Page 1

Página •

TÜV Rheinland Notícias | nº VI • março-abril/2008

3

Novidades TÜV Rheinland

6

TÜV Rheinland Notícias | nº VI • março-abril/2008

Novidades TÜV Rheinland

Ductor participa da construção do metrô de Salvador A capital do Estado da Bahia é internacionalmente famosa pelo seu carnaval e por ser berço de inúmeros artistas que levaram a todo o país e exterior os ritmos típicos da música baiana. Salvador tem crescido muito e é a cidade mais desenvolvida do Estado em termos econômicos, status alcançado graças a sua histórica participação comercial e industrial e por seu setor de serviços, hoje responsável por quase 80% da economia da cidade, de acordo com a Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia. Como importante pólo turístico e econômico da região nordeste, a capital baiana precisa fazer frente às necessidades que seu crescimento demanda, como implementar melhorias nas condições de tranporte público por conta do aumento do trânsito, e a Ductor tem contribuído para esse desenvolvimento, com sua participação na construção do metrô de Salvador. Contratada pela Companhia de Transporte de Salvador, a Ductor tem a tarefa de supervisionar e fiscalizar a fabricação dos sistemas de sinalização, telecomunicações, ventilação do túnel e auxiliares, como escadas rolantes, elevadores e bilhetagem. Além disso, a empresa

Página •

Projeto tem grande importância social para bairros da periferia é responsável por acompanhar no exterior a fabricação dos trens, que está sendo realizada na Coréia. Para atender um público médio de 200 mil pessoas por dia está em construção uma linha de metrô, que deverá ligar a periferia da cidade à região central. De acordo com o Coordenador de Supervisão da Ductor em Salvador, Geraldo Teixeira, “O metrô terá um elevado alcance social, trazendo pessoas carentes

Notícias

| nº VI • março-abril/2008

ECO-HOTEL: e necessitadas de transporte até o centro da cidade. Esse é o grande benefício para a população”. A participação da Ductor numa obra de largo alcance social é motivo de grande satisfação para o Grupo TÜV Rheinland, comprometida com o desenvolvimento humano e social. Com um transporte público de qualidade à disposição, haverá uma diminuição significativa do transporte individual, um dos principais vilões do tráfego carregado nas grandes cidades brasileiras. Com isso, também será reduzida a emissão de poluentes na atmosfera. Geraldo Teixeira geraldoteixeira@ductor.com.br

QUALIDADE:

novo selo para rede

hoteleira A TÜV Rheinland do Brasil está trazendo para o país um selo exclusivamente voltado para a rede hoteleira, o EcoHotel. Esta certificação inovadora, desenvolvida pela TÜV Rheinland de Portugal, estabelece uma série de boas práticas ambientais para os hotéis, como economia no consumo de água e energia elétrica e redução na emissão de resíduos poluentes, além da conformidade com a legislação ambiental e a segurança dos hóspedes. O Eco-Hotel tem como referências as normas da série ISO 9000, relativas à Gestão de Qualidade, e também a ISO 14001, para Gestão Ambiental, e é voltado a todas as empresas do setor hoteleiro. Em Portugal já são mais de 10 estabelecimentos certificados. Para Rui da Silva Miguel, Presidente do Conselho Administrativo do Aldeamento Villa´s d´Água, no Algarve, “esta certificação, além das vantagens competitivas, cria uma imagem de responsabilidade da empresa para com os clientes”.

exigência e direito dos consumidores

OBJETIVOS DE UM SISTEMA ECO-HOTEL: ■

Atender às preocupações ambientais dos clientes

Satisfazer as exigências dos investidores em relação

ao padrão de atendimento e otimização de recursos

Certificação requer boas práticas ambientais dos hotéis Em todo o mundo as pessoas têm dado maior atenção às questões ambientais, e uma das principais vantagens do Eco-Hotel é a conquista de maior prestígio junto aos clientes. De acordo com Regina Célia Toscano, Superintendente Técnico para Certificação de Alimentos e de Treinamentos, “além de desfrutar de seus dias de hospedagem, o visitante tem a oportunidade de participar de atividades de conscientização ambiental e tem garantias de que está em um local seguro”. Para obter a certificação, o hotel deve implementar medidas de segurança contra riscos de incêndio e facilitar o acesso de serviços de emergência. A manutenção dos

Redução de custos

Conformidade com os requisitos legais

Afirmar responsabilidade sustentável do hotel

Minimizar os seguros de responsabilidade civil

equipamentos é controlada, de forma que sistemas de aquecimento e ar-condicionado, entre outros, operem sempre em boas condições. “O local deve ter sistema de alarme, iluminação e sinalização de segurança e meios de controle de fumo”, completa Regina. Essas medidas resultam ainda em uma maior lucratividade aos estabelecimentos certificados. “Verificamos a necessidade da rede hoteleira no Brasil e fomos buscar essa certificação, que é totalmente adaptada à segurança do nosso setor turístico e aos problemas ambientais do país. Promoveremos workshops em todo o Brasil para a divulgação do Eco-Hotel”, diz Regina Toscano, comentando o início de um projeto piloto junto a redes de hotéis em território nacional.

Regina Celia Toscano RToscano@br.tuv.com

Notas & Mercado

Novidades TÜV Rheinland página

Curso de gerenciamento reúne executivos do Grupo TÜV Rheinland

4

páginas

Novidades TÜV Rheinland 2

e

TÜV Rheinland do Brasil amplia atendimento à região Norte Ductor participa da construção do metrô de Salvador

3

página

Eco-Hotel: novo selo para rede hoteleira

6


Página •

TÜV Rheinland Notícias | nº VI • março-abril/2008

2

Palavra do Presidente

Pacto de Qualidade e Responsabilidade

T

êm-se falado exaustivamente em Direitos do Consumidor, no papel do consumidor consciente. Temos sido constantemente bombardeados por campanhas que apregoam a importância de práticas como reciclar lixo, economizar água, evitar o consumo de produtos que poluam o meio-ambiente. Faço aqui uma reflexão mais profunda sobre esse tema, hoje tão difundido. Qual o papel das empresas certificadoras nessa cultura crescente em busca de produtos que não ofereçam riscos à saúde, ao meioambiente e produzidos com responsabilidade social? O Grupo TÜV Rheinland é signatário do Pacto Global da ONU, e como tal, tem o seu papel na construção de uma base de entendimento comum entre os participantes do mercado, indo muito além da Certificação. Nosso serviço Brand Protection System visa proteger a reputação das marcas de produtos e fabricantes, um facilitador para o caminho da informação segura ao consumidor. Oferecemos ciclos completos de testes, inclusive em protótipos, antes da fabricação em larga escala e trabalhamos no aprimoramento da cadeia de relacionamentos, facilitando a rastreabilidade, desde a matéria prima até o produto que chega às mãos do consumidor. O Dia Mundial dos Direitos do Consumidor nos convida a comemorar as conquistas obtidas até o presente, e refletir sobre os novos desafios.

TÜV Rheinland Notícias | nº VI • março-abril/2008

4

Novidades TÜV Rheinland

TÜV Rheinland no seu Dia-a-Dia

TÜV Rheinland do Brasil amplia atendimento à região Norte

QUALIDADE:

Dando continuidade ao seu processo de expansão no país, a TÜV Rheinland do Brasil iniciou em abril seus trabalhos no novo escritório de Manaus (AM), que atenderá o Norte e parte do Nordeste. A região abriga empresas de diversas áreas e é um ponto estratégico para a atuação da TÜV Rheinland do Brasil. O foco principal são os programas de certificação de Sistemas de Gestão e de produtos, incluindo certificações voltadas ao mercado internacional. Parte da produção industrial da região, como monitores e televisores, é exportada para países como a Argentina, onde determinadas certifi cações são compulsórias, e a presença global do Grupo TÜV Rheinland permite à equipe de Manaus oferecer certificações válidas em qualquer parte do mundo.

Esta é uma publicação de:

TÜV Rheinland do Brasil http://www.tuvbrasil.com.br Tel.: 11 3638-5700 • Fax: 11 3638-5733 End.: Avenida Paulista, 302 4º andar 01310-000 • São Paulo - SP Projeto gráfico e editorial: Art On Line Comunicação Jornalista responsável: Isabella César - MTb 50482

Antonio Carlos Caio da Silva Presidente da TÜV Rheinland do Brasil

Página •

Sugestões e comentários: tuvnoticias@tuvbrasil.com.br

Objetivo é alcançar setores como bebidas, eletroeletrônicos e construção civil A construção civil também está em plena expansão no Pólo Industrial e em estados vizinhos, como Pará e Amapá, e as certificações para construtoras têm sido bastante procuradas. Além de atender às questões comerciais, o trabalho da filial visa obter um ganho logístico, com equipes técnicas locais, minimizando os custos operacionais dos processos. A empresa tem uma meta agressiva de crescimento para os próximos meses e, em breve, terão início as atividades de inspeções técnicas. Alexandre Soares Kozik Alexandre.Kozik@br.tuv.com

Página •

Você é um consumidor consciente e que respeita o meio ambiente? Responda sim ou não.

exigência e direito dos consumidores

Antes mesmo da descoberta dos metais e da criação da moeda, a humanidade já iniciava suas relações comerciais através da troca de mercadorias. Há mais de dois mil anos iniciou-se a troca de mercadorias por dinheiro, estabelecendo as leis de consumo que são válidas até hoje. A partir deste momento surgiu um personagem fundamental para este sistema funcionar: o consumidor. Em 15 de março de 1962 o então presidente dos Estados Unidos, John Fitzgerald Kennedy, reconheceu os direitos dos consumidores perante o Congresso Americano, quanto à livre escolha de produtos e serviços, a segurança dos produtos, informações às quais as pessoas deveriam ter aces-

TÜV Rheinland Notícias | nº VI • março-abril/2008

5

Certificações harmonizam relação entre consumidor e fabricante so e também a necessidade de serem ouvidos pelos fornecedores e autoridades. A atitude de Kennedy causou um forte impacto em todo o mundo e estes princípios norteiam a luta dos consumidores por seus direitos até os dias de hoje. O Dia Mundial dos Direitos do Consumidor foi inicialmente comemorado em 15 de março de 1983. Dois anos depois a Assembléia Geral das Nações Unidas (ONU) legitimou esses direitos que, sabe-se hoje, são basicamente qua-

tro: direito à segurança ou proteção contra a comercialização de produtos perigosos à saúde e à vida, direito à informação, direito à opção, considerando a concorrência e a competitividade como fatores favoráveis ao consumidor, e o direito a ser ouvido. Tomando por base seus direitos e o conhecimento adquirido, o consumidor tem se mostrado cada vez mais exigente, principalmente quanto à qualidade de produtos e serviços e sua relação com os fabricantes ou prestadores destes serviços, e tem aprendido a reivindicar. As campeãs de reclamações são empresas que demonstram falhas nesses quesi tos, soma das àquelas que desrespeitam o meio ambiente.

O consumidor atual adotou uma postura crítica no seu dia-a-dia, verificando especificações do produto e selos de qualidade.

Essa postura exigente tem feito com que as empresas busquem aprimorar a qualidade de seu relacionamento com os consumidores e também dos produtos e serviços que oferecem, além do desenvolvimento de medidas voltadas à sustentabilidade. A procura por certificações, como ISO 14001, SA 8000, Boas Práticas de Fabricação e RoHS, é um fator positivo nessa conquista. A ISO 14001 define os requisitos para estabelecer e operar um Sistema de Gestão Ambiental e demonstra que as organizações estão preocupadas não só com a lucratividade, mas também com a gestão de impactos ambientais. Também voltada ao meio ambiente, a diretiva conhecida por RoHS (Restriction of Hazardous Substances) trata da restrição ao uso de substâncias nocivas na fabricação de equipamentos eletroeletrônicos. SA 8000 é uma norma internacional relacionada à responsabilidade social e que define os requisitos referentes às práticas so-

1) Você utiliza lâmpadas fluorescentes em sua casa? 2) Você desliga a torneira enquanto escova os dentes ou ensaboa a louça? 3) Você deixa o chuveiro aberto no máximo 10 minutos durante o banho? 4) Você planeja suas compras, de forma que não desperdice alimentos? 5) Você confere se as informações dos rótulos são condizentes com a realidade, como peso e quantidade dos produtos? 6) Se desconfia de alguma irregularidade em produtos adquiridos ou se tem algum problema após a compra, você entra em contato com o serviço de atendimento ao consumidor do fabricante? 7) Você separa materiais para coleta seletiva e reciclagem? 8) Você dispensa ou minimiza a utilização de sacolas plásticas em suas compras? 9) Você deixa o carro na garagem para fazer pequenos trajetos ou utiliza transporte alternativo, como bicicletas? 10) Quando você vai comprar produtos em madeira, procura saber se esta é certificada e se não se trata de uma espécie em extinção?

Se você respondeu “sim” a todas as questões ou a maior parte delas, pode-se considerar um consumidor consciente e que respeita o meio ambiente. Se a maioria de suas respostas foi “não”, procure se informar e melhorar a sua participação na sociedade como consumidor.

ciais do emprego por parte de fabricantes e seus fornecedores. Outra certificação que define boas práticas é a BPF, ou Boas Práticas de Fabricação, específica para indústrias de alimentos e que tem por objetivo garantir qualidade sa-

nitária e conformidade com regulamentos técnicos. Empresas que investem recursos na obtenção de certificações afirmam seu comprometimento com a sustentabilidade, agregam valor aos seus produtos e serviços e são reconhecidas por seus consu midores, levando-os à fidelização à sua marca.

Notas & Mercado

Curso de

gerenciamento

reúne executivos do Grupo TÜV Rheinland

Nos dias 16 a 21 de março executivos de alto nível da do Grupo TÜV Rheinland de todos os continentes participaram do TÜV Rheinland Management Academy (TMA), um curso de gerenciamento oferecido em Shangai (China), no CELAP - China Executive Leadership Academy Pudong

Encontro na China aborda internacionalização do Grupo e organizado pelo ESMT - European School of Management and Technology, de Berlim. O curso teve como principal objetivo a troca de experiências

e informações entre os presidentes e diretores de unidades da empresa em todo mundo, com foco na otimização das operações internacionais do Grupo. Entre os presentes estava Antonio Carlos Caio da Silva, Presidente da TÜV Rheinland do Brasil. Ele afirma que “fiquei muito satisfeito em

constatar que as ferramentas apresentadas já são prática habitual na operação da empresa no Brasil e que a equipe brasileira está bem preparada”, em referência aos desafios apresentados pela expansão dos negócios do Grupo. Executivos dos 5 continentes se reuniram em Shanghai


Página •

TÜV Rheinland Notícias | nº VI • março-abril/2008

3

Novidades TÜV Rheinland

6

TÜV Rheinland Notícias | nº VI • março-abril/2008

Novidades TÜV Rheinland

Ductor participa da construção do metrô de Salvador A capital do Estado da Bahia é internacionalmente famosa pelo seu carnaval e por ser berço de inúmeros artistas que levaram a todo o país e exterior os ritmos típicos da música baiana. Salvador tem crescido muito e é a cidade mais desenvolvida do Estado em termos econômicos, status alcançado graças a sua histórica participação comercial e industrial e por seu setor de serviços, hoje responsável por quase 80% da economia da cidade, de acordo com a Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia. Como importante pólo turístico e econômico da região nordeste, a capital baiana precisa fazer frente às necessidades que seu crescimento demanda, como implementar melhorias nas condições de tranporte público por conta do aumento do trânsito, e a Ductor tem contribuído para esse desenvolvimento, com sua participação na construção do metrô de Salvador. Contratada pela Companhia de Transporte de Salvador, a Ductor tem a tarefa de supervisionar e fiscalizar a fabricação dos sistemas de sinalização, telecomunicações, ventilação do túnel e auxiliares, como escadas rolantes, elevadores e bilhetagem. Além disso, a empresa

Página •

Projeto tem grande importância social para bairros da periferia é responsável por acompanhar no exterior a fabricação dos trens, que está sendo realizada na Coréia. Para atender um público médio de 200 mil pessoas por dia está em construção uma linha de metrô, que deverá ligar a periferia da cidade à região central. De acordo com o Coordenador de Supervisão da Ductor em Salvador, Geraldo Teixeira, “O metrô terá um elevado alcance social, trazendo pessoas carentes

Notícias

| nº VI • março-abril/2008

ECO-HOTEL: e necessitadas de transporte até o centro da cidade. Esse é o grande benefício para a população”. A participação da Ductor numa obra de largo alcance social é motivo de grande satisfação para o Grupo TÜV Rheinland, comprometida com o desenvolvimento humano e social. Com um transporte público de qualidade à disposição, haverá uma diminuição significativa do transporte individual, um dos principais vilões do tráfego carregado nas grandes cidades brasileiras. Com isso, também será reduzida a emissão de poluentes na atmosfera. Geraldo Teixeira geraldoteixeira@ductor.com.br

QUALIDADE:

novo selo para rede

hoteleira A TÜV Rheinland do Brasil está trazendo para o país um selo exclusivamente voltado para a rede hoteleira, o EcoHotel. Esta certificação inovadora, desenvolvida pela TÜV Rheinland de Portugal, estabelece uma série de boas práticas ambientais para os hotéis, como economia no consumo de água e energia elétrica e redução na emissão de resíduos poluentes, além da conformidade com a legislação ambiental e a segurança dos hóspedes. O Eco-Hotel tem como referências as normas da série ISO 9000, relativas à Gestão de Qualidade, e também a ISO 14001, para Gestão Ambiental, e é voltado a todas as empresas do setor hoteleiro. Em Portugal já são mais de 10 estabelecimentos certificados. Para Rui da Silva Miguel, Presidente do Conselho Administrativo do Aldeamento Villa´s d´Água, no Algarve, “esta certificação, além das vantagens competitivas, cria uma imagem de responsabilidade da empresa para com os clientes”.

exigência e direito dos consumidores

OBJETIVOS DE UM SISTEMA ECO-HOTEL: ■

Atender às preocupações ambientais dos clientes

Satisfazer as exigências dos investidores em relação

ao padrão de atendimento e otimização de recursos

Certificação requer boas práticas ambientais dos hotéis Em todo o mundo as pessoas têm dado maior atenção às questões ambientais, e uma das principais vantagens do Eco-Hotel é a conquista de maior prestígio junto aos clientes. De acordo com Regina Célia Toscano, Superintendente Técnico para Certificação de Alimentos e de Treinamentos, “além de desfrutar de seus dias de hospedagem, o visitante tem a oportunidade de participar de atividades de conscientização ambiental e tem garantias de que está em um local seguro”. Para obter a certificação, o hotel deve implementar medidas de segurança contra riscos de incêndio e facilitar o acesso de serviços de emergência. A manutenção dos

Redução de custos

Conformidade com os requisitos legais

Afirmar responsabilidade sustentável do hotel

Minimizar os seguros de responsabilidade civil

equipamentos é controlada, de forma que sistemas de aquecimento e ar-condicionado, entre outros, operem sempre em boas condições. “O local deve ter sistema de alarme, iluminação e sinalização de segurança e meios de controle de fumo”, completa Regina. Essas medidas resultam ainda em uma maior lucratividade aos estabelecimentos certificados. “Verificamos a necessidade da rede hoteleira no Brasil e fomos buscar essa certificação, que é totalmente adaptada à segurança do nosso setor turístico e aos problemas ambientais do país. Promoveremos workshops em todo o Brasil para a divulgação do Eco-Hotel”, diz Regina Toscano, comentando o início de um projeto piloto junto a redes de hotéis em território nacional.

Regina Celia Toscano RToscano@br.tuv.com

Notas & Mercado

Novidades TÜV Rheinland página

Curso de gerenciamento reúne executivos do Grupo TÜV Rheinland

4

páginas

Novidades TÜV Rheinland 2

e

TÜV Rheinland do Brasil amplia atendimento à região Norte Ductor participa da construção do metrô de Salvador

3

página

Eco-Hotel: novo selo para rede hoteleira

6


Página •

TÜV Rheinland Notícias | nº VI • março-abril/2008

2

Palavra do Presidente

Pacto de Qualidade e Responsabilidade

T

êm-se falado exaustivamente em Direitos do Consumidor, no papel do consumidor consciente. Temos sido constantemente bombardeados por campanhas que apregoam a importância de práticas como reciclar lixo, economizar água, evitar o consumo de produtos que poluam o meio-ambiente. Faço aqui uma reflexão mais profunda sobre esse tema, hoje tão difundido. Qual o papel das empresas certificadoras nessa cultura crescente em busca de produtos que não ofereçam riscos à saúde, ao meioambiente e produzidos com responsabilidade social? O Grupo TÜV Rheinland é signatário do Pacto Global da ONU, e como tal, tem o seu papel na construção de uma base de entendimento comum entre os participantes do mercado, indo muito além da Certificação. Nosso serviço Brand Protection System visa proteger a reputação das marcas de produtos e fabricantes, um facilitador para o caminho da informação segura ao consumidor. Oferecemos ciclos completos de testes, inclusive em protótipos, antes da fabricação em larga escala e trabalhamos no aprimoramento da cadeia de relacionamentos, facilitando a rastreabilidade, desde a matéria prima até o produto que chega às mãos do consumidor. O Dia Mundial dos Direitos do Consumidor nos convida a comemorar as conquistas obtidas até o presente, e refletir sobre os novos desafios.

TÜV Rheinland Notícias | nº VI • março-abril/2008

4

Novidades TÜV Rheinland

TÜV Rheinland no seu Dia-a-Dia

TÜV Rheinland do Brasil amplia atendimento à região Norte

QUALIDADE:

Dando continuidade ao seu processo de expansão no país, a TÜV Rheinland do Brasil iniciou em abril seus trabalhos no novo escritório de Manaus (AM), que atenderá o Norte e parte do Nordeste. A região abriga empresas de diversas áreas e é um ponto estratégico para a atuação da TÜV Rheinland do Brasil. O foco principal são os programas de certificação de Sistemas de Gestão e de produtos, incluindo certificações voltadas ao mercado internacional. Parte da produção industrial da região, como monitores e televisores, é exportada para países como a Argentina, onde determinadas certifi cações são compulsórias, e a presença global do Grupo TÜV Rheinland permite à equipe de Manaus oferecer certificações válidas em qualquer parte do mundo.

Esta é uma publicação de:

TÜV Rheinland do Brasil http://www.tuvbrasil.com.br Tel.: 11 3638-5700 • Fax: 11 3638-5733 End.: Avenida Paulista, 302 4º andar 01310-000 • São Paulo - SP Projeto gráfico e editorial: Art On Line Comunicação Jornalista responsável: Isabella César - MTb 50482

Antonio Carlos Caio da Silva Presidente da TÜV Rheinland do Brasil

Página •

Sugestões e comentários: tuvnoticias@tuvbrasil.com.br

Objetivo é alcançar setores como bebidas, eletroeletrônicos e construção civil A construção civil também está em plena expansão no Pólo Industrial e em estados vizinhos, como Pará e Amapá, e as certificações para construtoras têm sido bastante procuradas. Além de atender às questões comerciais, o trabalho da filial visa obter um ganho logístico, com equipes técnicas locais, minimizando os custos operacionais dos processos. A empresa tem uma meta agressiva de crescimento para os próximos meses e, em breve, terão início as atividades de inspeções técnicas. Alexandre Soares Kozik Alexandre.Kozik@br.tuv.com

Página •

Você é um consumidor consciente e que respeita o meio ambiente? Responda sim ou não.

exigência e direito dos consumidores

Antes mesmo da descoberta dos metais e da criação da moeda, a humanidade já iniciava suas relações comerciais através da troca de mercadorias. Há mais de dois mil anos iniciou-se a troca de mercadorias por dinheiro, estabelecendo as leis de consumo que são válidas até hoje. A partir deste momento surgiu um personagem fundamental para este sistema funcionar: o consumidor. Em 15 de março de 1962 o então presidente dos Estados Unidos, John Fitzgerald Kennedy, reconheceu os direitos dos consumidores perante o Congresso Americano, quanto à livre escolha de produtos e serviços, a segurança dos produtos, informações às quais as pessoas deveriam ter aces-

TÜV Rheinland Notícias | nº VI • março-abril/2008

5

Certificações harmonizam relação entre consumidor e fabricante so e também a necessidade de serem ouvidos pelos fornecedores e autoridades. A atitude de Kennedy causou um forte impacto em todo o mundo e estes princípios norteiam a luta dos consumidores por seus direitos até os dias de hoje. O Dia Mundial dos Direitos do Consumidor foi inicialmente comemorado em 15 de março de 1983. Dois anos depois a Assembléia Geral das Nações Unidas (ONU) legitimou esses direitos que, sabe-se hoje, são basicamente qua-

tro: direito à segurança ou proteção contra a comercialização de produtos perigosos à saúde e à vida, direito à informação, direito à opção, considerando a concorrência e a competitividade como fatores favoráveis ao consumidor, e o direito a ser ouvido. Tomando por base seus direitos e o conhecimento adquirido, o consumidor tem se mostrado cada vez mais exigente, principalmente quanto à qualidade de produtos e serviços e sua relação com os fabricantes ou prestadores destes serviços, e tem aprendido a reivindicar. As campeãs de reclamações são empresas que demonstram falhas nesses quesi tos, soma das àquelas que desrespeitam o meio ambiente.

O consumidor atual adotou uma postura crítica no seu dia-a-dia, verificando especificações do produto e selos de qualidade.

Essa postura exigente tem feito com que as empresas busquem aprimorar a qualidade de seu relacionamento com os consumidores e também dos produtos e serviços que oferecem, além do desenvolvimento de medidas voltadas à sustentabilidade. A procura por certificações, como ISO 14001, SA 8000, Boas Práticas de Fabricação e RoHS, é um fator positivo nessa conquista. A ISO 14001 define os requisitos para estabelecer e operar um Sistema de Gestão Ambiental e demonstra que as organizações estão preocupadas não só com a lucratividade, mas também com a gestão de impactos ambientais. Também voltada ao meio ambiente, a diretiva conhecida por RoHS (Restriction of Hazardous Substances) trata da restrição ao uso de substâncias nocivas na fabricação de equipamentos eletroeletrônicos. SA 8000 é uma norma internacional relacionada à responsabilidade social e que define os requisitos referentes às práticas so-

1) Você utiliza lâmpadas fluorescentes em sua casa? 2) Você desliga a torneira enquanto escova os dentes ou ensaboa a louça? 3) Você deixa o chuveiro aberto no máximo 10 minutos durante o banho? 4) Você planeja suas compras, de forma que não desperdice alimentos? 5) Você confere se as informações dos rótulos são condizentes com a realidade, como peso e quantidade dos produtos? 6) Se desconfia de alguma irregularidade em produtos adquiridos ou se tem algum problema após a compra, você entra em contato com o serviço de atendimento ao consumidor do fabricante? 7) Você separa materiais para coleta seletiva e reciclagem? 8) Você dispensa ou minimiza a utilização de sacolas plásticas em suas compras? 9) Você deixa o carro na garagem para fazer pequenos trajetos ou utiliza transporte alternativo, como bicicletas? 10) Quando você vai comprar produtos em madeira, procura saber se esta é certificada e se não se trata de uma espécie em extinção?

Se você respondeu “sim” a todas as questões ou a maior parte delas, pode-se considerar um consumidor consciente e que respeita o meio ambiente. Se a maioria de suas respostas foi “não”, procure se informar e melhorar a sua participação na sociedade como consumidor.

ciais do emprego por parte de fabricantes e seus fornecedores. Outra certificação que define boas práticas é a BPF, ou Boas Práticas de Fabricação, específica para indústrias de alimentos e que tem por objetivo garantir qualidade sa-

nitária e conformidade com regulamentos técnicos. Empresas que investem recursos na obtenção de certificações afirmam seu comprometimento com a sustentabilidade, agregam valor aos seus produtos e serviços e são reconhecidas por seus consu midores, levando-os à fidelização à sua marca.

Notas & Mercado

Curso de

gerenciamento

reúne executivos do Grupo TÜV Rheinland

Nos dias 16 a 21 de março executivos de alto nível da do Grupo TÜV Rheinland de todos os continentes participaram do TÜV Rheinland Management Academy (TMA), um curso de gerenciamento oferecido em Shangai (China), no CELAP - China Executive Leadership Academy Pudong

Encontro na China aborda internacionalização do Grupo e organizado pelo ESMT - European School of Management and Technology, de Berlim. O curso teve como principal objetivo a troca de experiências

e informações entre os presidentes e diretores de unidades da empresa em todo mundo, com foco na otimização das operações internacionais do Grupo. Entre os presentes estava Antonio Carlos Caio da Silva, Presidente da TÜV Rheinland do Brasil. Ele afirma que “fiquei muito satisfeito em

constatar que as ferramentas apresentadas já são prática habitual na operação da empresa no Brasil e que a equipe brasileira está bem preparada”, em referência aos desafios apresentados pela expansão dos negócios do Grupo. Executivos dos 5 continentes se reuniram em Shanghai


Página •

TÜV Rheinland Notícias | nº VI • março-abril/2008

2

Palavra do Presidente

Pacto de Qualidade e Responsabilidade

T

êm-se falado exaustivamente em Direitos do Consumidor, no papel do consumidor consciente. Temos sido constantemente bombardeados por campanhas que apregoam a importância de práticas como reciclar lixo, economizar água, evitar o consumo de produtos que poluam o meio-ambiente. Faço aqui uma reflexão mais profunda sobre esse tema, hoje tão difundido. Qual o papel das empresas certificadoras nessa cultura crescente em busca de produtos que não ofereçam riscos à saúde, ao meioambiente e produzidos com responsabilidade social? O Grupo TÜV Rheinland é signatário do Pacto Global da ONU, e como tal, tem o seu papel na construção de uma base de entendimento comum entre os participantes do mercado, indo muito além da Certificação. Nosso serviço Brand Protection System visa proteger a reputação das marcas de produtos e fabricantes, um facilitador para o caminho da informação segura ao consumidor. Oferecemos ciclos completos de testes, inclusive em protótipos, antes da fabricação em larga escala e trabalhamos no aprimoramento da cadeia de relacionamentos, facilitando a rastreabilidade, desde a matéria prima até o produto que chega às mãos do consumidor. O Dia Mundial dos Direitos do Consumidor nos convida a comemorar as conquistas obtidas até o presente, e refletir sobre os novos desafios.

TÜV Rheinland Notícias | nº VI • março-abril/2008

4

Novidades TÜV Rheinland

TÜV Rheinland no seu Dia-a-Dia

TÜV Rheinland do Brasil amplia atendimento à região Norte

QUALIDADE:

Dando continuidade ao seu processo de expansão no país, a TÜV Rheinland do Brasil iniciou em abril seus trabalhos no novo escritório de Manaus (AM), que atenderá o Norte e parte do Nordeste. A região abriga empresas de diversas áreas e é um ponto estratégico para a atuação da TÜV Rheinland do Brasil. O foco principal são os programas de certificação de Sistemas de Gestão e de produtos, incluindo certificações voltadas ao mercado internacional. Parte da produção industrial da região, como monitores e televisores, é exportada para países como a Argentina, onde determinadas certifi cações são compulsórias, e a presença global do Grupo TÜV Rheinland permite à equipe de Manaus oferecer certificações válidas em qualquer parte do mundo.

Esta é uma publicação de:

TÜV Rheinland do Brasil http://www.tuvbrasil.com.br Tel.: 11 3638-5700 • Fax: 11 3638-5733 End.: Avenida Paulista, 302 4º andar 01310-000 • São Paulo - SP Projeto gráfico e editorial: Art On Line Comunicação Jornalista responsável: Isabella César - MTb 50482

Antonio Carlos Caio da Silva Presidente da TÜV Rheinland do Brasil

Página •

Sugestões e comentários: tuvnoticias@tuvbrasil.com.br

Objetivo é alcançar setores como bebidas, eletroeletrônicos e construção civil A construção civil também está em plena expansão no Pólo Industrial e em estados vizinhos, como Pará e Amapá, e as certificações para construtoras têm sido bastante procuradas. Além de atender às questões comerciais, o trabalho da filial visa obter um ganho logístico, com equipes técnicas locais, minimizando os custos operacionais dos processos. A empresa tem uma meta agressiva de crescimento para os próximos meses e, em breve, terão início as atividades de inspeções técnicas. Alexandre Soares Kozik Alexandre.Kozik@br.tuv.com

Página •

Você é um consumidor consciente e que respeita o meio ambiente? Responda sim ou não.

exigência e direito dos consumidores

Antes mesmo da descoberta dos metais e da criação da moeda, a humanidade já iniciava suas relações comerciais através da troca de mercadorias. Há mais de dois mil anos iniciou-se a troca de mercadorias por dinheiro, estabelecendo as leis de consumo que são válidas até hoje. A partir deste momento surgiu um personagem fundamental para este sistema funcionar: o consumidor. Em 15 de março de 1962 o então presidente dos Estados Unidos, John Fitzgerald Kennedy, reconheceu os direitos dos consumidores perante o Congresso Americano, quanto à livre escolha de produtos e serviços, a segurança dos produtos, informações às quais as pessoas deveriam ter aces-

TÜV Rheinland Notícias | nº VI • março-abril/2008

5

Certificações harmonizam relação entre consumidor e fabricante so e também a necessidade de serem ouvidos pelos fornecedores e autoridades. A atitude de Kennedy causou um forte impacto em todo o mundo e estes princípios norteiam a luta dos consumidores por seus direitos até os dias de hoje. O Dia Mundial dos Direitos do Consumidor foi inicialmente comemorado em 15 de março de 1983. Dois anos depois a Assembléia Geral das Nações Unidas (ONU) legitimou esses direitos que, sabe-se hoje, são basicamente qua-

tro: direito à segurança ou proteção contra a comercialização de produtos perigosos à saúde e à vida, direito à informação, direito à opção, considerando a concorrência e a competitividade como fatores favoráveis ao consumidor, e o direito a ser ouvido. Tomando por base seus direitos e o conhecimento adquirido, o consumidor tem se mostrado cada vez mais exigente, principalmente quanto à qualidade de produtos e serviços e sua relação com os fabricantes ou prestadores destes serviços, e tem aprendido a reivindicar. As campeãs de reclamações são empresas que demonstram falhas nesses quesi tos, soma das àquelas que desrespeitam o meio ambiente.

O consumidor atual adotou uma postura crítica no seu dia-a-dia, verificando especificações do produto e selos de qualidade.

Essa postura exigente tem feito com que as empresas busquem aprimorar a qualidade de seu relacionamento com os consumidores e também dos produtos e serviços que oferecem, além do desenvolvimento de medidas voltadas à sustentabilidade. A procura por certificações, como ISO 14001, SA 8000, Boas Práticas de Fabricação e RoHS, é um fator positivo nessa conquista. A ISO 14001 define os requisitos para estabelecer e operar um Sistema de Gestão Ambiental e demonstra que as organizações estão preocupadas não só com a lucratividade, mas também com a gestão de impactos ambientais. Também voltada ao meio ambiente, a diretiva conhecida por RoHS (Restriction of Hazardous Substances) trata da restrição ao uso de substâncias nocivas na fabricação de equipamentos eletroeletrônicos. SA 8000 é uma norma internacional relacionada à responsabilidade social e que define os requisitos referentes às práticas so-

1) Você utiliza lâmpadas fluorescentes em sua casa? 2) Você desliga a torneira enquanto escova os dentes ou ensaboa a louça? 3) Você deixa o chuveiro aberto no máximo 10 minutos durante o banho? 4) Você planeja suas compras, de forma que não desperdice alimentos? 5) Você confere se as informações dos rótulos são condizentes com a realidade, como peso e quantidade dos produtos? 6) Se desconfia de alguma irregularidade em produtos adquiridos ou se tem algum problema após a compra, você entra em contato com o serviço de atendimento ao consumidor do fabricante? 7) Você separa materiais para coleta seletiva e reciclagem? 8) Você dispensa ou minimiza a utilização de sacolas plásticas em suas compras? 9) Você deixa o carro na garagem para fazer pequenos trajetos ou utiliza transporte alternativo, como bicicletas? 10) Quando você vai comprar produtos em madeira, procura saber se esta é certificada e se não se trata de uma espécie em extinção?

Se você respondeu “sim” a todas as questões ou a maior parte delas, pode-se considerar um consumidor consciente e que respeita o meio ambiente. Se a maioria de suas respostas foi “não”, procure se informar e melhorar a sua participação na sociedade como consumidor.

ciais do emprego por parte de fabricantes e seus fornecedores. Outra certificação que define boas práticas é a BPF, ou Boas Práticas de Fabricação, específica para indústrias de alimentos e que tem por objetivo garantir qualidade sa-

nitária e conformidade com regulamentos técnicos. Empresas que investem recursos na obtenção de certificações afirmam seu comprometimento com a sustentabilidade, agregam valor aos seus produtos e serviços e são reconhecidas por seus consu midores, levando-os à fidelização à sua marca.

Notas & Mercado

Curso de

gerenciamento

reúne executivos do Grupo TÜV Rheinland

Nos dias 16 a 21 de março executivos de alto nível da do Grupo TÜV Rheinland de todos os continentes participaram do TÜV Rheinland Management Academy (TMA), um curso de gerenciamento oferecido em Shangai (China), no CELAP - China Executive Leadership Academy Pudong

Encontro na China aborda internacionalização do Grupo e organizado pelo ESMT - European School of Management and Technology, de Berlim. O curso teve como principal objetivo a troca de experiências

e informações entre os presidentes e diretores de unidades da empresa em todo mundo, com foco na otimização das operações internacionais do Grupo. Entre os presentes estava Antonio Carlos Caio da Silva, Presidente da TÜV Rheinland do Brasil. Ele afirma que “fiquei muito satisfeito em

constatar que as ferramentas apresentadas já são prática habitual na operação da empresa no Brasil e que a equipe brasileira está bem preparada”, em referência aos desafios apresentados pela expansão dos negócios do Grupo. Executivos dos 5 continentes se reuniram em Shanghai


Página •

TÜV Rheinland Notícias | nº VI • março-abril/2008

3

Novidades TÜV Rheinland

6

TÜV Rheinland Notícias | nº VI • março-abril/2008

Novidades TÜV Rheinland

Ductor participa da construção do metrô de Salvador A capital do Estado da Bahia é internacionalmente famosa pelo seu carnaval e por ser berço de inúmeros artistas que levaram a todo o país e exterior os ritmos típicos da música baiana. Salvador tem crescido muito e é a cidade mais desenvolvida do Estado em termos econômicos, status alcançado graças a sua histórica participação comercial e industrial e por seu setor de serviços, hoje responsável por quase 80% da economia da cidade, de acordo com a Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia. Como importante pólo turístico e econômico da região nordeste, a capital baiana precisa fazer frente às necessidades que seu crescimento demanda, como implementar melhorias nas condições de tranporte público por conta do aumento do trânsito, e a Ductor tem contribuído para esse desenvolvimento, com sua participação na construção do metrô de Salvador. Contratada pela Companhia de Transporte de Salvador, a Ductor tem a tarefa de supervisionar e fiscalizar a fabricação dos sistemas de sinalização, telecomunicações, ventilação do túnel e auxiliares, como escadas rolantes, elevadores e bilhetagem. Além disso, a empresa

Página •

Projeto tem grande importância social para bairros da periferia é responsável por acompanhar no exterior a fabricação dos trens, que está sendo realizada na Coréia. Para atender um público médio de 200 mil pessoas por dia está em construção uma linha de metrô, que deverá ligar a periferia da cidade à região central. De acordo com o Coordenador de Supervisão da Ductor em Salvador, Geraldo Teixeira, “O metrô terá um elevado alcance social, trazendo pessoas carentes

Notícias

| nº VI • março-abril/2008

ECO-HOTEL: e necessitadas de transporte até o centro da cidade. Esse é o grande benefício para a população”. A participação da Ductor numa obra de largo alcance social é motivo de grande satisfação para o Grupo TÜV Rheinland, comprometida com o desenvolvimento humano e social. Com um transporte público de qualidade à disposição, haverá uma diminuição significativa do transporte individual, um dos principais vilões do tráfego carregado nas grandes cidades brasileiras. Com isso, também será reduzida a emissão de poluentes na atmosfera. Geraldo Teixeira geraldoteixeira@ductor.com.br

QUALIDADE:

novo selo para rede

hoteleira A TÜV Rheinland do Brasil está trazendo para o país um selo exclusivamente voltado para a rede hoteleira, o EcoHotel. Esta certificação inovadora, desenvolvida pela TÜV Rheinland de Portugal, estabelece uma série de boas práticas ambientais para os hotéis, como economia no consumo de água e energia elétrica e redução na emissão de resíduos poluentes, além da conformidade com a legislação ambiental e a segurança dos hóspedes. O Eco-Hotel tem como referências as normas da série ISO 9000, relativas à Gestão de Qualidade, e também a ISO 14001, para Gestão Ambiental, e é voltado a todas as empresas do setor hoteleiro. Em Portugal já são mais de 10 estabelecimentos certificados. Para Rui da Silva Miguel, Presidente do Conselho Administrativo do Aldeamento Villa´s d´Água, no Algarve, “esta certificação, além das vantagens competitivas, cria uma imagem de responsabilidade da empresa para com os clientes”.

exigência e direito dos consumidores

OBJETIVOS DE UM SISTEMA ECO-HOTEL: ■

Atender às preocupações ambientais dos clientes

Satisfazer as exigências dos investidores em relação

ao padrão de atendimento e otimização de recursos

Certificação requer boas práticas ambientais dos hotéis Em todo o mundo as pessoas têm dado maior atenção às questões ambientais, e uma das principais vantagens do Eco-Hotel é a conquista de maior prestígio junto aos clientes. De acordo com Regina Célia Toscano, Superintendente Técnico para Certificação de Alimentos e de Treinamentos, “além de desfrutar de seus dias de hospedagem, o visitante tem a oportunidade de participar de atividades de conscientização ambiental e tem garantias de que está em um local seguro”. Para obter a certificação, o hotel deve implementar medidas de segurança contra riscos de incêndio e facilitar o acesso de serviços de emergência. A manutenção dos

Redução de custos

Conformidade com os requisitos legais

Afirmar responsabilidade sustentável do hotel

Minimizar os seguros de responsabilidade civil

equipamentos é controlada, de forma que sistemas de aquecimento e ar-condicionado, entre outros, operem sempre em boas condições. “O local deve ter sistema de alarme, iluminação e sinalização de segurança e meios de controle de fumo”, completa Regina. Essas medidas resultam ainda em uma maior lucratividade aos estabelecimentos certificados. “Verificamos a necessidade da rede hoteleira no Brasil e fomos buscar essa certificação, que é totalmente adaptada à segurança do nosso setor turístico e aos problemas ambientais do país. Promoveremos workshops em todo o Brasil para a divulgação do Eco-Hotel”, diz Regina Toscano, comentando o início de um projeto piloto junto a redes de hotéis em território nacional.

Regina Celia Toscano RToscano@br.tuv.com

Notas & Mercado

Novidades TÜV Rheinland página

Curso de gerenciamento reúne executivos do Grupo TÜV Rheinland

4

páginas

Novidades TÜV Rheinland 2

e

TÜV Rheinland do Brasil amplia atendimento à região Norte Ductor participa da construção do metrô de Salvador

3

página

Eco-Hotel: novo selo para rede hoteleira

6

TÜV Notícias - Março-Abril/2008  

TÜV Notícias - Março-Abril/2008

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you