Page 60

mediante a transferência da propriedade dos bens da Igreja para o “povo francês”, fica acertada a proteção e manutenção desta instituição, mas seus bens são colocados à venda. Dès le 7 août 1789, un député de la noblesse, le baron de Jessé, déclare à la tribune à propos de la dévolution des biens eclésiastiques : « Ces biens appartiennent à la nation ; le moment est venu pour elle de les revendiquer. » Pour parer à la crise financière déjà menaçante, il propose la confiscation « des richesses immenses, des richesses mortes que forme l'argenterie des églises et des monastères ». (RÉAU,1994, p.266).

O vandalismo e a destruição “material” dos bens da Igreja e do Antigo Regime, num primeiro momento, são atos aceitos e até certo ponto vistos de forma heróica – “o povo toma o poder”. Num segundo momento, e na medida em que esses atos começam a representar perdas econômicas reais ao novo Estado e colocar em risco os bens da burguesia, esses “heróis” passam a serem vistos como “vândalos” e “ignorantes”. É sob a ameaça da destruição que as primeiras vozes clamam à proteção dos bens franceses. Assim esses bens, passam agora a ser responsabilidade e “valor” do povo francês, representado pelo Estado, servindo a uma estratégia política e ideológica na construção do Esatado-Nação Francês.

2.4

A

DESTRUIÇÃO

SIMBÓLICA:

CRIAÇÃO

DE

UMA

NOVA

IDEOLOGIA

É preciso esclarecer que entendemos que o exercício de poder necessita de práticas simbólicas, ritos, e símbolos para se legitimar ou persuadir, para a construção de sua hegemonia23. Assim, as transformações sociais, políticas e culturais da Revolução Francesa são determinantes para o mundo moderno e conseqüentemente para o mundo atual. A dimensão simbólica quer da Revolução em si, quer dos atos, discursos, ritos são fundamentais

23

Por hegemonia estamos considerando a capadidade de um derterminado grupo impor e dominar o conjunto da população, fazendo com que os seus interesses se constituem interesses de todos.

60

Revista ARQCHRONOS - Arquitetura em Patrimonio  

A criação da Revista ARQCHRONOS – arquitetura em patrimônio – é um pólo de troca e de ação crítica relacionado a área de Patrimônio Arquitet...

Advertisement