Issuu on Google+


02

OPINIÃO Os fundamentos da crise econômica Por: Prof. César Graça

EDITORIAL

Em 2017 de uma nova oportunidade a você!!! Sergio Dalgallo

O Brasil está passando pela maior crise econômica dos últimos 120 anos. Crise fabricada pelos próprios brasileiros. Não que a economia mundial esteja bem. Os nossos problemas foram causados pelos governantes brasileiros, com o beneplácito dos brasileiros. As mentiras do PT encantavam a classe pobre. A ideia que o governo ia atender todas as suas necessidades cegava-os. A classe mais rica, na sua maior parte, era comprada pelo PT. Os subornos propiciavam grandes contratos públicos. Os juros do mercado financeiro propiciavam grandes ganhos sem riscos. Para a classe média sobrava pagar a conta. Foi a classe média que tirou o PT do poder. A propaganda oficial vendia um paraíso. A grande maioria da imprensa se deixava dobrar pelo encanto do dinheiro público. O Brasil viveu muito tempo embriagado pela propaganda oficial. Esse é o modelo de governos populistas. A Alemanha viveu o mesmo deslumbramento com Hitler na década de 30. Mais próximo, temos Cuba e a Venezuela, que vivem momentos muito amargos, fruto de governos populistas que viraram ditaduras. Bem que o PT tentou se perpetuar no poder, mas não conseguiu. Os brasileiros não são tão ingênuos com são os cubanos e venezuelanos, e foram os alemães na década de 30. O que deu errado para o governo do PT foi que o dinheiro público acabou. Mas não foi só o PT que gastou demais. Todos os governos (federal, estadual e estadual) gastaram muito mais que podiam. Os piores exemplos vêm do Rio de Janeiro, do Rio Grande do Sul e de Minas Gerais. Agora na hora de pagar a conta todos querem dar o calote. A Câmara dos Deputados votou a nova lei de falência dos estados, que só tem privilégios e nenhuma obrigação para os estados, como se isso fosse possível num processo de falência. O Congresso Nacional continua inconsequente nas suas ações. A maioria dos deputados só pensa nos seus interesses pessoais, quando muito nos interesses do seu estado. Poucos, muito poucos, pensam no Brasil. O novo governo se comporta de forma indecisa. Ora enfrenta o Congresso, ora se curva as suas paixões. Nesse momento de grandes dificuldades, poucos pensam no Brasil daqui a 10 ou 20 anos. A grande maioria só não quer perder os seus privilégios. É o momento do nascimento de novos políticos que pensem no Brasil em primeiro lugar. Sem uma renovação nos quadros políticos não haverá a construção de um novo Brasil e a crise vai demorar mais tempo. As pessoas precisam compreender que a crise atual foi construída pelos políticos que ainda estão no poder. Os escândalos de corrupção mostraram a maneira que os políticos e os empresários se relacionavam. A maioria dos empresários que cometeram crimes de corrupção foi processada e punida. Mas a justiça é bem mais lenta com os políticos. Principalmente aos que ainda detém mandatos, que garantem um foro privilegiado, que é o Supremo Tribunal Federal. Lá os processos correm lentamente. Muito raramente os políticos chegam a serem presos. Enquanto a lei não mudar, esse procedimento que leva a maioria dos políticos à impunidade vai continuar. Essa lei de privilégios não vai mudar enquanto não houver uma grande pressão popular. No entanto, uma mudança mais rápida pode ocorrer já na próxima eleição em 2018, quando haverá eleição para presidente, governadores, deputados federais e estaduais e para senadores. A ligação dos políticos atuais com a crise econômica atual pode mudar o Brasil rapidamente. Vai depender da maturidade do eleitor brasileiro. O brasileiro desempregado está desesperado. Mas não consegue ligar a sua situação com o seu voto. Quando muito identifica a crise econômica com o PT. Poucos compreendem que o PT se manteve no poder com ajuda de vários outros partidos políticos e que vários políticos que cometeram vários atos de corrupção ainda não foram denunciados e continuam no exercício de cargos públicos.

Expediente

A SEMANA

13 a 19 de janeiro de 2017

E para começarmos um ano diferente, emprestamos o trecho de um texto publicado no portal da IURD, e que mostra a importância de mantermos a comunhão com Deus. O escritor mostra no texto pessoas que olharam apenas para o próprio umbigo e acabaram se arrebentando: “Em 1992 se você dissesse que o ator mais bem-sucedido da época cairia no ostracismo, certamente seria chamado de louco. Macaulay Culkin lançava o muito esperado “Esqueceram de mim 2”, pouco depois de estrelar o sucesso “Mamãe não quer que eu case” e o aclamado pela mídia e pelo público “Meu primeiro amor”. Culkin não era apenas a maior revelação do cinema dos últimos anos, mas também a promessa de um futuro espetacular em Hollywood. Hoje? Hoje poucos o reconhecem nas ruas. Algo semelhante acontece com Demi Moore, uma das maiores estrelas do cinema dos anos 1990, tendo inclusive ganhado o Prêmio Saturno (principal premiação de ficção científica dos Estados Unidos) como melhor atriz, pela sua atuação em “Ghost – Do Outro Lado da Vida”. Demi chegou a protagonizar outros filmes de

grande público, como “Striptease”, “Proposta indecente” e “A letra escarlate”, mas, aos poucos, sua carreira foi esfriando. Já a atriz Lindsay Lohan chegou a ser chamada de “queridinha da América”. Em sua infância, estrelou mais de 100 comerciais de televisão. Pelo seu primeiro filme, “Operação cupido”, recebeu premiações de melhor atriz. “Sextafeira muito louca”, “Meninas malvadas” e “Herbie – Meu fusca turbinado” também foram sucessos de bilheteria estrelados por ela. Mas parou por aí. Hoje, os três artistas tentam recolocar as suas carreiras nos trilhos, mas essa parece ser uma missão árdua. O que podemos ver em comum nos três artistas? Macaulay, Demi e Lindsay conquistaram muitas coisas em suas carreiras, como fama e dinheiro. Em pouco tempo, porém, perderam o prestígio e a admiração que possuíam. Os três se envolveram com drogas e hoje buscam reconstruir as suas vidas. Como eles, milhares de outras pessoas já perderam tudo aquilo que construíram. A razão disso está num detalhe que a maioria esquece: quando se está no topo, deve-se enxergar a possibilidade da queda e se resguardar disso. Todavia, “grande é o nosso

Senhor, e de grande poder; o Seu entendimento é infinito” (Salmos 147.5). Por isso é importante manter a comunhão com Ele! Em citação recente o bispo Edir Macedo, lembra que até mesmo Israel já foi cegado por sua própria grandeza, esquecendo-se de quem permitiu esse crescimento: “O Soberano Deus identifica a causa da queda: o fraco coração estava cego pela altivez de suas conquistas. O orgulho e a ingratidão não lhe deixavam perceber os caminhos perigosos por onde andava e perdeu o total controle de suas ações.” Observemos que quanto maior é o abismo do qual um homem é resgatado, maior deve ser a gratidão desse homem para com o seu Salvador. Assim é formada uma aliança de fidelidade e respeito. Em geral, as pessoas lembram-se disso quando estão falando de pessoas, mas se esquecem quando Deus é o responsável pelo resgate. “Para que uma aliança seja mantida, é necessário o compromisso de ambas as partes em honrá-la. Violar a palavra dada ao Altíssimo significa assumir o risco de se tornar totalmente vulnerável ao mal”. “Tudo aquilo que recebemos como resultado da nossa união com o Todo-Poderoso

deve ser usado para servi-Lo. Não são poucos aqueles que têm vivido e desfrutado das dádivas Divinas como o seu tempo, saúde, prosperidade, reputação, inteligência, etc.. Mas, em vez de usarem para Ele, usam apenas para si.” Se, para conquistar, o melhor caminho é obedecer à Palavra de Deus, para manter as conquistas, essa disciplina é a única via. “Devemos nos lembrar de que, como Israel, éramos pessoas sem nenhuma perspectiva de futuro. Vivíamos ao léu deste mundo até sermos recebidos e conduzidos à posição mais privilegiada que existe: filhos do Altíssimo. Ele tratou nossas feridas e conflitos interiores. Investiu a Sua Vida na nossa. Mas todo investimento visa retorno, e o que Ele deseja é somente a fidelidade aos Seus Preceitos”. Não devemos, portanto, abrir mão da disciplina e do respeito à Palavra de Deus, pois essa atitude pode representar o fim tanto da prosperidade entre os homens quanto da Salvação oferecida por Deus. Reserve este ano, como o ano de uma nova experiência em sua vida e faça uma prova com O Altíssimo, de uma nova oportunidade a você. Um forte abraço e Viva O Senhor Jesus!!!

PREVISÃO DO TEMPO Na sexta-feira um ar menos instável predomina por todas as regiões do Paraná, com isso o Sol aparece entre poucas nuvens e não há previsão de chuvas, nem mesmo as pancadas isoladas de fim de tarde. As temperaturas seguem altas nas regiões mais para o interior e no leste e sul amanhece com temperaturas amenas mas aquece ao longo do dia.

Sexta

Sábado

Máx. 28ºC Mín. 17ºC

Máx.29ºC Mín. 18ºC

Domingo

Máx. 29ºC Mín. 18ºC

Segunda

Máx. 25ºC Mín. 17ºC

Jornal A Semana Ltda ME - CNPJ: 08.707.885/0001-75 Fone: (41) 3627-1997 - jornal@asemananews.com.br Diretor: Sérgio Dalgallo - Jornalista Responsável: Dimas Rodrigues DRT 3023-PR - Jurídico: Dra. Daniele Silvia de Oliveira - OAB-PR 44453 Diagramação: Tatiana Carla de Souza - Distribuição: Curitiba e Região Metropolitana Os artigos assinados não expressam necessariamente a opinião do jornal, sendo de total responsabilidade de seus autores. O jornal não se responsabiliza pelo conteúdo publicitário dos anúncios veiculados.

www.asemananews.com.br Disse Jesus: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai senão por Mim”. (João 14:6)

O Jornal A SEMANA é impresso em papel certificado FSC ®, garantia de manejo florestal responsável, e com tinta ecológica elaborada com matérias primas bioderivadas e renovavéis pela Grafinorte S/A.


A SEMANA

DESTAQUE 03

13 a 19 de janeiro de 2017

Ano de 2017 começou turbulento e com posse dos novos prefeitos Dimas Rodrigues As festas de fim de ano ainda estão frescas na memória da maioria das pessoas. As fotos e selfies delas também. Os comentários de como cada um passou o Réveillon, viajando ou não, continuam ocupando boa parte da conversa de muitas pessoas. Mas para quem se desligou nesse período, é bom se atualizar, porque 2017 começou bastante agitado. Nas penitenciárias do Norte do Brasil, presidiários de quadrilhas rivais entraram em guerra, com cenas macabras de mutilações e decapitações que já resultaram na morte de quase 100 detentos. O que também quebrou a rotina comum desse período foi a posse dos novos prefeitos, eleitos em outubro do ano passado. A principal preocupação dos novos gestores, em discurso que parecia se repetir, se diz respeito a ajustes às despesas na administração do município, em meio à crise econômica que deixou muitas prefeituras pelo País em sérias dificuldades. Em Curitiba, o prefeito Rafael Greca, durante a posse prometeu cortar 40% dos cargos em comissão e das gratificações para reduzir despesas. Greca, contudo, não conseguiu intensificar o ritmo de trabalho. Um dia depois da posse, ele reclamou de falta de ar e foi internado em um hospital, onde foi diagnosticado com uma tromboembolia pulmonar (coágulo em uma artéria do pulmão). Ele ficou em tratamento durante uma semana no hospital e na última segunda-feira (09), recebeu alta, mas por recomendação médica só poderá exercer plenamente o ofício, a partir do dia 16 de janeiro. Em Fazenda Rio Grande, a saúde é a preocupação da população que critica diariamente o atendimento prestado na cidade. No dia 1º de janeiro, Marcio Wozniack assumiu o cargo de prefeito, onde exercia interinamente desde 2013. Agora, eleito pelas urnas, Marcio em seu primeiro dia de mandato, determinou a redução de mais de 100 cargos em comissão, equivalente, segun-

Crivella é empossado na Câmara Municipal do Rio de Janeiro

Greca foi internado um dia depois da posse e recebeu alta no último dia 09 de janeiro

do a assessoria, a mais de 50% dos cargos atuais, além de redução salarial da "grande maioria dos servidores que permanecem e corte das funções gratificadas", informou em nota. A demissão em massa anunciada de servidores com cargo em comissão, contudo, gerou desconfiança em algumas rodas de conversa na cidade. Nos comentários, a conversa é de que alguns nomes da lista podem voltar à Prefeitura e de que esse anúncio "seria apenas para inglês ver". Na lista, aparecem alguns nomes que, de acordo com fontes que trabalham no local, estariam sem função, onde passavam boa parte do tempo de trabalho no celular, nas redes sociais ou "voando", apenas garantindo a presença para justificar o recebimento do salário no final do mês - os quais são pagos pela população, através dos impostos. A desconfiança da população só poderá ser desfeita, caso nenhum servidor demitido seja recontratado nos próximos meses. Contudo, um destes ex-funcionários procurou a reportagem e garantiu que será readmitido ou "vai por a boca no trombone". SECRETARIAS Nas secretarias, nenhu-

ma grande novidade. A expectativa era de que as pastas fossem conduzidas por pessoas com notória experiência ou capacidade técnica para as determinadas áreas, algo que não ocorreu. O que se observou foi uma acomodação política, uma troca de nomes de uma pasta para outra. Por exemplo, o assessor da Secretaria Municipal de Urbanismo, Rejomar Lopes de Andrade, do PPS que por um período respondeu à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, enquanto Eloi Kuhn esteve afastado no período eleitoral, agora foi promovido para ocupar o cargo de Secretário Municipal de Saúde. GRANDES CIDADES Novos prefeitos e novos secretários também se apresentaram nas grandes cidades do País. No Rio de Janeiro quem assumiu o cargo foi Marcelo Crivella, do PRB. Crivella, com o discurso de fazer mais com menos, tem como meta a economia nos gastos da máquina e entre as medidas adotadas foi o corte pela metade dos gastos com cargos comissionados em quase todas as secretarias. Ele reduziu pela metade o número de secretarias - de 24 para 12.

Crivella terá um enorme desafio pela frente, uma vez que o Estado vive uma grave crise financeira. Em São Paulo, na maior cidade brasileira e uma das maiores do mundo, João Dória que surge como um fato novo na política - por não ser político - assumiu a prefeitura

Vice prefeito Silvestre e prefeito Márcio Wozniack

paulistana e no primeiro dia inovou ao vestir a roupa de gari e sair com o grupo de trabalhadores para varrição na Av. Nove de Julho. O renomado empresário que se diz não ser político, mas sim gestor, logo na primeira semana, procurou dar o tom de sua gestão e determinou uma multa de até

R$400 reais para secretários que se atrasarem para os compromissos. Dória ainda prometeu zerar em 90 dias as filas de exames médicos e em um ano, as vagas em creches. Promessas feitas para um ano que nem bem começou, mas que promete muito.


04

RMC

13 a 19 de janeiro de 2017

2017: o que esperar dos transportes públicos? Algumas medidas como incentivo à renovação da frota são positivas. No entanto, mobilidade ainda continua com insegurança em relação à qualidade e investimentos. Passageiro ainda se sente vítima de descaso

A SEMANA

Expectativa cresce para sorteio de carro em Fazenda Rio Grande Acontece nesse dia 13 de janeiro o sorteio da campanha Natal Premiado 2016 realizado pela Acinfaz

Foto: Guilherme Estevan

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes Sempre quando o ano acaba e inicia o outro, há o nascimento de esperanças em relação à vida pessoal, à família, à comunidade, ao país e a toda humanidade. No setor de mobilidade urbana, que todos os dias está presente na vida de milhões de pessoas em todo o mundo, não é diferente. No caso específico do Brasil, todos os envolvidos no setor, desde empresários, fornecedores, fabricantes e, principalmente, os passageiros, devem estar atentos às discussões, medidas promessas, e, por que não dizer, às estagnações que a mobilidade pode continuar sofrendo. Como aspecto positivo, está o Refrota 2017. É um programa de financiamento de ônibus urbanos novos, com recursos do FGTS, que deixará à disposição dos operadores, R$ 3 bilhões para compra de ônibus zero quilômetro. Qualificar a frota é importante para o bemestar das pessoas, para a eficiência dos serviços e para o meio ambiente. Ônibus novos poluem menos, embora que há poucas iniciativas públicas para incentivar a tração limpa. Mas só frota não basta. É necessário ter políticas públicas que de fato incentivem os investimentos em mobilidade urbana. Desonerações do setor são importantes para que se faça Justiça. Não é simplesmente para reduzir tarifas ou para aumentar a margem de lucro dos empresários de ônibus e sim para que haja um equilíbrio social tributário. Hoje o passageiro de ônibus, de for-

Ônibus em Curitiba. Volta de integração do sistema é uma das promessas

ma embutida na tarifa, paga proporcionalmente mais impostos, por exemplo, do que um passageiro de avião ou quem faz uma compra de produtos até de alto valor numa loja de luxo. Isso tem de ser corrigido e existem poucas ações nesse sentido. Os financiamentos de gratuidades também têm sido muito superficialmente debatidos. Na proposta que quer ampliar até 2019 o prazo para que as cidades com 20 mil habitantes ou mais elaborem seus planos de mobilidade urbana (este prazo acabou em abril 2015), há uma emenda neste sentido. No entanto, é preciso saber qual será o ritmo dos trabalhos no Congresso Nacional, muitas vezes focado mais em discussões envolvendo quedas de braços pela disputa de poder do que para o bem-estar da população em geral. Nos aspectos regionais, também há muita coisa a ser feita e há muitas indefinições. Todos os estados, Distrito Federal e municípios brasileiros encontram-se em situação financeira complicada. Alguns mais e outros menos, porém, a situação não é nada fácil. Isso

interfere diretamente no nível de investimentos e também na questão da tarifa. Em Curitiba, por exemplo, o prefeito Rafael Greca anunciou que deve haver aumento de tarifa e também, junto com governador do Paraná, Beto Richa, disse que haverá reintegração do sistema Metropolitano com o Municipal da capital paranaense. Esse processo, no entanto, deve ser feito com muita cautela e observância de todos os agentes envolvidos no setor para que novamente decisões políticas não sobreponham-se às áreas técnicas e ao interesse da população. A desintegração foi uma medida política e os problemas em relação aos custos do sistema já tinham sido alertados pelas empresas operadoras pelo menos dez anos antes. Na época da desintegração, a Urbs - Urbanização de Curitiba S.A., responsável pela gestão do sistema da capital, disse que o peso nos custos era das linhas metropolitanas. No entanto, um estudo da Fipe Fundação Instituto Pesquisas Econômicas da USP, comprovou o contrário . As linhas metropolitanas como um todo traziam receitas ao sistema.

A Associação Comercial e Industrial de Fazenda Rio Grande (Acinfaz) realiza nessa sexta-feira, dia 13 de janeiro, o sorteio da campanha Natal Premiado 2016. Milhares de cupons foram preenchidos pelos clientes que fizeram compras nas lojas participantes durante a vigência da campanha e um deles terá a sorte grande de levar para casa um veículo 0 km Fiat Mobi. Além do carro, serão sorteados dez vales-compras no valor de R$ 500,00 cada. Com duas edições anuais, a promoção visa incentivar as compras no comércio local, fomentando a economia e valorizando as empresas da cidade. No momento da compra, os

clientes ganham cupons para concorrer aos prêmios. O sorteio é público e será realizado pontualmente às 16 horas, no salão de eventos da Paróquia São Gabriel (Rua Farid Stephens, nº 20 - bairro Pioneiros). Quem ainda não depositou seus cupons nas urnas disponíveis nos estabelecimentos comerciais, tem até o dia do sorteio para fazer isso. Em caso de indisponibilidade de urnas nas lojas, os cupons serão recebidos até às 15 horas no local do sorteio. Em caso de dúvidas, consulte as informações da campanha Natal Premiado 2016 no site: www.campanhasortegrande.com


A SEMANA

13 a 19 de janeiro de 2017

GERAL 05


06

RMC - PARANÁ

13 a 19 de janeiro de 2017

Vice-prefeito Thiago Bührer assume Secretaria de Obras de SJP com visão inovadora

O vice-prefeito de São José dos Pinhais, Thiago Bührer assumiu a titularidade da Secretaria Municipal de Viação e Obras Públicas com o compromisso de reforçar o trabalho que já vinha sendo executado em toda a extensão do município e com uma visão inovadora. Ao assumir, Thiago Bührer disse ter conhecimento da importância de uma das principais secretarias da administração e reconhece a necessidade de um trabalho mais amplo em prol da população são-joseense. "Primeiramente agradeço ao prefeito Toninho Fene-

lon pela confiança em nos indicar para o comando desta pasta tão importante. Sabemos que o trabalho da Secretaria de Obras é uma necessidade na vida dos são-joseenses e é com esta visão que pretendemos ampliar os projetos voltados para o desenvolvimento do nosso município, priorizando sempre o cidadão", diz o vice-prefeito e secretário de Obras. Durante reunião de trabalho, o novo secretário apresentou sua equipe e reafirmou o compromisso de manter parceria com todos os servidores objetivando um só ideal, o de

trabalhar por uma cidade desenvolvida. "Sabemos que só por meio de um trabalho público de qualidade é que vamos conseguir oferecer um lugar melhor para a nossa gente, atendendo a todos de forma igualitária", afirmou Thiago Bührer. Para ele, o compromisso com a população deve estar acima de tudo. "O cidadão se sente valorizado nos seus direitos na medida em que ele é tratado com respeito pelos gestores públicos e esta será nossa missão, trabalhar para oferecer mais qualidade de vida a todos", finalizou o vice-prefeito.

A SEMANA

Richa faz balanço das ações para ampliar a segurança no Estado O aumento no orçamento da Secretaria da Segurança Pública, em R$ 103 milhões no ano passado; a ampliação do contingente da Polícia Militar, que incorpora mais 2.736 novos soldados nesta semana; compra de armas, equipamentos e de mais 1.200 novas viaturas foram ressaltadas pelo governador Beto Richa na última quarta-feira (12), em Cascavel. "Essas ações demonstram a sensibilidade do governo estadual para garantir a ordem, paz e tranquilidade dos paranaenses", afirmou o governador, ao participar da formatura dos 589 soldados (434 policiais e 155 bombeiros) que irão atuar no Oeste e Sudoeste do Paraná. Richa também enfatizou que neste mês serão implantadas, só para os servidores da Polícia Militar, 1.600 promoções e 9.000 progressões. "Mais de 10 mil policiais receberão aumento no salário por conta de promoções e progressões", disse. Ele afirmou que as medidas são uma demonstração da saúde financeira do Paraná, resultado das medidas do ajuste fiscal iniciado há dois anos. REGIÕES Os 2.736 policiais e bom-

Richa com novos policiais e bombeiros que serão designados para reforçar segurança no Estado

beiros vão fortalecer a segurança no Norte (427 novos soldados), Noroeste (373), Oeste e Sudoeste (589), Campos Gerais (249) e Curitiba, região metropolitana e Litoral (1.098 novos soldados). Eles concluíram o Curso de Formação de Soldado, de 1.500 horas aulas, em dez meses. Os policiais já estão aptos a fazer o policiamento ostensivo e preventivo, a partir das próximas semanas. FRONTEIRA O governador enfatizou que o Oeste e o Sudoeste recebem um número maior de novos soldados, devido à proximidade com a região de fronteira. "É uma característica que exige planejamento especial", disse Richa. Ele citou a

criação, em 2012, do Batalhão de Fronteira, que reforçou o efetivo e a estrutura a atuação policial na região. Os novos policiais designados para o Oeste e Sudoeste vão integrar o contingente do Batalhão de Fronteira, segundo o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Maurício Tortato. O secretário da Segurança Pública e Administração Penitenciária, Wagner Mesquita, disse que as ações policiais na fronteira têm reflexo positivo imediato nas outras regiões do estado. "Então merece uma atenção especial, um efetivo reforçado, tanto de pessoal quanto de equipamentos, porque impacta em todos os demais municípios do Paraná", afirmou Mesquita.

Paraná investiu mais de R$ 15 bilhões em saúde O Governo do Paraná fechou o ano de 2016 batendo um novo recorde no volume de recursos destinados à área da Saúde. Ao todo, foram cerca de R$ 4,64 bilhões para o setor, sendo R$ 3,31 bilhões oriundos do tesouro estadual, o que significa a aplicação de 12,02% do orçamento total do Estado na área. Levando em conta os seis anos da gestão Beto Richa (2011 a 2016), o Estado já aplicou quase R$ 15 bilhões

em ações e serviços de saúde. O montante é mais que o dobro do investido nos oito anos da gestão anterior - R$ 6,7 bilhões. "Temos dado atenção especial à área da Saúde e isso pode ser visto em nosso orçamento. Os investimentos crescem ano a ano e refletem diretamente na qualidade de vida dos paranaenses. Nossa missão é oferecer atendimento digno o mais próximo das pessoas", ressaltou o governador.

Richa lembra ainda que medidas inovadoras, como a criação do Serviço de Transporte Aeromédico, só estão sendo possíveis graças a este aporte extra na Saúde. Para se ter ideia, no último ano da gestão anterior (2010), o governo estadual havia aplicado R$ 1,53 bilhão em ações e serviços de saúde. Seis anos depois, em 2016, este valor é duas vezes maior.


A SEMANA

13 a 19 de janeiro de 2017

SÓ NEGÓCIOS 07


08

SÓ NEGÓCIOS

13 a 19 de janeiro de 2017

A SEMANA


A SEMANA

13 a 19 de janeiro de 2017

SÓ NEGÓCIOS 09


10

SÓ NEGÓCIOS

13 a 19 de janeiro de 2017

A SEMANA


A SEMANA

SOCIAL 11

13 a 19 de janeiro de 2017

Homenagem da semana!!! Parabéns a nobre amiga e jornalista Thais Marrese Scarpellini que no último dia 11 comemorou idade nova. Esperamos que o seu aniversário tenha sido incrível, maravilhoso, cheio de alegria e riso exatamente como você. Enquanto você comemora o aniversário, nós comemoramos por ter a sua amizade. Um beijo no seu coração, dos seus amigos do jornal A SEMANA!!!

Parabéns ao jovem empresário fazendense Guilherme Renan Vieira que no último dia 05 comemorou mais um aniversário. Na foto com sua digníssima esposa Mahara!!!

O deputado federal Toninho Wandscheer escolheu o litoral paranaense para aproveitar o período de recesso na Câmara dos Deputados. E ao lado da família, no último fim de semana, recebeu a visita do prefeito de Pontal do Paraná, Casquinha, da vereadora Cleonice, do suplente Manfrine e do vereador Célio, de Guaraqueçaba. Na ocasião, todos prestigiaram o aniversário do coordenador do mandato, Alisson Wandscheer.

Não podemos deixar de abraçar nossa nobre amiga Rosana Vieira que neste dia 15 estará reunindo familiares e seus incontáveis amigos para comemorar mais um abençoado ano de vida. Parabéns e que Deus seja contigo de montão!!!


12

DIVERSÃO

13 a 19 de janeiro de 2017

A SEMANA

Receitas do Fernando Zanini

REFLEXÃO

O Último Folheto Todos os domingos à tarde, depois do culto da manhã na igreja, o pastor e seu filho de 11 anos saíam pela cidade e entregavam folhetos evangelísticos. Numa tarde de domingo, quando chegou à hora do pastor e seu filho saírem pelas ruas com os folhetos, fazia muito frio lá fora e também chovia muito. O menino se agasalhou e disse: - Ok, papai, estou pronto. E seu pai perguntou: - Pronto para quê? - Pai, está na hora de juntarmos os nossos folhetos e sairmos. Seu pai respondeu: - Filho está muito frio lá fora e também está chovendo muito. O menino olhou para o pai surpreso e perguntou: - Mas, pai, as pessoas não vão para o inferno até mesmo em dias de chuva? Seu pai respondeu: - Filho, eu não vou sair nesse frio. Triste, o menino perguntou: - Pai, eu posso ir? Por favor! Seu pai hesitou por um momento e depois disse: - Filho, você pode ir. Aqui estão os folhetos. Tome cuidado, filho. - Obrigado, pai! Então ele saiu no meio daquela chuva. Este menino de onze anos caminhou pelas ruas da cidade de porta em porta entregando folhetos evangelísticos a todos que via. Depois de caminhar por duas horas na chuva, ele estava todo molhado, mas faltava o último folheto. Ele parou na esquina e procurou por alguém para entregar o folheto, mas as ruas estavam totalmente desertas. Então ele se virou em direção à primeira casa que viu e caminhou pela calçada até a porta e tocou a campainha. Ele tocou a campainha, mas ninguém respondeu. Ele tocou de novo, mais uma vez, mas ninguém abriu a porta. Ele esperou, mas não houve resposta. Finalmente, este soldadinho de onze anos se virou para ir embora, mas algo o deteve. Mais uma vez, ele se virou para a porta, tocou a campainha e bateu na porta bem forte. Ele esperou, alguma coisa o fazia ficar ali na varanda. Ele tocou de novo e desta vez a porta se abriu bem devagar. De pé na porta estava uma senhora idosa com um olhar muito triste. Ela perguntou gentilmente: - O que eu posso fazer por você, meu filho? Com olhos radiantes e um sorriso que iluminou o mundo dela, este pequeno menino disse: - Senhora me perdoe se eu estou perturbando, mas eu só gostaria de dizer que JESUS A AMA MUITO e eu vim aqui para lhe entregar o meu último folheto que lhe dirá tudo sobre JESUS e seu grande AMOR. Então ele entregou o seu último folheto e se virou para ir embora. Ela o chamou e disse: - Obrigada, meu filho!!! E que Deus te abençoe!!! Bem, na manhã do seguinte domingo na igreja, o Papai Pastor estava no púlpito. Quando o culto começou ele perguntou: - Alguém tem um testemunho ou algo a dizer? Lentamente, na última fila da igreja, uma senhora idosa se pôs de pé. Conforme ela começou a falar, um olhar glorioso transparecia em seu rosto. - Ninguém me conhece nesta igreja. Eu nunca estive aqui. Vocês sabem antes do domingo passado eu não era cristã. Meu marido faleceu a algum tempo deixando-me totalmente sozinha neste mundo. No domingo passado, sendo um dia particularmente frio e chuvoso, eu tinha decidido no meu coração que eu chegaria ao fim da linha, eu não tinha mais esperança ou vontade de viver. Então eu peguei uma corda e uma cadeira e subi as escadas para o sótão da minha casa. Eu amarrei a corda numa madeira no telhado, subi na cadeira e coloquei a outra ponta da corda em volta do meu pescoço. De pé naquela cadeira, tão só e de coração partido, eu estava a ponto de saltar, quando, de repente, o toque da campainha me assustou. Eu pensei: - Vou esperar um minuto e quem quer que seja irá embora. Eu esperei e esperei, mas a campainha era insistente; depois a pessoa que estava tocando também começou a bater bem forte. Eu pensei: - Quem neste mundo pode ser? Ninguém toca a campainha da minha casa ou vem me visitar. Eu afrouxei a corda do meu pescoço e segui em direção à porta, enquanto a campainha soava cada vez mais alta. Quando eu abri a porta e vi quem era eu mal pude acreditar, pois na minha varanda estava o menino mais radiante e angelical que já vi em minha vida. O seu SORRISO, ah, eu nunca poderia descrevê-lo a vocês! As palavras que saíam da sua boca fizeram com que o meu coração que estava morto há muito tempo SALTASSE PARA A VIDA quando ele exclamou com voz de querubim: - Senhora, eu só vim aqui para dizer QUE JESUS A AMA MUITO. Então ele me entregou este folheto que eu agora tenho em minhas mãos. Conforme aquele anjinho desaparecia no frio e na chuva, eu fechei a porta e atenciosamente li cada palavra deste folheto. Então eu subi para o sótão para pegar a minha corda e a cadeira. Eu não iria precisar mais delas. Vocês vêem - eu agora sou uma FILHA FELIZ DO REI!!! Já que o endereço da sua igreja estava no verso deste folheto, eu vim aqui pessoalmente para dizer OBRIGADO ao anjinho de Deus que no momento certo livrou a minha alma de uma eternidade no inferno. Não havia quem não tivesse lágrimas nos olhos na igreja. E quando gritos de louvor e honra ao REI ecoaram por todo o edifício, o Papai Pastor desceu do púlpito e foi em direção a primeira fila onde o seu anjinho estava sentado. Ele tomou o seu filho nos braços e chorou copiosamente. Provavelmente nenhuma igreja teve um momento tão glorioso como este e provavelmente este universo nunca viu um pai tão transbordante de amor e honra por causa do seu filho... Exceto um. Este PAI também permitiu que o Seu Filho viesse a um mundo frio e tenebroso. Ele recebeu o Seu Filho de volta com gozo indescritível, todo o Céu gritou louvores e honra ao Rei, o PAI assentou o Seu Filho num trono acima de todo principado e potestade e lhe deu um nome que é acima de todo Nome: “JESUS”... Para Meditação: "Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu." Eclesiastes 3:1

Empada fingida de queijo Ingredientes 6 ovos 1colher de sopa de Maizena 2 colheres de farinha de trigo 2 copos americano de leite 1/2 queijo Minas canastra ralado, meia cura 1 xícara de leite (200 ml.) 1 colher de sopa de pó Royal sal e orégano a gosto Modo de Preparo: Bata as claras em neve, bem firmes. Acrescente as gemas e reserve. À parte, misture o queijo ralado, o leite, a farinha de trigo, o pó royal e sal. Quando a mistura estiver bem uniforme, despeje nos ovos em neve cuidadosamente. Despeje um pouco dessa massa em cada forminha de empada, preenchendo somente 3/4 da forma. Coloque uma fatia de azeitona em cada uma. Assar em forno médio.

Av. Santo Agostinho, 695 - Ao lado do Mercado Ipê Tel.: 3060-1286


A SEMANA

POLÍTICA 13

13 a 19 de janeiro de 2017

Temer apresenta dados sobre gastos e diz que segurança é preocupação nacional O presidente Michel Temer apresentou na última quarta-feira (11), na abertura da reunião do Núcleo de Infraestrutura, no Palácio do Planalto, dados sobre os gastos com o setor de segurança pública. Segundo ele, os gastos da União com segurança "são importantes para revelar a distância entre o que se aplicava no passado e o que se aplica hoje". De acordo com o presidente, o setor é questão de segurança nacional. "Em 2014, a dotação inicial era de R$ 492 milhões, as despesas empenhadas foram de aproximadamente R$ 320 milhões, as liquidadas e pagas foram de R$ 51,2 milhões. Em 2015, o projeto inicial era de R$ 504 milhões, passouse a ter uma dotação inicial de R$ 541 milhões, depois foram empenhados R$ 264 milhões, e as despesas pagas depois do empenho foram R$ 45 milhões", disse Temer. Ele acrescentou que em 2016 o projeto inicial da Lei Orçamentária Anual (LOA) era

Temer coordena reunião do Núcleo de Infraestrutura

da ordem de R$ 596 milhões. "Nós atualizamos esse valor para R$ 2,612 bilhões, empenhamos R$ 1,483 bilhão e depois foram pagos R$ 1,172 bilhão. Isso foi no ano passado, muito antes dessa tragédia que se deu pelo menos em dois presídios do país. Tudo que é feito, é programado, planejado e executado. Por isso, o objetivo dessa reunião é evidenciar que agora, começando 2017, estamos planejando e vamos executar tudo responsavelmente". "MATANÇA PAVOROSA" Sobre a barbárie ocorrida recentemente em presídios no Norte do país em que havia dito que se tratava de um "acidente

pavoroso", Temer voltou a citar a guerra entre facções criminosas, mas desta vez se referiu ao caso com um termo mais apropriado. "Estas organizações criminosas, PCC, Família do Norte, etc constituem-se quase, digamos, numa regra jurídica, numa regra de direito fora do Estado. Veja que eles têm até preceitos próprios. E, para surpresa nossa, até quando o fazem aquela pavorosa matança, o fazem baseado em códigos próprios. Está é uma questão que ultrapassa os limites da segurança para preocupar a nação como um todo", declarou Temer que no início da semana confirmou o projeto para construção de cinco novos presídios federais.


14

BRASIL | MUNDO

13 a 19 de janeiro de 2017

COLUNA BÍBLICA

Quais são os 10 mandamentos e onde os encontramos na Bíblia? Encontramos a citação dos 10 mandamentos em Êxodo 20:3-17 e sua repetição em Deuteronômio 5:7-21 Veja que os quatro primeiros mandamentos de Êxodo 20 estão representados pelo primeiro grande mandamento de Jesus que refere-se ao nosso amor a Deus; e os seis últimos de Êxodo 20:3-17 estão representados pelo segundo grande mandamento de Jesus, com relação ao nosso próximo. 1º “Não terás outros deuses diante de mim.” 2º “Não farás para ti imagem esculpida, nem figura alguma do que há em cima no céu, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás diante delas, nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam e uso de misericórdia com milhares dos que me amam e guardam os meus mandamentos.” 3º “Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão; porque o Senhor não terá por inocente aquele que tomar o seu nome em vão.” 4º “Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás, e farás todo o teu trabalho; “mas o sétimo dia

é o sábado do Senhor teu Deus. Nesse dia não farás trabalho algum, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o estrangeiro que está dentro das tuas portas. Porque em seis dias fez o Senhor o céu e a terra, o mar e tudo o que neles há, e ao sétimo dia descansou; por isso o Senhor abençoou o dia do sábado, e o santificou.” 5º “Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te dá.” 6º “Não matarás.” 7º “Não adulterarás.” 8º “Não furtarás.” 9º “Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.”

10º “Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo.” Jesus fez mais. Em Mateus 22:37-40, resumiu-os em dois grandes mandamentos: “Respondeu-lhe Jesus: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento. “Este é o grande e primeiro mandamento. “E o segundo, semelhante a este, é: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.”

A SEMANA

O Bicho

Édelis Martinazzo Dallagnol Médica Veterinária, M. Sc.

Um novo começo Ano Novo, Vida Nova! Ou... é o que se diz... Verdade que muitos têm páginas a virar, histórias a mudar ou esquecer, etc. Mas o fato inequívoco é que todos têm, sim, muito o que viver. E nunca é tarde para decidir começar. É bíblico que o passado somente nos serve de aprendizado. Assim como Deus se esquece das nossas transgressões confessadas - por Ele perdoadas no sangue de Cristo -, também nós devemos esquecê-las, realmente apagálas. Que fique o aprendizado da cicatriz, mas jamais a dor ou a mágoa, que intoxicam a alma. Seja 2017 um ano verdadeiramente novo na vida de cada leitor desta coluna e deste dedicado e profissionalíssimo jornal! Que do passado levemos as boas lembranças e o crescimento conquistado, e abracemos o futuro em júbilo, na alegria que o Espírito de Deus frutifica nos corações dos Filhos de Deus! Nunca é tarde, também, para desejarmos ou provermos uma nova vida a quem precisa seja ajudando uma casa-lar, um asilo, uma ONG, ou, de modo bem simples, adotando um animal abandonado... Vida nova todos desejam, especialmente os que mais precisam: aqueles em situação de risco. Não é por serem de outra espécie que sofrem menos. Com vida menos complexa, é verdade que seus sofrimentos são mais simplórios - e, até por isso, mais fáceis de serem tratados e resolvidos -; mas isso não torna os animais não-humanos menos sensí-

veis à dor, ao abandono (material e emocional), ao aprisionamento e a maus-tratos. Também não os torna menos vulneráveis às alterações fisiológicas que vêm com a idade. Animais abandonados idosos estão entre os menos adotáveis, quando deveriam, na verdade, ser os mais procurados, especialmente por quem tem filhos. Não apenas já se sabe o tamanho final do cachorro e se conhecem todas as suas manias, mas se tem nos idosos cães normalmente mais calmos, tolerantes, maduros na decisão de quando defender território (não atacam por nada e raramente se enganam), acoam muito menos e, embora durem, menos anos, poderão durar toda a infância da criança, de modo a não prender seu emocional da adolescência ou juventude, quando planos de intercâmbio ou outros interesses possam povoar seu mundo que passa a se abrir cada vez mais. Um cachorro de pequeno porte pode durar entre 15 e 20 anos; um idoso (por volta dos 10 anos) durará de 5 a 10 anos, bem cuidado. Esse tempo é uma vida de amor na fase em que mais importa a sua presença. Por esses motivos, encorajamos especialmente o leitor a considerar a adoção de cachorros idosos preferencialmente. A todos os nossos leitores e aos seus melhores amigos, da espécie que forem, desejamos novo começo coroado de bênçãos e prosperidade!


A SEMANA

13 a 19 de janeiro de 2017

GERAL 15


16

ESPORTE

13 a 19 de janeiro de 2017

Paraná Clube

Atlético-PR

Jonas Pessali (ex Grêmio) e que estava no Azerbaijão posa ao lado de Vítor Feijão

Ano novo, novos horizontes. A diretoria do Paraná Clube encontrou em países de pouca tradição no futebol, alguns jogadores brasileiros para montar o elenco para a temporada 2017, a qual começa no próximo dia 29 de janeiro, diante do Foz do Iguaçu, na Vila Capanema, na estreia do Paranaense. De terras distantes vieram o atacante Bruno Catanhede, 23, formado no São Paulo, mas que estava no Kiryat Shmo-

na-Israel e Jonas Pessali,26, que surgiu bem no Grêmio e que depois rodou por clubes de pouca expressão da França e que na última temporada jogou pelo Neftchi-Azerbaijão. Sob o comando do técnico Wágner Lopes, os dois e mais outros nove jogadores já chegaram ao Tricolor que passa por uma profunda reformulação que contou com a saída de mais de 15 atletas. Alguns que não terão o contrato renovado,

por conta de atrasos e pendências salariais, problema que se repete a cada ano no clube, tentam acordo com a diretoria, mas podem acionar a Justiça para garantir o recebimento de valores. Assim, cheio de novidades, mas com velhos problemas financeiros, o Tricolor tenta se organizar para mais uma temporada que terá o Paranaense, Primeira Liga, Copa do Brasil e pelo décimo ano consecutivo, a Série B.

Coritiba O time do Coritiba como em outros anos realiza a prétemporada na escaldante Foz do Iguaçu e no grupo de atletas, algumas caras novas, como o atacante Rildo(ex-Corinthians) e o volante Jonas (exFlamengo) que tiveram bons momentos nos clubes onde passaram, mas por contusões ou falta de oportunidades não se firmaram em 2016. Apesar desses e outros nomes, até aqui, as principais apostas da diretoria foram com a renovação do atacante Kléber Gladiador e do técnico Carpegiani. Nos bastidores, Belleti chegou no fim do ano passado para trabalhar no departamento de relações internacionais e com a experiência dele, com passagens por grandes times brasileiros e do exterior como Barcelona e Chelsea pode contri-

A SEMANA

Rildo é uma das novidades do Coxa

buir para o fortalecer a marca internacionalmente, além de aproximar o time de futuras contratações de impacto. Nesse momento de intensa movimentação no mercado da bola, o Coxa estaria interessado em repatriar o meia Davi que atua na China, mas, o salário pedido pelo atleta, cerca de R$250 mil reais, pode inviabilizar o negócio. Outros nomes foram ofe-

recidos, como o lateral Maicon e até do meia Ronaldinho Gaúcho, opções que demandariam um complexo arranjo financeiro baseado na captação de novos patrocinadores. Um passo ousado para um time que não consegue andar com tranqüilidade em um caminho já bem conhecido. O Coxa estreia oficialmente no Paranaense, dia 29, contra o Cianorte.

Repatriado do futebol belga, Felipe Gedoz reforça o meio atleticano

Melhor paranaense na última temporada, atual campeão do Estadual e classificado para a disputa do pré-Libertadores após terminar o Brasileirão em sexto lugar, o Atlético-PR não terá mudanças profundas na equipe como o Tricolor. A base de 2016 foi mantida com a renovação das principais peças, como o lateral Léo, o zagueiro Paulo André e de Thiago Heleno, um dos melhores defensores do ano passado que na última quinta-feira (12) pôs

fim à novela de sua permanência ao assinar um contrato de mais quatro anos com o clube. Para se juntar a essa base, o Atlético trouxe cinco reforços, entre eles os atacantes Grafite (ex-Santa Cruz) e Luiz Henrique,18 (ex-Botafogo). Nas próximas horas pode acertar com o polêmico meia Carlos Alberto, 32 (ex-Figueirense). A contratação desse jogador que é um meia habilidoso, mas que tem no histórico problemas de relacionamento dentro do vestiário,

além do gosto pela boêmia, depende ainda do aval do técnico Paulo Autuori com quem trabalhou no Vasco em 2013. Se Carlos Alberto virá para o Atlético só com o pensamento de jogar bola e não arrumar confusão só o tempo dirá. Com ele e outros jogadores mais rodados, Autuori espera fazer uma boa mescla de experiência e juventude para o Furacão soprar forte nessa temporada. O primeiro jogo é contra o Rio Branco, dia 29, em Paranaguá.


Edição 465