Page 1

Festival Artes Vertentes aborda crenças de diversas partes do mundo através de rica programação musical

A sexta edição do Festival Artes Vertentes, que acontece de 14 a 24 de setembro próximo, apresentará 14 concertos de música erudita nas igrejas barrocas de Tiradentes Propondo uma reflexão em torno da palavra CRENÇAS em seus diversos aspectos, a sexta edição do Festival Artes Vertentes – Festival Internacional de Artes de Tiradentes - será realizada de 14 a 24 de setembro, na charmosa cidade mineira de Tiradentes. O princípio curatorial do festival, que busca analogias entre as diversas linguagens artísticas, faz com que o Artes Vertentes venha se afirmando como um dos mais importantes festivais de artes integradas do país. Em 2017, o evento apresenta uma consistente programação que abrange música, literatura, cinema, artes cênicas e artes visuais. Durante toda a programação, músicos, atores, diretores, escritores e artistas visuais de vários países promovem, junto com o público, um intenso diálogo sobre o mote curatorial, através de concertos, espetáculos, filmes, exposições, leituras e palestras. As igrejas barrocas da cidade mineira recebem uma programação musical, que conta com 14 concertos de música clássica. A direção artística é de Gustavo Carvalho, pianista brasileiro com formação na Áustria e na Rússia, que vem desenvolvendo carreira na Europa. A programação será aberta com duas obras de grande relevância: a “Arte da Fuga”, de Johann Sebastian Bach, e a “Grande Fuga”, quarteto de cordas op. 133 do compositor alemão Ludwig van Beethoven, em diálogo com leituras da premiada escritora brasileira Maria Valéria Rezende. As composições serão interpretadas pelo quarteto de cordas O/Modernt (Suécia), quarteto em residência do Festival Artes Vertentes, em 2017. Composto por quatro excelentes cameristas, os violinistas Daniel Rowland e Hugo Ticciati, o violista Gareth Lubbe e o violoncelista Julian Arp, o quarteto vem O/Modernt se apresenta pela primeira vez no Brasil e interpretará também o quarteto “A Morte e a Donzela”, de Franz Schubert e o primeiro quarteto de Béla Bártok durante os concertos do festival. Outras obras importantes para esta formação serão apresentadas pela primeira vez ao público brasileiro pelo grupo residente, tais como as “Danças Apolônias”, de Albert Schnelzer e a peça “Dona nobis pacem”, de Arvo Pärt. A Orquestra Filarmônica de Minas Gerais será outro grande destaque da programação do Festival Artes Vertentes. Considerada uma das mais importantes orquestras da América do Sul, ela realizará um concerto na Matriz de Santo Antônio, no dia 17 de setembro, sob a regência do maestro Marcos Arakaki, apresentando obras de Bach, Stravinsky, Respighi e Purcell.


A programação do primeiro fim-de-semana apresenta ainda a soprano Eliane Coelho na ópera “A Voz Humana”, de Francis Poulenc, em uma versão pocket. Um dos maiores nomes da ópera em âmbito mundial, a soprano brasileira é também reconhecida por sua presença cênica. Cabe a ela encenar o drama desta ópera moderna, composta em 1957, que mostra uma mulher desesperada na tentativa de convencer o seu amante a manter a relação. O libreto, de Jean Cocteau é um dos mais belos textos sobre a solidão humana e sobre as relações passionais. O maior patrimônio musical de Tiradentes, um imponente órgão do século XVIII instalado na Matriz de Santo Antônio, estará também presente na programação do Festival Artes Vertentes. Elisa Freixo, uma das mais importantes organistas da América Latina, realizará dois concertos na principal igreja da cidade, mostrando ao público um rico repertório que, através de obras de diversas liturgias e danças de diferentes crenças, constrói um estreito diálogo com o tema do evento. Cabe ressaltar ainda a presença do pianista russo Jacob Katsnelson, um dos principais sucessos das últimas edições do Artes Vertentes. Nesta edição, além de um recital com obras de Rachmaninoff, Debussy, Ginastera e Manuel de Falla, ele apresentará o Quarteto para o fim do tempo, de Olivier Messiaen. Em Tiradentes, além de obras consagradas do repertório camerístico, o público poderá descobrir algumas obras de compositores brasileiros influenciadas por crenças de diferentes origens, como a Congada, de Francisco Mignone, o Carnaval das Crianças de Heitor Villa-Lobos ou a Suite Litúrgica Negra, de Brasílio Itiberê. “A programação musical sempre é concebida para estar em diálogo com as outras linguagens contempladas no evento. Este fator é extremamente importante para mostrar ao público como diversas formas de expressões podem estar estreitamente interligadas, estimulando diálogos entre linguagens, culturas e práticas artísticas diversas”, informa o diretor artístico Luiz Gustavo Carvalho.

Agenda 14/09/2017 – 20:00 Matriz Santo Antônio Obras de J. S. Bach e L. van Beethoven. Leituras de Maria Valéria Rezende. Quarteto O/Modernt Maria Valéria Rezende, leituras 15/09/2017 – 12:00 Igreja São João Evangelista Obras de J. S. Bach e G. Kurtág. Gilda Oswaldo Cruz, piano Gustavo Carvalho, piano Jakob Katsnelson, piano


15/09/2017 – 20:30 Matriz Santo Antônio Obras de F. Correa de Arauxo, J. S. Bach e F. Schubert Elisa Freixo, órgão Quarteto O/Modernt Daniel Rowland, violino Hugo Ticciati, violino Gareth Lubbe, viola Julian Arp, violoncelo 16/09/2017 – 12:00 Igreja São João Evangelista J. Haydn: As últimas sete palavras de Cristo na Cruz Quarteto O/Modernt 16/09/2017 – 20:30 Igreja São João Evangelista F. Poulenc: A Voz Humana Direção: Eliane Coelho Eliane Coelho, soprano Gustavo Carvalho, piano 17/09/2017 – 12:00 Igreja São João Evangelista Obras de J.Brahms e C. Franck. Quarteto O/Modernt Daniel Rowland, violino Hugo Ticciati, violino Gareth Lubbe, viola Julian Arp, violoncelo Gustavo Carvalho, piano Jakob Katsnelson, piano 17/09/2017 – 17:00 Matriz Santo Antônio Obras de M. Portugal, H. Purcell, O. Respighi, C. W. Gluck, G. F. Haendel e J. S. Bach Orquestra Filarmônica de Minas Gerais Marcos Arakaki, regente


18/09/2017 – 10:00 e 15:00 Igreja São João Evangelista Obras de F. Mignone, C. Santoro e H. Villa-Lobos Gilda Oswaldo Cruz, piano Gustavo Carvalho, piano 18/09/2017 – 18:00 Igreja do Rosário Obras de H. Purcell, A. Pärt, B. Bártok e A. Schnelzer. Quarteto O/Modernt Fernando Rocha, percussão 19/09/2017 – 18:00 Igreja São João Evangelista Obras de F. Liszt e O. Messiaen Leituras de António Vieira Hugo Ticciati, violino Julian Arp, violoncelo Iura de Rezende Gustavo Carvalho, piano Jakob Katsnelson, piano António Vieira, leitura 20/09/2017 – 18:00 Igreja São João Evangelista Obras de A. Skrjabin, K. Penderecki, B. Itiberê A. Louie e F. Rzewski Gustavo Carvalho, piano Iura de Rezende, clarineta Fernando Rocha, percussão 22/09/2017 – 20:30 Matriz Santo Antônio Obras de A. de Cabezón, J. C. Fischer, J. P. Sweelinck, J. S. Bach e outros. Elisa Freixo, órgão 23/09/2017 – 20:00 Igreja São João Evangelista Obras de S. Rachmaninoff, C. Debussy, A. Ginastera, H. Villa-Lobos, C. Guarnieri e M. de Falla Jakob Katsnelson, piano


24/09/2017 – 18:30 Igreja São João Evangelista Adélia Prado Leituras Obras de Franz Schubert Adélia Prado, leitura Gustavo Carvalho, piano Jakob Katsnelson, piano

Serviço: Os concertos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) e acontecem nos seguintes locais: Matriz Santo Antônio (Rua da Câmara, esquina com Rua Pe. Toledo, s/n), Igreja de São João Evangelista (Largo do Sol) e Igreja do Rosário (Praça Padre Lourival). O concerto da OFMG terá entrada franca. Mais informações: www.artesvertentes.com Assessora de Imprensa: Bárbara Chataignier (21) 99738-1243 – bchataignier@gmail.com

Festival Artes Vertentes 2017 - Música  

Release da área de música do Festival Artes Vertentes 2017