Issuu on Google+

SPCDM - Ano 1 - Edição - 06 - Março de 2011

NFORMATIVO PROJETO NOVA

SERRA PELADA

MINISTRO ENTREGA TERMO DE IMISSÃO DE POSSE AO PROJETO

NOVA SERRA PEL ADA Mineração Ltda.


02

Informativo do Projeto Nova Serra Pelada

Uma semana pelo Meio Ambiente Moradores fazem caminhada no Dia Mundial da Água Uma ação em defesa do uso equilibrado da água e da preservação das florestas foi promovida pela SPCDM em Serra Pelada, na semana em que as atenções do mundo se voltavam para esses recursos naturais, dia 21 e 22 de março. Uma caminhada reuniu adultos e adolescentes pelas ruas da vila, na tentativa de conscientizar os moradores para o consumo responsável. No final da caminhada fo-

ram distribuídas centenas de mudas de árvores para cada morador que quisesse plantar uma árvore. Muitos moradores fizeram a sua parte. O envolvimento da comunidade demonstra uma nova mentalidade surgindo no povo de Serra Pelada, comprovada pela história, uma vez que o local foi uma das áreas mais degradadas da região pela ação do homem no garimpo.

Funcionários recebem mudas No dia 22 de março, data em que se comemora o dia mundial da água, gestores da área de meio ambiente do Projeto promoveram uma palestra para conscientização dos funcionários quanto ao uso desmedido da água e os possíveis efeitos negativos que as ações desequilibradas do homem podem causar no planeta. No final do dia, em razão do Dia Mundial Florestal (21) foram distribuídas dezenas de mudas de árvores frutíferas diversas para os funcionários com o objetivo de provocar o hábito de contribuir com o meio ambiente.

Uma pista de obstáculos foi criada como complemento para o aperfeiçoamento do condicionamento físico e técnico dos trabalhadores da área de segurança patrimonial do Projeto Nova Serra Pelada. A Pista de Obstáculos Onça Preta, localizada próximo da área industrial do Projeto, consiste em uma série de obstáculos aéreos e terrestres, que vão desde o cabo aéreo, passando pela falsa baiana, entre uma série de outros, os quais consistem em desafios para os participantes, já que simulam condições reais que devem ser superadas no cumprimento de uma missão.

A pista também foi disponibilizada para dar continuidade a projetos sociais destinados a adolescentes da vila com o objetivo de incentivar a prática saudável de atividades físicas ao ar livre. Em março, a pista recebeu cerca de 20 adolescentes da vila, com idade entre 15 e 18 anos, onde os mesmos receberam orientações teóricas e partiram para a prática de treinamentos onde puderam mostrar equilíbrio, disciplina e agilidade. A SPCDM mantém uma programação de eventos destinados aos jovens, oferecendo mais opções saudáveis de lazer e prática esportiva.

Informativo Mensal do Projeto Serra Pelada - Coordenação Geral: Ana Suzi Rego / Texto: Ana Suzi Rego e Agência Bateia / Revisão: Camilla Fernandes / Projeto Gráfico: Agência Batéia / Ozéias Fernandes / Fotografia: Arquivos SPCDM / Impressão: Anagráfica / Tiragem: 7.000 / informativoserrapelada@gmail.com


Informativo do Projeto Nova Serra Pelada

03

1 - Todo obeso vai ter diabetes um dia? A alta prevalência de diabetes tipo 2 em pessoas obesas traz à tona a relação de causa e efeito entre as duas condições. É equivocada a noção de que todo obeso um dia se tornará diabético, mas menos da metade deles serão diabéticos em algum momento da vida. A doença se manifesta pelo aparecimento de vários sinais e sintomas, isolados ou ao mesmo tempo.

2 - Pessoas com gordura abdominal (formato de maçã) tem mais propensão a desenvolver o diabetes do que as com formato de pêra (gordura nos quadris). A gordura abdominal sugere sim risco, uma vez que está localizada perto de órgãos vitais (por exemplo o coração e fígado) e também é mais difícil de ser “queimada”. 3 - 80% das pessoas que tem diabetes são obesas?

Sim, pois a obesidade, além do acumulo de gordura traz consigo diversas modificações no organismo. 4 - A interpretação dos índices de IMC para identificação da obesidade é segura?

O IMC (Índice de Massa Corporal) é um índice ótimo para identificar pessoas de risco para síndrome metabólica, diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares. O ideal é que não classifique se uma pessoa é obesa ou não, apenas com o IMC. A circunferência da cintura abdominal e a relação cintura/quadril também são medidas importantes para avaliar a pessoa. 5 - Os casos de diabetes podem ser evitados com modificações no estilo de vida, como dietas leves (menos alimentos ricos em gordura e açúcar) e exercícios físicos (como a caminhada)?

Os exercícios físicos são sensibilizadores da ação da insulina, diminuem o estresse para as células e reduzem o peso corporal através da perda preferencial de gordura corporal. Quando realizados em conjunto com um plano alimentar, temos efetivas reduções de novos casos de diabetes, ou mesmo, a remissão do diabetes de início mais recente. Por: Larissa Rabaioli - Nutricionista


Informativo do Projeto Nova Serra Pelada

Informativo do Projeto Nova Serra Pelada

Fotos: Agência Batéia

Momento em que o Ministro Edison Lobão entrega o Termo de Imissão de Posse aos garimpeiros

A

grande Assembleia Geral Ordinária – AGO da Coomigasp – Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada que aconteceu no dia 27 de março foi marcada pela presença do Ministro de Minas e Energia Edison Lobão, representantes do DNPM – Departamento Nacional de Produção Mineral, além de parlamentares federais e estaduais do Pará e Maranhão. Além de discursar para mais de 15 mil garimpeiros presentes na Assembleia realizada na Escola Almir Gabriel enfatizando a luta do povo garimpeiro e o processo de implantação do Projeto Nova Serra Pelada, Lobão ainda convidou os presentes a irem até a área onde está sendo implantada a mina para participarem do ato solene de entrega do Termo de Imissão de Posse.

disse Miguel Nery, diretor-geral do DNPM

Afinal o que é o Termo de Imissão de Posse? É ato que confere ao interessado a posse de determinado bem a que faz jus e da qual está privado. Para o diretor-geral do DNPM, Miguel Nery, com a entrega do Termo de Imissão de Posse, o DNPM cumpre mais uma etapa para viabilizar o aproveitamento do ouro de Serra Pelada. "Em breve a mina estará em operação observando todo o rigor técnico e ambiental, e parte do lucro será revertido aos garimpeiros" disse Nery. O momento também foi oportuno para que o Ministro Lobão acompanhado do prefeito de Curionópolis Wenderson Chamon e dos deputados, Federal Wandenkolk Gonçalves (PSDB-PA), Cleber Verde (PRB-MA), Alberto Filho (PMDB-MA) e do Deputado Estadual paraense Parsifal Pontes (PMDB) e vereadores da cidade pudessem conhecer o Plano Inclinado em desenvolvimento na mina Nova Serra Pelada. A mina terá 4 km de galerias e rampas de acesso subterrâneas e será operada por máquinas e equipamentos de última geração. A previsão é de que em meados de 2012 a mina entre em produção. São previstos investimentos de R$ 220 milhões em pesquisa geológica, na implantação da mina e em ações sociais e de conservação do meio ambiente. Após fazer a visita e vistoria técnica no Plano Inclinado da mina, o ministro Lobão foi recebido por aproximadamente 15 mil garimpeiros no pátio do Projeto Nova de Serra Pelada e entregou aos representantes dos garimpeiros o Termo de Imissão de Posse da área. "O documento que o DNPM entrega a vocês era o último que faltava para legalizar a situação de Serra Pelada", afirmou o ministro que se comprometeu ainda em resolver os problemas de energia da região.

Fotos: Agência Batéia

04

05


06

Informativo do Projeto Nova Serra Pelada

108 anos de história não caberiam em uma página enedito Pereira dos Santos, “seu criado”, como humildemente se apresenta para todos que lhe perguntam, diz com muita segurança que viu o mundo em 20 de dezembro de 02. Seu jeito sóbrio de falar e a coerência de sua conversa escondem a verdadeira idade. Nunca se casou e nunca teve filhos. Sua história é tão única quanto a de qualquer ex-garimpeiro que ainda vive em Serra Pelada. Piauí, como é mais conhecido, nunca precisou de muita conversa para ganhar o mundo. Era um rapaz forte, que não levava desaforo e tido como mau-criado. Conta que um dia, às 7 horas da noite, dois representantes do exército bateram em sua porta. Piauí estava sendo convocado para lutar na Guerra da Alemanha. Sua família comovida em lágrimas, não queria aceitar, mas não havia como relutar. Piauí prometeu que voltaria. Na guerra passou 4 anos. Sonhava em conhecer Hitler, “o homem que não fazia chover, mas serenava”. Um dia, um dos combatentes lhe chamou para ir onde Hitler se encontrava, mas seu Benedito conta que só viu o vulto ao longe. Na Alemanha andou em jatos e pulou de para-quedas. Perguntado se matou pessoas na guerra, Piauí conta que despachou muita bala, mas atrás de nenhuma foi para conferir. De onde atirava ficava apenas com a ponta do nariz de fora para não receber o que viesse contra. Piauí sobrevive à guerra e volta ao Brasil. Como premiação pela sua coragem recebe do então Presidente Getúlio Vargas, um passaporte livre para qualquer parte do mundo. Mas em suas andanças, assaltado em Marabá, perde todos os seus documentos, lamenta ele.

Seu pai diz então: meu filho, você enfrentou o mundo mas vamos “se aquietar” em casa. Piauí não queria conversa. Ouvindo histórias sobre o garimpo de Serra Pelada, que era lugar para homem solteiro, Piauí ganhou o mundo novamente. Chegando ao km 16, foi barrado pela polícia federal mas conseguiu com seu jeito esperto entrar escondido atrás de um caminhão que entrava. Chegou no garimpo chamando a atenção por estar usando calças compridas. Os outros garimpeiros zombavam dizendo: “lá vem o caçador de marreco”!!. Sofreu muita dificuldade, nem tanto para descer mas para subir do garimpo. Teve sorte e ajuda de colegas. Sua primeira sorte lhe rendeu 90 gramas de ouro, o que foi motivo de festa. Começou a trabalhar em barranco dado por colegas, aprendeu a batear mas viveu a maior parte do garimpo de requis. O primeiro ouro de seu barranco deu 50 kg. Mas esse Piauí nunca

viu, só ficou sabendo através de um amigo que viu um homem tirando o ouro de seu barranco e vendeu dizendo ser o proprietário. Piauí foi tirar satisfação e mostrou a orelha de anta, que provava que era dono do barranco. Mas nunca viu a cor do dinheiro. Benedito foi então condenado à situação de abandono em que hoje vive. Por sorte aposentado, conta com a solidariedade de uma conhecida que lhe prepara a comida todos os dias. Vive sozinho em um amontoado de madeira e plástico que mal da para se mover, sem água encanada e energia elétrica. Na porta de sua casa, uma cratera parecida com um garimpo desativado e uma estranha cruz ao lado, contribuindo para o cenário desolador, em memória de uma mulher encontrada morta no lugar há alguns anos. Piauí não conhece as letras. Não se interessou pelos estudos, mas tem história para muitos anos de prosa.


Informativo do Projeto Nova Serra Pelada

07

ADEUS MAMÃE – nome da escada utilizada para descer e subir do buraco rebaixado do morro da babilônia. ALTOS E BAIXOS – casas construídas em forma de sobrados de madeira na vila de Serra Pelada. AZOGUE – mercúrio utilizado no garimpo. BAGERÊ – cascalho fino com pedra branca alva, com areia grossa que coloca na bateia para apurar o ouro. BAMBURRAR - ficar rico repentinamente no garimpo, ao encontrar uma pedra valiosa. BARRANCO – área delimitada onde o garimpeiro trabalhava em busca do ouro. Geralmente possuía 2x3 ou 3x3 metros. BARRANCO CEGO – barranco sem ouro. BATÉIA – espécie de bacia de madeira ou metal, de formato cônico, em que se apura o ouro no garimpo. CHUPADEIRA – motor que retira o cascalho lavado e leva para a máquina sugando através de uma mangueira. CURIMÃ – terra que sai da máquina quando lava o ouro que depois passa por repassagem. DESPESCAR – hora de parar a máquina porque tava derramando ouro no rabo da máquina. DOCE GEO - subsidiária da Vale do Rio Doce. Juntamente com a CEF, responsável pela compra, purificação e repassagem do ouro para o Banco Central, sendo retido 8% como parte de um seguro obrigatório. FAISCAR - lavar o cascalho no garimpo para encontrar o ouro ou a pedra preciosa. FAZER COBRA – quando entra pedra grande no mangote e entope a chupadeira. GROTA RICA – primeiro local onde foi encontrado ouro em Serra Pelada, em novembro de 1979. MANGOTE – mangueira da chupadeira. MEIA-PRAÇA - garimpeiro que trabalha para o dono do garimpo, em troca do sustento e de uma porcentagem sobre o que é encontrado. MELECHETE – parte mais fina do garimpo, lama fina. MONTOEIRA – monte formado pelo resto do garimpo que saia do barranco que não tinha serventia para o garimpeiro. Pode conter ouro. MORRO DA BABILÔNIA – morro explorado pelos garimpeiros de Serra Pelada. ORELHA DE ANTA – documento dado pela coordenação federal do garimpo que assegurava a propriedade do barranco. OURO AMARELO – ouro com porcentagem de 1 a 2% de paládio. OURO BOMBRIL – ouro com ocorrência de teores de paládio de cerca de 9%. OURO FINO – ouro com 6 a 7% de paládio. PALÁDIO – elemento do grupo da platina. Ocorre junto com o ouro e determina as variedades comercializadas no garimpo. PAU DA MENTIRA – árvore onde os garimpeiros costumavam se encontrar ou onde se davam notícias do garimpo. PICUÁ - saquinho de couro que serve para transportar coisas pequenas e valiosas, como pepitas de ouro, ouro em pó e diamantes. REQUI- pequenos pedaços do barranco geralmente doado, como se fosse uma esmola. TARISCA – pedaços de madeira colocados na rampa onde passa o curimã e fica o ouro.

FALE CONOSCO Para receber o informativo na versão PDF, enviar dúvidas e sugestões, mande um e-mail para informativoserrapelada@gmail.com


08

Informativo do Projeto Nova Serra Pelada

OPORTUNIDADE

Posto de alfabetização

O posto de alfabetização prometido para a iniciação à leitura e escrita de trabalhadores do Projeto Nova Serra Pelada conta com 49 alunos que iniciaram os estudos em março, numa sala disponibilizada pela Prefeitura, no bairro Morumbi. O projeto apresenta a consciência empresarial da SPCDM em possibilitar o acesso de trabalhadores à escolarização diminuindo a exclusão social

e permitindo a valorização e cidadania dos mesmos que uma vez excluídos da educação encontram em projetos como este a possibilidade de aprender a ler e escrever. Para o Projeto trata-se de um investimento em capital humano, possibilitando que o trabalhador possa entender melhor os processos internos, reduzindo acidentes de trabalho e tenha maior satisfação.

Unidade Móvel de Saúde oferece quase 500 atendimentos na primeira ação do ano

Quase 500 pessoas foram atendidas na primeira ação do ano na Unidade Móvel de Saúde, instalada próximo ao pau da mentira em Serra Pelada. Foram ofe-

recidos testes de glicemia, aferição de pressão arterial, consulta médica com clínico geral, atendimentos odontológicos, vacinação e entrega de preservativos.

Rosa Maria Pereira Silva Rosa Maria Pereira Silva, 34 anos, moradora de Serra Pelada, nasceu no maranhão, mas chegou em Serra Pelada com 10 anos, com a família. O pai era garimpeiro e como muitas famílias veio com sua mãe. Chegou com pouco estudo. Em Serra Pelada casouse com 16 anos e teve 3 filhos. Depois dos 3 filhos voltou a estudar e fez magistério. Começou a trabalhar como professora na escola Rita Lima em Serra Pelada. Fez pedagogia em Curionópolis e começou a trabalhar como formadora de professores em um programa durante 8 anos. Rosa estava trabalhando, mas depois que o Projeto se instalou na vila, achou interessante trabalhar de carteira assinada e ter plano de saúde para ela e para os filhos. Rosa preferiu trocar o emprego pelos benefícios da empresa privada. Rosa também fez especialização em docência. Hoje pode aplicar seus conhecimentos adquiridos em sua formação, pois trabalha na área social do Projeto Nova Serra Pelada, como assistente administrativo. Ajuda a criar e executar projetos sociais, além da elaboração de documentos e relatórios de ações. Aprende ainda a li dar com as pessoas. Rosa é um exemplo de determinação, de alguém que buscou estudar e crescer, mesmo estando em lugar sem muitos recursos. Hoje está realizada no Projeto Serra Pelada e mostra que sorte é a oportunidade aliada à preparação.

Atenção permanente com a saúde do garimpeiro Além dos atendimentos oferecidos através da Unidade Móvel de Saúde em Serra Pelada, a comunidade garimpeira conta ainda com atendimentos permanentes em uma sala na sede da Coomigasp em Curionópolis, sob a responsabilidade da técnica de enfermagem Idelzuite Brito. Dona Lourinha, como é mais conhecida, é responsável pela triagem dos atendimentos, marcação de consultas médicas, encaminhamento e acompanhamento

de pacientes. Com seu conhecimento na região, ajuda muitos garimpeiros a cuidarem de sua saúde e a realizarem cirurgias. Conta com um estoque de medicamentos, os quais recebe de laboratórios e distribui gratuitamente a pessoas carentes, seguindo a risca a exigência de receita médica para a entrega. Em 2010, Dona Lourinha contabilizou mais de 8.000 consultas médicas encaminhadas e mais de 10.000 triagens em pacientes que lhe pro-

curam. 48 pacientes realizaram cirurgias gratuitas através do encaminhamento do setor social da Coomigasp. Através da triagem do setor em parceria com os Hospitais de Parauapebas, pacientes tem descontos em consultas e exames. ‘‘Sou realizada na minha profissão, tenho o maior orgulho e satisfação em bem atender os garimpeiros e amigos de Serra Pelada, onde vivi 16 anos. Faço tudo o que posso e gostaria de fazer muito mais.”

Expressa Dona Lourinha. Os atendimentos acontecem no prédio da Coomigasp, em Curionópolis e não necessitam de hora marcada.


Informativo Serra Pelada - 06