Issuu on Google+


Este manual é propriedade da SOCIEDADE FOGÁS LTDA. para utilização exclusiva de seus clientes. É expressamente proibido copiar total ou parcialmente o seu conteúdo, sem prévia autorização, por escrito, da SOCIEDADE FOGÁS LTDA. Portanto, na eventualidade da mudança de fornecedor, será solicitada ao cliente, a devolução deste manual. É permitido ao cliente utilizar este manual em seus treinamentos internos, desde que o mesmo seja restrito aos seus funcionários ou prestadores de serviços terceirizados. Mesmo assim, após o encerramento, o material utilizado deverá ser destruído de forma apropriada. Com a entrega deste manual, a SOCIEDADE FOGÁS LTDA. está atendendo aos requisitos da Portaria 47/99, da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis).


SUMÁRIO 1. INFORMAÇÕES BÁSICAS SOBRE O GLP - GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO ........................... 1.1 Como é obtido o GLP ................................................................................................... 1.2 Características principais ............................................................................................... Definição ......................................................................................................................... Composição média ........................................................................................................ Fórmula estrutural .......................................................................................................... Odor ............................................................................................................................... Estado físico encontrado na natureza ............................................................................ Toxidade......................................................................................................................... Corrosividade ................................................................................................................. Densidade dos vapores ................................................................................................. Limite de explosividade ................................................................................................. 1.3 Recomendações e ações de emergência ........................................................................ 1.4 Legislação aplicável ......................................................................................................

5 5 5 5 5 5 5 5 6 6 6 6 6 6

2. 2.1 2.2 2.3 2.4

INFORMAÇÕES SOBRE O CILINDRO P45 .......................................................................... 7 Descrição da Central de Cilindros P45 ......................................................................... 7 Operação da Central de Cilindros P45 ..................................................................... 7 Dimensionamento de uma Central de GLP com cilindros P45 .............................. 9 Localização da Central de P45 .................................................................................. 10

3. 3.1 3.2 3.3 3.4

INFORMAÇÕES SOBRE O CILINDRO P20 ................................................................... Descrição da P20 .......................................................................................................... Qualidade do GLP .......................................................................................................... Utilização da P20 em empilhadeiras ................................................................................. Armazenamento dos Cilindros de P20 ..........................................................................

12 12 12 13 13

4. 4.1 4.2 4.3 4.4 4.5

SITUAÇÕES DE EMERGÊNCIA - AÇÕES BÁSICAS .............................................. Vazamento com ocorrência de fogo............................................................................ Vazamento sem ocorrência de fogo............................................................................ Fogo próximo à Central .............................................................................................. Rompimento do Pig-Tail ............................................................................................. Abertura da válvula de segurança ..............................................................................

16 16 18 18 19 19

5.

GLOSSÁRIO .............................................................................................................

20

RECIBO DE ENTREGA ....................................................................................................

21


1

INFORMAÇÕES BÁSICAS SOBRE O GLP 1.1 Como é obtido o GLP? O GLP é extraído pelo processo de destilação e craqueamento do petróleo cru ou pelo processo de condensação do gás natural.

1.2 Características principais Definição: Gás Liquefeito de Petróleo (GLP). Composição média obtida em amostra Composição

Vol (%)

Composição

Vol (%)

Etano Propano Propeno IsoButano N-Butano Iso-Butano + Buteno 1 Buteno-2 Trans

9,4 18,4 30,7 10,9 12,7 8,8

Buteno-2 Cis Butadieno-1, 3 Isobuteno Isopentano N-Pentano Hidrogênio Metano

6,8 1,6 0,1 -

+ Odor (cheiro) No estado natural, não possui cheiro. Durante o processo de fabricação, é adicionado o enxofre mercaptídico, que confere odor acentuado. Esse cheiro característico é utilizado como um adicional de segurança em caso de vazamentos. Esse processo é realizado pelo produtor e não pela distribuidora. O GLP pode apresentar na sua composição olefinas ou parafinas que podem se solidificar e acumular ao longo do tempo na câmara de combustão da empilhadeira. Para evitar maiores problemas deve-se cumprir o plano de manutenção/limpeza recomendado pelo fabricante dos equipamentos. Estado físico encontrado na natureza Gasoso a pressão e temperatura ambiente. Toxidade O GLP não é tóxico, e sim, asfixiante (em virtude da ausência de oxigênio). Corrosividade O GLP não é corrosivo. 5


Densidade dos vapores Seus vapores são cerca de duas vezes mais pesados que o ar. Quando o GLP vaza para a atmosfera, acumula-se nas partes baixas. Limite de explosividade Sua faixa de explosividade fica entre 1,86 e 9,50% de volume no ar.

1.3 Recomendações e Ações de Emergência A ventilação natural do ambiente onde estão instalados os cilindros é primordial. Não permita a instalação de paredes ou outras quaisquer modificações que diminuam a ventilação. Todo material utilizado na instalação de GLP deve ser certificado pelo INMETRO. Manter o celular e qualquer fonte de ignição fora da área de risco. Ao sentir cheiro de gás ou observar vazamentos, interrompa todas as operações e desligue todos os aparelhos elétricos e fontes de ignição. Comunique imediatamente à Fogás por meio da Central Disk Gás 0800 709 9292, Departamento de Instalações Industriais de Manaus 0xx92 2123-9228, portaria da Fogás, em Porto Velho, 0xx69 2182-9292, Rio Branco, 0xx68 2106-9292. Nunca tente eliminar o cheiro de gás utilizando ventiladores. Nunca fume próximo aos cilindros. Nunca permita a presença de pessoas estranhas próximas aos cilindros. Não permita que ninguém mexa ou opere os cilindros. As únicas pessoas autorizadas são os técnicos da Fogás. Não permita fontes de ignição (motores elétricos, fornos, soldas, veículos e outros) próximos aos cilindros. Nunca instale novos aparelhos elétricos e máquinas próximos aos cilindros de GLP sem a consulta prévia à Fogás. Não mude os cilindros de local sem consultar a Fogás. Mantenha os cilindros limpos e desobstruídos de quaisquer materiais. Mantenha sempre a quantidade correta de extintores de incêndio carregados, dentro da validade e desobstruídos, próximos aos cilindros de gás. Não efetue modificações ou obras na central de gás sem comunicar e receber a concordância da Fogás. Testar, a cada 3 anos, a estanqueidade da rede, conforme recomendação da NBR 15358 (instalação industrial) ou a cada 5 anos conforme NBR 15526 (instalação comercial ou residencial).

1.4 Legislação Aplicável A Fogás realiza suas atividades em conformidade com as normas abaixo: NBR/13523: Central de Gás Liquefeito de Petróleo. NBR/15526: Redes de distribuição interna para gases combustíveis em instalações residenciais e comerciais. NBR/15358: Redes de Distribuição para Gases Combustíveis em Instalações Industriais. Lei 2812/03: Regulamento do Sistema de Segurança contra Incêndio e Pânico em Edificações e Áreas de Risco (AM) e Decreto 8987/2000 - Regulamento de Segurança contra Incêndio e Pânico do Estado de Rondônia. Resolução ANP Nº 18 de 02/09/04: Qualidade do GLP. Periodicidade dos ensaios: NBR 8865 e NBR 8866. Os cilindros precisam ser requalificados a cada 15 anos da data de fabricação e, depois, a cada 10 anos da última requalificação. 6


2

INFORMAÇÕES SOBRE O CILINDROS P45 2.1 Descrição da Central de Cilindros P45

4

3

3

7 2

5

1

1 - Cilindro transportável de GLP - armazenamento de GLP. 2 - Válvula de retenção - evita que o GLP retorne para o cilindro. 3 - Válvulas de bloqueio - alternar entre baterias e bloquear em caso de emergência. 4 - Regulador de primeiro estágio ou estágio único - reduzir a pressão do GLP na rede. 5 - Pig-Tail - conduzir o GLP do cilindro para a tubulação. 6 - Multiválvula - conexão do pig-tail para consumo e válvula de segurança para aliviar a pressão em caso de aquecimento do cilindro. Enchimento na base da distribuidora. 7 - Tubulação de GLP - tubulação de aço aprovada pelo INMETRO.

6

7


2.2 Operação da Central de Cilindros P45 1

Conecte o pig-tail na multiválvula de P45. Essa conexão é rosca esquerda, ou seja, conecta no sentido anti-horário.

2

Abra a válvula de bloqueio da bateria e teste as conexões e a válvula de consumo do cilindro com água e sabão. Se formar bolhas, há vazamento.

3

Abra a válvula de bloqueio próxima aos equipamentos de consumo e inicie o uso.

Mangueira de consumo, revestida em aço aramado

Pig-tail

8

Observação: Pigtails, mangueiras de consumo, reguladores têm vida útil de 5 anos da fabricação. Observar a data de validade no corpo do equipamento.


Para evitar interrupções no consumo, faça a instalação em 2 baterias, enquanto uma está em uso, a outra fica na reserva.

Válvula aberta

Válvula fechada

Cilindros reserva Cilindros em consumo

Mantenha os cilindros reserva cheios.

2.3 Dimensionamento de uma Central de GLP com cilindros P45 Um cilindro de P45 tem uma vazão máxima de 1 kg de GLP por hora. O dimensionamento correto da instalação leva em consideração a demanda somada dos equipamentos, geralmente fornecida pelo fabricante. Com essa informação em mão, é possível determinar quantos cilindros são necessários para funcionar adequadamente os equipamentos de consumo.

Fogão industrial: 0,7 kg/h

Fogão industrial: 0,7 kg/h

Churrasqueira a gás: 0,4 kg/h

Aquecedor de água a gás: 1,0 kg/h

O P45 tem vazão de 1 kg de GLP por hora, portanto são necessários 3 cilindros em uso e 3 cilindros reserva.

EQUIPAMENTO Fogão industrial Fogão industrial Churrasqueira a gás Aquecedor de água a gás DEMANDA TOTAL

DEMANDA 0,7 kg/h 0,7 kg/h 0,4 kg/h 1,0 kg/h 2,8 kg/h 9


Uma Central de GLP de cilindros P45 subdimensionados causará os seguintes problemas: A chama dos queimadores dos equipamentos fica amarela, gerando fuligem e deixando preto o fundo da panela ou os equipamentos de queima; Quando a chama fica amarela, o gás não queima na totalidade, gerando perda de energia.

Procure a Fogás caso tenha problemas na instalação do gás ou se for fazer uma nova instalação ou, ainda, acrescentar mais equipamentos de consumo.

A perda de gás, visto que o cilindro P45 quando exigido acima de sua capacidade máxima de vazão (1 kg/h), começa a suar, podendo congelar até ao ponto de não passar mais gás para a tubulação.

2.4 Localização de Central P45

x

A Central de GLP de cilindros P45 deve estar localizada em ambiente aberto e ventilado, não podendo ser instalada na cozinha, em subsolo ou dentro de edificações.

É necessário manter os extintores de incêndio e placas, além de obedecer às distâncias de segurança conforme a figura na página seguinte: 10


11


3

INFORMAÇÕES SOBRE O CILINDRO P20 3.1 Descrição da P20

2

3

1 - Cilindro de P20 em aço - armazenamento de GLP. 2 - Válvula de consumo líquido - usada para retirar o GLP na fase líquida. 3 - Multiválvula - válvula de enchimento na base da distribuidora, conexão com pig-tail para consumo na fase vapor (quando usada para esse fim) e válvula de segurança para aliviar a pressão em caso de aquecimento de cilindro. 4 - Tubo pescador - tubo ligado à válvula de consumo do líquido, que tem como finalidade retirar todo o GLP na fase liquefeita de dentro do cilindro para ser consumido.

4

1

3.2 Qualidade do GLP O gás recomendado para empilhadeira é o propano. O GLP pode ser utilizado desde que o cliente esteja ciente de que eventuais problemas no rodogás podem ocorrer devido à composição do GLP proveniente de refinarias convencionais. Em geral, a manutenção do rodogás da empilhadeira é maior quando se usa GLP no lugar de propano puro. 12


3.3 Utilização da P20 na empilhadeira Toda P20 possui um furo guia (A) em sua alça. Esse furo guia deve ser instalado na empilhadeira para baixo, encaixando no pino existente na empilhadeira.

A

A

O furo guia indica a direção do tubo pescador dentro do cilindro. Caso instalado fora de posição, entra GLP na fase vapor na empilhadeira e ela para de funcionar.

INSTALAÇÃO CERTA Nível do líquido

INSTALAÇÃO ERRADA

INSTALAÇÃO ERRADA

Nível do líquido Furo para cima Tubo pescador

Furo para baixo

Tubo pescador

Consumo de GLP na totalidade

Tubo pescador Furo para o lado Na metade do consumo do cilindro, a empilha deira para. Sobra GLP no cilindro.

Nível do líquido Após instalada a P20 na empilhadeira, ela não funciona

3.4 Armazenamento dos cilindros P20 Os cilindros P20 devem ser armazenados em área aberta e ventilada, dentro de um gradil. A área deve possuir extintores de incêndio e deve obedecer aos distanciamentos, conforme as duas figuras à seguir: 13


14


15


4

SITUAÇÕES DE EMERGÊNCIA - AÇÕES BÁSICAS 4.1 - Vazamento de GLP com ocorrência de fogo Só apagar o fogo se for possível eliminar o vazamento de GLP. No caso de fogo na válvula de consumo: Chamar o Corpo de Bombeiros e a Assistência Técnica da Fogás. Isolar a área a 50m. Apagar o fogo com o uso de hidrantes e mangueiras ou extintores de incêndio.

Fechar a válvula de consumo do tanque imediatamente.

Se não puder sanar o vazamento: não apagar o fogo; resfriar os cilindros na sua parte superior; isolar e manter a área resfriada, evitando fontes de ignição; chamar o Corpo de Bombeiros e a Assistência Técnica da Fogás (0800 709 9292).

16


No caso de fogo na válvula de segurança: Não fechar a válvula da tubulação, para evitar que a pressão do cilindro aumente; Resfrie o cilindro, a temperatura reduzirá, reduzindo, consequentemente, a pressão interna e a válvula de segurança bloqueará o vazamento de GLP automaticamente. Mais detalhes no treinamento de emergência com GLP.

No caso de vazamento com fogo próximo aos equipamentos de consumo: Fechar a válvula de fecho-rápido mais próximo de onde houver fogo; Evacuar as pessoas não envolvidas no combate ao incêndio; Chamar o Corpo de Bombeiros e a Assistência Técnica da Fogás (0800 709 9292); Combater o princípio de incêndio com extintores ou hidrantes e mangueiras; Manter a área resfriada.

17


4.2 - Vazamento sem ocorrência de fogo 1. Fechar a válvula do bloqueio. 2. Se possível, fechar a válvula de consumo dos cilindros. 3. Nebulizar a área, resfriando o ambiente próximo a central com água sob forma de neblina. 4. Ventilar o ambiente naturalmente. Chamar a Assistência Técnica Fogás e o Corpo de Bombeiros, se necessário.

4.3 - Fogo próximo à central 1. Fechar a válvula de bloqueio. 2. Fechar as válvulas dos recipientes. 3. Nebulizar a área, resfriando a central com água sob forma de neblina. Assim, evitará abertura da válvula de segurança em função da alta temperatura e, consequentemente, alta pressão. 4. Chamar o Corpo de Bombeiros e a Assistência Técnica da Fogás (0800 709 9292).

18


4.4 - Rompimento do Pig-Tail 1. Fechar a válvula de consumo do recipiente que estiver com pig-tail rompido. 2. Chamar a Assistência Técnica da Fogás (0800 709 9292).

Ventilar o ambiente naturalmente.

4.5 - Abertura da válvula de segurança

1. Resfriar os cilindros com neblina d água o mais rápido possível para aliviar a pressão interna. Automaticamente, a válvula fechará. 2. Evitar fontes de ignição a 50 metros. 3. Chamar a Assistência Técnica da Fogás (0800 709 9292).

19


5

GLOSSÁRIO Central de GLP Área devidamente delimitada que contém os cilindros e acessórios destinados ao armazenamento de GLP. Corrosão Processo degenerativo de materiais metálicos causados por oxidação. Fonte de Ignição Pontos onde possam correr liberação de energia suficiente para produzir calor, faísca ou chama temporária que pode iniciar uma combustão. GLP Gás Liquefeito de Petróleo. Produto constituído de hidrocarbonetos com três ou quatro átomos de carbono (propano, propeno, butano, buteno), podendo apresentar-se em mistura entre si e com pequenas frações de outros hidrocarbonetos. Inflamável e explosivo quando em concentrações dentro de sua faixa de explosividade e na presença de fontes de ignição. Limite de Explosividade/ Inflamabilidade Faixa de concentração de vapor de um determinado produto no ambiente para que haja explosão. PIG-TAIL Flexível para condução do GLP de dentro dos recipientes para as tubulações. Recipientes Transportáveis Recipientes que podem ser transportados manualmente ou por qualquer outro meio, com capacidade até 0,5m³, construído conforme NBR 8460 ou conforme especificações internacionais, por exemplo DOT 4BA, ou DOT 4BW, ou ASME seção VIII (desde que sejam acrescentados os acessórios destinados ao manuseio e transporte). Vaporização Natural Consumo de GLP usando somente a capacidade de vaporização dos recipientes.

20


ReCibo Declaro que recebi o ManuaL do ConSuMidoR de gLp - CiLindRoS de 20 e 45kg, preparado pela Sociedade Fogás Ltda., como parte das orientações recebidas para um correto manuseio e utilização dos cilindros de P20 e P45. EMPrESA....................................................................................................................................... rESPoNSávEL...............................................................................................r.G........................ . ............................, ......... de ......................... de ..............

...........................................................................................

ReCibo Declaro que recebi o ManuaL do ConSuMidoR de gLp - CiLindRoS de 20 e 45kg, preparado pela Sociedade Fogás Ltda., como parte das orientações recebidas para um correto manuseio e utilização dos cilindros de P20 e P45. EMPrESA....................................................................................................................................... rESPoNSávEL...............................................................................................r.G........................ . ............................, ......... de ......................... de ..............

...........................................................................................

Este Manual é propriedade da SoCiedade FogáS Ltda., para utilização exclusiva de seus clientes. É expressamente proibido copiar total ou parcialmente o seu conteúdo, sem a prévia autorização, por escrito, da SoCiedade FogáS Ltda. Portanto, na eventualidade da mudança de fornecedor, será solicitada ao cliente, a devolução do Manual. É permitido ao cliente, utilizar este Manual em seus treinamentos internos, desde que o mesmo seja restrito aos seus funcionários ou prestadores de serviços terceirizados. Mesmo assim, após o encerramento, o material utilizado deverá ser destruído de forma apropriada. Com a entrega deste Manual, a SoCiedade FogáS Ltda. está atendendo os requisitos da Portaria 47/99, da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis).

21



Manual p20 e p45 layout 1