Issuu on Google+

Arquidiocese Aparecida Revista da

Ano 2 - Edição número 15 - OUTUBRO de 2012

de

1 Revista Arquidiocese


Revista Arquidiocese

2


Arquidiocese Revista da

04 06

Notícia

Festa da Padroeira 2012: Com a Mãe Aparecida acolhemos Jesus, nossa alegria Festa de Frei Galvão 2012 no Santuário, em Guaratinguetá: “Santo Antonio de Sant’Anna Galvão e a Profissão da Fé Cristã”

08

Formação Litúrgica

09

Seminário Bom Jesus

10

Escola da Fé

11

Continuação... os fiéis não são espectadores mudos.

A Sacrosanctum Concilium: Primeiro fruto do Concílio Vaticano Ano da Fé

Ministério Extraordinário da Sagrada Comunhão

MESC - Arquidiocese de Aparecida: A finalidade da Ação de Graças depois de comungar

16

Espiritualidade

17

Aconteceu

“Ensina teu povo a rezar, Maria Mãe de Jesus...” A Espiritualidade do Rosário

Expediente Revista da Arquidiocese de Aparecida Ano 2 - Edição número 15 Outubro de 2012

Críticas e sugestões devem ser encaminhadas para o e-mail: imprensa@arquidioceseaparecida.org.br

Arcebispo: Dom Raymundo Damasceno Assis Editora: Andréa Moroni – MTB 026616 SP Projeto Gráfico: Editora Expedições Revisão: Jaqueline Pereira Impressão e Fotolito: Gráfica Santuário Tiragem desta edição: 5 mil exemplares

Para anunciar ligue: (12) 3133-2449

Arquidiocese de Aparecida R. Barão do Rio Branco, 412 – centro – Aparecida Assessoria de Imprensa: (12) 3104-2623 www.arquidioceseaparecida.org.br

A Editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos assinados. Os artigos assinados são de responsabilidade de seus autores.

Editorial

No próximo dia 11 de outubro, o Santo Padre Bento XVI fará a abertura do Ano da Fé que se estenderá até a Solenidade de Cristo-Rei, dia 24 de novembro de 2013. A Celebração Eucarística de abertura - para a qual tive a honra e a alegria de ser convidado - será na Basílica de São Pedro, presidida por Sua Santidade e concelebrada por diversos Cardeais, Arcebispos e Sacerdotes de vários países. O Ano da Fé coincidirá com a comemoração do 50º aniversário do início do Concílio Ecumênico Vaticano II - iniciado pela Papa João XXIII e concluído no pontificado de Paulo VI – e com o 20º. Aniversário do Catecismo da Igreja Católica. Ao mesmo tempo, acontecerá a 13ª Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, de 07 a 28 de outubro, cujo tema é: “A Nova Evangelização para a transmissão da Fé”. O Ano da Fé deve ser um tempo de graça, de fortalecimento da nossa fé no Cristo ressuscitado e de renovar o compromisso de cristão, assumido no nosso batizado, de ser discípulo e missionário de Jesus Cristo. Deve ser, também, uma ocasião para o estudo e assimilação dos Documentos do Concílio Vaticano II, e dos conteúdos do Catecismo da Igreja Católica. Por isso, é muito importante que nas paróquias e nas comunidades, os párocos, os religiosos e os leigos engajados nas pastorais, promovam encontros para estudo e aprofundamento dos Documentos do Concílio do Vaticano II e do Catecismo da Igreja Católica. A CNBB está preparando uma coletânea de textos do Papa Bento XVI sobre o Ano da Fé e promovendo a publicação dos Documentos do Concílio Vaticano II, do Catecismo da Igreja Católica e do Compêndio do Catecismo, em edições com custo mais acessível ao povo. Aproveito a oportunidade para convidar todos vocês para participarem da Novena em louvor a Nossa Senhora Aparecida, Rainha e Padroeira do Brasil, que acontecerá no Santuário Nacional, de 03 a 12 de outubro, com o tema: “Com a Mãe Aparecida acolhemos Jesus, nossa alegria”. Igualmente, quero convidar todo o povo da Arquidiocese para a novena e festa de Santo Antonio de Santana Galvão, a ser realizada no Santuário Arquidiocesano de Frei Galvão, no bairro Jardim do Vale, em Guaratinguetá, de 16 a 25 de outubro. O tema central é: “Santo Antonio de Sant’Anna Galvão e a Profissão da Fé Cristã”. Participem! (confira programação completa nesta edição). Caros leitores, como podem perceber, outubro será, especialmente, um mês de muitas graças e de acontecimentos importantes para a vida da Igreja. Vamos, pois, nos unir em oração, rogando a Deus, por intercessão da Mãe Aparecida e de Frei Galvão, para que o Ano da Fé produza os frutos desejados pelo Papa Bento XVI e para que seja verdadeiramente um tempo propício para o aprofundamento da fé no Cristo ressuscitado e para um renovado ardor missionário. Com o abraço e a bênção de Dom Raymundo Cardeal Damasceno Assis Arcebispo de Aparecida, SP

3 Revista Arquidiocese


SEMINÁRIO FRANCISCANO FREI GALVÃO

N otícia

Festa da Padroeira 2012: Com a Mãe Aparecida acolhemos Jesus, nossa alegria

Aberto para visitação todos os dias das 8h às 11h30 e das 14h às 18h

O Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida celebra de 3 a 12 de outubro a Novena e Festa da Rainha e Padroeira do Brasil 2012. O tema deste ano é “Com a Mãe Aparecida acolhemos Jesus, nossa alegria”. De acordo com o reitor do Santuário, Pe. Darci Nicioli, a partir deste ano iniciam-se os preparativos para o grande jubileu do encontro da imagem milagrosa de Nossa Senhora Aparecida, encontrada nas águas do Rio Paraíba do Sul, em 1717. Em 2017, serão 300 anos de história, de

Distribuição das “Pílulas Devocionais” de Frei Galvão

bênçãos e de graças. “Adotamos os Mistérios do Rosário como itinerário de reflexão para o quinquênio, que iremos juntos percorrer até a grande festa jubilar. Neste ano de 2012, rezaremos os Mistérios da Alegria”, afirmou Pe. Darci. Pe.Darci explicou que a cada ano será refletido um Mistério do Rosário, e que em todos os dias da novena deste ano será ressaltado um aspecto da pessoa de Maria, tanto de sua personalidade como mulher, quanto sua missão na história da salvação. De acordo com Pe. Darci, no coração do povo brasileiro a expectativa pela festa é grande, pois romarias de diversas partes do Brasil já começam a se organizar para visitar a Casa da Mãe Aparecida pensando na Novena e Festa da Padroeira. A novena é celebrada às 15h e às 19h. A participação da Arquidiocese de Aparecida será no dia 08 de outubro, segunda-feira, às 19h.

Programação 3 a 11 de outubro 1º Dia – Maria: Alegria de ser escolhido por Deus 2º Dia – Maria: Alegria de acreditar no que é de Deus 3º Dia – Maria: Alegria de ser ‘grávida’ de Deus 4º Dia – Maria: Alegria de acolher os necessitados de Deus 5º Dia – Maria: Alegria em Deus libertador 6º Dia – Maria: Alegria do nascimento de Jesus – Deus Conosco 7º Dia – Maria: Alegria da entrega e da fidelidade a Deus 8º Dia – Maria: Alegria de quem busca Deus 9º Dia – Maria: Alegria de ser discípulo e missionário de Deus Avenida Integração, 151 - Bairro São Bento Cep: 12.522-030 - Guaratinguetá - SP

Tel.: (12) 3132-6233 www.seminariofreigalvao.org.br Revista Arquidiocese 4 freigalvao@franciscanos.org.br

11 de outubro Procissão Memória, após a Novena da Noite


12 de outubro – Dia da Padroeira 5h – Alvorada Festiva 5h30 – Missa 8h – Missa das Crianças 10h – Missa Solene – preside Cardeal Dom Cláudio Hummes – Arcebispo Emérito de São Paulo 12h – Homenagem a Nossa Senhora 13h – Missa e Hora Mariana 15h – Consagração Solene 16h – Procissão Solene Show em louvor a Nossa Senhora Aparecida Show pirotécnico Pregadores – Novena da Noite 03 de outubro - Dom Pedro Carlos Cipollini 04 de outubro - Dom Moacyr José Vitti 05 de outubro - Dom Edson Tasquetto Damian 06 de outubro - Dom Murilo Ramos Krieger 07 de outubro - Dom José Belisário da Silva 08 de outubro - Dom Gílio Felício 09 de outubro - Dom Luís Gonzaga Silva Pepeu 10 de outubro - Dom Antonio Fernando Saburido 11 de outubro - Dom Milton Kenan Júnior Shows 12 de outubro Show com Sérgio Reis e Renato Teixeira, após a Procissão Solene Local: Tribuna Aloísio Lorscheider 13 de outubro 19h – Show com Guilherme Arantes Local: Centro de Eventos 14 de outubro 9h às 12h – Terra da Padroeira Especial Local: Centro de Eventos

Histórico A Festa da Padroeira do Brasil já foi celebrada em diversas datas: dia da Imaculada Conceição (08/12); 5º domingo após a Páscoa; 1º domingo de maio (mês de Maria); 7 de setembro (Dia da Pátria). Mas a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em sua assembleia geral de 1953, determinou que a festa fosse celebrada, definitivamente, no dia 12 de outubro de cada ano. Por ocasião da visita do Papa João Paulo II ao Brasil, o então Presidente da República, General João Batista Figueiredo, promulgou a Lei n. 6.802, de 30 de junho de 1980, “declarando feriado federal o dia 12 de outubro para o culto público e oficial a Nossa Senhora Aparecida”, conforme consta no Diário Oficial da União de 1º de julho de 1980. Com relação ao aspecto religioso, a Festa de Nossa Senhora Aparecida tem o objetivo de reviver essa devoção, que teve início em outubro de 1717, com o aparecimento da Imagem no rio Paraíba do Sul. Fonte: Portal a12.com Fotos: Erasmo Ballot

5 Revista Arquidiocese


N otícia Festa de Frei Galvão 2012 no Santuário, em Guaratinguetá De 16 a 25 de outubro o Santuário Arquidiocesano de Santo Antônio de Sant’Anna Galvão celebra a novena e festa do primeiro santo brasileiro. O tema central será : “Santo Antônio de Sant’Anna Galvão e a Profissão da Fé Cristã” Todos os dias, às 14h30 e às 19h, acontecerá a Novena Perpétua em louvor a Santo Antônio de Sant’Anna Galvão. Após a novena e a Celebração Eucarística haverá quermesse no pátio do Santuário, que está localizado no Jardim do Vale em Guaratinguetá.

Programação: 16 de outubro Tema: “Creio em um só Deus, que revela seu nome” 15h – Santa Missa Celebrante: Mons. Nelson Ferreira Lopes 19h30 – Santa Missa Solene Celebrante: Dom Sérgio Aparecido Colombo – Bispo da Diocese de Bragança Paulista Paraninfos: Paróquias Santo Antonio e Puríssimo Coração de Maria, Comunidade Anuncia-Me e Pastoral da Criança. Gesto Concreto: Pó de café 17 de outubro Tema: “O alcance da fé no Deus único” 15h – Santa Missa Celebrante: Pe. Matusalém Gonçalves dos Santos 19h30 – Santa Missa Solene Celebrante: Dom Vilson Dias de Oliveira – Bispo da Diocese de Limeira Paraninfos: Paróquias Nossa Senhora Aparecida, São Roque e Santo Afonso, Equipe de Nossa Senhora e Pastoral da Liturgia. Gesto Concreto: Fralda Geriátrica

Revista Arquidiocese

6

18 de outubro Tema: “A Santíssima Trindade na Doutrina da Fé” 15h – Santa Missa Celebrante: Pe. Antônio Galvão dos Santos 19h30 – Santa Missa Solene Celebrante: Dom Carmo João Rhoden – Bispo da Diocese de Taubaté Paraninfos: Paróquias Nossa Senhora da Glória e Nossa Senhora das Graças, Oficinas de Oração, Focolares, E.C.C e Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão. Gesto Concreto: Arroz


19 de outubro Tema: “As obras Divinas e as missões trinitárias” 15h – Santa Missa Celebrante: Pe. Narci Jacinto Braga 19h30 – Santa Missa Solene Celebrante: Dom Francisco Biasin – Bispo da Diocese de Barra do Piraí - Volta Redonda Paraninfos: Paróquias Sant’Ana e Nossa Senhora da Conceição, Apostolado da Oração e Pastoral da Pessoa Idosa. Gesto Concreto: Macarrão 20 de outubro Tema: “O mistério da Criação” 15h – Santa Missa Celebrante: Pe. Renan Rangel dos Santos Pereira 19h30 – Santa Missa Solene Celebrante: Dom Joércio Gonçalves Pereira – Bispo Prelado Emérito de Coari/AM. Paraninfos: Paróquias Senhor Bom Jesus e Capelania Militar Nossa Senhora do Loreto, e Pastoral da Juventude. Gesto Concreto: Pó de café 21 de outubro Tema: “Deus realiza seu projeto: a Divina Providência” 15h – Santa Missa Celebrante: Pe. Ismael Barbosa Ribeiro 19h30 – Santa Missa Solene Celebrante: Dom Antonio Afonso de Miranda – Bispo Emérito da Diocese de Taubaté Paraninfos: Paróquias São Pedro e Nossa Senhora de Fátima, Seminário Missionário Bom Jesus, Movimento Serra, Pastorais Familiar e Vocacional. Gesto Concreto: Artigos para higiene pessoal 22 de outubro Tema: “Verdadeiro Deus e Verdadeiro Homem” 15h – Santa Missa Celebrante: Pe. André Gustavo de Souza 19h30 – Santa Missa Solene Celebrante: Dom José Lanza Neto – Bispo da Diocese de Guaxupé Paraninfos: Paróquias São Francisco de Assis e São Dimas, Cursilho de Cristandade e Sociedade São Vicente de Paulo. Gesto Concreto: Feijão 23 de outubro Tema: “O Espírito e a Palavra de Deus no tempo das promessas” 15h – Santa Missa Celebrante: Pe. Silvio César Florêncio 19h30 – Santa Missa Solene

Celebrante: Dom Frei Diamantino Prata de Carvalho – Bispo da Diocese da Campanha Paraninfos: Paróquias São Miguel Arcanjo e Santo Expedito, Renovação Carismática Católica. Gesto Concreto: Açúcar 24 de outubro Tema: “O Espírito de Cristo na plenitude do tempo.” 15h – Santa Missa Celebrante: Pe. José Ferreira da Silva 19h30 – Santa Missa Solene Celebrante: Dom Jacyr Francisco Braido – Bispo da Diocese de Santos Paraninfos: Paróquias Nossa Senhora do Rosário e Nossa Senhora de Lourdes, Comunidade Shalom, Pastorais da Catequese, Crisma e Batismo. Gesto Concreto: Material de limpeza 25 de outubro (Dia da Festa de Frei Galvão) Tema: “Santo Antonio de Sant’Anna Galvão e a Profissão da Fé Cristã” 6h – Santa Missa Celebrante: Pe. Carlos Roberto de Carvalho 10h – Santa Missa Solene Celebrante: Dom Raymundo, Cardeal Damasceno Assis – Arcebispo Metropolitano de Aparecida 14h30 – Novena 15h – Santa Missa Celebrante: Pe. Paulo Tadeu Gil Gonçalves de Lima 18h – Procissão Solene e, em seguida, Santa Missa Celebrante: Pe. Roberto Lourenço da Silva Paraninfos: Todos os devotos de Santo Antonio de Sant’Anna Galvão

Programação de shows: Dia 16 – MAGAL SERTANEJO Dia 17 – GRUPO JOVEM SÃO FRANCISCO Dia 18 – MINISTÉRIO ALIANÇA Dia 19 – BANDA IMPULSE Dia 20 – BANDA TERRA MIX Dia 21 – BANDA ACAUÃ Dia 22 – GRUPO SAMBRASIL Dia 23 – GERAÇÃO SERTANEJA Dia 24 – DU VALLE E ADRIANO Dia 25 – BANDA CHAPÉU BRASIL 7 Revista Arquidiocese


F ormação Litúrgica

CONTINUAÇÃO...

OS FIÉIS NÃO SÃO ESPECTADORES MUDOS Na última matéria Adentrando no corpo da oração eucarística, já tivemos a oportunidade de perceber sua profundidade e abrangência. O canto do Santo, momento em que as assembleias terrestre e celeste se unem para glorificar a Deus com o hino angélico, é um momento no qual essa abrangência acontece. Acontece também nosso encontro e proximidade com aqueles que amamos e que já partiram e, mais do que nós, entoam louvor perfeito e agradável a Deus. Intercessões A oração eucarística prossegue com sua seção de súplica. Nela pedimos a Deus que sejamos uma perfeita oferenda, por obra do Espírito. Tomamos o exemplo da oração III: “Que ele faça de nós uma perfeita oferenda para alcançarmos a vida eterna com os vossos santos... que não cessam de interceder por nós na vossa presença”. Se entendermos esse pequeno trecho na perspectiva pascal, teremos aí uma afirmação do processo de transformação que vamos deixando o Espírito operar em nós. Todo esse processo é oferenda! Certamente, isso é a vida que muitas vezes tentamos expressar nas nossas intenções e que as listas, de forma tão limitada, dizem: “missa na intenção de fulano”, “pela saúde e recuperação de beltrano”, “agradecimento a pedido de sicrano”... A oração eucarística já traz tudo! Só precisamos descobri-la e assumi-la como nossa máxima! Depois disso, quem vai precisar das listas? Súplica pela Igreja A III oração continua: “E agora, nós vos suplicamos, ó Pai, que este sacrifício da nossa reconciliação estenda a paz e a salvação ao mundo inteiro”. Paz e salvação ao mundo inteiro! Expressão que revela a grandeza da nossa vocação de interceder pelo mundo, o que, com certeza, nos inclui, mas, sobretudo, orienta nossa prece para todos. Antes de pedir por si própria, a Igreja pede pelo mundo inteiro, para que seja salvo, para que tenha paz. Mais adiante, continua: “Atendei as preces da vossa família, que está aqui, na vossa presença”. As preces após o creio, as preces que trazemos no coração (nossas intenções), as preces que elevamos na oração eucarística em favor de todos. Súplica pelos defuntos Segue a lembrança dos falecidos: os “que partiram desta vida e todos os que morreram na vossa amizade”. Não é suficiente para que incluamos os nossos falecidos? A oração eucarística não deixa para menos, nos presenteando com outra primorosa afirmação: “Unidos a eles, esperamos também nós saciar-nos eternamente da vossa glória”. Mais uma vez a oração revela a proximidade que temos com os nossos. Junto deles desfrutamos da glória de Deus. Quando celebramos a morte recente de algum irmão, podemos substituir essa intercessão por outra: “Lembrai-vos do vosso filho (da vossa filha) N, que chamastes deste mundo à vossa presença. Concedei-lhe que, tendo participado da morte de Cristo pelo batismo, participe igualmente da sua ressurreição...”. A intercessão ganha força pascal. Não se trata de uma relação devocional de troca de favores com Deus, mas da vida que, inserida em Cristo, encontra em Deus a realização e, para nós, conforto e esperança fundamentados na verdade da fé. Cristo, nossa intenção A oração eucarística é concluída com a doxologia: “Por Cristo, com Cristo e em Cristo...” É por Ele que podemos elevar a Deus tão confiante prece. Ele é o motivo da oração da Igreja, pois nele o Pai nos concedeu a esperança que não decepciona. A vida sacramental nada mais pretende do que isto: associar-nos ao Filho amado de Deus, em que podemos confiantes nos dirigir ao Pai, que nos ama e nos salva, concedendo-nos muito mais do que ousamos pedir. Jesus Cristo é a nossa verdadeira intenção. Concluímos este assunto.

Pe. Narci Jacinto Braga Assessor de Liturgia

Revista Arquidiocese

8


Seminário Bom Jesus A Sacrosanctum Concilium: Primeiro Fruto do Concílio Vaticano II Vamos celebrar com alegria os cinquenta anos do Concílio Vaticano II, um dos Concílios mais importantes na história da Igreja. O primeiro documento, aprovado por ele foi a Sacrosanctum Concilium sobre a vida litúrgica da Igreja. O Papa Paulo VI, apresentou com estas palavras o documento na segunda sessão aos padres conciliares, a 4 de dezembro de 1963: “Exulta o nosso espírito com este resultado. Vemos que se respeitou nele a escala dos valores e dos deveres: Deus, em primeiro lugar; a oração, a nossa primeira obrigação; a Liturgia, fonte primeira da vida divina que nos é comunicada, primeira escola da nossa vida espiritual, primeiro dom que podemos oferecer ao povo cristão que junto a nós crê e ora, e primeiro convite dirigido ao mundo para que solte a sua língua muda em oração feliz e autêntica e sinta a inefável força regeneradora, ao cantar conosco os divinos louvores e as esperanças humanas, por Cristo Nosso Senhor e no Espírito Santo” [...]. Bom será que recolhamos como tesouro este fruto do nosso Concílio; que o consideremos como aquilo que deve animar e caracterizar a vida da Igreja”. Segundo as palavras de Paulo VI, a Sacrosanctum Concilium procura “as simplificações de nosso culto, [...], torná-lo mais compreensível ao povo fiel e mais adaptado a sua linguagem atual”. Queremos apenas torná-la (a oração litúrgica) mais pura, mais genuína, mais próxima das suas fontes de verdade e de graça, mais capaz de se tornar patrimônio espiritual do povo. A Sacrosanctum Concilium é o ponto de chegada da renovação da Liturgia, começada pelo Movimento Litúrgico, no início do século XX. Em todos os níveis se procura tornar a liturgia acessível ao maior número de pessoas. A necessidade de reforma era sentida em todo o mundo. Em 1903, no Motu Proprio Tra le Sollecitudini, Pio X solicita a “participação ativa nos mistérios”, e Pio XI defende na Divina Cultus, 1928, que os fiéis não sejam “estranhos ou espectadores mudos” nas celebrações, expressão que voltaremos a encontrar na Sacrosanctum Concilium (nº 48). A Sacrosanctum Concilium é o texto que lança a reforma mais importante e mais simbólica do Concílio Vaticano II. Ela tem como objetivo renovar os ritos através de um retorno às fontes e simplificá-los a fim de permitir aos fiéis, melhor compreensão e uma participação mais ativa. A própria Constituição reconhece “a preocupação pelo incremento e renovação da liturgia […] como um sinal dos desígnios providenciais de Deus sobre o nosso tempo, como uma passagem do Espírito Santo pela sua Igreja” (Sacrosanctum Concilium, 43). Antes de ser um documento programático, sua intenção é em primeiro lugar,

doutrinal. Os Padres colocaram no centro da liturgia o Mistério Pascal (nº 5-13): a missão essencial da Igreja é anunciar a salvação a todos os homens. Operada pela morte e a ressurreição do Cristo, essa salvação é atualizada na história pelos ritos e sacramentos. Assim, a liturgia é a “fonte” e o “cume” da vida da Igreja (nº 10). É por isso que a participação dos fiéis, leitmotiv (motivo condutor, em alemão) da Sacrosanctum Concilium é essencial (nº 48). Para a Sacrosanctum Concilium a finalidade essencial da Igreja consiste em tornar os crentes partícipes do Mistério Pascal, mistério este que se manifesta e que se realiza de maneira integral quando a Igreja é convocada em assembleia litúrgica, de maneira especial no dia do Senhor, para a celebração eucarística. A reforma foi acolhida muito rapidamente pelos fiéis, felizes em se apropriarem desse “tesouro escondido”. Muitos têm sido os frutos recolhidos até hoje. A comemoração dos 50 anos do Concílio Vaticano II é um convite para abordar os grandes temas da Reforma e Renovação de toda a Liturgia. Aproximar-nos de novo à Constituição Sacrosanctum Concilium, sobre a Sagrada Liturgia, significa ter o interesse, o estudo e o amor pela Liturgia, que caracterizaram o caminho do Movimento Litúrgico e que tornaram possível o documento. A liturgia deve ajudar a estabelecer um profundo encontro com Deus, como Aquele que só é capaz de abastecer a nossa vida para caminharmos na esperança. Para que o povo de Deus tenha a força necessária para navegar em “águas mais profundas”, e assumir sua missão no mundo, as celebrações litúrgicas devem proporcionar-lhes momentos de profunda espiritualidade, de vibração de cantos vivos com Deus e com os irmãos na fé. Quando bem vivida, a liturgia constrói a grande família dos filhos de Deus. Lembremos as palavras da mesma Sacrosanctum Concilium que nos diz: “A Liturgia é simultaneamente a meta para a qual se encaminha a ação da Igreja e a fonte de onde emana toda a sua força” (Ibid., 10). Palavras que devem ser o leitmotiv de nossa pastoral. Pe. Arturo Galvis Nieto, Congregação da Missão (Província da Colômbia) Formador do Seminário Missionário Bom Jesus Colaboração: seminarista Thiago Henrique da S. Guimarães de Freitas 2º ano de Filosofia

9 Revista Arquidiocese


Escola da Fé Ano da Fé Com a Carta Apostólica Porta Fidei (Porta da Fé) de 11 de outubro de 2011, o Papa Bento XVI convocou um Ano da Fé. Ele começará no dia 11 de outubro 2012, por ocasião do quinquagésimo aniversário da abertura do Concílio Ecumênico Vaticano II, desejado pelo Beato João XXIII, e terminará aos 24 de novembro de 2013, Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo. A comemoração do Ano da Fé também recordará outro acontecimento muito importante para a Igreja dos nossos dias, que foi a promulgação do Catecismo da Igreja Católica, oferecido à Igreja pelo Beato João Paulo II (11 de outubro de 1992). Esta não é a primeira vez que a Igreja celebra um Ano da Fé. Em 1967, o Servo de Deus, Papa Paulo VI, proclamou um ano semelhante, para celebrar o 19º centenário do martírio dos apóstolos Pedro e Paulo. Por que celebrar o Ano da Fé? Segundo o Papa Bento XVI: “este Ano deverá exprimir um esforço generalizado em prol da redescoberta e do estudo dos conteúdos fundamentais da fé, que têm no Catecismo a sua síntese sistemática e orgânica”. Disse também: “Assim, no Ano em questão, o Catecismo da Igreja Católica poderá ser um verdadeiro instrumento de apoio da fé, sobretudo para quantos têm a missão de promover a formação dos cristãos”. Este Catecismo contém a riqueza da doutrina que a Igreja acolheu, guardou e ofereceu durante os seus dois mil anos de história e exprime verdadeiramente aquela que se pode chamar a “sinfonia da fé”. O Ano da Fé quer contribuir para uma conversão renovada ao Senhor Jesus e à redescoberta da fé, para que todos os membros da Igreja sejam testemunhas convictas do Senhor ressuscitado no mundo de hoje, capazes de indicar a “porta da fé” a tantas pessoas que estão em busca. Espera-se que haja um empenho renovado na difusão e no estudo do Catecismo da Igreja Católica para que cada um sinta fortemente a exigência de conhecer melhor e de transmitir às gerações futuras a fé de sempre. Nas indicações pastorais para o Ano da Fé, a Congregação para a Doutrina da Fé lembra que: a fé “é companheira de vida, que permite perceber, com um olhar sempre novo, as maravilhas que Deus realiza por nós. Solícita a identificar os sinais dos tempos no hoje da história, a fé obriga cada um de nós a tornar-se sinal vivo da presença do Ressuscitado no mundo”. “A fé é um ato pessoal e ao mesmo tempo comunitário: é um dom de Deus que deve ser vivenciado na grande comunhão da Igreja e deve ser comunicado ao mundo”. O Ano da Fé é convite para uma autêntica e renovada conversão ao Senhor, único Salvador do mundo. “Ora, sem fé é impossível agradar a Deus, pois para se achegar a Ele é necessário que se creia primeiro que Ele existe e que recompensa os que o procuram”. (Hb 11,6)

acaciovcarvalho@yahoo.com.br Escola Bíblica “Beato João Paulo II”

Revista Arquidiocese

10


Ministério Extraordinário da Sagrada Comunhão

MESC - ARQUIDIOCESE DE APARECIDA: A FINALIDADE DA AÇÃO DE GRAÇAS DEPOIS DE COMUNGAR trada, silêncio na alma e no corpo. Chegando ao nosso lugar procuramos fechar os olhos e rezar em silêncio, saboreando este encontro sublime com Nosso Salvador. Podemos também, para ajudar a concentração, rezar as orações tradicionais de “ação de graças”, como se encontram no próprio missal ou nos livros de oração. A Eucaristia só dará todos os frutos se os fiéis se dedicarem à ação de graças pessoal. O tempo para ação de graças depois da Comunhão é o tempo mais real do amor mais íntimo com Jesus. A ação de graças depois da Comunhão é uma pequena experiência do amor do céu nesta terra. Que milagre de amor, este de estar intimamente e inteiramente unido a Jesus.

Pe. Jalmir Carlos Herédia Diretor Espiritual do MESC

A PAULUS tem ótimos livros sobre a nossa Igreja. Confira!

440 págs.

Cristo na teologia de Paulo Lucien Cerfaux

R$ 79,00

640 págs.

O cristão na teologia de Paulo Lucien Cerfaux

R$ 89,00

296 págs.

A Igreja tem salvação? Hans Küng

232 págs.

Os padres da Igreja De Clemente Romano a Santo Agostinho

Bento XVI

R$ 45,00

R$ 25,00

PAULUS Livraria Centro de Apoio aos Romeiros, s/nº — Lojas 44, 45, 78, 79 — Norte B | APARECIDA/SP CEP.: 12570-000 / Tel.: (12) 3104.1145 | aparecida@paulus.com.br

11 Revista Arquidiocese

Criação PAULUS / A PAULUS se reserva o direito de alterar ou retirar o produto do catálogo sem prévio aviso. Imagens meramente ilustrativas.

Receber Jesus! Pode haver um dom maior? Por isso, as pessoas que vivem da fé sempre sentiram a necessidade de dedicar um tempo mais longo a recolher-se após a Comunhão e a Missa para se compenetrarem da realidade inefável da presença de Cristo dentro de si, e agradecer-lhe esse dom divino. Nunca deveríamos nos permitir, salvo em casos de urgente necessidade, comungar e, logo depois, ir embora ou ficar se distraindo, com o pensamento aéreo ou com conversas na saída da Igreja. Em algumas Missas, o Padre se senta no presbitério, depois de distribuir a comunhão, e fica em silêncio por alguns minutos. Não é obrigatório fazer isso, mas, quando é possível, esse «silêncio sagrado» - como o chama a Liturgia - facilita muito a ação de graças dos fiéis. Quando não há, ou não é oportuna, essa pausa dentro da Missa, você deveria permanecer na Igreja após a Missa e dedicar-se a dar graças a Nosso Senhor: fale com Jesus, como se fala com o pai, a mãe, um irmão, um grande amigo! Quando acabamos de comungar, carregamos Jesus no coração. Toda nossa atenção deve estar voltada ao hóspede divino que nos vem visitar com tanto amor e misericórdia. Uma atitude compene-


A genda: Paróquias, Pastorais e Movimentos Arquidiocese participa da 34ª. Assembleia das Igrejas do Regional SUL 1 A Arquidiocese de Aparecida estará presente na 34ª Assembleia das Igrejas do Regional Sul 1 da CNBB (Estado de São Paulo) que acontecerá de 19 a 21 de outubro em Itaici, Indaiatuba, São Paulo. O tema central será: «O ano da fé e juventude». A assembleia contará com painéis e exposições e reflexões sobre o tema.. Participam da Assembleia 5 pessoas por diocese: o Bispo diocesano, o coordenador de pastoral e 3 leigos delegados (jovens e ou catequistas). Mais informações pelo e-mail cnbbs1@cnbbsul1.org.br

Agentes participam da formação sobre o tema da Campanha da Fraternidade 2013 Os agentes da Campanha da Fraternidade do Regional Sul 1 da CNBB (Estado de São Paulo) estarão reunidos entre os dias 26 e 28 de outubro, no Mosteiro de Itaici, em Indaiatuba (SP), para o encontro de formação sobre a Campanha da Fraternidade 2013. O tema da CF será: “Fraternidade e Juventude”, e o lema: “ Eis me aqui, envia-me”. O secretário estadual da Campanha da Fraternidade, Antônio Evangelista, explicou que o encontro vai usar a metodologia ver – julgar – agir e abordará entre outros temas, os 50 Anos do Concilio Vaticano II e o Ano da Fé. Os assessores convidados são o Teólogo Francisco Catão e o frei Osmar Cavaca, do Instituto Irmãos de Nazaré, da Diocese de Taubaté.

Revista Arquidiocese

12

Formação Permanente do Clero da Sub-região de Aparecida De 29 a 31 de outubro será realizada a Formação Permanente do Clero da Sub-Região de Aparecida. O encontro terá como tema: “Ser Padre Hoje: desafio da significatividade da presença e a excelência da ação” A formação será realizada no Hotel Recanto das Hortênsias, na cidade de Passa Quatro (MG). O assessor será o Padre Ronaldo Zacarias, reitor do Centro Unisal e vice-provincial da Inspetoria Salesiana em São Paulo.

Hotsite da Arquidiocese para a JMJ Rio 2013

No dia 01 de outubro será lançado o hotsite oficial da Semana Missionária da Arquidiocese de Aparecida. Para esse evento, que acontece de 16 a 21 de julho de 2013, a Arquidiocese receberá dois mil jovens estrangeiros. As inscrições dos jovens peregrinos serão através desse hotsite, assim como daqueles que escutam o chamado de Deus para colaborar com essa missão, os voluntários. A juventude e todo o Povo de Deus da Arquidiocese de Aparecida são convidados para fazer parte dessa missão de acolher, celebrar e evangelizar os jovens. Para conhecer a programação e se inscrever acesse http://a12.com/jmj


Semana de Defesa da Vida na Arquidiocese O início desse mês é marcado por intensas atividades em prol da vida humana. A Semana Nacional da Vida, realizada de 1 a 7 de outubro, terá como tema “Vida, saúde e dignidade: direito e responsabilidade de todos”. Assim como no ano passado, a Semana da Vida busca ter algum vínculo com a Campanha da Fraternidade, por isso o tema mantém a questão da saúde dentro de uma reflexão sobre a vida e a dignidade. Em 2012, o assunto está dividido em sete encontros que tratam desde a acolhida da vida até o cuidado com as pessoas que entram em sua fase final. A Semana termina com o ‘Dia do Nascituro’, comemorado em 8 de outubro para homenagear o novo ser humano, a criança que ainda vive dentro da barriga da mãe.

Aparecida sedia assembleia anual da Comissão para Animação Bíblico – Catequética da Sub-região de Aparecida

No dia 27 de outubro será realizada a Assembleia Anual da Comissão para Animação Bíblico – Catequética. O encontro será realizado no Seminário Bom Jesus em Aparecida. O tema será: “A Porta da Fé – Vivência e Relacionamento com Deus na Igreja pela Fé”. Devem participar todos os coordenadores paroquiais das cinco dioceses que compõem a Sub-região de Aparecida.

Programação Paróquia de São Pedro em outubro

Dia 13: Reunião da Liturgia Dia 14: Missa do dia das crianças Dia 19: Missa de entrega do ECC 1º etapa Dia 21: Participação da Paróquia na Novena de Frei Galvão (não haverá missa das 19h) Dia 23: Reunião do CPP De 26 a 28: ECC 1º etapa, na creche São Pedro Dia 31: Reunião das Equipes de Nossa Senhora


A genda: Paróquias, Pastorais e Movimentos Festa de Nossa Senhora Aparecida em Lagoinha

Vem ai a Festa de São Geraldo em Aparecida

A paróquia de Nossa Senhora da Conceição de Lagoinha celebra, de 11 a 14 de outubro, no bairro do Ribeirão, a festa de Nossa Senhora Aparecida. Durante o tríduo haverá celebração eucarística às 19h e quermesse, com shows e comida típicas. No dia da padroeira haverá carreata, saindo da matriz em direção a Igreja do Ribeirão às 17h30. No dia 14 haverá procissão às 10h e, em seguida, missa solene. Às 12h, será servido o almoço comunitário; às 14h, leilão de prendas; e às 15h, distribuição de balas e doces para as crianças. Festa de São Benedito - A paróquia celebra, de 25 a 28 de outubro, o tríduo e festa de São Benedito. Todos os dias haverá missa às 19h na Igreja de São Benedito, seguida de quermesse com shows, comidas típicas e leilão de prendas. No domingo, dia da festa, a programação é a seguinte: 05h, alvorada; 07h e 09h, missa na igreja Matriz, e em seguida, procissão do mastro. Durante o dia haverá também distribuição de doces e diversas atividades na Praça Galdino Claro, ao lado da Igreja. Às 18h missa de encerramento, seguida de procissão.

A Comunidade São Geraldo, pertencente à Paróquia Santo Afonso de Aparecida, celebrará a Novena e Festa de seu padroeiro, São Geraldo Magela, entre os dias 19 e 28 de outubro. A celebração será às 19h30. A Igreja de São Geraldo está localizada na avenida Itaguaçu, mais precisamente na entrada do Porto Itaguaçu e guarda grandes lembranças para todos que lá visitam. É um grande ponto de visitação dos romeiros que buscam conhecer melhor a história do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida no rio Paraíba. No dia 16 de outubro, dia litúrgico de São Geraldo, haverá Missa festiva às 19h30. No dia 28, encerrando as festividades de São Geraldo, haverá Missa solene às 18h30 e logo após, piedosa procissão percorrendo as ruas da comunidade. Em seguida, show com a Banda 8 Segundos.

Paróquia de São Roque celebra festa de Santa Edwiges De 13 a 16 de outubro, a paróquia São Roque em Aparecida celebra a festa em louvor a Santa Edwiges. O tema será: “Pela Fé Santa Edwiges consagrou a própria Vida à Cristo”. A novena será às 19h30. Dia 14, domingo, não haverá a missa pela manhã. Serão realizadas brincadeiras com as crianças, bingos e barracas de comes e bebes. Após a novena, haverá show com a Banda 8 Segundos. No dia 16, dia da festa, a saída da procissão será em em frente a Igreja de Santo Antônio às 18h, e logo após, missa na Igreja de Santa Edwiges. Revista Arquidiocese

14

Paróquia Nossa Senhora de Lourdes festeja São Francisco de Assis A comunidade da Vila Paulista, pertencente a Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, em Guaratinguetá, celebra, de 1 a 07 de outubro a festa em honra de São Francisco de Assis. A missa será celebrada às 19h e o tema central será: “São Francisco e a busca pela nossa saúde”. No dia 07, dia da festa, a procissão pelas ruas do bairro será às 18h30 e, em seguida, missa solene. Todos os dias haverá quermesse.


15 Revista Arquidiocese


Espiritualidade “Ensina teu povo a rezar, Maria Mãe de Jesus...” A espiritualidade do Rosário

A Igreja celebra no dia 07 de outubro a memória da Virgem Maria, sob o título de Nossa Senhora do Rosário. Aproveito a ocasião para propor uma reflexão sobre a importância da oração do Rosário na vida do cristão. Meditamos os Mistérios de Cristo: Encarnação, Paixão, Morte e Ressurreição do Filho de Deus em companhia de Maria que está associada, de modo especial, ao plano da salvação. A origem do Rosário é muito antiga, pois conta-se que os cristãos orientais usavam pedrinhas para contar o número das orações vocais. Ao longo da história, foi também muito propagado por São Domingos e sua Ordem. Em suas experiências místicas, São Domingos acolhe as inspirações da Virgem Maria que indicou-lhe o Rosário como meio para a conversão. “Quero que saiba que, a principal peça de combate tem sido sempre o Rosário. Assim quero que alcances estas almas endurecidas e as conquiste para Deus, com a oração do meu saltério”. Na Carta Apostólica Rosarium Virginis Mariae, o Papa João Paulo II nos ensina que: O Rosário, precisamente a partir da experiência de Maria, é uma oração marcadamente contemplativa. Privado desta dimensão, perderia sentido, como sublinhava Paulo VI: « Sem contemplação, o Rosário é um corpo sem alma e a sua recitação corre o perigo de tornar-se uma repetição mecânica de fórmulas e de vir a achar-se em contradição com a advertência de Jesus: “Na oração não sejais palavrosos como os gentios, que imaginam que hão-de ser ouvidos graças à sua verbosidade” (Mt 6, 7). Por sua natureza, a recitação do Rosário requer um ritmo tranquilo e uma certa demora a pensar, que favoreçam, naquele que ora, a meditação dos mistérios da vida do Senhor, vistos através do Coração d’Aquela que mais de perto esteve em contato com o mesmo Senhor, e que abram o acesso às suas insondáveis riquezas». (Rosarium Virginis Mariae, 12) Esta coroa de 200 rosas -por isto Rosário- é rezada praticamente em todas as línguas, já que é vivamente recomendada pela Igreja. Através de Maria alcançamos as graças de Jesus. Contemplamos na oração do Rosário, os mistérios da Alegria, da Luz, da Dor e da Glória de Nosso Senhor Jesus Cristo. Temos rezado e meditado os mistérios do Rosário? Possamos valorizar mais essa oração em nossa casa, rezá-lo em família e em nossas comunidades. Se com Maria, contemplamos os mistérios de Cristo, com Ela também participamos da Glória de seu Filho.

N

Pe. André Gustavo de Sousa Formador do Seminário Missionário Bom Jesus Assessor da Comissão Bíblico-Catequética da Arquidiocese de Aparecida Revista Arquidiocese

16


Aconteceu

Pastoral da Família promoveu carreata pela vida

José Mauro Marcelino Portes e Márcia dos Santos (Coordenadores da Pastoral Familiar)

No domingo, dia 26 de agosto, o Santuário Arquidiocesano de Santo Antônio de Sant’Anna Galvão recebeu a 1ª Carreata em Defesa da Vida de Guaratinguetá. O evento, promovido pela Pastoral Familiar e pela Comissão em Defesa da Vida, teve como objetivo central despertar nas pessoas a consciência e o valor da vida acima de tudo. “Jesus veio para trazer vida e vida em abundância e nós, devemos ter esse compromisso de fazer com que a vida aconteça bem em todas as camadas da sociedade”, disse o Assessor da Pastoral Familiar, Padre Carlinhos. A concentração aconteceu às 13h30 na Igreja do Puríssimo Coração de Maria. Os veículos saíram da praça em frente à Igreja do Puríssimo e percorreram a cidade com destino ao Santuário Frei Galvão, no Jardim do Vale, onde aconteceu a Celebração Eucarística às 15h, celebrada pelo Reitor do Santuário, Padre Roberto Lourenço da Silva. Para o Reitor do Santuário, o grande objetivo de todo o Cristão é defender a vida. “Receber a Pastoral e a carreata em defesa da vida neste Santuário é uma grande alegria para nós”, concluiu.

Semana da família na Paróquia Senhor Bom Jesus em Potim Realizamos a cada noite uma reflexão sobre um tema do livro “Hora da família” em todas as missas da semana, procurando responder a pergunta, como viver o tema: “A família, o trabalho e a festa”. Constatou-se que em parte as famílias já vivem esta realidade do encontro festivo nos domingos ou até outro dia marcado em torno de um almoço, um churrasco de aniversário ou casamento fortalecendo laços humanos, familiares e religiosos, precisando de algum aprimoramento quanto à fé e o amor Cristão inculturado. Gesto concreto: que as nossas festas dos Padroeiros sejam também festas Cristãs e familiares, sem bebidas alcoólicas que têm demonstrado contratestemunho cristão e causando tanto mal a muitos jovens, crianças, homens, mulheres e consequentemente a muitas famílias. Que bom seria se as festas das Paróquias fossem sem bebidas alcoólicas, evitando a criação e o fortalecimento de uma fé e mentalidade cristã superficial de que é a bebida alcoólica que atrai o povo para as novenas dos Padroeiros e dá dinheiro para sustentar a Igreja. Para atrair o povo devemos procurar o que é fundamental, que é o testemunho humano e Cristão, na prática da missão e da liturgia bem celebrada, economicamente sustentada pelo dízimo dos fiéis, festas e promoções que estimulem laços humanos, familiares, espirituais e verdadeira alegria. A Igreja não precisa de bebidas alcoólicas em suas festas. Todos: pais, padres, professores e autoridades constituídas (união entre: escola, família, Igreja e o estado), cada um de acordo com a sua competência, responsabilidade e missão, porém integrados, precisam educar para os limites humanos sociais e morais visando o bem da família e da comunidade. A sociedade civil, instituições, dioceses, paróquias e escolas, há tempo estão debatendo sobre o problema da droga que tem aumentado, cada vez mais, entre as crianças, jovens e adultos, destruindo as famílias, começando pela bebida alcoólica, e nós como igreja não podemos ficar indiferentes. Em vários grupos e ambiente já foram suprimidas a bebida alcoólica. Juntos podemos melhorar: nossas famílias, nossas comunidades, nossa cidade e o mundo.

Mons. Nelson Ferreira Lopes Vigário Geral da Arquidiocese de Aparecida e Pároco da Paróquia Senhor do Bom Jesus do Potim

Paróquia Nossa Senhora Aparecida fecha calendário para 2013

Dia 03 de setembro de 2012, no salão Padre Negri, reuniram-se as lideranças da Paróquia Nossa Senhora Aparecida para confeccionar o Calendário Paroquial para o ano de 2013. A paróquia é composta por sete comunidades (Mãe, São Benedito, São José, Santa Luzia, Sagrada Face, São Francisco e Santa Rita), onde atuam 30 pastorais e movimentos. Usando da hierarquia, marcam-se as datas da Arquidiocese e, em seguida, as que dizem respeito a toda paróquia.. De posse desse calendário, as comunidades, pastorais e movimentos irão adicionar seus eventos a esse mesmo calendário, tomando o cuidado de escolher as datas para que não coincidam com as já definidas nessa primeira reunião. Feito isso, o Centro Paroquial fará uma correção final e, após aprovação do Pároco e do Vigário, imprime-se o Calendário e se distribui entre os responsáveis para levar adiante o projeto.

Aniversariantes de outubro

Dia 01/10 – Padre Renan Rangel Pereira – Paróquia Santo Antônio – aniversário de ordenação Dia 23/10 – Padre André Gustavo de Souza – Seminário Missionário Bom Jesus – aniversário natalício Dia 28/10 – Padre Vinícius da Silva – Paróquia Nossa Senhora de Lourdes – aniversário natalício


Aconteceu

Acampamento dos Jovens da Arquidiocese de Aparecida

Com muita oração, dedicação e carinho, nos dias 15 e 16 de setembro, o Serviço de Animação Vocacional (Pastoral Vocacional), juntamente com a Pastoral Familiar e o Setor Juventude de nossa Arquidiocese, realizaram o primeiro Acampamento para jovens no Seminário Missionário Bom Jesus. O acampamento teve como tema “Ide, pois, fazei discípulos entre todas as nações” (Mt 28,19), o mesmo da Jornada Mundial da Juventude. Para o acampamento, contamos com o apoio do 5º Batalhão de Infantaria Leve, de Lorena, que emprestou as barracas e ajudou na sua montagem. O acampamento teve início no sábado, às 15h, com a acolhida dos jovens pelos seminaristas e pelos casais responsáveis por cada equipe, que nos auxiliaram durante todo o acampamento. Estes foram chamados de “casais padrinhos”. Neste mesmo dia foram apresentadas oficinas que nos convidaram a refletir sobre o tema da Jornada Mundial da Juventude. Foram preparados teatros e animações por conta da Pastoral da Juventude e do Ministério Aliança, como um Lual

que foi realizado na noite do sábado, depois do momento de Adoração ao Santíssimo Sacramento. No domingo, iniciamos com o louvor da manhã. Logo depois, os jovens foram direcionados ao refeitório para o café. A manhã de domingo foi marcada pela Via Sacra, onde os jovens carregaram uma grande cruz e nela colocaram sinais de suas vidas. No auditório, foi preparada uma apresentação da JMJ, pelo Pe. Sílvio César Florêncio (Assessor do Setor Juventude). A missa de encerramento foi presidida por Dom Damasceno, que também nos convidou a rezar pelo seminarista Sidnei Lino da Cruz, que na mesma missa foi enviado para Madri, Espanha, para cursar os estudos teológicos. Agradecemos a todos aqueles que nos ajudaram para que este acampamento pudesse acontecer, aos que colaboraram com suas orações, doações e trabalhos. Este acampamento foi um bonito testemunho da Pastoral de Conjunto! Agradecemos, de modo particular, os jovens. Agora fica a missão.“Ide, pois, fazei discípulos entre todas as nações”. Seminarista Raphael Felipe Silva Propedêutico

Revista Arquidiocese

18


19 Revista Arquidiocese



Revista da Arquidiocese de Aparecida - Novembro 2012