Issuu on Google+

>>> POLÍTICA

PAC – DE ACORDO COM MINISTRA – VAI INVESTIR R$ 1,9 BILHÃO NAS OBRAS DO CANAL DO SERTÃO

PAG 7

Governador Teotonio Vilela Filho, durante encontro com prefeitos, ressaltou o crescimento do PIB de Alagoas e disse que o Estado tem superado dificuldades por conta das parcerias

PAG 6

Maceió, segunda-feira, 23 a 29 de setembro de 2013 l Ano IV l Nº 165 l R$ 1,00 l WWW.ASEMANA-AL .COM .BR FOTOS DE ORLANDO BRITO

“É UM ABSURDO QUE ALAGOAS PERCA R$ 50 MILHÕES/MÊS POR CONTA DA DÍVIDA”, DIZ AÉCIO

Senador mineiro culpa governo federal e propõe discussão sobre dívida pública do Estado / PAGS 3 E 4


2

OPINIÃO

>>> ARTIGO

Esmola: Banir por lei ou com políticas públicas? JORGE VIEIRA / Jornalista

A discussão sobre a prática de dar esmola tomou conta da sociedade maceioense nos últimos dias veiculada pelos meios de comunicação no seio de igrejas e da população em geral. O debate foi suscitado pela Lei nº 6.267, publicada do Diário Oficial do Município, e sancionada no último dia 11 setembro pelo prefeito Rui Palmeira, originada do projeto de Lei 6.450/12 de iniciativa da Vereadora Fátima Santiago. O seu conteúdo provocou posicionamentos de líderes religiosos, cientistas sociais, jornalistas, radialistas, estudantes e populares. Encontra-se escrito no DO sobre o que trata a referida Lei: “dispõe sobre a fixação de placas informativas em áreas de grande potencial turístico e de circulação de pessoas contendo a mensagem: ‘Não doe moedas nos sinais de trânsito, não estimule o trabalho infantil”. Analisando o seu conteúdo pelo prisma da comunicação, é possível de se fazer duas leituras: uma, a mensagem escrita no texto; a outra, a mensagem subliminar. No escrito, imagina-se que a iniciativa da vereadora e a aprovação do prefeito tenham um cunho educativo, visto que existe a prática de pais colocarem crianças para pedirem esmola em espaços de Maceió sinais, calçadas, ruas, supermercados, feiras, casas de famílias, entre outros lugares. De fato, se o objetivo é o educativo, é extremamente limitado! Como está escrito no texto: “áreas de grande potencial turístico e de circulação de pessoas”. Ora, a prática de pedir e dar esmola não se limita a esses espaços! Analiticamente, não se trata da valoração da questão, mas refere-se ao diagnóstico do fenômeno! Ou seja, é uma tradição que se encontra em todas as sociedades, especialmente nos grupos sociais de experiência cristã. Mas o fenômeno aparece de forma dramática, como é o caso de Alagoas e seus núcleos urbanos, em razão dos seus altos índices de miserabilidade. Ao contrário do que pretensamente se propõe, a Lei encontra-se sociologicamente carregada de preconceito e discriminação, por que, como se viu anteriormente, é uma prática que se encontra em todos os lugares e espaços da capital, que refletem os índices de miserabilidade em que se encontra a maioria da população, carente de educação, capacitação, saúde, moradia, emprego e assistência social. Em nível subliminar, a lei dá margem à interpretação de que os governantes querem esconder a miséria do olhar de turistas e transeuntes. Sendo assim, a referida Lei, além de ser preconceituosa e discriminatória, ela propõe-se a fazer a limpeza social. Caso as autoridades queiram resolver a problemática da mendicância, primeiro, se o objetivo é educativo, ao invés de uma lei, os poderes legislativo e executivo do município devem fazer uma campanha publicitária na mídia informando à toda população sobre os malefícios advindos da pratica de esmolar. Depois, como a esmola não resolve os problemas sociais da população carente, as autoridades devem executar políticas públicas eficazes: construção de creches para atender todas as crianças; escolas com tempo integral; formação e capacitação dos jovens e adultos; geração de emprego e renda para atender a massa trabalhadora; aí, sim, fiscalização e punição para os pais que usarem artifícios ilegais e burlarem os procedimentos de cidadania e de sociabilidade. Caso contrário, é pura maquiagem, por um lado, a extrema concentração de renda; por outro, esconder os altos índices de miserabilidade, assassinatos de jovens, analfabetismo, violência contra a mulher, homofobia, desenvolvimentos humano e econômico, rendimento escolar e de desemprego.

23 a 29 de setembro de 2013

>>> EDITORIAL

AS DIFICULDADES DA CAMINHADA DE AÉCIO

O

posição é sempre necessário em uma democracia. Portanto, é bastante sadio para o processo democrático que tenhamos discussões de vários projetos na disputa pela presidência da República. Sendo assim, que vença – portanto – o que o povo, que detém o poder do voto, julgar melhor. Desta forma, é legítimo o interesse do PSDB de querer dialogar com a população para construir uma alternativa e, logo em seguida, colocá-la para o julgamento das urnas. Mas, não apenas o PSDB. A saída do PSB da base do governo petista é também muito positivo para a democracia. O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), também tem o que dizer. Precisa ser ouvido em seu projeto e – assim com os tucanos – ser julgado pelas urnas. Como da mesma forma será julgada a presidente Dilma Rousseff (PT), que parte para a reeleição. Quanto mais candidatos, melhor! Oposição faz bem para o governo. Só os radicais, os xiitas ou mal intencionados não percebem o poder da crítica. Vale lembrar – por exemplo – do filosofo da Igreja Católica Santo Agostinho: “prefiro os que me criticam porque me corrigem, aos que me adulam porque me corrompem”. É exatamente este o papel da oposição sadia. Aquela que não quer o quanto pior melhor, mas que aponta os erros. Um Executivo sem oposição no parlamento, por exemplo, é um abalo na democracia. Assim como é um golpe na democracia um parlamento que seja fraco, submisso e que vive com o pires nas mãos em busca do Executivo. Em relação ao senador mineiro Aécio Neves – que é o pré-candidato dos tucanos – sua caminhada rumo a consolidação de uma candidatura iniciou pelo Nordeste.

VILAR

Focar no diálogo com os nordestinos, como uma maneira de massificar o projeto e o partido é uma estratégia tucana. Ainda é cedo para dizer se a escolha foi certa ou não. Não adianta prever o futuro. Este é um exercício para aqueles que acreditam que o povo é “gado” e faz sua matemática eleitoreira sem combinar com a sociedade. Agora é óbvio, e o próprio Aécio Neves deve reconhecer, a dificuldade de penetrar em uma região em que o PT domina por diversos fatores, dentre eles, o Bolsa Família. O senador tucano está corretíssimo quando afirma que o programa de transferência de renda – que foi muito bem empregado pelo Partido dos Trabalhadores e deve ser enaltecido em função de seus benefícios – não pode ser visto como um ponto de chegada. É preciso que se tenham projetos que tratem o Bolsa Família como um ponto de partida, pois o país pode – e precisa! – fazer mais para reduzir a desigualdade social de forma real. Que o próprio PT tenha a oportunidade de apresentar propostas neste sentido. É uma forma de apontarmos para o futuro, ao invés de ficarmos presos no passado discutindo quem é menos ou mais corrupto, quem fez ou faz mais, como se todos fossem projetos iguais e só tivesse em jogo a índole de políticos e a eficácia de algumas políticas públicas e econômicas. Outra dificuldade de Aécio Neves será mostrar isto para a população: a necessidade de avançar na discussão. O PT pelo - bem da democracia também precisa entender isto. O PSB também e qualquer outro novo nome que entre no processo. Quanto mais cores nesta disputa, melhor para se discutir o futuro do Brasil de forma séria e com projetos. Ganha a democracia.

e-mail: asemana-al@hotmail.com

EDITOR-GERAL

MIGUEL OLIVEIRA

DIRETOR-COMERCIAL

LUCIANO ANDRESON DIAGRAMADOR

Rua Dr. Antônio Pedro de Mendonça, 73 Jaraguá Maceió / Alagoas - CEP: 57030-070 Redação e Comercial: (82) 3317-0213

Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, não refletindo necessariamente a opinião deste semanário.


23 a 29 de setembro de 2013

POLÍTICA

“É um absurdo que todos os meses Alagoas tenha que sangrar esta quantia. Que o governador Teotonio Vilela Filho tenha que abrir mão deste recurso e passar um cheque de R$ 50 milhões/mês para o governo federal. Isto precisa ser revisto”

“É um governo de omissão. Brasil é hoje um canteiro de obras inacabadas. O governo petista tem colocado em risco a estabilidade econômica que foi conquistada. O PSDB conduziu o Brasil com segurança e hoje temos a estabilidade em risco. Viajando pelo país pude observar a situação das obras da transposição do Rio São Francisco. Estão abandonadas. Situação difícil. São obras que iniciam com um valor e depois custam muito mais, mostrando ausência de planejamento” AÉCIO NEVES (PMDB)

3

Aécio diz que governo federal é injusto com dívida de Alagoas >>> NINHO TUCANO

Senador inicia peregrinação no NE para consolidar candidatura DA REDAÇÃO

DIVULGAÇÃO

Os tucanos se mobilizam em todo país para consolidar a candidatura do senador Aécio Neves (PMDB) à presidência da República do país. A busca é por construir uma via de diálogo que atraia a população para dentro desta pré-campanha. Para que esta via seja sucesso, Aécio Neves iniciou sua “caminhada” pelo Nordeste e esteve em Alagoas no fim de semana passado. >>>

De acordo com o tucano, que assumiu a pré-candidatura, o Nordeste foi esquecido pelo atual governo federal e acabou se tornando um canteiro de obras inacabadas. Por esta razão, os tucanos apostam na apresentação de um projeto alternativo – como frisou Aécio Neves – que ouça principalmente os nordestinos. Em relação ao Estado de Alagoas, por exemplo, o senador Aécio Neves tratou do tema da dívida pública que assola a Terra dos Marechais. Para Aécio Neves é uma questão que precisa ser tratada com seriedade pelo governo federal, assim como a rediscussão de um pacto federativo. Alagoas tem uma dívida pública que se encontra na casa dos R$ 8 bilhões. Isto faz com que – mensalmente – sejam repassados R$ 50 milhões para União. Este recurso – como coloca o governador Teotonio Vilela Filho (PSDB) – poderia ser investido em segurança, saúde e educação, mas acaba representando apenas o pagamento de juros de uma dívida que na verdade se tornou impagável. Aécio Neves foi enfático sobre o assunto: “é um absurdo que todos os meses Alagoas tenha que sangrar esta quantia. Que o governador Teotonio Vilela Filho tenha que abrir mão deste recurso e passar um cheque de R$ 50 milhões/mês para o governo federal. Isto precisa ser revisto”, colocou.

>>> Senador Aécio Neves (PMDB)

PALANQUE ALAGOANO

No Nordeste, o senador mineiro pisa em terreno onde – conforme as pesquisas – quem domina é a presidente Dilma Rousseff (PT). Uma tarefa árdua para o tucano. Em Alagoas, o desgaste do governo tucano de Teotonio Vilela Filho é imenso. O palanque de Aécio Neves em Alagoas terá que lidar com isto. Os tucanos alagoanos comandam um Estado com alguns dos piores índices sociais do país. Como se não bastasse, o ninho tucano alagoano – comandado por Teotonio Vilela Filho – mantém uma relação com o governo federal que já rendeu ao governador, na imprensa nacional, o apelido de “tucano de estimação da presidente Dilma Rousseff”. “As pesquisas mostram que a maioria da população não quer o PT”, enfatizou Aécio Neves, em Alagoas. “Estamos iniciando uma caminhada

pelo Brasil pela porta da frente, nestes diálogos que estamos buscando com o Nordeste. Pensar políticas para me-lhorar o Nordeste é uma obrigação do PSDB”. “É obrigação do PSDB ter um projeto para o país que apresente propostas”, disse ainda. Aécio Neves definiu o governo petista como “omisso”. “É um governo de omissão. Brasil é hoje um canteiro de obras inacabadas. O governo petista tem colocado em risco a estabilidade econômica que foi conquistada. O PSDB conduziu o Brasil com segurança e hoje temos a estabi-lidade em risco. Viajando pelo país pude observar a situação das obras da transposição do Rio São Francisco. Estão abandonadas. Situação difícil. São obras que iniciam com um valor e depois custam muito mais, mostrando ausência de planejamento”, colocou.


4 / POLÍTICA

23 a 29 de setembro de 2013 ORLANDO BRITO

“Para nós o Bolsa-Família é ponto de partida, para o PT é de chegada”

Aécio Neves ainda falou sobre o programa Bolsa Família, durante o encontro em Alagoas. O programa atende a milhares de famílias no Estado. “Os programas de transferência de renda estão no DNA do PSDB. A diferença é que para o PSDB, o Bolsa Família é um ponto de partida para a transformação de uma realidade. Para o PT, é um ponto de chegada”. O tucano defendeu investimentos maiores em infraestrutura e acusou o PT de “desperdiçar dinheiro público ao tocar obras sem planejamentos”. “Onde o PSDB governa é com planejamento e responsabilidade. Isto acontece aqui em Alagoas (governo de Teotonio Vilela Filho) e na cidade de Maceió (administração de Rui Palmeira)”.

EDUARDO CAMPOS Aécio Neves comentou a decisão de Eduardo Campos (PSB) – governador de Pernambuco – disputar também a presidência da República. Avaliou como salutar. “Sempre tive uma boa relação com Eduardo Campos. Um nome importante. Não tenho dúvidas que temos a concepção de que o clico do governo do PT está encerrando”. O que fica claro é que a candidatura de Campos – bem como outras que venham a compor o cenário da oposição – serão bem rece-

>>> Sérgio Guerra definiu o Nordeste como uma região que precisa encontrar um caminho forte

bidas em ninho tucano. Reforça a tese de segundo turno, evidentemente.

SÉRGIO GUERRA Em Alagoas, participando do encontro regional do PSDB, Sérgio Guerra defendeu a composição de um leque de alianças que sustente a candidatura do senador Aécio Neves (PSDB) à presidência da República. “Eu não diria que temos um nome imbatível, mas é um candidato

forte e nós confiamos”, colocou Guerra, ao falar da entrada – em definitivo – de Neves na disputa. O cacique dos tucanos reconheceu que o maior desafio é ganhar “terreno” na região Nordeste, já que a presidente Dilma Rousseff (PT) tem pontuado bem nas pesquisas. “É importante começarmos uma caminhada pelo Nordeste, pois é uma região que foi esquecida pelo governo federal. Saber como poderemos aju-

dar um Nordeste, por exemplo, é uma boa pergunta. É este diálogo que estamos fazendo nos encontros regionais que estão acontecendo, como este aqui em Alagoas”, salientou. Sérgio Guerra definiu o Nordeste como uma região que precisa encontrar um caminho forte de desenvolvimento social e econômico. “É preciso discutir e assimilar ideias. O governo federal atual é um governo que não conclui obras e isto tem afetado muito o Nordeste”, frisou ainda. Ao falar sobre política, indaguei como ele esperava que o PSDB crescesse como oposição na região se o governo tucano-alagoano – por exemplo – construiu uma relação bastante estreita com Dilma Rousseff e o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva. Chegou ao ponto do governador de Alagoas, Teotonio Vilela Filho (PSDB), ser definido como “tucano de estimação da presidente”. Guerra respondeu: “o governo do Estado de Alagoas mantém uma relação boa com o governo federal, mas não com o PT. Esta relação é necessária, por conta da execução de programas. Mas a diferença é grande entre o PT e o PSDB”. Ele acredita que vai poder contar com o apoio de Teotonio Vilela Filho na construção da candidatura de Aécio Neves em Alagoas.


23 a 29 de setembro de 2013

PUBLICIDADE / 5


6 / POLÍTICA

Governador afirma que Alagoas tem superado dificuldades

>>> DESENVOLVIMENTO

Teotonio cita parcerias com municípios e governo federal do Estado O governador Teotonio Vilela afirmou – durante um evento neste fim de semana - que Alagoas tem conseguido superar dificuldades e avançar nos indicadores, com redução de 83% da mortalidade infantil nos últimos anos, aumento do PIB de 4,2% em 2012, com referência a 2011, e melhora do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Teotonio participou da reunião do governo federal com prefeitos alagoanos, coordenada pela ministra das Relações Institucionais da Presidência da República, Ideli Salvatti. >>>

A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, lembrou, na abertura do encontro, que o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de Alagoas cresceu mais do que a média nacional (19%), de 2000 a 2010, e mais que o Distrito Federal, que tem o índice mais alto:14%. "Alagoas cresceu 34% nos últimos 10 anos, o que mostra um movimento de redução de desigualdades sociais e regionais no Brasil", afirmou a ministra.

DÉCADA "Alagoas cresceu 34% nos últimos 10 anos, o que mostra um movimento de redução de desigualdades sociais e regionais no Brasil", afirmou a ministra. O governador destacou o investimento na melhoria da gestão, com bons resultados na organização das contas públicas. “O nosso governo fez o dever de casa, organizou as finanças, assegurou o ajuste fiscal, é hoje ainda um estado pobre, mas com suas contas organizadas, sem dever um centavo a ninguém”. Ele lembrou que tem cumprido com rigor a transferência dos repasses constitucionais aos municípios. “Isso é obrigação do Estado, mas antes isso não acontecia”, reforçou. DÉFICIT Teotonio lembrou que assumiu o gover-

23 a 29 de setembro de 2013

“O nosso governo fez o dever de casa, organizou as finanças, assegurou o ajuste fiscal, é hoje ainda um estado pobre, mas com suas contas organizadas, sem dever um centavo a ninguém”

>>> Governador Teotonio Vilela: “O maior rio de Alagoas é o São Francisco e o segundo maior, em vazão contínua, é o Canal do Sertão”

no estadual com déficit de cerca de R$ 500 milhões e sem credibilidade. “Na nossa luta para reconstruir Alagoas e recuperarmos a capacidade do Estado de investir, contamos com a bancada federal e especialmente com a forma republicana e a postura parceira do ex-presidente Lula e agora, da presidente Dilma, a quem, em nome dos alagoanos, em nome de Alagoas, faço aqui os devidos agradecimentos”, acrescentou o governador. Ele agradeceu aos senadores Renan Calheiros e Benedito de Lira e a todos os deputados federais por trabalharem junto ao Governo em favor dos pleitos do Estado. “Ainda há muito que se fazer em Alagoas, mas já podemos comemorar os progressos”, destacou, apontando como um desses resultados a maior obra hídrica

do estado, o Canal do Sertão. “São 65 quilômetros construídos e já iniciamos a quarta etapa. A quinta etapa já está com o projeto pronto e a licitação feita”, informou, anunciando que a partir da quinta etapa, o canal levará água de Delmiro Gouveia a Arapiraca. “O maior rio de Alagoas é o São Francisco e o segundo maior, em vazão contínua, é o Canal do Sertão”, festejou. Do ponto de vista do crescimento econômico, o governador destacou as 78 empresas de médio e grande portes que se instalaram no Estado durante sua gestão, gerando emprego e renda. Nesse aspecto, destacou que o primeiro Hotel 6 estrelas do Brasil está sendo construído em Maceió, na praia de Ipioca. “Resgatamos em Alagoas a credibilidade no Estado, a

confiança do investir no Estado”, salientou.

RECURSOS HÍDRICOS No evento, com as ministras de Estado Ideli Salvatti (Relações Institucionais), Míriam Belchior (Planejamento) e Luíza Bairros (Igualdade Racial) e o secretário de Estado dos Recursos Hídricos e Meio Ambiente, Napoleão Casado, o governador Teotonio assinou com o presidente da Agência Nacional de Água (ANA), um acordo para a gestão de águas em Alagoas. Teotonio também entregou simbolicamente, junto com o presidente da Associação dos Municípios de Alagoas (AMA), Marcelo Beltrão, e a ministra Ideli, as chaves de um caminhão pipa para o prefeito de Coité do Nóia, José de Senna. Mais 12 municípios foram beneficiados.


23 a 29 de setembro de 2013

PAC investe R$ 1,9 bilhão no Canal do Sertão >>> RECURSOS

POLÍTICA / 7

Investimentos do programa atinge a marca R$ 9,7 bilhões em Alagoas A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, afirmou que os investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) em Alagoas – entre 2011 até 2014 – são da ordem de R$ 9,8 bilhões. Entre as áreas beneficiadas estão transporte, energia, e os programas “Cidade Melhor”, “Comunidade Cidadã”, “Minha Casa, Minha Vida” e “Água e Luz para Todos”. >>>

Os recursos envolvem não somente o Estado, mas municípios e os próprios programas federais. "O PAC tem um grau de execução muito elevado. Nós já executamos, até abril, 56% dos recursos disponibilizados no PAC 2", destacou a ministra. A obra que vai receber o maior volume dos recursos do PAC 2, e que está sendo executado pelo Governo de Alagoas, é o Canal do Sertão, com verbas asseguradas de R$ 1,9 bilhão, até o km 123 (hoje já estão concluídos 65 km). No item transporte, o PAC prevê in-

vestimentos de R$ 2 bilhões, em obras pontuais como a dragagem no Porto de Maceió, a construção dos aeroportos de Arapiraca e Maragogi e a duplicação e pavimentação das rodovias federais BR101 e BR-316. No programa “Minha Casa, Minha Vida”, Alagoas foi um dos estados que mais construiu unidades. Pelo balanço do PAC 2, em Alagoas são 88 mil casas contratadas, 47,3 mil concluídas e mais 40,6 mil em obras. Para as ações de convivência com a seca, os repasses atingem a marca de R$ 187 milhões para obras e ações que estão sendo executadas pelos governos estadual, federal e os municípios, além de R$ 140 milhões para os perímetros de irrigação na região do Sertão. O PAC também colocou entre os programas para Alagoas, no setor da mobilidade urbana, o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), da Avenida Fernandes Lima ao Jardim Petrópolis, com investimentos projetados em R$ 280 milhões.

Renan enaltece vinda de ministras a Alagoas para debate com prefeitos

Na visita realizada na sexta-feira, 20, ao residencial Jarbas Oiticica, no município de Rio Largo, o presidente do Senado Federal, Renan Calheiros (PMDB-AL), enalteceu a presença das ministras de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, e do Planejamento, Mirian Belchior, que vieram a Alagoas participar do Encontro Estadual de Prefeitos e Prefeitas, no Centro de Convenções de Maceió, em Jaraguá. >>>

“Eu estou muito feliz com a presença das ministras Ideli Salvatti e Mirian Belchior, que estão trazendo para Alagoas

investimentos importantes como o do Residencial Jarbas Oiticica, uma obra do programa Minha Casa, Minha Vida, com 3.148 unidades em construção em uma das nossas cidades atingidas pelas inundações”, disse o senador durante a visita, ao ser entrevistado por profissionais da imprensa que acompanhavam a comitiva. Sobre o encontro com os prefeitos e prefeitas, Renan disse que a presença das ministras no debate sobre a agenda dos municípios alagoanos era da maior importância. “Sobretudo uma oportunidade para que a bancada federal, independentemente de partido, possa

prestar contas do que já fez, do que está fazendo e do que pretende fazer para melhorar as condições de vida em nosso Estado”, avaliou. O presidente do Senado aproveitou para falar dos avanços nas votações de ontem. “Aprovamos a regulamentação dos lotéricos, uma atividade representada no Brasil por 12 mil estabelecimentos geradores de 60 mil empregos”, disse Renan. Os lotéricos, segundo ele, viviam na instabilidade, sem previsibilidade no empreendimento. “Resolvemos esse problema definitivamente”, completou. Outro avanço nas votações do

Senado destacada pelo senador foi a aprovação de uma lei que, na prática, visa proibir e punir com maior rigor os rachas no trânsito. “Essa selvageria no trânsito brasileiro, sobretudo desses vândalos sobre quatro rodas, que matam ou deixam mutiladas, paraplégicas ou tetraplégicas tantas de pessoas, também teve resposta nas votações de ontem. Como todos nós sabemos, são mais de 40 mil brasileiros mortos no trânsito a cada ano, além de outros que ficam deficientes ou mutilados como consequência dessa guerra no trânsito”, concluiu o senador.


8 CIDADES

CIDADES

População de Fernão Velho deve reestruturar as confecções locais

PEDRO MESQUITA Colaboração

Representantes da Cadeia Produtiva Têxtil e de Confecções em Alagoas (CPTC) se reuniram, no bairro de Fernão Velho, com o objetivo de analisar formas de reestruturar esse tipo de produção na região. A demanda surgiu dos próprios trabalhadores locais, que buscaram ajuda junto ao Sindicato da Indústria do Vestuário do Estado de Alagoas (Sindivest). >>>

Estiveram presentes no encontro, além dos residentes do bairro, integrantes da Federação das Indústrias de Alagoas (Fiea), Sebrae e da Secretaria de Estado do Planejamento e Desenvolvimento Econômico (Seplande), órgãos que compõem a CPTC. Na reunião, ficou definido que os trabalhadores iriam apresentar um modelo de projeto em uma próxima oportunidade. A partir desta ação, a CPTC irá estudar as melhores possibilidades para reestruturar a indústria têxtil local. Segundo o gerente de Associativismo e Cooperativismo da Seplande, Beda Díaz, a iniciativa tem grande importância para a região. “O segmento de confecções já rendeu muitos frutos aos moradores e comerciantes locais. Essa área tem uma história vinculada à indústria têxtil, acredito que tem um potencial de crescimento e desenvolvimento muito grande,” disse. A CPTC, além de capacitações, tem 1.204 máquinas de costura para distribuir entre várias regiões de todo o estado. Desde 2007, os representantes da Cadeia mapearam os locais para o recebimento desse material. “Algumas cooperativas que existiam diminuíram ou até desapareceram, o que dá a oportunidade a outro local para receber o apoio. Há uma grande possibilidade de reajustar a dis-

23 a 29 de setembro de 2013

Orla de Maceió vai ganhar gestor >>> AÇÃO INÉDITA

Prefeitura vai colocar equipes de Assistência Social e fiscais da SMCCU O prefeito Rui Palmeira (PSDB) conversou com os representantes da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-AL) para debater ações futuras do turismo em Maceió. Também participaram da reunião a Secretária Municipal de Promoção de Turismo (Semptur), Cláudia Pessôa e o Secretário Municipal de Infraestrutura e Urbanização (Semifra), Roberto Fernandes. Durante o encontro, o prefeito anunciou uma iniciativa inédita no turismo da capital, a nomeação de um gestor especificamente para a orla. >>>

“Há quinze dias conversei com a secretária de turismo, Claudia Pessôa, que o gestor será meus olhos na orla da cidade. A prefeitura também vai colocar na orla uma equipe de Assistência Social e de fiscais da SMCCU para junto ao gestor encontrar soluções e sanar os problemas”, disse o prefeito. Para o presidente da ABIH-AL, Glênio

tribuição e Fernão Velho pode ser até uma das regiões contempladas”, explica. Beda Bíaz enfatiza que essas doações de máquinas de costura são feitas em comodato. Durante o período de um ano, as associações, cooperativas ou qualquer outro grupo que receber, deverá cumprir

Cedrim, a reunião é uma continuidade de alinhamento das ações com a prefeitura. “O prefeito Rui Palmeira tem um canal aberto com o trade turístico e o compromisso da melhoria da infraestrutura da cidade. O gestor da orla também será o olhar do setor junto à prefeitura”, disse Glênio Cedrim. Ainda na opinião do presidente da ABIHAL, aumentar o número de fiscais da SMCCU e da assistência da orla é um passo importante para ordenamento das praias. Glênio Cedrim, também ressaltou que neste começo de gestão o prefeito está arrumando a casa, mas que já realizou importante de marketing com a Campanha Maceió para se apaixonar. “A campanha foi lançada com maior sucesso em Ribeirão Preto e na Globo News. Maceió na mídia nacional é uma das ações importante da prefeitura”. SEMPTUR E SECOM A secretaria de Turismo ressaltou que a campanha integrada do turismo da prefeitura de Maceió, Semptur e Secom, também vai

com as obrigações propostas, caso não ocorra, os equipamentos serão devolvidos a CPTC. O bairro de Fernão Velho já foi um grande ícone industrial de confecções. O local sediou a primeira fábrica do ramo em Alagoas, a Carmem, que chegou a possuir

chegar em Brasília com painéis no aeroporto do Distrito Federal que atualmente recebe grande fluxo de passageiros. “O trade turístico acredita na gestão do prefeito Rui Palmeira que vê no turismo uma força importante na economia da cidade, e vamos somar esforços com outras secretarias do município e com a iniciativa privada para a melhoria da infraestrutura da cidade”, declarou a Secretária Cláudia Pessôa. Sobre a continuidade da nova orla de Cruz das Almas, o secretário da Semifra, Roberto Fernandes, informou que será feito uma nova licitação da obra, porque a empresa atual não teve como continuar a obra e a previsão é dentro 90 dias retomar os trabalhos no bairro. Na reunião os empresários e diretores da ABIH, Carlos Gatto, Lierson Austrilino, Mauro e Maurinho Vasconcelos ressaltaram o crescimento do turismo em Maceió, que foi única cidade do Nordeste que obteve o crescimento de 22% no fluxo de turista no Aeroporto.

quase quatro mil funcionários. Durante mais de um século, a empresa fez a área se desenvolver e quase originou uma nova cidade dentro do perímetro urbano. Atualmente, a população do local é superior a de alguns municípios do estado, chegando a 10 mil habitantes.


23 a 29 de setembro de 2013

PUBLICIDADE / 9


10 / CIDADES

Semana de Doação de Órgãos será marcada por conscientização >>> BOA AÇÃO

23 a 29 de setembro de 2013

De 23 a 27 de setembro serão realizadas atividades em unidades de saúde JOSENILDO TÖRRES Colaboração

Mesmo com as campanhas de conscientização para aumentar o número de doadores de órgãos, 59 alagoanos estão na lista de espera aguardando um transplante de córnea e 342 necessitam de uma doação de rim. Para tentar mudar esta realidade e possibilitar que os 401 alagoanos voltem a ter uma vida normal, a Central Estadual de Transplantes vai realizar ações educativas durante a Semana Nacional de Doação de Órgãos, que acontece a partir desta segundafeira (23), com atividades em diversos hospitais e uma caminhada pela Orla de Maceió. >>>

Durante as atividades, os familiares de pacientes internados em hospitais alagoanos serão informados sobre a legislação que regulamenta o processo do transplante de órgãos, já que cabe aos médicos realizarem a notificação com o diagnóstico de morte encefálica, conhecida como morte cerebral. Isso porque, segundo a coordenadora da Central de Transplantes de Alagoas, Kelly Brandão, com este quadro, o coração ainda continua pulsando e, consequentemente, os órgãos estão sendo oxigenados por meio de ventilação mecânica, sendo preservados para a doação. “Neste processo é necessário sensibilizar os familiares para que autorizem a doação de órgãos dos seus parentes, mas é imprescindível a notificação de que o paciente está em morte cerebral. Só assim, os profissionais das Comissões Intra-Hospitalares de Doação de Órgãos poderão abordar os familiares dos pacientes. Por isso, se algum familiar quiser autorizar a doação, deve procurar a equipe do hospital para se informar sobre os trâmites a serem seguidos”, informa Kelly Brandão. TRANSPLANTES EM AL

Ainda de acordo com a coordenadora, Alagoas tem realizado transplantes de córnea, rim e coração. Este ano 35 alagoanos foram submetidos a transplantes de córnea e 16 de rins mas, segundo Kelly Brandão, o número é considerado baixo, principalmente diante a quantidade de pessoas que estão na lista de espera. “Por isso, os familiares dos pacientes internos nas unidades hospitalares devem ser conscientizados que o momento da morte não significa o fim. Esse momento, apesar da dor, representa a oportunidade de exercitar a solidariedade e salvar a vida de alguém que necessita de um transplante de órgãos”, destaca a coordenadora da Central de Transplantes de Alagoas.

NOVA VIDA A prova de que um transplante pode representar uma nova vida para o receptor, pode ser constatada na história da estudante Joene Rebeca de Souza, 17 anos. Depois de ser diagnosticada com insuficiência renal aos 14 anos, há um ano ela conseguiu uma doadora compatível. De acordo com sua mãe, Joelma de Souza, a angústia e o sofrimento foram grandes durante os dois anos de tratamento. No entanto, depois do transplante, Joene Rebeca voltou a ter uma vida normal e já se prepara para ingressar na universidade, passando a cursar Medicina. “Sofremos muito, porque não compreendíamos como uma adolescente poderia sofrer de um problema tão grave, que colocou em risco a sua vida. Graças a Deus, a família de uma moça resolveu doar todos os órgãos, depois que ela teve morte cerebral. Esse gesto solidário possibilitou que minha filha tivesse a oportunidade de ter uma nova vida e voltar a sonhar”, relata emocionada a mãe de Joene. PROGRAMAÇÃO A Semana Nacional de Doação de

Órgãos será iniciada nesta segundafeira (23), às 9h, com uma panfletagem na Santa Casa de Maceió. À tarde será realizada uma panfletagem no Hospital Arthur Ramos. Na terçafeira (24), haverá também panfletagem no Hospital Geral do Estado, do Açúcar e Sanatório. As atividades prosseguem na quarta-feira (25), às 9 horas, com panfletagens simultâneas no Hospital Universitário (HU) e Santa Rita, em Palmeira dos Índios. Às 15 horas, será realizada palestra para os alunos da

Faculdade de Serviço Social do Centro Universitário Cesmac. Na quinta-feira (26), às 8h, na Orla da Pajuçara, será promovida uma caminhada. Às 9 horas, na Maternidade Nossa Senhora da Guia, haverá uma palestra e, na sexta-feira (27), às 9 horas, a Central de Transplantes de Alagoas promove palestra e panfletagem no Hospital Chama, em Arapiraca.


23 a 29 de setembro de 2013

CULTURA

Evento segue até o dia 6 de outubro, sempre às sextas, sábados e domingos

Festival de Teatro de Penedo encanta interior com arte

>>> NOS PALCOS

11

O Festival de Teatro de Penedo surgiu em 2003, na cidade de Penedo, Estado de Alagoas, intitulado Festival de Férias no Teatro, por acontecer em Julho, mês de Férias escolares, promovido pela Cia. Penedense de Teatro, uma das primeiras companhias de teatro da cidade, fundada em 1990, que sentia a necessidade de realizar temporadas dos espetáculos em repertório, fazendo com que o público da cidade e região tivesse a oportunidade de conhecer os trabalhos produzidos tanto pela Companhia, como por outros grupos locais. >>>

Essa ideia inicial foi moldada, discutida, e se chegou a uma espécie de festival/temporada, onde os finais de semana do mês de julho seriam revezados por dois grupos da cidade. Criou-se então o estilo próprio de festival da Cia. Penedense, onde o final de semana é o foco, tendo uma boa aceitação do público, o que permitiu que novas edições fossem realizadas, sempre contando com inovações a cada ano. Em 2013, após 03 anos de recesso, o Festival de Férias no Teatro ganha novo nome, passando a se chamar FESTIVAL DE TEATRO DE PENEDO, por ter galgado nas sete ultimas edições (2003 – 2009) boa notoriedade devido à proporção adquirida e ser reconhecido como o único Festival de Teatro na região do Baixo São Francisco. Outro motivo para a mudança de nome deve-se ao fato de não mais termos a regularidade do período de férias, que sempre se dava no mês de julho, o que fez com que o Festival de Férias tivesse data móvel para sua realização, para uma melhor adaptação às férias dos jovens das escolas pública e privada, nosso público alvo ini-

cial. Além do mais, porque também não divulgar essa bela cidade, tão rica culturalmente, palco de grandes eventos de caráter nacional como o Festival de Cinema de Penedo, a festa de Bom Jesus dos Navegantes, entre outros de grande relevância? Em seu retorno, O FESTIVAL DE TEATRO DE PENEDO acontecerá em 03 (três) finais de semana de grandes encontros, troca de experiências, intercâmbios, oficinas, bate-papos, momentos nos quais a cidade respira cultura e se

delicia com as mais variadas formas do fazer teatral apresentadas.Esta 8ª edição acontecerá nos meses de setembro/outubro, e terá início nesta sexta-feira, 20/09 e se estenderá até o domingo, 06/10, contando com a parceria e apoio de diversas empresas/instituições locais e estaduais, com uma vasta programação que inclui espetáculos oriundos dos estados de Alagoas, Sergipe, Pernambuco, Bahia, além de um convidado da cidade de São Paulo/SP, que subirão ao palco do centenário Theatro Sete de Setembro,

mais antigo teatro do estado de Alagoas, fundado em 1884, fazendo com que a cultura fale mais alto e Penedo se transforme no grande palco das artes. SERVIÇO: Festival de Teatro de Penedo – 8ª edição De 20 de setembro à 06 de outubro (sexta, sábado e domingo) Ingressos: R$ 10,00 (inteira)/ R$ 5,00 (meiaentrada) – Também para comerciários. Informações: 3551-4615/ 8806-9430/ 96072599 Realização: Cia. Penedense de Teatro


12 / PUBLICIDADE

23 a 29 de setembro de 2013


23 a 29 de setembro de 2013

ÚLTIMAS

"Muitos avaliadores corrigem mais textos do que são capazes para melhorar a renda no fim do mês. Porém, mesmo se capacitados, acabam perdendo o foco e comprometendo a qualidade da correção"

CEM POR DIA Maria Aparecida ressalta que deveria ser restrito o número de redações corrigidos por cada professor, já que "é humanamente impossível corrigir mais de cem redações por dia", fato recorrente na prova do Enem segundo ela. "Muitos avaliadores corrigem mais textos do que são capazes para melhorar a renda no fim do mês. Porém, mesmo se capacitados, acabam perdendo o foco e comprometendo a qualidade da correção", diz. O Inep informou que existe um limite de correções por dia e que os corretores recebem diariamente, pela internet, um pacote com 50 redações. Caso o corretor consiga corrigir todo o pacote, mantendo a qualidade, ele pode receber outro lote. Segundo o Inep, a capacitação dos avaliadores em 2013 contará com 28 horas a mais que em 2012. Também foram criadas, neste ano, coordenações regionais pedagógicas para auxiliar no processo de correção, aumentando em 23 o número de coordenadores. Também foram selecionados mais profissionais, aumentando de 5,6 mil corretores em 2012 para 8,4 mil em 2013, e de 230 supervisores para 280 em 2013. O Inep também instituiu uma Comissão de Especialistas para a redação do Enem, formada por nove professores doutores. A comissão realiza estudos e pesquisas sobre avaliação textual, que visam a contribuir no aperfeiçoamento do processo de capacitação dos corretores.

13

Enem 2013: entenda as novas regras de correção da redação >>> PROVA

Critérios de avaliação são constante alvo de críticas e devem ser mais rigorosos TERRA

Os critérios de avaliação da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) são alvo constante de dúvidas e reclamações dos candidatos que participam da prova. Isso porque, no ano passado, textos com trechos de receita de macarrão instantâneo e hinos de time de futebol receberam notas consideradas razoáveis, o que tornou a correção da prova um pouco duvidosa. Pensando nisso, o Ministério da Educação (MEC) divulgou um novo edital, prometendo uma prova mais rigorosa neste ano. >>>

A partir de agora, os mais de 8 mil corretores, contra 5 mil do ano passado, não poderão mais tolerar textos com trechos deliberadamente desconectados com o tema proposto e reincidências de erros gramaticais e ortográficos. Além disso, discrepâncias maiores de 100 pontos na nota final implicarão em uma terceira correção em 2012, a terceira correção dependia de uma diferença de correção igual ou maior que 200. Também não serão aceitos textos com nota máxima que não demonstrarem total domínio da norma culta da língua. Na opinião de professores, no entanto, o problema não está somente na metodologia de correção, mas também no processo de treinamento dos profissionais, que, muitas vezes, acabam corrigindo centenas de redações diariamente. Professora de língua portuguesa e redação em escolas e cursos pré-vestibulares há quase 10 anos, Maria Aparecida Custódio acredita que a criação de um novo método de capacitação dos corretores é essencial para o resgate da credibilidade da prova. "É preciso haver um

GUIA DO PARTICIPANTE

Ainda na segunda quinzena de agosto, será publicado o Guia do Participante 2013, contendo análises de redações que obtiveram a nota máxima. O guia tam-

sistema de capacitação mais eficaz, como o treinamento ao longo do ano e a implantação de um concurso para selecionar os professores mais aptos ao trabalho", afirma a professora. Para o professor avaliador da banca de redação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e ex-corretor do Enem, Osvaldo Arthur Menezes Vieira, a correção do Enem é tratada com muita informalidade, o que pode incentivar o avaliador a tratar o trabalho com descaso. "Apesar de minha coordenadora na época ter sido muito presente, as correções são feitas da casa do avaliador, que tem acesso aos pacotes de provas pela internet. Não há como comprovar se é mesmo o professor cadastrado que está corrigindo as provas", conta. O avaliador ainda afirma que sofria pressão para corrigir mais provas em

menos tempo e críticas sobre o rigor que utilizava na correção. "Minha coordenadora me pedia para ser menos rigoroso na hora da correção. Mas na grande maioria das provas que recebi, além de erros de ortografia, encontrei erros gravíssimos na organização sintática das frases, algumas nem pareciam português", desabafa. Hoje, os corretores da redação do Enem são instruídos através de um curso online, que monitora e avalia os professores em 33 requisitos diferentes. Para serem selecionados para o exame, os professores devem alcançar desempenho maior do que 7, em uma escala de 0 a 10 - diferentemente do ano passado, quando a eliminação ocorria somente com notas abaixo de 5. Os avaliadores ainda passarão a receber R$ 3 por prova corrigida – um aumento de R$ 0,65 em relação às edições anteriores.

bém aprofundará as orientações gerais de realização da prova que estão publicadas no edital. Dominar a escrita formal da língua portuguesa em um texto dissertativo-argumentativo e relacionar conceitos de várias áreas do conhecimento com o

tema proposto contam pontos na correção da prova. O aluno também deve defender um ponto de vista por meio da argumentação e elaborar uma solução para o problema abordado, que respeite os direitos humanos.


14

ESPORTES

>>> SÉRIE B

CRB vence Rio Branco, mas continua fora do G4

23 a 29 de setembro de 2013

>>> SÉRIE C

Galo da Pajuçara bateu o lanterna do grupo A da Terceirona por 2 x 0 e ficou temporariamente no quinto lugar da competição

Ricardo Silva ganha uma semana para dar nova postura ao ASA

Um recomeço. É o que o treinador Ricardo Silva planeja quando a delegação do ASA regressar para Arapiraca (AL). Para sorte sua, o time alvinegro só volta a campo no sábado da próxima semana para enfrentar o Paraná, às 21h, no Estádio Coaracy da Mata Fonseca. >>>

- Exceção do ataque, que fez sua parte ao chegar à rede adversária em duas oportunidades, a equipe precisa melhorar não só na marcação mas também precisa criar mais, seja pelo meio ou pelas laterais. É preciso também muita atenção no momento em que cometermos falta. A boa notícia recebida por Ricardo Silva é que a supervisão lhe informou que desta vez não há ninguém suspenso ou contundido. E como a equipe só volta a atuar daqui a uma semana, os próximos dias vão ser de intenso trabalho para recuperar os jogadores lesionados. Para o jogo desta noite, sete atletas foram desfalques: Gilson, Osmar, Tiago Garça, Chiquinho Baiano, Jorginho, Didira e Elionar Bombinha. Os próximos dias também vão servir para o clube tentar a regularização do meia Luciano Mandi – a mais recente contratação do ASA para a sequência do Campeonato Brasileiro da Série B.

LUCIANO MILANO

O CRB fez o dever de casa e bateu o lanterna Rio Branco-AC por 2 x 0, na tarde deste domingo (22), em jogo válido pela décima quinta rodada do grupo A do Brasileiro da Série C, no Rei Pelé. Os gols do Galo da Pajuçara, que agora tem 27 pontos, foram marcados pelo atacante Reinaldo Alagoano, aos 35 minutos, e Marcinho Guerreiro, aos 40', ambos na etapa inicial. >>>

O Galo ainda teve meteu duas bolas na trave do goleiro Dougas, em cobrança de falta do lateral-direito Paulo Sérgio. Durante a partida, o time alagoano chegou a estar no G4 da competição, mas a vitória do Santa Cruz em cima do Baraúna, por 3 x 1, tirou o Galo da zona de classificação, caindo para o quinto lugar. Na próxima quarta-feira (25), contra Luverdense, às 21h30, em Lucas do Rio Verde. Com a obrigação de vencer, o CRB partiu para cima do Rio Branco e, apesar de esbarrar no sistema defensivo do adversário, foi mais presente durante os 46 minutos de jogo na etapa inicial. Lento e sem criatividade, o time do técnico Roberval Davino chegou a ouvir vaias da torcida e pedidos para que a equipe impusesse rítimo de jogo mais veloz. Por sua vez, o time do Acre posto-se no campo de defesa e tentou uma bola no contra-ataque, que aconteceu, mas o assistente Ailton Farias assinalou simpedimento inexistente. O atacante Juliano sairia na cara do gol de Júlio César. Sem ter nada a ver com a história, o CRB chego duas vezes em cobranças de falta com o lateral-direito Paulo Sérgio, que acertou a trave de Douglas, aos 25' e 38' do primeiro tempo. Sem apresentar bom futebol, o meio-campista Thiago Mattos foi substituído aos 27' do

primeiro tempo por Afonso. A estrela do técnico Roberval Davino brilhou: aos 35', Afonso fez boa jogada pela direita, a bola sobro para Reinaldo Alagoano, que abriu o marcador. Ainda sob a euforia da torcida, o CRB chegou ao segundo gol, depois que o meiocampo do Rio Branco errou passe na intermediária, Denílson aproveitou o lance e serviu Marcinho Guerreiro, que chutou e ampliou o marcador para 2 x 0. No segundo tempo, o CRB não apresentou o mesmo ímpeto da etapa inicial. Apesar disso, tentou pressionar com as jogadas preferidas do time, a bola área. Lento e demonstrando que estava satifeito com o resultado, o time alagoano ouviu das arquibancadas, como aconteceu no primeito tempo, pedido para acelerar as jogadas. Roberval Davino tentou mudar a monotonia do jogo do CRB, tirando Denílson e pondo Leo Paulista, além de Audálio para o lugar de Diego Aragão. Disperso ofensivamente, o CRB ainda chegou perto de amplicar com Leo Paulista e o

próprio Audalio, antes de ser substituído, mas esbarrou nas intervenções de Douglas e da defesa acreana. Apesar da vitória, o torcedor regatiano saiu do estádio Rei Pelé chateado com o segundo tempo da equipe, até porque ficou fora do G4 por conta do saldo de gols. Ficha técnica: CRB – Júlio César; Paulo Sérgio, Daniel Marques, Marcus Vinícius e João Victor; Marcinho Guerreiro, Audálio (Diego Aragão), Jhonnattan e Thiago Mattos (Afonso); Denílson (Leo Paulista) e Reinaldo Alagoano. Técnico Roberval Davino. Rio Branco-AC – Douglas; Fellypinho (Ananias), Leandro Camilo, Marquinhos e Pedro Henrique; Paulinho Pitbull, Zé Marco, Ismael e Juliano César; Pretinho e Marcelo Brás (Cassiano). Técnico Tangará.


ESPORTES / 15

23 a 29 de setembro de 2013

Bahia vira para cima do Botafogo, respira, e deixa rival longe da Ponte >>> SÉRIE A

Glorioso não consegue se aproximar do Cruzeiro, enquanto baianos estão invictos no returno

Quando encontrou Fernandão no primeiro turno, o Botafogo não deve ter gostado nada das boas-vindas. Foram do atacante os dois gols da derrota (2 a 1) no Batistão. Quando Obina era do Flamengo, também andou incomodando o Alvinegro. E neste domingo deram muita, mas muita dor de cabeça aos torcedores do vice-líder do Campeonato Brasileiro. Com duas cabeçadas, eles marcaram na virada de 2 a 1 do Bahia, pela 23ª rodada, no Maracanã - Edilson havia aberto o placar, de falta. Mas há que se destacar que, no segundo gol tricolor, Obina estava em posição irregular. Mas também há que se destacar que o time do técnico Cristóvão Borges foi superior a maior parte do jogo. >>>

O apito final mostrou claramente o que o resultado representava. Botafoguenses com as mãos na cabeça, incrédulos, e tricolores em clima de título, vibrando, se abraçando. Não é para menos: o Glorioso, que pela primeira vez perde em casa neste Brasileirão, agora está oito pontos atrás do líder Cruzeiro - 42 a 50. Já os baianos, com 31, deixam o Z-4 mais distante, e o sonho do G-4 fica mais perto. No segundo turno, aliás, nenhuma derrota - dois empates e duas vitórias. - É inexplicável a sorte que eu tenho nesse lugar. É maravilhoso voltar ao Maracanã, a gente precisando da vitória. Eu fico ali no banco, mas a galera confia e mim. É uma vitória que nos dá um pouco mais de esperança. O Bahia tem um elenco que é muito aguerrido. Talvez não tenha um craque, mas tem jogadores que se dedicam muito para ajudar. Aí está uma vitória sobre uma equipe que é candidata ao titulo - disse Obina, eufórico.

SATIRO SODRÉ / AGÊNCIA ESTADO

>>> Obina celebra o gol da virada do Bahia no Maracanã No lado do Botafogo, o goleiro Jefferson lamentou a virada nos minutos finais. - A gente sonha com o título, pensa... É triste ter esses pontos perdidos dentro de casa. Agora é levantar a cabeça. O time se precipitou muito no primeiro tempo. No segundo, a gente insistiu, insistiu e não tivemos calma para matar. Eles acabaram conseguindo os gols deles. Não dá para descansar. No meio de semana as equipes vão para o mata-mata. Na quarta-feira, às 21h50m (horário de Brasília), o Botafogo encara o clássico com o Flamengo, pelas quartas de final da Copa do Brasil, no Maracanã. O Bahia tem uma viagem longa até a Colômbia para pegar o Nacional de Medellín, pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa Sul-Americana. A partida acontece na quinta, às 21h50m.

BOLA NA REDE Um toque errado, um domínio não executado... Os desencontros de Seedorf com a bola pareciam algo isolado, fruto de uma tarde pouco inspirada do meia. Mas, não. O desempenho abaixo do esperado foi generalizado. Trapalhada na defesa, saídas equivocadas, meio de campo travado e, consequentemente, atacantes sem muitas opções. Os gritos dos torcedores pareciam não ter acordado o Botafogo. O Bahia é que estava inflado, tamanho era o volume de jogo. Com Wallyson no banco, Cristóvão Borges optou por Marquinhos Gabriel, peça importante no time. Algumas triangulações, toques de bola e uma pressão inversa ao que se esperava no Maracanã. Foram os baianos que dominaram. Arriscaram, chutaram muito mais vezes no primeiro tempo: 13 a 2. Em duas delas Fernandão e Barbio passaram bem

perto. Mas o futebol não é lógico. Premiado mesmo é quem acerta a rede. E bastou uma falta sofrida por Rafael Marques para o princípio de vaias virar cantos de “Fogo, eu te amo”. A força com que Edilson acertou a cobrança foi a mesma que os alvinegros usaram para comemorar o gol. Era uma bola defensável, mas a sorte vestia preto e branco.

A VIRADA Não só sorte. A competência de Oswaldo de Oliveira ao sacar Seedorf no intervalo e lançar o jovem Hyuri também contou. É como se tivesse desfeito um nó no time. O Botafogo se soltou mais. O técnico aproveitou que o Bahia precisava se expor e partir para o ataque e, pela direita, Hyuri usou e abusou da velocidade, driblou, perdeu duas chances claras. Alex, que substituiu Elias, lesionado, também esquentou o clima do jogo. Passou perto de marcar. O problema é que Marcelo Lomba se recuperou da falha no gol de falta de Edilson e fez três grandes defesas. Cristóvão gostou da brincadeira tática e resolveu mudar peças também. Wallyson entrou no lugar do lateral Madson. Aí os tricolores foram para cima. Teve desvio na zaga adversária, Jefferson salvando, salvando e salvando, quase uma repetição dos 45 minutos iniciais: muito chute e nenhum na rede. Saiu Barbio, entrou Obina. Dois centroavantes para acabar com o que parecia uma mandinga debaixo das traves dos cariocas. E os centroavantes souberam fazer direitinho o trabalho certo. Com a cabeça feita. Fernandão e Obina, que entrou durante o jogo, marcaram em jogadas aéreas e mudaram a cara do jogo. Viraram a partida. O de Obina, porém, em impedimento, validado pela arbitragem. Ao apito final muita, mas muita comemoração.


16 PUBLICIDADE

23 a 29 de setembro de 2013


Edição 165