007. Mas o investimento total previsto para o projeto é de R$ 1,5 milhão. "Muitas vezes algumas empresas não tinham a devida responsabilidade com o trabalhador. Então o que a gente quer é que eles tenham os mesmos padrões de procedimentos que a Celpe tem com a segurança e o bem estar do profissional, com o meio ambiente e com a viabilidade do negócio, que são os pilares da sustentabilidade", revela. A Celpe busca empresas que estejam habilitadas pela ISO 14001 e que adotem critérios da norma AS 800 Página 12 TEXTO NOVO QUE LIANE NÃO TINHA NO COMPUTADOR 45 LINHAS O principal ativo da Celpe A Celpe busca promover a sustentabilidade em todas as áreas, mas talvez a mais importante aconteça no ambiente interno da empresa. A sua política de gestão é orientada para a saúde, segurança e melhoria permanente do ambiente de trabalho, de forma a contribuir para a qualidade de vida dentro e fora da empresa. Além de oferecer treinamento e desenvolvimento para os seus colaboradores. “Buscamos sempre a qualidade de vida das pessoas, priorizando a sua saúde e segurança. Acreditamos numa empresa ética e transparente com os seus funcionários”, enfatiza Silvania Figueiredo, gestora da Comunicação Interna da Celpe. A companhia investe na segurança da sua equipe através de uma vacinação anual contra a gripe, de campanhas educativas como as de combate a dengue, a gripe H1N1, ao tabagismo e a AIDS. E com essas ações vem conseguindo um melhor rendimento e a redução da necessidade de faltas ao trabalho. Os eletricistas, que trabalham com exposição ao sol recebem mensalmente protetor solar. “Essas são campanhas de mobilização que fazemos através do programa Energia da Vida que inclui ainda a Sipatma (Semana Interna de prevenção de Acidentes e Meio Ambiente)”, ressalta Silvania. O desenvolvimento e a qualificação dos seus profissionais também são alvo de atenção. Além de oferecer constantemente cursos, palestras, participação em congressos e seminários, os funcionários são estimulados a concluírem ou continuarem seus estudos. A empresa cobre até 70% dos custos com cursos de idiomas, graduação e pós-graduação. Como forma de reduzir o desperdício, melhorar os espaços e o ambiente de trabalho, a conservação dos recursos naturais, o aumento da segurança e da produtividade a Gestão de Pessoas, em parceira com o Planejamento mobiliza os funcionários para o dia dos Oito Sensos (8S). A estratégia é promover o trabalho em equipe e a interação entre as áreas. Com isso, cada setor recolhe o que não utiliza mais e disponibiliza para o Atendimento a Comunidades Especiais - Cace. Esse material é utilizado nas oficinas do programa Luz no


Empreendedorismo, projeto social que transforma resíduos em peças artesanais, contribuindo na geração de emprego e renda de comunidades carentes. Para mobilizar o público interno e divulgar os compromissos com a sustentabilidade, a Gestão de Pessoas utiliza um processo único de informação e integração, porém, através de diversos canais de comunicação. Com ênfase nas mídias eletrônicas para aumentar a agilidade e também reduzir o consumo. O Celpe Informa e o Intracelpe são dois informativos eletrônicos para divulgação de informações corporativas. Tem ainda o Corrente Elétrica, um email onde o colaborador se mantém informado sobre os eventos e comunicados da empresa, de forma rápida e eficaz. Mas os colaboradores que não tem email não foram esquecidos. Além de oferecer terminais com internet voltados preferencialmente para os eletricistas, a empresa também investe no jornal de parede. Eles ficam espalhados por todos os andares e por todas as unidades. Ele também é oferecido numa versão para elevador, com informações corporativas. Página 13 50 LINHAS Mudando a realidade social Um exemplo prático de que um programa de sustentabilidade precisar estar apoiado no tripé econômico, social e ambiental são os projetos desenvolvidos pela Unidade de Atendimento à Comunidades Especiais (Cace) da Celpe. Com base na cultura mundial da Neoenergia, que caracteriza-se por ser uma empresa-cidadã, todas as suas ações visam complementar esse ciclo com a inclusão, o resgate da cidadania e a rentabilidade financeira. A proposta da Cace é mudar o presente com a perspectiva do futuro. É assim que vem acontecendo nos 25 Telecentros de informática implantados pela Celpe, em sua maioria em parceria com a Fundação Banco do Brasil, por todo o Estado. Buscando mudar a realidade digital de varias comunidades carentes ou possibilitando a inclusão digital de alguns municípios, a Celpe fornece dez computadores, uma impressora e toda a rede lógica. O Banco do Brasil disponibiliza a internet e a bolsa dos monitores, que são adolescentes da própria comunidade beneficiada e treinados nos próprios Telecentros. "Esse programa é muito interessante porque faz a inclusão digital para o adolescente, o adulto e o idoso. Além de utilizar monitores da própria comunidade", salienta Fernando Figueira Filho, gestor do Cace. Até novembro deste ano já tinham sido formados 1.300 telecentristas . Apesar de se concentrar na Região Metropolitana do Recife, já existem Telecentros funcionando no interior do estado como Mirandiba, Caruaru e Cabrobó. E foi lá que a Celpe instalou o primeiro Telecentro de Pernambuco numa comunidade indígena. Ela está funcionando na tribo de Truká, na ilha de Assunção. E a meta para 2010 é bastante ousada. Instalar dez novos Telecentros.


Geladeira nova - Cerca de 70% do consumo de uma casa de baixa renda vem da geladeira. E esse custo termina por onerar o orçamento de muitas famílias. Através do projeto de doação de geladeiras com o selo Procel para comunidades de baixa renda, a companhia está reduzindo o consumo de energia daquela família e com isso contribuindo para a melhora do orçamento familiar. Já foram distribuídas 6 mil geladeiras e mais de 30 mil lâmpadas econômicas. A expectativa é de que em 2010 o projeto consiga chegar aos 185 municípios do estado. "Um aspecto importante é que recolhemos a geladeira velha, que consumia muito e damos a destinação adequada para o gás e para a sucata", destaca Figueira. luz para empreendedores- Se capacitar mão de obra para o mercado de trabalho já é um desafio, imagine incentivar o surgimento de novos empreendedores. Mas a Celpe vem fortalecendo o programa Luz para o Empreendedorismo, que busca qualificar e despertar cidadãos de cominidades carentes a trabalharem por conta própria com artesanato. "Unimos a vocação cultural e artística da comunidade com o potencial empreendedor que muitas pessoas já tinham, só precisando de um apoio. Nós capacitamos e formamos artesãos", revela. Ação Integrada - Dentre os muitos projetos que o Cace desenvolve um que permite o resgate da cidadania das pessoas é o Ação Integrada. Um mutirão itinerante de prestação de serviços da Celpe que acontece em parceria com outras instituições. As pessoas podem emitir documentos, fazer exames médicos, testes de glicose e aferimento da pressão arterial, participam de palestras, além solucionar toda e qualquer pendência com a companhia, como solicitação de religamento e regularização financeira. Página 14 39 LINHAS Dialogando com o consumidor Um bom relacionamento se constrói através do respeito a direitos e deveres. E na Celpe é assim. Regulamentada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), através da Resolução 456, a companhia prima pela transparência nas suas ações, sempre buscando a melhoria contínua dos serviços. Todas as regras para o bom relacionamento entre distribuidoras de energia e o consumidor são definidas pelo governo federal. Como forma de assegurar o diálogo com os clientes, a Celpe tem cinco canais de comunicação. São eles a internet, pelo site www.celpe.com.br, os terminais de auto-atendimento, agências de atendimento, Pontos Celpe de Serviços e o teleatendimento, onde a ligação é gratuita através do 0800 81 01 96, que funciona 24 horas. Em todo o Estado são 45 agências e 167 pontos Celpe de serviços que funcionam em diversos pontos comerciais com farmácias, panificadoras, mine mercados, lanchonetes e lojas de autopeças.“O nosso objetivo é assegurar um diálogo permanente, garantir um atendimento de qualidade e nos aproximarmos


cada vez mais do nosso cliente”, revela Beatriz Castro, gestora de imagem corporativa da Celpe. Para a população de baixa renda é dada uma atenção ainda maior. O programa Comunidades Especiais desenvolve ações educativas e interativas, onde através do Agente Celpe, as pessoas são orientadas quanto aos hábitos de uso de energia elétrica como a adequação do consumo à capacidade de pagamento do consumidor. O consumidor também é informado sobre a necessidade de troca de equipamentos que consomem muita energia e a reforma ou revisão de instalações internas. Todo o atendimento é sistematizado. Nas agências Celpe além de profissionais treinados, tem vários folhetos explicativos sobre os direitos e deveres do consumidor. “Todo o setor elétrico é muito regulado, é muito formal. Praticamente todas as situações estão descritas na NR 456, permitindo que o cliente fique muito tranqüilo com a qualidade dos serviços e com relação aos seus deveres”, esclarece Beatriz. A resolução é atualizada periodicamente e vale para todo o país. Cada tipo de ocorrência tem um procedimento padrão onde o usuário irá preencher um formulário correspondente para a solução do problema. Garantir o atendimento a todas as pessoas é também um compromisso assumido pela Celpe, para isso tanto o site quanto o 0800 estão adaptados para o atendimento de pessoas deficientes visuais e auditivas. Em média, somente nas agências Celpe, são atendidas 134 mil pessoas por mês. E as principais dúvidas dos clientes são com relação à conta de energia e como emitir a segunda via, informações sobre débitos, ligações novas e mudança de titularidade. Confira abaixo a lista com as dez dúvidas mais freqüentes e como tirá-las.


ljkjkç