Page 1

Edição 09 - Ano II - Maio de 2011


O Jornal EmpresariALL acaba de lançar mais uma ferramenta que vai aproximar ainda mais as empresas fornecedoras das gigantes instaladas no Espírito Santo, como a Vale, Samarco, ArcelorMittal Tubarão, ArcelorMittal Cariacica, Fibria Celulose e Petrobras. Trata-se do nosso portal, o www.jornalempresariall.com.br, onde você encontra o cadastro de diversos segmentos de fornecedores e as principais notícias do setor. Entre as facilidades oferecidas em nosso portal está a disponibilidade de empresas fornecedoras de serviços de Consultoria, Imóveis, Cursos e Treina-

EDITORIAL mentos, Movimentação de Cargas, entre outros. Com isso, você poderá encontrar um mix de fornecedores altamente capacitados, que poderão atender a você e à sua empresa com mais eficiência e qualidade. Além disso, ao navegar por nosso portal, você encontrará informações sobre as principais feiras que serão realizadas no Espírito Santo e no Brasil. Com isso, você pode se programar melhor para não perder a oportunidade de se atualizar e fechar negócios. São eventos de fundamental importância para o setor, como o Brasil Offs-

www.jornalempresariall.com.br

EXPEDIENTE

02

hore, que será realizado entre os dias 14 e 17 de junho, em Macaé, no Rio de Janeiro, e muitos outros. Com a inauguração do portal, nosso jornal ficou ainda mais perto de você, com as publicações impressas disponíveis em PDF em nosso site, facilitando e dinamizando o acesso para nossos leitores. Outra novidade que você pode conferir são os classificados grátis, com a oferta de centenas de produtos e serviços. E para lhe atender ainda melhor, criamos um canal direto para nossos leitores. No link "Fale Conosco" você

pode enviar sugestões sobre quais assuntos técnicos gostaria que fossem abordados em nossas próximas edições. Pode (e deve) sugerir que tipos se "Empresas Fornecedoras" gostaria que disponibilizassem seus serviços no site do Jornal EmpresariALL. Desta maneira, todos saem ganhando: você leitor, seja empresário ou empregado de todos os níveis das gigantes, por encontrar tudo aquilo que precisa reunido em um só lugar. E nós, da equipe do Jornal EmpresariALL, que estaremos cumprindo nosso papel de atendê-lo cada vez melhor.

JORNAL EMPRESARIALL : Circulação: mensal / Tiragem: 15.000 exemplares / Distribuição: Vale, Samarco, ArcelorMittal Tubarão, ArcelorMittal Cariacica, Fibria Celulose e Petrobras / Telefone: (27) 8877-6 6272/ E-m mail: marketing@jornalempresariall.com.br / Departamento de Marketing e Comercial: Lucas Cavallini / Jornalistas Responsáveis: Patrícia Arruda MTB/ES 2150 Diagramação e Arte: José Carlos Vieira Júnior / Impressão Gráfica: Parque Gráfico Rede Gazeta


03

Fibria lança Relatório de Sustentabilidade A Publicação reúne os principais resultados e desafios econômico-financeiros, ambientais e sociais da empresa no ano de 2010 Já está disponível no portal da Fibria o Relatório de Sustentabilidade 2010. O documento reúne os resultados de desempenho econôm i c o - f i n a n c e i ro , governança e responsabilidade socioambiental da empresa no último ano. A publicação é fruto do envolvimento de mais de cem profissionais, em cinco meses de trabalho. Segundo o presidente da Fibria, Carlos Aguiar (foto), o Relatório é, sem dúvidas, o mais importante instrumento de comunicação da empresa. "É nele que confirmamos o nosso compromisso com a transparência, com as melhores práticas em governança e com uma relação próxima e aberta com as comunidades em que estamos inseridos. É nele também que prestamos conta do valor da nossa empresa para uma sociedade sustentável", afirma. Pela primeira vez, o Relatório de Sustentabilidade da Fibria traz um ano de informações de uma empresa integrada. O Relatório de 2009 referiu-se também a dados anteriores à formação da Fibria, concretizada em setembro

Divulgação

daquele ano. Este ano, além de detalhar o contexto da sustentabilidade para o negócio da Fibria, são descritos e analisados os objetivos e metas de sustentabilidade da companhia. A publicação de 2010 mostra que a maior parte das metas estabelecidas para o ano foram atingidas, mas também aponta aspectos que precisam ser melhorados. O Relatório de Sustentabilidade 2010 da Fibria segue as diretrizes para elaboração de

relatórios da Global Reporting Initiative (GRI G3) e atingiu 37 dos 49 indicadores essenciais de desempenho estabelecidos pela GRI, o que confere nível de aplicação B+. A classificação indica que a empresa está relatando mais e melhor as informações, de acordo com a recomendação da GRI. O Relatório passou pela verificação independente do Bureau Veritas Certification, que avaliou a adequação das informações da publicação aos princípios de materialidade, inclusão de partes interessadas, contexto da sustentabilidade, abrangência, equilíbrio, comparabilidade, exatidão, periodicidade, clareza e confiabilidade. O documento também contou com a leitura crítica de dois analistas externos: o professor especialista em governança corporativa José Paschoal Rossetti, pesquisador da Fundação Dom Cabral, e o especialista em sustentabilidade Aron Cramer, presidente da consultoria norte-americana Business for Social Responsibility (BSR).

Envolvimento das partes interessadas Todo o conteúdo apresentado no Relatório considera as dez principais questões apontadas na Matriz de Materialidade da Fibria. Elaborada para o Relatório de 2009, a Matriz é uma escala de assuntos prioritários para a empresa, definida a partir da visão de 85 representantes de partes interessadas internas e externas. Os depoimentos de nove representantes de comunidades vizinhas às operações da Fibria estão disponíveis no Relatório de Sustentabilidade 2010, e mostra como a empresa é avaliada pela população nas localidades em que está inserida. Consultores especializados entrevistaram os participantes em relação aos dez pontos de maior destaque na Matriz de Materialidade da Fibria.

Relatório conta com diferentes versões Divulgação

O Relatório de 2010 circula em seis versões diferentes - duas edições navegáveis, em português e inglês, e quatro edições em PDF (completa e condensada, também em dois idiomas) -, todas disponíveis em www.fibria.com.br/rs2010. No site do Relatório, um programa de geração de PDF possibilitará, em breve, que os interessados baixem o documento em formato personalizado, com conteúdos selecionados. No mesmo endereço, também é possível baixar as demonstrações financeiras da Fibria em 2010. A edição condensada do Relatório foi impressa e distribuída para os públicos interno e externo da empresa.


04

Produção industrial é destaque no país Uma pesquisa divulgada no mês de maio pelo IJSN revelou que o Espírito Santo apresentou o maior crescimento industrial do Brasil Thiago Guimarães / Secom

Produção industrial do Espírito Santo superou as demais regiões pesquisadas pelo IJSN e IBGE

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN) apontou que o Espírito Santo apresentou a maior taxa de crescimento da produção industrial em relação aos demais estados brasileiros (+10,48%) na comparação entre março de 2010 e março de 2011. A pesquisa, que foi realizada em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), foi divulgada no mês de maio. De acordo com a pesquisa, enquanto o Brasil registrou uma queda de -2,14% em sua produção industrial, o Espírito Santo vem apresentando um notável crescimento em comparações anuais, registrando um aumento de +10,48% e conquistando o primeiro lugar entre os demais estados do País. Na comparação do acumulado dos últimos

12 meses e no acumulado anual, a produção industrial capixaba apresentou taxas de +15,33% e +11,28% respectivamente. Mais uma vez, os resultados atingidos pelo Brasil foram inferiores aos do Espírito Santo, fechando em +6,80% e +2,27%. Segundo a pesquisa, a Indústria Extrativa foi uma das principais responsáveis pelo crescimento da produção industrial, registrando uma taxa de variação de 46,48% no acumulado dos últimos 12 meses e +43,69% na comparação entre março de 2010 e março de 2011. Além disso, comparada ao mês de fevereiro de 2011, a Indústria Extrativa cresceu +4,18%, sendo superada apenas pelo setor de Metalurgia Básica, que por sua vez, fechou em +7,47% na comparação com o mês anterior.

Indústria capixaba é a que mais cresce no Brasil A indústria do Espirito Santo é a que mais cresce no Brasil. Segundo dados do IBGE divulgados no mês de maio, nos três primeiro meses deste ano, a indústria capixaba se destaca e aparece em primeiro lugar, com um crescimento de 11,3%. Bem acima dos outros estados, que não atingiram 5%, se comparado ao mesmo período do ano passado. De acordo com o Instituto de Desenvolvimento do Espírito Santo os setores que ajudaram no crescimento da indústria capixaba foram: petróleo, gás natural e minério de ferro.


06

Lucro da Arcelor recupera US$ 1 bi A siderúrgica teve um aumento de 67% em seu lucro líquido no primeiro trimestre do ano, passando de US$ 640 mi para US$ 1,07 bi A maior siderúrgica do mundo em volume de produção, ArcelorMittal, divulgou no mês de maio que o lucro líquido do grupo no primeiro trimestre subiu para US$ 1.07 bilhão, na sequência de um revés ocorrido no final do ano passado devido a elementos excepcionais. A empresa espera que a rentabilidade possa continuar melhorando no segundo trimestre em razão do aumento da sazonalidade e da majoração da demanda subjacente. O grupo registrou uma perda no último trimestre de 2010 em detrimento dos custos decorrentes da venda da Divisão de aço inoxidável. No primeiro trimestre deste ano, comparável ao mesmo período do ano passado, a companhia obteve um lucro líquido de US $ 640 milhões. "Como esperado, temos visto um forte começo de ano, com um aumento nas exportações e nos preços de venda", disse o CEO da ArcelorMittal,

Divulgação

Lakshmi Mittal (foto). As vendas do primeiro trimestre cresceram em 27,3% em uma base de 12 meses, com lucro operacional bruto de US$ 2,6 bilhões, assinalando um aumento de 52%. Este resultado foi um pouco maior do o previsto (entre US$ 2,0 e US$ 2,5 bilhões). O resultado incluiu a recuperação de US$ 300 milhões sob a forma de provisões não utilizadas. A dívida líquida subiu de US$ 2,9 bilhões para US$ 22,6 bilhões no

primeiro trimestre devido ao investimento em capital de giro, às fusões e aquisições e operações em moeda estrangeira. Os preços elevados das commodities, que afetam os custos de seus insumos, até o momento têm sido mais do que compensados por aumentos superiores aos seus preços de vendas. A ArcelorMittal afirmou, porém, que alguns mercados, como Japão e África do Norte, começaram a decair, o que pode pesar nos resultados do segundo trimestre. A empresa também salientou que um aumento das taxas de juros na China poderiam afetar o crescimento. A dívida líquida deverá aumentar ainda mais por causa do investimento adicional em capital de giro. A empresa espera que o mercado global de aço cresça de 6,5% para 7% este ano. "Continuamos confiantes que 2011 será um ano forte, assim como foi 2010", disse Mittal.

Arcelor cria novos canais de diálogo com a comunidade Com o objetivo de estreitar ainda mais o contato com os seus principais públicos, a ArcelorMittal Tubarão criou duas novas ferramentas de comunicação. A primeira delas é o Fale Conosco, que foi reformulado para permitir um melhor monitoramento das dúvidas enviadas, além de proporcionar mais agilidade nas respostas. A segunda é o Portal do Solicitante, para onde poderão ser encaminhadas as solicitações de patrocínio e de apoio a projetos sociais. Com esses dois novos canais, o fluxo de informações ficará mais simples e rápido para ambas as partes envolvidas no processo de comunicação.


07

Empresa capixaba participará da nova fase de montagem da Usina VIII Esta é a fase mais importante das obras da VIII pelotizadora de Tubarão. No pico das obras serão gerados cerca de 1.550 empregos Agência Vale

A Vale assinou o contrato para as fases 2 e 3 da montagem eletromecânica da Usina VIII, a última e mais importante etapa das obras da planta de pelotização que está sendo construída no Complexo de Tubarão. A nova etapa das obras será realizada pelo consórcio formado entre as empresas União Fabricação e Montagem Ltda., do Espírito Santo, e MCE Engenharia Ltda., da Bahia, e envolve a montagem de cerca de 20 mil toneladas de equipamentos e estruturas metálicas. O valor do contrato é de R$ 145 milhões.

Cerca de 1.550 oportunidades de trabalho serão geradas no pico das obras da nova fase de construção da Usina VIII, que compreenderá a montagem das áreas de moagem, de prensagem e os pátios de estocagem de pelotas e de insumos. A previsão é de que essa etapa tenha início no mês que vem. O prazo de execução será de aproximadamente 18 meses. Até o momento, o fornecimento de produtos e serviços contratados de empresas capixabas pela Vale para a implantação da oitava usina somam cerca de R$ 805 milhões.

Obras civis

Implantação da Usina VIII da Vale gera oportunidades para o Espírito Santo

Prioridade para empresas e mão de obra locais A Vale está trabalhando no ritmo previsto nas obras de instalação da Usina VIII, no Complexo de Tubarão (ES). A pelotizadora, com capacidade de produção de 7 milhões de toneladas por ano, começou a ser implantada em 2008 e tem previsão de estar concluída até o final de 2012. Estão sendo investidos R$ 1,2 bilhão no empreendimento, que tem geração de 3 mil postos de trabalho durante as obras e 350 empregos permanentes na operação. Dos cerca de 1.200 empregados em atuação na obra atualmente, 92% são capixabas, sendo que 68% são moradores do município de Serra. No que diz respeito ao desenvolvimento

da cadeia de fornecedores local, cerca de 60% do total de contratos firmados até o momento, ou seja, R$ 805 milhões, envolvem empresas do Espírito Santo ou com filial no estado. O índice de nacionalização de produtos e serviços também é dos mais altos: 93%, ou seja, R$ 1,5 bilhão, quase a totalidade do projeto. Somente durante a fase de implantação, a Usina VIII vai gerar mais de R$ 28, 5 milhões em impostos municipais. Em se tratando de tributos estaduais, o empreendimento irá injetar ainda R$ 88,15 milhões na economia capixaba. Na escala federal, a contribuição da pelotizadora será de quase R$ 146 milhões

à economia nacional. Com isso, o volume total de tributos gerados durante a fase de construção da Usina VIII vai ultrapassar os R$ 262 milhões. De junho de 2008, quando a obra teve início, até fevereiro deste ano, os investimentos foram destinados para a engenharia, montagem, estruturas metálicas, caldeiraria, obras civis e equipamentos eletromecânicos. As obras de construção civil estão 84% executadas. Já a fase de montagem eletromecânica, que teve início no ano passado e se estenderá até 2012, está com 13% de progresso realizado. Pelo cronograma, até o final de 2011, 80% do empreendimento deve estar concluído.

Em abril, a Vale fechou o contrato das obras civis VII, fase que compreende intervenções complementares no projeto, como obras da bacia de decantação, finalização de salas elétricas, base de espessador, entre outros. A etapa, que será executada pela capixaba Fortes Engenharia, envolve contrato da ordem de R$ 32 milhões e teve início este mês. O prazo de execução é de um ano, com geração de 500 oportunidades de trabalho na fase de pico. No mesmo período, a mineradora concluiu também a contratação para a fase de caldeiraria dos silos complementares, que será realizada pela empresa HKM Empreendimentos e Participações Ltda. O valor do contrato é de R$ 600 mil e o prazo de execução é de 90 dias.

Raio X dos contratos Peso total contratado: 20 mil toneladas de montagem de equipamentos e estruturas metálicas; Valor total dos contratos: R$ 145 milhões Participação de cada empresa por valor: União Fabricação e Montagem Ltda (50%) e MCE Engenharia Ltda (50%) Empregos estimados: cerca de 1.550


08

MECSHOW terá quatro dias de evento Graças ao sucesso do evento e o aquecimento do setor, a feira contará com um novo pavilhão e mais um dia de exposição Divulgação

A Mec Show 2011 será realizada entre os dias 19 a 22 de julho, no Pavilhão de Carapina, Serra

Aproveitando o crescimento econômico brasileiro e os novos projetos industriais no Espírito Santo, a Mec Show 2011 - Feira da Metalmecânica, Energia e Automação ganha ainda mais força e contará com duas novidades neste ano: implantação de um novo pavilhão de área expositiva e mais um dia de evento. Em sua quarta edição, a Mec Show, considerada a principal feira do segmento metalmecânico do Espírito Santo, contará com uma área de 12.000 metros quadrados, no Pavilhão de Carapina, e estará aberta aos participantes durante quatro dias. O evento é uma promoção do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas e de Material Elétrico do Espírito Santo (Sindifer) e do Centro Capixaba de Desenvolvimento Metalmecânico (Cdmec). O aquecimento do setor metalmecânico por conta dos grandes projetos industriais e a retomada da economia mundial trazem grandes expectativas aos organizadores do evento: um crescimento aproximado de 20% em número de expositores, tanto do Espírito Santo como de outros estados brasileiros, e de negócios fechados durante o decorrer da feira. Além da feira, a Mec Show

2011 contará com rodadas de negócios, rodadas de oportunidades de emprego em parceria com as grandes empresas, road shows e um seminário, que vai abordar temas relevantes como os investimentos na área portuária e oportunidades de negócios; a importância da engenharia de projetos para o desenvolvimento da economia; as demandas por equipamentos e os investimentos no Estado e as oportunidades de emprego. "O evento se consolidou como o palco para apresentação das novidades do setor metalmecânico. Representa a força do segmento, um dos mais fortes do Espírito Santo. As expectativas para a próxima edição da feira são grandes, pois esperamos um número maior de visitantes e expositores. A primeira novidade é que a Mec Show ganhou mais um dia e isso confirma o sucesso da feira", disse o presidente do Sindifer, Manoel Pimenta. A Mec Show 2011 será realizada entre os dias 19 a 22 de julho, no Pavilhão de Carapina, no Espírito Santo, e é exclusiva para os profissionais do setor. Os interessados em participar poderão antecipar a sua inscrição pelo site www.mecshow.com.br. O funcionamento da feira é das 14 às 21 horas.


10

Mais de R$ 5 bi para P4P da Samarco Com a implantação do Projeto Quarta Pelotização (P4P) a empresa aumentará sua capacidade de produção em 37% até 2014 O Conselho de Administração da Samarco Mineração S.A., formado por representantes dos dois acionistas da empresa, BHP Billiton e Vale, aprovou a execução do Projeto Quarta Pelotização (P4P), plano de expansão que elevará a capacidade de produção de pelotas de minério de ferro da empresa dos atuais 22,25 milhões de toneladas/ano para 30,5 milhões de toneladas/ano. O aporte de recursos é da ordem de R$ 5,4 bilhões. O Projeto Quarta Pelotização contempla a construção do terceiro concentrador na unidade de Germano (Minas Gerais), a implantação da quarta usina de pelotização e a adequação do terminal portuário na unidade de Ubu, além de uma terceira linha de mineroduto ligando as plantas industriais de Minas Gerais e do Espírito Santo. As obras começam neste mês e tem previsão de conclusão em 33 meses. A Samarco possui todas as Licenças de Instalação necessárias para iniciar o empreendimento, concedidas pelos órgãos governamentais competentes. O Projeto Quarta Pelotização se apoia em detalhados estudos de viabilidade técnica, econômica e socioambiental.

Divulgação

Com a instalação da P4P, a produção de pelotas de minério de ferro da empresa passará dos atuais 22,25 milhões de toneladas/ano para 30,5 milhões de toneladas/ano

Diretores da Samarco são indicados ao Prêmio Líder Empresarial 2011 Divulgação

As ações da Samarco dedicadas à promoção do desenvolvimento econômico, social e ambiental do Espírito Santo resultaram na indicação de executivos da empresa em três categorias do Prêmio Líder Empresarial 2011. O diretor-presidente da Samarco, José Tadeu de Moraes, concorre nas categorias Líder do Ano e Líder Maior Ricardo Vescovi, na participação do Encontro de Empresa. Já o dire- Fornecedores da Samarco tor de Operações e Sustentabilidade, social. A promoção é do programa NegóRicardo Vescovi de Aragão, é o destaque cios de Sucesso, da Rede Vitória, afiliaentre os indicados para a categoria Líder da da Rede Record. A escolha dos premiados aconteceSustentável. O prêmio está em sua décima primei- rá por meio de votação popular. Até o dia ra edição e tem como proposta promo- 10 de junho os internautas poderão ver, valorizar e incentivar o crescimen- escolher os executivos que se destacato e o desenvolvimento sustentável, pre- ram em 2010 entre 31 categorias, além miando os empreendedores e executi- do prêmio Líder Destaque, pelo site de vos do estado que contribuem, efetiva- notícias Folha Vitória: www.folhavitomente, para o progresso econômico e ria.com.br.


11

Petrobras forma 241 agentes mirins Com o projeto "A Arte de Preservar", crianças de 8 a 12 anos de Aracruz receberam noções de responsabilidade social e ambiental No mês de maio o projeto de educação ambiental da Petrobras "A Arte de Preservar" formou 241 agentes ambientais mirins no município de Aracruz. O projeto contemplou crianças com idades entre 8 a 12 anos e tem como objetivo promover noções de responsabilidade social e educação ambiental nas comunidades do entorno dos empreendimentos da Petrobras. Momento especial para João Vitor Santiago de Oliveira, 11 anos, morador do distrito de Barra do Riacho. "No projeto, aprendi a utilizar os materiais recicláveis e que todas as coisas do mundo têm um valor. Agora vou falar para meus vizinhos e colegas como ter o comportamento correto para não aca-

barmos com o meio ambiente", disse João Victor. Quem também teve a consciência ambiental mudada com o "Arte de Preservar" foi Acsa Rodrigues Reis, 12 anos: "Com as oficinas de dança, percussão, teatro aprendi a reciclar e a não jogar mais lixo no chão. Eu poluía muito, mas depois entendi que o planeta pode mudar se fizermos a nossa parte", comentou Acsa, aluna do Escola Caboclo Bernardo. Na cerimônia, o representante da Gerência de Implementação de Empreendimentos de Terminais da Petrobras/Engenharia, Cláudio Luiz Egydio de Souza Lamego, destacou a importância da iniciativa: "Tenho orgulho de estarmos implementando um

Divulgação

Depois de Aracruz, será a vez das comunidades de Putiri, Praia dos Padres, Coqueiral, Itaparica e Santa Cruz participarem das atividades do projeto "A Arte de Preservar"

projeto que faz com que a nova geração desperte para a necessidade de preservar o planeta. A minha geração transformou o mundo e é preciso que os novos ajudem a recuperar as florestas, a cuidar dos animais e dos mares", enfatizou. No Espírito Santo, o projeto acontece em atendimento à condicionante de licenciamento ambiental para construção e montagem do Terminal Aquaviário de Barra do Riacho, empreendimento inserido no Plano de Aceleração do Crescimento do Governo Federal. No segundo semestre - segunda e última fase - as comunidades de Putiri, Praia dos Padres, Coqueiral, Itaparica e Santa Cruz participarão das atividades.

Petrobras lidera ranking de sustentabilidade das maiores empresas de energia da América Latina A Petrobras obteve a melhor nota no estudo sobre sustentabilidade com as maiores empresas de energia da América Latina. O ranking foi elaborado pela consultoria espanhola Management & Excellence (M&E) em parceria com a revista LatinFinance, publicação internacional especializada no mercado latinoamericano. Segundo a consultoria, a classificação deste ano levou em conta não só o grau de adesão, mas se as companhias estavam

de fato implementando políticas de sustentabilidade. A Petrobras destacou-se neste item por atingir uma marca muito superior à nota de seus pares na categoria de desempenho em sustentabilidade. O método utilizado para a preparação do relatório incluiu cerca de 200 atributos relacionados à sustentabilidade, responsabilidade social, governança corporativa, práticas ambientais e financeiras. O ranking é considerado uma ferramenta tanto

para empresas criarem referências e melhorarem seu desempenho quanto para investidores e analistas avaliarem o desempenho futuro das companhias. De acordo com a M&E, os investidores e acionistas estão cada vez mais interessados em obter este tipo de informação sobre as empresas. O motivo disso é que tem sido demonstrado que investimentos em sustentabilidade impactam na qualidade da gestão e, portanto, nos fundamentos financeiros.

Por exemplo, um bom programa de ética pode reduzir as despesas operacionais em 5% e amplos programas de qualificação de funcionários podem ter um impacto de 30% a 800% na produtividade e na receita, segundo estudos da M&E realizados com grandes empresas latino-americanas. O compromisso da Petrobras com o desenvolvimento sustentável tem levado a companhia a diversos reconhecimentos. No início do ano, a Petrobras foi

considerada uma das 100 empresas mais sustentáveis do mundo, segundo o ranking Global 100, elaborado pela revista Corporate Knights, publicação canadense especializada em responsabilidade social e desenvolvimento sustentável. E, em 2010, a companhia conquistou, pelo quinto ano consecutivo, o direito de participar da composição do Índice Dow Jones de Sustentabilidade (DJSI), o mais importante índice mundial de sustentabilidade.


Jornal Empresariall - edição 9  

O Jornal EmpresariALL têm como objetivos divulgar para os empregados e contratados de todos os níveis da Vale, Samarco, ArcelorMittal, Belgo...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you