__MAIN_TEXT__

Page 1

Índice: Pré-escolar …………………………..…. 3 Biblioteca……….…....…………..… 6 e 7 Oficina de escrita ……….………...….11 Dia Europeu das Línguas …………….14 Cursos Profissionais……………...15/ 20 Textos dos alunos ………………...8/9/21 Caminhada “Dia Não Fumador”….16/17 Parlamento Jovens …………………....18 Formação de Professores …………...22 Tomada de posse (AE) ………………..23 Número: 21| Mês: dezembro | ano: 2013 | Jornal Trimestral | Agrupamento de escolas de Arraiolos

A NOSSA VISITA À FESTA SÉNIOR

N

o dia 3 de

outubro fomos à Festa Sénior, no Pavilhão Multiusos, em Arraio-

EDITORIAL

los. O mês de setembro e o início dos trabalhos letivos trazem

Quando lá chegámos, fomos

consigo a azáfama do regresso às aulas! Pais, alunos e comunidade educativa prepararam-se para

fazer jogos com

mais um ano letivo onde não vão faltar novas sugestões de tra-

os senhores e

balho como por exemplo a promoção da Cidadania em contexto

senhoras, que

escolar, a comunicação para aprender... Em jeito de inspiração,

estavam a organi-

e como demonstração do que é possível fazer, damos a conhe-

zá-los.

cer o trabalho de vários alunos(as) e docentes que quiseram

Fizemos vários jogos: jogo das setas, jogo

partilhar connosco os trabalhos desenvolvidos neste primeiro

da pesca, sopa de tomate, bolo de mel, sopa de

período letivo de 2013/2014. Um esforço conjunto em prol de

cação, poejada, migas de bacalhau e o jogo das latas.

uma transformação efetiva do mundo em que vivemos! O nosso jornal - ArrRivar - cujo nome surge no contexto de um concurso promovido pela Biblioteca e o vencedor foi, utili-

A seguir,

zando o temo linguístico da formação da palavra, esta amálga-

aprendemos

ma entre as duas palavras: Arraiolos e Rivara. Nessa altura, o

a fazer em-

júri considerou que o neologismo era interessante na medida

padas.

em que aglutinava o nome da localidade onde está sediado o Adorámos

Agrupamento de Escolas e o nome da escola sede.

este dia!

A equipa aguarda da parte de todos um envolvimento, no jornal, representativo do esforço desenvolvido no sentido do sucesso do ensino aprendizagem de toda a comunidade educativa. A equipa do ArrRivar

A docente Ana Pedreirinho Alunos da EB1 de Sabugueiro Redação e montagem: Agrupamento de Escolas de Arraiolos: Ângela Rodrigues e Paula Gaspar

Patrocínios:


2

A

Destaque

dezembro ‘13

CONCURSO GREEN CHEFE DE COZINHA turma A do 6º ano da escola E. B. 2º, 3º ciclos com ensino secundário de Cunha Rivara participou no concur-

so Green Chefe de Cozinha, promovido pela Deco Jovem, subordinado ao tema Combate aos desperdícios alimentares. Incentivados pela Diretora de Turma, professora Anabela Garcia, devido à pertinência do tema face à atual crise e aliciados pelos prémios, os alunos meteram mãos obra. Realizaram um pequeno vídeo em que partilharam saborosas receitas alentejanas com base no reaproveitamento de sobras de comida. Na realização e gravação do vídeo contaram com a ajuda de um ex-aluno da escola (e da professora Anabela Garcia): Pedro Pé-Leve. O vídeo foi colocado na Internet, no youtube, para divulgação e votação e está também editado no site da DECO jovem: http://www.decojovem.pt/participa/green-chef/?id=16.

“PORTUGAL

VISTO POR MIM”

A

ntes de vir viver para Portugal não conhecia este país. Sabia apenas que era pequeno, que se encontrava na ponta da Europa ao pé do Mediterrâneo. Quando cheguei cá, a primeira impressão que tive foi que este país era pouco luxuoso. Reparei que o aeroporto era muito pequenino e que as ruas eram feitas de pedras cinzentas. Pensei logo que ia ser difícil andar de sapatos de salto alto, pois tinha a certeza que se andasse com eles ia cair. Lembro-me que o dia em que cheguei a Portugal, em novembro, estava húmido e havia nevoeiro. Dois meses depois já estava a estudar na escola de Arraiolos, embora o primeiro ano fosse muito difícil para mim! Andava quase sempre com um dicionário a meu lado. Graças à simpatia dos meus colegas e professores, consegui ultrapassar muitos obstáculos. Agradeço-lhes por isso. A comida da China é completamente diferente da comida em Portugal, mas eu adoro os pratos portugueses! A música tradicional portuguesa é muito bonita, e a maioria das músicas são muito alegres e fazem uma pessoa feliz. Gosto muito de viver neste país, gostaria de estudar numa universidade portuguesa, de participar no desenvolvimento desta economia e, se possível, ficar por cá. Gosto desde sol e desta alegria. Ze Hua Wang, 12ºB A docente Isabel Madeira

IDA À BIBLIOTECA MUNICIPAL DE ARRAIOLOS

N

o dia 14 de Outubro de Outubro de 2013, a turma do 7ºB, deslocou-se à biblioteca municipal de Arraiolos para visitar uma exposição. Nessa exposição encontravam-se vários materiais reciclados tais como: uma secretária, vários quadros, um tripé, duas cadeiras, um bengaleiro, um baú, um espelho, um cavalete entre outros. De todos os objetos o que admirei mais foi o espelho. Na minha opinião, acho que o espelho está ligado à leitura, pois serve para refletir tudo… pessoas, frases, objetos entre outros. Quem recriou o espelho, ou seja, quem o renovou foi Irene Ribeiro que fez um excelente trabalho e os poemas que estavam escritos no espelho eram de Fernando pessoa e Miguel Unamuno. Acho que a exposição estava muito bem organizada e gostei muito do placar que estava lá para nós escrevermos o que era para nós a leitura. Daniela Rato, aluna do 7º B Docente Paula Gaspar

2


dezembro ‘13

N

Destaque

3

VISITA DO JARDIM-DE-INFÂNCIA DE IGREJINHA À VINDIMA E À ADEGA NO MONTE DA COMENDA GRANDE

o dia 7 de outubro fomos à vindima no Monte da Comenda Grande. Fomos no autocarro da câmara municipal de Arraiolos. Os senhores e as senhoras andavam a colher as uvas com uma tesoura. A Núria e o João também cortaram uvas com a tesoura. Os senhores punham as uvas num balde e quando este estava cheio despejavam-no numa caixa vermelha. Com um monta-cargas, colocaram as caixas em cima da rulote e depois levaram-nas para a adega. Na adega, despejaram as caixas para dentro de uma máquina que se chama desengaçador e desta saíam dum lado, os paus dos cachos que eram depositados por um tapete rolante dentro de uma carrinha e do outro lado as uvas que seguiam dentro de um tubo amarelo até às cubas para aí ficarem a fermentar, ou seja a transformarem-se em vinho. As cubas eram muito grandes e cinzentas. Depois quando as uvas fermentarem, as peles e as grainhas das uvas ficam no fundo e o vinho passa para as pipas e depois é engarrafado ou empacotado e vendido aos adultos. Da vindima para a adega viemos na carrinha do Miguel. Depois da visita brincámos na relva enquanto esperámos pela carrinha para voltarmos ao nosso jardim-deinfância. Foi muito divertido! Texto coletivo

Educadora Adelaide Oliveira

3


4

Destaque

dezembro ‘13

NOTÍCIAS DA EB1JI DE ARRAIOLOS

N

o Dia da Alimentação fizemos um mercadinho

Os pais e avós trouxeram os legumes ... No Halloween Desfilámos na Escola Cunha Rivara

e ajudaram na sua venda ... No dia de S. Martinho Os pais assaram as castanhas

A Junta de freguesia ofereceu os frutos secos

Os professores dramatizaram a história “ A fadazinha ruiva” Obrigada a todos pela colaboração! A coordenadora do estabelecimento Florbela Caroço

4


Destaque

dezembro ‘13

5

O 7ºC VISITOU O “VAIVÉM DO OCEANÁRIO”

N

o dia 6 de dezembro de 2013, a turma do 7ºC, acompanhada pela professora Carla Mesquita Lopes, foi visitar o ‘’Vaivém do Oceanário’’. Neste espaço podemos participar em algumas atividades, com as quais aprendemos imenso sobre o Oceanário, nomeadamente as espécies que possui e protege. No fim, ainda ganhámos vales de desconto para visitar este gigante aquário, que é tão nosso e contém um pouco dos 4 oceanos (Antártico, Pacífico, Índico e Atlântico)! Joana Rebocho (nº13/7ºC) Maria Carolina Ribeiro (nº18/7ºC) A Professora Carla Lopes

TECENDO MEMÓRIAS… COMEMORAÇÃO DOS 45 ANOS DA ESCOLA CUNHA RIVARA

E

ste ano comemoramos os 45 anos da escola na vila de Arraiolos. Convidamos toda a comunidade a efetuarem uma recolha nas suas “bibliotecas e arquivos” pessoais e a título

de empréstimo entreguem à escola por algum tempo esses materiais devidamente identificados. A data limite de entrega será até 24 de Fevereiro e deverá ser endereçada para a Biblioteca Escolar, em nome da Bibliotecária, Paula Gaspar. A exposição terá lugar de 5 a 9 de maio nas instalações da escola e enquanto a exposição decorrer estará aberta ao público. Antigos alunos, professores e assistentes operacionais poderão ainda partilhar textos que revelem as vivências experienciadas ao longo da sua passagem na escola. Agradecemos desde já a disponibilidade para participar neste evento. O grupo de trabalho Anabela Garcia Aurora Sá Bernardino Mira Celeste Alhinho Henrique Gonçalves Paula Gaspar

5


6

Destaque

dezembro ‘13

ATIVIDADES NA BIBLIOTECA DA ESCOLA SEDE – DIA 22 DE NOVEMBRO ENCONTRO COM AUTOR

P

elas 14h.25 minutos, a turma do 7º B, com a professora de Português, Paula Gaspar, recebeu o autor Joa-

quim Oliveira, também na BE. Os alunos estudaram e prepararam previamente uma entrevista. Questionaram o convidado acerca da sua obra Alma Inquieta, dos seus trabalhos enquanto desenhador de tapetes de Arraiolos, enquanto presidente da Associação de Caçadores de Arraiolos e enquanto poeta. Os alunos prepararam a leitura de alguns poemas e presentearam o poeta com a sua leitura. O autor também leu alguns poemas.

Momento de entrevista ao autor

Leitura de poemas

A equipa da BE

6


Destaque

dezembro ‘13

7

ATIVIDADES NA BIBLIOTECA DA ESCOLA SEDE – DIA 22 DE NOVEMBRO HORA DO CONTO

N

o dia 22 de Novembro, pelas 10.05, a BE da escola sede recebeu o 6º A com a professora Conceição Correia,

docente responsável pela disciplina de Português. Os alunos assistiram a uma sessão de contos e fábulas dinamizada pela turma 12º C, Curso Técnicos Auxiliares de Saúde, coordenados pelo professor Luís Serra, docente responsável pela disciplina Comunicação e relações Interpessoais e elemento da equipa da BE.

Preparação da atividade

Leitura aos colegas

Leitura aos colegas

A equipa da BE

7


8

Destaque

dezembro ‘13

CLUBE DE LEITURA DAS AEC Clube de leitura! Clube de leitura! Professoras esforçam-se por contar histórias com ternura Com a sacola de pano cru Levam às escolas livros! Livros para ler e histórias para descortinar a olho nu Expressão oral e leitura Ainda estão um pouco pela hora da amargura PNL e metas curriculares alegram os professores itinerantes Que andam por todos os lugares . Caros leitores, saber escutar tem sido o objetivo mais difícil de alcançar De Arraiolos ao Vimieiro os alunos gralhas ainda não sabem pedir a palavra primeiro mas, mesmo assim, as docentes ainda não estão doentes! Eis algumas fotos surpreendentes.

AUTORRETRATO É difícil definir o traço principal da minha personalidade, talvez porque depende da pessoa com quem estou a interagir. Sou animada, bem-humorada e extrovertida com os amigos mas introvertida com os conhecidos. Se me perguntassem qual o meu maior defeito, eu responderia com sinceridade que toda eu me considero um defeito e só esse pensamento me leva ao meu maior defeito: sou insegura comigo e com as pessoas mais próximas. Mas acabo por o esconder, tentando mostrar-me o mais possível segura com tudo. Aprecio nos meus colegas e amigos o seu caráter. O caráter de uma pessoa é, sem sombra de dúvida, um dos pontos mais importantes de uma boa pessoa. Ocupo os meus tempos livres a dançar, fazendo da dança a minha vida. Gosto imenso de todos os animais em geral, talvez porque não vejo nos animais todos os defeitos que há nas pessoas, mas destaco em especial o cão. Tenho como minha heroína a minha avó e o meu herói é o meu pai. O meu “cúmulo” da felicidade? Seguir SEMPRE em frente e não olhar para trás para não correr o risco de tropeçar nas pedras que o caminho da vida tem. Tento seguir esse meu princípio mas tenho em mim o desgosto de nunca conseguir ser feliz, aquela felicidade que muita gente pensa ter mas que pouca gente tem. Por último, o que mais gostaria de ser era astrónoma para descobrir os segredos que o Universo infinito guarda. Eis aqui, apenas uma “pequena” descrição de mim! Aluna do 10º A, 29/09/2013 A docente Mª do Céu Morcela

AS BIBLIOTECAS DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ARRAIOLOS NAS REDES SOCIAIS

A

s atividades desenvolvidas nas e pelas bibliote-

cas do Agrupamento, bem como outras promovidas noutros espaços da escola estão a ser divulgadas num Blog - http://biblioblogarraiolos.blogspot.pt/ - e no Facebook As Professoras Conceição Calçada e Mª do Céu Morcela

8

(Bibliotecas de Arraiolos).


Destaque

dezembro ‘13

O

9

O TERRAMOTO

ntem de manhã, pelas 9:35h, dia 1 de Novembro de 1755, Lisboa foi atingida por um terramoto. Ao terramoto seguiu-se um maremoto e um incêndio que durou seis dias. Na catástrofe, que destruiu a maior parte da cidade, terão morrido largos milhares de pessoas. O primeiro terramoto durou cerca de cinco minutos destruindo milhares de casas e dezenas de igrejas e palácios. A população que tinha sobrevivido ao desabamento dos prédios fugiu para as margens do rio Tejo. Mas, sem ninguém esperar, veio uma enorme onda (cerca 20 metros), destruiu o porto e o centro da cidade. Após esta confusão deu-se um enorme incêndio que durou cerca de seis dias. Alunas Madalena Maneta e Madalena Pimpão , 6º B A docente Ângela Rodrigues

AS INVASÕES FRANCESAS

N

o século XVIII a monarquia era absoluta, os reis concentravam em si todos os poderes (legislativo, executivo

e judicial), sem nunca consultarem as Cortes. Entretanto os pensadores da época começaram a criticar o poder exercido pelos reis e a proporem uma maior igualdade na sociedade. As novas ideias liberais começaram a espalhar-se por toda a Europa. Mas, foi em França que, em 1789, se deu uma revolução que pôs fim à monarquia absoluta. A França, em 1804, era governada pelo imperador Napoleão Bonaparte. Os seus objetivos políticos eram construir um império e pôr fim aos regimes absolutistas da Europa. Por isso Napoleão Bonaparte invadiu vários territórios europeus. Mas Napoleão não conseguiu dominar a sua maior rival: a Inglaterra. Para atingir os seus objetivos decretou, em 1806, o Bloqueio Continental, no qual todos os países da Europa tinham de fechar os seus portos aos navios ingleses. Portugal, antigo amigo de Inglaterra, não fechou os seus portos aos navios ingleses e por isso a França invadiu Portugal. A primeira invasão foi em 1807, a segunda em 1809 e a terceira em 1810. Portugal resistiu a todas elas com a ajuda dos ingleses. Devido às invasões e ao perigo de ser aprisionada pelos franceses, a família real portuguesa foi para o Brasil . Em 1811 as tropas francesas foram obrigadas a retirar-se de Portugal, sendo assinado o tratado de paz em 1814. Os alunos André Vieira, Luís Carvalho e Rodrigo Farola, 6º B A docente Ângela Rodrigues

9


10

Destaque

dezembro ‘13

VISITA À EXPOSIÇÃO PATENTE NA BIBLIOTECA MUNICIPAL O 7º B deslocou-se com a professora . de Português à Biblioteca Municipal. Na aula seguinte, em oficina de escrita e para praticar a reportagem escreveram individualmente um texto Docente Paula Gaspar, alunos do 7º B

N

o dia 14, os alunos do 7ºB dirigiram-se à biblioteca Municipal para visitar uma exposição de reciclagem.

Nessa exposição encontrámos objetos e quadros feitos por diferentes pessoas, e cada objeto tem frases de poetas. Na minha opinião estava tudo muito criativo e cheio de arte. Para mim, o objeto mais criativo era uma secretária porque cada parte da secretária falava sobre diferentes poetas, e tinha diferentes tipos de cores. Mas todos estavam espetaculares e muito criativos. Como o quadro da professora Luzia Pequito adorei os tons das cores e os recortes. E o baú que foi feito pelo Américo Silva também estava criativo, porque foi feito como um baú de guardar os trabalhos e também estava muito colorido. Nunca, pensei que com materiais reciclados conseguíamos transformar objetos velhos em objetos novos, como a secretária e o baú. Adorei a exposição, os quadros e os objetos que ficaram bonitos e criativos. Os objetos todos estavam ligados a leitura porque tinha parte de poemas muito bonitos. Érica Esteves, aluna do 7º B

10


Destaque

dezembo ‘13

11

OFICINA DE ESCRITA DO 7ºB APÓS A SESSÃO DA HORA DO CONTO—ACHIMPA HEGEMPA

N

um dia de outono, três meninas ouviram falar numa nova palavra: a palavra Hegampa. Decidiram ir perguntar à professora de português, se alguma vez tinha ouvido essa palavra. A professora disse que já tinha ouvido falar nessa palavra mas que não sabia o que significava. - Já foram procurar nos livros ou pesquisar na net a palavra Hegampa? - perguntou - Não professora ainda não procuramos. Nós pensávamos que a professora sabia. - Então procurem meninas, pode ser que tenham sorte. As três meninas foram procurar a bendita palavra. Elas começaram a ouvir todos a dizerem aquela palavra, que usavam como nome verbo e muitas outras coisas. Chamavam Hegampa mesmo sem saber o seu significado. Tanto ouviram repetir essa palavra, que foram ver em tudo o que era livros, jornais,...velhos mas não encontraram nada. Um dia, foram a casa de um senhor que sabia todos os significados das palavras esquisitas. - Bom dia senhor Gervásio. Viemos falar consigo para sabermos se você sabe o que significa a palavra Hegampa. - Sim...si...m. venham falar comigo daqui a algumas horas. Passaram quatro horas e as três meninas foram tocar à campainha mas não estava ninguém. Antes de desistirem repararam que estava um recado ao pé do vaso das rosas que dizia: - Fui às Hegampas ! assinado senhor Gervásio. Elas voltaram no dia seguinte e ele já lá estava. Repetiram todas, em coro: - Mas o senhor sabe o que é Hegampa ou não? - Eu? Quer dizer, claro! Hegampa é...- e o senhor desatou a correr. Nunca mais ninguém o viu. As três meninas desistiram de procurar até por que não lhes faria falta para o vocabulário, significado da palavra Hegampa a partir desse momento começou a ficar perdida no tempo. Helena, Gabriela e Patrícia, alunas do 7º B; Docente Paula Gaspar

“JAP”

E

ra uma vez, um rapaz que tinha vindo de um país chamado “Vast”. Esse rapaz como estava cheio de fome, foi logo a uma padaria comprar pão. -Bom dia, poderia dar-me um “jap” pão? Ao que a senhora responde: - Desculpa, o que quer? E o rapaz responde: - Um “jap” pão, porquê? -Mas, você é de que país? – Perguntou a padeira. - Eu sou de “Vast”. – disse o rapaz – mas poderia dar-me o pão? - Desculpe, claro que posso. – Responde a padeira. Ao lado do rapaz estava um investigador, que ouviu “jap” e ficou curioso. No outro dia, o investigador, foi ver a um dicionário o que queria dizer essa palavra, mas sem resultados. Como ele não era de desistir, foi perguntar a uma tal de “ borrachina” que era uma prima muito afastada. - Prima “borrachina” sabe o que quer dizer a palavra “jap”? – Perguntou o investigador. - Claro que sei. Antigamente dizia-se que “jap” era baixo. – Respondeu a prima. O investigador já não percebia nada, mas afinal ou era baixo ou grande? Mas ele não desistiu. Procurou, procurou até que ouviu de novo essa expressão, só que desta vez o significado era outro, queria dizer obrigado. Depois de ouvir isso o investigador ainda ficou mais confuso. Um dia, o investigador, ia a passar na estrada e foi atropelado pelo tal rapaz, pois ele não queria que ninguém soubesse o que queria dizer essa palavra. O investigador acabou por morrer e “pif” lá se foi a palavra. Daniela Rato, Miguel Espadinha, Miguel Domingos, alunos 7º B Docente Paula Gaspar

11


12

Destaque

dezembro ‘13

MÊS INTERNACIONAL DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES (MIBE)

N

o âmbito do MIBE (mês internacional das BE) dia 25 de outubro, O docente Luís Serra leu o texto do Achimpa à turma do 1º ciclo da docente Bárbara, pela manhã. A leitura foi seguida de uma oficina de BD (banda desenhada). À tarde, o 7º B esteve na biblioteca numa sessão de Hora do Conto. Os alunos ouviram a história de Achimpa, Catarina Sobral, obra vencedora do prémio SPA (Sociedade Portuguesa de Autores) de 2013. Após ouvirem a leitura dramatizada do conto fizeram uma sessão de oficina de escrita seguindo a estrutura do texto ouvido. Inventaram uma palavra e produziram um pequeno texto narrativo e/ou poético a partir dessa mesma palavra. Surgiram textos muito interessantes.

12


dezembro ‘13

Destaque

13

MÊS INTERNACIONAL DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES (MIBE)

N

o âmbito do MIBE (mês internacional das BE) dia 28 de outubro, as BE comemoraram este dia com a passagem

de um PowerPoint, ao longo do dia, com referências a alguns autores, ilustradores e respetivas obras que se podem encontrar na BE da escola sede com o objetivo de divulgar algum do acervo existente. No final do dia, a bibliotecária Paula Gaspar e um elemento da equipa e adjunta da direção, professora Graça Amante receberam na BE da escola sede os pais do pré-escolar do 1º ciclo para uma sessão de promoção da leitura e de sensibilização para a leitura em família. A sessão teve por base um PowerPoint e através de links para os livros digitais do PNL foram contadas histórias aos pais e filhos presentes.

Sessão para pais e filhos na BE da escola sede. Pais e filhos ouviram histórias. A sessão foi dinamizada por dois elementos da equipa da BE, as docentes Graça Amante e Paula Gaspar.

13


14

Destaque

dezembro ‘13

DIA EUROPEU DAS LÍNGUAS

D

ecorreu no passado dia 26 de Setembro a celebração do Dia Europeu das Línguas. Na nossa escola a data foi

celebrada através da elaboração de um painel comemorativo, atividade desenvolvida em articulação entre os grupos disciplinares de Inglês, Espanhol, Português e Francês. Os alunos registaram frases/ poemas de autores das diversas línguas, bem como algumas frases mais comuns, saudações e provérbios. O painel foi posteriormente exposto junto ao refeitório, na sala de convívio, onde ficou acessível a todos os alunos, suscitando interesse junto dos mesmos.

14


Destaque

dezembro ‘13

15

1325 – MUJERES TEJIENDO MEMORIAS

E

l pasado día 11 de octubre, los grupos 11ºA/B participaron

en una visita al Teatro Garcia de Resende en Évora para asistir a la representación teatral “1325”, en el ámbito del estudio de los Derechos Humanos. La pieza fue inspirada en la obra colectiva “1325 – mujeres tejiendo la paz-, siendo después adaptada y dirigida por dos actores gallegos, Ángel Fragua y Noelia Domínguez, y por un actor portugués, Sérgio Agostinho, que pertenecen a la compañía Peripecia Teatro de Vila Real. La obra destaca la lucha de varias mujeres en defensa de los Derechos Humanos. A lo largo de los 75 minutos de espectáculo son dadas a conocer mujeres como Graça Machel de Mozambique, Ros Parks de EE.UU, Aung San Suu Kyi de Mianmar, mujeres de negro de Israel, entre otras. A los alumnos les gustó, se mostraron motivados e interesados por el tema, discutiéndolo después en clase. Diogo Soares, Duarte Súcia e Maria Horcin 11º ano A docente Mafalda Andrade

À DESCOBERTA DE PESSOA E CAMÕES

N

o dia 25 de Novembro de 2013, a turma do 12º C, do curso técnico de Saúde, juntamente com as

professoras Mafalda Andrade, Maria José Alcaravela e Sandra Quaresma, deslocou-se ao Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, para assistir ao espetáculo «Navegar Camões, Pessoa e o V Império» da companhia ÉTER, produção cultural. Eram 8:30 da manhã, 6 graus lá fora e nós no autocarro prontos para partirmos. A viagem até Lisboa correu bem, sem trânsito na Ponte 25 de Abril, para nossa surpresa. À hora marcada, estávamos à porta do Mosteiro, ansiosos para entrar. O espetáculo começou, ainda nos claustros, com o público em pé, acompanhando os atores. Por fim sentados, a história decorreu perante o nosso olhar. Terminando o espetáculo, hora de almoço. Uma esplanada, sol, pombos, gaivotas e a comida… tudo à nossa espera. Para terminar, não podia faltar o pastel de Belém, quentinho, com muita canela e açúcar. Após o almoço, fomos conhecer a Torre de Belém, o CCB e o Padrão dos Descobrimentos. Estava na hora do regresso, cansados mas felizes, deixamos para trás Lisboa e o Tejo. Até à Próxima.

A turma do 12ºC Profissional Técnico de Saúde

15


16

Destaque

dezembro ‘13

A CAMINHADA COMEMORATIVA DO DIA DO NÃO FUMADOR—15 DE NOVEMBRO DE 2013

N

o dia 15 de novembro comemorou-se o Dia do Não Fumador. Esta iniciativa contou com a participação de alunos dos 7º A (18), 7ºB (16), 7º C (20), 8º A (13), 8º C (11), 9º B (1) e 9º C (10), num total de 89 alunos. Fizeram parte da organização alunos do 10º A (10), do 12º ano Profissional técnico auxiliar de Saúde (17), o grupo de docentes de Educação Física (3º ciclo e ensino secundário). Estes últimos foram os autores do percurso de 5 km percorridos na caminhada, tendo nela participado os docentes José Mateus e Rui Violante por serem os que tinham nessa manhã aulas com alunos do 3º ciclo. Para além desses docentes estiveram na organização as professoras Carla Mesquita Lopes, Maria José Alcaravela e Ângela Rodrigues. Por volta das 9:05 h os alunos inscritos compareceram no átrio exterior da escola-sede para se apresentarem e receberem o autocolante identificativo de participante. Por volta das 10:00 h deu-se início à caminhada que consistiu num percurso de 5 km distribuído por vários espaços da vila de Arraiolos. Esta atividade contou com o apoio dos Bombeiros Voluntários de Arraiolos, o Centro de Saúde de Arraiolos (estagiária de enfermagem), e com a Guarda Nacional Republicana que acompanharam o grupo em todo o percurso com uma ambulância e dois elementos da GNR (Escola Segura) respetivamente.

16


dezembro ‘13

Destaque

17

A CAMINHADA COMEMORATIVA DO DIA DO NÃO FUMADOR—15 DE NOVEMBRO DE 2013

17


18

Destaque

dezembro ‘13

SESSÕES DE ESCLARECIMENTO SOBRE “DROGAS: EVITAR E ENFRENTAR AS DEPENDÊNCIAS” (PARLAMENTO DOS JOVENS—ENSINO BÁSICO)

N

os dias 13 e 20 de novembro, no polivalente da Escola Cunha Rivara de Arraiolos realizaram-se sessões de esclarecimento sobre a temática “Drogas: Evitar e enfrentar as dependências”, as quais contaram com a presença, enquanto dinamizador, do Dr. Paulo de Jesus, Coordenador da Equipa de Prevenção do CRI (Centro de Resposta Integrada) de Évora, e de uma estagiária de Psicologia, Sónia Silva. Para que as mesmas decorressem de acordo com os interesses e necessidades dos alunos, esta iniciativa contou com o apoio dos diretores de turma que solicitaram aos alunos, nos finais de outubro, a entrega, por escrito e de forma anónima, de questões sobre o tema. As questões foram, com antecedência e categorizadas por anos de escolaridade, enviadas ao Dr. Paulo de Jesus para que focalizasse o debate em redor dos assuntos que mais preocupavam os alunos. No dia 13 de novembro decorreram duas sessões: das 10:05 às 11:35 h o público-alvo foram os alunos do 7º ano e das 11:45 às 13:15 h os alunos do 8º ano; enquanto que no dia 20 de novembro realizou-se uma sessão para os alunos do 9º ano, incluindo o Curso Vocacional. Estes debates realizaram-se no âmbito do programa Parlamento dos Jovens (Ensino Básico) e constituíram um meio de envolver e motivar os alunos para esta temática através da formação de listas para a sessão escolar (22 de janeiro). Podemos afirmar que esta atividade atingiu os seus objetivos na medida em que, no final do primeiro período, já foram apresentadas 8 listas à Comissão Escolar Eleitoral, compostas por alunos desde o 7º até ao 9º ano de escolaridade, envolvendo 80 alunos.

As docentes responsáveis: Ângela Rodrigues e Carla Lopes Mesquita

18


dezembro ‘13

Destaque

19

Os docentes Anabela Garcia e Bernardino Mira

N

o dia 3 de dezembro come-

morou-se o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência através de uma exposição de trabalhos, patente na portaria da escola-sede.

A equipa de Ensino Especial

19


20

Destaque

N

dezembro ‘13

o dia 3 de Dezembro de 2013, terça-feira, os alunos do curso Técnico de Gestão do Ambiente, 10 º ano, turma

C, acompanhados pelas professoras Ana Fonseca e Carmem Caeiro, realizaram uma visita de estudo ao Centro de Recuperação do Lobo Ibérico, na Malveira, e à Tapada Nacional de Mafra no âmbito das disciplinas de projetos em ambiente, conservação da natureza e ordenamento do território. Saímos às 8:00h de Arraiolos e chegámos às 10:30h ao Centro de Recuperação do Lobo Ibérico, tendo sido recebidos pelo professor Francisco Fonseca, diretor do centro, que nos guiou na visita. O grupo lobo é uma associação independente e sem fins lucrativos, a trabalhar a favor da conservação do lobo e do seu habitat há 25 anos. O Centro de Recuperação do Lobo Ibérico (CRLI) foi criado em 1987 com o objetivo de providenciar um ambiente, em cativeiro, adequado para lobos que não possam viver em liberdade. O CRLI ocupa 17 hectares de terreno e tem como objetivos divulgar informação, apoiar o desenvolvimento de estudos científicos, informar e sensibilizar a opinião pública e promover medidas práticas de conservação. Conseguimos observar 3 lobas (Canis lúpus signatus), a Faia, a Aura e a Castanha. Neste momento, encontram-se 7 lobos no CRLI. Almoçámos no parque de merendas do centro. Gostámos imenso de tudo o que vimos, foi uma experiência maravilhosa e aprendemos bastante sobre o lobo ibérico. Chegámos à Tapada Nacional de Mafra às 13:30h, onde fomos recebidos pela guia. Durante o percurso ribeirinho, pudemos observar gamos (Dama dama), veados (Cervus elaphus), javalis (Sus scrofa), burros (Equus asinus) e cavalos (Equus caballus). Observámos pegadas dos animais acima mencionados e também pudemos recolher dejetos. Estes animais alimentam-se do que existe, mas quando é necessário a Tapada ajuda neste aspeto. Também observámos algumas espécies vegetais, muitas delas que resistiram ao grande incêndio de Setembro de 2003. Vimos Sobreiros, Eucaliptos, Urzes, vegetação ripícola (Plátanos, Freixos, Choupos, entre outros) e avistámos também espécies da flora que são também consideradas de grande interesse público tendo uma longevidade de 300 anos Olaia (Cercis silisquastrus), castanheiro da Índia (Aesculus hippocastaneum) com 250 anos. Depois deste percurso dirigimo-nos para a sessão de falcoaria, onde também estava um guia que nos apresentou cada uma das espécies ali existentes, assistimos à sessão de falcoaria e participámos nas atividades com as aves, como por exemplo com a coruja-das-torres, a águia da-asa-redonda e o bufo-real. Também gostámos bastante de visitar a Tapada Nacional de Mafra, foi, sem dúvida, uma experiência incrível. Considerámos que a visita foi muito interessante, porque pudemos observar várias espécies animais e vegetais no seu habitat e vimos o trabalho dos guias para informar/educar o público em geral sobre a Conservação da Natureza. 20


dezembro ‘12

Destaque

21

A PARTIDA DA FAMÍLIA REAL PORTUGUESA PARA O BRASIL (1807)

E

(Infografia de Sattu e Luiz Iria (consultor), inspirado no mapa do Brasil e regiões circunvizinhas (1798) de Giovani Maria Cassin)

ra uma vez um reino chamado Portugal, que foi invadido pelo exército Francês, liderado pelo general

Junot. O príncipe regente, de seu nome D. João VI, príncipe glutão que gostava imenso de comer frango, com medo de ser deposto pelo exército Francês, a conselho dos Ingleses, juntou a sua família (a rainha sua mãe, sua mulher, a princesa espanhola Carlota Joaquina e os seus filhos) e cerca de 11.000 pessoas e partiu, no dia 29 de novembro de 1807, para o outro lado do oceano Atlântico, para uma colónia que pertencia a Portugal: o Brasil. A esquadra portuguesa, comandada pelo vice-almirante Manuel da Cunha Souto Maior, era constituída por 8 Naus (Príncipe Real, D. João de Castro, Afonso de Albuquerque, Rainha de Portugal, Medusa, Príncipe do Brasil, Conde D. Henrique, Martins de Freitas), 3 Fragatas (Minerva, Golfinho, Urânia), 3 Brigues (Lebre, Voador, Vingança) e 2 Escunas (Furão, Curiosa). A viagem para o Brasil foi uma epopeia que durou 3 longos meses, durante os quais a comitiva enfrentou tempestades, calmarias, peste de piolhos, falta de alimentos e de água e chegou ao destino dividida em duas. Em terras brasileiras, o príncipe ficou por 13 anos, realizou alguns feitos importantes, tornou- se rei após a morte da mãe e fez do filho, Pedro, seu sucessor. Depois, nem quando Napoleão havia perdido a guerra com Portugal voltou (1811) . Só anos mais tarde e por exigência das Cortes Constituintes regressou à sua terra natal (1821). Margarida Fortes Pequito, 6ºA A docente Ângela Rodrigues

21


22

Destaque

dezembro ‘13

FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM CONTEXTO EUROPEU

O

s professores do Agrupamento de Escolas de Arraiolos: Ana Pedreirinho, Anabela Garcia, Rui Rebocho e Cristi-

na Seixas concorreram no âmbito do Progama Comenius, à frequência de ações de formação em Dublin e Bruxelas, que decorreram nos meses de Julho e Agosto de 2013. Os objetivos comuns foram os de melhorar o nível linguístico, trocar experiências no âmbito das metodologias de ensino-aprendizagem e atualizar conhecimentos relacionados com as suas áreas de ensino. Estas formações contínuas que foram subsidiadas pela Agência Nacional para a Gestão do Programa de Aprendizagem ao Longo da Vida, denominaram-se: “Talking to People”, “Interactive Whiteboards – Making the Most of your IWB, a Pedagogical Approach”, e "Methodology and Language Development for Teachers of English”. Estes cursos tiveram a participação de professores oriundos de 16 países da União Europeia. A formação “Talking to People” proporcionou uma grande interação com a comunidade local, tornando as aprendizagens mais contextualizadas e facultando um maior conhecimento da cultura irlandesa. O curso “Interactive Whiteboards – Making the Most of your IWB, a Pedagogical Approach” foi realizado na “Sala de aula do futuro” da European Schoolnet(http://cpdlab.eun.org/). Esta sala foi criada pela European Schoolnet em parceria com os ministérios da educação dos vários países da União Europeia e as empresas que desenvolvem tecnologias para a educação. A ação de formação "Methodology and Language Development for Teachers of English" foi vocacionado para as metodologias de ensino do inglês, nos vários graus de ensino. O balanço efetuado por este grupo de professores é bastante positivo na medida em que proporcionou gerar uma rede de contatos a nível europeu muito úteis, que permitem continuar a troca de experiências e materiais ou desenvolver projetos pedagógicos comuns relacionados com as disciplinas que lecionam (1º Ciclo, Educação Visual, Educação tecnológica e Tecnologias da Informação e da Comunicação). Tendo em conta a dimensão europeia destas ações de formação, tanto em conversas informais como em contexto de sala de aula, a troca de experiências pedagógicas proporcionaram um conhecimento da realidade europeia na área da Educação. Estes quatro docentes têm vindo a desenvolver ações de partilha destas experiências com a comunidade educativa do seu agrupamento.

Curso “Talking to People” Entrevista a uma jornalista irlandesa

22

Curso “Interactive Whiteboards – Making the Most of your IWB, a Pedagogical Approach”

Curso “Methodology and Language Development for Teachers of English”


dezembro ‘12

Destaque

23

TOMADA DE POSSE DOS ÓRGÃOS DA ASSOCIAÇÃO DE ESTUDANTES—4 DE NOVEMBRO

N

o passado dia 4 de novembro, pelas 9 h 50 minutos tomaram posse os novos órgãos da Associação de Estu-

dantes do Agrupamento de Escolas de Arraiolos. Estiveram presentes a Presidente do Conselho Geral, todos os elementos da direção: Diretora, Subdiretor, Adjunto para o 2º e 3º ciclos e Adjunta para o pré-escolar e 1º ciclo. Presenciaram ainda o evento, o Presidente da Associação de Pais e o Coordenador dos Assistentes Operacionais.

A Presidente do Conselho Geral parabenizou os empossados chamando a atenção para a necessidade de se dinamizar o associativismo juvenil. A Diretora disponibilizou-se para apoiar, dentro do que é possível para escola e para a sua atual situação financeira. O Presidente da Associação de Pais realçou que as atividades devem ser em todas áreas, aspeto também já anteriormente citado e o coordenador dos Assistentes Operacionais reiterou a disponibilidade de apoiar dentro do que fossem as suas atribuições.

A Associação de Estudantes, na pessoa do seu novo Presidente, David Antas, comprometeu-se em dinamizar algumas atividades envolvendo os alunos, responsabilizando-os pelo que é de facto o Associativismo, bem como de avançarem com atividades não só recreativas como culturais.

Bom trabalho para todos!!!

23

Profile for Angela  Rodrigues

Arrrivar 1ª edição 2013 14  

1ª edição do Jornal do Agrupamento de Escolas de Arraiolos -ano letivo de 2013-14 - dezembro de 2013

Arrrivar 1ª edição 2013 14  

1ª edição do Jornal do Agrupamento de Escolas de Arraiolos -ano letivo de 2013-14 - dezembro de 2013

Profile for arrrivar
Advertisement