Issuu on Google+

Informativo | 2012


100 60 anos

1912/2012

de Brasil

1952/2012

de BH


Apresentação “A educação não é obra isolada de uma ou várias pessoas, ela é fruto do trabalho contínuo da família e de toda a comunidade educativa”.

É com grande júbilo que iniciamos o ano letivo de 2012, pois se todos os anos temos inúmeros motivos para agradecer a Deus, este é um ano especial para nós, Marcelinas: comemoramos o centenário das Irmãs Marcelinas no Brasil e os 60 anos de presença em Belo Horizonte. São gerações e mais gerações que carregam em seus corações a semente da educação marcelina. Uma educação pautada na fomação de valores humanos e cristãos, comprometida com a formação integral do ser humano, atenta aos sinais e demandas dos tempos atuais. Acreditamos que uma congregação educacional que atravessa todos estes anos tem muito a comemorar. Vivenciamos um século de importantes transformações científicas, geohumanas, tecnológicas, comp o r t a m e n t a i s , geopolíticas e econômicas, às quais a educação Marcelina esteve sempre atenta, acompanhando a evolução global, firme em seus princípios formando e educando crianças e adolescentes no espírito de família marcelino, tornando-se cidadãos éticos e profissionais competentes no seio da sociedade brasileira. Hoje continuamos esta história, construindo o conhecimento nesta árdua e nobre missão de educar. Dia após dia, temos páginas a escrever e desafios a vencer; limites a superar e sonhos a

realizar; vitórias a alcançar e sucessos a conquistar; ideais a construir sem jamais desistir. A educação não é obra isolada de uma ou várias pessoas, ela é fruto do trabalho contínuo da família e de toda a comunidade educativa. Congratulamo-nos com todos por este momento histórico de nossa Congregação e agradecemos o apoio de funcionários, professores, alunos, pais e da sociedade por esta conquista. Que a nossa educação seja luz e guia na formação de novas competências e grandes empreendedores, sempre a serviço de nosso povo, porque acreditamos que só a educação, em qualquer tempo e em qualquer circunstância, faz a diferença. Pedimos a Deus, pela intercessão de Santa Marcelina, nossa mestra e modelo, que continue nos abençoando e nos conduzindo com sua sabedoria divina, para que continuemos vivendo com intensidade o carisma educativo Marcelino e formando outras tantas gerações para o Reino de Deus e para nosso país.

Ir. Roseli Teresinha Hart Diretora Pedagógica

Informativo 2012 | 3


ideal Marcelino de educação O

A missão da educação Marcelina tem por princípio formar, ensinar e evangelizar o homem para que ele seja feliz. Educar à luz da sabedoria cristã e do conhecimento para que transforme o meio em que vive, tornando-o um cidadão capaz de ser exemplo a ser seguido. A direção das escolas marcelinas, professores, funcionários, pais e alunos buscam uma educação fraterna e compartilhada. Uma educação capaz de ser luz e sabedoria.

4 | Informativo 2012


Nestaedição Apresentação

3

O ideal Marcelino

4

100 anos da Congregação Marcelina no Brasil

7

Os 60 anos do Colégio Santa Marcelina em Belo Horizonte Sua trajetória Espaços de Arte e Cultura, Ciência e Arte, Esporte e Lazer Atividades Extraclasse Entidades estudantil e sociais

8 10 14 16 19

Aplausos dos ex-alunos

20

Nossos educadores

22

Cronograma 2012

25

Informativo 2012 | 5


Congregação Marcelina Santa Marcelina Marcelina nasceu em Roma, em 327, na ilustre família dos Ambrosiis, sob o Império de Constantino Magno. Em uma época de profundas mutações culturais, a família de Marcelina era cristã. Aos 13 anos de idade, com a morte precoce do pai, voltou para Roma, com a família. Antes dos 20 anos, perdeu também a mãe, ficando com a responsabilidade da educação dos irmãos. Em Roma, Sátiro e Ambrósio foram confiados aos melhores mestres, dedicando-se com sucesso, a estudos jurídicos. Ela entregou-se a servir o próximo. Em 372, Ambrósio foi eleito governador em Milão. Sátiro foi nomeado para uma prefeitura. Dois anos depois, Ambrósio foi eleito Bispo de Milão, e Marcelina tornou-se a sua auxiliar na sede milanesa. Embora no silêncio de sua vida recolhida, desenvolveu um apostolado eclesial, participando das solicitações do Bispo Ambrósio, orientando-o a lutar corajosamente em defesa da justiça e da fé. Marcelina morreu em 17 de julho, pouco tempo após o falecimento do seu irmão Ambrósio, e foi sepultada em Milão, na Basílica Santambrosiana. A voz do povo a proclamou santa. Realizam-se, assim, as palavras do Papa Libério: “Muitos jovens te seguirão...”

O Fundador O Beato Luigi Biraghi, nascido em Vignate (Milão), em 2 de novembro de 1801, foi sacerdote exemplar, sempre fiel a Cristo e à Igreja. Nos seminários da diocese milanesa instruiu e guiou os jovens que lhe foram confiados. Doutor e vice-prefeito da Biblioteca Ambrosiana, dedicou seus estudos ao serviço da fé. Faleceu em Milão em 11 de agosto de 1879.

O Começo A Congregação Marcelina foi fundada em Cernusco, Milão - Itália, em 1838, por Monsenhor Luis Biraghi (1801–1879). Biraghi era um homem de grande cultura e atento às questões sociais de seu tempo. Viveu em uma Itália devastada pelas guerras. Por isso, acreditava que era preciso educar bem as mulheres, as grandes responsáveis pela formação das futuras gerações. Em 22 de setembro de 1838, ele celebrou a missa que marcaria o nascimento da Congregação junto de Madre Marina Videmari e outras quatro colaboradoras. Biraghi elegeu Santa Marcelina como a padroeira da Congregação por ser ela a educadora de seus dois irmãos, Sátiro e Ambrósio, órfãos muito cedo. Marcelina fez deles sábios e santos e, por isso, sua obra sintetizava bem as aspirações de Biraghi para a Congregação que acabava de fundar, tendo como pedagogia a busca do saber para transformar.

Ganhou o Mundo Além da Itália, a Congregação Marcelina se instalou na França, Inglaterra, Suíça, Albânia, no Brasil, México, Canadá e Benin. Além das escolas e faculdades, as Irmãs Marcelinas atuam em diversos setores da sociedade: hospitais, obras assistenciais e promocionais, asilos, creches, leprosário, educação popular e catequese paroquial.

6 | Informativo 2012


Chegada ao brasil 100 Anos | 1912 - 2012 No início do século XX, Botucatu já se constituía em importante polo irradiador de cultura. Na segunda metade de 1880, a imigração dos norte-americanos, derrotados na Guerra Civil, propiciou a que Botucatu passasse a ser importante sede do Protestantismo, inclusive com escolas. A criação da Diocesse de Botucatu, veio com o esforço de Monsenhor Paschoal Ferrari. Em 1908, o Papa Pio X instituiu a Diocese de Botucatu, e seu território abrangia 50% do Estado de São Paulo. Com a criação da Diocese de Botucatu, foi designado como seu 1º Bispo Diocesano, Dom Lúcio Antunes de Souza, sagrado em Roma, em 15/11/1908, tomando posse em 20 de fevereiro de 1909, sendo que Monsenhor Ferrari governou a Diocese em seus primeiros dias. Por solicitação de Dom Lúcio, diretamente ao Papa, a Congregação de Santa Marcelina foi escolhida para implantar esse importante projeto educacional, voltado às meninas, em toda a região. Aos 16 de fevereiro de 1912, decidiu-se fundar uma Casa em Botucatu, tendo à frente a Irmã Antonieta Valentini. Dom Lúcio designara o seu vigário-geral, Monsenhor Pascoal Ferrari, para supervisionar a implantação do mais novo educandário da cidade. COLÉGIO DOS ANJOS | denominação "Colégio dos Anjos" permaneceu até os anos 40, quando, com a reforma do ensino, passou a ser "Instituto Santa Marcelina". Em 1973, o colégio, que recebia só meninas, passou a ser misto. EXPANSÃO PELO BRASIL | Com o sucesso do Colégio dos Anjos, em Botucatu, as Irmãs Marcelinas expandem pelo Brasil o seu método de ensino. Assim, surgem os Colégios Santa Marcelina em São Paulo (capital); na Tijuca, Rio de Janeiro; Muriaé e Belo Horizonte, em Minas Gerais; Palmas, no Tocantins; Piraí do Sul, no Paraná; Alto Paraíso, Embratel, e Marcello Cândia, em Rondônia. Sendo que sua Rede Socioeducacional está em Botucatu - Núcleo Assistencial Madre Marina Videmari; em São Sebastião do Passe, na Bahia, Creche Escola; em Terra Nova, na Bahia, Centro do Menor; e no Rio de Janeiro, Centro Comunitário Vila Marina.

Atuação Por todo o mundo, no Brasil e, especialmente, em Minas Gerais, as Irmãs Marcelinas, a exemplo de Santa Marcelina, se esforçam para oferecer educação em escolas de todos os níveis de ensino. Também atuam em hospitais, na assistência aos idosos, obras paroquiais e missionárias. O estilo familiar, simples e sereno, tornou-se sua principal característica na educação. O método evangélico “viver junto” forma e educa mais com a força do amor e do exemplo do que com palavras. Em todo o Brasil são aproximadamente 25 casas e obras dirigidas pelas Irmãs Marcelinas.


Colégio Santa Marcelina de A chegada a

Minas Gerais Década de 40. O jovem médico, Juscelino Kubitschek de Oliveira, assume a prefeitura de Belo Horizonte e, à margem de uma lagoa artificial, convida seu amigo e arquiteto Oscar Niemeyer para construir o Complexo Arquitetônico da Pampulha formado pela Igreja de São Francisco de Assis com pinturas de Portinari e esculturas de Ceschiatti; a Casa do Baile; o Cassino e o Iate Golf Clube. As famílias da capital mineira e do interior buscam escolas e internatos para seus filhos. A Igreja Católica está presente e atuante. O primeiro arcebispo de Belo Horizonte, Dom Antônio dos Santos Cabral, quer para sua arquidiocese religiosos que se ocupem da educação de crianças e jovens.

8 | Informativo 2012


Belo Horizonte Em Julho de 1948, duas marcelinas, superiora Sophia Marchetti e Ir.Maria Raquel Pires, andam pelas ruas de Belo Horizonte, determinadas, em busca de um espaço tranquilo para a construção de um colégio para alunas internas. Chegam à Pampulha e dão por escolhido o lugar. Dirigem-se a Dom Cabral que as acolhe e aprova a obra e o local. Em 30 de setembro de 1949, é assinada a escritura da compra do terreno e, em abril de 1950, a construção fica sob a responsabilidade do engenheiro Domenico Marchetti. Em 19 de julho deste mesmo ano, Monsenhor José Augusto Dias Bicalho benze o terreno e a pedra fundamental da capela.

Já no final dos anos cinquenta tem início o Sistema Arquidiocesano de Ensino com a fundação da Universidade Católica de Minas Gerais (PUC/MG). E é neste cenário histórico, educacional, artístico e de beleza natural que se emoldura a chegada das Irmãs Marcelinas a Belo Horizonte. Em 26 de setembro de 1951, um avião da FAB (Força Aérea Brasileira) aterriza no Aeroporto da Pampulha com as primeiras irmãs que vão trabalhar no colégio e são recebidas pela superiora Sophia e Ir. Maria Pires. E, em 1952, é inaugurado o Colégio Santa Marcelina de Belo Horizonte, que vem compor a beleza arquitetônica da Pampulha, região Noroeste da capital mineira, Belo Horizonte.

Informativo 2012 | 9


A Trajetória do Colégio

Santa Marcelina

1952

1953

1954

1955

1956

1957

São abertas as matrículas para o colégio e novas irmãs chegam no mês de janeiro e fevereiro. Em 1° de fevereiro, começam as aulas do Santo Ambrósio, responsável pela escola primária gratuita; em 20 de fevereiro iniciam-se as aulas do curso primário e, em 10 de março, as aulas das duas primeiras séries do curso ginasial. Também tem início em fevereiro o regime de internato, semiinternato e externato.

O colégio fica conhecido como “casa da luz”, a partir de observação feita pela Madre Maria Eliza Zanchi, em visita ao mesmo.

Conclusão de curso da primeira turma de 4ª série ginasial.

Em 11 de maio, a construção está terminada. Dá-se, então a bênção da capela e a consagração do altar. Dom Cabral é o oficiante.

Estuda-se a aquisição de um órgão.

É criado o ensino Normal de 2° ciclo para formação de professor para o curso primário. No final da década de 50, o Colégio Santa Marcelina contava com mais de 650 alunos, e seguia as orientações do Ministério e Secretaria de Estado da Educação. A comunidade da região da Pampulha desenvolvia-se e o colégio acompanhava o crescimento da região.

10 | Informativo 2012


1959

1962

1964

1970

1971

Formatura da primeira turma do curso Normal.

Eleição da primeira diretora da Associação de Pais e Mestres do Colégio.

Inaugurado o órgão da Capela construído pela empresa Veneziana Balbiani Vegezzi Bossi.

Concerto do músico alemão Ernest Ulrich Von Rameke.

Os cursos Primário e Ginasial se fundem e passam a ter uma duração de 8 anos. Foram criados os cursos de Habilitação Profissional de 2º grau nas áreas de Desenhista de Publicidade e Laboratorista de Análises Clínicas. Peregrinação à Aparecida do Norte comemorativa dos 150º aniversário da Independência do Brasil.

1973 atividades do Curso Normal são interrompidas.

Informativo 2012 | 11


1977

1979

1980

1982

1983

Confraternização das ex-alunas em comemoração aos 25 anos do colégio.

Comemorações do centenário de falecimento do Monsenhor Luís Biraghi.

Uma das primeiras alunas da congregação, Ir. Maria Ana Sala, é beatificada em 26 de outubro.

Dispensadas da obrigatoriedade de cursos profissionalizantes, as escolas passaram novamente a dar maior ênfase à formação geral. O Colégio Santa Marcelina foi terminando, gradativamente, os cursos profissionalizantes e implantando o curso científico.

Reativação do Curso Normal.

2003

2004

2005

2006

2007

Em 20 de dezembro, Mons. Luigi Biraghi é proclamado Venerável. Em sua caminhada histórica, o Colégio Santa Marcelina de Belo Horizonte esteve junto à comunidade local por meio de eventos, cedendo o seu espaço físico, realizando encontros, reuniões, entre outras atividades.

Intenso trabalho pré-capitular realizado em todas as comunidades; Realização do XXIV Capítulo Geral da Congregação; Mostra cultural focalizando o tema Água.

Reorganização dos espaços do colégio para melhor atender às necessidades;. Restauração das pastilhas de vidrotil em todo o prédio; Participação efetiva da comunidade educativa na CF “Fraternidade e Paz”.

Pintura externa do prédio; Renovação total do parquinho; Peregrinação as cidades italianas de Irmãs e leigos por ocasião da beatificação do fundador Luigi Biraghi, realizada em Milão; Peregrinação dos colégios marcelinos à Aparecida do Norte celebrando a beatificação do fundador.

Pavimentação das calçadas com pedra; Construção da rampa de acesso ao piso superior.

12 | Informativo 2012

1984 Inauguração do Ginásio Esportivo.

2008 Peregrinação Marcelina a Aparecida do Norte pelos 170 anos de fundação da Congregação; Restauração dos vitrais da capela danificados pela chuva de granizo; Troca das coberturas da entrada dos alunos e pátio de recreação, danificadas pela chuva de granizo; Irmãs e leigos participaram da peregrinação marcelina a Lourdes comemorando 170 de fundação da Congregação.


1985

1986

1988

1989

2000

O ensino de 2º grau foi ampliando Brasil afora. Já não havia necessidade de internatos para continuar os estudos. No Santa Marcelina, o número de alunos externos aumentava e de internos diminuía. Os dormitórios eram transformados em classes e os espaços físicos do colégio adaptados às novas funções, principalmente, para receber alunos a partir da 5ª série, no ano de 1985.

As responsabilidades aumentavam com a expansão do colégio e era preciso reestruturar a sua direção. À superiora da comunidade religiosa caberia a direção administrativa do colégio e uma outra irmã ficaria com a direção pedagógica.

Missa em comemoração dos 150 anos das Irmãs Marcelinas (1838-1988) e dos 45 anos do Colégio Santa Marcelina; 1º Encontro da Família Marcelina em Belo Horizonte/MG.

Extinção do curso Normal (Magistério, de acordo com a nova denominação).

Encerramento das atividades da Escola Santo Ambrósio.

2009

2010

2011

2012

Participação dos alunos no Projeto Estudantes Marcelinos sem Fronteiras que integra BrasilCanadá e Brasil-México; Restauração do órgão da capela; Pintura interna do prédio.

Participação de nossos professores na construção da Matriz Curricular da Rede Marcelina de Educação; Cobertura de duas quadras esportivas; Construção da rampa de acesso às salas da Educação Infantil; Revestimento em cerâmica da quadra no pátio interno..

Reforma e modernização do Auditório do Colégio Santa Marcelina. Em 22 de setembro implantação da nova LOGOMARCA para toda a Rede de Educação Marcelinas.

Centenário da Congregação Marcelina no Brasil e 60 anos do Colégio Santa Marcelina em Belo Horizonte, Minas Gerais.

2002 É comemorado o cinquentenário do Santa Marcelina em Belo Horizonte, o bicentenário de nascimento de Mosenhor Luigi Biraghi. Estiveram presentes às comemorações a Madre geral Ir.Maria Ângela Agostoni e Ir.Giuseppina Parma.

Informativo 2012 | 13


Espaços de Educação para a Arte e Cultura,

Ciência e Fé Esporte e Lazer Capela A capela, teve o lançamento da pedra fundamental em 19 de julho de 1950, oficializado pelo Monsenhor José Augusto Dias Bicalho, vigário geral da Arquidiocese de Belo Horizonte. Somente em maio de 1955, a obra foi concluída e, em 1993, passou por uma reforma no altar e na entrada. Sua decoração é sóbria e os vitrais inspirados nas invocações da Ladainha de Nossa Senhora. Conta com uma imagem de Nossa Senhora, em madeira do artista Giovanni Tomazellii – Outra preciosidade são os quadros da Via Sacra, 14 baixos relevos, em cerâmica, do artista De Marchis. Os dois afrescos que encimam as portas laterais da sacristia representam a Assunção de Nossa Senhora e Santa Marcelina, obras de um artista beneditino. No frontispício, temos três belos mosaicos: o do centro representa o Cordeiro de Deus, à esquerda e à direita, anjos em atitude de louvor e de oferta.

Órgão balbiani O instrumento musical, inaugurado em 11 de outubro de 1964, é um dos três existentes em Belo Horizonte. Foi escolhido e montado, especialmente para o local onde está, pela empresa Balbiani Vegezzi Bossi, de Milão, Itália. Possui cerca de 1618 tubos sonoros e altura que varia entre alguns milímetros e cinco metros, peso total de aproximadamente 7.663 quilos. O órgão veio de Gênova, em 12 de maio de 1964, em 24 caixas, sob encomenda da superiora Maria R. Pires, organista e diretora do colégio na época. O instrumento foi montado no coro da capela por Pedro Inglanda, técnico organista, e dividido em dois blocos, ladeando o majestoso vitral de Santa Marcelina com seus irmãos S.Sátiro e S. Ambrósio. À direita, ficou o “Organo Expressivo” e à esquerda, o “Grand Organo”. Entre os organistas que tiveram o privilégio de tocar este instrumento estão Ernest Ulrich Von Kamelke, em 1965, acompanhado pelo coral Ars Nova, da UFMG. Além de Renato Koch, Heide Schek, Josf Schmithals, jur Sonnenschimdt. Robert Wolffersteig, Elisa Freixo e Lucas Raposo, jornalista, músico e organista, responsável por zelar pelo instrumento na atualidade. A Capela é aberta à comunidade estudantil e local, e as celebrações eucarísticas, acontecem, diariamente, às 6h15min. Aos sábados, às 19h e aos domingos, às 8h30min. 14 | Informativo 2012


Ginásio esportivo O ginásio esportivo possui quadras para a prática de diversos esportes como o vôlei, futsal e basquete. É terceirizado pelo Núcleo de Esportes Repique, que, diariamente, desenvolve suas atividades a partir de 17h40min.

Auditório Com capacidade para 400 pessoas, o auditório. Todo modernizado em 2011 é equipado com tecnologia digital para a transmissão de filmes, palestras, ou atividades culturais. É utilizado, em sua maioria, para as manifestações artísticas dos alunos.

biblioteca É um espaço utilizado para ouvir e contar histórias, realizar atividades de leitura, pesquisa e empréstimo de livros e interpretação de textos. A frequência média é de 2900 usuários ao mês e, aproximadamente, 1000 empréstimos. Para acompanhar os acontecimentos nacionais e mundiais, a biblioteca coloca à disposição a hemeroteca, que é a seleção e indexação de artigos e reportagens com finalidade didática, no total de 3.818 laudas. Também, encontram-se na biblioteca assinaturas das mais diversas publicações de revistas e jornais.A biblioteca possui 20.512 itens cadastrados no sistema entre livros, vídeos, CDs, CD-ROMs e hemeroteca, por meio do software Winisis, distribuído pela UNESCO. Informativo 2012 | 15


Atividade Extraclasse Procuramos diversificar e apresentar opções que enriqueçam a nossa ação pedagógica. As atividades extraclasse estão abertas para a comunidade Marcelina, alunos, familiares, funcionários, amigos e ex-alunos. Os espaços são oportunidades de participação.

Estudantes Marcelinos

Sem Fronteira Estudantes Marcelinos Sem Fronteira é o projeto de Intercâmbio cultural mantido pelo Colégio Santa Marcelina e que acontece uma vez por ano. Ele acontece em anos alternados para o México e para o Canadá por um período de 15 dias. Os alunos dos Colégios Santa Marcelina recebem e são recebidos no Brasil de forma a completar o ciclo do intercâmbio cultural. Podem participar do projeto, os alunos do nono ano do Ensino Fundamental II e do Ensino Médio. A atividade de intercâmbio é uma das ações de enriquecimento pessoal do aluno por meio de uma ação pedagógica que une arte e cultura, ciência e fé, esporte e lazer. É a oportunidade de interagir com outros povos, buscando um conhecimento cultural através das viagens. Para todas as opções de intercâmbio são realizadas reuniões preparatórias para alunos e pais.

Teatro no Santa Marcelina Entre os espaços de manifestações culturais do colégio, destaca-se o teatro que desperta a criatividade, desenvolve a expressão artística de nossos alunos e incentiva a produção. As aulas motivam a movimentar o corpo, trabalhar a voz e dar vida à imaginação do aluno. Os jogos cênicos servem para a preparação e criação de um espetáculo no final de cada semestre. Coordenado pelo professor Danilo Filho, o curso é semanal com duração de 2 horas/aula.

16 | Informativo 2012


Canto Coral Infanto-juvenil As aulas de canto coral iniciaram em setembro de 2009 com o objetivo de educar e criar uma cultura musical, desenvolver a musicalidade como forma de expressão artística, além de proporcionar a consciência e a importância do coletivo, da disciplina, entre outros aspectos para a formação lúdica dos alunos. O coral vem criando performances cênicas e musicais, usando o lúdico como uma das grandes características do grupo, para torná-lo mais atrativo para os coristas e o público. O repertório é eclético com músicas que variam entre sacra, folclóricas, MPB e clássicos internacionais. Regido pela maestrina Lúcia Amélia Batista Maciel, as aulas acontecem às terças e quintas-feiras, no auditório da escola.

Oficinas de Violão e Teclado A criação deste projeto é proporcionar à criança uma experiência musical e que ela aprenda a tocar um instrumento. A proposta atende crianças de 5 a 12 anos com módulos musicais de acordo com o instrumento escolhido, teclado (com ênfase em piano) e violão. São 20 vagas para as aulas de cada instrumento, sendo que os alunos são classificados por ordem de inscrição. O curso de música só acontecerá com o mínimo de 2 alunos por turma. As aulas, com início em fevereiro, serão oferecidas uma vez por semana com 50 minutos de duração, totalizando uma média de 16 aulas. Ao final do curso é feita uma apresentação e a entrega do certificado de conclusão. Para frequentar as aulas, o aluno deverá adquirir uma apostila em cada módulo. As oficinas de Violão e Teclado acontecem na sala 107, no espaço da Educação Infantil. Para as aulas de violão, os alunos deverão possuir o próprio instrumento.

Informativo 2012 | 17


18 | Informativo 2012


Entidades Estudantil e Social Representantes de Turma Os alunos são eleitos pelas turmas do Colégio Santa Marcelina para atuar junto à diretoria do colégio e outras associações em defesa de seus objetivos. É a oportunidade do aluno contribuir para a sua formação e exercitar a cidadania.

Ex-alunos Marcelinas Os ex-alunos encontram-se uma vez por ano, sempre em setembro. Um momento de aproximação, integração e congraçamento entre eles. Para receber informações e se inscrever como ex-aluno é só entrar no endereço www.marcelinas. com.br e clicar em ex-alunos Marcelina.

Responsabilidade Social A Associação Santa Marcelina, entidade assistencial com atuação nas áreas da educação, da cultura, da assistência social e de saúde, adota critérios de responsabilidade social em sua gestão e norteia a sua atuação de forma ética e transparente, orientando sua conduta com princípios e valores que fundamentam a sua missão. A associação incorpora às atividades da instituição a valorização da comunidade em que ela está inserida, contribuindo para a sociedade e percebendo capaz de intervir como alternativa para minimizar os problemas sociais que afetam o país. Com isso, a Associação Santa Marcelina viabiliza ações solidárias por meio do desenvolvimento de projetos que promovem a melhoria da qualidade de vida das pessoas e possibilitam a formação de cidadãos conscientes de seu papel social. Informativo 2012 | 19


O aplauso e o sucesso dos ex-alunos “Agradeço a honra em poder fazer parte da história do Santa Marcelina de Belo Horizonte, pelos ensinamentos e a educação adquiridos e que foram responsáveis pelo meu sucesso profissional”. Felipe O. Petry Aluno pelo período de 1987 a 1995 Sócio administrador e diretor do Grupo Netex Internacional Ltda, formado pela UNA de Belo Horizonte com especialização em IT e Business em Sidney, na Austrália.

• "Gostaria de parabenizar o Colégio pelos seus 60 anos e ressaltar que nele vivi momentos inesquecíveis, fiz minhas melhores amizades, aprendi e reforcei valores familiares e cristãos que me acompanharão para sempre. Aprendi a estudar e a amar o estudo, sem falar na beleza desta instituição! Sempre me senti muito bem no colégio e sem dúvidas é um local onde colocarei meus filhos. Um grande abraço a todos que dedicaram e dedicam seus dias à educação no Colégio, na profundidade que este compromisso representa.” Gisele Macedo da Silva Bonfante Estudou no colégio dos 4 aos 18 anos (1984 a 1998). Formou-se em Odontologia pela PUCMG em 2003. Especialista em Endodontia pela PUCMG, Mestre e Doutora em Saúde Pública pela UFMG. Atuo como dentista do Exército Brasileiro e profissional liberal.

20 | Informativo 2012

“Tenho o Santão dentro do meu coração. Fiz amigos para a vida e pude conviver com pessoas maravilhosas neste tempo.” Luciane Abrantes Alves Estudou no de 1987 à 1997 (do pré até o 2º do ensino médio). É bacharel em Ciência da Computação pelo Unibh e pós-graduada em Engenharia de Software pela PUC-MG. Trabalha como analista de teste sênior na Unisys/Datamec.

• “O colégio Santa Marcelina foi uma escola que contribuiu, significativamente, para minha vida profissional e pessoal onde estudei por 16 anos. Professores e orientadores, mais do que educadores e tutores, sempre foram amigos e prestativos, dentro de um ambiente acolhedor. Após 13 anos, tenho muitas recordações, saudades e carinho por todos. Sempre me alegro quando reecontro os professores, a irmã Lourdinha (professora do pré-primário) até os professores do terceiro ano do ensino médio. O tempo de convivência permitiu que surgissem grandes amizades e um forte vínculo com amigas do colégio”. Aline Dayrell Ferreira Sales Estudou no colégio dos 4 aos 18 anos (1984 a 1998). Formada em Nutrição no Newton Paiva (1999 a 2003). É Mestre e Doutora em Saúde Pública/Epidemiologia pela Faculdade de Medicina da UFMG. Atua como pesquisadora do Observatório de Saúde Urbana de Belo Horizonte e é tutora do curso de Capacitação em Vigilância das Doenças Crônicas não Transmissíveis.do Ministério da Saúde


“Sou feliz e tenho muito orgulho de ter estudado no Santa Marcelina. Construi minha vida nesse colégio ao lado de professores e de amigos maravilhosos que marcaram muito minha vida. O Santa Marcelina não se compara com nenhum outro colégio. Ele é, sempre foi e, com certeza, sempre será o melhor colégio de Belo Horizonte. Foi nele que eu consegui ótimas amizades que levarei para a vida inteira.  "Amo de paixão esse colégio e tenho muitas saudades dele!" Martha Helena Candido Fernandes Estudou no Santa Marcelina de 1994 a 1998. É formada em Administração de Empresas na Faculdade Estácio de Sá e trabalha na Empresa Rodenstock na área administrativa.

• “Passei toda minha infância e parte da minha adolescência no Santa Marcelina, ou como gostavamos de chamar, Santão. A infância é considerada aquela fase da vida de que todos sentem saudade. Comigo não é diferente, já que vivi no Santão momentos especiais e alegres. Fiz amigos que continuam sendo meus amigos mesmo depois de 20 anos longe da escola. A rigidez do colégio, combinado com a boa educação e carinho de professores, funcionários e das irmãs modelaram minha personalidade mostrando o valor de atributos como respeito ao próximo, integridade e honestidade. Saudade das olimpíadas da escola, do futebol no intervalo, das aulas de judo, do especial do Aírton, das irmã Judith,  irmã Angela, professora Bia, professor Carlos, professor Marcelo, da Gizelda, da turma do Bizu... Enfim saudades do Santão.”

Poder estudar no Colégio Santa Marcelina de Belo Horizonte foi uma experiência fantástica para a minha formação pessoal e profissional. A educação recebida abriu-me as portas para a UFMG e de meus dois filhos, Bárbara Hissa, doutoranda em física e biologia celular, e do meu filho, Pedro Hissa, estudante de engenharia aeroespacial, também ex-alunos do colégio. , postura, cultura e capacidade de falar em público. A presença de Deus e o respeito pelas pessoas foram valores plantados e que garantiram-me postura, cultura e capacidade para falar em público. Soraya Hissa de Carvalho Médica e psicanalista. Estudou da 4ª série até o 3º ano do ensino médio, de 1969 a 1977.

• É com muito prazer que me incluo na comemoração dos 60 anos do Colégio Santa Marcelina de Belo Horizonte. Como ex-aluna considero o Colégio minha casa e a ele entreguei a formação acadêmica do meu bem mais precioso o meu filho Victor, agora também ex-aluno. Desejo a toda Congregação perseverança na educação dos jovens dentro da doutrina Cristã não esquecendo jamais do carisma Marcelino. Imaculada Diniz Ballesteros Médica,estudou no Colégio Santa Marcelina de BH, no período de 1967 a 1978.

Ricardo Andrez Machado de Ávila Estudou de 1ª a 8ª série até 1992. Doutor em Bioinformática, prof. Pos-doc REUNI da UFMG, Laborátorio de Imunoquímica de Proteínas. Departamento de Bioquímica e Imunologia Instituto de Ciências Biológicas da UFMG.

Informativo 2012 | 21


Nossos

Educadores

DIRETORIA Ir. Marinez Rossato Coordenadora da Comunidade / Diretora Administrativa Geral Ir. Diva Helena Pasqual Vice-Coordenadora da Comunidade Ir. Roseli Teresinha Hart Diretora Pedagógica Ir. Maria Helena de Carvalho Vice-Diretora Pedagógica

COORDENAÇÃO

PEDAGÓGICA

ÁREA

SÉRIES/SEGMENTOS

Kátia Coelho Ribeiro Educação Infantil Eliane Brandão Pimentel Gonçalves Ensino Fundamental I Rita de Cássia Rangel Ensino Fundamental II e Ensino Médio

Ir. Cacilda Oliveira de Carvalho Artes Alexsandra Viana de Moura Educação Física Átila Anderson Dias Azevedo Ciências, Biologia, Física e Química Fábio Adriano de Queiróz Ensino Religioso Leonardo Gomes de Souza Língua Estrangeira Maria Aparecida de Oliveira Martins Araújo Língua Portuguesa e Literatura Vânia Rodrigues Nunes Matemática e Desenho Geométrico William Oliveira Andrade Filosofia, Geografia, História e Sociologia

Ir. Sirlene Carvalho da Costa Educação Infantil Ir. Ignez Zampieri Ensino Fundamental I Ir. Geralda de Oliveira Santos Auxiliar de Coordenação do Ensino Fundamental I Ir. Maria Helena de Carvalho 6º ao 8º ano do Ensino Fundamental II Ir. Cacilda Oliveira de Carvalho 9º ano Ensino Fundamental II e Ensino Médio

PASTORAL

ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL Eliane de Cássia Andrade de Nunes Educação Infantil Reila Aparecida de Andrade Gomes Ensino Fundamental I Izabel Cláudia de Oliveira Macedo 6º, 7º e 8º anos do EF II Silvana Maria Dias Camelo 9º ano do EF II e Ensino Médio

Ir. Lair Vieira Coordenadora da Pastoral

ENSINO RELIGIOSO Adriana Raimunda de Jesus 3º e 4º ano EF I; Pastoral Déa Lúcia Dayrell Ferreira 7º e 8º ano EF II Débora Pinto Silva Ramos e Melo 2º ano EF I Fábio Adriano de Queiróz 9º ano EF II; 1ª, 2ª e 3ª séries EM Ir. Geralda de Oliveira Santos 5º ano EF I Ir. Ignez Zampieri 2º ano EF I Ir. Maria Helena de Carvalho 6º ano EF II Pe. Gleición Adriano da Silva Orientador Espiritual

PORTUGUÊS, LITERATURA e REDAÇÃO Ádria Cristina Oliveira Alves Língua Portuguesa e Redação 7º ano EF II Igor Freitas de Queiróz Língua Portuguesa e Redação 6º ano EF II Ilmar Maria Aparecida dos Santos Coelho Língua Portuguesa e Redação 8º ano EF II Luiz Fernando Lima Braga Júnior Literatura 1ª, 2ª e 3ª séries EM Maria Aparecida de Oliveira Martins Araújo Língua Portuguesa e Redação 9º ano EF II e 3ª série EM Maria Luiza Silva Borges Língua Portuguesa e Redação 1ª e 2ª séries EM

INGLÊS e ESPANHOL Danielle Martins Bellezzia Inglês 1º, 2º, 3º, 4º e 5º anos EF I Laura de Carvalho Teodoro Inglês 1º, 2º, 3º, 4º e 5º anos EF I Leonardo Gomes de Souza Inglês 8º e 9º EF II; 1ª e 3ª séries EM

Patricia Maria Coelho Lacerda Espanhol 1ª, 2ª e 3ª séries EM Patrícia Rodrigues Costa de Sá Inglês 6º e 7º anos EF II; 2ª série EM Rejane Soares Mathias Espanhol 9º ano EF II

MATEMÁTICA e DESENHO GEOMÉTRICO Átila Anderson Dias Azevedo Matemática 9º ano EF II e 3ª série EM Carla de Moura Câmara Leite Matemática 6º ano EF II Danielle Christina de Paiva Carvalho Matemática e Desenho Geométrico 7º ano EF II Edemilson Lemos Parreira Júnior Matemática 2ª e 3ª séries EM Eliziê F. de Castro Monteiro Matemática e Desenho Geométrico 8º ano EF II Vânia Rodrigues Nunes Matemática 1ª série EM

CIÊNCIAS, BIOLOGIA, FÍSICA e QUÍMICA Adriana Gotschalg Maia Silva Ciências 6º ano EFII Antônio Rocha Miranda Fisíca 2ª e 3ª séries EM Cristine Costa Braga Machado Ciências 7º ano EF II Daniela Viveiros Martins Química 2ª e 3ª séries EM Deiber Willer Migliorini Mendes Ciências/Biologia 1ª e 2ª séries EM Gilson Rodrigues de Alvarenga Química 9º ano EF II; 1ª série EM Iuri Castro de Andrade Pereira Ciências 8º ano EF II José Nelo de Oliveira Física 9º ano EF II; 1ª e 3ª séries EM Manoel de Moura Barros Júnior Química 3ª séries EM Michele Caroline Adami de Araújo Ciências 9º ano EF II Paulo Flávio Queiroz Gomes Biologia 3ª série EM

22 | Informativo 2012

FILOSOFIA, GEOGRAFIA, HISTÓRIA e SOCIOLOGIA Adriano Trindade Machado Geografia 1ª série EM Cláudio Lima Ribeiro Júnior História 2ª e 3ª séries EM Christina Yukie Caldas Nakamura História1ª série EM Cristiano Fonseca Dutra Geografia 2ª série EM Davidson Fernandes Ribeiro Geografia 8º ano EFII Enilton de Souza Geografia 3ª série EM Érica Paula Frade História 9º ano EF II e 3ª série EM Fabiana Patrícia Ferreira História 7º ano EF II Kátia Teixeira Peifer Bezerra História 8º ano EF II Kely Maria Magalhães A. Silva Geografia 7º ano EF II Rodrigo César Ribeiro Horta História 6º ano EF II Rosália Rosa de Aguiar Filosofia 1ª, 2ª e 3ª séries EM; Sociologia 1ª, 2ª e 3ª séries EM Simão Bossi Santana Geografia 6º ano EF II William Oliveira Andrade Geografia 9º ano EF II

EDUCAÇÃO FÍSICA Alexsandra Viana de Moura Educação Física 6º, 7º, 8º e 9º anos EF II; 1ª série B EM Amanda Tadeu de Almeida Matos Educação Física 3º anos C e D; 4º ano C e D; 5º anos C EF I Daniel Rocha Educação Física 1º, 2º e 3º períodos A e B, Educação Infantil; 2º anos A e B; 3º anos A e B EF I Henrique Roscoe Souza Lima Educação Física 1º períodos B, C; 2º períodos B, C; 3º períodos C, D;1º anos A, B, C, D, E; 2º anos C, D EF I; 1º série EM Mairy Neiva Almada Lemos Educação Física 4º anos A, B; 5º anos A, B EF I

ARTES PLÁSTICAS, EDUCAÇÃO MUSICAL e TEATRO Aloísio José de Assis Rabelo Artes Plásticas 2º período A, B e C; 3º período A, B, C e D; 1º, 2º, 3º, 4º e 5º anos EF I; 7º e 9º anos EF II; 1ª série A e B EM Danilo José de Paula Filho Teatro 6º anos EF II e 2ª série EM José Maurício Sant´Anna Menezes Música 3º, 4º e 5º anos EF I; 6º, 7º, 8º e 9º anos EF II Renata Benedetto Música Maternal 1º, 2º e 3º períodos Educação Infantil; 1º e 2º anos EF I

ENSINO FUNDAMENTAL I Rosemary de Oliveira Veras 1º ano A Tatiana de Oliveira Lamas Cruz 1º ano B Márcia da Costa 1º ano C Rochelli Ferraz Hotts Peixoto 1º ano D Janaína de Fátima Cambuí 1º ano E Alessandra Francisca Ferreira 2º ano A Cristina Macedo Araújo Reis 2º ano B Maguy Sales de Souza 2o ano C Sônia Penido Ribeiro 2º ano D Sandra Lima 3o ano A Carmen Lúcia Silva Britto 3º ano B Rosângela Gibelini 3o ano C Silvana Lunardi Toledo 3º ano D Simone Regina Carneiro Marra 4º ano A Ana Paula Martins Conrado 4º ano B Fátima Lúcia Brant Santos 4º ano C Elizabeth Medeiros Cruz 4º ano D Adriana Márcia Couto 5º ano A Ana Rosa Leite Rodrigues 5º ano B Frieda Gabrich 5º ano C


EDUCAÇÃO INFANTIL

DEPARTAMENTO de PESSOAL

SERVIÇOS GERAIS

Ana Paula de Souza Ferreira Maternal II A Tatiane Silva Pereira Maternal II B Luciana de Souza Carneiro Carvalho Maternal II C Ione Garcia Gambogi 1º período A Roberta Regina Campos 1º período B Renata Mota da Silva 1º período C Daniela Faria Nacur de Ávila 2º período A Fernanda Benati de Andrade 2º período B Janine Helena Santos Carvalho 2º período C Ingrid Morow Dias Ferreira 3º período A Keilimar Vanessa Torres Queiroz 3º período B Fabiana Pires Santos 3º período C Fernanda Melgaço Pereira 3º período D

Ir. Nívia Almeida dos Santos Coordenadora Administrativa Elizabeth Viana de Araújo Gerente de Pessoal

Ir. Elvira Basso Coordenadora da Lavanderia Ir. Elza Rezende de Oliveira Auxiliar da Sacristia e Lavanderia Ir. Maria de Lourdes Almeida Coordenadora de Nutrição Ir. Methilde Joanna Zanella Coordenadora dos Serviços Gerais Abraão Nascimento de Paula Eletricista Adriana da Cruz Souza Auxiliar de Serviços Gerais Andréia Moreira Silva Auxiliar de Serviços Gerais Anecy Neves Prates de Souza Auxiliar de Serviços Gerais Arlene de Oliveira Castro Alvernaz Auxiliar de Serviços Gerais Cláudio Martins de Melo Jardineiro Cleide Vicente Rocha Servente Cleusa de Oliveira Alves Servente Cristiane Custódio Ribeiro Auxiliar de Serviços Gerais Elieci Santos Silva Auxiliar de Servente Geny de Almeida Freitas Cozinheira Giseli Coelho de Carvalho Lopes Auxiliar de Serviços Gerais José dos Santos Chaves Auxiliar de Serviços Gerais Kênia Cunha Soares Leite Auxiliar de Servente Laudelina Bento Ferreira Auxiliar de Servente Manoel Rodrigues Beirão Servente Marcos Jorge dos Santos Auxiliar de Serviços Gerais Maria Aparecida Moreira da Silva Auxiliar de Serviços Gerais Maria dos Anjos Gonçalves Cozinheira Maria Ivani de Oliveira Santos Auxiliar de Servente Maria Joana de Souza Pereira Auxiliar de Serviços Gerais Maria Lúcia do Nascimento Coordenadora Serviços de Manutenção Marizete Soares de Jesus Auxiliar de Serviços Gerais Milton de Oliveira Rodrigues Jardineiro Neidiane Alves Evangelista Auxiliar de Servente Nilce de Fátima Moreira Silva Auxiliar de Serviços Gerais Rita Júlia Santana Oliveira Costureira Rosely Dias da Silva Auxiliar de Serviços Gerais Roseni Nunes de Souza de Liz Auxiliar de Serviços Gerais Sandra Aparecida Sales Auxiliar de Serviços Gerais

AUXILIARES de ADMINISTRAÇÃO da EDUCAÇÃO INFANTIL Ir. Amália Mariga Ana Carolina Morais Barbosa Andréa Selma Gomes Magalhães Cláudia Nunes da Silva Gisele Silva de Assis Joice Carla de Oliveira Saraiva Juliana de Carvalho Duarte Laís Leal Lucimary Placidina da Silva Maria Aparecida Rodrigues Marizete Aparecida da Silva Nayara Gomes de Jesus Patrícia Pires de Faria Renata Crosara Andrade Saldanha Thais Bolivar de Lima Bagno

AUXILIARES de ADMINISTRAÇÃO da DISCIPLINA Ir. Albina Roman Ir. Elza Rezende de Oliveira Ir. Petronilha Isoton Aline Abdonour Assis Alexandra Salgueiro Apolônio Cláudio Pacheco Barbosa Ernani Silvio dos Santos Geraldo Aparecido Soares Hamilton Marçal de Araújo Márcio Félix Mendes Ricardo Luiz Mendes Ronaldo de Souza Pinto Valmir João da Paixão Vera Lúcia Pereira e Silva

BIBLIOTECA Juliana Muniz Amaral de Paula Bibliotecária I Joicy Aparecida Gomes Prados Jovem Aprendiz- Auxiliar Administrativo Lidiane Alves de Souza Auxiliar de Biblioteca Mateus Felipe Pereira de Melo Jovem Aprendiz- Auxiliar Administrativo

CPD Luciano Dutra Nagli Analista de Sistemas

DIGITAÇÃO Ir. Zélia Maria Maranhas Dias Leite Coordenadora de Digitação Edimar Silva Dimas Auxiliar de Administração I Vanilda Ferreira da Cruz Pires Auxiliar de Administração I

ENFERMARIA Roseni da Silva Técnico de Enfermagem – Manhã Jeane Silva Lopes Técnico de Enfermagem – Tarde

LABORATÓRIO de CIÊNCIAS Rita de Cássia Pimenta Diniz Brito Silva Laboratório

LABORATÓRIO de INFORMÁTICA Edilaine Leite Miranda Assessora de Informática Paulo Eduardo Soares do Nascimento Jovem Aprendiz-Auxiliar Administrativo Paula Luciana Pereira Vieira Técnica de Laboratório de Informática

MECANOGRAFIA Geralda Martins Mendes Auxiliar de Administração I Verônica Aparecida Guimarães Jovem Aprendiz - Auxiliar Administrativo

RECEPÇÃO Alexsandra Soares Pinto Recepcionista - Tarde Cristiane Gomes Rocha Recepcionista - Manhã Deysiane de Almeida Maltas Recepcionista - Tarde Kênia Jussara Alves Recepcionista - Manhã

RECURSOS HUMANOS Ângela Celeste Pires Assessora de RH

SECRETARIA Geralda de Fátima Fragoso Secretária Lucille Nunes Chagas Auxiliar de Administração

SERVIÇO SOCIAL Cynara Machado Assistente Social

TESOURARIA Maria da Conceição Aparecida Lourenço Auxiliar Tesouraria

SERVIÇOS de TERCEIROS Danilo José de Paula Teatro Lúcia Amélia Batista Maciel Maestrina do Canto Coral Infanto Juvenil Anjos da Guarda e EMIVE Segurança GULP Lanchonete Lipy Livraria e Papelaria, Ltda Livraria Repique Núcleo de Esportes, Ltda.

Informativo 2012 | 23


Recepção e secretaria A presença da Irmã Methilde, registrada na recepção do Colégio Santa Marcelina de Belo Horizonte, é nossa homenagem a ela que foi uma das pioneiras da instituição na década de 50. Com ela, as Irmãs Marcelinas comemoram os 60 anos de educação em Minas Gerais.

Atendimento Dias: segunda a sexta-feira Horário 7 às 17 horas Contatos Tel.: 31 3441 4988 Fax: 31 3491 6913 secretariabh@marcelinas.com.br www.marcelinas.com.br Importante Para atender com eficiência o nosso público, fineza conferir os dias e horários durante a semana. Nos finais de semana e feriados não há expediente.

24 | Informativo 2012


Cronograma de Atividades | 2012 Fevereiro 2 25 20 a 22

Início das aulas Reunião Geral de Pais e Educadores EF I, EF II e EM Recesso de Carnaval

Março 1 3 5 a9 16 e 17 21 23 e 24

Reunião Geral de Pais e Educadores E I CAEC - Tema CF 2012 Fotos das Turmas Encontro do 6º ano no Sítio da Comunidade Encontro da 2ª e 3ª Série do EM no Sítio da Comunidade Encontro do 7º ano no Sítio da Comunidade

Abril 14 e 15 21 e 22 28

Encontro de ER em São Paulo - Tema: Eixo antropológico Encontro do 8º ano no Sítio da Comunidade Encontro do 2º ano do EF I no Sítio da Comunidade

Maio 5

19

Missa da Família – 60 anos do Colégio em Belo Horizonte Horário: às19 horas Local: Ginásio Encontro do 5º ano EF I - Sítio da Comunidade

Junho 2 7

Festa Junina Peregrinação da Família Marcelina do Brasil a Aparecida do Norte (SP)

Agosto 4e5 11 18 e 19

Encontro do 9º ano EF II no Sítio da Comunidade CAEC com o tema “O ER nos segmentos básicos” Encontro de ER em São Paulo

Setembro 22 16

3º ano do EF I no Sítio da Comunidade Encontros de ex-alunos

Outubro 6 12, 13 e 14 27

Encontros do 4º ano EF I, no Sítio da Comunidade EJOM em BH - Sítio da Comunidade Primeira Eucaristia

Novembro 15, 16 e 17 24 e 25 28

Jogos em Botucatu - Comemoração do Centenário da Congregação no Brasil com a presença dos alunos de todas as Unidades do País. 5º ano EFI Passeio Celebração Eucarística da 3ª Série do EM

Dezembro 4 20

Missa do Natal - Família Celebração do Natal dos Educadores Marcelinos Informativo 2012 | 25


A criação da logomarca da Rede Santa Marcelina de Educação é a expressão de um desejo de maior unidade de todos aqueles que vivem o carisma educativo do beato Luigi Biraghi, fundador do Instituto das irmãs Marcelinas. A nova logomarca da rede fundamenta-se na inspiração do fundador, explicitada no brasão, como indicação de um caminho de vida. A estrela, elemento constitutivo das origens, indica-nos um caminho educativo que nos impele a educar por meio da construção do conhecimento, à luz dos ensinamentos cristãos, atendendo às necessidades dos tempos. A estrela é um símbolo universal, forte e representativo. Do ponto de vista da educação é guia, do ponto de vista do conhecimento é luz, pois tira da escuridão e da ignorância aqueles que buscam o aprendizado. É quente, pois só com ternura é possível ensinar. É rápida. pois assim como nós, não para no tempo, está sempre em movimento, em atualização. É referência, pois tem como principal característica orientar, seja qual for o caminho. E, independente do caminho, que carregue o brilho dos nossos valores. As cores traduzem nosso estilo educativo. O azul representa: tradição, respeito, seriedade, comprometimento, nobreza de princípios, serenidade, força, determinação e sabedoria. E o laranja: amor, ternura, dinamismo, modernidade. E assim, unimos a seriedade do azul com a energia do laranja ,criando equilíbrio perfeito: firmeza e suavidade.

26 | Informativo 2012

Brasil


Diretoria Ir. Marinez Rossato Coordenadora da Comunidade / Diretora Administrativa Geral Ir. Diva Helena Pasqual Vice-Coordenadora da Comunidade Ir. Roseli Teresinha Hart Diretora Pedagógica Ir. Maria Helena de Carvalho Vice-Diretora Pedagógica Conselho Editorial Irmã Sirlene Carvalho da Costa Irmã Ignez Zampieri Irmã Geralda de Oliveira Santos Irmã Maria Helena de Carvalho Irmã Cacilda Oliveira de Carvalho Assessora de Recursos Humanos Ângela Celeste Pires Revisão Ir. Diva Helena Pasqual Edição Gláucia | Albernaz Comunicação Projeto Gráfico e Editoração José Afonso Cezar Fotografias Edilaine Leite | Assessora de Informática Banco de Imagem do Colégio Tiragem 2.500 exemplares

Informativo 2012 | 27



Informativo 2012 - Colégio Santa Marcelina