Issuu on Google+

XXI 216 28/09/2013

Superintendência de Comunicação Integrada

CLIPPING Nesta edição: Clipping Geral Meio Ambiente Patrimônio Cultural Procon-MG

Destaques: Ministério Público e a solução de conflitos - p. 01 MPE entra na briga por lotes limpos em BH - p. 22 Ministério Público investiga flexibilização de área verde - p. 23


01 tudo - BH - p. 04 - 28 de setembro a 04 de outubro - 02.10.2013


02 CONT... tudo - BH - p. 04 - 28 de setembro a 04 de outubro - 02.10.2013


03 FOLHA DE SP - SP - CODIANO 2 - P. 03 - 28.09.2013


04 CONT... FOLHA DE SP - SP - CODIANO 2 - P. 03 - 28.09.2013


05 estado de minas - MG - P.27 - 28.09.2013


06 hoje em dia - MG - P. 17 - 28.09.2013


07 o tempo - mg - p. 06 - 28.09.2013


08 o tempo - mg - p.07 - 28.09.2013


09 ESTADO DE MINAS - mg - p. 02 - 28.09.2013

ESTADO DE MINAS - mg - p. 02 - 28.09.2013


10 ESTADO DE MINAS - mg - p. 03 - 28.09.2013


11 cont... 1ESTADO DE MINAS - mg - p. 03 - 28.09.2013


12 O TEMPO - MG - P. 06 - 28.09.2013


13 hoje em dia - MG - P. 19 - 28.09.2013

diรกrio do commmercio - rj - on line - 27.09.2013


14 estado de minas - MG - P. 04 - 28.09.2013


15 cont... estado de minas - MG - P. 04 - 28.09.2013

o tempo - mg - p. 31 - 28.09.2013


16 folha de sp - sp - a15 - 28.09.2013


17 cont... folha de sp - sp - a15 - 28.09.2013


18 O TEMPO - MG - P. 02 - 28.09.2013


19 folha de sp - sp - p. a3 - 28.09.2013


20

estado de minas - MG - P. 16 - 28.09.2013


21 hoje em dia - MG - 1ÂŞ P E P. 16 - 28.09.2013


22 CONT... hoje em dia - MG - P. 16 - 28.09.2013


23 hoje em dia - MG - P. 21 - 28.09.2013

-


24 CONT... hoje em dia - MG - P. 21 - 28.09.2013


25 o tempo - mg - p. 31 - 28.09.2013


a criação dos órgãos ao então governador Rondon aoduziu, ineditismo, o Inventáserem objetos de salvaguarda e longocom desses 42 anos, o s em apoio ao tra- Pacheco determinar as providênrio de Proteção do acervo Cultural proteção pelo Estado e cuja metocultura Iepha contribuiu para a reflexão MINAS G G MINAS olvido pelo Institu- cias para criação do Iepha. de Minas Gerais Ipac/MG -, que dologia reconhece a amplitude do teórica e metodológica acerca do patrimônio por meio das manifespatrimônio de Minas Gerais. Recen26 tações culturais, festas e cultos temente, lançou o 1º Guia de bens populares, arquitetura, patrimôTombados que contempla tombacultura nio natural e ϭϵϳϭƒϭϵϳϱ arqueológico. MINAS GERAIS sábado, 28 ^dDZKϮϬϭϯͳ 5 mentos realizados entre 1975 e após a promulgação da Consti:Êݝ:ʃØç®ÃƒÙě®ÙÊ—›D›Ä—ÊĖƒ 2002. Mesmo ainda durante sua tuição de 1988, destaca-se a consoestruturação operacional, realizou ϭϵϳϱƒϭϵϳϵ lidação do processo de municipali29 tombamentos. Em sua primeira zação, pela necessidade de particifase de atuação, e em consequência :Êݝ'›Ùƒ½—Ê&ƒÙ®ƒ pação das comunidades no recodo crescimento urbano de belo ϭϵϳϵƒϭϵϴϯ nhecimento e preservação do seu Horizonte, deu prioridade à Capital, patrimônio cultural. o instituto que participou com um terço dos >瑮ƒÄÊۗœ›W›Ù›ã cultura M passou, então, a exercer o assessobens tombados, a começar pelo ϭϵϴϯƒϭϵϴϰ ramento aos municípios. Palácio da Liberdade. em 1975.

p Iepha completa 42 anos de pr Iepha completa 42 anos de preservação Mi do patrimônio cultural de Min do patrimônio cultural de Minas Gerais

KÝÖٛݮ—›Äã›Ý

‰Enquanto aprimora suas metodologias, instituto també

‰Enquanto aprimora suas metodologias, instituto também estimula a participação dos municípios dadefesa sociedade em defesa do participação dos municípios e da sociedadeeem dos bens históricos

Iepha completa 42 anos de do patrimônio cultural de a completa 42 anos de preserv undado em em 30 30 de de setembro setembro de de FFundado 1971, oo Instituto Instituto Estadual Estadual de de 1971,

^çþùW®Ã›Äプ›D›½½Ê ϭϵϴϰƒϭϵϴϳ Zʗٮ¦Ê&›Ùٛ®Ùƒ—›ėك—› MINAS GERAIS ϭϵϴϳƒϭϵϴϴ ÄăDƒÙ®Äƒs®ƒÄƒ^®Ø目ك ϭϵϴϴƒϭϵϴϵ DƒÙ®ƒÙ®Ýã®Äƒكé¹ÊƒÃÖÊÝ ϭϵϴϵƒϭϵϵϭ 5 ½ç°Ý®ÊZƒÝÝ®½ƒÄك¦ƒ municípios para que, juntos,

bens cultuto do Patrimônio Histórico e to Junto inúmeros processosHistórico identifica e culturais nãoaos inúm undado em 30 de setembro de federal na proteção dos federal na proteção dos bens cultudoaosPatrimônio Patrimônio Junto dos cultutotombamentos, do Histórico ebens Junto inúm LEI RObIn HOOd - ImporORIGEM - a bens criação de órgãos medidas,na foi proteção artístico Nacional (Iphan). Coube de o instituto intro1971, o Instituto Estadual de rais”, entre outrasfederal cadastrados que poderão vir aos a rais”, entreaooutras outras medidas, foi artístico Nacional (Iphan). Coube de tombamentos, dos órgãos então governador Rondon duziu, com ineditismo, o InventáPatrimônio Histórico e artístico de recomendada a criação objetos dede salvaguarda rais”, entre medidas, foi artístico Nacional (Iphan). Coube tombamentos, oo tante passoserem na atuação do insti- e estaduais para a proteção do patrinessas esferas em recomendada apoio ao tra- Pacheco determinar asórgãos providên- rio de Proteção do acervo Cultural proteção Minas Gerais (Iepha) foi um dos pelo Estado e cuja metoa criação dos ao então governador Rondon duziu, com ineditis Patrimônio Histórico e artístico de recomendada a criação dos órgãos ao então governador Rondon duziu, com ineditism Patrimônio Histórico e artístico de tuto foi dado em 1996, com a mônio cultural brasileiro foi expresde Minas Gerais - Ipac/MG -, que dologia reconhece a amplitude do primeiros órgãos estaduais criados balho desenvolvido pelo Institu- cias para criação do Iepha. nessassaesferas esferas em apoio apoio ao tratra- Pacheco Pacheco determinar as providênprovidênriodas demanifesProteçãodo doa Gerais (Iepha)o foi foi um um dos dos nessas com a finalidade de preservar em ao determinar as rio de Proteção Minas Gerais (Iepha) patrimônio por meio promulgação da Lei nº 12.040/95, no documento “Compromisso de patrimônio cultural e histórico. tações culturais, de festas e cultos sábado, 28  balho desenvolvido pelo Institucias para criação do Iepha. de Minas Gerais I primeiros órgãos estaduais criados balho desenvolvido pelo Institucias para criação do Iepha. Minas Gerais -- Ip primeiros órgãos estaduais criados a chamada Lei Robin Hood, que brasília”. Em abril de 1970, governaVinculado ao sistema Estadual populares, arquitetura, patrimôfinalidade de preservar preservar oo de Cultura, instituto se destaca com a ofinalidade de nio natural e arqueológico. passou a destinar recursos do dores, secretários estaduais da área pela qualidade técnica e científica após a promulgação da Constipatrimônio cultural histórico. patrimônio cultural ee histórico. ICMs aos municípios que presercultural e representantes de instituide seus trabalhos, buscando o aprituição de 1988, destaca-se a consoVinculado ao sistema Estadual Vinculado aometodosistema Estadual moramento constante de lidação do processo de municipalivam seu patrimônio cultural. o ções culturais se reuniram para dislogias eCultura, a adoção de uma política se destaca zação, pela necessidade de particide o instituto Cultura, o instituto se destaca Iepha ficou responsável pela elacutir medidas necessárias à defesa descentralizada e de coparticipação pação das comunidades no recopela qualidade técnica e científica científica qualidade dos municípios. a missãotécnica é garantir e boração e nhecimento análise edos critérios do patrimônio histórico e artístico preservação do seu à de sociedade acesso e fruição dos patrimôniodos cultural. o instituto seusotrabalhos, trabalhos, buscando o apriapribuscando o nacional. Reconhecida a “inadiável para o repasse recursos, bens culturais por meio da preserpassou, então, a exercer o assesso28 ^dDZKϮϬϭϯͳ moramento constante de metodometodomoramento vação, valorizando constante o respeito à de necessidade de ação supletiva sábado, dos além de prestar assessoria ramento aos municípios. aos diversidade logias edoaaEstado. adoção de de uma uma política política adoção

‰Enquanto aprimora suas metodologias, instituto t MINAS GERAIS participação dos municípios e da sociedade em defe

atrimônio cultural de Minas Ge eta 42 anos de preservação estados e municípios à atuação descentralizada ee de de coparticipação coparticipação descentralizada municípios. a missão missão garantirde federal na proteção dos bens cultudos municípios. éé garantir Com undado ema a30 de setembro sociedade o acesso e fruição dosde rais”, entre outras medidas, foi à 1971, sociedade o acesso e fruição dos o Instituto Estadual reformulação culturais por por meio meio da da preserpreserbens culturais recomendada a criação dos órgãos Patrimônio Histórico artísticoààde sábado, MINAS GERAIS 28 ^dDZKϮϬϭϯͳ 5 administrativa, ooo erespeito valorizando respeito vação, valorizando nessas esferas em apoio ao traMinas Gerais (Iepha) foi um dos diversidadepassou do Estado. Estado. diversidade do instituto a

LEI RObIn HOOd - Impor-

implantem tante umapasso política de do prena atuação instifoi dado em 1996, com a to do Patrimônio Histórico e Ju servação dotutopatrimônio cultural promulgação da Lei nº 12.040/95, adequada às características de artístico Nacional (Iphan). Coube a chamada Lei Robin Hood, que de tom passou a destinar recursos do cada comunidade. ao então governador Rondon duziu, ICMs aos municípios que presernaas importância dao rio de vam seu patrimônio cultural. Pacheco acreditando determinar providênIepha ficoudas responsável pela elaampla participação comunidacriação do Iepha. primeiros órgãos estaduais criados balho desenvolvido pelo Institu- cias para boração e análise dos critérios de Min des nas ações de preservação da exercer o papel de para o repasse dos recursos, com a finalidade de preservar o além de prestar assessoria memória, o Iepha lançou, em federal na proteção dos bens cultu- to do Patrimônio Histórico e Junto aos inúmeros processos aosidentifica embro de assessoramento municípios para que, juntos, patrimônio cultural e histórico. 2009, a Jornada Mineira do Patrio instituto introtadual de rais”, entre outras medidas, foi artístico Nacional (Iphan). Coube de tombamentos,implantem cadastra uma política de preVinculado ao sistema Estadual aos municípios ϭϵϳϭƒϭϵϳϱ ϭϵϵϭƒϭϵϵϯ servação do patrimônio cultural mônio Cultural, que leva as comuo Inventártístico de recomendada a criação dos órgãos ao então governador Rondon duziu, com ineditismo, serem o adequada às características de de Cultura, o instituto se destaca nidades mineiras a perceberem nessas esferas em apoio ao traPacheco determinar as providênrio de Proteção do Cultural i um dos cadaacervo comunidade. proteção Øç®ÃƒÙě®ÙÊ—›D›Ä—ÊĖƒ DƒÙ®ƒ禞ĮƒDçÙãƒ>ƒ¦›Ý ao qualidade longo desses 42 técnica anos, o pela e pelo científica acreditando na importância da de modo diferente suas cidades, balho para desenvolvido Institu- cias para criação do Iepha. de Minas Gerais Ipac/MG -, que ais criados Iepha contribuiu a reflexão dologia r ampla participação das comunidaϭϵϳϱƒϭϵϳϵ ϭϵϵϰƒϭϵϵϴ teórica e metodológica acercabuscando do lugares, manifestações epreservação produ-dapatrimôn de seus trabalhos, o aprieservar o des nas ações de patrimônio de Minas Gerais. Recenções.bens ação pioneira País,lançou, a Jor-em memória, ono Iepha os bens cultuto do Patrimônio e Junto aos inúmeros processos identifica culturais não moramento metodo- KÝÖٛݮ—›Äã›Ý—›Ý—›ƒ¥çėƒ–‡Ê temente, lançou o 1ºconstante Guia de bens de Histórico órico. :Êݝ'›Ùƒ½—Ê&ƒÙ®ƒ :çٛÃDƒ‘«ƒ—Ê tações c 2009, a Jornada Mineira do PatriTombados que contempla tombanada, que em 2011 contabilizava medidas, foi e artístico Nacional (Iphan). Coube de tombamentos, o instituto introcadastrados poderão a as comu-populare ϭϵϳϭƒϭϵϳϱ ϭϵϵϭƒϭϵϵϯ logias a adoção de uma política mônio Cultural,vir que leva a Estadual mentos realizados entre 1975 e ϭϵϳϵƒϭϵϴϯ ϭϵϵϵƒϮϬϬϮ instituições participantes, mineiras aeperceberem o dos órgãos ao ainda então governador Rondon duziu, com ineditismo, oDƒÙ®ƒ禞ĮƒDçÙãƒ>ƒ¦›Ý Inventá- serem 623 objetos de nidades salvaguarda :Êݝ:ʃØç®ÃƒÙě®ÙÊ—›D›Ä—ÊĖƒ 2002. Mesmo durante suacoparticipação descentralizada e de se destaca nio natur deomodo diferenteNacional estruturação operacional, realizou conquistou Prêmio poio ao dos tra- municípios. Pacheco determinar providênrio de Proteção do acervo Cultural proteção pelo Estado e cuja meto-suasecidades, ϭϵϳϱƒϭϵϳϵ ϭϵϵϰƒϭϵϵϴ lugares, manifestações produmissão éasgarantir e>瑮ƒÄÊۗœ›W›Ù›ã científica &½…ò®Ê—›>›ÃÊ݃Ù݃½ƒ—› 29 tombamentos. Em sua a primeira após Melo Franco de do andrade, pelo Instituciasepara criação do Iepha. :Êݝ'›Ùƒ½—Ê&ƒÙ®ƒ de Minas Gerais - Ipac/MG -,:çٛÃDƒ‘«ƒ—Ê que dologiaRodrigo ação pioneira no País, a Jorreconhece ações. amplitude fasesociedade de atuação, emo consequência ndo o aprià acesso e fruição dos nada, que em 2011 contabilizava do crescimento urbano de belo do Iphan, como a manifesmelhor iniciati- tuição de ϭϵϴϯƒϭϵϴϰ ϮϬϬϯƒϮϬϬϰ patrimônio por meio ϭϵϳϵƒϭϵϴϯ ϭϵϵϵƒϮϬϬϮ 623das instituições participantes, e Histórico metodoHorizonte, deu prioridade àaos Capital, bens por meio da preserlidação d e culturais Junto inúmeros processos identifica bens culturais não va brasileira de divulgação do conquistou Prêmio patriNacional tações culturais, festas e ocultos que participou com um terço dos >瑮ƒÄÊۗœ›W›Ù›ã &½…ò®Ê—›>›ÃÊ݃Ù݃½ƒ—› çþùW®Ã›Äプ›D›½½Ê sƒÄ›Ý݃ÊÙ¦›Ýكݮ½›®ÙÊ ma política vação, valorizando à Rodrigo Melo Franco de andrade, phan). Coube de tombamentos, instituto introzação, pe cadastrados que poderão vir a populares, bens tombados, a começar peloo orespeito mônio cultural de 2010. arquitetura, patrimôdo Iphan, como a melhor iniciatiϭϵϴϯƒϭϵϴϰ Palácio da Liberdade. em 1975.ineditismo, o Inventáarticipação dor ϭϵϴϰƒϭϵϴϳ Rondon duziu,do com serem ϮϬϬϰƒϮϬϬϳ objetos de salvaguardaϮϬϬϯƒϮϬϬϰ e nio natural Em diversidade Estado. pação da julho de 2011, o governava brasileira de divulgação do patrie arqueológico. ^çþùW®Ã›Äプ›D›½½Ê sƒÄ›Ý݃ÊÙ¦›Ýكݮ½›®ÙÊ é garantir as providênrio- ade Proteção mônio culturallançou de 2010. o pro- nhecimen proteção pelo Estado e cuja metoORIGEM criação de órgãosdo acervo Cultural dor antonio anastasia após a promulgação da ConstiEm julho de 2011, o governaϭϵϴϰƒϭϵϴϳ longo desses 42 anos, oo-, que aopara desses anos, estaduais a Minas proteção do patri- 42 Ù®¦Ê&›Ùٛ®Ùƒ—›ėك—› K‘ã…ò®Ê½°Ý®Ê½ò›Ý—›Ù®ãÊ͘ ruição dos epha. delongo Gerais - Ipac/MG dologia reconhece a amplitudeϮϬϬϰƒϮϬϬϳ do tuição de grama Minas Patrimônio Vivo, patrimôn 1988, destaca-se aanastasia conso-lançou dor antonio o promônio cultural brasileiro foi exprescontribuiu para reflexão Iepha contribuiu para aa reflexão Zʗٮ¦Ê&›Ùٛ®Ùƒ—›ėك—› K‘ã…ò®Ê½°Ý®Ê½ò›Ý—›Ù®ãÊ͘ da preserpatrimônio por meio das manifesgrama Minas Patrimônio Vivo, sa no documento “Compromisso de cujo objetivo é restaurar e conserpassou, e ϭϵϴϳƒϭϵϴϴ ϮϬϬϳƒϮϬϬϴ lidação do processocujo deobjetivo municipalié restaurar e consermetodológica acerca do do ϭϵϴϳƒϭϵϴϴ ee metodológica Em abril de 1970, governa- acerca ϮϬϬϳƒϮϬϬϴ espeito brasília”. àteórica tações culturais, festas e cultos var necessidade bens tombados e também ramento zação, pela de particivar bens tombados e também dores, secretários estaduais da área patrimônio de de Minas Minas Gerais. Gerais. RecenRecenpatrimônio ÄăDƒÙ®Äƒs®ƒÄƒ^®Ø目ك >®ƒÄƒWÊÙ㮽«ÊDƒããÊÝ ÄƒDƒÙ®Äƒs®ƒÄƒ^®Ø目ك >®ƒÄƒWÊÙ㮽«ÊDƒããÊÝ populares, arquitetura, patrimôa segurança de obras cultural e representantes de instituigarantir a garantir segurança de obras pação das comunidades no recotemente, lançou o 1º 1ºdis-Guia Guia de de bens bens ϭϵϴϴƒϭϵϴϵ temente, artísticas a partir da instalação de ções culturais selançou reuniram o para nio natural e arqueológico. ϮϬϬϴƒϮϬϭϬ artísticas a partir instalação de nhecimento e preservação do seu de prevenϭϵϴϴƒϭϵϴϵ LEI ϮϬϬϴƒϮϬϭϬ sistemasda contra furtos, cutir medidas necessárias à defesa Tombados que contempla tombaTombados que contempla tombaDƒÙ®ƒÙ®Ýã®Äƒكé¹ÊƒÃÖÊÝ ƒÙ½ÊÝZʐ›ÙãÊEÊÙÊÄ«ƒ após a promulgação da Consti- patrimônio ϭϵϳϭƒϭϵϳϱ ção e combate a incêndios. a ϭϵϵϭƒϭϵϵϯ ϭϵϳϭƒϭϵϳϱ ϭϵϵϭƒϭϵϵϯ do patrimônio histórico e artístico sistemas contra furtos, de prevencultural. o instituto tante pa realizados entre 1975 1975 ee ϭϵϴϵƒϭϵϵϭ mentos realizados entre proposta é assegurar às futuras nacional. Reconhecida a “inadiável ƒÙ®Ýã®Äƒكé¹ÊƒÃÖÊÝ ƒÙ½ÊÝZʐ›ÙãÊEÊÙÊÄ«ƒ tuição de 1988, destaca-se a conso-ϮϬϭϭpassou,ção e acombate aoassessoincêndios. ae tuto então, exercer o necessidade de ação supletiva dos gerações acesso à memória à foi :Êݝ:ʃØç®ÃƒÙě®ÙÊ—›D›Ä—ÊĖƒ DƒÙ®ƒ禞ĮƒDçÙãƒ> :Êݝ:ʃØç®ÃƒÙě®ÙÊ—›D›Ä—ÊĖƒ DƒÙ®ƒ禞ĮƒDçÙãƒ>ƒ Mesmo ainda ainda durante durante sua sua 2002. Mesmo lidação do processo de municipali½ç°Ý®ÊZƒÝÝ®½ƒÄك¦ƒ &›ÙăėÊs®ƒÄƒƒÙƒ½ estados e municípios à atuação de Minas às Gerais. proposta é história assegurar futuras promulg ramento aos municípios. ϭϵϴϵƒϭϵϵϭ ϮϬϭϭ estruturação operacional, operacional, realizou realizou estruturação zação, pela necessidade de particigerações o acesso à memória eà ϭϵϳϱƒϭϵϳϵ ϭϵϳϱƒϭϵϳϵ ϭϵϵϰƒϭϵϵϴ ϭϵϵϰƒϭϵϵϴ a chama tombamentos. Em Em sua sua primeira primeira 29 tombamentos. pação das comunidades no reco½ç°Ý®ÊZƒÝÝ®½ƒÄك¦ƒ &›ÙăėÊs®ƒÄƒƒÙƒ½ história de Minas Gerais. LEI RObIn HOOd - :çٛÃDƒ‘«ƒ—Ê Imporfase de atuação, atuação, ee em em consequência consequência passou :Êݝ'›Ùƒ½—Ê&ƒÙ®ƒ :Êݝ'›Ùƒ½—Ê&ƒÙ®ƒ :çٛÃDƒ‘«ƒ—Ê nhecimento e preservação do seu tante passo na atuação do instido crescimento crescimento urbano urbano de de belo belo ICMs ao patrimônio cultural. o instituto tuto foi dado em 1996, comϭϵϵϵƒϮϬϬϮ ϭϵϳϵƒϭϵϴϯ ϭϵϳϵƒϭϵϴϯ ϭϵϵϵƒϮϬϬϮ a Horizonte, Horizonte, deu deu prioridade prioridade àà Capital, Capital, vam seu passou, então, a exercer o assesso- promulgação da Lei nº 12.040/95, que participou participou com com um um terço terço dos dos >瑮ƒÄÊۗœ›W›Ù›ã &½…ò®Ê—›>›ÃÊ݃Ù݃½ƒ >瑮ƒÄÊۗœ›W›Ù›ã &½…ò®Ê—›>›ÃÊ݃Ù݃½ Iepha fic ramento aos municípios. a chamada Lei Robin Hood, que bens tombados, tombados, aa começar começar pelo pelo boração ϭϵϴϯƒϭϵϴϰ ϭϵϴϯƒϭϵϴϰ ϮϬϬϯƒϮϬϬϰ passou a destinar recursos ϮϬϬϯƒϮϬϬϰ do Palácio da da Liberdade. Liberdade. em em 1975. 1975. LEI RObIn HOOd - Impor- ICMs aos municípios que preserpara o ^çþùW®Ã›Äプ›D›½½Ê sƒÄ›Ý݃ÊÙ¦›Ýكݮ½› tante ^çþùW®Ã›Äプ›D›½½Ê passo na atuação do insti- vam seu patrimônio sƒÄ›Ý݃ÊÙ¦›Ýكݮ½› além de cultural. o ORIGEM ORIGEM -- aa criação criação de de órgãos órgãos

F o aprimora suas metodologias, instituto também estimula ão dos municípios e da sociedade em defesa dos bens histó

io cultural de Minas Gerais nos de preservação as metodologias, instituto também estimula a os ede da sociedade em defesa dos bens históricos al Minas Gerais

KÝÖٛݮ—›Äã›Ý—›Ý—›ƒ¥çėƒ–‡Ê Com a reformulação administrativa, o instituto passou a , instituto também estimula a exercer o papel de de emassessoramento defesa dos bens históricos aos municípios

Com a reformulação administrativa, o ção instituto passou a va, o exercer o papel de sou a assessoramento pel de aos municípios

ento

KÝÖٛݮ—›Äã›Ý—›Ý—›ƒ¥çėƒ–‡Ê KÝÖٛݮ—›Äã›Ý—›Ý—›ƒ¥çėƒ–‡Ê


ão dos municípios e da sociedade em defesa dos bens histórico

tembro de federal na proteção dos bens cultu- to do Patrimônio Histórico e tadual de rais”, entre outras medidas, foi artístico Nacional (Iphan). Coube artístico de recomendada a criação dos órgãos ao então governador Rondon oi um dos nessas esferas em apoio ao tra- Pacheco determinar as providênbalho desenvolvido cias para criação do Iepha. ais criados CONT... MINAS GERAIS - pelo MG -InstituP. 05 - 28.09.2013 reservar o órico. a Estadual se destaca e científica ndo o aprie metodoma política articipação o é garantir ruição dos da preserrespeito à

Junto aos inúmeros processos de tombamentos, o instituto introduziu, com ineditismo, o Inventário de Proteção do acervo Cultural de Minas Gerais - Ipac/MG -, que

ção va, o sou a pel de ento pios

2 anos, o a reflexão acerca do ais. Recenia de bens pla tombae 1975 e urante sua al, realizou ua primeira nsequência o de belo e à Capital, terço dos meçar pelo 1975.

de órgãos o do patrifoi expresromisso de 0, governaais da área de instituim para disas à defesa e artístico “inadiável pletiva dos à atuação

KÝÖٛݮ—›Äã›Ý—›Ý—›ƒ¥çėƒ–‡Ê ϭϵϳϭƒϭϵϳϱ :Êݝ:ʃØç®ÃƒÙě®ÙÊ—›D›Ä—ÊĖƒ ϭϵϳϱƒϭϵϳϵ :Êݝ'›Ùƒ½—Ê&ƒÙ®ƒ ϭϵϳϵƒϭϵϴϯ >瑮ƒÄÊۗœ›W›Ù›ã ϭϵϴϯƒϭϵϴϰ ^çþùW®Ã›Äプ›D›½½Ê ϭϵϴϰƒϭϵϴϳ Zʗٮ¦Ê&›Ùٛ®Ùƒ—›ėك—› ϭϵϴϳƒϭϵϴϴ ÄăDƒÙ®Äƒs®ƒÄƒ^®Ø目ك ϭϵϴϴƒϭϵϴϵ DƒÙ®ƒÙ®Ýã®Äƒكé¹ÊƒÃÖÊÝ ϭϵϴϵƒϭϵϵϭ ½ç°Ý®ÊZƒÝÝ®½ƒÄك¦ƒ

ϭϵϵϭƒϭϵϵϯ DƒÙ®ƒ禞ĮƒDçÙãƒ>ƒ¦›Ý ϭϵϵϰƒϭϵϵϴ :çٛÃDƒ‘«ƒ—Ê ϭϵϵϵƒϮϬϬϮ &½…ò®Ê—›>›ÃÊ݃Ù݃½ƒ—› ϮϬϬϯƒϮϬϬϰ sƒÄ›Ý݃ÊÙ¦›Ýكݮ½›®ÙÊ ϮϬϬϰƒϮϬϬϳ K‘ã…ò®Ê½°Ý®Ê½ò›Ý—›Ù®ãÊ͘ ϮϬϬϳƒϮϬϬϴ >®ƒÄƒWÊÙ㮽«ÊDƒããÊÝ ϮϬϬϴƒϮϬϭϬ ƒÙ½ÊÝZʐ›ÙãÊEÊÙÊÄ«ƒ ϮϬϭϭ &›ÙăėÊs®ƒÄƒƒÙƒ½

identifica ben cadastrados qu serem 27 objetos proteção pelo E dologia reconhe patrimônio por tações culturai populares, arq nio natural e ar após a prom tuição de 1988, lidação do proc zação, pela nece pação das com nhecimento e p patrimônio cul passou, então, a ramento aos mu

LEI RObIn tante passo na tuto foi dado promulgação d a chamada Lei passou a dest ICMs aos muni vam seu patri Iepha ficou res boração e aná para o repas além de prest municípios pa implantem um servação do p adequada às cada comunida acreditando ampla participa des nas ações memória, o Ie 2009, a Jornada mônio Cultural, nidades mineir de modo difere lugares, manife ções. ação pion nada, que em 623 instituiçõ conquistou o Rodrigo Melo F do Iphan, como va brasileira de mônio cultural d Em julho d dor antonio ana grama Minas cujo objetivo é var bens tom garantir a seg artísticas a part sistemas contra ção e combat proposta é ass gerações o ace história de Mina


28 o tempo - mg - p. 12 - 28.09.2013


Clipping geral e espec 28092013