Issuu on Google+

XX

148

15/08/2012

* MP busca provas de esquema envolvendo prefeito de Pirapora - p.01 * Igreja de 1688 será recuperada - p.06 * Operação Halloween apreende 67 máquinas de caça-níqueis - p.12


01 HOJE EM DIA - p. 04 - 15.08.2012

ESTADO DE MINAS - p. 02 - 15.08.2012 EM DIA COM A POLíTICA

Baptista Chagas de Almeida

PINGAFOGO

De novo! O prefeito de Pirapora, Warmilon Fonseca Braga (DEM), foi alvo de outra operação do Ministério Público. Desta vez, para o cumprimento de mandados de busca e apreensão, feitas na prefeitura, na casa dele e em propriedades rurais e empresas. Batizada de Waterloo, a operação investiga denúncias dos crimes de desvios de recursos públicos, lavagem de dinheiro e enriquecimento ilícito que teriam sido cometidos pelo prefeito Warmilon. Ele nega. O TEMPO - 1ª p. - 15.08.2012


02 O TEMPO - mg - p. 03 - 15.08.2012


03 cont... O TEMPO - mg - p. 03 - 15.08.2012


04 super notĂ­cia - p. 11 - 15.08.2012


05 o tempo - mg - p. 32 - 15.08.2012


06 ESTADO DE MINAS - on line - 15.08.2012

Gustavo Werneck Dois acordos importantes fortalecem o patrimônio cultural de Januária, na Região Norte de Minas Gerais, a 603 quilômetros de Belo Horizonte, e destacam a relevância da cidade na história do estado. Construída em 1688 e uma das primeiras de Minas, a Igreja de Nossa Senhora do Rosário, no distrito de Brejo do Amparo, é alvo de um termo de ajustamento de conduta (TAC) firmado entre o Ministério Público (MPMG) e a diocese local. O objetivo é que sejam adotadas medidas de proteção para o templo católico tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha/MG) desde 1989. Também num trabalho do Ministério Público (MPMG), será recuperado o centenário casarão Matta Machado, no Centro do município. Abandonada há décadas, a igreja está em péssimo estado de conservação e demanda serviços urgentes para evitar maior degradação. De acordo com o MPMG, a diocese assumiu o compromisso de, no prazo de 30 dias, com orientação do Iepha, cercar a área externa do templo com tapumes, a fim de evitar vandalismo; fechar as portas e janelas; retirar as imagens sacras e bens móveis; e capinar e limpar o entorno. O acordo foi assinado pelo bispo de Januária, dom José Moreira da Silva, e pelo promotor de Justiça da comarca Bruno de Oliveira Muller, com apoio da Coordenadoria das Promotorias de Justiça de Defesa do Patrimônio Cultural e Turísti-

PATRIMÔNIO

Igreja de 1688 será recuperada

co/MG (CPPC). Dom José explica que apenas uma vez por ano, no fim de outubro, é celebrada missa no local: “Ela é sempre campal, tal a deterioração da igreja. O restauro será uma vitória para a comunidade e todo o Norte de Minas. Sem o acordo, afirma dom José, seria impossível executar a obra completa, já que a diocese não dispõe de recursos. ”Para os serviços emergenciais, vamos fazer campanha e arrecadar o dinheiro”, diz o bispo, que aguarda a autorização do Iepha para começar o trabalho de emergência. Entusiasta da empreitada, o presidente da Associação Comunitária Brejo do Amparo, Adelmo Magalhães, ressalta que a igreja está com problemas nas paredes, janelas, cobertura e na fachada. Além disso, um dos problemas sérios são os cupins. Ver esta igreja restaurada é um sonho de todos nós”, afirma Adelmo Magalhães.

O MPMG requereu ao Iepha a elaboração do projeto de restauração integral do templo, que já foi inserido no Programa Minas Patrimônio Vivo e tem, portanto, recursos garantidos. O projeto deverá ser finalizado ainda neste ano, com expectativa de contratação das obras em 2013. O instituto vai enviar, dia 31, uma equipe a Januária para orientar sobre os serviços emergenciais e tomar outras providências. A assessoria do Iepha informa que está pronto o termo de referência para contratação da empresa que fará o projeto de restauro do prédio e elementos artísticos. A partir da contratação da empresa vencedora da licitação, o prazo de apresentação do projeto será de 180 dias. CASARÃO Outra conquista importante para o patrimônio de Januária se refere ao termo de ajustamento de conduta firmado entre o promotor de Justiça

da comarca, Bruno Muller, e o proprietário do casarão Matta Machado, no Centro da cidade. O imóvel estava alugado para o estado havia mais de 20 anos e já abrigou delegacia de polícia, escola pública e nos últimos tempos vem servindo de arquivo morto para material de ensino. Em audiência com o representante do Ministério Público, o dono da edificação argumentou que o estado deveria fazer os serviços, mas, pelo contrato de locação firmado entre as partes, disse Muller, a responsabilidade de preservar é do proprietário. Dessa forma, o proprietário terá que fazer a descupinização do prédio, já que o ataque de insetos é um dos maiores problemas da construção. Outra providência fundamental será a apresentação, no prazo de 150 dias, do projeto de restauração do casarão. O restauro deverá ocorrer no prazo de um ano, a partir da apresentação do projeto.

(Alessandro Pereira/Prefeitura de Januária )

Igreja do Rosario, no distrito de Brejo do Amparo, em Januária, sera restaurada.


07 HOJE EM DIA - p. 05 - 15.08.2012


08 HOJE EM DIA - p. 05 - 15.08.2012


09 diário do comércio - mg - P. 25 - 15.08.2012

HOJE EM DIA - p. 05 - 15.08.2012

50 multas por mês escancaram insegurança no transporte escolar


10 O TEMPO - mg - P. 29 - 15.08.2012


11 cont... O TEMPO - mg - P. 29 - 15.08.2012

ESTADO DE MINAS - on line - 15.08.2012

CASO BRUNO

Pena de goleiro é extinta João Henrique do Vale OTIMISMO Em decisão unânime, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro O advogado do goleiro, Rui Pimenta, afirmou que a decisão (TJRJ) extinguiu ontem a pena do goleiro Bruno Fernandes e do é uma vitória para a defesa. “O promotor havia recorrido para auamigo dele, Luiz Henrique Romão, o Macarrão, por agressão e mentar a pena e nós decidimos entrar com o pedido para baixar e cárcere privado de Eliza Samudio cometido antes do desapareci- deu exatamente a nossa pretensão. Agora, quando a sentença for mento da modelo. A desembargadora Maria Angélica Guimarães publicada, vamos pegar a certidão e juntar ao processo que está Guedes, da 7ª Câmara Criminal do Rio de Janeiro, também deter- em Belo Horizonte. Agora, o Bruno só vai responder a apenas um minou que seja expedido o alvará de soltura. Porém, ambos conti- processo”, explicou o advogado. nuarão presos devido ao processo que corre no Tribunal de Justiça A defesa também vai anexar a decisão no pedido de liberdade Minas Gerais pelo sumiço, morte e ocultação do cadáver da de que aguarda julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF). ex-namorada do jogador. “Vou fazer uma petição para juntar no habeas corpus. Estou receO goleiro tinha sido condenado a quatro anos e seis meses bendo notícias de terceiros de que ele deve ser julgado até o fim de prisão por cárcere privado, lesão corporal e constrangimento deste mês. Pode ter certeza que Bruno vai ser solto e vai voltar a ilegal contra Eliza Samudio em dezembro de 2010, no processo atuar pelo Flamengo”, diz, otimista, Rui Pimenta que corria no Rio de Janeiro desde outubro de 2009. Macarrão foi O goleiro Bruno, o primo dele, Sérgio Rosa Sales e o amigo condenado a três anos de reclusão por cárcere privado. De acordo Macarrão foram pronunciados por homicídio triplamente qualificom o TJRJ, a desembargadora reduziu a pena do goleiro para um cado, sequestro, cárcere privado e ocultação de cadáver. O ex-poliano e dois meses de reclusão e sete meses de detenção e a de Luiz cial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, vai a júri popular pelos Henrique para um ano e dois meses de reclusão. Como os dois crimes de homicídio e ocultação de cadáver. O atleta, Macarrão e estão presos há mais de dois anos, desde julho de 2010, a relatora Bola, seguem presos. Sérgio foi solto por ter contribuído com as também pediu que seja extinta a punibilidade dos réus. Ela foi investigações. acompanhada pelos outros desembargadores. ESTADO DE MINAS - mg - p. 28 CRIME NA CIDADE NOVA 15.08.2012

Medo da impunidade

Mesmo com Justiça acatando denúncia contra os acusados, pai teme que assassinos de Bárbara consigam a liberdade Pedro Ferreira “Estou mais tranquilo com o fato de a Justiça ter recebido a denúncia contra os assaltantes que mataram minha filha. Isso diminui a sensação de impunidade. Mas, ao mesmo tempo, tenho medo que haja algum excesso de prazo e os acusados venham a ser soltos antes do julgamento.”.Assim o professor Gustavo Andrade Neves, pai da estudante universitária Bárbara Quaresma Andrade Neves, de 22 anos, comentou a decisão do juiz da 11ª Vara Criminal do Fórum Lafayette, Ronaldo Batista de Almeida, que acatou a denúncia oferecida pela promotora Elaine Godoi contra os três acusados, por latrocínio (roubo seguido de morte), dando início à ação penal. O mestre em processo penal Bruno César Gonçalves explica que dificilmente haverá excesso de prazo nesse caso e acredita que os suspeitos serão mantidos presos. Mesmo porque, segundo ele, trata-se de um crime hediondo e há mais de um réu respondendo pelo crime. “O prazo do procedimento ordinário é de 86 dias, ou seja, para o processo ser concluído e os réus julgados pelo juiz criminal. No entanto, esse prazo pode ser prorrogado”, disse o advogado.O delegado da Polícia Civil responsável pelas investigações,

Bruno Wink, também não acredita em excesso de prazo. “Dificilmente, eles serão soltos. As investigações estão bem amarradas. Tomamos as declarações dos presos em Montes Claros, onde foram presos, e eles confessaram toda a dinâmica do crime. O fato de o juiz ter recebido a denúncia já indica que os réus não serão liberados”, disse o delegado. O CRIME Bárbara foi assassinada na noite de 23 de maio quando estava no carro com o namorado, Gabriel Quaresma, de 25, em frente ao prédio onde ele morava, no Bairro Cidade Nova, Região Nordeste de Belo Horizonte. Os ladrões queriam o Uno dela e fugiram sem levar nada.Dois dos denunciados pelo crime, Thiago Henrique Fernandes dos Santos, de 21, o Terror, e Wagner Henrique Soares da Conceição, de 20, o Waguinho, foram presos dias depois. O terceiro acusado, Rafael Fagundes da Silva, 18, o Graxinha, continua foragido. Se condenados, cada um pode pegar de 20 a 30 anos de prisão. Segundo o Tribunal de Justiça Minas Gerais (TJMG), os réus ainda não constituíram advogado de defesa e não há nenhum pedido de relaxamento de prisão para eles.


12 HOJE EM DIA - p. 25 - 15.08.2012


13 HOJE EM DIA - p. 25 - 15.08.2012


14


15 CONT... MINAS GERAIS - P. 04 - 14.08.2012

o tempo - on line 15.08.2012

MPF denuncia trabalho escravo

DA REDAÇÃO O Ministério Público Federal (MPF) denunciou o dono de uma empresa de reflorestamento e outras três pessoas por manterem 15 trabalhadores em condições semelhantes às de trabalho escravo e por os privar de seus direitos trabalhistas.Os crimes teriam sido cometidos na Fazenda São

Bartolomeu, às margens da MG-040, na zona rural de João Pinheiro, no Noroeste de Minas. As vítimas atuavam na produção de carvão vegetal, incluindo corte e transporte de madeira de eucalipto. Flagrados pela em condições degradantes, os trabalhadores estariam sendo submetidos a jornada exaustiva de trabalho.


16 minas gerais - p. 07 - 14.08.2012


17 o tempo - mg - on line 15.08.2012

Taxa de 10% já era lei, mas descumprida

QUEILA ARIADNE Cobrar no máximo 10% do preço da passagem para remarcação já era lei, mas nem todas as companhias aéreas cumpriam. Agora, quem cobrar acima desse percentual terá que pagar multa de R$ 100 mil. No caso de promoções, ainda não há definição. A determinação veio a partir de uma ação do Pará, mas se estende para todo o Brasil. O limite da remarcação vale para TAM, Gol, porque são as empresas que atuam em Belém, onde a ação foi proposta. A diretora institucional da Associação de Defesa do Consumidor ProTeste, Maria Inês Dolci, afirma que ainda não está claro se a fixação do teto valerá para promoções ou só para tarifas cheias e diz que a entidade vai lutar para que o teto se aplique às tarifas promocionais também. Hoje, a Resolução 676 da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) determina o teto de 10% só para as passagens mais caras. Para as de promoção vale o que está previsto em cada contrato. Ela lembra que, em muitos casos, quando o cliente compra na promoção, a multa é tão alta que vale mais a pena comprar outra passagem do que pagar a taxa. Foi o que aconteceu com o economista Rodrigo Silveira. Ele comprou quatro passagens de Belo Horizonte para Campinas, por R$ 60, em uma promoção da Gol, mas, como não poderia embarcar na data contratada, tentou remarcar o voo e, para sua surpresa, a taxa de remarcação seria de R$ 80 por passagem, 33% mais caro. (Com agências)

FOLHA DE SP - SP - P. C5 - 15.08.2012


18 SUPER NOTÍCIA - mg - P. 12 - 15.08.2012


19 hoje em dia - MG - P. 04 - 15.08.2012


20 FOLHA DE SP - SP - P. A4 E A7 - 15.08.2012


21 CONT.... FOLHA DE SP - SP - P. A4 E A7 - 15.08.2012


22 CONT.... FOLHA DE SP - SP - P. A4 E A7 - 15.08.2012


23 HOJE EM DIA - mg - p. 17- 15.08.2012


24 cont... HOJE EM DIA - mg - p. 17- 15.08.2012


25 valor econ么mico - sp - p. a6 - 15.08.2012


26 cont... valor econ么mico - sp - p. a6 - 15.08.2012


15 Agosto 2012