Page 1

Bicentenário da Revolução Republicana de 1817

N

Peça ‘A Forca’ sendo encenada no Largo do Amparo em Goiana-PE - SPA

11 DE MARÇO, no município pernambucano de Goiana, houve o encerramento da semana comemorativa dos 200 anos da Revolução Republicana de 1817. Durante toda a semana (que começou no dia 06, dia do estopim da Revolução no Recife), alvorada, atividades nas escolas, hasteamento de bandeiras, sessão solene na Câmara Municipal de Goiana e outras atividades integraram as comemorações. O evento foi organizado pelo Instituto Histórico e Geográfico de Goiana – IHAGOO que gentilmente convidou institutos históricos paraibanos para participar, já que a Paraíba partilhou dos ideais revolucionários e fez parte desta república independente. Inicialmente, no largo da Igreja Nossa Senhora do Amparo, que hoje é a sede do IHAGOO, houve a encenação de uma peça teatral em seguida um cortejo onde O DIA


Boletim Informativo da Sociedade Paraibana de Arqueologia - Nº 132 - issn 2176-1574

Praça Frei Caneca, Goiana-PE - SPA

os atores mártires saíram do largo e se dirigiram para a Praça Frei Caneca onde teve fim a peça „A Forca‟, seguindo com o hasteamento dos pavilhões ao som do Hino de Goiana (executado pela Banda Curica) e o pronunciamento das autoridades. Na mesa, Joaquim Osterne esteve em lugar de destaque.

Thomas, Ida, Osterne e Camilo - SPA

Descerramento da placa comemorativa - SPA

Projeto paredes que contam história - SPA

Já no início da noite, Thomas Bruno e Joaquim Osterne, ao lado de Harlan Gondim (Presidente do IHAGGO) e George Cabral (Presidente do IAHGP) descerraram a placa comemorativa do bicentenário da Revolução, levando aos pés do monumento uma coroa de flores em homenagem aos revolucionários mortos. O evento teve fim com o Santo Sacrifício da Missa por ocasião do Bicentenário da Revolução Republicana Pernambucana de 1817 na Igreja do Carmo. Relembrar a Revolução Republicana de 1817 é valorizar um movimento que foi o único a tomar o poder, lançando bases da matriz política que temos atualmente. Foi interessante ver o envolvimento não só de intelectuais como também da população em geral numa grande aula de história e educação patrimonial.

Março de 2017

Hasteamento dos pavilhões - SPA

2


Boletim Informativo da Sociedade Paraibana de Arqueologia - Nº 132 - issn 2176-1574

Sítio arqueológico é escavado em Pocinhos-PB

A

Prof. Juvandi Santos e Thomas Bruno - SPA

ESCAVAÇÕES no sítio Lajedo do Cruzeiro ocorreram entre os dias 3 e 12 do mês de março, com o apoio do Instituto Memorial da Borborema, Prefeitura Municipal de Pocinhos e do Laboratório de Arqueologia e Paleontologia da UEPB, tendo como coordenadores os arqueólogos Flávio Moraes e Plínio Víctor. Esta escavação é parte da pesquisa de doutorado do arqueólogo Flávio Moraes, que ainda pretende escavar outros sítios arqueológico em Pocinhos-PB e em Boqueirão-PB. A pesquisa tem como objetivo realizar uma caracterização biológica dos povos Cariri que ocuparam desde a pré-história a região do Planalto da Borborema. As informações que se dispõe até o momento sobre esses povos são advindas de escritos dos cronistas que estiveram na região no Entrevista concedida à TV Borborema - SPA período colonial, e são demasiado restritivas no que se refere a algumas caraterísticas como a condição de saúde desses grupos, do que se alimentavam, se havia divisão entre os sexos nas atividades desenvolvidas, se haviam privilégios alimentares que estariam relacionado à condição de

Março de 2017

S

3


Boletim Informativo da Sociedade Paraibana de Arqueologia - Nº 132 - issn 2176-1574

Trabalho de campo - SPA

Crânio sendo evidenciado – Flavio Moraes

enterramento conseguimos encontrar objetos pessoais utilizados por eles, tais como artefatos líticos, contas de colares, e ossos de aves (bico de periquito). Também se identificou a presença de ossos de crianças com marcas de corte intencionais. O material ainda será analisado em laboratório para se tentar identificar quais as possíveis intenções de se partir os ossos de crianças perimorten. Colar de contas de ossos de animais – Flavio Moraes Todo o material proveniente da escavação agora segue para o Laboratório de Arqueologia e Paleontologia da UEPB, para que possamos realizar as análises necessárias, e algumas amostras possivelmente seguirão para datação na Espanha. As datações das amostras serão feitas tão logo se consiga recursos e a permissão do iphan de envio de amostras arqueológicas para o exterior.

Março de 2017

status dentro do grupo. Todas essas informações podem ser aferidas dos esqueletos dos indivíduos. Na escavação no sítio Lajedo do Cruzeiro foi possível confirmar a existência de um cemitério, provavelmente cariri, com enterramento secundário coletivo, e indivíduos de várias faixas etárias, desde recém-nascidos a indivíduos adultos. Associado a esse

4


Boletim Informativo da Sociedade Paraibana de Arqueologia - Nº 132 - issn 2176-1574

Conscientização patrimonial no município de Passagem-PB

N

SPA

10 DE MARÇO o consócio Erik Brito foi até o município de Passagem, distante 110 km de Campina Grande, para realizar palestras de conscientização sobre o patrimônio histórico e arqueológico do local. As palestras se deram na EMEF Carlos Monteiro de Oliveira e no Centro Recreativo Severino José Teixeira, envolvendo alunos de ensino fundamental II. O projeto é do prefeito local, Magno Martins em conjunto com o educador Ademauro Bezerra, e visa instigar o espírito cultural e de preservação nos jovens passagenses. Como a maioria dos municípios interioranos da Paraíba, Passagem sempre sofreu com o descaso histórico e patrimonial, sendo quase que totalmente desconhecida a sua história, bem como seu patrimônio, que vem gradativamente se deteriorando, como a estação ferroviária que hoje se encontra demolida e o sítio arqueológico do Poço do Caudaloso, que sofreu danos irreparáveis com o rompimento de SPA uma barragem. (

Março de 2017

O DIA

5


Boletim Informativo da Sociedade Paraibana de Arqueologia - Nº 132 - issn 2176-1574

Palestra sobre paleografia é dada no curso de Arquivologia da UEPB

Casarão dos Azulejos - Wikipedia

Março de 2017

N

o dia 22 de março de 2017, os confrades da SPA Prof. Dr. Juvandi de Souza Santos e o Prof. Me. Thomas Bruno Oliveira foram convidados pela Profa Dra. Eliete Correia dos Santos, do curso de Arquivologia da UEPB para uma participação no Projeto SESA – Seminário de Saberes Arquivísticos. A palestra intitulada “Paleografia: A variação diacrônica da linguagem e o processo de Leitura dos Documentos” foi ministrada aos alunos do curso nos turnos da manhã e noite. A oportunidade foi bastante interessante no tocante ao estreitamento de laços entre os cursos da Universidade e parcerias devem ser feitas nos próximos meses. De imediato, os Professores Juvandi Santos e Thomas Bruno foram convidados para minisrar um minicurso no VIII SESA – Seminário de Saberes Arquivisticos a ser realizado em agosto próximo com o tema: „Arquivologia: Convergências e Perspectivas‟.

6


Boletim Informativo da Sociedade Paraibana de Arqueologia - Nº 132 - issn 2176-1574

IPHAEP recupera Casarão dos Azulejos e serviços devem começar em maio

Casarão dos Azulejos - Wikipedia

Março de 2017

O

Casarão dos Azulejos, pertencente à Secretaria de Estado da Cultura e tombado pelo Governo do Estado, por meio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba (Iphaep), será recuperado e, após a execução do projeto, entregue à Secult para a destinação do seu uso. “Faltam apenas alguns ajustes no projeto, para que a obra seja iniciada. A previsão de início será no mês de maio”, anuncia a diretora executiva do patrimônio estadual, Cassandra Figueiredo Dias. Segundo ela, todos sabem que um imóvel sem uso contribui, consideravelmente, no aceleramento do processo de degradação, ainda mais uma edificação construída no século XIX, exemplar significativo de um bem patrimonial. “Portanto, é a partir da preocupação com a recuperação e a observância quanto ao procedimento de intervenções em um imóvel tombado que estão sendo finalizados todos os estudos para o início da obra”, explicou Cassandra. Um Memorial Descritivo referente à conservação do Casarão dos Azulejos está sendo finalizado e será entregue, ainda na primeira quinzena do mês de abril, à diretoria do Iphaep. A autoria do projeto é resultado do trabalho de dois dos técnicos do patrimônio estadual: os arquitetos e urbanistas Gabriela Pontes Monteiro (Coordenadora de Arquitetura e Ecologia) e Danilo Bezerra de Oliveira (Coordenador Adjunto da Comissão do Centro Histórico de João Pessoa). “Osserviços previstos são resultados de uma TAC – Termo de Ajustamento de Conduta – e compreendem procedimentos de manutenção e reparação, buscando tratar e corrigir danos para manter a integridade física e o bom funcionamento da edificação”, diz o documento.

7


A realização de obras no imóvel vem em decorrência da aplicação de recursos provenientes da reversão de danos ocasionados a outro imóvel, situado no município de João Pessoa/PB. “Ressaltamos que o projeto apresenta, prioritariamente, medidas emergenciais para a contenção dos danos e consolidação do invólucro da edificação, impedindo que os agentes responsáveis por sua deterioração avancem, evitando assim maiores perdas”, detalharam os arquitetos do Iphaep. O Memorial Descritivo explica quais os objetivos da intervenção do imóvel, construído no século XIX, dizendo que a proposta do Iphaep é efetuar serviços de conservação e preservação no Casarão dos Azulejos, para corrigir danos causados por agentes diversos, conter o avanço do processo de Casarão dos Azulejos - turismo.joaopessoa.pb.gov.br degradação presente e estabilizar o bem como um todo. “Pretende-se aproveitar a intervenção para promover melhorias pontuais de acessibilidade e de instalações prediais, garantindo um bom funcionamento da edificação”, adiantou. A equipe da Coordenadoria de Arquitetura e Ecologia do Iphaep elaborou o projeto de arquitetura e a listagem e descrição de serviços a serem executados no Casarão dos Azulejos, observando, criteriosamente, as diretrizes normativas previstas no Decreto Estadual nº 25.138/2004, referente à delimitação do Centro Histórico de João Pessoa. “No presente trabalho será feita a identificação dos problemas existentes, resultando na indicação dos procedimentos técnicos a serem cumpridos para solucionar as patologias encontradas. Por fim, serão descritos e quantificados os serviços de manutenção e reparo necessários para a conservação do Casarão dos Azulejos”, diz o documento. Imóvel secular – O Casarão dos Azulejos foi construído no século XIX, está localizado na esquina entre a Praça Dom Adauto e a Rua Conselheiro Henriques, Centro de João Pessoa/PB. O imóvel, de nº 159, foi inicialmente conhecido como Sobrado Comendador Santos Coelho. Os arquitetos do Iphaep lembram que ele é um imóvel de singular valor artístico, por se tratar de um dos últimos remanescentes que apresentam a utilização de azulejaria portuguesa em suas fachadas. É tombado através do Decreto Estadual nº 8.632/1980. Além disso, a edificação situa-se em uma das quadras mais antigas da capital, compondo o traçado e a paisagem urbana juntamente com as igrejas e casario do seu entorno. “O Casarão integra um conjunto de bens imóveis de incontestável valor cultural, protegido pelo tombamento do Centro Histórico de João Pessoa, homologado tanto na esfera estadual (através do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba-Iphaep), como na nacional (através do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional- Iphan”, revela a diretora do patrimônio estadual. Conforme lembra Cassandra Figueiredo, a elaboração do projeto do Memorial seguiu as seguintes etapas: Pesquisa em arquivos e projetos anteriores; vistorias técnicas no imóvel; levantamento métrico para correções de dados; levantamento fotográfico para registro da situação atual; análise do estado de conservação dos elementos arquitetônicos

Março de 2017

Boletim Informativo da Sociedade Paraibana de Arqueologia - Nº 132 - issn 2176-1574

8


Boletim Informativo da Sociedade Paraibana de Arqueologia - Nº 132 - issn 2176-1574

e estruturais e o mapeamento de danos externos (desenhos arquitetônicos em AutoCad e quadro ilustrado de esquadrias). Além disso, também foi executada a proposta de projeto de conservação (desenhos técnicos e descrição de procedimentos a serem adotados); quantitativos (preenchimento do memorial de cálculo) e, por último, a composição de planilha de serviços e de orçamento. “Estamos esperando apenas a confirmação desse último dado – a planilha de serviços e de orçamento – para que a obra no Casarão dos Azulejos seja iniciada”, diz Cassandra. “Isso deve acontecer, provavelmente, até o fim de abril ou começo de maio”. Fonte: Paraiba.pb.gov.br

Reunião da SPA

N

15 DE MARÇO, o novo Presidente da SPA Prof. Juvandi de Souza Santos convocou uma reunião da entidade para discussão e estimativa de atividades para o ano de 2017. A reunião ocorreu nas dependências do Laboratório de Arqueologia e Paleontologia da UEPB e, Reunião no LABAP / UEPB segundo o Presidente, será cada vez mais assídua, em prol de uma entidade cada vez mais forte. O DIA

Março de 2017

– Mapa de atuação da SPA em março de 2017 –

9


Marรงo de 2017

Boletim Informativo da Sociedade Paraibana de Arqueologia - Nยบ 132 - issn 2176-1574

10

Boletim da SPA 132 mar 2017  

Está no ar o Boletim Informativo da Sociedade Paraibana de Arqueologia - SPA (Eletrônico) Nº132- ANO XI - Março de 2017. Confiram nesta ed...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you