Page 1

ANO XXXI

82 15/05/2018

Superintendência de Comunicação Integrada

CLIPPING Nesta edição:

Clipping Geral: Ministério Público Justiça

Clipping Específico: Patrimônio Cultural


2

NE10 – on line 14/05/2018

Betinho Gomes aciona a Justiça para suspender aumento do metrô

Douglas Fernandes em Instant Articles às 10:47 Após tentar sem sucesso articular com o Ministério das Cidades para reverter o reajuste de 87% na tarifa do metrô das cinco capitais, onde é administrado pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), o deputado federal Betinho Gomes (PSDB) entrou com uma ação popular que solicita a suspensão do aumento no Recife, em vigor desde a última sexta-feira (11). “Em Belo Horizonte, umas das capitais brasileiras também atingida por esse aumento desmedido, a Justiça concedeu essa vitória ao cidadão. Por isso, estamos confiantes de que também teremos uma vitória aqui no Recife”, disse o tucano. No pedido protocolado na Vara da Fazenda Pública da Comarca de Recife, o parlamentar argumenta que o

reajuste não observou o impacto aos usuários que terão que suportar o desembolso de quase o dobro do valor diário da passagem. O que o tucano considera “ilegal”. Ainda na ação, Betinho Gomes aponta que o reajuste apresenta “ilegalidade” porque é não autorizado o repasse ao consumidor das inflações reprimidas. “Reafirmo que compreendo a necessidade de haver um reajuste na passagem, pois, há seis anos ela permanece com o mesmo valor. No entanto, aumentá-la em 87 % e de uma só vez é um verdadeiro assalto ao bolso do cidadão que precisa e depende desse transporte público. O que defendemos é que haja um entendimento e que a decisão seja razoável para todas as partes envolvidas nesse processo, não apenas o cidadão seja penalizado com uma conta tão alta”, disse o tucano. Confira a ação na íntegra Belo Horizonte Em Belo Horizonte, onde está sendo aplicado o mesmo aumento de Pernambuco também pela estatal federal CBTU, o Ministério Público mineiro (MPMG) atua contra o aumento. O site oficial do MPMG chegou a divul-

gar nota oficial sobre o assunto. O próprio chefe do MPMG já está atuando. Segundo o órgão, a Procuradoria-Geral de Justiça de Minas Gerais recebeu, nos últimos dias, diversas representações de parlamentares mineiros, associações e sindicatos contra a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), relativas ao reajuste de 88% nas tarifas do metrô de Belo Horizonte. Na sexta-feira (11), o procurador-geral Antônio Sérgio Tonet, se reuniu com o primeiro vice-presidente da Câmara dos Deputados, Fábio Ramalho, que entregou a ele um documento que contesta o aumento implementado nos preços dos trens da capital mineira. Dada a urgência da demanda, o chefe do MPMG deu imediato encaminhamento à representação, enviando-a para a Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor. Ontem, a Promotoria instaurou, de ofício, Notícia de Fato para apurar o caso e avaliar eventuais medidas judiciais cabíveis. O mesmo procedimento foi adotado em relação às demais representações recebidas pelo Ministério Público de Minas Gerais.


7 Quase 800 presos em MG

Quase 800 pessoas foram presas pela Polícia Militar em Minas, em menos de 24 horas, durante a operação Tiradentes II, encerrada no último sábado em todo o Brasil. Foram apreendidos ainda 115 armas de fogo e mais de 700 carros, sendo 81 furtados ou roubados.

ros, sendo 81 furtados ou roubados. 7 Defensores fazem mutirão

bre saúde, Previ

A Associação dos Defensores Públicos de Minas Gerais (Adep-MG) vai atender gratuitamente o público hoje, das 9h às 12h, em frente à Unidade de Atendimento Integrado (UAI) da praça Sete, no centro da capital. Serão dadas orientações sobre saúde, Previdência e pensão alimentícia.

3 Capital. CBTU retirou reajuste após decisão da Justiça e analisa, o tempo - mg - p. 2 2 29 - 15/05/2018

Metrô custa Metrô volta a volta custar R$a1,80 Capital. CBTU retirou reajuste após decisão da Justiça e analisa, agora, possibilidade de entrar com recurso

ALEX DE JESUS

tivo para ressarcimento. Usuáriosainda Usuáriosainda O Tribunal de Justiça de pagarammaiscaro Minas Gerais (TJMG) confirmou que a decisão judicial é ontemnaslinhasde pagarammaiscaro válida somente após a notifiônibusintegradas cação. Segundo o órgão, a li-

res nas catracas dos ônibus tivo para ressarcimento. res nas catracas dos ônibus e estações não é automática e simultânea em todas as liO Tribunal de Justiça de e estações não é automática nhas e foi sendo feita pouco Minas Gerais e simultânea em todas as lia pouco ao longo do dia. (TJMG) confirA Empresa de Transpormou que a decisão judicial é nhas e foi sendo feita pouco minar está sujeita a recurso tes e Trânsito de Belo Horisomente a pouco ao longo do dia. em segunda instância “a zonteválida (BHTrans) declarou após a notifi¬ RAFAELA MANSUR qualquer momento”. que foi notificada sobre a CAROLINA CAETANO cação. Segundo o órgão, a liA Empresa de TransporA CBTU havia reajustado suspensão do reajuste no ¬ Mais de 60 horas depois da tarde de ontem e de a Justiça suspender o a tarifa na última sexta-fei- iníciominar está sujeita a recurso tes e Trânsito de Belo Horireajuste de 88% no valor ra, sob o argumento de que logo comunicou às empreema necessidade segundade instância “a zonte (BHTrans) declarou RAFAELA não háMANSUR reajuste em Belo Hosas sobre da tarifa do metrô de Belo rizonte há cerca de 12 anos ajustar os valores. momento”. Horizonte, o bilhete voltou qualquer que foi notificada sobre a CAROLINA CAETANO Já a Secretaria de Estaa custar ontem R$ 1,80. A e que o aumento é necessáA CBTU havia reajustado suspensão do reajuste no 60a recuperação horas depois para par- do de Transportes e Obras Companhia Brasileira Mais de riode (Setop) na afirmou Trens Urbanos (CBTU) foi cial de perdas inflacionárias Públicas a tarifa última sexta-feiinício da tarde de ontem e de a Justiça suspender o notificada pela manhã e, e para a continuidade do ser- que foi informada na maentanto,no na noite a por volta das 9h, os usuá- viço. sobe repassou o argumento de que logo comunicou às emprereajuste deNo 88% valornhã dera,ontem rios estavam pagando o do mesmo dia, o juiz Mauro orientação às empresas de não há reajuste sas sobre a necessidade de da tarifa metrô Penado Rocha, da 4ª de VaraBelo da imediato. Segundo o em Belo Hopreço antigo. A companhia Fazenda Pública, deferiu o TJMG, a decisão só estabe“analisa a possibilidade” Horizonte, o bilhete voltou rizonte há cerca de 12 anos ajustar os valores. pedido de liminar do depulece multa em caso de desde recorrer da decisão. e que dao CBTU. aumentoTarifa é necessáJásexta-feira, a Secretaria de Estaa custar ontem R$Ramalho 1,80. Acumprimento federal Fábio A CBTU informou que tado havia subido para R$ 3,40 na mas Justiça suspendeu aumento no mesmo dia (MDB) e suspendeu o reajus-de está avaliando os “efeitos rio para a recuperação pardo de Transportes e Obras Companhia Brasileira da suspensão” do reajuste te, ao constatar “indícios de cial de perdas inflacionárias Públicas (Setop) afirmou abusividade na recomposi-foi Trens (CBTU) Saiba mais e as possibilidades no cam- Urbanos Insegurança Dificuldade po jurídico e de gestão pa- ção tarifária”. Ele fixou mule para a continuidade do serque foi informada na manotificada pela manhã e, ALEX DE JESUS ALEX DE JESUS 0 Debate. Uma audiência ra a realização da recompo- ta de R$ 250 mil por dia em caso de descumprimento. pública o reajuste danhã de ontem e repassou a sição tarifária. Sobre nasobre noite porosvolta das 9h, os usuá- viço. No entanto, tarifa do metrô está prevista usuários que desembolsado mesmo dia, opara juiz Mauro às empresas de pagando a próxima sexta-feiraorientação na ram R$ 3,40 pelarios passa- estavam INTEGRAÇÃO. Mesmo após a o Assembleia Legislativa, àsimediato. Segundo o gem no fim de semana, a antigo. notificaçãoA dacompanhia Justiça, muiPena Rocha, da 4ª Vara da preço companhia alegou que não tos usuários das linhas inte- ¬ O deputado federal Fábio 10h. A reunião foi requerida Fazenda o TJMG, a decisão só estabe“analisa a ao possibilidade” deputada estadual havia sido notificada, até gradas metrô pagaram Ramalho (MDB) vai sePública, reunir peladeferiu então, pela Justiça e, por is- mais caro pelo transporte hoje com parlamentares da Marília Campos (PT-MG). pedido de liminar do depulece multa em caso de desde recorrer da decisão. so, entende que não há mo- ontem. A alteração de valo- bancada mineira em Brasília WALTERSON ROSA / ESTADÃO 0 Justiça. O deputado cumprimento da CBTU. “obstrução” tadouma federal Fábio Ramalho A CBTU informou quepara propor Tarifa havia subido às pautas do governo federal, federal Betinho Gomes e suspendeu o reajusestá avaliando os “efeitosque se(MDB) entrou na Justiça negou a aplicar o au- (PSDB-PE) “A tarifa de novo a R$ “Pelo tempo que ficou pedir a suspensão do da tarifa forma esca- para 1,80 é um alívio, mas dá sem aumentar a tarifa, te, aodeconstatar “indícios de da suspensão” do reajustemento lonada. “Temos uma bancada reajuste da tarifa do metrô também insegurança, não achei tão ruim na em recomposie as possibilidades no cam-grande,abusividade Recife, que passou de R$ e o Estado está sendo porque a qualquer assim. O problema é 1,60 para R$ 3. Em Recife, muito desrespeitado”, disse. ção tarifária”. Ele fixou mulpo jurídico e de gestão pa- Segundo momento eles podem que, para quem ganha ele, o objetivo é Maceió, João Pessoa e Natal, fazer um novo um salário0 mínimo, o Uma a estáem mantido. cancelamento defi-milo aumento tao de R$ 250 por dia Debate. ra a realização da recompo-garantir do reajuste. Havia a exreajuste”. reajuste dói no bolso.” caso de descumprimento. pública sobre o re sição tarifária. Sobre osnitivo pectativa de que o Ministério 0 Números. Cerca de 360 mil passageiros usam as Público de Minas entrasse onTaíse de Paula Pimenta Alberto Alves Souza tarifa do metrô es usuários que desembolsatem com uma ação na Justiça, linhas metropolitanas 32, COORDENADORA DE 57, AUTÔNOMO para a próxima se ramde cancelar R$ 3,40 pelao aumento passa-o que não INTEGRAÇÃO. após a por mês. PRODUTOS integradas ao metrô ocorreu. (RM) Mesmo Fábio Ramalho busca forma definitivamente

ontemnaslinhasde ônibusintegradas ¬ ¬

Deputadovai pressionar governo

gem no fim de semana, a companhia alegou que não havia sido notificada, até então, pela Justiça e, por isso, entende que não há mo-

notificação da Justiça, muitos usuários das linhas integradas ao metrô pagaram mais caro pelo transporte ontem. A alteração de valoWALTERSON ROSA / ESTADÃO

Fábio Ramalho busca forma de cancelar definitivamente o aumento

Deputadovai pressionar governo

¬ O deputado federal Fábio

Ramalho (MDB) vai se reunir hoje com parlamentares da bancada mineira em Brasília para propor uma “obstrução” às pautas do governo federal, que se negou a aplicar o aumento da tarifa de forma escalonada. “Temos uma bancada grande, e o Estado está sendo muito desrespeitado”, disse. Segundo ele, o objetivo é garantir o cancelamento definitivo do reajuste. Havia a expectativa de que o Ministério Público de Minas entrasse ontem com uma ação na Justiça, o que não ocorreu. (RM)

Saiba mais

Assembleia Legis 10h. A reunião fo pela deputada es Marília Campos (

0 Justiça. O depu federal Betinho G (PSDB-PE) entrou para pedir a susp reajuste da tarifa em Recife, que pa 1,60 para R$ 3. E Maceió, João Pes o aumento está m

0 Números. Cerc mil passageiros u linhas metropolit integradas ao me


a custar R$ 1,80

4

cont.... o tempo - mg - p. 2 2 29 - 15/05/2018

s dos ônibus é automática m todas as lio feita pouco go do dia. de Transpore Belo Horins) declarou ada sobre a reajuste no de ontem e u às empreessidade de es. aria de Estartes e Obras p) afirmou ada na mae repassou a empresas de egundo o o só estabecaso de desa CBTU.

dovai nar

ederal Fábio vai se reunir mentares da a em Brasília “obstrução” erno federal, aplicar o aue forma escauma bancada do está sendo ado”, disse. o objetivo é amento defie. Havia a exo Ministério entrasse onão na Justiça, u. (RM)

ALEX DE JESUS

Tarifa havia subido para R$ 3,40 na sexta-feira, mas Justiça suspendeu aumento no mesmo dia

Saiba mais 0 Debate. Uma audiência pública sobre o reajuste da tarifa do metrô está prevista para a próxima sexta-feira na Assembleia Legislativa, às 10h. A reunião foi requerida pela deputada estadual Marília Campos (PT-MG). 0 Justiça. O deputado federal Betinho Gomes (PSDB-PE) entrou na Justiça para pedir a suspensão do reajuste da tarifa do metrô em Recife, que passou de R$ 1,60 para R$ 3. Em Recife, Maceió, João Pessoa e Natal, o aumento está mantido. 0 Números. Cerca de 360 mil passageiros usam as linhas metropolitanas integradas ao metrô por mês.

Insegurança

Dificuldade ALEX DE JESUS

ALEX DE JESUS

“A tarifa de novo a R$ 1,80 é um alívio, mas dá também insegurança, porque a qualquer momento eles podem fazer um novo reajuste”.

“Pelo tempo que ficou sem aumentar a tarifa, não achei tão ruim assim. O problema é que, para quem ganha um salário mínimo, o reajuste dói no bolso.”

Taíse de Paula Pimenta

Alberto Alves Souza

32, COORDENADORA DE PRODUTOS

57, AUTÔNOMO


Sordidum Publicae. Só quatro vereadores acompanharam 7 7

TEL: (31) 2101-3915 FAX: (31) 2101-3950 Editor: Ricardo Correa ricardo.correa@otempo.com.br e-mail: politica@otempo.com.br twitter: http://twitter.com/OTEMPOpolitica Atendimento ao assinante: 2101-3838

Eleição na Câmara Federal

Após a morte do deputado Rômulo Gouveia (PSD-PB), a Câmara dos Deputados terá que fazer uma eleição para preencher a vaga de quarto-secretário da Mesa Diretora. Só poderão participar deputados do partido do antigo ocupante da vaga. A data ainda está sendo definida.

Documentos na CIA

O Ministério das Relações Exteriores vai pedir ao governo dos Estados Unidos a liberação dos documentos produzidos pela Agência Central de Inteligência (CIA, sigla em inglês) sobre a ditadura civil-militar no Brasil. O pedido inicial feito ao Itamaraty é do Instituto Vladimir Herzog

Política

Sessão esvaziad Sessão esvaziada define rito para cassação para cassação de Magalhãesde 5

o tempo - mg - p. 03 - 15/05/2018

Sordidum Publicae. Só quatro vereadores acompanharam a primeira reunião da comissão processante

FRED MAGNO

Vereadorpreso temdezdiaspara apresentaruma defesaporescrito

sação de mandato, a quebra de decoro parlamentar. Depois disso, a comissão tem cinco dias para analisar a defesa e decidir se continua com o processo. Caso este avance, serão colhidos depoimentos das testemu¬ LUCAS RAGAZZI ¬ Com pequena participa- nhas e será analisada a doção de outros vereadores e cumentação que deu início encerrada dez minutos ao pedido. Eles, então, teapós ter sido aberta, a pri- rão 90 dias para concluir e meira sessão da comissão apresentar um relatório soprocessante que analisa o bre os trabalhos. Após explicação do depedido de cassação do LUCAS RAGAZZI mandato de Wellington senrolar do rito, o colegiado Magalhães (PSDC), ex-pre- fez uma solicitação oficial à sidente da Câmara Munici- presidência da Câmara para pal de Belo Horizonte e que um procurador jurídico atualmente preso no Com- da Casa possa acompanhar plexo Penitenciário Nelson de perto o processo. ConcluíHungria, definiu os próxi- da a questão, a sessão foi fechada. Questionados por mos passos do colegiado. Formada pelos vereado- Dr. Nilton se gostariam de res Dr. Nilton (PROS), pre- fazer algum comentário ou sidente do colegiado, Rei- declaração, Reinaldo Gonaldo Gomes (MDB), relator, e Bispo Fernando Luiz (PSB), a comissão explicou as próximos etapas a serem seguidas. Segundo Dr. Cassação. No pedido Nilton, a defesa de Magapara cassar o mandato de lhães teria, contando a parMagalhães, o advogado tir de ontem, dez dias corriMariel Marra argumenta dos para apresentar uma que o vereador quebrou defesa por escrito e arrolar o decoro parlamentar ao testemunhas e provas que ser denunciado por prátio inocentem da acusação cas ilícitas pelo MP. colocada no pedido de cas-

Vereadorpreso temdezdiaspara apresentaruma defesaporescrito ¬ ¬

Com pequena participação de outros vereadores e encerrada dez minutos após ter sido aberta, a primeira sessão da comissão processante que analisa o pedido de cassação do mandato deArgumento Wellington Magalhães (PSDC), ex-presidente da Câmara Municipal de Belo Horizonte e atualmente preso no Complexo Penitenciário Nelson Hungria, definiu os próximos passos do colegiado. Formada pelos vereadores Dr. Nilton (PROS), presidente do colegiado, Reinaldo Gomes (MDB), relator, e Bispo Fernando Luiz (PSB), a comissão explicou as próximos etapas a serem seguidas. Segundo Dr. Nilton, a defesa de Magalhães teria, contando a partir de ontem, dez dias corridos para apresentar uma defesa por escrito e arrolar testemunhas e provas que o inocentem da acusação colocada nodefesa pedido deinocência casMárcio Fagundes está preso, mas reafirma sua EDY FERNANDES – 25.2.2016

mes e Bispo Fernando Luiz responderam que não. Além dos três parlamentares que compõem o colegiado, apenas o vereador Jorge Santos (PRB) compareceu à reunião da comissão que pode cassar o mandato de um ex-presidente da Casa – pauta histórica e relevante para a sociedade mineira, visto que é a primeira vez na Câmara da capital que uma comissão processante para cassar mandato é aberta.

sação de mandato, a quebra mes e Bispo Fernando Luiz responderam que não. de decoro parlamentar. Além dos três parlamenDepois disso, a comissão tem cinco dias para anali- tares que compõem o colesar a defesa e decidir se con- giado, apenas o vereador tinua com o processo. Caso Jorge Santos (PRB) compaeste avance, serão colhidos receu à reunião da comissão depoimentos das testemu- que pode cassar o mandato nhas e será analisada a do- de um ex-presidente da CaINFLUÊNCIA. O presidente do colegiado, Dr. Nilton, afir-que deu início sa – pauta histórica e relecumentação mou que não sofrerá neaotipopedido. então, te- vante para a sociedade minhum de influência Eles, de Wellington Magalhães durão 90 dias para concluir e neira, visto que é a primeira rante os trabalhos da comissão, mas ponderou que não vez na Câmara da capital apresentar pode “responder pelos um de- relatório somais vereadores”. que uma comissão procesbre os trabalhos. Dr. Nilton também afirmou queApós nenhum dos parlaexplicação do de- sante para cassar mandato é mentares da Casa gostaria Vereadores evitaram declarações na primeira reunião do grupo que conduzirá processo de cassação de senrolar estar ali, discutindo doaquerito, o colegiado aberta. la questão. “Nenhum vereadorfez se sente bem solicitação de estar Reação uma oficial à em um processo destes, de presidência da Câmara para INFLUÊNCIA. O presidente do cassar outro. É a primeira comissão processante na históum procurador jurídico colegiado, Dr. Nilton, afirriaque da Casa. Nunca aconteceu antes. Todos estão insada Casa possa mou que não sofrerá netisfeitos, mas ninguém se acompanhar opõe a isso”, ponderou. de perto o processo. Concluínhum tipo de influência de A assessoria da defesa ‘já tinha prestado depoimen- mente a subcontratação de comunicação to no processo’, o queMagalhães esva- materiais dedu7 do jornalista da a questão, a sessão foiMárcio fe- Fa- Wellington gundes, ex-superintenden- zia e anula o argumento da para unidades ligadas ao Posicionamento grupo criminoso”, prisão, segundo o qual não próprio te de Comunicação da Câ- rante chada. Questionados por os trabalhos da comismostra o texto da denúncia mara Municipal de Belo Ho- teria colaborado”. “Dizer que Fagundes foi por Onão TEMPO. Em mas um trecho da denún- obtida rizonte, preso desde Nilton por se gostariam deo dia são, ponderou que umDr. dos responsáveis Em outra parte, a de18 de abril, após a operação cia apresentada pelo MPMG ter montado uma fazer algum comentário oudivul- pode “responder pelos de- afirma do MPMG e que pede a prisão preventi- núncia Sordidum Publicae, comissão de licitação e gou nota contestando a ar- va de Fagundes, os investiga- que Fagundes, em conjunque ela foi criada para Reinaldo declaração, Gomais vereadores”. gumentação do Ministério dores colocam o ex-superin- to com o então presidente permitir que o processo Público de Minas Gerais tendente da Câmara como da Câmara, Wellington Dr.responsáveis Nilton também licitatório fraudado com a (MPMG), que pede a prisão um dos Magalhães,afire com o emprepor um esquema de corrupção que sário Marcus Vinícius, da Feeling avançasse sem preventiva de Fagundes. mou que nenhum dos parlaDe acordo com o texto, teria desviado recursos pú- MC.COM, agiu “de modo problemas é uma orquestrado para fraudar blicos da Câmara da de BH.Casa assinado pelos jornalistas mentares associação leviana, gostaria Veread “Márcio Fagundes, no o processo licitatório” que Orion Teixeira e José Aparemaldosa e de presunção contratou a empresa de exercício de seu elevado carcido Ribeiro, a nota serve pa- de estar ali, discutindo aquede culpa sem provas. ra “evitar prejulgamento e go de superintendente, agin- publicidade. Porque, como No texto divulgado pedoquestão. em concurso e unidade de condenação antecipada de la “Nenhum vereaCassação. No pedido superintendente de um profissional que pautou desígnios com a empresa MC. la defesa de Fagundes, os Comunicação, era sente bemtrechos de são estar para cassar o mandato rebatidos peCOM, se direcionava indevidasua trajetória dede 45 anos pe- dor obrigação dele, sim, los jornalistas. “Encarcela ética, pela correção e pede Magalhães, rar alguém por ter assinalos bons serviços prestados em um processo destes, montar a comissão de o advogado do documentos, como ele à sociedade e ao jornalismo licitação e até indicar Negativa cassar outro. É a primeira Mariel Marra argumenta fez, e afirmarcoque ele não pessoas que considerava mineiros”. quis colaborar com as inSegundo a nota, o MinisPrisão. O desembargaíntegras para o missão processante na históque ocompor vereador quebrou vestigações, consideratério Público ainda não apredor Flávio Leite, do Tricolegiado. Agora, afirmar sentou provas que justificasmos aconteum absurdo inaceitábunal de Justiça de Miria da Casa. Nunca o decoro parlamentar ao que ela foi criada para a vel. Márcio tem bons antesem as acusações, suspeitas nas Gerais (TJMG), nefraude é uma dedução cedentes,insaendereço fixo, menos a cruel pri- ceu gou,antes. em 24 de abril, o Todos estão ser denunciadoesão“muito por prátiforçada, distorcida e, história irretocável, refepreventiva”. “Até porpedido de habeas corpus rências, vida simples, como informou o pró- tisfeitos, apresentado pela defesa ninguém mas se quacas ilícitas peloque,MP. novamente, sem provas.” se franciscana, sem nenhuprio Sindicato dos Jornalisde Márcio Fagundes. ma ostentação”. Defesa de Márcio Fagundes tas de Minas Gerais, Márcio opõe a isso”, ponderou. EDY FERNANDES – 25.2.2016 A d

DefesadeMárcioFagundesdiz queMPnãoapresentouprovas

Argumento

Rea

De qu 7


¬ Com pequena participa- nhas e será analisada a dosponder pelos de-vereadores e cumentação que deu início sa – pauta histórica e releção de outros adores”. encerrada dez minutos ao pedido. Eles, então, te- vante para a sociedade miltonapós também afir-aberta, a pri- rão 90 dias para concluir e neira, visto que é a primeira ter sido 6 nenhum dos parlameira sessão da comissão apresentar um relatório so- vez na Câmara da capital daprocessante Casa gostaria Vereadores evitaram declarações na primeira reunião do grupo que conduzirá processo de cassação que uma comissão procesque analisa o bre os trabalhos. li, discutindo aquecont... ocassação tempo - mg - 15/05/2018 Após explicação do de- sante para cassar mandato é pedido de do - p. 03 o. “Nenhum mandatovereade Wellington senrolar do rito, o colegiado aberta. enteMagalhães bem de estar (PSDC), ex-pre- fez uma solicitação oficial à rocesso destes, de daFernando Câmara para sidente da Câmara mes e Bispo Luiz INFLUÊNCIA. O presidente do sação de mandato, aMuniciquebra presidência tro. Épal a primeira coque um procurador jurídico de Belo Horizonte e colegiado, Dr. Nilton, afirresponderam que não. de decoro parlamentar. ocessante na históda Casa possa acompanhar atualmente preso no ComAlém dos três parlamen- mou que não sofrerá neDepois disso, a comissão sa. Nunca acontede perto o processo. Concluíplexo Penitenciário Nelson compõem o cole- nhum tipo de influência de tem cinco dias para anali- tares que . Todos estão definiu insa- os próxi- da a questão, a sessão foi fe- Wellington Magalhães duHungria, sar a defesa e decidir se con- giado, apenas o vereador mas ninguém se colegiado. Questionados por rante os trabalhos da comismos passos Jorge Santos (PRB) compatinua com odo processo. Caso chada. o”, ponderou. Dr. Nilton se gostariam de são, mas ponderou que não receu esteFormada avance, pelos serãovereadocolhidos tinha prestado depoimen- mente a subcontratação de A assessoria daà reunião defesa da‘jácomissão algum comentário ou pode “responder pelos deres Dr. Nilton (PROS), pre- fazer que pode cassar depoimentos das testemuno processo’, o que esva- materiais de comunicação do jornalista Márcio Fa- otomandato declaração, ReinaldodaGosidente do colegiado, Reivereadores”. de um ex-presidente Ca- o mais nhas e será analisada a doargumento da para unidades ligadas ao gundes, ex-superintenden- zia e anula onamento naldo Gomesque (MDB), relaDr. Nilton também afirsa – pauta histórica e relecumentação deu início te de Comunicação da Câ- prisão, segundo o qual não próprio grupo criminoso”, tor,pedido. e Bispo Eles, Fernando Luiz dos parlaparaHoa sociedade mi- mou que nenhummostra ao então, te- vante o texto da denúncia teria colaborado”. mara Municipal de Belo ue Fagundes foi (PSB), comissão explicou mentares da Casa gostaria Vereadores evitaram declarações na prime neira, visto que é a primeira rão 90 adias para concluir e obtida por O TEMPO. Em um trecho da denúnrizonte, preso desde o dia esponsáveis por as próximos a sede estar ali, discutindo aquevez na Câmara da capital apresentar umetapas relatório soEm outra parte, a de18 de abril, após a operação cia apresentada pelo MPMG adobre uma rem seguidas. Segundo Dr. Publicae, la questão. “Nenhum vereaCassação. No pedido que umadivulcomissão procesos trabalhos. núncia do MPMG afirma e que pede a prisão preventiSordidum o deNilton, licitação e a defesa de Magador se sente bem de estar para cassar o mandato de sante paraa cassar mandato é Após explicação de-contestando em conjunde Fagundes, os investiga- que Fagundes, goudo nota ar- va oi criada para lhães teria, a parum processo to destes, Magalhães, o advogado aberta. senrolar do contando rito, o gumentação colegiado com ode então presidente dores colocamem o ex-superindo Ministério tir ontem, dez dias corri-àde Minas outro. É a primeira co- Wellington Mariel Marra quefez o de processo uma solicitação oficial da Câmara, tendente da cassar Câmara como Público Geraisargumenta dos para apresentar uma missão processante na históque o vereador quebrou presidência paraqueINFLUÊNCIA. o fraudado comdaa Câmara O presidente do um dos responsáveis por um Magalhães, e com o empre(MPMG), pede a prisão defesa por escritopreventiva e arrolar ria da Casa. aconteoFagundes. decoro parlamentar aoafir-de corrupção que umsem procurador jurídico decolegiado, Dr. Nilton, sário Marcus Vinícius, da esquema queNunca avançasse testemunhas e provas que ceu antes. Todos estão insa- agiu “de modo ser denunciado por prátida Casa possa acompanhar mou que não sofrerá neMC.COM, teria desviado recursos púDe acordo com o texto, as é uma o inocentem da acusação tisfeitos, se para fraudar casjornalistas ilícitas MP. de perto o processo. Concluí-pelos nhum tipo pelo de influência orquestrado blicos dade Câmara de BH.mas ninguém assinado ão leviana, colocada no pedido defoi casopõe a isso”,no ponderou. da a questão, a sessão feWellington Magalhães duo processo licitatório” que “Márcio Fagundes, Orion Teixeira e José Aparee de presunção EDY FERNANDES A assessoria da defesa ‘já tinh de chada. Questionados por arante exercício de seu elevado car- contratou a empresa cido Ribeiro, nota serve paos trabalhos da– 25.2.2016 comissem provas. do jornalista Márcio Fa- to no de superintendente, agin- publicidade. ra “evitar e go que Dr. Nilton se gostariam de prejulgamento são, mas ponderou não como gundes, peex-superintenden- zia e a No texto divulgado em concurso e unidade de condenação de do fazer algum comentário ou antecipada pode “responder pelos de- Posicionamento endente de te de Comunicação da Câ- prisão os um profissional que pautou desígnios com a empresa MC. la defesa de Fagundes, declaração, Reinaldo Go- mais vereadores”. ação, era mara Municipal de Belo Ho- teria c trechos peCOM, direcionava indevidasua trajetória de 45 pe- também que Fagundes foisão rebatidos Dr.anos Nilton afir- “Dizer o dele, sim, Em preso desde o dia los jornalistas. “Encarcela ética, pela mou correção e peque nenhum dos parla- um dos responsáveis por rizonte, rar alguém por ter assinacia ap los bons serviços prestados 18 de abril, após a operação a comissão de mentares da Casa gostaria ter Vereadores evitaram montado uma declarações na primeira reunião do grupo que conduzir do documentos, como ele à sociedade e ao jornalismo e que p Sordidum Publicae, divulde estar ali, discutindo aque- comissão de licitação e e até indicar fez, e afirmar que ele não mineiros”. va de F gou nota contestando a arla questão. “Nenhum vereaCassação. No pedido que considerava que ela foi criadaquis para colaborargumentação com as in- do Ministério dores Segundo nota, Minis-bemPrisão. O desembargaseo sente de estar cassar de ador parapara compor o o mandato permitir que o processo vestigações, consideratério Público ainda não apredor Flávio Leite, do TriPúblico de Minas Gerais tende em um processo destes, de Magalhães, o advogado o. Agora, afirmar mos um absurdo inaceitálicitatório fraudado com a sentou provas que justificasbunal de Justiça de Mi(MPMG), que pede a prisão um do cassar outro. É a primeira coMariel Marra oi criada para a argumenta vel. Márcio tem bons antesem as acusações, suspeitas nas Gerais (TJMG), neesque preventiva de Fagundes. missão processante na histó- Feeling avançasse sem o vereador quebrou umaque dedução cedentes, endereço fixo, e “muito menos a cruel prigou, em 24 de abril, o De acordo com o texto, teria d ria da Casa. Nunca aconte- problemas é uma o decoro parlamentar ao distorcida e, história irretocável, refesãoprátipreventiva”. “Até porpedido de habeas corpusleviana, assinado pelos jornalistas blicos ceu antes. Todos estão insaser denunciado por associação rências, vida simples, qua- e José Apareque, como informou o próapresentado pela defesa nte, sem provas.” “M Orion Teixeira tisfeitos, mas ninguém se maldosa e de presunção cas ilícitas pelo MP. se franciscana,cido semRibeiro, nenhu- a nota serve pa- exercí prio Sindicatoopõe dos aJornalisde Márcio Fagundes. isso”, ponderou. de culpa sem provas. ma ostentação”. tas de Minas Gerais, Márcio e Márcio Fagundes de prejulgamento e go EDY FERNANDES – 25.2.2016 ment tinha prestado depoimenA assessoria da defesa ra‘já“evitar Porque, como em antecipada de do mate to no processo’, o que esvado jornalista Márcio Fa- condenação superintendente de que pautou para zia profissional e anula o argumento da desígn gundes, ex-superintenden- um Posicionamento Comunicação, era COM, sua trajetória de 45 anos pete de Comunicação da Câ- prisão, segundo o qual não própr dele, sim, ética, pela correção e pemostr colaborado”. mara Municipal de Belo Ho- lateria “Dizer que Fagundes foi obrigação los bons serviços prestados montar a comissão de obtid Em um trecho da denúnrizonte, preso desde o dia um dos responsáveis por àcia sociedade e ao pelo jornalismo Em apresentada MPMG 18 de abril, após a operação licitação e até indicar ter montado uma e que pede a prisão preventi- núnc Sordidum Publicae, divul- mineiros”. pessoas que considerava comissão de licitação e a nota, o MinisPrisã que F de Fagundes, os investigagou notapara contestando íntegras compor oa ar- vaSegundo que ela foi criada para tério Público ainda não apredorcoF to dores colocam o ex-superingumentação do Ministério colegiado. Agora, afirmar sentou provas que justificaspermitir que o processo buna C Público de Minas Gerais tendente da Câmara como da ela foi criada para a as acusações, suspeitas nas G licitatório fraudado com a que um dos responsáveis por um Maga (MPMG), que pede a prisão sem fraude é uma eesquema “muito menos a cruel prigou, de corrupção que sário Feeling avançasse sem preventiva dededução Fagundes. forçada, distorcida e, são preventiva”. “Até porpedi MC.C teria desviado recursos púDe acordo com o texto, problemas é uma que, como informou o próapre novamente, sem provas.” orque blicos da Câmara de BH. assinado pelos jornalistas associação leviana, prio“Márcio SindicatoFagundes, dos Jornalisdepro M o no Orion Teixeira e José Aparemaldosa e de presunção Defesa de Márcio Fagundes tas de Minas Gerais, Márcio Márcio Fagundes está preso, mas defesa reafirma sua inocência cido Ribeiro, a nota serve pa- exercício de seu elevado car- contr de culpa sem provas. ra “evitar prejulgamento e go de superintendente, agin- publi Porque, como No condenação antecipada de do em concurso e unidade de superintendente de um profissional que pautou desígnios com a empresa MC. la de Comunicação, era sua trajetória de 45 anos pe- COM, direcionava indevida- trech

a cassação de Magalhãe Reação

DefesadeMárcioFagundesdiz queMPnãoapresentouprovas 7

Argumento

Reação

DefesadeMá queMPnãoa 7

Argumento

Negativa

Reação

DefesadeMárcioFagun queMPnãoapresentou 7

Ne


7 hoje em dia - mg - p. 05 - 15/05/2018


8 metro - mg - p. 02 - 15/05/2018


9 cont.... metro - mg - p. 02 - 15/05/2018

G1 MG, Belo Horizonte - 14/05/2018 19h19 Atualizado há 10 horas

Comissão da Câmara Municipal de BH começa a analisar denúncia contra Wellington Magalhães

Vereador está preso suspeito de liderar uma organização criminosa que fraudava licitações de publicidade. Ele é alvo de denúncia de quebra de decoro parlamentar. Uma comissão da Câmara Municipal de Belo Horizonte começou a analisar nesta segunda-feira (14) a denúncia de quebra de decoro parlamentar do vereador Wellington Magalhães (PSDC). O ex-presidente da Casa está preso na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na região metropolitana, desde o dia 24

de abril. Magalhães é suspeito de liderar uma organização criminosa que fraudava licitações de publicidade da câmara. Os prejuízos aos cofres públicos, segundo o MPMG, passaram de R$ 30 milhões. A operação "Sordidum Publicae", realizada pela Polícia Civil e Ministério Público do Estado de Minas Gerais (MPMG), foi deflagrada no dia 18 de abril. Welington Magalhães foi notificado deste fim de semana da abertura do processo e tem dez dias para apresentar a defesa. A parir daí, a comissão tem cinco dias para decidir se vai continuar ou não com a análise da denúncia. Se os vereadores seguirem com o trabalho da comissão, eles terão até três meses para apresentar o relatório final, apontando pela cassação ou não do vereador. De acordo com a Câmara Municipal, Magalhães ainda não apresentou o advogado que fará sua defesa neste caso.


10 www.revistaencontro.com.br - 08/05/2018


11 cont... www.revistaencontro.com.br - 08/05/2018


12 cont... www.revistaencontro.com.br - 08/05/2018


13 cont... www.revistaencontro.com.br - 08/05/2018


14 G1 Triângulo Mineiro 11/05/2018 18h58 Atualizado 11/05/2018 20h12

Após recomendação do MP, radares são desligados em Uberlândia e motoristas poderão ser ressarcidos

Promotor aponta que mais de 290 equipamentos na área urbana não estavam devidamente aferidos pelo Inmetro. Prefeitura não informou como fará a devolução do valor das multas pagas.

Por Bárbara Almeida, Mais de 290 radares na zona urbana de Uberlândia foram desativados nesta semana pela Secretaria de Trânsito e Transportes (Settran), após recomendação do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG). De acordo com a Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor de Uberlândia, alguns medidores de velocidade de veículos, sob responsabilidade da Prefeitura, não estão devidamente aferidos pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). Além disso, o MPMF também recomendou que multas aplicadas por radares irregulares devem ser devolvidas para os motoristas em até 90 dias. O G1 entrou em contato com a Prefeitura de Uberlândia que informou, em nota, que atendeu a recomendação do MPMG, mas não disse o dia e horário que realizou o desligamento dos aparelhos. A lista dos radares desligados não foi informada à reportagem. Irregularidades De acordo com o site do Inmetro, Uberlândia tem atualmente 397 radares de trânsito. O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) estabelece vários requisitos para a legal utilização dos medidores de velocidade da cidade. Entre eles estão:

• que o modelo de radar seja aprovado pelo Inmetro, atendendo à legislação metrológica em vigor e aos requisitos estabelecidos; • que ele seja aprovado na verificação metrológica pelo Inmetro ou entidade por ele delegada; • e que seja verificado obrigatoriamente com periodicidade máxima de 12 meses e, eventualmente, conforme determina a legislação metrológica em vigência.O MPMG recomendou ainda que os radares só voltem a funcionar quando estiverem de acordo com as normas do Contran. “Por enquanto a fiscalização é apenas para área urbana, aquela que o Executivo precisa cuidar. Referente aos radares nas rodovias, são de atuação do Ministério Público Federal, mas se tiverem irregulares também vamos agir para que sejam regularizados”, explicou o promotor responsável pela recomendação, Fernando Rodrigues Martins. \

Valor de multas e pontos retirados da CHN devem ser devolvidos

Além disso, a Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor de Uber-

lândia recomendou que o Executivo faça a restituição dos eventuais pontos e valores pagos a títulos de multas pelos motoristas e contribuintes respectivamente autuados por meio dos aparelhos irregulares, em prazo não inferior a 90 dias a contar do recebimento da recomendação, sob pena de responsabilização civil e administrativa. “Os aparelhos não estavam com aferições atualizadas, o que retira a validade das multas”, explicou Fernando Martins. Ainda de acordo com o promotor, alguns dos radares que precisam ser regularizados estavam fora da aferição do Inmetro desde 2014, ou seja, motoristas multados há quatro anos podem pedir na Prefeitura o valor pago na multa. O Executivo também não informou ao G1 como irá fazer a devolução desse dinheiro. Para saber se um radar em Uberlândia está devidamente aferido pelo Inmetro o motorista deve acessar o link e verificar se a data de validade do aparelho está em dia. https://g1.globo.com/mg/triangulo-mineiro/noticia/apos-recomendacao-do-mp-radares-sao-desligados-em-uberlandia-e-motoristas-poderao-ser-ressarcidos.ghtml

Radares que ficam nas rodocias que cortam Uberlândia não foram desligados (Foto: Reprodução/TV Integração)


15

http://www.folhauberaba. com.br/ - Publicado em sex, 11/05/2018 - 19:14

Regulamentação do comércio varejista de produtos de origem animal é discutida em Audiência Pública em Frutal

Foi realizada nessa quarta-feira, 9 de maio, na Câmara Municipal de Frutal, no Triângulo Mineiro, Audiência Pública com o objetivo de debater a regulamentação municipal e estadual do comércio varejista de produtos de origem animal em açougues, supermercados e casas de carnes da região, no que se refere à produção, à fabricação, à manipulação, ao preparo e à venda de carnes “in natura”, temperadas ou transformadas (almôndegas, quibes, linguiças, carnes temperadas, etc). O evento foi promovido pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Frutal. Os órgãos públicos participantes se manifestaram sobre a distribuição de competências de fiscalização, a interpretação das legislações federais, estaduais e municipais sobre tema, assim como as inspeções em estabelecimentos industriais e do comércio varejista. Também foram expostos conhecimentos técnicos sobre as normas que regulamentam as atividades realizadas pela indústria e pelo comércio varejista e a respeito do risco à Saúde Pública gerado pela transformação e comercialização de produtos cárneos manipulados em desacordo com as normas sanitárias vigentes. Consumidores,

comerciantes,

advogados, coordenadores e professores de instituições de ensino superior, estudantes universitários e profissionais da área de alimentos participaram dos debates, compartilhando críticas, sugestões, conhecimentos técnicos e experiências sobre a "transformação artesanal" de carne fresca pelo comércio varejista. Comissão

Após o término dos debates, foi proposta pelo MPMG a criação de uma comissão para realizar estudos sobre a viabilidade da regulamentação técnica, jurídica e sanitária, pelo Município de Frutal, da atividade em questão. A comissão será composta por representantes da Vigilância Sanitária (Estadual e Municipal), do Serviço de Inspeção Municipal, do Instituto Mineiro de Agropecuária, de instituições de ensino superior (Universidade do Estado de Minas Gerais – UEMG e Faculdade de Frutal – FAF), da Associação Comercial e Industrial de Frutal e da Associação dos Açougueiros de Frutal. As conclusões das pesquisas poderão subsidiar o desenvolvimento do ordenamento jurídico municipal sobre a segurança alimentar e as boas práticas na produção e comercialização de produtos cárneos, com a participação dos órgãos públicos e dos vários segmentos da sociedade local. Participaram do encontro o coordenador estadual do Procon-MG, Amauri Artimos da Matta, e o promotor de Justiça de Frutal Renato Teixeira Rezende, além de representantes da Prefeitura, da Câmara Municipal, da Vigilância Sanitária, do Serviço de Inspeção, do Procon e da Secretaria de Saúde municipais, da Vigilância Sanitária da Superintendência Regional de Saúde de Uberaba, do Instituto Mineiro de Agropecuária, da UEMG e da FAF.


16 portal@hojeemdia.com.br - 11/05/2018 - 20h01 Atualizado 20h11

Justiça ordena liberação de recursos para conclusão do cadastramento de atingidos por barragem

Da Redação Justiça determina o levantamento de R$ 5,4 milhões para a continuidade dos trabalhos de cadastramento dos atingidos pelo rompimento da Barragem de Fundão A pedido do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), a Justiça de Mariana atendeu o pedido feito em Ação Civil Pública (ACP) e autorizou o levantamento de R$ 5,4 milhões para utilização exclusiva na continuidade dos trabalhos de cadastramento dos atingidos pelo rompimento da Barragem de Fundão, em novembro de 2015, em Mariana, na Região Central do Estado. A ação foi proposta pela Promotoria de Defesa dos Direitos Humanos, na 2ª Vara da Comarca de Mariana para a reparação integral dos direitos violados dos atingidos pelo desastre. Entre várias medidas adotadas para indenizar as vítimas, em audiência no dia 18 de outubro de 2017, o MPMG e as empresas fizeram um acordo para que a assessoria técnica dos atingidos, coordenada pela Cá-

ritas, fizesse o processo de cadastramento dessas pessoas e a liberação de R$ 1,5 milhão para que a Cáritas começasse o processo de cadastramento. também ficou acordado a liberação de um valor complementar para conclusão dos trabalhos. No dia 27 de março deste ano, o MPMG pleiteou à Justiça complementação de R$ 5.477.850,04, em virtude da necessidade de realizar vistoria técnica nas propriedades e do grande aumento no número de vítimas identificadas. Isso porquê, na base de dados da Fundação Renova havia cerca de 500 familiares atingidas, mas no decorrer do processo foram identificados 830 famílias, totalizando cerca de 3 mil vítimas somente em Mariana. De acordo com a Promotoria de Justiça, as empresas rejeitaram a liberação do valor pleiteado e no dia 27 de abril, os recursos para o cadastramento acabaram e o processo foi interrompido. O MPMG então reiterou o pedido de liberação dos recursos, que são oriundos do bloqueio de R$ 300 milhões, conforme determinado em Ação Cautelar ajuizada em novembro de 2015 e a juíza de Mariana, Marcela Oliveira Decat de Moura, determinou a liberação de R$5.477.850,04 para a Cáritas concluir o cadastramento dos atingidos. “até o presente momento, auditorias não apontaram qualquer irregularidade na aplicação dos recursos financeiros pela Cáritas, seria desarrazoada e redundaria no atraso injustificado do cadastro, essencial para a indenização integral dos atingidos”, concluiu. 


17 Portal Nacional de Seguros - Segunda, 14 Maio 2018 11:13

Estímulo financeiro a serviços ambientais se torna lei em Minas Gerais Projeto de PSA é aprovado na Câmara Municipal de Brumadinho e garante incentivos econômicos condicionados à conservação de áreas naturais

Após um longo período castigado pela crise hídrica, o estado de Minas Gerais tem hoje motivos para comemorar. Foi aprovada a Lei nº 2.396 que institui a Política Municipal de Serviços Ambientais, o Programa de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA), e a criação do Fundo Municipal de PSA no município de Brumadinho (MG). A decisão foi publicada no Diário Oficial de 23 de abril e chega para contribuir na solução de problemas que a região metropolitana de Belo Horizonte enfrenta há algum tempo com a crise hídrica. Nos anos de 2014 e 2015 a região Sudeste do Brasil enfrentou um dos piores episódios de crise hídrica registrados. Rios dos estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro tiveram suas vazões reduzidas e, o longo período de estiagem, levou os reservatórios a registrar níveis extremamente baixos. Para Minas, o cenário atual é um pouco mais otimista: quatro anos após o início da crise no estado, por conta das recentes chuvas, os mananciais atingiram os maiores níveis do período. Com o fim da temporada de chuva, dados divulgados pela Copasa - Companhia de Saneamento de Minas Gerais - mostram um aumento contínuo do volume dos reservatórios da Grande Belo Horizonte. Nos últimos dias, o Sistema Paraopeba - conjunto de empreendimentos de armazenamento, captação, tratamento e distribuição de água na bacia do rio Paraopeba para consumo na Região Metropolitana de Belo Horizonte - subiu de 75,5% para 78,7% em seu volume, o maior índice registrado desde 2014. Em 2015, por exemplo, a marca atingida (de 21,3%) foi a menor registrada nos últimos anos. O Rio Manso, um dos reservatórios que compõem o Sistema Paraopeba, está localizado no município de Brumadinho. Mas o que a nova lei tem a ver com a crise? “Quando falamos em segurança hídrica, uma das principais ações que vêm à cabeça é o racionamento de água. No entanto, existem outras formas de contribuir para reverter a situação e a proteção de áreas naturais é uma delas. E é aí que entra a lei de PSA”, comenta Renato Atanazio, coordenador de Soluções Baseadas

na Natureza da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza. O esforço pela implantação de uma lei de PSA na cidade é antigo e ganhou força desde que o Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG), a Fundação Grupo Boticário e a Associação Mineira de Defesa do Ambiente (AMDA) iniciaram o Oásis Brumadinho - uma iniciativa de Pagamento por Serviços Ambientais que promove a conservação da natureza em áreas particulares, em regiões de manancial de abastecimento público. A ideia inicial do MP-MG era destinar recursos provenientes de medidas compensatórias para a proteção ambiental e por meio de uma alternativa que fosse positiva – e não punitiva. O projeto Oásis mostrou que o PSA é viável e possível em Brumadinho. Agora, a lei de PSA transforma isso em política pública, oportunizando que a ação beneficie ainda mais pessoas e áreas naturais. Com a aprovação da lei - inspirada na experiência Oásis - o próximo passo será trabalhar com a regulamentação da Lei 2.396. A Fundação Grupo Boticário continuará fornecendo apoio técnico e suporte, auxiliando no passo a passo para a execução do projeto e contribuindo em outros aspectos, como no edital de chamamento, voltado a proprietários que tenham o interesse em participar; além da articulação com atores locais. “O PSA instituído por lei servirá de modelo para novas iniciativas de PSA. Também será possível trabalharmos com outras Soluções Baseadas na Natureza, que são ações inspiradas na natureza, para resolverem desafios ambientais, sociais e econômicos, e que irão ajudar a região de Brumadinho e Grande Belo Horizonte. Um exemplo pode ser a criação de zonas de amortecimento de Unidades de Conservação da região”, explica Atanazio.

Conservação como foco da solução do problema

O maior ganho que a região de Brumadinho terá com a aprovação e execução da lei de PSA é o de incentivo à conservação, pois quanto mais conservadas são as áreas e os mananciais, mais água de qualidade e regulação do fluxo hídrico as cidades recebem. E é essa a perspectiva de SbN, trabalhar em favor da natureza para resolução de problemas sociais e econômicos, como no caso, a garantia da segurança hídrica. Atualmente, o Oásis Brumadinho premia financeiramente 12 proprietários rurais por suas florestas conservadas e boas práticas do uso do solo, conta com mais de 50 beneficiários diretos e 31 nascentes protegidas. Com a


18 cont... Portal Nacional de Seguros - Segunda, 14 Maio 2018 11:13

nova lei, o projeto poderá ser expandido para outras bacias hidrográficas do município e novos proprietários poderão ser beneficiados. Além da conservação da bacia hidrográfica, as propriedades contribuem indiretamente para que o município continue sendo um grande polo de turismo de aventura e rural, que depende da beleza cênica e, consequentemente, de ambientes conservados. “Como boa parte dessas áreas está em propriedades particulares, é importante incentivar que esses proprietários conservem. Nada mais justo do que premiar quem conserva a natureza e gera benefícios para toda a população. Essa é a lógica do PSA”, diz o coordenador da Fundação Grupo Boticário. Como consequência desse movimento, os atores locais passam a envolver cada vez mais a população a adotar estratégias de conservação da natureza que tenham impacto positivo na economia e no desenvolvimento local, o que também representa oportunidades para o setor privado. “Incentivamos o investimento em iniciativas mais amplas, como estratégias de gestão territorial inteligente, para garantir e aumentar a resiliência da sociedade frente às mudanças no clima e altera-

ções no uso do solo, por exemplo, além de promover a valorização dos ambientes naturais para que os benefícios sejam duradouros”, avalia Renato. Sobre a Fundação Grupo Boticário

A Fundação Grupo Boticário é fruto da inspiração de Miguel Krigsner, fundador de O Boticário e atual presidente do Conselho de Administração do Grupo Boticário. A instituição foi criada em 1990, dois anos antes da Rio-92 ou Cúpula da Terra, evento que foi um marco para a conservação ambiental mundial. A Fundação Grupo Boticário apoia ações de conservação da natureza em todo o Brasil, totalizando mais de 1.500 iniciativas apoiadas financeiramente. Protege 11 mil hectares de Mata Atlântica e Cerrado, por meio da criação e manutenção de duas reservas naturais. Atua para que a conservação da biodiversidade seja priorizada nos negócios e nas políticas públicas, além de contribuir para que a natureza sirva de inspiração ou seja parte da solução para diversos problemas da sociedade. Também promove ações de mobilização, sensibilização e comunicação inovadoras, que aproximam a natureza do cotidiano das pessoas.

O estado de sp – on line - 14 Maio 2018 | 22h05

Justiça libera recursos para cadastrar atingidos em Mariana Serão usados R$ 5,4 milhões para a sequência do cadastramento das vítimas do rompimento da Barragem de Fundão

Rene Moreira, especial para O Estado SÃO PAULO - A Justiça de Mariana, em Minas, deferiu ação civil pública e autorizou a liberação de mais recursos para utilização na continuidade dos trabalhos de cadastramento dos atingidos pelo rompimento da Barragem de Fundão. O pedido partiu do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio da promotoria de Defesa dos Direitos Humanos. O objetivo é obrigar as empresas Samarco, Vale e BHP a repararem os direitos violados dos atingidos pelo desastre em novembro de 2015. Um acordo com diversas medidas foi assinado em outubro de 2017, mas em março deste ano foi pedido o complemento de R$ 5.477.850,04 para fazer o cadastro devido à necessidade de vistoria técnica nas propriedades e ao aumento no número de vítimas identificadas. O dinheiro sairá dos R$ 300 milhões bloqueados das companhias. A decisão favorável,

anunciada agora, é da 2ª Vara da Comarca de Mariana e foi proferida na última quarta-feira, 9. Segundo o MP, a falta de recursos paralisou o cadastramento a partir do dia 27 de abril prejudicando centenas de famílias. Divergência. As empresas envolvidas defendiam que o cadastramento fosse realizado pela Fundação Renova, mas alegando que haveria prejuízos às vítimas, o Ministério Público conseguiu que ficasse por conta de outra entidade, a Cáritas. De acordo com o MP, a base de dados da Renova apontava 500 famílias vitimadas. Já o trabalho da Cáritas identificou 830 núcleos familiares atingidos, totalizando cerca de 3 mil vítimas somente em Mariana. Em sua decisão, a juíza de Mariana Marcela Oliveira Decat de Moura diz que o cadastramento não pode parar, pois é "essencial para a indenização integral dos atingidos”. A reportagem não conseguiu obter contato com a Samarco nesta segunda-feira, 14


19 ISTO É - Geral - 14/05/18 - 17h08

Pesquisadores lançam livro sobre violações causadas por projeto em MG

Agência Brasil Um livro produzido por pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) reúne relatos e informações sobre violações de direitos ocorridos no processo de implantação do empreendimento Minas-Rio, da mineradora britânica Anglo American. Trata-se do resultado de um trabalho conduzido pelo programa transdisciplinar Polos de Cidadania, sediado na Faculdade de Direito da instituição e que, desde 2015, desenvolve atividades de pesquisa e extensão sobre mediação de conflitos e efetivação dos direitos humanos. Intitulada Violências de mercado e de Estado no contexto do empreendimento minerário Minas-Rio, a obra está sendo distribuída gratuitamente desde o início do mês. A publicação se baseia em um trabalho conduzido entre maio de 2015 e dezembro de 2017, quando os pesquisadores acompanharam situações vivenciadas pelas comunidades afetadas pelo empreendimento. O livro traz relatos orais de moradores e trechos de atas de reuniões e de documentos de órgãos ambientais que têm relação com os problemas elencados. Foram identificados violações e danos ainda não devidamente reconhecidos pela mineradora e pelo Poder Público. Entre as situações descritas, estão a extinção de nascentes, a poluição e o assoreamento de mananciais, que acarretariam a escassez de água. Também são mencionadas remoções forçadas, prejuízos à agricultura e pecuária familiar, morte de peixes, impactos na pesca, trânsito intenso de veículos, incômodos gerados por poeira e lama, barulhos intensos das obras, falta de transparência que impede o direito à informação, invasão de propriedades por máquinas, entre outros. Projeto Minas-Rio O empreendimento Minas-Rio compreende a extração de minério nas serras do Sapo e Ferrugem, o beneficiamento nos municípios de Conceição do Mato Dentro (MG) e Alvorada de Minas (MG) e ainda um mineroduto que percorre 525 quilômetros até um porto em Barra de Açu, no município de São João da Barra (RJ). Conforme informações da própria Anglo American, trata-se de seu maior investimento mundial. O projeto começou a se desenhar em 2007 com a compra de ativos da mineradora MMX Mineração, do empresário Eike Batista. Embora esteja em operação, as obras do empreendimento ainda não estão totalmente concluídas. Em janeiro, a Anglo American obteve dos órgãos ambientais de Minas Gerais as licenças prévia e de instalação necessárias à etapa 3 do Minas-Rio, que diz respeito à extensão da Mina do Sapo. Violações de direitos no empreendimento Minas-Rio já motivaram uma ação civil pública em que o Ministério

Público de Minas Gerais (MPMG) pede que a mineradora seja obrigada a destinar R$ 400 milhões a um fundo especial para reparação de danos causados às populações de três municípios mineiros: Conceição do Mato Dentro, Dom Joaquim e Alvorada de Minas. O empreendimento também tem gerado problemas ambientais: em março, um mineroduto se rompeu duas vezes, levando poluição a um manancial que abastece a cidade Santo Antônio do Grama (MG), impactando uma população de 4,2 mil pessoas. Em decorrência desses episódios, a Anglo American foi multada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e as atividades da mineradora foram paralisadas por 90 dias. De acordo com o programa Polos de Cidadania, problemas foram constatados antes mesmo da implantação do empreendimento. “Moradores relataram a chegada sorrateira de pessoas sondando e adquirindo terras, alegando que os objetivos daquelas negociações seriam a preservação da natureza ou mesmo a construção de um haras para criar cavalos”, registra o livro. Críticas ao projeto Os pesquisadores criticam no livro o fracionamento do processo de licenciamento ambiental, que foi dividido em etapas, e também entre diferentes órgãos ambientais, entre os quais se incluem o Ibama e a Secretaria de Meio-Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad). Para eles, o licenciamento ambiental não está valorizando devidamente o contraditório. Além disso, entendem que a Anglo American tem descumprido as condicionantes definidas e que o Estado se mostra alheio às reivindicações. Autora do prefácio, a professora Regina Helena Alves da Silva aponta que o livro reconhece “relações de causalidade entre a atividade minerária e os diversos danos vivenciados pelas pessoas e comunidades localizadas próximas à área da mina e do mineroduto”. Segundo ela, os territórios vêm sendo palcos de disputas institucionais entre interesses corporativos e comunidades locais e, enquanto a instalação do empreendimento avança, faltam medidas para interromper, prevenir e reparar as violações. “Ao relatarem prejuízos e obstáculos de parte da população da região, desvelam como as promessas de progresso trazidas pela mineração acabam por impor um desenvolvimento fragmentado e desigual”, escreve. Outro lado Procurada pela Agência Brasil, a Anglo American informou em nota que prioriza e promove os direitos humanos e condena veementemente qualquer comportamento diferente desse. “A empresa possui um programa estruturado de relacionamento com comunidades, que prega o respeito como base para o diálogo, inclusive quando da ocorrência de posições discordantes. Também tem plena consciência de que a licença social é imprescindível para sua atuação. A companhia reforça seu repúdio a qualquer forma de desrespeito aos direitos humanos por ser contrário aos seus princípios e valores”, registra o texto. Por sua vez, o Ibama informou que analisa as causas de todos os incidentes na área de influência do empreendimento


20 cont.... ISTO É - Geral - 14/05/18 - 17h08

Minas-Rio e exige ações mitigatórias necessárias para sanar ou diminuir os impactos. O órgão disse não ter conhecimento do livro e não falaria sobre ele. “O Ibama não teve acesso à publicação, nem foi notificado pela UFMG sobre a existência dela. Portanto, não pode se manifestar quanto ao seu conteúdo”. Também contatada, a Semad informou em nota que “as questões relatadas no livro, suas referências, análises e considerações são, em grande parte, reproduções de documentos que já estão inseridos no âmbito do processo administrativo para exame de licença prévia concomitante com a licença de instalação”. Segundo ela, os fatos mencionados foram obje-

to de análise técnica e considerações quando relacionados com questões que são de competência do órgão ambiental. “Este processo foi analisado na 20ª Reunião Extraordinária da Câmara de Atividades Minerárias (CMI) do Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam), realizada no dia 26 de janeiro de 2018, visando ao licenciamento do empreendimento em tela. A sua licença foi concedida, com condicionantes”, informou a Semad. Na nota, o órgão também afirma que não lhe cabe exercer poder de investigação criminal, que não constatou violações a direitos no âmbito de suas competências e que as alegações devem ser objeto de apuração pelas autoridades competentes.

DIÁRIO DO COMÉRCIO – MG – P. 20 – 15/05/2018

Livro da UFMG aponta quebra de direitos por mineradora

Um livro produzido por pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) reúne relatos e informações sobre violações de direitos ocorridos na implantação do empreendimento Minas-Rio, da mineradora britânica Anglo American. Trata-se do resultado de trabalho conduzido pelo programa transdisciplinar Polos de Cidadania, da Faculdade de Direito da instituição, que, desde 2015, desenvolve pesquisa e extensão sobre mediação de conflitos e efetivação dos direitos humanos. Intitulada Violências de mercado e de Estado no contexto do empreendimento minerário Minas-Rio, a obra é distribuída gratuitamente desde o início do mês. A publicação se baseia em trabalho conduzido entre maio de 2015 e dezembro de 2017, quando os pesquisadores acompanharam situações vivenciadas pelas comunidades afetadas pelo empreendimento. O livro traz relatos orais de moradores e trechos de atas de reuniões e de documentos de órgãos ambientais que têm relação com os problemas elencados. Foram identificados violações e danos ainda não devidamente reconhecidos pela mineradora e pelo Poder Público, como extinção de nascentes, poluição e assoreamento de mananciais, que acarretariam a escassez de água. Também são mencionadas remoções forçadas, prejuízos à agricultura e pecuária familiar, morte de peixes, impactos na pesca, trânsito intenso de veículos, incômodos gerados por poeira e lama, barulhos intensos das obras, falta de transparência que impede o direito à informação, invasão de propriedades por máquinas, entre outros. Minério - O empreendimento Minas-Rio extrai minério nas serras do Sapo e Ferrugem, faz beneficiamento em Conceição do Mato Dentro (MG) e Alvorada de Minas (MG) e tem mineroduto que percorre 525 quilômetros até um porto em Barra de Açu, em São João da Barra (RJ). Segundo a Anglo American, é seu maior investimento mundial. O projeto começou em 2007, com a compra de ativos da mineradora MMX Mineração, do empresário Eike Batista. Embora esteja em operação, as obras não estão concluídas. Em janeiro, a Anglo obteve dos órgãos ambientais licenças prévia e de instalação necessárias à etapa 3 do Minas-Rio, que diz respeito à extensão da Mina do Sapo. Violações

de direitos no Minas-Rio já motivaram ação civil pública em que o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) pede que a mineradora seja obrigada a destinar R$ 400 milhões a um fundo especial para reparação de danos aos municípios mineiros de: Conceição do Mato Dentro, Dom Joaquim e Alvorada de Minas. O empreendimento também tem gerado problemas ambientais: em março, um mineroduto se rompeu duas vezes, levando poluição a manancial que abastece Santo Antônio do Grama (MG), impactando população de 4,2 mil pessoas. Em decorrência disso, a Anglo American foi multada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e suas atividades foram paralisadas por 90 dias. De acordo com o programa Polos de Cidadania, problemas foram constatados antes da implantação do empreendimento. “Moradores relataram a chegada sorrateira de pessoas sondando e adquirindo terras, alegando que os objetivos daquelas negociações seriam a preservação da natureza ou a construção de um haras”, registra o livro. Os pesquisadores criticam o fracionamento do processo de licenciamento ambiental, dividido em etapas, e também entre diferentes órgãos ambientais, entre os quais se incluem o Ibama e a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad). Para eles, o licenciamento ambiental não está valorizando devidamente o contraditório. Além disso, entendem que a Anglo American tem descumprido as condicionantes defi nidas e que o Estado se mostra alheio às reivindicações. Outro lado - A Anglo American informou em nota que prioriza e promove os direitos humanos e condena veementemente qualquer comportamento diferente. “A empresa possui programa estruturado de relacionamento com comunidades, que prega o respeito como base para o diálogo, inclusive quando da ocorrência de posições discordantes. Também tem plena consciência de que a licença social é imprescindível para sua atuação. A companhia reforça seu repúdio a qualquer forma de desrespeito aos direitos humanos, por ser contrário aos seus princípios e valores”, registra o texto. (ABr)


Mensalão tucano. Ex-senador foi sentenciado a c 21

O TEMPO Belo Horizonte

Política o tempo - |mg - p. 09 - 15/05/2018

9

Justiça condena Justiça condena Clésio Andrade TERÇA-FEIRA, 15 DE MAIO DE 2018

Mensalão tucano. Ex-senador foi sentenciado a cinco anos, sete meses e 15 dias de reclusão e 80 dias-multa

Puniçãoda9ªVara Criminaldacapital serefereacrimesde lavagemdedinheiro

ALEX DE JESUS - 2.8.2017

Puniçãoda9ªVara Criminaldacapital serefereacrimesde lavagemdedinheiro culato porque ele não ocupava nenhum cargo público na época dos desvios. Por isso, a condenação ficou restrita aos crimes de lavagem de dinheiro. Entre as justificativas para condenar Clésio Andrade, a magistrada destacou que ele foi responsável por ser o fiador de empréstimos realizados pelo Banco Rural que serviram para lavar o dinheiro desviado das companhias estatais mineiras. Esses financiamentos teriam sido quitados com os recursos desviados. “Houve um empréstimo, afiançado pelo acusado, foram realizados saques em espécie desse recurso (fase de integração) para, posteriormente, celebrar outro contrato de empréstimo em substituição ao primeiro, também afiançado pelo acusado, pago em parte com o recurso oriundo da Copasa, após complexas operações para escamotear a origem (fase dissimulação)”, afirma a sentença. Além disso, antes de ser candidato a vice-governador, Andrade era sócio da SMP&B, empresa de publicidade de Marcos Valério que seria responsável por fazer os desvios por meio de contratos de publicidade com a

culato porque ele não ocupaOutro lado va nenhum cargo público Absolvições. Em nota enviada após a decisão da na época dos desvios. Por isJustiça mineira, a defesa do ex-senador Clésio Andrade so, a condenação ficou rescomemorou o afastamento ¬ BERNARDO MIRANDA do crime de peculato na ¬ O ex-senador e presidentrita aos crimes de lavagem sentença da juíza Lucimeire te da Confederação NacioRocha. “A defesa pede que nal do Transporte (CNT) de dinheiro. a imprensa não esqueça de Clésio Andrade foi condeinformar que ele foi nado a cinco anos e sete Entre as justificativas paabsolvido de todas as meses de prisão por lavaacusações de peculato. E gem de dinheiro no esquecondenado, injustamente, ma que ficou conhecido co- ¬ BERNARDO MIRANDA ra condenar Clésio Andrapor lavagem. E por atos mo mensalão mineiro/tupraticados antes do desvio. cano. Apesar da condena- ¬ O ex-senador e presidende, a magistrada destacou Contra a jurisprudência dos ção, ele foi absolvido dos tribunais superiores e crimes de peculato, que é o te da Confederação Nacioque ele foi responsável por contra a lei”, diz a nota dos desvio de dinheiro público advogados de Clésio por servidores ou agentes nal do Transporte (CNT) ser o fiador de empréstimos Andrade. públicos. A decisão é da 9ª Vara Criminal de Belo Hori- Clésio Andrade foi conderealizados pelo Banco Rural Apelação. A defesa do zonte e ainda cabe recurso. ex-senador mineiro A juíza Lucimeire Ro- nado a cinco anos Sentença. Como a decisão é em primeiraserviram instância, Clésio Andrade aindalavar pode recorrer ao TJMG que para o die sete também realçou que irá cha entendeu que Clésio votos compaa dois, o recurso de tentar reverter a decisão Andrade foi inferior a oito das a Comig e o Bemge. Andrade teve participação meses de prisão Copasa, nheiro desviado por lavaEle só desfez a sociedade anos, ele pode iniciar o cum- Eduardo Azeredo contra a judicial nas instâncias ativa no esquema de dessentença de 20Esanos e um superiores. “Iremos primentoestatais da pena em regime de iniciar a camvio de recursos das estatais gem de dinheiro dias nhias mineiras. noantes esquesemiaberto. Porém, como a mês de prisão que foi dada recorrer, naturalmente. panha eleitoral. mineiras para ser utilizado tucano. Mes- Temos precedentes no decisão é de primeira instân- no mensalão O esquemacoteria desvia-ses na campanha de tentativa ma que ficou conhecido financiamentos teriam do pelo menos R$ 3,5 mi- cia, ele ainda pode recorrer mo com a confirmação da Supremo Tribunal Federal de reeleição do então gosegunda instância, (STF) a nosso favor. Aliás, ao Tribunal de Justiça de com Mi- pena lhões de recursos públicos,sido vernador Eduardo Azere- mo mensalão mineiro/tuquitados osem recurnas Gerais (TJMG), antes de os desembargadores enten- é bom não esquecer que em valores da época. do (PSDB), em 1998. Cléderam que o tucano somen- três ministros do STF começar a cumprir a pena. Como se livrou da conde-sos sio era o candidato a vice cano. Apesar da condenadesviados. No último dia 24, os de- te inicia o cumprimento da rejeitaram essa denúncia, nação em cinco crimes de pena chapa tucana que foi pena após se esgotarem to- antes mesmo da instrução 5ª Câmaculato, Clésiodos Andrade teve sembargadores derrotada por Itamar Fran- ção, ele foi absolvido “Houveda um empréstimo, uma condenação bem me- ra Criminal do Tribunal de dos os recursos na Corte, os do processo”, completou a co (MDB). Apesar disso, a chamados embargos Justiça de Minas Geraisacusado, nor do que Eduardo Azeredos defensores de magistrada inocentou o ex- crimes de peculato, pelo fo-de de- nota que é o afiançado do. Como a pena de Clésio (TJMG) negaram, por três claração. Clésio Andrade. senador dos crimes de pedesvio de dinheiro público ram realizados saques em por servidores ou agentes espécie desse recurso (fase CPMI ao MDB Decisão integração) para, postepúblicos. A decisão é da 9ª dePagamento Duque e Léo Vara Criminal de Belo Hori- riormente, celebrar outro Pinheiro são zonte e ainda cabe recurso. contrato de empréstimo em condenados A juíza Lucimeire Ro- substituição ao primeiro, Sentença. Como a decis por Moro cha entendeu que Clésio também afiançado pelo acuautos da Lava Jato no ParaAndrade teve participação Copasa, a Sergio Comig ná, no mês passado. Doissado, pago em parte com o ¬ CURITIBA. O juiz Mo- e o B dias antes do depoimento, ro condenou no domingo recurso oriundo da Copasa, Ele ativa no esquema deCunha dessó Paulo desfez Eduardo recebeu um réus como Ferreira, ex-a soc e-mail com 20 perguntas patesoureiro do PT, Léo Pinheivio de recursos das estatais dias antes dade ra Paulo Preto. A mensa-após complexas operações ro, ex-presidente OAS,iniciar e gem, segundo a PF, foi enviaRenato Duque, ex-diretor de para escamotear a origem panha mineiras para serdautilizado eleitoral. por um interlocutor idenServiços da Petrobras, por tificado como Hugo Fernan- Delatores usavam Angorá para se referir a Padilha e Moreira Franco fraude na licitação para a na campanha dedestentativa O esquema Neto, que seria ligado ao(fase dissimulação)”, afirconstrução do Centro de Pes-teria MDB e à campanha de 2012. quisas da Petrobras, no Rio de reeleição do então go-constamma a sentença. dode Janeiro. peloA menos As mensagens sentença foi R$ 3 do celular de Cunha apreenanexada aos autos ontem. Além disso, antes de ser lhões vernador Eduardo Azerede acertada recursos pú dido em dezembro de 2015. A propina foi Por ordem do juiz federal de R$ 20 milhões, equivalencandidato a vice-governa- em do (PSDB), em 1998. da doépoca. Sergio Moro,Cléa pedido da dete a valores cerca de 2% do valor fesa do ex-deputado, o apacontrato. Paulo Adalberto sio era o candidato vice Como secondenalivrou da relho vaia passar por uma no-dor, Andrade era sócio da Alves Ferreira foi va perícia. No dia do depoido a nove anos e dez meses na chapa tucana que foida Der-SMP&B, empresa de publici- nação emdecinco mento do ex-diretor por lavagem dinheiro ecrime sa, Cunha foi avisado em ¬ BRASÍLIA. O delegado Tiago ao MDB, após negociação associação criminosa. Eduardo Cunha foi condenado por corrupção, lavagem e evasão no Palácio do que Jaburu. Delabary, pelo Valério deresponsável Marcos mensagem enviada pelo en-dade derrotada por Itamar FranLéo Pinheiro e Renato culato, Clésio Andrad Segundo depoimento re- Duque foram condenados ¬SÃO PAULO. Um relatório da lo Preto, apontado como tão deputado Leonardo Pic- inquérito da Odebrecht, “GloboNews”uma mandou intimar, no último velado cianidisso, (MDB-RJ) que por corrupção, a dois anos e operador do PSDB, prestou responsável porpelafazer Polícia Federal (PF) anexa- co (MDB). Apesar ao entãoseria condenação be do em abril deste ano à ope- depoimento aos parlamen- presidente em exercício da dia 4, Ibanez Filter, ex-asses- na última sexta-feira, Iba- seis meses e dois anos e oito nez foide apontado pelo dolei-nor parlamentar do ministro CPMI, Paulo meses, respectivamente. tares para explicar suspeitas ração Lava Jato, no Paraná, magistrada por meio coninocentou oTeixeira ex- (PT),ossordesvios do que Eduardo Também foram condenaregistrou a articulação do de superfaturamento na havia mudado a ordem dos Eliseu Padilha (MDB-RS), ro Antonio Claudio Alberda Casa Civil, dos exe- naz, o Tonico, depoimentos. “Colocou o dos Como Adir Assad, aAgenor obra de ampliação da Margiex-presidente da Câmara senador tratos de além publicidade comcomoa a pes-do. dos crimes de pepena de cutivos Marcelo Odebrecht soa que recebeu, em 2014, EVARISTO SA/AFP PHOTO - 2.4.2018

Cunha mandou deputado ‘emparedar’ Paulo Preto AFP PHOTO/EVARISTO SA - 8.2.2015

Polícia Federal intima ex-assessor de Eliseu Padilha

Eduardo Cunha (MDB-RJ) para supostamente “emparedar” o ex-diretor da Dersa

nal Tietê, parte dela sob responsabilidade da Delta, construtora que a PF incluiu

Paulo Preto depondo primeiro”, relatou Picciani, às 13h. Educardo Cunha não gos-

e Fernando Migliaccio, este último ex-chefe do departa-

R$ 1 milhão da Odebrecht que seria destinado ao codi-

Franklin Magalhães, Alexandre Romano, Edison Freire Coutinho, Genésio Junior, Jo-


22 O TEMPO Belo Horizonte TERÇA-FEIRA, 15 DE MAIO DE 2018

cont... o tempo - mg - p. 09 - 15/05/2018

9

foi sentenciado a cinco anos, sete meses e 15 dias de reclusão e 80 dias-multa

ndena Clésio Andrade ALEX DE JESUS - 2.8.2017

cupablico Por isu resagem

Outro lado Absolvições. Em nota enviada após a decisão da Justiça mineira, a defesa do ex-senador Clésio Andrade comemorou o afastamento do crime de peculato na sentença da juíza Lucimeire Rocha. “A defesa pede que a imprensa não esqueça de informar que ele foi absolvido de todas as acusações de peculato. E condenado, injustamente, por lavagem. E por atos praticados antes do desvio. Contra a jurisprudência dos tribunais superiores e contra a lei”, diz a nota dos advogados de Clésio Andrade.

as pandratacou el por timos Rural r o dimpas. Eseriam ecur-

timo, o, fos em (fase posteoutro o em meiro, o acuom o pasa, ações igem afir-

de ser ernaio da ublicio que fazer conom a

Sentença. Como a decisão é em primeira instância, Clésio Andrade ainda pode recorrer ao TJMG

Copasa, a Comig e o Bemge. Ele só desfez a sociedade dias antes de iniciar a campanha eleitoral. O esquema teria desviado pelo menos R$ 3,5 milhões de recursos públicos, em valores da época. Como se livrou da condenação em cinco crimes de peculato, Clésio Andrade teve uma condenação bem menor do que Eduardo Azeredo. Como a pena de Clésio

deputado aulo Preto

Andrade foi inferior a oito anos, ele pode iniciar o cumprimento da pena em regime semiaberto. Porém, como a decisão é de primeira instância, ele ainda pode recorrer ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), antes de começar a cumprir a pena. No último dia 24, os desembargadores da 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) negaram, por três

votos a dois, o recurso de Eduardo Azeredo contra a sentença de 20 anos e um mês de prisão que foi dada no mensalão tucano. Mesmo com a confirmação da pena em segunda instância, os desembargadores entenderam que o tucano somente inicia o cumprimento da pena após se esgotarem todos os recursos na Corte, os chamados embargos de declaração.

Pagamento ao MDB

Apelação. A defesa do ex-senador mineiro também realçou que irá tentar reverter a decisão judicial nas instâncias superiores. “Iremos recorrer, naturalmente. Temos precedentes no Supremo Tribunal Federal (STF) a nosso favor. Aliás, é bom não esquecer que três ministros do STF rejeitaram essa denúncia, antes mesmo da instrução do processo”, completou a nota dos defensores de Clésio Andrade.

Decisão EVARISTO SA/AFP PHOTO - 2.4.2018

Duque e Léo Pinheiro são condenados


de BH 18

E STA D O D E M I N A S

T E R Ç A - F E I R A ,

1 5

D E

M A I O

D E

23

2 0 1 8

GERAIS

estado de minas - gerais - p. 18 - 15/05/2018

FOTOS: GLADYSTON RODRIGUES/EM/D.A PRESS

❚ PATRIMÔNIO

E - M A I L : gerais.em@uai.com.br T E L E F O N E : (31) 3263-5244/3263-5105 W h at s A p p : ( 3 1 ) 99508-4155

Tesouro escondido

Sagrado Com obra financiada com recursos Coração da comunidade, segundo templo a ser erguido em BH, que realiza de BH Os frequentadores da Igreja do Sagrado Coração de Jesus, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, acompanham a evolução da obra. “Venho aqui há 30 anos, desde a época do padre Luiz, que antecedeu o padre George. Gosto demais de tudo aqui”, afirma a enfermeira aposentada Dalva Guedes, moradora do Bairro Funcionários e voluntária nas atividades de bordado, pintura e costura. Participante do Conselho Paroquial e acompanhando as intervenções pelo conselho, Gilberto Rocha considera a igreja um “tesouro que estava escondido”. Bem perto da entrada, que tem uma porta de madeira entalhada, pode-se ver uma placa de mármore que sinaliza a pedra fundamental, colocada em 1901. Está aí uma ótima oportunidade para se conhecer a história do templo erguido por iniciativa de Anna de Aquino Sales, mulher do então presidente de Minas (na época, não se falava governador), Francisco Sales. Ela visitou Paris, foi à igreja de Sacre Coeur de Jesus e ficou tão encantada que resolveu patrocinar uma igual na cidade. Construída em terreno cedido por seu proprietário, Aarão Reis, ninguém menos do que o chefe da Comissão Construtora da Nova Capital, a igreja teve obras confiadas aos padres redentoristas, também responsáveis pela construção da Igreja de São José, e projeto do arquiteto Edgard Nascentes Coelho. Em 1925, foi inciado o Rito Siríaco Católico, com a nomeação de seu primeiro padre, vindo da Síria, George Elian.

Depois de esperar reforma por três anos, construção recebe os últimos retoques para ser entregue até o fim deste mês

missa aos domingos em aramaico, está prestes a ser entregue aos fiéis

Com obra financiada com recursos da comunidade, segundo templo a ser erguido em BH, que realiza missa aos domingos em aramaico, está prestes a ser entregue aos fiéis GUSTAVO WERNECK

também do Sagrado Coração de BH”, diz o padre, em seu português perfeito, Quem passa pelas avenidas Professor Alfredo Balena e Carandaí, na região hospitalar, vê os andaimes e os trabalhadores cuidado da pintura da fachada em estilo eclético. Atento a cada detalhe, padre George conta que, durante a execução do projeto, iniciada em agosto, foram detectadas antigas pinturas no barrado. Para que as novas e futuras gerações conheçam a cor original, esse pequeno retalho denominado “janela” será mantido, por sugestão do restaurador Sílvio Luiz Rocha Vianna de Oliveira, de Ouro Preto, enquanto o restante ganhou dois tons de cinza (claro e escuro). A torre – são 22 metros da ponta da cruz ao chão – também será recuperada, para retirar a oxidação das placas de metal, recebendo um tom prata. Os trabalhos têm acompanhamento da Arquidiocese de Belo Horizonte, via Memorial Arquidiocesano, com o arquiteto Hebert Gerson Soares Júnior fazendo visitas técnicas semanalmente. Vale destacar que o arcebispo metropolitano de BH, dom Walmor Oliveira de Azevedo é, desde 2010, o referencial para os fiéis católicos de rito oriental no Brasil. Em fevereiro de 2014, ele foi nomeado pelo papa Francisco integrante da Congregação para as Igrejas Orientais, instância do Vaticano.

FOTOS: GLADYSTON RODRIGUES/EM/D.A PRESS

também do Sagrado Coração de BH”, diz Tesouro escondido o padre, em seu português perfeito, Um dos primeiros templos católicos Quem passa pelas avenidas ProfesRITO SIRÍACO de Belo Horizonte, a Igreja do Sagrado sor Alfredo Balena e Carandaí, na região Coração de Jesus, na Região Centro-Sul, hospitalar, vê os andaimes e os trabalhaoferece aos fiéis uma celebração eucarís- dores cuidado da pintura da fachada em tica em um idioma muito especial: todo estilo eclético. Atento a cada detalhe, padomingo, às 10h30, a missa é rezada em dre George conta que, durante a execuAlém da aramaico, língua falada por Jesus Cristo. ção do projeto, iniciada em agosto, fodas par Se o participante se surpreende, pode redetectadas antigas pinturas no barteto da Com obra financiada comram recursos ceber um comentário bem-humorado que as novas e futuras gerada comunidade, segundorado. temploPara a recebeu ser erguido em BH, do padre George Rateb Massis, sírio e háque realiza ções conheçam a cor original, esse pena est missa aos domingos em aramaico, AREIA E CAL 15 anos titular da paróquia. “Você vai queno retalho denominado “janela” seestá prestes a ser entregue aos fiéis gastar só o preço da passagem de ônibus. rá mantido, por sugestão do restaurador Fica muito mais barato do que uma via- Sílvio Luiz Rocha Vianna de Oliveira, de gem à Terra Santa”, afirma o religioso, Ouro Preto, enquanto o restante gaque está envolvido com as obras de res- nhou dois tons de cinza (claro e escuro). tauro do monumento sacro que come- A torre – são 22 metros da ponta da cruz çou a ser erguido em 1901 e foi inaugu- ao chão – também será recuperada, pa- Municipal, a igreja rado em 1920. A expectativa é que as ra retirar a oxidação das placas de metal, restauradores o sist obras externas terminem no fim do recebendo um tom prata. ginal. Assim, diz pa mês. Se houver atraso, garante o sacerOs trabalhos têm acompanhamento de rebocar, foram u dote, “assim mesmo vamos comemorar da Arquidiocese de Belo Horizonte, via cal, como nos prim do dia do padroeiro, em 8 de junho”. Memorial Arquidiocesano, com o arqui- lher sequer de cime Segundo da capital – a pioneiro é a teto Hebert Gerson Soares Júnior fazen- agora cercada com Capela de Nossa Senhora do Rosário, en- do visitas técnicas semanalmente. Vale plementada com j tre as ruas São Paulo e Tamoios e Aveni- destacar que o arcebispo metropolitano gramado ainda o s da Amazonas –, o templo aguardava ha- de BH, dom Walmor Oliveira de Azeve- das águas pluviais. via três anos a intervenção, tocada com do é, desde 2010, o referencial para os Satisfeito na com recursos da comunidade, principalmen- fiéis católicos de rito oriental no Brasil. nos, o religioso adia te via barraquinhas, doações, bazares e Em fevereiro de 2014, ele foi nomeado deira, no qual fica a outras iniciativas. Aproveitaram até o pelo papa Francisco integrante da Con- ro Sagrado Coraçã Dia das Mães: um grupo de voluntárias gregação para as Igrejas Orientais, ins- coluna solta, e ser organizou um bazar no interior da igre- tância do Vaticano. quência – “Por isso ja, aberto até sábado, na véspera da data campanha para ob comemorativa, com renda destinada à AREIA E CAL Tombada pelo Instituto Es- sários ao restauro d conclusão dos serviços. “Esperamos a tadual do Patrimônio Histórico e Artísti- cos”. Como todas participação dos moradores e visitantes, co de Minas Gerais (Iepha-MG) e Conse- bem-vindas, o sace pois, se a igreja é do Sagrado Coração, é lho Deliberativo do Patrimônio Cultural meras caçambas de

Um dos primeiros templos católicos de Belo Horizonte, a Igreja do Sagrado Coração de Jesus, na Região Centro-Sul, oferece aos fiéis uma celebração eucarística em um idioma muito especial: todo domingo, às 10h30, a missa é rezada em aramaico, língua falada por Jesus Cristo. Se o participante se surpreende, pode receber um comentário bem-humorado do padre George Rateb Massis, sírio e há 15 anos titular da paróquia. “Você vai gastar só o preço da passagem de ônibus. Fica muito mais barato do que uma viagem à Terra Santa”, afirma o religioso, que está envolvido com as obras de restauro do monumento sacro que começou a ser erguido em 1901 e foi inaugurado em 1920. A expectativa é que as obras externas terminem no fim do mês. Se houver atraso, garante o sacerdote, “assim mesmo vamos comemorar do dia do padroeiro, em 8 de junho”. Segundo da capital – a pioneiro é a Capela de Nossa Senhora do Rosário, entre as ruas São Paulo e Tamoios e Avenida Amazonas –, o templo aguardava havia três anos a intervenção, tocada com recursos da comunidade, principalmente via barraquinhas, doações, bazares e outras iniciativas. Aproveitaram até o Dia das Mães: um grupo de voluntárias organizou um bazar no interior da igreja, aberto até sábado, na véspera da data comemorativa, com renda destinada à conclusão dos serviços. “Esperamos a participação dos moradores e visitantes, pois, se a igreja é do Sagrado Coração, é

❚ PATRIMÔNIO

GUSTAVO WERNECK

Tombada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG) e Conselho Deliberativo do Patrimônio Cultural

Sagrado Coração de BH

Além da pintura das paredes, o teto da igreja recebeu reforço na estrutura

Municipal, a igreja teve respeitado pelos restauradores o sistema construtivo original. Assim, diz padre George, na hora de rebocar, foram usadas apenas areia e cal, como nos primórdios, sem uma colher sequer de cimento. A parte externa, agora cercada com tapumes, será complementada com jardins, estando programado ainda o serviço de drenagem das águas pluviais. Satisfeito na companhia de paroquianos, o religioso adianta que o altar de madeira, no qual fica a imagem do padroeiro Sagrado Coração de Jesus, tem uma coluna solta, e será restaurado na sequência – “Por isso, continuamos nossa campanha para obter os recursos necessários ao restauro dos elementos artísticos”. Como todas as participações são bem-vindas, o sacerdote diz que as inúmeras caçambas de entulho foram pagas

com dinheiro da campanha das latinhas. Mostrando dois altares laterais de madeira escura, originários da Igreja de Nossa Senhora da Boa Viagem/Santuário de Adoração Perpétua e catedral provisória, o padre adianta que, em 8 de junho, às 20h, vai celebrar a missa em honra do protetor e ressalta que, de terça a sábado, às 12h15, são celebradas missas em português dentro do ritual católico romano. “Vem muita gente, alguns de cidades distantes. Pessoas que chegam para consultas médicas ou estão de passagem pela cidade e aproveitam para rezar num espaço silencioso, perto do Centro.” No domingo, antes da missa em aramaico, há uma celebração em português. A próxima etapa, que vai contemplar a área interna, dependerá de autorização dos órgãos do patrimônio estadual e municipal, bem como de recursos. Mas já dá para ver que os restauradores terão muito trabalho. Prospecções mostraram que, sob quatro camadas de tinta nas paredes, estão os tons da pintura antiga. “Pode ser que sejam encontradas outras”, explica o padre, orgulhoso, por receber constantemente a visita de estudantes de arquitetura, integrantes de comunidades religiosas e imigrantes.

GUSTAVO WERNECK

Um dos primeiros templos católicos de Belo Horizonte, a Igreja do Sagrado Coração de Jesus, na Região Centro-Sul, oferece aos fiéis uma celebração eucarística em um idioma muito especial: todo domingo, às 10h30, a missa é rezada em aramaico, língua falada por Jesus Cristo. Se o participante se surpreende, pode receber um comentário bem-humorado do padre George Rateb Massis, sírio e há 15 anos titular da paróquia. “Você vai gastar só o preço da passagem de ônibus. Fica muito mais barato do que uma viagem à Terra Santa”, afirma o religioso, que está envolvido com as obras de restauro do monumento sacro que começou a ser erguido em 1901 e foi inaugurado em 1920. A expectativa é que as obras externas terminem no fim do mês. Se houver atraso, garante o sacerdote, “assim mesmo vamos comemorar do dia do padroeiro, em 8 de junho”. Segundo da capital – a pioneiro é a Capela de Nossa Senhora do Rosário, entre as ruas São Paulo e Tamoios e Avenida Amazonas –, o templo aguardava havia três anos a intervenção, tocada com recursos da comunidade, principalmente via barraquinhas, doações, bazares e outras iniciativas. Aproveitaram até o Dia das Mães: um grupo de voluntárias organizou um bazar no interior da igreja, aberto até sábado, na véspera da data comemorativa, com renda destinada à conclusão dos serviços. “Esperamos a participação dos moradores e visitantes, pois, se a igreja é do Sagrado Coração, é

também do Sagrado Coração de BH”, diz o padre, em seu português perfeito, Quem passa pelas avenidas Professor Alfredo Balena e Carandaí, na região hospitalar, vê os andaimes e os trabalhadores cuidado da pintura da fachada em estilo eclético. Atento a cada detalhe, padre George conta que, durante a execução do projeto, iniciada em agosto, foram detectadas antigas pinturas no barrado. Para que as novas e futuras gerações conheçam a cor original, esse pequeno retalho denominado “janela” será mantido, por sugestão do restaurador Sílvio Luiz Rocha Vianna de Oliveira, de Ouro Preto, enquanto o restante ganhou dois tons de cinza (claro e escuro). A torre – são 22 metros da ponta da cruz ao chão – também será recuperada, para retirar a oxidação das placas de metal, recebendo um tom prata. Os trabalhos têm acompanhamento da Arquidiocese de Belo Horizonte, via Memorial Arquidiocesano, com o arquiteto Hebert Gerson Soares Júnior fazendo visitas técnicas semanalmente. Vale destacar que o arcebispo metropolitano de BH, dom Walmor Oliveira de Azevedo é, desde 2010, o referencial para os fiéis católicos de rito oriental no Brasil. Em fevereiro de 2014, ele foi nomeado pelo papa Francisco integrante da Congregação para as Igrejas Orientais, instância do Vaticano.

AREIA E CAL Tombada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG) e Conselho Deliberativo do Patrimônio Cultural

Conforme os estudos, a Igreja do Sagrado Coração de Jesus conserva características dos tempos apostólicos e de costumes próprios das comunidades cristãs da Síria. Especialistas informam que “a origem do rito que ali se celebra remonta aos primeiros tempos do cristianismo, quando, após a descida do Espírito Santo sobre os apóstolos, esses deram início a seu ministério. Os católicos do Rito Siríaco uniram-se a Roma a partir do século 17, mantendo, no entanto, a própria língua, o rito e a legislação eclesiástica, obedientes à autoridade do patriarca. Implantada em praça de formato triangular, alteada em relação ao plano das ruas contíguas, a Igreja do Sagrado Coração de Jesus tem planta em cruz latina e torre central única. Internamente, recebeu tratamento ornamental simples, destacando-se as pinturas do forro da nave e da capela-mor, este último executado pelo artista italiano Francisco Tamietti.

Além da pintura das paredes, o teto da igreja recebeu reforço na estrutura

Municipal, a igreja teve respeitado pelos restauradores o sistema construtivo original. Assim, diz padre George, na hora de rebocar, foram usadas apenas areia e cal, como nos primórdios, sem uma colher sequer de cimento. A parte externa, agora cercada com tapumes, será complementada com jardins, estando programado ainda o serviço de drenagem das águas pluviais. Satisfeito na companhia de paroquianos, o religioso adianta que o altar de madeira, no qual fica a imagem do padroeiro Sagrado Coração de Jesus, tem uma coluna solta, e será restaurado na sequência – “Por isso, continuamos nossa campanha para obter os recursos necessários ao restauro dos elementos artísticos”. Como todas as participações são bem-vindas, o sacerdote diz que as inúmeras caçambas de entulho foram pagas

com dinheiro da campanha das latinhas. Mostrando dois altares laterais de madeira escura, originários da Igreja de Nossa Senhora da Boa Viagem/Santuário de Adoração Perpétua e catedral provisória, o padre adianta que, em 8 de junho, às 20h, vai celebrar a missa em honra do protetor e ressalta que, de terça a sábado, às 12h15, são celebradas missas em português dentro do ritual católico romano. “Vem muita gente, alguns de cidades distantes. Pessoas que chegam para consultas médicas ou estão de passagem pela cidade e aproveitam para rezar num espaço silencioso, perto do Centro.” No domingo, antes da missa em aramaico, há uma celebração em português. A próxima etapa, que vai contemplar a área interna, dependerá de autorização dos órgãos do patrimônio estadual e municipal, bem como de recursos. Mas já dá para ver que os restauradores terão muito trabalho. Prospecções mostraram que, sob quatro camadas de tinta nas paredes, estão os tons da pintura antiga. “Pode ser que sejam encontradas outras”, explica o padre, orgulhoso, por receber constantemente a visita de estudantes de arquitetura, integrantes de comunidades religiosas e imigrantes.

Os frequentadores da Igreja do Sagrado Coração de Jesus, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, acompanham a evolução da obra. “Venho aqui há 30 anos, desde a época do padre Luiz, que antecedeu o padre George. Gosto demais de tudo aqui”, afirma a enfermeira aposentada Dalva Guedes, moradora do Bairro Funcionários e voluntária nas atividades de bordado, pintura e costura. Participante do Conselho Paroquial e acompanhando as intervenções pelo conselho, Gilberto Rocha considera a igreja um “tesouro que estava escondido”. Bem perto da entrada, que tem uma porta de madeira entalhada, pode-se ver uma placa de mármore que sinaliza a pedra fundamental, colocada em 1901. Está aí uma ótima oportunidade para se conhecer a história do templo erguido por iniciativa de Anna de Aquino Sales, mulher do então presidente de Minas (na época, não se falava governador), Francisco Sales. Ela visitou Paris, foi à igreja de Sacre Coeur de Jesus e ficou tão encantada que resolveu patrocinar uma igual na cidade. Construída em terreno cedido por seu proprietário, Aarão Reis, ninguém menos do que o chefe da Comissão Construtora da Nova Capital, a igreja teve obras confiadas aos padres redentoristas, também responsáveis pela construção da Igreja de São José, e projeto do arquiteto Edgard Nascentes Coelho. Em 1925, foi inciado o Rito Siríaco Católico, com a nomeação de seu primeiro padre, vindo da Síria, George Elian.

RITO SIRÍACO Conforme os estu-

dos, a Igreja do Sagrado Coração de Jesus conserva características dos tempos apostólicos e de costumes próprios das comunidades cristãs da Síria. Especialistas informam que “a origem do rito que ali se celebra remonta aos primeiros tempos do cristianismo, quando, após a descida do Espírito Santo sobre os apóstolos, esses deram início a seu ministério. Os católicos do Rito Siríaco uniram-se a Roma a partir do século 17, mantendo, no entanto, a própria língua, o rito e a legislação eclesiástica, obedientes à autoridade do patriarca. Implantada em praça de formato triangular, alteada em relação ao plano das ruas contíguas, a Igreja do Sagrado Coração de Jesus tem planta em cruz latina e torre central única. Internamente, recebeu tratamento ornamental simples, destacando-se as pinturas do forro da nave e da capela-mor, este último executado pelo artista italiano Francisco Tamietti.


24 cont... estado de minas - gerais - p. 18 - 15/05/2018 FOTOS: GLADYSTON RODRIGUES/EM/D.A PRESS

do ão H

om recursos ndo templo a e realiza m aramaico, egue aos fiéis

do Sagrado Coração de BH”, diz m seu português perfeito, passa pelas avenidas Profesdo Balena e Carandaí, na região r, vê os andaimes e os trabalhadado da pintura da fachada em tico. Atento a cada detalhe, page conta que, durante a execuojeto, iniciada em agosto, foctadas antigas pinturas no bara que as novas e futuras geraheçam a cor original, esse petalho denominado “janela” sedo, por sugestão do restaurador z Rocha Vianna de Oliveira, de eto, enquanto o restante gas tons de cinza (claro e escuro). são 22 metros da ponta da cruz também será recuperada, paa oxidação das placas de metal, o um tom prata. balhos têm acompanhamento diocese de Belo Horizonte, via l Arquidiocesano, com o arquiert Gerson Soares Júnior fazentécnicas semanalmente. Vale que o arcebispo metropolitano om Walmor Oliveira de Azevede 2010, o referencial para os licos de rito oriental no Brasil. eiro de 2014, ele foi nomeado a Francisco integrante da Conpara as Igrejas Orientais, insVaticano.

CAL Tombada pelo Instituto Es-

Patrimônio Histórico e Artístinas Gerais (Iepha-MG) e Conseerativo do Patrimônio Cultural

Além da pintura das paredes, o teto da igreja recebeu reforço na estrutura

Municipal, a igreja teve respeitado pelos restauradores o sistema construtivo original. Assim, diz padre George, na hora de rebocar, foram usadas apenas areia e cal, como nos primórdios, sem uma colher sequer de cimento. A parte externa, agora cercada com tapumes, será complementada com jardins, estando programado ainda o serviço de drenagem das águas pluviais. Satisfeito na companhia de paroquianos, o religioso adianta que o altar de madeira, no qual fica a imagem do padroeiro Sagrado Coração de Jesus, tem uma coluna solta, e será restaurado na sequência – “Por isso, continuamos nossa campanha para obter os recursos necessários ao restauro dos elementos artísticos”. Como todas as participações são bem-vindas, o sacerdote diz que as inúmeras caçambas de entulho foram pagas

com dinheiro da campanha das latinhas. Mostrando dois altares laterais de madeira escura, originários da Igreja de Nossa Senhora da Boa Viagem/Santuário de Adoração Perpétua e catedral provisória, o padre adianta que, em 8 de junho, às 20h, vai celebrar a missa em honra do protetor e ressalta que, de terça a sábado, às 12h15, são celebradas missas em português dentro do ritual católico romano. “Vem muita gente, alguns de cidades distantes. Pessoas que chegam para consultas médicas ou estão de passagem pela cidade e aproveitam para rezar num espaço silencioso, perto do Centro.” No domingo, antes da missa em aramaico, há uma celebração em português. A próxima etapa, que vai contemplar a área interna, dependerá de autorização dos órgãos do patrimônio estadual e municipal, bem como de recursos. Mas já dá para ver que os restauradores terão muito trabalho. Prospecções mostraram que, sob quatro camadas de tinta nas paredes, estão os tons da pintura antiga. “Pode ser que sejam encontradas outras”, explica o padre, orgulhoso, por receber constantemente a visita de estudantes de arquitetura, integrantes de comunidades religiosas e imigrantes.

Tesouro escondido Os frequentadores da Igreja do Sagrado Coração de Jesus, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, acompanham a evolução da obra. “Venho aqui há 30 anos, desde a época do padre Luiz, que antecedeu o padre George. Gosto demais de tudo aqui”, afirma a enfermeira aposentada Dalva Guedes, moradora do Bairro Funcionários e voluntária nas atividades de bordado, pintura e costura. Participante do Conselho Paroquial e acompanhando as intervenções pelo conselho, Gilberto Rocha considera a igreja um “tesouro que estava escondido”. Bem perto da entrada, que tem uma porta de madeira entalhada, pode-se ver uma placa de mármore que sinaliza a pedra fundamental, colocada em 1901. Está aí uma ótima oportunidade para se conhecer a história do templo erguido por iniciativa de Anna de Aquino Sales, mulher do então presidente de Minas (na época, não se falava governador), Francisco Sales. Ela visitou Paris, foi à igreja de Sacre Coeur de Jesus e ficou tão encantada que resolveu patrocinar uma igual na cidade. Construída em terreno cedido por seu proprietário, Aarão Reis, ninguém menos do que o chefe da Comissão Construtora da Nova Capital, a igreja teve obras confiadas aos padres redentoristas, também responsáveis pela construção da Igreja de São José, e projeto do arquiteto Edgard Nascentes Coelho. Em 1925, foi inciado o Rito Siríaco Católico, com a nomeação de seu primeiro padre, vindo da Síria, George Elian.

RITO SIRÍACO Conforme os estu-

dos, a Igreja do Sagrado Coração de Jesus conserva características dos tempos apostólicos e de costumes próprios das comunidades cristãs da Síria. Especialistas informam que “a origem do rito que ali se celebra remonta aos primeiros tempos do cristianismo, quando, após a descida do Espírito Santo sobre os apóstolos, esses deram início a seu ministério. Os católicos do Rito Siríaco uniram-se a Roma a partir do século 17, mantendo, no entanto, a própria língua, o rito e a legislação eclesiástica, obedientes à autoridade do patriarca. Implantada em praça de formato triangular, alteada em relação ao plano das ruas contíguas, a Igreja do Sagrado Coração de Jesus tem planta em cruz latina e torre central única. Internamente, recebeu tratamento ornamental simples, destacando-se as pinturas do forro da nave e da capela-mor, este último executado pelo artista italiano Francisco Tamietti.

Clipping geral e espec 15052018  
Clipping geral e espec 15052018  
Advertisement