Page 1

Arquidiocese Aparecida Revista da

Ano 1 - Edição número 07 - FEVEREIRO de 2012

de

1 Revista Arquidiocese


Revista Arquidiocese

2


Arquidiocese Revista da

04

Matéria de Capa

Fraternidade e Saúde Pública: Que a saúde se difunda sobre a terra.

06

Ministério Extraordinário da Sagrada Comunhão

07

Artigo do Seminário Bom Jesus Evangelizar a Juventude

08

Liturgia Formação Litúrgica

09

Escola Bíblica Campanha da Fraternidade 2012

12

Notícia Parabéns, Dom Damasceno!

14

Receber a Eucaristia: alimento para a alma e o coração.

Espiritualidade Espiritualidade da Comunhão: nisso todos saberão que somos seus discípulos Aconteceu na Arquidiocese Paróquia Nossa Senhora de Fátima acolhe novo pároco

E xpediente Revista da Arquidiocese de Aparecida Ano 1 - Edição número 07 Fevereiro de 2012

Críticas e sugestões devem ser encaminhadas para o e-mail: imprensa@arquidioceseaparecida.org.br

Arcebispo: Dom Raymundo Damasceno Assis Editora: Andréa Moroni – MTB 026616 SP Projeto Gráfico: Editora Expedições Revisão: Jaqueline Pereira Impressão e Fotolito: Resolução Gráfica Tiragem desta edição: 5 mil exemplares

Para anunciar ligue: (12) 3133-2449

Arquidiocese de Aparecida R. Barão do Rio Branco, 412 – centro – Aparecida Assessoria de Imprensa: (12) 3104-2623 www.arquidioceseaparecida.org.br

A Editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos assinados. Os artigos assinados são de responsabilidade de seus autores.

E ditorial

Iniciamos no próximo dia 22 de fevereiro, na quarta feira de Cinzas, o tempo da quaresma, tempo de preparação para a celebração da Páscoa de Cristo e nossa páscoa. A quaresma tem por objetivo despertar a consciência cristã para a necessidade de conversão e de penitência. O Santo Padre Bento XVI diz que a quaresma nos oferece “uma ocasião providencial para aprofundar o sentido e o valor de ser cristão e nos estimula a descobrir de novo a misericórdia de Deus para que também nós cheguemos a ser mais misericordiosos com nossos irmãos”. Jesus, no evangelho, resume este tempo de conversão em três práticas fundamentais: a oração, o jejum e a esmola. Estas práticas devem ter Deus como objetivo único de sua ação.bPortanto, ao praticarem estas ações, lembrem-se: “... quando deres esmola, não te ponhas a trombetear em público, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, com o propósito de ser glorificados pelos homens. Em verdade vos digo: já receberam a recompensa. Tu, porém, quando deres esmola, não saiba tua mão esquerda o que faz tua direita, para que tua esmola fique em segredo; e o teu Pai, que vê no segredo, te recompensará” (Mt, 6, 2-4). Da mesma forma, quando rezarem, não o façam para serem louvados pelos outros: “Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechando tua porta, ora ao teu Pai que está lá, no segredo; e teu Pai, que vê no segredo, te recompensará.” (Mt 6, 6). A mesma atitude de humildade e recolhimento se aplica ao jejum: “Quando jejuardes, não tomeis um ar sombrio como fazem os hipócritas, pois eles desfiguram seu rosto para que seu jejum seja percebido pelos homens. Em verdade vos digo: Já receberam sua recompensa. Tu, porém, quando jejuares, unge tua cabeça e lava teu rosto, para que os homens não percebam que está jejuando, mas apenas teu Pai, que está lá no segredo; e teu Pai, que vê no segredo, te recompensará.” (Mt, 6, 16-18). Estes exemplos da esmola, da oração e do jejum devem ser multiplicados entre nossos irmãos, com espírito de humildade, sem esperar agradecimentos ou elogios. A recompensa virá de Deus e esta é justa e infinita. Na Quarta-Feira de Cinzas, a Igreja no Brasil realiza, desde 1964, a Campanha da Fraternidade. Este ano de 2012, a CF terá como tema “Fraternidade e Saúde Pública”, e o lema: “Que a saúde se difunda sobre a terra”. O objetivo desta Campanha é refletir sobre a realidade da saúde no Brasil e mobilizar o cidadão a exigir das autoridades competentes a melhoria do sistema público de saúde, para que todos tenham acesso a esse direito fundamental da pessoa humana. Caros leitores (as), espero que vocês possam aproveitar, ao máximo, este tempo tão especial que a Igreja nos oferece em preparação para a Páscoa. Boa quaresma a todos! Com o abraço e a bênção de Dom Raymundo Cardeal Damasceno Assis Arcebispo de Aparecida, SP

3 Revista Arquidiocese


Matéria da capa Fraternidade e Saúde Pública:

Que a saúde se difunda sobre a Terra A saúde é um dos aspectos mais importantes e fundamentais da vida dos seres humanos e motivo de cuidados e preocupações desde sua concepção até o fim de seus dias. É um estado dinâmico e variável até mesmo dentro de um curto período de tempo (até mesmo no decorrer de um dia ou de horas) sendo bem definida pela Organização Mundial de Saúde como um estado de bem estar físico, psíquico e social, e não apenas como ausência de doenças. Há que se considerar também aspectos espirituais por muitos agregados a esse conceito (diversos estudos apontam a importância positiva de uma crença religiosa e da confiança em Deus na recuperação de enfermos, inclusive, com a redução comparativa de períodos de internação e melhor evolução para pessoas em situações semelhantes). Os cuidados com a saúde envolvem aspectos individuais e coletivos relacionados a questões culturais e socioeconômicas que definem as formas de promoção, prevenção de doenças e assistência à saúde nas diversas sociedades. O caso da epidemia de dengue é um exemplo de doença cuja prevenção e combate necessita de uma mobilização da sociedade como um todo, além dos cuidados individuais específicos. O Brasil, embora dispondo de um dos sistemas públicos de saúde mais avançados e democráticos do mundo, o SUS (Sistema Único de Saúde), que tem servido de modelo inclusive, para outros países, ainda apresenta uma série de problemas que precisam ser superados para evitar o sofrimento de nossa população, ampliando os recursos disponíveis, melhorando a qualidade técnica e promovendo a humanização do atendimento na rede de saúde, além de integração com diversos outros setores como a educação e o meio ambiente. Para estes fins se fazem necessárias medidas como a garantia de recursos públicos nos diversos níveis de governo (vide a aprovação da Emenda Constitucional 29), a transparência e a boa aplicação dos mesmos que devem ser submetidos ao controle social por parte da população, através da efetiva atuação dos Conselhos e Conferências de Saúde, Revista Arquidiocese

4

também nos diversos níveis. Foi neste contexto que a Pastoral da Saúde da CNBB mobilizou-se, junto com diversos setores sociais, para a escolha da Saúde Pública como tema para a Campanha da Fraternidade 2012, visando promover um amplo debate na sociedade brasileira, conscientizando a todos e todas para a gravidade da situação, mas apontando perspectivas e propostas de solução a partir de experiências concretas já existentes nas comunidades, com base na atuação de diversas pastorais sociais (Pastoral da Saúde, da Criança e do Idoso, entre outras) e de ações governamentais como, por exemplo, o Programa Saúde da Família. O objetivo geral da Pastoral da Saúde é promover, educar, prevenir, cuidar, recuperar, defender e celebrar a vida ou promover ações em prol da vida saudável e plena de todo o povo de Deus, tornando presente, no mundo de hoje, a ação libertadora de Cristo na área da saúde. Atuando em suas três dimensões (solidária, comunitária e político-institucional) a Pastoral da Saúde pretende promover o envolvimento e o comprometimento dos cidadãos e cidadãs com a questão, visando a construção de uma sociedade do bem viver,


justa e fraterna, lembrando o exemplo do Bom Samaritano com suas atitudes de cuidado e compaixão para com as pessoas fragilizadas, em situações de enfermidade ou injustiça, infundindo-lhes força, fé e esperança. Como bem afirma o texto da CF 2012, em sua história, a Igreja gestou inúmeros homens e mulheres de fé, que depuseram sua esperança em Deus e empenhando-se como Maria, serviram aos irmãos necessitados. São santos e santas da caridade. Alguns, incontestavelmente, despenderam a própria vida no meio dos doentes e sofredores, como Camilo de Lellis, João de Deus e Madre Teresa de Calcutá. A Igreja no Brasil também pode louvar a Deus pela vida de Santa Paulina, Irmã Dulce e Frei Galvão, cujas vidas foram integralmente dedicadas aos doentes, pobres e sofredores. As ações de Jesus para com os doentes foram um dos principais eixos de seu ministério na Terra, demonstrando sempre sua preocupação não apenas no aspecto biológico, mas em promover o ser humano para ter uma vida digna, saudável e reintegrada à sociedade, porque a doença significava exclusão social. É dessa forma que ele responde aos discípulos de

João Batista, ao ser questionado sobre se era ou não o Messias: “Ide contar a João o que vistes e ouvistes: cegos recuperam a vista, paralíticos andam, leprosos são purificados e surdos ouvem, mortos ressuscitam e aos pobres se anuncia a Boa Nova” (cf. Lc 7,22). A abertura da Campanha na Arquidiocese de Aparecida será neste dia 1 de fevereiro, no Colégio Albert Einstein em Guaratinguetá, às 19h. Todas as pastorais, movimentos e o povo de Deus estão convidados a participar.

Dr. João Carlos de Paula Santos Coordenador da Pastoral da Saúde da Arquidiocese

5 Revista Arquidiocese


Ministério Extraordinário da Sagrada Comunhão Receber a Eucaristia: alimento para a alma e o coração Que venham a Jesus, todos que estão sedentos e vazios por inteiro, aqueles que sofrem e não encontram a solução para os problemas. A verdade é que muitas pessoas passam a maior parte de suas vidas cercada por problemas, dificuldades, enfermidades e outras situações e, geralmente, vão em busca de uma infinidade de possibilidades na expectativa de encontrar uma saída e na maioria das vezes, se esquecem de Jesus e se fecham para suas graças. Graças a Deus, na Igreja Católica temos o privilégio de louvar ao Cristo vivo. E na Eucaristia temos a fonte de água viva, que jamais seca. É o único momento em que matamos a sede do Espírito Santo em nós.“Aquele que come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele.” (Jo 6,54-56). É neste momento que o Corpo e o Sangue de Cristo tornam-se alimento para a nossa vida. É na Eucaristia que alimentamos o corpo e também a nossa alma. A comunhão aumenta a nossa união com Cristo, traz como fruto, a intimidade com Cristo Jesus. O que o alimento material produz em nossa

vida corporal, a comunhão realiza de maneira admirável em nossa vida espiritual. É o mistério da fé: somente aqueles que acreditam, se deliciam neste banquete verdadeiramente. Temos esta presença viva, todos os dias na Santa Missa. É desta maneira, que devemos procurar a solução para as dificuldades, porque é exatamente isto que o Corpo e Sangue de Cristo é para nós: alimento e caminho para a salvação, libertação para a alma aprisionada, cura e consolo para o seu sofrimento; força nos momentos de angústia e desespero;bálsamo para nossos traumas. Santo Agostinho nos diz:“A Eucaristia é o pão de cada dia, que se toma como remédio para as nossas fraquezas do cotidiano”. E somente com a Eucaristia, podemos nos fortalecer. É na Eucaristia que recebemos coragem, que nos formamos bons cristãos, ensinando-nos a amar o próximo. É na Eucaristia que encontra-se a força para reatar os laços rompidos pelo mal que insiste em marcar presença em nosso meio. Jesus Eucarístico é dom aos filhos de Deus, “a fim de que todos sejam um” (Jo 17,21).

Pe. Jalmir Carlos Herédia Diretor Espiritual do MESC

Revista Arquidiocese

6


Artigo do Seminário Bom Jesus Evangelizar a juventude A nossa juventude precisa ser evangelizada, por isso, é muito importante a presença da Pastoral da Juventude nas paróquias de nossa Arquidiocese. Para que este trabalho atinja seus objetivos é preciso, primeiramente, conhecer a realidade na qual vivem nossos jovens. Olhando para o âmbito geral, a juventude é um manancial de iniciativas que geram esperança, promovem a vida e fortalecem a utopia de um “mundo novo”. Porém, ela é também, profundamente, marcada por inúmeros desafios e dificuldades. Os jovens sofrem com a disparidade de acesso à renda, à educação de boa qualidade e ao mercado de trabalho. Há, ainda, o desemprego, o mundo das drogas, a violência no campo e na cidade, o êxodo rural e o limitado acesso às atividades esportivas, lúdicas e culturais. Esta realidade revela a necessidade de uma ação evangelizadora planejada, junto a juventude. A PJ é marcada pela disposição em contribuir com a comunidade em uma miríade de aspectos, ambos focados na propagação do evangelho. É claro, também, que ela tem o objetivo de trabalhar com os jovens, no sentido de dinamizar a evangelização, a partir do encontro com Jesus Cristo, na arquidiocese e nas paróquias em suas diferentes

realidades, tendo presente o protagonismo juvenil, a diversidade cultural e a formação integral, contribuindo, assim, para a formação da nova pessoa, da Igreja e da sociedade, em vista do Reino de Deus. Neste propósito, a Paróquia de Nossa Senhora da Glória, em Guaratinguetá, promoveu encontros, todos os domingos, após a missa das 9h. Os encontros foram bem dinâmicos, tendo em suas atividades formação afetiva, humana e espiritual. Também foram realizadas visitas às obras de caridade relacionadas com os temas trabalhados, durante as formações, além de momentos de recreação e de esportes. Tivemos bons resultados com este projeto realizado junto aos jovens, pois as formações os ajudaram a ser mais responsáveis e mais maduros na fé. Temos, ainda, um vocacionado para a vida presbiteral que participa também dos encontros vocacionais da paróquia e do seminário, procurando um discernimento melhor de sua vocação. Agradecemos a Deus por ter nos ajudado a desenvolver este trabalho durante o ano de 2011, e peçamos a Ele que nos acompanhe e nos oriente no decorrer de 2012, para que continuemos firmes e perseverantes na missão de evangelizar os jovens de nossa Arquidiocese.

Seminarista Moisés dos Santos Júnior

7 Revista Arquidiocese


Liturgia Formação Litúrgica A letra e o Espírito

“Isso pode ou não pode?” “Devo fazer a inclinação toda vez que passar diante do altar?” “Palavras ou Palavra do Senhor?” Estas e outras questões parecidas, vez por outra, são causas de preocupação para nossas equipes e agentes da pastoral litúrgica. Refletem um espírito ruim que podemos chamar de formalismo, uma preocupação excessiva com a forma, deixando de lado o espírito que os sinais deveriam transmitir. A pior delas é a primeira citada acima: Pode ou não pode ? – é nefasta para uma saudável a autêntica prática litúrgica. Revela falta de capacidade de mergulhar no sentido das coisas, um apelo à norma como referência absoluta, sem relação com a teologia, a espiritualidade e a pastoral. Eis aí algo que precisamos afastar da nossa liturgia. Faz lembrar Paulo que nos alerta: “A letra mata e o Espírito é que dá a vida” (2 Cor 3, 6).

Entre a forma e o formalismo

Nossas celebrações gozam de uma natureza simbólica – sacramental, portanto, não podemos descuidar da forma ou das expressões. Por serem simbólicas , têm a ver com que é sensível e que passa pelos sentidos do nosso corpo (tato, olfato, paladar, visão e audição). Gestos, palavras e os símbolos terão importância no conjunto da celebração enquanto tiverem relação com a realidade oculta que fazem aparecer. Tomemos um exemplo: a inclinação diante do altar é uma maneira ritual de reconhecer o Cristo, pedra angular, alicerce da comunidade que se reúne para celebrar sua memória. O brevíssimo gesto exige aquela inteireza do ser, que ajunta consciência, gesto e coração amarrados pelo nosso espírito, espelho e abertura para Deus. Não adianta fazer a inclinação só porque está prescrita no cerimonial dos bispos. O espetáculo pode até ficar bonito, mas carente de sentido, vazio.

Para onde conduz o formalismo

O formalismo transforma a celebração em coisa chata, espetáculo sem graça, no qual a comunidade mais assiste do que participa. Reforça a idéia hierárquica da celebração como lugar em que a vaidade do poder se sobrepõe ao serviço ao Senhor, que se inclina para lavar nossos pés, dando-nos sua vida para nos libertar. “Entre vocês não deverá ser assim...” (Mc 10,43-45). O formalismo exige também outra angustiante dádiva: a preocupação com o desempenho. Aquela secreta preocupação que revela o quanto do ego colocamos em nossas ações litúrgicas: “ Será que eu me saí bem ? Revela pouco esvaziamento de nós mesmos, não deixando espaço para o Espírito de Deus conduzir nossas ações na liturgia.

Para vencer o formalismo

Diz uma reflexão judaica que Deus, ao criar o mundo, fez um movimento de contração e de expansão, formando um espaço onde pôde gerar a vida. Esse movimento foi chamado Zim Zum. Na liturgia é a comunidade inteira (assembléia, ministros leigos e ordenados ) que deve fazer esse esforço de criar espaço (Zim Zum) para que a vida e atuação de Deus se façam presentes. Por isso, o silêncio, a reverência diante de Deus antes da celebração são fundamentais para a vivência autêntica da liturgia. A consciência, o coração, o corpo e o espírito devem atuar conjuntamente em cada gesto, para que nossas celebrações sejam profundas e verdadeiras. Esse é um caminho que precisa ser recuperado e iniciado na liturgia. Requer formação litúrgica, interesse e conhecimento dos sinais (ritos, símbolos) e do sentido oculto que eles expressam. Acolher a fecunda tensão entre as normas, a teologia, a pastoral e a espiritualidade. Polarizar um desses eixos seria recair em algum tipo de excesso. O justo equilíbrio nos ajudará a encontrar a fonte da liturgia, dispensando os excessos e acolhendo as novidades do Espírito. Deixar de lado as picuinhas, os pormenores e os inúteis desgastes por causa das falhas e “escorregões” que vez por outra ocorrem nas celebrações. Ir sempre ao cerne da questão: como foi nossa participação no mistério de Cristo? Nossa celebração foi expressão do acontecimento que celebramos ou não? Por que? O que precisamos melhorar? Fonte:Jornal Opinião: Padre Danilo Cesar dos Santos Lima Mestrando em Liturgia, em Roma

Pe. Narci Jacinto Braga Assessor de Liturgia

Revista Arquidiocese

8


Escola Bíblica Campanha da Fraternidade 2012 Como acontece todos os anos, na quarta-feira de Cinzas tem início mais uma Campanha da Fraternidade (CF), com o objetivo de despertar a Igreja, através dos fiéis, e a sociedade, através dos poderes públicos, para um determinado problema, objetivando possíveis soluções para o mesmo. Esse ano a CF tem como tema: “Fraternidade e Saúde Pública” e como lema: “Que a saúde se difunda sobre a terra” (Eclo 38,8). Esta não é primeira vez que a CNBB propõe o tema saúde para a Campanha da Fraternidade, pois em 1981 o tema era “Saúde e Fraternidade” e o lema “Saúde para todos”. Diante da triste situação da saúde em nosso país, com hospitais e postos de saúde sucateados pelas más administrações, oferecendo tratamento indigno às pessoas, onde os enfermos são empilhados em macas e colchões, nos corredores e salas de espera, a CF terá como principal objetivo estimular ampla discussão sobre tal realidade. Durante a campanha todos são chamados a participar na busca de medidas e soluções que possam trazer melhoria do acesso à qualidade dos serviços e de vida da população. No tempo de Jesus a medicina era primitiva. A saúde era um problema normalmente resolvido por mortes prematuras ou doenças que se arrastavam por toda vida. Algumas enfermidades eram atribuídas aos “maus espíritos”. As inúmeras curas narradas pelos evangelhos retrata que a compaixão de Jesus pelos enfermos é imensa e deve servir de modelo para todos. No dia 11 de fevereiro, celebramos a memória de Nossa Senhora de Lourdes e, a Igreja lembra o Dia Mundial do Enfermo. Para esta ocasião, todos os anos, o Papa dirige uma mensagem especial para todos nós. No ano de 2011 ele nos

escreve: “esse momento torna-se ocasião propícia para refletir sobre o mistério do sofrimento e, sobretudo, para tornar as nossas comunidades e a sociedade civil mais sensíveis aos irmãos e irmãs doentes”. Em 2007, Bento XVI escreveu em sua Encíclica Spe salvi (sobre a esperança cristã): “a grandeza da humanidade determina-se essencialmente na relação com o sofrimento e com quem sofre. Isto vale tanto para o indivíduo como para a sociedade. Uma sociedade que não consegue aceitar os que sofrem e não é capaz de contribuir, mediante a compaixão, para fazer com que o sofrimento seja compartilhado e assumido, mesmo interiormente, é uma sociedade cruel e desumana”. A preocupação com a saúde também é manifestada por São João, o evangelista, ao escrever em sua terceira carta: “Caro amigo, desejo que estejas passando bem sob todos os aspectos e que tua saúde seja boa...” (3Jo 2) Que as iniciativas que serão promovidas pela Campanha de Fraternidade sirvam de estímulo para tornar cada vez mais eficaz o cuidado com os sofredores.

acaciovcarvalho@yahoo.com.br Escola Bíblica “Beato João Paulo II”

Os apóstolos e os primeiros discípulos de Cristo

Homossexualidade

Padres

A Igreja e seus ministros

Bento XVI

Ademildo Gomes e José Trasferetti

Vittorino Andreoli

Francisco Taborda, SJ

184 págs.

200 págs.

368 págs.

328 págs.

Nas origens da Igreja

R$ 22,00

Orientações formativas e pastorais

R$ 23,00

Viagem entre os homens do sagrado

R$ 35,00

Uma teologia do ministério ordenado

R$ 33,00

PAULUS Livraria Centro de Apoio aos Romeiros, s/nº — Lojas 44, 45, 78, 79 — Norte B | APARECIDA/SP CEP.: 12570-000 / Tel.: (12) 3104.1145 | aparecida@paulus.com.br

9 Revista Arquidiocese

Criação PAULUS / A PAULUS se reserva o direito de alterar ou retirar o produto do catálogo sem prévio aviso. Imagens meramente ilustrativas.

Assuntos diversificados e bem abordados você só encontra na PAULUS!


C omunicado das Paróquias, Pastorais e Movimentos Pastoral da Criança da Arquidiocese atuando em 14 paróquias A Pastoral da Criança da Arquidiocese de Aparecida tem alcançado várias conquistas trabalhando para que crianças, gestantes e famílias possam ter um futuro melhor, com mais dignidade e esperança. O voluntário da Pastoral da Criança realiza mais do que um trabalho junto às famílias que acompanha, ele tem uma missão de Fé e Vida, de fraternidade cristã, de amor e de co-responsabilidade social. Das dezoito paróquias que compõem a arquidiocese, a pastoral atuava em doze, mas em 2012 o trabalho está sendo reiniciado em mais duas paróquias, totalizando 14. Em toda a arquidiocese temos cerca de 5.632 crianças pobres e a pastoral acompanha 1.550 de zero a seis anos, sendo 33,8% de acompanhamento. Nosso objetivo é atingir 50%. Estamos presentes em 34 comunidades, acompanhando 1274 famílias e 85 gestantes. Contamos com 120 líderes e 94 apoiadores. Precisamos de mais líderes, apoio, para somar a este exército e atingir os 50% de acompanhamento das crianças e gestantes para que todas tenham vida e vida em abundância. Como dizia nossa querida Dr. Zilda Arns Neumann, fundadora da Pastoral da Criança, “O mundo não será melhor se ficar mais rico, mas o mundo será melhor se todas as pessoas crescerem em igualdade social e, principalmente, trazendo nos seus corações a fé e o espírito de Vida em abundância, sem corrupção, co-responsáveis, preservando a natureza, preservando a vida das pessoas, sejam elas quais forem, no mundo inteiro”. Maria Auxiliadora Silva de Abreu, coordenadora arquidiocesana.

Paróquia Nossa Senhora de Lourdes celebra padroeira

A paróquia Nossa Senhora de Lourdes em Guaratinguetá celebra, de 08 a 10 de fevereiro, o tríduo em honra de sua padroeira. Haverá missa na matriz todos os dias às 19h e, logo após, quermesse. No dia 11 de fevereiro, dia de Nossa Senhora de Lourdes, haverá benção dos enfermos às 15h e, no dia 12, domingo, missa às 19h e em seguida procissão luminosa pelas ruas da comunidade.

Programação da Paróquia São Pedro Apóstolo para fevereiro No mês de fevereiro, daremos início às inscrições para a catequese de Primeira Eucaristia, Crisma para jovens e Crisma para adultos. Terá início, também no dia 24, sexta-feira, a procissão da penitência, com início às 05h e, logo após, haverá a celebração da Santa Missa. E como de costume, pedimos que cada um leve algo para tomarmos o café da manhã, todos juntos. Todas as sextas-feiras da quaresma haverá a procissão da penitência. Dia 15- CPP Dia 22- 4a Feira de Cinzas Dia 24-Procissão da Penitência Dia 26- Abertura da CF 2012 na Paróquia

Revista Arquidiocese

10


Paróquia Senhor Bom Jesus realiza o 3º Festival do Milho Verde De 16 a 22 de fevereiro, a paróquia Senhor Bom Jesus em Potim promove o 3º Festival do Milho Verde, das 8h às 23h, no Centro de Pastoral. Haverá barracas típicas com pamonha – curau – milho cozido – sucos – bolos – sorvetes e salgados. Na abertura do evento haverá vigília na matriz, às 15h30; procissão saindo da matriz para o Centro de Pastoral às 19h e a missa de abertura às 19h30. Também será realizada vigília de orações das 08h às 23h, na Capela do Centro de Pastoral, envolvendo todas as pastorais e movimentos No mesmo período do festival será realizado na paróquia o Rebanhão 2012 com o tema: “Apascenta minhas ovelhas” e o lema “Quero voltar ao redil do Bom Pastor.”

Paróquia Santo Afonso abre inscrições para a catequese O mês de fevereiro na Paróquia Santo Afonso é todo dedicado a receber as inscrições para a Catequese de Primeira Eucaristia para crianças e adultos e também para os adolescentes e jovens que serão preparados o Sacramento da Crisma. A inscrição deverá ser feita pelos pais ou responsáveis, no horário de atendimento da secretaria paroquial e nas comunidades em seus respectivos horários. A idade mínima para iniciar na Catequese de Primeira Eucaristia é de 9 anos. É necessária a apresentação das certidões de Nascimento e de Batismo. A comunidade São Sebastião celebra seu padroeiro, entre os dias 03 e 12 de fevereiro, com celebração da Santa Missa todas as noites às 19h30. Neste ano será refletido o tema: “São Sebastião nos faz proclamadores e testemunhas do Evangelho”. No dia 09 de fevereiro será realizada grande carreata pelas ruas da cidade de Aparecida, com saída às 18h da Igreja de São Sebastião, logo após, haverá novena e missa. No dia 12, encerrando os festejos de São Sebastião, às 11h almoço com espetão; missa solene às 18h30 e, logo após, a procissão percorrendo as ruas da comunidade.

Correção A foto veiculada na matéria sobre o aniversário da Paróquia Santo Expedito, na edição de janeiro/2012, não era da Igreja dedicada ao santo em Guaratinguetá e sim da matriz de Nossa Senhora das Graças, também em Guaratinguetá.


N otícia

Parabéns, Dom Damasceno!

O Cardeal Arcebispo de Aparecida, Dom Raymundo Damasceno Assis, completa neste dia 15 de fevereiro, mais um ano de vida. Mineiro de Capela Nova, MG, ele assumiu nossa Arquidiocese em 25 de março de 2004. Em setembro de 2011, comemorou seu Jubileu de Prata Episcopal e, neste ano, celebrará, no dia 19 de março, 44 anos de Ordenação Sacerdotal. Nesta singela homenagem ao nosso querido Cardeal, publicamos, abaixo, mensagens de felicitações da família, do clero, da arquidiocese e dos amigos:

“Faz alguns anos que Deus te enviou para iluminar a todos com tua presença e neste dia mais que especial de evidência a tua chegada ao mundo, palavras não bastam para te homenagear, o senhor ë uma obra preciosa que Deus criou e revestiu com muitas e boas qualidades, uma grande pessoa que admiramos e queremos muito bem! Feliz aniversário!” Marcelino José de Assis – irmão de Dom Damasceno (em nome de toda a família) “A vida é um dom de Deus para dele dispormos para o nosso bem e o bem dos irmãos. Uma vida recebida e doada é uma vida rica e preciosa, que não cai no esquecimento, nem se acaba, permanece para sempre no coração de Deus e do próximo. Em nome dos funcionários da Cúria Metropolitana, saúdo Dom Raymundo, Cardeal, Damasceno Assis pela passagem de seu aniversário natalício, desejando que o bom Deus o cumule de bênçãos e graças, pela intercessão da Virgem Mãe Aparecida”. Padre Paulo Tadeu – Chanceler e Moderador da Cúria Arquidiocesana de Aparecida “Nós imaginamos um ideal de vida e em torno dele vamos agindo, mas é o Espírito Santo de Deus que vai nos iluminando e conduzindo. Certamente D. Damasceno durante a sua vida tem se deixado conduzir com docilidade por este Espírito que ilumina e direciona a Igreja. Por ocasião de seu aniversário natalício, nós padres da Arquidiocese de Aparecida e o povo de Deus estamos pedindo a Nosso Senhor que o conserve com saúde e sob a sua graça, lhe dê vida longa, sabedoria e paz na condução de seu povo”. Monsenhor Nelson Ferreira Lopes – Vigário Geral da Arq. de Aparecida e Pároco da Paróquia Senhor Bom Jesus, Potim “A coordenação de Pastoral da Arquidiocese de Aparecida comemora, com muita alegria, mais um aniversário natalício de nosso pastor, Dom Raymundo, Cardeal, Damasceno Assis e agradece pela sua presença entre nós. Aproveitamos para desejar sempre bom êxito em sua missão, saúde e alegria em servir ao Senhor nessa porção do povo de Deus”. Pe. Matusalém Gonçalves dos Santos, Coordenador de Pastoral da Arquidiocese “Neste momento especial em que toda a Igreja Particular de Aparecida renova seu agradecimento a Deus pelo dom da sua vida, nós, membros do CONSELHO ARQUIDIOCESANO DE ASSUNTOS ECONÔMICOS, que tivemos a grande honra de sermos escolhidos para servir nossa Arquidiocese, desejamos a Vossa Eminência Reverendíssima, muita saúde, paz e a contínua intercessão e bênçãos da Divina Pastora, Nossa Senhora Aparecida. Obrigado pela amizade, pelos ensinamentos e ajuda lúcida em nossas decisões, sempre voltadas para o amor ao próximo. PARABÉNS!” Júlio Barreto – Conselho Econômico da Arquidiocese “Dom Raymundo Damasceno é um “escândalo” da bondade de Deus! Para quem tem fé nada acontece por acaso, portanto há sim uma predestinação na vida deste homem vindo das alterosas... Afinal, são 75 anos: um evangelho para anunciar, esperança e alegria a contagiar, amor para partilhar, pão para repartir e consagrar, um rebanho para apascentar... Quanta satisfação em participar dessa vida rica de bondade e de experiência! Mil vezes: PARABÉNS!” Pe. Darci Nicioli CSsR – Reitor do Santuário Nacional e Missionários Redentoristas “Em meu nome e de toda a Sub-Região pastoral de Aparecida, quero cumprimentá-lo efusivamente pelos seus 75 anos de vida. Vossa Eminência pela sua vocação, missão e encargos pode considerar-se verdadeiramente uma pessoa feliz. Deus o abençoe sempre com mais vida, saúde e graças. “Ad multos annos”. In Domino”. + Dom Carmo João Rhoden, SCJ, Bispo de Taubaté e presidente da Sub-Região de Aparecida Revista Arquidiocese

12


“Como timoneiro da nossa equipe, desejamos com todo carinho, que siga navegando em nossa companhia e dirigindo esta pequena barca, que tanto lhe ama. Parabéns, muitas felicidades e que Deus guarde seus caminhos. Com abraços carinhosos e todo o amor de cada membro da Equipe 09 de Brasília”. Iris e Baquero, Brasília, DF, ENS 9. “Para nós da Equipe 13-C, do Movimento das Equipes de Nossa Senhora, é imensa a alegria pela passagem de mais uma data natalícia do nosso querido amigo Dom Raymundo. Há quase trinta e cinco anos Dom Raymundo é nosso Conselheiro Espiritual. Com seus sábios conhecimentos nos tem transmitido firmes orientações sobre a Doutrina da Igreja e a família, núcleo da sociedade. Parabéns Dom Raymundo, que o Espírito Santo o continue orientando em seu pastoreio. São os votos da Equipe Nossa Senhora do Perpétuo Socorro”. Thereza e Landim, Brasília, DF, ENS 13. “Hoje é um dia de grande júbilo, quando os anjos do Céu e os amigos daqui da terra festejam o seu aniversário. Para nós e para os amigos de São Paulo foi um grande privilégio e uma graça de Deus poder contar com a sua amizade por mais um ano. Pedimos a Deus com muita fé, que Ele o conserve sempre esse pastor exemplar, modelo de bondade e santidade. Receba os nossos parabéns com votos de muita alegria e felicidade”. Silvia e Luiz Aquino, SP. “O Seminário Missionário Bom Jesus, na pessoa dos formadores e seminaristas, celebra a alegria do dom da vida de nosso pastor, Dom Raymundo Damasceno e louva a Deus pela benção de sua presença junto a nós. Que desça dos céus ricas bençãos sobre sua vida e ministério. Que o bondoso Deus lhe conceda saúde, paz, fortaleza e alegria para seguir o caminho testemunhando Jesus Cristo a todas as pessoas. Obrigado pelo dom de sua vida e por sua vida feita dom para nossa Igreja. Feliz Aniversário!” Seminário Missionário Bom Jesus. “Parabéns, Dom Damasceno, pelos 75 anos de bênçãos! Ao louvar e bendizer a Deus pela vida de Dom Damasceno, entoamos um canto de gratidão pela sua presença sempre afável e simpática, suas palavras cheias de bondade e atenção, e a alegre convivência com a qual ele tem presenteado a CNBB. O Secretário Geral da CNBB, assessores/as e colaboradores/as manifestamos nossa estima sincera, suplicando ao Pai do Céu conceder ao nosso querido presidente a bênção da saúde e da paz.” Dom Leonardo Ulrich Steiner - Bispo Auxiliar de Brasília - Secretário Geral da CNBB. “Caro Dom Damasceno, nestes anos de convivência, somos todos testemunhas de que sua vida é total entrega pelo Reino de Deus e pela sua Igreja. Entrega alegre e humilde, serena e constante, de quem aprendeu do próprio Cristo, que viver é servir, e servir com alegria. Obrigado pelo seu exemplo de zeloso pastor. Parabéns e que a Virgem Mãe Aparecida o conduza e proteja sempre.” Mons. Marcony - Roma. “Prezado Dom Damasceno, muito obrigado! Cada momento na presença do senhor é sempre um aprendizado, tento aproveitar ao máximo. São lições de humildade, fidelidade, disponibilidade, piedade, bom senso... e tudo isso com muito seriedade e alegria. O senhor é o modelo de pessoa consagrada que a Igreja precisa, mostra com a vida que seguir Jesus Cristo nos faz plenamente realizados. Obrigado pelo exemplo, por ter me concedido a honra de acompanhá-lo por ocasião do cardinalato e principalmente por poder chamá-lo de amigo. Parabéns, que Deus o abençoe, pela intercessão da Mãe Aparecida. Com admiração e respeito.” Pe. Paulo Renato - Roma.

Aniversariantes de Fevereiro Dia 10/02 – Padre José Carlos de Melo – Paróquia Puríssimo Coração de Maria – aniversário natalício Dia 16/02 – Padre Peixoto – Paróquia Santo Expedito – aniversário natalício


E spiritualidade Espiritualidade da Comunhão:

Nisto todos saberão que somos seus discípulos Já iniciamos o ano e com fé em Deus, força e coragem retomamos nossas atividades evangelizadoras em nossa Arquidiocese, em nossas comunidades, pastorais e movimentos. Qual deve ser o espírito a nos animar em nossa missão evangelizadora? Somos uma comunidade de irmãos? Estamos unidos no anúncio e testemunho da boa nova de Jesus Cristo? Entre as comunidades eclesiais, nas quais vivem e se formam os discípulos e missionários de Jesus Cristo, sobressai a nossa paróquia que é célula viva da Igreja o lugar privilegiado no qual a maioria dos nossos irmãos tem uma experiência concreta de Cristo na comunhão eclesial. Somos chamados a ser escolas de comunhão. Do agente de pastoral espera-se uma boa espiritualidade para que a comunhão aconteça: celebrar o sacramento da Eucaristia e da Reconciliação, meditar a Palavra de Deus, rezar sempre e promover atitudes de integração e unidade entre os irmãos. Não deve haver em nossas comunidades lugar para divisão, hostilidade, desentendimentos, indiferença, etc. O meu irmão é para mim promessa de redenção e jamais uma ameaça. O próprio Jesus nos diz que nos reconhecerão pelo amor: “Nisto saberão que sois os meus discípulos, se vos amarem uns aos outros.” (Jo 13, 34-35) Nossa comunidade tem dado testemunho de comunhão? Precisamos crescer neste propósito de unidade. Inadmissível uma comunidade desunida, onde ninguém se entende, onde não há amizade, amor, respeito mútuo. O testemunho acontece na vivência comunitária da fé eclesial, de tal modo que as comunidades cristãs sejam “sinal da presença divina no mundo”. A comunidade cultiva sua ligação profunda com o mistério de Deus em Cristo, pela fé vivida no cotidiano de suas tarefas humanas, alimenta essa fé na celebração da Palavra e dos sacramentos; e se fortalece desta forma, para o serviço ao mundo, articulando dons, carismas e ministérios para a plena realização de sua missão evangelizadora. Nossa comunidade é dom de Deus, nela somos irmãos e Cristo nos preside nesta escola do amor. Que nossas comunidades sejam espaço de formação, de conversão, de maturidade cristã e de comunhão missionária! Pe. André Gustavo de Sousa Formador do Seminário Missionário Bom Jesus Assessor da Comissão Bíblico-Catequética da Arquidiocese de Aparecida

Revista Arquidiocese

14

Aconteceu na Arquidiocese Paróquia Nossa Senhora de Fátima

acolhe novo pároco

A Paróquia Nossa Senhora de Fátima em Guaratinguetá comemorou no mês de dezembro um natal muito diferente. Ganhamos um presente do menino Deus em vez de nós darmos a Ele um presente. Ganhamos uma nova luz para guiar nossos passos como porção do povo de Deus; uma nova vela foi acesa em nosso meio para nos indicar o caminho a seguir; um novo sinal do amor de Deus para com seu povo nos foi concedido. Um maravilhoso presente foi trazido ao nosso meio por nosso pastor e dado com amor e carinho a esta paróquia. No dia 20 de dezembro de 2011, uma terça-feira, o Pe. Luiz Fernando de França Lopes foi nomeado e empossado como pároco desta porção do povo de Deus da paróquia Nossa Sra. de Fátima. Uma alegria muito diferente tomou conta de nossa paróquia, numa celebração singela e alegre, realizada na igreja Matriz, localizada no bairro Beira Rio I, que contou com a presença do nosso querido pastor Dom Raymundo Cardeal Damasceno Assis, de sacerdotes de nossa arquidiocese, e de muitos fiéis paroquianos. Juntos cantamos, rezamos, e louvamos ao Senhor Deus por nos conceder esta graça. Pudemos sentir nesse dia em nosso coração a certeza da ação de Deus em nossas vidas e a poderosa intercessão da mãe de Jesus neste pedaço de terra dedicado a Ela. Neste dia, também, foi constituído o COPAE (Conselho Paroquial para Assuntos Econômicos) que ajudará nas ações administrativas, juntamente, com o novo pároco, visando fortalecer e dar toda transparência a sua administração. Conseguimos celebrar neste Natal a luz, o amor , a glória , a paz, a fé, a misericórdia ... Luiz Henrique O. Gonçalves Coordenador do COPAE


Informe: A Arquidiocese de Aparecida, por meio de seu Arcebispo, Dom Raymundo Cardeal Damasceno Assis, informa a todo o Povo de Deus que a Rádio Web oficial da Arquidiocese é www.radiofreigalvao.com , que também pode ser acessada pelo portal www.arquidioceseaparecida.org.br. Também é veículo de comunicação oficial da Arquidiocese o site: www.santuariofreigalvao.com 15 Revista Arquidiocese


Revista da Arquidiocese de Aparecida - Fev 2012  

Revista da Arquidiocese de Aparecida - Fev 2012

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you