Issuu on Google+

JANEIRO 2013 - ANO 19 - Nº 94

Jornada Gaúcha de Radiologia 2013 acontece de 28 a 30 de junho em Porto Alegre


Editorial

SUMÁRIO

6

Jornada Gaúcha de Radiologia 2013

10 Exames

Prêmio Jabuti 2012

9

Radiológicos EXPEDIENTE

A Associação Gaúcha de Radiologia é filiada ao Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por imagem. O jornal da AGR é uma publicação oficial, semestral, com distribuição gratuita a todos os médicos radiologistas do Rio Grande do Sul, Sociedade de Radiologia do Brasil e demais países do Mercosul. Presidente: Dr. Silvio Cavazzola Edição do “Jornal da AGR”: Tesoureiro: Dr. Ildo Betineli Playpress Assessoria de Imprensa Vices-presidentes: Tomografia Computadorizada: Dr. Rodrigo Duarte Ressonância Magnética: Dr. Gustavo Luersen Radiologia Geral: Dr. Thiago Krieger Angiologia e Radiologia Intervencionista: Dra. Simone Valduga Densitrometria Óssea: Dra. Beatriz Amaral Medicina Nuclear e Radioterapia: Dr. Osvaldo Estrela Administração: Dr. Everton Kruse Ultrassom: Dr. Carlos Roberto Maia Mamografia: Dr. Dakir Duarte

Jornalista Responsável: Marcelo Roxo Matusiak Registro: MTB/RS: 10063 Fones: (51) 3361.6016 / (51) 8536.0690 / (51) 8536.0691 E-mail: playpress@playpress.com.br Redação, fotos e edição: Rafael Dias Borges, Mauro Plastina, Débora Perez Lucas Aleixo e Suamy Sejanes

Sede da AGR: Av. Ipiranga, 5311- Sala 205 - Jardim Botânico - POA / RS - CEP: 90610-001 - Fone/Fax: (51) 3339.2242

2

constate nos últimos anos, atingindo um recorde de 600 participantes na sua última edição, o que nos levou a fixar a mesma em Porto Alegre, a fim de facilitar o acesso a todos, principalmente aos colegas de outros estados (SC e PR principalmente). Estamos verificando a possibilidade de manter também fixo em nosso calendário de eventos um Encontro de Fim de Ano a ser realizado sempre em Gramado com data a ser Dr. Silvio Cavazzola, Presidente da definida entre a última semana de Associação Gaúcha de Radiologia Outubro e a primeira quinzena de Novembro. Aguardem, pois todos Estamos encerrando nosso serão informados deste que será mandato na Associação Gaúcha um evento de confraternização de Radiologia (AGR), e gosta- e troca de experiências, mantenria de fazer uma breve revisão do nossa tradição de realizarmos de todas as atividades realizadas eventos na serra gaúcha. Também procuramos nestes pela atual diretoria neste biênio dois anos atuar de maneira firme 2010/2012. Assumimos a AGR em novem- e participativa nos assuntos relabro de 2012 e procuramos, além cionados à remuneração de nosde manter as atividades científicas sa classe. Conseguimos negociar já estabelecidas (Jornada Gaúcha com a UNIMEDPOA a implande Radiologia (JGR), Clube Hu- tação da tabela CBHPM, embora golino e Cursos de Atualização ainda com alguns tópícos a serem do CBR), desenvolver novos fo- melhorados, o que buscaremos facos de atuação, com a criação dos zer nestes próximos anos. Com o Grupos de Estudo em Diagóstico IPE conseguimos um reajuste que por Imagem nas áreas de Tórax, atingiu boa parte dos exames de Músculo-esquelético, Abdômen e imagem; continuaremos nos próNeurorradiologia, que visam reu- ximos anos a luta por uma melhor nir colegas que atuam e tem expe- remuneração e reconhecimento de riência nestes tópicos para discu- nossa especialidade. Paralelamente as atividades a tir casos e assuntos relacionados às suas áreas. Estamos abertos à nivel regional, procurei desenvolcriação de novos grupos de estudo ver no CBR, com segundo tesouem outras áreas de atuação, con- reiro, a implantação de medidas forme o interesse do associado. que buscassem melhorar o conNesta edição estamos publicando trole e aplicação dos recursos de o cronograma destes grupos e das todos nós que contribuímos com o demais atividades científicas que CBR. Conseguimos atingir nossa a AGR irá desenvolver durante o meta, reduzindo os custos e otimipróximo ano; agende-se e partici- zando o fluxo das contas do CBR, que passaram de 19 quando assupe. Nossa JGR vem demonstran- mimos para 02 ao entregarmos do um crescimento de público os cargos para a nova direção da

entidade, deixando a mesma com um valor no caixa cerca de 3 vezes maior do que quando assumimos. Me orgulho muito de ter sido escolhido por meus colegas de diretoria do CBR para concorrer a presidência do CBR, mesmo não tendo atingido o objetivo, embora contando com o apoio de mais de 80% dos radiologistas de nosso estado, aos quais deixo meu agradecimento. Gostaria de agradecer em especial a todos os membros de nossa diretoria, sem os quais todas nossas atividades não seriam o sucesso que foram, e as nossas secretárias, que nos dão o suporte para a realização das atividades do dia a dia da AGR. Também gostaria de lembrar que teremos em março eleições para o conselho de Administração da UNIMEDPOA, e que teremos nosso futuro presidente da AGR, Dr. Ildo Betinelli, como candidato. Venho por meio desta manifestar meu apoio a sua candidatura e lembrar da necessidade de termos um representante de nossa classe para participar ativamente e ser nossa voz nas discussões relacionadas a nossa classe. Meu muito obrigado a todos que contribuiram, de alguma forma ou outra, para que pudessemos completar nossa jornada com êxito.

3


Gestão 2013-2014

AGENDA 2013

Expectativas 2013-2014

Dr. Ildo Betineli, presidente Biênio 2013-2014

Tenho a satisfação e a responsabilidade de representá-los nos próximos dois anos. Assumo esta responsabilidade num momento em que o mundo sofre rápidas mudanças, tendo que imprimir, através da associação, constante atualização aos membros, mas ao mesmo tempo manter vivos valores tradicionais do antigo radiologista. Aqui destaco a ética, especialmente entre colegas, tanto da nossa como de outras especialidades, como fundamental para que a nossa categoria seja valorizada.

Gostaria de agradecer aos colegas que voluntariamente têm atuado na Diretoria da AGR desde a gestão do Dr. Dakir passando pelo Silvio e que aceitaram seguir comigo. Nos últimos anos a AGR passou por um ciclo dinâmico tanto na parte cientifica como na busca da remuneração adequada da categoria. Em relação a esta segunda pauta tenho me dedicado junto com uma Comissão. que chamamos de Negociadores. composta por mim. pelo Dr. Silvio Cavazzola , Dr. Everton Kruse, Dr. Ney Amaral e o Dr. Wilson de Almeida, para trabalhar junto aos convênios especialmente Unimed e Ipê para que reconheçam a importância da recomposição anual de nossos valores de exames e até buscar recompor as perdas passadas. Esta é uma luta árdua e só venceremos se houver conscientização e união de todos. Em relação à parte cientifica, me sinto muito à vontade com minha retaguarda de todos os com-

ponentes da Diretoria, mas saliento três nomes de colegas jovens que certamente estarão comandando a AGR nos próximos mandatos: Gustavo Luersen, Rodrigo Duarte e Thiago Krieger. Por último gostaria de externar a gratidão dos Radiologistas Gaúchos ao presidente que sai, Silvio Cavazolla, por ter nos colocado no cenário nacional nesta última disputa presidencial no CBR e que, mesmo jovem, ao ser convidado pelo Dr. Manoel Aparecido Gomes da Silva, não se intimidou e aceitou o desafio. Fico feliz pelo Silvio estar na minha diretoria como tesoureiro e presidente da Comissão Cientifica da nossa Jornada Gaúcha de Radiologia que ocorrerá em julho de 2013, a qual já estamos organizando e que garanto antecipadamente será um sucesso. Gostaria de mais uma vez agradecer a confiança que vocês depositaram em mim e desejar um Feliz Natal e muita saúde em 2013 para curtirmos as vitórias que virão. Abraços.

Gestão 2013-2014 Presidente: Dr. Ildo Betineli Tesoureiro: Dr. Silvio Cavazzola Vices-presidentes: Tomografia Computadorizada: Dr. Rodrigo Duarte Ressonância Magnética: Dr. Gustavo Luersen Radiologia Geral: Dr. Thiago Krieger Densitrometria Óssea: Dra. Beatriz Amaral Medicina Nuclear e Radioterapia: Dr. Eduardo Berdichevski Administração: Dr. Everton Kruse Ultrassom: Dr. Carlos Roberto Maia Mamografia: Dr. Dakir Duarte

4

Atualização Nacional em Radiologia Data: 22 a 23 de março Local: AMRIGS sala 23

19º Curso Radimagem de Diagnóstico por Imagem

Data: 5 a 7 de abril Local: AMRIGS

Atualização Nacional em Ultrassonografia Data: 2 a 3 de agosto Local: AMRIGS sala 22

Grupo de Estudos do Tórax Coordenação Dr. Thiago Krieger 6 de março 7 de agosto 3 de abril 4 de setembro 8 de maio 2 de outubro 5 de junho 6 de novembro 3 de julho

Datas Clube Hugolino Andrade DATA 11 de abril 06 de junho 18 de julho 12 de setembro 07 de novembro 12 de dezembro

COORDENAÇÃO Dr. Gustavo Luersen Dr. Thiago Krieger A definir Dr. Rodrigo Duarte Dra. Simone Valduga A definir

Grupo de Estudos do Músculo Esquelético Coordenação Dra. Simone Valduga 11 de março 13 de agosto 9 de abril 10 de setembro 14 de maio 8 de outubro 11 de junho 12 de novembro 9 de julho

7


JGR 2013 Foto: Marcelo Matusiak

A

Oncologia será o tema central da Jornada Gaúcha de Radiologia 2013

Jornada Gaúcha de Radiologia se consolida como um polo de discussão, não só no Rio Grande do Sul, mas no sul do país e espera crescimento para edição do ano que vem. A Associação Gaúcha de Radiologia trabalha na confirmação de dois nomes internacionais que apresentarão aulas nas áreas de Músculo-esquelético e Neuroradiologia e na área de Oncologia. O tema do evento em 2013, será o papel da radiologia na detecção precoce e seguimento de pacientes oncológicos. - A radiologia pode contribuir e muito na detecção precoce, estadiamento e seguimento dos pacientes oncológicos. Exames com Raio X, Mamografia e Ultrassom são usados para rastreamento. Outros como Tomografia e Ressonância Magnética são usados para o estadiamento e seguimento do tratamento dos pacientes. Portanto, a imagem contribui desde a detecção passando pela investigação e acom-

panhamento para avaliação de como está sendo a resposta ao tratamento - explica o presidente da Associação Gaúcha de Radiologia, Silvio Cavazzola. A Jornada Gaúcha de Radiologia, que era feita em Gramado por tradição, passou desde o ano de 2012 a ser realizada na capital gaúcha. A ideia foi consolidada com o crescimento no número de participantes, especialmente visando a participação maior de colegas de outras cidades e estados, e pela facilidade de deslocamento

para Porto Alegre. Em 2010, o evento contou com a participação de aproximadamente 400 inscritos. Em 2011 esse número subiu para 500. Em 2012, foi quebrado recorde com um total de 600 participantes. O evento acontece de 28 a 30 de junho, no Centro de Eventos do Hotel Plaza São Rafael, em Porto Alegre. Outras informações podem ser obtidas através do site www.sgr.org.br.

Foto: Mauro Plastina

7


Geral

Geral

Confirmada participação de médico referência em coluna na Jornada Gaúcha de Radiologia

Coluna Vertebral, da Série CBR, vence o 54º Prêmio Jabuti na categoria Ciências da Saúde

A

O

Jornada Gaúcha de Radiologia, que acontece entre os dias 28 e 30 de junho no Hotel Plaza São Rafael, em Porto Alegre, teve confirmada a participação de um renomado médico radiologista na área que estuda a coluna. Graduado na Western Reserve School of Medicine em 1975, o médico Michael T. Modic completou sua residência em radiologia e neuroradiologia na Cleveland Clinic Foundation, nos Estados Unidos. Atuou como professor e mais tar-

de como coordenador do departamento de Ressonância Magnética e Neuroradiologia, na mesma Instituição. Em 2006 se tornou presidente do Neurological Institute da Cleveland Clinic. Michael T. Modic é referência em artigos técnicos nas publicações mais respeitadas dos Estados Unidos na área de radiologia, participando do editorial board das revistas de imagem Radiology, Neurology, American Journal of Neuroradiology, Magneticresonance in Medicine e Magnetic

Ressonance Imaging, com ênfase nas patologias da coluna e neurorradiologia. Em 1991 recebeu a medalha da Society of Magnetic Ressonance in Medicine, da qual foi presidente no biênio 1992/1993, a Gold Medal in Clinical Science pelo seu estudo relacionado a coluna. Foi também co-autor do texto “Magnetic Resonance Imaging of the Spine” que está em sua segunda edição e também tem mais de 150 artigos relacionados à radiologia.

professora de radiologia pediátrica da universidade de Washington, Marilyn Siegel palestra sobre radiologia pediátrica na JGR 2012 Foto: Marcelo Matusiak

professor e chefe do departamento de neurorradiologia da Universidade de Standford, Scott Atlas, fala sobre diminuição do custo de exames de imagem na JGR 2012

8

Foto: Marcelo Matusiak

livro Coluna Vertebral, terceiro volume da Série CBR foi um dos vencedores da 54ª edição do Prêmio Jabuti, o mais importante do mercado editorial brasileiro. Em 2012, pela primeira vez, o Jabuti premia uma obra dedicada à radiologia. O livro foi publicado pela Elsevier e ganhou o segundo lugar na categoria Ciências da Saúde. - É o primeiro livro em língua portuguesa a apresentar imagens da radiologia convencional e de métodos avançados, como a tomografia computadorizada, a ressonância magnética e o PET-CT; também tem uma abordagem ampla que inclui a questão do custo-benefício dos exames, um dos temas mais importantes atualmente para a medicina - diz Dr. João Luiz Fernandes, que é editor associado da obra junto a Dr. Francisco Maciel Júnior. Para a diretora editorial de Ciências da Saúde da Elsevier no Brasil, Adriana Antonaccio, “o Jabuti colabora para a consolidação da Série CBR como uma referência definitiva para a radiologia no Brasil e um destaque entre os livros de Ciência da Saúde em geral”. Coluna Vertebral integra a Série CBR, composta por 11 li-

vros voltados para o estudo dos diversos ramos da radiologia, com ênfase no diagnóstico de doenças e em achados clínicos. A obra foi elaborada por renomados radiologistas brasileiros, contém mais de 2.500 imagens e é ferramenta de estudo, também, para ortopedistas, neurocirurgiões, reumatologistas e fisiatras. A Série CBR é organizada pelos editores Antônio José da Rocha, Giuseppe D´Ippolito e Isabela S. Silva e foi projetada para ser composta por mais de dez títulos, abordando os temas essenciais em Radiologia. Tórax é o primeiro volume e trata da descrição de achados radiológicos e de diagnóstico diferencial. Outra

Foto: Divulgação Editora Elsevier

obra da coletânea é Gastrointestinal que apresenta históricos de doenças e comentários sobre aspectos histológicos. O quarto módulo da série é Encéfalo que aborda minúcias do diagnóstico de doenças do encéfalo. Os próximos volumes a serem lançados são Mama, Musculoesquelético e Rins, vias urinárias e próstata.

9


Exames

Exames

Até quando vai durar o uso do filme nos exames de radiologia? Foto: Mauro Plastina

E

specialistas apostam que as radiografias em breve deixarão de ser impressas no tradicional filme usado desde que surgiu o procedimento radiológico. Em seu lugar será usado papel que usa menos substâncias químicas e não contamina o ambiente no momento do descarte. Apesar da avançada tecnologia

10

nos procedimentos, esse processo deve ser gradual e levar ainda muitos anos até a total aposentadoria do filme. - A tendência é que as imagens possam ser processadas dessa maneira. Isso reduz custos e danos ambientais de componentes químicos que são lançados na natureza. É uma

maneira mais fácil de transportar também na comparação com o filme. Portanto, é algo que veio para ficar, mas vai levar um tempo ainda para termos no Brasil essa realidade bem estabelecida explica o presidente da AGR, Silvio Cavazzola. No futuro, não só o papel deve roubar o lugar do filme. A própria utilização das mídias virtuais pode permitir que exames sejam visualizados em telas de computador ou tablets ou que sejam armazenadas em CD/ DVD. Curiosamente, os médicos enfrentam nesse processo de transição uma forte barreira cultural do paciente. - O paciente muitas vezes chega dizendo que quer levar a “chapa” para o doutor ler - completa Cavazzola. Uma das preocupação dos médicos é nunca dificultar o atendimento ao paciente. Se em grandes cidades ou capitais, as tecnologias digitais podem facilmente ser abertas em computadores ou outras tecnologias, o mesmo pode não ocorrer em pequenas cidades do interior.

Uso combinado de tecnologias ajuda no diagnóstico de AVC

A

pesar de comprovados avanços no uso da Ressonância Magnética como exame que pode diagnosticar doenças como AVC, a realidade no Brasil ainda não permite maior utilização dessa tecnologia. Por ser mais disponível e de fácil acesso à população a Tomografia Computadorizada segue sendo o procedimento mais comum para investigação desses casos. O acidente vascular encefálico isquêmico, conhecido popularmente como AVC, é considerado um dos problemas de saúde que mais faz vítimas fatais em todo o mundo. A Ressonância Magnética, além de ser mais cara, exige uma estrutura complexa. O palestrante, médico neurorradiologista do Instituto do Cérebro da PUCRS, Ricardo Soder, reforça que a Tomografia Computadorizada é o primeiro exame que tem de ser feito em um paciente que tem suspeita de AVC. - Não se deve nunca pular essa etapa. A Ressonância Magnética é reservada para um segundo momento porque a maioria dos estudos que se tem no mundo foram baseados em Tomografia Computadorizada . Então todos

Foto: Marcelo Matusiak

tratamentos se baseiam no diagnóstico usando esta tecnologia. A Ressonância Magnética entrou com muita força nesse campo e nos países desenvolvidos existe um número maior de exames, mas a realidade no Brasil é outra - explicou o médico. Em aproximadamente 95% dos casos a Ressonância Magné-

tica consegue oferecer ao médico um diagnóstico preciso de um AVC isquêmico. O assunto foi abordado no último encontro do Clube Hugolino, na Galeteria do Marquês, no dia 8 de novembro. A atividade é promovida pela Associação Gaúcha de Radiologia.

11


Mudança de conduta chega a 30% graças a evolução do uso de PET-CT Foto: Marcelo Matusiak

C

om indicações precisas o uso da tecnologia de PET-CT tem orientado os médicos a uma tomada de decisão sobre a terapia ou cirurgia a ser realizada. A estimativa atual é de que a decisão a ser tomada já mudou em aproximadamente 30% na comparação com os estudos antes da tecnologia. A afirmação é do médico nuclear Belmonte J. Marroni. - Temos praticamente dez

A pedido

anos de PET-CT, aproximadamente 20 anos de PET e mais uns 5 anos de tentativas com baixa sensibilidade e equipamentos que, hoje, são considerados ultrapassados. Ou seja, são quase 25 anos de experiência. Se fala que existe uma mudança de conduta médica que de um modo geral pode chegar a 30%, ou seja, há uma mudança de conduta médica em relação ao tipo de terapia ou cirurgia. Cada caso é um caso,

mas as indicações atualmente são muito precisas - explicou. Uma outra preocupação em relação ao assunto é a avaliação correta de alguns detalhes encontrados nos exames. O líquido contém Flúor que possui uma célula metabólica consumidora de glicose. O resultado disso é a necessidade de um repouso absoluto do paciente. - Temos que estabelecer uma certa diferença de variantes normais. Se depois de ter injetado o material no corpo a pessoa ficar falando ou até mascando um chiclete esse detalhe pode aparecer. O ideal é uma hora de repouso após o exame. Se o paciente não tiver esse cuidado vai aparecer os músculos da deglutição ou mastigação acentuadas. Até se ele olhar muito com olhos ativos para todos os lados, as musculaturas dos oculares vão se sobressair - explicou.


jornal-da-agr-jan-2013-94