Issuu on Google+

Instituto de psicologia em perdas e luto

Projeto Ciclo Ação Social


Instituto de Psicologia em Perdas e Luto Nascimento, vida e morte: um ciclo, um conjunto de transformações pelo qual passam todos os seres vivos. De forma inspirada e refletindo sobre este e outros contextos, foi criado o Instituto CICLO de Psicologia em Perdas e Luto com o objetivo de promover um serviço terapêutico de suporte às pessoas enlutadas. O CICLO também amplia e divulga o saber sobre o luto, no intuito de gerar mudanças de atitudes em relação a perdas e luto de modo a facilitar e atenuar os problemas decorrentes desse processo. Através de atendimento psicológico especializado, o Instituto CICLO auxilia pessoas atingidas, para que comecem a viver o seu processo de luto, se permitindo vivenciar a sua dor como uma forma de vislumbrar perspectivas para uma vida nova. O CICLO trabalha não somente com as situações ligadas à morte, mas com todas as perdas e frustrações que existem no ciclo vital. Para isso presta atendimento especializado a crianças, adolescentes, adultos, idosos, casais e famílias nas suas mais diversas necessidades de apoio psicológico.


Psicologia do Luto Luto é a reação à perda de um ente ou algo querido, à perda de alguma abstração ou significado que o objeto perdido representava, como proteção, segurança, liberdade, o ideal de alguém e assim por diante. O luto pode ser entendido como crise de acordo com a definição de Gerber (1971): “período de crise em que há desequilíbrio entre a dificuldade e a importância do problema e os recursos imediatamente disponíveis para lidar com ele: as técnicas e meios costumeiros são inadequados.” Nessa situação de desequilíbrio, sem apoio na realidade externa, a experiência mostra que as pessoas ou famílias agem sem utilizar seus recursos, tornando necessária a intervenção terapêutica para que possam conhecê-los e deles fazer bom uso. Em momentos como este o apoio psicológico torna-se fundamental. Receber compreensão, escuta e acolhimento permite que aos poucos vamos nos recuperando com maior estabilidade emocional.

Vale lembrar que o processo de luto pode dar-se de modo normal ou complicado e, neste segundo caso, requer, necessariamente, acompanhamento psicológico e, em alguns casos, psiquiátrico. O objetivo da terapia do luto é reverter, junto à família ou ao membro interessado, todo esse contexto de uma dor congelada, negação dos fatos, fugas, medo do futuro, não aceitação, comportamentos destrutivos e outros.


O reconhecimento comum da realidade da morte entre os familiares, normalizando a perda e diminuindo a sensação de mistificação são pontos relevantes do tratamento. A Psicologia do Luto atua com foco no restabelecimento, para o enlutado, da: 1. Saúde; 2. Socialização e vínculos afetivos; 3. Atitude positiva quanto ao futuro; 4. Avaliação de si e autoestima; 5. Ressignificação de sentidos e valores de vida; 6. Resiliência psíquica.

Luto é uma questão de saúde O estresse resultante do luto provoca um desequilíbrio fisiológico que leva o enlutado a uma maior suscetibilidade a enfermidades, que vão desde um resfriado, até doenças cardíacas e câncer.

Luto é uma questão social Jovens em situação de risco são parcela substancial da população brasileira. O expressivo contingente de jovens existentes no conjunto geral da população, somado ao aumento da violência e da pobreza e ao declínio das oportunidades de trabalho, estão deixando a juventude do país sem perspectivas para o futuro, sobretudo o segmento de jovens que está sendo vítima de situações sociais precárias e aquém das necessidades mínimas para garantir uma participação ativa no processo de conquista da cidadania.


A vulnerabilidade social à qual se expõe esse público, que caminha na construção de seus papéis sociais como chefe de família, profissional, cidadão e tantos outros está diretamente relacionada com o desenvolvimento de comportamentos de riscos como: 1. Baixa autoestima; 2. Sentimentos de “deslocamento” e não pertença; 3. Sentimentos de limitações impostos pela sociedade; 4. Comportamentos auto e hétero destrutivos (uso de drogas, ação sexual de risco, violência); 5. Falta de confiança nas instituições; 6. Quebra dos vínculos societais.

Esses comportamentos, por sua vez, estão conectados e atuam em cadeia impossibilitando o desempenho de papéis sociais adequados e saudáveis. A experiência de luto, inevitável na condição humana, por seu caráter desorganizador, é por si só um evento capaz de desencadear os comportamentos de riscos citados, colocando o indivíduo em situação vulnerável, trazendo prejuízos para toda sua vida e consequências para a sociedade na qual está inserido.


Proposta do Instituto CICLO

ConteĂşdo removido para preservar identidades e propostas da empresa.


Missão Proporcionar acompanhamento psicológico às pessoas enlutadas para que comecem a viver o seu processo de luto, se permitindo vivenciar a sua dor vislumbrando perspectivas de uma vida nova.

Instituto de psicologia em perdas e luto

Rua Juvenal de Carvalho, 690 Fátima - Fortaleza, Ceará 85 4141.4547 - 85 8888.4853 www.institutociclo.com.br


Projeto Ciclo de Ação Social