Page 1

| janeiro-fevereiro/2014

nº 041

Energia que move o mundo: Tecnologias de ponta em prol da segurança na exploração de petróleo e gás natural

Segurança em quatro rodas pág. 04

Telecom em crescimento pág. 10


TÜV Rheinland | nº 41 • janeiro-fevereiro 2014

Palavra do CRO

Portrait

Motivação pa Nova fase:

Celebrando o crescimento

A

pós 16 anos como Diretor Gerente para a TÜV Rheinland do Brasil e, posteriormente, como Chief Regional Officer para a América do Sul, assumo com orgulho uma nova e criativa função na empresa, como Senior Advisor Mergers & Acquisitions para a América do Sul. Levo comigo a missão de colaborar intensamente na meta da duplicação de nosso faturamento dentro dos próximos três anos. Como balanço desses últimos anos, destaco o crescimento de nossas atividades na América do Sul e sua elevação à posição de maior relevância e faturamento dentre as unidades do Grupo TÜV Rheinland fora da Alemanha, ao lado da China. É com grande satisfação que apresento o engenheiro Martin Klaus Kunze na continuidade da função de CRO para a América do Sul, que traz em sua bagagem uma sólida formação e uma vasta experiência em diversos grupos internacionais.

Q ual a sua área de formação ?

Ap a i xon ado p elo u n iverso das pesquisas desde a universidade, Oswaldo Martins, Gerente Técnico do Laboratório da TÜV Rheinland do Brasil, assumiu o cargo há um ano, com uma série de desafios pela frente. Entre eles, aumentar a sinergia entre o Laboratório e a Certificadora criando um cenário promissor a novos investimentos e à ampliação da oferta de serviços. Com o apoio de uma equipe extremamente motivada, Oswaldo deu sequência ao aprimoramento dos laboratórios e do escopo de ensaios para as certificações oferecidas ao mercado, desenvolvendo novas frentes de atuação. Confira mais sobre o perfil deste profissional na entrevista a seguir:

Estaremos juntos, em colaboração bastante estreita, na busca contínua de nossos objetivos.

Antonio Carlos Caio da Silva

Sou formado em Física pelo Instituto de Física da USP e possuo especialização na área de ótica, um campo em que comecei a trabalhar logo no início da minha carreira, quando ainda era estagiário.

C onte - nos um pouco sobre

a sua trajetória profissional . Toda a experiência que tive antes e após minha formação sempre foi focada na área de tecnologia. Atuei na Fatec-SP (Faculdade de Tecnologia) e, em seguida, na Escola Politécnica da USP, já como pesquisador, em um Grupo de Desenvolvimento de Sistemas Integráveis. Em seguida integrei o quadro de pesquisadores do IPT* (Instituto de Pesquisas Tecnológicas), onde per maneci durante 17 a nos, destes, dez como chefe de laboratório e, no final de 2012 assumi o laboratório da TÜV Rheinland.

Q uais os principais desafios que você encontra em seu dia a dia de trabalho ? Quando assumi na TÜV Rheinland recebi como meta contribuir para o aprimoramento das atividades executadas pelo laboratório, abrindo as portas para que o relacionamento com

CRO (Chief Regional Officer) para América do Sul

Esta é uma publicação de:

TÜV Rheinland do Brasil Holding Ltda http://www.tuvbrasil.com.br Tel.: 55 11 3638-5700 • Fax: 55 11 3638-5844 Rua Líbero Badaró, 293 - 5º Andar - Conj. G • 01009-000 • São Paulo • SP

Instale a versão para tablets desta publicação acessando www.tuvbrasil.com.br/conexao

Projeto gráfico e editorial: Art Online Comunicação Jornalista responsável: Mariana Taborda – MTb 13090/RS, com a colaboração de Natalia Zimmermann, Silvina Aiello (Argentina) e Romina Abarca (Chile)

Sugestões e comentários: tuvnoticias@artonline.com.br


TÜV Rheinland

ra superar o processo de certificação fluísse perfeitamente e a troca de conhecimentos entre auditores e técnicos fosse algo contínuo. Então, no decorrer do processo, percebemos que esta integração requeria uma série de mudanças como, por exemplo, readequar e criar espaços para incorporar novos escopos e melhorar todo o processo laboratorial ligado à prestação de serviços. Gosto de desafios e estou bastante satisfeito com os resultados; além disso, encontrei muito apoio da alta direção e também das equipes dos laboratórios.

E m sua opinião , o que é fundamental para alcançar uma carreira de sucesso ? Ter paixão pelo que se faz. Se você tem paixão pelas suas atividades você transforma os desafios em pedrinhas, eles viram coisas boas para se trabalhar. Sou apaixonado por laboratório, sempre trabalhei em laboratórios desde a universidade e, visivelmente, estou fazendo o que eu gosto. Já fiz muita coisa pioneira e com características inovadoras antes e, aqui, estou tentando desenvolver isso também. Estamos, por exemplo, desenvolvendo um projeto chamado Tablet que é algo inovador, com características igualmente inovadoras. É um trabalho que está sendo feito junto com o pessoal de TI e isso é muito

*

desafios

legal na TÜV Rheinland: conseguimos trabalhar em conjunto com outras áreas, fazer as coisas acontecerem e transformar os desafios em oportunidades.

Foto: Marcelo Uchôa

janeiro-fevereiro 2014 • nº 41 |

F ale sobre suas atividades preferidas , hobbies , etc . Eu moro em Valinhos, interior de São Paulo, em uma chácara; então o meu passatempo no fim de semana é ler e curtir a natureza. Aprecio as coisas simples como plantar amoreiras, limoeiros, etc. E também gosto muito de passear pelo interior de São Paulo, sou um apaixonado pela natureza e gosto de visitar cidades que me proporcionem esse contato.

Q uais os seus planos para o futuro ? Tenho um plano pessoal importante que pretendo realizar em breve: retomar meu doutoramento. E alguns planos profissionais que envolvem esta nova fase do laboratório. Pretendo, até o final do ano, conquistar uma série de coisas aqui, contribuindo para abrir as portas do laboratório brasileiro às filiais internacionais. Já estamos realizando um pouco disso, executando serviços para filiais de outros países, mas a ideia é investir ainda mais no relacionamento com outros laboratórios da TÜV Rheinland pelo mundo, vislumbrando parcerias e ampliando o escopo de atividades. Isso me motiva a

realizar outro plano importante: ampliar meus conhecimentos sobre as atividades globais da TÜV Rheinland. Por isso, estou planejando uma viagem à China, onde pretendo conhecer um pouco mais sobre o trabalho que é realizado por lá.

Considerada uma das maiores instituições de pesquisa científica e de desenvolvimento tecnológico do Brasil, o IPT possui mais de 100 anos de expertise e conta com laboratórios capacitados e equipe de pesquisadores e técnicos altamente qualificados.


TÜV Rheinland | nº 41 • janeiro-fevereiro 2014

Notas & Mercados

Segurança em

Em março de 2010, a Assembleia Geral das Nações Unidas editou uma resolução definindo o período de 2011 a 2020 como a “Década de ações para a segurança no trânsito”. Desde então, o tema tem sido discutido amplamente em diversos segmentos da sociedade originando sugestões, projetos e leis que visam aumentar a segurança e diminuir o número de acidentes. Da educação para o trânsito aos equipamentos de segurança, o mundo caminha em um ritmo promissor rumo à redução dos acidentes. Nunca se estudou tanto este assunto; e nunca tantas iniciativas para reduzir os índices alarmantes foram planejadas. Uma das medidas encontradas pelos governos brasileiro e argentino é a legislação que torna o ABS (Antilock

Brake System) e o airbag itens de série nos automóveis comercializados nestes países. Para se ter uma ideia do valor destes equipamentos, é importante analisar dados e estatísticas nos países onde eles já são uma realidade há muito tempo. Técnicos da Comissão Europeia provaram que o ABS é eficiente na prevenção de colisões com pedestres, ciclistas, animais e veículos em curvas, diminuindo em 8% os acidentes com feridos. Dados atestam ainda que o freio antitravamento diminui em 18% o risco de acidentes entre veículos e 35% o risco de acidentes nos quais os carros saem da pista*. Nos EUA, desde 2008 os sistemas de airbag laterais e de cortina (que protegem o torso e a cabeça) são obrigatórios, tais equipamentos reduzem em 45%

as fatalidades em colisões laterais e em 74% o risco de ferimentos graves em batidas com outro carro. Estima-se que, entre 1975 e 2010, 32.538 americanos foram salvos pelo uso de airbags frontais e o uso do airbag, que, combinado ao cinto de segurança, reduz em 61% o risco de morte**.

S oluções em M obility O grupo TÜV Rheinland, reconhecido por sua atuação focada em segurança e qualidade, oferece diversos serviços na área de Mobilidade. Um deles é a certificação de peças de reposição para o mercado automotivo, com testes e ensaios que atestam a qualidade e resistência de amortecedores, bombas de combustíveis, pistões, lâmpadas, pneus, vidros, baterias, barras de direção, entre outros itens de extrema importância para o perfeito funcionamento do automóvel. “Utilizando regras e normas delimitadas pelo Inmetro, a TÜV Rheinland do Brasil executa testes em produtos de reposição à cadeia automotiva priorizando a segurança e o bem-estar do consumidor final”, explica Daniel Gularte, Gerente Comercial da TÜV Rheinland do Brasil, lembrando que esta preocupação com a segurança se estende para todas as unidades da TÜV Rheinland. Fonte: * Pesquisa realizada pela Universidade Monash, na Austrália ** Dados da NHTSA (National Highway Traffic Safety Administration)


janeiro-fevereiro 2014 • nº 41 |

TÜV Rheinland

quatro rodas

Na Argentina, a empresa oferece serviços de certificação para oficinas e inspeções técnicas veiculares, que objetivam garantir um automóvel seguro, silencioso e em consonância com as diretrizes legais de preservação do meio ambiente. Entre os itens inspecionados estão freios, pneus, suspensão, iluminação, cintos de segurança, encostos de cabeça, configuração de consumo, carburação e escape, entre outros. Já na Colômbia e Peru, a TÜV Rheinland oferece certificações para vidros, cintos de segurança e pneus, sempre em consonância com as deliberações e exigências que as autarquias determinam em cada país. O Chile é um dos países da América do Sul que registra a maior redução no número de

vítimas fatais no trânsito, e muito se deve às medidas de prevenção adotadas pelo país. É o caso da inspeção veicular obrigatória, realizada pela subsidiária chilena TÜV Rheinland Andino que, ao inspecionar itens como sistema de direção, freios, faróis, suspensão, transmissão, rodas e espelhos, contribui significativamente para aumentar a segurança nas vias. Também no Chile, a divisão de capacitação e treinamento TÜV Rheinland Akademie Chile, ciente de que não basta apenas ter veículos em boas condições, mas também condutores

conscientes – criou, por meio da sua divisão de capacitação e treinamento, o curso “Direção Segura para veículos 4x4”. Nele, profissionais com ampla experiência em off-roads compartilham ensinamentos sobre as precauções necessárias para dirigir em áreas florestais e os requisitos da legislação em vigor. Tais iniciativas reafirmam a premissa global da TÜV Rheinland que prevê a contribuição em todas as instâncias para um mundo mais seguro. Afinal, quando se fala em segurança no trânsito, fala-se do bem mais valioso de todos: a vida.

Informações

Informações

Daniel Gularte

Juan Pablo Camus

daniel.gularte@br.tuv.com

juan.camus@cl.tuv.com

Informações

Informações

Informações

Eduardo Rodriguez

Juan Carlos Azuma

Mauricio Schamber

eduardo.rodriguez@co.tuv.com

juan.azuma@pe.tuv.com

Mauricio.schamber@ar.tuv.com


TÜV Rheinland | nº 41 • janeiro-fevereiro 2014

Matéria de Capa

Energia que m Tecnologias de ponta em prol da segurança na exploração de petróleo e gás natural

É impossível negar a importância do petróleo para a economia mundial. Além de servir como matéria-prima para diversos produtos presentes em nosso dia a dia, ele é um

dos principais responsáveis pela geração de energia no mundo moderno. No Brasil, além das extrações habituais já realizadas em outros países, uma novidade tem deixado o mercado otimista: a extração de petróleo no pré-sal, leitos de rochas localizadas no mar, com potencial para a geração e acúmulo de petróleo, abaixo da camada de sal. Berço do pré-sal, o Brasil é o único país do mundo a produzir petróleo a mais de sete mil metros abaixo do nível do mar. Tal façanha exige desenvolvimento tecnológico e soluções específicas para extrair com

segurança um recurso natural tão valioso.

R eferência na extração de petróleo Responsável pelas maiores descobertas no Brasil – na camada pré-sal localizada entre os estados de Santa Catarina e Espírito Santo – a Petrobras investe continuamente em programas de incentivo a fornecedores, capacitação e tecnologia. Estima-se que os investimentos na área do pré-sal cheguem a US$ 69,6 bilhões até 2016. Para atender a sua própria demanda a Petrobras já qualificou 88 mil profissionais, e a expectativa


janeiro-fevereiro 2014 • nº 41 |

TÜV Rheinland

ove o mundo é que mais de 200 mil profis- alguns casos, até perdas fatais. Para assegurar a qualidade da sionais sejam capacitados, em 185 categorias nos níveis mé- matéria-prima e do processo de fabricação dos equipamentos dio, técnico e superior. utilizados na perfuração, há um Por ser um óleo leve, com baixa acidez e baixo teor de enxofre, rigoroso trabalho de fiscalizao petróleo extraído do pré-sal ção. A TÜV Rheinland do Brasil possui alta qualidade e maior é responsável pela inspeção de valor de mercado. A descober- válvulas, compressores, coneta de algo tão valioso elevou o xões, tubos, entre outros imBrasil a uma posição estratégi- portantes equipamentos utilizaca diante da demanda de ener- dos na exploração de petróleo. A TÜV Rheinland conta com gia mundial das próximas décadas. Atualmente, a Petrobras 113 profissiona is qua lificaproduz 300 mil barris de pe- dos para verificar o processo de fabricação dos equipamentróleo diários, nas bacias de Santos (São Paulo) e de Campos tos destinados à Petrobras. (Rio de Janeiro). Até 2017, o A companhia também inspecioobjetivo é produzir 1 milhão de na a fabricação de estaleiros, barris diariamente. materiais para plataformas e Os desafios do pré-sal repre- navios petrolíferos. A perspectiva do setor é de sentam uma grande oportunidade de trabalho e desenvolvi- crescimento, uma vez que há mento de novas tecnologias de grande demanda e pouca mão produção de óleo e gás em alto- de obra qualificada. No Brasil, há 400 profissionais de inspe-mar. Para operar com eficiência em águas ultraprofundas, a em- ção de fabricação certificados presa utiliza tecnologia própria e a demanda chega a 1.200. Até e atua em parceria com univer- 2020, serão construídas 38 plasidades e centros de pesquisa taformas de produção, 49 napara encontrar novas soluções. vios-tanque, 28 sondas e 207 A exploração de petróleo do embarcações especiais de apoio, pré-sal é um trabalho de alta o que representará, em 30 anos, complexidade e exige mão de a criação de 87 milhões de vaobra qualificada, além de equi- gas diretas e indiretas*. pamentos e matérias-primas específicas, resistentes à corP etróleo que muda o país rosão, pressão e altas tempeA área de Libra é uma das raturas em profundidades iné- maiores descobertas do préditas na indústria petrolífera. -sal, e nesta região projeta-se Qualquer falha no processo ou a extração de 8 a 12 bilhões de equipamentos representa enor- barris de petróleo nos próximes prejuízos financeiros, o não mos 35 anos, além de gás nacumprimento de prazos e, em tural. Estima-se que, com os

investimentos realizados, a produção na região de Libra alcançará 1,4 milhão de barris por dia (67% da produção brasileira) e 40 milhões de metros cúbicos de gás natural. A exploração do campo de Libra é compartilhada por empresas licenciadas sob o regime de partilha – em que parte do petróleo extraído fica com a União. Assim, uma boa fatia dos royalties da produção de petróleo de Libra será destinada a investimentos em saúde, educação, ciência, tecnologia, meio ambiente, cultura e combate à pobreza.

O gás natural e o pré - sal Sempre em busca de alternativas para a geração de energia cada vez mais limpa, a Petrobras, por meio do centro de pesquisas Cenpes, desenvolve uma série de tecnologias que permitem a produção segura de gás natural no pré-sal. As bacias de Santos e Campos, por exemplo, concentram os principais campos produtores de gás natural, com grandes volumes associados ao petróleo. Unidades de teste, desenvolvidas com instituições parceiras, preveem a separação do CO2 do gás associado ao petróleo para reinjetá-lo em reservatórios localizados nos campos do pré-sal.

*

Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV)


TÜV Rheinland | nº 41 • janeiro-fevereiro 2014

Matéria de Capa

Gás Natural: mercado

Durante muito tempo o gás natural era “persona non grata” na exploração de petróleo, pois exigia uma série de procedimentos de segurança que encareciam e complicavam as atividades de extração. Mas, a partir dos anos 1980, o consumo entrou em expansão e o gás natural transformou-se em uma das fontes de energia fóssil a registrar maior crescimento no mundo. A versatilidade é a principal característica do gás natural, uma vez que pode ser utilizado em todos os setores da economia: indústria, comércio, serviços e residências, e a América do Sul já responde por cerca de 4% do total mundial de reservas, concentradas principalmente

na Venezuela, Bolívia e Argentina. do sistema de distribuição do Já o Brasil – país relativamen- gás natural em Lima e Callao te novo neste mercado – tem – para o monitoramento e valiinvestido pesado na produ- dação de uma parte das mais ção de gás natural, e, segun- de 700 mil instalações residendo a diretora-geral da Agência ciais e comerciais de gás natuNacional do Petróleo, Gás Natural ral. Para isso, os profissionais da e Biocombustíveis (ANP), Magda TÜV Rheinland estão trabalhando Chambriard, o país pode che- na supervisão de todas as instagar a um volume de gás dispo- lações e dutos deste combustível. Também no Peru, por meio nível de 120 milhões de metros 3 cúbicos de gás por dia (Mm /d). do consórcio Tecnicontrol a O volume - uma estimativa mé- TÜV Rheinland assumiu os serdia da agência - será alcançado viços de supervisão no procescom a produção das áreas de so de abastecimento e consLula, Franco e Libra, na Bacia trução de dutos, linha tronco de Santos, e também a produ- e ramificações do Sistema de ção do gasoduto Brasil-Bolívia Distribuição de Gás Natural no Departamento de Ica, um e do Nordeste do País. (*) dos projetos mais importanS egurança à população tes atualmente desenvolvidos Ter uma instalação de gás na- naquele país. Assinado com a tural em casa exige garantias Contugas, o contrato prevê a fisde segurança, controle e pre- calização da obra pelo consórcio cisão. No Peru, desde o início TÜV Rheinland – Tecnicontrol deste ano, a TÜV Rheinland durante todas as fases de enPeru iniciou um contrato com a genharia, suprimento, construCálidda – empresa concessionária ção e conclusão da linha tronco

*

Oil & Gas Journal Latinoamericana Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis


janeiro-fevereiro 2014 • nº 41 |

TÜV Rheinland

em franca expansão (que possuirá 246 km de extensão) e das ramificações, com comprimento total de 57 km. O sistema irá beneficiar as populações de Chincha, Ica, Pisco, Nazca e Marcona. Primeiro lugar na lista dos maiores produtores de petróleo da América do Sul, o Equador responde por 40% das exportações e, por meio da OCP Ecuador – uma das maiores petrolíferas equatorianas –, contratou a TÜV Rheinland Colômbia para realizar inspeções em reservatórios de armazenagem, assegurando o cumprimento de

normas regulamentadoras internacionais. Também para a OCP, a TÜV Rheinland colombiana assumiu um novo contrato que prevê a auditoria da reparação de um tanque de 100 mil barris de petróleo. Na Argentina, a TÜV Rheinland também é referência no segmento, e presta serviços para a Petrobras Argentina, realizando a auditoria dos sistemas de gestão executados pela petrolífera. Outra atividade de destaque, desta vez realizada para a Camuzzi – maior distribuidora de gás natural do país,

em termos de volume – prevê a realização de inspeções de obras e fornecimento de gás natural à população das cidades de Buenos Aires, La Pampa, Neuquén, Chubut, Rio Negro, Santa Cruz e Terra Del Fuego. Tais atribuições consolidam a TÜV Rheinland como líder no setor de monitoramento e serviços de certificação no setor de Óleo & Gás, e isso se deve ao seu compromisso com a segurança, qualidade e cuidados com o meio ambiente, bem como a sua expertise neste segmento.

Informações

Informações

Informações

Suzete Schipa Suzuki

William Ojeda Sánchez

Juan Carlos Azuma

suzete.suzuki@br.tuv.com

william.ojeda@co.tuv.com

juan.azuma@pe.tuv.com


TÜV Rheinland | nº 41 • janeiro-fevereiro 2014

Notas & Mercados

Além

frontei

das

Crescimento do mercado de Telecom na América do Sul

Do sinal de fumaça ao fax, desde os tempos mais antigos, comunicar-se com quem está distante é algo muito desejado pela humanidade. E é justamente por isso que, ao longo dos anos, a busca pelo aprimoramento das ferramentas de comunicação vem sendo uma constante na curva que leva ao progresso. Se hoje um empresário chinês tem relações comerciais com a lg uém no Peru e na Austrá lia, m u ito s e deve ao

setor de telecomunicações. O setor também é o grande responsável por tecnologias avançadas que permitem a conectividade global, pelas relações digitais em constante crescimento em todo o mundo e contribui com áreas estratégicas para o desenvolvimento das nações. Hoje, mais do que nunca, especialistas, universidades, instituições de pesquisa, hospitais, programas sociais e diversos outros setores estão em constante relação, trocando informações e experiências extremamente importantes para o progresso da sociedade.

Crescimento à vista Em franca expansão, a receita do setor na América Latina* registra uma taxa de crescimento composto anual (CAGR) de 3,3% até 2017, partindo de um total de US$ 142 bilhões e alcançando US$ 167 bilhões nos

próximos três anos. Neste cenário, os serviços móveis são responsáveis por 80% desse avanço, com grande destaque para o Brasil, considerado o maior mercado de Telecom da América Latina em termos de receita no varejo, com mais de 43,6% do total, e o quarto maior mercado do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos, China e Japão. Entre os principais responsáveis pelo ótimo desempenho do setor está a telefonia móvel, o maior uso de dados e a oferta de serviços de banda larga móvel, que deverá crescer 15,8% em toda a América Latina. Além disso, os dados móveis em geral, incluindo 2G, deverão crescer 12,6%, enquanto a Internet fixa crescerá 6,6%. Juntos, os três serviços corresponderão a aproximadamente 90% das receitas das operadoras até 2017. Outra boa notícia diz respeito ao número de conexões móveis ativas, o levantamento registra um aumento no setor, partindo dos atuais 672 milhões para 830 milhões até o final de 2017. A penetração da telefonia móvel subirá de 111% para 131% no período, e Argentina, Brasil e

*

Fonte: Analysys Mason


janeiro-fevereiro 2014 • nº 41 |

TÜV Rheinland

ras Chile atingirão taxas acima de 150% em três anos.

Foco na qualidade Procurando atender a esta crescente demanda por serviços, em uma sociedade extremamente digital, a TÜV Rheinland investe constantemente em serviços focados no setor de Telecom. Na América Latina há diversos trabalhos sendo realizados, entre eles destaca-se, na Colômbia, a intervenção técnica do Projeto Nacional de Fibra Ótica – considerada a obra mais importante realizada pelo Ministério da Tecnologia da Informação na Colômbia (MINTIC) – que possui como meta interligar, por fibra ótica, mais de 800 cidades colombianas. “Ao todo, 80 profissionais da TÜV Rheinland Colômbia participam do projeto, que já está 65% executado e tem previsão de término em agosto de 2014”, explica o Gerente Técnico William Ojeda Sánchez, revelando que a qualidade dos serviços prestados naquele país concedeu à TÜV Rheinland expertise para atuar em outras frentes junto ao MINTIC. Na A rgentina, testes e

certificações de produtos de Telecom realizados pela subsidiária daquele país colocam a empresa como referência no setor. Em 2013, a TÜV Rheinland Argentina realizou mais de 420 ensaios para vários países latino-americanos, como Chile, Venezuela, Bolívia, Paraguai, Uruguai e Honduras. O mesmo acontece com a subsidiária brasileira, primeiro Organismo Certificador designado pela ANATEL a conduzir processos de avaliação da conformidade de produtos para telecomunicações, no âmbito da certificação compulsória, e a expedir os certificados que são pré-requisitos para a comercialização e a utilização destes produtos no Brasil. Tais certificados expedidos pela TÜV Rheinland do Brasil asseguram a conformidade dos produtos comercializados às normas legais vigentes no país, assim como o cumprimento dos requisitos de segurança ao usuário e de não-agressão ao meio ambiente. Compromissos que reforçam o empenho da TÜV Rheinland em contribuir com soluções inovadoras para

que o mundo seja, cada vez mais, um campo aberto à comunicação.

Informações Pablo Gilardoni pablo.gilardoni@ar.tuv.com Informações William Ojeda Sánchez william.ojeda@co.tuv.com Informações Claudio Francisco claudio.francisco@br.tuv.com


142 anos de eficiência alemã. Presente na América do Sul há 20 anos.

Conexão Tuv Rheinland - Janeiro/Fevereiro de 2014 - pt  

Conexão Tuv Rheinland - Janeiro/Fevereiro de 2014 - pt

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you