Issuu on Google+

Itautec e sustentabilidade

Guia do Usu谩rio Consciente de produtos Eletr么nicos

FSC De frente para o futuro.


2 Índice Quem somos

3

Introdução

4

Mas o que é sustentabilidade?

7

A sustentabilidade na Itautec

9

Por dentro do ciclo de vida de um equipamento

10

Compra consciente

12

Uso consciente

16

Pós-uso consciente

22

Compromisso Itautec com o meio ambiente

26

Glossário

27


3 Quem somos Somos a empresa de tecnologia do Grupo Itaúsa, 100% brasileira. Há mais de 30 anos desenvolvemos produtos e soluções de computação, automações bancária e comercial, e também prestamos serviços de tecnologia. Atendemos a mais de 3.700 cidades brasileiras a partir de nossas 34 unidades de serviços e 10 laboratórios de suporte. Atuamos junto aos principais fóruns da indústria, defendendo a evolução do setor de tecnologia e valorizando a pesquisa e o desenvolvimento genuinamente brasileiros. Nosso compromisso com a sustentabilidade agrega em nossos produtos benefícios sociais, ambientais e econômicos para a sociedade e, entre outras medidas, fazemos o uso racional dos recursos naturais e somos pioneiros na fabricação de equipamentos livres de substâncias tóxicas e na reciclagem de resíduos de equipamentos de informática no Brasil. Por conta desta experiência e por acreditar na importância da sustentabilidade, decidimos dar nossa contribuição para que você, consumidor, saiba como fazer um melhor uso dos seus equipamentos eletrônicos, desde o momento da compra até quando decide se desfazer dele. Acreditamos que a divulgação destas ideias e sugestões vai ajudar a estimular o uso responsável da tecnologia, além de contribuir com a preservação do meio ambiente. Isto traz benefícios não apenas para nós, mas também para as gerações futuras.


4 Introdução Imagine um mundo sem celulares, computadores pessoais, TVs de tela plana, tocadores de MP3, MP4, MP10... Um mundo sem câmeras digitais, sem jogos eletrônicos, impressoras, home theater... Difícil, não? Todos estes equipamentos eletrônicos já fazem parte de nossas vidas de tal forma, que é estranho nos imaginarmos sem eles. Mas até uns 20 anos atrás a maioria deles nem existia. Os que haviam eram tão caros que poucos podiam comprá-los. Com o passar do tempo, os preços caíram e os equipamentos eletrônicos se popularizaram. Hoje, há grande facilidade para a aquisição de celulares, computadores etc. Os benefícios dessa popularização são evidentes: mais pessoas podem se comunicar, contam com novas opções de aprendizado, têm acesso a mais informações, trabalham melhor, administram suas vidas com mais comodidade e até mesmo exercem a

democracia de forma mais direta. O que muitas vezes não nos damos conta é de que todos esses produtos têm uma história com começo, meio e fim, também chamada de “ciclo de vida”. O ciclo de vida de um produto eletrônico começa antes mesmo de ele chegar às nossas mãos. Sua origem se dá no projeto desenvolvido por alguém, é fabricado a partir de recursos extraídos da natureza, distribuído para pontos de venda onde ele será comercializado e, a partir daí, chega aos consumidores, que irão usá-lo talvez por muitos anos. Então, quando o equipamento não tem mais utilidade para o consumidor, ele será descartado. Mas o ciclo não termina aí. Para onde vai o equipamento quando ninguém mais o utiliza? Provavelmente para o lixo, será a nossa primeira resposta. Outros podem se lembrar que ele pode ser reciclado e usado em outros


5

produtos, minimizando o consumo de recursos naturais. Só então o ciclo de vida do equipamento terá chegado ao final. É importante saber que cada um de nós, na condição de consumidor, tem um papel muito importante no ciclo de vida dos produtos e serviços que usamos.

Foi justamente para ajudar você a tomar decisões conscientes na compra, uso e descarte de produtos eletroeletrônicos que a Itautec desenvolveu este Guia do Usuário Consciente de Produtos Eletrônicos. Contamos com o apoio da Gestão Origami, empresa de consultoria especializada em sustentabilidade,


6 e a parceria com o Instituto Akatu pelo Consumo Consciente, organização reconhecida pelo seu trabalho de conscientização do consumidor. O Guia apresenta os estágios de compra, uso e descarte (pós-uso) consciente dos produtos eletrônicos. Traz uma lista de ações simples que cada um de nós pode realizar no nosso cotidiano para promover o consumo consciente. Também possui algumas sugestões de sites, onde é possível obter mais informações, e um glossário com alguns termos usados nesta publicação.


7 Mas o que é sustentabilidade? Em 1987, a Organização das Nações Unidas (ONU) lançou um documento que mudaria definitivamente a forma como as pessoas, empresas e governos viam o tema do desenvolvimento e do meio ambiente no mundo. Era o relatório “Nosso Futuro Comum”¹, que chamou a atenção, pela primeira vez, para o risco de se manter o modelo de desenvolvimento adotado pelos países ricos e copiado pelas nações mais pobres. O aviso era simples: se continuarmos nesse modelo, os recursos naturais começarão a faltar, comprometendo o futuro das gerações que virão depois de nós.

O Relatório apresentou o conceito de “desenvolvimento sustentável”, segundo o qual devemos explorar os recursos naturais e gerar riqueza econômica e social, pensando não apenas no aqui e agora, nas nossas necessidades imediatas, mas também no amanhã, nas futuras gerações. Mas a verdade é que podemos perceber que a atuação intensa da humanidade no planeta está produzindo efeitos que já estamos sentindo agora. Não falamos mais apenas dos impactos das mudanças climáticas que afetariam as “futuras gerações”, por exemplo, mas daquelas que já afetam dramaticamente nossas vidas hoje.

Mais informações sobre o relatório “Nosso Futuro Comum” podem ser obtidas em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Relat%C3%B3rio_Brundtland

1


8 Neste contexto, a ideia de “sustentabilidade” é ainda mais relevante, afinal ela é hoje a busca de um equilíbrio da ação humana na economia, na sociedade e no meio ambiente. E este é um desafio comum para todos nós – indivíduos, empresas, governos e organizações. Nas páginas seguintes, vamos descobrir como podemos atuar como “consumidores conscientes” na compra, no uso e no descarte de produtos eletroeletrônicos (computadores, impressoras, celulares, geladeiras, TVs etc.). No Brasil, cerca de 60% do lixo inclui algum tipo de resíduo eletrônico. Boa parte deste material acaba nos lixões, sem nenhum tipo de tratamento adequado. Pela ação da chuva, os componentes tóxicos que fazem parte dos produtos eletrônicos acabam chegando ao lençol freático e, a partir dele, a cerca de 20 milhões de domicílios brasileiros que não contam com sistema de água tratada. A água contaminada por essas substâncias pode causar várias doenças, que poderiam ser evitadas caso os produtos eletrônicos fossem reciclados.


9 A sustentabilidade na Itautec Na Itautec a sustentabilidade há muito saiu do campo das boas ideias para ser incorporada às nossas práticas produtivas. Desde 2001, contamos com um Sistema de Gestão Ambiental (SGA) que reúne nossas políticas, programas e práticas corporativas dedicadas à responsabilidade socioambiental. Isto significa o uso racional dos recursos materiais, energéticos e hídricos, além de realizarmos a separação dos resíduos, promovendo a reciclagem, entre outras ações. Mas fomos além em nossas iniciativas e nos tornamos a primeira empresa do Brasil no campo de Tecnologia da Informação a fabricar equipamentos livres de chumbo. Desde 2007 fabricamos microcomputadores e notebooks livres de substâncias nocivas ao ambiente e à saúde humana, como o cádmio, o cromo hexavalente (um anticorrosivo para partes metálicas) e a cadeia de bromobifenilas (usadas para evitar a propagação de chamas). Estes materiais foram substituídos por outros, de acordo com as recomendações da diretiva europeia RoHS, referência mundial na restrição ao uso de substâncias que agridem o ambiente e a saúde humana. No final de 2008, outras linhas de produtos da Itautec também passaram a ser fabricadas em conformidade com a RoHS, com rígidos controles ambientais. Isto

consumiu investimentos em torno de R$ 3 milhões, aplicados ao longo de dois anos na adequação de linhas de produção. A adoção de novos processos foi ampliada à cadeia de fornecedores da empresa, fazendo com que muitos deles adequassem seus insumos, segundo a diretiva ambiental europeia. A empresa também é pioneira no desenvolvimento do que é hoje um dos projetos mais avançados em destinação de resíduos eletroeletrônicos em operação no Brasil. Trata-se do Centro de Reciclagem, localizado na cidade de Jundiaí, no interior de São Paulo, onde equipamentos são reciclados ao final de sua vida útil. Neste espaço, os equipamentos são recebidos, desmontados, descaracterizados, pesados e depois têm suas partes separadas por tipo de material, que são encaminhados para recicladores homologados pela Itautec. Todos os nossos esforços em favor da sustentabilidade têm recebido diversos tipos de reconhecimento, como os prêmios 5º e 6º Benchmarking Ambiental Brasileiro e a 13a edição do Prêmio Fiesp de Mérito Ambiental.

n Para saber mais sobre as ações da Itautec no campo da sustentabilidade, visite a página http://www.itautec.com.br/sustentabilidade ou entre em contato pelo e-mail sustentabilidade@itautec.com


10 Por dentro do ciclo de vida de um equipamento Entender o ciclo de vida de um produto eletroeletrônico pode ajudar você a fazer uma escolha melhor na compra de um equipamento, no prolongamento do seu uso e no descarte ao final de sua vida útil – e assim ter uma atitude que também é boa para seu próprio bolso e para o meio ambiente. No exemplo da página ao lado, mostramos o ciclo de vida de um notebook e apresentamos de forma resumida alguns dos impactos que cada etapa deste ciclo pode ter na natureza. Observe que, para cada uma destas etapas, cada um de nós pode dar uma contribuição efetiva para a sustentabilidade do planeta.


11

3

O equipamento é montado em uma fábrica.

2 1

Recursos da natureza são extraídos e processados para fornecer os elementos necessários para montar o notebook.

Ciclo de vida de um notebook

Ele é concebido e desenvolvido para atender às demandas do mercado usando as novidades tecnológicas apropriadas aos consumidores a que se destina.

6

Chega a hora do consumidor se desfazer do equipamento. Neste momento, ele tem duas opções principais:

6.1. quando em bom funcionamento, passá-lo adiante, revendendo-o ou doando-o a outra pessoa ou a uma ONG, por exemplo;

4

Junto com vários outros, o notebook é distribuído para intermediários – uma rede de supermercados, por exemplo – que se encarregam da venda direta aos consumidores. Ou pode ser comprado por uma grande empresa diretamente do fabricante para ser usado por seus funcionários.

5

O consumidor compra o notebook, leva-o até sua casa e o utiliza por alguns anos.

6.2. enviá-lo para reciclagem – com isso, ele se tornará parte do ciclo de vida de outros equipamentos, já que seus componentes serão reciclados e reaproveitados. Com isso, se diminui a necessidade de extrair os recursos limitados da natureza necessários para produzir novos equipamentos.


12 Compra consciente Quando decidimos comprar um novo equipamento eletrônico, procuramos uma opção boa, bonita e barata, ou seja, que tenha qualidade garantida e um desenho atraente, tudo por um preço razoável. Mas sabemos que os recursos da natureza são limitados e estão cada vez mais escassos. Isto está nos obrigando pouco a pouco a considerar mais um atributo no momento da compra: a sustentabilidade. Cada vez mais valorizamos produtos e equipamentos que – além de ter os atributos que procuramos – agridam o menos possível o ambiente ao serem fabricados, consumidos e descartados. Para fabricar produtos assim, as empresas precisam investir em processos de produção, distribuição, venda e descarte que levem em consideração as consequências de natureza ambiental, social e econômica relacionadas ao produto. As chamadas “certificações” ou “selos”, concedidos por entidades geralmente independentes, são formas de dar visibilidade a esforços específicos das empresas ao produzir equipamentos, buscando fazer com que sejam o mais amigáveis possível para o meio ambiente e a sociedade. Estes reconhecimentos, como o Energy Star ou o EPEAT, registram que determinado equipamento atende às exigências, por exemplo, de eficiência no uso da energia elétrica ou de critérios baseados em atributos ambientais dos produtos e das práticas empresariais. O mais importante é que estes selos – junto com outros elementos, como a pesquisa em sites de referência ou conversa com outros compradores – ajudam o consumidor a decidir sobre a compra em questão. Hoje em dia está cada vez mais fácil levantar informações que ajudem o consumidor a tomar uma decisão final de compra. Digamos que você quer


13 comprar, por exemplo, um notebook. Você certamente irá buscar produtos que tenham determinadas especificações técnicas e atendam aos seus critérios. Com isso, digamos que encontre três ou quatro opções. Este é o momento em que você, como consumidor consciente, deve buscar informações adicionais sobre aspectos de sustentabilidade no momento da produção, uso e descarte de cada produto, ou seja, sobre o impacto deles para o meio ambiente, a sociedade e a própria economia. Isso é menos complicado do que parece. Confira a seguir o que você pode fazer quando estiver decidindo qual produto irá comprar:

Contate cada fabricante para saber se eles usam componentes tóxicos na fabricação de seus produtos, se reciclam seus equipamentos ao final de sua vida útil e como afirmam ser feita esta reciclagem. Veja também quais os selos e certificações obtidos para o equipamento e para a empresa.

Ainda pela internet, procure visitar sites que fazem análises dos equipamentos, tanto do seu desempenho quando usados, quanto no aspecto da sustentabilidade. Por exemplo, o site do Centro de Estudos da Sustentabilidade da Fundação Getulio Vargas2 traz uma relação de produtos e serviços que melhor atendem a critérios de sustentabilidade.

Este catálogo de produtos e serviços que atendem a critérios de sustentabilidade pode ser acessado em: http://www.fgv.br/ces/cs/ Outra opção (em inglês) é o site “Good Guide”, que utiliza uma rede de especialistas e cientistas para avaliar e comparar diversos produtos do ponto de vista da sustentabilidade. Vários destes produtos são encontrados no Brasil, portanto vale uma visita ao site: http://www.goodguide.com/

2


14 Antes de comprar seu equipamento, verifique se as ações de sustentabilidade realizadas pelo fabricante estão registradas e explicadas no manual do produto ou em seu folheto promocional.

Ao conversar com o vendedor ou o representante do fabricante, pergunte também sobre as ações de sustentabilidade que a empresa realiza, especialmente as aplicáveis diretamente ao produto que você está querendo comprar. Por exemplo, procure saber mais sobre o consumo de energia elétrica e como você pode ajustar o equipamento para fazer um uso mais eficiente da eletricidade. Pergunte quais os selos e certificações do aparelho e busque informar-se sobre o significado de cada um na prática. Procure saber o que você deve fazer com seu equipamento quando for deixar de usá-lo. A empresa fabricante o aceita de volta para reciclar? Se sim, como faz isso? Se a empresa é séria nos seus esforços de vender um produto sustentável, deverá ter representantes capazes de responder a perguntas como essas. Caso o vendedor não tenha uma resposta, ele provavelmente levará esta dificuldade para a empresa fabricante e isso gerará uma “pressão positiva” para que esses profissionais sejam devidamente informados. Como consumidor, você estará, portanto, fazendo seu papel de induzir novos comportamentos. Quando fazemos este exercício de pesquisa e comparação entre produtos, considerando preço, qualidade e sustentabilidade, teremos melhor possibilidade de comprar um produto ou equipamento que tem estes elementos bem equilibrados. Com isso, mandamos uma mensagem muito forte para as indústrias: aquelas que não se esforçarem de verdade para


15 incluir a sustentabilidade nos seus processos de fabricação, distribuição, venda e descarte (“pós-uso”), ou seja, no ciclo de vida completo dos seus produtos ou serviços, ficarão cada vez mais ultrapassadas. Lembre-se: um consumidor consciente busca sempre fazer uma compra que, além de satisfazer suas necessidades e desejos, deixe também uma marca positiva no planeta e na sociedade.

Check-list da compra consciente CONFIRA AQUI UM RESUMO DO QUE VOCÊ DEVE FAZER ANTES DE se decidir pela compra dE UM equipamento Assegure-se de que você tem real necessidade de comprar aquele produto ou equipamento neste momento. Verifique se é possível estender um pouco mais o uso de seu equipamento atual, fazendo, por exemplo, um upgrade no caso de um computador. Adquira um equipamento que não só atenda às suas necessidades atuais, mas que também possa atender às necessidades previstas para o futuro, de modo a poder ter uma longa vida útil. Pesquise na internet, fale com os vendedores das lojas ou com outros consumidores e compare os selos e certificações de cada equipamento. Descubra quanto cada um dos produtos que você tem em vista consome de energia. Tenha certeza de escolher um produto de um fabricante que se responsabilize pela sua reciclagem quando você não for mais utilizá-lo.


16 Uso consciente Muito bem, você comprou seu equipamento e agora pode aproveitar o momento de retirá-lo da embalagem, instalá-lo e começar a usá-lo. Se não houver nenhum problema, nenhuma falha, você já pode voltar à sua rotina com um equipamento novo e que estará funcionando por muitos anos, sempre que for necessário. Ah, e não se esqueça de, quando desembalar o produto, destinar as partes da embalagem conforme o tipo de material, separando as caixas de papelão do isopor e do plástico, por exemplo3. Se em seu condomínio, residência, bairro ou cidade a coleta seletiva de resíduos ainda não tiver sido implantada, você terá uma boa chance para começar um movimento, seja pedindo à Prefeitura para fazê-la, seja identificando uma cooperativa de catadores que cubra a sua região, seja contatando o fabricante para conhecer programas próprios para a reciclagem de embalagens. O Centro de Reciclagem Itautec também recebe embalagens e as encaminha para recicladores homologados. Às vezes, a rotina nos faz esquecer de que, como consumidores, podemos fazer uma série de pequenas ações que ajudam a tornar sustentável também o uso que damos aos nossos equipamentos. Confira as dicas a seguir sobre como utilizar conscientemente o seu computador.

1

Use quando necessário e desligue quando não estiver usando. Quantas vezes deixamos os equipamentos ligados por dias Uma interessante cartilha sobre as diferentes maneiras de lidar com o lixo, incluindo a reciclagem em casa, pode ser obtida em: http:// diariodoprofessor.com/wp-content/uploads/2008/09/cartilha.pdf 3

n Um monitor de LCD de 17 polegadas, quando ativo, gasta cerca de 30 watts/hora em média. Em hibernação, o consumo pode cair para apenas 1 watt/hora. Fonte: Planeta Sustentável http://planetasustentavel. abril.com.br/noticia/energia/ conteudo_260848.shtml


17 seguidos sem realmente usá-los por todo este tempo? Os equipamentos estão preparados para serem ligados e desligados várias vezes, portanto, não tenha pena de fazer isso. De preferência, desligue todos os equipamentos e os periféricos (modems, impressoras etc.) diretamente na tomada ou no filtro de linha para evitar o consumo desnecessário de energia pelo sistema de stand-by, mesmo quando estão desligados no botão.

2

n Sempre que for se ausentar por mais de meia hora, vale a pena desligar o computador. Um bom exemplo é na hora do almoço. Um computador ligado durante 1 hora/dia consome 8,3 kWh/mês em média. Ao longo de um ano, a economia decorrente de desligar o computador durante esta uma hora de almoço será de 99,3 kW/h, o que leva cada pessoa que desligar seu computador a deixar de jogar na atmosfera 3,64 quilos de CO2 equivalente. Esse volume corresponde ao emitido por um carro movido a gasolina ao percorrer 20 km. Além disso, resulta em uma economia de aproximadamente R$ 30. Fontes: Consumo médio dos equipamentos, Choice Institute – Metodologia de conversão, GHG Protocol - Tarifas Aneel – Cenário e cálculos, equipe interna Itautec.

Ajuste seus equipamentos para fazer um uso econômico e racional da energia, quando esta função estiver disponível. Normalmente eles vêm com essa possibilidade, que em geral pode ser acionada pelo sistema operacional instalado. Se você não souber como fazer, leia atentamente o manual de equipamento, peça ao vendedor da loja que explique como se faz ou procure n Um computador pessoal (PC) convencional com monitor tradicional CRT (aquele que se parece com uma televisão pequena) informações no consome em um mês a média de 125,55 kW/h. Isto corresponde a uma emissão aproximada de 4,6 kg de CO2 equivalente (chamado site da empresa de CO2e) no espaço de um mês. No período de um ano, portanto, fabricante. O mesmo este mesmo PC emitiria 55,2 kg de CO2 equivalente. Se este número for multiplicado pelos cerca de 70 milhões de computadores usados vale para o monitor, no mercado brasileiro, chegamos à conclusão de que o Brasil emite aproximadamente 3,8 milhões de toneladas de CO2/ano só com o que consome uso de computadores. O CO2 (dióxido de carbono) é um dos gases proporcionalmente responsáveis pelo aumento da temperatura média da Terra. Fonte: Consumo, segundo Choice Institute - Cálculo de CO2e segundo bastante energia: GHG Protocol – Cenário e cálculos, equipe interna da Itautec. desligue-o Nota: No processo de conversão de energia em CO2, se inclui o elemento “e”, de “equivalente”, para alinhamento com os princípios do totalmente se não for GHG Protocol.


18 usar o computador por um período prolongado ou ajuste as configurações de energia para que o equipamento entre em hibernação quando não estiver sendo usado por um período maior do que 30 minutos.

3

Fuja dos spams e não envie e-mails indesejados ou não solicitados. Não participe de correntes ou repasse e-mails com arquivos anexos, principalmente se forem pesados. Além da possibilidade de conter vírus, esses e-mails sobrecarregam o sistema de internet em geral e fazem o destinatário gastar mais tempo e energia abrindo mensagens que não são relevantes.

4

Ao responder (fazer o reply) alguma mensagem que foi enviada para você e outros destinatários, veja se a sua resposta interessa a todas as pessoas copiadas ou só a quem enviou a mensagem original. Se só interessar a esta pessoa, evite responder a todos (reply to all). Ao agir assim, você evita novamente sobrecarregar o sistema e n Uma pesquisa revelou que, em 2009, o Brasil superou os Estados Unidos no envio de spams. Segundo os dados divulgados, partiram do Brasil nada menos que 7,7 trilhões de spams, enquanto que os americanos enviaram 6,6 trilhões. Já a empresa produtora de programas antivírus McAfee calculou que a energia necessária apenas para transmitir os trilhões de spams enviados anualmente em todo o mundo é equivalente à necessária para alimentar dois milhões de casas nos Estados Unidos, ao mesmo tempo em que produz a mesma quantidade de gases de efeito estufa emitida por três milhões de carros. Fonte: Portal G1 - http://migre.me/qSBL e “Carbon Footprint of Spam”, relatório da McAfee que pode ser obtido em http://migre.me/AyR7


19 as caixas de entrada das pessoas com mensagens desnecessárias.

5

n Exemplo de mensagem que pode ser incluída no rodapé de seus e-mails: PENSE NO FUTURO, PRESERVE O MEIO AMBIENTE: só imprima este e-mail se realmente tiver necessidade.

Não imprima documentos ou fotos desnecessariamente. Antes de imprimir, avalie se é realmente necessário ou se é possível fazer a leitura diretamente na tela. Caso seja necessário imprimir, mantenha um local apropriado para guardar o material impresso, de maneira que não precise reimprimi-lo outras vezes, caso necessite usá-lo novamente. Ponha no rodapé das suas mensagens de e-mail um pequeno texto alertando o destinatário a só imprimir a mensagem caso seja estritamente necessário. Procure usar o verso do papel para outras impressões e destine para reciclagem os materiais impressos que não têm mais utilidade.

6

Facilite a vida das pessoas que tenham alguma deficiência visual, auditiva ou motora. Os equipamentos já vêm preparados com recursos que permitem aumentar parte da tela para facilitar a visualização. Também existem tecnologias de conversão de texto em fala para que o conteúdo na tela seja lido em voz alta e outras que dão a possibilidade de os usuários com mobilidade limitada digitarem na tela utilizando um dispositivo especial.

7

Deu defeito? Parece obsoleto? Antes de se encantar pela mais recente novidade eletrônica e decidir se desfazer do seu equipamento, pense se não é possível consertá-lo ou fazer um upgrade. Os equipamentos de computação mais recentes podem ter um tempo de vida entre cinco e oito anos, apenas com um upgrade de memória em função de novos programas que sejam instalados no equipamento. Pense que um computador de mesa, por exemplo, pesa até 25 quilos e pode usar até


20 n O computador comum emprega 60 componentes à base de metais, ao menos dez vezes o seu peso em plásticos e outras substâncias para ser combustíveis fósseis, contribuindo desta forma para o gasto de energia e, fabricado. Tudo isso será perdido, assim consequentemente, para o aquecimento global. Gasta também 1.500 litros de água como toda a energia e matérias-primas em seu processo de fabricação. Esta relação utilizadas, no momento em que o supera, proporcionalmente, por exemplo, a dos automóveis, que utilizam, no máximo, computador deixar de ser usado. duas vezes o seu peso em matéria-prima e insumos. Um único chip de memória Vários destes elementos têm alto RAM consome 1,7 quilos de combustíveis poder contaminante para a natureza e fósseis e de substâncias químicas para ser produzido, o que corresponde a cerca de demandam um enorme esforço para 400 vezes o seu peso. serem retirados da terra e processados. Fonte: Projeto Redenção Assim, a decisão mais lógica é a de usar os equipamentos pelo maior prazo possível.

Fonte: Recycling - From E-Waste to Resources Report - UNEP, 2010. n Seja cuidadoso com o uso que seus filhos ou outras crianças com quem você convive fazem da internet. E se souber de qualquer ação criminosa pela internet contra seus filhos ou outras crianças e adolescentes, não pense duas vezes: denuncie. Uma dica é visitar o site da Safernet, uma ONG dedicada a promover o uso seguro da internet, www.safernet.org.br, ou acessar www.wcf.org.br para conhecer a cartilha “Navegar com Segurança”, que traz dicas importantes para a prevenção do abuso on-line e da pornografia na internet.


21 Ações para um uso consciente CONFIRA AQUI UM RESUMO DAS AÇÕES OU PERGUNTAS QUE DEVEM SER FEITAS SEMPRE QUE VOCÊ FOR USAR SEUS EQUIPAMENTOS DE COMPUTAÇÃO Já configurou seu equipamento para usar somente a energia necessária? O equipamento fica ligado por mais de 30 minutos sem uso? Em caso positivo, desligue-o. Vai imprimir algo? É realmente necessário? Já tem um local específico para guardar suas impressões? Já incluiu no rodapé de suas mensagens de e-mail um texto lembrando o destinatário de não imprimi-las sem necessidade? Antes de se desfazer do equipamento, considere a possibilidade de estender seu tempo de uso, mesmo que seja necessário um “upgrade”. Já instalou o seu antivírus?

Sugestão: deixe esta lista em local visível, perto de seus equipamentos.


22 Pós-uso consciente “Pós-uso” é um termo bonito para definir o momento em que você decide se desfazer de seu equipamento. Este é um momento fundamental no ciclo de vida do produto, já que sua decisão sobre o que fazer com seu equipamento tem um impacto direto especialmente no meio ambiente e também na economia. Afinal, 100% dos componentes de um computador, por exemplo, são recicláveis. Existem várias possibilidades para você, como consumidor, agir neste momento.

1

Primeiro, a clássica pergunta: eu preciso realmente me desfazer do equipamento? Não será possível investir um pouco para atualizá-lo de forma a seguir usando-o por mais tempo?

2

Se estamos certos de que vamos descartar o equipamento, devemos nos perguntar se ele será útil para outra pessoa ou para ser doado a alguma instituição, quando em bom estado de uso. Esta consideração deve levar em conta as condições técnicas do equipamento, ou seja, se está funcionando bem e se não precisará de algum investimento para que funcione por mais tempo. Isso porque, às vezes, com boa intenção, podemos passar adiante um equipamento que logo apresentará problemas e que perderá sua utilidade para a pessoa ou instituição que o receber. Como já não teremos controle sobre o que será feito com o equipamento, o que pode acontecer é ele acabar em algum lixão, justamente o que queríamos evitar desde o início.


23 3

Se decidirmos que a melhor opção é partir diretamente para reciclar o equipamento antigo, algumas possibilidades se abrem. A primeira é entrar em contato com o fabricante da sua máquina para saber como você pode enviá-la para ser reciclada. No caso da Itautec, existe o Centro de Reciclagem, em Jundiaí. Os equipamentos Itautec poderão ser entregues em qualquer uma de suas 34 filiais, sendo necessário contatar a empresa pelo e-mail sustentabilidade@itautec.com para acertar os detalhes da entrega. Alguns fabricantes de equipamentos se comprometem a fazer o mesmo, por isso é importante entrar em contato com eles para se informar sobre como proceder.

4

O problema maior é para aqueles que decidiram lá atrás comprar equipamentos de empresas que não garantem um correto processo de “pós-uso”, ou que usam componentes de origem duvidosa, sem garantia nenhuma de adequação às regras brasileiras de proteção ao meio ambiente, ou cujos fabricantes desaparecem sem prestar nenhum apoio aos consumidores de seus produtos. É a típica situação em que o barato pode sair caro. Neste caso, procure se informar na Secretaria de Meio Ambiente da sua cidade ou estado para saber como dar uma destinação adequada ao seu equipamento.

5

Em nenhum caso jogue o seu equipamento no lixo. Ele certamente vai acabar em um lixão, o que ocorre com 60% dos resíduos no Brasil, e a corrosão de suas peças pelo tempo e pela chuva levará


24 seus componentes tóxicos a contaminar o meio ambiente. Se esses componentes chegarem a atingir a água subterrânea (lençol freático), acabarão contaminando nossos rios e podem chegar até nossos alimentos e afetar nossa saúde. Pense também nas milhares de pessoas que trabalham todos os dias revirando os lixões em busca de artigos para uso próprio ou revenda. Elas não deveriam ser colocadas nessa situação de risco, em contato com os diversos elementos tóxicos existentes nos componentes dos equipamentos eletrônicos. Basta pensar que a quantidade de lixo eletrônico produzido anualmente em todo o mundo encheria todos os vagões de um trem de carga tão grande que daria a volta ao mundo. Cada um de nós deve fazer a sua parte para diminuir o tamanho deste impacto. Fonte: Greenpeace - http://www.greenpeace.org/international/campaigns/ toxics/electronics/the-e-waste-problem A destinação para fins de reciclagem é ambientalmente adequada e economicamente viável. Pela nossa experiência, o computador pode ser 100% reciclável. Nos últimos três anos, a Itautec destinou adequadamente cerca de 1.700 toneladas de resíduos eletrônicos, peso equivalente a mais de 200 mil equipamentos, sendo que 97% destes materiais foram processados por empresas recicladoras homologadas no Brasil. Os 3% restantes equivalem às placas de circuito impresso, que são reciclados por empresas homologadas em Cingapura e na Bélgica.


25 SAIBA MAIS n Página de sustentabilidade da Itautec http://www.itautec.com.br/sustentabilidade n Leia artigos e análises sobre sustentabilidade na vida das pessoas e das empresas na página de blogs da Gestão Origami http://gestaoorigami.com.br/artigos/ n Instituto Akatu pelo Consumo Consciente http://akatu.org.br n Projeto Redenção – Desenvolvido por professores e alunos do Curso Técnico em Informática da Escola Técnica Redentorista - ETER, da cidade de Campina Grande, Paraíba, com o objetivo de conscientizar a população para os usos das tecnologias http://redencaoeter.blogspot.com/ n Página do Greenpeace internacional sobre lixo eletrônico (inglês) http://www.greenpeace.org/international/campaigns/toxics n Centro de Descarte e Reuso de Resíduos de Informática (Cedir) da USP http://www.cce.usp.br/?q=node/266 n Safernet – ONG dedicada a promover o uso seguro da internet por crianças e jovens. Tem um espaço para denunciar crimes virtuais http://www.safernet.org.br


26 Compromisso Itautec com o meio ambiente A Itautec possui um programa de logística reversa, ou seja, o compromisso em receber os equipamentos e embalagens inservíveis ou no final de sua vida útil, com o objetivo de destinar ou reciclar dentro dos padrões ambientais estabelecidos pelos órgãos responsáveis. Utilize um dos meios de contato listados a seguir para obter informações do ponto de coleta Itautec mais próximo. n

Tel.: Grande São Paulo (11) 3543 5543 e outras localidades 0800 55 0020

n

Site: www.itautec.com.br

n

E-mail: sustentabilidade@itautec.com

Este programa existe desde 2003 e hoje passa a atender a Lei Federal 12305/10 – Política Nacional de Resíduos Sólidos.


27 GLOSSÁRIO ATM CX3

Fabricado pela Itautec em 2007, inicialmente para o mercado europeu, foi o primeiro equipamento de automação bancária projetado e produzido considerando todos os atributos definidos pela diretriz europeia RoHS. Ou seja, livre de substâncias tóxicas, como cádmio, mercúrio, cromo hexavalente e bromobifenilas.

Este projeto foi utilizado como piloto para a mudança dos processos de fabricação da Itautec e teve dois reconhecimentos públicos pelo pioneirismo na área de tecnologia e meio ambiente.

Fonte: Itautec

Bromobifenilas

Utilizadas como retardantes de chamas nas partes plásticas de alguns equipamentos eletroeletrônicos, as bromobifenilas – também conhecidas como Éter de difenila polibromado (PBDE, pela sua sigla em inglês) – têm a finalidade de evitar a propagação de chamas em objetos expostos a situações de risco de incêndios. São proibidas pela diretriz europeia RoHS.

Os equipamentos fabricados com PBDE e que são descartados no meio ambiente sem tratamento adequado podem fazer mal à nossa saúde, já que com o tempo a substância vai criando uma poeira que se acumula no ar. Ao respirarmos essa poeira podemos ser afetados no fígado, nos rins, e até no cérebro, onde pode ser responsável por mudanças de comportamento da pessoa. Uma vez dentro do corpo, o pó inalado passa pela via respiratória e se acumula no tecido adiposo. Bebês durante a amamentação correm risco de inalar o pó se estiverem por perto.

Mais informações: http://hypescience.com/conheca-as-substancias-nocivas-mais-proximas-devoce/ e www.rohs.gov.uk

Cádmio

O cádmio apresenta várias aplicações industriais, porém é frequentemente usado para a produção de pigmentos, pilhas elétricas e plásticos. É um elemento encontrado de forma natural na crosta terrestre e grande parte do que é utilizado para fins industriais é obtido como produto da fundição de rochas que contêm zinco, cobre ou chumbo.

Assim como o mercúrio, o cádmio é um metal pesado que produz efeitos tóxicos nos organismos vivos, mesmo em concentrações muito pequenas.

Alguns efeitos tóxicos sobre os seres humanos, observados pela contaminação por cádmio são: enfisema pulmonar, hipertensão arterial, doenças renais, fibrose e edema pulmonar, anemia, diminuição do hormônio sexual masculino (testosterona), diminuição da produção de anticorpos, deixando a pessoa mais sujeita a outras doenças.

Fonte: http://pt.wikipedia.org Mais informações: www.rohs.gov.uk


28 Chumbo

O mais amplo uso do chumbo é na fabricação de acumuladores. Outras aplicações importantes são na fabricação de forros para cabos, elemento de construção civil, pigmentos, soldas suaves e munições. A fabricação de chumbo vem caindo muito em função de regulamentações ambientais, cada vez mais restritivas no mundo.

A intoxicação causada pela exposição ao chumbo pode afetar o ser humano de diversas maneiras:

n no sistema nervoso, pode causar cefaleia, tremor muscular, alucinações, perda da memória e da capacidade de concentração. Esses sintomas podem progredir até o delírio, convulsões, paralisias e coma; n no sistema renal, provoca uma lenta e progressiva deficiência renal, podendo chegar a uma nefrite crônica; n no sistema gastrointestinal, provoca intoxicações severas, podendo ocasionar constipação, diarreia e gastrite; n nos ossos, o chumbo pode contribuir para o desenvolvimento da osteoporose nas mulheres.

As crianças são mais vulneráveis que os adultos aos efeitos da ação tóxica do chumbo. Alguns estudos demonstraram que o chumbo está associado a deficiências neurocomportamentais em crianças.

Mais informações: http://goo.gl/5Ci77 e http://pt.wikipedia.org/wiki/Chumbo

Ciclo de vida

No contexto deste Guia, se trata de todas as etapas de existência de um produto eletrônico, desde a extração da natureza da matéria-prima do qual é feito, passando pela fabricação propriamente dita, distribuição para os pontos de venda, uso pelos consumidores e disposição final, quando já perdeu sua utilidade.

Mais informações: http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/lixo/conteudo_391819.shtml

Cromo hexavalente

Utilizado em diversas aplicações industriais, como a produção de aço inoxidável, corantes têxteis, preservação da madeira, curtimento de couro, e como anticorrosivo.

Em revestimentos, é usado como inibidor de corrosão. Devido ao seu alto nível de toxicidade, tem sido substituído por alternativos, como cromo trivalente, permitido pela diretriz europeia RoHS.

Os compostos de cromo produzem efeitos cutâneos, nasais, bronco-pulmonares, renais, gastrointestinais e carcinogênicos. Os cutâneos são caracterizados por irritação no dorso das mãos e dos dedos, podendo transformar-se em úlceras. As lesões nasais iniciam-se com um quadro irritativo inflamatório, supuração e formação crostosa. Em níveis bronco-pulmonares e gastrointestinais produzem irritação bronquial, alteração da função respiratória e úlceras gastroduodenais.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Cromo_hexavalente e http://www.mundodoquimico.hpg. ig.com.br/metais_pesados_e_seus_efeitos.htm


29 Energy Star Energy Star é um programa conjunto da Agência de Proteção Ambiental e do Departamento de Energia dos Estados Unidos. Em 1992, a Agência de Proteção Ambiental americana apresentou um programa voluntário de rotulagem destinado a identificar e promover produtos energeticamente eficientes para reduzir as emissões de gases de efeito estufa derivadas da produção de energia elétrica. Computadores e monitores foram os primeiros produtos rotulados. Em 1995, o programa foi ampliado para incluir a rotulagem de produtos de escritório e equipamentos de aquecimento residencial e de refrigeração. As versões já lançadas aumentam cada vez mais as exigências de desempenho e eficiência dos produtos que fazem parte do escopo do programa Energy Star, no que se refere ao uso eficiente da energia.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Energy_Star Mais informações: http://www.energystar.gov

EPEAT

É a sigla em inglês para Electronic Product Environmental Assessment Tool (Ferramenta de avaliação ambiental para produtos eletrônicos), um sistema que serve de referência para os compradores avaliarem, compararem e selecionarem produtos eletrônicos (computadores pessoais, monitores de vídeo e notebooks) segundo 51 atributos ambientais (23 obrigatórios e 28 opcionais).

O EPEAT foi criado pela Agência de Proteção Ambiental Americana e pela organização não governamental Greener Electronics Council e estabelece três categorias de atendimento aos critérios (Bronze, Silver e Gold). Para obter a classificação Bronze, é necessário o atendimento de 23 requisitos obrigatórios, e, para a classificação Gold, é necessário atender os 23 itens obrigatórios e pelo menos 75% dos 28 atributos opcionais. Os atributos são divididos em oito categorias que abordam a redução/eliminação de materiais tóxicos, seleção de materiais, projeto e gerenciamento do fim da vida útil, longevidade de produto e ciclo de vida, eficiência energética, desempenho ambiental corporativo e embalagem.

Fonte: IEEE std 1680 / http://www.epeat.net/

Gases de efeito estufa

Os gases de efeito estufa (GEE), ou simplesmente gases estufa, são substâncias gasosas que absorvem parte da radiação infravermelha, emitida principalmente pela superfície terrestre, e dificultam seu escape para o espaço. Isso impede que ocorra uma perda demasiada de calor, mantendo a Terra aquecida. O aumento desproporcional na quantidade destes gases na atmosfera, entretanto, pode ter um efeito negativo sobre o meio ambiente, ao provocar um aumento médio na temperatura do planeta e, com isso, causar desequilíbrios no clima.

Os principais gases estufa são o Dióxido de Carbono (CO2), o Metano (CH4) e o Óxido Nitroso (N2O).

Fonte: Wikipedia - http://pt.wikipedia.org/wiki/Gases_do_efeito_estufa


30 GHG Protocol

Trata-se do conjunto de ferramentas de medição mais utilizado mundialmente por empresas e governos na identificação e gerenciamento de suas emissões dos gases de efeito estufa.

Mais informações: http://www.ghgprotocolbrasil.com.br/

RoHS

RoHS (Restriction of Certain Hazardous Substances, Restrição de Certas Substâncias Perigosas) é uma diretiva europeia que restringem o uso que certas substâncias perigosas sejam usadas em processos de fabricação de produtos. Entre estas substâncias estão o cádmio (Cd), mercúrio (Hg), cromo hexavalente [Cr(VI)], bifenilos polibromados (PBBs), éteres difenil-polibromados (PBDEs) e chumbo (Pb).

Esta diretiva entrou em vigor no dia 1º de julho de 2006 e a partir desta data nenhum produto com essas substâncias pode mais ser vendido na Europa. Junto com a RoHS, entrou em vigor uma outra diretiva que trata da reciclagem de produtos eletroeletrônicos, conhecida pela sigla WEEE (Waste from Electrical and Electronic Equipment, Lixo advindo de Produtos Eletroeletrônicos). Por causa da RoHS, fabricantes de equipamentos eletrônicos devem adequar seus produtos à nova diretiva, de modo a poderem vender seus produtos na Europa.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Rohs Mais informações: www.rohs.gov.uk/

Spam

O Spam é uma mensagem eletrônica não solicitada, enviada em massa, geralmente com fins publicitários. Pode também ser usado para baixar vírus ou programas maliciosos no computador da pessoa que abre a mensagem.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Spam

Twitter O Twitter é uma comunidade virtual que reúne amigos ou pessoas desconhecidas que mandam mensagens de no máximo 140 caracteres sobre o que elas estão fazendo no momento ou algum assunto para o qual querem chamar a atenção.

Saiba mais em www.twitter.com

Tecnologia da Informação A Tecnologia da Informação (TI) pode ser definida como o conjunto de todas as atividades e soluções que permitem registrar, comunicar e obter resultados a partir de informações providas por recursos de computação.

Mais informações: http://www.infowester.com/col150804.php


31 A Itautec acredita na importância da divulgação das informações e sugestões deste Guia. Visite a página www.itautec.com.br/sustentabilidade para obter uma cópia digital deste documento. A versão digital possui uma licença de distribuição Creative Commons. Isto significa que você pode – e deve – compartilhar este texto com quem desejar, desde que não seja usado para fins comerciais, e cite a fonte de origem ou inclua um link para http://www.itautec.com.br/sustentabilidade. Esta obra não poderá ser modificada no todo ou em parte e é vedada sua reprodução.

FICHA TÉCNICA REALIZAÇÃO n Itautec COORDENAÇÃO EDITORIAL n Gestão Origami COLABORAÇÃO n Instituto Akatu pelo Consumo Consciente EDIÇÃO n Renato Guimarães / Aerton Paiva REDAÇÃO n Renato Guimarães PROJETO GRÁFICO n Arco W Comunicação & Design IMPRESSÃO n XXXXXXXXXX Copyright n Itautec 2011

Esta publicação foi desenvolvida com o fundamental apoio da Gestão Origami (www.gestaoorigami.com.br), uma consultoria em gestão de negócios cujos profissionais reúnem uma vasta experiência no campo da sustentabilidade.


2a EDIÇÃO / FEV 2011 De frente para o futuro.


Guia do Usuário Consciente de Produtos Eletrônicos