Issuu on Google+

Ilustração: Divulgação

Editais para pesquisas inovadoras Dois editais destinados ao incremento da pesquisa na Universidade acabam de ser lançados pelas Pró-Reitorias de Pesquisa (PRP) e de Pós-Graduação (PRPG). O primeiro, que fica aberto até o final de maio, é dirigido a docentes e pesquisadores dispostos a desenvolver pesquisas inovadoras no complexo de três prédios de laboratórios que será construído no campus de Barão Geraldo. O outro, cujo prazo final é 15 de abril, é voltado à contratação de técnicos de nível superior para apoiar projetos de pesquisa de alta complexidade.

Página 2 Ilustração revela aspectos dos laboratórios: Unicamp está investindo R$ 30 milhões no complexo

Jornal daUnicamp www.unicamp.br/ju

Campinas, 5 a 11 de março de 2012 - ANO XXVI - Nº 518 - DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

IMPRESSO ESPECIAL 1.74.18.2252-9-DR/SPI Unicamp

CORREIOS

FECHAMENTO AUTORIZADO PODE SER ABERTO PELA ECT

PRÓS E CONTRAS

Foto: Antoninho Perri

O setor de biodiesel no país, cuja produção saltou de 700 mil litros em 2005 para 2,4 bilhões de litros em 2010, está fortemente ancorado na soja e no abate de bovinos, com pouca participação da agricultura familiar no sistema. As constatações estão em tese desenvolvida por Marcelo Pereira da Cunha na Faculdade de Engenharia Mecânica (FEM), sob orientação dos professores Arnaldo Cesar da Silva Walter e Joaquim José Martins Guilhoto. O estudo avaliou e comparou os impactos e indicadores socioeconômicos e ambientais das principais rotas de produção do biodiesel no país. Página 3

INTERAÇÃO de proteínas nas células cardíacas

A LÓGICA financeirizada do mercado imobiliário

O PERFIL das mulheres que buscam o parto natural

MÉTODO seleciona matéria-prima da cerâmica

Página 4

Página 5

Página 6

Página 7


2

Campinas, 5 a 11 de março de 2012

Acima e abaixo, arte revela aspectos do complexo de três prédios de laboratórios integrados, cuja área terá 6 mil metros quadrados: reforço em infraestrutura para a pesquisa na Universidade

PRP e PRPG lançam editais dirigidos a docentes, pesquisadores e técnicos

Unicamp investe R$ 30 milhões na construção de laboratórios integrados de pesquisa LUIZ SUGIMOTO

A

sugimoto@reitoria.unicamp.br

s Pró-Reitorias de Pesquisa (PRP) e de Pós-Graduação (PRPG) estão lançando dois editais importantes agora em março: o primeiro é dirigido a docentes e pesquisadores dispostos a desenvolver pesquisas em torno de temáticas inovadoras e de caráter multidisciplinar, e que queiram pleitear um espaço no complexo de três prédios de laboratórios que será construído no campus de Barão Geraldo; o segundo visa à contratação de técnicos de nível superior para apoiar projetos de pesquisa de alta complexidade. Ambos os editais encontram-se disponíveis desde 1º de março nas páginas da PRP como da PRPG, sendo que o primeiro fica aberto até o final de maio, enquanto o segundo tem prazo mais curto, até 15 de abril. A Unicamp está investindo R$ 30 milhões na construção de laboratórios integrados de pesquisa, montante que não inclui os custos com todos os custos que virão em seguida para torná-los funcionais. O conjunto terá três prédios, cada qual com uma área útil de aproximadamente 2.000 m2, num total de 6.000 m2 de laboratórios, o que representa um reforço importantíssimo em infraestrutura para a pesquisa na Universidade. Considerando a oferta de um espaço mínimo de 80 m2, haverá capacidade para abrigar até 72 laboratórios. O professor Euclides de Mesquita Neto, pró-reitor de Pós-Graduação, lembra que esta chamada, para que docentes e pesquisadores pleiteiem o seu espaço nos novos prédios, é uma sequência de outras iniciativas lançadas pelas duas pró-reitorias: uma delas refere-se à ampliação do apoio a docentes e pesquisadores recém-contratados através de fi-

nanciamento e bolsas para que eles dessem início às suas atividades de pesquisa (programas Papdic [http:// www.prp.rei.unicamp.br/faepex/manual.php#auxilioPAPDIC] e Pappic [http://www.prp.rei.unicamp.br/faepex/manual.php#auxilioPAPPIC]), e dois editais, somando quase R$ 12 milhões, para reforma e ampliação de laboratórios já existentes nas unidades. “Agora propomos algo diferente, que é um conjunto de laboratórios para pesquisas abordando novos temas. A ideia é promover a integração de diferentes grupos e trazer um salto de qualidade na pesquisa da Unicamp.” Para o professor Ronaldo Pilli, pró-reitor de Pesquisa, trata-se de uma ação estruturante para a pesquisa futura da Universidade, que mantém a tradição de assegurar completa autonomia na escolha de temas. “É muito desejável que nossos grupos, principalmente os já consolidados em suas linhas de pesquisa, possam interagir uns com os outros e tenham o aporte de diferentes experiências para estudar temas de maior complexidade que exigem a integração de diversas áreas do conhecimento. Também vemos com bons olhos o jovem docente que chega de um pós-doutorado produtivo e quer implantar uma nova linha de trabalho, com projetos ousados. Ali será o local.” Pilli reitera que a construção destes laboratórios visa instrumentalizar o desenvolvimento de projetos inovadores, desafiadores e multidisciplinares, aproximando competências em áreas afins. “É uma tendência mundial. As melhores universidades têm criado centros dessa natureza, com um ambiente propício à relação entre diferentes especialidades da ciência. Não nos interessa muito que os grupos utilizem esses novos espaços para dar sequência ao que já vêm fazendo há anos.” De acordo com Mesquita Neto, a configuração dos três prédios permitirá a criação de um amplo espaço de circulação que induzirá os pesquisadores a se misturar e se integrar. “Julgamos essa convivência produtiva, não só para docentes mas principalmente para os alunos, pois ela possibilita a disseminação das ideias inovadoras discutidas dentro dos laboratórios. Ali também teremos um espaço para a coordenação de cursos multiunidades de pós-graduação, com focos em áreas que estão surgindo na Universidade, como de bioenergia.”

Fotos: Antoninho Perri

O professor Euclides de Mesquita Neto, pró-reitor de Pós-Graduação: “A ideia é promover a integração de diferentes grupos”

O professor Ronaldo Pilli, pró-reitor de Pesquisa: desenvolvimento de projetos inovadores, desafiadores e multidisciplinares

O cronograma, segundo Ronaldo Pilli, prevê a licitação e o início das obras para este semestre e a entrega do conjunto de laboratórios, totalmente funcionais, até o final do próximo ano. “Deveremos anunciar os grupos contemplados com os laboratórios já no segundo semestre, a fim de que eles tenham tempo para planejar a ocupação, estruturando novas linhas de pesquisa e customizando os espaços conforme as necessidades de cada área de pesquisa. Queremos todos lá, das humanidades e artes às tecnoló-

gicas, para explorar a diversidade de saberes.”

Alta especialização O técnico de nível superior contratado através do segundo edital da PRP e PRPG vai trabalhar prioritariamente no apoio às atividades de pesquisa, desenvolvendo experimentos, operando equipamentos e se responsabilizando por técnicas sofisticadas. “Ele será o braço direito do coordenador do projeto dentro do laboratório. Não queremos que assuma funções burocráticas

e sim que faça a pesquisa funcionar”, afirma o pró-reitor de Pesquisa. “Grupos maiores e consolidados precisam de um suporte qualificado para as tarefas técnicas mais imediatas, liberando os coordenadores para a pesquisa e atividades fins”, acrescenta o pró-reitor de Pós-Graduação. Entre os credenciados para pleitear a contratação de um técnico de nível superior através do edital, observa Pilli, estão os docentes que coordenam os 14 projetos aprovados no Programa de Equipamentos Multiusuários da Fapesp. “Entretanto, poderão concorrer docentes ou pesquisadores (da carreira Pq) que coordenem pesquisas apoiadas por agências de fomento com grande aporte de recursos e que justifiquem a alocação de um técnico em razão da complexidade das atividades a serem desenvolvidas. O pleito também está aberto para projetos em avaliação pelas agências e, ainda, para convênios de pesquisa com empresas que não permitam a contratação de pessoal.” Ronaldo Pilli informa que os pedidos deverão ser encaminhados pelas diretorias das unidades ou pela Coordenadoria de Centros e Núcleos (Cocen) até o dia 15 de abril, com o anúncio das vagas aprovadas ocorrendo a partir de 15 de junho. “O número é limitado. Temos cerca de 80 projetos temáticos vigentes na Unicamp e dezenas de convênios com empresas. Esperamos mais de uma centena de pedidos e, como não temos condições de atender a todos, vamos olhar os projetos em que os técnicos serão melhor aproveitados.” Decidido o número de vagas, elas serão transferidas para o quadro de funcionários de cada unidade, que ficará responsável por abrir um concurso seguindo o perfil que lhe interessa. “O técnico deve ser alocado para o laboratório do coordenador do projeto, mas o diretor da unidade terá a prerrogativa de realocá-lo caso aquele laboratório deixe de justificar a permanência de alguém tão especializado, como no caso de cessar o financiamento ou da desativação daquela linha de pesquisa”, observa o pró-reitor. “Convém lembrar que já existe a possibilidade de contratação de técnicos de nível superior também para apoio a atividades administrativas de projetos temáticos, através da consolidação, por uma determinada unidade, dos recursos oferecidos por meio do Faepex [http://www. prp.rei.unicamp.br/faepex/manual. php#auxilioTematico]”.

UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas Reitor Fernando Ferreira Costa Coordenador-Geral Edgar Salvadori De Decca Pró-reitor de Desenvolvimento Universitário Paulo Eduardo Moreira Rodrigues da Silva Pró-reitor de Extensão e Assuntos Comunitários Mohamed Ezz El Din Mostafa Habib Pró-reitor de Pesquisa Ronaldo Aloise Pilli Pró-reitor de Pós-Graduação Euclides de Mesquita Neto Pró-reitor de Graduação Marcelo Knobel Chefe de Gabinete José Ranali

Elaborado pela Assessoria de Imprensa da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Periodicidade semanal. Correspondência e sugestões Cidade Universitária “Zeferino Vaz”, CEP 13081-970, Campinas-SP. Telefones (019) 3521-5108, 3521-5109, 3521-5111. Site http://www.unicamp.br/ju. E-mail leitorju@reitoria.unicamp.br. Twitter http://twitter.com/jornaldaunicamp Coordenador de imprensa Eustáquio Gomes Assessor Chefe Clayton Levy Editor Álvaro Kassab (kassab@reitoria.unicamp.br) Chefia de reportagem Raquel do Carmo Santos (kel@unicamp.br) Reportagem Carmo Gallo Neto Isabel Gardenal, Maria Alice da Cruz e Manuel Alves Filho Editor de fotografia Antoninho Perri Fotos Antoninho Perri e Antonio Scarpinetti Coordenador de Arte Luis Paulo Silva Editor de Arte Joaquim Daldin Miguel Vida Acadêmica Hélio Costa Júnior Atendimento à imprensa Ronei Thezolin, Felipe Barreto e Patrícia Lauretti Serviços técnicos Dulcinéa Bordignon Everaldo Silva Impressão Pigma Gráfica e Editora Ltda: (011) 4223-5911 Publicidade JCPR Publicidade e Propaganda: (019) 3327-0894. Assine o jornal on line: www.unicamp.br/assineju


3

Campinas, 5 a 11 de março de 2012

Foto: Antoninho Perri

Tese analisa indicadores e impactos proporcionados pelas principais rotas de produção no país MANUEL ALVES FILHO

O

manuel@reitoria.unicamp.br

Brasil iniciou a produção de biodiesel em 2005, ano em que gerou cerca de 700 mil litros do biocombustível. Em 2010, o volume foi ampliado para 2,4 bilhões de litros, número que catapultou o país à condição de segundo maior produtor mundial, atrás da Alemanha. Tese de doutorado apresentada recentemente à Faculdade de Engenharia Mecânica (FEM) da Unicamp, desenvolvida por Marcelo Pereira da Cunha, avaliou e comparou os impactos e indicadores socioeconômicos e ambientais das principais rotas de produção do biodiesel no país, no referido período. De acordo com o estudo, orientado pelos professores Arnaldo Cesar da Silva Walter e Joaquim José Martins Guilhoto, 96% do biocombustível brasileiro tem como matérias-primas a soja (82%) e o sebo bovino (14%). “Isso demonstra que o estabelecimento do setor está apoiado nas oportunidades associadas às cadeias produtivas da soja e do abate de bovinos, que estão consolidadas. A participação da agricultura familiar no sistema, uma das premissas do PNPB [Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel] como fator de geração de emprego e renda, tem sido pouca expressiva”, afirma o autor da pesquisa. Conforme Cunha, que se graduou em engenharia mecânica, foram consideradas na tese cinco rotas de produção de biodiesel: soja (duas), sebo bovino, óleo de algodão e óleo de girassol, sendo este último obtido a partir de uma experiência relacionada com a agricultura familiar. Para promover a avaliação, o pesquisador se valeu de uma metodologia denominada Análise de Insumo-Produto. Assim, ele pôde quantificar os impactos e indicadores relativos à produção setorial, empregos gerados, valor adicionado (PIB), balanço energético e emissões de gases de efeito estufa (GEE). O ano base considerado foi o de 2004, último que antecedeu o início da produção do biocombustível. Em relação a 2004, observa Cunha, os resultados obtidos indicam a necessidade de subsídio à produção do biodiesel, exceto na rota a partir do sebo bovino. De maneira geral, assinala o engenheiro mecânico, produzir o biocombustível com as matérias-primas atuais custa mais caro do que produzir o diesel mineral. “Aqui, vale uma observação. Cabe à sociedade decidir se vale a pena continuar pagando mais pelo combustível renovável, levando em conta as possíveis vantagens que ele pode proporcionar, como a redução das emissões de gases de efeito estufa e os eventuais benefícios socioeconômicos gerados”, pontua. Em relação às rotas da soja, o autor da tese destaca que o aumento da produção de biodiesel ocorreu sem que houvesse a ampliação da área colhida. Assim, boa parte do avanço se deu por causa das reduções nas exportações do óleo, que foram convertidos em biocombustível (veja gráfico nesta página), bem como a um aumento da produtividade da soja em 2010. Ao aplicar o modelo com base nesses dados, Cunha apurou que o corte nas exportações de óleo de soja para a produção de biodiesel não traria vantagens em termos do valor adicionado na economia, visto que o resultado final seria um impacto negativo no PIB. O mesmo não ocorreria, por exemplo, tomando como premissa a redução nas exportações da soja para a mesma finalidade. Considerando

Ônus e bônus do biodiesel Plantação de soja: segundo o estudo conduzido na FEM, 96% do biocombustível brasileiro tem como matérias-primas a leguminosa (82%) e o sebo bovino (14%) Foto: Antonio Scarpinetti

Marcelo Pereira da Cunha: “A participação da agricultura familiar no sistema tem sido pouca expressiva”

Evolução da produção e destino do óleo de soja no Brasil de 2001 a 2010

Fonte: Abiove (2011) e ANP (2011)

também os coprodutos gerados com o esmagamento do grão para a produção do biodiesel (principalmente farelo), mesmo com a necessidade de subsídios, haveria um benefício econômico de R$ 0,78/l do biocombustível, supondo-se uma produção de biodiesel para substituir toda a importação de óleo diesel mineral em 2004. Já em relação à rota a partir do girassol, baseado no modelo de produção da agricultura familiar, o benefício em um cenário B1 (adição de 1% de biodiesel ao diesel fóssil) seria de R$ 2,22/l. “Neste caso, porém, é preciso considerar que esse ganho seria à custa de uma remuneração média do fator trabalho 87% inferior à média do país naquele ano (2004)”, adverte Cunha. No que toca à criação de empregos, o autor da tese diz que o impacto proporcionado pelo PNPB ficou muito abaixo do estimado pelo governo federal na ocasião do lançamento do programa. Principal matéria-prima utilizada para a fabricação do biodiesel

no Brasil, a soja é uma cultura muito tecnificada, ou seja, por mais que haja expansão na área cultivada (o que não aconteceu entre 2005 e 2010), a geração de postos de trabalho não é expressiva. O mesmo ocorreu em relação à agricultura familiar, que tem sido pouco aproveitada, como já mencionado. “Quando se fala de agricultura familiar, é preciso separar as coisas. Neste sentido, quando foi lançado, o PNPB focava principalmente os pequenos produtores do Nordeste, que praticam cultivo de subsistência e têm baixíssimo uso de tecnologia. Acontece, no entanto, que 90% da matéria-prima com selo social utilizada na fabricação do biodiesel vêm de agricultores familiares da região Sul, cuja estrutura produtiva é muito diferente daquela encontrada nas regiões mais carentes do Brasil”, compara o engenheiro mecânico. Ao analisar a rota de produção a partir do girassol, tendo por base estudo de outro orientado do professor

Arnaldo Walter, que gerenciou projeto do qual a Petrobras participou em uma cooperativa de agricultores familiares da região denominada como Território do Mato Grande, no Rio Grande do Norte, Cunha constatou que o indicador de empregos gerados é 15vezes o da produção de biodiesel advindo da soja. “Em contrapartida, reforce-se, a renda associada à atividade é 87% menor do que a média brasileira em 2004. Esses resultados trazem à tona as reais possibilidades – e os custos a elas associados – de se fazer com que um programa de produção de biocombustível contribua, de forma significativa, para tirar um contingente expressivo da população da condição de miséria”, considera Cunha. Ainda sobre a questão do emprego, o pesquisador fez uma comparação acerca de uma hipotética expansão da área cultivada de soja para a produção de biodiesel. A despeito de o setor ser altamente mecanizado, os impactos dessa medida sobre o indicador seriam positivos em comparação à produção do diesel mineral. “Se pensarmos numa produção de 2 bilhões de litros e levarmos em conta que cada hectare cultivado gera cerca de 500 litros do bicombustível, nós precisaríamos de mais 4 milhões de hectares de terra para atingir a marca projetada. Vale lembrar que essa área é próxima da usada para a plantação de toda a cana utilizada no país para a produção de etanol (em torno de 28 bilhões de litros ao ano). Ocorre que a cana tem um rendimento muito superior ao da soja. Cada hectare de cana gera aproximadamente 7 mil litros de álcool”, compara. Convertida em números, essa vantagem do biodiesel de soja sobre o diesel de petróleo, no que toca à geração de empregos, pode ser expressa da seguinte forma. Cada terajoule (unidade de energia) de diesel produzido gera 0,25 emprego. Quando considerado o biocombustível a partir da soja, esse número salta para 1,44. “Ou seja, mesmo altamente tecnificada, a produção de soja gera seis vezes o número de postos de trabalho do setor de produção de diesel mineral. Além disso, também contribui de forma mais expressiva com o PIB. Vale lembrar que cada gigajoule de diesel traz um acréscimo de R$ 15,10 ao PIB. Já o biodiesel de soja acrescenta R$ 19,12”. Em contrapartida, enquanto a remuneração média dos trabalhadores na cadeia associada ao diesel mineral é de R$ 1,7 mil, na do diesel de soja ela cai para R$ 1,2 mil. “Este segundo número é inferior ao primeiro, mas não é ruim, visto que é 36% superior à média da economia brasileira em 2004”, lembra o autor da tese. A situação menos favorável fica por conta da remuneração média paga na rota do girassol. Em 2004, ela

equivalia a R$ 127, valor inferior ao salário mínimo da época. “Por outro lado, há que se considerar que esses agricultores praticam uma atividade de subsistência. Assim, para eles, essa renda complementar, mesmo que baixa, pode ser importante. Em economia, é preciso trabalhar também com as questões marginais. De toda forma, é algo para o governo analisar: é exequível e faz sentido usar um programa de energia apoiado em um sistema de agricultura familiar com remunerações tão baixas? Pessoalmente, penso que não. Outro ponto a se pensar é o seguinte: não seria mais apropriado empregar os subsídios destinados à produção de biodiesel de soja – nada contra os produtores do grão – para a produção de alimentos, que geraria mais emprego e renda? Ou, quem sabe ainda, usar parte dos recursos para qualificar os pequenos agricultores, para que cultivem produtos com maior valor adicionado?”, indaga. Na tese, Cunha também analisou dois indicadores ambientais, relacionados às questões do balanço de energia (produção de energia renovável em relação à energia não renovável) e da redução de emissões de gases de efeito estufa. O primeiro refere-se a um indicador para avaliar o esforço de um país para reduzir a sua dependência de combustíveis derivados de petróleo, visto que boa parte das reservas está concentrada em regiões complicadas em termos geopolíticos. “Para o Brasil, a redução de dependência faz algum sentido, dado que ainda importamos derivados, como o próprio óleo diesel. Em relação à diminuição da emissão de GEE, não penso que seja um objetivo tão justificável assim. Embora sejamos o quinto país em emissões anuais de GEE, nossa matriz energética é fortemente baseada em fontes renováveis. Ademais, nosso calcanhar de Aquiles não está exatamente na emissão a partir de combustíveis fósseis, mas sim no desmatamento e nas queimadas. Quem tem que se preocupar em reduzir drasticamente as emissões de gases de efeito estufa a partir da combustão de combustíveis fósseis são, principalmente, os países desenvolvidos”, analisa o engenheiro mecânico.

............................................................. ■ Publicação

Tese: “Avaliação de impactos e indicadores socioeconômicos e ambientais de rota de produção de biodiesel no Brasil, baseada em análise insumoproduto” Autor: Marcelo Pereira da Cunha Orientadores: Arnaldo Cesar da Silva Walter e Joaquim José Martins Guilhoto Unidade: Faculdade de Engenharia Mecânica (FEM)

.............................................................


4

Campinas, 5 a 11 de março de 2012

Por dentro das células cardíacas Fotos: Antoninho Perri

Pesquisa da FCM publicada na Nature Chemical Biology detalha mecanismo de sinalização ISABEL GARDENAL

A

bel@unicamp.br

pesquisadora brasileira Aline Mara dos Santos acaba de ter um artigo publicado na revista americana Nature Chemical Biology, uma das mais prestigiadas do mundo. O trabalho revelou o mecanismo fundamental de sinalização das células cardíacas, permitindo entender como o coração adoece, dando inclusive sustentação para criar formas de interferir no desenvolvimento de doenças cardíacas. A pesquisa finaliza uma etapa de projeto temático da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e é resultado da tese de doutorado da biomédica Aline Santos, orientada pelo docente da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) Kleber Franchini, cardiologista responsável pela linha de pesquisa do Laboratório de Fisiopatologia Cardiovascular, que vem sendo desenvolvida desde o início da década. O artigo trata da estreita interação entre uma proteína de sinalização de estímulos mecânicos das células do coração, a FAK (Quinase de Adesão Focal), e uma outra proteína, a miosina, que faz o papel de força do músculo cardíaco, ambas presentes no organismo. “Interagem, portanto, a proteína de sinalização e a proteína motora”, constata Franchini. Segundo ele, o estudo toca num assunto que tem suas raízes nos miócitos cardíacos, que são as células de contração do coração, e a sua capacidade de se adaptarem a estímulos mecânicos, principalmente em situações de doenças como hipertensão arterial, doenças das válvulas cardíacas e infarto do miocárdio. “Abordamos o conhecimento de como o coração responde em situações de sobrecarga”, exemplifica Aline Santos. A doutoranda, ao descrever um mecanismo de controle da atividade da FAK na célula cardíaca, como ela é controlada pelos estímulos mecânicos, lançou mão de técnicas sofisticadas e complexas de biologia estrutural, molecular, celular e de fisiologia, em que avaliou uma série de parâmetros, desde a proteína, os aminoácidos que compõem essa proteína, até como a interferência nessa interação traz modificação na função celular. Dizendo de maneira abreviada, essa sinalização acontece porque a célula cardíaca é muito sensível a estímulos mecânicos, da mesma forma que isso ocorre com qualquer músculo do corpo humano, estando sujeita a um processo de hipertrofia. Com isso, fica aumentada de tamanho porque os miócitos cardíacos não se dividem como outras células do organismo, como as da mucosa da boca e da pele, por exemplo. São células terminalmente diferenciadas. Pela localização dessa proteína, que está em contato com a miosina, a biomédica conseguiu relatar como esse contato regula a atividade enzimática e a deixa pronta a responder ao estímulo mecânico. “Uma vez a célula sendo submetida a estímulo, como um estiramento, ela libera a enzima da miosina e, depois que se solta, fica ativada, desencadeando uma série de ações dentro dos miócitos que redundam no seu crescimento (hipertrofia)”, dimensiona. Isso foi demonstrado de várias formas, aponta Franchini, inclusive por meio da sofisticada técnica de peptídeos racionalmente planejados

A biomédica Aline Mara dos Santos: investigando a interação das proteínas motora e de sinalização

O professor Kleber Franchini: “Menos de 40% das pessoas com insuficiência cardíaca viverão cinco anos”

com base na topologia dos aminoácidos da superfície de interação entre as duas proteínas. Administrados aos miócitos, esses peptídeos se comportaram, como esperado, como inibidores da interação entre FAK e miosina, resultando em ativação espontânea da FAK e consequente hipertrofia cardíaca. De acordo com Aline Santos, que sempre se interessou pela fisiopatologia das doenças cardiovasculares, o êxito da pesquisa esteve em chegar ao controle de mecanismos funcionais de miócitos cardíacos com grande apelo ao entendimento das bases moleculares de doenças do coração. Essa regulação, expõe, ainda não havia sido descrita em miócitos. O que havia sido abordado era a regulação da FAK por outras proteínas, em outros tipos celulares, porém não em mecanismos de regulação envolvidos na hipertrofia cardíaca. Essa proteína, não ativa, interage com a miosina, a qual atuaria como um inibidor natural em miócitos cardíacos. A sinalização (a hipertrofia cardíaca) – em resposta a estímulos com hipertensão arterial (doenças nas válvulas e infarto do miocárdio) – marca o início de um processo muito lento de deterioração do coração. Num primeiro momento, ela faz uma espécie de compensação, contudo já traz em si a semente daquilo que poderá ser a deterioração do coração vista tardiamente na insuficiência cardíaca. O orientador da tese esclarece que, na verdade, quase todas as doenças

do coração acabam evoluindo com insuficiência cardíaca.

Implicações Entender os mecanismos que promovem a hipertrofia celular, e que depois progridem para a deterioração, são passos que permitem criar novos fármacos que se prestarão ao tratamento de doenças do coração que cursam com insuficiência cardíaca. Para se ter uma ideia da sua gravidade, as pessoas que têm doenças cardíacas vivem uma intensa sintomatologia, incluindo falta de ar quando elas se exercitam e, quando o quadro está muito avançado, falta de ar mesmo estando em repouso. Além disso, lidam com inchaço no corpo, fraqueza, desânimo e palpitações, entre outros sintomas. “Em média, depois de iniciados os sintomas, menos de 40% das pessoas com insuficiência cardíaca viverão cinco anos. Então isso é mais grave do que muitos tipos de câncer, como o de próstata”, afirma Franchini. Juntamente com os cânceres, frisa ele, as doenças cardiovasculares são as patologias que mais ocasionam óbitos na população mundial. No Brasil, a insuficiência cardíaca é a terceira causa clínica de internação, sendo associada a 10% das mortes, isto é, cerca de 50 mil mortes por ano. No projeto temático da Fapesp, um braço da pesquisa tem se dedicado a desenvolver novos compostos para interferir nessa dinâmica, especificamente nessa molécula. Apesar de se reconhecer que as descobertas são

ainda incipientes, já existe uma pista de como interferir com essa enzima e melhorar certas alterações associadas à insuficiência cardíaca. Como o trabalho de Aline Santos define em nível molecular o mecanismo como essa proteína é regulada no coração, comenta o cardiologista, isso propicia entender a melhor estratégia para essa interferência, “contanto que se saiba como ela é regulada no nível molecular”, acentua. “A doutoranda chegou a um grau de refinamento que modificou alguns aminoácidos da enzima e mostrou a sua importância para a regulação enzimática – o grau de refinamento.” A Nature Chemical Biology se interessou pelo assunto, conta ele, sobretudo porque a biomédica investigou desde o aminoácido à molécula até a função na célula. “Sabemos que essa função está ligada à função no órgão.” Este trabalho foi totalmente produzido no país e teve a colaboração do docente do Instituto de Química (IQ) Fábio Gozzo e de colaboradores. Os experimentos foram desenvolvidos tanto no Laboratório Nacional de Biociências (LNBio) como no Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS).

Fronteiras Duas proteínas trouxeram esses achados em uma região muito restrita, mas relevante para essa interação, para a qual no momento se procuram novos alvos terapêuticos. A pesquisa biomédica é buscada hoje mundialmente, a priori aquela que se dirige a desvendar

novas possibilidades de interferência nos sistemas de sinalização relacionados às doenças. Uma das fronteiras, quando se fala de enzimas, está em locais específicos chamados sítios ativos, para os quais tradicionalmente se desenham fármacos. Outra fronteira científica também está em intervir na interação das proteínas com outras proteínas, porque elas se comunicam em superfícies bem moldadas, relata Franchini. Consegue-se jogar uma molécula que entra naquela superfície e desloca essa interação. Há várias situações de doenças, não somente cardíacas, que podem se beneficiar em um tratamento cujo alvo é a interação entre duas proteínas. Vários laboratórios no mundo estão agindo para elucidar as interações entre proteínas e definir o potencial terapêutico de sua inibição. O cardiologista acredita que a quinase de adesão focal atua como um sensor do coração, capacitando as células musculares para enfrentamento de situações de desgaste energético intenso. Elucidada na década de 1990 nos Estados Unidos, a FAK é uma proteína de porte médio, com 125 quilodáltons (dálton é a unidade de massa atômica que mensura as proteínas). Buscar uma forma de deter a FAK sem trazer danos ao organismo é uma tarefa delicada. Essa enzima se liga a dezenas de proteínas em muitos tipos de células, além das do coração, e tem muitas funções, podendo agir na proliferação, migração e sobrevivência das células (sadias e também tumorais). As proteínas quinases são alvos atraentes para a produção de novos fármacos. Estima-se que 25% dos esforços da indústria farmacêutica são concentrados no desenvolvimento de inibidores para elas. Já começam a aparecer compostos que detêm a ação dessa enzima, encontrada em vários tipos de tumores, como os de cérebro, mama, próstata e fígado. O composto TAE226, mostrado em 2007 por pesquisadores americanos, tem se evidenciado apto em inibir a FAK e o crescimento de células tumorais no cérebro de animais. Especialistas de Taiwan apresentaram recentemente no International Journal of Cancer indícios de que outra molécula, a SK228, deteve o crescimento de tumores em cultura de células e em animais, também por inibir a ação da FAK.

.............................................................. ■ Publicação

SANTOS, A.M. et al. FERM domain interaction with myosin negatively regulates FAK in cardiomyocyocyte hypertrophy. Nature Chemical Biology, out. 2011 (on-line).

..............................................................


5

Campinas, 5 a 11 de março de 2012 Foto: Jorge Maruta/USP

Condomínios de alto padrão ao lado da favela Paraisópolis, na região do Morumbi, em São Paulo: sob a lógica financeirizada

Portas da exclusão

Tese de doutorado desenvolvida no IE analisa as transformações ocorridas no circuito imobiliário

T

MANUEL ALVES FILHO manuel@reitoria.unicamp.br

ese de doutorado desenvolvida pela arquiteta e urbanista Mariana Fix, apresentada ao Instituto de Economia (IE) da Unicamp, promove profunda investigação em torno das transformações sofridas pelo circuito imobiliário no Brasil a partir do advento da globalização. No trabalho, orientado pelo professor Wilson Cano, a autora constata que o segmento perdeu o caráter eminentemente mercantil e passou a responder à lógica financeirizada. “Essa transformação coloca novos problemas para os movimentos sociais, assim como para o pensamento crítico sobre a questão urbana. O aumento da capacidade do capital de impor seus requerimentos modifica a estrutura dos conflitos e apresenta novos desafios à luta pelo direito à cidade, ou seja, à luta para que a paisagem urbana responda a critérios universais, no campo dos direitos sociais”, analisa a pesquisadora. Mariana Fix tem estudado o tema desde a graduação, feita na USP. No mestrado e doutorado, ela esmiuçou a participação dos diversos agentes envolvidos no circuito imobiliário. As investigações ofereceram subsídios para a produção de dois livros: São Paulo cidade global – Fundamentos financeiros de uma miragem (Boitempo), no qual reflete sobre o surgimento da “nova São Paulo”, analisando as conexões entre capital imobiliário e financeiro, e Parceiros da exclusão, da mesma editora, no qual aborda a questão da exclusão de moradores das classes média e baixa do novo centro financeiro de São Paulo, propiciada por projetos executados em parceria pelo poder público e a iniciativa privada.

Conforme a pesquisadora, a partir de meados do século XIX, o crescimento das cidades, a diversificação econômica e a consequente formação de um mercado de trabalho urbano abriram novas frentes de investimentos, como a construção de casas e vilas operárias. Assim, o urbano passou a ser uma frente de valorização do capital. Entretanto, como a demanda por habitação era atendida apenas em parte por fazendeiros, comerciantes, industriais e trabalhadores, o segmento abriu-se para investimentos de capitais excedentes tanto nacionais quanto internacionais. Durante bom tempo, pontua a autora da tese, esse circuito imobiliário permaneceu como órbita reservada das elites brasileiras. Nos anos 1990, as políticas de estabilidade monetária, a abertura econômica, as privatizações e a desregulamentação de diversos setores inseriram o Brasil na globalização. O segmento, porém, manteve-se como campo privilegiado dessas elites. Inicialmente, o setor imobiliário não acompanhou a internacionalização de outros setores e permaneceu sob o comando do capital nacional mercantil. “No início do governo Lula, o volume de recursos direcionados ao circuito imobiliário cresceu significativamente, por meio de medidas tomadas pelo Ministério das Cidades. Fluxos contínuos de financiamento contornaram o problema da instabilidade econômica e propiciaram ao circuito certo alargamento, superando algumas das limitações impostas pelo autofinanciamento”, detalha Mariana Fix. Como consequência, muitas empresas abriram capital na Bolsa de Valores e se capitalizaram. O aumento na escala financeira foi acompanhado por mudanças nas estratégias das empresas, como o lançamento de novos produtos, a criação de marcas especializadas no “segmento econômico” e a expansão do alcance territorial das empresas, na direção das cidades médias e de outros estados. Tal processo, afirma a arquiteta, já encontrava seu limite quando emergiu a crise financeira nos Estados Unidos, em 2007. “Entretanto, a crise foi utilizada como pretexto para o lançamento do pacote habitacional Minha Casa, Minha Vida (MCMV), que funcionou como uma espécie de operação de salvamento do setor. Isso recuperou o valor das ações das empresas que haviam liderado as perdas na Bolsa no início da crise”, esclarece. O MCMV impulsionou, ainda, um conjunto de empesas que estavam em

processo de concentração e centraliza- nais horizontais produzidos dentro do ção de capital pela via financeira. “Em programa MCMV”. Questionada sobre a efetividade outras palavras, o circuito imobiliário passou a responder diferentemente aos e pertinência das chamadas “polítifluxos de crédito, às políticas urbanas cas de revitalização” conduzidas nas áreas centrais de médias e grandes e às lutas sociais”. Dentro dessa nova configuração, cidades brasileiras, a arquiteta consio capital financeiro abriu vias de co- dera que essas iniciativas geralmente municação entre os vários estratos e não partem dos problemas intrínsecos segmentos do setor imobiliário. Pra- da população que vive nessas áreas, ticamente todas as grandes empresas mas sim de modelos urbanísticos que passaram a atuar no já citado “segmen- tratam a cidade como negócio. “Um to econômico”, mesmo aquelas antes exemplo é a concessão urbanística da especializadas em empreendimentos Nova Luz, que concede a uma empresa de alto luxo. “Trata-se de uma inven- o direito de explorar um trecho [45 ção político-imobiliária que impõe, quarteirões] no Centro de São Paulo com seu aparente triunfo, a derrota e ser remunerada pelos ganhos que de lutas sociais por uma produção da obtiver na operação. O motor desse cidade não-mercantil, com qualidade modelo é a valorização imobiliária. O arquitetônica e urbana definidas segun- termo revitalização tem, desse modo, do outros parâmetros. A urbanização um caráter ideológico e encobre o fato sem cidade é a forma de expansão do de que existe, sim, muita vida nos cencapital financeiro no espaço urbano”, tros urbanos, embora talvez não seja a desejada pelos que estão preocupados critica a pesquisadora. Ainda sobre o MCMV, Mariana com a recuperação do preço da terra. Fix entende que o programa articula Para estes, é importante atrair pessoas um problema social real e importante, ‘do tipo certo’”. Outro aspecto que tem conexão a falta de moradias, aos interesses capitalistas. “O programa responde a com esse modelo de expulsão de problemas de acumulação, injetando indesejáveis é a intensificação da recursos no circuito imobiliário, e de construção de núcleos habitacionais legitimação, ao responder à pressão das nas franjas das cidades, ou seja, lutas sociais por habitação e emprego. distantes dos centros comerciais e Em síntese, o Minha Casa, Minha financeiros. Com isso, são mantidos Vida alçou a habitação a ‘problema os vazios urbanos, cujos terrenos não nacional’ de primeira ordem, mas o cumprem a função social determinada definiu segundo os critérios do capital, pela Constituição. Tal lógica também dos negócios e da política eleitoral. O obriga o poder público a estender a programa alimenta um circuito que infraestrutura para uma área além da procura maximizar os ganhos por meio necessária. O resultado dessa equação de operações especulativas com a terra. é o aumento do tempo e dos custos Na falta de uma política fundiária, a de deslocamento da população até o tendência é que parte dos fluxos de trabalho, escola ou lazer. “A aplicação capitais viabilizada com o aumento dos instrumentos urbanísticos que perdo crédito seja capturada na forma de mitiriam enfrentar essas distorções depende, contudo, da luta social em cada renda da terra”. Diante de tantas transformações, município. A dificuldade de aplicá-los, prossegue Mariana Fix, os movi- no caso dos vazios urbanos, depende mentos sociais que atuam na defesa do poder social dos seus proprietários, do direito à habitação e do direito à muitas vezes fortemente representados cidade estão sendo confrontados por nas câmaras municipais. Se era difícil novas questões. “O movimento pela aplicar os instrumentos de combate à moradia passou a disputar terra para especulação quando o enfrentamento seus projetos com as empresas imo- era com o capital mercantil, a dificulbiliárias, com a desvantagem de não dade é ainda maior quando os antigos contar com um departamento jurídico donos do poder se associam ao capital poderoso para viabilizar a aprovação financeiro”, adverte Mariana Fix. dos empreendimentos. Movimentos de luta pelo direito à cidade, que rei- ................................................................ vindicam o uso dos espaços vazios e ■ Publicação ociosos de das áreas centrais, com boa Tese: “Financeirização e transformações recentes no circuito imobiliário no Brasil” infraestrutura, correm o risco de ficar Autora: Mariana Fix falando sozinhos com a expansão do Orientador: Wilson Cano modelo de urbanização sem cidade, Unidade: Instituto de Economia (IE) como os grandes conjuntos habitacio- ................................................................


6

Campinas, 5 a 11 de março de 2012 Foto: Antonio Scarpinetti

Em busca do

parto natural Grávida durante pré-natal: de acordo com o estudo, mulheres que integram a pesquisa são questionadoras

Pesquisadora do IFCH traça per�il de parturientes adeptas de procedimento humanizado

N

MARIA ALICE DA CRUZ halice@unicamp.br

um momento em que o Brasil é recordista mundial de cesárea, com base em dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), muitas mulheres optam por ter seus filhos da maneira “mais natural” possível (expressão usada por elas), adotando procedimentos domiciliares ou em hospitais preparados para a realização de partos humanizados. Para essas mulheres, mais que um ato médico e fisiológico, o momento de dar à luz é um evento social e cultural, com direito, inclusive, à participação de pessoas da família e amigos, de acordo com constatação da pesquisadora do Foto: Antoninho Perri

Rosamaria Giatti Carneiro, autora da tese: “O mais importante é respeitar cada mulher em suas escolhas”

Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) da Unicamp Rosamaria Giatti Carneiro. Ao iniciar sua pesquisa para doutoramento, orientada pela professora Luiza Margareth Rago, para traçar um perfil das parturientes adeptas do parto humanizado, Rosamaria surpreendeuse, logo na linha de partida do trabalho, com a organização das grávidas em torno da defesa de um nascimento “mais natural”. Inserir-se no mundo ciber, apesar de a pesquisa virtual não nortear o desenvolvimento do estudo, foi um canal rico para chegar aos grupos de preparação para o parto natural, coordenados por profissionais da área de saúde, incluindo da psicologia. São esses especialistas que oferecem informações a mulheres dispostas a viverem outro modelo de parto que não a cesariana. “No mundo virtual, encontrei blogs de mulheres questionando a prática de cesárea no Brasil. O Brasil é recordista mundial de cesárea, apresentando uma taxa de 90% na rede privada e 40% na rede pública, sendo que a OMS recomenda 15% ao ano”, enfatiza Rosamaria. “Como queria encontrá-las para saber de onde vem esse desejo e quais as consequências sociais de suas práticas, os grupos me pareceram um lugar interessante para realizar a pesquisa etnográfica, mas principalmente por funcionarem como um canal de comunicação entre a pesquisadora e essas mulheres”, esclarece Rosamaria. De antemão, ela deixa claro que seu objetivo sempre foi trabalhar com mulheres, com as “usuárias ou consumidoras”, forma como elas se autodeclaram, e não com propostas institucionais de outro modelo obstétrico. “Queria ir à base da coisa, à mulher que está grávida e que vai dar à luz. O meu interesse sempre foi pelo feminino, pela perspectiva, pelas práticas e pela palavra feminina”, explica-se. Até porque, pondera a pesquisadora, já existem trabalhos na área de antropologia e da saúde dedicados à questão do movimento Rehuna (Rede da Humanização do Nascimento). E, além disso, existem estudos abordando a prática enquanto movimento social, formação de médicos humanizados e de enfermeiras obstetrizes, afirma. Contudo, ainda faltava abordar academicamente o olhar das grávidas envolvidas nesse movimento. Antes de inserir-se pessoalmente no universo das grávidas, Rosamaria descobriu nos blogs especializados mulheres narrando suas experiências de parto, frustrações, queixas, suas satisfações num parto que chegou a termo da maneira idealizada pelas mulheres. É nessa blogosfera, segundo Rosamaria, que as mulheres manifestam o desejo de não perder nenhuma das sensações do momento de nascimento de seus filhos, sejam elas associadas à dor do parto, às contrações, às dilatações, como as manifestadas pela mãe ou pela avó que tiveram o antigamente chamado “parto normal”. “A expressão natural

circula entre as mulheres e nos grupos nos quais convivi com elas, mas pode significar muitas coisas, desde um parto com anestesia até um parto em casa sem nenhuma intervenção, depende do caso. Por conta disso, o sentido da palavra ‘natural’ tem seu significado ampliado para além de sua literalidade. O mais importante é respeitar cada mulher em suas escolhas, crenças e cultura”. Um aspecto importante da pesquisa é a informação de que, no caso do parto domiciliar, todo o procedimento é acompanhado por enfermeiras obstetrizes e a residência não deve estar localizada a mais de 20 minutos de um hospital. A convivência de dois anos e meio acompanhando as reuniões permitiu mapear os motivos que levavam mulheres e maridos a este movimento. Muitos parceiros e mulheres declaravam insatisfação com um procedimento de cesárea realizado em gestação anterior ou até mesmo no puerpério, durante recuperação da cirurgia, segundo Rosamaria. Ela percebeu ao longo da pesquisa que o parto tem relações com a vida pregressa das mulheres, ou seja, com a relação com o próprio corpo, família e emoções. Algumas mulheres chegam a declarar como um parto humanizado em uma segunda gestação pode aliviar o trauma de uma cesárea anterior. O mais importante para as grávidas, segundo Rosamaria, é que seus desejos sejam respeitados. Principalmente o tempo do corpo delas e do psíquico. “No trabalho, identifiquei algumas dessas mulheres como “as cesareadas”, em que o parto mais natural entra como superação de algo que figura como uma ferida na alma - é essa a expressão usada por muitas delas. Neste caso, a mulher busca um parto ‘mais natural’ numa tentativa de ‘ressignificar’ aquela experiência, a da cesárea anterior, de reviver aquilo, reelaborar o que não considerou satisfatório e também porque ela não quer mais viver aquele episódio”, pontua. Ela acrescenta que existe toda uma relação negativa com o tempo do hospital, marcado no relógio, com limites pré-fixados que não dão margem para cada parto, cada história e cada mulher, bem como em relação à espera da dilatação do colo uterino, quando dá analgesia ou não. O tempo do hospital é uma coisa com a qual elas tentam trabalhar de outra maneira, com escalda-pés, chás, entre outras formas de controlar dilatação e contrações, recorrendo a técnicas alternativas de suavizo das dores. Profissionais das mais diferentes áreas e religiosas das mais diversas crenças, na sua maioria concentradas na classe média, as mulheres demonstraram que o momento do parto leva em consideração suas crenças, que, segundo Rosamaria, oscilam desde orientação espiritual, até estilo de vida, alimentação, relação com o mundo e com o ambiente. É também momento psíquico e emocional porque as emoções se fizeram presentes durante

todo tempo acompanhado pela pesquisadora. “O medo, o receio da dor, da contração e de alguma coisa dar errado. Mas depois a satisfação e o suposto estado de graça”, descreve Rosamaria. A pluralidade encontrada nos grupos e a forma de organização de mulheres tão diferentes em torno da proposta de um parto mais humanizado são importantes para pensar novos modos de ação social. “Essas mulheres podem estar contribuindo para a reinvenção do parto, da maternidade e apontando para outros modos de existência femininos, maternos e feministas, já que desejam um parto e uma maternidade mais libertários e afeitos às suas expectativas e requerimentos”, reflete Rosamaria. Ao contrário de algumas premissas de que as adeptas do parto humanizado são necessariamente atraídas por um modelo de vida alternativo, para o qual são usadas expressões rotuladoras como “bicho grilo” ou “natureba”, Rosamaria esteve na companhia de bancárias, advogadas, artistas plásticas, estudantes, pós-graduandas, alto executivas, vegetarianas, evangélicas, católicas, umbandistas, adeptas da filosofia nova era. Entre elas, selecionou 18 trajetórias interessantes para sua pesquisa. Se elas eram tão plurais, tão diferentes entre si, como se aproximavam? A primeira resposta obtida por Rosamaria foi o mundo ciber. “Neste espaço acabam conhecendo outros grupos ou encontrando outras amigas que já tiveram esse tipo de parto. Têm listas de discussão. E eu participei dessas listas”, declara. Juntas, se organizam em passeatas, caminhadas, convocam reuniões, seminários. “E a coisa se dissemina”, avisa Rosamaria. Do ponto de vista da situação econômica, a pesquisadora diz ter trabalhado com mulheres de camadas médias, encontrando poucas mulheres em situação extremamente confortável, mas também pouquíssimas, quase nenhuma, advindas das camadas mais baixas da sociedade. Algumas famílias chegavam, segundo ela, a fazer empréstimos para poder pagar parto domiciliar, vender o carro, fazer economia para se permitir ter um parto em casa, ou poder custear outro modelo de assistência num hospital. Todas, segundo a pesquisadora, tinham plano de saúde privado, acesso à internet e alguma instrução. Outro aspecto que chamou atenção na pesquisa foi o capital cultural dessas mulheres. “Elas são questionadoras, indagam os médicos em consulta de pré-natal, indagam sobre a prática do exame de toque (rotina) e muitas vezes pediam segunda opinião para outros médicos”, acrescenta Rosamaria.

................................................................. ■ Publicação

Tese: “Cenas de parto e políticas do corpo: uma etnografia de experiências femininas de parto humanizado” Autora: Rosamaria Giatti Carneiro Orientação: Luiza Margareth Rago Unidade: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH)

.................................................................


7

Campinas, 5 a 11 de março de 2012 Foto: Antoninho Perri

O professor Carlos Roberto de Souza Filho (à dir.) e o pesquisador colaborador Juliano Alves de Senna: monitorando a qualidade da matéria-prima

Método desenvolvido no IG classi�ica minerais usados por indústrias do segmento CARMO GALLO NETTO

A

carmo@reitoria.unicamp.br

primeira solicitação de patente feita pelo Instituto de Geociências (IG) da Unicamp junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi) foi recentemente divulgada pela Agência de Inovação Inova Unicamp. Tratase de um método de classificação e qualificação de minerais destinados às indústrias cerâmicas, desenvolvido pelo professor Carlos Roberto de Souza Filho e pelo pesquisador colaborador Juliano Alves de Senna, ambos do Departamento de Geologia e Recursos Naturais do (IG). O trabalho envolve uma solução prática para um dos grandes desafios enfrentados por empresas mineradoras em relação à classificação e qualificação precisa de minérios destinados à produção de cerâmicas. Ao permitir a distinção dos vários tipos de minérios, adequados a cada um dos diversos segmentos de produção cerâmica, o método possibilita o planejamento técnico de lavra, promovendo um melhor controle de qualidade do material extraído. A tecnologia desenvolvida, que utiliza a espectroscopia de refletância, pode ser aplicada a praticamente todas as etapas das cadeias produtivas que envolvem matéria-prima cerâmica: das análises in situ, no local de exploração, até o processamento industrial. O professor Carlos Roberto destaca o fato de a patente provir da área de Geociências, o que é raro no Brasil e inédito na Unicamp. Os diversos tipos de cerâmicas produzidas pela indústria exigem

Por uma cerâmica de mais qualidade

argilas de composições específicas. Alguns componentes que naturalmente acompanham as argilas podem impedir o seu processamento industrial ou até inviabilizá-lo. Um exemplo disso é o solo que ocorre no campus da Unicamp, constituído de mais de 50 % de caulinita – um argilomineral de cor branca, fundamental para a indústria cerâmica. Entretanto, neste material prevalece a cor avermelhada devido à mistura da caulinita com minerais ricos em ferro em sua composição, os quais “tingem” o mineral branco, dando-lhe a cor vermelha. Esta característica impede a aplicação deste material na fabricação de produtos cerâmicos nobres, como a porcelana branca. Trata-se de um exemplo extremo, mas que ilustra bem o problema, afirma o professor. Também existem minerais que, apesar de brancos, ao entrarem no processo industrial, geram defeitos no processamento cerâmico. Contaminantes não corantes, como é o caso de minerais de carbonato de cálcio, podem produzir bolhas nas peças cerâmicas, gerando produtos com graves defeitos estruturais. Sendo assim, estes constituintes (contaminantes), corantes ou não, precisam ser eliminados antes da industrialização. A permanência destes materiais indesejáveis pode impedir o uso da argila a que estão misturados, levando a perda de um grande volume de matéria-prima transportada. Como a extração de matérias-primas cerâmicas no Brasil ainda não obedece a um controle de qualidade rígido, os problemas decorrentes de uma composição não adequada à fabricação de uma determinada cerâmica aparecem com relativa frequência. Este cenário faz com que materiais desnecessariamente explorados sejam descartados, gerando tanto desperdício de recursos logísticos, como “passivos ambientais”. Isso acontece, ressaltam os pesquisadores, mesmo em um estado industrializado como São Paulo, o que faz imaginar as dimensões que esses problemas assumem no País com um todo. Juliano Senna atribui essa ocorrência ao baixo valor agregado à matéria-prima cerâmica, diferentemente do que se verifica com minérios metálicos, a exemplo de ouro, níquel e outros, cujas minas utilizam tecnologias mais modernas.

Em algumas lavras de argila, a extração ainda é feita de forma artesanal. Nesse caso, utiliza-se um instrumento similar a um arco, com uma haste flexionada e extremidades ligadas por um fio de aço. Este simples instrumento é utilizado para separação de tipos de argila plástica (manualmente moldável) em grandes blocos de baixa consistência. Nas minas de matérias-primas compactas o material é extraído por explosivos, antes da explotação mecânica propriamente dita. Uma vez extraídos, os materiais são conduzidos para plantas de processamento-beneficiamento. Nesta etapa, os fragmentos são moídos em frações menores. A granulometria adequada a cada material depende da composição e da sua específica utilização. É nesta configuração que as matérias-primas cerâmicas, como as argilas, chegam à indústria para utilização. Para os pesquisadores, o método por eles desenvolvido permite monitorar a qualidade da matéria-prima cerâmica de várias maneiras. Através da criação ou aprimoramento das técnicas de planejamento da lavra; da avaliação in situ das matérias-primas cerâmicas antes e durante o processo de extração; da utilização de um método de análise à distância e não destrutivo, para detecção da qualidade da matéria-prima; do emprego de amplo banco de dados para a classificação dos vários tipos de matérias-primas; e da exploração específica dos minerais desejados. Consideram que o emprego do método, de ponta a ponta, da extração do material à industrialização, leva a uma grande economia de recursos, além de não gerar passivo ambiental. Os pesquisadores são engenheiros geólogos de formação, daí suas preocupações centradas nos processos. Há cerca de dez anos, com a chegada de Juliano ao Laboratório de Espectroscopia de Reflectância (LER), montado pioneiramente na Unicamp e no país pelo professor Carlos Roberto, surgiu a idéia do estudo voltado para caracterização de argilas de finalidade cerâmica. O docente antevia que os métodos que comumente já utilizava para investigações na área do sensoriamento remoto sobre minerais metálicos (ouro, cobre, ferro, entre outros) seriam promissores também para qualificar diversos tipos de matériasprimas cerâmicas. Na medida em que

os estudos avançavam, percebeu-se que os métodos de espectroscopia sob investigação naquela época ainda não tinham sido utilizados para os fins buscados pelos pesquisadores. Faltava um método capaz de qualificar cada material e indicar seu uso específico na indústria. E foi isso que os pesquisadores perseguiram por muitos anos.

Software Sobre o desenvolvimento da pesquisa, o professor Carlos Roberto esclarece: “A partir da patente estamos trabalhando em outras etapas. Vamos elaborar um software que permita a qualquer pessoa, a partir de uma medida da matéria-prima in situ, obter informações não somente a respeito do comportamento espectral dos materiais, assim como também associar determinadas características espectrais a um uso específico desse material na indústria cerâmica”. Esses dados espectrais, prossegue o docente, são gerados por um espectrorradiômetro (instrumento ótico), que mede quanto os objetos refletem a luz (radiação) incidente. “Na medida que os materiais têm diferentes composições, sua resposta à incidência de radiação solar natural (ou equivalente artificial) é única”, esclarece. Segundo o docente, parte dessa resposta é possível ser acessada através do nossos olhos, no espectro visível, mas é na região do infravermelho do espectro, onde também operam esses equipamentos, que as feições são mais diagnósticas e permitem uma qualificação precisa dos materiais. O método sob patenteamento baseia-se também em uma biblioteca espectral, que corresponde a materiais de referência, e em uma série de programas computacionais pré-desenvolvidos que permitem processar e analisar os espectros. Falta agora elaborar um software mais sofisticado, que reúna as habilidades de cada programa individual em um único pacote. A ideia é criar um software capaz de processar todas as informações dos registros espectrais e passível de ser operado por um técnico comum, sem necessidade de conhecimentos profundos em Geologia, Física, Matemática e Computação. E esse é o diferencial do trabalho, a inovação, diz Carlos Roberto: “Ainda era um desafio conseguir qualificar

essas matérias-primas na fase extrativa e durante o processamento cerâmico de forma expedita e confiável. O que faltava era um método para isso, um processo prático. O software que pretendemos produzir como follow-up dessa iniciativa avançará ainda mais nessa direção. Por meio do mesmo será possível, para qualquer pessoa, caracterizar os diversos usos para cada argila interativamente nas minas ou em áreas de prospecção”. Com a nova técnica, um espectrorradiômetro seria utilizado na mina pelo gerenciador de lavra, responsável pelo planejamento de curto prazo, determinando o que deve ser extraído. O que hoje é realizado visualmente e com grande margem de erro, não levará mais que do que minutos com a utilização de um equipamento como esse e softwares acoplados, com a vantagem da grande precisão e operação em todas as etapas da lavra e sem a necessidade de qualquer preparação dos materiais sob análise. Embora o processo utilize por ora medidas pontuais, os pesquisadores pretendem adaptar, num futuro próximo, uma plataforma que permita que as medidas sejam feitas por um sensor imageador (equivalente a uma câmera fotográfica digital, mas com dezenas a centenas de canais espectrais). Desta forma, não haverá mais necessidade de medidas ponto-a-ponto. Esta tecnologia permitirá, em poucos segundos, visualizar interativamente a frente de lavra e determinar, simultaneamente e numa ampla área, que tipo de material existe a cada centímetro quadrado, por exemplo. “Além de softwares mais robustos e de fácil interação, pretendemos desenvolver ainda uma câmera imageadora especificamente voltada para aplicação na indústria cerâmica”, acrescenta o docente, sem esconder o entusiasmo. Este recurso permitirá que nas frentes de lavra e nas esteiras transportadoras da matéria-prima, ou mesmo na fase de processamento e/ou transformação, possa ser utilizado um equipamento adaptado à identificação de impurezas e/ou contaminantes prejudiciais ao processo. “Desta forma, partículas indesejáveis podem ser separadas através de um mecanismo apropriado acionado automaticamente pelo sistema. É o método levado aos processos industriais”, finaliza.


8

Nas n bas ca

Campinas, 5 a 11 de março de 2012

Avanços (e barreiras) do Comitê Paralímpico

Foto: Antonio Scarpinetti

Educadora �ísica resgata, em dissertação de mestrado, a trajetória de órgão criado em 1995 RAQUEL DO CARMO SANTOS kel@unicamp.br

A

história do CPB – Comitê Paralímpico (Paraolímpico, até 2011) Brasileiro – é resgatada pela educadora física Tatiane Jacusiel Miranda em sua dissertação de mestrado apresentada na Faculdade de Educação Física (FEF). Segundo Tatiane, o Comitê foi criado em 1995 e praticamente estruturou o desporto paralímpico no país, o que resultou em uma escalada de crescimento, evidenciado, principalmente, no desempenho alcançado nas competições internacionais. No final de 2011, por exemplo, nos Jogos Parapan-americanos em Guadalajara, a delegação brasileira conquistou 197 medalhas, ficando em primeiro lugar no quadro geral de medalhas. Resultados expressivos também foram obtidos nos Jogos Paralímpicos de Atenas (2004) e Pequim (2008), quando consolidou sua posição entre as dez melhores delegações do mundo. “O desporto paralímpico nacional vive um dos melhores momentos da sua história e, em parte, isto pode ser creditado às ações do Comitê. Ele possibilitou, entre outras coisas, alcançar um espaço considerável na mídia, melhorar o aporte de recursos para os atletas e investir na qualificação dos

Competição de rugby em cadeira de rodas na Unicamp, uma das modalidades promovidas pelo Comitê Paralímpico Brasileiro

profissionais da área. Por isso, quis resgatar os primeiros passos desta história enquanto é recente em nosso país”, destaca a autora do estudo, que contou com a orientação do professor Edison Duarte. Tatiane colheu depoimentos dos presidentes que passaram pelo CPB desde a sua criação até a atual gestão. São eles, João Batista Carvalho e Silva, Vital Severino Neto e Andrew George William Parsons. Ela conta que o Comitê nasceu de um movimento entre entidades nacionais, dirigentes do desporto para pessoas com deficiência, impulsionado pela solicitação oficial para a criação de representantes nacionais por parte do Comitê Paralímpico Internacional. Na época, a Secretaria de Desporto,

que era vinculada ao Ministério da Educação e Cultura (MEC), também participou desse movimento inicial que resultou na fundação da entidade. Atualmente, o CPB está sediado em Brasília e tem como missão principal o gerenciamento da dinâmica do esporte paralímpico nacional. “O Comitê é o responsável por enviar os atletas para os jogos continentais, mundiais e paralímpicos, além de coordenar os recursos destinados à categoria oriundos da lei Agnelo Piva e definir outras ações de interesse do desporto paralímpico nacional”, explica. Segundo Tatiane, ainda que o registro histórico e documental tenha sido feito a partir do ponto de vista dos dirigentes da instituição, é possível ter uma visão clara de quando e

como foram conduzidas as principais iniciativas do Comitê. Também relata as dificuldades e obstáculos vivenciados por cada um dos presidentes e a forma como eles conseguiram sanar os problemas enfrentados. No estudo, Tatiane analisa as iniciativas mais importantes de cada um dos mandatos. A gestão de João Batista, no período de 1999 a 2000, concentrou suas ações no campo da mídia e na consolidação administrativa do Comitê. Já Vital Severino, que exerceu mandato de 2000 a 2008, buscou a profissionalização da estrutura do CPB e ações de curto prazo que culminaram em melhor desempenho das delegações. Andrew Parsons assumiu em 2009 e permanece no cargo até 2013. Em sua gestão o presidente tem

investido em ações de longo prazo. “O depoimento dos presidentes serviu de fio condutor para se relatar os pontos importantes que levaram a resultados tão expressivos em um curto prazo. Com isso, o registro oferece diretrizes para reflexões sobre ações de fomento e desenvolvimento em esporte paralímpico”, define Tatiane, que pretende aproveitar o material em um livro a ser publicado oportunamente.

............................................................... ■ Publicação

Dissertação: “Comitê Paralímpico Brasileiro: 15 anos de história” Autor: Tatiane Jacusiel Miranda Orientador: Edison Duarte Unidade: Faculdade de Educação Física (FEF)

...............................................................

Modelo matemático planeja ações de atividade pesqueira Empresas de pequeno e médio porte que produzem pescado congelado para exportação podem realizar um planejamento anual com maior eficiência de suas atividades a partir de um modelo matemático desenvolvido pelo engenheiro Carlos Ruesta. O estudo de mestrado foi apresentado na Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC) e orientado pelos professores José Raimundo de Oliveira e Takaaki Ohishi. No trabalho, Ruesta descreve um modelo de planejamento que permite otimizar as atividades de exportação da indústria pesqueira com vistas a obter um melhor desempenho na produção e comercialização deste tipo de produto. Na indústria pesqueira existe um grau significativo de incerteza em relação ao abastecimento que é considerado aleatório, mas é possível prever o comportamento da pesca no curto e médio prazo. Além disso, os preços praticados variam de acordo com a região por questões de demanda do produto, sendo o pescado congelado um produto altamente perecível. Desta forma, o modelo proposto pelo engenheiro permite que o produtor possa direcionar a sua produção para o produto com melhor preço de mercado em determinada região, em cada momento durante o período de planejamento. “É sabido que o pescado deve

Foto: Divulgação

Foto: Antoninho Perri

Processamento de pescado: produto, que é altamente perecível, deve ser congelado ainda fresco

ser processado em estado fresco e congelado imediatamente. Por isso, as empresas precisam de ferramentas para tomar decisões rápidas sobre o tipo de corte e, consequetemente, os produtos mais rentáveis em determinado momento no mercado”, explica o autor do estudo. Como parte da pesquisa foi de-

senvolvido um protótipo de uma ferramenta ajustável para tomada de decisões baseada nos modelos propostos pelo engenheiro. Com a ferramenta é possível fazer o planejamento, aproveitando a previsão de matéria-prima num determinado período e o padrão de comportamento dos preços no mercado, obtendo melhores resulta-

O engenheiro Carlos Ruesta, autor do estudo: otimizando as atividades de exportação da indústria pesqueira

dos de lucro. A ferramenta facilita o registro de dados atualizados e reais das empresas, a configuração dos parâmetros dos modelos e a elaboração de planos e estratégias de negócio de cada empresa em particular. A proposta de Carlos Ruesta foi testada baseada em dados de uma empresa peruana de médio porte. Ele

lembra que o Peru é o segundo país em captura de peixe no mundo e, por isso, a variedade e quantidade naquele mercado são dinâmicas. Mas, nada impede que sua aplicação possa se estender a qualquer empresa em nível mundial porque o modelo resolve os problemas de forma generalizada e é adaptável a novas variáveis, conforme suas características e condições no mercado. Em princípio, o modelo foi implementado considerando uma empresa de médio porte, mas poderia ser aplicado também em pequenas e grandes. Outro diferencial do modelo proposto pelo engenheiro é a possibilidade de, a partir dos dados sobre mercado, também se realizar o planejamento operacional, ou seja, qual é a melhor forma de se produzir no dia a dia o produto determinado. Permite planejar o aproveitamento de recursos, minimizando os custos de produção e aprimorando ainda mais o desempenho da empresa. (R.C.S.)

.............................................................. ■ Publicação

Dissertação: “Um modelo de otimização para o planejamento da produção de uma indústria pesqueira” Autor: Carlos Ruesta Orientador: José Raimundo de Oliveira Coorientador: Takaaki Ohishi Unidade: Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC) Financiamento: Capes

..............................................................


Vida Teses da semana Painel da semana Teses da semana Livro da semana Destaques do Portal da Unicamp

aa c dêi ma c Teses

Janeiro Dia 6  Instituto de Estudos da Linguagem - “A língua Krenak: fonologia, morfossintaxe e análise preliminar de contos botocudo (manizer, 1915)” (doutorado). Candidata: Katia Nepomuceno Pessoa. Orientadora: professora Lucy Seki. Dia 6 de janeiro, às 9h30, na sala de defesa de teses do IEL. Dia 13  Instituto de Estudos da Linguagem - “Repetições hesitativas em fala afásica e não-afásica” (doutorado). Candidata: Janaisa Martins Viscardi. Orientador: professor Edwiges Maria Morato. Dia 13 de janeiro, às 9 horas, na sala de defesa de teses do IEL. Dia 19  Faculdade de Engenharia Química - “Modelagem de equilíbrio líquido-líquido, líquido-vapor, líquidolíquido-vapor para sistemas binários, ternários, quaternários e pseudo-quaternários, envolvendo a produção de biodiesel” (mestrado). Candidata: Larissa Peixoto Cunico. Orientador: professor Reginaldo Guirardello. Dia 19 de janeiro, às 14 horas, na sala de defesa de teses da FEQ. Dia 20  Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação - “Recuperação de informações tridimensionais a partir de múltiplas imagens” (mestrado). Candidato: Marcelo Marques Gomes. Orientador: professor Clésio Luis Tozzi. Dia 20 de janeiro, às 14 horas, na sala PE-11/CPG-FEEC.  Instituto de Artes - “Fotografia melódica: caixa preta e cálculo intervalar” (doutorado). Candidato: Guilherme Antônio Celso Ferreira. Orientador: professor Silvio Ferraz. Dia 20 de janeiro, às 9 horas, no IA.  Instituto de Física Gleb Wataghin - “Interação laser-ruído em fibras ópticas no regime pulsado e seu uso na construção de mapas de dispersão de alta ordem” (mestrado). Candidato: Juan Andrés Castañeda Tutestar. Orientador: professor Hugo Luis Fragnito. Dia 20 de janeiro de 2012, às 14 horas, na sala de seminários (224) do DEQ do IFGW.  Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - “Reconstrução e classificação de estruturas espaciais via otimização contínua: ênfase em proteínas” (doutorado). Candidato: Rodrigo Silva Lima. Orientador: professor José Mario Martínez Pérez. Dia 20 de janeiro, às 10 horas, na sala 253 do Imecc. Dia 23  Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação - “Aperfeiçoamento da ferramenta MATVOX: um aplicativo para pessoas com deficiência visual que proporciona a implementação de algoritmos e cálculos matemáticos em um editor de texto” (mestrado). Candidato: Henrique da Mota Silveira. Orientador: professor Luiz César Martini. Dia 23 de janeiro, às 10 horas, no auditório da CPG/IA. n Faculdade de Engenharia Mecânica - - “Avaliação da tixoconformabilidade de ligas Al-Xwt%Si-5wt%Zn” (mestrado). Candidato: Gustavo Peres. Orientador: professor Eugênio José Zoqui. Dia 23 de janeiro, às 9 horas, no auditório DEF (HE-3).  Instituto de Biologia - “Avaliação da sustentabilidade ecológica de matas ciliares em processo de restauração” (doutorado). Candidata: Letícia Couto Garcia. Orientador: professor Ricardo Ribeiro Rodrigues. Dia 23 de janeiro, às 9 horas, na sala de defesa de tese da pós-graduação do IB.  Instituto de Estudos da Linguagem - “Efeitos do treinamento e da prática vocal profissional sobre o canto e a fala” (doutorado). Candidato: Antônio Carlos Silvano Pessotti. Orientadora: professora Eleonora Cavalcante Albano. Dia 23 de janeiro, às 14 horas, na sala de defesa de teses do IEL. Dia 24  Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação - “Indução de programas genéticos lineares para modelagem de processos de manipulação de informação” (mestrado). Candidato: Gabriel Ambrósio Archanjo. Orientador: professor Fernando José Von Zuben. Dia 24 de janeiro, às 14 horas, na sala de defesa de teses da FEEC.  Instituto de Física Gleb Wataghin - “Estudo da porosidade em nanomateriais preparados pelo método do arco elétrico através de SAXS, XRD e microscopia eletrônica” (mestrado). Candidato: Juan Manuel Restrepo Arteta. Orientador: professor Carlos Alberto Luengo. Dia 24 de janeiro, às 10 horas, na sala do Grupo Combustíveis Alternativos do IFGW. Dia 25  Faculdade de Educação Física - “A influência de palmares e parachute na coordenação dos nados” (mestrado). Candidato: Thiago Telles. Orientador: professor Orival Andries Junior. Dia 25 de janeiro, às 13 horas, no auditório da FEF.  Faculdade de Engenharia Mecânica - “Método de previsão de demanda na tomada de decisão” (mestrado). Candidato: Henrique Cury Casula. Orientador: professor Antonio Batocchio. Dia 25 de janeiro, às 10 horas, no auditório DEF da FEM. - “Aplicação do QFD no desenvolvimento da injeção eletrônica e controle dos parâmetros de processo” (mestrado profissional). Candidato: Alexandre de Stefano. Orientador: professor Oswaldo Luiz Agostinho. Dia 25 de janeiro, às 10 horas, no auditório DEF/FEM. Dia 26  Instituto de Biologia - “Sistema antioxidante de Trypanosoma cruzi: expressão protéica nas diferentes formas, ao longo da curva de proliferação e o seu envolvimento na bioenergética mitocondrial” (dou-

Campinas, 5 a 11 de março de 2012 torado). Candidato: Eduardo de Figueiredo Peloso. Orientadora: professora Fernanda Ramos Gadelha. Dia 26 de janeiro, às 8h30, na sala de defesa de teses da Pós-graduação do IB.  Instituto de Geociências - “Dinâmica urbana no município de Itabuna (BA): o mercado imobiliário e as políticas urbanas (1990 – 2010)” (mestrado). Candidata: Kaliana Guimarães Rodrigues. Orientadora: professora Claudete de Castro Silva Vitte. Dia 26 de janeiro, às 14 horas, no auditório do IG. Dia 27  Faculdade Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo - “Desenvolvimento de modelo numérico hidrodinâmico da baía e estuário santista” (mestrado). Candidata: Camila Maria Mateus Alves de Souza. Orientador: professor Tiago Zenker Gireli. Dia 27 de janeiro, às 9h30, na sala CA22 da FEC.  Faculdade de Engenharia Química - “Simulação de reações de craqueamento catalítico e térmico em um Riser industrial” (mestrado). Candidata: Ariane Corrêa Barbosa. Orientador: professor Milton Mori. Dia 27 de janeiro, às 14 horas, na sala de defesa de teses da FEQ. - “Estudo computacional da dinâmica do escoamento reativo em Risers industriais de FCC” (doutorado). Candidata: Gabriela Cantarelli Lopes. Orientador: professor José Roberto Nunhez. Dia 27 de janeiro, às 10 horas, na FEQ.  Faculdade de Odontologia de Piracicaba - “Atenção à saúde indígena no município de São Paulo” (mestrado profissional). Candidata: Carla Cisotto. Orientadora: professora Elaine Silva Tagliaferro. Dia 27 de janeiro, às 14 horas, no anfiteatro 1 da FOP.  Instituto de Geociências - “Uma discussão sobre a filogênese Kant-Goethe-Schopenhauer na constituição do conceito forma-paisagem e o seu impacto na geografia humboldtiana” (mestrado). Candidato: Josevan Dutra dos Santos. Orientador: professor Antonio Carlos Vitte. Dia 27 de janeiro, às 14 horas, no auditório do IG. Dia 30  Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação - “Documentação e teste aplicados a um software de simulação eletromagnética” (mestrado). Candidata: Daniela dos Santos Santana. Orientador: professor Hugo Enrique Hernández Figuerôa. Dia 30 de janeiro, às 14 horas, na FEEC.  Faculdade de Odontologia de Piracicaba - “Análise eletromiográfica e da força do músculo masseter em indivíduos com distintos padrões craniométricos” (mestrado). Candidato: Danilo Dressano. Orientador: professor Fausto Berzin. Dia 30 de janeiro, às 9 horas, no anfiteatro 1 da FOP. - “Preenchimento e selamento apical da obturação com cones de guta-percha de diferentes conicidades com ou sem batente apical” (mestrado). Candidata: Karine Schell de Moraes Nicastro. Orientador: professor José Flávio Affonso de Almeida. Dia 30 de janeiro, às 8h30, na sala da congregação da FOP.  Instituto de Economia - “As relações de trabalho no combate à pobreza no Quênia” (mestrado). Candidato: Joseph Joe Macharia. Orientador: professor Alexandre Gori Maia. Dia 30 de janeiro, às 15 horas, na sala 23 do IE. Dia 31  Faculdade Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo - “A conservação de corredores fluviais e suas microbacias hidrográficas garantem a disponibilidade de serviços ecossistêmicos?” (mestrado). Candidata: Vivian Cristina dos Santos Hackbart. Orientadora: professora Rozely Ferreira dos Santos. Dia 31 de janeiro, às 14 horas, na sala de defesa de teses da FEC.  Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação - “Contribuições para pós-processamento da transformada Wavelet na codificação ROI e SPIHT com aplicação na transmissão de imagens” (doutorado). Candidato: Roger Fredy Larico Chavez. Orientador: professor Yuzo Iano. Dia 31 de janeiro, às 9 horas, na sala de defesa de teses da FEEC. - “Projeto e implementação de câmara GTEM - Giga Hertz Transverse Electromagnetic para testes de compatibilidade eletromagnética de circuitos e sistemas eletrônicos” (doutorado). Candidato: Humberto Xavier de Araújo. Orientador: professor Luiz Carlos Kretly. Dia 31 de janeiro, às 9 horas, no PE 37/FEEC.  Faculdade de Engenharia Mecânica - “Modelagem analítica e numérica da solidificação de ligas binárias: análise de fatores de influência” (doutorado). Candidata: Elisangela dos Santos Meza. Orientador: professor Amauri Garcia. Dia 31 de janeiro, às 9h30, no auditório ID-2 da FEM.  Faculdade de Odontologia de Piracicaba - “Avaliação da disfunção orofacial, performance mastigatória, oclusão e morfologia craniofacial em crianças e adolescentes” (mestrado). Candidata: Maria Carolina Salomé Marquezin. Orientadora: professora Paula Midori Castelo Ferrua. Dia 31 de janeiro, às 9 horas, na sala da congregação da FOP.  Instituto de Física Gleb Wataghin - “Estudo da produção de estranheza em colisões próton-próton a energias de 7TeV medidas pelo ALICE no LHC” (doutorado). Candidato: David Dobrigkeit Chinellato. Orientador: professor Jun Takahashi. Dia 31 de janeiro, às 14 horas, no auditório do DRCC do IFGW.  Instituto de Geociências - “O processo de urbanização no Sul da Bahia (1970 - 2010): o município de Canavieiras na rede urbana regional” (mestrado). Candidata: Neylana Sousa Brito Magalhães. Orientadora: professora Adriana Maria Bernardes da Silva. Dia 31 de janeiro, às 14 horas, no DGRN, sala A, do IG. - “Zoneamento ambiental do município de Ilhéus (BA): proposta de ordenamento do uso e ocupação da terra” (mestrado). Candidata: Itatiana Cláudia Barbosa Araújo. Orientadora: professora Regina Célia de Oliveira. Dia 31 de janeiro, às 14 horas, no auditório do IG. - “O legado do cacau: a refuncionalização e os novos usos sociais do patrimônio histórico cultural e arquitetônico da cidade de Ilhéus/BA” (mestrado). Candidata: Isis Penna Lima. Orientadora: Maria Tereza Duarte Paes. Dia 31 de janeiro, às 9 horas, no auditório do IG. - “Avaliação do potencial geotérmico da bacia sedimentar de Taubaté” (mestrado). Candidato: Mário Nascimento Souza Filho. Orientadora: professora Sueli Yoshinaga Pereira. Dia 31 de janeiro, às 9 horas, na sala A do IG. Fevereiro Dia 1  Faculdade de Engenharia Mecânica – “Análise da evolução microestrutural e da formação de macrossegregação e microporosidade na solidificação unidirecional transitória de ligas ternárias Al-Cu-Si” (doutorado). Candidato: Daniel Joaquim da Conceição Moutinho. Orientador: professor Amauri Garcia. Dia 1 de fevereiro, às 9h30, na sala de seminários do bloco ID-2 da FEM. Dia 2  Faculdade de Educação Física- “Composição corporal e somatotipo em pessoas com Síndrome de Down” (mestrado). Candidato: Fabio Bertapelli. Orientador: professor José Irineu Gorla. Dia 2 de fevereiro, às 9 horas, no auditório da FEF. - “Crescimento da pessoa com Síndrome de Down: contribuição para a construção de um referencial” (mestrado). Candidata: Fabia Freire da Silva. Orientador: professor José Irineu Gorla. Dia 2 de fevereiro, às 14 horas, no auditório da FEF.

 Faculdade de Engenharia Mecânica - “Análise da influência das condições de corte sobre o fresamento em acabamento de aços endurecidos usando altas velocidades” (mestrado). Candidato: Marcelo Mendes de Aguiar. Orientador: professor Anselmo Eduardo Diniz. Dia 2 de fevereiro, às 10 horas, no auditório DEF (HE-3) da FEM. - “Seleção de projetos do mecanismo de desenvolvimento limpo: modelo baseado em Latisse Binomial e Teoria do Portfólio” (mestrado). Candidata: Nátalia Addas Porto. Orientador: professor Paulo de Barros Correia. Dia 2 de fevereiro, às 14 horas, no seminário ID2 da FEM.  Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - “Um estudo das cônicas na perspectiva da geometria projetiva” (mestrado profissional). Candidato: José Galhardo Leite de Moraes. Orientadora: professora Claudina Izepe Rodrigues. Dia 2 de fevereiro, às 10 horas, na sala 253 do Imecc.  Instituto de Física Gleb Wataghin - “O campo magnético da Via Láctea e a composição química dos raios cósmicos detectados no observatório Pierre Auger” (doutorado). Candidato: Daniel Pakk Selmi-Dei. Orientadora: professora Carola Dobrigkeit Chinellato. Dia 2 de fevereiro, às 14 horas, no auditório DRCC/ IFGW - Méson PI. Dia 3  Faculdade de Educação Física - “Avaliações autonômicas e cardiovasculares em pessoas com lesão da medula espinhal nas situações de repouso, em um teste de estresse mental e durante exercício físico” (doutorado). Candidato: Lucinar Jupir Forner Flores. Orientador: professor José Irineu Gorla. Dia 3 de fevereiro, às 10 horas, na sala de aula 5 da FEF.  Faculdade de Odontologia de Piracicaba - “Análise mecânica e fotoelástica de sistemas de fixação interna estável utilizados para o tratamento de fraturas subcondilares da mandíbula” (doutorado). Candidato: Adriano Freitas de Assis. Orientador: professor Marcio de Moraes. Dia 3 de fevereiro, às 9 horas, na sala da congregação. “Análise fotoelástica das tensões induzidas em prótese total inferior reembasada com materiais permanentes resiliente e rígido” (mestrado). Candidata: Izabella Patta Pereira. Orientador: professor Rafael Leonardo Xediek Consani. Dia 3 de fevereiro de 2012, às 14 horas, no anfiteatro 01.  Instituto de Artes - “Pra tudo se acabar na quartafeira”: aproximações, diálogos e estranhamentos entre carnaval e teatro nas performances da Comissão de Frente” (doutorado). Candidata: Yaskara Donizeti Manzini. Orientador: professor Cassiano Sydow Quilici. Dia 3 de fevereiro, às 14 horas, no prédio do PPGA, sala 03.  Faculdade de Engenharia Mecânica - “Análise termodinâmica de ciclo combinado operando fora das condições de projeto” (doutorado). Candidato: Flávio Fernando Guarinelo Junior. Orientador: professor Jorge Isaias Llagostera Beltran. Dia 3 de fevereiro, às 10h, no ID2 - seminário. Dia 6  Faculdade de Engenharia de Alimentos - “Proteínas do soro de leite e sua suplementação com L-Leucina: influência, nos parâmetros bioquímicos moleculares e composição corporal, de ratos Wistar exercitados” (doutorado). Candidato: Pablo Christiano Barboza Lollo. Orientador: professor Jaime Amaya Farfan. Dia 6 de fevereiro, às 14 horas, no salão nobre da FEA.  Faculdade de Engenharia Mecânica - “Estudo experimental de um resfriador evaporativo ciclônico” (mestrado). Candidato: Ricardo Boulos Elias. Orientadora: professora Araí Augusta Bernárdez Pécora. Dia 6 de fevereiro, às 10 horas, no auditório DETF (GE211) da FEM.  Faculdade de Engenharia Química - “Estudo da decomposição térmica de compostos graxos através da calorimetria exploratória diferencial” (mestrado). Candidato: Flávio Cardoso de Matos. Orientadora: professora Maria Alvina Krähenbühl. Dia 6 de fevereiro de 2012, às 9 horas, na sala de defesa de teses - Bloco “D”.  Instituto de Biologia - “Utilização de sílica mesoporosa como adjuvante em vacinas de vesícula de membrana externa de Neisseria meningitidis” (mestrado). Candidato: Danilo Antonini Alves. Orientador: professor Marcelo Lancellotti. Dia 6 de fevereiro, às 9 horas, na sala IB-11, prédio da CPG-IB, bloco O.  Faculdade de Ciências Médicas - “Educação em saúde na adesão ao tratamento e na qualidade de vida em portadores de insuficiência cardíaca” (doutorado). Candidata: Izabel Cristina Ribeiro da Silva Saccomann. Orientador: professora Fernanda Aparecida Cintra. Dia 6 de fevereiro, às 10h, no anfiteatro do Depto de Enfermagem.  Instituto de Economia - “Evolução das finanças municipais: o caso da cidade de São Paulo - 1995-2010” (mestrado). Candidato: Rogério Ceron de Oliveira. Orientador: Professor Francisco Luiz Cazeiro Lopreato. Dia 6 de fevereiro, às 11 horas, na sala IE-23 do pavilhão da Pós-graduação. Dia 7  Faculdade de Engenharia Química - “Recobrimento gastrorresistente de pellets de diclofenaco de sódio em leito fluidizado tipo Wurster” (mestrado). Candidata: Roberta Albanez. Orientador: professor Osvaldir Pereira Taranto. Dia 7 de fevereiro, às 9 horas, na sala de defesa de teses da FEQ. - “Caracterização de poliuretano à base de a çaí formulado para construção de dispositivos biomédicos” (mestrado). Candidata: Lais Pellizzer Gabriel. Orientador: professor Rubens Maciel Filho. Dia 7 de fevereiro, às 9 horas, na sala de aula PG05.  Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação - “Uma arquitetura híbrida aplicada em problemas de aprendizagem por reforço” (mestrado). Candidato: Rodrigo Lopes Setti de Arruda. Orientador: professor Fernando José Von Zuben. Dia 7 de fevereiro, às 14 horas, na sala de defesa de tese da FEEC.  Faculdade de Odontologia de Piracicaba - “Avaliação do selamento apical de dentes humanos preparados com sistema rotatório mtwo® e ampliação foraminal” (doutorado). Candidata: Estela Marta Doffo de Winicour. Orientadora: professora Adriana de Jesus Soares. Dia 7 de fevereiro, às 9 horas, no anfiteatro 01.  Instituto de Economia - “O financiamento e o gasto social do Estado de São Paulo em contexto de descentralização e ajuste fiscal: educação básica, saúde, habitação e transporte público urbano (1997-2009)” (mestrado). Candidata: Manuela Santos Nunes do Carmo. Orientador: professor Francisco Luiz Cazeiro Lopreato. Dia 7 de fevereiro, às 15 horas, na sala 23. Dia 8  Instituto de Computação - “Problemas de comparação de genomas” (doutorado). Candidato: Ulisses Martins Dias. Orientador: professor Zanoni Dias. Dia 8 de fevereiro, às 14 horas, na sala 85 - IC 02. Instituto de Estudos da Linguagem - “Plurilinguismo em ambientes virtuais de aprendizagem: potencialidades, entraves, desdobramentos, perspectivas” (doutorado). Candidata: Regina Celia da Silva. Orientadora: professora Terezinha de Jesus Machado Maher. Dia 8 de fevereiro de 2012, às 9 horas, na sala de defesa de teses do IEL. Dia 9  Faculdade de Engenharia de Alimentos - “Efeito

da enzima transglutaminase na digestibilidade e antigenicidade da B-lactoglobulina” (mestrado). Candidata: Milena Morandi Vuolo. Orientadora: professora Flavia Maria Netto. Dia 2 de fevereiro, às 9 horas, no anfiteatro do Depan/FEA.  Faculdade de Engenharia Química - “Desenvolvimento de membranas lamelares e porosas de Xantana e Quitosana para aplicação no tratamento de lesões de pele” (doutorado). Candidata: Márcia Zilioli Bellini. Orientadora: professora Ângela Maria Moraes. Dia 9 de fevereiro, às 9 horas, na sala de defesa de teses da FEQ. - “Otimização do pré-tratamento com peróxido de hidrogênio alcalino a alta concentração de sólidos para a hidrólise enzimática de bagaço de cana-de-açúcar.” (mestrado). Candidata: Christiane Curiel dos Santos. Orientadora: professora Aline Carvalho da Costa. Dia 9 de fevereiro, às 14 horas, na sala de defesa de teses da FEQ.  Instituto de Economia - “Financiamento da cadeia de grãos no Brasil: o papel das tradings e fornecedores de insumos” (mestrado). Candidato: Felipe Prince Silva. Orientador: professor Pedro Ramos. Dia 9 de fevereiro, às 9 horas, na sala IE-23 do Pavilhão da Pós-graduação. Dia 10  Faculdade de Educação Física - “Análise da função pulmonar e mobilidade toracoabdominal em sujeitos tetraplégicos praticantes de rúgbi em cadeira de rodas” (mestrado). Candidata: Juliana Viana Paris. Orientador: professor Ricardo Machado Leite de Barros. Dia 10 de fevereiro, às 9 horas, no auditório da FEF. - “Educação Física e as relações de gênero: risco, confiança, organização e sociabilidades em diferentes conteúdos” (mestrado). Candidata: Liane Aparecida Roveran Uchoga. Orientadora: professora Helena Altmann. Dia 10 de fevereiro, às 14 horas, no auditório da FEF.  Faculdade de Engenharia de Alimentos - “Modelagem sistêmica do ciclo de vida do Aguapé no Pantanal e análise do uso desta biomassa para a produção de bio-óleo e biofertilizante” (mestrado). Candidata: Luz Selene Buller. Orientador: professor Enrique Ortega Rodriguez. Dia 10 de fevereiro, às 14 horas, na FEA Faculdade de Odontologia de Piracicaba - “Avaliação in vitro da limpeza mecânica e uso do microscópio operatório na resistência adesiva intrarradicular” (doutorado). Candidato: Ricardo Ferreira. Orientador: professor Alexandre Augusto Zaia. Dia 10 de fevereiro, às 8h30, no anfiteatro 04 da FOP. - “Avaliação das tensões e do destorque de parafusos: influência do desajuste marginal e dos tipos de metais em infraestruturas protéticas retidas por implantes” (doutorado). Candidata: Vanessa Silva Tramontino Mesquita. Orientador: professor Guilherme Elias Pessanha Henriques. Dia 10 de fevereiro, às 8h30, no anfiteatro 02 da FOP. - “Influência da alteração da dimensão vertical de oclusão na postura da cabeça e da coluna cervical, em voluntários edêntulos portadores de disfunção temporomandibular, tratados com aparelhos oclusais planos” (mestrado). Candidato: João Paulo dos Santos Fernandes. Orientador: professor Wilkens Aurelio Buarque e Silva. Dia 10 de fevereiro, às 9 horas, no anfiteatro 01 da FOP.  Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - “Contribuições ao estudo do modelo de resposta nominal” (mestrado). Candidata: Sheila Regina dos Santos Pereira. Orientador: professor Caio Lucidius Naberezny Azevedo. Dia 10 de fevereiro, às 14 horas, na sala 253 do Imecc.  Faculdade de Ciências Médicas - “Avaliação in vitro do efeito-dose resposta da nanoemulsão do extrato etanólico de Lychnophora pinaster sobre células planctônicas e biofilme de Streptococcus mutans e sobre a desmineralização do esmalte dental ao redor de braquetes ortodônticos.” (doutorado). Candidata: Vanessa Salvadego de Queiroz. Orientadora: professora Angélica Zaninelli Schreiber. Dia 10 de fevereiro, às 9 horas, no anfiteatro da Comissão de Pós-graduação da FCM. - “Aspectos histológicos e imunohistoquímicos de mamas radiológicamente densas em pacientes com câncer de mama. Tipo: M” (mestrado). Candidata: Priscila Silva Marshall. Orientador: professor César Cabello dos Santos. Dia 10 de fevereiro, às 14 horas, no anfiteatro do Departamento de Farmacologia da FCM. - “Elementos para uma política de avaliação das ações de saúde mental na atenção primária no SUS - contribuições de uma pesquisa qualitativa avaliativa” (mestrado). Candidata: Karime da Fonseca Porto. Orientadora: professora Rosana Teresa Onocko Campos. Dia 10 de fevereiro, às 14 horas, na sala verde do prédio da Pós-graduação da FCM. - “Diferentes padrões de infiltrado celular e produção de citocinas distinguem formas clínicas da paracoccidioidomicose” (mestrado). Candidata: Rosiane Maria da Silva. Orientadora: professora Maria Heloísa de Souza Lima Blotta. Dia 10 de fevereiro, às 14 horas, no anfiteatro do Departamento de Farmacologia da FCM. - “Hipertrofia ventricular esquerda na hipertensão resistente: análise de aspectos eletrocardiográficos, vetorcardiográficos e ecocardiográficos” (doutorado). Candidato: Nelson Dinamarco Ludovico. Orientador: professor Heitor Moreno Junior. Dia 10 de fevereiro, às 14 horas, no anfiteatro da CPG/FCM.  Instituto de Economia - “Políticas de saúde, desenvolvimento tecnológico e medicamentos: lições do caso brasileiro” (mestrado). Candidata: Camila Lins Rodrigues. Orientador: professor Pedro Luiz Barros Silva. Dia 10 de fevereiro, às 10 horas, na sala IE-17 do Pavilhão da Pós-graduação do IE. - “O Banco do Sul, seus dilemas e os divergentes projetos de integração regional para a América do Sul” (mestrado). Candidata: Elia Elisa Mancini Cia. Orientador: professor André Martins Biancareli. Dia 10 de fevereiro, às 9h30, na sala IE-23 do Pavilhão da Pós-graduação do IE. Dia 13  Faculdade de Engenharia de Alimentos - “Estudos sobre as propriedades catalíticas da frutosiltransferase de Rhodotorula sp. livre e imobilizada em suporte inorgânico” (doutorado). Candidata: Elizama Aguiar de Oliveira. Orientador: professor Francisco Maugeri Filho. Dia 13 de fevereiro, às 14 horas, no salão nobre da FEA.  Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação - “CPTool: uma ferramenta para auxiliar o planejamento de capacidade de sistemas computacionais através de simulações” (mestrado). Candidato: Angelo Ferecini Neto. Orientador: professor José Raimundo de Oliveira. Dia 13 de fevereiro, às 10 horas, na FEEC.  Instituto de Artes - “Dando corpo à história” (doutorado). Candidata: Holly Elizabeth Cavrell. Orientadora: professora Cássia Navas Alves de Castro. Dia 13 de fevereiro, às 14h30, na Galeria de Arte.  Instituto de Biologia - “Análise do perfil metabólico e cardiovascular de ratos alimentados com dieta hiperlipídica por quatro semanas” (doutorado). Candidato: Danilo Roberto Xavier de Oliveira Crege. Orientadora: professora Dora Maria Grassi Kassisse. Dia 13 de fevereiro, às 9 horas, na sala defesa de teses do IB. Instituto de Geociências - “Sensoriamento remoto no ensino de Geografia: livros didáticos e práticas educativas para o ensino médio em Feira de Santana, BA” (mestrado). Candidato: Fábio Gonçalves da Silva. Orientador: professor Celso Dal Ré Carneiro. Dia 13 de fevereiro, às 14 horas, no auditório do IG.  Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - “Um sistema de equações parabólicas de reação-difusão modelando quimiotaxia” (mestrado).

9 Candidata: Andrea Genovese de Oliveira. Orientador: professor José Luiz Boldrini. Dia 13 de fevereiro, às 10 horas, na sala 253 do Imecc. - “Uma aplicação simulated annealing em problemas de corte de estoque” (mestrado). Candidato: Juliano da Silva de Souza. Orientador: professor Antonio Carlos Moretti. Dia 13 de fevereiro, às 10 horas, na sala 121 do Imecc.  Faculdade de Ciências Médicas - “O processo de institucionalização de um serviço de saúde mental em um município de pequeno porte: o caso de Paraisópolis/ MG” (mestrado). Candidato: Aidecivaldo Fernandes de Jesus. Orientadora: professora Solange L’Abbate. Dia 13 de fevereiro, às 14 horas, no anfiteatro da Comissão de Pós-graduação da FCM. - “Promover saúde educando, educar promovendo saúde: a integração da educação permanente e da saúde do trabalhador no sistema único de saúde do Brasil” (mestrado). Candidato: Eduardo Figueiredo de Moraes Rego. Orientador: professor Heleno Rodrigues Correa Filho. Dia 13 de fevereiro, às 14 horas, no auditório do Departamento de Saúde Coletiva da FCM. Dia 14  Faculdade de Engenharia Mecânica - “Usina fotovoltaica de 1MWp para suprimento de veículos elétricos: estimativa da frota atendida, logística de abastecimento e emissões de CO2 evitadas” (mestrado). Candidata: Karina Maretti Strangueto. Orientador: professor Ennio Peres da Silva. Dia 14 de fevereiro, às 14 horas, na FEM.  Faculdade de Engenharia Química - “Purificação de bromelina dos resíduos de Abacaxi (Ananas comosus L. Merril) por precipitação integrada a sistema bifásico aquoso (PEG/sulfato de amônio) não convencional” (mestrado). Candidato: Diego de Freitas Coelho. Orientador: professor Elias Basile Tambourgi. Dia 14 de fevereiro, às 10 horas, na sala de defesa de teses da FEQ, - “Desenvolvimento e caracterização de Nanofibras de Acetato de Celulose para liberação controlada de fármacos” (mestrado). Candidata: Silvia Vaz Guerra Nista. Orientadora: professora Lucia Helena Innocentini Mei. Dia 14 de fevereiro, às 10 horas, na sala de aula PG05 da FEQ.  Faculdade de Odontologia de Piracicaba - “Estudo in vitro da biomecânica de prótese fixa implantossuportada através da extensometria linear elétrica” (mestrado). Candidata: Livia Foster Ribeiro. Orientador: professor Wilkens Aurelio Buarque e Silva. Dia 14 de fevereiro, às 14 horas, no anfiteatro 03 da FOP.  Instituto de Biologia - “Expressão de genes envolvidos com a Lactatogênese, Lipogênese e Lipólise em tecido adiposo isolado de humanos eutróficos e obesos” (mestrado). Candidata: Larissa Yuri Ishizu. Orientadora: professora Dora Maria Grassi Kassisse. Dia 14 de fevereiro, às 9 horas, na sala de defesa da CPG-IB.  Instituto de Estudos da Linguagem - “O que há de materno na língua? Considerações sobre os sentidos de língua materna no processo de gramatização brasileira nos séculos XIX e XX” (mestrado). Candidato: José Edicarlos de Aquino. Orientadora: professora Carolina Maria Rodríguez Zuccolillo. Dia 14 de fevereiro, às 14 horas, na sala de defesa de teses do IEL.  Faculdade de Ciências Médicas - “Avaliação do perfil da adiponectina plasmática na hipertensão arterial resistente” (mestrado). Candidata: Ana Paula Cabral Faria. Orientador: professor Heitor Moreno Junior. Dia 14 de fevereiro, às 9 horas, no anfiteatro do Departamento de Farmacologia da FCM. - “A saúde mental na atenção básica sob a perspectiva de trabalhadores e usuários dos serviços: um estudo hermenêutico-narrativo sobre os processos de acolhimento, vínculo e responsabilização” (doutorado). Candidata: Ana Luiza Ferrer. Orientadora: professora Rosana Teresa Onocko Campos. Dia 14 de fevereiro, às 14 horas, na FCM. - “Os grupos na atenção básica à saúde: uma hermenêutica da prática clínica e da formação profissional” (doutorado). Candidata: Paula Giovana Furlan. Orientador: professor Gastão Wagner de Sousa Campos. Dia 14 de fevereiro, às 14 horas, no anfiteatro da CPG/FCM  Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo - “Governança na bacia hidrográfica do alto tietê: avaliação por critérios de investimentos” (mestrado). Candidato: Marcos Paulo Lallo Sartori. Orientador: professor Antônio Carlos Zuffo. Dia 14 de fevereiro, às 14 horas, no prédio de atividades didáticas da FEC. Dia 15  Faculdade de Odontologia de Piracicaba - “Influência das proteínas salivares e plasmáticas no desenvolvimento de biofilmes de candida albicans” (doutorado). Candidato: William Custodio. Orientadora: professora Altair Antoninha Del Bel Cury. Dia 15 de fevereiro, às 8h30, no anfiteatro 01 da FOP. - “Avaliação da união entre cerâmicas e cimentos resinosos com a utilização de diferentes protocolos adesivos” (mestrado). Candidata: Mayra de Mello Fabião. Orientador: professor Luis Roberto Marcondes Martins. Dia 15 de fevereiro, às 8h30, na sala da congregação da FOP. - “Associação entre condições de saúde bucal de idosos não institucionalizados, variáveis sociais e déficits funcionais” (mestrado). Candidata: Liliane Raquel Ribas Alça. Orientador: professor Marcelo de Castro Meneghim. Dia 15 de fevereiro, às 9 horas, no anfiteatro 3 da FOP. - “Avaliação da precisão de diferentes técnicas para obtenção de modelos de trabalho de próteses implantorretidas” (mestrado). Candidata: Mariana Agustinho Rodrigues. Orientador: professor Guilherme Elias Pessanha Henriques. Dia 15 de fevereiro, às 14 horas, no anfiteatro 4 da FOP.  Instituto de Biologia - “Expressão de enzimas envolvidas na produção de triacilglicerol em tecidos adiposo e hepático isolados de ratos normo e hiperlipidêmicos” (mestrado). Candidata: Marcela Palomo Pieroni Bellenzani. Orientadora: professora Dora Maria Grassi Kassisse. Dia 15 de fevereiro, às 9 horas, na sala de defesa da CPG do IB. - “Correlação entre metabolismo de nitrogênio, síntese de fenilpropanóides e produção de óxido nítrico Arabidopsis thaliana” (doutorado). Candidato: Plinio Rodrigues dos Santos Filho. Orientadora: professora Ione Salgado. Dia 15 de fevereiro, às 9 horas, na CPG/IB.  Instituto de Economia - “Desenvolvimento capitalista e realidade da produção agropecuária familiar na Amazônia Paraense” (doutorado). Candidato: José Antonio Herrera. Orientador: professor Pedro Ramos. Dia 15 de fevereiro, às 9 horas, no Pavilhão da Pósgraduação do IE.  Intituto de Estudos da Linguagem - “A recepção crítica de José de Alencar: a avaliação de seus romances e a representação de seus leitores” (mestrado). Candidata: Valeria Cristina Bezerra. Orientadora: professora Márcia Azevedo de Abreu. Dia 15 de fevereiro, às 14 horas, na sala de defesa de teses do IEL.  Instituto de Química - “Máquina de vetores de suporte aplicada a dados de espectroscopia NIR de combustíveis e lubrificantes para o desenvolvimento de modelos de regressão e classificação” (doutorado). Candidato: Julio Cesar Laurentino Alves. Orientador: professor Ronei Jesus Poppi. Dia 15 de fevereiro, às 14 horas, no IQ.  Faculdade de Ciências Médicas - “Avaliação do perfil da leptina plasmática na hipertensão arterial resistente” (mestrado). Candidata: Carolina de Hero Moraes. Orientador: professor Heitor Moreno Junior. Dia 15 de fevereiro, às 9 horas, no anfiteatro do Departamento de Farmacologia da FCM.


10

Campinas, 5 a 11 de março de 2012

- “A construção de práticas ampliadas e compartilhadas em saúde: apoio Paidéia e Formação” (doutorado). Candidata: Mariana Dorsa Figueiredo. Orientador: professor Gastão Wagner de Sousa Campos. Dia 15 de fevereiro, às 14 horas, no anfiteatro do Departamento de Saúde Coletiva da FCM. - “Estudo do polimofido 936T do gene Vegf em portadores de adenocarcinoma colorretal esporádico” (mestrado). Candidata: Laura Credidio. Orientador: professor Claudio Saddy Rodrigues Coy. Dia 15 de fevereiro, às 8 horas, no Gastrocentro.  Faculdade de Engenharia Mecânica - “Oportunidade e alternativas para a mudança da matriz energética peruana: o papel do gás natural” (doutorado). Candidato: Raul Gonzales Palomino. Orientadora: professora Silvia Azucena Nebra. Dia 15 de fevereiro, às 14 horas, na FEM. - “Localização e navegação de robô autônomo através de odometria e visão estereoscópica” (mestrado). Candidato: Jaime Armando Delgado Vargas. Orientador: professor Paulo Roberto Gardel Kurka. Dia 15 de fevereiro, às 9 horas, na FEM. Dia 16  Faculdade Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo - “Calibração de modelos matemáticos de curvas de retenção de água no solo” (mestrado). Candidato: Danilo Bossarino. Orientador: professor José Anderson do Nascimento Batista. Dia 16 de fevereiro, às 14 horas, na sala de defesa de teses da FEC. - “Avaliação da eficiência energética em sistemas de iluminação predial: estudo de casos em dois hipermercados na cidade de Campo Grande - MS” (mestrado). Candidato: Leonardo Bruno Santos Mangiapelo. Orientador: professor Alberto Luiz Francato. Dia 16 de fevereiro, às 14 horas, na sala de defesa de teses da FEC.  Faculdade de Educação Física - “O discurso em jogo: um estudo sobre as visões de mundo das teorias que embasam as abordagens pedagógicas no esporte” (doutorado). Candidata: Fernanda de Aragão e Ramirez. Orientador: professor Paulo Cesar Montagner. Dia 16 de fevereiro, às 14 horas, no auditório da FEF.  Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação - “Mapas auto-organizáveis aplicados em governo eletrônico” (mestrado). Candidato: Everton Luiz de Almeida Gago Júnior. Orientador: professor Leonardo de Souza Mendes. Dia 16 de fevereiro, às 14 horas, na sala PE 11 da FEEC.  Instituto de Estudos da Linguagem - “O sentido da palavra poesia nas ciências da linguagem” (doutorado). Candidato: Adilson Ventura da Silva. Orientador: professor Eduardo Roberto Junqueira Guimarães. Dia 16 de fevereiro, às 9 horas, na sala de defesa de teses do IEL.  Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - “Processos de ordem infinita estocasticamente perturbados” (doutorado). Candidato: Lucas Moreira. Orientadora: professora Nancy Lopes Garcia. Dia 16 de fevereiro, às 10 horas, na sala 253 do Imecc. - “Explorando longo período de interação entre sistema imunológico e HIV” (doutorado). Candidato: Angelo Miguel Malaquias. Orientador: professor Hyun Mo Yang. Dia 16 de fevereiro, às 14 horas, na sala 253 do Imecc.  Instituto de Química - “Determinação de Se, Cr e Cu em corantes alimentícios por GF AAS” (mestrado). Candidata: Emanueli do Nascimento da Silva. Orientadora: professora Solange Cadores. Dia 16 de fevereiro, às 14 horas, no miniauditório do IQ.  Faculdade de Odontologia de Piracicaba - “Influência do material de infraestrutura e do desajuste vertical de próteses parciais fixas implantossuportadas nas tensões transmitidas ao tecido ósseo peri-implantar e estruturas protéticas” (mestrado). Candidata: Ataís Bacchi. Orientador: professor Rafael Leonardo Xediek Consani. Dia 16 de fevereiro, às 9 horas, na sala da congregação da FOP. - “Potencial anticárie de meios para aplicação tópica profissional de fluoreto” (doutorado). Candidata: Renata Valvano Cerezetti. Orientadora: professora Lívia Maria Andaló Tenuta. Dia 16 de fevereiro, às 14 horas, no anfiteatro 1 da FOP.  Faculdade de Ciências Médicas - “Efeitos do veneno de rhinella schneideri sobre a junção neuromuscular” (doutorado). Candidato: Sandro Rostelato Ferreira. Orientadora: professora Léa Rodrigues Simioni. Dia 16 de fevereiro, às 10 horas, no anfiteatro do Departamento de Farmacologia da FCM. - “Estudo das repercussões do efeito do avental branco sobre a disfunção autonômica e órgãos-alvo na hipertensão arterial resistente” (doutorado). Candidata: Valéria Nasser Figueiredo. Orientador: professor Heitor Moreno Junior. Dia 16 de fevereiro, às 9 horas, no anfiteatro do Departamento de Farmacologia da FCM. - “Soro amilóide A (SAA) e adiponectina – caracterização no câncer de mama e relação com obesidade” (mestrado). Candidata: Aline Barros Santana. Orientadora: professora Sílvia de Barros Mazon. Dia 16 de fevereiro, às 13h30, no anfiteatro do Departamento de Clínica Médica da FCM.  Instituto de Biologia - “Avaliação da elastogênese em cultura de células obtidas de camundongos deficientes em Fibrilina-1. Estudo do efeito do Losartan” (mestrado). Candidato: Guilherme Gambogi Braga. Orientador: professor Claudio Chrysostomo Werneck. Dia 16 de fevereiro, às 9 horas, na Sala IB-11, prédio da CPG-IB.  Instituto de Economia - “Estruturas de governança na cadeia produtiva de cafés gourmet: o caso dos produtores da Alta Mogiana” (mestrado). Candidato: Allan Vieira de Castro Quadros. Orientador: professor Walter Belik. Dia 16 de fevereiro, às 10 horas, na sala IE-23 do Pavilhão da Pós-graduação do IE. - “Teoria da dependência? A problemática hoje” (doutorado). Candidato: Ricardo Luiz Chagas Amorim. Orientador: Marcio Pochmann. Dia 16 de fevereiro, às 14 horas, na sala IE-17 do Pavilhão da Pós-graduação do IE. Dia 17  Instituto de Economia - “O papel macroeconômico das famílias e a geração de fragilidade financeira” (mestrado). Candidato: Everton Sotto Tibiriçá Rosa. Orientadora: professora Simone Silva de Deos. Dia 17 de fevereiro, às 14 horas, na sala 23 do IE.  Faculdade de Odontologia de Piracicaba - “Biodisponibilidade de fluoreto a partir de dentifrício contendo carbonato de cálcio ou sílica como abrasivo” (mestrado). Candidata: Amanda Falcão da Silva. Orientadora: professora Lívia Maria Andaló Tenuta. Dia 17 de fevereiro, às 8h30, no anfiteatro 3 da FOP. - “Avaliação do potencial anti-inflamatório e antinociceptivo da geoprópolis de melipona scutellaris” (mestrado). Candidato: Marcelo Franchin. Orientador: professor Pedro Luiz Rosalen. Dia 17 de fevereiro, às 9 horas, na sala da congregação da FOP.  Faculdade de Ciências Médicas - “Correlação entre atrofia hipocampal e déficit de memória em pacientes com epliepsia de lobo temporal mesial” (mestrado). Candidata: Denise Pacagnella. Orientador: professor Fernando Cendes. Dia 17 de fevereiro, às 13h30, no anfiteatro da Comissão de Pós-graduação da FCM. - “Alterações do metabolismo oxidativo mitocondrial e neurodegeneração por metilmalonato” (doutorado). Candidata: Daniela Rodrigues de Melo. Orientador: professor Roger Frigério Castilho. Dia 17 de fevereiro, às 14 horas, no anfiteatro da Comissão de Pós-graduação da FCM. “Suicídio e ocupação: estudo descritivo no município de Campinas” (mestrado). Candidata: Marina Vallin Iorati. Orientador: professor Satoshi Kitamura. Dia 17 de fevereiro, às 14 horas, no anfiteatro do Departamento de Saúde Coletiva da FCM. - “Estudo da qualidade de vida e avaliação do estado

nutricional de doentes esofagectomizados por câncer” (doutorado). Candidata: Maricilda Regina Pereira. Orientador: professor Luiz Roberto Lopes. Dia 17 de fevereiro, às 14 horas, no anfiteatro da Comissão de Pós-graduação da FCM. - “Homossexualidade na adolescência: saúde mental, qualidade de vida, religiosidade e identidade psicossocial” (doutorado). Candidata: Daniela Barbetta Ghorayeb. Orientador: professor Paulo Dalgalarrondo. Dia 17 de fevereiro, às 9 horas, no anfiteatro do Departamento de Psiquiatria da FCM.  Instituto de Biologia - “Efeitos de complexos de rutênio com ligante nitrosilo em anéis de aorta com e sem endotélio isoladas de ratos” (mestrado). Candidata: Ana Gabriela Conceição Vertamatti. Orientadora: professora Dora Maria Grassi Kassisse. Dia 17 de fevereiro, às 9 horas, na sala de defesa de teses do IB. Dia 23  Faculdade de Engenharia de Alimentos - “Análise qualitativa e quantitativa de ácidos graxos de leite UHT de vaca adquiridos em supermercados da cidade de Campinas/SP” (mestrado). Candidata: Natalia Andrade Zancan. Orientador: professor Marcelo Alexandre Prado. Dia 23 de fevereiro, às 9 horas, no salão nobre da FEA.  Faculdade de Engenharia Mecânica - “Fragilização por hidrogênio no aço AISI 4340 temperado e revenido” (mestrado). Candidato: Ícaro Zanetti de Carvalho. Orientadora: professora Célia Maria de Alvarenga Freire. Dia 23 de fevereiro, às 14 horas, na FEM.  Instituto de Estudos da Linguagem - “Dinâmica temporal de pausas fluentes e hesitações na fala semi-espontânea” (doutorado). Candidata: Sandra Merlo. Orientador: professor Plínio Almeida Barbosa. Dia 23 de fevereiro, às 10 horas, na sala de defesa de teses do IEL.  Instituto de Química - “Simulações de dinâmica molecular do receptor ativador da proliferação de peroxissomos g com o agonista parcial GQ16” (mestrado). Candidata: Melina Mottin. Orientador: professor Munir Salomão Skaf. Dia 23 de fevereiro, às 14 horas, no miniauditório do IQ.  Faculdade de Odontologia de Piracicaba - “A disfunção temporomandibular e a sua relação com a atividade laboral” (mestrado). Candidato: Deibson Assis Ferreira. Orientador: professor Eduardo Daruge Junior. Dia 23 de fevereiro, às 9 horas, no anfiteatro 3 da FOP. - “Participação do sistema renina-angiotensina nos efeitos metabólicos e cardiovasculares induzidos por estresse crônico em ratos” (mestrado). Candidata: Andréa Sanches. Orientador: professora Tatiana de Souza Cunha. Dia 23 de fevereiro, às 14 horas, no anfiteatro 1 da FOP.  Instituto de Artes - “Os arranjos de Nailor Proveta para a Orquestra Jazz Sinfônica: recriação no choro na homenagem a Pixinguinha” (doutorado). Candidato: Bruno Mangueira. Orientador: professor Antônio Rafael Carvalho dos Santos. Dia 23 de fevereiro, às 14 horas, no Departamento de Música do IA. - “A prática do canto coral infantil como processo de musicalização” (mestrado). Candidata: Cleodiceles Branco Nogueira de Oliveira. Orientador: professor Carlos Fernando Fiorini. Dia 23 de fevereiro, às 14 horas, na sala 3 da Pós-graduação do IA.  Faculdade de Ciências Médicas - “Estudo da associação entre toxocaríase, asma e obesidade em crianças de um bairro do município de Campinas” (mestrado). Candidata: Paula Mayara Matos Fialho. Orientador: professor Carlos Roberto Silveira Corrêa. Dia 23 de fevereiro, às 9 horas, no anfiteatro do Departamento de Saúde Coletiva da FCM. - “Custo efetividade do rastreamento a infecção por Chlamydia Trachomatis em mulheres brasileiras” (mestrado). Candidata: Elisa Tomazzini Andrade. Orientador: professor Paulo César Giraldo. Dia 23 de fevereiro, às 9 horas, no anfiteatro da CPG/FCM. - “Óbitos entre pacientes com tuberculose no município de Campinas” (doutorado). Candidata: Nanci Michele Saita. Orientadora: professora Helenice Bosco de Oliveira. Dia 23 de fevereiro, às 14 horas, no Departamento de Saúde Coletiva da FCM. - “Implantação, padronização e monitorização de antigenemia para HHV-6 e HHV-7 em pacientes submetidos ao transplante de fígado” (doutorado). Candidata: Ana Maria Sampaio. Orientadora: professora Ilka de Fátima Santana Ferreira Boin. Dia 23 de fevereiro, às 13h30, no anfiteatro do Ciped.  Instituto de Biologia - “Estudos iniciais de interações da hsp90 através da caracterização funcional de um transgênico e biofísica de uma co-chaperona” (mestrado). Candidata: Danieli Cristina Gonçalves. Orientador: professor Carlos Henrique Inácio Ramos. Dia 23 de fevereiro, às 14 horas, na sala IB-11, prédio da CPG/IB. - “Expressão e caracterização de proteínas envolvidas na via da quinase da mTOR e na divisão celular bacteriana” (mestrado). Candidata: Maria Luiza Caldas Nogueira. Orientadora: professora Ana Carolina de Mattos Zeri. Dia 23 de fevereiro, às 9 horas, na sala IB-11, prédio da CPG/IB. Dia 24  Faculdade de Educação - “A experiência no Programa de Educação Tutorial (PET) e a formação o estudante do ensino superior” (mestrado). Candidata: Marina Mercante Balau Roque. Orientadora: professora Soely Aparecida Jorge Polydoro. Dia 24 de fevereiro de 2012, às 9 horas, na FE.  Faculdade de Educação Física - “Corpo, movimento e cultura: um estudo fotoetnográfico da imagem do arqueiro nos X e XI jogos dos povos indígenas” (mestrado). Candidata: Roberta Helena Vieira Tojal. Orientadora: professora Maria Beatriz Rocha Ferreira. Dia 24 de fevereiro, às 16 horas, no auditório da FEF. - “A dimensão prática na preparação profissional em Educação Física: concepção e organização acadêmica” (doutorado). Candidato: Alfredo Cesar Antunes. Orientador: professor João Batista Andreotti Gomes Tojal. Dia 24 de fevereiro, às 9 horas, no auditório da FEF.  Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação - “Contribuições ao estudo, projeto e aplicação de filtros híbridos de potência” (doutorado). Candidato: Newton da Silva. Orientador: professor José Antenor Pomilio. Dia 24 de fevereiro, às 9 horas, na FEEC. - “Segmentação e parcelamento do corpo caloso em imagens de tensor de difusão” (mestrado). Candidato: Pedro Ferro Freitas. Orientador: professor Roberto de Alencar Lotufo. Dia 24 de fevereiro, às 9h30, na sala de congregação da FEEC.  Faculdade de Engenharia Mecânica - “Estudo de vibração aplicado em bombas verticais centrífugas” (mestrado). Candidato: Cristiano Roque Siqueira. Orientador: professor Milton Dias Junior. Dia 24 de fevereiro, às 9 horas, na FEM. - “Controle ativo de vibrações em estruturas flexíveis com incertezas paramétricas” (mestrado). Candidato: Renan Moro Tápias. Orientador: professor Alberto Luiz Serpa. Dia 24 de fevereiro, às 10 horas, na FEM. - “Caracterização da Casca de Café (Coffea Arábica, L) in natura e de seus produtos obtidos pelo processo de pirólise” (mestrado). Candidato: João Paulo da Silva. Orientadora: professora Araí Augusta Bernardes Pécora. Dia 24 de fevereiro, às 14 horas, na FEM. - “Análise de desempenho de veículo com suspensão hidropneumática considerando a variabilidade dos parâmetros” (mestrado). Candidato: Alessandro Piveta. Orientador: professor Pablo Siqueira Meirelles. Dia 24 de fevereiro, às 14 horas, no DPM/FEM.  Faculdade de Odontologia de Piracicaba - “Análise da hipertrofia cardíaca induzida pela associação de ana-

bolizante a treinamento físico resistido de alta intensidade, em ratos” (doutorado). Candidato: Vander José das Neves. Orientadora: professora Fernanda Klein Marcondes. Dia 24 de fevereiro, às 14 horas, no anfiteatro 01 da FOP. - “Caracterização dos mecanismos antiangiogênicos de bisfosfonatos em linhagem celular derivada de câncer de mama” (mestrado). Candidata: Camilla Borges Ferreira Gomes. Orientadora: professora Karina Zecchin. Dia 24 de fevereiro, às 14 horas, na sala da congregação da FOP. - “Caracterização clínica-histológica e estudo de polimorfismos das respostas t-helper-1 e 2 (th1/2) nas doenças imunologicamente mediadas com manifestações bucais: líquen plano oral e reação liquenóide oral por amálgama dental” (doutorado). Candidata: Camila Maria Beder Ribeiro. Orientador: professor Jacks Jorge Junior. Dia 24 de fevereiro, às 13h30, na sala de seminários do Departamento de Anatomia da FOP. - “Efeito de técnicas de massoterapia na dtm miogênica. Estudo clínico randomizado placebo-controlado” (mestrado). Candidata: Marta Cristina da Silva Gama. Orientadora: professora Celia Marisa Rizzatti Barbosa. Dia 24 de fevereiro, às 9 horas, no anfiteatro 03 da FOP. “Eficácia anestésica das preparações lipossomais uni e multilamelar de articaína, em bloqueio dos nervos infraorbital, alveolar inferior e infiltração subcutânea em ferida cirúrgica em ratos” (mestrado). Candidata: Camila Batista da Silva. Orientadora: professora Maria Cristina Volpato. Dia 24 de fevereiro, às 9 horas, na sala de seminários do Departamento de Farmacologia da FOP. - “Estudo da periodontite crônica e da exposição de lps de p gingivalis a fibroblastos gengivais e queratinócitos, na modulação da expressão de genes reguladores de eventos epigenéticos” (mestrado). Candidata: Glaucia de Camargo Pereira. Orientador: professor Marcelo Rocha Marques. Dia 24 de fevereiro, às 9 horas, no anfiteatro 03 da FOP. - Estudo da carcinogênese do carcinoma ex-adenoma pleomorfo” (doutorado). Candidata: Fernanda Viviane Mariano. Orientador: professor Luiz Paulo Kowalski. Dia 24 de fevereiro, às 8h30, no anfiteatro 04 da FOP. “Avaliação das atividades antibacteriana, anticárie e antiinflamatória dos novos compostos isolados da própolis vermelha” (doutorado). Candidato: Bruno Bueno Silva. Orientador: professor Pedro Luiz Rosalen. Dia 24 de fevereiro, às 8h30, no anfiteatro 02 da FOP.  Instituto de Artes - “Yerma: a anti-heroína de VillaLobos e Garcia Lorca” (doutorado). Candidato: Nazir Bittar Filho. Orientador: professor Paulo Mugayar Kühl. Dia 24 de fevereiro, às 14 horas, na sala 3 da CPG/IA. “A música da minissérie brasileira no exemplo de Anos Rebeldes” (mestrado). Candidato: Andre Checchia Antonietti. Orientador: professor Claudiney Rodrigues Carrasco. Dia 24 de fevereiro, às 14 horas, na sala MU 41 - Departamento de Música.  Instituto de Economia - “Análise exploratória da eficiência produtiva das usinas de cana-de-açúcar na região Centro-Sul do Brasil com o método Análise Envoltória de Dados (DEA) - Índice de Malmquist” (mestrado). Candidata: Caroline Nascimento Pereira. Orientador: professor José Maria Ferreira Jardim da Silveira. Dia 24 de fevereiro, às 14 horas, na sala 20 do IE.  Instituto de Estudos da Linguagem - “O tratamento enunciativo da metáfora no estudo da designação do nome “português” na América Latina: um trabalho com política de línguas” (mestrado). Candidato: Gabriel Leopoldino dos Santos. Orientador: professor Eduardo Roberto Junqueira Guimarães. Dia 24 de fevereiro, às 9 horas, na sala de defesa de teses do IEL. - “O gesto na aquisição “desviante”: movimentos entre a produção e a percepção” (doutorado). Candidata: Maria Claudia Camargo de Freitas. Orientadora: professora Eleonora Cavalcante Albano. Dia 24 de fevereiro, às 8 horas, na sala de defesa de teses do IEL. - “O estatuto da palavra na estruturação do sujeito” (mestrado). Candidata: Rita de Cássia Segantini Bonança. Orientadora: professora Nina Virgínia de Araújo Leite. Dia 24 de fevereiro, às 14h30, no anfiteatro do IEL. - “Adoniran Barbosa: nem trabalho, nem malandragem” (mestrado). Candidato: Marcus Vinícius da Silva. Orientador: professor Mário Luiz Frungillo. Dia 24 de fevereiro, às 15 horas, na sala de defesa de teses do IEL.  Instituto de Filosofia e Ciências Humanas- “Fruticultura, emprego e migração: o caso da região de Petrolina-PE e Juazeiro -BA” (doutorado). Candidata: Monica Aparecida Tomé Pereira. Orientador: professor Roberto Luiz do Carmo. Dia 24 de fevereiro, às 14 horas, na sala da congregação do IFCH.  Instituto de Física Gleb Wataghin - “Sustentação de corrente utilizando campos magnéticos viajantes helicoidais” (mestrado). Candidato: Vinícius Njaim Duarte. Orientador: professor Munemasa Machida. Dia 28 de fevereiro, às 10 horas, na sala de seminários do Departamento de Eletrônica Quântica do IFGW.  Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - “As equações de Navier-Stokes em espaços de Morrey” (mestrado). Candidato: Bruno Ferreira Alves. Orientador: professor Lucas Catão de Freitas Ferreira. Dia 24 de fevereiro, às 10 horas, na sala 253 do Imecc. - “Modelos lineares e não lineares de efeitos mistos para respostas censuradas usando as distribuições normal e t-Student multivariadas” (mestrado). Candidata: Larissa Avila Matos. Orientador: professor Víctor Hugo Lachos Dávila. Dia 24 de fevereiro, às 14 horas, na sala 253 do Imecc.  Instituto de Química - “Sílica gel quimicamente modificada com Epicloridrina com e em ausência de solvente – estudo termodinâmico da interação com íons de Cu2+” (mestrado). Candidata: Irlene Maria Pereira e Silva. Orientador: professor Claudio Airoldi. Dia 24 de fevereiro, às 14 horas, na sala E-312 do IQ. -“Avaliação de um sistema FI-HG-MF-AAS e extração assistida por micro-onda na especiação de arsênio inorgânico” (mestrado). Candidato: Eraldo Luiz Lehmann. Orientador: professor Marco Aurélio Zezzi Arruda. Dia 24 de fevereiro, às 14 horas, no miniauditório do IQ. - “Estudos de estados estáveis e não-estáveis através da termodinâmica dos processos homogêneos em meios contínuos” (mestrado). Candidato: Caio César Ferreira Florindo. Orientador: professor Adalberto Bono Maurizio Sacchi Bassi. Dia 24 de fevereiro, às 14 horas, na sala IQ-14.  Faculdade de Ciências Médicas - “A experiência dos trabalhadores com a dor crônica” (mestrado). Candidata: Pollyanna Regina Pinto. Orientadora: professora Ana Maria Canesqui. Dia 24 de fevereiro, às 14h30, na CPG/FCM. - “Câncer infantil: descrição de casos atendidos em um serviço de referência do município de Campinas/SP” (doutorado). Candidata: Jane Kelly Oliveira Silva. Orientador: professor Djalma de Carvalho Moreira Filho. Dia 24 de fevereiro, às 14 horas, no auditório do HC. “Condições de vida e saúde de idosos residentes em Campinas/SP: estudo caso-controle com usuários de restaurante popular” (mestrado). Candidata: Bruna Fernanda do Nascimento Jacinto de Souza. Orientadora: professora Leticia Marín Léon. Dia 24 de fevereiro, às 14 horas, no auditório do Departamento de Saúde Coletiva da FCM. - “Direitos dos usuários em intenso sofrimento psíquico, na perspectiva dos usuários e gestores de CAPS” (mestrado). Candidato: Bruno Ferrari Emerich. Orientadora: professora Rosana Teresa Onocko Campos. Dia 24 de fevereiro, às 14 horas, no Anfiteatro da CPG/FCM. - “Contribuições no estabelecimento de estratégias laboratoriais em genética para a saúde pública no Brasil utilizando a síndrome de deleção 22q11. 2 como modelo. tipo: d” (doutorado). Candidato: Társis Antonio Paiva Vieira. Orientadora: professora Vera Lúcia Gil da Silva

Lopes. Dia 24 de fevereiro, às 9 horas, no Anfiteatro do Departamento de Farmacologia da FCM. - “Avaliação do escore tlics em trauma de coluna torácica e lombar” (mestrado). Candidato: Rodrigo Alves de Carvalho Cavalcante. Orientador: professor Yvens Barbosa Fernandes. Dia 24 de fevereiro, às 14 horas, no anfiteatro do Departamento de Neurologia da FCM. - “Clozapina no tratamento da agressividade patológica grave em crianças e adolescentes com transtorno de conduta ou com autismo” (doutorado). Candidato: Eduardo Henrique Teixeira. Orientador: professor Paulo Dalgalarrondo. Dia 24 de fevereiro, às 9 horas, no anfiteatro do Departamento de Psiquiatria da FCM.  Faculdade de Engenharia Química - “Modelagem cinética do processo de produção de etanol a partir de hidrolisado enzimático de bagaço de cana-de-açúcar concentrado com melaço considerando reciclo de células” (doutorado). Candidato: Rafael Ramos de Andrade. Orientadora: professora Aline Carvalho da Costa. Dia 24 de fevereiro, às 14 horas, na sala de defesa de teses da FEQ.  Instituto de Biologia - “Avaliação do perfil de aminoácidos fetal e materno e atividade placentária em camundongas NMRI portadoras do adenocarcinoma de colon (MAC16) suplementadas com dieta rica em leucina” (mestrado). Candidata: Laís Rosa Viana. Orientadora: professora Maria Cristina Cintra Gomes Marcondes. Dia 24 de fevereiro, às 14 horas, na sala da Congregação do IB. - “Atividade física e suplementação nutricional de leucina associadas ao crescimento tumoral: estudo do perfil hormonal de ratos implantados com carcinossarcoma de Walker 256” (mestrado). Candidata: Aline Tatiane Toneto Inocêncio. Orientadora: professora Maria Cristina Cintra Gomes Marcondes. Dia 24 de fevereiro, às 9 horas, na sala da Congregação do IB. Dia 27  Faculdade de Educação - “Modo de produzir – modo de trabalhar: Relações de produção trabalho no cinema da Boca do Lixo” (mestrado). Candidato: Ricardo Normanha Ribeiro de Almeida. Orientadora: professora Liliana Rolfsen Petrilli Segnini. Dia 27 de fevereiro, às 10 horas, na FE. - “Agora eu era o herói: retratos da historicidade de alunos do ensino fundamental” (mestrado). Candidato: Alexandre Tadeu de Andrade Dias da Silva. Orientadora: professora Ernesta Zamboni. Dia 27 de fevereiro, às 14 horas, na FE. - “Carlitos: história de vida e obra de Charles Chaplin” (mestrado). Candidata: Erika Lenk. Orientadora: professora Ana Angélica Medeiros Albano. Dia 27 de fevereiro, às 10 horas, na sala de defesa de teses da FE. - “De docência e militância: a formação de educadores étnicos num programa da Secretaria Municipal de Educação de Campinas – 2003 a 2007” (mestrado). Candidato: Wilson Queiroz. Orientadora: professora Corinta Maria Grisolia Geraldi. Dia 27 de fevereiro, às 14h30, na sala da Congregação da FE.  Faculdade de Educação Física - “Recreação, lazer e educação física na cidade de Campinas: um olhar acerca do parques e recantos infantis (1940 – 1960)” (mestrado). Candidato: Rafael Stein Pizani. Orientadora: professora Sílvia Cristina Franco Amaral. Dia 27 de fevereiro, às 9 horas, no auditório da FEF. - “Análise de biomarcadores sanguíneos em estímulos anaeróbios máximos no nado crawl” (doutorado). Candidato: Rafael Carvalho de Moraes. Orientador: professor Orival Andries Junior. Dia 27 de fevereiro, às 14 horas, no auditório da FEF.  Faculdade de Engenharia de Alimentos - “Análise emergética de um sistema agroflorestal: sítio Catavento, Indaiatuba, SP” (doutorado). Candidata: Teldes Corrêa Albuquerque. Orientador: professor Enrique Ortega Rodriguez. Dia 27 de fevereiro, às 8 horas, na FEA. Faculdade Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo - “Degradação de Abamectina por processos oxidativos avançados” (mestrado). Candidata: Izabela Major Barbosa. Orientador: professor José Roberto Guimarães. Dia 27 de fevereiro, às 14 horas, na FEC.  Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação - “Administração de nanotubos de carbono “multiwalled” in vivo ativa citotoxidade tumor-específica de linfócitos T CD8” (mestrado). Candidato: Adriel dos Santos Moraes. Orientador: professor Vitor Baranauskas. Dia 27 de fevereiro, às 9 horas, na CPG/FEEC.  Faculdade de Engenharia Mecânica - “Estudo numérico e experimental do armazenamento de energia por calor latente em um leito fixo” (doutorado). Candidato: Raykelison Igor dos Reis Moraes. Orientador: professor Kamal Abdel Radi Ismail. Dia 27 de fevereiro, às 9 horas, na FEM. - “Avaliação de diferentes ferramentas no torneamento da liga Inconel 713C” (mestrado). Candidato: Douglas Fellipe Therezani. Orientador: professor Amauri Hassui. Dia 27 de fevereiro, às 14 horas, na FEM. - “Simulação da dispersão dos poluentes atmosféricos para aplicação em análise de impacto” (doutorado). Candidata: Yara de Souza Tadano. Orientador: professor Ricardo Augusto Mazza. Dia 27 de fevereiro, às 14 horas, na sala de seminários da FEM. - “Proposta de uma plataforma de testes para o desenvolvimento de veículos autônomos” (mestrado). Candidato: Ruben Dario Hernandez Beleño. Orientador: professor Janito Vaqueiro Ferreira. Dia 27 de fevereiro, às 14h30, na FEM. - “Desenvolvimento de menisco personalizado de polivinilalcool (PVA) via prototipagem rápida (PR)” (doutorado). Candidato: Célio Hitoshi Wataya. Orientadora: professora Cecília Amélia de Carvalho Zavaglia. Dia 27 de fevereiro, às 9 horas, na FEM. - “Análise técnica e econômica do uso do Hidrogênio para armazenamento de energia proveniente de fonte eólica” (doutorado). Candidato: André Luis Furlan. Orientador: professor Ennio Peres da Silva. Dia 27 de fevereiro, às 9 horas, na FEM.  Faculdade de Engenharia Química - “Estudo do processo de proteção do Bicarbonato de sódio utilizando suspensão polimérica em leito vibrofluidizado” (doutorado). Candidata: Janaina Ferreira Nunes. Orientadora: professora Sandra Cristina dos Santos Rocha. Dia 27 de fevereiro, às 13h30, na sala de defesa de teses da FEQ. Faculdade de Odontologia de Piracicaba - “Avaliação da capacidade de dissolução do tecido pulpar bovino vital dentro do canal radicular pelo hipoclorito de sódio em função da concentração e do tempo de contacto: proposição de uma metodologia” (doutorado). Candidato: Antonio Batista. Orientador: professor Alexandre Augusto Zaia. Dia 27 de fevereiro, às 8h30, na sala de seminários da FOP. - “Os efeitos biomoduladores da fototerapia e do treinamento resistido no tecido muscular e ósseo de ratas ovariectomizadas” (doutorado). Candidato: Adalberto Vieira Corazza. Orientador: professor Paulo Henrique Ferreira Caria. Dia 27 de fevereiro, às 8h30, na sala de seminários da FOP. - “Mecanismos opióides centrais envolvidos no efeito protetor da testosterona no desenvolvimento da dor da ATM em ratos” (mestrado). Candidata: Cristina Gomes de Macedo. Orientadora: professora Claudia Herrera Tambeli. Dia 27 de fevereiro, às 9 horas, no Anfiteatro da FOP. - “Estudo da atividade de gelatinases em dentina de molares de ratos, por meio da técnica de Zimografia in situ” (mestrado). Candidata: Juliana Isabelita Cyrino Pessoa. Orientador: professor Marcelo Rocha Marques. Dia 27 de fevereiro, às 9 horas, na sala de seminários do Departamento de Morfologia da FOP. - Avaliação do efeito do tratamento com Orlistat sobre a resposta imune contra melanomas experimentais” (mestrado). Candidata: Luciana Yamamoto de Almeida.

Orientador: professor Edgard Graner. Dia 27 de fevereiro, às 9 horas, na sala da Congregação da FOP. - “Análise das propriedades de materiais infiltrantes em função da composição: monômeros base e antimicrobiano” (mestrado). Candidata: Luciana Tiemi Inagaki. Orientadora: professora Regina Maria Puppin Rontani. Dia 27 de fevereiro, às 9 horas, no Anfiteatro 04 da FOP. - “Correlação entre mudanças na expressão e atividade da enzima Anidrase Carbônica VI e Polimorfismos genéticos neste gene (ca2).” (doutorado). Candidata: Marisi Aidar. Orientador: professor Sérgio Roberto Peres Line. Dia 27 de fevereiro, às 13h30, na sala de seminários do Departamento de Anatomia da FOP. - “Eficácia anestésica da bupivacaína complexada com 2-hidroxipropil-ß-ciclodextrina em bloqueio do nervo alveolar inferior e em infiltração subcutânea em ferida cirúrgica, em ratos” (mestrado). Candidato: Luciano Serpe. Orientador: professor Francisco Carlos Groppo. Dia 27 de fevereiro, às 14 horas, no Anfiteatro 01 da FOP. - “Avaliação da atividade antimicrobiana de óleos essenciais contra microrganismos do grupo mutans e determinação da atividade antiproliferativa” (mestrado). Candidata: Livia Câmara de Carvalho Galvão. Orientador: professor Pedro Luiz Rosalen. Dia 27 de fevereiro, às 14 horas, no Anfiteatro 03 da FOP. - “Avaliação de um programa de educação em saúde bucal para indivíduos de 12 anos de idade, num período de 12 meses” (doutorado). Candidata: Zuleica Maria de Almeida P. Meneghim. Orientador: professor Antonio Carlos Pereira. Dia 27 de fevereiro, às 14 horas, no Anfiteatro 04 da FOP. - “Análise clinicopatológica de 493 casos de tumores de glândulas salivares utilizando a técnica de Tissue Microarray” (mestrado). Candidato: Felipe Paiva Fonseca. Orientador: professor Pablo Agustin Vargas. Dia 27 de fevereiro, às 14 horas, na sala da Congregação da FOP.  Instituto de Artes - “Sobre cavalgar o vento: contribuções da meditação budista no processo de formação do ator” (doutorado). Candidato: Daniel Reis Plá. Orientadora: professora Sara Pereira Lopes. Dia 27 de fevereiro, às 14 horas, na Comissão de Pós-graduação (sala 2) do IA.  Instituto de Biologia - “Construção de linhagens atenuadas de S. enterica Typhimurium produtoras de antígeno de Plasmodium” (mestrado). Candidato: Guilherme Paier Milanez. Orientador: professor Marcelo Brocchi. Dia 27 de fevereiro, às 9 horas, na Sala da Congregação do IB. - “Purificação e caracterização biológica de uma nova serinoprotease com atividade trombina “like” do veneno total de Bothrops andianus (TLBan)” (mestrado). Candidato: José Antonio Valeriano Zapana. Orientador: professor Sérgio Marangoni. Dia 27 de fevereiro, às 9 horas, na sala IB-11, prédio da CPG/IB.  Instituto de Computação - “Complexidade de construção de árvores PQR” (mestrado). Candidato: João Paulo Pereira Zanetti. Orientador: professor João Meidanis. Dia 27 de fevereiro, às 14 horas, no auditório do IC - Sala 85 - IC 2.  Instituto de Geociências - “Redes neurais aplicadas ao estudo de rochas reservatório” (mestrado). Candidata: Michele Chaves Kuroda. Orientador: professor Alexandre Campane Vidal. Dia 27 de fevereiro, às 14 horas, no IG.  Instituto de Química - “Potencial enzimático da microbiota da pele humana e sua ação sobre insumos de fragrâncias” (doutorado). Candidata: Carla Porto da Silva. Orientadora: professora Anita Jocelyne Marsaioli. Dia 27 de fevereiro, às 9 horas, no miniauditório do IQ.  Instituto de Artes - “Distância íntima: a cor na construção de um projeto pictórico autobiográfico” (mestrado). Candidata: Natália Fernandes Brescancíni. Orientadora: professora Lygia Arcuri Eluf. Dia 27 de fevereiro, às 14 horas, na Galeria de Arte da Unicamp.  Instituto de Estudos da Linguagem - “Tradução e língua materna na aula de língua inglesa: o(s) discurso(s) dos professores” (mestrado). Candidata: Flávia Cristina de Souza Camargo. Orientadora: professora Carmen Zink Bolonhini. Dia 27 de fevereiro, às 10 horas, na sala de defesa de teses do IEL. - “As diretrizes curriculares estaduais e a sala de aula de língua inglesa: uma investigação acerca das percepções de professores do estado do Paraná” (mestrado). Candidata: Ana Amélia Calazans da Rosa. Orientadora: professora Linda Gentry El Dash. Dia 27 de fevereiro, às 14 horas, no Anfiteatro do IEL. - “Afasia e interação: uma análise da dinâmica de turnos e da gestão do tópico nas práticas conversacionais de sujeitos afásicos e não-afásicos” (doutorado). Candidato: Caio César Costa Ribeiro Mira. Orientadora: professora Edwiges Maria Morato. Dia 27 de fevereiro, às 14 horas, na sala de colegiados do IEL. - “Auto e peregrinação: a metáfora da caminhada no ‘auto da alma’ e em ‘Morte e Vida Severina’ (mestrado). Candidata: Lígia Rodrigues Balista. Orientadora: professora Jeanne Marie Gagnebin de Bons. Dia 27 de fevereiro, às 15 horas, na sala de defesa de teses do IEL.  Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - “Reticulados q-ários e algébricos” (doutorado). Candidata: Grasiele Cristiane Jorge. Orientadora: professora Sueli Irene Rodrigues Costa. Dia 27 de fevereiro, às 14 horas, na sala 253 do Imecc.  Instituto de Economia - “Valoração, cobrança pelo uso da água e a gestão das bacias hidrográficas do Alto Iguaçu e afluentes do Alto Ribeira: uma abordagem econômico-ecológica” (doutorado). Candidato: Junior Ruiz Garcia. Orientador: professor Ademar Ribeiro Romeiro. Dia 27 de fevereiro, às 14 horas, na sala 23 do Pavilhão da Pós-graduação do IE. - “Avaliação dos impactos econômicos dos inoculantes na soja: uma análise de insumo-produto” (mestrado). Candidato: Jaim José da Silva Junior. Orientador: professor José Maria Ferreira Jardim da Silveira. Dia 27 de fevereiro, às 14 horas, na sala 17 - pavilhão da pós-graduação do IE.  Faculdade de Ciências Médicas - “Síndrome do esgotamento profissional e fatores associados em técnicos de enfermagem de um hospital público do Estado de São Paulo” (doutorado). Candidata: Naiza do Nascimento Ferreira. Orientador: professor Sérgio Roberto de Lucca. Dia 27 de fevereiro, às 14 horas, no Anfiteatro do Departamento de Medicina Preventiva da FCM. - “Qualidade de vida e bem-estar em idosos: um estudo de base populacional” (doutorado). Candidata: Margareth Guimarães Lima. Orientadora: professora Marilisa Berti de Azevedo Barros. Dia 27 de fevereiro, às 14 horas, no Anfiteatro do Departamento de Saúde Coletiva da FCM. - “Ultrassonografia e ca-125 como preditores de malignidade em mulheres com tumores anexiais” (mestrado). Candidato: Caio Augusto Hartman. Orientadora: professora Sophie Françoise Mauricette Derchain. Dia 27 de fevereiro, às 14 horas, no Anfiteatro do Departamento de Cirurgia da FCM. - “Investigação de fatores genéticos na etiologia de fendas orofaciais típicas” (doutorado). Candidata: Milena Simioni. Orientadora: professora Vera Lúcia Gil da Silva Lopes. Dia 27 de fevereiro, às 9 horas, no Anfiteatro da Comissão de Pós-graduação da FCM. - “Efeito do exercício físico durante a gravidez sobre o fluxo sanguíneo feto-placentário e o crescimento fetal: ensaio controlado e aleatorizado ‘tipo: D’” (doutorado). Candidata: Adriana Suely de Oliveira Melo. Orientador: professor João Luiz de Carvalho Pinto e Silva. Dia 27 de fevereiro, às 9 horas, no Anfiteatro do Caism. Dia 28  Faculdade de Educação - “Escola nos tempos líquidos: o desafio de educar” (mestrado). Candidata: Bruna Monize Rosalem Rodrigues. Orientadora: professora Elisabeth Barolli. Dia 28 de fevereiro, às 14 horas, na FE.


Campinas, 5 a 11 de março de 2012 - “A improvisação de dança na (trans)formação do artista-aprendiz: uma reflexão nos entrelugares das Artes Cênicas, Filosofia e Educação” (doutorado). Candidata: Raquel Valente de Gouvêa. Orientadora: professora Márcia Maria Strazzacappa Henández. Dia 28 de fevereiro, às 14h30, na FE.  Faculdade de Engenharia de Alimentos - “Obtenção de micropartículas lipídicas contendo bicarbonato de sódio por spray cooling e de bicarbonato de sódio aglomerado por melt agglomeration em leito vibrofluidizado” (doutorado). Candidata: Emmanuelle Pilarski. Orientadora: professora Fernanda Paula Collares Queiroz. Dia 28 de fevereiro, às 14 horas, no Salão nobre da FEA. - “Características do Colágeno, textura e cor da Carne (Músculos Longissimus, Semitendinosus, Supraspinatus e Infraspinatus) de fêmeas bovinas adultas de quatro grupos genéticos” (doutorado). Candidato: Edsom Roberto Lorenci Toneto. Orientador: professor Pedro Eduardo de Felício. Dia 28 de fevereiro, às 14 horas, no anfiteatro do DTA/FEA.  Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação - “Utilização de linhas de transmissão semelhantes no ensaio de energização de um tronco com pouco mais de meio comprimento de onda” (mestrado). Candidato: Elson Costa Gomes. Orientadora: professora Maria Cristina Dias Tavares. Dia 28 de fevereiro, às 9 horas, no prédio CPG, sala PE-37. - “Análise algébrica dos rotulamentos associados ao mapeamento do código genético” (mestrado). Candidato: Anderson José de Oliveira. Orientador: professor Reginaldo Palazzo Júnior. Dia 28 de fevereiro, às 9 horas, na sala de defesa de teses da FEEC.  Faculdade de Engenharia Mecânica - “Proposta de uma arquitetura de processamento de sinais usando FPGA” (mestrado). Candidato: Danilo Morais Pagno. Orientador: professor Euripides Guilherme de Oliveira Nobrega. Dia 28 de fevereiro, às 10 horas, no auditório da FEM.  Faculdade de Odontologia de Piracicaba - “Avaliação espectrofométrica do clareamento dental sob o aparelho ortodôntico” (doutorado). Candidata: Nadia Lunardi. Orientador: professor Rafael Leonardo Xediek Consani. Dia 28 de fevereiro, às 8h30, na FOP. - “Geoprópolis de Melipona Scutellaris: atividade antimicrobiana, antiproliferativa e ação sobre biofilme de Streptococcus Mutans in vitro” (mestrado). Candidato: Marcos Guilherme da Cunha. Orientador: professor Pedro Luiz Rosalen. Dia 28 de fevereiro, às 8h30, no Anfiteatro 01 da FOP. - “Efeito da administração intermitente de hpth(1-34) nos estágios iniciais do reparo alveolar após exodontia de molares de ratos” (doutorado). Candidata: Juliana dos Santos Neves. Orientador: professor Pedro Duarte Novaes. Dia 28 de fevereiro, às 8h30, na sala de seminários do Departamento de Periodontia da FOP. - “Eficácia anestésica das preparações lipossomais uni e multilamelar de mepivacaína, em bloqueio dos nervos infraorbital e alveolar inferior e infiltração subcutânea em ferida cirúrgica em ratos” (mestrado). Candidata: Cristina Saragiotto Caldas. Orientadora: professora Maria Cristina Volpato. Dia 28 de fevereiro, às 9 horas, na sala da Congregação da FOP. - “Envolvimento das células microgliais na instalação e manutenção da hipernocicepção persistente induzida na pata de ratos” (doutorado). Candidata: Marília Bertoldo Urtado. Orientadora: professora Juliana Trindade Clemente Napimoga. Dia 28 de fevereiro, às 9 horas, na sala de seminários do Departamento de Fisiologia da FOP. - “Estudo comparativo dos efeitos do Alprazolam e Midazolam no controle da ansiedade em implantodontia” (mestrado). Candidata: Ana Paula Guerreiro Bentes. Orientador: professor Eduardo Dias de Andrade. Dia 28 de fevereiro, às 14 horas, na sala da Congregação da FOP. - “Atividade gelatinolítica in situ e imuno-expressão das metaloproteinases 2 e 9 em lesões potencialmente malignas e carcinomas bucais.” (mestrado). Candidato: Marcondes Sena Filho. Orientador: professor Jacks Jorge Junior. Dia 28 de fevereiro, às 14 horas, no Salão nobre da FOP. - “Análise da expressão imunoistoquímica de proteínas associadas à via de sinalização wnt/beta-catenina em ameloblastomas sólidos e tumores odontogênicos císticos calcificantes” (mestrado). Candidata: Sabrina Nogueira de Moraes. Orientadora: professora Rebeca de Souza Azevedo. Dia 28 de fevereiro, às 14 horas, no Anfiteatro 03 da FOP. - “Influência de materiais obturadores e agentes de limpeza na resistência da união e interface adesiva de pinos de fibra de vidro à dentina intrarradicular” (mestrado). Candidata: Alexsandra Shizue Iwamoto. Orientadora: professora Fernanda Miori Pascon. Dia 28 de fevereiro, às 14 horas, na sala de seminários do Departamento de Odontologia Social da FOP. - “Efeito da mobilização articular da ATM na dor, amplitude de movimento e no sinal eletromiográfico em mulheres portadoras de DTM muscular” (mestrado). Candidato: Fabricio de Oliveira Teixeira Lopes. Orientador: professor Fausto Berzin. Dia 28 de fevereiro, às 14 horas, na sala de seminários do Departamento de Anatomia da FOP. - “Avaliação da resistência de união de pinos de fibra de vidro cimentados com diferentes protocolos adesivos e submetidos à ciclagem mecânica” (mestrado). Candidata: Giovana Priscila Delicio. Orientadora: professora Giselle Maria Marchi Baron. Dia 28 de fevereiro, às 14 horas, na sala de seminários do Departamento de Radiologia da FOP. - “Avaliação do valor de predição de clivagem química de radicais hidroxila em genes de diferentes espécies de mamíferos” (mestrado). Candidato: Roberto Bento Wolf Junior. Orientador: professor Sergio Roberto Peres Line. Dia 28 de fevereiro, às 14 horas, na sala de seminários do Departamento de Periodontia da FOP. - “Avaliação dos mecanismos envolvidos na ação antihiperalgésica do agonista opióide mu no tecido periférico” (doutorado). Candidata: Karla Elena Torrez Chávez. Orientador: professor Carlos Amilcar Parada. Dia 28 de fevereiro, às 14 horas, na sala de seminários do Departamento de Fisiologia da FOP. - “Avaliação da terapia com dose sub-antimicrobiana de doxiciclina como um modulador da resposta imunoinflamatória do hospedeiro em modelo de doença periodontal e na susceptibilidade da porphyromonas gingivalis”

Livro

da semana

(doutorado). Candidata: Myrella Lessio Castro. Orientador: professor Pedro Luiz Rosalen. Dia 28 de fevereiro, às 14 horas, no Anfiteatro 04 da FOP.  Instituto de Artes - “No caminho das pedras brancas: Alex Steinweiss e o processo de fundamentação de um paradigma para o projeto de capas de discos” (doutorado). Candidato: André Novaes de Rezende. Orientador: professor Edson do Prado Pfutzenreuter. Dia 28 de fevereiro, às 15 horas, no Instituto de Artes.  Instituto de Computação - “Especificação de bibliotecas digitais de objetos complexos” (mestrado). Candidata: Ticiana Oniki Toffoli. Orientador: professor Ricardo da Silva Torres. Dia 28 de fevereiro, às 10 horas, no auditório do IC - Sala 85 - IC 2. “Resolução automática de pronomes em português utilizando coerência do discurso” (mestrado). Candidato: Fernando José Vieira da Silva. Orientadora: professora Ariadne Maria Brito Rizzoni Carvalho. Dia 28 de fevereiro, às 14 horas, no auditório do IC - Sala 85 - IC 2.  Instituto de Estudos da Linguagem - “Um olhar para a formação de professores de educação bilíngue em Moçambique: foco na construção de posicionamentos a partir do lócus de enunciação e atuação” (doutorado). Candidata: Samima Amade Patel. Orientadora: professora Marilda do Couto Cavalcanti. Dia 28 de fevereiro, às 8h30, na sala de defesa de teses do IEL. - “Entrelaçando on-line e off-line: práticas de escrita e reescrita em comunidades da rede social Orkut” (mestrado). Candidata: Flávia Danielle Sordi Silva. Orientadora: professora Raquel Salek Fiad. Dia 28 de fevereiro, às 14 horas, na sala de defesa de teses do IEL. - “A vitalidade linguística dos crioulos do Haiti e da Luisana: os limites da política e das atitudes linguísticas” (mestrado). Candidato: Peter Thomas Caisse. Orientadora: professora Tânia Maria Alkmim. Dia 28 de fevereiro, às 14 horas, no anfiteatro do IEL.  Instituto de Física Gleb Wataghin - “Nanofios semicondutores: síntese e processos de formação” (mestrado). Candidato: Douglas Soares de Oliveira. Orientadora: professora Mônica Alonso Cotta. Dia 28 de fevereiro, às 10 horas, na sala de seminários do DFA/IFGW.  Instituto de Química - “Avaliação do perfil de ácidos graxos em pacientes com sobrepeso tratados com orlistate usando CG-EM e avaliação do perfil metabólico de plasma por RMN de 1H” (mestrado). Candidato: Thiago Inácio Barros Lopes. Orientadora: professora Anita Jocelyne Marsaioli. Dia 28 de fevereiro, às 9 horas, no miniauditório do IQ. - “A potencialidade sintética da reação de Morita-BaylisHillman explorada na síntese de compostos tricarbonilados vicinais e núcleos ciclopenta[b]indólicos” (mestrado). Candidata: Marilia Simão dos Santos. Orientador: professor Fernando Antônio Santos Coelho. Dia 28 de fevereiro, às 9 horas, na sala IQ-14. - “Estudos sobre a clonagem e expressão do gene SEH1 (epóxido hidrolase) de “Pichia stipitis” em “Pichia pastoris” (mestrado). Candidata: Raquel Rodrigues Rampasio. Orientadora: professora Luciana Gonzaga de Oliveira. Dia 28 de fevereiro, às 13h30, na sala E-312.  Faculdade de Ciências Médicas - “Condições de saúde e uso de serviços de saúde segundo o nível de escolaridade de mulheres adultas no município de Campinas, São Paulo” (mestrado). Candidata: Caroline Senicato. Orientadora: professora Marilisa Berti de Azevedo Barros. Dia 28 de fevereiro, às 9 horas, no Anfiteatro do Departamento de Saúde Coletiva da FCM. - “Um estudo sobre o imaginário coletivo de homicidas sobre a morte, o morrer e o matar” (mestrado). Candidata: Danielle Truffi Lima Davanço. Orientador: professor Joel Sales Giglio. Dia 28 de fevereiro, às 9 horas, no Anfiteatro do Departamento de Psiquiatria da FCM. - “Complicações motoras e não motoras na levodopaterapia na doença de Parkinson” (doutorado). Candidata: Grace Helena Letro. Orientadora: professora Elizabeth Maria Aparecida Barasnevicius Quagliato. Dia 28 de fevereiro, às 9 horas, no Anfiteatro do Departamento de Neurologia da FCM. - “Avaliação da efetividade de um programa de preparo para o parto” (doutorado). Candidata: Maria Amélia Miquelutti Spilla. Orientadora: professora Maria Yolanda Makuch. Dia 28 de fevereiro, às 9 horas, no anfiteatro do Caism. - “Estudo das bases moleculares para Cutis Laxa Autossômica Recessiva tipo II” (doutorado). Candidato: Daniel Zanetti Scherrer. Orientador: professor Carlos Eduardo Steiner. Dia 28 de fevereiro, às 14 horas, no anfiteatro da Comissão de Pós-graduação da FCM.  Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - “Construção de distribuições multivariadas com dependências assimétricas: modelos hierárquicos arquimedianos, modelos Pair-cópula e cópula t-Student” (mestrado). Candidata: Caroline de Freitas Sakamoto. Orientador: professor Luiz Koodi Hotta. Dia 28 de fevereiro, às 10 horas, na sala 253 do Imecc.  Faculdade de Engenharia Química - “Montagem de equipamento, desenvolvimento e caracterização de nanofibras baseadas em blendas de Quitosana obtidas pelo processo de eletrofiação: avaliação de seu desempenho como carreadoras de AgNPs e clorexidina” (mestrado). Candidato: Maria Trindade Marques Bizzarria. Orientador: professora Lucia Helena Innocentini Mei. Dia 28 de fevereiro, às 9h30, na sala de defesa de teses da FEQ. - “Estudo da caracterização e estabilidade ao Ph e a temperatura da enzima bromelina extraída das folhas do curauá (ananas erectifolius l.b. Smith) branco e roxo” (doutorado). Candidata: Thayse Alves de Lima e Silva. Orientador: professor Elias Basile Tambourgi. Dia 28 de fevereiro, às 10 horas, na sala de aula PG-05 da FEQ.  Faculdade de Engenharia Mecânica - “Avaliação do comportamento mecânico de ligas Al-Xwt%Si-5wt%Zn tixoconformadas” (mestrado). Candidata: Bruna Vilas Boas. Orientador: professor Eugênio José Zoqui. Dia 28 de fevereiro, às 9 horas, na FEM.  Faculdade de Educação Física - “Educação física escolar e gênero: diferentes maneiras de participar das aulas” (mestrado). Candidata: Juliana Fagundes Jacó. Orientadora: professora Helena Altmann. Dia 28 de fevereiro, às 10 horas, na sala de aula 04 da FEF. - “Tradução, adaptação cultural e validação do questionário Body Image after Breast Cancer Questionnaire (BIBCQ) para a língua portuguesa do Brasil” (mestrado). Candidata: Carolina de Oliveira Gonçalves. Orientadora: professora

Maria da Consolação Tavares. Dia 27 de fevereiro, às 9 horas, na sala de aula 04. Da FEF. - “Esporte competitivo: contribuições psicanalíticas e suas implicações para uma compreensão da angústia” (doutorado). Candidata: Tania Leandra Bandeira. Orientador: professor Pedro José Winsterstein. Dia 28 de fevereiro, às 8 horas, no auditório da FEF.  Instituto de Física Gleb Wataghin - “Investigação de mecanismos alternativos a oscilação de neutrinos no experimento MINOS” (doutorado). Candidato: João de Abreu Barbosa Coelho. Orientador: professor Carlos Ourivio Escobar. Dia 28 de fevereiro, às 14 horas, no auditório Méson Pi - DRCC/IFGW.  Instituto de Economia - “Financeirização na abordagem Stock-flow Consistent” (mestrado). Candidato: Paulo Francisco do Nascimento. Orientador: professor Antonio Carlos Macedo e Silva. Dia 28 de fevereiro, às 14 horas, na Sala 23 do Pavilhão de Pós-graduação do IE. - “Correção monetária: tensões sociais no Brasil contemporâneo (1963-1974)” (mestrado). Candidato: Leonardo Dias Nunes. Orientador: Professor José Ricardo Barbosa Gonçalves. Dia 28 de fevereiro, às 14 horas, na sala 17 do Pavilhão da Pós-graduação do IE. Dia 29  Faculdade de Engenharia de Alimentos - “Influência da Ractopamina adicionada à dieta de suínos machos e fêmeas e da imunocastração de machos nas características e composição física das carcaças” (mestrado). Candidata: Adrieli Martins. Orientador: professor Pedro Eduardo de Felicio. Dia 29 de fevereiro, às 9 horas, no Salão nobre da FEA.  Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação - “Estudo, análise e projeto eletromagnético de hidrogeradores síncronos de grande porte usando o método dos elementos finitos” (doutorado). Candidato: Diodomiro Baldomero Luque Carcasi. Orientador: professor Ernesto Ruppert Filho. Dia 29 de fevereiro, às 14 horas, na sala PE-11 da FEEC. - “Revisão dos modos espúrios na análise modal de guias de onda por elementos finitos” (mestrado). Candidato: Fellipe Grillo Peternella. Orientador: professor Hugo Hernandez Figueroa. Dia 29 de fevereiro, às 14 horas, na sala da congregação da FEEC. - “Estudo, análise e projeto eletromagnético de hidrogeradores síncronos de grande porte usando o método dos elementos finitos” (doutorado). Candidato: Diodomiro Baldomero Luque Carcasi. Orientador: professor Ernesto Ruppert Filho. Dia 29 de fevereiro, às 14 horas, na sala PE-11 da FEEC. - “Um estudo sobre computação quântica topológica: novas portas para o modelo de Fibonacci” (mestrado). Candidato: Maicon Henrique Cunha. Orientador: professor Reginaldo Palazzo Júnior. Dia 29 de fevereiro, às 14 horas, na sala de defesa de teses da FEEC.  Faculdade de Engenharia Mecânica - “Efeito das tensões residuais sobre a propagação de trincas em juntas soldadas por FSW” (mestrado). Candidato: Edson Haruo Miyaura. Orientador: professor Renato Pavanello. Dia 29 de fevereiro, às 14 horas, no auditório ID-2 da FEM.  Faculdade de Engenharia Química - “Determinação da saturação residual de óleo através da medida da variação da concentração de radônio na água de produção” (doutorado). Candidata: Amenônia Maria Ferreira Pinto. Orientador: professor Elias Basile Tambourgi. Dia 29 de fevereiro, às 14 horas, na sala de defesa de teses da FEQ. - “Detecção e localização de vazamentos em tubulações utilizando sistemas acústicos e redes neurais” (mestrado). Candidata: Elisângela Orlandi de Sousa Gonçalves. Orientadora: professora Sandra Lúcia da Cruz. Dia 29 de fevereiro, às 9h30, na sala de defesa de teses da FEQ.  Faculdade de Odontologia de Piracicaba - “Avaliação das disfunções orofaciais e temporomandibulares, ansiedade e níveis salivares de cortisol em crianças e adolescentes com sinais e sintomas de bruxismo” (mestrado). Candidata: Ana Bheatriz Marangoni Montes. Orientadora: professora Maria Beatriz Duarte Gavião. Dia 29 de fevereiro, às 14 horas, no Anfiteatro 01 da FOP. - “Eficácia anestésica da ropivacaína complexada com hidroxipropil-b-ciclodextrina em bloqueio dos nervos alveolar inferior e infraorbital e em infiltração subcutânea em ferida cirúrgica em ratos” (mestrado). Candidato: Cleiton Pita dos Santos. Orientadora: professora Maria Cristina Volpato. Dia 29 de fevereiro, às 14 horas, na sala de seminários do Departamento de Farmacologia da FOP. - “Avaliação da relação entre ansiedade, estresse e condições bucais em pacientes com disfunção têmporomandibular e dor miofascial” (mestrado). Candidato: Manoel Rosas dos Reis Junior. Orientador: professor Antonio Carlos Pereira. Dia 29 de fevereiro, às 14 horas, no Anfiteatro 03 da FOP. - “Avaliação da atividade antimicrobiana de óleos essenciais frente a patógenos orais” (mestrado). Candidata: Salete Meiry Fernandes. Orientadora: professora Marta Cristina Teixeira Duarte. Dia 29 de fevereiro, às 9 horas, no Anfiteatro 02 da FOP. - Investigação do papel da homeoproteína barx1 na morfogênese do dente molar” (doutorado). Candidata: Simone Caixeta de Andrade. Orientador: professor Sergio Roberto Peres Line. Dia 29 de fevereiro, às 9 horas, no Anfiteatro 04 da FOP. - “Eficácia anestésica das preparações lipossomais uni e multilamelares de prilocaína em bloqueio dos nervos alveolar inferior, infraorbital e em infiltração subcutânea em ferida cirúrgica em ratos” (mestrado). Candidata: Fabiana Pinchetti Nolasco. Orientador: professor Francisco Carlos Groppo. Dia 29 de fevereiro, às 9 horas, na sala da Congregação da FOP. - “Efeitos in vitro do fluoreto no potencial anticárie do laser de co2 no esmalte dentário desmineralizado” (mestrado). Candidata: Bruna Raquel Zancopé. Orientadora: professora Marines Nobre dos Santos Uchoa. Dia 29 de fevereiro, às 8h30, na sala de seminários do Departamento de Morfologia da FOP.  Instituto de Artes - “Tua Imagem permanece imaculada. ‘Radamés Gnattali e seu arranjo para a valsa-canção: Lábios que beijei” (mestrado). Candidato: Geremias Tiófilo Pereira Júnior. Orientador: professor Roberto Cesar Pires. Dia 29 de fevereiro, às 10h30, no IA.  Instituto de Estudos da Linguagem - “A complexidade fônica na aquisição da escrita: um estudo com crianças da

educação infantil” (doutorado). Candidata: Luciana Lessa Rodrigues. Orientadora: professora Eleonora Cavalcante Albano. Dia 29 de fevereiro, às 8 horas, na sala de defesa de teses do IEL. - “De um discurso que não fosse ideologia: contribuições para uma teoria lacaniana da ideologia” (doutorado). Candidato: Luig Ibarichello. Orientadora: professora Nina Virgínia de Araújo Leite. Dia 29 de fevereiro, às 9h30, na sala de aula CL13 do IEL. - “Cartas para quem? O funcionamento discursivo da ausência do pai em Central do Brasil, de Walter Salles Jr.” (doutorado). Candidato: Luiz Carlos Martins de Souza. Orientadora: professora Suzy Maria Lagazzi. Dia 29 de fevereiro, às 14 horas, na sala de defesa de teses do IEL. - “Paris era bom quando eu @§#!$...”: uma seleção de entrevistas e depoimentos de Hilda Hilst” (mestrado). Candidato: Cristiano Diniz. Orientador: professor Eric Mitchell Sabinson . Dia 29 de fevereiro, às 14 horas, na sala de Colegiados do IEL. - “Interação e produção de texto em duas turmas de ensino médio” (mestrado). Candidato: Eron Sanches Ruivo. Orientadora: professora Inês Signorini. Dia 29 de fevereiro, às 14h30, no Anfiteatro do IEL. - “O ensino da linguagem oral no livro didático de português: atividades de ressemiotização” (doutorado). Candidato: Vitor Takeshi Sugita. Orientadora: professora Maria Viviane do Amaral Veras. Dia 29 de fevereiro, às 14 horas, no auditório do IEL. - “Cartas da Malásia, de Paul Adam: uma utopia fin-desiècle” (mestrado). Candidata: Laura Cielavin Machado. Orientador: professor Carlos Eduardo Ornelas Berriel. Dia 29 de fevereiro, às 14 horas, no IEL.  Instituto de Física Gleb Wataghin - “Estudos de descargas de Plasma contínuas” (mestrado). Candidato: Gilson Ronchi. Orientador: professor Munemasa Machida. Dia 29 de fevereiro, às 10 horas, na sala de seminários do DEQ/IFGW.  Instituto de Geociências - “Processamento e modelagem de dados geofísicos e imagens aster aplicados à interpretação geológica e identificação de áreas mineralizadas na província aurífera de Alta Floresta” (mestrado). Candidato: Danilo Barbuena. Orientador: professor Carlos Roberto de Souza Filho. Dia 29 de fevereiro, às 14 horas, no DGRN/IG. “Zoneamento geoambiental da região do Litoral Sul do Estado de São Paulo como subsídio ao uso e ocupação das terras: um estudo de caso dos municípios de Iguape, Ilha Comprida e Cananéia” (mestrado). Candidato: Renê Lepiani Dias. Orientadora: professora Regina Célia de Oliveira. Dia 29 de fevereiro, às 9 horas, no auditório do IG. “Mercado de Carbono em aterros sanitários como instrumento para a inovação em serviços públicos” (mestrado). Candidata: Silvia Regina Stuchi Cruz. Orientadora: professora Sônia Regina Paulino. Dia 29 de fevereiro, às 10 horas, no IG.  Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - “Uma abordagem via transformada de Fourier para as equações de Navier-Stokes: boa-colocação e comportamento assintótico” (mestrado). Candidato: Julio Cesar Valencia Guevara. Orientador: professor Lucas Catão de Freitas Ferreira. Dia 29 de fevereiro, às 14 horas, na sala 253 do Imecc. - “Álgebras de Clifford e a fibração de Hopf” (mestrado). Candidato: Douglas Mendes. Orientador: professor Rafael de Freitas Leão. Dia 29 de fevereiro, às 14 horas, na sala 321 do Imecc.  Instituto de Química - “Exploração de dados multivariados de fontes e extratos de antocianinas utilizando análise de componentes principais e método do vizinho mais próximo” (doutorado). Candidata: Martha Maria Andreotti Favaro. Orientadora: professora Adriana Vitoriano Rossi. Dia 29 de fevereiro, às 9 horas, no miniauditório do IQ.  Instituto de Economia - “Redes de comércio justo e solidário: organizações, relações e valores” (doutorado). Candidata: Isabel Fernandes Pinto Viegas. Orientador: professor Antonio Márcio Buainain. Dia 29 de fevereiro, às 9 horas, na sala IE-23. - “A crise financeira de 2008: uma interpretação teórica heterodoxa” (mestrado). Candidato: Leonardo Flauzino de Souza. Orientador: professor Antonio Carlos Macedo e Silva. Dia 29 de fevereiro, às 14 horas, na sala IE-23.  Faculdade de Ciências Médicas - “Efeitos in vitro e ex vivo de compostos derivados do Nitroestireno na resposta imunohematopoética” (doutorado). Candidata: Andrana Karla Calgarotto. Orientadora: professora Mary Luci de Souza Queiroz. Dia 29 de fevereiro, às 14 horas, no Anfiteatro do Departamento de Farmacologia da FCM. - “Prevenção da cegueira associada à degeneração macular relacionada à idade: estudo dos fatores de risco em uma população brasileira” (doutorado). Candidata: Priscila Hae Hyun Rim. Orientadora: professora Antonia Paula Marques de Faria. Dia 29 de fevereiro, às 10 horas, no Anfiteatro do Departamento de Urologia do HC. - “Avaliação da expressão gênica de marcadores inflamatórios em células mononucleares de pacientes com trombose venosa profunda” (doutorado). Candidata: Fernanda Dutra Santiago Bassora. Orientadora: professora Joyce Maria Annichino Bizzacchi. Dia 29 de fevereiro, às 9 horas, no Anfiteatro do Hemocentro. - “Angiogênese, células-tronco neoplásicas cd34+ e sinvastatina em modelo de carcinogênese mamária induzida quimicamente” (doutorado). Candidato: Marcos José Alves Júnior. Orientador: professor André Almeida Schenka. Dia 29 de fevereiro, às 14 horas, na sala verde do prédio da Comissão de Pós-graduação da FCM. - “O método apoio como instrumento de mudança no hospital público” (doutorado). Candidata: Márcia Aparecida do Amaral. Orientador: professor Gastão Wagner de Sousa Campos. Dia 29 de fevereiro, às 14 horas, no Salão nobre da FCM.  Instituto de Biologia - “Investigações estruturais dos domínios funcionais das miosinas classes VIII e XI presentes em plantas” (mestrado). Candidata: Aline Sampaio Pinto. Orientador: professor Mario Tyago Murakami. Dia 29 de fevereiro, às 14 horas, na sala IB-11. Março Dia 1  Instituto de Geociências - “Caracterização geológica da estrutura de impacto de Richão (MA)” (mestrado). Candidata: Mariana Velcic Maziviero. Orientador: professor Álvaro Pen-

11 teado Crósta. Dia 1 de março, às 14 horas, no auditório do IG Dia 2  Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação - “Desenvolvimento de equipamento de simulação e calibração para aplicações automotivas embarcadas” (mestrado). Candidato: Paulo Urbano Avila. Orientador: professor José Antonio Siqueira Dias. Dia 2 março, às 14 horas, na sala PE-11 da FEEC.  Instituto de Biologia - “Modulação do metabolismo muscular em camundongos exercitados e suplementados com Leucina” (mestrado). Candidato: José Maria Costa Junior. Orientador: professor Everardo Magalhães Carneiro. Dia 2 de março, às 14 horas, na sala de defesa de teses do IB.  Instituto de Computação - “Simulação de multidões e planejamento probabilístico para otimização dos tempos de semáforos” (mestrado). Candidato: Renato Schattan Pereira Coelho. Orientador: professor Siome Klein Goldenstein. Dia 2 de março, às 14 horas, no auditório do IC. Dia 6  Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - “Do ‘tempo dos sonhos’ à galeria: arte aborígine australiana como espaços de diálogos e de tensões interculturais” (doutorado). Candidata: Ilana Seltzer Goldstein. Orientadora: professora Vanessa Lea. Dia 6 de março, às 9h30, no prédio da Pós-graduação do IFCH. Dia 7  Faculdade de Engenharia de Alimentos - “Efeito da homogeneização à alta pressão (HAP) nas propriedades reológicas de suco de tomate” (doutorado). Candidato: Pedro Esteves Duarte Augusto. Orientador: professor Marcelo Cristianini. Dia 7 de março, às 14 horas, no Salão nobre da FEA.  Instituto de Biologia - “Secreção e ação da insulina em camundongos knockout para o receptor de LDL (LDLR-/-) alimentados com dieta padrão ou hiperlipídica” (doutorado). Candidata: Jane Cristina de Souza. Orientador: professor Antonio Carlos. Dia 7 de março, às 14 horas, na sala de defesa de teses do IB. - “Avaliação das atividades citotóxica e anestésica e da farmacocinética da bupivacaína complexada com hidroxipropil-beta-ciclodextrina, em associação com sufentanil” (mestrado). Candidata: Viviane Aparecida Queiroz. Orientadora: professora Eneida de Paula. Dia 7 de março, às 14 horas, na sala de defesa de teses do IB. Dia 8  Instituto de Biologia - “Avaliação das atividades farmacológicas de uma serinoprotease, isolada a partir do veneno total de Brothrops barnetti” (mestrado). Candidata: Magaly Alejandra Brousett Minaya. Orientador: professor Sérgio Marangoni. Dia 8 de março, às 9 horas, na sala defesa de teses do IB.  Instituto de Física Gleb Wataghin - “Métodos para otimização da abertura dinâmica da nova fonte de luz síncrotron brasileira” (mestrado). Candidato: Rafael José França Marcondes. Orientador: professor Eduardo Granado Monteiro da Silva. Dia 8 de março, às 14 horas, na sala de seminários do Departamento de Eletrônica Quântica do IFGW.  Instituto de Química - “Desenvolvimento de nanoestruturas de vanadatos de prata, cério e bismuto e avaliação como novos agentes antibacterianos” (doutorado). Candidato: Raphael Dias Holtz. Orientador: professor Oswaldo Luis Alves. Dia 8 de março, às 9 horas, no miniauditório do IQ. Dia 9  Faculdade de Ciências Médicas -“Fonoaudiologia educacional: inserção e prática no município de São Bernardo do Campo” (mestrado). Candidata: Silvia Guarinello Cariola. Orientadora: professora Regina Yu Shon Chun. Dia 9 de março, às 10 horas, no anfiteatro da CPG da FCM.  Instituto de Geociências - “Arquitetura deposicional de um sistema de lençol de areia eólica. A Bacia Bauru na região de Marília (SP)” (mestrado). Candidato: Pedro Lifter Rodrigues Prandi. Orientador: professor Giorgio Basilici. Dia 9 de março, às 14 horas, no auditório do IG.

Painel da semana  EDICC1 - O 1º Encontro de Divulgação de Ciência e Cultura (EDICC1) será realizado de 6 a 8 de março, no auditório do Instituto de Estudos da Linguagem (IEL). O evento é organizado pelo Programa de Pós-graduação em Divulgação Científica e Cultural do IEL e pelo Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo (Labjor). O EDICC é gratuito e destinado para a apresentação de trabalhos por meio de comunicações orais, relatos de experiências, projetos de pesquisa e apresentações livres com foco nas temáticas da divulgação científica e cultural. Mais informações no link: http://edicc1.wordpress.com/  Milésima reunião da Área de Saúde do Trabalhador - A Área de Saúde do Trabalhador do Departamento de Saúde Coletiva da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) comemora no dia 7 de março, das 19 às 21 horas, no anfiteatro 1 da FCM, a sua milésima reunião clínica. No evento haverá a palestra “A importância do ensino e formação na atenção à saúde do trabalhador” com o professor René Mendes. A entrada é franca. Mais informações: 19-3521-8968.  FCM recebe exposição de Márcia Cristina Quaiatti - De 7 a 30 de março, a artista plástica Márcia Cristina Quaiatti Antonelli expõe seus quadros, das 8h30 às 17h30, no Espaço das Artes da Faculdade de Ciências Médicas (FCM). A abertura da mostra ocorre às 11 horas. Antonelli é graduada em Artes Plásticas pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas e ministra oficinas de pintura em tela na Unicamp com o objetivo de desenvolver no indivíduo a imaginação, a criatividade e a percepção visual. A pintura a óleo é sua paixão, sendo que a artista abusa das cores fortes e vibrantes. O gênero floral é sua especialidade. O Espaço das Artes da FCM fica na rua Tessália Vieira de Camargo 126, no saguão do prédio-sede da FCM. Entrada franca. Mais informações: 19-3521-8968.

O valor de Marx

Economia política para o capitalismo contemporâneo Autor: Alfredo Saad Filho ISBN: 978-85-268-0926-0 Ficha técnica: 1ª edição, 2011; 216 páginas; formato: 16 x 23 cm; coleção: Coleção Marx 21 Área de interesse: Ciências humanas, Sociologia Preço: R$ 36,00 Sinopse: Este livro examina criticamente os

princípios metodológicos da análise de Marx e as abordagens mais conhecidas da sua teoria do valor. Também desenvolve uma interpretação do pensamento marxista priorizando os processos e as relações que regulam a reprodução econômica e social no capitalismo. Quando analisada por esse ângulo, a teoria do valor é uma teoria de classe e da exploração. O conceito de valor é útil, entre outras razões, porque elucida a exploração capitalista apesar da predominância de

trocas voluntárias no mercado. As controvérsias mais importantes na teoria marxista do valor são resenhadas exaustivamente, e o autor explica de forma inovadora o significado e a importância da teoria de Marx e sua relevância para a compreensão do capitalismo contemporâneo. Autor: Alfredo Saad Filho ensina economia política na Escola de Estudos Orientais e Africanos (Soas) da Universidade de Londres.


12 Jornal daUnicamp Campinas, 5 a 11 de março de 2012

Foto: Antonio Scarpinetti

Qual o público da dança?

M

Foto: Divulgação

ISABEL GARDENAL

“É quando se rompe com a ilusão apresentada”, traduz. O aplauso no estudo representou emoção, explosão de raiva, contentamento e ironia. Entretanto, a pesquisadora esclarece que ele sempre teve uma função fática, denotando: ‘eu os recebo’, ‘eu os aprecio’. Quando não se aplaude, o recado é: ‘não gostei’. Tal manifestação esteve presente em todos os momentos da literatura, acrescenta.

bel@unicamp.br

uito se especulou a respeito do público que frequenta espetáculos de dança, contudo ainda não havia uma resposta consensual sobre o seu perfil. Mas recentemente a publicitária Isaíra Maria Garcia de Oliveira conseguiu fazer uma caracterização desse público em sua pesquisa de doutorado, defendida no Instituto de Artes (IA). A conclusão foi que os espectadores de dança são essencialmente do sexo feminino, numa faixa de 21 a 30 anos, têm curso superior, na maioria provenientes do interior de São Paulo, pertencentes à classe C e amigos ou parentes de bailarinos. O estudo foi desenvolvido sob orientação de Cássia Navas Alves de Castro, docente do IA. A autora da tese apurou questionários respondidos por 259 espectadores e seis programadores de dança da cidade de São Paulo. Foi a 67 espetáculos – de balé clássico, contemporâneo, sapateado, entre outros, nacional e internacional. Sentou-se inclusive na plateia para vivenciar as emoções de público. Frequentou as exibições de quintafeira a domingo (os espetáculos, nos dias de semana, ocorrem normalmente às 21 horas, nos sábados às 20 horas e nos domingos às 18 horas). Além de ser traçado esse perfil, foram analisadas as relações entre o público e os programadores de dança – um estudo de caso do Teatro de Dança (TD) de São Paulo. A doutoranda trabalhou com oito casas de espetáculos e colheu dados de 15 apresentações a fim de avalizar somente o TD, que se constituiu o seu objeto de estudo. As entrevistas com espectadores foram feitas de outubro a novembro de 2010 e, com programadores de dança, de abril de 2010 a fevereiro de 2011. O Teatro de Dança, definiu a autora da tese, é o único espaço na capital especializado inteiramente em programação de dança, o qual mantém atividades diárias. Trata-se de um lugar público vinculado à Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, fundado em 2006 e gerenciado pela Associação Paulista dos Amigos da Arte (APAA). Apesar de ter a sua programação encerrada no dia 23 de maio de 2011, nas dependências do Terraço Itália, reabriu suas portas num programa dessa mesma Secretaria, situado na Sala Paschoal Carlos Magno do Teatro Sérgio Cardoso. Ela buscou primeiramente reconhecer os códigos de recepção do público, além do seu comportamento, porém, na literatura, se deparou mais com os processos de criação do artista, do performancer, do bailarino. E, pelo que notou, ainda não havia sido estudado o comportamento do consumidor de arte. Por isso, teve como pergunta de pesquisa “quem era esse consumidor de arte e como ele reagia frente ao espetáculo”. Isaíra Oliveira relata que tem investigado há anos a temática dos espectadores de arte, tendo, no seu mestrado, avaliado espectadores de música. Mas como quisesse

Programador

A publicitária Isaíra Maria Garcia de Oliveira: familiarizada com os códigos de recepção do público

aprofundar o entendimento sobre o assunto no doutorado, quando trouxe este projeto para a Unicamp, a professora Cássia Navas sugeriu-lhe algumas mudanças para a área de Dança. A isso veio se somar a sua experiência, sobretudo pela atuação no Sindicato de Dança e em alguns eventos. No TD, a autora da tese assistiu a espetáculos como Cara pálida, de Umberto da Silva; Carta ao pai, da Companhia Borelli; Conceição, do Grupo Experimental de Recife, Pernambuco; Gisele, da Cia. Brasileira de Danças Clássicas de São Paulo; e Adoniran do Ballet Stagium, de Marika Gidali e de Décio Otero, exemplifica. “Consegui mapear os códigos de recepção e a questão do julgamento e do gosto por meio do cruzamento das opiniões entre os programadores de dança e dos espectadores, bem como mediante análise do comportamento do consumidor nas áreas de Marketing e Psicologia.” A publicitária também confrontou o conhecimento que tinha e constatou que o público tanto de música quanto de dança tem características distintas, a despeito das notórias similaridades. Uma diferença é que o público de dança não admite atrasos, ao passo que o de música é capaz de esperar horas sem reclamar. Isaíra Oliveira notou ainda que o público de dança não sabe o exato momento de aplaudir. “Alguns usam como subterfúgio esperar as primeiras manifestações para em seguida fazer o mesmo”, comenta. Isso porque hoje, justifica, os espetáculos de dança contemporâneos em geral são produzidos sob muita pesquisa e processos de reflexão. “Assim, se o público não tem em seu repertório os códigos, a sua compreensão, ele acaba não captando o espetáculo em sua plenitude. Ainda assim, mesmo não reconhecendo em profundidade os códigos e a linguagem, determinados espetáculos tocam muito as pessoas com emoção e contentamento.”

Outra reação do público de dança, ao final das apresentações, isso em todos os espetáculos, é que ele aplaude em pé, gostando ou não, e procura saber mais informações sobre aquela performance para responder à sua inquietação. Muitas pessoas, recorda a doutoranda, saíam no meio dos espetáculos porque se sentiam incomodadas com alguma coisa. “A sua linguagem corporal revelava claramente, durante o espetáculo, aceleração dos batimentos cardíacos, dilatação das pupilas e movimentação do corpo na poltrona.”

Aplausos A pesquisa de Isaíra Oliveira foi densa, municiada de quase 700 páginas de conteúdo informativo. Com ela, comprovou que, no vasto universo da dança, tanto o espectador quanto o programador necessitam de material explicativo sobre o espetáculo (programas, textos ou livretos que expliquem o que é ou que lhes forneça pistas do tema), para que haja registro dele. Ficou visível no trabalho a preferência dos espectadores pelas exibições aos sábados e à facilidade de acesso ao teatro. “A localização é item fundamental pois, se não houver este elemento, eles não chegam”, expõe a publicitária. E o local foi mencionado a priori por quem reside fora de São Paulo. Trinta cidades diferentes assistiram aos espetáculos na capital. Com isso, foi possível mapear as suas reações, explorando conceitos do que é palco, plateia, a relação do público e o aplauso. Particularmente o aplauso, salientou a autora, segue um amplo gestual e cada qual remete a diferentes tipos de situação. A sua origem, segundo informou, já estava em manifestações antigas como os ritos religiosos. Esses rituais compreendem um fenômeno universal que registra a reação física dos espectadores após uma imobilidade forçada.

A publicitária entrevistou programadores de dança do TD, da Galeria Olido, do Teatro Alfa, do Teatro Sesc de SP e do Centro Cultural SP. Para Isaíra Oliveira, ficou evidente que eles não fazem a programação sozinhos. “Fazê-la requer trabalhar com pontos de vista diferentes, públicos diferentes, artistas diferentes, produtores diferentes; é apresentar coisas novas e fatos intrigantes o tempo todo”, descreveu um entrevistado. Os programadores não souberam dizer qual era o público de um determinado espetáculo. No máximo, identificaram tendências – o tipo de espetáculo. Para a pesquisadora, o ideal é que esse profissional o diversifique para agradar a distintos públicos. Há espaços, por exemplo, que têm dança no período da manhã, à tarde e à noite; têm no vídeo e no celular, numa tentativa de conquistar um público fiel. Existem programas ligados às ONGs e a escolas do Estado que levam às apresentações o espectador de baixa renda. No Centro Cultural São Paulo, não havia uma pesquisa do programador, porém tomava-se por base o público passante, que vai lá para visitar a biblioteca ou a videoteca e se depara com uma programação de dança. Conforme a pesquisadora, na Galeria Olido, quase todos os espetáculos são gratuitos e frequentados por pessoas ligadas de algum modo à dança. Ao mesmo tempo, o público mostrou desconhecer o programador, indo ao espetáculo mais movido pela curiosidade. Ao expressar a contribuição de sua tese, a autora descreveu que foi caracterizar o espectador e o programador de dança de São Paulo, capital. A sua ideia foi desviar o foco do palco, da performance e do artista, voltando-se mais ao público e aos bastidores, tarefa que desempenha há cerca de 25 anos, para verificar quem está programando e quem está assistindo, afirma Isaíra Oliveira, que também é professora universitária e produtora de espetáculos. Seu plano no momento é cursar o pós-doutorado na Unicamp e cumprir um módulo no Canadá no segundo semestre de 2012.

......................................................................... ■ Publicação

Tese: “As relações entre os programadores e espectadores de dança na cidade de São Paulo: o caso do TD – Teatro de Dança” Autora: Isaíra Maria Garcia de Oliveira Orientadora: Cássia Navas Alves de Castro Unidade: Instituto de Artes (IA)

.........................................................................


JU_518