Issuu on Google+

#081

9X9

E ANO 08 / 2012 DISTRIBUIÇÃO GRATUITA LEITURA NÃO RECOMENDADA PARA MENORES DE 18 ANOS.


4 A REVISTA VOID É UMA PUBLICAÇÃO MENSAL COM DISTRIBUIÇÃO GRATUITA E TIRAGEM DE 10 MIL EXEMPLARES. VOID #078 LAS CHICA PIRA

VOID #077 SABE MUITO

VOID #076 SENGAYA

VOID #075 TCHAN

VOID #074 NÃO COMPRE

VOID #073 AFIADA

VOID #056 FOTOS

VOID #057 MAU SUJEITO

VOID #058 EU ACREDITO

VOID #066 FEZES

VOID #067 FOTOS

VOID #068 NA LINHA

E ANO 08 / 2012 DISTRIBUIÇÃO GRATUITA LEITURA NÃO RECOMENDADA PARA MENORES DE 18 ANOS.

MOTHER FUCKER

#079

VOID #070 POIS FOI

VOID #060 NADAAVER

VOID #050 LÉGUAS DAQUI

VOID #049 FORA DO GELO

VOID #048 NA MOSCA

VOID #047 CHUTA

VOID #046 AUTO-ESTRADA

VOID #045 FOTOS

VOID #040 NO MUSEU

VOID #039 YES

VOID #038 PODEROSERRIMA

VOID #037 NA CALADA

VOID #036 NÃO TEM CAÔ

VOID #035 AQUI JAZ

VOID #034 FOTOS

VOID #030 PESÔ

VOID #029 NINGUÉM SAI

VOID #028 LUGAR ERRADO

VOID #027 BEM-VINDO...

VOID #026 NUM GUENTA...

VOID #025 BODA DE PRATA

VOID #024 NA PARCERIA

VOID #023 NUNCA MORRE

VOID #020 EGO SUM LUX MUNDI

VOID #019 XXX

VOID #018 NA TELA

VOID #017 VIROU FUMAÇA

VOID #016 SOU DA TINGA E DAÍ?

VOID #015 NO RIM

VOID #014 DEBAIXO DO PANO

VOID #013 ATOLA!

VOID #012 FURA BOLO

VOID #010 LARICA

VOID #009 DEBAIXO DO CHÃO

VOID #008 É TUDO DA LEI

VOID #007 NÃO PARA NÃO

VOID #006 POA PORNÔ

VOID #005 FOFOCA

VOID #004 TAMANHO DE PÊNIS

VOID #003 2005...

VOID #002 BAD TRIP

VOID #001 SEXO A TRÊS

Fomos atrás da persona por trás do Michael Jackson dos pampas, o maior cover de Porto Alegre, do Brasil e do Universo. Ou não.

VOID #080 PÉ SUJO

VOID #055 AGORA VAI!

VOID #065 BAZINGA!

VOID #044 NO OLHO

VOID #033 TIRA O OLHO

VOID #022 QUE LOOOOOCO!

VOID #011 SE DEU BEM HEIN?

WHO’S BAD

Ou, no nosso bom português, República de Fiji. Essa pequena ilha no Pacífico Sul voltou ao calendário do surfe profissional e fomos ver qual é.

VOID #059 BABY BOOM

VOID #054 HANN A AFMELI

VOID #064 CORPO SINTÉTICO

VOID #043 É SÓ O COMEÇO

VOID #032 3 ANOS NONSENSE

VOID #021 2 ANOS NA CARA

MATANITU KO VITI

Três décadas de Lancheria do Parque, e pra cada ano, uma curiosidade de um dos picos mais tradicionais (e agradáveis) da cidade.

VOID #069 MEIA NOVE

VOID #053 CAPAI QUE NÃO

VOID #063 EM PELO

VOID #042 SHHHHH...

VOID #031 SÓ OS MUCHO LOCO

BUENA ONDA

VOID #079 MOTHER FUCKER

VOID #052 POR TRÁS

TIRAGEM_ VOID #062 MOCADO

DISTRIBUIÇÃO_

VOID #072 OLHO DE GATO

VOID É DISTRIBUÍDA NO BANHEIRO DOS PRINCIPAIS BARES, LOJAS, GALERIAS E UNIVERSIDADES DE PORTO ALEGRE. CONFIRA A LISTA COMPLETA EM WWW.AVOID.COM.BR VOID #041 É FOFREE

FOTO DA CAPA: TALLES KUNZLER

VOID #051 DE LADO

CAPA(S)

VOID #061 NÓIS QUE VOA

Nove vezes nove é o número de edições que completa essa revista. Menos cinqüenta e um, uma boa ideia, são os anos que a Lanchera completou mês passado e quase um terço disso é a quantidade de títulos de Kelly Slater no WCT. Aritmética não é o nosso forte, mas nosso esquema é aquele, “menos é mais”, simplificando as ideias. Não somos (e não queremos ser) o craque do time, mas o aguerrido que vai em todas divididas e nunca desiste. Nós tâmo aqui é pra somar.

VOID #071 SEMPRE

TÂMO AQUI PRA SOMAR

NESTA EDIÇÃO

PÉ SUJO

#080 E ANO 08 / 2012 DISTRIBUIÇÃO GRATUITA LEITURA NÃO RECOMENDADA PARA MENORES DE 18 ANOS.


COLABORADORES

EXPEDIENTE

PERESTROIKA - Tiago Mattos e Felipe Anghinoni são Diretores de Whatever da Perestroika, escola de atividades criativas com sedes no RS, SP e RJ. Não gostam de nada sério, tirando coisas sérias.  perestroika.com.br

SHOOT THE SHIT - Shoot The Shit é um coletivo criativo que realiza ações para transformar Porto Alegre na cidade mais afudê do universo.  shoottheshit.cc 

STREET STYLE POA - O estilo das ruas é muito mais que fotos do que se usa pela cidade. Mais que moda de rua, o blog retrata o lifestyle de quem vive em Porto Alegre. streetstylepoa.com.br

Direção Gabriel Rezende Marco Arioli Pedro Hemb Rodrigo Santanna Vicente Perrone   Conteúdo e Planejamento João Francisco Hein   Editor Leandro Vignoli   Comercial Emiliano Jobim   Marketing Helene Hermes   Financeiro Camila Bonfada   Projeto Gráfico Lucas Correa Rafael Chaves   Diagramação Henrique Lopes

LISE BING - Não consegue se controlar na frente de uma câmera, sempre mostra a língua. É dela uma cachorrinha chamada Pantufa e a coluna BING BANG. lisebing.tumblr.com

LUNCHBREAKTIME - A ideia deles é simples: no almoço, peça (quase) qualquer coisa. A ideia mais criativa será ilustrada e compartilhada com todos.

DOSE DUPLA - Os gêmeos Léo e Luis fazem pratos pra galera matar a larica depois da festa. E em outros momentos também. Cozinha simples, feita com o que tem.

facebook.com/lunchbreakmanager

facebook.com/programadosedupla

Produção Candi Damé Fotografia Talles Kunzler Assistente de Marketing Gabriela Goularte   A Void é uma empresa do Grupo Slash/Slash que atua em 5 frentes: Void.Mag: revista Void.Party: eventos Void.On: online Void.PR: relacionamento com público  Void.EXE: planejamento, criação e produção de eventos e ações promocionais

6

CAROL ROSA colabora na seção Eleganza. Acredita em uma piscina de ondas em Porto Alegre. Enquanto isso colhe kiwi loucamente since 1986.

BRUNO ARALDI escreve na seção Na Base, no meio tempo entre bolar projetos de comunicação, atualizar o Surfreaks e arranjar formas de curtir a vida.

caroles.pan@gmail.com  collectsomething.tumblr.com

brunoaraldi@gmail.com  surfreaks.tumblr.com

MARLON OLIVEIRA divide seu tempo entre estudo, trabalho e entreveros. Entre uma atividade e outra, da um rolê de skate com os amigos. Quando sobra tempo, dorme.  marlondoliveira@hotmail.com

  Grupo Slash/Slash: C688 Complex EXE M/E/C/A/Festival TOW e Tow In Void


DESACORRENTADO

princesa do chorume sound & vision

8

De um lado a galera do sapatênis que compra todos os seus discos na seção de mais vendidos da Saraiva. Do outro a galera da vodka com enérgico gritando uhú na balada. A parceria do Coldplay com Rihanna no álbum mais recente da banda inglesa, que parecia bem bizarra, agora tem contornos de freak show com o vídeo da música. Em “Princess of China”, a cantora e o vocalista Chris Martin aparecem em cenários orientais, com roupas típicas e

voando com espadas de samurai em punho, tudo com a breguice que o título da canção sugere. Imagine se alguma novela da Globo adaptasse Kill Bill. Trechos do clipe estão sendo usados na atual turnê do Coldplay para representar a cantora (cada um com o holograma que merece). De qualquer modo, o disco Mylo Xyloto já vendeu 5 milhões de cópias no mundo. Oportunidade de negócio pra fabricantes de gel e máquinas de chapinha.

Falando em Kill Bill, saiu no começo do mês o trailer oficial do novo filme de Quentin Tarantino, Django Unchained (ainda sem nome no Brasil). Estrelando Jamie Foxx, Leonardo Di Caprio e Christopher Watz (aquele vilão nazista em Inglorious Basterds), o roteiro presta homenagem aos filmes de faroeste italianos, em especial Django (1966) – o protagonista Franco Nero terá uma aparição. A história é a de um escravo que, separado da mulher, é libertado em troca de caçar e matar uma gangue rival do seu proprietário. No trailer, aparecem todos aqueles trademarks do Tarantino, de vingança, matança, muito humor negro, e aquela trilha sonora totalmente kitsch e obscura. Django Unchained estreia nos cinemas no próximo Natal. E após homenagear filmes orientais, de guerra, blaxpoitation e agora os de faroeste, quem sabe um dia o diretor não revitalize também as porno-chanchadas.

SADDAM BIN LADEN Enquanto isso, já em agosto estreia O Ditador, nova parceria da dupla formada pelo ator Sasha BaronCohen e diretor Larry Charles (a mesma de Borat e Brüno). A história é sobre um general do Oriente Médio perdido em Nova York, após ser seqüestrado e ter a barba raspada. Entre as ações de divulgação, foi colocado um pôster gigante em pleno Central Park, e uma participação no Saturday Night Live, onde o “ditador” convida ninguém menos que Martin Scorsese para um papo.


<<

FOI PRA REHAB

Foi cancelado o seriado Weeds, sobre uma mãe num subúrbio da Califórnia que vira traficante de maconha. A oitava e última temporada estreou em 1º de julho nos EUA com os derradeiros 13 episódios. Indicado por três anos ao Globo de Ouro, a série já não estava grande coisa e tinha problemas de audiência. Pra gurizada que nunca viu, a atriz Mary-Louise Parker é das maiores MILF da atualidade – fica a dica. No Brasil, ela passa no canal pago A&E.

Esse ano tá rolando a terceira edição mundial do Red Bull The3style, a competição de DJs que arregaça a pista. E a final nacional de 2012 rola nada menos que em Porto Alegre, então abre desde já um espaço na agenda pro dia 30/08, no Club 688. A parada vai contar com seis DJs finalistas em busca da vaga para final mundial em Chicago, que rola em setembro. Um dos jurados séra o “prediletas da casa” DJ Zegon. Os breakbeat pira.

POPERÔ DO ANO

<<

A autora J.K. Rowling, de Harry Potter, tem mesmo um talento especial...para fazer grana. Ela está criando o Livro dos Feitiços, uma obra interativa pioneira feita para PlayStation 3. Nela, os jogadores usam os controles com sensores de movimento PlayStation Move como se fossem varinhas, que servem para virar as páginas e para que se aprenda a “fazer feitiços”. O que a gente queria mesmo é saber a feitiçaria na sua conta bancária, né ô?

CAN’T STOP THE DJS

<<

<<

FEITIÇO DO DINHEIRO

Chegamos apenas à metade de 2012, mas o ano já parece ter o seu hit pop do ano, pra animar as festchiinhas de vocês. É a música “Call Me Maybe”, da canadense Carly Rae Jepsen. Em junho, a faixa apareceu no number 1 da Billboard nos EUA. Desde a música “Tik Tok” de Ke$ha há mais de dois anos, é a primeira artista feminina a chegar ao topo logo na primeira tentativa – antes das duas, o fenômeno Lady Gaga também atingiu o feito. A faixa bombou ainda mais quando Justin Bieber e a namorada Selena Gomez fizeram um vídeo caseiro onde aparecem cantando o som. Inclusive, caso confirme o estrondo, com Bieber e Carly Rae, o Canadá passa a ser o maior exportador de chorume pop musical. Pra felicidade da eterna rainha Celine Dion.

9


LISTAS

TOP 5 – OS MAIORES LANÇAMENTOS EM GAMES DE 2012 COM MAIS NOVIDADES EM GAMES (599 LANÇAMENTOS!) QUE EM HARDWARE, A E3 EM LOS ANGELES DE 2012 MATOU A PAU MAIS UMA VEZ. CONFERE AÍ O QUE DE MELHOR SERÁ LANÇADO AINDA ESTE ANO.

10

E THE LAST OF US – cria da Naughy Dog (responsável por maravilhas como Uncharted), promete ser uma revolução no adventure gaming. Luta pela sobrevivência numa Terra pós-apocalípse, com possivelmente os gráficos mais belos da história. Exclusividade do PS3 e provavelmente um dos últimos grandes games do derradeiro ano do console antes do PS4. E TOMB RAIDER – não, não estamos de volta a 1996. Trata-se de um dos melhores reboots da história. Lara Croft foi apresentada ainda mais gostosa, jovem e adulta. Novos elementos de outros gêneros como survival horror e RPG pra ser o que já é considerado o melhor jogo da série. E BEYOND: TWO SOULS – dos criadores de Heavy Rain (obra prima de 2010), estrelado por ninguém menos que Ellen Page, a demo mostrou um fragmento daquilo que pode ser o jogo com a narrativa mais complexa já criada. Só de roteiro são 2000 páginas. Somente pra PS3. E WATCH DOGS – um conceito inovador que mistura gameplay estilo GTA numa Chicago em um futuro distópico. Imerso na vida de um hacker, o jogador é capaz de alterar o destino de simples mortais a sistemas financeiros globais. Tem tudo pra virar uma nova franquia de sucesso. Da Ubisoft. E THE UNFINISHED SWAN – mais uma esquisitice genial que somente estúdios independentes da Sony têm a ousadia de criar. Um jogo de raciocínio surreal que se passa em um mundo completamente branco (ou vazio). Lembra Portal no conceito, mas com um gameplay inovador onde nada é previsível.


OS CINCO GAMES MAIS AGUARDADOS DO ANO QUE VEM

PLAY STATION PORTO ALEGRE INSPIRADOS POR ESTES LANÇAMENTOS DA E3 E POR SÃO PAULO SEDIAR A HISTÓRIA DO RECÉM LANÇADO MAX PAYNE 3, COM TRILHA SONORA DO EMICIDA, ACHAMOS QUE PORTO ALEGRE NÃO PODE FICAR DE FORA. É UMA CIDADE INSPIRADORA PARA OS GAMES – SÓ QUE NÃO.

NERDS, APERTEM OS CINTOS! A E3 TAMBÉM JÁ LARGOU UM MONTE DE NOVIDADES QUE SERÃO LANÇADAS APENAS EM 2013. PRA FICAR HORAS TRANCADO NO QUARTO DESDE JÁ.

E DISHONORED – bethesda é sinônimo das duas maiores e melhores séries de action RPG (Elder Scrolls e Fallout). E agora vai lançar Dishonored, um blend entre V for Vendetta e 1984 (Orwell) em um universo steampunk dark. Tudo em 1ª pessoa e provavelmente no engine do Skyrim. E ASSASSIN’S CREED III – a fantástica série de caça aos templários através das eras históricas avança agora pra Revolução Americana. Visual cinematográfico, conteúdo enciclopédico e um dos melhores gameplays já bolados. Pra todas as plataformas, inclusive pro novo Wii U. E HALO 4 – um último Halo não poderia faltar pra encerrar o final da era Xbox 360. Pra quem acompanhou desde o primeiro, as melhorias gráficas e de jogabilidade atingiram o limite do possível imaginável. E CALL OF DUTY: BLACK OPS 2 – pra não deixar a peteca cair na mesmice, vai ser o primeiro COD a se passar no futuro (2025). Terrorismo digital e batalhas com soldados robôs pra renovar a série. E GTA V – pra quem jogou GTA San Andreas, o nome Los Santos significa Los Angeles no universo GTA. É pra onde todo mundo vai em novembro morrer jogando quando sair o mais ambicioso, violento e glorioso GTA ever.

E MORTAL CULT-BAT – os personagens Thed Corriera, Mil Man, Tatanka, David C. e Anonymous se degladeiam no Z Café lendo trechos dos últimos lançamentos de poesia francesa. O objetivo do jogador é não dormir. E ENDURO DILÚVIO – uma corrida sem lei pela Avenida Ipiranga, onde qualquer errinho na direção o castigo é cair dentro do Arroio Dilúvio. E CHAGAS GEDDON – polêmica competição onde vence o carro que atropelar mais pedestres nessa famosa área VIP em forma de rua portoalegrina. Quanto mais gel tiver o pedestre, mais pontos E GTA LOWER CITY – Domingo à noite, hordas de jovens sem casa espalhados na Lima e Silva se esfregando pelos cantos, tomando cachaça e atrapalhando o trânsito. E PRO EVOLUTION GAUCHÃO (PEG) – revolução nos games de futebol, com campos embarrados, estádios sem iluminação e clubes falidos. Os jogadores mais valiosos são André Lima, Bolívar e Sandro Sotilli.

11


1001 DISCOS PRA OUVIR DEPOIS DE MORRER foi enviado à Guerra do Kosovo. Imagina só o quanto de música horrorosa passou na cabeça dele, enquanto ficava parado igual uma estátua em frente ao Palácio de Buckingham. Imagina quanto chorume teríamos nos livrado se ele tivesse pisado numa mina.

JAMES BLUNT BACK TO BEDLAM

por leandro vignoli

12

Certa vez tinha essa entrevista do James Blunt, onde ao responder sobre aquele clichê de quais seriam suas influências, o cara dizia que nenhuma, ele faz as músicas no instinto, “com o coração”, ou qualquer outra baboseira dessas. O que por um lado tem sentido, músicas tão medíocres sendo feitas sem referência alguma, tudo no deus-o-dará, por outro foi a resposta mais estúpida que alguém já deu. Como raios um cara que faz música nunca escutou direito sequer um disco antes? Isso é mais ou menos como jogar basquete e não saber o que é NBA ou, sei lá, fazer comédia e não conhecer o Didi Mocó. Numa rápida pesquisa sobre o carinha, o pior é que de fato todas suas músicas pau molenga são meio autoditadas. James Blunt se formou em SOCIOLOGIA, o tipo de curso de diretora de colégio público e PRESIDENTES da República. Depois passou seis anos no EXÉRCITO, onde foi capitão das Life Guards (aquela, do chapéu esquisito e que todo mundo tira foto zoando quando vai à Londres) e ainda um membro da OTAN, por onde

E nesse somatório de coxinhice (agora é impossível não imaginar esse cara com aquele chapéu na cabeça), em 2003 James Blunt resolveu lançar um álbum que – mesmo com a voz de quem parece estar sendo esganado – vendeu 11 milhões de cópias. Simplesmente o disco mais vendido na Inglaterra na década. É como se cada turista que tirou aquela foto estúpida ao lado dele como soldado tivesse de comprar o álbum como castigo – pior na real, porque o mau gosto acontece por conta própria. A verdade é que o mimimi é fonte inesgotável de sucesso, como se uma balada cafona fosse a trilha do livro de auto-ajuda das pessoas. Dessa maneira, esse disco nada mais é que uma coletânea na enésima potência de toda pieguice terrestre, com o pior feito por Adele, Coldplay, Laura Pausini e Adriana Calcanhoto. Parece até uma brincadeira que os soldados fizeram com Blunt durante algum luau na guerra, a de que ele faria sucesso lançando um disco apenas com frases recortadas das novelas inglesas. E que poderia emplacar um hit, mesmo repetindo “You’re Beautiful” mais de 15 vezes. Mas os soldados não contavam era com o absurdo do mundo, e do próprio Blunt, que não apenas levou a sério aquela piada sem graça, como acredita nos méritos do que faz. Pelo menos eles ganharam uma trilha pra torturar os inimigos.


michael dos pampas imagens talles kunzler

O NOME É NIKKI GOULART, MAS NA ALCUNHA: MICHAEL JOSEPH JACKSON. É ASSIM QUE O ATOR/PERFORMER É MAIS CONHECIDO EM PORTO ALEGRE, E BOTOU PRA QUEBRAR NO LANÇAMENTO DA VOID #80, NO CLUB688, MÊS PASSADO. E A GENTE NÃO DEIXARIA PASSAR O ENCONTRO COM UMA CELEBRIDADE DESSE QUILATE, O NOSSO REI DO POP – SÓ QUE NÃO.

E aí, Nikki, quando surgiu essa pilha de ser o Michael? Comecei atuando como performance de dublagens, fazendo coisas mais hard-rock, como Motley Crue, algo meio Nina Hagen. Então quando o Michael apareceu branco em 92, muita gente começou a dizer que eu estava parecido com ele. No começo achei nada a ver, mas no vídeo de Black or White (que é uma coisa mais rock) deu aquele start, não exatamente por me achar parecido, mas por achar muito legal a estética. Nunca teve um histórico de fã, sempre foi mais um trabalho de ator. Mas aí tu entrou de cabeça nesse mundo do cara? Claro, na época fui estudar tudo o que tinha, ainda tenho guardado um bolo de revistas, discos importados, virei fanático de sair de chapeuzinho na rua. Mas claro que depois o cara vai levando mais pro lado profissional. Chorou quando ele morreu? Sabe que no dia comprei um DVD dele, por coincidência, e passei o dia assistindo, não assisti TV, essas coisas. Soube através de um amigo me ligando, então não tive


aquele baque na hora. Dois dias depois, revendo o DVD com a minha família, aí sim, rolou aquela choradeira geral. O cara era um gênio, né. E como que rola o lance da maquiagem? Tu fica muito parecido. Antes de performer, tenho esse histórico de maquiador, em vários trabalhos para espetáculos, então sou eu mesmo que faço tudo. Isso me ajuda bastante, porque são quase vinte anos desenvolvendo essa maquiagem, ela foi se moldando com o tempo, demorou esse tempo pra ficar pronta. Até porque o Michael foi mudando bastante, principalmente com o negócio do nariz menor. Mas tu nunca fez plástica? Não, nunca fiz. Quando fiquei mais conhecido, apareceu um monte de empresário, e uma delas sugeriu isso, pro sósia ficar mais verossímel de perto. Mas na época que trabalhei com a Rita Lee comentei com ela a ideia, e de pronto ela disse que não, jamais. Digamos que foi ela que me impediu. A Rita Lee de verdade? Isso, a própria. (risos).

Como que era esse trabalho exatamente? Foi durante dois anos, fazia um número do show em que rolava a música “Bad”. No início ela cantava, mas logo resolveu que aquele era o meu momento (então ela fazia os backing-vocais e a música rolava em playback, porque preferi me concentrar mais na coreografia do que no canto). E hoje em dia teu único trabalho é como sósia do Michael? Sim, vivo apenas disso. Dou aulas na Casa do Teatro em algumas temporadas, mas o trabalho principal é o sósia. Faço apresentações em festas, baile de quinze anos, presença em feiras e estandes. E as pessoas enchem muito o saco, chegam a confundir? Olha, a grande maioria é legal, pede fotos, tudo numa boa. Claro que sempre tem alguém mais inconveniente, que fica comparando, “Michael não fazia isso, Michael não sorria desse jeito”, mas eu já tiro de letra. Já aconteceu também de me ligarem de madrugada me pedindo em casamento, tive até que mudar de telefone. E tu já se aproveitou de alguma situação como Michael pra se dar bem? Não, tenho isso bem definido na cabeça. Uma coisa é o sósia e outra é o Nikki, se a pessoa se interessa pelo Michael, comigo, é só trabalho.


originals poa


ulisses carrilho

bruna valentini

emiliano jobim

Publieditorial

juliano drummond

4 pessoas originais, com 4 amigos originais, nos lugares mais originais da cidade.


PERESTROIKA

cvc paris Há algumas semanas, peguei um voo de uma companhia econômica. Não precisava ser nenhum executivo cheio de milhas para perceber que o avião estava repleto de um público novo. Um pessoal que há cinco anos não podia se dar ao luxo de viajar pelo alto. Tiravam fotos em profusão. Da janela, do avião decolando, da cabine de comando. Mesmo que a aeromoça insistisse que não podiam utilizar equipamentos eletrônicos. Se atrapalhavam com o regulador do ar-condicionado, com a luz de leitura, com a trava do banheiro, com a mesinha para comida. Se confudiam até com as coisas mais simples. Um senhor sentou na minha poltrona. Eu disse: “Estou na 12A, janela. Você é meio ou corredor?”. “Eu sou lá do fundo. Só que queria ver o avião subir. É minha primeira vez. Essa poltrona estava livre e sentei. Você troca comigo?”.

por tiago mattos imagens marcos torres

18

Ouço muita gente comemorar o desempenho do Brasil no cenário internacional. Mas, quando chega no avião, reclama que está uma farofada. Que não é mais legal ter Iphone. Que o Facebook virou o Orkut. Sinceramente? Eu penso bem o contrário. Nasci no final da década de 70. Período militar. Vi, mesmo com olhos de criança, o povo ir às ruas brigar pelo direito de votar. Vi Tancredo morrer antes de assumir e deixar o país para um tal de Sarney. Lembro dos salários congelados e da hiperinflação: você ia de manhã no supermercado e, à noite, o valor era outro. Também vi o país fazendo uma segunda aposta, agora num tal Fernando Collor de Mello. Que não precisou de muito tempo para construir cataratas na Casa da Dinda. Vi os jovens nas ruas, com as caras pintadas, pedindo justiça. Vi um novo Presidente-tampão. Atrapalhado, que desfilava ao lado de modelos sem calcinha enquanto engomava o topete. Ao longo dos anos 80 e 90, vi um país muito diferente do que é hoje. Meu sonho de jovem, que parecia uma utopia, era fazer parte de um Brasil mais organizado,

melhor estruturado economicamente, mais respeitado no exterior. Onde houvesse menos injustiças e mais conquistas. Esse país ainda não chegou. Estamos longe do ideal. Temos índices de desigualdade absurdos. E muito a melhorar em saúde, educação e distribuição de renda. Mas não há como negar que vivemos um período importante e de recuperação de auto-estima. Meu sonho era entrar num avião e ver um monte de gente assim: se atrapalhando com a trava da mesinha. Meu sonho era ver as pessoas com acesso a produtos que, antes, só estavam expostos na vitrine das lojas de grife. Meu sonho era ver a grande massa brasileira postando fotos do churrasquinho da laje, e exercendo o seu direito de inclusão digital.

Mas talvez, esse fosse um sonho só meu. Porque, pelo visto, isso incomoda muita gente. Incomoda quem preferia uma classe C com menos poder de compra, bem longe do núcleo rico da novela. Fica ao gosto de cada um. Talvez, eles não percebam que é esse mesmo pessoal que está acelerando a economia, entrando na sua loja e aumentando o seu faturamento. E é por isso que, agora, você pode viajar duas vezes a Paris ao ano, não apenas uma. Eu não me incomodo. Eu comemoro. Eu me emociono, para falar a verdade. Eu troco a minha poltrona com o maior prazer. Sento no corredor e deixo o meu amigo ver, pela primeira vez, as luzinhas da cidade lá de cima. Ainda não é uma viagem para Paris. Mas, em breve, vai ser.


SHOOT THE SHIT por luciano braga

ref0147 OakOak é um artista urbano francês que expressa a sua arte na rua. Ele começou seu trabalho em 2006 tendo como referências Banksy, os Gêmeos e mais uma galera afudê. Cansado da rotina de viver em uma metrópole, cheia de problemas como qualquer outra, Oakoak decidiu transformar lugares cinzentos, feios e esburacados em matéria-prima para seu trabalho. Através do graffiti, stencil, pinturas e colagens, ele transforma lugares pesados em obras de arte. O que mais chama atenção é a simplicidade de suas obras, o seu olhar diferenciado sobre a cidade e a harmonia com que suas intervenções conversam com o ambiente. A parada têm sempre um tom humorístico forte, muito baseado em temas do cotidiano e da cultura pop. E tudo isso com um objetivo bem claro: fazer as pessoas que passam pelas suas obras SORRIREM. Então vai lá. Escreva esse link no seu navegador e sorria: http://oakoak.canalblog.com/

20


BING BANG por lise bing

SEJA UM INVESTIDOR

NSFW

O TastemakerX é um jogo social que é uma espécie de Bolsa de Valores da música, tendo os fãs como investidores. Os fãs ganham mais créditos quando descobrem e investem nas bandas e os artistas se tornam mais valorizados quando mais usuários investem nele. Além de ser um serviço projetado para descobrir artistas e desfrutar da música, um de seus objetivos também é que o usuário obtenha certo reconhecimento ao indicar seu gosto por artistas antes que estes fiquem famosos. SENSACIONAL.

Pra mim, o Instagram sempre representou fotos que tiveram um cuidado ao serem clicadas, ao serem tratadas, enfim, sempre representou fotos de bom gosto. Até hoje. O Tumblr Inappropriate Instagram reúne as fotos mais bizarras e inapropriadas que foram postadas no Instagram por usuários completamente sem noção. Bora ver se não tem uma sua ali?

http://www.tastemakerx.com

MÚSICA CHICLETE

WEBGAME

Basta aquele jeca do seu trabalho começar a cantarolar “Ai, se eu te pego” e a desgraça está feita: a maldita música gruda na sua cabeça como um chiclete gruda no cabelo. Para curar este mal que atinge grande parte da população, existe o site Desescute. Seu método é simples: ele substitui a música que impregnou seu cérebro por outra ainda pior. Ao entrar no site, uma música pegajosa começará a tocar. Quer escutar outro grude? Basta clicar no botão “mais uma pílula”. Enfim, resolver o problema de verdade, o Desescute não resolve, mas pelo menos você poderá escolher qual música insuportável atormentará o resto do seu dia.

O site Famous Objects From Classic Movies é um jogo para quem é louco por cinema e acha que sabe tudo sobre filmes. Neste game, estilo forca, é apresentado um objeto chave de um filme e o jogador precisa digitar o nome do longa em questão (saca a torta em American Pie?). Errou mais de 3 vezes? Aparece dois links no site: um que apresenta a sinopse e outro que leva até o trailer do filme no Youtube, mostrando assim qual a importância daquele objeto na trama.

http://desescute.com.br

22

http://inappropriate-instagram.tumblr.com/

http://famousobjectsfromclassicmovies.com/


DOSE DUPLA SABEM AQUELE VELHO DITADO “O FEITIÇO VIRA CONTRA O FEITICEIRO”? POIS BEM CAMARADAS, ESSE MALANDRO QUE VOS ESCREVE RECEBEU UM LITERAL “YOU JUST GOT PUNK’D” NA ÚLTIMA GRAVAÇÃO DO DOSE DUPLA. ACOSTUMADO A CRIAR SACANAGENS, FUI SURPREENDIDO PELOS GÊMEOS E POR TODA A EQUIPE EM MINHA RESIDÊNCIA.

por joão francisco hein imagens grabriela marimon

24

Não está entendendo nada?! Também não entendi na hora, mas a parada é que os caras invadiram a minha casa e me fizeram participar dessa bagaça de programa. Logo eu que não cozinho desde que fui “estudar” em Madrid durante um semestre. Ao menos, o rango estava da hora. Uma mistura cabulosa de massa e lasanha que denominei como MASANHA. Isso mesmo, uma bomba calórica que tive o prazer desgosto de comer durante todo o final de semana. E o pior é ter que ficar com dois caras hiperativos, que mais parecem dois Oompa-Loompas, te ordenando a cortar mil ingredientes enquanto eles berram. Tá, admito que não foi tão ruim assim... Querem ver a minha participação lamentável no programa de gastronomia - SÓ QUE NÃO - mais chábleu da banda?! Corram para os canais online da Void e preparem o estômago. revistavoid.com.br facebook.com/revistavoid facebook.com/programadosedupla *Um agradecimento especial ao trio censura composto por Guilherme Moreno, Jorge Júnior e Marcelo Ogliari, além de um salve especial para o nosso comparsa Diego Barrios.


#M/E/C/A/FESTIVAL @EMILIANOJOBIM absurda.com / facebook.com/absurdaoficial / twitter.com/absurdamkt


TRINTONA ENTREVISTA DE LEANDRO VIGNOLI / IMAGENS POR TALLES KUNZLER


MAURICINHOS, OPERÁRIOS, ARTISTAS, ENGRAVATADOS, DESCOLADINHOS, FAMÍLIA INTEIRA DE OITO PESSOAS E CASAIS DE VELHINHOS, EM MAIO SE COMPLETOU 30 ANOS DESSA SALADA HUMANA QUE É A LANCHERIA DO PARQUE, INSTALADA NO CORAÇÃO DO BOM FIM. TODO DIA, DAS 6 DA MATINA À 1 DA MADRUGA, É QUASE COMO UM RETRATO VIVO DA CIDADE. PRA QUEM LEMBRA, EM NOSSO GUIA VOID PARA RANGAR E BEBER NA EDIÇÃO ANTERIOR, FOI MEIO UNÂNIME A INDICAÇÃO DA LANCHERA COMO O MELHOR FAST-FOOD BOM E BARATO. APROVEITANDO TODOS ESSES FATORES, FALAMOS COM O JORNALISTA/ ESCRITOR ANDRÉ “CARDOSO” CZARNOBAI, RESPONSÁVEL PELO ROTEIRO DO CURTA-METRAGEM SOBRE ESSE CARTÃO-POSTAL GASTRONÔMICO DE POA, A SER LANÇADO NO HISTÓRIAS CURTAS DA RBS. O PAPO, LOGICAMENTE, FOI NA PRÓPRIA LANCHERA. EU FUI NO XIS CALABRESA.

Qual é o mote do documentário? A gente veio na Lanchera durante uma semana, ficava tipo 12 horas aqui dentro. Sempre revezando os horários, tipo um dia das 5 da manhã às 5 da tarde, outro do meia-dia à meia-noite e por aí vai. A ideia é mostrar como ela muda pra caralho de público ao longo do dia, de tudo que é tipo. Então a parada não é tanto histórica, é mais um “time-lapse” do hoje em dia? É, tipo eu chego aqui de manhã, na hora que os caras tão descarregando as frutas e fico o dia todo, até a hora de jogar bola à noite. Essa é uma lenda na cidade, já. Então eles jogam bola na madruga mesmo? Certo, toda segunda-feira na Redenção, todos atendentes saem daqui pra jogar essa bola. Tipo das 2 da madruga até todo mundo cansar. No dia que eu fui junto, pegaram uma sacolada de ceva, ficamos ali jogando de madrugada. Tem dia que eles jogam contra outros times, como os residentes do HPS ou um time de músicos E como foi ficar o dia todo no pico, o que rola? Tipo de manhã baixa toda polícia aqui (achei até que ia rolar um atraque algo do tipo, sei lá), mas na real eles tomam o café da manhã, todo dia. Todos os padres da redondeza também vêm tomar café, na real de manhã só tem velhinhos. E à noite não rola mais tanto aquela boemia, por causa do lance de não poder fumar em lugar fechado, então tipo agora o pessoal vem pra tomar uma, duas cevas rapidinho e vai embora. Se não tem boemia, tem o que? Muita família, que vem jantar. Nos anos 80 era uma coisa muito louca, que vendia ceva pra caralho, podia fumar, tinha coisa que acontecia nesse banheiro que ninguém sabe dizer. Na frente ficavam os punks, aqui era meio barra-pesada até, coisas ao redor foram fechando, muita gente foi pra Cidade Baixa. Mas hoje é família. Meio vazio até à noite, bem tranquilo.


Os atendentes também são a cara da Lanchera, tem uns ali há séculos. De onde que eles vêm? A grande maioria é de Encantado e Nova Bréscia (interior do RS). Eles vêm tudo por indicação, prima de não sei quem, são tudo meio conhecidos. Tem cara ali há 15 anos, o mais velho trabalha há 25 anos. Mas tipo, quem tá ali há 2 anos já tá completamente integrado, é uma irmandade mesmo. E eles moram também, todos por aqui, a maioria nesse prédio do lado. Claro que tem uma figura centralizadora (o seu Ivo), mas a Lanchera funciona como uma cooperativa. E foi fácil de conversar com eles? Na real, no começo foram meio arredios. Achavam que iria atrapalhar o fluxo, causaria um certo tumulto. A gente escreveu por escrito o projeto, e teve muita conversa, mas bem no dia de assinarem saiu alguma notícia a respeito no Globo.com, aí os caras ficaram bem felizes, com Globo essa coisa toda importante e tal. Mas os caras são tudo parceiro, venho aí hoje falo com todos, deram várias entrevistas afudê pro documentário, até no meio do futebol ali na Redenção.

Nota do Editor: realmente, durante o papo, mais ou menos uns cinco atendentes pararam pra cumprimentar ou trocar uma idéia com o Cardoso.

Eles têm noção de que o lugar é meio mítico na cidade? Sim, e eles têm altos orgulho disso. Ficam bem sem graça com o carinho de alguns clientes, que vêm aqui e agradecem como se fosse a comida da mãe. Acho que umas 20 pessoas nas entrevistas falaram que a Lanchera é a segunda casa. Mas os caras são super humildes, se alguém fala que aqui é o melhor lugar eles ficam tudo “não, não, aqui é um lugar simples, normal”. Sobre esse lance de segunda casa, rola muito uma fidelidade ali. Teve um dia entrevistamos um cara que foi atropelado e levaram ele pro HPS, e quando foi liberado, já que tava por aqui, veio tomar uma ceva. Tinha outra mina cheio dos esparadrapos no olho, mesma coisa, foi no ponto-socorro e resolveu vir aqui. Tem um cara que morava no Bom Fim, se mudou pra zona sul, mas uma vez por semana ele vem só pra comer na Lanchera. O lance é foda. Um monte de músicos tão sempre por ali também. Cara, o Zé Natálio do Papas da Língua mora em Caxias e vem uma vez na semana pra POA só pela Lancheria. O Nei Lisboa é um símbolo daqui, mas não vem mais porque não bebe (pelo menos não veio naquela semana).


E aquela barulheira bem com a cara da Lancheria, liquidificador bombando, e tudo mais, algum comentário? Isso é bem interessante. Tem gente que vem aqui por causa do barulho, diz que consegue se concentar mais, vem estudar pra prova, vem ler. Mas o lance é um vai-e-vem, tem horas que realmente tá uma barulheira, outras nem se ouve nada. Tem um cara (que não pintou aqui naquela semana) que parece escreveu toda tese de mestrado aqui. Tem a própria gritaria clássica dos atendentes. O Juremir Machado veio aqui um dia com um desses filósofos franceses fodões e o cara se impressionou como tudo funciona numa sinergia, dos clientes com os garçons, os garçons gritando os pratos, ninguém anotar nada e tudo funcionar. E olha que não é pouca gente que circula no lugar. Dá pra dizer que a Lanchera é como o retrato de poa? Talvez seja meio pretensioso, mas acho que dá um pouco sim. O lugar, por mais simples que seja, virou um símbolo, no máximo a metade de quem vem aqui é porque mora perto. Nessa semana que passamos, deu cara de Cachoeirinha, Partenon, Três Coroas, seja lá por qual motivo esse pessoal venha a POA, o lugar pra comer o rango é a Lanchera. E tem gente de tudo que é tipo, mesmo. Carinha de terno com iphone

em cima da mesa, o indie que depois vai pro Ocidente, os tiozinhos, os vagabundos na tarde, médicos ali do Clínicas, uns caras de obra sujo de argamassa. Acho que todo mundo tá aqui. E tu recomenda o rango? Muito, de todo o tempo que fiquei aqui nenhum entrevistado reclamou. Tipo, os caras fazem o suco na hora, natural, apenas uns 3 ou 4 lugares em POA devem fazer isso. Eles fazem a própria massa aqui também, não é nada de indústria. Esse tipo de efeito caseiro, não sei explicar, mas dá uma puta diferença no sabor das coisas. E o Xis (que no fim das contas é só um Xis, nada demais na receita) também é bem sequinho, pão fresco, não aquele monte de banha. E foi muito difícil transformar todas essas histórias num curta-metragem? Cara, fizemos umas 48 entrevistas, que decupamos em 2 horas e depois transformamos em 15 minutos. Não é fácil, não. Mas o Drégus de Oliveira (montador) tem muito a manha. O diretor (Guilherme Petry) também. E quando que vai ser lançado? Acho que só em novembro. É praquele projeto Histórias Curtas da RBS, tem que ficar de olho na programação deles, mas deve ser em novembro.


TOP FIVE DA LANCHERA 1. SUCO NOTA DEZ:

ALÉM DE NATURAL E FEITO NA HORA, VEM NA CLÁSSICA JARRA DE LIQUIDIFICADOR, POR TRÊS PILAS. LARANJA COM MARACUJÁ É ÔRO.

2. CUSTOMIZAÇÃO:

TODO RANGO É CUSTOMIZÁVEL. SE TU QUER UM BACON NO LUGAR DA ERVILHA, ELES PÕEM. SE QUISER MENOS PRESUNTO E MAIS QUEIJO, ELES FAZEM. ACHAR QUE O PRENSADO É MUITO GRANDE, ELES FAZEM METADE.

3. TORRADA DO BOLA:

O ATENDENTE BOLA COLOCA O PÃO, O PRESUNTO E O QUEIJO NA CHAPA E DEPOS MONTA. FICA DIFERENTE DE MONTAR TUDO E DEPOIS PRENSAR, E É UM DIFERENTE BOM PRA CARALHO.

4. FILÉ DOS CAMPEÕES:

GIGANTE E MACIO. A PARTE “RUIM” É QUE SE TIVER SOZINHO, É MEIO IMPOSSÍVEL DE COMER DE TÃO ENORME.

5. QUADRADÃO:

NA HORA DE PAGAR A CONTA, A SOBREMESINHA TEM DE SER O CLÁSSICO QUADRADÃO DE CHOCOLATE POR 1 PILA. É TIPO AQUELAS BARRAS DE MEIO QUILO QUE SE USA PRA DERRETER, MAS CORTADA EM QUADRADOS.


FIJI VOLTOU... E SIFU! TEXTO E IMAGENS POR MARCOS SIFU


É RAPÁ, O NEGÓCIO FERVEU EM FIJI E NINGUÉM MELHOR DO QUE O AERIALISTA E TUBERIDER DE PLANTÃO MARCOS SIFU PRA MOSTRAR PRA GENTE O QUE ROLOU POR LÁ. AQUELE QUE CRESCEU SOBREVOANDO AS ONDAS DO PONTÃO DO LEBLON, JÁ ABRIU FILME DO TAYLOR STEELE DANDO KERRUPT FLIP E SEMPRE QUE PODE TÁ ENTUBANDO FUNDO EM DESERT POINT. MAS NÃO ESPERE UM TEXTO DETALHADO SOBRE O CAMPEONATO E FOTOS DE ONDAS MONSTRUOSAS. O QUE O CARA NOS TROUXE NA SACOLA FOI UM COMPILADO DE IMAGENS QUE VÃO MUITO ALÉM DO PALANQUE, É A EXPERIÊNCIA E A VIBE QUE INFILTRAM DIRETO NA JUGULAR DUM EVENTO DE ALTO NÍVEL COMO ESSE, NUM DOS PICOS MAIS ALUCINANTES E COM UMA CULTURA TÃO DIFERENTE DA NOSSA. É COM UM OLHAR CALIBRADO E AQUELE FILTRO MAROTO DO INSTAGRAM QUE O SIFU VIVEU, CURTIU E REGISTROU A BAGAÇA. VINAKA!


#kava é pros guerreiro.

#no fim sempre ganha o hômi.

#cabana estilêra apocalypse now.

#tava feia a coisa.

#chegando no conforto do meu iate.

#aí sim.


#os ninjas tupiniquins.

#ventania tava foda pro penteado.

#encarava ali? sĂł de longe ein.

#porra, kelly. tu tĂĄ pesado, mermĂŁo!


STREET STYLE POA

LOOKS

INSTAMISSION

Os bem vestidos na galera.

Os maxi-colares estão com tudo nas produções das meninas mais bacanas – coisa que sabemos que você também é, então queremos ver os seus acessórios. Vale postar no Twitter, Facebook e Instagram a sua foto com a tag #maxicolares, e as mais legais vão direto pro SSPOA.

Saia longa também no inverno.

Goldie necklace.

Formas geométricas.

We <3 bugs.

Hearts everywhere.

Cores esquentando o look.

CORRENDO NA FRENTE O que ainda não é, mas vai ser. Pode anotar. por helene hermes luísa fedrizzi

imagens helene hermes marcelo stifelman

40

Leather is all in.

Cap and stripes.

#poncho

#earcuff

#jacketandhoodie

#golinha


INVERNO 2012

C AV A L E R A B A R R A S U L B a r r a S h o p p i n g S u l Av. Diário de Notícias, 300 - loja 2036 Cristal - Porto Alegre - RS

CAVALERA IGUATEMI S h o p p i n g I g u a t e m i Av. João Wallig, 1800 - loja 2208 Passo da Areia - Porto Alegre - RS


SUMMER TEETH

ARTE NO MOLETOM

QUE IRADO, GUERREIRO!

Dane Reynolds é um dos surfistas mais carismáticos e influentes da nossa geração. Sua maneira peculiar de enxergar o mundo e, consequentemente, uma onda, é extraordinária. Talvez seja por isso que aos 26 anos ele decidiu sair do Tour, embora muitos dizem que essa atitude foi um talento desperdiçado, um potencial jogado fora, uma rejeição a responsabilidade. Dane prova o contrário, não se pode negar a incrível sensibilidade do surfista, não um atleta rotulado e sim um artista, incompreendido, vagabundo e visceral. É através do seu blog, Marine Layer Productions, um dos sites mais populares e fantásticos de surf, que toda essa criatividade transborda em vídeos, fotos, textos e agora camisetas. Sim, o cara acaba de lançar um projeto chamado Summer Teeth que é baseado no amor do surfista por caligrafia/ rabiscos amador e criações semi-criativas, como ele mesmo chama. São 50 camisetas limitadas feitas a mão pelo próprio Dane Reynolds. Foda.

Pra quem é apaixonado por cultura pop/geek, vintage clothing ou é simplesmente viciado em tumblr já deve conhecer o lado criativo do SEXY SWEATERS. A ideia de transformar uma das peças, o bom e velho moletom, em suéteres fictícios partiu da brincadeira entre os amigos Alec e Greta, que fizeram dele matéria prima para suas ‘roupas virtuais’. O lance já virou febre, vício, must have fashionista e tudo indica que já existe a ideia de transformar pelo menos algumas dessas peças em realidade. Apesar de não estarem a venda, é uma baita fonte de inspiração. Não tem como não se identificar com pelo menos um deles! E pra quem quiser ver a ‘sua estampa’ nos moletons é só mandar a imagem pro email dos caras - sexysweaters@ymail.com - e fazer figa!

A Warriors of Radness é uma das principais referências que tenho quando o assunto é Califórnia. Os “Guerreiros do Rad” - rad que pra nós pode ser facilmente traduzido para ‘irado’ - é cria do estilista Rick Klotz, que em 2011 foi nomeado pela revista americana GQ’S (Gentlemen’s Quartely), um dos estilistas mais promissores da atualidade. Livre de qualquer paradigma moral ou social, a marca californiana traz na sua essência o pensamento do estilista: “Criei a WOR com o intuito de fazer peças ligadas à praia e ao surf com a exuberância de um lifestyle que não vejo mais no que chamo de ‘indústria do surf’. Como estilista, não quero me limitar às restrições de preços e design existentes no mercado do surf. Foi simples, pensei comigo: isto é o que quero fazer. Quem irá me entender e vender pelo preço que realmente vale? Boutiques de moda!” Entre os destaques de praticamente todas as coleções da WOR estão as bermudas, regatas e jaquetas windbreaker!

Info: www.marinelayerproductions.com/

por carol rosa

eleganza

42

Info: http://www.warriorsofradness.com/


SEVERINO

FINESSE

O artista urbano SEVER criou no mínimo uma polêmica com o seu último trabalho, um mural em Detroit no qual personagens da street art como Kaws, Shepard Fairey, Futura, Barry McGee e os brasileiros Os Gêmeos aparecem carregando um caixão levando o título “Street Art”. Uma semana depois de sua primeira aparição em que SEVER anuncia a morte da arte urbana, o artista volta a mira para as marcas mais significativas e importantes do cenário lifestyle em sua obra “Death of Streetwear”, na qual aparecem logos das marcas The Hundreds, Mishka, Stussy, XLarge and Bape. A crítica é forte, mas a manifestação é sempre bem-vinda. Vamos aguardar o próximo funeral do cara.

FiNO é cria de duas cabecinhas além de criativas do cenário paulistano, Lucas Aoki e Danton Cesar. Conheço o Lucas (aka Japinha) há mais de 4 anos, e quando ele me contou do projeto com Danton, tive certeza absoluta que iria ver algo que eu nunca tinha presenciado no cenário, não quando o assunto é boné. A FiNO foi criada em São Paulo e é especializada na produção de bonés de alta costura, com o intuito de produzir modelos limitados e

com design clássico. É uma autêntica marca brasileira que faz artigos artesanais a partir de materiais escolhidos à dedo, traduzindo elementos que fazem parte da cultura e arte que influenciam os dois. “A FiNO supre a necessidade de criar algo que agrade aqueles que se identificam com nosso lifestyle e que, acima de tudo, acreditam em nosso ideal”, conta o Lucas. Salve! Instagram @_fino_

43


RIP CURL DETROIT AUTOMATIC

Uma fabricação em materiais de alto padrão para criar o acessório ideal: é dessa forma descrito o Detroit Automatic Black/Gold. O dourado e o preto juntos em um acessório dificilmente decepcionam.

NIKE PAUL RODRIGUEZ 5 MID HAY/WHITE

Tanto a marca quanto o atleta dispensam apresentações. Esta é uma versão em cano médio, em camurça reforçada, além, é claro, da tecnologia de amortecimento Lunarlon na entresola. Os sneakerheads piram!

CAMISA ADIDAS ORIGINALS

TOW

44

ADIDAS EASY FIVE HI LEATHER

Que tal um toque autêntico de streetwear puro? É o que a Adidas Originals Denim oferece. Elegantes camisas fazem parte da coleção de inverno, como esta listrada com alguns pontinhos coloridos complementando a peça. Muito style!


MUTTA DRUKER FULL SAFARI

DIAMOND UN-POLO EMBLEM

A Mutta Shoes é um projeto independente de produção artesanal de calçados. As coleções Mutta são focadas em qualidade, originalidade e diferenciação, o que se pode muito bem notar nesse estiloso sneaker!

A marca já se tornou ícone e referência no cenário do skate e streetwear. Depois do diamante, o “D” virado é outra característica forte nas peças, e esta T-shirt une os dois, mantendo o design atrativo que sempre encontramos nas coleções da grandiosa Diamond Supply Co.

EVOKE DEJA VU CAT STYLE

É fato que os óculos estilo gatinha estão em alta e a Evoke, como sempre, inovou e surpreendeu. O Deja Vu Cat Style tem um design ousado! Além deste, na cor Turtle e lente Brown, têm mais duas variações que vale a pena conferir.

COAT MCD X HERCHCOVITCH

A parceria da MCD com Alexandre Herchcovitch deu muito certo, e o estilo peculiar do estilista paulista resultou uma linha urbana com uma pegada fashion. A inspiração vem dos anos 80, da vanguarda cultural e estética da época. Aqui mostramos apenas uma peça para as minas não pirarem muito!

CANGURU INDY

OGIO POLITAN PACK BLUE

GIRL LEAN 52MM

A marca americana Independent Trucks fabrica um dos melhores eixos de skate do mercado e também boas peças de roupas, sempre destacando nelas as variações do logo da marca, que com quase 30 anos de existência não para de conquistar fãs skatistas de todo o mundo.

Tecnologia, inovação e performance são três palavras que definem a Ogio, e estas qualidades se fazem presentes em todas as malas e mochilas da marca. Outro diferencial é o design: uma mais bonita que a outra.

Do grupo Crail Tap junto com mais seis grandes marcas, a Girl Skateboard Co. fabrica uma das melhores rodas para street. Esta 52mm Lean é uma roda mais fina, portanto mais leve que outras do mesmo tamanho. Vale lembrar que um skate leve faz diferença em algumas manobras.

*Esses produtos e mais, você encontra nas lojas TOW Complex e TOW Bourbon Wallig.

45


SURF NO RIO

<<

Quê?! Tá pensando que vou falar da etapa do WT em águas cariocas?? Nãã, rapá! É melhor, na real. Pelo menos diferente. Alguns europeus malucaços desbravaram uma onda formada por navios transatlânticos em um rio português. A parada é rara, precisa de uma combinação de maré/vento/bancada e, quando rola, é só esperar o navio passar e ter uns segundos de emoção. Além da experiência, né, pra contar principalmente praqueles brothers que nunca deixam de surfar no quintal de casa pra curtir algo diferente. Então, pros aventureiros de plantão, a recompensa pode ser uma sessão como essa da imagem ao lado!

46

Já ouviu falar do projeto Homegrown, do surfista californiano Nick Rozsa?! Resumindo, o cara tava sem patrocínio e aí produziu uma série de vídeos em conjunto com um cinegrafista brother dele. Os vídeos bombaram nas redes sociais, até o Kelly escreveu em seu twitter algo como “será o melhor surfista sem patrocínio do mundo?” e deu tão certo que o cara reatou uma parceira antiga, com a Reef. Então entra no canal do Vimeo da parada, que tem todos os episódios. No avoid.com.br a gente meteu o vídeo “Clichê”, um compilado das melhores imagens do projeto Homegrown, 10 minutos de surf de alto nível!

FUNTITLED

<<

na base

HOMEGROWN

<<

por bruno araldi marlon oliveira

Esse é o nome da nova websérie da Volcom figurando alguns patrocinados da marca, lugares exóticos, sonzêra generalizada, edição e imagens mucho locas. Até agora já tem seis episódios que você pode conferir no canal do youtube da Volcom. E, no site da Void, ta lá de bandeja o webisode 5, “Mixed Bag”, que conta com figuras como Alex Gray, Gavin Beschen, Bruce Irons, Dave Wassel & Dusty Payne no Havaí.


IAPI - DAY ‘N’ NIGHT

<<

Uma das maiores skateparks da América do Sul, a do IAPI, recebeu iluminação. O quê era um sonho para muitos se tornou realidade no mês de junho, quando começaram a ser instalados os postes ao redor da Praça Frederico Arnaldo Ballvê, mais conhecida como IAPI - para quem não tá ligado, ela é uma skatepark completa, possui uma área com rampas de 45°, funbox, quarter e duas mini ramps e também uma área plaza, com bancos, escadas, corrimão, etc. As obras de instalação dos postes e lâmpadas ainda não foram finalizadas, mas uma parte delas já estão sendo ligadas à noite. Agora não tem desculpa, se não pode colar no IAPI durante o dia, por causa de trabalho ou estudos, poderá ir debaixo da lua. Skate everyday, guys!

<<

LONGBOARD GIRLS CREW <<

SHOOT ALL SKATERS

PISTA DE SKATE SUSTENTÁVEL

<<

A paixão em comum por longboard foi o ponto de partida para um grupo de gurias, com estilo e personalidade de sobra, criarem a Longboard Girls Crew. Tudo começou em Madrid, na Espanha, quando as garotas cansadas de ser minoria nas sessions, perceberam que precisavam fazer alguma coisa para fomentar o desejo de continuar andando de skate. Foi aí que pensaram em uma crew de longboard feminino, a melhor ideia que poderiam ter. Em pouco tempo já era notável o quanto ficava mais prazeroso e divertido os rolês, o mesmo aconteceu em outros lugares, a LGC conta com embaixadoras em vários países que, além de expandirem o nome e a proposta do grupo, estão sempre mantendo contato e promovendo encontros. Para captar um pouco do feeling dessa crew, dá uma olhada no vídeo que foi lançado no final do ano passado, dividido em 4 capítulos, “Endless Roads” é o título da trip feita pela Espanha com 7 integrantes do grupo (inclusive as idealizadoras). Durante 15 dias elas percorreram 4.300 km a bordo de uma Kombi, registrando o estilo de vida, as manobras e a diversão proporcionados por uma paixão chamada skate.

Está sendo construída no Rio de Janeiro a primeira pista de skate sustentável do Brasil, que fará parte do Parque Madureira, terceiro maior parque do RJ, com 105.000 m2. A pista de skate, com 3.850 m2, divididos em bowls interligados e uma street plaza, tem uma grande importância na sustentabilidade do parque, já que a água da chuva captada na pista vai para um reservatório e será usada para a sua irrigação. A iluminação será feita com lâmpadas de led, que reduzem o consumo de energia em quase 50%. O projeto ficou por conta dos arquitetos Bruno Pires e Sylvio Azevedo (ambos da Rio Ramp Design), mais a ajuda do americano Geth Noble, experiente na construção de pistas e um enorme conhecimento tecnológico em acabamentos. A pista de Madureira é completa, que disponibiliza uma boa estrutura tanto a prática de iniciantes até para aqueles com um nível de skate mais avançado.

Shoot all skaters é uma ação do site theberrics.com valorizando os fotógrafos e filmers, através de entrevistas em vídeo. Nas entrevistas estes profissionais contam como começaram neste meio, quais os primeiros “shoots”, primeiras fotos em revistas ou primeiros vídeos, os skaters que já registraram situações inusitadas e tudo mais que este lifestyle pode proporcionar. Os vídeos são postados mais ou menos uma vez por mês e vão ao ar sempre em duas partes. Esta atitude do The Berrics é uma contribuição ao público que sempre vê o resultado do trabalho já expresso em revistas ou editados em vídeos, e é também um agradecimento a estes profissionais que têm uma grande importância na evolução do skate e também na carreira dos skatistas. A expressão “por trás de um grande homem existe uma grande mulher.” pode ser moldada fácil para o skate como “por trás de um grande skatista existe um grande fotógrafo e/ou filmer.” Dá um check no site para ver e ouvir grandes personalidades do skate.

47


FREEZE

ARNETTE GARAGE FESTIVAL/ 16.06 / COMPLEX

FOTOS: TALLES KUNZLER


FREEZE

SODA POP / 22.06 / CABARET

FOTOS: LUCAS CUNHA



FREEZE

MCD CORE FESTIVAL/ 28.06 / BAR OPINIテグ

FOTOS: TALLES KUNZLER


BEYOND REASON TENHO QUE PROGREDIR PARA CONTINUAR VIVO. | BOB BURNQUIST

©2012 Oakley, Inc. | All Rights Reserved | SAC 4003-8225 | Facebook.com/OakleyBrasil


Aí ô pessoal da ONU, o lance é o seguinte. Não sou lá expert em muita coisa, mas essa Rio +20 foi uma furada, vai dizer? Um monte de ninguém discutindo sobre temas de nomes complexos teorizando sobre o nada. Tentei acompanhar a coisa, mas o único líder mundial que apareceu foi aquele doidêra do Irã, imagino que pra falar sobre energia - de energia nuclear ele entende afú. Com aquele monte de ativista que não conheço, só consegui lembrar do meu professor de História no colégio, o Jonas, ele era tri massa, pena que foi mandado embora porque um dia pegaram ele acendendo unzinho no banheiro (imagina a laje do cara). Vi que vocês tentaram preencher o buraco com um monte de famosos, tipo o Luciano Huck, falando da importância das mídias sociais na sustentabilidade. De mídias sociais sipá ele até entende, toda hora tá aquela cara feia dele aparecendo nas propagandas do meu Face, mas sustentável forçaram né, ô? O cara já levou até R$40 mil no côco por cercar uma praia com bóias para impedir a entrada da gurizada na sua mansão em Angra. E essa malandragem do Edward Norton? Ele veio aí no Brasil divulgar um filme e do nada tava lá falando de biodiversidade (talvez aquele filme ruim do Hulk, que é verdinho e tal, tenha dado algum crédito). Sei lá, era muito famoso falando de assunto sério, deviam ter chamado a Ohana que entende de matagal.

CARTA ABERTA

Posso apostar que o orçamento pra organizar essa galhofagem foi dez vezes maior que a de qualquer organização de projetos sociais e sustentáveis. Em vez de locar um hotel chiquetê na Barra, pra neguinho discursar para uma plateia quase que vazia, seria mais econômico fazer o encontro ali nos quiosques da praia mesmo, tomando uma água de côco bem na tranquila. Não precisaria nem de ar-condicionado, tri sustentável, vai dizer? E considerando que ninguém vai cumprir mesmo, eras uma fazer essa economia. Ou então, melhor ainda, podia ter feito o evento todo no Uruguai, já que tá rolando aquele projeto pra legalizar a maconha, algo bem mais ação que todo esse blábláblá. Soube até dias desses que o meu ex-professor de História, o Jonas, já se mandou lá pras coxilhas de mala e cuia. E aposto que se o Cristo tivesse pernas, arrumaria sua trouxinha e teria feito a mesma coisa. kkkkk


CVO MID

CARLOS RIBEIRO

SS BS NOSEBLUNT / FOTO: FELLIPE FRANCISCO


Void #081 - 9x9