Page 14

preservação ou restauração deste patrimônio, do ponto de vista da memória cultural, da sua autenticidade, do seu valor artístico. De acordo com Artigo 216 da Constituição da República Federativa do Brasil, o patrimônio cultural é definido por suas diversas formas de expressão, como: os modos de criar, de fazer e viver; das criações científicas, artísticas e tecnológicas; das obras, objetos, documentos, edificações e demais espaços destinados às manifestações artístico-culturais; e dos conjuntos urbanos e sítios de valor histórico, paisagístico, artístico, arqueológico, paleontológico, ecológico e científico. Então, “os bens da natureza material e imaterial, tomados individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade2, à ação, à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira”, constituem o Patrimônio Cultural brasileiro, segundo a legislação vigente. Entretanto, o reconhecimento de um bem cultural como patrimônio é um processo dinâmico e participa de uma dimensão cultural e histórica, em contínuo processo de produção. Neste sentido, o patrimônio legalmente reconhecido descrito na forma da Lei, não abarca o conjunto de bens culturais em formação. Assim, propomos a ampliação do universo patrimonial com o intuito de contemplar e reconhecer os bens não legalizados, mas legitimados nas práticas e relações sociais e culturais dos sujeitos. É importante esclarecer que esta ampliação conceitual proposta não diverge ou se contrapõe ao enunciado legal, mas busca apenas abrir-se para inserir os bens ainda não reconhecidos legalmente, mas socialmente entendidos e validados ao universo cultural e do patrimônio. O surgimento da palavra patrimônio - no sentido do acervo cultural formador de uma identidade nacional legalmente reconhecida – aparece associado a um contexto revolucionário

2

Por identidade consideramos o conjunto de características comuns que nos permitem “reconhecer” um grupo. É a identificação do que é comum num determinado momento ou situação ou perspectiva – supõe também a multiplicidade, a singularidade, o devir, e a diferença entre os indivíduos . Essa noção distingue-se ou distancia-

14

Revista ARQCHRONOS - Arquitetura em Patrimonio  
Revista ARQCHRONOS - Arquitetura em Patrimonio  

A criação da Revista ARQCHRONOS – arquitetura em patrimônio – é um pólo de troca e de ação crítica relacionado a área de Patrimônio Arquitet...

Advertisement