Page 1

A. ROSA DA SILVA Arquitectura | Architecture

Arquitectura | Architecture 2002 - 2011


A01. O CUBO E A ESCADA The cube and the stairway

Local / Data 01-1998 Tipo: te贸rico

www.arqrosadasilva.com /漏2010 arqrosadasilva@gmail.com

01


Exercicio teórico que toma como referência um quadrado com 12 metros de lado, construir um hexaedro regular. Ordenar o espaço interior recorrendo a uma escada. O cubo assente numa das faces estabelece a fronteira -epiderme- entre um espaço interior e um espaço exterior. O espaço interior foi ordenado recorrendo á relação geométrica entre o circulo e o quadrado, mas apoiado contudo num percurso teórico: uma entrada, um sistema distributivo, um objectivo. Theoretical exercise, it takes as a reference a square 12 meters side, objective: build a regular hexaedros. Plan and regulate the interior with the use of a stairway. The cube, rising on one of its face, set’s the boundary=epiderme between the interior and exterior space. The space was regulated with the use of the geometrical relation between the circle and the square, backed up in a theoretical pathway: an entrance, a distributive system, an objective.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

02


A02. ABRIGO DE MONTANHA PARA POETA INTROSPECTIVO Poet’s mountain shelter

Local / Data Arrábida 04-1998 Tipo: teórico

O abrigo situa-se num pequeno planalto virado para o mar, no extremo poente da Serra da Arrábida. O programa destina-se a servir as acções minimas do quotidiano:alimentação, higiene, estadia e repouso. Um muro delimita o abrigo a norte, servindo como espinha dorsal de todo o projecto. Um núcleo formado pela casa de banho, lareira e apoios de cozinha, concentra todas as áreas funcionais do abrigo, libertando o espaço e gerando espaços á sua volta, no extremo poente - o quarto e a zona de entrada -, no extremo este - a sala com frentes a sul e norte, a cozinha e zona de circulação entre o pátio exterior e a entrada ficam a norte.Os materiais utilizados são o adobe, a madeira e a pedra. The shelter is located in a small plateau facing the sea in the east point of Arrábida mountain range. The program fit´s the basic human daily actions: - eating, hygiene, permanence and repose. The north wall stand´s as the backbone of the project. The nucleus includes, the bathroom, fireplace and kitchen freeing and generating space around it., In the east end, the room and entrance to the shelter, in the west, the living room facing both south and north views, in the north close to the wall, the kitchen, entrance and the exterior courtyard. The material’s: earth, timber and stone.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

03


A03. OBSERVATÓRIO DA NATUREZA Nature center

Pretende-se construir um abrigo\observatório, com capacidade para acolher 2 a 3 pessoas por curtos períodos de tempo na zona envolvente da Herdade do Pinheiro, na margem norte do estuário do Sado, onde as zonas de sapal e montado se interligam por um canal de irrigação. O canal de irrigação corre a uma cota de 3 metros em relação á zona de areia e sapal, o abrigo aproveita este desnível para se acomodar por debaixo de terra, virado para a zona de observação. A entrada do abrigo faz-se pela margem oposta ao sapal, por uma escada subterrânea que envolve o canal dando acesso ao piso inferior do abrigo, que é totalmente subterrâneo. No piso inferior, um quarto, uma cozinha e uma sala proporcionam as condições minimas para o abrigo dos investigadores. No piso superior, acessível por uma escada proveniente do vestíbulo da escada subterrânea, encontra-se a zona de

Local / Data Herdade do Pinheiro 10-1998 Tipo: teórico

observação, que abrange todo o piso situado ao nível do solo, uma grande zona envidraçada proporciona condições de observação em ambiente protegido aos investigadores. No piso superior uma escada dá acesso a um pequeno passadiço, que se liga através de rampas a uma ponte sobre o canal. O piso inferior recebe luz exterior proveniente de aberturas ao nível do solo. A solução “enterrada” proporciona o mínimo distúrbio na paisagem,oferecendo a possibilidade de observação ao nível do solo, satisfazendo as necessidades de um abrigo.

top of a 3 meter slope. The observatory takes advantage of the slope to get underground, facing the observation area.The entrance is on the far side of the channel by an underground stairway leading to the low level floor and all the functional dependencies of the shelter. On the upper level, the observation area takes the whole floor. The undergorund solution gives ground observation facilities and minimum landscape disturbance providingthe basic needs of a shelter.

To build a shelter\observatory housing 2 to 3 person’s in short period’s of time in the surrounding area of Herdade do Pinheiro on the river sado north shore, where the flooding and land areas connect through the Alcacer Irrigation channel. The irrigation channel runs at the www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

04


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

05


A04. MUSEU PARA TRÊS OBRAS DE ARTE Three works of art museum

Local / Data 04-1999 Tipo: teórico

Abrigo subterrâneo para três obras de arte,uma escultura de Donald Judd, um quadro de Almada Negreiros e a maquete do projecto. O museu/abrigo tem de contemplar uma entrada ao nivel do solo, uma recepção, um gabinete, instalações sanitárias e espaços de exposição para as obras de arte. Conceptualmente o abrigo baseia-se num percurso em espiral labirintica, A entrada situa-se ao nivel do solo, por uma escada chega-se a uma zona de recepção, o percurso faz-se no sentido dos ponteiros do relógio, no nivel da recepção a primeira sala abriga o quadro de Almada Negreiros, descendo temos a sala com a escultura de Donald Judd, uma escada devolve-nos ao piso da recepção, um corredor contêm no seu eixo de simetria a maquete exposta dando-nos a perspectiva final do espaço visitado. As salas de exposição são iluminadas por luz zenital proveniente de pequenos pátios abertos no centro da espiral. Museum for three work’s, a sculpture by Donald Judd, a painting by almada Negreiros and the scale model of the museum. The underground museum has an entrance at ground level, a reception, sanitary instalations and expositions spaces for the works. Conceptualy the museum runs through a bidimensional spiral starting on the reception, going through the exposition rooms and ending in the entrance at ground level.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

06


A05. EDÍFICIO MISTO Comercial and residential building

Local / Data Setúbal 12-1999 Tipo: teórico

O projecto de um edifício comercial e residencial serve de pretexto para a reabilitação de um pequeno troço da ligação pedonal miradouro - Av. Luísa Tody em setúbal. Um pódium no miradouro serve de plataforma para acolher um restaurante e uma pérgola /miradouro. O restaurante tem uma forma de ferradura, projectando-se na direcção do rio, no piso superior, duas grandes janelas priveligiam a vista sobre a cidade. Com início no pódium do miradouro, uma escadaria atravessa transversalmente toda a zona de intervenção, ligando todas as partes da solução urbana, indo terminar no átrio formado pelos dois blocos de habitação. Os blocos de habitação constituem o núcleo do projecto variando as tipologias entre o T1 e o T2 dúplex, o acesso ao fogos faz-se por galeria exterior. The residencial and commercial building project gives way and reason to an integrated urban traject rehabilitation connecting the miradouro site to Av. Luísa tody in Setúbal. Starting in the miradouro area, a transversal urban stairway connects the intervention area and ends at the atrium formed by the two habitational blocks. .

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

07


A06. ESCOLA DE MÚSICA Music School

O projecto consiste na adaptação do Cine-teatro Luisa TodI em Setúbal para uma escola de música. A área de implantação inclui o Cine-teatro, a rua lateral em impasse e duas edificações que lhe são imediatamente confinantes. A área total de implantação é de aproximadamente 2000m2. Conceptualmente, o edificio é um grande corpo alongado no sentido da Avenida Todi, constituido por três núcleos, distintos na forma e materiais e correspondendo cada um deles ás grandes zonas chave do projecto; o núcleo cúbico contêm as infa-estruturas destinadas ao ensino e apoio pedagógico; o núcleo imediatamente adjacente anteriormente ocupado pelo cine-teatro Luisa Todi, contêm um auditório com capacidade para 400 pessoas e outro com capacidade para 70 pessoas; o núcleo triangular em consola liga estes dois espaços através de uma rampa interna e abriga na pendente as salas em anfiteatro(auditório e salas de música) e os gabinetes de apoio á direcção e secretariado. O projecto foi desenvolvido em duas fases, a 1ºfase corresponde ao desenvovimento de um estudo prévio, onde estão resolvidos todos os conceitos de projecto, na sua forma e conteúdo, bem como na sua resuloção

Local / Data Setúbal 06-2000 Tipo: proposta

funcional. A 2ª fase, procura aprofundar as propostas apresentadas na 1ª fase numa zona especifica do projecto, nomeadamente no que diz respeito á organização e metodologia de projecto, bem como no respeitante ás opções relativas ao uso de diferentes materiais e métodos construtivos. The project takes on the conversion of Setubal´s mid fifties theatre into a modern music school. The site includes: the existing theatre, the closed side street and two old obsolete buildings. Conceptualy, the building is a big alongated body with trhree key zones, diferenciated in form and material: - the cubic nucleus houses the teaching and pedagogic infrastructures; - the main area, occupied by the old building, contains an auditory for 400 people and a smaller one for 70 people; - the triangular volume connects the two spaces with an internal ramp giving acess to several reharsal rooms. The project was developed in two separated fases, a previous study were, all conceptual and funcional aspects are solved and a second fase with execution drawings, materials and project methodology.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

07


L

N

A

B

C

D

E

F

G

H

I

J M

O

www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

08


Nivel

Nivel

6

5

+ 19,5 +18

+ 16,5 +15 +14

Nivel

Nivel

Nivel

Nivel

Nivel

4

3

+ 13,5 +12

+ 10,5

+10

3,8

+9

+ 7,5

2

+6

+ 4,5

1

+3

+ 1,5

0

0,00

3,8

www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

10


0,23

0,13 1,52

0,88

RT

EE

GM PV

3,22

GCP DL

Vi3

DL

2,58

Ve1

RB AE

RA

1,22

0,94

SP

EE

GM GCP

DL

Vi4

PV

7,32

7,54

17,16

DL PV

6,58

0,33

0,2

1,89

Pi4 M

AE

3,28

0,94

CO

RA

0,2

PE

EE EA

3,5

EE

CT

9

BA

D

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

11


A07. COLUNA DE ACESSOS Access column

Local / Data 10-2000 Tipo: teórico

Estudo para coluna de acessos de edifício habitacional com tipologia esquerdo-direito. Project study for the acess column of a residential building, left-right typologie.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

12


A08. REVITALIZAÇÃO URBANA - BAIRRO SANTOS NICOLAU, SETÚBAL Urban revitalization - Santos Nicolau quarter, Setúbal

No contexto da expansão de Setúbal, a zona oriental constitui um território de grande desenvolvimento urbano, onde a área envolvente ao local em estudo (uma das primeiras zonas de evolução da cidade) é dotada de uma malha urbana reticulada regular e regrada. Este território apresenta algumas caracteristicas históricas e uma localização privilegiada, relativamente ao rio e á cidade. Pela sua estruturação viária, este bairro (Santos Nicolau), apresenta não só um traçado existente de uma memória viva da sua história urbana, mas também um potencial de desenvolvimento com vista à criação de uma cidade complexa, intensa, moderna e coerente. Esta área periférica ao núcleo da cidade de Setúbal, sofreu uma desvalorização da sua imagem, com a consequente exclusão da Urbe. È necessário revalorizar a sua imagem através da arquitectura, o que pode ser conseguido através de restruturações morfológicas, diversificações tipológicas, uma imagem arquitectónica de qualidade, inovação e espaços públicos. Conseguida a revalorização, esta área e o tecido urbano envolvente próximo tornar-se-ão num espaço emblemático de Setúbal, em confronto com a zona ocidental da cidade.

Local / Data Setúbal 01-2001 Tipo: proposta

terceira zona, constituída pela frente marginal á Estrada da Graça e pontuada de edifícios de carácter industrial, muitos deles devolutos. O objectivo é encontrar soluções de baixo impacte ambiental que promovam a ligação destas três plataformas ou níveis. Neste contexto identificam-se os seguintes objectivos gerais: - promover o acesso á barreira e á zona baixa da Estrada da Graça através da diversificação dos meios de acesso; - ponderar soluções de ligação rápida entre a zona alta e a zona baixa (elevador);. - ligar os núcleos habitacionais por duas zonas diferenciadas e ligadas por um eixo pedonal, correspondendo estas duas zonas ás grandes inflexões na geometria do terreno, destas zonas partem também os grandes eixos de ligação com a parte baixa da Estrada da Graça.

Podemos distinguir na área de intervenção três grandes zonas, que apresentam características diferenciadas em termos de relevo, vistas e posicionamento urbano. O topo da barreira cujas características orográficas do terreno e as potencialidades de usufruto da paisagem a Sul, Nascente e Poente, vocacionam o sitio para um uso predominantemente habitacional, a própria barreira, cuja limitação imposta pela classificação de área protegida age de forma a que se torne o grande pólo ecológico de todo o projecto, e finalmente a

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

13


In the Setubal´s urban growth context, the oriental area is a big and fast urban development territory and sets as the evolving area to the place in study. This territory has some historical characteristics and benefits from a privileged location, facing the city and the river. This quarter (Santos Nicolau) has a urban design that gives us, some hints to it´s history but also a growth potential towards a complex, vibrant and modern city. This peripheral Setubal expansion area as seen it´s image devaluate as the city grows. The project tries to revalorize this image through architecture by morphologic reestruturation, typological diversification, urban quality, innovation and public spaces. We can see in the intervention, 3 main areas with some differentiated characteristics, topographic, views and urban positioning: - the barrier top road and platform with strong orographic characteristics benefiting from rhe south river

views giving it the vocation for the habitational and public uses; - the barrier itself where the topographic barrier gives way to the ideal ecological setting; - the lower part of the barrier, Estrada da Graça, where there are some industrial buildings remainings. The objectiv is to find low ambiental impact solutions to promote the connection of these 3 main areas through it´s platforms. In this context this are the main objectives: - Implement the acess to the barrier and estrada da Graça place by the means of transport diversification; - connect the hbitacional nucleus through two diferenciated areas connected by a pedonal axle in the main terrain inflexion geometry.; - promote fast transportation through top and bottom barrier.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

14


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

15


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

16


A09. EDIFÍCIO DE HABITAÇÃO E COMÉRCIO Comercial and residential building Pretende-se construir dois edificios de habitação e comércio em dois lotes que formam uma unica unidade. Os lotes situam-se no topo sul da plataforma do Bairro Santos Nicolau, com vista para a foz do Rio Sado e serra da arrábida. Os projectos foram desenvolvidos tendo em consideração os factores climáticos e paisagisticos da envolvente, a orientação do lote este/oeste previlegiava uma procura de espaço mais urbano e de menor ligação com a vista que o sitio proporciona. Esta opção pelo carácter urbano revela-se no contraste entre os dois edificios, o edificio Norte mantêm uma linguagem formal mais usual e o edificio Sul de carácter tecnológico marcado acentua a excepção.

Local / Data Setúbal 03-2001 Tipo: proposta

The goal is to design two residential and commercial buildings in two parcels as a single unit. The parcels are in the south platform portion of the Santos Nicolau quarter with view to he Arrábida and Sado river. The projects where developed bearing the landscape and climatic factors, the west/east orientation gives way to a more urban aprroach and less with the natural expanding landscape. This otion by the urban caracter is revealed by the contrast with the south and north parts of the building. The south building opens up to the landscape contrasting with the north building closing up to the urban space.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

17


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

18


A10. CASA NO VALE DOS BARRIS Barris house

A casa posiciona-se no topo de uma saliência num dos bordos do vale dos barris, com vista sobre a Vila muralhada de Palmela. A construção toma o seu módulo de uma antiga ruína de forma rectangular, existente no local e adopta nos espaços exteriores complementares a geometria do terreno. A arquitectura converte-se assim numa experiência indissociável do lugar. Tratando-se de um programa de habitação unifamiliar os espaços seguem uma lógica associada aos ritmos da vida diária familiar e dividem-se entre zonas sociais e privadas. O percurso de entrada estabelece a dinâmica que se vai revelando em toda a casa começando nas zonas de trabalho nos níveis interiores, as zonas de encontro nos pisos intermédios e as zonas privadas nos pisos superiores. Estabelecese assim uma lógica de complementaridade que organiza toda a casa segundo o mesmo princípio funcional independentemente das configurações espaciais.

Local / Data Palmela 05-2001 Tipo: proposta

The house is positioned on the side top of Barris Valley with a view to the Palmela medieval village. The building takes it´s modulation from the site´s old rectangular ruin and takes on the exterior spaces the terrain geometry. The architecture is converted into an experience inseparable from the location. Being a single family house the logic of the spaces is based on the daily life rhythms and divide themselves between private and social areas. The entrance way marks the house spatial dynamics the low level with the work spaces, the social areas in the mid level and the private area on the top level. A logic of complementariness is established thereby which organizes the entire house according to one functional principle, independent of the spatial configurations.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

19


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

20


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

21


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

22


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

23


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

24


A11. CIBERCAFÉ Cybercaffe

Local / Data Setúbal 12-2001 Tipo: proposta

O programa simples revela a natureza do objecto, implantado no final da frente poente da baia de Setúbal. É uma zona urbana em desenvolvimento com clara apetência para este tipo de programa. É o final de um percurso com bons acessos e junto a um conjunto de equipamentos capazes de proporcionar a vivência social plena do sitio. Dois conceitos simples estão presentes, a caixa que alberga o programa e a pele que cobre a caixa, que se desmaterializa de modo a ajustar-se ás diversas necessidades do cibercafé: a ligação a terra, os espaços de esplanada, as zonas de serviço. Os materiais são o Viroc (paineis de aglomerado de madeira e cimento) no exterior, o freixo no interior e os pavimentos de madeira de bubinga. A estrutura é em betão e aço. A solução escolhida revela por um lado a afirmação intencional de distanciamento do solo urbano e por outro a conquista de espaço num meio estranho, a água, criando uma leitura do objecto, abstractizante ( a caixa) e, por consequência mais consetânea com a leitura da natureza do lugar: - um ambiente urbano pesado e o espaço aberto e leve do Rio Sado. The simple program reveals the nature of the object situated on the west Setúbal bay. The area in development needs this type of equipments as a complement to the good pedonal areas and easy city acess as a place of outdoor living. To simple concepts are present, the box with the program and the skin that demateriailizes to adapt as the environment changes. The simple materials follows the concept, Viroc on the outside, wood on the inside supported by a steel structure. The solution reveals on one side the distance from the shore and the other the conquest of the space above the water.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

25


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

26


A12. GABINETE DE APOIO TÉCNICO LOCAL Local municipality architecture center

O edifício com os nºs 2, 4 e 3, situado entre a Rua de Braz Martins e Rua Edmond Bartissol, encontra-se em avançado estado de degradação, carecendo de profundas obras de reabilitação e adaptação, para albergar as futuras instalações do Gabinete de apoio técnico local do bairro de S. Sebastião (G.A.T.L.). O edifício desfruta de uma posição privilegiada no contexto do Largo de S. Domingos. É com esta perspectiva, a intenção de preservar a estrutura formal das fachadas, mantendo os vãos que fazem parte da geometria do edifício e removendo ou adaptando vãos dissonantes, espera-se conseguir assim, realçar os elementos de composição das fachadas. O organograma base define o desenvolvimento do edifício em dois pisos acima do solo e um em meia

Local / Data Setúbal 04-2002 Tipo: proposta

cave. No piso térreo, está localizado o átrio de entrada e de acolhimento, de duplo pé-direito, com recepção e serviços administrativos, bem como a sala polivalente e uma pequena instalação sanitária. No 1º andar fica o gabinete destinado á direcção com comunicação á sala de reuniões através de um conjunto de painéis, que quando abertos, transformam os dois espaços num espaço único. Este conjunto é definido pela localização do corpo das escadas, junto á parede Sul. Os pequenos espaços acompanham a escada verticalmente, relacionando-se com esta de modo a definir e a separar claramente os espaços de trabalho dos espaços de apoio ao G.A.T.L.. O 2º piso, acolhe os espaços destinados á produção de trabalho do G.A.T.L., a sala de desenho e os dois gabinetes para técnicos.

Um passadiço em vidro no 2ºpiso sobre o 1ºlanço de escadas permite que a luz proveniente de um lanternin se espalhe sobre o poço das escadas. Os espaços estão projectados para tirar o máximo partido da combinação da luz natural e artificial, com diferentes características de proporção e escala. Além do lanternin das escadas, uma grande janela de cobertura sobre a sala de desenho e duas mais pequenas sobre os gabinetes dos técnicos fornecem a necessária luz e ventilação a espaços de trabalho sem comunicação directa ao exterior. Os dois gabinetes do 2º piso beneficiam ainda da luz difusa proveniente dos vãos da fachada poente, através de um vazio para a sala da direcção.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

27


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

28


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

29


A13. CENTRO MULTIMÉDIA DO SADO Sado Multimédia Center

Local / Data Setúbal - Largo José Afonso 07-2002 Tipo: proposta

Identificando o grande eixo Norte -Sul, como elemento gerador de espaço visual e físico, propõe-se a implantação de um único edifício, contentor de todas as funções do programa, paralelo a este eixo. Alinhado pelo lado Poente do eixo o edifício partilha a forma longitudinal das bandas envolventes. Neste cenário, o Parque divide-se em três grandes zonas, o Parque a Nascente, o edifício separado do parque pelo eixo Norte-Sul e a praça gerada pelo edifício a Poente. a) edifício - Centro Multimédia do Sado - De forma alongada, estende-se de Norte para Sul em toda a extensão do Parque. - O edifício distribui-se em três pisos, sendo um deles estacionamento, e outro abaixo do nível térreo do Parque. - Constituído por três grandes núcleos, correspondendo ás grandes opções do programa, a Norte o grande auditório com capacidade para 350 pessoas, remata o edifício com o volume da teia. O núcleo central da biblioteca, em dois pisos contêm ainda os espaços de foyer e serviços para os utentes e um pequeno auditório com capacidade para 100 pessoas. A sul o edifício é fechado pelo espaço do restaurante no piso superior e pelos serviços administrativos no piso inferior. - Duas zonas de vazio fazem a transição entre os três núcleos. A norte entre o piso superior do auditório e o piso principal da biblioteca esta zona de vazio é atravessada por uma passagem aérea pedonal, que permite a ligação entre o Parque a Nascente e todas as áreas a Poente. É função destas zonas de vazio e atravessamento, garantirem a permeabilidade visual do edifício. - O acesso ao edifício faz-se a partir do nível do parque pela passagem pedonal aérea, ou por um atravessamento inferior paralelo ao eixo NorteSul, com acesso por escadaria ou rampa. - Os materiais a utilizar no revestimento exterior serão o betão branco nas superfícies planas, as caixilharias em madeira, envernizada á cor natural e o metal nas guardas, e nas lâminas de sombreamento. b) Parque José Afonso - Serão acentuadas as características de espaço verde da cidade, em tensão com os espaço edificados a Poente. - As espécies arbóreas de grande porte existentes serão integradas na proposta paisagística, que incluem espaços para sentar, uma pequena zona para os mais novos (parque infantil), uma zona plana com piso em madeira tipo "deck" para eventual uso como zona de eventos ou esplanada. - Os dois atravessamentos visuais do edifício terão o seu reflexo no desenho da proposta paisagística do Parque, prevendo-se a possibilidade de remate destes eixos com o elemento água (jogos de água). - Os pavimentos de vias e acessos, serão conforme determinado no projecto, em gravilha calcária, cubo de vidraço e cubo de granito. c) Praça do edifício - Fica a poente, ao nível rebaixado do atravessamento inferior. - O espaço é mais "duro" e directamente ligado aos espaços do piso inferior do Centro Multimédia, prevendo-se zonas para esplanada de apoio ao bar do edifício, e um auditório exterior a Norte. Na frente de rua dos edifícios em banda, a Poente, é proposta a instalação de uma seqüência de pilares metálicos dispostos em quadrado, que quando armados com vigas (quando fora de uso, estão embutidas no pavimento) permitem a colocação de panos para sombreamento, criando a possibilidade de realização de eventos ao ar livre, como feiras do livro, artesanato, etc.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

30


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

31


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

32


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

33


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

34


A14. CONCURSO EUROPEU DE PROJECTO URBANO - REVALORIZAÇÃO DA FRENTE MARITIMA DE FRANCAVILLA AL MARE - ITÁLIA Local / Data Itália 2003 Tipo: concurso

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

35


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

36


A15. PROPOSTA DE OCUPAÇÃO DA PENINSULA DE TROIA Troia masterplan study

A cidade deve ser pensada de acordo com um plano, visto a cidade ser uma invenção humana, e como a maioria das invenções humanas prejudica o meio ambiente em que se encontra, o plano deve ser pensado em termos ecológicos. È necessário criar valores nos habitantes, de afecto com a cidade e com o local onde vivem, só assim será possível que a ecologia e os valores de preservação do meio natural/artificial, façam parte da vida quotidiana. Um plano é sempre uma peça desenhada, consequência de uma ideia de projecto. A ideia é nossa e do mundo..., ambiguidade, tal é a nossa formação. A ideia é nossa, mas o nosso pensar e modo de actuar foi disciplinado pela experiência que tivemos do mundo e da carga cultural construída ao longo de gerações. A experiência de desenhar o espaço urbano é essa tarefa de concentrar o saber acumulado, idealizar conceitos e transmiti-los a terceiros. As escalas e os modos de representar a ideia permitem-nos controlar o grau de complexidade e maturidade da ideia, por vezes deixando algum espaço á ambiguidade, á livre apreciação, ao mundo. No passado as experiências de construção de cidade, tiveram esse aspecto da livre apropriação do espaço e das idéias, construídas ao longo de referências de base e apoiadas num saber tradicional. A tradição não é estática, é a cadeia ininterrupta das inovações assimiladas por um grupo ou comunidade e testadas pelo tempo. Existem valores duradouros, na arte da construção e na arquitectura, que são o legado das gerações passadas e que nós podemos reclamar.

Local / Data Troia 07-2002 Tipo: proposta

Uma edificação ou um plano, qualquer que ele seja, transmite os valores fundamentais dos responsáveis pela sua concepção e construção. Os edifícios são activos e não interagem com as pessoas apenas no plano físico, mas também no plano psicológico, por isso a necessidade de estabelecer uma diferença entre o edifício público e privado. A natureza artificial dos objectos é o que os torna humanos, dai a necessidade que temos em atribuir simbolismos ás nossas edificações para emular os sentimentos em relação aos objectos da natureza. O plano de expansão e reconversão do complexo da Torralta em Tróia, deve ser elaborado em função desses valores que nos são intrínsecos e únicos em cada individuo. Partindo de uma reestruturação dos usos, o plano deste núcleo urbano vai de encontro aos princípios associados ao colectivo, beneficiando as estruturas que servem um grande número de habitantes. No entanto não nos podemos esquecer desta palavra “habitantes”, habitar é a função de grandeza maior de uma zona urbana, sem eles não existe cidade. A residência constitui o elemento de base (estruturante) do espaço urbano. É para eles, habitantes, que desenhamos e que apresentamos as nossas propostas. A metrópole e a cidade são indispensáveis á humanidade e devem ser locais dignos do nosso espírito, sem elas estamos condenados a ser incivilizados.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

37


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

38


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

39


A16. RECUPERAÇÃO DE FRACÇÃO PARA ESCRITÓRIO House reahbilitation, office conversion

O prédio, na Fonte Nova, Setúbal, remonta a meados do Séc. Xix, mas contêm vestigios de construção anterior. A parcela recuperada situa-se num dos extremos do edificio e manteve a disposição interior inalterada por mais de setenta anos, diversos proprietários fizeram obras, cujos vestigios se foram acumulando por camadas nas paredes. O projecto de recuperação foi orientado numa lógica de remoção de camadas e recuperação do substrato, o melhor exemplo desta lógica são as paredes de tijolo-face-á-

Local / Data Setúbal 09-2000 Tipo: reabilitação

vista, submersas em papel de parede, cal, tinta e rebocos, voltaram a surgir de cara lavada. Em termos de disposição anterior, mantiveram-se as divisões existentes, mas a cozinha e a casa de banho foram readaptadas aos padrões modernos, a casa de banho foi ampliada e o sistema de ventilação, anteriormente inexistente, foi instalado recorrendo á extracção forçada do ar. Os pavimentos de betão foram cobertos com soalho montado em réguas de pinho. As paredes, devido ao facto de se tratar de uma baixa e implantado em solo lodoso, apresentavam patologias derivadas de acumulação de água por capilaridade, as que se apresentavam em condições de serem recuperadas foram rebocadas e pintadas, noutras recorreu-se ao uso de paineis de gesso cartonado montado em perfis metálicos. Aproveitaram-se todas as portas(devidamente decapadas e tratadas), os rodapés e algumas guarnições foram feitas no local. Todas as instalações técnicas, foram refeitas de raiz, respeitando as normas actuais. O projecto foi quase integralmente feito em obra, tendo-se desenhado e produzido mobiliário especifico para o local.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

40


A zona da antiga lareira na cozinha, remodelada, abriga um balcão com fogão embutido

A abertura na sala de trabalho foi feita de modo a permitir uma maior capacidade de articulação do espaço.

Quarto

Cozinha

Sala de trabalho

Sala/Atelier

O trabalho realizado nas portas, decapagem,limpeza, t r a t a m e n t o .

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

41


Exemplo da colocação de tubagens de electricidade por detrás dos paineis de gesso.

Nesta imagem, uma das mesas de trabalho desenhadas para o local. Os pés são em perfis de aço galvanizado usado nos placard´s de sinalização das autoestradas, e o tampo são duas portas de mogno lado a lado ( 2 , 0 0 m x 1 , 6 0 m ) .

Fases da colocação do soalho.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

42


A17. ESCADA EM APARTAMENTO DUPLEX Duplex apartment stair

Local / Data Lisboa - Expo 09-2000 Tipo: alteração

Um projecto, duas plataformas, dois pisos, dois sistemas construtivos. Era desejo do cliente reformular o que lhe era proposto pelo construtor no projecto original para a escada de acesso ao segundo piso de um apartamento em duplex, em fase de construção. Propôs-se uma escada em duas plataformas, a primeira, maciça revestida a madeira com estrutura em alvenaria de tijolo, a segunda, leve, em chapa de aço (corten) quinada descolada da parede, com cobertor em prancha de madeira. Ao longo do conjunto, pequenos armários de madeira cumprem dupla função, local de arrumação para objectos e guarda-corpos da escada. Durante a fase de projecto foi solicitado ao engenheiro o cálculo da espessura da chapa quinada a usar na escada, verificando-se a impractibilidade da flecha optou-se por incluir dois apoios á parede(4º e 8º degrau) integrados no espelho do degrau.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

43


A18. CASA EM FETAIS - SESIMBRA Single family house - Sesimbra

O terreno é estreito, de forma trapezoidal e com um ligeiro declive para norte, Confronta a Nordeste com um terreno já edificado resultante de um destaque do terreno original. Neste terreno vizinho encontra-se a servidão que permite a passagem para o local do projecto. A Oeste avista-se o mar e as falésias verdes da zona Espichel\Meco. Do estudo prévio resultaram duas versões de base, ambas com intenções comuns: ajustar o pograma ao declive do terreno, mantendo um piso em toda a extensão da casa; -transição clara entre zonas sociais e privadas; -ligação exterior\interior; -defesa da privacidade \interioridade com zonas intermédias de percurso e ligação a zonas de estar exteriores. A indecisão do cliente, nomeadamente em

Local / Data Sesimbra 11-2002 Tipo: construção nova

certos aspectos construtivos (cobertura plana versus cobertura inclinada) manteve as duas versões do projecto em desenvolvimento sem que se tenha chegado a uma decisão clara sobre as questões de ordem técnica.Na primeira versão, propôs-se um volume rectangular com os quartos e as zonas privadas da casa, orientado longitudinalmente com o terreno, acompanhando o declive, de modo a que na parte mais baixa fosse interceptado por outro volume rectangular com a cozinha e zona de comer. Na zona sobrante da intersecção dos dois volumes, uma sala com duplo pé-direito e os acessos ao piso superior. Junto á escada de acesso aos quartos uma zona de distribuição interior/ exterior cenografiza o acesso á casa. No exterior a circulação é livre e faz-se ao redor da casa. A segunda versão, propunha uma divisão mais clara entre espaço privado e espaço social formalizada em dois volumes separados por um espaço de entrada central, distribuidor, entre as zonas sociais e privados e as zonas de estar exteriores. Durante esta fase de projecto e a partir de um programa base, foi-se afinando as soluções mediante as necessidades do cliente. Os registos do processo foram feitos em desenho e maquete. Após várias reuniões, e entrega da proposta, o projecto encontra-se em avaliação pelo cliente.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

44


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

45


A19. CANIL E APOIO PARA ANIMAIS Local / Data Setúbal 01-2002 Tipo: obra nova

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

46


A20. PAVILHÃO TEMPORÁRIO PARA A UNIVERSIDADE MODERNA Moderna University temporary pavillion

Trata-se de um espaço temporário de carácter institucional desenhado para expôr informação relativa aos cursos existentes na Universidade. A existência de um regulamento da Feira de Santiago e a necessidade de controlar custos ditaram as primeiras condicionantes ao desenho do pavilhão. No espaço, que faz parte de uma corrente de módulos idênticos, fornecidos pela organização da Feira de Santiago, com as dimensões de 6x3metros, decidiu-se que a informação relativa aos 4 cursos deveria ficar no espaço central e todo o restante material de exposição nas duas faces laterais interiores do pavilhão, apoiadas por uma banqueta móvel e um banco corrido. Decididas as grandes opções de desenho reuniu-se os elementos responsáveis pelos diferentes componentes do pavilhão, o design gráfico, multimédia, carpintaria, etc.

Local / Data Setúbal 07-2003 Tipo: obra nova

Após a reunião e a definição da maioria das caracteristicas do pavilhão, desenho geral, cores, sistema construtivo, etc, e dado o curto espaço de tempo para o executar, partiu-se para a obra, realizada pelos alunos da Moderna com o apoio nas carpintarias do Sr. Manel carpinteiro da E.S.E. De Setúbal, onde se decidiram os pormenores finais de execução. Os materiais utilizados foram, a madeira aglomerada pintada e estruturada com barrote de pinho nas zonas laterais maciças, que escondem todo o material de apoio, computadores, monitores e material de merchandising, os paineis de mdf pintados em todo o perimetro interior do pavilhão e o policarbonato alveolar como suporte do material gráfico em vinil, foi ainda utilizada a folha de aluminio para revestimento da banqueta móvel e o contraplacado envernizado no banco de apoio ao pavilhão.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

47


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

48


A21. BAR-CAFÉ NAS PEDREIRAS, SESIMBRA Cofee house, Pedreiras - Sesimbra

O terreno possui duas frentes, uma para a Estrada das Pedreiras e outra para a Rua do Pocinho. O terreno têm uma moradia de piso térreo, implantada junto ao limite Nordeste, com acesso por portão de abrir para a Rua do Pocinho. O terreno tem a configuração de um rectângulo e apresenta uma pendente regular segundo a diagonal no sentido ascendente Sudoeste Nordeste, com uma variação altimétrica de cerca de 6,5m. No sentido Sul - Norte e mais junto á Rua do Pocinho a pendente é mais acentuada formando uma depressão no terreno que na sua parte mais baixa têm uma linha de água. Os proprietários pretendem construir uma edificação nova destinada a café, no uso que a legislação consagra, com serviço de cafetaria e pequenas refeições informais. O programa compreende, uma esplanada interior com capacidade para 20 lugares sentados e 15 lugares em pé, uma esplanada exterior com capacidade semelhante, instalações sanitárias diferenciadas, copa e zona de balcão e uma arrecadação, no exterior uma zona de grelhador. Este trabalho surge como oportunidade de projecto sem antecedentes com programa “de raiz” simples e controlável. Foi trabalho de estágio a concepção geral do edificio e a coordenação de todo o trabalho até á fase de apreciação junto das entidades licenciadoras, bem como, gerir a relação com o cliente e as equipas dos projectos especiais. A concepção arquitectónica do edificio parte das condicionantes dadas, o local, o orçamento do cliente, a legislação aplicável. Aproveitando a boa relação de vistas e exposição solar, optou-se por uma construção que se desenvolve longitudinalmente, acompanhando a Rua do Pocinho. A posição da construção aproveita ainda o desnível existente posicionando-se de modo a beneficiar o edifício de uma arrecadação em cave para arrumos do café. O edifício a uma distância de 6 metros do eixo da via (Rua do Pocinho) é um volume rectangular que no piso de entrada se divide em três espaços funcionais que correspondem de um modo geral ás grandes opções do programa. No primeiro espaço, mais fechado e maciço, concentram-se as áreas mais funcionais do café, as instalações sanitárias (senhoras e homens) com antecâmara e as zonas de serviço do café, a copa com zona de lavagem de loiça, arcas congeladoras e armários para a armazenagem de alimentos, espaço para preparação de

Local / Data Sesimbra 03-2003 - 2004 Tipo: obra nova

pequenas refeições e fogão, a zona do balcão com zona de frio, máquina de café e copa suja integrada no balcão. A copa comunica com a zona do balcão através de uma abertura tipo passa-pratos aberta na parede divisória. O segundo espaço, esplanada interior, é uma zona mais “aberta” tanto em termos de espaço como em termos de luz, com capacidade para cerca de 20 pessoas sentadas distribuídas por 5 mesas. A esplanada interior faz a transição entre a zona mais maciça das áreas de serviço com o terceiro espaço, a esplanada exterior de uso exclusivo público e com acesso único pelo interior do estabelecimento. A entrada faz-se a partir da Rua do Pocinho, num espaço recolhido para o interior do estabelecimento, criando uma zona coberta de protecção ao acesso, esta área é ainda complementada por uma pequena rampa junto á fachada do edifício harmonizando as cotas do terreno com as cotas da soleira, fornecendo uma opção de acesso natural a pessoas com mobilidade reduzida. A arrecadação surge naturalmente dado o declive do terreno e será utilizada exclusivamente para arrumos do café. O acesso ao piso inferior é feito por escadas no terreno tanto do lado poente como nascente, as escadas a poente reservam a eventual ocupação do espaço por automóveis, libertando a vista da esplanada. Simultaneamente foram criados 5 lugares para estacionamento em fila no exterior. Os revestimentos exteriores serão o reboco pintado a branco no capeamento da cobertura e o reboco pintado a cor creme clara na fachada, com alguns apontamentos de tijolo face-ávista no enquadramento dos vãos e na definição de volumes. O trabalho decorreu ao longo dos meses de Maio, Junho e Julho de 2004, tendo a coordenação com as especialidades ocorrido no mês de Dezembro, estando neste momento a decorrer a apreciação do processo por parte dos técnicos da Camâra Municipal de Sesimbra. A responsabilidade atribuida permitiu um contacto mais directo e profundo com as indecisões associadas ao acto de projectar enquanto actividade criativa e o cruzamento desta duvida mais poética com as necessidades reais do cliente.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

49


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

50


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

51


A22. LOTEAMENTO NO POÇO MOURO, SETÚBAL Poço Mouro urban plan

Podemos distinguir no terreno três condicionantes principais da intervenção, a topografia, as relações de acessibilidade com as vias existentes e o tecido construído, a relação das áreas de cedência com a proposta. Neste contexto identificam-se assim os seguintes objectivos gerais: - relação clara entre a parte alta e a parte baixa do terreno; - manutenção das relações de vistas já existentes; - hierarquização das acessibilidades ás zonas habitacionais; - reforço do traçado secundário abrindo-o a possibilidades futuras de ligação com o tecido existente; - abertura a meios de mobilidade complementares dentro da área de intervenção, nomeadamente o uso Pedonal na relação entre percursos transversais e longitudinais; - estruturação das áreas de cedência na relação com os volumes de construção propostos; È de referir que toda a zona se encontra bem apetrechada de infra-estruturas públicas, nomeadamente de redes de águas e esgotos, eléctricas e telefones, estando a zona preparada para o acréscimo de habitantes esperado. O acesso é franco e faz-se pela estrada Municipal que confronta a Nascente com o terreno. Não sendo possível nem desejável separar a zona de intervenção da sua zona envolvente, a proposta tem em atenção o contexto onde esta se insere. Nesta perspectiva é de realçar a grande dinâmica habitacional das zonas urbanas localizadas a poente e a Norte.. É do interesse da proposta não perturbar as relações de usos estabelecidos, mantendo o estatuto de cariz habitacional da zona, propondo no entanto modelos de habitação não saturados, nomeadamente a habitação em condomínio de edifícios, fugindo á massificação existente de moradias unifamiliares e promovendo a ligação destas ao tecido urbano a poente. Com base nas condicionantes identificadas propõe-se os seguintes princípios gerais orientadores da proposta: - criação de duas zonas distintas segundo a topografia: a Norte e na parte mais alta do terreno propõe-se um conjunto habitacional de 8 edifícios em condomínio com os respectivos apoios, nomeadamente piscina e áreas verdes de suporte, com frente para uma banda de 2 lotes para edifícios multifamiliares autónomos, a Sul e na parte mais baixa e plana do terreno a zona de cedência para equipamento de utilização colectiva

Local / Data Setúbal 04-2004 Tipo: obra nova

- acesso á zona de intervenção na zona de intersecção da base do talude com o perfil da estrada municipal - criação de um eixo longitudinal estruturante de cariz pedonal \visual Com base nos princípios gerais enunciados e ao nível urbano e do espaço edificado, propõe-se o seguinte: - um acesso transversal que se define como uma via urbana perfeitamente definida com as frentes dos edifícios do condomínio a Norte e a banda de 2 lotes para edifícios a sul da via, formando frentes de rua - revalorização dos espaços públicos existentes, nomeadamente a frente que confronta com o arruamento municipal dotando-o de estacionamentos, zonas verdes e espaços para equipamentos de recolha de lixos - criação de um eixo pedonal longitudinal que estrutura a área de cedência nas relações de vizinhança com a proposta, eixo que estrutura o traçado da área de condomínio definindo zonas de abertura visual - as volumetrias propostas seguem a orientação geral da topografia - a Poente o desenho urbano proposto revela uma maior densidade espacial nas volumetrias em continuidade com o tecido existente espraiando-se para Nascente no sentido de uma abertura á paisagem - os edifícios assumem as escalas existentes a poente reservando espaços verdes a Nascente na ligação com as escalas menores do edificado a Nascente Na proposta é importante desenvolver-se uma zona verde que agregue zonas de estadia e recreio. Esta estrutura verde é composta por duas partes, a primeira integrada no plano urbano proposto e a segunda inerente ao próprio local na conservação de alguns cobertos vegetais existentes. Considerando estes dois aspectos propõe-se o seguinte: - alinhamento de árvores ao longo do arruamento municipal - alinhamento de árvores em ambos os passeios do arruamento transversal de acesso á área de intervenção - cedência de uma área verde para utilização colectiva, a Nascente, junto á via de acesso confrontando com a área de cedência para equipamento de utilização colectiva - o Interior da zona em condomínio deverá manter parte da estrutura verde existente reforçando-a com zonas verdes de protecção e enquadramento, nomeadamente nas vias interiores de acesso e junto ao limite Nascente.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

52


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

53


A23. EDIFICIO DE HABITAÇÃO NA ANTIGA GARAGEM COVAS, SESIMBRA Housing building on the old Covas garage, Sesimbra

O projecto relativo ao edificio de habitação em gaveto na rua 2 de Abril em Sesimbra, visa preencher o lugar ocupado por uma velha garagem rodoviária devoluta, da empresa Covas e Filhos. O trabalho teve inicio com base num parecer do ano 2002 relativo á viabilidade, na altura de um edificio de habitação e comércio, indiferido com referência á volumetria adoptada e á lei das cérceas que o RGEU estipula num dos seus artigos. O trabalho iniciou-se, partindo dos principios formais adoptados no estudo prévio, desenvolver uma nova solução para o edificio de modo a cumprir o exigido pelos regulamentos vigentes. Isto obrigou a um estudo cuidadoso da legislação, dado que o edificio se encontra em terreno urbano consolidado e em situação de gaveto, situações que a legislação considera de excepção. A rua 2 de Abril termina num largo / praceta aberta, formando o gaveto que remata a banda de edificios ascendente. O terreno de forma quadrangular com uma área aproximada de 1000m2, está inserido numa malha urbana de volumetria heterogênea. No sentido de se harmonizar com a envolvente edificada, o edifício assume diferentes volumetrias, respeitando a progressão em altura das diferentes frentes de rua.

Local / Data Sesimbra 10-2004 Tipo: obra nova

De acordo com a volumetria proposta e rectificada em relaçao ao estudo prévio estabeleceu-se um programa predominantemente habitacional, orientado sobretudo para a ocupação sazonal, prevalecendo as tipologias T0, T1 e T2.O estacionamento é em cave, com arrecadações associadas aos fogos. O volume de gaveto funciona como charneira, é o elemento de ligação e controlo das diferentes volumetrias. Na frente da rua 2 de abril promoveu-se a progressão em altura dos diferentes niveis recuando-os simultaneamente em relação á fachada até á altura definida para o volume no gaveto. Na frente virada para o largo-praceta manteve-se sensivelmente a altura do gaveto visto não existir constrangimento em termos de cércea. O volume de gaveto e parte da construção na frente da rua 2 de Abril (Nascente) é justificado pelo artº.59 do RGEU, que permite num máximo de 15 metros, a mesma cércea adoptada na outra frente. A colaborar com: Arq. Luis Paixão

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

54


A entrada faz-se pelo largo - praceta por uma entrada unica, com distribuição por uma unica coluna de acessos, com galeria exterior de acesso aos fogos nos alçados posteriores. Existe uma segunda entrada na frente virada para o largo - praceta que dá acesso ao logradouro do edificio e a uma servidão de passagem para um outro edificio já existente nas traseiras. Após o desenho dos fogos e das frentes de rua principais, foi combinada uma reunião com os técnicos da C.M. De Sesimbra de modo a dar a conhecer a pretensão do cliente no licenciamento do edificio, tendo-se discutido os pontos mais relevantes do ponto de vista da apreciação do projecto, entre estes: as cérceas, os afastamentos ás estremas, o redesenhar do estacionamento no espaço fronteiro ao edificio. É de referir que, em termos de estágio, não se previa no inicio a realização deste trabalho, no entanto enquadrou-se relativamente bem no encadeamento do estágio profissional.Tendo inicio em Novembro de 2004 a primeira abordagem ao trabalho com o estudo da legislação e pareceres do estudo prévio, devido a este facto, e ao inicio tardio do projecto no cronograma de estágio, não foi possivel concluir o processo enquanto “peça acabada”, no entanto ficaram enunciados todos os principios que definem o projecto. Considero, por isso, importante a sua inclusão no relatório enquanto exercicio de projecto. Ficou perceptivel neste trabalho, o desfasamento das realidades de construção da cidade consolidada com os regulamentos existentes que de um modo geral estão totalmente desenquadrados da realidade da cidade tradicional. A devolução de espaços á cidade passa não só por uma vontade dos proprietários, mas tambem por uma acção concertada entre as entidades responsáveis pelo cumprimento da legislação e os projectistas, envolvendo de certo modo o poder politico no mover de acções conducentes ao “fazer cidade”.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

55


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

56


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

57


A24. LOTEAMENTO EM ALMOINHA, SESIMBRA Almoinha urban plan, Sesimbra

Situado na estrada Municipal que liga Santana a Almoinha no concelho de Sesimbra, a zona em que a proposta se insere apresenta diferentes tipos de ocupação, edificios de habitação multifamiliar de 3, 4 e 5 pisos, loteamentos em banda de habitação unifamiliar e os terrenos adjacentes, bastante agredidos pela exploração de antigas pedreiras. O terreno objecto do estudo, de forma rectangular, encontrase, em situação de encosta fragmentada por antiga pedreira, e com uma frente de 60 metros para a estrada Municipal e estabelece a transição entre as áreas de edificios de 4 pisos e 2 pisos de frente urbana em que está inserido. Foi pedido ao Atelier do Arqt. Luis Paixão, com base nos indices indicados em P.D.M. e num pedido de informação prévia anterior, o estudo de uma forma de ocupação exclusivamente habitacional para o terreno dada a não aptidão comercial da zona.Pretendia-se elaborar um estudo prévio de modo a viabilizar a ocupação no terreno de modo a conciliar os desejos do cliente com as possibilidades presentes nos planos de gestão urbanistica. Considerando que o terreno se encontra na área de transição entre as zonas de edifícios habitacionais de 4 e 2 pisos, optámos por configurar 1 lote com frente para a estrada Municipal aproveitando a escavação existente no perfil longitudinal. Considerámos ainda nesta opção a existência de 2 níveis de acesso ao lote, um pela frente da estrada Municipal e outro por um arruamento superior que surge da cota de desnível existente e da continuidade do arruamento que serve os pavilhões industriais. Este arruamento é rematado a nascente por um acesso pela estrada Municipal que vem disciplinar acessos dispersos e dar um sentido mais urbano á ligação com as propriedades adjacentes. Aproveitando a nova frente criada pelo arruamento superior configurou-se 2 lotes para moradias no sentido de dotar o arruamento de 2 frentes. Pretende-se que o edifício a implantar no lote 1 tenha 3

Local / Data Sesimbra 10-2004 Tipo: obra nova

acessos independentes ás habitações sendo o piso de garagem, comum, e com acesso pela frente da estrada Municipal. Os 3 acessos independentes, correspondem á definição formal de 3 volumes habitacionais de 2 pisos mais 1 piso recuado e seguem no desfasamento de alturas o declive do terreno, sendo a frente da estrada Municipal de 2 pisos e 1 piso no arruamento da cota superior. Os edifícios a implantar nos lotes das moradias seguem o mesmo principio de composição adoptado para a garagem do lote 1 sendo o volume comum, mas neste caso geminado e com acesso independente. Em termos de volumetria estas adoptam os 2 pisos privilegiando a vista sobre a cota mais alta dos edifícios fronteiros. O estacionamento no exterior, enquadra-se nos valores exigidos pelo PDM, constando de: - 5 estacionamentos em fila, na frente da estrada Municipal e 4 no arruamento superior, totalizando 9 estacionamentos públicos. Relativamente ao estacionamento privado e cumprindo os valores do PDM, temos, 16 estacionamentos na garagem comum do lote 1 e 2 estacionamentos em garagem por moradia, num total de 20 estacionamentos privados. Relativamente aos índices e parâmetros do PDM em vigor, o terreno encontra-se parcialmente em área habitacional H2 sendo a área sujeita ao indice (na soma dos 2 terrenos) de 5.200m2. È de referir ainda que um dos terrenos já foi alvo de um processo de consulta, do qual se junta cópia anexa. A área intermédia do rectângulo definido pelos dois terrenos é de equipamento (E24) e estabelece-se como área a ceder á C.M. de Sesimbra, a área mais a Sul é sobrante e está definida no plano como espaço turístico (T2)

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

58


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

59


A25. PROJECTO DE EXECUÇÃO E GESTÃO DE OBRA, LOTE 47-QT. DO PERÚ, AZEITÃO. Data 2004-2005 Tipo: obra nova

O terreno de forma trapezoidal, apresenta um ligeiro declive Sul-Norte, e é pontuado por pinheiros e azinheiras. A moradia, de dois pisos, desenvolve-se longitudinalmente no sentido Nascente-Poente condicionada pela forma do terreno e pelos limites impostos no loteamento. Tendo em conta, as várias condicionantes: perímetro de implantação, declive, orientação solar, coberto vegetal e regulamentos específicos, a solução organiza-se em dois corpos no sentido longitudinal, ligados por um corpo central com terraço e miradouro os quais se orientam segundo os limites do perímetro de implantação. A obra teve inicio em Outubro de 2003 após lançamento de concurso para construção. Com a obra adjudicada foram combinadas reuniões semanais com o cliente ou seu representante (foi contratado um fiscal), o empreiteiro e outros intervenientes na obra. Nas reuniões semanais reuniase toda a informação e identificavam-se todos os problemas e necessidades da obra de modo a serem resolvidos atempadamente. Com a fase de toscos surgiram as primeiras dificuldades, nomeadamente, relacionadas com a especificidade estrutural do projecto na resolução do vão da sala a Sul , com

9 metros livres de pilares e preenchido com caixilharia de correr de três folhas. Isto significa (havendo caixilhos de correr) que o vão teria de ser resolvido com a flecha mínima. A solução dos engenheiros passou pela utilização de uma laje maciça em que a uma das secções, nomeadamente a secção sobre o vão, será aplicada uma série de cordões de pré-esforço. Com esta solução, consegue-se uma flecha máxima de 14mm, que será controlada pela ferragem da caixilharia, através de roscas de acerto progressivo. Esta situação envolveu, claro, uma procura de soluções ao nível da caixilharia, que teriam que ser estruturalmente eficazes e ser capaz de correr num vão de 9 metros com 3 folhas de 3 metros cada. A solução para a caixilharia teria de cumprir ainda outra premissa, a do material. Após consulta ao mercado e analisadas as várias opções disponíveis decidiuse por um caixilho em madeira maciça perfilada fabricado em Palmela, esta decisão teve em conta vários factores: é fabricado na região, o perfil é em madeira maciça e a ferragem utilizada permite correr no vão pretendido.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

60


Simultaneamente com a escolha de materiais para a execução das caixilharias, procurou-se uma definição maior para outros materiais de revestimento para pavimentos, muros de pedra, paredes, tectos, etc. Apesar do cumprimento relativo do projecto de execução pelo empreiteiro, durante o decurso da obra, o cliente tomou consciência da espacialidade da casa e sentiu necessidade de intervir, propondo algumas escolhas, nomeadamente em espaços de uso mais intimo e reservado como as instalações sanitárias e cozinha. Do ponto de vista do atelier não houve reticências em fazer algumas concessões que se consideravam ajustadas, mas mantendo sempre uma posição critica sobre as escolhas. Esta mediação entre os desejos do cliente e as “necessidades” da arquitectura foi encarada, sempre, de um modo positivo chegando-se sempre a um acordo sobre as questões. Foram fornecidos á obra diversos desenhos de execução, detalhando aspectos mais delicados da obra como guardas, soleiras e vãos, elementos de remate.

Outro dos aspectos da assistência e acompanhamento de obra foi o de coordenar algumas empreitadas exteriores,como os arranjos exteriores, fornecendo e indicando os aspectos essenciais do projecto. Para além das questões relativas á obra em si, foram produzidas peças desenhadas, para dar seguimento aos processos de licenciamento de algumas alterações, não se tendo verificado impedimentos da parte das entidades licenciadoras Penso terem ficado registados em obra as ambições do projecto apesar das pequenas alterações surgidas no decurso da obra, com a satisfação demonstrada pelo cliente penso terem ficado os objectivos alcançados. A obra encontra-se em fase final de acabamentos com a maioria dos problemas resolvidos, estando prevista a entrega ao cliente em Março de 2005.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

61


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

62


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

63


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

64


A26. PROJECTO DE EXECUÇÃO E GESTÃO DE OBRA, LOTE 01-MIRADOURO DO CASALÃO, SESIMBRA. Local / Data Sesimbra 2003-2004 Tipo: obra nova

A obra no Miradouro de Santana Lote 1, no sitio do Casalão, é a primeira de um loteamento com 4 lotes e 6 moradias feito pelo atelier numa fase anterior. A falta de um projecto de execução e alguns precalços havidos no inicio da obra, obrigaram á constituição de diversos projectos de alterações, que se reflectiram naturalmente no projecto e acompanhamento á obra. Dado o interesse em estudar de um modo cuidado os materiais e o modo de os aplicar em obra, visto que o edificio do lote 1 será o modelo dos 3 edificios das fases posteriores e influenciará o desenho das moradias, decidiu-se, e dada ao facto de a obra estar a decorrer, fornecer os desenhos de pormenor e as soluções de revestimento conforme as necessidades e o andamento da obra. Isto exigiu uma coordenação entre o encarregado da obra e a sua equipa e o atelier, no sentido da informação relativa á obra ser dada com a devida antecedência de modo a preparar desenhos e a consequente visita á obra. O acompanhamento por parte do atelier, cobriu todos os

aspectos relativos á obra, incluindo a promoção comercial do edificio, nomeadamente na assistência e produção de material gráfico de divulgação (ver em anexo)bem como todo o material gráfico em uso no edificio, nºs de porta, placas de identificação de piso e croquis de patim. A comunicação á obra de elemmentos de projecto ocorreu sempre de modo cordial e com grande receptividade da parte do cliente e promotor, disponibilizando sempre todos os meios para resolver os problemas encontrados. Das soluções ensaidas ficaram registadas as situações de revestimento e aplicação de materiais, de modo a melhoralas nas obras dos lotes subsequentes. A obra do edificio está concluida com algumas fracções já entregues ao cliente final.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

65


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

66


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

67


A27. LAREIRA, PADEIRAS - SETÚBAL.

Local / Data Setúbal 01-2004 Tipo: obra nova

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

68


A28. PISCINA E APOIO EXTERIOR, PADEIRAS - SETÚBAL. Local / Data Setúbal 01-2004 Tipo: obra nova

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

69


A29. CONJUNTO DE 6 CASAS, MIRADOURO DO CASALÃO, SESIMBRA 6 Houses, Miradouro do Casalão, Sesimbra

Os projectos relativos aos lotes 5,6,7,8,9 e 10 fazem parte de um loteamento desenvolvido pelo atelier do Arqt. Luis Paixão em anos anteriores. O terreno localiza-se em Santana, nas áreas que são agora zonas periféricas de expansão da “concha” de Sesimbra. É uma zona de média densidade urbana e de crescente centralidade com uma relativa autonomia em relação ás zonas envolventes, integrando no seu nucleo espaços comerciais, espaços de serviços, centro de saúde e zonas de repouso/lazer. O local, designado por Miradouro do Casalão, apresenta declive acidentado, do seu ponto mais elevado e cotas envolventes desfruta-se de excelente panorâmica sobre Lisboa, vale do Tejo e Arrábida, sendo a encosta Norte a mais preponderante em termos de vistas. O loteamento organizase na encosta Norte em duas plataformas: - na cota mais elevada as moradias (lotes 5,6,7,8,9 e 10) servidas por um arruamento em impasse com raquete; - e na cota mais baixa, junto á estrada Municipal os lotes de edificios (lotes 1, 2, 3, 4). Os edificios, beneficiam ainda de um acesso superior pelo arruamento em impasse, formando uma frente de rua com um piso, criando com as moradias uma vizinhança próxima de caracteristicas habitacionais. Com o licenciamento do loteamento foram entregues os estudos prévios dos edificios e das moradias que o integram. Decorrendo de uma estratégia estabelecida pelo cliente, o primeiro edificio licenciado foi o lote 1, iniciada a obra e após alguns percalços verificou-se a impossibilidade de manter a cota superior estabelecida nos estudos iniciais, o que obrigou á reformulação do loteamento, nomeadamente na alteração da orientação pré-definida para os lotes das moradias de modo a manter a hierarquia de vistas estabelecidas em estudo prévio. Foi atribuido como trabalho de estágio, o desenvolvimento de soluções de projecto conducentes ao licenciamento das moradias e alteração do loteamento, bem como a organização de todo o processo e o contacto com as entidades licenciadoras e cliente. Isto implicou o desenvolvimento formal das moradias tendo por base o conteudo programático definido em estudo prévio. O trabalho começou com a alteração do loteamento de modo a acomodar a solução de volumes encontrada e de garantir a hierarquia de vistas previamente definida em estudo prévio e posteriormente alterada com a construção do primeiro edificio do loteamento. Após diversas reuniões

Local / Data: Sesimbra 11 - 2005 Tipo: obra nova

com os técnicos da Camâra Municipal de Sesimbra no sentido de manter os parâmetros definidos no quadro sintese, nomeadamente, lugares de estacionamento e transferência de áreas entre lotes, encontrou-se uma solução que serviria os interesses de ambas as partes. Após estas alterações deu-se inicio aos projectos de arquitectura das moradias, usando como base de trabalho o estudo prévio, as soluções formais e materiais adoptadas nos edificios e mais especificamente as soluções de revestimento ensaiadas no lote 1, edificio que serviu como “tubo de ensaio” para as diferentes soluções a adoptar e aperfeiçoar nos edificios subsequentes. As 6 moradias distribuem-se por uma banda ao longo do arruamento em impasse com 4 das moradias em banda continua e 2 moradias isoladas. O programa é comum ás 6 moradias, distribuindo-se por 3 pisos hierarquizados funcionalmente, sendo o piso inferior em cave semi-enterrada com zona de entrada, garagem e arrumos, no piso 1 as zonas sociais com sala, zona de comer, cozinha e instalação sanitária, no piso 2 temos as zonas privadas da habitação, o quarto de casal com instalação sanitária e dois quartos com instalação sanitária independente. O piso 1 beneficia ainda de um logradouro em relação previlegiada com a sala e zonas sociais e no piso 2 terraços e varandas permitem o contacto directo com o exterior. A entrada na habitação faz-se por um pequeno pátio que dá acesso a um volume com escada que permite a entrada pelo piso 1. A caixa de escadas assume-se como elemento notável no jogo entre o vazio sobre a entrada e o grande vão envidraçado que direcciona as vistas para poente. Em termos formais o desenho das moradias tenta harmonizar-se com o discurso adoptado nos edificios da cota mais baixa, integrando as soluções testadas e adoptadas aquando da construção do lote 1, nomeadamente na articulação de volumes e consolas e no uso das forras em tijolo conjugadas com panos de reboco branco e superficies de betão á vista. Apesar da semelhança do programa entre as moradias foram introduzidas variantes no desenho das empenas expostas e na distribuição espacial dos lotes isolados. Estas variantes destinam-se a conferir alguma dinâmica ao jogo espacial das moradias e dos edificios, mantendo a unidade do conjunto. Após a conclusão da arquitectura e de uma forma articulada e faseada foi-se constituindo a equipa responsavel pelos projectos especiais, dada a exigência da entidade licenciadora na simultaneidade de entrega da arquitectura com os projectos das especialidades. www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

70


1.10 .20 2.60 .20 2.60 .20 2.40

www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

71


7.57

.22

202

2.86

9 A: 69.30

3.70

.30

3.10

.30

.90

1.00

.20

.30

3.00 1.00

7 A: 8.90

.30

4.55

1.00 1.70

2.00

4.64

3.25

2.90

LOTE 05

3.25

.30

.90

.20

2.00

3.00

.20

11

9

12

8

10

7

11

6

12

5

6 A: 14.00

7.15

10

2.25

2.25

.10

1.25

.20

4.90

2.95 1.15

.30

13

4

14

3

15

2

.15

LOTE 07

1

.15

1.10

.30

.30

4.15

.15

8 A: 10.70 .60

5 A: 36.50

2.85

5.25

2.25

5.40

4.75

9.20

.30

7.65

195,85

.20

3 A: 2.80 1.85 1.50

6.45

15

.30

14 13

2.30

1.90

1.00

12 .20 11

2.17

.35

3.10

2.30

10 2 6 5

7

9

.71

4.44

4

8

.93

1.20

156°

2.75

1.00

3.20

3.10

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

72


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

73


1.00 .30 2.60 .20 2.60 .20 2.40 www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

74


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

75


A30. PLANO PARA A HERDADE DA MARATECA E ÁGUAS DE MOURA, Palmela Urban and touristic development plan for the Marateca and Águas de Moura propertys.

Local / Data: Marateca 05 - 2006 Tipo: plano

Os proprietários das suas herdades, de Águas de Mura e Marateca após muitos anos de exploração agro-pecuária e de diversas cedências de terrenos para a ampliação do perimetro urbano de Águas de Moura pretendem viabilizar aquilo que o PDM de Palmela pretende para a zona, ocupação turistica. Na elaboração da estratégia propôs-se a transferência de área que o PDM prevê, para outra localização mais consistentes com a ordenação do território e viabilização da proposta. Pretende-se uma área mais próxima dos acessos viários e de menor impacto ao nivel ambiental, mais distante da Ribeira da Marateca e com um registo de abate de árvores mais reduzido. Nesta nova área, mais próxima de outras áreas turisticas do plano, algumas delas já viabilizadas, elaborou-se um plano estratégico de ocupação, consignando a ocupação turistica, mas também um pequeno núcleo residencial com oferta de comércio e serviços no sentido de criar alguma centralidade. Neste plano foram definidos e propostos os tipos e indices de ocupação previstos. O plano encontra-se em apreciação nos serviços da C.M. de Palmela. Em co-autoria com Arqt. Luis Paixão

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

76


A31. ARRANJOS EXTERIORES EM CASA UNIFAMILIAR, Almoinha - Sesimbra Single family house exterior spaces

Local / Data Sesimbra 08-2005 Tipo: obra nova

www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

77


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

78


A32. KYUDOJO - SEDE E LOCAL DE PRÁTICA DA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE KYUDO, FAÚLHA - SESIMBRA. Local / Data: Sesimbra 12 - 2005 Tipo: obra nova

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

79


A33. AMPLIAÇÃO E RENOVAÇÃO DO CAFÉ RESTAURAÇÃO, Vila Viçosa Café Restauração renovation, Vila Viçosa Local / Data: Vila Viçosa 02 - 2006 Tipo: Reabilitação, ampliação

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

80


A34. PROJECTO DE EXECUÇÃO DE INTERIORES DO CLUBE DA PRAIA, Parede-Estoril Interior detail plan, Clube da Praia, Parede-Estoril Local / Data: Parede, Estoril 03 - 2006 Tipo: obra nova

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

81


A35. DISCOTECA GOTA D’AGUA, Sesimbra Interior Design, Gota d’agua disco-lounge,Sesimbra

Local / Data: Sesimbra 05 - 2006 Tipo: remodelação

O proprietário pretendia a remodelação interior da Discoteca Gota D’agua, partindo do espaço existente e com um programa contido e semelhante ao anterior. O espaço, já conhecido em Sesimbra como local nocturno, iria sofrer mais uma metamorfose numa readequação do espaço ao tempo. O desafio, seria caracterizar o espaço dando-lhe uma nova identidade e “juventude”. A intervenção partiu de três ou quatro conceitos “light”, isto é procurar soluções sem construção dura, dado o espaço de tempo relativamente curto para a obra, aproximadamente 3 semanas. A solução passou pelo revestimento de superficies com aplicação de pintura nas superficies horizintais, e pastilha cerâmica vermelha nos eixos verticais (pilares, etc). Adicionalmente, foram criadas duas novas superficies dialogantes, face a face, sobre as paredes existentes com recurso a vazados executados em chapa de viroc, num lado um rasgo para pousar os copos, no outro um banco que apoia a zona de lounge. O balcão e zona de lounge foram totalmente renovados com recurso aos principios que nortearam o recobrimento das superficies, o contraste, a luz, a simplicidade. No final fez-se o projecto gráfico e integraram-se todos os acessórios, escolhidos de acordo com as caracteristicas do espaço.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

82


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

83


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

84


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

85


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

86


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

87


A36. RENOVAÇÃO E REABILITAÇÃO URBANA - AV. DA LIBERDADE/ LG. 5 DE OUTUBRO, Sesimbra Urban reahabilitation - Shared space, Av. da Liberdade - Lg. 5 de Outubro, Sesimbra Local / Data: Sesimbra

09 - 2006

Tipo: reabilitação urbana

Nos anos 50, após o fim da segunda guerra mundial, aliviados pela paz recente e movidos por uma esperança cega no futuro os poderes públicos e a população em geral apoiados pelos teorizadores do movimento moderno deram inicio a um conjunto de acções urbanisticos com vista á modernização dos centros históricos. Na época os velhos cascos urbanos não tinham argumentos suficientes para vencer o preconceito: o passado como lugar das más decisões; as que provocaram a dor a miséria e a morte precisava de ser varrido da memória colectiva. Tudo o que daí vinha não tinha importância: era o Império do erro. Sesimbra não escapou a este optimismo pueril e se nalgumas cidades portuguesas tais acções se revelaram como soluções adequadas para resolver alguns problemas urbanos noutros casos como em Sesimbra a solução ficou a meio caminho. Com efeito a dimensão e o numero dos sinais do desventramento levado a cabo no casco velho quando do prolongamento da Avenida da Liberdade são hoje visiveis como se tivessem acontecido ontem. O que era importante na altura era chegar à marginal, o resto logo se veria. São visiveis ainda hoje as várias empenas cegas: prédio, “Pinto Leão”, prédios junto ao Largo de Bombaldes com frestas ou vãos fora de qualquer métrica e as fachadas de logradouro

que passaram a ser fachadas Rua. O tempo passa e as feridas urbanas tornam-se banais, habituamo-nos, passam para dentro de nós com essa atmosfera de desleixo civico fazendo-nos descer os padrões de exigências e consequentemente a autoridade sobre aquilo que é de todos nós. Assim se passaram mais 50 anos sem que tenha havido soluções para resolver este problema. Progressivamente e por estas razões este local tão importante e central em Sesimbra foi invadido pelo automobilista de carro ou camionete de carga conforme ilustram as fotografias que acompanham este processo. Saudamos pois a CMS pela decisão tomada, de querer dar um sentido a este espaço. Pelo que se expôs e porque os velhos cascos das Vilas, felizmente, já são consideradas de valor monumental, conforme a carta europeia de monumentos e sítios, tem vindo a ganhar força a leitura do que existiu edificado naquele local em trocas de impressões informais ora com colegas de profissão ora com algumas pessoas que conheciam aquela área naquele tempo. Essa visualização imaginada que de certo modo ainda é real vem dar sentido ao volume e cérceas dos edificios existentes daquela época e introduz uma segunda leitura urbana rica em significado e mudanças de escala. www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

88


PARTIDO URBANISTICO Deste modo propomos devolver essa leitura à população recolocando o desenho e perimetros dos edificios e as designações das ruas praças e travessas com traços grossos de lajeta de pedra da região sobre uma superficie sem irregularidades monocolor em calçada de vidraço da região. Esta escrita sobre uma superficie contínua e sem ressaltos é cruzada por uma linha longitudinal que provem do lancil do lado nascente da Avenida da Liberdade e que estrutura e organiza a colocação do estacionamento na linha de arvores, iluminação pública e drenagem pluvial. O plano continuo de vidraço é apenas interrompido pelas diferentes texturas produzidas pela dimensão e orientação das pedras: às quais correspondem o cubo de 10x10cm para a circulação automóvel e a calçada miuda à meia esquadria para peões. Completam a intervenção, uma reformulação dos degraus de acesso ao Largo Bombaldes e do espaço de entrada do mercado municipal.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

89


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

90


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

91


A37. REMODELAÇÃO DE APARTAMENTO - SETÚBAL.

Projecto \ 2006 Obra 01 \ 2009

Apartment improvement - Setúbal

O programa requeria a manutenção das funções básicas da habitação como os espaços para preparação de refeições, de estar, de trabalho, para dormir, partindo do espaço configurado pelas paredes exteriores e estrutura do edifício. Tudo era possível. A intervenção apoiou-se no conceito geral de que o espaço seria dividido em duas grandes áreas, o espaço social, e o espaço privado, a separar os dois uma parede-armário multi-funcional contendo os arrumos e o acesso às zonas privadas dos quartos. Decidiu-se também que os espaços com funções muito específicas, cozinha e instalações sanitárias, seriam participantes dentro de um espaço aberto, surgindo na habitação como contentores com autonomia formal e material. Para amplificar esta noção de espaço aberto baixou-se os tectos com alturas diferenciadas definindo zonas de estar e de passagem, permitindo relações visuais de continuidade. A cor também têm o seu papel, destacando elementos singulares do desenho, os tubos de ventilação da instalação sanitária e o separador de correio da entrada, foram pintados de azul claro, contrastando com a pastilha cerâmica escura e a madeira da parede-armário. A entrada foi pintada por Ana Morgado na técnica de fresco.

The location is Setúbal, a medium sized Portuguese city facing the Atlantic. The client wanted to re-design a traditional apartment to meet a custom style. The apartment is relatively small, so the focus was in storage space, after some research on boat interiors construction we decide to incorporate some of the principles in the design. The space is divided between two main areas, the social space and the private space, separating the two, a longitudinal multi-functional wood wall serves as storage space and access to the house private space. We also decide that if the different functional spaces of the house, kitchen and bathrooms, were to feel less like a discrete space and more like a 'free floating container' the space would seem more loft like. We wanted to create the illusion of space, so the walls of this container-like spaces don´t quite touch the ceiling. To amplify this, we lowered some ceilings at different heights to enable spatial relations in the open space created. Color plays a role, elements that stand-out, the bathroom ventilation pipes and the mail separator in the entrance where painted with light blue, contrasting with the dark wood wall, the entrance were painted by Portuguese artist Ana Morgado in the fresco technique. The private spaces include two bedrooms connected with a small hallway, the open bathroom fitted with black and white graphics stands in the middle. Some furniture and lighting were custom made for the apartment following the principles developed for the entire design. Lastly, there is the exterior veranda, which resumes the maritime tonus of the design with the wood deck and chrome boat fittings. We wanted to create an interior space that could be easily assimilated from the moment you enter with a renewed sense of space, with a consistent style and detail and as close as possible to the first premise: a place where one can inhabit.

O espaço privado inclui dois quartos ligados por um pequeno corredor com uma instalação sanitária aberta entre os dois, separando-se o banho em volume independente, seguindo os princípios gerais estabelecidos. A varanda exterior permite também a circulação cruzada entre o espaço social e privado da casa e resume a intervenção com a utilização da madeira como elemento de ligação. Foram desenhados e construídos com a casa alguns dispositivos de iluminação, mobiliário interior e exterior. Com a intervenção pretendeu-se criar um espaço interior facilmente assimilável desde o momento da entrada, com um detalhe consistente, possível de ser executado num espaço temporal dilatado e nem sempre com os meios e técnicas mais eficientes e que estivesse o mais perto possível da primeira premissa: um espaço onde podemos realmente habitar.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

92


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

93


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

94


A38. RENOVAÇÃO E AMPLIAÇÃO DO CAMPO DE FÉRIAS DA EDP, Palmela EDP Summer Camp, Palmela

08 \ 2007

A EDP no seu programa de equipamentos pretendeu adequar e ampliar o seu Campo de Férias em Palmela com a adequação aos parametros regulamentares actuais. Após a análise das condições do campo e da verificação da adequação regulamentar propôs-se a organização do Campo de Férias por grandes zonas funcionais e programáticas: a zona de camaratas e dormidas, a zona lúdica e de divertimentos e a área de piscina e parque infantil. De modo a cumprir estes objectivos, algumas actividades foram relocalizadas e propostos novos equipamentos e edificios. Para além da proposta conceptual de organização do Campo pretende-se promover a acessibilidade a pessoas com mobilidade condicionada dotando os espaços com as caracteristicas regulamentares e promovendo um plano de acessibilidade para todo o Campo.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

95


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

96


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

97


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

98


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

99


A39. CASA EM ODEMIRA Odemira House

Local / Data: Odemira 05 - 2007 Tipo: reabilitação rural

Os proprietários pretendem adaptar a construção existente ás condições minimas de habitabilidade e conforto. Deste modo propõe-se dois novos volumes, a poente o volume correspondente a uma instalação sanitária com sanita, bidé, lava-mãos e cabine de duche independente e a norte um novo volume de construção correspondente a uma zona técnica e área de arrumos dos espaços exteriores. No interior da habitação com a demolição de paredes divisórias criam-se três espaços com carácter distinto, um apoio de cozinha ligado a uma sala comum, um quarto e um espaço de arrumos. O acesso principal passa a ser feito por um vão aberto na parede poente da sala comum, convertendo-se a porta existente em vão de iluminação e acesso exterior ao quarto. Aproveitando a boa relação de vistas e exposição solar sul-poente optou-se por fazer o acesso á casa pelo alçado poente numa sequencia de entrada que termina num espaço com pavimento em madeira tipo deck, sobranceiro a uma piscina com sistema de filtração biológico. A piscina aproveita a plataforma que se estende na frente do alçado poente. Criou-se outro espaço de estar exterior mais reservado a poente de modo a articular os acessos aos espaços exteriores junto ao volume construido da zona técnica. O espaços a sul e poente são protegidos por pérgolas em madeira. O principio arquitectónico adoptado para os espaços novos foi de continuidade com o existente, sobressaindo o volume do duche interior na fachada a poente como elemento de composição. Os materiais e cores a utilizar terão um caracter neutro deixando as sombras trabalhar os volumes, as paredes serão caiadas ou pintadas a tinta de água branca mate, consoante se trate de intervenção nos elementos existentes ou elementos novos. A caixilharia será em madeira á cor natural envernizada e as portadas exteriores em madeira lacada a esmalte na cor de vinho. Os pavimentos exteriores serão em massames afagados de argamassas bastardas com pigmento ocre.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

100


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

101


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

102


A40. RENOVAÇÃO E REABILITAÇÃO URBANA - LARGO DOS AÇOUGUES, Alcáçer do sal Urban reahabilitation - Largo do açougues, Alcáçer do sal

Data: 10 \ 2008

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

103


A41. ESTUDO DE TIPOLOGIAS DE HABITAÇÃO UNIFAMILIAR Single family houses study.

Data:

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

04 \ 2008

104


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

105


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

106


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

107


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

108


A42. PROJECTO DE EXECUÇÃO DO CENTRO SOCIAL E PAROQUIAL DE TAVIRA Tavira social center building project

Local / Data: Tavira 10 - 2008 Tipo: obra nova

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

109


A43. LOJA / ATELIER DE PINTURA Store / Painting Studio

Local / Data: Lisboa_Rua de S. Marçal 04 - 2009 Tipo: Reabilitação_Remodelação

O projecto recupera uma loja que em tempos albergou uma casa de esmaltagem e cromagem no centro histórico de Lisboa. Descontaminou-se o local e removeram-se antigas divisórias de madeira, com a acção revelou-se a estrutura em perfis de aço apoiados nas paredes perimetrais. O espaço interior de ângulos fortes foi simplificado com recurso a separadores que ao mesmo tempo regraram o espaço e criaram espaços de arrumos e serviço. Com o espaço desenharam-se as divisórias e o mobiliário de apoio ao atelier de pintura.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

110


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

111


A44. CASA EM QUELFES, ALGARVE CONCURSO ARQUITECTAR 2009 Quelfes House, Algarve | 2009 Arquitectar Competition

Local / Data: Quelfes 06 - 2009 Tipo: Concurso

TERRENO E ENVOLVENTE O lote de terreno situa-se na Freguesia de Quelfes, Concelho de Olhão, junto á Ribeira de Quatrim, com vista sobre os espaços lagunares da Ria Formosa e Ilhas Barreira. Têm a forma aproximada de um quadrado de 2 hectares com topografia acidentada com declive de Norte para Sul. De matriz rústica, típica da região, com pré-existências que denunciam a organização cuidada, fruto de tradições antigas, exemplo de sustentabilidade, poço ao centro, socalcos de regadio na zona mais baixa junto á ribeira e zona de sequeiro na extrema sul junto ao terreno vizinho onde ferramentas e recursos eram partilháveis em prol do bem comum. Todos os acessos situam-se na zona alta do terreno de onde se avista toda a propriedade. SOLUÇÕES PROPOSTAS Aproveitando a boa relação de vistas e exposição Norte-Sul, optou-se por uma construção que se desenvolve longitudinalmente ao longo da linha limítrofe Noroeste do lote, aproveitando o desnível para a construção de dois pisos. Princípios gerais A construção é um grande volume rectangular que assenta no solo, sensivelmente a meio do declive, este volume vai-se tornando mais poroso e permeável com recurso a aberturas e grelhagens, que se vão tornando mais frequentes no sentido longitudinal. Esta desmaterialização é acentuada pelos passadiços/mirantes em metal que se prolongam para lá do volume da habitação.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

112


Articulação do programa No piso superior, fazem-se todos os acessos, a garagem a norte com espaços de arrumos e zonas técnicas, na mesma cota faz-se a entrada pedonal com hall transversal que dá acesso aos quartos e ao piso inferior. No piso inferior, o programa é mais aberto com as salas de estar e jantar a cotas diferenciadas, a cozinha em planta livre, com ilha central. O escritório fica num volume separado configurando um pátio junto às zonas sociais do piso inferior. Uso de sistemas activos e passivos de energias renováveis No topo norte da construção inseriu-se uma cobertura em prisma triangular de apoio á bateria de painéis solares térmicos, orientado no quadrante sul, este volume, opção formal que estabelece um diálogo de complementaridade com os outros elementos construtivos, aparece como elemento icónico da construção. Sobre a sala de jantar estabelece-se um vazado, um pé-direito duplo que, com a parede sul adjacente, são fechados com um vidro simples de grande espessura. Sobre este L, formado pela cobertura e parede, e suspensa sobre um par de carris, corre uma parede com isolamento térmico. Esta parede deslizante permite cobrir o vidro sobre o vazado, consoante as necessidades ao nivel térmico da habitação. Numa situação de inverno durante o dia, a parede desliza e permite a entrada de luz pela parede e cobertura de vidro permitindo capitalizar a massa térmica dos elementos construtivos, durante a noite a parede desliza para a posição fechada mantendo o calor no interior. No verão, a parede fica fechada durante o dia, á noite pode ser aberta e refrescar a casa. Aderido a este sistema de parede isolante deslizante está um sistema de grelhagens que funciona no mesmo plano, abrindo ou fechando o pátio do quarto de casal.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

113


A45. CONCURSO PARA O DESENHO DO ESPAÇO EXPOSITIVO DA TRIENAL DE LISBOA DE 2010 2010 Lisbon Architecture trienal exhibition competition Local / Data

Lisboa 09-2010 Tipo: concurso

O conceito cenográfico que se propõe procura responder ao programa tendo como referência os espaços interiores pré-existentes da área de intervenção no Museu da Electricidade. Na área de intervenção, distingue-se claramente dois espaços, a área de pavimento junto á entrada do edifício e o espaço mais reservado delimitado por uma divisória leve e com entrada a eixo. Propõe-se um grande eixo longitudinal em forma de parede construída, re-alterando a lógica de espaços no interior do Museu, criando 3 espaços legíveis perfeitamente definidos, o espaço expositivo dedicado ao Concurso Internacional, no espaço interior da área delimitada pré-existente, o espaço expositivo do Concurso Universidades no lado oposto do eixo, e o espaço de entrada e acolhimento. A proposta mantém os percursos de serviço existentes dentro do Museu da Electricidade. The exhibition concept proposed, strives to answer the program using the pre-existent interior spaces in the Museum of Electricity in Lisbon. In the exhibition area, two spaces are clearly identified, the floor area near the main entrance, and the more reserved one, delimited by a discreet divider with a centered entrance. A long longitudinal wall is proposed as an axis, re-altering the previous logic of the spaces in the interior of the Museum, creating 3 clearly defined spaces: the exhibition space for the International Competition (exhibition area 01), on the pre-existent delimited interior area; the College Competition exhibition space (exhibition area 02) on the

opposite side of the axis; the entrance and welcome desk. This proposal maintains the internal staff pathways. The backbone axis-wall constructed in wood is the unifying device of the two exhibitions, working as a parasite structure that takes over the space and transforms it, contrasting with the grey metallic structure in the interior of the Museum. It is a freestanding structure built upon the gaps in the crossing wood profiles of equal dimension, boosting the transparency and shadow effects. Both exhibitions are connected to the longitudinal axis by white lacquered wood profiles and the exhibition spaces are arranged sequentially. In the International Competition area, the projects are exposed in both sides of OSB wood panels and have the respective model in a plinth. The same logic is applied to the College Competition, but with two works per unit. The prefaces to the exhibitions are in the beginning of the paths, displayed in a alveolar polycarbonate panel with a logical gradation of transparencies while one approaches the exhibition. The introduction to both exhibitions is to be placed in the entrance area using the pre-existing large whiteboard panel that is near to the exhibiting area. A low counter with the same wood structure is to be placed near the entrance allowing the disposal of exhibition merchandise and other promotional materials regarding the Triennial

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

114


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

115


A46. O RECANTO DOS NENUCOS, EDIFICIO DE MULTI-VALÊNCIAS PARA A 1ª/2ª IDADE Local / Data Qt do Conde 10-2010 Tipo:edificio novo

De uma forma genérica foi adoptado, de acordo com as regras estabelecidas pela Segurança Social Portuguesa, um programa adequado para Jardim de Infância e Centro de Actividades de Tempos Livres, considerando-se uma média por sala de 2m2 por criança ou ocupante. Na primeira abordagem ao programa entendeu-se que seria vantajoso que o programa central de Jardim de Infância e ATL coexistisse com outras valências que gerassem alguma dinâmica na vida diária do Centro de Actividades. Esta noção relaciona-se um pouco com as pesquisas em educação publicadas em anos recentes no sentido de garantir um espaço de aprendizagem informal do tipo “learning street”, neste caso com as devidas adaptações às idades de aprendizagem pré-escolar. Assim, decidiu-se que o espaço a criar deveria ter um conjunto de atributos que seriam: - espaços atractivos de modo a proporcionarem bem-estar e garantirem as condições essenciais para um bom trabalho educativo, estimulando e favorecendo a adaptação dos utilizadores; - espaços flexíveis, capazes de se adaptarem no tempo á evolução das matérias pedagógicas e permitirem alterações de uso mediante alterações de baixo impacto económico;

- espaços multifuncionais, capazes de possibilitar uma utilização variada e com abertura á comunidade e vizinhança de proximidade. - espaços para todos, com eliminação de barreiras arquitectónicas e permitir a utilização do estabelecimento por crianças e jovens com dificuldades de locomoção. Neste sentido o programa foi complementado com salas ATL, e salas de estudo de diferentes disciplinas nucleares, incluindo biblioteca e sala do conto. A estas valências e no sentido de diversificar a oferta de serviços, o Centro de Actividades de Tempos Livres será dotado de uma sala de actividades com abertura ao público geral com ligação a um café com internet (netcafé) e ainda, uma papelaria e uma lavandaria.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

116


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

117


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

118


A47. CONCURSO ‘A HOUSE IN LUANDA’ A house un Luanda competition

Local / Data: Luanda 03 - 2010 Tipo: Concurso

2-2

The project is non site-specific, but is expected that the site is relatively flat or moderately sloped. The site plan follows the simple principles of the building, a partition divides the small semi-public access patio from the private patio. It is proposed a set of evergreen trees and shrubs to act as dividers between lots. A flexible plan allows the home to adapt to the changing needs of the family. The four rooms configuration can be adapted to the social circumstances of its inhabitants. The room on the ground floor provides easy access to family members with mobility problems or to a living room, it can also be adapted as a room for a home business.The first floor partition walls can be re-arranged, as they have no structural function. The basic nucleus can be expanded, and a 2nd bathroom can be arranged on the first floor.

Combination of several House/Lot units creates the conditions for the existence of a community. In the street level the parallel disposition of the units provides wind corridors through the permeable dividers of the patios helping with cooling and air renovation.

The compact plan allows for increased density, increased water infiltration, maximized open-space and minimized material usage. The semi-public patios are designed for close contact with neighbors and should provide a space for interaction with the street. Urban indicators: Lot area: 250m2 Built area: 99,50m2 Lot usage ratio: 0,2

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

119


Local shrubs / Privacy

Private Patio / Backyard

Rain water collection

Local shrubs / Privacy

Evergreen trees / winbreak-privacy

Private Patio

Entrance

Semi-public Patio

www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

120


NORTH ELEVATION

Scale 1:50

SOUTH ELEVATION

Scale 1:50

www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

121


Corrugated sheet metal

Roof sub-frame

Structural wood and beams

Exterior/ Interior wall frame

Cement block thermal wall

Exterior wall cladding and apertures

Concrete foundation and floor

www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

122


The home is designed to provide a good basis for sustainable systems to be put in place without much economical effort. The roof provides collecting surface to harvest rainwater into storage tanks. This rainwater is used with the natural pull of the gravity into the kitchen and bathroom. The roof also allows, in a future stage, the installation of photovoltaic panels. The natural ventilation through a passive scheme is intended to provide a more stable interior environment. Manual shutters and grills control the amount of air removal.

www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

123


The reality of inaccessibly or unavailable affordable housing are an everyday shackle bound to communities in several countries throughout Africa, particularly Angola. A design solution of an affordable house for a single family required a responsive solution that could provide the minimum conditions where notions of refuge and comfort could co/exist.

ROOF

The proposed design was strongly informed by the economical conditions imposed by the brief. The simple form of the building is the pragmatic response to that. The building occupies the foremost part of the lot, providing a street face when grouped, a small entrance patio mediates the street level with the interior spaces. Privacy is achieved with screening elements that separate the semi-public patio from the private patio that can be used for the daily activities of the inhabitants. The materials used are of common use in the region and can be easily found and transformed according to the design, cement blocks, scrapboards cut in to stripes, local wood and corrugated metal sheet in the roof. The main structure is fixed, but the interior sub-frames allow for different arrangements of interior spaces as the family evolves. The simple design is topped by a sloped roof informed by the lands most precious resource- clean water. The concept is to harvest water as an essential part of the daily living, stored in circular tank, should provide the inhabitants with the basic component for life to exist. If local labour, local materials and recycled materials is used the total cost of each unit it is estimate to be in the 20.000-25.000 EUR range.

Corrugated sheet metal

Scrapboards with diferent sizes

Local labour - cut in to stripes and painted

Installation in place Local labor / autoconstruction

FLOOR

WALL

Locally available roofing material

Striped exterior wall

Sand + cement + Local labour/ auto-construction

The palette of materials explore the tactile culture and craftsmanship of local labor. The materials that articulate the strutcture and surfaces are manufactured in place or from local recycling sources. Materials are simple and consist of concrete floor slab, wood columns and beams to support the first floor and roof. Interior and exterior walls are constructed with a conventional wood frame. The surface of the exterior wall (ground floor) are clad with stripped wood salvaged (recycled) from any type of scrapboard. The wall in the east elevation is constructed with cement blocks, providing thermal mass to the building.

www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

124


CONCURSO PARA A ESCOLA SECUNDÁRIA DA QUINTA DO PERÚ Quinta do Perú Secondary School Competition

Local / Data Qt do Perú 06-2010 Tipo:concurso

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

125


A49. REABILITAÇÃO NA AJUDA 1º PRÉMIO - ARQUITECTAR 2010, ARQUITECTO REVELAÇÃO

Building renewal, Arquitectar 2010 competition - 1st Prize Local / Data Lisboa 02-2011 Tipo: concurso

O projecto recupera um edifício de habitação da cidade consolidada. Mantêm-se a volumetria, a intervenção procura a solução dentro dos limites existentes. A fachada principal e a empena traseira definem o espaço “entre paredes”, paredes portantes e de grande espessura que se soltam e desmaterializam a fachada lateral que se torna dupla. Este espaço, assim criado, passa a conter as circulações verticais, agora chegadas á extrema, libertando a restante área para a habitação. Este espaço de transição interior-exterior torna-se simultaneamente espaço de chegada, espaço de passagem e de estar, mediando a relação da habitação com a cidade. Com o projecto propõe-se a melhoria da eficiência energética do edifício, recorrendo sempre que possível a soluções passivas, sombreando os espaços ou melhorando a qualidade de isolamento térmico da envolvente exterior, propondo-se ainda um sistema de recolha de águas pluviais de modo a reduzir os custos associados ao consumo de água tratada. A arquitectura proposta pretende, assim, manter a memória da forma, desmaterializando a pré-existência, apontando caminhos e mostrando-se subtilmente á cidade, deixando adivinhar que para lá daquela fachada existe muito mais do que os olhos podem ver.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

126


Comentário do júri: “O projecto de uma casa permanente em área urbana consolidada apresenta uma reabilitação de um pequeno prédio, que inteligentemente explora o potencial de uma empena cega de carácter urbano. Com uma formalização apelativa mas sóbria, este projecto habitacional confere uma concepção espacial contemporânea à pré-existência, resolvendo de forma consistente o programa interior e propondo uma nova área exterior interiorizada de uso comum, aberta e iluminada, embora protegida, através de um brise soleil, do espaço urbano. Este projecto apresenta-se como estratégia consistente e generalizável para a reabilitação urbana. O edifício reabilitado é constituído por duas fracções autónomas com classe de Eficiência Energética A, ambas apresentam soluções construtivas eficientes que contribuem para uma inércia térmica forte conferindo às fracções uma forte capacidade de armazenamento de calor. Para colmatar as necessidades de aquecimento, arrefecimento e preparação de águas quentes sanitárias, foi proposta para cada fracção autónoma, a instalação de uma bomba de calor e de uma caldeira de acumulação a gás como apoio aos painéis solares térmicos instalados, tendo existido a preocupação de seleccionar equipamentos de elevada eficiência. Não foram propostas medidas de melhoria de desempenho energético e de qualidade do ar interior.”

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

127


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

128


A50. CONCURSO ‘CHANGING THE FACE 2011 - RESCUING PUSHINSKY CINEMA’ Changing the face 2011 competition - Rescuing an aging icon of Moscow

Local / Data: Moscovo 02 - 2011 Tipo: Concurso

2-2

The Pushkinsky Cinema Hall and the Pushkin Square are enveloped in a context of historical heritage. The proximity and the significance of the surroundings, the historical buildings, the prominent position in the urban context and the iconic character of the Pushkinsky Hall, constitutes the background that the proposal had to deal with. Our proposal tries to explore, from a point of vantage, this exposure and context. Our emulated curtain is a plane superimposed on the Pushkinsky façade, a plane that creates a homogeneous continuity between the façade planes of the square and at the same time maintains the iconic character of the building, re-creating in the public space the symbolic relations between the spectator and the stage. The curtain acts as a new frontier, generating a renovated perception of Puskin Square, it is also a mechanism of theatrical allegory. The square represents the big public foyer and the curtain the point from where the cinema fictional world begins.

combinations These panels are to be made with Dupont Corian and mounted on a steel auto-supporting structure. The existing volumes and surfaces are clearly revealed with the removal of annexes, add-ons and other outside materials in the façade. The project uses DuPont Corian on the fixed and rotating panels and Alesta powder coatings on the steel structure. This dichotomy is more apparent when the building is approached from the side streets and gradually The Curtain is revealed to the people passing by. The simple intervention and choice of materials contrasts with the historically charged surroundings, changing the face of Pushkinsky Cinema Hall.

The proposed plane, The Curtain, is divided in three horizontal sections, each section is composed by a series of fixed and rotating panels adding a dynamic effect to the setup. When the panels are closed, the façade can be a stage for multimedia and other light effects. These effects combined with the rotating Corian panels can be used in the premieres to create a dramatic puzzle effect. The panels can be individually rotated, providing endless façade www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

129


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

130


A51. REABILITAÇÃO DE APARTAMENTO EM EDIFICIO POMBALINO Historic city apartment renewall

Local / Data: Principe Real, Lisboa 02 - 2011 Tipo: Reabilitação

2-2

A proposta de intervenção baseia-se em dois princípios genéricos – recuperação do existente quando possível e utilização de técnicas, materiais e sistemas compatíveis com o existente, procura-se deste modo, com a reutilização intensiva de materiais existentes, devolver alguma sustentabilidade ao que podemos chamar de um 2º ciclo de vida da habitação. Pretende-se com este projecto devolver as condições de habitabilidade ao fogo, actualizando o desempenho tanto a nível espacial, acústico e de conforto como estrutural. A intervenção têm como peça estruturante uma divisória em armário, com acesso bilateral, que percorre toda a habitação desde a zona da entrada, pretende-se assim reespacializar as divisões fechando os quartos de uma forma funcional dando algum sentido de praticalidade aos elementos novos a inserir. No espaço da antiga cozinha é colocada uma divisória em alvenaria seca, conformando uma instalação sanitária colmatando assim uma lacuna no programa da habitação. A cozinha re-aproveita o espaço da fuga existente concentrando-se as funções num balcão em L. Junto a este balcão abre-se uma janela que outrora existira no mesmo espaço. A partir deste ponto têm-se acesso a uma pequena varanda em consola onde se concentram áreas técnicas da habitação, o espaço do frigoprifico, a máquina de lavar roupa e o esquentador.

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

131


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

132


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

133


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

134


A52. CONCURSO PARA O PAVILHÃO DE INFORMAÇÕES DOS JOGOS OLIMPICOS DE 2012 - LONDRES London Olympics 2012 information pavilion competition Local / Data Trafalgar Square, Londres 07-2011 Tipo:concurso internacional

The open space of Trafalgar Square is the starting point of our proposal, being a no-construction urban space we see this opportunity to imagine how would a ‘building’ could sit confortably in the squre.We propose a pavilion with a house shape inside a fence placed in the middle of Trafalgar Square. The program is distributed in 2 floors, the ground floor incorporates the information area, the souvenir space and the café, on the 2nd floor there’s an interior esplanade and technical areas under the sloped roof (water services). The exterior fence is self-supporting and made with recycled wood profiles, the pavilion wood structure is clad with cork tiles painted white. The perimeter of the wood fence extends to support two wide screen displays. As a result the little pavilion with its enviromentally conscious materials becames a plataform on wich to repose, watch the games and look out over the surroundings.

SITE PLAN. The pavilion sits in the middle of Trafalgar Square dividing the space, generating new urban pathways and spatial relations. The entrances in the pavilion are designed to deal with this change of scale and perception of the square. There´s one acess from the square level itself and other from the National Gallery walkway. 1st Floor

Ground Floor PLANS. 5

1. Information area

1

2. Souvenir shop

5

3. Café

2

4

4. Facilities 5. Storage / technical spaces

3

6. Administration 7

6

7

7. Esplanade 8. Screen

Access and circulation: Access from square level

the

8

8

Access from the National Gallery level

Wood profiles

Wood structure

Water tank

White painted Cork panels

TRANSVERSAL SECTION

www.arqrosadasilva.com /©2010 arqrosadasilva@gmail.com

135


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

136


www.arqrosadasilva.com /Š2010 arqrosadasilva@gmail.com

137

Portfolio de A. Rosa da Silva  

Portfolio completo de arquitectura de António Rosa da Silva 2002 - 2011

Portfolio de A. Rosa da Silva  

Portfolio completo de arquitectura de António Rosa da Silva 2002 - 2011

Advertisement