Issuu on Google+


Este manual é propriedade da Sociedade FogáS Ltda. para utilização exclusiva de seus clientes. É expressamente proibido copiar total ou parcialmente o seu conteúdo, sem prévia autorização, por escrito, da Sociedade FogáS Ltda. Portanto, na eventualidade da mudança de fornecedor, será solicitada ao cliente, a devolução deste manual. É permitido ao cliente utilizar este manual em seus treinamentos internos, desde que o mesmo seja restrito aos seus funcionários ou prestadores de serviços terceirizados. Mesmo assim, após o encerramento, o material utilizado deverá ser destruído de forma apropriada. Com a entrega deste manual, a Sociedade FogáS Ltda. está atendendo os requisitos da Portaria 47/99, da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis). 3


Sumário

4

1. inFormaçõeS BáSicaS SoBre o gáS LP - gáS LiqueFeito de PetróLeo .......... 1.1 como é obtido o gás LP .......................................................................................... 1.2 características principais ...................................................................................... 4Definição ........................................................................................................................ 4Composição média ........................................................................................................ 4Fórmula estrutural .......................................................................................................... 4Odor ............................................................................................................................... 4Estado físico encontrado na natureza ............................................................................ 4Toxidade......................................................................................................................... 4Corrosividade ................................................................................................................. 4Densidade dos vapores ................................................................................................. 4Limite de explosividade ................................................................................................. 1.3 recomendações e ações de emergência .............................................................. 1.4 Legislação aplicável ................................................................................................

5 5 5 5 5 5 5 5 5 6 6 6 6 7

2. ProcedimentoS BáSicoS Para a oPeração da centraL de gáS LP ....... 2.1 Vaporização natural ................................................................................................. 2.1.1 Descrição da Central de Recipientes Transportáveis ............................................. 2.1.2 Operação da Central de Recipientes Transportáveis ............................................. 2.1.3 Descrição da Central de Recipientes Estacionários ............................................... 2.1.4 Operação da Central de Recipientes Estacionários ............................................... 2.1.5 Recomendações de Segurança .............................................................................. 2.2 Vaporização artificial ............................................................................................... 2.2.1 Descrição da Central de Recipientes Transportáveis ............................................. 2.2.2 Operação da Central de Recipientes Transportáveis ............................................. 2.2.3 Descrição da Central de Recipientes Estacionários .............................................. 2.2.4 Operação da Central de Recipientes Estacionários .............................................. 2.2.5 Recomendações de Segurança ............................................................................. 2.3 abastecimento de Pit-StoP de empilhadeiras no cliente .................................. 2.3.1 Descrição da Central de PIT-STOP ........................................................................ 2.3.2 Operação de Abastecimento de Empilhadeiras ...................................................... 2.3.3 Recomendações de Segurança .............................................................................

8 8 8 9 10 11 11 12 12 13 14 15 16 17 17 18 20

3. 3.1 3.2 3.3 3.4 3.5

SituaçõeS de emergência - açõeS BáSicaS .............................................. Vazamento com ocorrência de fogo............................................................................ Vazamento sem ocorrência de fogo............................................................................ Fogo próximo a Central .............................................................................................. Rompimento do Pig Tail ............................................................................................. Abertura da válvula de segurança ..............................................................................

21 21 23 23 24 24

4.

inFormaçõeS do aBaStecimento da centraL .......................................... 25

5.

recomendaçõeS neceSSáriaS ...................................................................... 26

6.

como utiLizar o manuaL do conSumidor de gáS a graneL ................ 27 (somente para recipientes estacionários)

7.

gLoSSário ............................................................................................................. 28


1. inFormaçõeS BáSicaS SoBre o gáS LP 1.1 como é obtido o gás LP? O Gás LP é extraído pelo processo de destilação e craqueamento do petróleo cru ou pelo processo de condensação do gás natural.

1.2 características principais definição gás Liquefeito de Petróleo (Gás LP). composição média obtida em amostra composição

Vol (%)

composição

Vol (%)

Etano Propano Propeno IsoButano N-Butano Iso-Butano + Buteno 1 Buteno-2 Trans

9,4 18,4 30,7 10,9 12,7 8,8

Buteno-2 Cis Butadieno-1, 3 Isobuteno Isopentano N-Pentano Hidrogênio Metano

6,8 1,6 0,1 -

+ l odor (cheiro) No estado natural, não possui cheiro. Durante o processo de fabricação é adicionado o enxofre mercaptídico, que confere odor acentuado. Este cheiro característico é utilizado como um adicional de segurança em caso de vazamentos. Esse processo é realizado pelo produtor e não pela distribuidora. O Gás LP pode apresentar na sua composição olefinas ou parafinas que podem se solidificar e acumular ao longo do tempo na câmara de combustão da empilhadeira. Para evitar maiores problemas deve-se cumprir o plano de manutenção/limpeza recomendado pelo fabricante dos equipamentos. l estado físico encontrado na natureza Gasoso a pressão e temperatura ambiente. l toxidade O Gás LP não é tóxico, e sim, asfixiante (em virtude da ausência de oxigênio).

5


l corrosividade O Gás LP não é corrosivo. l densidade dos vapores Seus vapores são cerca de duas vezes mais pesados que o ar. Quando o Gás LP vaza para a atmosfera, acumula-se nas partes baixas. l Limite de explosividade Sua faixa de explosividade fica entre 1,86 e 9,50% de volume no ar.

1.3 recomendações e ações de emergência

l

l

l

l

l

l l l

l l l

l

l

l

l l l

l

6

l

A ventilação natural do ambiente onde estão instalados os tanques é primordial. Não permita a instalação de paredes ou outras quaisquer modificações que diminuam a ventilação. Não converse nem desvie a atenção do operador durante a operação de abastecimento. No momento do abastecimento, desligue todos os fornos ou fontes de consumo do gás e também quaisquer outras fontes de ignição. Todo material utilizado na instalação de Gás LP deve ser certificado pelo INMETRO para o uso com Gás LP. Os tanques da Fogás possuem tampa com chave. Somente pessoal autorizado pela empresa possui a chave para abrir esse dispositivo. Os cilindros da empilhadeira devem ser da empresa que instalou o PIT-STOP. Manter o celular e qualquer fonte de ignição fora da área de risco. Ao sentir cheiro de gás ou observar vazamentos, interrompa todas as operações e desligue todos os aparelhos elétricos e fontes de ignição. Comunique imediatamente à Fogás através da Central Disk Gás 0800 709 9292, Departamento de Instalações Industriais de Manaus 0xx92 2123-9228 ou a portaria da Fogás em Porto Velho 0xx69 2182-9292. Nunca tente eliminar o cheiro de gás utilizando ventiladores. Nunca fume próximo aos tanques. Nunca permita a presença de pessoas estranhas próximas ao tanque, principalmen te durante o abastecimento. Não permita que ninguém mexa ou opere o tanque. As únicas pessoas autorizadas são os técnicos da Fogás. Não permita fontes de ignição (motores elétricos, fornos, soldas, veículos e outros) próximos aos cilindros/tanques. Nunca instale novos aparelhos elétricos e máquinas próximos ao tanque de Gás LP sem a consulta prévia à Fogás. Não mude o tanque de local sem consultar a Fogás. Mantenha o tanque limpo e desobstruído de quaisquer materiais. Mantenha sempre a quantidade correta de extintores de incêndio carregados, dentro da validade e desobstruídos, próximos ao tanque de gás. Não efetue modificações ou obras na central de gás sem comunicar e receber a concordância da Fogás. Testar a cada 3 anos a estanqueidade da rede, conforme previsto na NBR 15358.


1.4 Legislação aplicável A Fogás realiza suas atividades em conformidade com as normas abaixo: - NBR/13523: Central de Gás Liquefeito de Petróleo. - NBR/15526: Redes de distribuição interna para gases combustíveis em instalações residenciais e comerciais. - NBR/14024: Centrais Prediais Industriais de Gás LP - Sistema de Abastecimento a Granel. - NBR/15358: Redes de Distribuição para Gases Combustíveis em Instalações Comerciais e Industriais. - NR 13: Vasos sob Pressão. - NR 20: Líquidos Inflamáveis. - Lei 2812/03: Regulamento do Sistema de Segurança contra Incêndio e Pânico em Edificações e áreas de Risco (AM) e Decreto 8987/2000 - Regulamento de Segurança contra Incêndio e Pânico do Estado de Rondônia. - Portaria 47/99 da ANP - Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis. - Resolução ANP Nº 18 de 02/09/04: Qualidade do Gás LP. - Periodicidade dos ensaios: = P125/P190: NBR 8865 e NBR 8866. Os vasos precisam ser requalificados a cada 15 anos da data de fabricação e, depois, a cada 10 anos da última requalificação. = Vasos estacionários: NR13. categoria

exame externo

exame interno

teste Hidrostático

900Kg 1.800Kg 4.000Kg

III

3 anos

6 anos

12 anos

10.000Kg 20.000Kg 30.000Kg

II

2 anos

4 anos

8 anos

I

1 ano

3 anos

6 anos

Maior que 29.000Kg

Observação: Algumas das normas acima citadas podem ou não estar em revisão.

7


2. ProcedimentoS BáSicoS Para a oPeração da centraL de gáS LP 2.1 Vaporização natural 2.1.1 descrição da central de recipientes transportáveis

Recipiente semi-fixo com vaporização natural MULTIVáLVULA P-90

12 2 1

7

4 6 10

13

14

15

11

11

P-190

6 4 3 5 9

nº 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 8

deScrição Recipiente de aço carbono Manômetro Indicador de nível máximo Medidor volumétrico Válvula de segurança Válvula de retenção Válvula de bloqueio Válvula de consumo Válvula de enchimento Coletor Pig Tail Regulador do primeiro estágio Conexões com rosca NPT Campânula Multiválvula (somente em alguns casos)

deFinição Estocagem de Gás LP (90 a 190Kg) Medição de pressão Indica o nível máximo de enchimento (80%) Indica percentual de Gás LP Serve para aliviar a pressão interna do recipiente Interrompe a saída do gás do coletor para a atmosfera Bloqueia/controla a passagem do gás Válvula para alimentar o queimador Válvula de abastecimento do recipiente Manifoldo Passagem de gás do recipiente para o coletor Regulador de pressão Rosca gás Tampa de proteção Conjunto de válvula de segurança, enchimento, consumo e indicador de nível máximo


2.1.2 operação da central de recipientes transportáveis 1. Verificar condições e vazamentos na instalação (corrosão, desgaste, funcionamento etc).

2. Abrir o volante da válvula de consumo, girando-o no sentido anti-horário.

3. Abrir a válvula existente no aparelho de queima de sua instalação para iniciar a operação de consumo.

9


2.1.3 descrição da central de recipientes estacionários - Vaporização natural Recipiente estacionário com vaporização natural 15

12 2 14 8

13 5

11

3

1 6 7

2

9 4 10

nº 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 10

deScrição Recipiente de aço carbono Manômetro Indicador de nível máximo Medidor volumétrico Válvula de segurança Válvula de excesso de fluxo Dreno do recipiente Válvula de bloqueio Válvula de consumo Válvula de enchimento Regulador de primeiro estágio Mangueira de abastecimento Pig Tail Conexões com rosca NPT Campânula

deFinição Estocagem de Gás LP (900 a 1800Kg) Medição de pressão Indica o nível máximo de enchimento (85%) Indica percentual de Gás LP Serve para aliviar a pressão interna do recipiente Bloqueia a saída do Gás LP em caso de rompimento Saída de impurezas Bloqueia/controla a passagem do gás Válvula para alimentar o queimador Válvula de abastecimento do recipiente Regulador de pressão Mangueira de transferência de Gás LP Passagem de gás do recipiente para o coletor Conexão com rosca gás Tampa de proteção


2.1.4 operação da central de recipientes estacionários 1. Verificar condições e vazamento na instalação (corrosão, desgaste, funcionamento etc.).

2. Abrir o volante da válvula de consumo, girando-o no sentido anti-horário.

3. Abrir a válvula existente no aparelho de queima de sua instalação para iniciar a operação de consumo.

2.1.5 recomendações de Segurança 1. Em períodos sem uso, fechar a válvula de consumo de todos os recipientes (girando-a no sentido horário) e consumir o gás existente na tubulação.

2. Observar a queda de pressão no manômetro próximo ao aparelho de queima, ou a intensidade da chama.

3. Somente então, feche a válvula do aparelho de queima de sua instalação.

11


2.2 Vaporização artificial A vaporização artificial será usada quando a capacidade de vaporização dos recipientes não for suficiente para a queima nos equipamentos de consumo.

2.2.1 descrição da central de recipientes transportáveis Recipiente semi-fixo com vaporização artificial 2

7

3

2 4

2 13

7

14

16

5

15 6 10

12 8

11

nº 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 12

deScrição Recipiente de aço carbono Manômetro Indicador de nível máximo Medidor volumétrico Válvula de segurança Válvula de retenção Válvula de bloqueio Válvula de consumo Válvula de enchimento Coletor Pig Tail Vaporizador Regulador de pressão Separador de pesados Campânula Válvula de alívio hidrostático Válvula solenóide

9

1

deFinição Estocagem de Gás LP (90 a 190Kg) Medição de pressão Indica o nível máximo de enchimento (85%) Indica percentual de Gás LP Serve para aliviar a pressão interna do recipiente Interrompe a saída do gás do coletor para a atmosfera Bloqueia/controla a passagem do gás Válvula para alimentar o queimador Válvula de abastecimento do recipiente Manifoldo Passagem de gás do recipiente para o coletor Transforma gás liquefeito em vapor Ou quadro de regulagem Separador de resíduos (graxa e óleo) Tampa de proteção Serve para aliviar a pressão interna da tubulação Interrompe a passagem do Gás LP ligado no vaporizador


2.2.2 operação da central de recipientes transportáveis 1. Verificar condições e vazamentos na instalação (corrosão, desgaste, funcionamento etc.).

3. Abrir o volante da válvula de consumo girando-o no sentido anti-horário.

4. Abrir lentamente a válvula de bloqueio do coletor.

5. Abrir a válvula existente no aparelho de queima de sua instalação para iniciar a operação de consumo.

VaPorizador

2. Ligar a botoeira do vaporizador.

13


2.2.3 descrição da central de recipientes estacionários - Vaporização artificial Recipiente estacionário com vaporização artificial 18

17

6

2

13

14 9

5

IP

A AR

VA

21

OC

10

MO

SU

ON

20

5

3

4

16 1 7

11

19 12

nº 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 14

deScrição Recipiente de aço carbono Manômetro, faixa 0-300 PSI Manômetro, faixa 0-300 PSI Medidor volumétrico Indicador de nível máximo Válvula de segurança Válvula de excesso de fluxo Dreno do recipiente Válvula de bloqueio Válvula de consumo Tubulação Vaporizador Mangueira Regulador de primeiro estágio Válvula de enchimento Pig Tail Válvula de alimentação de gás Campânula Válvula de alívio hidrostático Válvula de retorno ao tanque Válvula de líquido

8

9

15

deFinição Estocagem de Gás LP (900 a 1800Kg) Medição de pressão Detector de pressão Indica percentual de Gás LP Indica o nível máximo de enchimento (85%) Serve para aliviar a pressão interna do recipiente Bloqueia a saída de Gás LP em caso de rompimento Saída de impurezas Bloqueia/controla a passagem do gás Válvula para alimentar o queimador Tubos de aço ou cobre para condução de Gás LP Transforma gás líquido em vapor Mangueira de abastecimento Regulador de pressão Válvula de abastecimento do recipiente Passagem de gás do recipiente para o regulador Válvula de vedação rápida Tampa de proteção Alivia a pressão interna na tubulação Passagem de gás Dreno de fase líquida


2.2.4 operação da central de recipientes estacionários - Vaporização artificial 1. Verificar condições e vazamentos na instalação (corrosão, desgaste, funcionamento etc.).

2. Ligar a botoeira do vaporizador.

4. Abrir, lentamente, a válvula de retorno do tanque.

3. Abrir a válvula de alimentação de gás.

5. Abrir o volante da válvula de consumo, girando-o no sentido anti-horário.

6. Abrir a válvula existente no aparelho de queima de sua instalação para iniciar a operação de consumo.

15


2.2.5 recomendações de Segurança recipientes transportáveis 1. Em período sem uso, fechar a válvula de consumo de todos os recipientes (girando-a no sentido horário) e consumir o gás existente na tubulação.

3. Feche a válvula de bloqueio do coletor.

2. Observar a queda de pressão no manômetro próximo ao aparelho de queima, ou a intensidade da chama.

4. Somente, então, feche a válvula do aparelho de queima de sua instalação.

recipientes estacionários 1. Em períodos prolongados 2. Manter o vaporizador sem uso, fechar a válvula de operando por 10 minutos. consumo de todos os recipientes e consumir o gás existente na tubulação.

4. Fechar a válvula de consumo do tanque.

16

5. Observar a queda de pressão no manômetro próximo ao aparelho de queima, ou a intensidade da chama.

3. Fechar a válvula de retorno ao tanque.

6. Somente então, feche a válvula do aparelho de queima de sua instalação.


2.3 abastecimento de Pit-StoP de empilhadeiras no cliente 2.3.1 descrição da central Pit-StoP 17

6

21

8

19

5

23

18

12

22 20

4 13

14

15

16

24

2

3

24 10

7

9

1 24

nº 1 2 3 4

deScrição Bomba elétrica de Gás LP à prova de explosão Válvula de fecho rápido nº2 Tubulação de Gás LP Botoeira de acionamento da bomba

5 6 7 8 9 10 11 12

Mangueira Válvula de segurança do tanque Suporte de concreto Válvula de fecho rápido nº1 Filtro Escada Válvula de enchimento do tanque Válvula Pull Away

13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24

Válvula de consumo do tanque Indicador de nível máximo do tanque Manômetro, faixa 0-300 PSI Medidor volumétrico do tanque Campânula Indicador de nível máximo do P-20 Medidor volumétrico do P-20 Válvula de consumo do P-20 Válvula de enchimento do P-20 Válvula de segurança do P-20 Válvula de fecho rápido nº3 Válvula de alívio hidrostático

11

deFinição Enchimento de gás para P-20 Saída do gás do tanque para a bomba Tubos de aço ou cobre para alimentação de Gás LP Onde constam os botões verdes, que liga, e o botão vermelho, que desliga a bomba de Gás LP Transferência do Gás LP para os P-20 Serve para aliviar a pressão interna do recipiente Base que mede 1.0 x 0.70 (m) para suportar o tanque Permite o retorno do Gás LP da bomba para o tanque Filtra as impurezas do gás Para facilitar o acesso durante o carregamento do tanque Válvula de abastecimento do recipiente Bloqueia a saída de Gás LP em caso de esquecimento do mangote conectado à empilhadeira por parte do operador Válvula para alimentar o queimador Indica o nível máximo de enchimento (85%) Medidor de pressão Indicar percentual de Gás LP no recipiente Tampa de proteção Indica o nível máximo de enchimento (85%) Indica percentual de Gás LP no recipiente Válvula para alimentar a empilhadeira Válvula de abastecimento do recipiente Serve para aliviar a pressão interna do recipiente Válvula de passagem do Gás LP para a mangueira Alivia a pressão interna na tubulação

17


2.3.2 operação de abastecimento de empilhadeiras O produto específico para empilhadeira é o propano, podendo o Gás LP ser utilizado, desde que seja mantida a recomendação do fabricante quanto à manutenção e limpeza da câmara de combustão. 1. Conectar o cabo-terra na empilhadeira.

3. Abrir a válvula de fecho rápido da tubulação.

5. Abrir indicador de nível máximo. Pino que fica no reservatório da empilhadeira.

18

2. Conectar o mangote de abastecimento na válvula de enchimento do reservatório da empilhadeira.

4. Abrir a válvula da mangueira.

6. Acionar o dispositivo da bomba (botão verde).


7. Ao aparecer gás liquefeito em forma de nuvem branca, o recipiente P-20 está abastecido. O cilindro não deve ser enchido totalmente. O enchimento além do limite de segurança poderá resultar em explosão/ruptura do cilindro.

8. Desligar a bomba imediatamente (botão vermelho).

9. Fechar indicador de nível máximo do recipiente da empilhadeira.

10. Fechar a válvula da mangueira de abastecimento.

11. Fechar a válvula de fecho rápido nº3 da tubulação.

12. Desconectar a mangueira de abastecimento e cabo terra.

19


2.3.3. recomendações de Segurança atenção: Somente aBaStecer ciLindroS de ProPriedade da FogáS. não aBaStecer com o motor da emPiLHadeira Ligado. Somente aBaStecer ciLindroS eSPeciaiS FogáS aProPriadoS Para eSta aPLicação.

1. Manter as mãos na válvula da mangueira durante o abastecimento do recipiente da empilhadeira. Se ouvir qualquer som estranho, ou vazamento, feche imediatamente a válvula do mangote. O Gás LP irá retornar para o tanque.

2. As válvulas de retorno (nº1) e de passagem de Gás LP para a bomba (nº2) devem sempre estar abertas durante a operação. Válvula de Retorno

Válvula de passagem de Gás LP para a bomba

3. As válvulas de Gás LP devem ser abertas lentamente.

20


3. SituaçõeS de emergência - açõeS BáSicaS 3.1 Vazamento com ocorrência de fogo Só apagar o fogo se for possível eliminar o vazamento de Gás LP. Na situação abaixo, fogo na válvula de consumo: Chamar o Corpo de Bombeiros e a Assistência Técnica da Fogás. Isolar a área a 50m. Apagar o fogo com o uso de hidrantes e mangueiras ou extintores de incêndio.

Fechar a válvula de consumo do tanque imediatamente.

Se não puder eliminar o vazamento: Não apagar o fogo; Resfriar o tanque na sua parte superior; Isolar e manter a área resfriada, evitando fontes de ignição; Chamar o Corpo de Bombeiros e a Assistência Técnica da Fogás (0800 709 9292). No caso de fogo na válvula de segurança: Não fechar a válvula da tubulação, para evitar que a pressão do tanque aumente; Resfriado, o tanque a temperatura reduzirá, reduzindo consequentemente a pressão interna do tanque e a válvula de segurança bloqueará o vazamento de Gás LP automaticamente. Esses assuntos e demonstrações serão feitos no treinamento de emergência com Gás LP.

importante: Aproximar-se dos recipientes estacionários pelas laterais e não pelas calotas (extremidades).

21


Vazamento de gás LP com fogo próximo aos equipamentos de consumo Fechar a válvula de fecho rápido mais próximo de onde houver fogo; Evacuar as pessoas não envolvidas no combate ao incêndio; Chamar o Corpo de Bombeiros e a Assistência Técnica da Fogás (0800 709 9292); Combater o princípio de incêndio com extintores ou hidrantes e mangueiras; Manter a área resfriada.

22


3.2 Vazamento sem ocorrência de fogo 1. Fechar a válvula do bloqueio. 2. Se possível, fechar a válvula de consumo do tanque. 3. Nebulizar a área, resfriando o ambiente próximo a central com água sob forma de neblina.

2

1

Ventilar o ambiente naturalmente.

3.3 Fogo próximo a central 1. Fechar a válvula de bloqueio. 2. Fechar as válvulas dos recipientes. 3. Nebulizar a área, resfriando a central com água sob forma de neblina. Assim, evitará abertura da válvula de segurança, em função da alta temperatura e consequente alta pressão. 4. Chamar o Corpo de Bombeiros e a Assistência Técnica da Fogás (0800 709 9292).

1

3

2

23


3.4 rompimento do Pig tail 1. Fechar a válvula de consumo do recipiente que estiver com pig tail rompido. 2. Chamar a Assistência Técnica da Fogás (0800 709 9292).

Ventilar o ambiente naturalmente.

3.5 abertura da válvula de segurança 1. Resfriar o tanque o mais rápido possível para aliviar a pressão interna. Automaticamente, a válvula fechará. 2. Chamar a Assistência Técnica da Fogás (0800 709 9292).

24


4. inFormaçõeS do aBaStecimento da centraL A Fogás dispõe de veículos para o abastecimento da Central. Estes veículos são destinados exclusivamente para esta operação.

Ao chegar ao local de abastecimento, nosso motorista e o ajudante: 1. Colocam os EPIs Equipamentos de Proteção Individual (óculos de segurança, luvas e capacete);

4. Calçam as rodas;

2. Colocam abafa-chama no escapamento do caminhão;

3. Estacionam num local seguro;

5. Sinalizam a área;

6. Executam a operação conforme os procedimentos da nossa empresa.

25


5. recomendaçõeS neceSSáriaS caso seja necessário alterar as atuais instalações, consultar a Fogás, para que seja feita a análise da adequação das novas instalações às normas. 1. Retire todo mato, madeira, tintas e quaisquer outro material combustível da área, mantendo-a limpa.

2. Deixe livre o acesso às instalações e aos equipamentos de combate a incêndio.

3. Não permita quaisquer fontes de ignição próxima às instalações.

"É expressamente proibido o uso de fogo e de quaisquer instrumentos que produzam faíscas". De acordo com a Norma NR-13 Vasos sob pressão, portaria 3214, de junho/78, é imprescindível registrar no Livro de Registro de Segurança (para recipiente estacionário): - Manutenção realizada em qualquer equipamento ou acessório da central; - Toda ocorrência anormal (exemplo: para abertura da válvula de segurança identificar a possível causa, providências tomadas etc.); - Toda substituição de peças/equipamentos ou acessórios; - Toda modificação que ocorrer na instalação. 26


6. como utiLizar o manuaL do conSumidor de gáS a graneL (somente para recipientes estacionários) o manual do consumidor de gás a granel descreve detalhadamente uma central de abastecimento de gás Liquefeito de Petróleo (gás LP): l Prontuário do Recipiente; l Relatório de Inspeção Inicial do Recipiente; l Relatórios de Inspeções Periódicas; l Projeto de Instalação do Recipiente; l Registro de Segurança do Recipiente; l Anotação de Responsabilidade Técnica - ART; l Manual do Consumidor de Gás a Granel; l Ficha de Emergência do Gás LP; l FISPQ: Ficha de Informação de Produtos Químicos. Principais objetivos do manual do consumidor de gás a granel: l Levar seu leitor a conhecer com detalhes uma central e seus acessórios; l Facilitar a comunicação técnica, quando necessário, com a Assistência Técnica da Fogás; l Auxiliar nas possíveis dúvidas.

0800 709 9292

Visite nosso site: www.fogas.com.br assistência técnica 24 horas

27


7- gLoSSário central de gás LP área devidamente delimitada que contém os recipientes e acessórios destinados ao armazenamento de Gás LP. corrosão Processo degenerativo de materiais metálicos causados por oxidação. Fonte de ignição Pontos onde possam correr liberação de energia suficiente para produzir calor, faísca ou chama temporária que pode iniciar uma combustão. gás LP Gás Liquefeito de Petróleo. Produto constituído de hidrocarbonetos com três ou quatro átomos de carbono (propano, propeno, butano, buteno), podendo apresentar-se em mistura entre si e com pequenas frações de outros hidrocarbonetos. Inflamável e explosivo quando em concentrações dentro de sua faixa de explosividade. Limite de explosividade/ inflamabilidade Faixa de concentração de vapor de um determinado produto no ambiente para que haja explosão. Pig taiL Flexível para condução do Gás LP de dentro dos recipientes para as tubulações. Pit StoP Sistema de transferência do Gás LP dos tanques estacionários para recipientes de 20 quilos utilizados em empilhadeiras, no qual o próprio cliente realiza a operação de transferência. recipientes estacionários Recipientes com capacidade volumétrica acima de 0,25m³ projetado e construído conforme especificações internacionais reconhecidas, com por exemplo ASME, DIN, BS, UNI, AFNOR, JIS, para ser abastecido no local de instalação. Só pode ser transportado ou movimentado contendo no máximo um resíduo de 10% em volume de Gás LP na fase líquida. recipientes transportáveis Recipientes que podem ser transportados manualmente ou por qualquer outro meio, com capacidade até 0,5m³, construído conforme NBR 8460 ou conforme especificações internacionais, por exemplo DOT 4BA, ou DOT 4BW, ou ASME seção VIII (desde que seja acrescentados os acessórios destinados ao manuseio e transporte). Vaporização artificial Consumo de Gás LP dos recipientes através do uso de vaporizador. Vaporização natural Consumo de Gás LP usando somente a capacidade de vaporização dos recipientes. 28


reciBo Declaro que recebi o manuaL do conSumidor de gáS a graneL, preparado pela Sociedade Fogás Ltda., como parte das orientações recebidas para um correto manuseio e utilização das Centrais Industriais. EMPRESA....................................................................................................................................... RESPONSáVEL...............................................................................................R.G......................... ............................, ......... de ......................... de ..............

...........................................................................................

reciBo Declaro que recebi o manuaL do conSumidor de gáS a graneL, preparado pela Sociedade Fogás Ltda., como parte das orientações recebidas para um correto manuseio e utilização das Centrais Industriais. EMPRESA....................................................................................................................................... RESPONSáVEL...............................................................................................R.G......................... ............................, ......... de ......................... de ..............

...........................................................................................

Este Manual é propriedade da Sociedade FogáS Ltda., para utilização exclusiva de seus clientes. É expressamente proibido copiar total ou parcialmente o seu conteúdo, sem a prévia autorização, por escrito, da Sociedade FogáS Ltda. Portanto, na eventualidade da mudança de fornecedor, será solicitada ao cliente, a devolução do Manual. É permitido ao cliente, utilizar este Manual em seus treinamentos internos, desde que o mesmo seja restrito aos seus funcionários ou prestadores de serviços terceirizados. Mesmo assim, após o encerramento, o material utilizado deverá ser destruído de forma apropriada. Com a entrega deste Manual, a Sociedade FogáS Ltda. está atendendo os requisitos da Portaria 47/99, da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis).

29



Manual Granel_2011