Page 1

Fundado em 02 de março de 1913

Órgão de Comunicação da Arquidiocese de Maceió

Maceió, 19/04/2013 a 03/05/2013

ANO 100 - N° 18.275

CASA  DE  RANQUINES

Participe do Projeto

20 13

Páginas

10 e 11

19 13

SE A CASA FECHAR, OS MORADORES DE RUA VÃO PERDER ESSE PONTO DE APOIO Ir. José Maria

CATEQUESE

ENTREVISTA

CULTURA

Pág.

Pág.

Pág.

15

16

20

A comunidade é fonte, lugar e meta da Catequese

Arquidiocese realiza a 5ª Semana Social Brasileira de 24 a 26 de Abril

Dicionário da Vovó ensina netos a conversarem com os mais velhos


02

19/04 a 03/05/2013

EDITORIAL

ESPAÇO DO LEITOR

É tempo de esperança Divulgação

“Gostei muito do jornal, principalmente das colunas: + Saúde e Cultura. Um jornal colorido com papel de qualidade. Estão de parabéns!” Penha Paróquia de São Judas Tadeu, Feitosa “Adorei! O colorido agradável, mais diversidade de assuntos, aumento de páginas, e, principalmente, mais espaço para as Paróquias.” Eliete Casado - Capela de Nossa Senhora de Fátima, Feitosa

Vivemos tempos difíceis em que a violência bate as portas de nossas casas todos os dias. Mesmo nas trevas, a presença do Cristo ressuscitado surge em atitudes concretas do cotidiano; na figura de irmãos que transformam o Evangelho em Vida. Como o trabalho realizado pela Fraternidade Casa de Ranquines, que mesmo faltando 15 dias para ficar sem o local onde realiza suas atividades com os moradores de rua, mantém firmes a esperança de que nem tudo está perdido. Eles precisam de nossa mobilização; o trabalho não pode terminar. A luz se renova porque novos pastores surgem para cuidar do rebanho e ajudar na construção de uma Igreja cada vez mais orante, missionária e fraterna. Dois diáconos se preparam para o sacerdócio e um novo padre estará em nosso meio. Suas missões? Deixar-se renovar pela misericórdia de Deus, deixar-se amar por Jesus, tornando-os instrumentos desta misericórdia, canais através dos quais, Deus possa irrigar a terra, guardar a criação inteira e fazer florir a justiça e a paz, como pediu o Papa Francisco no domingo de Páscoa ao mundo. Imploremos a Virgem dos Prazeres, Mãe e Mestra dos Sacerdotes, por aqueles chamados pelo Senhor para, a seu exemplo, serem fiéis ao dom e a graça de sua vocação. Sejamos, pois, sustentáculos para aqueles que necessitam de nossa ajuda. A ressurreição de Cristo nos ascende a esperança e impulsiona o cristão a levá-la e realizá-la em todos os lugares.

“Passou a dar mais oportunidades para as Paróquias. A sensação, agora, é de cara de jornal.” Izabel Comunidade de Santa Teresinha, no Joaquim Leão

“Sou leitora do jornal há anos. Estou amando essa nova fase do jornal, diversidade de matérias que nos mostram as atividades de nossa Igreja em Maceió e dicas de livros ou filmes. Digno de nossa linda Arquidiocese! Parabéns a Dom Antônio e equipe!” Sofia Ribeiro - Jardim Petrópolis – Farol “Confesso, que não tinha hábito de ler o jornal. Não era atrativo, minha opinião, porém minha irmã trouxe para casa e eu curiosamente comecei a folhear. Aparência boa, qualidade na impressão e papel, diversidade de matérias e artigos. A edição que fala do centenário me fez descobrir a rica história desse 'guerreiro' O Semeador. Parabéns a todos os que colaboram! Um abraço do mais novo leitor do jornal. Pedro S. Barbosa

Nossa rede social

Portal + O Semeador online

#ArquidiocesedeMaceioAL

@Arquidiocesedemcz

arquidiocesedemaceio

www.arquidiocesedemaceio.org.br

EXPEDIENTE O Jornal O Semeador é uma publicação quinzenal da Arquidiocese de Maceió Fundado a 02 de Março de 1913 Pastoral da Comunicação da Arquidiocese de Maceió Av. Dom Antônio Brandão, 559-A, Farol, CEP 57021-190 - Maceió-AL

Contatos - Redação: Tel.: (82) 3326-5458 semeadorojornal@ibest.com.br

O Semeador ASSINATURAS Em breve, poderão ser feitas assinaturas do Jornal O Semeador. Informações: 3326-5458 ou semeadorojornal@ibest.com.br

Órgão de Comunicação da Arquidiocese de Maceió

DIRETOR-GERAL: Dom Antônio Muniz Fernandes DIRETOR: Pe. Eduardo Tadeu CONSELHO EDITORIAL: Pe. Eduardo Tadeu Pe. Celso Alípio Marcos Filipe Diác. Rodrigo Rios Maria Cícera

COLABORADORES: Dom Antônio Muniz, Dom Edvaldo Amaral, Mons. Rubião Lins, Pe. Manoel Henrique, Pe. Luciano Duarte, Pe. Walfran Fonseca, Pe. Valmir Galdino, Pe. Elison Silva, Rodrigo Pe. Everaldo Filho, Marcos Filipe, Luiz Antônio, Jorge Vieira, Valdenice Cosmo, Pe. Ernesto Amynthas Pastorais sociais, Movimentos leigos. JORNALISTA RESPONSÁVEL: Rodrigo Rios (1037-MTE/AL)

REVISÃO: Zorilda da Cunha Buarque

IMPRESSÃO: 19/04/2013 Gráfica Tribuna Independente

DIAGRAMAÇÃO: Wagner Oliveira

TIRAGEM: 2.300 exemplares


03

19/04 a 03/05/2013

PALAVRA DO PAPA

A paciência misericordiosa A misericórdia de Deus: como é bela esta realidade da fé para a nossa vida! Como é grande e profundo o amor de Deus por nós! É um amor que não falha, que sempre agarra a nossa mão, nos sustenta, levanta e guia. O apóstolo Tomé experimenta precisamente a misericórdia de Deus, que tem um rosto concreto: o de Jesus, de Jesus Ressuscitado. Jesus não abandona Tomé relutante na sua incredulidade; dá-lhe uma semana de tempo, não fecha a porta, espera. E Tomé acaba por reconhecer a sua própria pobreza, a sua pouca fé. “Meu Senhor e meu Deus”: com esta invocação simples, mas cheia de fé, responde à paciência de Jesus. Deixa-se envolver pela misericórdia divina, vê à sua frente, nas feridas das mãos e dos pés, no peito aberto, e readquire a confiança: é um homem novo, já não incrédulo, mas crente. Pedro: por três vezes renega Jesus, precisamente quando Lhe devia estar mais unido; e, quando foi tocado, encontra o olhar de Jesus que, com paciência e sem palavras, lhe diz: “Pedro, não tenhas medo da tua fraqueza, confia em Mim”. E Pedro compreende, sente o olhar amoroso de Jesus e chora... Pensemos nos dois discípulos de Emaús: o rosto triste, passos vazios, sem esperança. Mas Jesus não os abandona: percorre juntamente com eles a estrada. E não só; com paciência, explica as Escrituras que a Si se referiam e pára na casa deles partilhando a refeição. Este é o estilo de Deus: não é impaciente como nós, que muitas vezes queremos tudo e imediatamente, mesmo quando se trata de pessoas. Deus é paciente conosco, porque nos ama; e quem ama compreende, espera, dá confiança, não abandona, não corta as pontes, sabe perdoar. Recordemo-lo na nossa vida de cristãos: Deus sempre espera por nós, mesmo quando nos afastamos! Ele nunca está longe e, se voltarmos para Ele, está pronto a abraçar-nos. Sempre me causa grande impressão a leitura da parábola

do Pai misericordioso. Penso naquele filho mais novo, que estava na casa do Pai, era amado; e, todavia pretendia a sua parte de herança; abandona a casa, gasta tudo, chega ao nível mais baixo, mais distante do Pai; e, quando percebeu seu erro, sente saudades do calor da casa paterna e regressa. E o Pai? Teria ele esquecido o filho? Não, nunca! Está lá, avista-o ao longe, tinha esperado por ele todos os dias, todos os momentos: sempre esteve no seu coração como filho. Com paciência e amor, com esperança e misericórdia, o Pai não tinha cessado um instante sequer de pensar nele, e logo que o vê, ainda longe, corre ao seu encontro e abraça-o com ternura – a ternura de Deus –, sem uma palavra de censura: voltou! Isto é a alegria do pai; naquele abraço ao filho, está toda esta alegria: voltou! Deus sempre espera por nós, não se cansa. Jesus mostra-nos esta paciência misericordiosa de Deus, para sempre reencontrarmos confiança, esperança! Um grande teólogo alemão Romano Guardini dizia que Deus responde à nossa fraqueza com a sua paciência e isto é o motivo da nossa confiança, da nossa esperança ( c f. G l a b e n s e r k e n n t n i s , Wurzburg 1949, p. 28). É uma espécie de diálogo entre a nossa fraqueza e a paciência de Deus – um diálogo, que, se entrarmos nele, nos dá esperança. A paciência de Deus deve encontrar em nós a coragem de regressar a Ele, qualquer que seja o erro, qualquer que seja o pecado na nossa vida. Jesus convida Tomé a meter a mão nas suas chagas das mãos e dos pés e na ferida do peito. Também nós podemos entrar nas chagas de Jesus, podemos tocá-Lo realmente; isto acontece todas as vezes que recebemos, com fé, os Sacramentos. São Bernardo diz numa bela Homilia: “Por estas feridas (de Jesus), posso saborear o mel dos rochedos e o azeite da rocha duríssima (cf. Dt 32, 13), isto é, posso saborear e ver como o Senhor é bom” (Sobre o Cântico dos Cânticos 61, 4). É precisamente nas chagas de Jesus que vivemos seguros, nelas se manifesta o

amor imenso do seu coração. Quantas vezes, no meu ministério pastoral, ouvi repetir: “Padre, tenho muitos pecados”; e o convite que sempre fazia era este: “Não temas, vai ter com Ele, que está a tua espera; Ele resolverá tudo”. Ouvimos tantas propostas do mundo ao nosso r e d o r ; m a s d e i xe m o - n o s conquistar pela proposta de Deus: a proposta d'Ele é uma carícia de amor. Para Deus, não somos números; somos importantes, antes, somos o que Ele tem de mais importante; apesar de pecadores, somos chamados ao seu convívio amoroso. Depois do pecado, Adão sente vergonha, sente-se nu, sente remorso por aquilo que fez; e, todavia Deus não o abandona: se naquele momento começa o exílio longe de Deus, com o pecado, também já existe a promessa do regresso, a possibilidade de regressar a Ele. Imediatamente Deus pergunta: “Adão, onde estás?” Deus procura-o. Jesus ficou nu por nós, tomou sobre Si a vergonha de Adão, da nudez do seu pecado, para lavar o nosso pecado: pelas suas chagas, fomos curados. É precisamente sentindo o meu pecado, olhando o meu pecado que posso ver e encontrar a misericórdia de Deus, o seu amor, e ir até Ele para receber o seu perdão. Na minha vida pessoal, vi muitas vezes o rosto misericordioso de Deus, a sua paciência; vi também em muitas pessoas a coragem de entrar nas chagas de Jesus, dizendoLhe: Senhor, aqui estou, aceita a minha pobreza, esconde nas tuas chagas o meu pecado, lavao com o teu sangue. E sempre vi que Deus o fez: Deus acolheu, consolou, lavou e amou. Amados, deixemo-nos envolver pela misericórdia de Deus; conf iemos na sua paciência, que sempre nos dá tempo. Tenhamos a coragem de voltar para sua casa, habitar nas feridas do seu amor. Sentiremos a sua ternura maravilhosa, sentiremos o seu abraço, e ficaremos mais capazes de misericórdia, paciência, perdão e amor.

PALAVRA DO PASTOR Dom Antônio Muniz Fernandes Arcebispo de Maceió

A Igreja de Maceió em tempo de graça A Igreja de Maceió, durante este mês de abril, esta em festa. Uma festa plena, com a ressurreição de Cristo, e no espirito desta alegria estamos vivendo um momento de colheita do que fora plantado, semeado e regado em nosso seminário que são novos ministros servidores do povo de Deus. Ao ouvir esta voz profética de Jeremias: “Darvos-ei pastores segundo o meu coração” (Jr.3,15). A Igreja de Maceió rejubila-se neste tempo de graça, em poder oferecer mais três novos clérigos para o serviço do povo de Deus. São dois diáconos e um presbítero. No ultimo dia 08, foi ordenado para o serviço da Igreja como Diácono, Juraci Carlos, numa noite de muita alegria na paróquia de Nossa Senhora da Conceição, em Capela. No próximo dia 25, ordenaremos o Diácono Rodrigo Rios, como presbítero, para o serviço do povo santo de Deus. Já no dia 29, na cidade de Coqueiro Seco, na Igreja de Nossa Senhora Mãe dos Homens, ordenaremos o seminarista Marcelo Melo, como Diácono. Como Igreja particular, temos que agradecer a Deus e rezar pedindo ao Senhor que continue enviando operários para a sua messe. Tanto o diácono, como o padre devem servir na caridade a Deus e ao povo que são colocados ao seu cuidado. Deve ser um homem de bem, cheio do Espírito Santo e de sabedoria exercendo também o celibato. Deve mostrar com seus atos e palavras o que irá proclamar através da Palavra de Deus. Assim sendo, precisamos reascender em nossas paróquias, comunidades, pastorais e movimentos a consciência de uma vocação continuada em nossa Igreja. Jesus quando faz um chamado, vai despertando o novo, através de novos apelos e de novas mediações. Manter a chama original e descobrir as novas meditações nos garantem viver de forma dinâmica e criativa a vocação que o Senhor nos deu e nos faz superar o perigo de cairmos em uma rotina. Convoco a todos os diocesanos que continuem a rezar, colaborar e incentivar as vocações em nossa Arquidiocese, pois a cada dia devemos suplicar ao Senhor, que envie novas vocações que façam com que a Igreja de Cristo continue sendo fortalecida e tenha a cada momento anunciadores que possam esmerar-se na condução da missão, desafio a cada dia mais urgente e necessário.


04

19/04 a 03/05/2013

OPINIÃO: ATUALIDADES DA IGREJA

Machismo X Feminismo Dom Edvaldo Gonçalves Amaral Arcebispo emérito de Maceió “Não tenham medo das mulheres” – exclamava com divertida ironia a chilena Dra. Ana Cristina Bettancourt, do setor “Mulher”, da Pontifícia Comissão para os leigos de Roma. O “pedido” foi feito no Curso para Bispos, realizado este ano, no Centro de Estudos do Sumaré, promovido pela Arquidiocese do Rio de Janeiro. Em rápido panorama do feminismo no século XX, ela distinguiu duas ondas. A primeira, dos primeiros anos do 1900, procurava a participação das mulheres na vida política, social e cultural, em pé de igualdade com os homens. O direito ao voto foi uma das batalhas feministas, além do direito à educação superior em igualdade de condição com os homens. Pensar que no Brasil a mulher só começou a ter direito ao voto nas eleições nacionais,

em 24 de fevereiro de 1932, em plena era Vargas e em nossos colégios religiosos nem se cogitava em escola mista até os anos ´70. A segunda onda do feminismo, aí pelos anos ´60, foi a “revolução sexual”, que dizia libertar a mulher da opressão do homem e trouxe sérias consequências na relação entre homens e mulheres, com a difusão e aceitação social dos métodos anticoncepcionais, não-naturais. A fertilidade da mulher passou a ser considerada como “defeito” a ser prevenido e controlado; a sexualidade, simples atividade de lazer ou prazerosa; filhos, pesado fardo a ser deixado “para mais tarde”. Nesses anos, como previra Paulo VI, cresceu a aceitação pacífica do aborto, a prostituição, a pornografia, a crise da família e a falta de compromisso familiar. Métodos anticoncepcionais e abor tivos passaram a gozar plena aceitação, introduzidos em populações mais frágeis e financiados por entidades e g ove r n o s i n t e r n a c i o n a i s , s o b

pretexto de diminuir a pobreza, diminuindo os pobres no mundo. Por trás dessas “ondas” do feminismo podemos afirmar com segurança, concluía a Dra. Ana Cristina, que o século XX mudou profundamente a vida das mulheres e, por consequência, a relação entre homens e mulheres. O machismo que tanto marcou a cultura latino-americana pode ser definido, dizia ela, “como uma superioridade abusiva das prerrogativas masculinas que humilham a mulher e inibem o desenvolvimento de sadias relações familiares”. Em nosso tempo, marcado agora pelo feminismo, às vezes são mais os homens que as mulheres, que se encontram confusos e debilitados em sua identidade sexual. Nos Estados Unidos, disse a palestrante, nos últimos anos mais mulheres que homens receberam títulos profissionais e entraram na lista dos executivos mais bem pagos nas maiores multinacionais. Parece ser

hoje mais difícil educar um rapaz que uma moça. É preciso redescobrir como ensinar a um homem ser seguro de si mesmo. Tanto o machismo como o feminismo – isto é, o exagero da presunção da função do homem e da mulher na sociedade – são nocivos para o homem como para a mulher. Nenhum dos dois ganha nada com isso. A posição correta é: nem homens autoritários, nem mulheres super-poderosas que depreciem e anulem os homens. Ela concluía com interrogações prementes: Estão nossas agentes pastorais preparadas para ensinar ética em nome da Igreja? Por exemplo: resistir às tentativas de introduzir o aborto como direito da mulher? E acrescento eu: as outras tentativas, referentes à limitação da natalidade, fora dos meios naturais, à indissolubilidade do sacramento do Matrimônio, unida à fidelidade matrimonial, com a santidade da vida da família?

FÉ E RAZÃO

Esperança Viva Côn. Walfran Fonseca Pároco de Santo Antônio - Bebedouro As mulheres estão bebendo mais e com mais frequência. Nos últimos seis anos, a proporção das que consomem álcool de maneira excessiva aumentou 24%, passando de 15% para 18,5% das brasileiras. Já entre os homens, o índice dos que admitiam beber uma vez ou mais por semana passou de 56%, em 2006, para 64%, em 2012, crescimento de 14,2%. É o que revela o segundo levantamento nacional de álcool, divulgado pela Unifesp. O problema das drogas e do álcool atinge todas as camadas da sociedade.

A Fazenda da Esperança é um sinal de renovação das pessoas e da sociedade. Acolhe jovens e adultos que desejam libertar-se das drogas e do álcool, mas também aqueles que anseiam descobrir sua vocação. Outro sinal de renovação é o Grupo Esperança Viva (GEV), um grupo de autoajuda, ligado às Fazendas da Esperança. Eles existem em todo o Brasil e em outros 10 países. Hoje são dezenas de GEVs que envolvem milhares de pessoas que se reúnem pelas cidades e querem lá viver e aprofundar a vida e a espiritualidade da Fazenda da Esperança. Quando um jovem deixa a Fazenda onde viveu por

12 meses, e vai viver sua sobriedade na sociedade, precisa de apoio e de um grupo onde possa receber alimento espiritual. Quem se recuperou d a s d r o g a s n a Fa z e n d a , descobriu um novo estilo de vida, baseado na vivência do evangelho e dos valores cristãos. O u t ra s p e s s o a s q u e r e n d o igualmente nutrir-se da mesma espiritualidade e podem frequentar essas reuniões, como familiares, amigos de exinternos e outras que queiram receber esta vida ou ajudar pessoas em dificuldades semelhantes. Viver a Palavra de Deus nos torna humanos e comunicá-la

nos faz divinos. Assim, tanto na Fazenda da Esperança quanto nos Grupos de Esperança Viva busca-se fazer a experiência da escuta da Palavra de Deus no viver e comunicar. É possível ser feliz sem usar drogas e álcool. A resposta ao grande e profundo anseio do c o ra ç ã o h u m a n o é J e s u s ressuscitado. Ele liberta o homem de todas as formas de escravidão e corrige todos os seus defeitos de caráter. A experiência na Fazenda da Esperança à luz da Palavra de Deus é reveladora do melhor no ser humano e da sua transcendência.


05

19/04 a 03/05/2013

OPINIÃO: FÉ E POLÍTICA

Maceió na jornada mundial da juventude Jorge Vieira Jornalista e Prof. do CESMAC O Brasil, país com maior número de católicos do mundo, sediará a Jornada da Juventude no próximo mês de julho, na bela cidade do Rio de Janeiro, evento que terá a visita do papa Francisco. A Arquidiocese de Maceió, tendo à frente dom Antônio Muniz, em conjunto com o clero e seus organismos de pastoral, movimentos e paróquias, está mobilizando a juventude e a sociedade com o objetivo de apoiar e inserir os jovens no processo da evangelização transformadora e no acolhimento de cerca dos cinco mil jovens de outros estados e países que passarão pela cidade de Maceió. A Igreja Católica do Brasil, através da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), com o

Tema da Campanha da Fraternidade de 2913, Fraternidade e Juventude, tendo como Lema Eisme aqui, envia-me (Is 6,8), está refletindo as profundas mudanças que a sociedade moderna vem passando e os grandes desafios que recaem sobre a humanidade, especialmente a juventude, temáticas postas pelo Concílio Vaticano II, na década de 60. Neste contexto, a eleição do papa Francisco sinalizou para a retomada da grande obra, de forma clara e objetiva, produzida pelos padres conciliares. Não têm como não lembrar os grandes debates e reflexões sociológicas, eclesiológicas e teológicas protagonizadas pela envergadura de bispos brasileiros como dom Hélder Câmara, cardeais Aloísio Lorscheider e Paulo Evaristo Arns, sucumbidos por temas intimistas, espiritualistas, individualistas e legalistas, em detrimento da

grande Utopia do Reino de Deus. E, em nível da América Latina, os documentos das Conferências Episcopais de Medellin, Colômbia, e de Puebla, México, com o declarado compromisso evangélico com os marginalizados. Trazer o Concílio Vaticano II para a ordem do dia é pensar na riqueza do documento Ad Gentes, que afirma a verdadeira e essência da natureza da Igreja como missionária. E Gaudium et Spes, colocando os verdadeiros discípulos de Jesus Cristo na caminhada com os sofrimentos e as alegrias do Povo de Deus. É com retomada às fontes da pregação e vida de Jesus Cristo, vivenciadas nas primeiras comunidades e pelos seus discípulos, expressas no Concílio Vaticano II na mais genuína fidelidade ao Mestre. Com esse espírito, a Igreja Católica do Brasil, prepara-se para colher os jovens

do mundo inteiro. E, Maceió, com sua exuberante beleza natural e cultural de sua população, organiza-se para acolher os jovens que por aqui passarem. Identificado com as demandas da sociedade maceioense e, especialmente da Arquidiocese de Maceió, o vereador Sílvio Camelo (PV), propôs à Câmara de Vereadores de Maceió a realização de Sessão Pública, no dia 10 de maio, para discutir a Jornada Mundial da Juventude, com o objetivo de convocar representantes dos órgãos públicos municipais e estaduais, especialmente as Secretaria de Turismo, Transporte, Segurança, donos de hotéis, bares e restaurantes, no sentido se preparem para acolher e atender às necessidades advindas do grande fluxo de jovens que visitarão a capital e o estado de Alagoas.

MARIOLOGIA

A Virgem no coração da Igreja! Mons. Rubião Lins Peixoto Pároco de Nossa Senhora de Lourdes Bem próximo da realização do Concílio Vaticano II, o Cardeal Journet, teólogo, desenvolveu sua obra dogmática em três volumes, sobre a “Igreja do Verbo Encarnado”. Seu estudo coloca a Virgem Maria em amplo espaço teológico. O lugar da Virgem na vida da Igreja encontra-se em três etapas: 1) todos os privilégios da Virgem provêm de sua função que a vincula a Cristo com a estirpe humana; 2) há uma profunda ligação entre a doutrina sobre Maria e a Igreja; 3) finalmente, no desenvolvimento da História da Salvação, Maria representa a Igreja como contemporânea de Cristo. Na

primeira afirmativa, Journet trata de uma linha tradicional, apresentando a Maternidade Divina como privilégio supremo, princípio e causa dos demais privilégios marianos. Entende-se que, sendo Maria a Mãe do Verbo, ela está em função da Redenção. Em seguida, o autor se refere às relações entre Maria e a Igreja. O teólogo Journet diz textualmente: “A Virgem encontra-se na Igreja, sua realização mais alta. Maria é realização mais pura da Igreja.” Na terceira tese, ele afirma que Maria aparece antes de Cristo, contemporânea dos que viviam na esperança do Messias e do reino de Deus. Não se pode separar a Mariologia da Eclesiologia. Toda a Igreja é mariana, pois a Virgem está integrada na Igreja. O teólogo S. M. Meo diz: “Maria em todo o seu mistério e na sua missão não é pessoa que

tenha que considerar-se somente com uma individualidade independente por cima ou fora da Igreja. Na dinâmica e no significado da História da Salvação, Ela aparece intimamente unida com a Igreja, como seu caminho perfeito, inicial e que expressa uma função de cooperação com Jesus Cristo.” A Virgem é o protótipo, o ícone da Igreja. O cardeal Journet usa de um pensamento seu, a meu ver singular: “Maria é na Igreja mais Mãe que a Igreja, mais esposa que a Igreja e, por extensão do pecado original, mais Virgem que a Igreja.” Na fé, no amor e na perfeita união com Jesus Cristo, Maria é o mais eminente membro da Igreja, como afirma o Concílio Vaticano II. O Beato João Paulo II, na sua Encíclica Mãe do Redentor esclareceu-nos que a Mãe de Jesus está no centro da Igreja e em sua

caminhada. No itinerário, do qual fazemos parte, a Virgem nos ampara e nos conforta, sendo Mãe solícita do povo de Deus. Os fiéis não se cansam de invocá-la nas tribulações da vida, “... gemendo e chorando neste vale de lágrimas ...”. O coração imaculado da Virgem acolhe os filhos da Redenção, parece ouvirem ainda o que Jesus dissera na cruz: “Eis tua Mãe” (Jo 19, 27). Na união Maria-Igreja, temos que fazer uma leitura eclesiológica de Maria e outra mariológica da Igreja. Cabe aos teólogos e mariólogos d e s e nvo l ve r t a l t e m á t i c a . N a contemplação dos fiéis do Oriente e do Ocidente, a Virgem Maria é o trono de Deus, a ponte que nos leva a Cristo e intercede por nós que estamos ainda na peregrinação para a casa do Pai! Nela, a Sabedoria habitou, fazendo-a reflexo da beleza divina com ternura!


06

19/04 a 03/05/2013

ARQUIDIOCESE O OLHAR DOS COLABORADORES Novo Diácono da Arquidiocese de Maceió Dilvulgação

Dilvulgação

Encontro com padres do Setor Tabuleiro I PASCOM

Arcebispo ministrou o Rito da Ordenação

No último dia 08 de abril, foi ordenado diácono o seminarista Juraci Carlos dos Santos, pela imposição das mãos e oração consecratória de dom Antônio Muniz, arcebispo metropolitano de Maceió. A Ordenação aconteceu na Igreja de Nossa Senhora da Conceição, na cidade de Capela - Alagoas, onde o então seminarista Carlos exerceu o estágio pastoral. Diversos sacerdotes, diáconos, seminaristas, familiares e amigos do neo-diácono estiveram presentes. O arcebispo ministrou o Rito da Ordenação Diaconal que compõe os seguintes momentos: eleição do candidato ao diaconato; promessa do eleito ao diaconato; súplica litânica; imposição das mãos e oração de ordenação ao diaconato; entrega do Livro dos Evangelhos; e vestição, cujas vestes foram levadas pelos pais do neo-diácono, que foi revestido pelo monsenhor Delfino Barbosa e pelo

Momento da vestição

monsenhor José Augusto. Ao término da Missa, em seu discurso de agradecimento, disse o neo-diácono Carlos: “neste dia a Igreja celebra o Verbo Divino que assume a nossa natureza humana. Com humildade e respeito pedi muito a Virgem Maria para que eu fosse ordenado num dia dedicado a Ela, e assim aconteceu. Sou diácono, sou feliz!”. O neo-diácono fez os devidos agradecimentos a todos quantos colaboraram em seu decurso formativo e disse estar disposto a prestar com solicitude o Ministério Diaconal. A Schola Cantorum do Seminário Arquidiocesano Nossa Senhora da Assunção foi responsável pelos hinos durante a Solene Eucaristia. O neo-diácono recebeu os cumprimentos na Escola Estadual Professora Edite Machado, no Centro de Capela.

Páscoa com as Crianças e Festa da Misericórdia

O Arcebispo Dom Antônio Muniz esteve reunido no último dia 08 de abril, com os padres do setor. Participaram os padres João Neto, Eduardo Tadeu, Elison Silva, Bacilon Monteiro, Salvador Vella, Aloisio Júnior, Antônio Marcos, Marcos Alves. No encontro foram apresentados os trabalhos pastorais das Paróquias e do Setor. Ficou marcado um encontro denominado Dia da Fé, com as 10 Paróquias do Setor, no próximo dia 14 de Julho na Paróquia de São Francisco de Assis, Santos Dumont, para partilha de experiências de evangelização em um grande ato celebrativo.

Juventude realiza encontro missionário Dilvulgação

Páscoa com as Crianças e Festa da Misericórdia A Paróquia de São Francisco de Assis, no Santos Dumont, celebrou Missa de Páscoa, no dia 06/04, com mais de 400 crianças vindas de todas as comunidades paroquial. Após a Santa Missa saíram com os catequistas, padre, acólitos e familiares em procissão com a imagem do Cristo Ressuscitado pelas ruas do bairro. No final aconteceu um momento de partilha com a distribuição de bombons doados pelos paroquianos. Ainda na noite do dia 06/04, aconteceu o início das comemorações da Festa da Divina Misericórdia. A Vigília da Misericórdia, iniciada às 21h, seguiu até às 7h do dia 07 e foi concluída com a Santa Missa. Após a Missa aconteceu adoração ao Ss. Sacramento até às 17h30, encerrando com a Missa.

A Juventude Missionária da Paróquia São Paulo Apóstolo, no Salvador Lyra, realizou no domingo 07/04, a Gincana de Páscoa. Com o objetivo de mobilizar e evangelizar a juventude e as crianças da comunidade, o evento aconteceu com momentos de louvor, brincadeiras, sorteios de ovos de páscoa, distribuição de brindes entre outros. Parabéns aos Jovens missionários, sempre solidários!

RENOVADORA DE PNEUS “OK” LTDA PNEUS BRIDGESTONE - FIRESTONE - AMORTECEDORES COFAP - ALINHAMENTO -BALANCEAMENTO DE RODAS

COM “OK” TUDO “OK” Av. Pedro Paulino, 454 - Poço Tel.: 2123-8383

Rua Jang. Alagoano, 1351 - Pajuçara Tel.: 3327-7095


07

19/04 a 03/05/2013

ARQUIDIOCESE Casamento Comunitário é realizado no Benedito Bentes I Divulgação

A paróquia de São Maximiliano Kolbe, no Benedito Bentes I, realizou no último dia 6/04, casamento comunitário de sete casais que desejavam receber o Sacramento do Matrimônio. Os noivos foram preparados pela Pastoral Familiar que durante quatro encontros trabalharam os temas: Sacramento do Matrimônio, Exame de Consciência – Testemunho da Vida conjugal, Os efeitos do Sacramento do Matrimônio e a Celebração do Matrimônio. Durante a formação outros casais falavam de sua experiência, ocorrida a meditação do terço e louvor. Para o casal coordenador, Leda e Enaldo, mais uma vez a Pastoral Familiar cumpriu o seu papel. “Essas famílias nos procuraram e nossa missão é orientá-las e ajudar neste caminho”, disse Leda. Durante os encontros, uma das noivas, Betânia, partilhou da importância dos encontros. “Agora tenho outra visão do que é ser família e a sua importância em nossa vida”, relatou.

Juventude Missionária de Alagoas Realiza 5º ELJUMI Divulgação

Participante do encontro

A Juventude Missionária de Alagoas realizou neste final de semana, dias 12, 13 e 14 o 5º ELJUMI (Encontro de Líderes da Juventude Missionária), na cidade de Arapiraca. O encontro tem como objetivo formar jovens missionários mais aprofundado em suas missões e em seus conhecimentos, o nível tratado nesse encontro foi o de nível 3, com o tema "Juventude em M i s s ã o ". O e n c o n t r o f o i organizado pela Juventude Missionária da Diocese de Penedo, e a formação foi regida pelo Padre Marcelo Galberto, Secretário Nacional da Juventude Missionária. Além da formação os jovens missionários puderam participar de momentos de Louvor, Espiritualidade, Noite Cultural conhecendo a Cidade de Arapiraca, a realização do Terço Missionário e as Missas celebradas pelo Padre Marcelo Galberto. Deixamos aqui o nosso parabéns a essa Juventude comprometida com a missão e evangelização dos povos! Jovens missionários, sempre solidários!

Marmogram Indústrica e Comércio Ltda Av. Menino Marcelo, 6682 Serraria - Via expressa, Km 4,5 Cep. 57083-410 - Maceió - AL Telefax: (82) 3216-1040 Site: www.marmogram.com Email: marmogran@uol.com.br

Festival da Torta e Missa na Igreja Nossa Senhora da Assunção Divulgação

A Comunidade esteve presente

Paróquia Nosso Senhor do Bonfim realizou na tarde do sábado, 06/04, às 16h, o Festival da Torta, como objetivo principal para arrecadação de fundos para o XI Encontro de Jovens com Cristo - EJC. O evento contou com o entusiasmo e empenho de jovens paroquianos da comunidade do Poço. Simultaneamente às 18h, houve a celebração da Santa Missa na Ig r e j a N o s s a S e n h o r a d a Assunção, ministrada pelo Padre Márcio.

Feira da Fraternidade na Arquidiocese de Maceió

A Arquidiocese de Maceió segue com seu o trabalho de promoção social. Todos anos, durante a Feira da Fraternidade, a Igreja de Maceió leva os cristãos a realizarem um gesto de partilha fraterna. O movimento é liderado por senhoras generosas e cristãs, que estão adquirindo roupas, sapatos, utensílios domésticos, brinquedos para crianças e, sobretudo, gêneros alimentícios, que são vendidos, em barracas orga-nizadas, por um preço acessível, aos irmãos necessitados. O resultado financeiro da Feira será revertido para a manutenção e promoção das atividades pastorais e obras sociais da Arquidiocese. A Igreja de Maceió continua aguardando a contri-buição dos cristãos generosos, que devem continuar entregando suas ofertas na Secretaria da Igreja Catedral, das 9h às 12h e das 15h às 18h. A Feira da Fraternidade vai ser realizada no Ginásio Jorge Assunção, nos dias 08, 09 e 10 de Maio, começando às 10h, dia 08 de maio.

Em maio

Pentecostes 19 DE MAIO DE 2013 Tema:

“Ide, pois, fazer discípulos entre todas as nações!” (Mt 28, 19)

Divulgação

Pregadores: Pe. Antônio Júnior Bacilon Monteiro

Ginásio do SESI - Trapiche Das 8 às 18 horas Entrada Franca! Realização:

Arquidiocese de Maceió Igreja Orante, Missionária e Samaritana

Ginásio Jorge Assunção

Grupo Salettur Santuários Marianos - 12 dias / Novembro 2013 1º dia - Recife / Lisboa 2º dia - Lisboa / Fátima 3º dia - Fátima 4º dia - Fátima / Santiago de Compostela 5º dia - Santiago de Compostela / Gijón 6º dia - Dijón / Lourdes

Tel.: (82) 9974-7410 (82) 8814-1214 (82) 3326-9800

Direção Espiritual: 6º dia - Gijón / Lourdes Pe. Manuel Francelino 7º dia - Lourdes 8º dia - Lourdes / Tours 9º dia - Tours / Lisieux / Paris Forma de pagamento: 10º dia - Paris cheque / boleto/ cartão de crédito 11º dia - Paris 12º dia - Paris / Recife salettur@hotmail.com


08

19/04 a 03/05/2013

GERAL 400 milhões de crianças escravizadas no mundo Divulgação

crianças trabalhadoras de todo o mundo. No Brasil, pequenos escravos são empregados na produção do carvão utilizado para a fabricação do aço utilizado em automóveis e peças mecânicas.

Peça musical do Papa Wojtyla estará na JMJ Divulgação

O Dia 16 de abril foi lembrado como Dia Mundial de combate a Escravidão Infantil, em meninos e meninas menores de 18 anos, que desempenham atividades econômicas de produção, o que afeta o seu desenvolvimento pessoal ou têm seus direitos violados. Atualmente 400 milhões de crianças, segundo dados de organizações humanitárias, representam mais de 10% do potencial de mão-de-obra no mundo. Estes pequenos escravos geram cerca de 13 milhões de euros anuais ao Produto Interno Bruto mundial. A Confederação Espanhola de Religiosos (Confer) elaborou um mapa das localidades do mundo onde o fenômeno é mais frequente. Empresas multinacionais que produzem desde automóveis e roupas até bebidas e tênis. São meninos e meninas nos países pobres que possuem subcontratos para diminuir o preço da mercadoria que é vendida. “As bananas que comemos ou o café que bebemos podem ter sido produzidos com o suor de crianças latino-americanas ou africanas”, resalta o relatório dos bispos. No dia de hoje, a proposta é lutar pela abolição total da escravidão infantil e contra o desemprego e a precariedade do trabalho imposto aos adultos. A escolha do dia 16 de abril como Dia Mundial contra a Escravidão Infantil não é casual. Nesta data, em 1995, Iqbal Masih, um menino de 12 anos, foi assassinado pela máfia têxtil do Paquistão porque denunciou explorações. Ele foi vendido como escravo aos quatro anos de idade, por 12 dólares, pelo próprio pai. Ao fugir da fábrica de tapetes onde trabalhava, tornou-se porta-voz do drama das

atividade preparatória para a Jornada Mundial da Juventude, de 14 a 16 de junho, no Teatro do Via Sul Shopping. Esta montagem teve sua estreia em maio de 2012, no Teatro Tuca em São Paulo, e atingiu um público de cerca de mil espectadores. A Dramaturgia é de Elísio Lopes Jr., autor baiano, com vasta experiência em teatro e TV; a Direção Artística é de Roberto Lage, prestigiado encenador paulista e a Direção Geral de Jô Santana. O elenco conta com 26 atores-cantores e 10 músicos, e é protagonizado pela atriz Claudia Ohana.

Papa celebra missa e lembra o aniversário de Bento XVI Divulgação

O musical “Enlace – A Loja do Ourives”, uma adaptação de uma peça escrita pelo Papa João Paulo II, faz parte da programação da Jornada Mundial da Juventude Rio2013, através do Festival da Juventude. A peça terá sua estreia no Rio de Janeiro no dia 4 de julho e segue em cartaz até o dia 28 de julho. Porém, na semana do evento, as apresentações serão especiais com algumas vagas abertas gratuitamente aos peregrinos da JMJ. Escrito em 1960, quando Karol Wojtyla ainda era Bispo de Cracóvia, na Polônia, o texto revela o lado artístico do Beato João Paulo II, que na sua juventude foi ator, e teve uma forte ligação com o teatro. Na época, ele tinha 40 anos de idade. O texto já foi publicado em livro no Brasil. Além da temática religiosa e alcançando uma reflexão existencial, o tema da peça é o amor entre o homem e a mulher, nas suas mais variadas formas e intensidades, com seus encantos e desencantos, união e separação, esperanças e medos. Trata-se de um drama bem humorado e musical, que mescla três tramas românticas, com lirismo e beleza, passando por momentos fundamentais da história da humanidade no último século, vividos em Polônia romanceada entre os anos de 1939 e 1989. “Enlace – A Loja do Ourives” também será apresentada em Fortaleza como

Bispos do Brasil reunidos na 51ª Assembleia Geral Divulgação

Na última terça-feira, 16, Bento XVI completou 86 anos e o Papa Francisco o lembrou no início da missa celebrada em sua residência, na Casa Santa Marta. “Oferecemos-lhe a Missa, para que o Senhor esteja com ele, o conforte e lhe dê muito consolo”. Na homilia, o comentário da primeira leitura do dia: o martírio de Santo Estevão, que antes de ser lapidado anunciou a Ressurreição de Cristo e advertiu para a resistência ao Espírito Santo. O Papa repetiu que mesmo no meio de nós, ainda existe esta resistência. “Ao que parece, hoje o Espírito Santo nos incomoda, porque nos incentiva, empurra a Igreja para que vá adiante. E nós queremos que ele adormeça, queremos domesticá-lo, e isto não é bom porque Ele é Deus e é a força que nos consola, a força para prosseguirmos. Mas seguir avante dificulta... a comodidade é melhor!”. “Hoje – prosseguiu o Papa – aparentemente estamos todos contentes com a presença do Espírito Santo, mas não é assim. Por exemplo, vamos pensar no Concílio: “O Concílio foi uma linda obra

Uma fonte nobre

de saúde Empresa Amiga da Pastoral da Pessoa Idosa

do Espírito Santo. Pensamos no Papa João XXIII: um pároco bom, obediente ao Espírito Santo. Mas depois de 50 anos, fizemos tudo o que o Espírito Santo nos disse no Concílio? Não. Comemoramos este aniversário, erguemos um monumento, mas desde que não incomode. Nós não queremos mudar, e o pior: alguns querem voltar atrás. Isto é ser teimoso, significa querer domesticar o Espírito Santo; ser tolo, de coração lento”. Francisco ressaltou que o mesmo acontece em nossas vidas pessoais e exortou: “Não oponhamos resistência ao Espírito. É Ele que nos liber ta. Caminhemos na estrada da docilidade do Espírito Santo, no caminho da santidade da Igreja!”.

Rua Projetada 1138, nº 60, Antares Serraria - Maceió-AL. Tel: 3328-3155 email: aguaaldebaran@hotmail.com

Trezentos e sessenta (arce)bispos participaram da 51ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil, em Aparecida do NorteSP, de 10 a 19/04, no Centro de Convenções do Santuário Nacional. As missas foram celebradas no Altar central da Basílica e os bispos ficaram hospedados no Hotel Rainha do Brasil. Durante os dias de atividades, além do tema central, “comunidade de comunidades: uma nova paróquia”, outros temas foram discutidos: a situação das paróquias católicas em todo o Brasil, a continuação dos trabalhos de tradução do Missal, Diretório de Comunicação, a questão agrária, comissão para os bispos eméritos, Campanha da Fraternidade em 2014, a falta de água em regiões do Brasil, os afros descendentes, os quilombolas e a JMJ Rio 2013. A Assembleia teve a cobertura da imprensa católica que transmitiu as celebrações e entrevistas coletivas realizadas todas as tardes com três bispos. Fonte: CNBB

Restaurações de Imagens

Benedita S.A.Silva Consertos Pinturas e Restaurações de Imagens

Aceito chamado para o interior Rua Dr. Baltazar de Mendonça, 44 - Levada - Maceió/AL Fones: (82)3221-4363/3336-4026/3221-7208


09

19/04 a 03/05/2013 COMENTANDO O EVANGELHO DOMINICAL

IV Domingo da Páscoa 21 de abril A liturgia deste domingo quer-nos apontar um Jesus que é Cordeiro Imolado e Pastor da humanidade. Para isso, ela procura nos indicar o ápice da ação amorosa do Ressuscitado para com os que o seguem: tanto quanto depender do Bom Pastor, todos nós alcançaremos a salvação. “A s m i n h a s o v e l h a s escutam a minha voz, eu as conheço e elas me seguem. Eu dou-lhes vida eterna e elas jamais se perderão. E ninguém vai arrancá-las de minha mão” (Jo 10,27-28). O pastor é aquele que vai à frente do rebanho para indicar o caminho que leva às verdes pastagens e às nascentes de águas: a salvação. De fato, somos nós – quando agimos com justiça, fraternidade, solidariedade, sinceridade – as ovelhas do único e verdadeiro pastor, Cristo Jesus Ressuscitado. A primeira leitura retirada dos Atos dos Apóstolos chamanos a atenção para universalidade da salvação que nos é dada por Jesus, Cordeiro Imolado. Sem dúvida, Jesus nos dá a salvação a todos – baseando para isso somente na fé – e com sua Cruz e Ressurreição demonstra como toda destruição das barreiras nacionais ou raciais entra no plano de salvação de Deus. A leitura do livro do Apocalipse de São João nos apresenta – assim como o

Evangelho – a imagem do Senhor Ressuscitado como Cordeiro. Destacam-se dois aspectos: a universalidade da salvação acentuada no versículo nove e o meio de obtê-la no versículo catorze – a tribulação e ato de entregar a vida como Jesus. Peçamos ao Bom Pastor que nos conduza à felicidade eterna dos que vivem com Deus. Roguemos a Ele para que continuemos unidos no caminho que nos guia às verdes pastagens e às águas da vida eterna. Assim seja.

V Domingo de Páscoa 28 de abril A liturgia deste domingo tem como tema central a fé no Ressuscitado que nos leva a experimentar o amor generoso. Amor que nos conduz à glória da J e r u s a l é m C e l e s t e . To d o caminho da nossa existência é um pertencer a Jesus que nos ama incondicionalmente. Sem dúvida, esse caminho nos levará ao céu. O texto dos Atos dos Apóstolos nos faz compreender os caminhos da fé. Provada no sofrimento, a fé a que se refere a Sagrada Escritura exige sempre firmeza e coragem. Ela é sustentada na oração e no jejum e nos impulsiona para a missão. É por meio dessa mesma fé que nos tornamos testemunhas do Ressuscitado. Como testemunhas, somos impelidos a cada momento a anunciar a Palavra – “contaram tudo o que Deus fizera” (At 14,27b). No Evangelho de João, Jesus – pouco antes de voltar ao Pai – deixa-nos o mandamento do

Instituto

daVISÃO O hospital dos seus olhos.

LITURGIA DIÁRIA 19/04/2013 (Sexta-feira) 1ª leitura - At 9,1-20 Salmo - Sl 117 (116) Evangelho - Jo 6,52-59

01/05/2013 (Quarta-feira) São José Operário 1ª leitura - At 15,1-6 Salmo - Sl 122 (121) Evangelho - Jo 15,1-8 Cor litúrgica: branca

amor. “Eu vos dou um novo mandamento: amai-vos uns aos outros. Como eu vos amei, assim também vós deveis amarvos uns aos outros. Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros” (Jo 13,34-35). De fato, a força transformadora de todo cristão é o amor. Esse mesmo amor torna autêntico e frutuoso o nosso viver como continuidade da presença de Jesus do qual somos testemunhas. Por causa desse amor – amor de cruz e vencedor da morte – é que nós somos glorificados. Na segunda leitura, o Apocalipse de São João nos faz enxergar mais do que os nossos olhos podem ver. Quer-nos levar a contemplar o céu como meta e destino dos que perseveram na fé. Com efeito, esse mesmo céu é – para nós que cremos no Ressuscitado – a felicidade plena junto de Deus. “Deus vai morar no meio deles”. Dor e morte, sofrimento e lágrima não mais existirão. Tudo será novo, tudo já se passou e o Cordeiro fará novas todas as coisas. É nisto que acreditamos: que caminhamos para um encontro verdadeiro e definitivo com o Senhor. Peçamos àquele que nos amou até o fim para que sejamos no mundo sinal da sua presença e para que um dia possamos contemplá-lo face-aface na glória da Jerusalém Celeste. Assim seja.

28/04/2013 V Domingo da Páscoa 1ª leitura - At 14,21b-27 Salmo - Sl 145 (144) 2ª leitura - Ap 21,1-5a Evangelho - Jo 13,31-33a.34-35 Nesta semana: branco, salmos da 1ª semana

Pe. Elison Silva Professor de Teologia e Filosofia

29/04/2013 (Segunda-feira) 1ª leitura - At 14,5-18 Salmo - Sl 115 (113b) Evangelho - Jo 14,21-26

Cirurgia de Catarata com alta tecnologia

20/04/2013 (Sábado) 1ª leitura - At 9,31-42 Salmo - Sl 116b (115) Evangelho - Jo 6,60-69 21/04/2013 III Domingo da Páscoa 1ª leitura - At 13,14.43-52 Salmo - Sl 100 (99) 2ª leitura - Ap 7,9.14b-17 Evangelho - Jo 10,27-30 Nesta semana: branco, salmos da 4ª semana 22/04/2013 (Segunda-feira) 1ª leitura - At 11,1-18 Salmo - Sl 42 (41) Evangelho - Jo 1,1-10

03/05/2013 (Sexta-feira) Filipe e Tiago, Apóstolos 1ª leitura - 1Cor 15,1-8 Salmo - Sl 19a (18) Evangelho - Jo 14,6-14 Cor litúrgica: vermelha 04/05/2013 (Sábado) 1ª leitura - At 16,1-10 Salmo - Sl 100 (99) Evangelho - Jo 15,18-21

23/04/2013 (Terça-feira) São Jorge 1ª leitura - At 11,19-26 Salmo - Sl 87 (86) Evangelho - Jo 10,22-30

05/05/2013 VI Domingo da Páscoa Dia Mundial das Comunicações 1ª leitura - At 15,1-2.22-29 Salmo - Sl 67 (66) 2ª leitura - Ap 21,10-14.22-23 Evangelho - Jo 17,2-26 Nesta semana: branco, salmos da 2ª semana

24/04/2013 (Quarta-feira) 1ª leitura - At 12,24-13,5a Salmo - Sl 67 (66) Evangelho - Jo12,44-50 25/04/2013 (Quinta-feira) Marcos, evangelista 1ª leitura - 1Pd 5,5b-14 Salmo - Sl 89 (88) Evangelho - Mc 16,15-20 Cor litúrgica: vermelha

06/05/2013 (Segunda-feira) 1ª leitura - At 16,11-15 Salmo - Sl 149 Evangelho - Jo 15,26-16,4a 07/05/2013 (Terça-feira) 1ª leitura - At 16,22-34 Salmo - Sl 138 (137) Evangelho - Jo 16,5-11

26/04/2013 (Sexta-feira) 1ª leitura - At 13,26-33 Salmo - Sl 2 Evangelho - Jo 14,1-6

08/05/2013 (Quarta-feira) 1ª leitura - At 17,15.22-18,1 Salmo - Sl 148 Evangelho - Jo 16,12-15

27/04/2013 (Sábado) 1ª leitura - At 13,44-52 Salmo - Sl 98 (97) Evangelho - Jo 14,7-14

30/04/2013 (Terça-feira) 1ª leitura - At 14,19-28 Salmo - Sl 145 (144) Evangelho - Jo 14,27-31a

02/05/2013 (Quinta-feira) Santo Atanásio 1ª leitura - At 15,7-21 Salmo - Sl 96 (95) Evangelho - Jo 15,9-11 Cor litúrgica: branca

09/05/2013 (Quinta-feira) 1ª leitura - At 18,1-8 Salmo - Sl 98 (97) Evangelho - Jo 16,16-20 10/05/2013 (Sexta-feira) São Josimo Moraes Tavares, mártir, Maranhão, 1986 1ª leitura - At 18,9-18 Salmo - Sl 47 (46) Evangelho - Jo 14,1-6 11/05/2013 (Sábado) 1ª leitura - At 18,23-28 Salmo - Sl 47 (48) Evangelho - Jo 16,23b-28

Açúcar Coruripe O Açúcar da Família Alagoana

Consultas e Exames Oftalmológicos

www.institutodavisao-al.com.br Av. Santa Rita de Cássia, 239, Farol Fone: 2121-6868

Açúcar e Álcool


10

19/04 a 03/05/2013

FRATERNIDADE CASA DE RANQUINES

Campanha para compra de Prazo para adquirir imóvel

Irmão Jose Maria Coordenador do Projeto Divulgação Fraternidade Raquines

Diariamente às 5h30, os irmãos da Fraternidade Casa de Ranquines, localizada ao lado da Catedral Metropolitana de Maceió, acordam , realizam as suas orações e uma hora depois começam a servir o café da manhã para os moradores de rua. Por dia, são oferecidas 200 refeições, incluídos o almoço e o jantar; mas o trabalho está ameaçado. Os proprietários do local pediram a residência até o dia 04 de maio e correndo contra o tempo, a fraternidade tenta conseguir o dinheiro para comprar a casa. “Hoje em Maceió existem 337 pessoas morando na rua. Dentre elas, 80% são homens, 10% mulheres, 5% crianças e 5% idosos...” De acordo com Irmão José, o trabalho da fraternidade iniciou em 2005 no Benedito Bentes I, onde o grupo realizava ações semelhantes às que fazem no Centro. “Com a vinda de Dom Antonio Muniz para Maceió, surgiu o convite para ampliarmos o trabalho”, explicou. As ações que começaram em 2011 eram feitas nas ruas com a distribuição de sopa. “Vimos que muitos só tinham a roupa que estavam vestindo, tomavam banho na praia e só comiam aquela vez ao dia”, continuou o irmão. O trabalho na residência vai além do assistencial. “Sentamos com eles

Casa do projeto na Ladeira da Catedral

durante as refeições e conversamos sobre a vida e como chegaram àquela situação. A partir daí começamos o serviço de Evangelização”. Irmão José destacou a importância da inserção social. “Cerca de 95% dos moradores de rua são usuários de droga, então realizamos o encaminhamento para comunidades terapêuticas” e completou “Existem casos específicos e devemos trabalhar individualmente”. Ele contou casos de pessoas que eram de outros estados e vieram a Alagoas em busca de emprego. “Procuramos os órgãos competentes para saber qual a melhor forma daquele morador retornar a sua casa”. Da mesma forma ocorre com idosos. “Não somos um abrigo, mas uma casa de apoio. Mas encontramos velhinhos que estão em situações desumanas e acolhemos na residência”. Atualmente cinco se encontram na casa. Os irmãos também realizam primeiros socorros

com os moradores. “Durante a madrugada eles aparecem feridos de acidente ou brigas e realizamos o curativo, quando o caso é grave levamos para uma unidade de saúde”. Segundo ele, o trabalho é delicado e precisa “Quando terminam de comer, eles mesmos fazem questão de lavar os pratos e talheres que usaram e alguns ajudam na limpeza da casa”.

a t e n ç ã o . “A l g u n s s e reabilitam e tentam voltar para suas casas, mas as famílias não querem”. O irmão destacou exemplos de moradores que mudaram suas vidas. “Nesses dois anos tiramos 70 pessoas das ruas de Maceió. Nos exemplos, temos um que hoje é monitor em uma comunidade terapêutica e outro que montou um salão de cabeleireiro”.

Divulgação Fraternidade Raquines

Acolhidos em uma das três refeições diárias, servidas na casa

Hoje em Maceió existem 337 pessoas morando na rua. Dentre elas, 80% são homens, 10% mulheres, 5% crianças e 5% idosos (entre homens e mulheres). Irmão José lembrou que as pessoas não moram na rua porque querem. “Em 99% dos c a s o s a d e s e s t r u t u ra familiar por brigas, abusos, abandono; são fatores que auxiliam nessa decisão”. O espaço físico da casa é divido em três partes. A garagem se transformou em refeitório e com as 40 mesas ee8080 cadeiras, cadeiras, os os

irmãos e voluntários oferecem as refeições. Na parte de cima estão a cozinha, sala de visitas e os quartos dos idosos. Nos fundos estão os cômodos dos irmãos. “Quando terminam de comer, eles mesmos fazem questão de lavar os pratos e talheres que usaram e alguns ajudam na limpeza da casa”. A casa sobrevive exclusivamente de doações. “Além de pessoas físicas, os colégios católicos realizam gincanas para arrecadações de alimentos

Trabalho realizado com ajuda da comunidade e membros engajados


11

19/04 a 03/05/2013

casa de apoio chega à reta final termina no dia 4 de maio Divulgação Fraternidade Raquines

PASCOM

O trabalho pode terminar no dia 4 de maio PASCOM

200 refeições servidas diariamente

Feridos recebem tratamento dos membros da fraternidade

e trazem para nós. A Casa do Pobre também auxilia com alimentos que os idosos não podem comer devido a problemas de saúde”, expôs.

Um trabalho Voluntário PASCOM

Um trabalho Vocacional Divulgação Fraternidade Raquines

Juliana Sofia, voluntária

Membros da Fraternidade

O fundador da casa explicou que atualmente 55 jovens estão sendo acompanhados pela equipe vocacional. “Os encontros acontecem durante sete meses e pessoas a partir dos 17 anos podem participar”, detalhou Irmão José. Durante a formação são trabalhados temas que envolvem as vocações da Igreja. Após a escolha do jovem ele passa seis meses de experiência na casa para a sua admissão completa.

Juliana Sofia é formada em Turismo e está como voluntária na casa desde agosto do ano passado. “Senti a necessidade de ajudar de alguma forma as pessoas, foi quando conversei com o Arcebispo e ele me indicou este trabalho”. Ela disse que começou ajudando nas refeições e atualmente colabora nos afazeres domésticos e no cuidado com os idosos. Diagnosticada com depressão. Foi assim que Marize Tavares conheceu o serviço da Casa de Ranquines: “Minha família já havia perdido a espe-

Dedicação e carinho dos membros com os irmãos acolhiodos

rança comigo. Comecei a visitar a casa, conversar com os irmãos e aos poucos fui melhorando, recebendo as palavras de conforto. Como terapia e gratidão estou aqui todos os dias ajudando”. As voluntárias detalharam que chegam às 6h para ajudar no café da manhã e começam os trabalhos para o almoço e j a n t a r. “ C h e g a m o s a terminar tudo próximo à meia noite para deixar tudo pronto para o dia seguinte”, disse Marize. PASCOM

Marize Tavares, colaboradora

“Minha salvação são esses meninos”. João

A história do “Seu João” PASCOM

João, foi acolhido pelo projeto

Com 64 anos o senhor João chegou ao local após ser abandonado duas vezes pela família. “Vivia na casa do meu irmão e após ter tuberculose fui encaminhado ao Hospital Hélvio Auto e quando fui liberado ninguém foi me buscar. Foi quando os meninos apareceram e me acolheram”. Devido à idade, ele não pode se locomover com facilidade, então passa boa parte do dia no quarto assistindo televisão. “Meu divertimento é esse”. E ainda disse: “Minha salvação são esses meninos”.

Em dezembro de 2011 os proprietários da casa pediram a quantia de R$ 250 mil para vender a propriedade. Durante um a n o, o s i r m ã o s conseguiram R$ 50 mil, valor ainda pouco. Com o reajuste de um corretor, em janeiro deste ano, o imóvel foi avaliado em R$ 350 mil. “Eles deram o ultimato final até o dia 04 de maio e estamos correndo contra o tempo”, falou preocupado Irmão José. As contas para doações estão disponíveis no nome de Associação Católica São Vicente de Paulo nos seguintes bancos: Caixa Econômica Federal Agência 0055 Operação 003 Conta-Corrente 3039-7 Banco Bradesco Agência 2145-8 Conta Poupança 10016369-8

contato pelos telefones: 3326-2089/ 8877-2049 e 9635-9034.

Repórter Marcos Filipe Sousa Jornalista


12

19/04 a 03/05/2013

IGREJA EM AÇÃO

Movimento de Cursilho de Cristandade Divulgação

Cursilho Feminino e Cursilho Masculino O Movimento de Cursilho de Maceió, em seu carisma de evangelizar os ambientes, promoverá mais dois encontros em sua sede no Farol. Neste final de semana, de 18 a 21 de abril, acontecerá o Cursilho Feminino e no período de 25 a 28 de abril, o Cursilho Masculino. Informações e inscrições através dos telefones: 9804-4661 e 8868-3683. II Encontro com os familiares dos jovens da Casa Dom Bosco O Movimento de Cursilho de Maceió realizará em sua sede no Farol, o II Encontro com os familiares dos jovens da Casa Dom Bosco, nos dias 18 e 19 de maio.

enfoque no Método de Ovulação Billings. A formação acontece no Instituto Arquidiocesano da Família, ministrada pelo casal da Pastoral Familiar da Paróquia São Paulo Apóstolo, Thiago e Jô, com vasta experiência na utilização do método. A formação destina-se prioritariamente aos agentes da Pastoral Familiar que trabalham com a preparação para a vida matrimonial e aos agentes do setor pós-matrimônio, no entanto, é aberta para todos os interessados em conhecer e utilizar o método. “Sabemos que muitos casais sentem dificuldade em exercer a paternidade e a maternidade responsáveis, recorrendo muitas vezes a métodos artificiais, e uma formação como esta poderá ajudar em muito aos casais que desejam se valer de um método seguro, sem custos, sem contra indicação e que atende às orientações da Igreja”, afirma Joelma Alves coordenadora da Pastoral Familiar. A formação acontece bimestralmente no Instituto Arquidiocesano da Família, sempre aos sábados e com vagas limitadas aos trinta primeiros inscritos. Para participar basta enviar e-mail para: pastoralfamiliarca@hotmail.com e preencher a ficha de inscrição ou entrar em contato com algum agente da Pastoral Familiar da sua paróquia. É cobrada uma taxa de R$ 15,00 para o casal ou R$ 10,00 individual. Maiores informações, acessar o Blog da Pastoral Familiar: pastoralfamiliaral.blogspot.com.

II Formação em Métodos Naturais - Ovulação Billings

Envie notícias do seu movimento ou pastoral. O nosso email:

A Pastoral Familiar realiza neste sábado, 20 de abril, das 14 às 17 horas, a segunda formação em Métodos Naturais, com

semeadorojornal@ibest.com.br

Telefone: 3326-5458

Pastoral Criança

Pastorais Sociais Divulgação

Líderes da Pastoral da Criança do Distrito Federal participaram no dia 10 de Abril, em Brasília, de mais uma ação do Movimento Saúde +10 que defende mais recursos para a saúde pública brasileira. Com concentração inicial na Catedral, o grupo caminhou até a Câmara dos Deputados. Criado há um ano, o movimento tem como uma de suas ações o projeto de lei de iniciativa popular que garante o repasse efetivo e integral de 10% da receita corrente bruta da União para a saúde pública, alterando a Lei Complementar nº 141 de 13 de janeiro de 2012. O governo federal vem diminuindo os gastos com a saúde pública. Em 1995, o governo federal repassou 11,72% da receita corrente bruta da União à saúde pública. Já em 2011, o percentual repassado foi de 7,3%. O Movimento Saúde + 10 pede que seja garantido o repasse de 10%. Em relação à participação no financiamento da saúde, a contribuição dos estados e municípios vem aumentando, já a participação federal vem diminuindo. Em 1980, a União participava com 75%; em 1991 com 73%; em 2001, a participação da União foi de 56%. E em 2011, o governo federal contribuiu com apenas 47%. O Movimento Saúde +10 precisa reunir esforços da sociedade para atingir 1,5 milhão de assinaturas e assegurar o repasse de 10% para a saúde pública. Esses 10% significam que teremos cerca de 43 bilhões de reais a mais investidos na saúde pública e no fortalecimento do SUS nos estados e municípios. A Pastoral da Criança, através de campanha realizada por seus voluntários em todo o país recolheu cerca de 150 mil assinaturas para o Movimento Saúde +10. Coordenação Nacional da Pastoral da Criança, com informações do Conselho Nacional de Saúde Contatos da coordenação estadual: (82) 3338-1067 e Arquidiocesana: (82) 3367-6563.

31ª Feira da Esperança e da Solidariedade Aconteceu a 31ª Feira da Esperança e da Solidariedade, no dia 06 de Abril, na Igreja de São Gonçalo, no Farol. Ás 6h teve início a Santa Missa, presidida por dom Antônio Muniz, com a presença do padre Rogério Madeiro, coordenador das Pastorais Sociais e do diácono Inaldo Pita. Após a missa foi servido um café da manhã regional, chamado Café Solidário, resultado de doações e foram vendidos convites a R$ 5,00 nos Movimentos, nas Comunidades e no dia entre os participantes, que foram muitos. A responsabilidade foi das Equipes de Nossa Senhora. Estiveram presentes os jovens assistidos pela Casa Dom Bosco que, juntamente com o padre Tito, prestigiaram este ato de fé e de solidariedade. Esta é uma iniciativa da Arquidiocese de Maceió e acontece nos primeiros sábados de cada mês. Em 04 de Maio acontecerá a 32ª Feira que será organizada pelo ECC – Encontro de Casais com Cristo, participe! Confira a agenda e os responsáveis pelos próximos Café Solidário: 04/05 – Encontro de Casais com Cristo 01/06 – Novas Comunidades e Pastoral da Criança 06/07 – Catequese e Vicentinos 03/08 – Pastoral Familiar 14/09 – Oficinas de Oração e Renovação Carismática Católica 05/10 – Pastoral da Pessoa Idosa 09/11 – Setor Juventude 07/12 – Apostolado da Oração


13

19/04 a 03/05/2013

IGREJA EM AÇÃO Pastoral da Pessoa Idosa

NA ARQUIDIOCESE Projeto “A Nota Fiscal Alagoana”

Os Jovens Perguntam Dom José Negri Obra analisa as perguntas frequentes dos jovens coletadas pelo autor em seus contatos com adolescentes de todo país.

Lançamento

Missa dominical dedicada às famílias Catedral de Maceió , às 19h30

Responsáveis: 1ª domingo do mês: Liderança e Animação: Setor Juventude e Movimento

Juventude e Fé Pe. Reginaldo Carreira Juventude e fé é uma amostra do grande dom do Padre Reginaldo Carreira em abordar os assuntos sobre a juventude e as suas conexões com a vida cristã.

Lançamento

Revistas Paulinas: Se você busca informação de qualidade para sua família nas diversas áreas do conhecimento: Família Cristã.

Se você busca matérias atuais que auxiliam na prática do ensino religioso: Diálogo.

Se quer apoio à educação e diversão para as crianças, tendo como base os valores cristãos: Super +.

Familiar Cristão. 2º domingo do mês: Liderança e Animação: Pastoral Familiar e Famílias Novas Focolares. 3º domingo do mês: Liderança e Animação: Equipes de Nossa Senhora e Encontro Matrimonial Mundial. 4º domingo do mês: Liderança e Animação: Encontro de Casais com Cristo e Ministério para as Famílias. 5º domingo, quando houver: Liderança e Animação: Todos os Movimentos, Pastorais e Serviços.

Adquira Produtos da JMJ 2013 na Livraria Paulinas! IDE E FAZEI DISCÍPULOS ENTRE TODAS AS NAÇÕES (MT 28,19) Agenda

Livros

(Crismédio Vieira Costa Neto, coordenador estadual da PPI

2º Encontro Vocacional Acontecerá no domingo, 21 de Abril, o 2º Encontro Vocacional de 2013 para os jovens vocacionados ao Ministério Sacerdotal. O encontro será no Seminário Arquidiocesano, das 8h às 15h, e terá como tema “O sacerdócio na missão da Igreja” (Cf. PO 2 e 3). Os participantes tem que ter idade mínima de 14 anos e apresentar uma carta de apresentação do pároco. Informações pelos fones: 8808-7539 ou 9622-1294

Total Sintonia com você!

A Pastoral da Pessoa Idosa, pensando no grande desafio da sustentabilidade de suas ações sociais, encontrou uma maneira de custear essas ações através do projeto “A Nota Fiscal Alagoana”. “Quando observamos os líderes da Pastoral da Pessoa Idosa em campo, percebemos o quanto de amor e dedicação existe. A cada dia as pessoas de bem se organizam e agem. E é fundamental perceber o quanto somos capazes de concretizar. Somos coração e somos ação!”, relata Crismédio Vieira, coordenador da PPI na Arquidiocese de Maceió. Como participar? É simples. Quando você ou seu familiar estiver efetuando uma compra, informe esses números ao operador de caixa: 07234458000154. Parte do imposto recolhido na Nota Fiscal será destinado à PPI. Abrace esta nobre causa! Maiores informações: www.ppialagoas.org

Semana Missionária na Arquidiocese de Maceió O Setor Juventude da Arquidiocese de Maceió divulgou o calendário e normas pastorais para realização da Semana Missionária, em cada Área Pastoral. A Semana Missionária acontece de 16 a 20/07, baseada em três eixos: experiência de fé, solidária, missionária e cultural. A A r q u i d i o c e s e e s p e ra acolher jovens estrangeiros, em forma de intercâmbio, como preparação para a Jornal Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro. Independente da chegada ou não de jovens estrangeiros, cada área pastoral deve mobilizar e

organizar o seu próprio calendário. O manual pode ser adquirido na Livraria, no valor de R$ 15,00. Confira o calendário geral: Dia 16/07, das 8h30 às 11h30, chegada dos missionários nas paróquias, das 14h às 17h, livre para acomodações, das 19h às 22h, missa de abertura com apresentação dos missionários. Dia 17/07, das 8h30 às 11h30, espiritualidade e apresentação da realidade pastoral, das 14h às 17h, visitas missionárias, das 19h às 22h, missa e noite cultural. Dia 18/07, das 8h30 às 11h30, Missa, conferência e oficinas, das 14h às 17h, visitas missionárias, das 19h às 22h, vigília com adoração. Dia 19/07, das 8h30 às 11h30, leitura orante e partilhas, das 14h às 17h, visitas missionárias, das 19h às 22h, Missa e noite cultural. Dia 20/07, das 8h30 às 11h30, adoração e momento social, das 14h às 17h, Missa de envio. Para saber mais detalhes procurar: Pe. Valmir Galdino (8824-2271), Pe. Marcos Antônio (9981-6490) e Pe. Alex Sandro (8882-7833).

www.paulinas.org.br

Curso: Reconstruindo cidadãos para que possam viver juntos Assessoria: Maria Margarete da Silva, pedagoga e mestranda em Educação Brasileira. Público: Professores bibliotecários, psicólogos, estudantes de Pedagogia e Letras, e interessados. Dias: 04, 11, 18, 25 de maio, das 9h às 12h, no auditório da Paulinas. Temas: A importância da ética na instituição educacional; Convivência Planetária: relação e/ou cuidado com o bem comum; Valores e atitudes: convivência solidária e participação social; Diversidade: como conviver com as diferenças numa sociedade pluralista. Taxa: R$ 20,00 (por módulo)

Rua da Alegria, 71 - Centro, Maceió-AL - Tel.: (82) 3201-6400


14

19/04 a 03/05/2013

DOUTRINA DA IGREJA Os documentos do Concílio Vaticano II

Catecismo da Igreja Católica

A Profissão de Fé

A Igreja, templo do Espírito Santo

O Documento Conciliar Lumem Gentium não trata claramente da Igreja como templo do Espírito Santo. No entanto, ao apresentar a Igreja como povo de Deus e corpo de Cristo, o documento deixa evidente que estas duas realidades são frutos da ação direta do Espírito Santo. A Igreja é Corpo de Cristo porque o Espírito de filiação é derramado pelo próprio Cristo naqueles que Nele creram e foram batizados. O Espírito em nós é a certeza de que Deus permanece conosco (cf. 1 Jo 3,24), operando a nossa participação em Cristo, realizando a nossa configuração àquele que se tornou o modelo da nova humanidade. E, se Deus permanece conosco pelo Espírito que Ele nos Deus, somos templos desse Espírito, somos inabitados por Ele. É o Espírito que forma a Igreja, o novo povo de Deus. Pois, se é Ele que nos une a Cristo pelo Batismo, fazendo-nos participantes da descendência de Abraão, ser povo de Deus é consequência da ação do Espírito. Assim, ser povo de Deus na nova aliança não é mais fruto da lei, mas é fruto do Espírito. No seu Tratado sobre o Espírito Santo, especificamente nas definições sobre o Espírito, São Basílio de Cesareia, deixa claro como se dá esta ação do Espírito na Igreja. Segundo ele, o Espírito é incorpóreo, material e simples. Ou

seja: é o Espírito que nos insere na natureza divina, pois o Espírito por ser incorpóreo, expande-se profundamente em cada batizado, assumindo as suas feições, assumindo a forma da pessoa por ele habitada. Ainda segundo São Basílio o Espírito é a origem da santificação. Pois é Ele que concede ao homem a iluminação necessária para que este passe da racionalidade à e s p i r i t u a l i d a d e . E m o u t ra s palavras: é o Espírito que faz os batizados, que faz a Igreja seguir não a lógica mundana, mas a lógica de Deus, que se manifesta da cruz de Cristo. O Espírito Santo, ainda segundo são Basílio, comunica a graça suficiente a cada batizado. Cada cristão é templo do Espírito Santo, a Igreja toda é templo do Espírito. Mas ele comunica sua graça de acordo com a abertura de cada um. O Espírito não age numa medida única, a medida é a conversão à sua graça, à sua ação. A Igreja é templo do Espírito. Não devemos, portanto, opor-se a sua ação. É Ele a vida da Igreja. É dele o novo na vida eclesial. Fechar-se às suas inspirações significa ser menos corpo de Cristo, e, consequentemente, menos povo de Deus.

Pe. José Luciano Duarte Psicólogo

Vemos ao estudar o Catecismo da Igreja, o quanto nossa Fé deve ser reanimada quando entendemos a certeza da nossa vida cristã. Quem diz “creio”, na verdade diz, “dou minha adesão àquilo em que nós cremos”. A comunhão na fé precisa de uma linguagem comum da fé, normativa para todos e que una na mesma confissão de fé. Desde a origem, a Igreja apostólica exprimiu e transmitiu sua própria fé em fórmulas breves e normativas para todos. Mas já muito cedo a Igreja quis também recolher o essencial de sua fé em resumos orgânicos e articulados, destinados sobre-tudo aos candidatos ao Batismo: Esta síntese da fé não foi elaborada segundo as opiniões humanas, mas da Escritura inteira recolheu-se o que existe de mais importante, para dar, na sua totalidade, a única doutrina da fé . Essas sínteses da fé chamam-se “profissões de fé”, pois resumem a fé que os cristãos professam. Chamam-se “Credo” em razão da primeira palavra com que normalmente começam “Creio”. Denominam-se também “Símbolos da Fé”. A primeira “profissão de fé” é feita por ocasião do Batismo. O “Símbolo da fé “é inicialmente o símbolo batismal. Uma vez que o Batismo é dado “em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo” ( Mt 28,19). As profissões ou símbolos da fé têm sido numerosos ao longo

dos séculos e em resposta às necessidades das diversas épocas, símbolos das diferentes Igrejas apostólicas antigas. Nenhum dos símbolos das diferentes etapas da vida da Igreja pode ser considerado ultrapassado e inútil. Eles nos ajudam a viver e a aprofundar a fé de sempre por meio dos diversos resumos que dela tem sido feitos. Entre todos os símbolos da fé, dois ocupam um lugar particularíssimo na vida da Igreja. O Símbolo dos Apóstolos, assim chamado por ser, com razão, considerado o resumo fiel da fé dos apóstolos. É o antigo símbolo batismal da Igreja de Roma. Sua grande autoridade vem do seguinte fato “Ele é o símbolo guardado pela Igreja Romana, aquela onde Pedro, o primeiro apóstolo, teve sua Sé para onde ele trouxe a comum expressão da fé. O Símbolo denominado niceno-constantinopolitano tem a sua grande autoridade no fato de ser resultado dos dois primeiros Concílios Ecumênicos (Nicéia ano de 325; Constantinopla ano de 381). Ainda hoje ele é comum a todas as Igrejas do Oriente e do Ocidente. Nos estudos seguintes iremos aprofundar nossa reflexão sobre a nossa profissão de fé.

Pe. Eduardo Tadeu Jornalista

3


15

19/04 a 03/05/2013

LITURGIA

Aspectos simbólicos do Tempo Pascal O Ano Litúrgico contempla todos os mistérios da vida de nosso Senhor Jesus Cristo. Para tanto, está subdividido em cinco períodos que são repletos de simbolismos, a saber: Advento, Natal, Tempo Comum, Quaresma e Tempo Pascal. O período que agora a Igreja vive, isto é, o Tempo Pascal, tem seu início no Domingo da Páscoa na Ressurreição do Senhor e seu término no Domingo de Pentecostes, e traz em si nuances simbólicas que expressam, por assim dizer, a glória do Cristo ressuscitado. O primeiro e mais evidente aspecto simbólico é o Círio Pascal, vela destacada que é posta no presbitério durante todo o período da Páscoa. A luz do Círio expressa a luz do Cristo que vence o pecado e a

morte. É possível observar cinco grãos de incenso cravados, em forma de cruz, sobre o mesmo, que recorda as cinco chagas de nosso Senhor, ditas pelo sacerdote no momento da incisão: “por suas santas chagas, suas chagas gloriosas, o Cristo Senhor nos proteja e nos guarde”; além do mais, as letras do alfabeto grego, Alfa e Ômega, simbolizando que Cristo é o princípio e o fim de tudo; e a inscrição do ano em curso, visto que a Cristo pertence o tempo e a eternidade, a glória e o poder pelos séculos sem fim. Eis o porquê de se denominar o ano civil como Ano da Graça de nosso Senhor Jesus Cristo. Outro aspecto simbólico que se pode destacar é o Aleluia entoado nos hinos deste tempo litúrgico. Por quarenta dias, quer dizer, na Quaresma, a Igreja deixa de cantar

o Aleluia, que volta a ser entronizado solenemente na Vigília Pascal e, posteriormente, durante todo o Tempo Pascal. Aleluia quer dizer alegria, júbilo, pois Cristo ressuscitou e é o maior motivo da alegria cristã. Paralelo ao Aleluia, encontram-se os ornamentos de flores no altar, a cor branca das vestes litúrgicas e alfaias, a oração do “Regina Celi” – Rainha do Céu –, tudo para fazer ecoar a alegria da Páscoa da Ressurreição do Senhor. Entretanto, é preciso tomar clara consciência de que nas celebrações do Tempo Pascal, como em todas as celebrações do Ano Litúrgico, tudo converge para o Cristo vitorioso e ressuscitado presente na Sua Igreja. Cristo é Aquele que está presente na assembleia reunida em Seu nome. Ele se apresenta na Palavra proclamada e na Eucaristia

cele-brada. Mistério esse que se recorda em cada Santa Missa e, de modo particular, na Missa dominical, que traz consigo o aspecto simbólico do Dia do Senhor, em que se recorda e atualiza o evento de Sua ressurreição. Por fim, vale dizer que cada realidade simbólica do Tempo Pascal serve para despertar no cristão católico uma maior compreensão dos mistérios da Ressurreição do Senhor e, por conseguinte, um convite a que cada batizado viva a intensidade de sua fé no Cristo que é a razão de ser da liturgia da Igreja em todas as suas faces simbólicas. Luiz Antônio de A. Guimarães Seminarista do 4º ano de Teologia

CATEQUESE Catequese Renovada: A Comunidade lugar da Catequese Estamos celebrando os 30 anos do documento Catequese Renovada (CR). No número passado refletimos sobre a Catequese e a Palavra de Deus, agora trataremos da comunidade como lugar e meta da catequese. O Diretório Nacional de catequese, nos números 51 e 52, afirma que a comunidade é a fonte, lugar e meta da catequese. Na Catequese Renovada afirma: “Como bom comunicador, o catequista não fala sozinho. Ele desperta e provoca a palavra dos

membros da comunidade... Quando catequiza, ele o faz em nome de Deus e da comunidade profética, em comunhão com os pastores da Igreja... ajuda a comunidade a interpretar criticamente os acontecimentos, proporcionando-lhes a reflexão e explicitação da fé...” (CR 145146). Atualmente no processo catequético se fala muito de caminhada, essa expressão nos ajuda a entender o sentido do discipulado, do percurso com Jesus

e deseja mesmo seguir o caminho de Jesus em comunidade. Percebemos que é fundamental que essas pessoas façam uma caminhada inicial como nós próprios fizemos. Catequese é exatamente uma caminhada inicial na fé, que acompanha a iniciação cristã e é organizada pela comunidade cristã. É importante recordar ainda que a comunidade é um espaço de evangelização por excelência, mas este não se reduz a espaço geográfico ou estrutura pastoral,

por isso a comunidade catequizadora deve estar presente e atuante, participando da vida e da prática catequética, o modo de viver e de se relacionar deve ter um jeito de casa acolhedora, tornandose cativante e atraente. E quanto mais o catequista participar da Igreja e viver sua vocação no seio da comunidade tanto mais ele será fiel a sua missão e vocação. Comissão Arquidiocesana de Catequese

Central de Atendimento

(82) 2123-6000


16

19/04 a 03/05/2013

ENTREVISTA

Arquidiocese de Maceió na 5ª Semana Social Brasileira Padre Rogério Madeiro Pereira, coordenador das pastorais Sociais e equipe de campanhas da Arquidiocese

A Semana Social Brasileira é promovida pela Conferência Nacional do Brasil e já se encontra em sua quinta edição. A proposta se estende para as diversas dioceses espalhadas pelo país, que procuram realizá-la unidas ás organizações locais existentes. Na Arquidiocese de Maceió, a Semana Social acontecerá de 24 a 26 deste mês e conta com conferências e um ato público. Para entender mais sobre este evento, O Semeador entrevistou Padre Rogério Madeiro Pereira, pároco da Paróquia Imaculada Conceição de Nossa Senhora, no Jacintinho, Coordenador das Pastorais Sociais e Equipe de Campanhas da Arquidiocese, e o responsável pela 5ª Semana Social realizada em Maceió. Quais os objetivos desta Semana Social Nacional pela CNBB? As Semanas Sociais são parte da ação evangelizadora da Igreja, assim como as Pastorais Sociais, contribuem para intensificar a presença pública da Igreja objetivando a transformação da sociedade. Uma nova Semana Social Brasileira tem como primeira referência a experiência das semanas anteriores, porém não se trata de repeti-las, mas de interagir com a realidade social, discutindo e apontando novos rumos, na perspectiva de uma sociedade fundada na defesa da

vida e na justiça social. A 5ª Semana Social Brasileira tem como objetivo a reflexão sobre o papel do Estado na vida dos brasileiros em uma perspectiva crítica e propositiva, pois participar implica em ter consciência das dificuldades e erros, mas também na coragem de sugerir outros caminhos. Ela deseja refletir sobre a participação dos cristãos nas decisões sobre os rumos da sociedade brasileira, contribuindo de forma eficaz para assegurar a presença da Igreja na construção do bem comum. Seu propósito é reunir e espalhar a “boa nova” que vem sendo construída pelos lutadores e lutadoras do povo brasileiro. Nosso objetivo, aqui em Maceió, é promover um debate com a Igreja e a sociedade alagoana em torno da crise econômica mundial e da conjuntura política e econômica do Brasil e de Alagoas. Quais as suas expectativas para este evento? Minhas expectativas são as mais otimistas possíveis. Primeiro creio que teremos uma grande participação das nossas comu-nidades, movimentos sociais e sociedade civil organizada. Segundo, acredito que a partir da união das diversas forças, como a Igreja Católica, CUT (Central Única dos Tr a b a - l h a d o r e s ) , M S T (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) e MLST (Movimento de Libertação dos Sem Terra), para organizar a 5ª Semana Social Brasileira, iremos dar outros passos, unidos e fortalecidos, na construção de uma sociedade

mais justa e solidária. Nós queremos reunir as organizações sociais e as igrejas para partilhar suas experiências, mobilizando as comunidades eclesiais, movimentos, pastorais e força sociais para refletir sobre as estruturas sociais, políticas e econômicas do Estado brasileiro, firmar propostas e compromissos em prol da prática efetiva da democracia. Como aconteceu a escolha do tema? Qual o seu significado? A ideia central da 5ª Semana Social Brasileira é discutir o “Estado que queremos” ou ainda “Estado, para quê e para quem?”. A escolha deste tema surgiu primeiramente a partir da reflexão feita pela CNBB no Documento 91, ou seja, a Conferência dos Bispos conclamou todos os “brasileiros a realizarem uma profunda e crítica análise das atuais instituições políticas e identificar o que nelas pode ser modificado ou criado de novo, para que o Estado não esteja a serviço dos interesses produtivistas e consumistas, dentro e fora do Brasil, mas esteja efetivamente a serviço do Bem Comum e da dignidade das grandes maiorias nacionais” (Doc. 91, n. 110). Como ela está estruturada? Quais os momentos mais importantes? Em nível nacional a Semana Social começou em agosto de 2011 com seu lançamento durante o Seminário das Pastorais Sociais, em Brasília e se estende até setembro deste

ano quando teremos a Plenária Nacional da 5ª Semana Social Brasileira. Aqui em Maceió a 5ª Semana Social Brasileira acontecerá de 24 a 26 deste mês e terá três momentos importantes: duas conferências e um ato público sobre o papel do Estado. Em todo esse processo de organização da Semana é importante destacar a articulação e a participação das Pastorais Sociais, CUT, MST e MLST na construção deste grande evento onde iremos discutir o “Estado que temos” e quais os fundamentos para “o Estado que queremos”. Qual a programação e quem serão os palestrantes? Por que as escolhas? Na quarta-feira, 24, teremos, no Teatro Marista, às 19h, a palestra: “Do estado que temos, ao Estado que queremos”. Ela será proferida por Frei Betto, religioso dominicano, autor de diversos livros, assessor de Movimentos e Pastorais Sociais, tendo ocupado a função de assessor especial da presidência da República entre 2003 e 2004. Foi coordenador de Mobilização Social do programa Fome Zero. recebeu vários prêmios por sua atuação em prol dos direitos humanos e a favor dos movimentos populares. Na quinta-feira, 25, às 19ho, no Espaço Cultural da UFAL, localizado na Praça Sinimbu, haverá uma mesa-redonda sobre a “Função Social do Estado” e um olhar sobre a “Função Jurídica do Estado”. Estas duas visões do Estado serão apresentadas pelo Professor Sávio Almeida e pelo Desembargador Tutmés Airan.

Na sexta-feira, 26, teremos um grande Ato Público. Como será o Ato Público? O Ato Público iniciará com uma concentração às 14h, na Praça Deodoro, e será o momento culminante da nossa 5ª Semana Social Brasileira, pois neste Ato iremos dizer que “o Estado que temos não é o Estado que queremos”. O Estado desejado por nós tem que promover a Reforma Agrária, precisa investir e cuidar da Educação, da saúde e da segurança. Precisamos de um Estado que promova a dignidade do ser humano. Neste nosso Ato, assim posso chamá-lo, Pastorais Sociais, CUT, MST e MLST farão uma bonita e consciente caminhada pelo centro da cidade. Há outros atos a serem realizados durante este ano? Com certeza haverá outros momentos durante todo este ano onde caminharemos juntos na busca de um Estado que favoreça a vida e a justiça social. Nosso próximo evento será o 19º Grito dos /as Excluídos /as no dia 7 de setembro, quando novamente Pastorais Sociais, CNLB, CRB, CEB's, PJMP, CUT, Sindicatos, MST, MLST e outras forças organizadas de sociedade marcharão unidos com a juventude, pois o tema é: “Juventude que ousa lutar, constrói o projeto Popular”.

Diác. Rodrigo Rios Batista Jornalista

Maceió

(82) 3326-1320 ou 3326-1390 Uma emissora da Rede Milícia Sat


19/04 a 03/05/2013

+ SAÚDE: PSICOLOGIA

DICA DE NUTRIÇÃO

Ansiedade: Pergunta e resposta As minhas amigas estão toda hora dizendo que estou engordando muito e pedem para eu parar de comer tantos doces. Certo dia uma colega que estuda psicologia disse: Mônica, essa sua compulsão é porque você é ansiosa demais. É verdade que ansiedade pode fazer uma pessoa engordar?

A comida é válvula de escape para boa parte das pessoas ansiosas. A relação entre a ansiedade e o consumo excessivo de alimentos é bem simples: comer é prazeroso e pode aliviar a angústia que esteja sentindo. Isto porque a ingestão de alimentos ricos em açúcar produz sensação de bem estar. Só que essa sensação de prazer é falsa e

entra em processo de nervosismo extremo, e é esse tipo de comportamento que faz que não produza nada a seu favor. É importante atentar para o fato de que nem sempre um comportamento sozinho quer dizer que a pessoa seja uma pessoa ansiosa. Um exemplo disto pode ser retirado das pessoas que falam demais. Elas, geralmente, Divulgação

Sim Mônica, é verdade que a ansiedade engorda; você pode até estar comendo pouco, mas o fato de estar a n s i o s a m e xe c o m s e u metabolismo, vindo a provocar um acúmulo de energia e gordura, pois a ansiedade é uma resposta emocional natural a situações estressantes ou desconfortáveis. E para você entender melhor, existem dois tipos de ansiedades: a generalizada e a normal. É o tempo de duração dos sintomas que vai determinar o tipo de ansiedade. Normalmente a ansiedade é desencadeada quando a pessoa entra em contato com situações novas e desconhecidas ou ainda quando a situação tem um grande valor afetivo. O ansioso excessivo tem sintomas constantes como inquietude, sudorese, taquicardia, boca seca, insegurança e dificul-dade de ação. No quadro passageiro, esses sintomas ocorrem quando a pessoa passa por uma situação com que sente dificuldade de lidar. Você já percebeu em que momento você fica mais ansiosa ou é ansiosa o tempo todo?

O ansioso excessivo tem sintomas constantes de insegurança

passageira e o consumo em excesso de alimentos, como você mesmo sabe, pode causar a obesidade. Devorar tudo o que estiver pela frente, porém, não resolve o seu problema e pode te levar a outro: o ganho de peso. É bom saber que a ansiedade estimula o indivíduo a agir, porém, em excesso, faz exatamente o contrário, dificulta as reações de defesa. Quando você pensa em realizar algo que supostamente lhe cause algum desconforto, seus pensamentos só vão processar coisas negativas, assim, você

ouvem o que os outros falam, prestando atenção ao que lhes é perguntado para poderem responder às questões. A pessoa que está ansiosa também pode falar demais, mas não consegue ouvir o que o outro fala. Todos nós temos episódios ocasionais de preocupação. Isso faz parte da vida de qualquer pessoa. A ansiedade é normal. Porém, quando esta ansiedade passa a interferir na capacidade da pessoa de desempenhar ações cotidianas, ela precisa ser tratada. A melhor forma, Mônica, de você combater sua ansiedade

Tel.: (82) 3241-8488

17

é começar a se exercitar, pelo menos realizando caminhadas e, se não for possível, sugiro uma boa leitura, um bom filme, fazer relaxamento respiratório quando necessário e, principalmente, jamais desistir de si mesma. Para se conhecer melhor e obter um diagnóstico preciso e tratamento adequado, o ideal é procurar um profissional de saúde mental, como um psicólogo ou psiquiatra em vez de ficar com psicologismos e opiniões sem base científica. Dependendo do seu quadro, o psiquiatra poderá receitar medicamentos que sejam capazes de trazer alívio dos sintomas, com o mínimo de efeitos colaterais. Acredito, Mônica, que você esteja buscando algo que traga alívio e procurando lhe preencher uma lacuna emocional com a comida, sendo que o ideal é um tratamento psicológico. Aproveitando a ocasião, quero dizer que a Paróquia de Nossa Senhora das Graças no bairro da Levada, oferece de segunda à sexta atendimento psicológico gratuito a toda população; você pode obter mais informações pelo telefone 3022-3725. É bom deixar claro que a ajuda de um profissional e a sua dedicação aumentam a probabilidade na resolução do seu problema. Mas lembre-se que o tratamento profissional não substitui a autoajuda.

Pe. Ernesto Amynthas Psicólogo

Brigadeiro de cenoura Divulgação

Ingredientes para massa

1 cenoura pequena ralada no ralo grosso (100 g). 1 xícara (chá) de água. 1 xícara (chá) - leite em pó. 2 colheres de (sopa) de amido de milho. 1/2 de chá de açúcar. 1 colher de margarina Para cobrir: coco ralado Para untar: margarina. Modo de Preparo: Amasse a cenoura cozida sem sal. Junte a água, o leite em pó, o amido de milho e o açúcar até que todos os ingredientes estejam bem misturados. Transfira para uma panela média, junte a margarina e leve ao fogo baixo, mexendo até aparecer o fundo da panela. Despeje em um prato levemente untado. Deixe esfriar. Com as mãos untadas, faça bolinhas e passe no coco ralado. Você pode substituir a cenoura por igual quantidade de beterraba e o coco ralado por chocolate g ra n u l a d o o u a ç ú c a r cristal. Fonte: Pastoral da Criança


18

19/04 a 03/05/2013

VAI ACONTECER Arquidiocese de Maceió realiza 5ª Semana Social Brasileira

Novo padre será ordenado na Arquidiocese de Maceió PASCOM

Divulgação

Frei Betto, religioso dominicano, assessor de Movimentos e Pastorais Sociais

Arquidiocese de Maceió realizará a 5ª Semana Social em comunhão com a Igreja do Brasil. Desde 1991 a Igreja do Brasil realiza as Semanas Sociais, com temas relevantes para a sociedade brasileira. Nesta quinta edição, o Tema é: “Participação da sociedade no processo de democratização do Estado Brasileiro”, e o lema: “Bem viver: Caminho para uma nova sociedade com o novo Estado”. A Semana Social Brasileira se caracteriza como um evento marcante, oferecendo espaço participativo de discussão e reflexão da realidade social, na perspectiva de buscar alternativas e propor caminhos para a construção de uma sociedade justa e fraterna. A 5ª Semana será realizada de 24 a 26 do abril, iniciando no dia 24 às 19 horas com palestra proferida por *Frei Betto, religioso dominicano, assessor de Movimentos e Pastorais Sociais, no Teatro do Colégio Marista, com o tema: “Do estado que temos, ao Estado que queremos”. No dia 25/04, debate com o Des. Tutmés Airan e Prof. Sávio Almeida, no auditório do Espaço Cultural da UFAL, na Praça Sinimbú, às 19h. Dia 26/04, ato público, na Praça Deodoro, às 14h, com o tema: "O Estado que temos, não é o Estado que queremos".

Através do rito de imposição das mãos e oração consecratória o diácono Rodrigo Rios será ordenado sacerdote para a Arquidiocese de Maceió no dia 25 de abril, às 19h30, na Catedral Metropolitana. A solenidade acontece em uma Concelebração Eucarística presidida pelo arcebispo dom Antônio Muniz. O período de preparação foi de oito anos, compreendendo os cursos de Filosofia e Teologia obrigatórios a todos os candidatos a essa missão. Além disso, o jovem diácono possui formação em Informática e Jornalismo. Sua primeira missa será realizada na Catedral Metropolitana, no dia 26, às 19h30m. Depois irá visitar os lugares por onde passou como seminarista para realizar as celebrações eucarísticas com o povo de Deus. “Estou imensamente feliz. Escolhi como lema: “ofereceivos como hóstia viva” (Rm 12,1). É isto que desejo fazer: ofertar-me. Para sempre”, resaltou o diácono. Mais um diácono será ordenado na Arquidiocese de Maceió Divulgação

Seminarista José Marcelo Melo

Será ordenado diácono da Santa Igreja pela imposição das mãos e oração consecratória do Exmo. e Revmo. Arcebispo Metropolitano de Maceió, Dom Antônio Muniz Fernandes, Ocarm, o seminarista José Marcelo Melo, na Igreja de Nossa Senhora Mãe dos Homens, em Coqueiro Seco-AL. Dia 29 de abril, às 19h30. “Cabe ao diácono, entre outros serviços, assistir o Bispo e os padres na celebração dos divinos mistérios, sobre tudo a Eucaristia, distribuir a Comunhão, assistir ao Matrimônio e abençoá-lo, proclamar o Evangelho e pregar, presidir os funerais e consagrar-se aos diversos serviços da caridade” (CIC 1570).

Durante os dias da festa haverá quermesse no pátio da Matriz.

Trapiche da Barra Com o tema: "São José mostrando a Igreja de Jesus Cristo aos devotos", a paróquia do Trapiche da Barra celebrará, de 22/04 a 01/05, a novena do seu Padroeiro. As missas do novenário serão às 19h30. No dia da festa, às 7h, acontece a corrida tradicional de São José. Às 10h, Missa Solene e às 17h, a comunidade estará reunida, no monumento do Papa, com o Arcebispo para celebração da Santa Missa. À noite haverá um café regional na Matriz. Todos os dias, após as celebrações, noite cultural com apresentações.

Festas de São José Divulgação

Família Dom de Deus reunirá comunidade do Benedito Bentes Divulgação

Fernão Velho O padre Tito Regis e a comunidade paroquial de Fernão Velho convidam os fiéis e paroquianos para celebrarem a festa de seu Padroeiro, São José Operário, de 20/04 a 01/05. Celebrando a festa do padroeiro junto à comemoração do Ano da Fé, às noites de louvor terão temas ligados ao Credo. As Missas serão sempre às 19h. Dom Antônio Muniz celebrará no dia 21/04. No dia da festa, 01/05, a Missa Solene, às 8h, será presidida pelo Pe. Cícero Calado. Procissão às 16h e lampadário de São José às 18h.

Com o tema “Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua família” (At 16,31), a Pastoral Familiar da Paróquia de São Maximiliano Kolbe, no Benedito Bentes I, realiza no dia 05 de maio, o IV Família Dom de Deus. O encontro será realizado das 8h30 às 18h, no salão paroquial da igreja Matriz e contará com as presenças de Padre Ramires, Padre Fernando, o casal Eliomar e Eliane, e o ministério de música Água Viva. A programação contará com M i s s a , L o u v o r, A d o r a ç ã o , palestras e Cantinho da Criança. Mais informações: 3344-1557 e 8715-0621.


19

19/04 a 03/05/2013

VAI ACONTECER Dia Arquidiocesano das Comunicações Sociais PASCOM

II Dia Arquidiocesano das Comunicações Sociais “Redes sociais: portais de verdade e de fé; novos espaços de evangelização”

Pastoral da Comunicação da Arquidiocese de Maceió promove o II encontro arquidiocesano de comunicadores e membros da pastoral para celebrar o Dia Mundial das Comunicações Sociais, celebrado pela Igreja, no dia 12 de Maio, festa da Ascensão do Senhor. O tema deste ano, o 47º é: “Redes Sociais: portais de verdade e de fé; novos espaços de evangelização”. O encontro será realizado no dia 11/05, das 8 às 13h, no Colégio Arquidiocesano (Casa do Pobres), no Vergel do Lago. Na programação, explanação do tema anual, grupos de trabalho abordando os temas: espiritualidade da Pascom, implantação nas paróquias, marketing digital, redes sócias e criação da rede de comunicadores na Arquidiocese. Cada paróquia deve enviar três representantes. O valor da inscrição é de R$ 5,00, e pode ser feita na Cúria Metropolitana, de segunda a sexta, das 8 às 12h, na sala do Jornal O Semeador. Informações: 33265458.

Arquidiocese realiza encontro de Pentecostes Com o tema "Ide e fazei discípulos entre as nações" (Mt 28,19), a Arquidiocese de Maceió celebra no próximo dia 19 de Maio, o encontro de Pentecostes. O evento que está sendo organizado pelos movimentos leigos da arquidiocese, acontecerá no Ginásio do SESI, no bairro do Trapiche, das 8 às 18h, com entrada franca. Os pregadores deste ano serão o Pe. Bacilon Monteiro da paróquia de São João Maria Vianney e Pe. Antônio Júnior da paróquia Nossa Senhora da Conceição, do Passo de Camarabige, interior do estado.

Dois anos de Missas da Misericórdia O Arcebispo de Maceió, Dom Antônio Muniz, presidirá no dia 01/05, no local em que será construído o Santuário da Divina Misericórdia, Missa comemorativa pelos dois anos de celebrações no local. To d o d i a p r i m e i r o, u m sacerdote do setor pastoral Lagoa celebra no local com seus paroquianos e fiéis. O terreno com o monumento construído para o Papa segue em processo de cessão, já que a arquidiocese deseja receber a referida área do governo que é bastante significativa para os católicos.

Transferências na Arquidiocese de Maceió Considerando as necessidades pastorais e o bem espiritual do Povo de Deus das comunidades relacionadas, assim como, dos padres, o Arcebispo de Maceió,

Programa

MOMENTOS 20 ANOS DE

VIDA

EVANGELIZANDO ATRAVÉS DO RÁDIO

Rádio Difusora - 960 AM Domingo - 6h45 às 7h30

Rádio Imaculada Conceição - 1320 AM Segunda a Sexta - 8 às 09h

comunica as seguintes transferências: O Padre Alex Sandro sai da paróquia de Santa Luzia do Norte, na cidade de Santa Luzia do Norte, para a paróquia de Santo Antônio, em Maragogi. O padre Luciano Soares será provisionado como administrador paroquial da paróquia de Santa Luzia do Norte, na cidade de Santa Luzia do Norte. O Padre Hamilton Alves sai da Paróquia de Santo Antônio, em Maragogi, para assumir a paróquia de São Sebastião, no Tabuleiro do Pinto, Rio Largo. Padre José Magalhães deixa a paróquia de São Sebastião, no Tabuleiro do Pinto, Rio Largo, para assumir a paróquia do Sagrado Coração de Jesus, em Cruz das Almas. O frei Duarte será provisionado para a comunidade paroquial de Nossa Senhora Mãe dos Homens, em Coqueiro Seco O Padre Cícero Lenisvaldo sai da paróquia do Sagrado Coração de Jesus, em Cruz das Almas, para assumir a Reitoria Universitária de Santa Teresinha, no Farol, que será criada. O Padre Márcio Manuel sai da vice-reitoria do Seminário para ser vigário da paróquia Divino Espírito Santo, na Jatiúca. Na força do Espírito e na intercessão de Nossa Senhora dos Prazeres, servindo com alegria a Igreja e Povo de Deus. Dom Antônio Muniz Fernandes Arcebispo de Maceió

Festa de Nossa Senhora das Graças Com o Tema: “Feliz Aquela que acreditou” (Lc 1,45), a comunidade paroquial de Nossa

Senhora das Graças, no Santos Dumont, celebrará a festa de sua Padroeira de 01 a 04/05. Durante o tríduo preparatório, recitação do Santo Rosário às 18h e a Santa Missa às 19h30. No encerramento da festa, dia 04, recitação do rosário às 17h e Santa Missa às 18h. Logo após procissão pelas ruas da comunidade. Nas noites haverá quermesse com barracas de comidas e shows musicais com grupos católicos.

Encontro de Noivos Nas paróquias:

Santa Terezinha - Serraria Dias: 27 a 28/04, 13h às 21h e 8h às 13h Secretaria: 3328-6962 Carlos e Claúdia: 3328-3844 Sagrado Coração de Jesus - Cruz das Almas

Dias: 25 a 27/04 Horário: Quinta a Sábado, 19h30 às 22h Secretaria: 3325-7961 Walace e Ana: 3325-1422 Santa Rita - Farol Colégio Madalena Sofia Dias: 06 a 09/05, 19h30 às 22h Secretaria: 3223-2816 Jorge e Irenilda: 3223-2088 Nossa Senhora Lourdes - Gruta Dias: 13 a 16/05, 19h às 22h Secretaria: 3338-1250 Rommel e Margaret: 3338-7648 Nossa Senhora das Dores - Jacintinho Dias: 19 a 21/05, 19h às 21h30 Guido e Eliane: 3320-5258 Nossa Senhora Auxiliadora Eustáquio Gomes Dias: 13 a 16/05, 19h às 22h30 Secretaria: 3322-2782 Marcondes e Núbia: 3322-1842 Santo Antônio - Bebedouro Dias: 18 a 19/05, 18h às 21h30 Secretaria: 3241-7025 Tony e Graça: 8853-8605 / 9306-4680 Nsa. Sra. Conceição - Rio Largo Dias: 18 a 19/05, 18h30 às 22h Secretaria: 3261-1475 São João maria Vianney - Clima Bom Dias: 18 e 19/05, 25 e 26/05 19h às 22h Severino e Aparecida: 9327-3236

Colégio Rosa Mística Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Conj. Osmam Loureiro, Q. C-2, nº 133 CEP 57071-330 - Tab do Martins Fone: 3324-2803 / 3338-2391 - Maceió-AL E-mail: misticarosa@ig.com.br

Formando Cidadãos


20

19/04 a 03/05/2013

CULTURA Dicionário da Vovó ensina netos a conversar com os mais velhos Foto: Marcos Filipe

Marcos Filipe Repórter

Depois de ser questionada diversas vezes pelas netas, a professora aposentada Maria Soares de Souza sentou na frente do computador e resgatou na memória as palavras que escutava da sua mãe e dos mais velhos quando era criança. O resultado do trabalho gerou o Minidicionário da Vovó. Ela explicou que a ideia do livro surgiu depois de perceber que algumas palavras usadas com os netos não eram entendidas. “Comecei a listá-las e colocar os significados ao lado. Depois em algumas conversas com outros amigos fui ampliando o vocabulário e aos poucos o livro foi sendo formado”. A aposentada levou

"Nas viagens eles já não me perguntavam quando falavam alguma palavra estranha, porque já tinham lido nos livros."

Minidiocionário da Vovó

Maria Soares de Sousa, autora do Minidicionário

aproximadamente dois anos em um trabalho de pesquisa e organização do material, lançando a obra na Bienal de 2007. “Nunca pensei que fosse vender tanto”, explicou. A pesquisa em novas palavras continuou e levou a uma segunda edição mais completa em 2009 que traz o cotidiano da sua infância.

Os primeiros testes foram realizados com os netos. “Nas viagens eles já não me perguntavam quando falavam alguma palavra estranha, porque já tinham lido no livro” e continuou: “Outra surpresa que tive foi de um médico geriatra que comprou três exemplares, um para a sogra, outro para a mãe e um para o

DICA DE FILME Filme: Santa Rita de Cássia A vida da santa das causas impossíveis. Direção: Giorgio Capitani Duração: 01h40 Produtora: COMEP - PAULINAS Ano Lançamento: 2005

Saiba mais sobre a vida e os milagres de Santa Rita de Cássia (1386-1457),

Foto: Marcos Filipe

conhecida pelos católicos como a Santa das causas impossíveis. Essa superprodução é o melhor e mais completo filme já feito sobre essa importante personagem da história do Cristianismo. Filmado em belíssimas locações na Itália, sua terra natal, o filme acompanha toda a trajetória de Santa Rita: o casamento na juventude, a morte trágica do esposo e dos filhos, a entrada no convento e sua exemplar vida religiosa. Emocione-se com a história de Santa Rita, uma das mais belas de toda a Cristandade.

seu consultório”. Maria Soares se colocou bastante preocupada com a sociedade atual: “Todos os dias eu rezo por eles e peço que as avós façam a mesma coisa. Sinto que a juventude está cada vez mais distante de nós”. O livro está disponível em todas as livrarias em Maceió e ela ainda deixa a dica: “Netos e avós se divirtam quando lerem juntos e quando ouço esses testemunhos, é uma alegria para mim”.

ANIVERSARIANTES Natalício Abril 21/04 - Pe. Gerson Belo da Silva 27/04 - Pe. Antônio Marco Tenório Cabral 28/04 - Pe. Petrúcio Ramires de Lima 28/04 - Pe. Rogério Madeiro Pereira Maio 01/05 - Pe. Manoel Henrique de M. Santana 07/05 - Pe. Valmir Galdino P. da Silva 11/05 - Pe. Charles Silva Alves 12/05 - Pe. Alex Sandro da Silva 12/05 - Antônio Alves de V. Júnior 12/05 - Cícero Lenisvaldo M. da Silva 15/05 - Pe. Givaldo Fernandes Horas 17/05 - Pe. Paschal Prosper Singarayan

20/05 - Pe. Fernando Antônio B. Silva 22/05 - Pe. Manoel Francelino da Silva 24/05 - Pe. Raul Moreira Filho 24/05 - Pe. Siddartha Thiago C. Vital 25/05 - Pe. Érico Rodrigues de M. Falcão Ordenação Abril 01/04 - Diácono José Maria da Silva - Ano 1990 01/04 - Diácono José Paulo de Oliveira - Ano 1990 16/04 - Pe. Nilton Marques Pereira - Ano 2008 18/04 - Pe. Pascal Prosper Singarayan - Ano 1982 Maio 13/05 - Pe. Iranjunio Leite da Silva - Ano 2005 15/05 - Pe. Márcio Roberto dos Santos - Ano 2003 27/05 - Pe. Rogério Madeiro Pereira - Ano 2006

Jornal O Semeador  

Ano 100 - nº 18.275 Edição Especial Casa de Ranquines Período: 19/04 a 03/05/2013 Órgão de Comunicação da Arquidiocese de Maceió

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you