Issuu on Google+

vitória

Ano  VIII      ͻ      Nº  01      ͻ      Janeiro  de  2013

Zs/^dZYh//K^s/dMZ/ͳ^ ISSN 2176401

9 772176 40103 5

Edição Mensal

00706

ATUALIDADE

ENTREVISTA

CONTRASTES

A evangelização dos jovens e as gerações X, Y e Z

A ciência rende-se perante o limite humano

Fotos de contradições que maltratam


Editora Maria da Luz Fernandes / 0003098-ES Repórter Lisandra Melo / 0003041-ES Colaboradores Thales Delaia Alessandro Gomes Dauri Batisti Raquel Tonini Giovanna Valfré Alexandre Lemos Gilliard Zuque Revisão de texto Yolanda Therezinha Bruzamolin Publicidade e Propaganda comercial@redeamericaes.com.br Telefone: (27) 3198-0850 Fale com a revista  vitória: mitra.noticias@aves.org.br Projeto Gráfico e Editoração Comunicação Impressa (27) 3319-9062 Ilustrador

… Kiko, †Arquivo

Designers Albino Portella Ricardo Coufler Impressão Gráfica 4 irmãos (27) 3326-1555

youtube.com/mitraaves @arquivix

Ano VIII – Edição 01 – Janeiro/2013 Publicação da Arquidiocese de Vitória

6

PENSAR

9

As respostas da Igreja Católica para evangelizar os jovens nas diversas gerações

Cotas na políticas públicas

ARTE SACRA

14

PARÓQUIAS

16

ARQUIVO E MEMÓRIA

19

REPORTAGEM

20

PROJETO

24

IDEIAS E SUGESTÕES

26

ACONTECE

28

SAÚDE

30

O significado do altar na liturgia

Epifania do Senhor aos Reis Magos

O tempo áureo do Colégio do Carmo

facebook.com/arquivix

Bispos Auxiliares Dom Rubens Sevilha Dom Joaquim Wladimir Lopes Dias

w w w. a v e s . o r g . b r

Arcebispo Metropolitano Dom Luiz Mancilha Vilela

ATUALIDADE

Os líderes da paz de diferentes épocas

Instituto Goia

Pontos de fuga para a infelicidade e o sofrimento

Acontecimentos importantes para a Igreja no mês de janeiro

Cuidados com a pele


SUMÁRIO

EDITORIAL

ENTREVISTA Deus e ciência, muito mais que diálogo

DIÁLOGOS Paz, educação, oração e beleza são frutos da fé

12

4

= CONTRÁRIOS

15

A vida é feita de contrários, mas alguns poderiam ser evitados

CIDADANIA

10

Projetos móveis mobilizam a população

ESPECIAL

23

Saiba o significado do Antigo e Novo Testamento

Além do limitado

D

estaque nesta edição, a Paróquia Epifania do Senhor aos Reis Magos, pode servir de orientação para o Novo Ano que se inicia: ir ao encontro de Jesus. Embebidos pela magia do Natal e com todos os propósitos de recomeçar que repetimos a cada ano, a hora é propícia para iniciativas que valem. Seguir Jesus, procurá-Lo por todos os cantos, descobri-Lo nas pessoas, encontrá-Lo nas situações, percebê-Lo dentro de si. A hora é agora. O universo conspira nessa direção: jovens redescobrem a importância da fé, ONGs e sociedade unem-se em defesa da natureza, seguidores de grandes líderes levantam a bandeira da paz e a ciência rende-se ao reconhecer, pela razão, que somos limitados e por isso incapazes de explicar a existência de Deus que é ilimitado. Este pode ser o grande desafio para 2013, na carona da nova geração que, em grande parte, voltou a colocar a religião no centro da vida: buscar Jesus e seguir a estrela que conduz a Deus. A Revista Vitória vai com você nos limites humanos acreditando no ilimitado. Maria da Luz Fernandes Assessora de Imprensa


DIÁLOGOS

Rezar para educar “ O Reino de Deus é um mundo bom, belo e verdadeiro.

A família é um dom de Deus. Essa comunidade é formativa, principalmente quando nos referimos às crianças, que distinguem com facilidade entre o que se diz e quem o diz, e, adquire ainda mais força quando

'HXVpEHOH]DLQÀQLWD

pensamos nos próprios filhos, pois diferenciam claramente entre a mãe ou pai que reza e a própria oração. Para eles a oração adquire um valor especial, é amável

Dostoiévski escreveu que a beleza salvará

e significativa, porque quem reza são seus pais.

o mundo. Podemos acrescentar que a bondade

O que Deus espera dos pais é que sejam discípulos,

salvará o mundo. Os filósofos gregos pregavam

coerentes e missionários. O seu testemunho deve estar

que o homem deve buscar o que é bom, belo

presente diante dos filhos a todo o momento, com

e verdadeiro. A verdade e o bem são sempre

naturalidade, como forma concreta de ensinamento,

belos.

sem a necessidade de lições repetitivas, uma vez que a

Em Jesus encontramos a verdade, a bonda-

sua vida é a própria lição. Os filhos aprendem dos pais,

de e a beleza. Portanto, o discípulo e missionário

através da convivência. Na verdade, quem leva os filhos

do Mestre Jesus também será um ser humano

a Deus, ou quem não os leva, são os pais.

bom, verdadeiro e belo.

A oração é a primeira condição para educar os

Infelizmente, muitos olham sobremodo a

filhos na fé, porque rezando, além do exemplo, nos

beleza física e exterior em detrimento da beleza

colocamos na disposição de entregar os filhos a Deus,

do comportamento; por exemplo, a beleza da

que os conhece antes do nascimento e, sabe perfeita-

bondade, a beleza da honestidade, da retidão,

mente, qual é o verdadeiro bem para eles, em vista de

o belo que há nos atos de solidariedade, de

uma missão que devem na liberdade assumir. Termino invocando a intercessão maternal de Nossa

compaixão. A violência é feia. A desonestidade e a mentira são feias. O mal é feio. A bondade é bela.

Senhora das Alegrias, a Virgem da Penha, sobre todas as famílias.

Cabe a nós cristãos, os imitadores de Jesus, tornar

Vamos receber 2013 de coração aberto. Boa oração!

o mundo mais bonito, mais verdadeiro, enfim,

Dom  Joaquim  Wladimir  Lopes  Dias Bispo  Auxiliar  da  Arquidiocese  de  Vitória

tornar o mundo melhor. O Reino de Deus é um mundo bom, belo e verdadeiro. Você é bom? Seu coração é bom? Suas palavras são boas? Seus pensamentos são bons? O grande místico São João da Cruz escreveu: Onde não há amor, coloque amor e colherás amor . Seja Feliz! Dom  Rubens  Sevilha,  ocd Bispo  Auxiliar  da  Arquidiocese  de  Vitória

4

revista  vitória

Janeiro/2013

O testemunho dos pais deve estar presente diante dos filhos a todo o momento, com naturalidade”


EM BUSCA DA PAZ!

N

ormalmente acordo bem cedo. Gosto de acompanhar a oração do terço pela Rede Vida. Numa destas madrugadas tive a oportunidade de acompanhar um belo programa neste canal de televisão que defende princípios cristãos católicos, uma entrevista com um cientista católico convicto que versava com desenvoltura sobre a atuação das células tronco em vista da cura. O entrevistador, também com convicção e até emoção, no final de suas considerações, fez questão de deixar a mensagem: o importante é a paz, todos desejamos a paz! Ouvindo-o naquele momento pensei comigo: eis aí um desejo profundo do ser hu-

mano, a paz. O ser humano deseja a paz, mas faz a guerra, especializa-se em matar, em destruir. Você já foi a um museu de armas? Ali a gente vê como a inteligência humana é capaz de esmerar-se para construir objetos agressivos, dando-lhes contornos artísticos com a finalidade de matar o ser humano. Porém, desejamos a paz e rejeitamos a violência! Neste Ano da Fé, eu creio que precisamos cultivar a arte da paz como atitude de fé no Ser Divino que se fez humano para ensinar-nos a sermos humanos e com Ele partilharmos a Paz. O princípio e a arte da paz vêm deste Ser Divino que se fez Homem.

Iniciamos o ano sob o prisma da paz, o dia mundial da paz e não sob o prisma da guerra, mesmo que as bombas estejam caindo em algumas partes do mundo belicoso. Sim, o importante é a paz! A paz vem do Alto, mas precisa ser acolhida e conquistada por aquele que ainda vive e está em baixo mas sente o desejo de estar no Alto, que caminha no horizonte terrestre, a via do horizonte celeste com o olhar para o Alto. O novo ano é, sem dúvida, a estrada terrestre em direção ao horizonte celeste! Portanto, irmão, irmã, cabeça erguida, com o capacete da fé e a couraça da esperança, conquistando a paz na experiência de um coração que ama, e, amando torna-se mais humano e portador da Paz que vem do Alto! Feliz 2013! É verdade, a Paz é importante! Dom  Luiz  Mancilha  Vilela,  sscc Arcebispo  Metropolitano

Janeiro/2013

revista  vitória

5


ATUALIDADE

JOVENS CATÓLICOS E AS

GE

“É preciso muito tempo para tornar-se jovem” Pablo Picasso

T

ornar-se jovem é uma expressão que pode ser aplicada à própria juventude porque ser jovem não é apenas ter idade entre 15 e 24 ou 29 anos, embora pessoas nessa idade sejam consideradas jovens (15 a 24) e jovens adultos (25 a 29) por organismos internacionais. Como dizia Albert Camus a juventude é, sobretudo, uma

6

revista  vitória

Janeiro/2013

soma de possibilidades. Atenta às possibilidades juvenis a Igreja sempre tratou com especial cuidado a formação e evangelização dos jovens. Na década de trinta do século passado o Papa Pio XI apoiou e incentivou o desenvolvimento da Ação Católica, movimento que incluía os leigos nos projetos de evangelização e influenciou, principalmente, a

formação dos jovens nos setores JFC (Juventude Feminina Católica) e JMC (Juventude Masculina Católica). No início da década de 60 a Conferência Episcopal de Medellín traçou como opções para a Igreja da América Latina a opção pelos pobres e pela juventude e assim a formação e evangelização dos jovens foi se tornando prioridade para a Igreja.


1946 - 1960 Geração Baby Boomers AÇÃO CATÓLICA ESPECIALIZADA JAC - JEC - JIC - JOC -JUC

Após a década de 50, quando a Ação Católica congregava os jovens em movimentos nacionais, a geração conhecida como baby boomers (50 a 60/62), organizava-se em torno de movimentos estudantis e sindicatos e, para eles, a religião deixara de ser o centro de tudo. A Ação Católica percebeu, então, a necessidade de agrupar os jovens em grupos específicos, que ficou conhecido como Ação Católica Especializada. Surgiram a JAC (Juventude Agrária Católica), JEC (Juventude Estudantil Católica), JIC (Juventude Independente Católica), JOC (Juventude Operária Católica), JUC (Juventude Universitária Católica). Era uma forma de evangelizar as diversas classes com uma linguagem própria e específica, descobrindo lideranças em cada segmento.

RAÇÕES X, Y E Z 196 1 - 1 980 Geração X ENFRAQUECE A AÇÃO CATÓLICA SURGEM MOVIMENTOS ESPIRITUAIS

A geração X (1962 a 1980) foi marcada, no início, pelos movimentos estudantis, partidários e sindicais que durante o regime militar perderam força e organizaram-se clandestinamente. Foi considerada a geração da informação e profundamente influenciada pela televisão. Grandes defensores da natureza, os jovens dessa geração ficaram conhecidos pelos grupos hippies que enfrentavam os valores capitalistas. Os grupos da Ação Católica Especializada enfrentaram, também, conflitos internos. Alguns militantes adotaram um “estilo de fé restrito à ação”, segundo definição de Jorge Boran e, muitos foram praticamente extintos. Neste período surgiram os Movimentos com uma preocupação espiritual e afetiva. A formação e os encontros aconteciam em finais de semana com a participação de Congregações Religiosas que reuniam a juventude em torno de carismas específicos. Em especial, destacam-se os Salesianos, Jesuítas e Redentoristas.

Janeiro/2013

revista  vitória

7


1981 - 1994 Geração Y ORGANIZAÇÃO DA PASTORAL DA JUVENTUDE EM NÍVEL DIOCESANO, REGIONAL E NACIONAL

ATUALIDADE

A geração seguinte, conhecida como geração Y (1981 a 1994), foi influenciada pela tecnologia. Ligada às questões sociais, à cultura e às artes distanciou-se dos movimentos sindicais e políticos. Foi a geração do Hip-Hop, amante do teatro, dança e música. Para esta geração o grupo era importante enquanto respeitasse as individualidades. A Igreja propõe a organização da juventude nas instâncias diocesanas, regionais e nacionais. Nos três níveis os jovens organizam-se, também, em três grupos: juventude rural, estudantil e meio popular. Estes grupos têm semelhanças com a Ação Católica Especializada, voltando a utilizar a mesma metodologia ‘Ver, Julgar e Agir’, mas denominados de pastoral da juventude, que se propõe trabalhar de forma organizada com os jovens de todos os grupos dos chamados movimentos de encontro.

Para a juventude de hoje, que pertence às gerações Y(181 – 1994) e Z(1995 – 2010) a Igreja Católica do Brasil prepara a Jornada Mundial da juventude, que acontece em julho de 2013 e espera receber no Rio de Janeiro acima de dois milhões e quinhentos mil jovens peregrinos movidos pela fé, pelo desejo de seguir Jesus e evangelizar. A Campanha da Fraternidade deste ano tem como tema ‘Fraternidade e Juventude’. Hotsite, facebook, twitter, eventos musicais e es-

8

revista  vitória

Janeiro/2013

1995 - 2010 Geração Z GRUPOS LIGADOS AO PENTECOSTALISMO E FORTALECIMENTO DO SETOR JUVENTUDE

À geração Y seguiu-se geração Z (1995 a 2010), caracterizada por ser a geração conectada e dependente da tecnologia. Fazer várias coisas ao mesmo tempo, compartilhar e participar. A religião é parte central em suas vidas, embora cresça entre eles o número de ateus. É a geração da subjetividade e do individualismo, que se mobiliza pela internet, mas não abre mão da convivência pessoal. Na Igreja multiplicam-se os grupos ligados ao pentecostalismo que evidenciam a experiência pessoal com Deus e o dom do milagre. Como instituição, a Igreja procura fortalecer o Setor Juventude para congregar os jovens dos vários carismas em torno de uma pastoral orgânica e recomenda o método ‘Ver, Julgar e Agir’.

piritualidade são as ferramentas utilizadas pelos próprios jovens que se organizam em torno de carismas específicos, grupos de espiritualidade e pastoral da juventude, coordenados pelo Setor Juventude da CNBB, Conferência dos Bispos do Brasil, instância oficial para congregar os jovens do Brasil. Uma nova geração está sendo gestada. A Igreja prepara-se para que ela possa agir e evangelizar.


PENSAR

AS COTAS NAS POLÍTICAS PÚBLICAS BRASILEIRAS

O

Brasil tem adotado as cotas em favor de grupos sociais específicos desde a promulgação da Constituição Federal de 1988 que previu a reserva percentual de cargos e empregos públicos para pessoas com deficiência. Portanto, faz mais de vinte anos que o nosso país está aplicando esta medida. A adoção desta estratégia se fundamenta nos indicadores de desigualdade da sociedade brasileira. De acordo com o Mapa da Violência (2010), os jovens são mais da metade

dos mortos sendo 19 mil negros contra 7 mil brancos. Observou-se que entre 2000 e 2010 a matança de jovens brancos diminuiu em alguns estados, porém aumentou as mortes de jovens negros e mestiços. Sabemos que esta desigualdade remonta ao regime de escravidão. Apesar da abolição dos escravos ter ocorrido a mais de 100 anos, a violência contra a população afrodescendente continua sendo uma chaga aberta na sociedade brasileira. Embora a estratégia de cotas seja legalmente prevista, é grande a polê-

mica em torno do tema e tem gerado debates acalorados dentro e fora das universidades. A questão chegou ao Supremo Tribunal Federal (STF) no início deste ano e o julgamento durou dois dias. Foi uma decisão unânime pela constitucionalidade da medida, ou seja, a política compensatória foi considerada como uma forma de reparar os erros das gerações passadas, tal como avaliou o Ministro Carlos Ayres Britto. Tânia  Silveira DĞƐƚƌĞĞŵWŽůşƟĐĂ^ŽĐŝĂů

CONSTRUINDO SOLUÇÕES ESTA  CONSTRUINDO  OU  REFORMANDO,  PASSE   NA  COLODETTI  MATERIAL  DE  CONSTRUÇÃO Campo  grande:  Avenida  Expedito  Garcia  -­‐  Telefone:  3336-­‐0499   Rodovia  BR  262  -­‐  km  4,5  -­‐  Telefone:  3343-­‐2200 Vila  Capixaba:   Avenida  alegre  -­‐  Telefone:  3336-­‐1849

dĞŵŽƐĞƐƚĂĐŝŽŶĂ ŵĞŶƚŽƉĂƌĂ ĐĂŵŝŶŚƁĞƐĞĚĞƉ ŽƐŝƚŽƉƌŽŶƚĂ ĞŶƚƌĞŐĂĚĞƉŝƐŽƐ ĞƌĞǀĞƐƟŵĞŶƚŽƐ


CIDADANIA

PROJETOS MÓVEIS Procon Desde outubro de 2011, os moradores do Espírito Santo contam com o Procon Móvel. Embora tenha

pouco tempo de vida, o projeto do Programa de Orientação e Proteção ao Consumidor dinamizou o atendimento ao público com a aquisição de uma unidade móvel de atendimento. De acordo com o Procon, nos primeiros cincos meses do projeto, mais de 5.800 consumidores foram atendidos. Um número ainda pequeno se comparado aos 43 mil atendimentos realizados pela instituição só no ano de 2011.

O atendimento do Procon Móvel é de 10h às 17h, principalmente, nos bairros considerados de risco. Para abertura de reclamação é necessário a Carteira de Identidade, CPF, além de documentos que possam comprovar a reclamação, tais

como: comprovante de pagamento, nota fiscal, faturas, entre outros. Para saber onde encontrar a unidade móvel mais próxima, o interessado deve ficar atento ao itinerário, divulgado a cada dois meses no Portal da Prefeitura de Vitória.

alimentos bons e saudáveis gastando pouco. O programa é uma iniciativa do Conselho Nacional do Serviço

Social da Indústria (SESI), em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e empresas públicas e privadas. Em oito anos de projeto, o Cozinha Brasil já atendeu 150 mil pessoas em todo o país. O projeto oferece dois tipos de cursos: um para a comunidade em geral, com duração de dez horas, e outro para os multiplicadores com carga de 24 horas, que tem como objetivo treinar pessoas para passar adiante o conhecimento adquirido.

Cozinha Brasil Desde 2004, o Programa Cozinha Brasil ajuda a espalhar pelo país a mensagem de que é possível preparar


Escolas Móveis Biblioteca Transcol Popularizar o ato de ler é o objetivo da Biblioteca Transcol. Criado em

Agosto de 2007, através de uma parceria entre a CETURB-GV ‒ Companhia de Transportes Urbanos da Grande Vitória, associações e empresas privadas, os números da iniciativa impressionam. De acordo com dados divulgados pela empresa no começo de 2012, a Biblioteca Transcol conta com cerca de 30 mil associados, e já realizou,nas oito unidades instaladas em Terminais rodoviários, cerca de 300 mil empréstimos desde sua criação.

A necessidade de atender a demanda de treinamento de mão de obra nas diversas regiões brasileiras fez

com que o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) criasse em 1973 as Escolas móveis. Pioneiras na capacitação itinerante, elas tiveram suas primeiras atuações em São Paulo para depois se espalharem pelo país. As Escolas Móveis são classificadas em Carretas e kit didático . Nas Carretas, todo o conjunto para ministrar

as aulas já se encontra disponível na unidade. Já o kit, embora possua mobiliários e equipamentos, há a necessidade de um local preestabelecido fora da carreta para sua instalação. Estima-se que mais de 300 mil pessoas já tenham sido beneficiadas com as Escolas em todo o Brasil, inclusive no Espírito Santo. Os bons resultados obtidos pelo SENAI com o programa, fez com que a tecnologia fosse exportada para outros países, como Angola, no continente Africano.

Unidade de Saúde O mês de outubro de 2012 marcou o lançamento da primeira Unidade de Saúde Móvel de Cariacica. O veí-

culo, um micro-ônibus, oferece consultas na área de ginecologia e odontologia, sendo a primeira

Unidade de Saúde Móvel do Estado a disponibilizar estes dois serviços. Com o projeto, a prefeitura espera ampliar a promoção da cidadania e o desenvolvimento humano do cidadão para garantir um dos seus direitos básicos: a saúde.

Janeiro/2013

revista  vitória

11


ENTREVISTA

A

pesar   da   ciência   ser   pontuada  pela  razão,  os   ĐŝĞŶƟƐƚĂƐƉĂƌĂĐŚĞŐĂƌĞŵ a  uma  conclusão  vão  pela  crença.   ŚĞŐĂƵŵĚĞƚĞƌŵŝŶĂĚŽŵŽŵĞŶƚŽ que   o   embate   é   crer   de   crença”.   Sobre  este  assunto  a  Revista  Vitória   conversou  com  o  professor  e  doutor   em  Física,  DĂƌĐŽƐdĂĚĞƵKƌůĂŶĚŽ. Vitória - Qual a contribuição da Quân-

tica para a ciência? Quântica modificou a nossa forma determinística de olhar e descrever a realidade. Ela trouxe uma revolução no modo de ver a natureza e o universo. Na concepção da Mecânica Química, ciência muito forte no século passado tudo tem causa e efeito. E isto cai por terra porque nem tudo, necessariamente, tem que ter causa e efeito imediato. Falando em outras palavras, com a descoberta da Ciência Quântica nós não vemos mais o mundo como ele era. Nós não achamos que o universo tem um único modelo, nós temos uma ideia do que ele seja, mas não temos a certeza. Aí você pode me perguntar: quando a ciência terá uma visão completa das coisas? Na minha opinião nunca. Pois, como dizia o físico alemão Albert Einstein “tudo é relativo”. Marcos - A

Vitória - Então, na ciência o que é verda-

de hoje, pode não ser verdade amanhã?

Marcos - Não é que você perde todos os

seus estudos teóricos e pesquisas. Mas, você passa a ter um novo olhar sobre aquele mesmo assunto. É como se você estivesse em um quarto escuro e acendesse uma vela. E a ciência é essa vela, que vai iluminando trechos do conhecimento e você vai tendo uma noção do todo. Vitória -

É possível diálogo entre a ciência e a fé?

12

revista  vitória

Janeiro/2013


“Tudo para nós tem começo, meio e fim. E esta visão é limitada, e isso não condiz com o que você entende como Deus. Porque Deus não tem limite.

Marcos -

Eu não vejo nenhum antagonismo. Acredito que fé é algo que a pessoa traz consigo. Então, como todos que fazem ciência são seres humanos, entendo que eles tenham fé ou não. Eu, por exemplo, convivo com a minha fé e a ciência em harmonia. Acredito que tudo que eu faça ou que eu toque sempre tem a mão de Deus.

Vitória -

Para a ciência o universo é resultado de uma grande explosão. O Papa Bento XVI afirmou que algumas teorias científicas são “limitadoras da mente” porque “apenas chegam a certo ponto, não explicando totalmente o senso de realidade”. Qual a sua visão sobre a formação do universo? Marcos - Na verdade, essa grande explosão que deu origem ao universo, pode ser um começo de um fim, que nunca teve fim e que sempre existiu. A minha visão é que teve esta explosão. Mas o que tinha antes dessa explosão a ciência não tem como saber, justamente porque somos limitados. E nós, por sermos seres humanos não temos esta capacidade para entender o ilimitado.

Vitória - A constatação da ciência do nosso limite confirma que existe o ilimitado? Marcos - É exatamente isso. Por não compreender o que está além de nós, a gente acaba aceitando, ou seja, admitimos o ilimitado. E talvez você possa me perguntar: o que há de razoável nisso? Em minha opinião, razoável é você acreditar. Porque pela lógica, a ciência não tem como provar o ilimitado. Vitória - Existem evidências científicas que comprovem a existência de Deus? Marcos - A ciência nunca buscou comprovar a existência do sobrenatural ou do divino. Porque Deus vai além da nossa compreensão humana. Então, como tentar comprovar ou explicar aquilo que está além do nosso entendimento ou conhecimento? Acho que não é muito lógico tentar explicar o inexplicável. Vitória - Em que situações devemos ter

um olhar científico ou de fé?

Marcos - Eu acho que, quando se tratar

da matéria, de observações instrumentais que não interferem no ser humano de imediato, nós devemos nos pautar pela razão e pela ciência. Eu acredito que temos que ter cuidado com aquilo que fazemos e entendemos quando toca o nosso semelhante. É nessa hora que você tem que estar em consonância com Deus, e buscar ter um pouco de fé para ser orientado. Porque, às vezes, ao fazer algo podemos fazer muito mal ao nosso semelhante. E você não se apercebeu disso e então, naquele âmago de fazer a ciência, pode-se trilhar um caminho que vai gerar muito dano e vai lhe dar remorso, porque você não parou para se inspirar. Foi nesse momento, que muitos cientistas se perderam no século passado. A exemplo do Openraid, que na corrida pela invenção nuclear fizeram uma bomba atômica e, no desespero de provar suas ideias, mataram milhares de pessoas.

Janeiro/2013

revista  vitória

13


ARTE SACRA

ALTAR, O LUGAR DO SACRIFÍCIO

(Lc 22,19)

R

eunimo-nos na Igreja, como comunidade, para celebrar os mistérios da nossa fé. O altar, lugar da memória da Ceia e do sacrifício do Senhor e o ambão, lugar da Palavra, são os focos centrais da ação litúrgica. Entendemos o significado do altar a partir da própria etimologia da palavra. Deriva dos verbos alere: alimentar, nutrir, e arére: arder, queimar. Daí, os substantivos altare, altarium, altaria: “parte superior” de uma mesa ou bloco de pedra, sobre o qual são “oferecidos alimentos” aos deuses. Nesse lugar geralmente são sacrificados e queimados animais em

14

revista  vitória

Janeiro/2013

honra da divindade. Os altares foram usados por quase todos os povos da antiguidade, nos templos ou em santuários ao ar livre. Podiam ser de pedras amontoadas,

Foto: Valdeci Júnior

“Fazei isto em memória de mim”

formando uma plataforma quadrada, terra com paredes de pedra ou um bloco entalhado em rocha natural. Se as estruturas fossem altas, recebiam escadas. O Primeiro Testamento nos traz vários exemplos de altares. A palavra hebraica para altar, mizbeah, significa “lugar onde se sacrifica”. Por isso, o altar geralmente está relacionado aos sacrifícios,

embora também possa ter o sentido de monumento, recordando uma teofania. “Em seguida, partindo dali, foi para a montanha que está ao oriente de Betel, onde levantou a sua tenda. Abrão edificou ali um altar ao Senhor, e invocou o seu nome” (Gn 12,8). Ainda em Êxodo 24, Moisés ergue um altar e sela a aliança entre Deus e seu povo com o rito da aspersão com sangue dos animais. Não se aplicava aqui o termo “mesa” em vista do rito pagão, pois altar era a mesa onde a divindade comia. No altar cristão essas duas realidades se mesclam: sacrifício e banquete, onde Jesus substitui o cordeiro. Já não é uma pessoa que apresenta a oferenda sobre o altar, mas é o próprio Deus que oferece a si mesmo em Jesus. ZĂƋƵĞůdŽŶŝŶŝ͕ŵĞŵďƌŽĚĂ ŽŵŝƐƐĆŽĚĞƌƚĞ^ĂĐƌĂĚĂ ƌƋƵŝĚŝŽĐĞƐĞĚĞsŝƚſƌŝĂ


= CONTRÁRIOS

DESPERDIÇANDO O NECESSÁRIO

APROVEITANDO O IMPENSÁVEL

Janeiro/2013

revista  vitória

15


PARÓQUIAS

16

revista  vitória

Janeiro/2013


O

s Reis Magos atravessaram Jerusalém. Guiava-os uma estrela misteriosa, a estrela, luz exterior que se deslocava no firmamento. Mais ainda, porém, os conduzia à fé, luz interior. Chegaram. Não os admirou aquilo que encontraram: nem a pobreza, nem o estábulo, nem estar o Menino numa manjedoira. Chegaram e, prostrando-se, adoraram-no. Depois abriram os cofres e ofereceram de presente ao Menino Jesus, ouro e incenso, dos quais exactamente fala Isaías, mas ofereceram-lhe também mirra. E, depois de fazerem tudo isto, regressaram à sua terra. Devido a esta peregrinação a Belém, os Reis Magos do Oriente tornaram-se o início e o símbolo de todos aqueles que, por meio da fé, chegam a Jesus”.

EPIFANIA DO SENHOR AOS REIS MAGOS

ĞĂƚŽ:ŽĆŽWĂƵůŽ//

PARÓQUIA  EPIFANIA  DO  SENHOR  AOS  REIS  MAGOS Nova  Almeida  -­‐  Serra  -­‐  Espírito  Santo Z   Criada em 1757 foi extinta em 1933 e re-instalada em 2002 por Dom Silvestre Luiz Scandian,

segundo Arcebispo de Vitória Z   A paróquia tem 11 comunidades Z   Pároco:Frei Elson Alves Rocha, OFMCap Z   Vigário Paroquial: Frei Jayr Antonio Sylvestre, OFM Cap

Janeiro/2013

revista  vitória

17


ARQUIVO E MEMÓRIA

COLÉGIO DO CARMO, UMA PÉROLA DA DIOCESE

E

&ƵŶĚĂĚŽƌĂĚŽĐŽůĠŐŝŽ

m 1860, os padres Carmelitas abandonaram o convento fundado por eles denominado Convento Nossa Senhora do Carmo. O prédio então passou a ser quartel de soldados, ocupado por forças federais. No final do século XIX a Igreja reivindicou e ganhou a posse do Convento. Em 1900, Dom João Batista Correa Nery, então bispo da Diocese do Espírito Santo, após conseguir recursos no Rio de janeiro e em São Paulo fun-

ůƵŶĂƐĚŽĐŽůĠŐŝŽ

dou, no referido convento, o primeiro colégio feminino sob a proteção de Nossa Senhora Auxiliadora, popularmente chamado Colégio do Carmo. Dom Fernando, também apoiador do colégio, o elegeu no ano de 1902 como a pérola da Diocese, tamanha sua importância no cenário educacional do Espírito Santo. Historiadores relatam que o Colégio do Carmo foi um dos colégios católicos mais importantes do Brasil. Por falta de recursos o Colégio foi fechado na década de 70 do século passado. Giovanna  Valfré ŽŽƌĚĞŶĂĕĆŽĚŽĞĚŽĐ

&ĂĐŚĂĚĂĚŽĐŽůĠŐŝŽŶĂĚĠĐĂĚĂĚĞϱϬ

Janeiro/2013

revista  vitória

19


REPORTAGEM

GRANDES PELA Antes das cruzadas, das bombas, do Holocausto e até mesmo das drogas, ainda no remoto tempo dos Faraós, olhando o passado e o presente, podese concluir que a paz é uma busca constante do ser humano.

20

revista  vitória

Janeiro/2013

PAZ

M

anifestações pela paz estão por todos os cantos e níveis sociais. Ela é invocada tanto no “gueto”, como expressam os versos da música do grupo de Psirico: “Eu digo não, não, não violência não, não, não/ Falta de respeito não, não,não”, quanto no pop, na voz do cantor Gabriel, o pensador: “A injustiça é a pior das violências/ Eu quero paz, eu quero mudança/ Mais respeito, menos discriminação/ Paz, aonde tu estás? Aonde você vive? Aonde você jaz ?, entre outras. No Brasil, apontam a pacificação das favelas e a Campanha ‘Conte até 10’ como um meio de alcançá-la. No Oriente Médio, acordos pela paz são realizados anualmente. Na Europa e na América do Norte, exércitos fortemente armados combatem o terrorismo para garantir a segurança mundial. E, ainda

assim, a sociedade continua com sede de paz. O Beato holandês, padre Eustáquio Van Lieshout, que chegou ao Brasil em 1925, e escolheu o Estado de Minas Gerais para viver, dizia em suas homilias, pregações e orientações espirituais, que o mundo vive sem paz porque a humanidade está constantemente enferma. Tal conclusão, o levou a combater a violência na região dos garimpos do Triângulo Mineiro com duas palavras: “Saúde e

Paz”, saudação que resumiu seu trabalho missionário, numa atitude de fé e esperança no ser humano. Segundo o padre Marcus Vinicius Maciel, Superior Provincial da Congregação dos Sagrados Corações, da qual fazia parte o Beato, “Saúde e Paz”, com o passar dos anos tornou-se um slogan que simboliza uma prece. “Ao saudar a todos com estes dizeres, padre Eustáquio promoveu uma mudança na mentalidade de centenas de pessoas, que eram amarguradas e que não tinham fé em seus corações. Ao desejar saúde, o Irmão Eustáquio pedia a Deus força e vitalidade para os homens, e ao desejar a paz, ele suplicava tranquilidade para as suas almas”. Para o sacerdote, a luta do Beato Eustáquio contra a cultura de morte e a disputa pelo ouro, que imperavam na região dos garimpos na década de 40, tornou-o conhecido em todo o Estado de Minas como “o homem da reconciliação” e “missionário da paz”. Padre Marcus explica, ainda, que a pers-


pectiva de paz na concepção do Beato estava na reconciliação. “Ele acreditava que a paz poderia ser alcançada quando o ser humano em um gesto concreto de amor, através do perdão, se reconciliasse com o outro”. Como ele, antes e depois dele líderes políticos e religiosos, homens e mulheres com grandes corações trilharam o caminho da benevolência e deixaram sua marca pela paz, registrada na história da humanidade. Não eram super-heróis mas, sim, pessoas de boa vontade que tiveram coragem de ter esperança em futuro próspero. Propagador da convivência fraterna e harmonio-

Se aprofundarmos nosso amor pelo próximo haverá paz no mundo” Madre Tereza de Calcutá

sa, entre os muitos valores defendidos por São Francisco de Assis, sobressai o desejo e a defesa da paz. Paz e bem! Famosa saudação franciscana que fazia parte de sua inspiração de vida. “Francisco acreditava que a paz é uma possibilidade para reencontrar energias

espirituais interiores que permitam superar o sofrimento, conceder o perdão, dominar a cólera e evitar a perturbação”, explica Frei Valdecir Schwambach, Guardião do Convento da Penha. Frei Valdecir ressalta que São Francisco de Assis defendia que a paz poderia ser concretizada por meio da caridade, que é o próprio bem. “Não se vive a paz sem fazer o bem. Francisco ensinou, pela vida, que é possível haver convivência pacífica entre os povos quando reina o diálogo e a busca do bem comum. Muito mais do que com palavras, Francisco pregava pela vida, através do desapego aos bens materiais”. Assim como São Francisco, Madre Tereza de Calcutá acreditava que a caridade é um dos caminhos para fazer o bem e estabelecer a paz no interior das almas e no exterior do mundo. A Beata de Calcutá fez de sua vida um trabalho de paz em favor dos pobres, das crianças e dos doentes. Em 1979, recebeu o Prêmio Nobel da Paz

pelos serviços prestados à humanidade. Na ocasião, a religiosa disse que “ao me darem o prêmio, reconheceram a presença do pobre no mundo, que ele é nosso irmão e nossa irmã. Se aprofundarmos nosso amor pelo próximo haverá paz no mundo”. De acordo com a Irmã Maria Lumena, Superiora da Comunidade da Congregação Missionárias da Caridade na Arquidiocese de Vitória, Congregação fundada por Madre Tereza, a Beata de Calcutá dizia que trabalhos de amor são trabalhos de paz. “Ela não pregava apenas belos discursos e não apontava com as palavras caminhos para a boa convivência. Madre Tereza fazia o bem com

Janeiro/2013

revista  vitória

21


REPORTAGEM

gestos concretos de amor e caridade ao próximo. Foi por isso que ela fez a diferença no mundo”, afirma. Líder espiritual e pacifista indiano Mohandas Karamchand Ghandi levou uma vida em defesa dos direitos iguais. Considerado pai da independência da Índia, Gandhi realizou por mais de 20 anos uma campanha pela paz entre os hindus e mulçumanos, que viviam em conflito. Mas, sua batalha maior foi combater a opressão britânica contra os cidadãos indianos e defender a criação de um estado autônomo na Índia. Defensor do princípio da não-violência como um

22

revista  vitória

Janeiro/2013

Olho por olho, e o mundo acabará cego. O mundo está farto de ódio. Façamos a paz” Ghandi

meio de protesto, Gandhi realizava suas manifestações de formas pacíficas, como por exemplo, greves, passeatas, retiros espirituais e longos jejuns. “Olho por olho, e o mundo acabará cego. O mundo está farto

de ódio. Façamos a paz”, pedia Gandhi em seus discursos. Ele argumentava que a força não provém da capacidade física e sim de uma vontade indomável para transformar sonhos em realidade. “Nossa ira controlada pode ser convertida numa força capaz de mover o mundo”, dizia. Símbolo de paz na Índia, Gandhi pagou com sua própria vida o preço por sua luta em favor dos oprimidos indianos, sendo assassinado a tiros em 1948. Após sua morte, ficou conhecido como “Mahatma Gandhi”, que significa “Grande Alma”. O caminho pela igualdade, também foi trilhado pelo ex-presidente sul-africano Nelson Mandela. Primeiro presidente negro da África do Sul, Mandela lutou durante 67 anos contra o regime de segregação racial em seu país, imposto pela minoria branca sul-africana até sua eleição como presidente em 1994. Mandela ficou conhecido, em todo o mundo, por liderar o movimento contra o sistema Apartheid, que

significa vida separada. “Sonho com o dia em que todas as pessoas levantar-se-ão e compreenderão que foram feitos para viverem como irmãos”, dizia Mandela, que mesmo defendendo a luta pacificamente ficou preso por 27 anos e, depois de liberado, ganhou Prêmio Nobel da Paz em 1993, pelo esforço em acabar com a violência étnica e a segregação racial na África do Sul. Cada um a seu modo, cada um com os seus sonhos, esses homens e mulheres demonstraram com seus gestos e ações um desejo latente de transformar a opressão em liberdade, a injustiça em solidariedade e a violência em paz, desejo que pulsa na essência de cada ser humano.


ESPECIAL

RESPOSTAS DE

Antigo Testamento (lat. testamentum = legado) É a primeira parte de toda a Bíblia e a Sagrada Escritura dos judeus. O Antigo Testamento da Igreja Católica abarca 46 livros: Pentauco, escritos históricos, proféticos e sapienciais (em que se incluem os Salmos).

Qual é o significado do Primeiro Testamento ou Antigo Testamento? O Antigo Testamento, que por comungar com o ecumenismo preferimos chamar de Primeiro Testamento, tem um valor imperecível para todos os cristãos, não somente para os cristãos católicos, porque é o Livro Sagrado da sua fé. É, também, o livro que narra as origens desta fé e, portanto, a identidade cristã. A fé que tem início com um povo simples, humilde e explorado pelas sociedades abastadas da época. Hoje, ele é como um espelho onde o cristão consciente e conhecedor do conteúdo espiritual desse livro ainda se vê retratado.

Qual é o significado do Novo Testamento? O Novo Testamento seria incompleto sem o Primeiro Testamento, pois, o Primeiro narra as origens da fé, da história sagrada de um povo que confia no Deus Uno e Único e aguarda a realização das promessas feitas aos pais da fé. O Novo Testamento é a realização plena dessas promessas em Jesus de Nazaré, o Filho muito amado de Deus ao qual o cristão deve “ouvir”: “este é meu Filho muito amado. Ouviu-o” (Mt 3,17). O Novo Testamento é o caminho para a felicidade: “Quem ouve essas minhas palavras terá a vida eterna” disse Jesus. Por isso é que na celebração eucarística após ouvirmos a leitura do Evangelho o leitor proclama em voz alta: Palavra da Salvação. Notemos que ele não diz palavras, mas sim Palavra da Salvação porque Deus tem uma palavra só, aquela que ele prometeu – JESUS que anunciou a Boa Nova, realizou a obra de Deus e deu a vida por todos com sua paixão, morte, sepultamento e ressurreição.

/ƌ͘ZŽƐĂŶĂWƵůŐĂ

Novo Testamento É a segunda parte de toda a Bíblia. Contém os textos especificamente cristãos, nomeadamente os quatro Evangelhos, os Atos dos Apóstolos, treze cartas paulinas, a Carta aos Hebreus, sete cartas católicas e o Apocalipse de São João.

Não podemos separar os dois Testamentos pois um completa o outro. O leitor pode enviar para perguntas para mitra.noticias@aves.org.br

Janeiro/2013

revista  vitória

23


PROJETO

HISTÓRIA

viva

U

m imóvel histórico no Centro da Cidade de Vitória é a sede do Instituto Goia, organização sem fins lucrativos que tem por objetivo aliar Patrimônio Cultural e cidadania. O nascimento do projeto data de 2003, quando pessoas ligadas a diversos ramos culturais atentaram-se para a necessidade de criar uma Instituição que capacitasse profissionais para lidar com o restauro, monitoria de monumentos históricos e produção de artesanato que valorizasse a cultura local. Desde então, passaram-se dez anos, e o resultado do trabalho feito pelo Goia pode ser comprovado em números: já são mais de 300 jovens formados, uma equipe de 28 pessoas (entre monitores e funcionários) e cerca de 30 edificações públicas e privadas restauradas pelo instituto em Vitória e municípios do interior do Estado. As atividades do instituto são desenvolvidos em torno de três projetos.

Teatro  Carlos  Gomes


OFICINARTE

EMPAO A Escola Multidisciplinar Profissionalizante de Artes e Ofícios (Empao) tem por objetivo capacitar jovens na arte da restauração de imóveis com valor histórico. O curso é gratuito. Com carga horária de 960 horas, 480 horas de aulas teóricas e 480 horas de trabalho remunerado, a escola abre 40 vagas anuais (20 por semestre) para jovens da Grande Vitória.

Iniciado em 2005, o Oficinarte trabalha na capacitação, produção e comercialização de artesanato capixaba. Por meio de oficinas gratuitas de pintura em madeira, estamparia, marcenaria, entre outras. O projeto auxilia na disseminação da cultura regional e, ao mesmo tempo, auxilia os participantes a complementarem sua renda.

Para estudar no Empao As inscrições para o ano letivo 2013 começam em fevereiro. Para concorrer a uma das vagas o jovem deve ter entre 18 e 24 anos, ter concluído o ensino médio e possuir renda familiar de até três salários mínimos. As inscrições podem ser realizadas na sede do Instituto Goia, localizada na Rua Nestor Gomes, Centro, Vitória ‒ ES.

VISITAR Em parceria com a Prefeitura Municipal de Vitória (PMV), através da Secretaria de Turismo da Cidade, surgiu em 2006 o Projeto Visitar que proporciona aos turistas e cidadãos visitas guiadas aos principais monumentos históricos de Vitória, entre eles: a Catedral Metropolitana, o Convento de São Francisco e a Igreja de São Gonçalo. Estima-se que desde seu início, o Projeto Visitar já tenha atendido 170 mil pessoas.

AQUI TEM INSTITUTO

ŽŶǀĞŶƚŽ^ĆŽ&ƌĂŶĐŝƐĐŽ

GOIA

Janeiro/2013

revista  vitória

25


IDEIAS E SUGESTÕES

DEVOLVAM-ME, DEVOLVAM-ME AQUELA PORTA SEM FECHADURA

E

is mais um ano, 2013. Um barco remenda o mar sob o olhar de um poeta lá no Oriente enquanto costuramos nossos novos sonhos aqui. No entanto, o mundo não para. Múltiplas e poderosas forças continuam em ação, e redesenham não apenas cidades, empresas, instituições, mas também nossos jeitos, nosso rosto. Decerto não nos moldam conforme o perfil de Jesus, mas nos impõem, sutilmente, o mundo por espelho. Contudo, nestes tempos difíceis e desafiantes, também haveremos de buscar amparo nos saberes das artes, nas forças imaginativas da literatura. Produz-nos o “império” – usando a expressão do filósofo italiano Antônio Negri para denominar o capitalismo no seu atual estágio - faz-nos seus filhos,

26

revista  vitória

Janeiro/2013

conduz-nos docemente como seus vassalos. E pelos seus moldes nos tornamos obcecados pela felicidade como jamais fomos. Ah, como se a vida não comportasse também no seu percurso a dor, o sacrifício, o sofrimento. Ah, como se pudéssemos encontrar a felicidade nos produtos que avidamente consumimos. Junto a isso nos propõem uma competição em tudo, com todos e em todos os momentos. Uma competição sem jogos e sem brincadeiras, com uma só regra: realize egoisticamente os seus sonhos. Assim, a construção de sentidos para a existência não passa mais pela bondade, pela generosidade e pelo sacrifício passível de ser oferecido em função de outros. Avoluma-se a infelicidade, cresce o sofrimento, esgarçam-se as frágeis subjetividades.

Há, no entanto, pontos de fuga. Sempre há o que se fazer para se colocar como resistência a estes modos de vida. A Igreja nos oferece suas comunidades. Elas têm se constituído como uma reserva onde se pode cultivar relações que se pautem pela gratuidade, solidariedade e carinho. Ali ainda se faz a experiência de que a vida se torna mais bonita quanto mais compartilhada com outros. Ali, como canta o poeta chinês Yan Li ainda se clama: “Devolvam-me/ Devolvam-me aquela porta sem fechadura”. Mas também nelas vamos adotando ingenuamente os moldes do “império”. E sob sua influência ganham cada vez mais importância o fazer, fazer, fazer, ter normas e prescrições pra qualquer coisa, padronizar as ações.


Nas comunidades isto é especialmente prejudicial, pois acreditamos que o Espírito é movimento, é ação emocionante, rompedora de padrões e fechaduras, constituidora de novos mundos. Se não nos dermos conta, perderemos a oportunidade de afirmar nossas comunidades eclesiais como esse lugar bonito e aberto onde as esgarçadas subjetividades possam se refazer e reconstruir sentidos para viver. Além de suas comunidades, ao longo dos séculos a Igreja tem lançado mão - especialmente em tempos difíceis - das forças que a arte oferece. A arte é uma lufada de vento fresco quando se vai em esgotamentos. É dentro desta perspectiva que aqui proponho idéias e sugestões. Minha descoberta da literatura do extremo oriente se deu nos últimos anos. E foi na confluência de vários sofrimentos e desafios que dela me aproximei. Talvez eu buscasse nos textos daqueles autores o equilíbrio e a beleza singela para continuar minha jornada nestes tempos difíceis: como filho a cuidar de sua querida mãe em longos anos de penosa enfermidade; como amigo a propor-se sempre ao cultivo das coisas boas que surgem dos bons encontros; como padre a oferecer-se às pessoas como um ser igual, humano. Maravilhosamente me espantei e me encantei com seus escritores. É com dificuldade -

pela abundância de muitos bons livros - que faço minha sugestão de leitura.

Começo com O Silêncio, de Shusaki Endo. O romance é baseado em acontecimentos reais, apesar de não deixar de ser um texto ficcional. Passa-se no século XVII quando em meio a muitas e muitas e inimagináveis dificuldades a Igreja tentava apresentar à sensibilidade dos povos orientais a beleza do Evangelho. Shusaki Endo, católico e um dos mais importantes romancistas japoneses do século XX, constrói uma obra linda e geradora de inquietações, especialmente naqueles que tem suas vidas marcadas pelas belezas, pelas densidades, pelas complexidades do mundo católico. Mas ao mesmo tempo em que nos inquieta, o livro nos incita ao resgate daquela singular beleza que somente o catolicismo pode oferecer ao mundo. O cineasta Martin Scorsese - que pretende levar esta história às telas - diz a respeito deste livro

“A arte é uma lufada de vento fresco quando se vai em esgotamentos. lido incontáveis vezes: “ele tem me dado um tipo de amparo que encontrei em muito poucas obras de arte”. A outra sugestão é Um Barco Remenda a Mar, coletânea de poemas de poetas chineses contemporâneos. A leitura destes poemas nos coloca em entendimentos de que o ser humano sempre nos será próximo, pelos mesmos sentimentos, pelas mesmas buscas, pelos semelhantes anseios.

Não deixa também de ser um apelo ao cuidado para com todo o planeta e amor a todos os povos. Termino nesse sentido com palavras de um deles, Yan Li: “Devolvam-me todo o globo/ mesmo que tenha sido dividido/ em mil países/ em cem milhões de aldeias/ ainda o quero, muito”. ĂƵƌŝĂƟƐƟ

Janeiro/2013

revista  vitória

27


ACONTECE

PJ prepara Campanha da Fraternidade A Pastoral da Juventude (PJ) da Arquidiocese de Vitória realiza no dia 17 de janeiro, uma reunião ordinária com os coordenadores arquidiocesanos e o grupo de assessores da Pastoral da Juventude. O objetivo da reunião é planejar as ações para executar a Campanha da Fraternidade 2013 na Arquidiocese, que este ano reflete o tema Fraternidade e Juventude . O encontro acontece no Departamento de Pastoral da Cúria Metropolitana. Mais informações pelo telefone (27) 3025-6296.

Mobilização pela saúde Já se encontra no site da Arquidiocese de Vitória o formulário de assinatura para um Projeto de Lei de Iniciativa Popular que assegure o repasse efetivo e integral de 10% das receitas brutas da União para a saúde pública. Na Arquidiocese, a proposta é coletar o número de 120 mil assinaturas. Baixe o formulário no site www. aves.org.br, na seção Campanhas e distribua para sua família, amigos e comunidade. As assinaturas devem ser encaminhadas, até o dia 22 de janeiro, para o Departamento de Pastoral da Mitra Arquidiocesana, localizada na rua Soldado Abílio dos Santos, 47, Cidade Alta, Vitória.

Formação para lideranças A Renovação Carismática Católica (RCC) promove a 6ª edição da Escola Nacional de Formação para Líderes e Missionários. As aulas têm início no dia 9 de janeiro no Projeto Santa Clara, localizado no Balneário de Ponta da Fruta, em Vila Velha. A Escola Nacional de Formação tem como objetivo levar aos missionários e lideranças católicas uma maneira mais eficiente de evangelizar em meio aos desafios con-

ABBA  PAI

ARTIGOS  RELIGIOSOS  CATÓLICOS Livros, Cd’s, Bíblias, Imagens, Crucifixos, Lembranças para: Batismo, 1ª Eucaristia, Crisma e outros. RUA  EUGÊNIO  RAMOS,  656 :Z/DWE,ͳs/dMZ/ͳ^ d>&yΈϮϳΉϯϮϯϱͳϮϯϰϰ ΈWZMy/DK/'Z:^K&ZE/^K^^/^Ή

tempor��neos.Os conteúdos abordados nas disciplinas contemplam fundamentos teológicos-pastorais: Liderança, Eclesiologia, Pneumatologia, Cristologia, Querigma, Sagrada Escritura, Mariologia e Missiologia. A inscrição custa R$ 500 e pode ser paga no primeiro dia do evento . O valor inclui hospedagem e alimentação para 12 dias de curso. Para se inscrever acesse o site www.rcces.org.br


Encontro de legionários Com o objetivo de fortalecer as atividades desenvolvidas pela Legião de Maria na Arquidiocese de Vitória, acontece no dia 19 de janeiro, às 14h, uma reunião com todos os grupos da Arquidiocese, na Cúria Metropolitana. A reunião vai analisar a caminhada do Movimento em 2012, organizar novos grupos de legionários e definir diretrizes e propostas de ação para a Legião de Maria em 2013. Mais informações pelo telefone (27) 3289-84442.

Curso para animadores Entre os dias 30 de janeiro e 10 de fevereiro, acontece no Centro Cultural Missionário, em Brasília, o 3º módulo do Curso de Extensão em Missiologia e Animação Pastoral. A proposta do curso é oferecer formação específica no campo da missão a leigos e leigas, religiosos e religiosas, diáconos e presbíteros que trabalham diretamente na Animação Missionária. A formação também é destinada aos coordenador e membros dos Conselhos Missionários Arquidiocesanos (COMIDIs). As inscrições podem ser realizadas no site www. ccm.org.br.

Padres x Paróquias Em reunião com o Conselho Presbiteral da Arquidiocese de Vitória, o Arcebispo Metropolitano, Dom Luiz Mancilha Vilela realizou o remanejamento de diversos padres. CONFIRA AS MUDANÇAS: Pe. Jocemar José Francisco Zagoti saiu da Paróquia São José de Maruípe, e assumiu a Paróquia Ressurreição, em Goiabeiras. Pe. Dauri Batisti saiu da Paróquia Ressurreição, em Goiabeiras, e assumiu a Paróquia São Pedro, na Praia do Suá. Pe. Pedro Camilo deixou a Paróquia São Pedro, Praia do Suá, e assumiu a Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, na Praia da Costa. Pe. Carlos Magno do Nascimento Machado saiu da Paróquia Perpétuo Socorro, na Praia da Costa e assume no dia 02 de janeiro, a Paróquia Nossa Senhora da Penha, em Jardim Limoeiro. Pe. Ivo Ferreira Amorim saiu da Paróquia São Francisco de Assis, Porto Santana, e assumiu a Paróquia São José de Maruípe. Pe. Luíz Henrique Mendes deixou a Paróquia de São Pedro, em Muquiçaba, e tomou posse como Vigário Paroquial, na Paróquia São José de Maruípe. Pe. João Marcelo dos Santos saiu da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, em Guarapari, e assumiu a função de Vigário Paroquial, na Paróquia Sagrada Família, em Jardim Camburi.


SAÚDE

CUIDADOS NO VERÃO

C

uidados como uso de protetor solar e hidratação da pele devem fazer parte de nossa rotina diária. Durante o verão, período em que a exposição à radiação solar é maior, as pessoas devem ficar ainda mais atentas com a proteção da pele. Para escolher o protetor solar correto para o seu tipo de pele é recomendado procurar um especialista. Os filtros mais indicados são os de laboratórios que não sejam cosméticos, que tenham proteção contra radiação UVA e UVB e FPS de, no mínimo, 30. O produto deve ser aplicado em todo o corpo e, na praia, é essencial

reaplicar a cada uma hora ou após um mergulho. No dia a dia, o correto é utilizar o protetor pela manhã, antes de sair de casa, e reaplicá-lo no horário do almoço. Também é importante ficar atento com o horário de aproveitar a praia ou a piscina. Entre 10h e 17h a radiação ultravioleta é maior e deve ser evitada. A utilização do filtro solar não deve ser vista como um passaporte para o sol, que permite a exposição durante o dia todo. No caso das crianças, a atenção deve ser redobrada. Até os seis meses a exposição ao sol deve ser pequena e sempre em horários adequados (até 10h). Após esse período, deve ser utilizado um filtro solar infantil,

indicado por um dermatologista. O produto próprio para as crianças é mais aderente, demorando a sair na água, além de não irritar os olhos dos pequenos. Sempre vale lembrar que o uso do protetor solar deve ser feito diariamente, mesmo em dias nublados, já que as nuvens só filtram 20% dos raios solares. Ele protege a pele da incidência dos raios ultravioletas, diminuindo os riscos de doenças como o câncer de pele, além de evitar o envelhecimento precoce. ƌ͘KůŝĞƚĞ'ƵĞƌƌĂ͕ĞƌŵĂƚŽůŽŐŝƐƚĂ

FAZEMOS UNIFORME PARA IGREJAS E EMPRESAS &$/d$62&,$/(-($16‡&$0,6$62&,$/‡32/2('(0$/+$ *5$9$7$‡7(5126‡%/$,=(5‡6$3$726‡%(508'$6 ACESSORIOS EM GERAL

Av.Campo  Grande,25 Av.Expedito  Garcia,29 30 revista  vitória Campo  Grande-­‐Cariacica

Janeiro/2013

Tel  27    3236-­‐6799 site:kiefermodamasculina.com.br


REVISTA  VITÓRIA,  A  VITRINE  PARA  O   SEU  PRODUTO,  NEGÓCIO  OU  SERVIÇO.  

Ligue e anuncie:

(27) 3198-0850



Revista Vitória - Janeiro 2013