Issuu on Google+

N° 45 . SET/13

Publicação da Arquidiocese de Belo Horizonte • Ano 4

"Carmita da Catedral"

A história de fiéis que usam a criatividade para ajudar a Campanha Faço Parte


ESPIRITUALIDADE

São Vicente de Paulo São Vicente de Paulo é celebrado especialmente no dia 27 de setembro São Vicente de Paulo é descendente de uma família pobre e muito cristã. Nasceu em Pouy, na França, no dia 24 de abril de 1581. Na infância, foi um simples camponês. Ordenou-se sacerdote aos 19 anos e foi capelão da rainha Margarida de Valois. Todos o admiravam e o respeitavam, mas eram os pobres que mais mereciam sua atenção. Foi nomeado Ministro da Caridade pelo Rei Luis XIII. Assim, organizou na França um trabalho de assistência aos pobres em escala nacional. Quatro instituições voltadas para a caridade foram fundadas por São Vicente de Paulo: “A Confraria das Damas da Caridade”, os “Servos dos Pobres”, a “Congregação dos Padres da Missão”, conhecidos como padres

Oração de São Vicente de Paulo Glorioso São Vicente, celeste padroeiro de todas as associações de caridade e pai de todos os infelizes; alcançai do Senhor socorro para os pobres, auxilio aos enfermos, consolação aos aflitos, proteção aos desamparados, conversão aos pecadores, zelo aos sacerdotes, paz à Igreja, tranquilidade aos povos e a todos Salvação. Amém.

lazaristas, e as “Filhas da Caridade”. Além delas, muitas outras instituições nasceram a partir do trabalho de homens e mulheres inspirados no testemunho de fé de São Vicente de Paulo, perpetuando sua obra de amparo aos pobres. O Santo, que morreu em Paris no dia 27 de setembro de 1660, foi canonizado em 1737. Todos os anos, é especialmente celebrado pela Igreja no dia 27 de setembro.


MENSAGEM DO ARCEBISPO

Amado e amada de Deus, Saúde e paz

Foto: Tião Mourão

Nossa Senhora da Piedade, padroeira de Minas Gerais, é especialmente celebrada no dia 15 de setembro. A Festa da Padroeira é um convite para que todos visitem seu Santuário, no alto da Serra da Piedade, bem pertinho de Belo Horizonte . “Magnífica arquitetura divina”, como bem definiu o saudoso dom João Resende Costa, o Santuário da Padroeira de Minas irradia uma grande força educativa que qualifica mentes e corações na vivência da fé e da caridade. Maria, discípula exemplar, é referência para todos nós no seguimento de Jesus Cristo. Em sua missão, como Mãe do Salvador, mostrou-se atenta às necessidades dos humildes e, guiada pela fé, enxergou a certeza da vitória diante dos sofrimentos, como a crucificação e morte de um filho. Aqueles que visitam a singela Ermida, coração do Santuário da Padroeira de Minas, ao contemplarem a imagem de Nossa Senhora da Piedade, de Aleijadinho, podem sentir-se tocados pelo olhar que revela a dor e, ao mesmo tempo, a luminosidade que só a fé pode dar à razão humana. Esse simples exercício permite compreender com mais clareza que a vida supera a morte, forta-

lecendo cada um na superação das dificuldades e desafios. Mais que isso, contemplar a imagem veneranda, no alto da Serra da Piedade, conforme diz um trecho da oração de consagração, é caminho para reconhecer “o amor infinito de Jesus, Filho Amado, que dá sua vida para que todos tenham vida, ensinando-nos a depositar em Deus Pai toda confiança, dóceis à ação amorosa e terna do Espírito Santo”. Neste ano, um grande acontecimento marca o Jubileu da Padroeira: a assinatura de um convênio entre a Mitra Arquidiocesana e o Governo de Minas que permitirá a revitalização do Santuário Estadual Nossa Senhora da Piedade. Essa revitalização começou em 2010, com a sua ajuda, que tanto contribui para a Campanha Faço Parte, e agora entra em uma nova fase. Com as obras, muitas voltadas para garantir acessibilidade ao Santuário, vários peregrinos poderão ser tocados pela força desse lugar sagrado, patrimônio de todos os mineiros que reúne fé, natureza, arte e cultura. Conto com sua presença nas celebrações da Padroeira. Que a Senhora da Piedade interceda por você, seus familiares e amigos.

03


SUMÁRIO

Campanha Faço Parte

na minha casa

02 Espiritualidade 03 Mensagem do Arcebispo 05 Doação de amor 08 Catedral Cristo Rei 10 Visita da Maquete da Catedral Cristo Rei 12 Você é a Igreja, a Igreja é você

Estou muito feliz pela presença da Campanha Faço Parte e pelo presente recebido.

A sócia Celeste Teresinha de Azevedo Berni, do bairro Jaraguá em Belo Horizonte (MG), recebeu em sua casa a visita da Campanha Faço Parte. Celeste ficou emocionada ao receber de presente um lindo oratório do Sagrado Coração de Jesus. “Estou muito feliz pela presença da Campanha Faço Parte e pelo presente recebido”. Os agentes da Campanha foram acolhidos com muito carinho pelos familiares e amigos da Celeste Teresinha. Todos, juntos, participaram de um momento especial de oração.

04

EXPEDIENTE Revista Faço Parte Publicação da Arquidiocese de Belo Horizonte Arcebispo metropolitano de Belo Horizonte Dom Walmor Oliveira de Azevedo Vigário Especial para a Comunicação e Cultura Dom Joaquim Giovani Mol Guimarães Coordenação da Rede Catedral de Comunicação Católica e da Campanha Faço Parte Padre Fernando Lopes Gomes Capa: Marcos Figueiredo Produção, redação, edição e diagramação Assessoria de Comunicação e Marketing da Arquidiocese de Belo Horizonte e Rede Catedral de Comunicação Católica Impressão Fumarc Tiragem 20.000 exemplares


DOAÇÃO DE AMOR

Criatividade e amor aumentam doações para a Campanha Faço Parte Fiéis descobrem formas variadas de ajudar na edificação da Catedral Cristo Rei A Catedral Cristo Rei tem conquistado o coração das pessoas que compreendem o alcance social e pastoral dessa importante obra da Igreja Católica. Foi o que aconteceu com Maria do Carmo Diniz Martins da Costa. “Desde que tomei conhecimento da Campanha Faço Parte, me entusiasmei e logo aderi a essa iniciativa tão bonita. Comecei a contribuir mensalmente, mas achei que poderia colaborar um pouco mais com essa obra de amor ao povo de Deus, que atenderá,

“Quando o Papa disse que a Igreja precisa ir às periferias das cidades e da sociedade, logo associei a fala dele à Catedral Cristo Rei. Então tive, ainda mais, a certeza de que o nosso movimento está no caminho certo”, argumenta dona Carmita.


DOAÇÃO DE AMOR especialmente, os mais necessitados. Passei a fazer panos de prato para que fossem vendidos e o dinheiro revertido para a Campanha. Como frequento aulas de francês, também vendi alguns para minhas colegas e doei o dinheiro para a Faço Parte”. A dedicação dessa senhora de 79 anos à Campanha tornou-a conhecida como “Carmita da Catedral”. Do espírito jovem, vem a energia para levar as pessoas a conhecerem a Catedral Cristo Rei e todo o benefício que ela proporcionará, especialmente ao Vetor Norte de Belo Horizonte, região da cidade que tem um grande percentual de pessoas necessitadas de apoio social e pastoral. “Essa é uma obra que reflete os dizeres do Papa Francisco, durante a Jornada Mundial da Juventude. Quando Francisco disse que a Igreja precisa ir às periferias das cidades e da sociedade, logo associei a fala dele à Catedral Cristo Rei. Então tive, ainda mais, a certeza de que o nosso movimento está no caminho certo”, comenta dona Carmita. Para ela, é uma alegria as pessoas compartilharem de seu entusiasmo, quando o assunto é a Catedral de Belo Horizonte. “Se depender de mim, muita gente ainda vai passar a fazer parte ”, revela. Um modo diferente de colaborar com a Campanha Faço Parte Luíza Fernandes Ramos sentiu o mesmo encantamento pela Catedral Cristo Rei. Ouvinte assídua da Rádio América, ela passou a participar da Campanha Faço Parte desde que soube que dom Walmor iria tornar realidade o sonho de dom Cabral, primeiro arcebispo de Belo Horizonte. Paroquiana da Paróquia Nossa Senhora da Glória, dona Luíza conta que ficou comovida com o chamado feito pelo Arcebispo aos fiéis, pois havia trabalhado para a construção de uma capelinha em Bonfim (MG), sua 06

“Fiquei pensando em uma maneira de ajudar na edificação da Catedral, mas não tinha condições. Fui dormir com muita tristeza no coração. Então sonhei que poderia vender os ovos das galinhas que criava no terreiro. E as pessoas, sabendo disso, passaram a me procurar para comprar ovos caipira e ajudar na construção da Catedral, muitas também se tornaram sócias da Campanha Faço Parte”, lembra dona Luíza.


DOAÇÃO DE AMOR

Catedral Cristo Rei - casa de todos nós Apresentador do Programa Faço Parte na Rádio América e pároco da Paróquia Nossa Senhora da Graças, em Ibirité, cidade da região metropolitana de Belo Horizonte, frei Demerval Reis entusiasma-se com a crescente audiência. Ele se sente gratificado ao conversar com os fiéis da Arquidiocese durante o Programa, e observa que, a cada dia, cresce a consciência de que “a Catedral Cristo Rei é a casa de todos nós”. Segundo o religioso, iniciativas como as de dona Carmita e dona Luíza são exemplos de que o importante é cada pessoa colocar os próprios dons a serviço , pois a Igreja se constrói com a participação de todos. “Cada um vai encontrando um meio de poder contribuir e fazer parte. Se a pessoa encontra seu dom e o multiplica, cresce junto com a Igreja”. Frei Demerval acredita que a Catedral será construída assim, com o empenho da população. “Uns podem dar mais, outros menos. O importante é que cada um dê o seu melhor. Mais do que um templo, ela é símbolo de todo o compromisso, engajamento,

“Cada um vai encontrando um meio de poder contribuir e fazer parte. Se a pessoa encontra seu dom e o multiplica, cresce junto com a Igreja”,destaca frei Demerval Reis. doação e participação do povo não só da Arquidiocese de Belo Horizonte, mas de toda Minas Gerais. O Programa Faço Parte vai ao ar na Rádio América AM 750, todo sábado, das 11h ao meio dia. Frei Demerval Reis também apresenta o Programa Bem Viver na emissora, às quintas-feiras, de 22h30 a 23h30. Para frei Demerval, a Catedral Cristo Rei será “a casa de todos nós”. Campanha Faço Parte

terra natal. “A capelinha fica na roça e eu saía pedindo um tijolinho ‘aqui e outro ali’ . Fiquei pensando em uma maneira de ajudar na edificação da Catedral, mas não tinha condições. Fui dormir com muita tristeza no coração. Então sonhei que poderia vender os ovos das galinhas que criava no terreiro. E as pessoas, sabendo disso, passaram a me procurar para comprar ovos caipira e ajudar na construção da Catedral, muitas delas também se tornaram sócias da Campanha Faço Parte”. Animada por conseguir contribuir mensalmente com a Campanha, dona Luíza disse que pretende trazer mais galinhas da roça para aumentar a produção.

07


CATEDRAL CRISTO REI

Paróquia Nossa Senhora Rainha da Paz organiza evento em benefício da Catedral Cristo Rei Festa comemorou também a Primeira Eucaristia recebida por um grupo de crianças A Paróquia Nossa Senhora Rainha da Paz (bairro Caiçara) realizou uma bonita confraternização em benefício da Catedral Cristo Rei. As comunidades de fé se reuniram para um almoço e aproveitaram para

Padre Arnon destaca o trabalho da Campanha Faço Parte

comemorar a Primeira Eucaristia recebida por um grupo de 30 crianças. Durante o dia especial, a maquete da Catedral Cristo Rei esteve presente na Paróquia e foi vista por muitos fiéis. O pároco, padre Arnon


Confraternização em benefício da Catedral reuniu muitas famílias

de Miranda Gomes, destaca a participação dos agentes da Campanha Faço Parte. De acordo com ele, “tudo foi muito bacana”. Durante a celebração da Eucaristia, que antecedeu o almoço comunitário, o padre lembrou que as igrejas são fruto da participação do povo. “Pessoas organizaram festas, eventos, para que hoje tivéssemos uma igreja bonita”, disse. Neste sentido, segundo o sacerdote, a mobilização em benefício da Catedral Cristo Rei também tem força educativa, pois mostra para as crianças que receberam a primeira Eucaristia a importância de ajudar a Igreja. Sobre a Catedral Cristo Rei, padre Arnon

disse que será “um centro de referência, de fé e cultura”. Ele ainda ressaltou a importante participação de voluntários da Paróquia na organização do evento beneficente, que também marcou a Festa de Nossa Senhora Rainha da Paz. “Destaco a alegria das pessoas. Todos trabalharam com muita satisfação, alegria, entusiasmo e brilho”, concluiu.

“A Catedral Cristo Rei será um centro de referência, de fé e cultura”, analisa o padre Arnon de Miranda Gomes


CATEDRAL CRISTO REI

Visita da maquete

A Maquete da Catedral Cristo Rei está sendo apresentada às comunidades de fé das paróquias da Arquidiocese de Belo Horizonte. Graças ao apoio de padres e fiéis, cada vez mais pessoas participam desta caminhada rumo à edificação da Catedral. Veja algumas fotos das últimas paróquias visitadas:

Padre Idálio da Rocha Gama (acima), dom Luiz Gonzaga Fechio, bispo-auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte (abaixo) Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro , no bairro Bandeirantes em Contagem

10


Padre Arnon de Miranda Gomes (acima), padre Lúcio Dumont Prado (abaixo) Paróquia Nossa Senhora, Rainha da Paz, no bairro Caiçara em Belo Horizonte

Veja outras fotos no site da Catedral Cristo Rei www.catedralcristoreibh.com.br

11


VOCÊ É A IGREJA, A IGREJA É VOCÊ

Voluntários trabalham para levar a fé aos enfermos Alaor Severino da Cunha integra um grupo que visita pacientes internados pelo SUS A Pastoral dos Enfermos da Paróquia Nossa Senhora das Graças e Medalha Milagrosa, bairro Concórdia, em Belo Horizonte, abraça com entusiasmo uma importante missão: confortar e levar a presença de Deus aos pacientes do Hospital São Francisco de Assis, instituição filantrópica com leitos totalmente destinados às internações pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Um dos voluntários, Alaor Severino da Cunha, 50 anos, conta que o Hospital recebe pessoas muito humildes. Algumas fazem parte da população em situação de rua. Outras, são do interior do Estado. Muitos pacientes não têm parentes ou amigos e, além da enfermidade, sofrem com a solidão. Assim, conforme explica Alaor Cunha, a principal tarefa do agente da Pastoral é abrir-

Paróquia Nossa Senhora das Graças e Medalha Milagrosa

Alaor (o primeiro, da esquerda para a direita ), com voluntários da Pastoral dos Enfermos

12


VOCÊ É A IGREJA, A IGREJA É VOCÊ

se para a escuta. “Muitas vezes a pessoa quer desabafar, sente a necessidade de contar sua história. Oferecemos verdadeiramente a nossa presença”, revela. O agente da Pastoral disse que a visita segue um padrão. “Cumprimentamos os pacientes e nos apresentamos como integrantes da Pastoral dos Enfermos. Perguntamos se eles gostariam de receber uma visita. Se o paciente disser que ‘sim’, buscamos saber como estão passando e ouvimos suas histórias. Em seguida, conversamos sobre fé e esperança”, disse. De acordo com Alaor, os voluntários levam seu amparo a todos os pacientes, indistintamente. Quando os enfermos são católicos, rezam junto com os agentes da Pastoral a Ave Maria e o Pai Nosso; “se de outras religiões, normalmente sugerimos o ‘Pai Nosso’. E ainda, havendo interesse dos pacientes, é realizada a leitura da Sagrada Escritura”, conta o voluntário. Ao manifestarem o desejo de receber um dos sacramentos da Igreja, a Pastoral solicita a presença de um padre. Os agentes ajudam os enfermos a superarem o pessimismo. Também explicam que a enfermidade não é culpa de Deus. “Decorre das limitações do corpo humano”, ensina Alaor. Nesse trabalho de aproximar os pacientes da Palavra de Deus, a Pastoral dos Enfermos celebra, em duas sextas-feiras de cada mês, Missa no Hospital. Assim “mostramos que Deus é fonte de todo bem”, ressalta o agente. Apoio no tratamento Além do trabalho de escuta e evangelização, a Pastoral dos Enfermos da Paróquia Nossa Senhora das Graças e Medalha Milagrosa busca sensibilizar os pacientes para que sigam corretamente o tratamento médico. Alaor explica que o Hospital São Francisco de

“Muitas vezes a pessoa quer desabafar, sente a necessidade de contar sua história. Oferecemos verdadeiramente a nossa presença” Assis dispõe de um setor específico para os enfermos que precisam fazer hemodiálise. O tratamento é realizado normalmente “dia sim, dia não” e, cada sessão, tem a duração de aproximadamente quatro horas. Segundo o agente, os voluntários buscam “mostrar que o tratamento é um ato de amor a Deus. Que o corpo é templo do Espírito Santo e todos devem preservar a vida, que é um dom”. O trabalho desenvolvido pela Pastoral, de acordo com Alaor, é compensador. “A gente conforta e sai confortado. Tem dias que saímos esgotados, mas com sensação boa, pois conseguimos levar a Palavra, amparar uma pessoa”, avalia o voluntário. No entanto, trata-se também de uma difícil missão, que deve ser vivida pelos que, de fato, são vocacionados para atuar na Pastoral. “Embora seja raro, às vezes não somos bem recebidos pelo pacientes. Além disso, temos que saber lidar com as situações de morte e, em alguns momentos, levar conforto aos que perderam parentes ou amigos”. A motivação dos que se dedicam à Pastoral da Esperança da Paróquia Nossa Senhora das Graças e Medalha Milagrosa vem de Deus e dos muitos relatos de superação dos pacientes do Hospital São Francisco de Assis. Entre os exemplos está a história de um senhor de 72 anos de idade, cego de nascimento. A história é narrada por Alaor: “Ele contou que quando jovem ficou muito revoltado por sua condição, pois não encontrava uma justificativa. Foi-lhe apresentado então a Bíblia em braile e um


VOCÊ É A IGREJA, A IGREJA É VOCÊ

trecho do Evangelho de João, quando os discípulos viram um cego de nascença e perguntaram a Jesus: ‘Quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego?’ Jesus respondeu: ‘Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus.’ O senhor com quem encontrei não havia compreendido essa passagem, mas passou a ler a Bíblia com frequência. Contou que foi isso que o salvou, pois conheceu o verdadeiro amor de Deus e passou a levar uma vida normal. Estudou e tornou-se professor de piano; casou-se e teve três filhos. Conversando com ele, eu disse que

em sua vida foi realizada ‘as obras de Deus’, pois apesar de cego, encontrou a felicidade: constituiu família e se tornou um profissional da música, um pianista - habilidade que pouquíssimas pessoas têm, mesmo as que possuem visão perfeita. Ele deu um largo sorriso e balançou a cabeça concordando”, revela Alaor.

Fazer o bem contagia. Encaminhe para a Revista Faço Parte os bons exemplos de sua paróquia. Envie um e-mail para imprensa@arquidiocesebh.org.br

“A gente conforta e sai confortado. Tem dias que saímos esgotados, mas com sensação boa, pois conseguimos levar a Palavra, amparar uma pessoa”

14


15



Edição45 site