Page 1

Edição 05 - Ano I - Dezembro de 2010


EDITORIAL

02

sadas e muito superior à média nacional, que ficou em 11,8%. Ao que tudo indica, os indicadores continuarão em ascensão. Com os grandes investimentos previstos para os próximos quatro anos, a previsão é de que sejam gerados, aproximadamente, 50 mil empregos, com oportunidades de norte a sul do Estado. A maioria dos investimentos é na área industrial, com os projetos de construção, ampliação e expansão da Vale, Samarco, Fibria Celulose e ArcelorMittal Tubarão. Neste contexto, as empresas forne-

Em breve também na internet

EXPEDIENTE

O ano de 2010 foi, sem dúvidas, de grande prosperidade para o setor industrial capixaba. Com taxas de crescimento acima da média nacional, o Espírito Santo ganha cada vez mais destaque no cenário brasileiro. E 2011 será ainda melhor. Muitos projetos já foram anunciados, sinalizando que vem muita coisa boa por aí. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que o Estado registrou avanço de 26,7% no acumulado do ano, a maior entre todas as regiões pesqui-

cedoras capixabas vão encontrar solo fértil para os negócios. A expectativa é que elas faturem cerca de R$ 16 bilhões até 2014. O valor corresponde a 27% dos R$ 60 bilhões do total que será investido. As chances são para fornecedoras de diversos segmentos, principalmente o metalmecânico. Para não ficar de fora é preciso não apenas oferecer os melhores serviços, mas apresentar e fortalecer a sua empresa junto a essas grandes contratadoras. A realização de feiras, congressos e eventos destinados ao setor nunca se fez tão

presente em nosso Estado. A participação de empresários e gestores é fundamental, pois permite a atualização de tudo o que há de novo no mercado. Outra ferramenta eficaz e imediata de apresentar seu portifólio e serviços para essas quatro gigantes é por meio do Jornal EmpresariALL. Uma ferramenta inovadora, criada para estreitar a distância entre as empresas fornecedoras e as grandes contratadoras. Então, não perca a chance de usufruir das novas oportunidades geradas no Espírito Santo.

JORNAL EMPRESARIALL / Circulação mensal: Tiragem 15.000 exemplares / Distribuição: Vale, 6272/ E-m mail: jorArcelorMittal Tubarão, Samarco e Fibria Celulose / Telefone: (27) 8877-6 nalempresariall@gmail.com / Departamento de Marketing e Comercial: Lucas Cavallini / Jornalista Responsável: Patrícia Arruda MTB/ES 2150 / Diagramação e Arte: José Carlos Vieira Júnior / Impressão Gráfica: Parque Gráfico Rede Gazeta


03

Eficiência energética em destaque Plano Nacional de Eficiência Energética (PNEE) e ISO 50001 preveem a redução do consumo de energia elétrica no país Reduzir o desperdício e os custos com energia no processo produtivo é uma meta que vem sendo perseguida por indústrias de diferentes setores seja por questões ambientais ou meramente financeiras. Com o objetivo de diminuir o consumo de energia no país, o Governo está lançando o Plano Nacional de Eficiência Energética (PNEE), que prevê uma redução de energia elétrica de 10% até 2030. O Plano pretende também promover a eficiência energética por meio de estímulos ao uso de equipamentos modernos, processos industriais mais eficientes e educação contra o desperdício de energia elétrica. Além disso, visa facilitar o acesso da população para substituição de equipamentos obsoletos ou aquisição de novos equipamentos mais eficientes energeticamente. Entretanto, segundo Moss. Djamil de Holanda Barbosa, assessor da Diretoria de Tecnologia da Eletrobras, ainda existe uma barreira para que os projetos de eficiência energética sejam implementados pela indústria, que representa cerca de 46% do consumo do país. "Uma das barreiras é o processo industrial. Para fazer eficiência energética em uma indústria é preciso conhecer todo o processo, o que pode ser complicado e as indústrias têm certo receio de abrir seus processos para consultores. Mas pode-se começar através das utilidades, que é mais fácil e onde os ganhos são maiores", disse. Tamanha a relevância do tema, já está em desenvolvimento a norma "ISO 50001 - Eficiência Energética na Indústria" e a expectativa é que, muito em breve, estar certificada será uma questão de sobrevivência para as indústrias, uma vez que será uma

Divulgação/Eletrobras

Programa "Sebrae de Eficiência Energética" para as MPE do Espírito Santo

exigência do mercado. Para o engenheiro Edivaldo Soares Sposito, que é membro do Grupo de Trabalho Fontes de Energia do Espírito Santo em Ação e do Comitê de Energia da Findes, as empresas capixabas deverão buscar se beneficiar do Plano e atender aos preceitos e metas da ISO 50001, se quiserem continuar competitivas nos mercados nacional e internacional. "Atores locais estão se unindo para criar elementos de fortalecimento das empresas capixabas. Como passo inicial, está ocorrendo a promoção de eventos e seminários para a discussão dos seus impactos sobre as empresas locais, e discutindo-se a realização de um inventário das potencialidades de aplicação da eficiência energética nas empresas do Espírito Santo, para dimensionarmos os recursos necessários e definirmos as ações", revelou.

Os problemas ocasionados pela falta de energia estão cada vez mais presentes na vida das empresas e nas decisões empresariais. Diante disso, há necessidade urgente de se utilizar de maneira inteligente e eficiente a energia disponível, contribuindo para a preservação do meio ambiente, a eliminação de desperdícios e a redução dos custos operacionais da empresa. Uma solução criada com esse objetivo é o "Programa SEBRAE de Eficiência Energética" que visa, por meio de levantamentos de dados de campo e análises técnicas, efetuar medições nas instalações, além de fornecer um relatório de recomendações para que as micro e pequenas empresas possam utilizar este importante insumo de forma racional, diminuindo seus custos com energia. Trata-se de um diagnóstico que utiliza softwares, aparelhagens de medição e equipes de profissionais de empresas de consultoria especialmente treinadas para este fim. O Programa conta com três etapas: A primeira etapa consiste na Autoavaliação, que tem como finalidade conhecer as potencialidades de econo-

mia de energia na empresa. Na segunda fase, é aplicado o curso "Uso Eficiênte de Energia", em que são fornecidas informações estratégicas sobre a economia de energia elétrica em empresas, além de desenvolver uma visão crítica com vistas à análise da conta de energia. Por fim, na última etapa são feitas Avaliações de Pontos Críticos. Nesta etapa, técnicos especialistas em energia elétrica estarão visitando as empresas participantes do projeto a fim de identificar os pontos críticos de perda de energia, bem como propor e sugerir as alterações necessárias. Entretanto, a implementação bem sucedida de um programa de eficiência energética requer comprometimento de todos os gestores e colaboradores de empresa. Para assegurar o pleno sucesso da iniciativa, a alta direção deve promover a capacitação de todos os seus colaboradores por meio de cursos e palestras; divulgar as melhorias e os resultados obtidos; identificar o potencial de economia de energia e tomar medidas apropriadas para as situações detectadas.


04

Fibria abre 250 vagas até janeiro Há vagas para eletricista, instrumentista, montador de andaime, soldador e funileiro. Trabalhadores locais terão prioridade Divulgação

Evento aponta onde estarão as chances de emprego nos próximos quatro anos Os investimentos previstos para o Espírito Santo vão totalizar um montante da ordem de R$ 65 bilhões e a geração de aproximadamente 50 mil empregos no período de 2010 a 2014. Os projetos e as regiões que receberão as novas empresas estiveram em destaque durante a 1ª Mostra Interativa de Educação Profissional do Espírito Santo, o ES Mais Profissional, realizado entre os dias 22 a 27 de novembro, no Pavilhão de Carapina, em Serra. No evento, que recebeu cerca de 30 mil visitantes, entre estudantes, profissionais da educação e pessoas da comunidade em geral, os jovens tiveram a oportunidade de conhecer 21 profissões. A programação contou ainda com uma exposição de equipamentos de alta tecno-

logia utilizados nas diversas profissões da indústria. Entre os destaques na geração de emprego e renda está o setor metalmecânico, que é um dos mais fortes da economia capixaba. Movimenta cerca de R$ 8 bilhões por ano, cerca de 17% do PIB estadual e gera aproximadamente 30 mil empregos diretos e 120 mil indiretos nas quase 1.500 empresas de transformação de metais e de produção de bens e serviços intermediários. "É muito importante a qualificação de mão de obra desses profissionais. Hoje as universidades e os institutos de ensino técnico já capacitam estudantes para atender a esta demanda que surge com os novos investimentos no ES", afirma o secretário de Desenvolvimento, Márcio Félix.

Confira alguns investimentos previstos até 2014

Os interessados pelas vagas na Fibria devem procurar o Sine Barra do Riacho, em Aracruz

As obras do Projeto do Branqueamento A da Unidade Aracruz da Fibria devem gerar cerca de 250 oportunidades até janeiro, período de pico de geração de emprego. As empresas que participam do projeto, como as fornecedoras, já começaram as contratações. Os interessados devem procurar o Sine Barra do Riacho, em Aracruz. As vagas são para eletricista, instrumentista, montador de andaime, soldador e funileiro. As obras do projeto Branqueamento A da Fibria foram iniciadas no início do ano e deverão gerar durante todo o projeto, mais de 600 empregos. Em janeiro, cerca de 500 trabalhadores já deverão estar atuando nas obras, incluindo as 250 novas con-

tratações. Vale destacar que 90% desses trabalhadores são da região, atendendo a política da Fibria e fornecedores dos seus projetos de privilegiar a mão de obra local. O Projeto de modernização do Branqueamento A envolve investimentos de aproximadamente R$ 100 milhões e, após implementado, proporcionará redução no consumo de químicos, beneficiando o custo de produção; redução da carga de efluentes; e aumento da eficiência energética, medidas que contribuirão para a melhoria da performance ambiental da empresa. Com este projeto para modernizar a Fábrica A, a Fibria segue a sua estratégia de atualização tecnológica, de modo a manter a sua competitividade na economia global.

Oitava Usina da Vale - Grande Vitória, Região Metropolitana Investimento previsto: R$ 1,2 bilhão Empregos: 3 mil nas obras e 350 na operação Situação atual: em andamento Localização: Grande Vitória Carta Fabril - Aracruz, Norte do Estado Investimento previsto: R$ 600 milhões Empregos: 360 nas obras e 400 na operação Início da operação: 2011 Expansão: Expectativa de ampliação da produção para 120 mil ton. papel/ano em 2018. Portocel II - Fibria - Aracruz, Norte do Estado Investimento: R$ 250 milhões (até 2026) Empregos: 850 na implantação e 725 na operação

Início do projeto: 2014 (primeira fase) Cia. Siderúrgica Ubu (CSU) - Vale Anchieta, Sul do Estado Investimento p revisto: R$ 11 bilhões Empregos: 18 a 20 mil nas obras e 6,5 mil na operação Início da operação: 2014 Capacidade de produção: 5 milhões de ton. de aço/ano. Localização: Anchieta, Sul do Estado Quarta Usina da Samarco Mineração - Anchieta, Sul do Estado Investimento p revisto: R$ 2,5 bilhões Empregos: 4.300 nas obras e 265 na operação Situação atual: em processo de licenciamento ambiental Início das obras: junho de 2011 Início da operação: final de 2013 Localização: Sul do Estado


06

Produção Industrial capixaba cresce 3,8% Das quatro regiões que apresentaram crescimento, o Estado ficou com a segunda maior taxa, perdendo apenas para a Bahia Divulgação

No acumulado do ano o Espírito Santo apresentou crescimento de 26,7%, a maior do país

O Espírito Santo foi um dos quatro Estados brasileiros que apresentaram crescimento na produção industrial de setembro para outubro, segundo pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no último dia 7 de dezembro. A Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional mostrou que, no período, o Estado teve crescimento de 3,8% na atividade, perdendo apenas para a Bahia, que obteve um índice de 5,4%. O Rio de Janeiro, com (0,7%), e Minas Gerais, com (0,1%), foram os outros dois resultados positivos de outubro, enquanto Santa Catarina repetiu o patamar do mês anterior. As outras nove regiões pesquisadas pelo IBGE registraram taxas negativas, com destaque para o Paraná, com queda de (7,6%), Ceará (-5,9%), Goiás (-4,5%) e o Amazonas (-3,3%). Completam a lista, o Rio Grande do Sul (-

0,8%), Pará (-0,7%), Pernambuco (-0,6%), São Paulo (-0,5%) e Região Nordeste (-0,1%). Na comparação com outubro de 2009, o índice de crescimento industrial no Espírito Santo também foi positivo, de 11,4%. De acordo com o IBGE, o resultado pode ser atribuído ao crescimento da indústria extrativa no Estado. No período, somente Goiás apresentou desempenho superior ao capixaba, com aumento de 20% na atividade. Já no acumulado do ano, a taxa de crescimento no Espírito Santo ficou em 26,7%, sendo a maior entre as regiões pesquisadas pelo IBGE e superior à média nacional, de 11,8%. Os outros Estados que tiveram desempenho superior ao registrado nacionalmente foram Amazonas e Goiás (18,1% cada), Minas Gerais (16,9%), Paraná (15,8%), Ceará (12,9%) e Pernambuco (12,5%).


07

Aprovada Licença ambiental do P4P Para que as obras sejam iniciadas, a Samarco precisa cumprir todas as exigências ambientais para obter a Licença de Instalação Divulgação/Samarco

Samarco apresenta projeto inédito para redução da emissão de gases na atmosfera

Entre as condicionantes ambientais exigidas pelo Iema estão os monitoramentos socioeconômico e de qualidade do ar da região

O Conselho Estadual de Meio Ambiente (Consema) deliberou por unanimidade a favor da emissão da Licença Prévia (LP) para o Projeto Quarta Pelotização (P4P) da Samarco, em Ubu, Anchieta. Entretanto, somente após o cumprimento das exigências ambientais e a emissão de uma segunda licença - a Licença de Instalação (LI) - é que as obras poderão ser iniciadas. A decisão foi anunciada no último dia 19 de novembro, após reunião realizada na sede do Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema), em Cariacica. Na ocasião, os membros do Consema analisaram e adequaram as 15 condicionantes ambientais, elaboradas pelo Iema para a emissão da LP. Entre as condicionantes estão a realização de um monitoramento socioeconômico com o intuito de fornecer subsídios para o enfretamento de impactos na infraestrutura pública da região. Outra condicionante determina que o empreendedor aprimore o monitoramento da qualidade do ar, incluindo a medição de poluentes atmosféricos, além daqueles já exigidos por Lei. Devido a série de exigências feitas pelo conselho, a Samarco terá que atrasar o seu cronograma de obras, que originalmente previa para janeiro de 2011 o início das obras. A expectativa da mineradora é que as intervenções iniciem ainda no primeiro trimestre do próximo ano. Segundo os executivos da Samarco, todas as condicionantes serão cumpridas e garantiram uma queda nos níveis de poluição. "Com os investimentos, esperamos que as PTS (partículas totais em suspensão) emitidas pela Samarco caiam 50% e que as PM10 (partículas mais finas) diminuam em 30%", disse o gerente de Desenvolvimento Sustentável da Samarco, Márcio Perdigão.

Implantação da quarta usina aumentará produção em 37% Com uma produção atual de 22,25 milhões de ton/ano, a partir da implantação da quarta usina de pelotização, em Ubu, Anchieta, a Samarco Mineração S/A aumentará sua produção em mais 8,25 milhões de toneladas de pelotas de ferro por ano, o que corresponde a um crescimento de 37%. O projeto inclui a instalação do terceiro Concentrador de minério de ferro, em Germano, e o terceiro Mineroduto, que será instalado ao lado dos dois existentes, com cerca de 400 quilômetros de extensão. Com investimentos da ordem de R$ 5,045 bilhões, a estimativa é que no pico da obra sejam contratados mais de 4.300 trabalhadores e mais 400 na operação. A previsão é de que as obras sejam iniciadas no primeiro trimestre do próximo ano. De acordo com o cronograma, a estimativa é que o projeto de ampliação seja concluído em novembro de 2013.

A Samarco apresentou um projeto inédito para a redução de emissão de gases do efeito estufa durante o Congresso Internacional de Gestão de Energia na Área de Mineração (Enermin 2010), realizado no mês de novembro, no Chile. Desenvolvido pelo analisa de Meio Ambiente da mineradora, Thales Crivelli Nunes, o projeto reduz o equivalente a cerca de 160 mil toneladas por ano de gás carbônico que seriam lançadas na atmosfera. Segundo o analista, responsável pelo Inventário Corporativo de Gases de Efeito Estufa da Mina do Germano e sua Contribuição para Gestão Ambiental da Samarco apresentado no Enermin 2010, o estudo segue a política ambiental da empresa e visa redução contínua da emissão de gases do efeito estufa. Nunes apresentou ainda o Pro-

jeto de Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) - um estudo de caso sobre as plantas de pelotização de minério de ferro da Samarco, desenvolvido em parceria com o gerente de Meio Ambiente da Samarco, Rodrigo Dutra, e com o engenheiro em Planejamento e Gestão, Marcus Cancela. Divulgação

Estudo é considerado o melhor trabalho na categoria profissional pela Ibram O inventário desenvolvido pelo analisa de Meio Ambiente da mineradora, Thales Crivelli Nunes, que trata de um dos principais temas que estarão em pauta nos próximos anos entre as grandes indústrias, foi indicado pelo Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram) para fazer parte do pai-

nel de exposição do Enermin 2010. O convite foi feito após a apresentação do trabalho durante o Congresso Brasileiro de Mineração, em agosto deste ano. O estudo desenvolvido por Thales foi considerado o melhor trabalho apresentado na categoria profissional.


08

Concerto de Natal será no dia 18 O evento, promovido pela ArcelorMittal Tubarão, contará com apresentações de orquestra, corais, bailarinos e artistas Eternizada por grandes sucessos como "De volta pro aconchego", "Xamego", "Chão de Giz" e "Espumas ao Vento", Elba Ramalho será a atração principal do tradicional Concerto de Natal da ArcelorMittal Tubarão. O evento será realizado no dia 18 de dezembro, a partir das 20 horas, na Praia de Camburi, em Vitória. A expectativa da organização do evento é reunir mais de 30 mil espectadores. O espetáculo vai contar com uma orquestra, corais de adultos e de crianças, bailarinos e centenas de artistas. De acordo com Maria Helena Pagotto, uma das organizadoras do evento, o público vai presenciar um grande espetáculo, que neste ano traz como tema "Espiritualidade e Sustentabilidade: seja luz para o mundo". "Estamos preparando uma grande festa para o público. Será um momento ímpar para o capixaba. Assim como acontece todos os anos. Para isso, são cerca de 700 pessoas envolvidas". Destaca. Para 'preparar' o público, os jovens aprendizes de animação

Divulgação

Homenagem ao "Profeta da Gentileza"

do núcleo Animazul terão uma participação especial. Eles desenvolverão um vídeo em parceria com o Instituto Marlim Azul a ser exibido na abertura do espetáculo. Segundo o gerente de Comunicação, Imagem e Responsabilidade Social da ArcelorMittal Tubarão, Sidemberg Rodrigues, a proposta do evento é celebrar o Natal presenteando a sociedade capixaba com um evento pautado em valores que

norteiam a gestão da empresa (Sustentabilidade, Liderança e Qualidade). "A ArcelorMittal acredita que uma visão mais compassiva com relação às pessoas, às carências e à diversidade do planeta, contribui para a formação de uma nova consciência, sublinhando a importância da co-responsabilidade de cada um na construção de um mundo melhor para todos", explica Sidemberg.

José Datrino, conhecido por "Profeta Gentileza", será homenageado. Uma das cinco coreografias produzidas para o evento fará referência ao artista carioca que ficou conhecido em todo o país por pintar gravuras em verde-amarelo, pregando a paz e a gentileza. Ele iniciou suas 'obras' depois de presenciar um incêndio em um circo, onde morreram mais de 500 pessoas. As 'telas' escolhidas por ele para as inscrições foram 56 pilastras de um viaduto, numa extensão de 1,5

km, na cidade do Rio de Janeiro. O "Profeta Gentileza" faleceu em 1996, aos 79 anos. Divulgação

Divulgação

Conforto e solidariedade no Concerto de Natal da Arcelor A ArcelorMittal prepara uma ação para que os espectadores assistam ao Concerto de forma confortável no próximo dia 18 de dezembro, na Praia de Camburi. Entre os dias 10 e 17, o público interessado poderá adquirir cadeiras de praia para assistir ao espetáculo por 5 quilos alimentos não perecíveis. A troca será feita em diversos pontos distribuídos pela Grande Vitória. A arrecadação será destinada a instituições de assistência social e serão aceitos arroz, feijão, açú-

car, óleo de cozinha, leite (em caixa ou em pó), macarrão, pó de café, farinha e trigo. A expectativa é recolher cerca de 40 toneladas de alimentos. Ao todo, serão disponibilizadas 7.200 cadeiras de praia, distribuídas entre os pontos de troca, limitadas a duas unidades por pessoa, enquanto durar o estoque no local. Uma Central de Atendimento foi montada para prestar mais informações. O telefone é (27) 8843-6 6550. Não será feita reserva de cadeiras.


10

Um passeio pelo Museu da Vale Aberto de terça a domingo, o Museu abriga um importante acervo sobre a história da Estrada de Ferro Vitória Minas (EFVM) Localizado no município de Vila Velha, no Espírito Santo, o Museu da Vale é uma excelente oportunidade para aqueles que gostam e ver de perto a nossa história. Restaurado e adaptado na antiga sede da Estação Pedro Nolasco, às margens da baía de Vitória, tem como objetivos a preservação da história ferroviária. Visa, ainda, proporcionar à população um espaço de excelência em arte contemporânea, incentivando jovens a usar a criatividade na busca do conhecimento. Além de reavivar o passado, o programa investe no futuro com a arte-educação, por meio de exposições contemporâneas, workshops para universitários e oficinas de arte para crianças e adolescentes. Desde 2006, o prédio abriga uma exposição permanente e um Centro de Memória sobre a Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM). O acervo, com cerca de 10 mil itens, contém slides, plantas, mapas, documentos, livros, fotografias, dentre outros, organizados por meio de

Leonardo Viana Pedri

um banco de dados. Além disso, o espaço conta uma fantástica maquete de 34 m², a maior do Brasil, incluindo miniaturas de trens em movimento, viadutos, fábricas e ambientes naturais, representando como ocorre o transporte das minas ao porto. Em frente ao prédio do Museu, o público pode ver a Maria-Fumaça, uma locomotiva a vapor vinda da Filadélfia (EUA), adquirida pela Vale em 1945 e restaura-

Vale seleciona profissionais para atuar na área de Suprimentos Estratégicos Agência Vale

A Vale está recrutando engenheiros, economistas e administradores para atuar na área de Suprimentos Estratégicos. Há vagas no Brasil (Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Vitória, São Luís e Carajás) e no exterior (Peru, Colômbia e Chile). Os interessando devem se inscrever no site da empresa (www.vale.com/oportunidades). Os profissionais terão como desafios negociações e contratações de grande porte para as Operações e Implantação de Projetos da Vale, tais como: Obras de infraestrutura, civis e montagens eletromecânicas; Equipamentos de mineração e manuseio de minérios; Subestações, linhas de transmissões e sistemas elétricos; Sistemas complexos (siderurgia, termoelétrica etc.; entre outros.

da em 1997. O acervo permanente, composto por 133 itens (84 peças e 49 fotografias) revela para o público um painel interativo, equipamentos e ferramentas de trabalho dos ferroviários, objetos antigos, documentos, publicações e cenários que retratam ambientes que já não

mais existem. Desde sua abertura, em 1998, o Museu Vale já sediou 27 importantes exposições e recebeu cerca de 660 mil visitantes. Já passaram pelo museu obras de importantes artistas como a do alemão Joseph Beuys, Antonio Manuel, José Damasceno, Leda Catunda, Arthur Omar, José Rufino, Amilcar de Castro, Iole de Freitas, Lygia Clark, Carlos Vergara, Eduardo Frota, Mariannita Luzzati, Cildo Meireles e Nelson Felix, Yoko Ono, Tunga, Lawrence Weiner, dentre outros. Só em 2009, o Museu recebeu 75.967 visitantes. Funcionamento: Segundas - Fechado para o público Terças a quintas, sábados e domingos 10h às 18h Sextas - 12h às 20h Telefone: 27 3333 2484


11

Indústria impulsiona economia capixaba Segundo balanço divulgado pela Findes, desempenho do Espírito Santo garantirá o saldo da Balança Comercial para o Brasil Nos últimos sete anos a economia do Espírito Santo cresceu mais que o dobro da brasileira. O Produto Interno Bruto (PIB) do Estado cresceu 39%, enquanto do Brasil 28%. O PIB da indústria mostrou números ainda mais representativos. ES cresceu 62%, contra 21% do Brasil. Os dados foram divulgados no último dia 09 de dezembro, durante um balanço apresentados pela Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes). A participação da Exportação do Estado no Brasil também surpreendeu. No ano de 2008, as exportações representavam 5,1%. No ano seguinte, que a crise mundial foi sentida, esse número caiu para 4,3%, e hoje já superou o ano de 2008, com 5,98%, com previsão de ascensão para o próximo ano. Segundo o presidente da Findes, Lucas Izoton, quem garantirá o saldo da Balança Comercial para o Brasil será o Espírito Santo, graças o desempenho das grandes empresas do Estado como a Vale, Samarco e Fibria, que estão importando pouco e exportando muito. A previsão da Federação é que, em 2011, o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil chegue a casas R$ 2,6 trilhões. Deste total, a expectativa é que R$ 59,5 bilhões sejam fruto da movimentação econômica do Espírito Santo, que acumulou um crescimento de 11% nos últimos seis anos. Empregos - Entre 2004 e 2010 houve um aumento de cerca de 70 mil empregos formais na área da indústria: passou de 131,4 mil empregados em 2004, para 199,7 mil em 2010. No próximo ano, as indústrias do Espírito Santo poderão ser a plataforma de emprego para mais de 218 mil pessoas. Segundo Izoton, o grande desafio para que o mercado absorva a mão de obra local é a qualificação. "A gente precisa pegar as pessoas que estão desempregadas no Estado, principalmente os jovens, e capacitá-los para que eles possam preencher as vagas que irão surgir", destaca.


Jornal Empresariall - edição 5  

O Jornal EmpresariALL têm como objetivos divulgar para os empregados e contratados de todos os níveis da Vale, Samarco, ArcelorMittal, Belgo...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you