Page 131

patrimônio cultural e artístico) também podem ser retraduzidas segundo as prioridades e interesses particulares. É importante reafirmar que essas ações se constituem também em canais de relacionamento e comunicação. Como a própria nomenclatura sugere (no-midia), a busca por esses novos meios de relacionamento é justificada exatamente por não se tratar das mídias tradicionalmente reconhecidas e associadas diretamente à venda. Ou seja, a adoção dessas novas formas de relacionamento e de comunicação possibilita a ampliação do campo publicitário, permitindo que as estratégias de comunicação façam uso de novos meios, além dos tradicionalmente adotados, na construção de imagens competitivas, conhecidas e fortes de empresas ou do poder público. É inegável que algumas dessas ações constituem-se em geradores de notícias, o que contribui para que essas estratégias comunicacionais, por gerarem fatos relevantes à sociedade, ampliem ainda mais o campo publicitário já que esses fatos são noticiados e informados por programas de televisão, rádio e impressos. Conseqüentemente representam a divulgação da empresa ou governo, sem a caracterização ou associação à propaganda comercial direta e intencional e sem representarem um custo direto com a divulgação. Por exemplo, no caso da “reforma do Pelourinho”, em 1993, a primeira apropriação e re-significação consiste em denominar toda a área do Centro Histórico de Pelourinho - que na realidade é apenas uma praça, um lugar simbólico históricamente por ter um pelourinho60. Essa intervenção apesar de não ser uma ação com participação direta da iniciativa privada, a reforma constituiu um fato relevante à imagem do então governador Antônio Carlos Magalhães. Só no jornal A Tarde, no mês da inauguração da primeira etapa do Pelourinho (março de 1993) e meados do mês seguinte, foram publicadas quarenta e duas reportagens relativas a esta obra, além de eventos e fatos do Pelourinho, assim como assuntos afins. É 131

Revista ARQCHRONOS - Arquitetura em Patrimonio  
Revista ARQCHRONOS - Arquitetura em Patrimonio  

A criação da Revista ARQCHRONOS – arquitetura em patrimônio – é um pólo de troca e de ação crítica relacionado a área de Patrimônio Arquitet...

Advertisement