Page 47

2 DO SURGIMENTO DO PATRIMÔNIO

Il y a deux choses dans un édifice : son usage et sa beauté. Son usage appartient au propriétaire, sa beauté à tout le monde; c’est donc dépasser son droit que de le détruire. (HUGO, [1825])

2.1 CONTEXTO HISTÓRICO

O surgimento da idéia de patrimônio tal qual conhecemos hoje e é usado pelo senso comum – o acervo de bens reconhecidos e protegidos legalmente como fundamentais à formação de uma nação, um povo e da identidade nacional – está intrinsecamente ligado ao período moderno17, estando associado e a serviço da criação dos Estados- Nações. RESTAURAÇÃO, s.f. A palavra e a coisa são modernas. Restaurar um edifício não é mantê-lo, repará-lo ou refazê-lo, é restituí-lo em um estado de inteireza que pode jamais ter existido nunca em um dado momento. (VIOLLET-LE-DUC, in DOURADO, 1996 p.7)

Viollet-le-Duct Le Duc, considerado o primeiro teórico do restauro, reafirma: Dissemos que a palavra em a coisa são modernas, e, de fato, nenhuma civilização, nenhum povo, em épocas passadas, pretendeu fazer restauros como nós o compreendemos hoje. (VIOLLET-LE-DUC, in DOURADO, 1996 p.7)

Como relatado por Viollet-le-Duct, antes do período moderno, as ações que objetivavam manter um bem, fundamentavam-se, no que poderíamos chamar atualmente da preservação imaterial, já que não havia qualquer comprometimento com a matéria ou o bem. No verbete entitulado Restauração, de 1854, ele relata inúmeros exemplos que ilustram essas práticas. Ou seja, quando um palácio ou templo sofria a degradação do tempo era abandonado e entregue à ação dos séculos e outro era edificado ao lado, mantendo assim a tradição, os ritos, as formas de fazer, etc.

47

Revista ARQCHRONOS - Arquitetura em Patrimonio  

A criação da Revista ARQCHRONOS – arquitetura em patrimônio – é um pólo de troca e de ação crítica relacionado a área de Patrimônio Arquitet...

Advertisement