Page 1

Clésio Andrade, da CNT e Sest/Senat, fala sobre os esforços de qualificação para o transporte #73

Revista

Turmas sempre abertas Cursos na plataforma EAD e presenciais passam a ser oferecidos aos associados de forma perene, a partir da nova Universidade Corporativa da ABLA

Workshop MAN/VW: locação de caminhões em alta Nova CNH: documento fica menos suscetível à fraude XIII Fórum Nacional do Setor de Locação de Veículos

2017 JULHO - AGOSTO


Palavra do Presidente

Fazendo a diferença

mercado corporativo responderam por boa parte do total de carros de passeio e utilitários leves vendidos nos cinco primeiros meses do ano. São fatos que alimentam a nossa esperança em dias melhores para todos. Essa evolução, porém, depende muito do esforço individual, de cada um que atua hoje no setor. Portanto, acreditamos que a chegada da UNIABLA é uma ocasião muito propícia para que empresários vislumbrem novos nichos de negócios e oportunidades de melhoria na gestão; e que os colaboradores das locadoras encontrem subsídio para pleitear um crescimento profissional a partir de suas novas qualificações. Outro evento destacado nesta edição e que contribui sobremaneira para a evolução da nossa atividade é o Fórum Nacional do Setor de Locação de Veículos, que acontece nos dias 13 e 14 de setembro, em São Paulo, e sobre o qual já antecipamos alguns detalhes. O encontro terá novamente a fórmula que deu certo há dois anos, ao combinar palestras com ministrantes renomados em diversas especialidades e aproximação de empresários e fornecedores no espaço dedicado ao network. Aguardamos todos vocês no hotel Holiday Inn Anhembi. Vamos fazer a nossa parte. Vamos fazer a diferença para que o Brasil volte a crescer.

UM PROJETO audacioso acaba de virar realidade e já está dando frutos. Com a parceria da CNT – Confederação Nacional do Transporte, a ABLA passa a promover todos os seus cursos de capacitação direcionados a empresários e profissionais do setor em uma universidade corporativa, a UNIABLA. Com isso, inauguramos uma nova etapa dentro de uma jornada de êxitos na qualificação de nossos associados. Os cursos realizados pela ABLA tiveram até aqui grande aceitação e repercussão, em virtude dos cuidados com que a associação prepara suas iniciativas dedicadas à atualização de conhecimentos relacionados à atividade de locação de automóveis no país. Marcaram época, por exemplo, os treinamentos efetuados por ocasião da Copa do Mundo, em 2014. Um dos segredos desse resultado positivo reside na escolha de parceiros com capacidade comprovada também na área de conteúdo, como é o caso da Fepese, instituição pioneira em ensino a distância no Brasil, que participa conosco do projeto da UNIABLA. O lançamento de nossa universidade corporativa traz ainda mais dinamismo a um setor que vem se consolidando como uma força de geração de riqueza, justamente no momento em que o Brasil tanto necessita de expansão econômica. As locadoras estão à frente da reação já comprovada nas vendas das montadoras entre janeiro e maio deste ano. Negócios com o

Paulo Nemer Presidente do Conselho Nacional

3


Ano XIII – No 73 – julho - agosto 2017

14 Capa

UNIABLA, a universidade corporativa da ABLA, passa a oferecer uma ampla gama de cursos EAD e presenciais

08 Na Frente

ABLA prepara o XIII Fórum Nacional do Setor de Locação de Veículos

22 Jurídico

Responsabilidade por danos a terceiros

24 Entrevista

Clésio Andrade, da CNT e Sest/ Senat, fala sobre as reformas que o Brasil precisa realizar para voltar a crescer

28 Terceirização

38 Frota

34 Rent a Car

40 ABLA Jovem

Locação de pesados ganha espaço

A nova CNH com QR Code já está em vigor

4

Software agiliza o processo de compra e venda de veículo

Tecnologias e tendências que afetam o negócio de locação


12

42 Planejamento Sabedoria Oriental: o perigo mora no detalhe

44 Eu leitor

Sua história pode inspirar muita gente

46 Tira-Teima Respondemos às dúvidas dos associados

34

Use o leitor QR Code do seu smartphone para acessar o site da ABLA.

48

48 Brasil Viagem

60 Trânsito

52 Por Dentro

64 Tecnologia

56 Ao Volante

65 Fim de papo

Os encantos que Roraima reserva para os turistas

Novo Q7 TDI Ambition com inédito motor a diesel

Novidades do mercado automotivo

5

Alta incidência de acidentes entre os jovens

Comunicação de compra e venda de veículos pela internet

Influência digital ajuda a fidelizar clientes


Expediente CONSELHO GESTOR Paulo Nemer (Presidente do Conselho Nacional), Carlos César Rigolino Jr. (Vice-Presidente do Conselho Nacional), Carlos Faustino, Célio Fonseca, Flavio Nabhan, Marcelo Fernandes, Marconi Dutra, Nildo Pedrosa, Paulo Eduardo Sorge, Paulo Miguel Jr., Saulo Fróes e Simone Pino. CONSELHO GESTOR (SUPLENTES) Amadeu Oliveira, Bernard da Costa Teixeira, Cleide Brandão Alvarenga, Gustavo do Carmo Azevedo, Leonardo Soares, Luís Olavo Nezello, Luiz Carlos Lang, Lusirlei Albertini, Márcio Castelo Branco Gonçalves, Nilson Oliveira Filho, Otávio Meira Lins e Tércio Gritsch. CONSELHO FISCAL Alberto Faria, Alvani Laurindo, Eduardo Correa, Jacqueline Moraes de Mello, Marco Aurélio Gonçalves Nazaré e Ricardo Gondim Espírito Santo. CONSELHO FISCAL (SUPLENTES) Aleksander Rangel, Eládio Paniágua Jr., Márcio Campos Palmerston, Marco Antonio de Almeida Lemos, Miguel Ferreira Júnior e Rodrigo Selbach. CONSELHO CONSULTIVO Adriano Donzelli, José Zuquim Militerno e Paulo Gaba Jr. ABLA JOVEM Claudio Schincariol Neto, Daniel Huss, Jaqueline Denadai, Maytê Rangel, Paulo Ricardo, Rafael Maciel, Rodrigo Reda e Saulo Fróes Júnior. COORDENAÇÃO GERAL Marconi Dutra, Jorge Machado e Olivo Pucci. PUBLICIDADE Jorge Pontual e Francine Evelyn (11) 5087-4100. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS LOCADORAS DE AUTOMÓVEIS – ABLA Site: www.abla.com.br E-mail: abla@abla.com.br São Paulo: Rua Estela, 515 – Bloco A – 5º andar – CEP 04011-904 – (11) 5087.4100. Brasília: SAUS Quadra 1 – Bloco J – edifício CNT sala 510 – 5º andar – Torre A – CEP 70070-010 – (61) 3225-6728. COORDENAÇÃO EDITORIAL Em Foco Comunicação Estratégica E-mail: emfoco@emfoco.net (11) 3816.0732 Editor: Nelson Lourenço Textos: Nelson Lourenço, Ana Cândida Pena, Victória Bernardes Aurea Figueira, Kaiqui Macaulay Arte: Yvonne Saruê Fotos: Divulgação ABLA, exceto quando mencionado Tiragem: 3.500 exemplares Impressão: Duograf A Revista Locação não se responsabiliza pelas opiniões emitidas nos artigos assinados.

Curta nossa página no Facebook facebook.com/ ablabrasil

Permitida a reprodução das matérias, desde que citada a fonte.

6

Siga-nos no Twitter twitter.com/ Abla_br


Editorial

Investir no futuro CAROS LEITORES, No momento em que a Revista Locação número 73 chegar à mão de todos vocês, a ABLA já terá deflagrado seu grande projeto de qualificação profissional, e os primeiros participantes dessa iniciativa estarão capacitados para trazerem ao seu dia-a-dia nas locadoras um novo conhecimento, em diferentes áreas. A UNIABLA marca o compromisso que a entidade possui com a evolução de seus associados. Oferecer treinamento de alto nível, seja por meio da plataforma de ensino a distância, seja por atividades presenciais, tornou-se parte do DNA da ABLA, que dessa forma valoriza o ser humano que está por trás do desenvolvimento constante do setor. A Revista Locação faz parte desse esforço, ao selecionar temas de imediato interesse para suas matérias e privilegiar assuntos que são realmente desafiadores para o empresário e seus colaboradores, tanto nas modalidades rent a car e terceirização, quanto em especialidades tão diversas como seguros, tecnologia e marketing. A cada edição procuramos trazer informação atualizada e específica para o mercado de locação de veículos, contribuindo para elevar a capacidade de nossos leitores enxergarem as crescentes demandas do negócio, no que se refere a sua competitividade e representatividade. Em breve, pretendemos registrar também na revista as experiências bem-sucedidas das locadoras em inovação empresarial, conforme relatamos na página 44 desta edição. São novidades que chegam para tornar a publicação ainda mais antenada com seu público e com o futuro da atividade de locação de veículos no país.

Os Editores

7


Na Frente

ABLA define data e local do XIII Fórum do Setor de Locação Evento acontece no Holiday Inn, em São Paulo, nos dias 13 e 14 de setembro

Movimentação no último Fórum ABLA, realizado em 2015: mudanças positivas continuam na edição deste ano

O HOTEL HOLIDAY Inn do Parque Anhembi, em São Paulo (SP), foi o local escolhido para sediar o XIII Fórum Nacional do Setor de Locação de Veículos, nos dias 13 e 14 de setembro. Promovido e organizado pela ABLA, o Fórum é o mais importante evento do setor na América Latina. Sua programação temática abrange assuntos 100% voltados para empresários e profissionais que atuam com o aluguel de veículos no Brasil. Neste ano, o Fórum manterá algumas soluções já adotadas na edição anterior (2015), quando o evento foi totalmente reformulado para estimular o intercâmbio de ideias. Destaque

para as mesas de negócios com parceiros comerciais das locadoras expondo produtos e serviços voltados para gerar benefícios diretos para as empresas do setor. Esses expositores estarão em contato com todos os participantes, e não terão necessidade de fazer nenhum investimento para montagem de estandes ou aluguel de equipamentos. Paulo Nemer, presidente do Conselho Nacional da ABLA, destaca que 2017 é um ano em que devemos escolher bem as opções para os investimentos de divulgação das marcas. “Assim, o Fórum ABLA será uma das melhores opções para empresas interessadas em mostrar

8


Na Frente os produtos, serviços e diferenciais que podem oferecer às locadoras”, avalia. “Os empresários e profissionais do setor, que virão de todo o Brasil para esse encontro, ficarão frente a frente com nossos principais fornecedores, gerando oportunidades efetivas.” Saulo Fróes, conselheiro gestor responsável pela área de eventos da associação, acrescenta que, definidos local e data do Fórum, a ABLA agora dá a largada para chamar a atenção de todo o setor “para que tenhamos uma presença recorde de empresários e profissionais de locadoras no evento”. Em cada estado da federação, os diretores regionais da ABLA farão ações de “corpo a corpo” com as locadoras, divulgando e estimulando a presença no evento. “Essa é a melhor maneira de ajudar a transformar o XIII Fórum Nacional em um sucesso ainda maior em termos de participantes”, avalia Fróes. A definição do time de palestrantes, assim como a disponibilização das mesas de negócios para as empresas interessadas, deverá ser iniciada em breve. A data oficial de abertura das inscrições também será divulgada pela ABLA, assim que estabelecida pelo Conselho Gestor da associação.

“O Fórum ABLA é uma das melhores opções para empresas interessadas em mostrar os produtos, serviços e diferenciais que podem oferecer às locadoras”

O hotel Holiday Inn do Parque Anhembi: local do Fórum tem fácil acesso, na zona norte de São Paulo

9


Na Frente

Locação de Veículos ganha força na Câmara Interamericana de Transportes ABLA e FENALOC representam o setor em assembleia internacional

Representantes de 18 países da América Latina se reuniram na sede da ONU

10


Na Frente

Igualdade de condições entre os meios de transporte foi um dos temas da reunião

O SETOR DE ALUGUEL de veículos do Brasil esteve na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, onde foram debatidos e defendidos os direitos das empresas locadoras sobre temas diretamente relacionados à atividade de locação no Brasil. No encontro, ABLA e FENALOC representaram o setor, dentro da Assembleia da Câmara Interamericana de Transportes (CIT). A transformação das contratações do transporte, por exemplo, fez parte da assembleia. “Atualmente, são exigidas das empresas de locação, por exemplo, condições para habilitação profissional de motoristas e para recolhimento de impostos e taxas”, diz Paulo Nemer, presidente do Conselho Nacional da ABLA. “Nesse sentido, a regulamentação precisa passar a ser aplicada também para os modais acionados por aplicativos dos telefones celulares”. Paulo Gaba Jr., presidente da FENALOC e que também preside a comissão de aplicativos da Confederação Nacional do Transporte (CNT), destacou exatamente esta necessidade de regulamentação dos aplicativos, argumentando sobre as regras e condições que já existem para empresas de transporte estabelecidas. “Usamos a resolução número sete da própria CIT, da qual ABLA e FENALOC são signatárias”, diz ele. “Essa resolução exige igualdade de condições para os meios de transporte”. Para Paulo Miguel Jr., conselheiro gestor da ABLA e também diretor jurídico da FENALOC, o tratamento de

isonomia que ainda não chegou aos “aplicativos” é uma questão urgente. “Não podemos esquecer que o setor de locação é uma peça essencial da indústria automotiva”, lembra. “Somos o segmento que mais compra veículos, mas ao mesmo tempo somos onerados pelos impostos, leis trabalhistas e por responsabilidades civis e criminais”. No encontro, também foi assinada uma resolução em apoio à moção da CNT para atender denúncias feitas pela confederação brasileira. A CNT alertou a Comissão dos Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA) sobre a falta de ação do Governo Brasileiro a respeito da violência sofrida pelos profissionais do transporte no Rio de Janeiro.

15 º ANIVERSÁRIO A Câmara Interamericana de Transportes é formada por organizações de 18 países da América Latina. Nessa assembleia, ao lado da ABLA e da FENALOC, todas celebraram o 15 º aniversário da CIT na sede das Nações Unidas, em trabalho conjunto com a Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD). A próxima edição da Assembleia Geral da CIT será realizada na cidade de Arequipa, no Peru, nos dias 22 e 23 de novembro de 2017.

11

11


Na Frente

Agentes de viagem mais próximos das locadoras Encontro sobre oportunidades da locação acontece no dia 29 de setembro

Vista da feira em 2016

Todos os palestrantes abordarão assuntos ligados ao mercado turístico e em evidência no atual momento do país e na esfera mundial.

A ABLA PARTICIPA da programação da Vila do Saber, durante a 45º edição da ABAV Expo Internacional de Turismo, que irá se realizar de 27 a 30 de setembro de 2017, no Expo Center Norte, em São Paulo. A palestra “Locando veículos pelo mundo - o que vender; o que comprar. Ampliando Receitas” faz parte do ciclo de encontros da Vila relacionado ao eixo de Gestão. O diretor comercial da associação, Jorge Pontual, fará a apresentação, que acontece no dia 29 de setembro, das 14h às 14h45min, com 30 minutos de explanação e outros 15 minutos para o debate, com perguntas e respostas. A Vila do Saber ganha, a cada ano, maior projeção, ao trazer uma ampla oferta de temas e conteúdos de grande relevância prática aos profissionais que integram todo o trade turístico, contribuindo assim para sua qualificação e atualização mercadológica. Para 2017, a Vila do Saber foi concebida em um projeto integrador, em formato de arena, subdividida em seis vetores distintos: Inovação, Gestão, Segmentação, Promoção & Destinos, Tecnologia e Mesas-Redondas.

Atividade na Vila do Saber

Serviço: ABAV Expo Internacional de Turismo / Vila do Saber 27/09/2017 até 29/09/2017 Palestra ABLA – Locando veículos pelo mundo: o que vender; o que comprar. Ampliando Receitas Local: Expo Center Norte Endereço: Rua José Bernardo Pinto, 333 - Vila Guilherme Cidade: São Paulo - SP Site do Evento: www.abavexpo.com.br E-mail do Evento: visit@abavexpo.com.br

12


Capa

UNIABLA Capacitação para associados A capacitação sempre foi uma prioridade da ABLA. Nos últimos anos, várias iniciativas promovidas pela entidade levaram cursos e qualificações importantes para seus associados em todo o país. Agora, esses esforços estarão concentrados e organizados na UNIABLA – Universidade Corporativa do Setor de Locação de Veículos. Acompanhe nas próximas páginas como serão ofertados os cursos, presenciais ou a distância (EAD), que já estão sendo oferecidos por meio dessa inédita iniciativa no mercado de locação.

14


Capa

PLANTANDO O SABER

Associados participaram de aula-piloto da UNIABLA em São Paulo

SENAT (Serviço Social do Transporte/Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte) e Fepese (Fundação de Estudos e Pesquisa Socioeconômicos). Todas possuem um histórico de atuação conjunta com a ABLA, e agora reeditam a parceria na nova universidade corporativa. “Serão cursos conduzidos a seis mãos”, diz Faustino. “Já havíamos realizado uma parceria em qualificação a distância com a ABLA muito exitosa e com grande aceitação”, lembra o superintendente da Fepese, Altair de Melo. A instituição foi escolhida pela CNT por licitação para realizar toda a parte estrutural dos cursos. “Seremos responsáveis por toda a tecnologia nos novos cursos EAD, incluindo seu desenvolvimento, conteúdo e produção das videoaulas”, explica Altair. O SEST/SENAT, por sua vez, fica com a parte operacional, hospedando os cursos na plataforma EAD e também pelo acompanhamento dos alunos ao longo das atividades.

HÁ TEMPO de plantar e tempo de colher. No caso da educação corporativa, o ideal é a semeadura contínua, para que haja sempre profissionais qualificados a fim de atender às demandas de um mercado cada vez mais competitivo. A UNIABLA – Universidade Corporativa do Setor de Locação de Veículos foi idealizada para oferecer cursos de capacitação de forma perene. “Um dos diferenciais da iniciativa é que teremos uma agenda constante de cursos com inscrições abertas a todos os interessados. Não será preciso terminar uma turma para começar outra. A plataforma EAD pode ser acessada a qualquer momento, de acordo com a necessidade de qualificação que se apresente em um determinado momento no dia-a-dia da locadora”, explica o conselheiro gestor Carlos Faustino, que coordena a implantação do projeto em nome da ABLA. A associação conta com parceiros importantes nessa empreitada: CNT (Confederação Nacional do Transporte), SEST/

15


Capa

Os custos são absorvidos pela CNT, que adotou o projeto como parte de sua ampla política de qualificação profissional dedicada à área de transportes. Caberá à ABLA administrar as inscrições de associados. Segundo Faustino, a UNIABLA chega com essa experiência de milhares de horas/ aula já realizadas em outras ocasiões, o que proporcionou aos organizadores um aprendizado bastante útil para a atualização dos programas dos cursos. “Nós identificamos características importantes para formatar as qualificações oferecidas agora. Chegamos à conclusão, por exemplo, de que os cursos tinham originalmente uma duração excessiva, o que poderia provocar desistências. Passamos então para 40 horas regulares adotadas no âmbito atual do EAD”, conta o conselheiro da ABLA. Inicialmente, a UNIABLA oferecerá cinco cursos EAD e três presenciais. As opções são: Competências Gerais, Gestão de Frotas, Atendimento Eficaz Operacional, Vendas com Qualidade, Gestão em Administração e Finanças (EAD) e Empreendedorismo, Contabilidade para não-contadores e Licitações (presenciais). A expectativa com relação ao primeiro ano de atividade é grande. Apenas no modelo EAD, existe um potencial para se formar mais de cinco mil pessoas até o final do próximo ano, de acordo com estimativas da ABLA e da Fepese. Os cursos EAD serão disponibilizados a partir de setembro, e os presenciais estão sendo realizados de acordo com um calendário nacional (veja em www.abla.com.br).

Altair, da Fepese: reeditando a parceria

ESPECIALISTAS EM EAD Responsável pela produção do conteúdo dos cursos EAD da UNIABLA, a Fundação de Estudos e Pesquisas Sócio–Econômicos (Fepese) é uma fundação de direito privado, sem fins lucrativos e de utilidade pública. Apresenta uma extensa folha de serviços prestados à comunidade técnico-científica-empresarial e governamental brasileira. É reconhecida por sua tradição e competência, aliada à eficácia e à eficiência de atuação em sua especialidade. A sede da Fepese está localizada no Campus Universitário da UFSC, em Florianópolis. As instalações estão entre as mais modernas, com toda a infraestrutura em tecnologia da informação ao alcance de seus usuários. “A Fundação trabalha desde 2003 com educação a distância, e vem se aprimorando ano após ano para atender a demandas que surgem, como por exemplo o uso do smartphone no aprendizado. Temos uma história inovadora, pioneira no Brasil, com laboratórios avançados”, lembra o superintendente da Fepese, Altair de Melo.

AS NOVIDADES DO PROJETO

. Turmas abertas de maneira constante na modalidade EAD

. Possibilidade de fazer o curso a partir do celular

. Titulação

única em todos os cursos pela UNIABLA, com certificados emitidos pelo SEST/SENAT e Fepese

16


Capa

CURSOS A DISTÂNCIA Cinco opções profissionalizantes em EAD, começando pelo básico (Competências Gerais)

Carlos Faustino: iniciativa a seis mãos

EM ABRIL, instrutores do sistema SEST/SENAT de todo o país (27 localidades) se reuniram em Brasília para realizarem um treinamento com a ABLA sobre o Mercado de Locação de Veículos. Ao longo de dois dias, eles puderam conhecer melhor o universo das locadoras, e muitos complementaram o aprendizado em empresas de aluguel de veículos em suas respectivas regiões.

Competências Gerais Público alvo: Todos os profissionais que atuam no setor de locação de veículos. Objetivo do curso: Curso básico de preparação dos profissionais para se capacitarem ao aproveitamento das competências específicas a serem abordadas nos demais módulos da Universidade ABLA. Trata-se de mostrar o conjunto de conhecimentos, habilidades, comportamentos e aptidões que possibilitam maior probabilidade de obtenção de sucesso na execução das atividades propostas dentro de uma locadora, que são essenciais para o sucesso das empresas diante de um mercado de crescente competição. O curso é regido para dotar os participantes com os níveis de competências necessários para começarem a investir com mais ênfase em seu desenvolvimento dentro do setor.

O encontro fez parte da preparação dos cursos profissionalizantes EAD da UNIABLA, que serão oferecidos a todos os profissionais que atuam no setor de locação de veículos, a princípio em cinco opções: Competências Gerais (básico), Gestão de Frotas, Atendimento Eficaz Operacional, Vendas com Qualidade, Gestão em Administração e Finanças. Conheça um pouco mais sobre cada uma dessas modalidades de cursos.

17


Capa

Gestão de Frotas

Vendas com Qualidade

Público alvo: Todos os profissionais que atuam no setor de locação de veículos.

Público alvo:Todos os profissionais que atuam no setor de locação de veículos.

Objetivo do curso: Com foco em frotas leves, o conteúdo visa transformar e elevar o padrão desta importante etapa da gestão de uma locadora de veículos. O curso aprofunda estratégias para melhor entender o cenário da gestão de frotas e sua integração com os diversos setores de cada empresa, incluindo o diagnóstico de frota, a sustentabilidade econômica, a criação e validação de uma política de frotas, passando também pelas questões legais e estruturais. Basicamente, envolve a gestão operacional, os custos, eficiência, mensuração e a prevenção de acidentes com os veículos das locadoras.

Objetivo do curso: O conteúdo programático leva em consideração que boa parte das atividades de qualquer profissional que atua com a locação de veículos envolve vendas, em maior ou menor grau, seja de um produto ou de uma ideia. A partir disso, o curso foi criado para proporcionar vantagens competitivas, em um mercado de locação cada vez mais plural e diversificado. Nesse ambiente de negócios, não basta vender melhor que a locadora vizinha: é preciso vender a atividade e o conceito de servir às necessidades cada vez mais complexas dos clientes desse setor.

Atendimento Eficaz Operacional

Gestão em Administração e Finanças

Público alvo: Todos os profissionais que atuam no setor de locação de veículos.

Público alvo: Todos os profissionais que atuam no setor de locação de veículos.

Objetivo do curso: Mostrar que atender bem está relacionado a poupar esforços do cliente, ampliando o número de locadoras preparadas para promover um atendimento de qualidade. O curso expande o conceito de que é essencial que as locadoras usem diferentes canais para promover facilidades de atendimento, partindo do princípio que, mesmo com os crescentes avanços tecnológicos, a eficácia no atendimento sempre estará bastante vinculada à capacitação dos profissionais. Trata-se de um processo operacional que precisa ser claro, rápido e preciso, relacionando no curso o fato de que o atendimento afeta diretamente a lucratividade das locadoras.

Objetivo do curso: O curso concentra-se na gestão do dinheiro e nas implicações financeiras decorrentes dessa gestão. Trata-se de discutir as questões mais relevantes acerca das finanças das locadoras, passando pela análise de projetos, das opções do mercado financeiro e dos resultados operacionais das locadoras. O foco é em profissionais e empresários do setor que desejam ampliar seus conhecimentos e habilidades a partir de um aprofundamento no processo de gestão financeira, que envolve conceitos essenciais como a análise de custos, dos riscos, os tributos e os investimentos para o aperfeiçoamento do negócio.

18


Capa

CURSOS PRESENCIAIS Agenda terá 52 datas de atividades espalhadas por todo o país

Curso-piloto de Contabilidade para não-contadores, em São Paulo

A UNIABLA confirma 52 datas de cursos presenciais a serem realizados ainda em 2017, em 30 cidades diferentes. Cada uma delas terá duas atividades escolhidas pelos diretores regionais da ABLA entre três opções de cursos diferentes: Empreendedorismo e Liderança, Contabilidade para não-contadores e Licitações. Todas essas modalidades podem ser concluídas em oito horas, ou seja, um dia de curso. Elas foram determinadas a partir de pesquisas realizadas pela ABLA com os participantes de qualificações oferecidas anteriormente. “São capacitações de grande apelo e totalmente

voltadas para as atuais necessidades das locadoras. Empresários que se inscreverem terão a oportunidade de ter uma qualificação atualizada e de aplicação imediata nos negócios”, explica o conselheiro Carlos Faustino. As locadoras associadas à ABLA receberão alertas com bastante antecedência sobre as inscrições para os cursos presenciais. A expectativa é formar mais de mil pessoas até o final deste ano, apenas nessa modalidade. Em 2018, novos cursos podem ser agregados à agenda. “O projeto foi concebido para termos essa flexibilidade”, completa Faustino.

19


Capa

Empreendedorismo

Contabilidade

Público alvo: Gestores, Executivos e diretores de locadoras. Objetivo do curso: O conteúdo foi pensado para explicar de forma clara e prática o que significa ser empreendedor no mundo atual. O curso abordará conceitos essenciais para a busca e para a manutenção do desenvolvimento empresarial, evitando que empresários e profissionais fiquem presos à “zona de conforto”, sem criatividade, inovação ou vontade de agir. Trata-se de abordar a crescente importância de assumir responsabilidades, praticar autocrítica e de adquirir efetivamente o controle do comportamento proativo como características do empreendedorismo moderno.

Público alvo: Gestores, executivos e diretores de locadoras Objetivo do curso: Curso tributário-contábil e dirigido, em especial, aos empresários que queiram obter informações desde a constituição correta de uma locadora de veículos, até saber interpretar as informações contidas em relatórios contábeis. A finalidade é dar informações de forma realista, simples, clara e de fácil entendimento. O objetivo não é formar profissionais em contabilidade, mas sim proporcionar uma visão geral sobre o assunto para empresários e profissionais que atuam na locação de veículos. A partir dos conceitos fundamentais da contabilidade, os conhecimentos são apresentados principalmente sob o ponto de vista prático.

Licitação

Piloto aconteceu em São Paulo

Público alvo: Gestores, Executivos e diretores de locadoras. Objetivo do curso: Conhecer, analisar e discutir pontos fortes e fracos da equipe técnica e gerencial do setor nas licitações públicas. O curso visa elevar a consciência sobre o atual estágio de capacitação para participação em processos licitatórios, bem como sobre as verdadeiras necessidades para elevar a eficácia dessa participação e realização. O conteúdo também apoia de maneira decisiva os profissionais das empresas no atendimento às obrigações burocráticas e legais previstas nos processos, a partir de exercícios sobre a realidade das licitações que envolvem o setor de locação de veículos.

Com a presença do coordenador da UNIABLA, Carlos Faustino, aconteceu no dia 22 de junho, na sede da associação, em São Paulo, um piloto para dar início ao calendário oficial de cursos presenciais em todo o país. A qualificação escolhida para inaugurar extraoficialmente a universidade corporativa da ABLA foi o curso sobre Contabilidade para não-contadores, ministrado pelo especialista Paulo Henrique. “O piloto serviu para comprovarmos claramente que empresários, executivos e gestores querem ter um aprofundamento na questão de tributos. Todos puderam saber o quanto de fato vai para o fisco em sua atividade”, comentou Paulo, após a realização do curso. “Acreditamos que esta qualificação será um grande sucesso, devido à carência por informações de fácil entendimento sobre o assunto”, completou.

20


Capa

Diretores Regionais escolhem tópicos para qualificação Nilson Oliveira – Distrito Federal Cursos: Contabilidade e Licitação

O calendário de cursos presenciais da UNIABLA foi definido a partir da indicação dos Diretores Regionais da entidade sobre quais seriam os temas de maior interesse para qualificação em suas respectivas regiões. A Revista Locação conversou com alguns diretores sobre a expectativa em torno dos cursos:

“Nós escolhemos esses cursos porque são de profundo interesse dos nossos associados. Contabilidade para gestores é uma reivindicação antiga nossa para a ABLA. É uma demanda de extrema importância. Já Licitação abrange um número maior de locadoras interessadas, vai ser muito útil para os associados, principalmente aqui no Distrito Federal. Quem já tem conhecimento vai ter a oportunidade de reciclá-los. Estamos otimistas para o início do curso. Já começamos a abordagem informalmente, e os associados demonstraram grande interesse. Esperávamos esse curso há muito tempo.”

Aleksander Rangel – Piauí/Ceará Curso: Contabilidade

“Escolhemos esse curso porque identificamos que os empresários aqui da região têm muita carência de conhecimento nessa área. Acabam deixando tudo para o contador. Nossa expectativa é muito boa. Todos os cursos oferecidos pela ABLA despertam um interesse massivo dos associados aqui na região, assim como os parceiros e não-associados que são convidados e também sempre comparecem. Muitas vezes, nessas ocasiões, conquistamos novos associados para a ABLA.”

Márcio Palmerston – Goiás Curso: Contabilidade

“A escolha foi democrática: Nós apresentamos os cursos que a ABLA nos ofereceu como opção a todos os associados aqui de Goiás, e depois realizamos uma votação para selecionar qual interessava à maioria. Foi a forma que encontramos de escolher um curso que atendesse à nossa necessidade. Nós esperamos que esse curso contribua muito, principalmente na administração das empresas. Todos os cursos que a ABLA promoveu por aqui tiveram êxito, por trazer temas importantes, e que não eram de fácil acesso.”

Leonardo Soares – Minas Gerais Curso: Licitação

“Escolhemos o curso de Licitação porque este é um tema que gera muito questionamento, sempre aparecem muitas dúvidas por parte dos associados da região, além de existir pouca informação didática disponível sobre o assunto. Por isso, identificamos uma necessidade de maior conhecimento dessa área. Nós esperamos que o curso seja muito proveitoso e que tenha um grande número de inscritos, assim como todos os cursos que a ABLA oferece aqui. Neste caso, nossa expectativa é maior, já que se trata de um tema inédito.”

21


Jurídico

Responsabilidade por danos a terceiros durante uso dos veículos alugados Ana Gabriela Malheiros de Oliveira*

A RESPONSABILIDADE da locadora de veículos por danos causados a terceiros, durante o uso do carro locado, é uma discussão que se estende em nossos tribunais. A usual argumentação das empresas do setor envolve a ilegitimidade de figurarem no polo passivo das demandas indenizatórias relacionadas aos acidentes causados por aqueles que locam veículos e geram danos a outros.

Nossos tribunais possuem número elevado de ações indenizatórias tratando do tema, já chegando inclusive a ser objeto de discussão na instância máxima do ordenamento jurídico brasileiro. O Supremo Tribunal Federal (STF) reiteradamente julgou existir responsabilidade SOLIDÁRIA entre a locadora e o locatário pelos danos causados a terceiros no uso de carros locados.

22


Jurídico

“A responsabilidade da locadora de veículos por danos causados a terceiros, durante o uso do carro locado, é uma discussão que se estende em nossos tribunais."

Este entendimento, inclusive, é objeto da súmula 492 do STF, que dispõe no seguinte sentido: “A empresa locadora de veículos responde, civil e solidariamente com o locatário, pelos danos por este causados ao terceiro, no uso do carro locado”. Nestes termos, vemos que a posição hoje consolidada na jurisprudência nada mais é do que reflexo de outra posição que se repete nos tribunais pátrios, que insistem que o proprietário do veículo (ainda que não locadora) guiado por outrem responde solidariamente a ele pelos danos causados à terceiros. Isso significa que aquele que teve prejuízo de ordem material ou moral em razão de acidente causado pelo condutor, pode requerer a reparação deste prejuízo tanto do condutor quanto do proprietário do veículo (e até dos dois ao mesmo tempo). Em nosso entendimento, essa súmula não se encontra em consonância com as normas que regem o direito brasileiro, pois ignora o fato de que está a se responsabilizar uma pessoa pelo simples fato de ser proprietário de um bem que, na posse de terceiro, causou danos a outrem. Parece óbvio que, em casos como este, o locador do veículo não passa também de vítima da negligência, da imprudência e/ou da imperícia do condutor no momento do acidente, motivo pelo qual ainda entendemos ser possível que a locadora seja declarada parte ilegítima para figurar no polo passivo de casos como estes.

De qualquer modo, há que se reconhecer ainda que a Suprema Corte acertou ao limitar esta responsabilidade à esfera civil, isentando o proprietário do veículo de uma responsabilidade criminal sobre acidente causado pelo condutor do veículo, por exemplo. Há que se considerar, ainda, que o entendimento do STF, mesmo que consolidado por meio de súmula, não possui efeito vinculante, ficando os juízes das instâncias inferiores livres para decidirem de modo contrário ao entendimento da Suprema Corte se assim lhes for demonstrado que é o correto a ser feito. Não se trata, portanto, de decisão imutável ou norma irrevogável, mas enquanto este for o posicionamento do STF, o melhor que as locadoras de veículos podem fazer para resguardarem seus interesses é deixar claro ao locatário quais são suas responsabilidades. Mais ainda, é recomendável colher manifestação expressa do mesmo, afirmando que ele se responsabiliza por reembolsar a locadora por todos os prejuízos que sofrer em decorrência dos atos do condutor. *Ana Gabriela Malheiros de Oliveira é sócia da Área Consultiva & Contratual do escritório Vigna Advogados Associados, com formação pela UNESP – Universidade Estadual Paulista e pós-graduada em Direito Empresarial na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC-SP.

23


Entrevista

Clésio Andrade: promovendo o desenvolvimento profissional dos trabalhadores do setor

Reformas necessárias A retomada do crescimento

Nesta entrevista, o presidente

é assunto recorrente entre

da CNT, Clésio Andrade, celebra

as principais entidades

o novo projeto de qualificação

empresariais do país. Na CNT

da ABLA que a entidade apoia,

(Confederação Nacional do

e fala também sobre as reformas

Transporte), isso não poderia

que o Brasil precisa realizar

ser diferente.

para voltar a crescer.

24


Entrevista

REVISTA LOCAÇÃO: A CNT está apoiando um grande esforço de qualificação profissional pelo método EAD no setor de locação de automóveis, a UNIABLA. Por que a entidade valoriza iniciativas como essa? O investimento em qualificação é uma das prioridades da CNT? Quais são os planos da entidade para o sistema SEST/SENAT?

“O Brasil precisa de fortes investimentos em infraestrutura para voltar a crescer de forma

Clésio Andrade: Dentro do Sistema CNT, cabe ao SEST SENAT atuar na formação e na qualificação profissional dos trabalhadores do transporte e também oferecer assistência nas áreas de saúde, esporte, lazer e cultura aos profissionais e seus familiares. O SEST SENAT está trabalhando em parceria com a ABLA para oferecer treinamentos a distância aos profissionais do setor de locação de automóveis. Serão cinco cursos, disponibilizados ainda neste ano, que abordarão temas como atendimento eficaz, gestão de frota, qualidade nas vendas, gestão em administração e finanças e também outras competências da área. Com esses treinamentos, o SEST SENAT ampliará a sua atuação, cumprindo ainda mais a missão de promover o desenvolvimento profissional dos trabalhadores do setor. O segmento de locação é muito importante para a economia do país e para a qualidade de vida da população. Contribui com a geração de milhares de empregos. Os treinamentos a distância representam mais uma oportunidade para que o

sustentável”

trabalhador possa se qualificar. Até o final deste ano, esperamos atingir a oferta de 200 cursos gratuitos em diferentes áreas de atuação do transporte, além dos mais de 300 cursos presenciais. A qualificação é um dos principais fatores para manter os profissionais atualizados e competitivos. REVISTA LOCAÇÃO: Em relação ao cenário brasileiro, como classifica o momento atual? Quais são as principais necessidades do país em infraestrutura de transporte? Clésio Andrade: O momento atual requer muita atenção para que os sinais de retomada da economia se consolidem, abrindo um novo ciclo de desenvolvimento nacional. Para isso, o governo e o Congresso Nacional devem persistir nas reformas de modernização do Estado brasileiro. A aprovação do teto de gastos, a terceirização e a reforma do Ensino Médio foram passos importantes. Agora, é preciso aprovar as reformas Trabalhista e Previdenciária. Para o Brasil voltar a ser um mercado atraente ao investidor, é preciso oferecer oportunidades e segurança jurídica. É isso que as reformas trazem. O Brasil precisa de fortes investimentos em infraestrutura para voltar a crescer de forma sustentável. O Plano CNT de Transporte e Logística indica mais de 2.000 projetos essenciais para os modais rodoviário, ferroviário, aquaviário e aéreo.

“O segmento de locação é muito importante para a economia do país e para a qualidade de vida da população”

25


Entrevista

“Estimamos uma demanda de investimentos de R$ 240 bilhões em ações de melhoria da mobilidade urbana no Brasil”

Esse estudo mostra que são necessários quase R$ 1 trilhão em investimentos em infraestrutura. Na área de rodovias, onde ocorre a maior movimentação de cargas e de passageiros, a demanda de investimentos é superior a R$ 290 bilhões para adequar a malha. A capacidade dos portos e aeroportos também precisa ser ampliada e deve haver ainda expansão das hidrovias e ferrovias. Os investimentos precisam ocorrer em parceria com a iniciativa privada para que sejam feitos no volume e na rapidez que o país exige.

REVISTA LOCAÇÃO: Para o futuro, quais são as maiores preocupações? Como o tema “mobilidade urbana” está sendo tratado pela CNT? Clésio Andrade: Ao pensar no futuro do país, é fundamental resolver os entraves logísticos que impedem o crescimento econômico nacional. Repito: o Brasil precisa de fortes investimentos em infraestrutura para conseguir produzir mais, escoar a produção com menor custo e conquistar maior competitividade tanto no mercado interno, quanto externo. O investimento em infraestrutura abre caminhos para o desenvolvimento regional e para o combate à pobreza, com efeitos imediatos na geração de emprego e renda. É, portanto, uma condição estratégica para o desenvolvimento econômico e social. Com relação à mobilidade urbana, os estudos da CNT mostram, mais uma vez, a necessidade de fortes investimentos em infraestrutura para ampliar a oferta de transporte coletivo de passageiros rodoviário e metroviário. Também é importante abrir corredores exclusivos para ônibus e melhorar a qualidade das vias. Essas são medidas que vão desafogar o trânsito e melhorar a qualidade de vida nas grandes e médias cidades brasileiras. Outra demanda é a melhoria das condições de tráfego para o transporte de cargas nos grandes centros urbanos, pois a falta de infraestrutura tem impacto.

REVISTA LOCAÇÃO: Quais itens da atual pauta de reformas do governo são mais críticos para o setor de transporte? Reforma trabalhista é um exemplo? Clésio Andrade: Sim. O Brasil tem 14 milhões de desempregados. Precisamos urgentemente de uma legislação trabalhista que incentive o investimento produtivo e a geração de empregos. A CNT defende a aprovação imediata da Reforma Trabalhista e a continuidade das discussões sobre a Reforma Previdenciária, no Congresso Nacional. Como já dito, as reformas estruturantes criam oportunidades e trazem a segurança jurídica necessária à retomada de fortes investimentos em infraestrutura. É assim que o Brasil voltará a crescer, gerando mais empregos, renda e qualidade de vida para todos.

26


B3. INTEGRAMOS PARA POTENCIALIZAR. Empresa de infraestrutura de mercado de classe mundial, a B3 nasce para integrar o mercado e potencializar negócios. B3. Somos Brasil. Somos Bolsa. Somos Balcão. B3: o resultado da combinação entre a BM&FBOVESPA e a CETIP. Saiba mais em B3.COM.BR


Terceirização

Locação de pesados está em alta Mercedes-Benz e Volkswagen foram as principais marcas deste segmento emplacadas pelo setor, de acordo com o último Anuário Brasileiro de Locação de Veículos

No final de maio, por exemplo, a Mer-

A LOCAÇÃO DE VEÍCULOS pesados teve um desempenho surpreendente no

cedes-Benz vendeu 534 caminhões para

Brasileiro do Setor de Locação de Veí-

que mobilizou a frota para uma empresa do

último ano, segundo os dados do Anuário

operações “fora de estrada” de uma locadora

culos de 2017. Cerca de 9.960 veículos

setor canavieiro do país.

caminhões) foram vendidos para o setor de

lizou um workshop para associados ABLA,

A MAN/Volkswagen, por sua vez, rea-

da categoria de pesados (principalmente locação no Brasil em 2016.

chamado “Descubra Novos Negócios”, e

retomada na venda de caminhões e ônibus

entidade para alavancar maior presença no

confia no estreitamento da parceria com a

Para representantes do mercado, a

pode ser indício de recuperação econômica.

segmento de locação.

Volkswagen foram as que mais se desta-

representantes das duas montadoras sobre a

19,34% das vendas.

próximas páginas.

A Revista Locação conversou com os

As montadoras Mercedes-Benz e MAN

realidade do mercado. Confira a seguir, nas

caram, com respectivamente 25,86% e

28


Terceirização

Executivos enxergam crescimento progressivo dos negócios com o setor

Antônio Cammarosano Filho é diretor de vendas da Volkswagen Caminhões e Ônibus

Roberto Leoncini é vice-presidente de Marketing & Vendas de Caminhões e Ônibus da Mercedes-Benz

“Clientes estão optando cada vez mais pelo segmento de locação, evitando os financiamentos com bancos para a compra de caminhões na renovação de frota.”

29


Terceirização

“Nos próximos quatro anos, o setor pode crescer mais do que cresceu na última década.”

e atribuições físicas adequadas para não comprometer sua durabilidade.

REVISTA LOCAÇÃO: De acordo com o Anuário Brasileiro do Setor de Locação de Veículos 2017 foram 9.963 veículos pesados (caminhões, principalmente) emplacados no setor de locação. Como a montadora avalia esses números? Enxerga uma boa oportunidade de negócios no segmento de locação?

Leoncini: O transportador que utiliza caminhões por meio de locação não precisa se preocupar com a gestão da frota de caminhões, em especial com a manutenção. Toda a parte de administração dos caminhões fica por conta da locadora.

Antônio Cammarosano, da MAN/Volkswagen: A Volkswagen enxerga crescimento progressivo no setor de locação. Muitos concessionários viram na locação uma saída para a crise e acabaram caindo em um dos melhores negócios que existe atualmente.

REVISTA LOCAÇÃO: Pesquisas indicam que pode estar chegando o momento de renovação dos veículos. Vocês creditam que isso pode ser um alento para o setor e, consequentemente, pode ser também uma oportunidade para as locadoras de pesados? Existe algum indício de que a intenção de compra pode aumentar nos próximos meses?

Roberto Leoncini, da Mercedes-Benz: Essa maior procura pelo segmento de locação está relacionada a facilidade/rentabilidade que esse formato de transação proporciona aos clientes durante suas operações de transporte.

Cammarosano: Muitas concessionárias revendedoras partiram para a locação e já descobriram que é um grande negócio. Estimamos que pelo menos nos próximos quatro anos o setor pode crescer mais do que cresceu na última década.

REVISTA LOCAÇÃO: O que a locadora deve levar em consideração para fazer a escolha certa dos veículos, lembrando que a locação nesse caso é sempre em regime de terceirização, em diferentes setores (agronegócio, logística, construção civil etc.)?

Leoncini: Os clientes estão optando cada vez mais pelo segmento de locação, evitando os financiamentos com bancos para a compra de caminhões na renovação de frota. Isso permite que os transportadores usem seus créditos para garantir mais produtividade com outros aspectos em suas operações.

Cammarosano: É necessário se atentar à finalidade daquele veículo. A locadora precisa escolher o caminhão com a resistência

30


Terceirização

Destaques da Frota Mercedes-Benz O Axor 3344 possui característica de extrema durabilidade e opera economicamente, atendendo aplicações urbanas e rodoviárias de curtas ou longas distâncias, com capacidade máxima de carga de até 24 toneladas. Reconhecido pela alta produtividade, força e robustez nas atividades off-road, como canavieira, madeireira, mineração e grandes obras de infraestrutura e construção civil.

Accelo 1016: Pode ser anexado carrocerias e baús, dependendo do segmento que a locadora atende. Com tração de 10 toneladas, potência máxima de 156 cavalos, 5 marchas, velocidade máxima de 115km/h. Por ser um Veículo Urbano de Carga (VUC), é ideal para circular em vias e avenidas.

Atego 2426: Pesando 23 toneladas, é um caminhão econômico e durável, independente da carga e finalidade, já que conta com seis marchas e também seis cilindros, possibilitando sua versatilidade tanto para centros urbanos quanto para viagens longas. A potência de 256 cavalos é responsável pelo veículo atingir a velocidade máxima de 120 km/h. Destaque também para o Atego 2730, que se destaca pela capacidade de transportar composições de caminhões plataforma a rodotrem, com capacidade para até 123 toneladas.

31


Terceirização

Destaques da Frota MAN/Volkswagen VW Delivery 8.160: Caminhão mais vendido do Brasil, destaca-se pela flexibilidade e adaptabilidade para o transporte de carga. Indicado para entregas urbanas com agilidade e rapidez nos serviços rodoviários de curtas e médias distâncias. Equipado com o motor Cummins ISF de 3,8 litros com potência de 160 cv.

VW Constellation 24.280: Indicado para serviços rodoviários de curta, média e longa distância e serviços que exigem alta disponibilidade. Equipado com motor MAN de 275 cv, traz a tecnologia de emissões EGR, que dispensa o uso do ARLA 32, gerando economia e facilidade para a instalação de equipamentos.

VW Delivery 10.160: Flexível para o transporte de cargas em diversas aplicações, a família Delivery conta com a agilidade que já se consolidou como referência no meio urbano e rodoviário. Modelo é equipado com o motor Cummins ISF de 3,8 litros com potência de 160 cv.

32


Terceirização

Workshop MAN/VW e ABLA abre novas oportunidades Evento ajudou a mostrar o potencial crescente de caminhões e ônibus dentro do setor de locação de veículos

Jorge Pontual, diretor comercial da ABLA: “iniciativa foi realizada para abrir novas perspectivas de negócios para os associados”

A MAN/VOLKSWAGEN Caminhões e Ônibus realizou, pela primeira vez, um workshop dedicado aos associados da ABLA que também abordou as oportunidades na locação de pesados no mercado brasileiro. O encontro teve presença significativa de empresários e aconteceu durante toda uma manhã, no hotel Gran Mercure Ibirapuera, em São Paulo (SP). Além de apresentações, o evento incluiu rodada de negócios com os participantes. Na prática, o workshop foi realizado com o total apoio da ABLA, em mais uma iniciativa de fortalecimento das parcerias comerciais que a associação mantém para benefício das locadoras associadas. Jorge Pontual, diretor comercial da ABLA, diz que o workshop “MAN/Volkswagen Caminhões

e Ônibus” foi realizado principalmente para abrir novas perspectivas. “Essa ação veio ao encontro de um dos principais objetivos da ABLA, que é o de ficar à disposição dos associados para prestar apoio no que for preciso em relação às parcerias comerciais que temos firmadas”. Na ABLA, as locadoras associadas encontram ajuda para compra de veículos, seguros, softwares, rastreamento, pneus, acessórios e diversos outros produtos e serviços, inclusive para a obtenção de melhores taxas junto a bancos privados e oficiais. “Queremos que as locadoras contem com a ABLA para facilitar o seu entendimento sobre essas formas de auxiliar o sucesso dos negócios, com foco em melhorar as receitas e reduzir custos”, complementa Pontual.

33


Rent a Car

O que muda com a nova CNH? Código de barras, marca d’agua e holografia são alguns dos 29 dispositivos de segurança que poderão ser conferidos em um aplicativo de celular no momento da locação

Mudanças já estão valendo desde maio para novas carteiras

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) implementou uma nova ferramenta para coibir falsificações e fraudes na Carteira Nacional de Habilitação, um sistema de QR Code. O código identifica a CNH com o auxílio do Lince, um aplicativo de celular que acessa fotos e informações do condutor a partir do Registro Nacional de Condutores Habilitados (Renach). A iniciativa está valendo desde o dia 1º de maio e já foi implementada em mais de 300 mil documentos em todo país. Para o motorista com a CNH dentro da validade, a obrigatoriedade só passa a valer na renovação do documento, sendo a estimativa do Denatran atingir 100% dos condutores brasileiros até 2022. O órgão informou, que tendo sido desenvolvido em software livre, não há razão para cobrança de taxas adicionais pelo novo modelo do documento. No entanto, a

emissão da CNH é estadual e seu valor definido autonomamente (o QR Code funciona a partir de um software livre chamado H264, capaz de identificar dados textuais e símbolos, além do reconhecimento de fotos). A tecnologia desenvolvida pelo Serpro, órgão de tecnologia em processamento de dados do governo, se tornou obrigatória nas novas documentações emitidas a partir de maio, mas não é a única novidade no documento do condutor brasileiro. A utilização do código de barras já havia sido anunciada na nova regulamentação do Denatran, que passou a valer em todo território nacional desde o dia 1º de janeiro de 2017, e incluiu diversas mudanças na cor e layout. De 19 mecanismos de segurança a Carteira de Habilitação brasileira passou a ter 29 itens de segurança, contabilizando o novo código de barras digital.

34


Rent a Car

O financiamento de veículos teve um aumento de 7,2% no primeiro trimestre

Tecnologia desenvolvida pelo Serpro usa software livre

Entre as alterações, a CNH passou a contar com um número de identificação estadual e outro nacional, além de um terceiro código com os dados individuais do motorista. O mapa do Brasil imprime o lado esquerdo do documento em tinta de variação óptica e o brasão do Estado de emissão e seu respectivo mapa o canto superior direito. Marcas gráficas que podem ser conferidas sob luz ultravioleta e holografias são outras inserções que pretendem dificultar a clonagem, fraude e falsificação do documento, além de facilitar a fiscalização. Com a ajuda da nova tecnologia do QR Code será possível, mesmo sem acesso à internet, confirmar todos esses dados de uma só vez no banco de dados do Denatran, inclusive com fotos do condutor. Em um segundo momento, informações sobre infrações e outros dados do veículo poderão ser incluídos no sistema.

nas ruas. Mas agora agentes de trânsito e policiais não serão os únicos com acesso aos dados de condutores, que serão disponibilizados com o aplicativo de dispositivo móvel Lince, bastando baixa-lo no celular. Já existem versões para Android e IOS. Assim, a leitura do código bidimensional estará disponível para comerciantes, cartórios, prestadores de serviços como locação de veículos, e mesmo um cidadão qualquer. O novo software de segurança pretende usar a tecnologia para facilitar a checagem de dados pelos órgãos competentes, mas poderá ser extremamente prático para as locadoras de veículos, que lidam constantemente com documentação de terceiros e têm nas tentativas de fraude uma preocupação. Com uma capacitação simples dos funcionários essa novidade tecnológica poderá ser um procedimento eficaz e discreto nas locadoras, evitando diversos problemas em relação à fraude. A validação dos dados da CNH e foto de todos os motoristas pode ser feita automaticamente com o QR Code, atestando a segurança da locação para a empresa. A tecnologia poderá também facilitar para o cliente, com maior celeridade no atendimento e aprovação de cadastro.

SEGURANÇA PARA TODOS Apenas no estado de São Paulo são emitidas 450.000 carteiras de habilitação por mês, um volume de novos documentos e motoristas que torna difícil a constante fiscalização

35


Rent a Car

Mudanças dificultam a falsificação e agilizam atendimento nas locadoras Expectativa é de incremento na agilidade do serviço

AS MUDANÇAS INCORPORADAS à Nova CNH evitam a falsificação e cópias ilegais do documento e, dessa forma, agilizam o processo de locação para as pessoas interessadas em contar com a liberdade que um carro alugado proporciona. A inclusão do QR Code é uma novidade muito positiva para o mercado, uma vez que as empresas do setor sempre fazem uma triagem em todas as documentações apresentadas para efetivar a locação. “E a CNH é a mais importante delas”, acrescenta Jorge Machado, gerente administrativo da ABLA. Em resumo, ficou bem mais difícil a falsificação, porque só de aproximar a câmera do celular na CNH já aparecerão, no aplicativo, além da foto, todos os dados do condutor

ou da condutora que constam diretamente na base nacional do Denatran. “Passa a ser possível para a locadora confrontar imediatamente esses dados com as informações que estão na habilitação”, acrescenta Machado. Vale lembrar que, em janeiro, já houve uma mudança na CNH, ocasião em que os requisitos de segurança aumentaram de 19 para 28. Agora, com a inclusão do QR Code em maio, a habilitação passou a contar com 29 itens de segurança. O Denatran disponibilizará o sistema eletrônico para leitura do QR-Code (um quadrado de cinco centímetros) impresso no verso inferior da CNH. Veja na próxima página uma representação das principais mudanças da nova CNH.

36


Rent a Car

FIQUE ATENTO dados biométricos, título de eleitor com foto e CPF, mas não vai incluir o número da CNH e nem irá substituí-la.

Está em processo final de concepção pelo governo federal o Documento de Identificação Nacional (DIN), cartão com chip que conterá

37


Frota

Tecnologia é aliada para a desmobilização e renovação dos ativos Para todo produto, há um possível comprador. O desafio é encontrar a demanda para a oferta certa

38 38


Frota

que uma das grandes dificuldades da desmobilização de frotas é estabelecer valores razoáveis, de forma a não prejudicar o vendedor e, ao mesmo tempo, criar o interesse por parte de possíveis compradores. “Nesse sentido, a tecnologia pode ser uma aliada fundamental”, completa. O software PasseCarros foi criado para agilizar o processo de compra e venda, conectando de forma abrangente as locadoras e os compradores. Funciona da seguinte maneira: as primeiras cadastram as características de seus veículos num banco de dados, enquanto os lojistas registram as características do que procuram. O sistema cruza os perfis, informa preços e condições em alcance nacional. A vantagem da PasseCarros chega aos dois lados do mercado. Para a locadora, relatórios mensais são emitidos, com análises de estoque comparado ao mercado e classificação dos compradores. Dessa forma, é possível oferecer soluções para alavancar novas vendas, de acordo com as informações recebidas, melhorando a oferta. O comprador, por sua vez, fica diante de uma gama de oportunidades com opções de preços e características para a melhor escolha. Os desenvolvedores do software também oferecem treinamento aos contratantes, a fim de evitar que as transações sejam prejudicadas pela ação de atravessadores. “Com um leque maior de negócios, o estoque gira mais rápido e permanece sempre novo”, explica Ricardo. Em dez anos de atuação, a PasseCarros já auxiliou as vendas de mais de 30 mil veículos do setor. Aos associados da ABLA, a empresa . disponibiliza condições favoráveis na contratação do serviço e 30 dias de degustação.

UM DOS GRANDES diferenciais da frota de locadoras de automóveis é sua garantia de procedência e quilometragem, além de toda manutenção realizada em oficinas credenciadas. Isso garante que a depreciação seja, na maior parte das vezes, menor do que a verificada em um veículo cujo proprietário é um condutor pessoa física. Mesmo com essas vantagens, um dos principais desafios do mercado de locação ainda é encontrar os compradores adequados para seus carros seminovos. Especialistas como Ricardo Lima, da empresa PasseCarros, dão como exemplo dessa realidade o dia-a-dia das locadoras de cidades pequenas. Em virtude do mercado restrito, elas contam com menos opções para realizar a venda desses ativos, tendo que arcar com a desvalorização dos veículos na hora do repasse. Essa situação pode acontecer mesmo em períodos de alta nas vendas de seminovos. Dados da Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto) já apontam os primeiros indícios de melhora no setor este ano, com 7,8% de aumento nas vendas dessa categoria de automóveis em fevereiro, comparado ao mesmo período de 2016. Mas, para manter a ascensão das vendas, não basta contar com a recuperação do mercado, cabendo aos empresários contribuir para a rapidez dessa melhora. Entre as alternativas para a venda estão diversos canais, tais como o atacado de veículos, lojistas independentes ou mesmo pessoas físicas. Algumas empresas, como a PasseCarros, estão usando a tecnologia para aproximar as locadoras desses potenciais compradores. Sócio-proprietário da prestadora de serviços, Ricardo ressalta

39

39


ABLA Jovem

Novas tecnologias e tendências em Rent a Car Mudanças como o uso de tarifas dinâmicas são possibilitadas por novas ferramentas

Saulo Fróes Jr. é membro da ABLA Jovem

Quando pensamos em cenários fu-

mais distante, o carro autônomo como

guntarmos aos empresários de nosso

tanto, existe uma revolução tão im-

novos concorrentes e ameaças. No en-

turos e novos concorrentes, se per-

portante quanto ocorrendo debaixo de

setor, nove em cada dez irão citar o

nossos olhos, e talvez muitos de nós

“Uber”, o compartilhamento de veí-

ainda não tenha se dado conta.

culos (car sharing) ou, em um cenário

40


ABLA Jovem

de fidelidade, ofertas de cashback (aplicativos que oferecem parte do valor da compra como dinheiro de volta) e ofertas de cupons de desconto. Fica difícil olhar para o site da concorrência! Mas se por acaso você decide ir para outro site ou fazer sua reserva em outro momento, ao tentar sair da página um pop-up com uma oferta especial surge na tela. Ao finalmente sair de fato da página e navegar na internet, anúncios daquela locadora continuam te seguindo em outros websites (por meio de remarketing). Aí você decide checar sua caixa de email, e já se depara com mais uma oferta da locadora para tentar te seduzir. São muitos os exemplos que podemos citar a respeito de como a tecnologia está mudando a dinâmica do setor. Estratégias de inbound marketing (marketing de conteúdo), Adwords, páginas focados em conversão (landing pages), otimização de site (SEO), mensuração de visitas e avaliação de atendimento via call-tracking, anúncios inteligentes e extremamente segmentados para um público específico (via Facebook). Fato é que cada vez será mais difícil competir com os grandes players devido aos altos valores que os mesmos vêm investindo em pesquisa e desenvolvimento. Quais outros avanços e surpresas terão nesse mercado? Será que estamos preparados para acompanhar? As novas tecnologias serão nossas aliadas ou adversárias? A boa notícia é que à medida que as tecnologias ganham mercado, tendem a cair de preço, se tornando mais acessíveis para o pequeno e médio empresário. A lição que fica é que é preciso se mexer constantemente, estudar bem a estratégia de atuação, trabalhar em nichos e com personalização, e estar sempre atualizado.

O setor de locação passou muito tempo em águas tranquilas e em um cenário de prosperidade. Porém, como num piscar de olhos, se deparou com a crise econômica, e ao mesmo tempo, com um cenário de competição acirrada, principalmente entre os maiores players do mercado rent a car. E essa disputa não é só feita com a queda brusca de preços (em contramão ao aumento do valor do veículo zero km). Temos agora também uma enxurrada de novos produtos e serviços na tentativa de melhorar a experiência de locação e conquistar o consumidor. Internet a bordo do veículo, diversidade de frota (inclusive veículos SUV, modelos importados e até híbridos), oferta de ar condicionado no “grupo A”, locação para jovens etc. são apenas alguns dos exemplos. Mas a revolução passa muito além da realidade exemplificada acima. Em ascensão, diversas outras ferramentas já se mostram peças fundamentais para quem quer competir dentro da nova realidade de mercado. Uma importante mudança que está acontecendo, possibilitada pela tecnologia, é o uso de tarifas dinâmicas, num modelo baseado em “oferta de carros vs. demanda do consumidor” por um determinado grupo/ modelo, de forma similar ao que é praticado pelas companhias aéreas. Em paralelo a isso, as grandes locadoras têm feito de tudo para converter o máximo possível de visitas aos seus sites em reservas de fato. Ao visitar um desses sites hoje, algumas empresas já oferecem ajuda online por meio de chat. Já existe inclusive um robô que faz papel de atendente, esclarece dúvidas e que faz o processo de reserva com e para o cliente. Mais conveniente impossível. No meio do processo de reserva, o cliente ainda é impactado por ofertas de programas

41


Planejamento

Sabedoria oriental: o perigo mora no detalhe *Carlos Faustino

sem qualquer planejamento e objetivo definidos, sem metas estabelecidas. Nós nos enquadramos dentro do redemoinho do dia a dia e passamos a sermos “bombeiros” em vez de empresários: não percebemos que o “incêndio nosso de cada dia” vai abrindo novos e diferentes focos. Pare! Você está se esquecendo dos detalhes primordiais de qualquer organização, de qualquer tamanho, que é ADMINISTRAR. O processo de planejar, organizar, liderar, comandar, coordenar e controlar os esforços realizados pelos membros da empresa, além de outros recursos para alcançar os objetivos. Independentemente do tipo de organização, o administrador sempre terá que:

UMA DAS PRINCIPAIS premissas que se ensina nos cursos de “MBA” é que “não se deve complicar o que é simples”. Isso ganha mais significado ao notarmos que o comentário do dia a dia que se ouve no momento é que “estamos em tempos de crise”. Para expressar tal situação, não encontro melhor definição do que a do idioma chinês, na qual “crise” é a soma de dois ideogramas: “perigo” e “oportunidade”, que são facetas opostas e complementares. E diz o dito oriental que o “perigo mora nos detalhes”. É justamente no “detalhe”, na parte burocrática e formal, ou nas atividades-meio, que se encontra a diferença entre “perigo” e “oportunidade”: nós não nos apercebemos o quanto estamos querendo ser mais realistas do que a situação de fato é. Debruçamo-nos em lamentações e em comparações mal feitas com nossos concorrentes; analisamos mal nossa equipe de colaboradores, geralmente focando somente na longevidade de cada um na empresa (e não na sua contribuição dentro da organização). Nós nos preocupamos com o preço da diária, sem se colocar foco em agregar valores ao nosso ticket médio. E perdemos dias e noites pensando no que o concorrente está fazendo, em vez de direcionar a mente para aquilo que podemos fazer no sentido de sermos melhores do que eles. Daí, começamos a tomar atitudes individuais

.

Planejar: trata-se de pensar, decidir, escolher antecipadamente seus objetivos, suas ações, seus atos, baseando-se em algum método, plano ou lógica e analisando a melhor forma ou estratégia para alcançar seus objetivos organizacionais.

.

Organizar: é o ato de decidir quais recursos e atividades são necessárias para atender os objetivos, criando grupos de trabalho, atribuindo autoridade e responsabilidade para sua consecução.

.

Coordenar: que é nada mais do que selecionar, treinar, desenvolver e orientar os colaboradores necessários para serem mais produtivos.

42


Planejamento

.

Liderar: que implica em dirigir, influenciar, motivar os colaboradores para realizar as tarefas para consecução das metas, informando-os acerca de suas atribuições. O processo de liderar envolve o trabalho com a pessoa, tornando-se mito concreto em relação ao planejar e organizar.

mantém a organização no caminho escolhido e estabelecido. Várias são as combinações dessas atividades e podem acontecer ao mesmo tempo. Por isso, o administrador deve adaptar-se e conhecer muito bem o ambiente no qual a organização atua. Fica claro que a ferramenta ideal para espantar o “perigo” é o Planejamento Estratégico. Se você deseja ter as oportunidades que normalmente as crises proporcionam, comece agora o seu. Defina prazos, para onde quer ir, o que deve fazer, onde, como e quem fará. O interessante é que o “perigo” que a crise está deslumbrando no futuro do seu negócio poderá ser diluído no decorrer da execução de ações planejadas. Ou seja, não é preciso saber falar ou tampouco entender chinês para tomar atitudes corretas.

.

Controlar: que é, finalmente, o administrador certificar-se de que os atos dos membros da organização levam-no de fato em direção aos objetivos estabelecidos. Esta última tarefa, a de “Controlar”, envolve os seguintes elementos: • Estabelecer padrões de desempenho; • Medir o desempenho atual; • Comparar esse desempenho com os padrões estabelecidos; • Caso seja detectado desvio, executar ações corretivas; • Por meio da função “controlar”, o administrador

*Carlos Faustino é conselheiro gestor da ABLA.

43


Eu leitor

Sua história pode inspirar muita gente A revista Locação quer compartilhar histórias de sucesso

Podem ser inovações e resultados obtidos em marketing, atendimento ao cliente, gestão, terceirização, renovação de frota, otimização de recursos financeiros etc. Se você tem uma história de sucesso para contar, encaminhe para a gente no email: emfoco@emfoco.net. Não esqueça de indicar o telefone para contato. Em breve poderemos ver essa sua narrativa aqui mesmo, nas páginas da revista.

NA EDIÇÃO número 71 da revista Locação, que marcou os 40 anos da ABLA, mostramos as muitas conquistas do mais antigo associado da entidade. Agora, queremos contar outras histórias de sucesso – afinal são milhares de associados em todo o país. Publicaremos as melhores iniciativas das locadoras pertencentes ao quadro da ABLA, independentemente do tamanho da empresa.

44


Tira-Teima

Dúvidas? A ABLA responde

Identificação de associados

Golpe do envelope

Dúvida: Locadoras que mudam de endereço podem receber novamente o adesivo “Locadora Associada ABLA”, que ajuda a identificar para os clientes que a empresa faz parte da associação?

Dúvida: Como as locadoras têm conseguido evitar a antiga modalidade de estelionato, que é o golpe do falso depósito bancário? Resposta: Tentativas feitas por estelionatários têm sido infrutíferas, gerando a eles as consequências legais e penais. Em vez de depósitos feitos em caixas eletrônicos, as locadoras solicitam que os depósitos sejam sempre feitos na boca do caixa. Outra forma é solicitar um DOC ou TED para o pagamento das diárias acertadas e, sempre, aguardar a confirmação do banco sobre o dinheiro na conta. Assim, o golpe do falso depósito bancário já faz parte do passado para as locadoras que atuam com cada vez mais atenção de norte a sul do país.

Resposta: Sim. Quando a locadora se associa a ABLA já envia duas unidades do referido adesivo, com o logo da associação e com a indicação de “Locadora Associada ABLA”. O adesivo é produzido em quantidade limitada, exatamente porque apenas empresas que fazem parte do quadro associativo têm o direito de utilizá-lo. Sempre que houver mudança de endereço ou necessidade de mais unidades, a locadora deverá consultar a disponibilidade e solicitar a remessa diretamente à ABLA.

46


Clientes de terceirização

Aluguel para seguradoras

Dúvida: Como conseguir junto à ABLA a lista das grandes empresas que já utilizam a terceirização de frota?

Dúvida: O que seria o serviço chamado de “plataforma”, prestado pelas locadoras de veículos?

Resposta: A ABLA não tem acesso a informações referentes aos clientes das locadoras que fazem parte de seu quadro associativo. Assim, a associação não elabora listas, ranking ou qualquer outro tipo de planilha que identifique ou elenque os clientes do setor, seja na terceirização, seja no rent a car.

Resposta: Na linguagem do setor, os chamados “Serviços de Plataforma” são aqueles prestados pelas locadoras para as seguradoras, especificamente para fornecimento veículo reserva a segurados, quando seus carros próprios estão em manutenção ou sinistrados. Os serviços ficaram conhecidos como “plataforma” apenas por causa do tipo de caminhão que transporta os veículos substitutos.

Perfil dos associados

Mailing de locadoras

Dúvida: Qual o tamanho das locadoras associadas na ABLA?

Dúvida: É possível ter acesso ao mailing completo de locadoras associadas da ABLA?

Resposta: A ABLA reúne associadas entre franqueadoras, franqueadas e locadoras independentes, de pequeno, médio e grande porte, em todos os estados do Brasil. Estatutariamente, todas as locadoras são atendidas da mesma maneira e tem direitos iguais em relação aos benefícios oferecidos pela associação, independente do tamanho de frota.

Resposta: De fato, muitas empresas de pesquisa demonstram grande interesse em obter a lista completa das locadoras associadas da ABLA. Porém, a associação não disponibiliza a terceiros nenhuma informação cadastral de seus associados, que são tratadas com o máximo cuidado e privacidade dentro da associação.

Eventos para locadoras Dúvida: Quais os eventos da ABLA que são abertos para participação de todos os associados?

Reajuste de contratos

Resposta: A ABLA de fato promove eventos gratuitos e abertos para todos os associados. Nos dias 13 e 14 de setembro, haverá o XIII Fórum Nacional do Setor de Aluguel de Veículos, que será o principal evento do segmento na América Latina. Em novembro do ano passado, todos os associados também foram convidados pela ABLA para irem gratuitamente ao Salão Internacional do Automóvel de São Paulo. E, anualmente, todos os associados também são convidados para enviarem os advogados de suas locadoras ao Fórum Jurídico do Setor, já previsto para agosto deste ano.

Dúvida: A ABLA possui algum modelo de realinhamento de preços em contratos com prefeituras, para efeito de orientação sobre reajustes a serem aplicados? Resposta: Não faz parte do escopo da associação o acesso aos contratos, custos e/ ou frota de seus associados. Assim sendo, a ABLA não possui, não produz e também não sugere para as locadoras nenhuma tabela ou fórmula pronta para realinhamento de contratos ou preços.

47


Brasil Viagem

O Brasil do extremo Norte que poucos conhecem Roraima é o estado mais setentrional do Brasil. Fazendo fronteira com Venezuela e Guiana, é o limite em nossa fronteira acima do Equador

Vista área da capital, Boa Vista, que concentra mais da metade da população do estado

Aqui temos um dos extremos nacionais em nossa fronteira Norte. Os roraimenses costumam dizer que o correto é “do Caburaí ao Chuí”, pois o Monte Caburaí se encontra 84 km mais ao Norte do que o Rio Oiapoque, no Amapá.

Roraima é um estado coberto em sua maior parte pela floresta nativa, com mais de 22.000 km de campos naturais, chamados de lavrados. É a maior extensão de savana amazônica conhecida.

48


Brasil Viagem

com economia e segurança. A capital é muito fácil para se locomover de carro, e o interior também.” A principal rodovia é a BR 174, que liga Manaus a Boa Vista, com 788 km. Prosseguindo mais 215 km ao norte, chega-se à Venezuela. Da capital roraimense também se atinge a Guiana, a leste, em 117 km, pela BR 401. A Rota 174, trecho brasileiro da Via Panamericana, torna o estado uma espécie de “porta para o Caribe”, que “é bem ali”, a 1.300 km pela Venezuela, em asfalto, ou a menos de 600 km pela Guiana, sendo 450 km sem asfalto.

Por falar em montanhas, o estado é muito procurado para amantes do trekking em expedições até o Monte Roraima, que possui 2.810 metros de altitude e formato de mesa, típica do planalto das Guianas. Célio Fonseca, diretor regional da ABLA no estado, explica a vantagem do veículo alugado num passeio turístico por Roraima: “Ao se alugar um carro, a liberdade é garantida para se ir a todo canto, na hora que se deseje. Você faz o seu roteiro, no ritmo da sua vontade, para um tempo mais aqui, outro acolá, como queira. E tudo

O icônico Monte Roraima tem 2.810 metros e uma vista privilegiada

49


Brasil Viagem

As festas juninas são o destaque do calendário no meio do ano

ATRAÇÕES PARA TODOS OS MESES DO ANO Boa Vista, única capital brasileira acima do Equador, é uma cidade planejada com ruas largas, limpa e bem arborizada, “Se o viajante aproveitar a época do meio do ano, encontrará clima de festejos juninos, que vão até julho, e é possível se deparar com arraiais até início de agosto”, lembra Célio. Entre as maiores festas populares, há o Boa Vista Junina, o arraial da cidade, que acontece em junho, no Complexo Poliesportivo Airton Senna, centro da capital. E, logo em seguida, ocorre o Arraial do Anauá, no parque de mesmo nome. Quem estiver a passeio nessas ocasiões, encontrará muita comida típica, música e concursos de danças folclóricas, com apresentações de verdadeiras óperas caipiras. Em passeio pelo sítio histórico de Boa Vista, do Centro Cívico até a margem do Rio Branco, é possível se deliciar com monumentos, artesanato e gastronomia. No verão, as belas praias defronte à cidade,

A Praça das Águas é considerada um dos cartões postais da capital

com canoas para a travessia e caiaques para o lazer, são ótimas pedidas. Temos alguns balneários perto da cidade, hotéis fazenda e pousadas pelo interior, campo e serra, para o deleite do viajante, sem falar no icônico Monte Roraima. Observação de pássaros e turismo

50


Brasil Viagem

Igreja Matriz é uma das construçõesainda maiséfamosas deeBoa Vista Praia dos Carneiros,Alocalizada na cidade de Tamandaré, selvagem encantadora

de aventura, de tudo temos um pouco”, conta Célio. Roraima tem uma área maior do que o Paraná, com quase todas as cidades ligadas à capital por asfalto, exceto Uiramutam, a mais distante, localizada na belíssima região das serras, em um dos principais núcleos da Área Indígena da Raposa – Serra do Sol. Para visitá-la se requer um carro mais alto e com tração, por segurança. Ainda segundo o diretor regional da ABLA, as condições climáticas não interferem na escolha do veículo escolhido para conhecer o estado. “Roraima tem acesso fácil durante todo o ano, com duas estações: inverno, chuvoso; e verão, período de seca, com pouca variação de temperatura, em geral nos limites de 23º C a 37º C”.

Orla Taumanan: a estrutura metálica suspensa sobre o rio Branco virou atração turística

51


Por Dentro

Audi Q7, primeiro modelo da marca vendido no país com motor a diesel

Atual geração do SUV ficou ligeiramente menor externamente e, ao mesmo tempo, ganhou espaço no interior. Com o uso de materiais mais leves e resistentes, o carro surpreende pela economia, eficiência ambiental, dinamismo e dirigibilidade

O motor 3.0 V6 a diesel, o primeiro do gênero que a marca oferece no Brasil, rende 268 cavalos e torque de 61,2 kgfm. Acelera até 100 km/h em apenas 6,5 segundos. A velocidade máxima é de 230 km/h. O modelo também incorpora a mais avançada tecnologia eletrônica, com o Audi Virtual Cockpit, um painel totalmente configurável pelo usuário, que mostra as informações à

ANTES DE anunciar a grande novidade do novo Q7 TDI Ambition, é preciso conhecer de perto o automóvel que a Audi apresenta ao mercado brasileiro. Ele tem 5,05 metros de comprimento, distância entre-eixos de 2,99 m, 1,97 m de largura e 1,74 m de altura. O carro ficou 37 milímetros mais curto e 15 mm mais estreito que na geração anterior, enquanto a altura permaneceu aproximadamente a mesma.

52


Por Dentro altura dos olhos do motorista no para-brisa por meio do head-up display. Com sistemas mais práticos de informação e entretenimento, o sistema conecta o usuário ao mundo da Internet e todos os seus recursos. Um dos destaques é o grande compartimento de carga, altamente variável. Quando todos os sete lugares são ocupados, a capacidade é de 295 litros de bagagem. Com cinco lugares, são 890 litros e 2.075 litros com a segunda fileira de assentos rebatida. Comparada com a do modelo anterior, a soleira do porta-malas é quase cinco centímetros mais baixa. A lista de sistemas de assistência ao motorista é extensa. Entre os equipamentos de série há o assistente de atenção, que analisa o comportamento do motorista e emite um alerta quando houver indicação de que ele esteja perdendo a concentração. Outros itens de série incluem o Hold assist (assistente de parada), limitador de velocidade ajustável, sensor de estacionamento traseiro e sistema de segurança Audi presense básico. O Audi presense básico interage com diferentes funções do carro. Caso detecte uma

condição de direção instável, pode iniciar medidas preventivas para proteger os ocupantes do veículo. Os cintos dos bancos dianteiros são retraídos eletricamente e as janelas e o teto solar são fechados. Além disso, as luzes de alarme são ativadas para alertar os motoristas mais próximos. Em relação à construção, ele é referência no segmento, com até 325 kg a menos do que no modelo anterior. A carroceria multimateriais economiza até 71 kg de peso. As portas que, como todo o revestimento exterior, são feitas de alumínio, contribuem com uma economia

A capacidade é de 890 litros de bagagem com 5 lugares ocupados

53


Por Dentro

Tecnologia eletrônica avançada garante conforto com um painel totalmente configurável

Número de cilindros

4 cilindros

Tipo de Transmissão

Gasolina: 150 CV (110,3 KW / 148 HP) 5600 rpm / Etanol: 153 CV (112,5 KW / 151 HP) 5200 rpm Automática de 6 velocidades / Active Select no câmbio para Automática Elétrica progressiva (EPS)

de 24 kg. Foi explorado também o grande potencial de redução de peso no chassi: 27 kg na suspensão e 40 kg na traseira. O trem Potência dianteira Máxima Líquida de(ABNT força teve o peso reduzido em 20oukgSAE e oBruta) sisNBR 5484/ISO 1585 Líquida tema de escapamento, em 19 kg.

Acessórios opcionais Tipo de direção

Disponível no Pacote Tecnológico opcional, o assistente de visão noturna usa uma Comprimento Total (mm) câmera infravermelha de longo alcance que reage ao calor irradiado por objetos. A informação, convertida Largura Total (mm) em imagens em preto e branco, é exibida no cockpit virtual. O ambiente mais frio aparece escuro, enquanto Altura em ordem de marcha (mm) animais e pessoas são mostrados com muito brilho. O sistema tem alcance de até 300 metros e pode entre detectar Distância eixospessoas (mm) e grandes animais a cerca de 100 metros, destacando-os com marcadores amarelos. Tanque de combustível (litros) Se uma situação de perigo for detectada, um som de alerta é emitido e um símbolo de advertência também no painel. Porta-malas (litros -aparece até o canto superiorNesse caso, o assistente de farol alto ilumina as pesdo encosto do banco/até o teto): soas, fora de áreas urbanas, com três curtos pulsos de luz.

Outra função opcional do Q7 é o eixo traseiro 4.448 dinâmico, ou seja, a direção nas quatro rodas. No eixo traseiro é instalado um sistema de direção com comando elétrico e duas bar1.807de direção, que vira as rodas traseiras em ras até 5 graus na mesma direção ou em oposição às dianteiras, dependendo da situação. 1.484 Em baixa velocidade, elas viram na direção oposta. Assim, o SUV fica muito mais ágil e o 2.700de curva um metro menor, o que é clararaio mente percebido pelo motorista ao manobrar e52estacionar. Entre 5 e 15 km/h, o direcionamento inverso atinge até 5 graus. Em velocidades maiores, as rodas traseiras seguem o mo290 / 300 /das 380 dianteiras num ângulo de até 3,5 vimento graus. Virando na mesma direção, elas melhoram a reposta do volante e aumentam assim a estabilidade em manobras evasivas.

54


Ao Volante

Volkswagen Fox 2018: mais conectividade e conforto A CONECTIVIDADE, sem dúvida, é um requisito fundamental no carro hoje em dia. A Volkswagen entendeu isso e a versão de entrada do Fox 2018 (Trendline) já conta com o sistema “Composition Touch”, com tela sensível ao toque de 6,5”, capaz de realizar o espelhamento da tela do celular com os sistemas MirrorLink, Apple CarPlay e Google Android Auto. Todas as versões da linha 2018 oferecem mais tecnologia, conforto e conveniência. As versões Highline, Pepper e CrossFox ganham como equipamento de série assistente de partida em rampas, controle eletrônico de estabilidade e câmera traseira de auxílio ao estacionamento. Outras novidades da linha 2018 são a oferta da roda de liga leve de 16 polegadas com visual estilo “Thor” para o Fox Highline e a oferta para todas as versões da cor

“Branco Puro”. O figurino e os revestimentos dos bancos também são novos em todas as configurações da linha 2018.

Conforto, praticidade e robustez no Fiat Toro 2018 DESENVOLVIDO para atender aos desejos de quem procura um veículo com o conforto de um automóvel, as características de um SUV e a praticidade e a robustez de uma picape, o Fiat Toro lança sua versão 2018, que agrega mais equipamentos tecnológicos para entregar ao consumidor um novo conceito de comercial leve. Todas as versões ganham de série a tecnologia GSI (Gear Shift Indicator) que atua na otimização do consumo de combustível, informando ao condutor o melhor momento para a realização das trocas de marcha, seja em ordem crescente ou decrescente. A versão Freedom 2.0 Diesel traz ainda: retrovisores externos elétricos, brake light, alarme e iluminação na caçamba, enquanto a versão Volcano acrescenta de série comando de troca de marchas no volante.

56


Ao Volante

Versão Effect marca lançamento do Chevrolet Ônix 2018 O Onix Effect tem acabamento esportivo e alta eficiência energética. Caracteriza-se pela aplicação de peças e detalhes exclusivos, entre eles o kit aerodinâmico composto pelos spoilers frontal e traseiro e pelas saias laterais, que deixam a impressão de que o carro está mais próximo do solo. As rodas são de alumínio aro 15 com acabamento em cinza metálico. O teto possui acabamento preto brilhante, assim como a moldura da grade frontal, os adesivos da coluna central e as capas dos retrovisores externos. Outro diferencial é o fato do modelo ser o compacto de visual esportivo mais econômico da categoria. De acordo com o Inmetro, o carro percorre, em média, 8,6 km com um litro de etanol e 12,5 km com um litro de gasolina na cidade. Na estrada, os números são 10,2 km/l e 14,9 km/l, respectivamente.

Nissan Kicks e Frontier trazem novos acessórios originais OS VEÍCULOS recém-lançados pela Nissan são ideais para quem tem espírito urbano e aventureiro. Pensando nesse público, novos acessórios foram desenvolvidos para o crossover brasileiro, Kicks e para a tradicional picape Frontier. Uma barra transversal de teto, um bagageiro e um suporte para bicicleta foram produzidos para o modelo e estão disponíveis em todas as concessionárias Nissan do Brasil. Esses acessórios vêm melhorar a experiência do SUV, já equipado com tecnologias de segurança úteis, como a câmera de visão 360°, o detector de objetos em movimento e controle dinâmico de freio motor, além da experiência na Frontier que conta com controle automático de descida e o sistema de auxílio de partida em rampa. E também sistemas que atuam automaticamente nos freios do veículo para controlar descidas íngremes ou saídas do carro da imobilidade em subidas.

57


Ao Volante

Ford Ka Trail é compacto aventureiro com desempenho robusto Além de suspensão elevada e reforçada, o Ka Trail tem rodas de liga leve e pneus de uso misto de 15 polegadas, faixas esportivas nas laterais e traseira, rack de teto, molduras nas caixas de rodas e faróis de neblina. Como os demais modelos da linha, a nova versão vem de série com ar-condicionado, direção elétrica, travas elétricas, vidros elétricos dianteiros, abertura elétrica do porta-malas e direção com ajuste de altura. O hatch de visual robusto e postura mais esportiva têm elementos exclusivos que valorizam as linhas modernas do seu projeto. A esportividade é destacada na cabine combinando as cores preto e cinza Shadow. O centro do painel e o volante exibem apliques na cor prata. Os bancos são revestidos em couro sintético e tecido com apliques e pespontos em tons verdes e alaranjados. O tecido recebe um tratamento especial “soil repelent”, que repele água e sujeira para facilitar a conservação.

Sandero R.S. 2.0 ganha série limitada Racing Spirit Por dentro, a série mantém a inspiração de um cockpit, com detalhes que evidenciam ainda mais a esportividade do Sandero R.S. 2.0. Uma placa numerada, localizada perto do câmbio, identifica o número de série da edição Racing Spirit. O revestimento do teto agora é preto e a cor vermelha está nos aros dos difusores de ar laterais e no contorno do velocímetro, além das costuras e faixas dos bancos. De fábrica, traz, entre outros itens, controles de estabilidade e de tração, assistente de arrancada em subidas, faróis de rodagem diurna de LED, ar-condicionado automático, vidros elétricos dianteiros e traseiros, banco do motorista regulável em altura, piloto automático (controlador e limitador de velocidade), sensores de estacionamento e sistema Media NAV Evolution,

a central multimídia integrada ao painel com tela de 7 polegadas touchscreen.

58


Ao Volante

Citroen Aircross com câmbio automático de seis marchas O novo câmbio automático sequencial de seis marchas é a mais moderna opção de caixa automática do Grupo PSA para motores a gasolina, com ganhos significativos em termos de conforto, robustez, prazer ao dirigir e eficiência energética. Outro ponto de destaque é a possibilidade de personalização. Durante o desenvolvimento, foram definidos três modos de condução específicos (Sport, Drive e ECO), de maneira a torná-los mais distintos para o motorista. Assim, o modo Drive proporciona o melhor compromisso entre desempenho e consumo. Se o motorista desejar um comportamento dinâmico mais intenso e esportivo, basta alterar as leis de passagem para o modo Sport. E, se a diminuição do consumo de combustível for prioridade, o modo ECO torna o veículo até 5% mais econômico em circuitos urbanos.

Peugeot 308 e 408 em edição especial Roland Garros OS PEUGEOT 308 e 408 série especial Roland Garros foram produzidos em versão limitada a 300 unidades, sendo 200 delas para o modelo hatch e 100 para o sedã. Disponíveis na cor Branco Nacré, são baseadas nas versões Griffe, a mais completa de cada carro. Os itens exclusivos da nova série estão presentes igualmente nos dois veículos. Ambos terão emblemas do campeonato francês nas laterais e na tampa no porta-malas, rodas de 17”, capas de retrovisores cromadas, tapete customizado e acabamento especial nos bancos dianteiros, traseiros e apoios de braço em couro cinza-claro com costuras laranjas. Hatch e sedã contam com motor 1.6 THP de 173 cv, com etanol, e câmbio de seis

marchas automático com possibilidade de trocas manuais. Os dois recebem teto solar, volante revestido em couro, luzes diurnas de LED, central multimídia com comando de voz e GPS integrado, seis air-bags e sistema isofix.

59


Trânsito

Morte de jovens no trânsito avança em todo o mundo Relatório mundial da OMS aponta trânsito como a principal causa de óbito entre 10 e 19 anos

APÓS A CAMPANHA do Maio Amarelo, iniciativa em favor da paz no trânsito encabeçada pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran), e na reta final da Década de Ação pela Segurança no Trânsito da ONU, o relatório anual d a Organização Mundial da Saúde (OMS) traz dados preocupantes sobre a violência no trânsito, já considerada a maior causa de óbitos de jovens no mundo. A recém-lançada pesquisa aponta que a cada ano morrem 1,2 milhão de adolescentes entre 10 e 19 anos por causas evitáveis, sendo a grande parte em decorrência de acidentes de trânsito. Dos mais de 3 mil por dia, dois terços ocorrem em países em desenvolvimento, como o Brasil, e esses números podem piorar. A OMS estima que já em 2020 o trânsito corresponda à quinta maior causa de óbitos no mundo, podendo chegar aos 2,4 milhões em 2030.

Para além da tragédia social, os acidentes de trânsito correspondem a altos custos para o erário dos Estados, um percentual que chega a 3% do produto interno bruto, a depender do país. O relatório da OMS indica que investimentos em melhores sistemas de saúde e educação precisam ser realizados, além de campanhas de conscientização sobre saúde e violência. "Os adolescentes foram os grandes ausentes dos planos nacionais de saúde durante décadas e agora os resultados estão aparecendo", afirmou em comunicado a diretora-geral adjunta da OMS, Flavia Bustreo. O Brasil é o quinto país do mundo onde mais acontecem óbitos no trânsito, com destaque para jovens do sexo masculino, pedestres e ciclistas, muitas vezes vítimas de acidentes em vias públicas.

60


Trânsito

Brasil é atingido pela “Doença do Trânsito” 43 mil brasileiros foram a óbito em 2016, e mais de 50% dos acidentes de trânsito envolveram motos, tendo como vítimas homens até 40 anos O Brasil não deve atingir o principal objetivo da “Década de ação para a segurança no trânsito”, lançada pela ONU em 2010. Juntamente com outras 22 nações, o país foi um dos que se comprometeram a diminuir pela metade as vítimas fatais no trânsito até o final do período. A meta das Nações Unidas propõe novas medidas para governos de todo o mundo, especialmente voltadas à conscientização pela redução no consumo de bebidas alcoólicas por condutores, o uso de capacetes e cintos de segurança, além da melhoria dos atendimentos de emergência a sinistros. Na reta final do período, os números brasileiros ainda são tímidos e apontam pouco engajamento da sociedade e do governo. Hoje, a Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que apenas 10% das mortes no trânsito ocorrem em países de primeiro mundo. Nesse ranking, o Brasil tem destaque, com uma média de 22 mortes por ano a cada grupo de 100 mil habitantes. Sabe-se ainda que 50% dos brasileiros envolvidos em acidentes de transito são do sexo masculino e possuem até 40 anos. Como base de comparação, a Suécia tem o índice mais baixo do mundo, com 2 mortes anuais por cada 100 mil habitantes.

A Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) observa com preocupação tanto esses números de acidentes e óbitos quanto a ausência de ações certeiras que obedeçam às indicações do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Segundo a associação, é possível ver evoluções nos indicadores, mas de forma irregular, em uma curva que desce e sobe a depender do contexto, período do ano ou frequência de eventos. De forma objetiva, o Brasil teve poucos avanços na avaliação da Abramet. “Estamos mal, e a tendência é completar a década com números maiores que os observados em 2011”, afirma Dirceu Rodrigues Alves Jr, diretor de comunicação da associação. Já no sétimo ano da década, os avanços observados não são resultado de ações pragmáticas do Estado ou organização da sociedade. “Estamos contaminados por uma doença do trânsito, o que pede a contribuição de todos. O cidadão sai de casa saudável, pisa na rua, sofre um acidente e vai para o hospital como um doente, quando na verdade ele foi vítima de uma situação de irresponsabilidade social. Vira uma questão de saúde pública”, opina Dirceu.

62


Trânsito

Soluções em conjunto Ausência de uma educação de trânsito continuada é um dos principais obstáculos para evitar acidentes O CÓDIGO DE TRÂNSITO Brasileiro prevê a educação para o trânsito da pré-escola até o terceiro ano do Ensino Médio, a partir de um currículo interdisciplinar com conteúdo programático direcionado e ações integradas dos órgãos locais e federais. A ausência de uma política de educação continuada para a paz no trânsito se coloca então como o primeiro desafio, tendo impactos diretos. Por um lado no respeito aos limites de velocidade e demais regras pelos motoristas e por outro aos pedestres, como observação dos locais de travessia, incentivo ao uso do transporte público. O aumento da frota de automóveis e motos, até incentivado pelos governos com a redução de impostos, em paralelo ao grande número de bicicletas, também não veio acompanhado de campanhas de conscientização, e a reciclagem de motoristas não é prática exigida pelos Detran locais, como previsto na legislação. Dirceu Rodrigues, da Abramet, também é médico e conta que se envolveu com políticas de trânsito ao observar na prática médica o risco das “máquinas sobre rodas” que são

oferecidas a motoristas pouco experientes e preparados. Segundo ele, há uma negligência direcionada dos governos que nos custa milhares de vidas por ano. O Brasil conta hoje com 360 mil incapazes para o trabalho em função de acidentes de trânsito. “As aulas do curso de formação de condutores ensinam a fazer o carro andar, mas não falam das adversidades. Frenagem, chuva, neblina, outros carros. Quais são os mecanismos de direção defensiva para evitar colisões, atropelamentos e outros acidentes? Há uma negligência clara. Para combater o vírus zika o governo montou equipes para ir de casa em casa atrás da larva, de forma que dos 3,5 milhões de brasileiros doentes com dengue, apenas 584 pessoas foram a óbito no último ano, enquanto no trânsito perdemos 43 mil brasileiros. O Ministério da Saúde tem que enxergar esse problema como prioridade, enquanto o Ministério das Cidades e do Transporte devem agir permanentemente, pois o trânsito não pode mais gerar tantas perdas humanas e custos para o país”, defende o representante da Abramet.

63


Tecnologia

Comunicação de compra e venda de veículos pela internet RENAVE simplifica o processo de transferência e elimina inseguranças jurídicas

DESDE JULHO, toda comunicação de compra e venda de veículos, tanto novos quanto usados, pode ser feita pela internet. Trata-se da Resolução 678, que foi publicada e aborda especificamente o Registro Nacional de Veículos em Estoque (RENAVE), que é um sistema informatizado para facilitar e tornar a transferência mais ágil. O recurso é válido somente para Pessoas Jurídicas, voltado para simplificar o processo de transferência de veículo e eliminar inseguranças jurídicas. Quando um proprietário decidir vender seu carro em uma concessionária ou revenda, ele dará entrada no cadastro no RENAVE, passando o veículo para o nome da loja (sempre com o comprovante da transação). O veículo passará a constar no estoque dessa loja, que fará o mesmo processo quando vender o automóvel, registrando no RENAVE. Dessa forma, enquanto estiver correndo o processo burocrático, nenhuma das partes corre o risco de ter de se responsabilizar pelo veículo. Paralelamente, o RENAVE também reduz custos com despachantes e elimina problemas com o extravio de documentos. O comprador poderá consultar os dados do Denatran sobre o veículo, descobrindo se há algum tipo de pendência como multas ou

restrições. Isso porque o registro no sistema só pode ser completo com a apresentação dos documentos de vistoria do Denatran, Detran e Receita Federal. Ao fechar negócio com uma concessionária ou revenda, o proprietário do veículo terá de preencher e autenticar em cartório a Autorização de Transferência de Propriedade do Veículo (ATPV), que fica no verso do Certificado de Registro de Veículo (CRV). Após vistoria, o proprietário entrega toda a documentação, junto com o veículo, para a loja, que irá emitir uma Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) de compra e cadastrar o veículo no RENAVE. Feito isso, o veículo passa a ser propriedade da loja, que será responsabilizada por qualquer multa ou obrigação que surgir após essa data. Vale dizer que, dessa forma, o processo valida os dados na Receita Federal e na Secretaria da Fazenda. Portanto, evita inclusive problemas com o Imposto de Renda. Quando vender o carro, o lojista emite uma NF-e de venda e registra a transação no RENAVE. Imediatamente, o comprador já está registrado como novo proprietário, sendo necessário comparecer ao Detran para concluir o processo com a emissão do novo CRV em seu nome.

64


Fim de Papo

Influência digital: o co-branding do futuro por Carol Medeiros*

VENDER E CRIAR oportunidades de negócio é um desafio cada vez mais presente em qualquer empresa. Não apenas pelo encolhimento dos mercados e crises econômicas mundiais e locais, mas em grande parte pelo surgimento de um outro consumidor e uma nova forma de consumir, para o qual ainda conhecemos pouco as necessidades. Esse é um cliente difícil de ser fidelizado pois ele pesquisa mais e entende sobre o produto que vai adquirir. Além disso,

ele espera um atendimento customizado e de alta performance do início ao fim. Com a mudança dos mercados e a chegada certeira do mundo digital, o reconhecimento de marcas se torna cada vez mais importante e eficiente, enquanto grandes ações de publicidade, por exemplo, vão perdendo sua capacidade de venda a olhos vistos. Mas ao final, a pergunta do marketing digital ainda se resume em: Como converter? Qual a fórmula que parece

65


digital, em que o atendimento personalizado e o reconhecimento do consumidor com a marca é fundamental para que ele se fidelize.

magicamente envolver todo as classes sociais e etárias em uma mesma rede social? E porque algumas marcas se tornam referência absoluta em um nicho? Nesse contexto digital surge o conceito de marketing de conteúdo, em que a divulgação da marca e seus produtos não é mais feita em uma linguagem de propaganda, mas na língua do consumidor, seja ele quem for. Uma boa campanha hoje oferece as informações pelas quais o cliente está interessado. Para as locadoras de veículos, isso significa conhecer seu perfil de cliente e chegar até ele com informações relevantes para seu estilo de vida e hábitos de consumo, de forma que esteja aberto à sua empresa como uma marca com a qual se identifica. Para famílias que vão tirar férias com crianças, quem sabe um material sobre a importância do uso da cadeirinha, um lembrete para levar sua própria quando faltarem alguns dias para a viagem, ou mesmo entrar em contato para saber se gostaria de dispor de uma cadeirinha de segurança da própria locadora. No caso de grupos de turismo de negócio, oferecer dicas sobre os melhores restaurantes da cidade ou aqueles que oferecem horários estendidos para quando for preciso trabalhar até tarde? A experiência que o consumidor tem com a marca, antes, durante ou depois de seu consumo e a capacidade de aproximação com o público vai influenciar diretamente o fluxo de vendas e vem apresentando resultados muito diretos, nunca pelo custo de uma publicidade paga. Estabelecer uma relação pessoal com o público é um dos pilares importantes do mundo

AGREGANDO MARCAS E VALORES Agora imagine fazer uma parceria com outra marca, como é comum entre locadoras de veículos e hotéis, de forma a oferecer um serviço mais confortável e seguro para todos os tipos de turistas. Mas ao invés de um prestador de serviço, a parceria se dá com um influenciador digital, basicamente uma pessoa que conversa com seus clientes e seus clientes potenciais. Um casal de famosos que gosta de viajar e pretende tirar férias com a família. Que tal uma permuta em que será possível mostrar o bom atendimento da locadora, o conforto e segurança do veículo alugado? E não imagine que é necessário investir em um grande projeto na televisão. Pense em uma campanha com um influenciador digital da região, alguém que conversa com seu público de interesse e possa gerar um conteúdo sobre os bastidores da viagem, desde a recepção na locadora, a experiência de viajar até a devolução facilitada do veículo. É na espontaneidade do conteúdo que se agrega o alto valor de conversão. É esse jeito pessoal de lidar com o público que molda a nova forma de se comunicar. No espaço digital e no tempo do conteúdo dinâmico, o que todos querem é se sentir incluídos e participando do diálogo. Tanto clientes quanto empresas querem estar por dentro. Devemos então fazê-lo juntos!

“Surge o conceito de

marketing de conteúdo, onde a divulgação da

marca e seus produtos não é mais feita em uma linguagem de

propaganda, mas na

língua do consumidor, seja ele quem for”

*Carol Medeiros é consultora de marketing.

66


Revista Locação Ed. 73  
Revista Locação Ed. 73  
Advertisement