Page 1

16

Destaque

Índice:

Março ‘11

Comenius ………2, 14, 16 Teias e tramas…….........3 Miróbriga e Sines ..…...6 Proj. De Dentro ………...8 CNO …………..……..…10 A sexualidade ………...11 Parlam. dos Jov ..…….12 Mat. / Francês ...…..….13 Orient. Voc. ……………15

ENCONTRO INTERNACIONAL DE PROFESSORES

N

os dias 15 a18 de Novembro do corrente ano realizou-se na cidade de Haia, na Holanda um encontro internacional de professores subordinado ao tema “A educação de adultos incrementa a sua participação”. O referido encontro, que realizou ao abrigo do Programa transversal PROALV- Visitas de Estudo e juntou representantes de Portugal, Lituânia, Alemanha, Itália, Finlândia, Bélgica, Espanha, Inglaterra, Roménia Estónia e República Checa, sendo o nosso país representado pelos professores Hermenegildo Pateiro, pelo Agrupamento de Escolas de Arraiolos e Carla Quaresma, pelo Centro Novas Oportunidades da Associação Empresarial do Norte. Assim, na cidade de Zoeterm e e r , depois da recepção feita pela Câmara Municipal, foi apresentado um inovador projecto local de incremento da literacia e numeracia para a população adulta que abandonou precocemente a escola ou que nunca teve oportunidade de a frequentar. Foram ainda dados a conhecer, pelos participantes os sistemas educativos dos respectivos países bem como o trabalho que é feito no âmbito da educação de adultos nas diversas instituições que representaram neste encontro. Destacaram-se pelo seu interesse e originalidade os seguintes projectos: - e- Family learning (Inglaterra) – A instituição inglesa desloca-se de for- Representantes europeus apresen- ma informal tam o seu trabalho a casas de famílias mais necessitadas e com índices baixos de literacia e num er ac ia e ensina os alunos em conjunto com a sua família. Com esta medida aumenta o nível de envolvimento dos pais na educação dos filhos elevando com isto o índice cultural de ambos. - Campanha de literacia do Centro de Educação Básica do Município de Zoetermeer (Holanda), atrás referido – O município recorre a campanhas de marketing para angariar adultos para os seus cursos de formação, com o objectivo de aumentar os níveis de literacia na sua população adulta. Para isso foram elaborados dois livros de iniciação à aprendizagem da língua holandesa que são distribuídos gratuitamente a todos os que os solicitem. Depois de explorados os referidos livros, os adultos dirigem-se ao centro e iniciam cursos de aprendizagem. Beneficiam ainda da parceria com a biblioteca municipal, onde autores famosos reescreveram os seus livros em livros de leitura fácil. Há vários exemplares destes livros na biblioteca e os adultos podem requisitá-los gratuitamente. Existem sessões de leitura com os autores dos mesmos. - Tutorias por alunos mais velhos na Escola Mondriaan (Holanda) – Numa escola de adultos os alunos mais velhos e bem sucedidos nos seus percursos, são ensinados durante um mês pelos professores para virem a ser futuros tutores de colegas mais novos. Estas tutorias visam aumentar o interesse e a participação dos alunos mais novos no processo de ensino-aprendizagem, que foi alvo de visita de estudo. Os participantes tiveram assim uma oportunidade soberana para conhecerem melhor o sistema educativo da Holanda e trocaram experiências com colegas de outros países, ao mesmo tempo que encontravam estratégias para desenvolver e potenciar a educação de adultos, melhorando assim a sua integração na sociedade, reduzindo a exclusão e aumentando a participação cívica destes. Participantes junto da Escola Profissional Mondriaan Professor Hermenegildo Pateiro

Orientação

N

o dia 3 de Abril teve lugar em S. Pedro da Gafanhoeira a Estafeta da Primavera e III Etapa do OriAlentejo de Orientação. Mais uma vez a Cunha Rivara esteve presente vestindo literalmente pela primeira vez as cores da Escola. Todo o rescaldo em http://www.jmateusports.blogspot.com/ O grupo de Educação Física

UM DIA DIFERENTE NO SABUGUEIRO

N

o dia 23 de Fevereiro, os senhores agentes da escola segura vieram ao Sabugueiro fazer alguma actividades sobre a segurança rodoviária com os meninos do 1º ciclo e do jardim de infância. Primeiro juntámo-nos todos para ver um PWP com imagens muito engraçadas, enquanto um dos senhores nos explicava algumas regras. Aprendemos muitas coisa muito interessantes. Depois para termos a certeza de que todas as regras foram aprendidas, fomos todos para o Rossio da aldeia com as nossas bicicletas e capacetes fazer um circuito. Fingimos que estávamos na estrada. Aí tivemos que cumprir as regras. Bem alguns de nós armámo-nos em adultos e tivemos algumas multas (tínhamos que sair do circuito e explicar o que errámos) pois esquecíamo-nos de respeitar os sinais. 1º ciclo e pré-escolar Sabugueiro

16

Número: 12 | Mês: Março| ano: 2011 | Jornal Trimestral | Tiragem: 200 exemplares | Agrupamento de Escolas de Arraiolos e Agrupamento

Editorial

T

al como todos os profissionais, os professores devem colocar-se numa perspectiva de permanente formação interrogando-se sobre as diferentes situações e procurando aprender com esses processos que lhe vão surgindo. A crescente pertinência do conceito de educação ao longo da vida, o desenvolvimento profissional são considerados como um processo contínuo que se inicia na formação inicial, mas que se prolonga por toda a vida. Cabe-nos a nós promover uma reflexão sobre as vivências na prática e sobre como articular os conhecimentos teóricos que se vão construindo. Os trabalhos expressos em todos os nossos números, tal como o presente, pretendem reflectir essa interrogação permanente, essa postura crítica perante a acção educativa. Todos nós, adultos e crianças somos seres em constante mutação. Aqui a educação ganha especial pertinência tal como a articulação entre todos os intervenientes. BOM TRABALHO!!! Texto baseado em leituras das Revistas do Movimento da Escola Moderna A equipa do ARrrivar

Texto Livre

C

OM O TEMPO APRENDI...

O tempo passa e em cada ano ficamos mais velhos, mas vamos sempre aprendendo. O tempo cura, a mágoa passa , hoje é o reflexo de ontem. Podemos chorar sem derramar lágrimas , verdadeiros amigos permanecem , a dor fortalece. A beleza não está no que vemos e sim no que sentimos. As palavras tem força, fazer é melhor do que falar, o olhar não mente, viver é aprender com os erros. Aprendi que tudo depende da vontade, que o melhor é sermos nos mesmos e que O Segredo da Vida é Viver. Lorenna Oliveira Pereira, 10ºB

Vamos todos celebrar o compromisso dos voluntários - nos quais se incluem os jovens, docentes e outros adultos da comunidade que nos seus tempos livres e de forma gratuita, contribuem para o exercício da cidadania activa. A equipa do Jornal

Textos Livres Amor verdadeiro! Houve tempos em que pensava, Que tudo era igual, Que nada mudava. Mas este sentimento não era verdadeiro Antes de te conhecer. Não precisava de ninguém a tempo inteiro. Agora está tudo mudado. Eu preciso de ti Mais que nunca ao meu lado. Só tu me fazes sorrir, sonhar… Só tu me fazes acreditar Que ainda posso vir a amar.

Continua em frente! Deixa de lado Tudo o que é insignificante. Se queres andar preocupado Preocupa-te com o que é importante.

A amizade é uma das mais comuns relações Podes pensar no futuro interpessoais que a maioE estares a vê-lo num beco escuro. Mas continua a sonhar e a acreditar. ria doso seres Porque se sonhares teu sonho vaihumanos realizar-se. E mesmo que não dê vontade de o fazer, Continua teu dia a dia Em caso de tema sorrir nano vida. Pois há – de chegar um momento de magia Tu vais ver! perda da amizade, sugere-se a reconciliação e o A vida é uma corrida. Vai ultrapassando o que te estraga a vida. Podes estar mal posicionado, Mas a meta pode ter algo reservado.

Redacção: Agrupamento de Escolas de Arraiolos: Ângela Rodrigues, Paula Gaspar Impressão: Câmara Municipal de Arraiolos

Gonçalo Pateiro, 10ºB Professora Paula Gaspar

Patrocínios:


2

Destaque

Março ‘11

Destaque

Março ‘11

COMENIUS “REACH FOR THE ARTS”

15

VISITA DE ESTUDO A PARIS

HISTÓRIA ELABORADO A PARTIR DE UM QUADRO DE MONET O PRÍNCIPE PINTOR

E

ra uma vez, uma menina que estava a lavar a sua roupa, que era muito velha, numa ribeira ao pé de uma linda ponte. Quando ela a acabava de lavar, a roupa transformava-se em lindos vestidos, como os de uma verdadeira princesa. Do outro lado da ponte, surgiu um rapaz, com uma paleta e um pincel, que andava a pintar a linda paisagem. Um pouco mais acima, havia um lindo castelo. De repente, começou a ouvir-se música que vinha do castelo e o rapaz passou a ponte, foi ter com a rapariga e disse-lhe se ela queria ir com ele ao castelo. A rapariga vestiu um dos seus vestidos transformados e lá foram os dois… Entraram, começaram a dançar e logo se apaixonaram. O rapaz deu um beijo à linda rapariga e tudo se transformou a partir daí. O pincel transformou-se numa espada e as suas roupas velhas, em roupas de príncipe. Todos na sala ficaram surpreendidos ao verem o príncipe real, que há muito tinha desaparecido. Ele gostava muito de pintar e tinha deixado o castelo, para ir pintar por esse mundo fora. De seguida, o príncipe começou a pintar as pessoas que estavam na festa, de forma realista. Uns tempos depois, o príncipe e a rapariga decidiram casar e morar no castelo, mas o príncipe continuou a pintar… e descobriu uma nova forma de pintar, que veio a ser chamada impressionista. E pintou esta linda ponte que os uniu para sempre!

D

urante o período da Páscoa, de 14 a 18 de Abril, um

grupo de professores: António Rosmaninho, Dulce Calhau, Eulália Barbosa, Isabel Madeira, Paula Gaspar e Sandra Quaresma deslocar-se-ão com alunos a Paris com o objectivo de motivar para o estudo da língua francesa. Os alunos visitarão La Tour Eiffel, le Musée du Louvre, l’ Arc du Triomphe, le Sacré Coeur, église de la Madeleine, Opera, Galeries Lafayette… EuroDisney…

Bon Voyage à tous …

ORIENTAÇÃO VOCACIONAL “ PREPARAR O FUTURO … ? “

HISTÓRIA INVENTADA A PARTIR DO QUADRO DE COLUMBANO BORDALO PINHEIRO “DESCENDO O CHIADO”

E

A equipa de Orientação Escolar e Vocacional está a promover um conjunto de actividades, que visam facilitar o contacto

ra uma vez, um casal muito rico que andava a passear no Chiado. Eles passaram numa loja encantada e havia lá roupas mágicas, que andavam sozinhas. Os senhores compraram roupa para eles e para os seus filhos. Pouco depois, essa roupa fugiu e foi parar a um parque, onde estavam uns meninos pobres e os seus pais. A roupa vestiu-se neles!...

dos alunos do 9º ano com profissionais das várias áreas de formação.

Assim, iniciaram-se no dia 17 de Janeiro, sessões de informação com antigos alunos da escola (Enfermeira, Dietistas, Piloto e Veterinária). Estas sessões tiveram lugar às 5ªs feiras, As roupas mágicas da nossa história

nas aulas de Formação Cívica.

COLUMBANO BORDALO PINHEIRO E AMADEO DE SOUZA CARDOSO Paralelamente foi realizada a visita de estudo à FUTURÁLIA , com os

A

pós observarmos alguns quadros de Columbano Bordalo Pinheiro e Amadeo de Souza Cardoso e as suas diferenças, juntámo-nos a pares e a nossa professora deu uma reprodução de outras pinturas, de quadros desses pintores. Tivemos que adivinhar qual deles era o pintor, do respectivo quadro. Acertámos em todos! Estamos a começar a perceber de Arte!!! Depois, nós atribuímos um nome a cada quadro. Fizemos lindas molduras com pauzinhos e resultaram estes lindos quadros:

mesmos alunos, nos dias 16 e 18 de Março, com o objectivo de recolher informação sobre as diversas saídas escolares e profissionais. Todas estas actividades têm como finalidade informar e ajudar estes alunos na tomada de decisão no seu percurso escolar/profissional. As professoras Filomena Santos e Jacinta Reis

Alunos do 1º A Escola EB1 de Arraiolos Professora Ana Pedreirinho

2

15


14

Destaque

REPORTAGEM A ARTE NA EDUCAÇÃO …

N

PROJECTO COMENIUS REÚNE TRABALHOS DE PINTORES FAMOSOS,

3

VISITA À EXPOSIÇÃO “TEIAS E TRAMAS”

A

exposição era de arte contemporânea (uma época que por acaso, aprecio bastante). A artista chamava-se Sofia Brito e as obras que fomos ver eram abstractas, sem título, assim quem visse aquelas telas podia imaginar o seu próprio título. Gostei bastante da exposição e das obras. Reparei que as obras eram todas de 2010 e que a artista utilizava variadas técnicas (desde colagem, materiais cosidos, aguarela…). A Galeria Lobo Mau foi restaurada de uma antiga loja de tapetes, e o espaço é bastante acolhedor. As obras têm todas desenhos/imagens abstractos.

o dia 5 de Outubro comemoraram-se os 100 anos da República Portuguesa. A

turma do 3ºD dirigiu-se à Biblioteca da Escola do 1º Ciclo de Arraiolos para ver alguns documentos, power point e livros da época referida. A 6 de Outubro, pela manhã, dirigimo-nos à Biblioteca da nossa escola. A professora Graça tinha uma exposição preparada, para comemorar a República.

Como tínhamos de escolher um pintor famoso português,

Destaque

Março ‘11

Março ‘11

Beatriz Mirão 8ºB/Nº6 Professor Bernardino Mira

“Eu Columbano…”

para trabalharmos no Projecto Comenius, decidimos logo que

CONHECER MELHOR O INVERNO

Último poema lido na Biblioteca (antes das obras)

O

ficaríamos com Columbano Bordalo Pinheiro, figura muito importante da época que estávamos a comemorar.

JÁ CONHECEMOS A NOVA BIBLIOTECA

s meninos, as meninas e os adul-

tos do Jardim de Infância de S. Pedro da Gafa1- Eu gostava de viver dentro da biblioteca e ver aqueles livros todos. Miguel (5 anos)

Quando regressámos à sala, fizemos um Power Point com a sua biografia, contada na primeira pessoa e intitulado “Eu, Columbano”. Este trabalho foi adapta-

2- Gostei de ver livros e o filme do Homem Aranha. Tomás (5 anos)

do e apresentado em França na visita realizada, por quatro professoras da nossa escola e quatro alunos de 3º e 4º anos.

3- Gostei de ouvir a Graça a ler a história. Ana (5 anos)

nhoeira para conhecerem melhor e darem a conhecer algumas características, tradições e costumes próprios do Inverno montaram uma montra alusiva a esta estação do ano. Para partilharem esta actividade com toda a comunidade educativa enviam esta foto.

4- Gostei da biblioteca porque sim. Leonor (3 anos)

De seguida seleccionámos alguns quadros que iríamos trabalhar, por exemplo:

5- Gostei de ver o livro dos cabritinhos. Diogo Flaminio (3 anos) 6- Senti-me bem. Estava feliz. Rita (3 anos) CONVITE À DANÇA

7- A biblioteca tem livros. Pedro (3 anos)

CAMÕES E AS NINFAS

8- Gostei das cães que estavam na parede. Francisco (3 anos)

Imprimimos as imagens da internet com os quadros seleccionados. Recortámos, colámos em cartolinas A4 coloridas e fizemos uma moldura utilizando

Gostaríamos mais de ter feito um boneco de neve verdadeiro mas como na nossa aldeia não caiu

a parte arrendada, dos guardanapos que colocamos debaixo dos bolos,

neve fizemos

colando à volta das cartolinas. Foi um trabalho que nos deu muito prazer,

este

com

visto que aprendemos muito e também conseguimos criar arte com mate-

neve

doce.

riais reciclados.

Ficou lindíssimo e muito

Na aula de Inglês escrevemos uma carta para enviar-

delicioso!

mos aos países parceiros sobre os nossos hábitos e costumes na escola. Educadora Florbela Caroço Jardim de Infância de S. Pedro da Gafanhoeira Educadora Adelaide Oliveira Alunos do 3º D de Arraiolos Professora Maria José Serôdio

14

3


4

Destaque

Março ‘11

13

Destaque

Março ‘11

UM OLHAR SOBRE PITÁGORAS... A VISITA DE ESTUDO

N

F

o dia vinte e oito de Janeiro, a turma do 5º D juntamente com o 5º A, deslocou-se à cidade de Évora para realizarem uma visita de estudo. Na parte da manhã os alunos deslocaram-se ao Fórum Eugénio de Almeida para visitarem a exposição “ A Magia de M. C. Escher ”. Além de poderem ver a exposição, os alunos também realizaram uma actividade muito interessante. Tiveram a oportunidade de construir um caleidociclo.

oi solicitado aos alunos do 8ºA e 8ºB, no primeiro período de aulas, que elaborassem um pequeno “cartaz” sobre Pitágoras, no qual apresentassem o essencial da sua vida ou da sua obra ou curiosidades sobre a época em que viveu. Os alunos aceitaram o repto e colocaram mãos à obra, produzindo várias cartolinas alusivas a este tema. Surgiu posteriormente a ideia de expor estes trabalhos, para partilhar e dar a conhecer a vida deste incontornável senhor da Matemática.

Depois disto os alunos dirigiram-se ao jardim público de Évora para almoçarem. À tarde as duas turmas dirigiram-se ao C.A.R.A.S (Centro de Acolhimento e Recuperação a Animais Silvestres), para ficarem a conhecer um pouco mais sobre um maravilhoso animal que está em vias de extinção, o Francelho. O Francelho é uma ave típica estado a desaparecer porque as habita nos buracos das casas, ções taparam os buracos. O montes abandonados, sujeitanvida, pois as habitações podem Os alunos tiveram a oportunidade da, de realizarem uma papel. Francelho macho Depois disto, os alunos regressaram à escola.

aqui do Alentejo mas ultimamente tem pessoas têm destruído o seu habitat. Ele mas agora com a renovação das habitaFrancelho foi obrigado a viver nos velhos do-se assim, a perder a sua casa e a sua cair ou ruir. de poder ver o Francelho ao vivo e, ainactividade fazendo um Francelho de Francelho fêmea

foram para o autocarro e

E assim terminou a visita de estudo. Ana Varela - aluna nº1 do 5º D Professoras acompanhantes: Madalena Silva Helena Vieira

Esta pequena exposição conheceu então a luz do dia, na última semana de Janeiro e posteriormente todos os trabalhos regressaram ao seu legítimo dono. Professor Carlos Rosmaninho

VIVA O FRANCÊS! ESTUDANTES DÃO VALOR AO DIA DO NÃO FUMADOR

N

o dia 17 de Novembro de 2010 (Dia do Não Fumador), as turmas do 7ºano da Escola E.B. 2,3/ES Cunha Rivara, do Agrupamento de Escolas de Arraiolos, realizaram uma actividade pedestre e de bicicleta pela Vila de Arraiolos, para sensibilizar a população para os malefícios do tabaco. A actividade foi organizada nas disciplinas de Área de Projecto (Professora Carla Mesquita Lopes e Professor Bruno Figueiras), Educação Visual (Professor Bernardino Mira), Educação Física (Professor António Monteiro) e Língua Portuguesa (Professora Sandra Quaresma). Nas disciplinas de Área de Projecto e de Educação Visual, os alunos pesquisaram e seleccionaram informação sobre o assunto, tendo posteriormente elaborado folhetos e autocolantes (http://issuu.com/figueiras.bruno/docs/dia_do_n_o_fumador?viewMode=magazine&mode=embed) , que foram distribuídos pela vila no Dia do Não Fumador. O percurso A turma 7ºB da Escola E.B. 2,3/ES Cunha Rivara pedestre e de bicicleta foi devidamente planeado na disciplina de Educação Física para que decorresse sem incidentes. Juntamente com as turmas de 7ºano, duas turmas do 1º ciclo deste Agrupamento, nomeadamente o 3ºD (Professora Maria José Serôdio) e o 4ºF (Professora Maria da Luz Ferreira), fizeram a distribuição de autocolantes, produzidos pelos próprios, dentro do recinto da Escola E.B. 2,3/ES Cunha Rivara. A população reagiu positivamente à iniciativa, revelando o sucesso do projecto. A colaboração da GNR foi importante para a segurança de todos os intervenientes. Após a actividade de rua, na disciplina de Língua Portuguesa, os alunos do 7ºB elaboraram esta notícia e o relatório da actividade. Todos os participantes terminaram a actividade com a sensação de UM DEVER CUMPRIDO!

E

ste ano está em funcionamento na nossa escola (de Setembro a Maio) o Clube de Francês! Com o objectivo de dinamizar este espaço, de divulgar este idioma e a cultura francófona, o Clube, cujo funcionamento é assegurado pela assistente Auréline Cardoso e pela professora Isabel Madeira, promove actividades (música, teatro, colagens, etc), concursos, aprendizagens! Todos podem participar! Aparece! Ficamos à tua espera. On compte sur toi! No próximo número divulgaremos fotos da visita de estudo a Paris! À bientôt! Professora Isabel Madeira

EUROESCOLAS

P

elo segundo ano consecutivo, no dia 15 de Março, o nosso Agrupamento venceu a Fase Distrital do Concurso Euroes-

colas, organizado pelo IPJ, exactamente com a mesma equipa que venceu o ano passado. O tema deste ano lectivo "Educação na Europa - Uma oportunidade para todos? “ foi muito bem defendido pela Ana Batista e pela Elizabete Fernandes do 11ºB, que apresentaram propostas interessantes para que a educação seja, de facto, uma oportunidade para todos. Irão nos dias 30 e 31 de Maio representar e, não duvidamos, muito bem o nosso distrito nesta actividade. Alunos do 11º B Professor Henrique Gonçalves

4

13


12

Destaque

SESSÃO ESCOLAR DO PARLAMENTO DOS JOVENS: EDUCAÇÃO PARA O SÉCULO XXI… QUE FUTURO? EM DEBATE

P

elo terceiro ano consecutivo o nosso Agrupamento participa na iniciativa Parlamento dos Jovens, organizada pela Assembleia da República e pelo IPJ, subordinada ao tema “Educação para o século XXI, que futuro?”. Pretende-se através desta actividade recriar, nas escolas, o ambiente político do nosso órgão legislativo. A iniciativa proposta pelos professores Ângela Rodrigues e Henrique Gonçalves, contou com os alunos dos 10ºB, do 11ºB e uma aluna do 12ºB que, depois de alguma hesitação formaram as listas de deputados e apresentaram as suas propostas para a educação em Portugal. Assim, a lista M – Movimento Jovem Pelo Futuro da Educação constituída por alunos do 10ºB defendeu o fim das faltas de presença no Ensino Secundário, a criação de cursos profissionais a nível concelhio, enquanto a lista I– Inovação, Iniciativa, Incentivo composta por alunos do 11º B e por uma aluna do 12ºB, defendeu o fim das reprovaDeputados das duas listas: I e M ções no Ensino Básico, a e professores responsáveis frequência de disciplinas obrigatórias não sujeitas a avaliação e a criação de um ano zero entre o Ensino Secundário e o Ensino Superior . Estas propostas, depois da campanha eleitoral que decorreu com normalidade e civilidade foram votadas pelos alunos do Ensino Secundário no dia 19 de Janeiro, tendo-se registado a eleição de 8 deputados pela lista I, enquanto a lista M eleA mesa que dirigiu o debate geu 7 deputados. No dia seguinte decorreu a Sessão Escolar, presidida pela Elizabete Fernandes do 11ºB que contou com o apoio do David Lóios e da Ana Salgado que contou, para além dos alunos de 10º e 11ºB, com os alunos do 12ºB e do Curso Profissional de Protecção Civil, na qual os 15 deputados debateram de forma empenhada, combativa e civilizada as medidas, esgrimiram argumentos pró e contra o fim das reprovações e o fim das faltas de presença no Ensino Secundário, de recusa ou de apoio à frequência obrigatória de disciplinas, não sujeitas a avaliação ou à criação de cursos profissionais a nível concelhio. O debate foi seguido com atenção Os deputados da lista I e interesse pelos colegas que não pouparam aplau- A deputada Ana Batista questionando Os deputados da lista M a eficácia da extinção das faltas no O deputado José Mira questionando sos e puderam também aprofundar os seus Ensino Secundário, medida da lista M. o fim das Reprovações, conhecimentos sobre as questões debatidas. Por medida da lista I fim seguiu-se a eleição dos 4 deputados (mais um suplente) que representarão o Agrupamento na Sessão Distrital em Março, bem como a votação e aprovação das propostas e do Projecto de Recomendação para o próximo ano. Mostrando maturidade, sentido de responsabilidade, espírito de abertura e solidariedade, decidiram de forma unânime que serão representantes do Agrupamento à Sessão Distrital os deputados Elizabete Fernandes, Ana Rodrigues, Ana Batista, da lista I e José Carlos Mira da lista M. O deputado suplente será Paulo de Menezes. No que respeita às propostas que serão defendidas na Sessão Distrital, em Março, por acordo expresso dos deputados serão as seguintes: 1. Fim das reprovações no Ensino Básico; 2. Frequência obrigatória de disciplinas, não sujeita a avaliação, para dotar os alunos de competências sociais e profissionais; e 3. Criação de cursos profissionais a nível concelhio. Do debate ficou ainda a ideia do empenho dos nossos alunos na apreciação e sentido crítico de medidas que lhes dizem respeito e ainda de que os deputados escolhidos estarão, certamente à altura de defender as medidas debatidas. No dia 4 de Março, a aluna Elizabete Fernandes, do 11ºB, foi designada deputada pelos colegas para participar, em Évora, na eleição da mesa para a Sessão Distrital. Foi eleita pelo segundo ano consecutivo para a referida mesa, desta vez com o cargo de secretária. A sessão decorreu no dia 15 de Março. Os representantes do nosso agrupamento tiveram uma boa prestação. Estão de parabéns! Alunos dos 10º B e 11º B Os professores: Ângela Rodrigues e Henrique Gonçalves

12

Destaque

Março ‘11

Março ‘11

5

TEXTOS LIVRES

C

aros familiares, quando acabarem de ler esta carta irão perceber porque é que decidi fugir e não enfrentar a situação falando convosco. Nunca iriam entender. A vossa vontade é viver ai para sempre, nessa terra, rodeados da calma e da paz de que tanto necessitam. Eu não sou assim. A minha vida já não fazia sentido aí no meio do nada, onde não tinha oportunidade de fazer tudo o que mais gosto. Tomei esta decisão pois estava a morrer aos poucos, era meu dever sair daí e vir para Lisboa seguir o meu maior sonho Aqui é tudo diferente. Tenho quase tudo o que necessito para ser feliz. A minha vida mudou radicalmente, mas não me arrependo. Estou a viver numa casa boa, com uns amigos que já tinha cá, e tenho um bom emprego que me permite sonhar. Vou ficar aqui só o tempo essencial para conseguir reunir umas poupanças, porque sonho com voos mais altos em outras cidades mais importantes. Quero que saibam que vos adoro. Não tenho nenhum tipo de vergonha de vocês e seria um imenso prazer que me viessem visitar regularmente. Não peço que me entendam, pois sei que nunca o irão fazer. Talvez me tenha precipitado. Devia ter falado convosco sobre este assunto, mas a vontade de fugir daí era maior que tudo. Já não dormia, não comia, não conseguia falar, só me apetecia chorar, pois a sensação de sufoco era o sentimento dominante dentro da minha alma. Agora mais directamente à minha mãe: Mãe, sei que estavas extremamente preocupada, porque nos últimos meses as noticias têm sido poucas. Não peço perdão, porque sei que não me perdoarias. O que é mais difícil para mim aqui é estar longe de ti, pois sempre foste uma referência e se me deste um apoio que penso que só uma mãe de verdade daria. Não mereço o teu amor, pois tive a coragem de sair daí sem dar qualquer tipo de satisfação, mas quero que saibas, quem em momento algum eu deixo de pensar em ti As pessoas que eu adoro ficaram, mas a minha vontade de viver eu encontrei-a cá, espero que compreendam isso e que não levem a mal eu não vos ter dado conta da situação, pois somos uma família, mas a minha cobardia não mo permitiu. Não escrevo muito mais, porque senão iria ficar emocionado e borraria toda a tinta que corre neste papel. Só quero que saibam que vos amo e que ficarão para sempre dentro do meu coração. Despeço-me com um beijo, e um muito sincero pedido de desculpa, mas não estaria em parte feliz se não o tivesse feito. Não serei feliz na totalidade é claro, porque todos os que amo, adoro e admiro estão longe da vista, mas não duvidem que estarão sempre no coração. Sejam Felizes. Deste ingrato familiar, Martim Melo

D

esde há muito tempo que tenho uma paixão pelo teatro, e sempre desejei muito ir ver grandes peças. Enquanto um dia estava em casa doente, tentando descansar um pouco, vi na televisão uma pequena reportagem sobre “A Gaiola das Loucas”, um musical adaptado para a situação portuguesa pelo mestre do teatro em Portugal, o senhor Filipe La Féria. Estive mais de um ano a tentar ir ao Teatro Politeama, em Lisboa, para assistir a este espectáculo. Já no final do mês de Julho, ao fazer uma pequena pesquisa no sítio da internet dedicado a esta obra, descobri que aquela peça iria sair do Teatro Politeama, para acabar a sua vida no Centro de Congressos do Arade em Portimão estando em cena nesta cidade algarvia durante todo o mês de Agosto. Fiquei atónito, pois só já tinha um mês para conseguir a proeza de viajar até a terras algarvias e ir ao teatro ver este espectáculo porque tanto tinha esperado. Comecei a sorrir de novo em relação a este assunto quando ouvi falar em férias na praia entre os membros aqui de casa, foi então que de novo vislumbrei a luz ao fundo do túnel. Ao fim de uns dias findei a minha missão de persuadir a família a passar féria no Alvor (localidade perto de Portimão) e então a felicidade instalou-se na minha cabeça. Foi então no dia 25 de Agosto de 2010, que vi realizado o meu profundo desejo. Assim que eu, a minha mãe e a minha irmã chegámos à entrada do Centro de Congressos do Arade deparei-me com um rodopio de pessoas à porta. Eram vinte e duas horas quando começou e foi desde essa altura uma tremenda surpresa. Foi maravilhoso. A peça fala de assuntos que são tabus na maioria das sociedades, mas a nossa pelo menos na minha perspectiva é uma das comunidades com um maior número de pessoas a não querem falar deste tipo de coisas. Zazá Napoli (Carlos Alberto Rosado), artista de transformismo, vive em comunhão de facto com Armando Del Carlo, o proprietário de “ A Gaiola das Loucas”, um cabaret de travestis. Armando tem um filho chamado Ricardo que quer casar com a filha do Comendador Arnaldo Alarcão, candidato a Presidente da República Portuguesa, e uma das pessoas mais preconceituosas de todo o país. Tendo sido abandonado pela mãe Simone, desde pequeno que foi educado por Zazá e pelo seu pai. Os pais da pretendente de Ricardo vão visitar a sua família a Cascais e desenrola-se uma situação muito engraçada e muito divertida. No final o casal de homossexuais assume-se, Ricardo casa-se e reencontra-se com a sua mãe ficando para sempre todos felizes. No meio dos risos, de toda a imponência do cenário, das plumas, da cor e do fantástico guarda-roupa, foi ali lançada uma grande lição a todos os que têm preconceitos, pois no mundo somos todos iguais. Esta fantástica produção contou com José Raposo, Carlos Quintas, Rita Ribeiro, Joel Branco, Hugo Rendas, entre outros maravilhosos actores. Nunca na vida pensei que esta produção ficasse tão além das minhas altíssimas expectativas. Fica em mim e em todas as pessoas que tal como eu adoraram este espectáculo, um sentimento de tristeza, pois a peça saiu de cena mas ficará nas memórias para sempre. Viva o Teatro Miguel Salgado, 10ºB, Humanidades

5


6

Destaque

Março ‘11

Março ‘11

Destaque

11

VISITAS DE ESTUDO A MIRÓBRIGA E À CENTRAL TERMOELÉCTICA DE SINES E AO PARQUE EÓLICO

SEXO E ENTÃO?! É UMA EXPOSIÇÃO QUE ESTÁ EXPOSTA NO PAVILHÃO DO CONHECIMENTO SOBRE A SEXUALIDADE E O AMOR. Miróbriga – zona habitacional (Domus)

N

Miróbriga – zona comercial (tabernae)

Miróbriga – Ponte romana

os dias 25 e 29 de Março realizaram-se, no âmbito das disciplinas de História e Cªs Físico-Químicas, da parte da manhã, uma visita de estudo às ruínas romanas de Miróbriga e, na parte da tarde, uma visita à Central termoeléctrica de Sines e ao Parque Eólico. No primeiro dia participaram os alunos dos 7ºA e C e os professores Henrique Gonçalves, Hermenegildo Pateiro e Ângela Rodrigues; no segundo dia participaram os alunos dos 7º B e 7º D e os professores Bruno Figueiras, Ângela Rodrigues, Joaquina Murteira e Ana Luísa Barreiros. Na pausa para o almoço houve, em ambos os dias, tempo para o grupo passear na praia de São Torpes.

N

o dia 7 de Janeiro de 2011, alunos do 9º ano deslocaram-se ao Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa,

para visitar a exposição actualmente em foco “Sexo… e então?!”. Trata-se uma exposição sobre sexualidade e amor destinada especialmente aos pré-adolescentes.

A exposição “Sexo… e então?” tem uma missão junto dos jovens de informação, prevenção e protecção. Mostra o amor e a sexualidade através da diversão de dois personagens famosos da banda desenhada. Uma Miróbriga - Termas

exposição que foi muito boa para descobrir com a turma. O guia explicou como funcionava exposição e depois Central termoeléctrica de Sines

Miróbriga – zona do Fórum

fizemos o resto da visita livremente. Esta exposição pode ser visitada até 28 de Agosto de 2011. A exibição do tema estava dividida em seis etapas: 1ª Fase: Estar apaixonado – Esta etapa mostrava como o amor é difícil de explicar, a importância das hormo-

VISITA À BIBLIOTECA DO 1º CICLO

nas no amor e como se troca um beijo ou se declara a alguém. Mostrava, ainda, quais os sintomas ou as reacções que ocorrem quando uma pessoa está apaixonada, como por exemplo, as pernas a tremer e o coração a

F

bater muito rápido.

oi com entusiasmo que, na tarde do passado dia 2 de Fevereiro, a nossa turma (2º, 3º, e 4º C), da EB1 de Vimieiro, da professora Anabela, juntamente com a auxiliar Susana, foi a Arraiolos com o objectivo de visitar o novo espaço da Biblioteca/ Centro de Recursos do 1º Ciclo. Quando chegámos lá, fomos recebidos pela auxiliar Sónia e pela professora Graça que conduziu a nossa visita. Colocámos as mochilas numa prateleira e os casacos no cabide. Primeiro fomos ler um cartaz que está na entrada e que tem muitas palavras escritas, de vários tamanhos, todas pertencentes à área vocabular da palavra biblioteca. No início, entrámos numa salinha onde havia muitos materiais pedagógicos que a nossa professora pode requisitar para a sala de aula. Depois sentámo-nos nuns sofás muito confortáveis e ouvimos música com uns headphones (aprendemos a utilizá-los).Em seguida fomos para uma outra sala, tipo sala de informática, onde havia muitos computadores, um projector de vídeo e um vídeo de DVD. A professora Graça convidou-nos a sentar, mostrou-nos um PowerPoint sobre o funcionamento de uma biblioteca, onde os livros estão agrupados e arrumados por classes, de acordo com a Classificação Decimal Universal. A seguir fomos todos observar os livros que estavam nas várias classes de 0 a 9, nas prateleiras, e ouvir as explicações da professora Graça. Voltámos à sala dos computadores e a professora pediu a alguns meninos para irem buscar um livro a cada uma das classes existentes. Os alunos trouxeram um livro e leram em voz alta o respectivo título. No final, a professora disse que os livros depois de lidos devem ser colocados no carrinho para mais tarde serem arrumados pela auxiliar Sónia. Posteriormente a nossa professora requisitou nove livros do PNL “O Espantalho Enamorado” para explorarmos nas aulas. Gostámos muito de conhecer o novo espaço da Biblioteca, estava tudo muito bem organizado e o espaço é muito acolhedor. Gostaríamos de lá voltar mais vezes. A nossa professora valorizou e elogiou o nosso óptimo comportamento, o respeito pelas regras e pelas instruções que tivemos que cumprir durante a visita.

2ª Fase: A puberdade - A puberdade representa a fase de transição da infância para a vida adulta e é acompanhada de várias mudanças físicas que preparam o corpo para a reprodução. 3ª Fase: Fazer sexo - A terceira parte da exposição fala sobre a relação sexual, de uma forma que é acessível a todos, mesmo aos mais jovens. Uma das coisas fundamentais a saber é a protecção, ou seja o uso dos preservativos. O seu uso é indispensável quando se têm relações sexuais. 4ª Fase: Fazer um bebé - Na escola do Titeuf e da Nádia houve oportunidade para explorar como se faz um bebé, desde o momento da fecundação até ao nascimento, passando pelas várias fases da gestação. Aprendemos que quando um homem e uma mulher têm vontade de ter um bebé, fazem sexo sem contraceptivo. Então, um dos espermatozóides do homem pode fecundar um óvulo no ventre da mulher. Mas fazer um bebé não é para todas as idades, como nos explicam o Titeuf e a Nádia. 5ª Fase: Proibido a adultos - Este espaço é proibido a adultos, não porque não possam saber o que se passa lá dentro, mas para ficarmos mais à vontade na exploração deste espaço. 6ª Fase: Questionário da vida sexual - No fim da exposição o Titeuf e a Nádia testaram os nossos conhecimentos sobre sexualidade, em 15 perguntas. Jogámos em grupo e no final havia um quadro de pontuações para ver quem aprendeu mais. Alunos do 9º ano, Beatriz Galego e Diogo Serôdio Professora Inês Pequito

Texto colectivo elaborado pelos alunos da turma C da EB1 de Vimieiro

6

11


10

Março ‘11

Destaque

Destaque

Março ‘11

7

CENTRO NOVAS OPORTUNIDADES

BOLETIM BIBTECA Agrupamento de Escolas de Arraiolos

O impacto dos Média na opinião pública

M

eios de comunicação, ou de informação, ou mesmo de desinformação, ou mesmo de manipulação,... Bem, perante tal afirmação, podemos dizer que estamos diante de alguém que muito tem contra este tipo de canais, que, sendo de vital importância naquilo que deveria ser a informação dos factos, acabam muitas vezes por manipular e transformar a verdade dos mesmos, levando a uma total “desinformação”, distorcendo os mesmos factos, acabando por nem sempre a verdade, que ao contrário do que diz o provérbio, “por ser igual à cortiça”, vir sempre ao de cima. E, quase sem querer, acabei por definir o papel dos “Média” no quotidiano das populações. Ouvi, há já algum tempo, de alguém bem relacionado com os atrás referidos, que “a verdade não é o que aconteceu, mas aquilo que se diz que aconteceu, e em que se acaba por acreditar”; uma pérola, sem dúvida. Talvez a única comparação que posso encontrar em relação aos “Média” se possa prender com outra classe de profissionais, os Advogados, que, por vezes, à semelhança dos primeiros, mais não se trata do que distorsores da verdade, que a custo de tostões ou milhões, acabam por pôr em liberdade os culpados, levando muitas vezes inocentes à cadeia. Coisa horrorosa, como diria o Jô Soares. Para que se possa compreender um pouco o que atrás referi, começarei por desaparafusar um conceito que muito tem sido debatido, mas que poucas (ou nenhumas) vezes, tem sido definido; o que é a verdade? Em relação aos Média, deveria ser o alvo chave da sua procura, levando a mesma a ser exaustivamente investigada e comunicada à população alvo, pura e consistente, de modo a fazer luz e justiça, acabando por manter informadas as populações e para que estas mesmas pudessem fazer juízo próprio em sã consciência. No dicionário de Língua Portuguesa, há um sinónimo de verdade que exemplifica de forma categórica o que frisei; precisão. Se mais não fosse dito, ficaria esclarecido o fiel papel dos Média, ou se quisermos ser mais precisos, meios de comunicação ou informação. Bem, mas nem sempre é assim, e é próprio do ser humano querer fugir às responsabilidades e neste campo os Média têm um papel fundamental para o evitar. Pena que muitas vezes façam, como referi, precisamente o contrário. Quem não foi ainda confrontado com uma realidade distorcida nos meios de comunicação? Eu, pessoalmente, já por várias vezes presenciei factos, que aparecem depois relatados de forma totalmente contrária à verdade dos mesmos. Se tomarmos, então como base, o sinónimo precisão, em relação à verdade, mais pudemos verificar que, em muitos casos, há grande falta dela. Tomarei como exemplo um importante meio de comunicação; o jornal. Periódico ou não, basta pegarmos em dois jornais distintos e obtemos duas realidades diferentes para o mesmo facto. Explico. Dou o exemplo de um acontecimento futebolístico em que um árbitro (logo de quem me lembrei de dar exemplo) comete um erro que beneficia uma das equipas. Se pegarmos num jornal, ex. “A Bola” o facto vem escrito, ou omisso pura e simplesmente, de uma determinada maneira, ao passo que se pegarmos noutro, ex. “O Record” podemos obter outra interpretação ou relato totalmente diferente. E é frequente isto acontecer. Essa é a razão da diversidade de informação, e a justificá-lo está o facto de ter sido criada a Entidade Reguladora da Comunicação Social, na tentativa de moralizar a informação. Excerto de um trabalho realizado por um adulto em Processo RVC de Nível Secundário.

10

Março 2011

Nº2

Periodicidade: Trimestral

“Sobre as páginas de um livro pode-se chorar, mas não sobre o ecrã de um computador”, José Saramago

Actividades desenvolvidas...e por desenvolver Modelo de Auto-Avaliação em Bibliotecas Escolares

A Equipa da BE tem vindo a recolher informação relativa ao domínio CProjectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade, contando para esse efeito com a colaboração dos Directores de Turma e durante o segundo período tem vindo a fazer o tratamento da informação recolhida para posterior apresentação à comunidade educativa.

Feira do Livro Decorreu no passado mês de Dezembro a Feira do Livro, que habitualmente é levada a cabo pela Biblioteca da escola. A editora Ria Formosa trouxe para a escola um conjunto de livros que puderam ser observados, e comprados por toda a comunidade educativa, a preços convidativos

na exposição de trabalhos dos alunos do 8º ano sobre Pitágoras e sua obra.

Boletim Bibliográfico A equipa da BE tem elaborado mensalmente um boletim sobre uma obra que a BE possui. Neste boletim, para além da catalogação e fotografia da obra, tem uma síntese e um comentário. Os números agora tratados, são sobre os autores Maria Teresa González e José Luís Peixoto.

Projecto Sono-Escolas No passado dia 14 de Janeiro as Bibliotecas Escolares promoveram duas sessões de esclarecimento sobre “ A importância de dormir bem para ser saudável”, com as especialistas Teresa Paiva e Helena Rebelo Pinto. A primeira teve lugar no Cineteatro de Arraiolos e nela participaram 8 turmas de primeiro ciclo e três de segundo ciclo. A segunda sessão teve lugar na nova biblioteca da EB1 de

Exposição “Um olhar sobre Pitágoras...”

A BE pôde contar no final de Janeiro com uma peque-

Futuro da Biblioteca nos monoblocos

Arraiolos e contou com a presença de alguns professores e encarregados de educação. Este projecto foi divulgado em Conselho Pedagógico no ano lectivo transacto e as Bibliotecas Escolares resolveram aderir à sua implementação, uma vez que, segundo estudos: - A redução do sono em crianças e jovens constitui um grave problema de saúde pública; - Os hábitos de sono, generalizados nas crianças e nos jovens de hoje, prejudicam o seu desenvolvimento em diversas esferas da vida; - Os problemas resultantes de um mau sono estão associados a uma maior prevalência de hipertensão, diabetes, obesidade, bem como a um maior consumo de medicamentos e tóxicos e mais elevada taxa de acidentes; - Em Portugal, este problema pode ser considerado grave, em virtude de existirem taxas de sonolência excessiva em mais de 50% dos estudantes, o que tem um forte impacto no insucesso escolar. Estas questões foram debatidas pelas especialistas convidadas. Também foram aplicados questionários aos alunos e posteriormente serão explorados alguns livros, na Biblioteca Escolar. Esperemos que a comunidade educativa fique mais informada sobre a referida temática!

Requisições na Biblioteca A equipa da Biblioteca, com a ajuda dos seus colaboradores, tem estado desde o início do ano, a inserir dados de alunos (leitores) no programa Usewin, com vista à posterior implementação da requisição electrónica de documentos. Esta funcionalidade facilitará o trabalho na Biblioteca quer ao nível da organização, quer ao nível das estatísticas bem como no atendimento. Este trabalho teve início com os dados dos alunos de 5º ano e seguir-se-ão posteriormente os

Dada a eminente mudança de toda a estrutura escolar para os monoblocos, podemos aqui adiantar que a futura biblioteca terá apenas cerca de 42 metros quadrados de área, pelo que será para lá transportado o estritamente essencial: os livros que os professores atempadamente solicitaram, alguns computadores e poucas mesas de trabalho. Previsivelmente, será esta a planta (ao lado) da estrutura disponibilizada para funcionar a Biblioteca. Site: www.eps-cunha-rivara.rcts.pt

E-mail:bibcunharivara@gmail.com

Catálogo On-line:www.rbe.min-edu.pt/np4/77.html

7


8

Destaque

Março ‘11

TU e EU

N

PROJECTO “DE DENTRO”

D

ecorrente de um percurso de alunos do Agrupamento de Escolas de Arraiolos que deliberadamente reflectem um trabalho que se enquadra e explora a luz das artes. ARK / ART Arraiolos é o lugar que estabelece o propósito.

O evento ARK/ ART tem por missão fazer-nos despertar para o presente. É uma tomada de consciência sobre a contemporaneidade do nosso património edificado e humano, conforme tiveram todos os tempos que a história nos dita. São percursos pessoais e desta vila que habitamos, onde nos habituámos à pureza da luz. Em ARK.3+3 são apresentados três arquitectos e três obras. Em ART.3+3 são apresentados três artistas plásticos e três obras. Os autores representados facilitaram a disponibilidade para o momento. Durante o trajecto não podia deixar de reflectir nos estudantes que unem o lugar e que são o percurso, desenvolvendo “de dentro” uma dimensão estabelecida e presente. Pela exactidão desenhada, pelo rigor dos que se constroem e nos facultam um olhar aberto justifico o encontro com estas “correntes que nos unem”. Professor Luís Silva

T

u e eu Eu e tu Aquela palavra bonita que começa por "T" e acaba em "U" Fala de amor, que é teu, nosso e meu É um tema de que gosto de falar E falo neste poema sobretudo do que é namorar Em busca de uma alma gémea alucinante Assim com estilo de trovante eu vou começar: Procuro por ti a toda a hora Numa busca incessante e ao mesmo tempo breve para te ver Não me quero ir embora Sem antes algo te dizer: Se tu fosses uma linda pétala de flor Eu seria o caule para entre nós existir amor Se tu fosses uma onda do mar Eu era uma caravela para te atravessar Se tu fosses amarelo, isso eu te aconselho Eu seria uma laranja e da fusão entre nós sairia vermelho Se fosses um pouco de escuridão, sem falar Eu era o Sol para te iluminar Tentava sempre estar junto a ti E adorava que estivesses aqui Para os dois juntos irmos passear Para uma terra chamada "Amor anda no ar" Depois agarrava-te E em seguida beijava-te Num louco beijo meu O amor é: Tu e eu.

Destaque 9

Março ‘11

o passado dia 17 de Janeiro, as turmas de 11º ano de Protecção Civil e Animação Sociocultural,

receberam uma formação de Suporte Básico de Vida, integrada no elenco modular dos referidos cursos, a qual decorreu na sala 3 no período compreendido entre as 14h25 e as 17h40. A formação foi dinamizada pelos Coordenadores de Curso, Ermelinda Chambel e Gonçalo Oliveira e ministrada pelo formador externo da Escola Nacional de Bombeiros, Ricardo Gabriel. Durante a sessão, os formandos tiveram oportunidade de desenvolver as suas capacidades teóricas e práticas ao nível do socorrismo em reanimação cardio-respiratória, praticando as técnicas apreendidas de compressão, insuflação e PLS quer em simulação com manequim, quer com voluntários. Os formandos demonstraram grande interesse na apresentação e simulação de práticas de SBV, tendo manifestado disponibilidade para demonstrar estas técnicas a todos os interessados na comunidade escolar.

De salientar que seria de todo o interesse munir a comunidade escolar destas técnicas, pois como o formador Ricardo Gabriel mencionou, os primeiros minutos após uma PCR são de grande importância na recuperação da vítima, podendo 90% dos casos ser recuperados se auxiliados nesse período de tempo. Coordenadores dos Cursos de Protecção Civil e Animação Sociocultural, Professores Ermelinda Chambel e Gonçalo Oliveira

ET TOI, RICARDO, AIMES-TU LIRE? POURQUOI?

O

ui, j’aime lire parce que c’est comme si j’entrais dans un monde complètement différent et parce

que les livres me permettent de m’évader. Je pense que les livres, pour moi, sont vitaux et qu’ après en avoir dévoré un, je me sens nouveau, car j’appris beaucoup de choses. Je suis véritablement passionné de lecture et d’écriture. Quand je lis ou j’écris, j’oublie tout. Je trouve que c’est merveilleux de pouvoir lire!

José Coelho, 11º B

CICLO DE CONFERÊNCIAS - ITINERÁRIOS FILOSÓFICOS

Ricardo Domingos, 9èmeC

E

m parceria com a Biblioteca Municipal de Arraiolos, o grupo de Filosofia da Escola Cunha Rivara está a desenvolver um ciclo de conferências filosóficas intitulado Itinerários Filosóficos que possibilitem Viver Melhor na Terra (tema anual da escola). Pretende-se com esta iniciativa sensibilizar os alunos, e toda a comunidade, para a utilidade da Filosofia na transformação da vida humana. Este ciclo de conferências iniciou-se no passado dia 24 de Fevereiro em torno da vida e pensamento de Agostinho da Silva. Contou com a presença de um representante da Associação Agostinho da Silva, doutor Renato Epifânio e teve a participação das turmas 10ºA, 11ºA e 11º B. O grupo de professores de Filosofia

8

«QUE FERAS-TU PLUS TARD ? QUEL MÉTIER VEUX-TU FAIRE ?»

J

e ne sais pas ce que je veux être plus tard parce que je suis un peu indécise entre les langues et les sciences.

J’adore les langues étrangères et si je choisissais quelque chose par rapport aux langues, j’aimerais être hôtesse de l’air car j’adore voyager. Mais, comme j’adore les animaux, j’aimerais être vétérinaire, cependant, pour avoir ce métier, il faut être exigeante, solidaire et je dois beaucoup travailler. Cátia Lopes, Nº 5

9ème C

9

Profile for Angela  Rodrigues

Jornal ArrRivar do ano lectivo 2010-11  

O Jornal apresenta testemunhos do trabalho com crianças do pré-escolar e com alunos dos ensinos básico e secundário.

Jornal ArrRivar do ano lectivo 2010-11  

O Jornal apresenta testemunhos do trabalho com crianças do pré-escolar e com alunos dos ensinos básico e secundário.

Profile for arrrivar
Advertisement