Issuu on Google+

| julho-agosto/2012

nº 032

Energia para o

futuro

Qualidade para a área médica pág. 03

Eficiência sobre trilhos pág. 09


TÜV Rheinland | nº 32 • julho-agosto 2012

Palavra do CRO

Falando de:

Disseminando Legado olímpico

Conhecimento

A

s Olimpíadas de 2012 em Londres ofereceram ao mundo um espetáculo de congraçamento entre os povos através do esporte e da paz. Durante o evento, o mundo se uniu em convivência pacífica em torno de um ideal comum. Como legado deste momento esportivo, ficam incorporados em caráter permanente todos os ganhos materiais ao país sede: investimentos em infraestrutura urbana, melhorias do sistema viário e crescimento da estrutura de turismo, entre outros. O Grupo TÜV Rheinland traz a unicidade em sua essência : com nossa presença global em 65 países, as mais diversas culturas e etnias convivem em perfeita harmonia, tendo como alicerce os ideais comuns de qualidade e segurança e o homem como seu objetivo principal. O Brasil se prepara para sediar as Olimpíadas de 2016, com grande expectativa e otimismo. Será a nossa vez de recebermos pessoas do mundo todo, utilizando novos estádios, hotéis, aeroportos, rodovias e melhorias na infraestrutura em todos os níveis, legado que servirá às pessoas para muito além da festa mundial dos esportes.

Desenvolver habilidades e divulgar conhecimento fazem parte de nossas metas. Um dos objetivos para este ano foi a criação de treinamentos e cursos de capacitação para profissionais no Chile. O projeto se consolidou e hoje contamos com o Órgão Técnico de Capacitação (OTEC), da TÜV Rheinland Akademie Chile. Nosso objetivo é promover o desenvolvimento das competências, contribuir com um bom nível de instrução dos colaboradores e melhorar a produtividade das empresas e dos profissionais, com qualidade nos processos e produtos. Os cursos e treinamentos são abertos a colaboradores da TÜV Rheinland e profissionais de outras empresas. Oferecemos cursos que abrangem diferentes áreas, com um forte foco em sistemas de gestão, meio ambiente, agroalimentos, habilidades interpessoais e outros temas de interesse. Também estabelecemos parce-

rias com institutos de formação e universidades nacionais. A OTEC é uma instituição autorizada pelo SENCE (Serviço Nacional de Capacitação e Emprego), a partir do cumprimento de requisitos exigidos pela norma NCH 2728, que rege as organizações de formação técnica no Chile, norma semelhante ao ISO 9001:2008. Em 17 de julho deste ano, fomos certificados como um órgão competente para ministrar cursos de auditoria, o que favorece nossa gestão comercial e nos torna prontos para atingir nossa meta de disseminar o conhecimento.

Nathalia Videla, Gerente comercial e Operações TÜV Rheinland Akademie Chile

Nathalia.Videla@cl.tuv.com

Antonio Carlos Caio da Silva CRO (Chief Regional Officer) para América do Sul

Esta é uma publicação de:

TÜV Rheinland do Brasil Holding Ltda http://www.tuvbrasil.com.br Tel.: 55 11 3638-5700 • Fax: 55 11 3638-5844 Rua Líbero Badaró, 293 - 5º Andar - Conj. G • 01009-000 • São Paulo • SP Projeto gráfico e editorial: Art Online Comunicação Jornalista responsável: Izabela Vasconcelos – MTb 66512, com a colaboração de Natalia Zimmermann, Lucila Raffo (Argentina) e Romina Abarca (Chile)

Instale a versão para tablets desta publicação acessando www.tuvbrasil.com.br/conexao Sugestões e comentários: tuvnoticias@artonline.com.br


julho-agosto 2012 • nº 32 |

TÜV Rheinland

Notas & Mercados

Saúde em primeiro lugar

Nenhum bem é maior que a saúde. Como saber se,– ao ser receitada uma injeção, a seringa estará devidamente esterilizada em sua embalagem original, a agulha não se quebrará ou que o material utilizado em sua produção não comprometerá a saúde do paciente? A segurança desses materiais passa por rigorosas análises, com testes sobre ruptura, contaminação, durabilidade, entre outros aspectos. Para atender às exigências brasileiras, determinadas pelo Instituto Nacional de Metrolog ia, Qualidade e Tecnolo gia (Inmetro) e pela Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa), a TÜV Rheinland investiu

R$ 300 mil na criação de um laboratório específico para testes em seringas, agulhas e equipos de infusão. Nesse laboratório, mais de 1.300 amostras são analisadas em um mesmo teste, o que permite a prova e contraprova da segurança dos materiais. O Brasil é um dos pioneiros desse serviço na TÜV Rheinland em todo o mundo. O mercado de seringas e agulhas no País movimenta R$ 800 milhões ao ano e cresce na mesma proporção do mercado de saúde, em média 15% a cada ano. Com rigorosas exigências no mercado de seringas e agulhas, os critérios brasileiros de segurança nessa área são vistos

como exemplo por outros países, que se preocupam em treinar seus profissionais de acordo com os mesmos requisitos exigidos pelo Brasil. Profissionais de países como Filipinas, Japão, China e Bélgica já estão sendo treinados de acordo com os padrões brasileiros de qualidade. Assim como esses materiais são indispensáveis para hospitais e clínicas médicas, seus testes e análises também são essenciais para a saúde e tranquilidade dos pacientes.

Informações Lester Amaral Lester.amaral@br.tuv.com

Fotos: Marcelo Uchôa

Testes em seringas e agulhas proporcionam mais segurança a médicos e pacientes


TÜV Rheinland | nº 32 • julho-agosto 2012

Matéria de Capa

Energia

O que seria de um país sem energia? Atualmente, com o avanço da tecnologia, toda atividade humana é dependente desse recurso. Quanto mais a população de um país cresce e se desenvolve tecnologicamente, maior é a demanda de energia. A questão é: como gerar cada vez mais energia sem comprometer os recursos naturais para as futuras gerações? Fontes renováveis, como energia solar, eólica, hidroelétrica, energia das marés, biomassa e geotérmica são as chaves para garantir a produção de energia sustentável.

B rasil se destaca como país com uma das melhores matrizes energéticas do mundo Privilegiado por seus recursos naturais, o Brasil produz grande parte de sua energia por meio de fontes renováveis. Na matriz energética brasileira, 45,3% da energia é proveniente de fontes como água, biomassa e etanol, além das energias eólica e solar. No último ano, a

participação de fontes renováveis na geração de eletricidade do país chegou a 88,8%, devido às condições hidrológicas favoráveis. A média mundial de produção de energia com recursos renováveis é de 19,5%.* A estimativa do Ministério de Minas e Energia do Brasil para o período de 2008 a 2017 indica subsídios públicos e privados da ordem de R$ 352 bilhões para a ampliação do parque energético nacional. O Brasil é o país da América Latina com maior capacidade de produção de energia eólica, com potencial estimado de 143 mil MW, mas a produção nos próximos anos pode chegar a 300 mil MW, número que irá superar o potencial alcançado pelas usinas hidrelétricas planejadas e já existentes. Isso se deve ao fato de que o Brasil investirá na captação de ventos com torres de 100 metros de altura, o dobro da altura atual. ** A matriz energética na América do Sul se concentra em recursos hídricos e térmicos.

* Governo Federal do Brasil ** Atlas do Potencial Eólico Brasileiro – Governo Federal

para

Além do Brasil, países como Colômbia, Peru e Venezuela são apontados como os principais potenciais energéticos da região.

A lerta Apesar do bom desempenho brasileiro, a América do Sul, em constante crescimento, corre o risco de não produzir energia compatível com sua demanda. De acordo com a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), a região só ficará livre deste risco se dobrar sua capacidade energética até 2030. Para isso, são necessários aproximadamente mais 200 GW de capacidade de geração de energia, incluindo as linhas de transmissão, ao custo de mais de US$ 500 bilhões. Mesmo diante do alerta, a América do Sul apresenta fatores favoráveis para


julho-agosto 2012 • nº 32 |

o

TÜV Rheinland

futuro

resolver a questão, visto que possui 25% da capacidade hidroelétrica do mundo e investimentos em energia eólica.

S oluções e perspectivas Para garantir um desenvolvimento sustentável, os países latino-americanos devem investir no aumento da produção de energia eólica, hidroelétrica e de outras fontes renováveis. A perspectiva é que a demanda total de energia na América do Sul registre um aumento de 3,29% ao ano, até 2032. De acordo com a organização, é importante que os países tenham políticas e marcos legais específicos para o desenvolvimento das energias renováveis, para promover o desenvolvimento energético sustentável sem transferir custos adicionais para a

população. Uma alternativa apontada é a integração energética de países da América do Sul, importante para o desenvolvimento de projetos de energia renováveis em alta escala, o que resultaria na diminuição de custos.


TÜV Rheinland | nº 32 • julho-agosto 2012

Matéria de Capa

América do Sul

A América do Sul ainda conta com uma fonte de energia limpa a ser explorada: a energia geotérmica. O Peru confirmou as primeiras estimativas que resultarão em recursos capazes de gerar 320 MW. As mesmas forças subterrâneas que podem provocar terremotos representam uma fonte quase inesgotável de energia aproveitável: o Chile está em fase avançada de preparação para

a exploração da energia originada do calor do subsolo. A matriz energética peruana se concentra no petróleo, gás natural, biomassa, hidroenergia, carvão e energia solar. Para ampliar ainda mais sua capacidade, o país está investindo 600 milhões de dólares na construção de um gasoduto que irá beneficiar as populações das cidades de Chincha, Ica, Pisco, Nazca e Marcona. O sistema de abasteci-

Preparo das tubulações do gasoduto no Peru

mento de gás natural se estende por mais de 253 km. O consórcio TÜV Rheinland & Tecnicontrol é responsável pelo planejamento e monitoramento da obra, atualmente um dos projetos mais importantes do Peru. O monitoramento garante a conformidade com as normas técnicas, de saúde, segurança e meio ambiente. Além disso, outros 400 milhões de dólares estão sendo investidos em um sistema de reserva de gás natural em estado líquido.

Diversificação Não depender de uma única fonte é importante para promover o equilíbrio ambiental. A matriz energética da América do Sul é diversificada, um fator positivo que equilibra o uso de fontes e recursos para a produção de energia na região. A principal fonte de energia na Argentina, por exemplo, é o gás natural. No Chile, assim como no Brasil, a produção se concentra nas hidroelétricas e na Colômbia o petróleo e o gás natural são os recursos predominantes. A perspectiva é que a América do Sul invista cada vez mais em recursos renováveis, como energia eólica e hidroelétrica, ampliando e consolidando a participação de energia limpa em sua matriz.


julho-agosto 2012 • nº 32 |

TÜV Rheinland

Riquezas exóticas

Oásis em Ica

A região do Peru que será atendida pelo gasoduto é marcada por riquezas naturais, turísticas e arqueológicas. Ica, por exemplo, é um óasis em meio ao deserto peruano. A cidade possui praias e águas termais, fauna marinha variada, museus e hotéis. Pisco e Marcona exibem belas paisagens costeiras, além de ilhas protegidas e habitadas por leões marinhos, pinguins,

Vista aérea de desenho de pássaro em Nazca

gaivotas, pelicanos e outras aves. Nazca é intrigante por seus enormes desenhos feitos no solo desértico, além de outras riquezas arqueológicas. As “Linhas de Nazca”, que somente podem ser visualizadas do alto, formam desenhos de animais. De acordo com estudiosos, as obras provavelmente foram feitas pelo povo Nazca, civilização pré-incaica, que viveu entre 200 a.C.

e 600 d.C. Até hoje, o propósito dos desenhos não é conhecido. A participação de nossa empresa no planejamento e monitoramento do gasoduto nessa região, em conformidade com os princípios de responsabilidade social e ambiental, ajuda a preservar essas riquezas, que já atravessaram milênios e continuam a encantar os olhos de turistas do mundo inteiro.

Energia que vem da terra

ção geotérmica que produzem na região da Toscana. Hoje, O mesmo calor que provoca 26% de toda a eletricidade do 32 usinas italianas utilizam o erupções vulcânicas pode gerar país. A energia geotérmica na calor da terra para produzir energia. Esse calor existe em to- região é responsável pela cale- eletricidade. da a superfície do planeta, mas fação e aquecimento da água de apenas em algumas partes do 87% da residências. Estados Unidos, Itália, México, mundo sua intensidade é capaz de provocar erupções ou gerar Japão, China, Filipinas, Quênia, energia. É o caso de muitos paí- Nova Zelândia e Portugal são alses europeus, asiáticos e da Amé- guns dos países que atualmente produzem eletricidade por meio rica do Norte, Sul e Central. A Islândia é um exemplo dos geotérmico. Esse tipo de recurso países que conseguiram tirar o permite sua exploração por temmelhor proveito desse recurso po indeterminado. A Itália foi a primeira a expesubterrâneo. O país concentra O valor engloba a indústria farmacêutica (US$ 670 bilhões), a indústria * cinco grandes usinas de gera- rimentar o recurso, em 1904, de equipamentos e produtos médicos (US$ 300 bilhões), reagentes de diagnóstico (US$ 25 bilhões) e vacinas (US$ 9 bilhões).


TÜV Rheinland | nº 32 • julho-agosto 2012

Matéria de Capa

Do início ao fim Analisar o impacto gerado pela produção de bens de consumo é agir de maneira sustentável

Ao usar uma caneta, um comput ador, telefone, ou qua lquer outro objeto, a maioria das pessoas não avalia o que foi utilizado para produzir tal produto. Quanto de energia e recursos naturais foram empregados nesse processo? Assim como analisar o impacto gerado após o descarte de um bem de consumo, a avaliação dos recursos usados na produção e distribuição também

Energia e Meio Ambiente Mesmo sendo relativamente nova, a área de Energia e Meio Ambiente da TÜV Rheinland no Brasil já é reconhecida pelo mercado. A empresa foi convidada pelo Banco Mundial para participar da Rio+20, Conferência das Nações Unidas sobre o desenvolvimento sustentável para as próximas décadas. O evento foi realizado em junho, no Rio de Janeiro. O departamento participou de um dos fóruns do evento e discutiu as expectativas para o mercado de carbono nos próximos anos. O encontro reuniu empresários, consultores, instituições de ensino superior e representantes da indústria.

devem ser considerados. A Análise de Ciclo de Vida (ACV) é um novo serviço oferecido pela área de Energia e Meio Ambiente da subsidiária brasileira da TÜV Rheinland. O serviço está de acordo com os requisitos exigidos para ingressar no chamado “mercado verde”. Para iniciar a análise, a TÜV Rheinland identifica os recursos ambientais, como o consumo de energia e de matéria-prima, mensura as emissões e o que é desperdiçado e determina a toxicidade e potenciais riscos dos produtos. A partir da interpretação desses dados, inventários são criados e metas e estratégias são estabelecidas para a redução do impacto ambiental. O serviço está relacionado à norma DIN EN ISO 14040/ 14044, criada na Alemanha, visando o melhor desempenho ambiental a partir da análise do ciclo de vida do produto. Há pouco mais de dois anos, a TÜV Rheinland no Brasil é responsável por colaborar com empresas em toda a América do Sul, em temas como crédito de carbono, eficiência energética, construção sustentável, responsabilidade social e serviços ambientais. A companhia acompanha os clientes em todo o processo, desde avaliação e conclusões das práticas internas da empresa e do mercado, desenvolvimento de conceitos de sustentabilidade, mensuração e relatórios de práticas sustentáveis e, por fim, certificação.

As empresas socialmente responsáveis se tornam mais competitivas e diminuem custos, além de poder melhorar o desenvolvimento e a qualidade de vida das comunidades em que estão inseridas. A partir de informações sobre o ciclo de vida de um determinado produto, as companhias podem: Diminuir a emissão de gases do efeito estufa Reduzir custos Assumir a responsabilidade de proteção ambiental F o r n e c e r a o s c l i e n t e s informações sobre o impacto ambiental do produto Conscientizar e sensibilizar seus colaboradores Aprimorar o design do produto Va lor iza r as qua lidades do produto em relação aos concorrentes

Informações Sebastián Del Valle Rosales Sebastian.Rosales@br.tuv.com


julho-agosto 2012 • nº 32 |

TÜV Rheinland

Gerenciamento de Projetos

Alternativa sobre trilhos Metrô é o meio de transporte menos poluente para as grandes cidades

As grandes metropóles têm a necessidade de meios de transportes eficientes. O desafio é suprir a demanda sem prejudicar o meio ambiente. Nesse cenário, o metrô se destaca como uma das melhores alternativas. Comparando-se os diferentes meios de transporte, o metrô emite quase 30 vezes menos gases de efeito estufa (GEE) que os automóveis e 12,5 vezes menos que os ônibus. São Paulo é a maior cidade da América Latina, com uma população de mais de 11 milhões de habitantes. Nesse complexo metropolitano, o transporte sobre trilhos é uma das soluções para melhorar o trânsito e diminuir a poluição atmosférica. A cidade tem urgências em transportes, já que recebe passageiros de diversos municípios. Em seus 74,3 km de extensão, o Metrô de São Paulo transporta 4,5 milhões de passageiros diariamente.

Informações Marco Antonio Peixoto peixoto@ductor.com.br

De acordo com o relatório de sustentabilidade do Metrô de São Paulo, em 2011 o transporte metroviário gerou uma economia de R$ 6,4 bilhões para a cidade, considerando os benefícios de sua utilização, comparado a meios de transporte menos adequados ao ambiente (carros, ônibus e motos).

P lanos Para atender a esse grande fluxo de passageiros, incluindo aqueles que chegam de várias cidades próximas, São Paulo também ganhará seu primeiro monotrilho, com tração elétrica e sustentação por pneus. Famoso em cidades como Las Vegas e Sydney, o monotrilho de São Paulo transportará 48 mil passageiros por hora. O pri-

meiro trecho da linha deverá ser concluído até 2013. O Governo de São Paulo planeja ainda a construção de quatro no­v as linhas, em um total de 99 km. A previsão é de que essas novas linhas comecem a operar a partir de 2020.

Nossos serviços A TÜV Rheinland, por meio de sua subsidiária Ductor, foi responsável pela elaboração do projeto básico e especificações técnicas do sistema de alimentação elétrica e análise dos projetos executivos na fase de implantação em trechos da linha 2 - Verde do Metrô de São Paulo, que tem capacidade para transportar até 30.000 passageiros por hora.


TÜV Rheinland | nº 32 • julho-agosto 2012

Responsabilidade Social

Voluntariado para Compartilhar tempo e conhecimento ajuda no desenvolvimento de comunidades

Estar atento às necessidades da sociedade é atitude essencial para o desenvolvimento sustentável. Uma empresa promove seu crescimento e de seus colaboradores, mas também deve estar atenta ao desenvolvimento de sua comunidade. Impressa no DNA da TÜV Rheinland, a busca pela qualidade se reflete também em suas ações de responsabilidade social. Em suas atividades, a companhia colabora com a melhoria da ciência, educação e segurança das populações, em conformidade com os dez príncipios do Pacto Global* da Organização das Nações Unidas (ONU). Além de desenvolver atividades corporativas em projetos regionais ou globais, os

profissionais da empresa também participam de atividades filantrópicas em suas cidades. Na subsidiária brasileira da TÜV Rheinland em São Paulo, os colaboradores estão envolvidos nos programas TÜV Sports e Seja Consciente, criados em 2006 e 2007, respectivamente. No primeiro projeto, enquanto os profissionais disputam uma partida de futebol ou andam de bicicleta, centenas de crianças e adolescentes são beneficiadas com livros, roupas ou alimen-

tos, entre outras doações. O programa Seja Consciente envolve profissionais de várias áreas, que doam seu tempo, talentos ou recursos. O projeto recebe doações, como livros, alimentos, móveis, e incentiva os colaboradores a participarem de outras atividades filantrópicas, visitando algumas instituições. O Seja Consciente também tem o apoio de patrocinadores que doam remédios e alimentos. Esses dois prog ramas be-

* Os dez princípios do Pacto Global 1. Apoiar e respeitar a proteção dos direitos humanos proclamados internacionalmente 2. Desencorajar a cumplicidade nos abusos aos direitos humanos 3. Defender a liberdade de associação e o reconhecimento efetivo do direito à negociação coletiva 4. Eliminar todas as formas de trabalho forçado ou compulsório 5. Erradicar efetivamente o trabalho infantil 6. Eliminar a discriminação no emprego e na ocupação 7. Apoiar uma abordagem preventiva para os desafios ambientais 8. Assumir iniciativas para promover uma maior responsabilidade ambiental 9. Encorajar o desenvolvimento e a difusão de tecnologias ambientalmente sustentáveis 10. Combater a corrupção em todas as suas formas, inclusive extorsão e suborno


julho-agosto 2012 • nº 32 |

as

TÜV Rheinland

futuras gerações neficiam mensalmente cerca de 380 crianças e adultos em situação de vulnerabilidade social. Os projetos já contribuíram com instituições em diversas cidades, como Nosso Lar, Centro de Apoio à Cr iança Carente com Câncer, Orfanato Cantinho que Escolhi, Recanto da Benção e Acalanto. O próximo passo dos voluntários é a criação de um espaço de inclusão digital na periferia de São Paulo, com aulas de informática e espaço para leitura. Ações como essas valorizam o ser humano e reforçam nosso alinhamento aos princípios do Pacto Global.

Papéis e tampinhas que fazem a diferença Papel usado e tampas de garrafas pet se transformam em produtos úteis na mão de voluntários do Hospital de crianças de Garrahan, na Argentina. Os colaboradores voluntários da TÜV Rheinland no país doam os materias para reciclagem. O resultado são baldes, caixas plásticas, capas para DVD, vasos para plantas, cabides, pás de lixo, calotas, entre outros utensílios. A reciclagem de papel produz cadernos, papel toalha, guardanapos, além de outros produtos. No total, o projeto já reciclou 2.608 toneladas de tampinhas de garrafas pet e 60.364 toneladas de papel, evitando o corte de mais de um milhão de árvores. Em outras ações, a empresa também doou computadores para o Centro de Formação Profissional San Cayetano e para o lar de crianças Maria Luisa, instituições que atendem crianças e jovens carentes. Em todos esses projetos, os profissionais da empresa participam ativamente, doando seu tempo na coleta de materiais para reciclagem ou instalação de aparelhos e computadores.


Eficiência alemã com sotaque latino. A combinação perfeita para o seu negócio. A TÜV Rheinland presta serviços focados em qualidade há 140 anos, em 65 países. Somos um Grupo de atuação global que acredita que muitas cabeças pensam melhor que uma e que diferentes formas de pensar enriquecem nossos projetos.

A TÜV Rheinland do Brasil participa da Conferência Rio +20 no fórum Green Economy.

www.tuvbrasil.com.br


Conexão Tuv Rheinland - Julho/Agosto de 2012 - pt-br