Page 1

RURAL SEMANAL Informativo da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro ANO XIX - 2012

EDITORIAL A causa e a esperança A busca da formação em nível da educação superior é vista socialmente como um passo importante a ser dado para obtenção de condições que permitam aproveitar efetivamente as ofertas do mercado de trabalho e, a partir daí, galgar uma melhoria na qualidade de vida para quem conseguiu concluir esse nível e, como consequência, para seus familiares. Ao entrar na universidade pública e gratuita, essa perspectiva se amplia em virtude da presença dos ambientes de pesquisa e de programas de extensão que complementam os conhecimentos adquiridos nas salas de aulas, bibliotecas e laboratórios e, por meio dos quais, a formação para o pleno exercício da cidadania ganha novas possibilidades para um profissional com capacidade da crítica social. Toda essa expectativa social é baseada no fato da presença de interlocutores que façam esse permanente diálogo com seus estudantes, não apenas ensinando-os corretamente em suas disciplinas específicas, mas orientando-os nos primeiros passos do processo de investigação científica e nas possíveis maneiras de colocar esse conhecimento em disponibilidade para essa mesma sociedade. Particularmente, ao financiar as instituições universitárias públicas, a responsabilidade de todos seus atores na efetivação desse processo de diálogo é imperativa e, como contrapartida, a sociedade coloca na figura do professor universitário, toda a esperança, anteriormente depositada nos professores que participaram da formação básica de seus membros e que lhes permitiram a ultrapassagem do obstáculo para a educação superior. Nesse sentido, ainda é imenso o abismo que separa essa esperança social com as políticas públicas de educação que não reconhecem a importância do estabelecimento de condições de trabalho e remuneração para os profissionais da educação que tenham, no mínimo, o tamanho desse reconhecimento social. Para sanar o déficit de profissionais em áreas estratégicas para o desenvolvimento do país, destacado pelas grandes mídias no últimos anos, espera-se das universidades (especialmente das instituições públicas) uma resposta que nossos estudantes, ansiosamente, também desejam com uma formação sólida e no tempo hábil que o país precisa. A solução rápida de qualquer causa que provoque a paralisação de tais instituições é, nessa direção, sempre aguardada pela sociedade com ansiedade e, no caso atual, a simples comparação entre a remuneração do professor universitário com outras carreiras, que necessitam de igual tempo de estudos e remuneradas pelo próprio governo federal, ao mesmo tempo em que escancara a causa, aponta que os mecanismos para a superação da crise atual, vivida pelas instituições federais de ensino superior, já estão sendo utilizados pelo próprio governo nas carreiras em que, mesmo sem a esperança nelas depositada pela sociedade brasileira, como é o caso dos professores, seus profissionais estão recebendo a justa remuneração a que fazem direito pela dedicação exclusiva ao seu trabalho.

Lições da Eco 92: Por um ‘Rio+20’ além da cúpula das delegações Pág.2

Egressos debatem rumos da UFRRJ em seminário

S

T

13

MAIO/JUNHO

Q

Q

S

S

D

O seminário ‘Rumos da Universidade Federal Ru- 28 29 30 31 1 2 3 ral do Rio de Janeiro – Contribuições de seus Egressos’ vai ser realizado na próxima quarta-feira ALENDÁRIO CADÊMICO (30), no Salão Azul (Pavilhão Central do campus Seropédica). a7/6 - Feriado nacional (Corpus Christi). a8/6 e 9/6 - Emenda do feriado de Corpus Christi. a13/6 - Feriado municipal em Nova Iguaçu (Dia da Padroeira) Veja na íntegra em www.ufrrj.br (‘Calendário’)

C

A

CEPE: divulgada lista de candidaturas homologadas

Programação: 9h - abertura e palestra do reitor Ricardo Motta Miranda: ‘Evolução da UFRRJ’; 10h - palestra do professor Ricardo Luis Louro Berbara: ‘Indicadores acadêmicos: avaliação da graduação e pós-graduação da UFRRJ em comparação com outras universidades’; 11h - apresentação de propostas dos egressos; 12h30 às 14h - almoço; 14h discussão das propostas em Grupos de Trabalho; 16h - apreciação e avaliação dos trabalhos; 17h elaboração do documento-síntese das contribuições. O seminário atende à decisão da Reunião Anual da Adena (Associação dos Diplomados da Escola Nacional de Agronomia), realizada em dezembro de 2011.

Pesquisadores da UFRRJ em congresso internacional O congresso científico da Federation of American Societies for Experimental Biology (FASEB), realizado em San Diego (EUA), entre 21 e 25/4, contou com a participação dos docentes da UFRRJ Luciano Gonçalves Fernandes, Luis Carlos Reis e Wellington da Silva Côrtes; além dos alunos Anderson Luiz Bezerra da Silveira (doutorado) e Roberto Laureano Melo (mestrado), do Programa Multicêntrico de Pós-graduação em Ciências Fisiológicas (PMPGCF).

Primeira defesa de Tese do PPGCTIA Dia 29/5 (terça-feira), às 10h, no Anfiteatro do CPGCV, acontece a primeira defesa de Tese de Doutorado em Ciência, Tecnologia e Inovação em Agropecuária, intitulada ‘Eficácia e curva de concentração plasmática do Fipronil empregado por via subcutânea em bovinos no controle de Rhipicephalus Boophilus microplus, um importante ectoparasito para a pecuária do Brasil e da Argentina’, de Yara Peluso Cid, sob a orientação do professor Fábio Barbour Scott.

Ordenamento territorial da UFRRJ visto pelo PDP Pág.3

Foram homologadas as candidaturas ao Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE). São duas vagas para os técnicos e três para os docentes. As eleições ocorrem nos dias 4, 5 e 6/6. Confira, abaixo, as listas dos candidatos homologados: Candidatos técnico-administrativos: Jaquelane Jorge Abrahão de Almeida (ITR), Sérgio do Amaral Alves (Depto. de Fitotecnia/IA), Evaldo Araújo da Silva (Campos dos Goytacazes), Jéssyca Grazyela Lopes de Lima (Coordenação de Filosofia/ICHS), Marcelo Chi Wang Siu (CTUR), Jones de Sousa (PROAEST) e Antonio Vicente Conrado Leite José da Costa (Depto. de Ciências Fisiológicas/IB). Candidatos docentes: Sonia Regina de Souza (Depto. de Química/ICE), Ricardo Luis Louro Berbara (Depto. Solos/IA), Marcos Edilson Freire de Lima (Depto. de Química/ICE), Emerson Lopes Olivares (Depto. de Ciências Fisiológicas/IB), Luena Nascimento Nunes Pereira (Depto. de Ciências Sociais/ICHS), Cicero Augusto Prudencio Pimenteira (DCEEx/ITR), Sergio Domingos de Oliveira (DEDH/ICHS), Adriana Vassalo Martins (Depto. e Ciências Econômicas/ICHS) e Luis Carlos Reis (Depto. de Ciências Fisiológicas/IB). Poderão votar todos os docentes ativos e os servidores e empregados públicos técnico-administrativos em exercício na UFRRJ. A votação acontece em locais e horários a serem divulgados pelas comissões setoriais. Detalhes em www.ufrrj.br/portal/eleicoes_ docentes_tecnicos

CEPEA-CETE e CEPEA-CA divulgam resultados Em consulta eleitoral realizada nos dia 8 e 9/5, foram eleitas representações junto ao Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão de Área (CEPEA) de Ciências Exatas, da Terra e Engenharias (CETE) e Ciências Agrárias (CA). Confira na pág.3.

Do Nordeste ao ‘Gustavão’ Pág.4


Pág. 2 28/5 a 3/6/2012

UNIVERSIDADE E SOCIEDADE

RURAL SEMANAL

Opinião

Lições da Eco 92: Por um ‘Rio + 20’ além da cúpula das delegações Leandro Dias de Oliveira (*) Entre os dias 20 e 22/6, a cidade do Rio de Janeiro receberá novamente uma megaconferência que reunirá inúmeras delegações diplomáticas – muitas capitaneadas pelos chefes de Estado e de governo – na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (UNCSD), conhecida por Rio + 20. Entretanto, em paralelo – assim como há vinte anos – organizações da sociedade civil e movimentos sociais e populares de todo o Brasil e do mundo participarão da Cúpula dos Povos da Rio + 20 por Justiça Social e Ambiental, no Aterro do Flamengo.

Desde já, é importante asseverar que a distância entre estes dois eventos não será apenas cartográfica: para além dos 40 km que separam o Aterro do Flamengo do Riocentro, onde estarão reunidas as delegações oficiais, há uma distância política, econômica, social e ambiental gigantesca e, provavelmente, insuperável. A Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, realizada no Rio de Janeiro em 1992 (conhecida como ‘Eco 92’ ou ‘Rio 92’), marcou uma importante etapa nas conferências internacionais, tornando o Rio um ponto culminante da trajetória de construção do desenvolvimento sustentável. Assim como será a Rio + 20, a Eco 92 foi um evento bipartido: enquanto no Riocentro ocorreu a Cúpula da Terra e a reunião das delegações oficiais dos países participantes (onde as decisões diplomáticas e os acordos internacionais foram constituídos), no Aterro do Flamengo aconteceu o Fórum Global, envolvendo as ONGs e movimentos sociais, com a participação de diversos interessados em debater esta temática. Na Eco 92, a Cúpula da Terra se sobrepôs ao Fórum ao criar a falsa impressão de um diálogo ativo entre ambas em torno do desenvolvimento sustentável, quando na verdade apenas a primeira possuiu caráter deliberativo. Ideologicamente, o Fórum Global foi tratado como um evento festivo onde ocorreu a celebração definitiva do desenvolvimento sustentável em escala global. A partir da Eco 92, o termo desenvolvimento sustentável se consolidou paulatinamente num receituário para a consecução de um equilíbrio sócio-ecológico planetário, cujo escopo, na maioria dos casos, é o ajuste da natureza aos interesses econômicos através de estratégias para a

conservação das riquezas naturais situadas, em maior parte, no território dos países periféricos. Modelo – A Rio 92 acabou por estabelecer o modelo para as demais conferências sobre temas globais no formato, por envolver a sociedade civil em eventos paralelos; nos documentos finais, por adotar texto declaratório curto e de fácil leitura; e na forma de abordagem dos assuntos, por integrar temáticas, configurando uma espécie de sistema, em que as decisões de cada conferência afetariam as demais, influenciando diretamente as conferências que compuseram o chamado Ciclo Social de Conferências da ONU. A Rio 92 se tornou tão importante que suas congêneres (sobre meio ambiente) receberam epítetos de ‘Rio + 5’ (realizada entre 13 e 19/3/1997, também na cidade do Rio); ‘Rio + 10’ (Cúpula Mundial sobre Desenvolvimento Sustentável), que ocorreu entre os dias 26/8 e 4/9/2002, em Johanesburgo, África do Sul; e ‘Rio + 20’, a ser realizada em 2012, novamente na cidade do Rio de Janeiro. Desta forma, enquanto as delegações participantes na Cúpula da Terra, realizada no Riocentro, referendavam a Agenda 21, rejeitavam a Carta da Biodiversidade e ainda transformavam o Banco Mundial em financiador dos ajustes ambientais globais (através do GEF – Global Environmental Facility), o Fórum Global reunia cerca de 6.800 ONGs de 177 países e de movimentos sociais de ampla gama de temas, com 19 mil participantes em tendas voltadas para os jovens, comunidades religiosas diversas, grupos étnicos (como os indígenas), movimentos populares urbanos, organizações sindicais, governamentais (como as secretarias de Meio Ambiente), internacionais (como a UNICEF, UNESCO), conjuntos de artistas, ONGs (as mais profissionalizadas buscavam construir lobbies para influenciar no Riocentro), entre outros. No Fórum, além de tendas, havia stands, cantinas, lanchonetes e um anfiteatro, e aconteciam manifestações artísticas, políticas e passeatas. Nos entremeios das fronteiras pontilhadas dos Estados-Nações, exercitou-se no Fórum o convívio de diferenças de opiniões, de troca de experiências entre os diferentes grupos, de reconhecimento e fortalecimento dos princípios que norteavam suas ações. Contudo, a tônica da cobertura da imprensa nacional e internacional se esmerou em destacar as aparições de astros do showbusiness internacional – como a participação no Fórum de Shirley McLaine, Roger Moore, Jane Fonda, Ted Turner, Jacques Costeau, John Denver, Bianca Jagger, entre outros. Ações como uma gigantesca passeata – a ‘Eco dos Oprimidos pela Vida’ – que reuniu em alas os manifestantes que denunciavam o abandono da saúde, da educação, da vida (envolvendo ativistas da CUT e do Fórum da Reforma Urbana) receberam pequena atenção ou

Vaga para bolsista em universidade japonesa O Ministério da Educação, Cultura, Esporte, Ciência e Tecnologia (MEXT) do Japão concederá bolsa de pesquisa-estudo a brasileiros em universidades japonesas para o próximo ano. Os interessados podem obter o formulário de inscrição e mais informações no link www.rio.br.emb-japan.go.jp/bolsas/bolsas.htm ou no Centro Cultural e Informativo do Consulado Geral do Japão (Av. Presidente Wilson, 231, 15º andar – Rio de Janeiro/RJ. Tel.: 2240-2383). Os formulários, acompanhados da documentação requerida, devem ser entregues no endereço do Consulado até 29/5.

simplesmente foram motivo de escárnio pela grande imprensa. Este risco permeia a Rio + 20: transformar o evento do Aterro do Flamengo em uma grande festa, e desvalorizar as reflexões ali realizadas. Espaço de esperança – Com base na obra do geógrafo David Harvey (Espaços de Esperança, Ed. Loyola, 2006), é possível afirmar que o Fórum Global foi a constituição de um espaço de esperança que serviu para abrir ‘caminhos de pensar’, na prática de um ‘utopismo dialético’. Nas ativida-

des das ONGs (ainda que em grande parte inclinadas a compor um instrumento neoliberal de ação social) e da diversidade de movimentos sociais, emergiu a prática de uma consiliência (um encontro entre dois raciocínios distintos) entre diferentes escalas, através da humanização da ciência e respeito às diferentes possibilidades de conhecimentos. Ocorreu no Fórum Global uma retomada da análise que aponta contradições, uma vez que em relação ao meio ambiente há uma extraordinária diversidade de discursos. Não importa que parte dos presentes ao Aterro do Flamengo possa ter sido cooptada pela ideologia do desenvolvimento sustentável, ou que, no cômputo geral, o Fórum Global tenha sido estrategicamente utilizado como parte de um simulacro de celebração de uma geopolítica dominante. Havia no Fórum Global o interesse – utópico, e por isso tão valoroso – de transformar a realidade. Parece evidente que não devemos ficar otimistas com os debates que serão realizados no Riocentro, que provavelmente não alterarão a realidade ambiental planetária; se há alguma esperança, esta deve emergir dos saberes oriundos das comunidades tradicionais, com sua práxis que envolve uma relação com a natureza para além dos dogmas do modelo hegemônico. O Fórum Global, com suas lutas e inquietações, se proliferou em inúmeros outros ‘espaços de esperança’. Um grande passo foi dado neste sentido na Rio 92. Um novo passo pode ser dado na Rio + 20! (*) Professor do Departamento de Geociências da UFRRJ Ilustrações: http://1.bp.blogspot.com (Rio 92) e http://dab.ieab.org.br (Rio +20)

XII Encontro de Patologistas de Organismos Aquáticos De 2 a 5/9, em Bonito/MS. Envio de resumos até 15/6. Podem ser enviados até três resumos por inscrição, podendo ser apresentados na forma oral ou painel. Saiba mais em www.abrapoa. org.br/enbrapoa2012


RURAL SEMANAL

UNIVERSIDADE

Pág. 3 28/5 a 3/6/2012

Plano Diretor Participativo

Ordenamento territorial da UFRRJ visto pelo PDP Jorge Xavier da Silva, Maria Hilde de Barros Góes e Tiago Badre Marino (*)

CEPEA-CETE e CEPEA-CA divulgam resultados Cont. da pág.1

Ciências Exatas, da Terra e Engenharias 1 - a base de da(CEPEA-CETE) dos georreferenciada (BDG/UFRRJ) Dos representantes docentes, houve quórum de constituida por 20 35,20%. 1º titular - Maria Tereza Carneiro da Cunha Mapas Temáticos (ICE/DeMat); 2º titular - Waleska Giannini Pereira da Básicos; Silva (ICE/DeQuim); 3º titular - Marcelo Azevedo 2 - as questões Neves (ICE/DeFis); 1º suplente - Clarissa Oliveira ambientais mais es- Silva (ICE/DeQuim); 2º suplente - Ronaldo Gregório tratégicas e pertinen- (IM/DTL); 3º suplente - Cláudio Eduardo R. dos tes (áreas de riscos, Santos (ICE/DeQuim). potenciais e impacRepresentação de técnico-administrativos: não tos ambientais), re- houve inscrição. presentados em MaRepresentação discente: não houve quórum. pas Temáticos Classificatórios; Ciências Agrárias (CEPEA-CA) 3 - o zoneamento espacial do polígono do Representação docente: total de docentes: 439; referido campus; votaram 256 (51,45%). 1º titular - Ricardo Luis 4 - o Observatório Campus Seropédica/UFRRJ, Louro Berbara (IA/DSolos); 2º titular- Luiz Mauro onde toda esta massa de dados e informações Sampaio Magalhães (IF/DCA); 3º titular - Rosana será armazenada no programa VICON/SAGA Colatino Reis (IZ/DPA); 1º suplente - Fábio Bar(Sistema de Vigilância e Controle Ambiental). bour Scott (IV/DPA); 2º suplente - Luiz Rodrigues Quanto à utilização desse programa, destaca- Freire (IA/DSolos); 3º suplente - Victor Cruz Rose que as informações geográficas poderão ser drigues (IZ/DRAA). manipuladas segundo as necessidades e dinâmiRepresentação de técnico-administrativos: cas territoriais. Assim, essas informações serão não houve inscritos. atualizadas, controladas e continuamente armazeRepresentação discente: não houve quórum nadas. Isto facilita o gerenciamento inteligente dos dados físico-espaciais da UFRRJ. Tais proPeriódicos EDUR dutos irão definir, inclusive, o Atlas Ambiental do Campus de Seropédica da UFRRJ. A Editora da Universidade Rural é responsável por três periódicos: ‘Revista de Ciências da Vida’, (*) Professores do Departamento de Geologia (DeGeo/IA/UFRRJ) ‘Revista de Ciências Exatas’ e ‘Ciências Humanas e Sociais em Revista’. Informações sobre a submissão de artigos no site www.editora.ufrrj.br

O Plano Diretor Participativo (PDP) da UFRRJ, entre suas premissas, contempla os estudos de Ordenamento Territorial. Para tanto, conta com a participação do Laboratório de Geoprocessamento Aplicado (LGA/DeGeo/IA) que, nessa etapa de trabalho, desenvolveu o Diagnóstico Sócio-Ambiental que subsidiará a formulação de propostas e encaminhamentos apresentados pela comunidade acadêmica durante as audiências públicas do PDP. Com essa prerrogativa, o LGA utilizou-se de um suporte metodológico que contemplou uma varredura analítica através da técnica de geoprocessamento da área do campus de Seropédica. Com isso, obteve resultados onde são retratados o estratégico posicionamento geográfico do campus e sua geodiversidade sob a ótica de um investimento sustentável. São quatro produtos que vêm a caracterizar os cenários perspectivo, atual, pretérito e o original (fundamentação geológica), inseridos no contexto regional da visada Baixada de Sepetiba:

UFRRJ na mídia

Diretor do IA concede entrevistas sobre Agricultura Orgânica

No dia 17/5, o pesquisador Antonio Carlos de S. Abboud, uma das maiores autoridades do país em Agricultura Orgânica, concedeu entrevista à revista Comunità Italiana. Entrevistado pela repórter Cintia Salomão, Abboud falou de agricultura orgânica e estrutura fundiária. Já no dia 18, em quase uma hora de entrevista especial à Ciência Hoje, o professor da Rural falou sobre agricultura orgânica e sustentabilidade. Ouça a entrevista completa em http://bit.ly/KNUr1V Abboud, cumpre seu segundo mandato como diretor do Instituto de Agronomia (IA), pelo qual foi eleito democraticamente pela comunidade daquele Instituto, e ainda coordena o Programa de Pós-Graduação em Agricultura Orgânica (PPGAO/UFRRJ).

NASSUR informa O NASSUR (Núcleo de Atenção à Saúde do Servidor) informa que continua exercendo suas atividades normalmente em suas instalações no Hotel Universitário. Contatos: 2681.4643 ou saudedotrabalhador @ufrrj.br

Ouvidoria na Rural A Rural quer ouvir você! Reclamações, elogios, críticas e sugestões, das 8h às 17h, sala 131 P1, tel. 2682-2915 ou em www.ufrrj.br (fale conosco - ouvidoria).

Correção: Diferente do que foi informado na edição 10/2012, o NASSUR está subordinado ao DP/ PROAD e não à CODEP/DP/PROAD. O evento No dia 4/5 foi realizada a defesa de tese do primeiro doutor egresso do curso de Engenharia citado na matéria, realizado em 3/5, teve a parceria Agrícola da UFRRJ. Adilson Pacheco de Souza defendeu sua tese na UNESP/Botucatu-SP, da CODEP. intitulada ‘Medidas e estimativas da radiação difusa horária incidente em superfícies inclinadas para o Norte’, sob orientação do Prof. João Francisco Escobedo. Adilson é professor efetivo da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), campus Sinop. Vale ressaltar que Ascom nas redes sociais o Prof. Daniel Fonseca de Carvalho do Departamento de Engenharia da UFRRJ, participou da banca. Leonardo Duarte, coordenador do curso de Engenharia Agrícola e Ambiental da UFRRJ facebook.com/UFRRJ twitter: @ufrrjbr

Egresso em destaque

Agradecimento

A comunidade do CTUR agradece aos senhores Nelson Luiz Barbosa, Alberto Rodrigues dos Santos Clipping da Rural e Damião Pereira, funcionários da CBTU/UFRRJ, que demonstraram muito compromisso no difícil momento passado quando da pane elétrica que nos deixou sem aulas, e garantiram o retorno das Acesse em www.ufrrj.br/portal/modulo/ home/clippins.php atividades trabalhando para a solução do problema.


Informes Gerais Crítica

Do Nordeste ao ‘Gustavão’

A peça ‘O juiz de paz na roça’ retratou a história de uma jovem nordestina, criada em uma família tradicional, na qual persiste o valor da aprovação do pai para que uma filha se case. Na trama, a jovem se apaixona por um homem pobre e ‘sem futuro’, que a pede em casamento, e ela se casa escondido, já que seu pai nunca aprovaria essa união. O texto tem gênero dramático, ocorrem vários diálogos consecutivos em um cenário e existem trechos que geram humor, se tratando de uma comédia. O teatro de Martins Pena retratava, de forma crítica, alguns costumes do século XIX. Um desses costumes é o fato de os filhos pedirem a ‘bênção’ dos pais como sinal de respeito. Na peça, Aninha faz esse pedido ao pai inúmeras vezes, e ele responde pacientemente ‘Bençoe’. Até que, em certo momento, todos os personagens repetem a fala do pai de Aninha juntos, fazendo com que ela se assustasse. Nos tempos atuais, esse costume nas famílias é raro, sendo poucos os que seguem tal tradição. Dentre os personagens caricatos, um deles se destacou por sua maquiagem forte, dando-lhe uma expressão séria. Além de passar boa parte da peça em cima de um caixote, o juiz de paz da roça repete a frase ‘E mando mesmo!’, voltando para ele os olhares do público, que passa a vê-lo como uma autoridade. A peça, no geral, foi excelente. O cenário e a caracterização dos personagens, apesar de serem simples, retratavam muito bem um ambiente do Nordeste, onde culturalmente predominam as cores cruas. O grupo que encenou a peça foi extremamente atencioso com o público, procurando responder todas as perguntas feitas por ele de modo interativo no fim da peça. As condições do teatro Gustavão me surpreenderam, pois os assentos eram bem distribuídos e todos puderam se acomodar. A iluminação e a limpeza do local eram ótimos Todos esses elementos contribuíram para que a peça fosse bem executada. Jade Martins Teixeira, aluna da 2ª série (turma 23) do CTUR

Pós-graduação na UFRRJ

Eventos na Rural

a O Curso de Pós-Graduação em AgronomiaCiência do Solo (CPGA-CS) reabriu o processo de seleção para o doutorado (Edital 3/2012). As inscrições vão até 6/6. Mais informações em www.ia.ufrrj.br/cpacs a Estão abertas, até 5/6, as inscrições (seleção 2012/II) para o Curso de Pós-Graduação em Fitotecnia (CPGF), mestrado e doutorado. Informações em www.ia.ufrrj.br/cpgf a O Programa de Pós-Graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA) abre inscrições, de 3/7 a 20/8, para o processo seletivo para os cursos de mestrado e doutorado (turma de 2013). Acesse o edital em r1.ufrrj.br/cpda/selecao

Regimento da Graduação – Audiência pública, dia 1/6, às 13h30, no Auditório Térreo do IM. II Congresso de História Econômica – De 10 a 13/9. Inscrições até 16/6. Detalhes em www.cfhistoria economica.com Kairós 2012 : 'Complexos Culturais na Sociedade Brasileira’ – Dia 27/6, no Salão Azul/Prédio Central. Programação e inscrição grátis em: www.ufrrj.br/seminariopsi/kairos2012

Horários do RU O Restaurante Universitário do campus Seropédica alterou o horário de funcionamento, a partir de 21/5, devido à paralisação dos docentes. Desjejum, das 7h às 8h, e almoço, das 11h às 12h, todos os dias (incluindo sábados, domingos e feriados). Jantar: das 17h às 18h, de segunda a sexta-feira.

Representação estudantil Estão abertas inscrições para as eleições dos representantes discentes de Agronomia para: departamentos de Fitotecnia, Fitopatologia e Solos; Colegiado e Consuni. Editais e inscrições na secretaria do IA e no CEA.

Economize! Ao término do expediente, verifique se as luzes e os aparelhos estão desligados. Colabore!

Participe! A Rural é de todos!

Água: um bem natural que deve ser preservado

Combate à dengue Com medidas simples como eliminar locais com água parada, tampar a caixa d’água e limpar as calhas do telhado, podemos ajudar a combater a dengue. É preciso agir, cuidando da própria casa, conversando com os vizinhos e, quando necessário, acionando a prefeitura.

Trote na UFRRJ Deliberação n° 9, de 1/2/12 O Conselho Universitário da UFRRJ, tendo em vista a decisão tomada em sua 275ª Reunião Ordinária (sessão II), realizada em 1/2/2012, e considerando o que consta no processo nº. 23083.000342/2012-02, resolve: I. proibir, terminantemente, a prática de qualquer tipo de trote estudantil no âmbito desta Universidade. II. revogar a Delib. nº 2, de 8/1/1994. Ricardo Motta Miranda, presidente

Segurança no campus

Faça a sua parte para que não haja violência no campus. Qualquer ocorrência, comunique-se com a Nos dias 4 e 5/5 a Mensurar, empresa júnior da DGV: ramal 4645 e telefone 2682-1871. Tenha semUFRRJ, realizou a 4ª edição do curso de GPS pre um documento de identidade, especialmente o (navegação aplicada à agropecuária). A próxima que ateste seu vínculo com a UFRRJ. edição está prevista para dias 17 e 18/6, durante a Semana Acadêmica de Zootecnia. Selecionados – seis alunos, entre 32 inscritos, foram escolhidos no primeiro processo seletivo da empresa. O processo, realizado pelo diretor de RH Apresenta, em 30/5, às 19h, no Gustavão, O Corpo da Mensurar, Flávio Alves da Cunha, contemplou os (EUA/2000; drama). Direção de Jonas McCord; seguintes estudantes: Anderson Cutelo Filho, Ryan com Antônio Banderas e Olivia Williams. Henrique, Marcela Machado, Danilo Rodrigues, Sinopse: Numa expedição, uma arqueologista Marília Matos e Gabriela Calvo. encontra um corpo crucificado. Exames apontam que ele é do primeiro século antes de Cristo. Ao tomar conhecimento do fato, o Vaticano envia um padre Rural Semanal Uma construção coletiva da comunidade universitária que tem por missão investigar se o corpo seria de Os conceitos, opiniões, declarações, comunicados, Jesus Cristo. A ameaça de que as suspeitas estejam resenhas e cartas são de total responsabilidade corretas desestabiliza a Igreja Católica. O motivo: se dos autores. Colabore enviando artigos, cartas e Cristo ressuscitou (como defende a Igreja), não notas até terça-feira para ascom@ufrrj.br poderia haver um corpo seu na Terra.

Mensurar informa

Rural Semanal Ano XIX - número 13 - 28/5 a 3/6/2012

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

IMPRESSO

RURAL SEMANAL: Informativo da Reitoria da UFRRJ, fundado em 26/9/1994 Reitor: Ricardo Motta Miranda Vice-reitora: Ana Maria Dantas Soares Pró-Reitores: Assuntos Administrativos: Pedro Paulo de Oliveira Silva Assuntos Financeiros: Eduardo Mendes Callado Assuntos Estudantis: Carlos Luiz Massard Graduação: Nidia Majerowicz Extensão: José Claudio Souza Alves Pesquisa e Pósgraduação: Aurea Echevarria Assessora de Informação e Comunicação: Teresinha Sena Pacielo Editor colaborador: Valdomiro Neves Lima Colaboradora: Aline Avellar (jornalista/Mtb06470-MG) Redação/revisão/diagramação: João Henrique Oliveira (jornalista/Mtb24325-RJ) Distribuição: Aline da Silveira Figueroa Bolsista: Julio Salles Impressão: Imprensa Universitária Tiragem: 3.500 Redação: Assessoria de Informação e Comunicação - BR 465 - Km7, Pavilhão Central, sala 131, CEP 23890-000 Seropédica/RJ. Tel.: (21) 2682-2915 e 2682-1080/1090; fax: (21)2682-1120. E-mail: ascom@ufrrj.br Portal: www.ufrrj.br ‘A exatidão dos dados dos eventos é de responsabilidade de seus organizadores’.

Rural Semanal 13 (28/5 a 3/6/2012)  

Informativo da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ).