Page 1

Índice: Biblioteca escolar …...2 Carnaval reclicado …..3 Pavilhão Conhec…...4/5 Boletim Cultus ...…..…7 Textos de alunos …….8 Projetos ………….10/11 Estrasburgo …..…....12 Ed. Fis. …….…14/15/16 Número: 15 | Mês: março | ano: 2012 | Jornal Trimestral | Agrupamento de escolas de Arraiolos

VOLUNTARIADO Quem é o Voluntário?

NÚCLEO DE VOLUNTARIADO DE PROXIMIDADE DE ARRAIOLOS

O Voluntário é o indivíduo que de forma livre, desinteressada, gratuita e responsável se compromete, de acordo com as suas aptidões próprias e no seu tempo livre, a realizar ações de voluntariado no âmbito de uma organização promotora.

Conscientes da importância social que o VOLUNTARIADO tem no desenvolvimento integrado de uma comunidade o Monte, em colaboração com várias entidades parceiras, encontra-se a implementar o NÚCLEO DE VOLUNTARIADO DE PROXIMIDADE DE ARRAIOLOS (NVPA). O que é o Núcleo de Voluntariado de Proximidade?

Quem pode ser voluntário? Maiores de 18 anos, com alguma disponibilidade de tempo, que pretendam contribuir para a qualidade de vida e bem estar da comunidade local.

O NVPA consiste na junção de esforços entre entidades públicas e privadas, e VOLUNTÁRIOS, que no exercício da sua cidadania, e com base num ato voluntário de generosidade e disponibilidade para com o seu semelhante, pretendem desenvolver atividades em prol dos outros e da sua comunidade. A quem se destina?

EDITORIAL Caros leitores Estamos novamente em comunicação. “A ideia da comunicação como um dispositivo cultural muito potente para a formação e desenvolvimento humano” (Niza, 2010) é hoje uma ideia muito cara ao conceito Literacia em Informação. Atualmente o grande objetivo é que o cidadão médio tenha competência no que respeita a aceder e utilizar a informação que prolifera no espaço digital para atingir uma cidadania ativa e eficiente. A crescente entrada das TIC e a proliferação da informação em formato digital são um indicador seguro de que a informação se está a tornar num essencial ao sistema social, económico e político. (Correia) Com efeito, o modo como temos vindo a privilegiar o discurso nas trocas do que pomos em comum neste órgão de comunicação que é de todos, demonstra que ainda temos um grande caminho a percorrer. Tudo dependerá de como soubermos acolher e valorizar o que temos à nossa disposição. Desde o diálogo, à exposição, tudo podemos pôr em debate e assim re-coconstruir a cultura apropriada da escola, o conhecimento proposto do currículo e/ou para além dele. (Niza, 2010) Boas leituras, com muitos tempos de debate e discussão no âmbito do trabalho colaborativo… A equipa do ArrRivar

Redação e montagem: Agrupamento de Escolas de Arraiolos: Ângela Rodrigues e Paula Gaspar

O NVPA destina-se à COMUNIDADE EM GERAL, a quem necessita e a quem estiver disposto a doar algum seu tempo. Entidade Promotora: Monte - ACE Entidades Parceiras:  Agrupamento de Escolas de Arraiolos  Associação Humanitária Bombeiros Voluntários de Arraiolos  Associação Social Unidos de Santana do Campo  Centro Infantil Augusto Piteira  Centro de Saúde de Arraiolos  Centro Social e Paroquial de Arraiolos  Junta de Freguesia de Arraiolos  Município de Arraiolos  Posto da GNR de Arraiolos  Santa Casa da Misericórdia de Arraiolos Em que áreas?  Acompanhamento pessoal a idosos (Médico; visitas; compras; papeis burocráticos);  Acompanhamento pessoal a crianças;  Atividades de animação;  Cuidados Pessoais;  Formação/Ensino;  Cultura/Património;  Empresarial. http://www.monte-ace.pt/site/linhas_voluntariado.html#homea Patrocínios:


2

Destaque

março ‘12

NA BIBLIOTECA ESCOLAR...

O

Em Novembro tivemos o prazer de receber a Drª Maria do Céu

s alunos contam histórias, ouvem música, leem livros, Fonseca para esclarecer professores, encarregados de educação jogam computador, vêm vídeos, fazem pesquisas... e outros adultos da comunidade educativa sobre O Acordo Ortográfico. Também tivemos, penduradas nas janelas, várias folhas No mês de outubro conhecemos “ A princesa da Chuva” de de plátano que continham palavras escritas da forma antiga e da Luísa Ducla Soares e escutámos a música “ Espelho de forma atual; isto é , depois do acordo ortográfico. Chamámos-lhe “ Palavras com letras caídas”. Água” de Paulo Gonzo.

Fomos reis, rainhas, fadas….

Logo bem cedo, pelas oito horas, em alguns dias trabalhamos no atelier de reciclagem, onde fazemos trabalhos com embalagens de cartão, papeis que aproveitamos de embrulhos ou outros. Também usamos laços e fitas de prendas que nos ofereceram ou materiais de arranjos de flores que as pessoas dão umas às outras. Os rolos do papel higiénico e os de papel de cozinha também têm utilidade. Procuramos ideias nos livros da classe 7 e mãos à obra! Só gastamos cola! Afinal, estamos numa Eco-Escola!

Em janeiro e fevereiro estamos a trabalhar o livro “ Cá em casa somos” de Madalena Matoso e Isabel Minhós. Vamos ter a visita dessas autoras dia 29 deste mês. A propósito, já conhecem este livro? É muito interessante. Esta é a nossa sugestão.

A equipa da biblioteca- 7/2/2012

2


Destaque

março ‘12

3

CARNAVAL RECICLADO

P

ara comemorarmos o Carnaval tivemos muitíssimo trabalho: - Pesquisámos na internet, para nos ajudar a ter ideias para os nossos fatos; - Fizemos o projeto para as fatiotas, cada um decidiu quais os materiais a utilizar e as cores tanto dos fatos como dos adereços; - Recortámos e pintámos sacas velhas, copos de iogurte ou de café e garrafões; - Ensaiámos canções e danças muito alegres. - Fizemos convites e cartazes para a população. Mas, no dia 17 de fevereiro às 10 horas, lá estávamos nós lindos e divertidos na sociedade de Sabugueiro para

fazermos uma passagem de modelos e depois um desfile pela aldeia. Os nossos familiares e amigos acompanharam-nos na nossa festa que teve muita música, papelinhos, fitas e alegria!!! E o melhor de tudo é que aprendemos o quanto é importante e vantajoso reutilizar materiais que nos parecia já não servirem para nada… E.B.1 e J.I. de Sabugueiro Professoras Rita Riscado e Marisa Carvalho

3


4

N

Destaque

março ‘12

VISITA DE ESTUDO AO PAVILHÃO DO CONHECIMENTO E INSTITUTO DE METEOROLOGIA

o dia 31 de Janeiro, a nossa turma (do 10ºC) juntou-se à turma do 8ºA e ambas tivemos a oportunidade de ir numa visita de estudo até Lisboa, na qual visitámos o Pavilhão do Conhecimento e o Instituto Português de Meteorologia. No Pavilhão do Conhecimento visitámos 4 exposições. “O Mar é fixe mas não é só peixe” foi a primeira exposição que visitámos. Esta exposição leva-nos até ao fundo do mar. Embarcámos nesta exposição na qual descobrimos inúmeras coisas acerca do mar antes desconhecidas. O mar é fixe mas não é só peixe, pois engloba os portos marítimos, os mergulhadores, os barcos… Encontrámos cerca de 30 experiências, tais como um simulador de mergulho onde observámos o fundo do mar, portos marítimos, um porto gigante que tivemos a oportunidade de comandar, pudemos também mergulhar na piscina de bolas e muito mais…

A segunda exposição que visitámos tem o nome de “A Física no dia-a-dia” e é baseada no livro de Rómulo De Carvalho. Logo à chegada, esta exposição despertou-nos a curiosidade pois sendo a Física uma disciplina que normalmente não apele muito ao interesse dos jovens; aqui é possível entender a sua importância para explicar factos com os quais lidamos diariamente através de uma interatividade que ultrapassa todas as outras exposições, visto que os materiais utilizados nesta exposição são facilmente encontrados na rotina dos nossos dias e as experiências são facilmente executadas. Esta exposição organiza-se em divisões de uma casa: quarto (experiência sobre a luz e visão), sala (experiências sobre a luz e visão e sobre o som e audição), escritório (experiências sobre a eletricidade e magnetismo), despensa (experiências sobre forças, temperatura e volumes), cozinha (experiências sobre água: densidade e flutuabilidade) e jardim (experiências sobre o ar: pressão).

Pudemos ainda conhecer uma outra exposição, com o nome “Explora”. Chegámos a outro mundo que se divide em cinco áreas: a luz, a visão, a perceção, as ondas e Sistemas Complexos. Cada área continha diversas experiências onde exploramos a beleza da Natureza, por exemplo, através de ilusões de ótica, da possibilidade de desfazermos um tornado com as nossas mãos, etc… Por fim, aventurámo-nos numa última exposição com o nome de “Vê, faz, aprende!”, na qual podíamos desfrutar de mais de 40 experiências sobre a Ciência, a Natureza e a Tecnologia e cujo destaque foi a cama de pregos. Para concluir a nossa visita, deslocámo-nos para o Instituto Português de Meteorologia, onde ficámos a conhecer alguns métodos deste Instituto para previsão de tempo, entre outros e conhecemos ainda algumas noções importantes da Meteorologia, tais como, clima. Esta visita tornou-nos um pouco mais cultos e despertou-nos a curiosidade e interesse perante os temas acima descritos.

Alunas Joana Oliveira e Sílvia Casaca, 10º C

4


Destaque

março ‘12

5

VISITA DE ESTUDO EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA/ EDUCAÇÃO VISUAL / EXPRESSÃO

N

os dias doze e vinte e quatro de Janeiro realizou-se a visita de estudo ao Museu Municipal de Estremoz com todos os alunos do sétimo ano com o objetivo de dar a conhecer e interpretar a Arte através do artesanato local. Os alunos ficaram a perceber como se constroem os tradicionais Bonecos de Estremoz, a sua história e o seu percurso até aos nossos dias. Puderam também conhecer outro tipo de artesanato proveniente da cultura popular alentejana e respetivos materiais utilizados.

Docentes Bernardino Mira e Maria Gertrudes Garcia

CASTELHANISMOS

C

omo as línguas Portuguesa e Espanhola têm vindo a relacionar-se: as línguas antigas não são a única fonte a que o Português tem recorrido para a importação de palavras. Os exemplos ao lado mostram empréstimos vindos dos nossos vizinhos, introduzidos no Português em diversos momentos da sua história e aqui apresentados por ordem cronológica.

chiste

1543

chiste

airoso

1552

airoso (de aire ‘ar’)

moreno

1561

moreno (de moro ‘mouro’)

neblina

1660

neblina

palito

1720

palito (de palo ‘pau’)

lantejoula

1789

lentejuela

guerilha

1836

guerrilla

bandarilha

1871

Banderilla (de bandera “bandeira”)

cabecilha

1881

cabecilla

boina

1899

boina

Docentes do grupo de Espanhol

5


6

Destaque

março ‘12

MANUSEAMENTO DE UMA MÁQUINA DE CAFÉ

O

motivos, evitando assim danificar a máquina e também sofrer eu presidente da Associação de Reformados para onde eu fui mesma ferimentos ou choques graves.

trabalhar era, em conjunto com outro velhote também já com ida- Quando um dia mais tarde uma senhora me pediu um chá, eu tive de bastante avançada, o responsável pelo funcionamento do bar.

que recorrer ao manual de instruções, pois não sabia utilizar cor-

Foram então eles os dois que me deram algumas luzes de como rectamente as saídas de vapor que são naturalmente especificas funcionavam a máquina de café e todo o restante equipamento para o chá, porque a máquina em questão tinha duas iguais uma existente no bar, mas como eram, tanto um como outro, pessoas do lado direito e outra do lado esquerdo, mas cada uma com sua com uma idade já muito avançada e não sabendo ler, nem escre- função diferente, uma da qual saia água a ferver, para o chá e ver, muitas das questões que eu coloquei nenhum deles me sou- para escaldar as chávenas quando me era pedido um café em be responder, remetendo para o técnico da Delta que era a pes- chávena escaldada e a outra onde só saia vapor que servia para soa que sempre que a máquina tinha alguma avaria, por muito aquecer o leite para os galões. pequena e simples que fosse, vinha solucionar o problema.

Houve um dia em que ao fazer a devida limpeza do moinho de

Então, eu liguei ao senhor explicando o que se passava e pedindo café sem querer rodei uma rodinha que existia junto do triturador que assim que possível me fosse facultada alguma informação, que os moinhos têm, eu voltei a rodar a dita roda pensando que a pois o manual de instruções já ninguém sabia onde estava, ficou tinha colocado na mesma posição, mas não ficou igual, passados agendada uma visita do dito senhor para dali a alguns dias.

alguns dias o café começou a sair muito ruim, não tinha creme e

A máquina em questão tinha um moinho de café incorporado que era tão fraquinho que mais parecia um carioca. Todos os clientes ia automaticamente moendo o café, à medida que ia sendo neces- reclamavam que o café estava ruim. sário, como não tinha relógio temporizador para ligar automatica- Então eu achei por bem contactar o técnico para que o problema mente, eu tinha que cerca de duas horas antes, abrir a porta, ligá- fosse resolvido, pois eu nunca mais me tinha recordado da tal la, para que quando começasse a tirar cafés, o termóstato já ter rodinha que eu sem querer tinha mudado de posição, e como o aquecido o suficiente para que o café tivesse um sabor agradável, moinho tem sempre algum café moído de reserva demorou alguns porque quando a máquina não está quente o suficiente, o café sai dias a começar a sair o café moído depois de a roda ter sido mubastante amargo, quase intragável.

dada. Então o senhor recomendou-me que fosse consultar o ma-

Nesse dia, aprendi que para um bom funcionamento de uma má- nual de instruções do moinho e verificasse o que lá dizia em relaquina de café tem que ser feita de 15 em 15 dias uma operação ção à moagem do café, caso não encontrasse a solução voltasse chamada de depuração, que consiste na colocação de 1 kg de sal a ligar-lhe. de cozinha numa panela por onde passam os filtros da máquina Foi então que ao consultar o manual de instruções do moinho eu para que todos os tubos existentes no sistema não acumulem fiquei a perceber que quanto mais fina for a moagem do café mais calcário, danificando assim a máquina, esse procedimento tem cremoso e saboroso sai o café e mais rende, tendo que ser tamque ser feito com a máquina desligada e, de seguida, deve deixar- bém o manípulo mais apertado para que a pressão do aperto faça se passar água limpa pelo sistema pelo menos 1h30m, para que com que a água ao passar mais lentamente pelo pó, retire muito todo o sal saia, pois se ficarem alguns vestígios de sal o sabor do mais sabor e creme, lá rodei a roda para um número mais abaixo, café fica bastante desagradável.

para que saísse pó mais fininho e o café que se encontrava no

O senhor ensinou-me como se deve fazer uma limpeza correta moinho teve que ser retirado na totalidade para voltar a ser moído. dos manípulos, dos filtros, das torneiras, do para-pingos, do reser- Foi assim que eu fui tentando retirar o melhor partido da máquina vatório das borras do café e de todos os outros utensílios que são do café e dos seus componentes. utilizados para tirar um café. Também me aconselhou que essa E entre cafés melhor ou pior tirados lá passaram 2 anos da minha limpeza fosse feita diariamente, para evitar que o café começasse vida. a sair com borras. Foi-me recomendado que em todas as limpezas só fossem utilizados um pano macio e água tépida, sem adição de qualquer detergente, para não correr o risco de danificar alguma coisa, que nunca devia mexer nem expor ao contacto com água as partes em que existissem componentes elétricos, quaisquer que fossem os

6

Adulto em processo de RVCC de nível secundário


Destaque

março ‘12

7

Boletim Bibteca Agrupamento de Escolas de Arraiolos Fevereiro 2012

Nº2

Periodicidade: Trimestral

“Sobre as páginas de um livro pode-se chorar, mas não sobre o ecrã de um computador”, José Saramago

Actividades desenvolvidas...e por desenvolver Modelo de Auto-Avaliação em Bibliotecas Escolares

A Equipa da BE tem vindo a recolher informação relativa ao domínio A - Apoio ao Desenvolvimento Curricular, contando para esse efeito com a colaboração dos Directores de Turma e durante o segundo período irá ser feita a recolha e tratamento dos inquéritos dirigidos aos alunos. Formação Literacia Estatística No período passado, a equipa da Biblioteca levou várias sessões de formação, pelas turmas dos oitavos e nonos anos, no âmbito da Literacia Estatística. Os alunos puderam tomar contacto com o site do INE e nele aceder à base de dados da qual podem retirar muita informação pertinente sobre os mais variados temas. Planeamos repetir estas sessões em anos futuros.

através da participação em espaços de reflexão e de conversação em ambiente digital e em tertúlias de caráter prioritariamente literári e que são dinamizadas na biblioteca pela professora Paula Sande e professor Luís Serra. Visa em última análise, a criação de hábitos de leitura de obras literárias selecionadas e ao debate de questões culturais centralizadas na problematização da cultura do livro enquanto centro estruturador da cultura ocidental, e finalmente da leitura literária como experiência pessoal potencialmente enriquecedora dos pontos de vista cultural, intelectual e afetivo. A importância cultural e simbólica do objeto “livro”, e o

seu valor patrimonial; a importância da cultura literária consagrada e a noção de “clássico”; o tipo de benefícios e o impacto (não apenas cultural mas também emocional) que a experiência de leitura literária tem/pode ter sobre o leitor individual, foram algumas das questões abordadas e discutidas na primeira sessão presencial conduzida pelo convidado José Afonso Furtado, que contou, numa sessão com a duração de duas horas que teve lugar na biblioteca municipal de Arraiolos, a história do livro desde o codex às mais recentes reconfigurações, graças às tecnologias digitais, do objeto material “livro”. Outras sessões presenciais decorrerão até final do ano letivo.

Requisições na Biblioteca A equipa da Biblioteca, com a ajuda dos seus colaboradores, concluiu a introdução de dados dos alunos (leitores) no programa Usewin, com vista à utilização da requisição electrónica de documentos. De seguida passará aos dados de todos os funcionários da escola, com vista à simplificação do trabalho na Biblio-

Projeto Comunidade de Leitores Cunha Rivara

Projeto apoiado pela Fundação Calouste Gulbenkian, consubstancia-se numa comunidade ativa de leitores

Algumas novidades  

VIEGAS, Francisco José; A brasileira de prazins Literatura -- [[Publicações infantis]] / Romance TORRADO, António; A ilustre casa de Ramires Literatura -- [[Publicações infantis]] / Romance

Guias práticos de bolso - OS PRIMEIROS PASSOS NA INTERNET - AS DOENÇAS DO APARELHO DIGESTIVO - EMAGRECER - VENENO NO SEU PRATO? - POUPAR ENERGIA E PROTEGER O - 250 TRABALHOS DE MANUTENÇÃO AMBIENTE - CORAÇÃO EM FORMA - CONHEÇA O MUNDO DA INTERNET - CONHEÇA O MUNDO DIGITAL - CONHEÇA O SEU COMPUTADOR - DEFENDA OS SEUS DIREITOS

Cartoon

7 Site: www.eps-cunha-rivara.rcts.pt

E-mail:bibcunharivara@gmail.com

Catálogo On-line:www.rbe.min-edu.pt/np4/77.html


8

Destaque

março ‘12

TEXTOS DE ALUNOS

N

Crítica ao filme “2012”

o dia 20 de Janeiro de 2012, na aula de Biologia e Geologia visionámos o filme “2012”, de Roland Emmerich. O principal objetivo foi a conclusão do estudo da Geologia de 10º ano. O filme faz referência à profecia dos Maias, ao Calendário de Contagem Longa e ao fenómeno 2012 num retrato de eventos cataclísmicos que se desenrolam no ano de 2012. Nesses eventos cataclísmicos cujo filme faz referência existem verdades científicas/semelhanças com a realidade, tais como: Parque Nacional de Yellowstone e o seu Mega Vulcão Embora seja verdade que exista um mega vulcão em Yellowstone e que este esteja em eminência de erupção, uma erupção de um vulcão desta envergadura teria efeitos catastróficos em todo o planeta. Os seus efeitos durariam décadas para se normalizar e trariam mudanças bruscas na Terra, desde a morte de milhões de pessoas à extinção em massa de plantas e animais (no filme este tem um impacte bastante menor). Erupções Solares É um facto que existem erupções solares, e nestes últimos dias até se têm registado várias erupções solares, porém segundo a atual teoria do decaimento radioativo, a emissão dos chamados “ neutrinos” não teria qualquer influência na temperatura do núcleo da terra. Aumento do nível das águas Com um elevado número de terramotos em todo o globo iriam formar-se gigantescos tsunamis em todo o globo. Inversão dos Pólos Magnéticos É verdade que os pólos magnéticos terrestres sofrem inversões (normalmente de 200 mil em 200 mil anos) e já à mais de 800 mil anos que não se registam inversões dos pólos magnéticos. Contudo, os pólos magnéticos terrestres já estão a iniciar o seu processo de inversão. Com base nos registos fósseis comprovasse que a inversão dos pólos magnéticos não afeta fortemente a vida na terra nem provoca destruições em massa. Em 2012 não vai haver nenhuma inversão brusca dos pólos pois estes demoram entre várias centenas de anos a milhares a concluir o seu processo. Também existem alguns erros científicos / diferenças da realidade, tais como: Comunicações No filme nós observamos que todas as comunicações são feitas com recurso a satélites em orbita terrestre porém com erupções solares do tipo X (que são as observadas no filme) apercebemo-nos que todos os satélites ficariam inativos impossibilitando o contacto.

Sismos no mar Os sismos observados no filme não teriam magnitude suficiente para formar os tsunamis com 300 metros observados no filme. Atmosfera respirável muito rapidamente No filme observasse que ao fim de 20 e poucos dias já era possível respirar-se ar puro na rua sem qualquer problema para a saúde. Porém os seres vivos produtores iriam sofrer uma extinção em massa, havendo uma redução da emanação de O2 para a atmosfera e com tantos vulcões ativos ao longo do planeta, haveria uma emanação de dióxido de carbono e monóxido de carbono em larga escala. 8

Cátia Lopes, nº 6 e Miguel Oliveira, nº16 10º A Professora: Inês Pequito


Destaque

março ‘12

9

«TODAS AS FLORES DO FUTURO ESTÃO NAS SEMENTES DE HOJE»

Com o Francês é a mesma coisa, semeamos… múltiplos jogos, múltiplas atividades, inúmeros concursos, novas aprendizagens (seja nas aulas de francês ou no Clube)!

Assim, houve um Concurso de karaoke nacional, no qual participaram seis alunos (de francês e não só). Aguardamos, ainda, uma resposta de Lisboa para a seleção final. Prémio aliciante para quem superar a última prova: uma viagem a França!

Logo a seguir, realizou-se o Concurso dos Melhores Crepes cozinhados por alunos, no qual participaram cinco voluntários das turmas 9ºb e 10ºd, de francês. A ajuda dos alunos do 10ºd foi fundamental, tal como a participação dos restantes alunos e professores da nossa escola que prontamente provaram os crepes e elegeram o melhor!

Neste momento, um outro Concurso está a decorrer: «Paris dos pequeninos»! Consiste na representação de um monumento parisiense; o objetivo é representá-lo de forma criativa, original, em materiais à escolha (caricas, rolhas, tampas, fósforos, embalagens, massa, etc.) Ganhará o melhor! Por fim, o lado lúdico do francês continua nas aulas, dando então um outro «sabor» a este bonito idioma como, por exemplo, na degustação do bolo-rei francês (a “Galette”), ou até nas dinamizações feitas nas turmas de 6ºano. Porquê tanta diversidade? Simplesmente para que destas ações floresça uma língua Viva, dinâmica, alegre, útil e prática!...

Portanto, Vai para o Francês porque é tua vez!

Laetitia Alves e Isabel Madeira; Assistente de Francês e Professora de Francês

9


10

Destaque

março ‘12

Projeto Gulbenkian— na Bibilioteca

A

s atividades da COMUNIDADE DE LEITORES DA ESCOLA DECUNHA RIVARA prosseguiram ao longo do segundo período letivo com a leitura dos seguintes textos: A Torre da Má Hora, conto tradicional/popular português Torre da Má Hora, conto de Manuel da Fonseca A Contadora de Filmes, romance de Hernán Rivera Letelier No dia dia 21 de março os alunos membros da Comunidade reuniram com os professores Luís Serra e Paula Sande na biblioteca da escola e no dia 23 teve lugar na biblioteca municipal uma sessão especialíssima animada por Joaninha Duarte d’Almeida, investigadora & contadora de histórias, e Luís Carmelo, romancista & ensaísta. Ao longo dos meses de fevereiro e março, tendo como ponto de partida a leitura dos textos literários referidos, e em particular nas duas sessões presenciais mencionadas, discutiram-se questões muito interessantes relacionadas com a arte do contador de histórias, com a literatura e o cinema: ü Criação/recriação de ficções: como é que o ouvinte/leitor/espectador recebe e refaz as histórias? Como é que transforma o que ouve/lê/vê, como é que re-imagina e incorpora os textos criativos e as imagens (na mente e no coração)? De que formas associa os textos ouvidos/lidos/representados ao texto da sua vida? Que lugares ocupam as ficções na vida individual?... ü Modos de relação das comunidades com as ficções: Que lugar ocupavam os contos na vida e no imaginário dos indivíduos e das comunidades nas sociedades pré-industriais? Que papel social e cultural desempenhava o contador de histórias no modelo de sociedade tradicional?... ü Formas de reconfiguração das comunidades na era das tecnologias audiovisuais: até que ponto as novas tecnologias da informação e da comunicação constituíram um fator de perturbação no seio das comunidades sociais e culturais? Serão os meios tecnológicos de acesso ao entretenimento (cultura televisiva e cultura do videogame) os novos contadores de histórias das crianças e dos jovens? O que é que distingue as experiências de imersão ficcional mediadas pelas tecnologias audiovisuais e digitais da experiência de leitura? Que lugar tem hoje a arte da palavra dita?...

FOTOS: Joaninha Duarte fotografada no momento em que contou o conto popular A Torre da Má Hora e Luís Carmelo quando relatava a sua experiência de autor de um romance adaptado para cinema Docente Paula Sande 10


Destaque

março ‘12

11

“TEA GARDEN” PROJETO COMENIUS

D

epois do envio dos postais de Natal para os parceiros do projeto, os alunos dedicaram-se ao concurso interno para o logotipo do projeto. As três turmas envolvidas desenvolveram trabalhos individuais que foram posteriormente votados dentro das turmas, sendo que o vencedor de cada turma foi, depois, votado pela escola. O logotipo vencedor da turma 8º A foi o trabalho desenvolvido pela aluna Alexandra Mira, o logotipo vencedor da turma 8º B foi o trabalho desenvolvido pela aluna Maria Arnaud e o logotipo vencedor da turma 8º C foi o trabalho desenvolvido pela aluna Maria Pereira O logotipo vencedor, após votação pela comunidade escolar, foi o trabalho desenvolvido pela aluna Maria Arnaud. Este trabalho foi colocado no blog do projeto (http://teagardenblog.blogspot.com/) onde todos os logotipos propostos pelos diferentes parceiros serão sujeitos à apreciação das diversas comunidades educativas. O trabalho vencedor será o logotipo oficial do projeto. Neste momento, prepara-se já a deslocação a Angermunde, na Alemanha, que será acompanhada pelas professoras Dina Costa e Aurora Sá, como pelos alunos Bruno Luz, Bruno Matilde e Jéssica Bolas.

2º classificado

3º classificado

1º classificado

Decorreu entre 12 e 15 de Março o segundo encontro internacional do Projeto Comenius, em Angermunde, Alemanha. Angermunde é uma pequena cidade Alemã, situada no estado de “Brandenburg”, a setenta quilómetros de Berlin, com aproximadamente 10000 habitantes. A cidade fica junto a um lago, e está integrada numa zona de floresta. Neste encontro participaram alunos e professores dos vários países participantes no projeto, num intercâmbio de culturas e desenvolvimento de competências no uso da língua de comunicação – Inglês. Os grupos realizaram diversas atividades tais como, interação no “ Youth Centre” (clube de jovens), visita ao zoo da cidade, visita à estação meteorológica e passeio pela cidade. Apesar de cansativo, este encontro foi bastante interessante pelas experiências que proporcionou aos alunos e professores envolvidos. Dina Costa, Coordenadora do Projeto Comenius “Tea Garden”

11


12

U

Destaque

março ‘12

ALUNOS DE ARRAIOLOS PARTICIPAM NO EUROSCOLA EM ESTRASBURGO

m grupo de 16 alunos dos 11º B (Inês Catalão, Inês Fatela, José Mira, Maria Jorge, Maria Reto, Patrícia França e Rui Anjos) e 12º B (Ana Batista, Catarina Candeias, David Lóios, Elizabete Fernandes, Luciana Vieira, Paulo Menezes, Sara Santana, Sérgio Conceição e Sofia Pintado) do nosso Agrupamento, acompanhados pelos professores Ângela Rodrigues e Henrique Gonçalves deslocou-se a Estrasburgo entre os dias 15 e 18 de março, a fim de participar na Sessão EUROSCOLA, que decorreu nas instalações do Parlamento Europeu. A referida participação resultou do convite endereçado pelo Parlamento Europeu e surgiu na sequência da participação das alunas do 12ºB Ana Batista e Elizabete Fernandes na fase final nacional da iniciativa EUROSCOLA, na qual obtiveram um honroso 8º lugar. A sessão EUROSCOLA decorreu ao longo de todo o dia 16 de março e contou com a participação de cerca de 500 jovens representantes da quase totalidade dos Estados membros da União Europeia. Teve o seu início com a acreditação dos jovens, seguindo-se a sua divisão em grupos multilingues e a apresentação do Parlamento Europeu e da União Europeia pelos administradores. Pouco depois, chegou um dos momentos mais esperados: a apresentação das escolas. No caso da escola de Arraiolos essa apresentação esteve a cargo do aluno Sérgio Conceição. Na parte da tarde os grupos de trabalho debateram os temas: “O papel dos valores na Europa e no mundo”, “Migrações e integração”, “Ambiente e energias renováveis”, “Liberdade de informação e cultura da cidadania, “Democracia e cidadania” e “O futuro da Europa”. Os alunos envolvidos, às 4ªs feiras à tarde participaram, sob a orientação dos docentes responsáveis pela atividade, desde do mês de dezembro, em sessões quinzenais, para preparação daqueles temas de trabalho . Finalmente seguiu-se a sessão plenária, com a apresentação de relatórios aprovados nos grupos de trabalho e a sua votação, registando-se a inclusão de algumas propostas trabalhadas pelo grupo de Arraiolos. Os alunos e docentes, em grupos e espaços separados, tiveram ainda oportunidade de participar no jogo “Eurogame”. Este consistiu na resposta a questões alusivas à União Europeia, redigidas em cada uma das línguas em uso nos Estados europeus. As equipas eram multilingues e compostas por quatro elementos. Entretanto, enquanto os jovens europeus discutiam questões de relevante interesse para o seu futuro imediato, os professores acompanhantes, de manhã, visitaram parte das instalações do Parlamento Europeu e, após o almoço e imediatamente antes da sessão plenária, participaram num debate com os administradores da referida instituição. A sessão foi encerrada com uma cerimónia plena de significado na qual, ao som do hino europeu, os jovens porta-vozes de cada um dos países transportaram para o hemiciclo uma das Sérgio Conceição – Porta-voz do grupo de Arraiolos bandeiras dos Estados membros da UE, tendo o representante na apresentação da escola português transportado a bandeira da Bélgica. O dia seguinte – sábado - foi destinado a visitar Estrasburgo e os seus pontos de interesse mais importantes, designadamente a catedral e o típico bairro “La Petite France”, tendo sido efetuados registos fotográficos da cidade e da estadia do grupo de Arraiolos. Para que esta iniciativa se tornasse realidade contámos com o apoio das Juntas de Freguesia de Arraiolos e do Vimieiro e com a Câmara Municipal de Arraiolos que nos transportaram de Arraiolos para Lisboa e vice-versa, bem como com o apoio logístico do Senhor Diretor do Agrupamento de Escolas de Arraiolos e da sua equipa. A todos um MUITO OBRIGADA! Professores Ângela Rodrigues e Henrique Gonçalves 12


Destaque

março ‘12

13

PARLAMENTO DOS JOVENS - SESSÃO ESCOLAR - 16 DE JANEIRO DE 2012

N

o dia 16 de Janeiro, pelas 14.30h, no auditório do Pavilhão Multiusos de Arraiolos teve lugar a sessão escolar

do Parlamento dos Jovens, do Ensino Secundário. Esta sessão contou com a presença do deputado João Oliveira, do PCP, que fez uma breve apresentação do funcionamento da Assembleia da República e respondeu a algumas questões colocadas pelos alunos. De seguida as duas equipas envolvidas (de alunos das turmas 10º C, 11º B e 12º B) apresentaram as suas medidas sobre a temática: “Redes Sociais: Participação e Cidadania”, seguido de um aceso debate. Este foi moderado por um grupo de três alunos (2 do 10º C e 1 do 11º B).

O José Carlos Mira apresentou as medidas da Lista M (composta por alunos do 11º B e 12º B)

Deputado do PCP João Oliveira: a partir de um suporte digital (PPT) fez uma breve apresentação do funcionamento da Assembleia da República

No final da sessão realizou-se a eleição dos deputados à sessão distrital (5 efetivos e 1 suplente) e a seleção das medidas a apresentar e defender nessa sessão, a saber: I.

Elaboração de uma carta de princípios éticos para uma maior segurança na utilização das redes sociais;

II.

Formação intensiva dos alunos no 1º ciclo do Ensino Básico e pontual nos 2º e 3º ciclos do Ensino Básico

A Lília Ravasqueira apresentou as medidas da equipa Q (alunos do 10ºC)

para uma utilização crítica e informada das redes sociais; III.

Utilização sistemática das redes sociais na Escola, rentabilizando as suas potencialidades para fins pedagógicos e de cidadania. Foi proposto e aprovado por unanimidade o tema “Igualdade de oportunidades”, como potencial temática a de-

bater no próximo ano letivo, no Parlamento dos Jovens ( ensino secundário). A sessão distrital realizou-se em Évora, no dia 28 de Fevereiro e estiveram envolvidos como participantes 6 alunos e 12 alunos como observadores/apoiantes. Docentes Ângela Rodrigues e Henrique Gonçalves13


14

Destaque

março ‘12

VIVER MELHOR NA NOSSA TERRA É VIVER MAIS SAUDÁVEL INTRODUÇÃO Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a obesidade é uma doença em que o excesso de gordura corporal pode atingir graus capazes de afetar a saúde. Dentro deste quadro a obesidade infantil é um dos mais sérios desafios de saúde pública do século XXI, tendo atingido proporções epidémicas. Por incrível que parece atualmente a obesidade é a doença pediátrica mais comum a nível mundial. Decorrente de dados apurados por vários estudos é possível estimar-se que em todo o mundo cerca de 155 milhões de crianças em idade escolar apresentam excesso de peso (pré-obesidade e obesidade), das quais 30 a 45 milhões são obesas, correspondendo a 3% das crianças entre os 5 e os 17 anos a nível mundial. Na Europa, a taxa de crescimento desta doença tem-se mantido constante, acrescentando 400,000 novos casos ano aos já existentes 45 milhões de crianças com excesso de peso. Este valor é 10 vezes superior ao registado relativamente ao ano de 1970. Portugal encontra-se na zona da Europa com maior prevalência de obesidade infantil de acordo com os últimos estudos da International Obesity Task Force e da investigação de Cristina Padez (2004) ou ainda de acordo com o relatório do COSI Portugal 2005. Portugal apresenta incidências superiores a 30% de crianças com excesso de peso e cerca de 11% com obesidade. Estas investigações além dos resultados apresentados mostram que a prevalência da obesidade nas crianças portuguesas tem vindo a aumentar substancialmente na última década. A OMS reconhece que, neste século, a obesidade tem uma prevalência igual ou superior à da desnutrição e das doenças infeciosas. Perante esta realidade se não se tomarem medidas drásticas para prevenir e tratar a obesidade, mais de 50% da população mundial será obesa em 2050. Embora não estejam claramente estabelecidas as consequências diretas da obesidade na saúde das crianças, sabese que a obesidade é um fator de risco para diversas doenças crónicas tais como: diabetes tipo II, hipertensão arterial, dislipidemia, apneia do sono, patologias ortopédicas, certos tipos de cancro e problemas do foro psicossocial, incluindo descriminação, isolamento social e baixa autoestima. Estudos demonstram ainda uma associação entre a obesidade infantil e uma diminuição no desempenho escolar. Para além disto, mais de 60% das crianças obesas serão adultos obesos o que acarreta uma diminuição da qualidade de vida e rendimento, com fortes consequências a nível da saúde e da economia. De fato, em Portugal, estima-se que 2,8% do gasto anual em saúde está relacionado com custos associados à Obesidade. Perante este panorama internacional e em particular nacional, o grupo de Educação Física do nosso Agrupamento elaborou um projeto subordinado ao título “Viver melhor na Terra é viver mais Saudável” em que o primeiro objetivo foi apurar e divulgar a realidade deste problema na população do 1º ciclo do concelho de Arraiolos. Para este fim fez-se a recolha dos dados antropométricos, peso altura e % de massa gorda, através de uma balança de bioimpedância, de todas as crianças que frequentam o 4º ano do 1º ciclo nas várias escolas do nosso Agrupamento (todo o Concelho de Arraiolos). RESULTADOS Através da análise estatística efetuada, e usando como referências as classificações de Susan Jebb (2004) “Novas curvas de referência de gordura corporal para crianças” e Gallagher D. (2000) “Limites de percentagem de gordura corporal saudável: uma abordagem para a criação de directrizes baseadas no índice de massa corporal”, verifica-se que ao nível do Concelho de Arraiolos há uma predominância mínima de crianças com percentagem da massa gorda (MG) dentro dos valores saudáveis (50,7%). Dos dados apurados, é possível identificar que a prevalência das crianças com excesso de gordura é de 17,1%, (37 crianças) e as obesas de 16,4% (36 crianças), o que corresponde a um total de 34% de crianças com excesso de peso. De outra forma, com base nos resultados apurados podemos afirmar que 1/3 das crianças dos 6 aos 9 anos, que estuda nas escolas do 1º ciclo do ensino básico no Concelho de Arraiolos tem problemas de excesso de peso, ou ainda de um modo mais simples, em cada 10 crianças 3 a 4 tem excesso de peso ou são obesas. Registe-se ainda que foi apurado uma percentagem de 16,3 com escassez de gordura.

Gráfico n.º 1 - Distribuição das frequências relativas por %MG

14


Destaque

março ‘12

15

Devido à metodologia usada neste estudo para descobrir o grau de incidência da obesidade Infantil no Concelho de Arraiolos, apuramento da %MG com recurso à utilização de uma balança de bioimpedância, não se encontrar replicada noutros estudos a nível nacional, não é possível uma análise comparativa direta. Contudo, os estudos que usam o IMC e respetivos percentis para este tipo de rastreio, com a utilização da escala internacional do Centers for Disease Control and Prevention, baixo peso, peso adequado, excesso de peso e obesidade, são correlacionáveis e podem ser usados para uma análise comparativa sumária. Num estudo de âmbito nacional coordenado por Cristina Padez, 2004, igualmente com crianças do 1º ciclo, foi apurado, nessa data, que 31,6% das crianças tinha problemas de excesso de peso e destas 11,3 eram obesas, já este ano, 2011, foi tornado público o segundo estudo nacional de obesidade infantil, desenvolvido pela plataforma contra a obesidade infantil e sobre o patrocínio da Direcção Geral de Saúde. A faixa etária e o público alvo é comum ao nosso estudo, tendo sido apurado que, a nível nacional, a prevalência de crianças com excesso de peso é de 31,6%, sendo que destas 14% são obesas. Assim, comparativamente e infelizmente, as crianças de Arraiolos acompanham os resultados nacionais e até de forma ligeiramente mais grave. Quadro n.º 1 - Comparativo entre taxas Nacionais e Concelhias

Excesso de Peso de Gordura Obesos

ou Excesso

Total

Valores Nacionais

Valores de Arraiolos

14

17,1

18

16,4

31,6

33,5

Efetuando uma análise à variável género, verifica-se que este problema não incide de forma homogénea em ambos os géneros. No gráfico n.º2 é facilmente identificável que a as raparigas apresentam valores de excesso de gordura e de obesidade muito superiores aos dos rapazes, estes na sua maioria têm valores saudáveis (65%) e só 8% tem excesso de gordura ou mesmo obesidade (4%+4%), sendo até mais significativo o valor apurado para a escassez de gordura (27%). Contudo, embora não seja um dado positivo, para esta faixa etária e género não é um indicador de risco tão significativo como os associados ao excesso de gordura/peso. Gráfico n.º 2 - Distribuição das frequências relativas da %MG por Género

A grande prevalência de crianças com excesso de gordura e obesas ocorre no género feminino, não só de forma muito diferente em relação aos rapazes mas acima de todo com valores muito elevados. Foram apurados a nível geral no Concelho de Arraiolos 32% de raparigas com excesso de gordura e 31% obesas o que no total corresponde a 63% das raparigas. Se a incidência das frequências de crianças com excesso de gordura e obesas no Concelho de Arraiolos é quantificável na relação 1 para 3, no caso de uma análise só ao género feminino essa relação sobe para 2 para 3.

15


16

Destaque

março ‘12

De forma a obter uma noção clara da prevalência dos problemas de obesidade infantil no Concelho de Arraiolos realizouse igualmente uma análise a todas as escolas do 1º ciclo existentes no concelho, escola a escola, de forma a diagnosticar eventuais proximidades ou desencontros de prevalência deste fator. Essa informação é apresentada no gráfico n.º3, mas há que ter presente que os valores percentuais apurados partem de valores absolutos, de alunos muito diferentes entre escolas, o que obriga a uma leitura cuidada e contextualizada. Quadro n.º 2 - Distribuição de alunos pelas Escolas 1º ciclo do Concelho de Arraiolos Escolas

Arraiolos

Vimieiro

Igrejinha

Ilhas

Sabugueiro

S. Pedro

114

60

17

13

6

9

Total alunos

Das seis escolas do Concelho é a do Sabugueiro (33,3%) que apresenta maior taxa de alunos obesos, seguida pela de S. Pedro da Gafanhoeira (22,2%). Apesar destas escolas serem as que têm menos alunos, 6 e 9 respetivamente, não deixa de ser indicativo que existe presentemente um foco local de incidência de obesidade infantil. Numa análise conjunta englobando os alunos com excesso de gordura e os obesos é nas escolas de Arraiolos e Vimieiro que existe maior prevalência de alunos com este tipo de problemas de saúde, respetivamente 36% e 33%. Identificámos assim nestas duas escolas 61 crianças com excesso de gordura ou obesos, este dado é de grande relevância pois são as duas escolas com mais alunos. A escola que apresenta os menores resultados de incidência de obesidade infantil é a das Ilhas com uma taxa de 7,7% tanto para o excesso de gordura como para os obesos. Gráfico n.º 3 - Distribuição das frequências relativas da %MG por Escola

CONCLUSÕES Terminada a exposição de resultados, podemos apresentar em forma de sumula algumas conclusões e considerações. As crianças do Concelho de Arraiolos, com idades compreendidas entre os 6 e os 9 anos (1º ciclo), apresentam uma taxa de 33,5% de prevalência de excesso de peso e obesidade. Os valores apurados para o Concelho de Arraiolos são superiores aos apresentados por outros estudos, que colocam a média nacional nos 31,65%, o que nos permite afirmar que este problema de saúde tem uma incidência elevada em Arraiolos (sendo este um Concelho rural). O nível de incidência de excesso de gordura e obesidade é essencialmente um problema centrado nas crianças do sexo feminino, uma vez que 63% das meninas apresentam valores de %MG identificados dentro destas duas classificações. Em relação à dispersão dentro do Concelho, com a exceção da Escola das Ilhas, todas apresentam resultados preocupantes quanto ao número ou percentagem de alunos com excesso de gordura ou mesmo obesidade. Sem pretender criar alarmismo pensamos que perante estes resultados, deve-se agir e combater este problema de saúde quanto antes, sendo que este trabalho só é possível se as diferentes organizações e agentes, que têm ou podem ter ação direta sobre ele, se aliarem e trabalharem conjuntamente. Há muito para fazer, mentalidades para mudar e práticas a melhorar. Esperamos que este estudo possa dar um pequeno contributo para o início dessa consciencialização. Docentes António Monteiro, José Mateus e José Roupa

16


março ‘12

S u g e s t õ e s d e R i t u a i s d e v i d a

Destaque

17

l e i t u r a s a u d á v e l

Faça sol, calor, chuva… O livro é sempre um bom companheiro… Boas leituras A equipa do ArrRivar

17


março ‘12

Destaque

18

Comenius: O ENSINO DO FRANCÊS—BILINGUISMO

A

docente Paula Gaspar, efetiva no grupo 300, candidatou-se a uma bolsa Comenius e esteve presente numa formação em Brest, Bretagne de 26 de Fevereiro a 3 de Março. “Le Français à l’école primaire” com o objetivo de incrementar o ensino-aprendizagem da segunda língua. Ao longo da semana os formandos foram experienciando diferentes atividades para o ensino bilingue e/ou segunda língua. Foram efetuadas visitas de estudo a uma escola em Plougastel-Daoulas onde se pratica o ensino bilingue (Francês e Bretão) e foi permitido a cada docente assistir a um momento de aulas; a uma mediateca onde em grupos cada um pôs em prática atividades de animação de leitura e de uma biblioteca e visitou-se uma ludoteca onde foi possibilitada a participação num jogo de expansão de vocabulário. Estiveram presentes formandos de diferentes países da Europa: 1 Suécia; 1 Holanda; 2 Bélgica; 1 Inglaterra; 1 Alemanha; 1 Chipre e 2 Portugal.

As sessões decorreram na Pousada da Juventude em frente à praia e à marina de Brest. A formação foi apresentada através de jornais da região tendo o grupo sido visitado e entrevistado por jornalistas dos dois jornais. A referida docente vai em reunião de grupo e/ou departamento passar a informação e o material obtido aos colegas, bem como informará o Conselho Pedagógico tal como refere o próprio programa ao qual se candidatou. Foi uma semana importante em partilhas e aprendizagens.

Docente Paula Gaspar

18

Jornal do Agrupamento - ArrRivar  

2ª edição do jornal ArrRivar - 2011-12

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you