{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade.

Page 1

Publicação mensal da Associação dos Professores Universitários de Santa Maria

R Santa Maria / RS / Brasil ANO 49 nº 07 Julho - 2016

Toda alegria do Jantar Italiano

Páginas 09, 10 e 11 Fotografia:

Os vencedores do Cidade de SM Jurídicas:

Artigo:

Progressão funcional e os requisitos legais Página

05

O mundo visto por Noli Brum de Lima Página

Páginas

14 e 15

17


02

Publicação mensal da Associação dos Professores Universitários de Santa Maria

Julho 2016

EDITORIAL

Agenda de eventos:

APUSM Agosto

Associação dos Professores Universitários de Santa Maria Fundada em 14/11/1967 Av. Nossa Senhora das Dores, 791 CEP: 97050-531 - Santa Maria/RS Fone/Fax: (55)3223 1975 ou (55) 32214856 - www.apusm.com.br E-mail: apusm@apusm.com.br

5/08 - Janu Uberti e Convidados

DIRETORIA EXECUTIVA Presidente: Tania Moura da Silva Vice-presidente: Eduardo Rizzatti 1º Vice-presidente: Darcila Castelan 1º Secretário: Martha Adaime 2º Secretário: Solange Fagan 1º Tesoureiro: Luiz Antônio Freitas 2º Tesoureiro: Gildo Meneghello

17 - 31/08 - Exposição Atelier

Marília Chartune Comemoração do Mês da Cultura

31/08 - Homenagem

10 Anos do Coral da APUSM

Todos os eventos serão realizados no Salão Cultural da Associação Mais informações pelo e-mail eventos@apusm.com.br ou pelos telefones (55) 3221 4856/ 9152 7083

CONSELHO DE CURADORES Titulares Waldyr Pires da Rosa Etevaldo Vargas Porto Julio Cesar Farret Suplentes Sirlei Dalla Lana Ronaldo Morales Pedro Romeu Bagioto JORNAL DA APUSM Fundado em 30/03/1971. Supervisão Geral Quintino Corrêa de Oliveira Gaspar Miotto Jornalista Responsável Ricardo Ritzel / MTB: 12773 Fone: (55) 3221-4856 Ramal 25 jornal@apusm.com.br Diagramação Rodrigo de Oliveira Fortes Revisão Prof. Leila Ritzel Tiragem 3.000 exemplares O Jornal da APUSM aceita a colaboração da Comunidade Universitária Distribuição gratuita e dirigido aos associados

Novos associados ADRIANO ARRIEL SAQUET (IFF) ADRIANO ARRUE MELO (UFSM) DIEGO DE MEDEIROS PEREIRA (UFSM) MARCIELE VIEIRA DORNELES (IFF) NEY IZAGUIRRY DE FREITAS JUNIOR (UFSM) ODERLEI BERNARDI (UFSM) OSMAR MANOEL NUNES (UNIPAMPA)

VIVIAN JAMILE BELING (UFSM) GIL ROBERTO COSTA NEGREIROS (UFSM) TAIS CRISTINE APPEL COLVERO (IFF) SIMONE ALVES PACHECO (UFSM) DANIEL PEZZI DA CUNHA (IFF) ROBERTO SCHOPRONI BICHUETI (UFSM)

Acompanhe as notícias pela página da APUSM ou pelo facebook. Para receber nossas notícias por e-mail, mantenha o seu cadastro atualizado. * Caso queira atualizá-lo ou mandar alguma sugestão envie um e-mail para: jornal@apusm.com.br


Julho 2016

03

Publicação mensal da Associação dos Professores Universitários de Santa Maria

Fotos na História

P

O braço direito do reitor

oucas pessoas viveram a implantação do Ensino Superior em Santa Maria e com tanto ideal como o professor Luiz Gonzaga Isaia, recentemen-

te falecido. Isaia foi um dos que, durante a década de 40 do século passado, começaram a sonhar com uma universidade longe das

grandes capitais brasileiras e trabalhou com convicção para isto se tornar uma realidade. Nesta edição, duas fotos que ilustram esta trajetória de ideal

e convicção que resultaram na transformação de Santa Maria em um polo educacional brasileiro. (leia mais na página 7 desta edição)

Fotos reprodução Memórias da UFSM de Luiz Gonzaga Isaia

1964 - O professor Hermann Mathias Gorgen visita a Faculdade de Ciências Políticas e Econômicas de Santa Maria. Gorgen foi um dos maiores colaboradores estrangeiros da UFSM e elo de ligação da universidade santa-mariense com o Deustsch Brazilianisch, instituição que proporcionou recursos humanos e materiais para ainda incipiente UFSM, além da capacitação de seus professores na Europa. Na foto, da esquerda para direita, professor Victor Schuch, Hermann Gorgen e esposa, o então acadêmico Cirilo Costa Beber e os professores Luiz Gonzaga isaia, Irmão Gelásio e Arthur Primavesi

1967 - O reitor José Mariano da Rocha Filho mostra a maquete da futura “Cidade Universitária” ao embaixador do Brasil na ALALC, João Batista Pinheiro, ao professor Manoel Luzardo de Almeida, e ao então secretário da Fazenda do Rio Grande do Sul. Na foto aparece também o professor Luiz Gonzaga Isaia, na época, diretor do Departamento de Administração da UFSM. Na parede, a foto do senador Tarso Dutra, político que, segundo Isaia em sua última entrevista para o Jornal da APUSM, deveria ter uma homenagem mais expressiva da UFSM pela sua participação na fundação da instituição


04

Publicação mensal da Associação dos Professores Universitários de Santa Maria

Julho 2016

Crônicas

Em se plantando

www.naoestoucompressa.com.br

Celina Fleig Mayer*

A

cena não foi tão antiga assim. Apenas acompanhava o que sempre aconteceu nos modelos de comportamento dos séculos anteriores ao 20. A mocinha que namorava era vigiada, até porque o amor sempre foi cego, surdo, mas ouvia bem. As cantadas, em especial. Carência afetiva ou hormônios que não podiam se manifestar? Pois a menina namorava sob os cuidados – em exagero, segundo os vizinhos e conhecidos - dos pais. Mas engravidou. E, como ouvira, muitas vezes, as ameaças do tipo “se tu...aí te boto na rua”. E a promessa foi cumprida. Porque uma vida estava a caminho, e o autor sumiu. Menina na rua,nem seus pertences pôde pegar. Só identidade. Uma mulher, ao vê-la sentada na praça, chorando, aproximou-se. Ouviu a história. Levou-a para sua residência. Eram só um casal de moradores. E a garota mostrou-se educada e prestimosa, adiantou-se ao comando de qualquer solicitação. Estava acostumada a servir junto aos seus familiares. As crianças nasceram: sim um casal de gêmeos. Foi uma movimentação no pequeno apartamento, agora um verdadeiro lar. Muita atividade e vitalidade que florescia, isso a própria senhora sentiu. Estava mais ágil para as tarefas multiplicadas. A dor na coluna amainou, os joelhos como que se ajustaram ao sobe e desce das escadas. Mas nem tudo eram flores. Houve desacertos entre a jovem e a mulher. Como acontece com qualquer ser humano que convive. Passageiros, pois ambas reconheciam a dupla

Máximo José Trevisan*

ajuda. E o reconhecimento. Crianças felizes, na escola. Notadas pela semelhança e graça. Durou pouco o enlevo. A jovem teve um infarto fulminante, estranho para quem se apresentava tão saudável e ativa. E as crianças ficaram com a “vó”. Os pais da falecida descobriram o paradeiro dos menores e quiseram levá-los. Eles se negaram a acompanhar os, então, estranhos. O tempo passando, juventude dos pequenos, morte do “avô” que copartilhava de tudo mais à distância, e nunca negando apoio. Ficaram só os três, quando os meninos entraram na Faculdade. E a Senhora, já grisalha em idade (quem não pinta?), pensou que precisaria de alguém, não só para os trabalhos domésticos. Os meninos não deixaram. Criaram esquemas para que ela sempre estivesse acompanhada por um deles. A auxiliar do lar resolvia as funções da casa. E hoje, ainda, eles casados, cada um com sua família, assistindo uma mulher que abriu as portas da sua morada e do coração para dar amparo a uma infeliz que perdeu o direito de viver entre os seus. Alguém dirá: que mulher de sorte, essa que amparou a moça, pois garantiu uma velhice tranquila! Um fato verídico que pode acontecer com qualquer um de nós, e não teremos tempo de pensar em sorte no futuro. Ela será apenas consequência... No entanto resta a questão: quem de nós acolheria uma moça estranha e grávida? *Jornalista

O

Slow Food é uma associação internacional sem fins lucrativos. Foi fundada em 1986 por Carlo Petrini, um cozinheiro italiano, em contraponto ao Fast Food. Hoje, contando com mais de cem mil pessoas em 104 países, o movimento é universal. Petrini defende que é preciso comer bem e devagar, curtindo o sabor de cada alimento. É uma resposta ao padrão Fast Food e ao ritmo frenético do Fast Live do nosso tempo. Sem perder o sentido original, o movimento ganhou novas dimensões tanto que se fala, por exemplo, em Slow Reading como um novo jeito de ler, preservando o sabor do texto. E os demais sentidos humanos: como ouvimos música? Como vemos o mundo no cotidiano da vida? Nos dias atuais todos somos vítimas da pressa e das exigências do fazer qualquer coisa com muita velocidade. Quem se permite comer com calma e faz isso no café da manhã, no almoço, no jantar? Engolimos tudo tão rápido, andamos depressa demais, não damos atenção a quem e ao quê está à frente e ao lado. Uma flor, uma árvore, uma casa passam despercebidas ao nosso olhar desatento à natureza que se oferece, gratuita e generosamente. Em tempo passado, vivi uma experiência especial, numa terça-feira de um abril iluminado, manhã nem muito quente, nem muito fria. Visitei o Parque da Redenção, em Porto Alegre, convidado pela filha Lígia. Fomos, então, os três, Eunice, Lígia e eu, em torno das 10h, ao Redenção. Garrafa térmica

com água quente, cuia e erva mate e um grande desejo de partilhar momentos eram a nossa companhia. Caminhamos no Parque, admiramos o lago, depois sentamos em um dos bancos à sombra, rodeados de árvores. A manhã, cheia de sol e de vida, era um córrego de água limpa onde nossos pensamentos e nossas emoções como barquinhos de papel andavam sobre a água, sem compromisso de chegar a um destino. Até um saquinho de pipocas compartilhamos os três, aliás, quatro porque um solitário passarinho se aproximou de nós, atraído por grãos que, inadvertidamente, caíram no chão. Era um pequeno pássaro anônimo, sem CPF, identidade, Cartão de Crédito... Despertou a nossa atenção pela delicadeza do gesto, ao bicar mais de uma vez cada grão de pipoca, sem pressa, sem atropelo, e depois engoli-lo lentamente. Duas horas depois, deixamos o Parque, alma leve e olhos carregados do verde das árvores. Tinha colhido o prazer do dar-me tempo em tempo de tanta pressa, de permitir-me sorver um mate em plena manhã, sem culpa, desfrutando o bom e o bonito entre os amados, com vagar e atenção. Deu-me vontade de criar um site www.naoestoucompressa.com.br para repartir com todos os saberes e os sabores que vêm das pessoas, dos animais e das coisas, como os experimentados naquela manhã de abril. *maximotrevisan@uol.com.br advogado, escritor.

Novidades na Telefonia APUSM: A Telefonia APUSM informa aos associados o novo plano Claro. Por R$ 12,20, você fala de graça, TARIFA ZERO em ligações locais com pessoas do plano Claro APUSM. Outra novidade é o plano de internet. O pacote fidelidade por 12 meses, renovável automaticamente pela APUSM ( para efetuar cancelamento, favor entrar em contato). Confira:

100 MB = R$ 19,90

300 MB = R$ 29,90

2 GB = R$ 59,90

5 GB = R$ 74,90

OBS: Todos pacotes com redução de velocidade para 128 kbps após o consumo da franquia.


Julho 2016

Publicação mensal da Associação dos Professores Universitários de Santa Maria

05

Jurídicas

Progressão funcional e os requisitos legais

U

FSC limitava os efeitos financeiros e funcionais dos docentes ao determinar concessão a partir de portaria específica. Os professores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) têm direito à progressão funcional desde a data do preenchimento dos requisitos legais. Tal direito foi garantido pela Justiça Federal, após julgar o processo movido pelo Sindicato dos Professores das Universidades Federais de Santa Catarina (APUFSC Sindical). A universidade determinou que os efeitos financeiros decorrentes das progressões fossem contatos a partir da data da publicação da portaria que as concede. Deste modo, causou prejuízos profissionais e financeiros aos servidores. A legislação em vigor, entretanto, determina que a progressão seja concedida desde o preenchimento dos requisitos legais.

Conforme a sentença proferida, a UFSC não possui competência para limitar os efeitos financeiros e funcionais das progressões dos docentes, pois esta decorre de lei. Permitido à universidade é a regulamentação do processo de avaliação de desempenho e dos respectivos critérios.

Além de conceder a progressão funcional desde a data do preenchimento dos requisitos legais, a UFSC foi condenada a pagar aos professores as diferenças remuneratórias atualizadas monetariamente e acrescidas de juros e correção. No processo cabe recurso. Fonte: Wagner Advogados Associados.

Justiça de Sergipe determina concessão de RSC para professora aposentada A ex-servidora fez parte do quadro de funcionários do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe. Uma servidora aposentada do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe teve declarado o seu direito à paridade entre servidores ativos e inativos no que se refere ao novo método de cálculo da gratificação, intitulada “Retribuição por Titulação – RT”. Essa gratificação foi

criada pela Lei nº 12.772/12, que instituiu o indicador “Reconhecimento de Saberes de Competências – RSC”. O direito à paridade foi declarado pela Turma recursal de Sergipe. A decisão do juiz relator foi fundamentada na própria Lei nº 12.772/12, que reconhece expressamente que a RT deve ser considerada no cômputo dos proventos e pensões, desde que os certificados

ou títulos adquiridos fossem obtidos antes da aposentação. A servidora possui os requisitos descritos na Lei, com certificações dentro do prazo estipulado. Por esse motivo, ajuizou ação por meio do escritório Santana, Araújo & Costa Soluções Jurídicas Aplicadas, parceiro de Wagner Advogados Associados. No processo, ainda cabe recurso. Fonte: Wagner Advogados Associados.

O advogado e sócio do escritório Wagner Advogados Associados, Flávio Ramos, realiza todas as quintas-feiras pela manhã, das 10h ao meio-dia, orientações jurídicas aos associados da Associação dos Professores Universitários de Santa Maria (APUSM). Ramos é especializado nos assuntos relacionados a questões funcionais do servidor público como: carreira, vínculos do professor ao serviço público, entre outros. O escritório atua nesta área há cerca de 30 anos. Neste ano o escritório também está atendendo aos professores associados que possuem vínculos com instituições particulares. Assuntos relativos ao regime geral da previdência - INSS destes associados podem ser esclarecidos pelos advogados. Para isso, basta que o associado utilize este serviço nas quintas-feiras.


06

Publicação mensal da Associação dos Professores Universitários de Santa Maria

Julho 2016

Memória

A Educação perde Luiz Gonzaga Isaia

P

ioneiro na implantação do Ensino Superior no interior do Brasil, braço direito do fundador da UFSM e primeiro administrador da instituição, o professor Luiz Gonzaga Isaia faleceu no último dia 13 de julho, aos 89 anos, em Santa Maria. Isaia foi um dos fundadores diretos da Faculdade de Direito e de Ciências Contábeis da Universidade Federal de Santa Maria. Também foi o primeiro diretor do Centro de Ciências Jurídicas, Econômicas e Administrativas, atual Centro de Ciências Sociais e Humanas. Ainda atuou como diretor do curso de Economia. Na área pedagógica, lecionou 35 anos em oito cursos. Em todos deixou a lembrança de professor diferenciado e com grande domínio sobre sua matéria. Aposentou-se em 1991. Depois de aposentado, Isaia gostava de colaborar na área social, fazer palestras, ler, ouvir música erudita, além de passear em sua chácara, em Itaara. O professor foi casado com Lygia Isaia, falecida há nove meses, e tiveram dois filhos, Luiz Gonzaga Isaia Junior e Ricardo (já falecido) e a neta Letícia. No último mês de junho, a APUSM homenageou o professor Luiz Gonzaga com uma placa comemorativa que lembra sua participação ímpar na interiorização do Ensino Superior no Brasil, porém ele não pôde participar da cerimônia de entrega da honraria no Café dos Pioneiros, devido ao agravamento de seu estado de saúde. Em homenagem ao professor Isaia, O Jornal da APUSM reproduz nesta edição a entrevista realizada, em agosto de 2013, pelos jornalistas Gaspar Miotto e Ricardo Ritzel, quando ele relembrou momentos importantes de sua extensa e rica trajetória de vida. Fica nesta recordação os mais expressivos sentimentos de toda direção, funcionários e colaboradores da APUSM para família deste verdadeiro desbravador da Educação brasileira.

Ideal e convicção O professor Luiz Gonzaga Isaia recebeu a reportagem do Jornal da APUSM, na manhã chuvosa do dia 30 de agosto de 2013, com chás, biscoitos e gentilezas em seu apartamento no 8º andar da Galeria do Comércio. Porém, logo depois das saudações iniciais, colocou uma condição sine qua non para a realização da entrevista: -“Não me incensem, não quero elogios. Realmente eu não me sinto bem nesta condição, já que tudo que fiz pelo Ensino Superior de Santa Maria foi por ideal e convicção”, enfatizou o professor. Condição aceita, Isaia retira a mão que pousava sobre o gravador e inicia uma jornada de quase duas horas pela história do Ensino Superior de Santa Maria. Com detalhes, ele relembra personagens, situações e diálogos dos últimos 70 anos que, de uma maneira ou outra, levaram a fundação da primeira universidade pública brasileira longe das grandes capitais: a UFSM. E esta foi também uma parte mais que importante da história da sua própria vida. O fundador e a padroeira “A Faculdade de Farmácia é o embrião da UFSM, e ela surgiu porque tínhamos médicos em Santa Maria, mas não tínhamos técnicos farmacêuticos para manipular as receitas que eles passavam para seus pacientes. Porém, chegou um momento, na primeira metade da década de 1940, que a faculdade santa-mariense esteve por fechar. O fundador, Francisco Mariano da Rocha havia se retirado por motivos de saúde, a escola tinha poucos alunos e ainda uma dívida expressiva que preocupava seus dirigentes. Foi então que o José Mariano da Rocha Filho (sobrinho de Francisco) resolveu assumir o desafio. O seu primeiro dia na direção da faculdade de Farmácia foi 25 de março de 1945 e seu primeiro ato na direção foi convidar Dom Antonio Reis, conhecido como o “Bispo da Medianeira” por seu trabalho de devoção à santa, para entronizar

em seu gabinete um quadro da padroeira da cidade. Ele costuma dizer que “O gestor era ele, mas a reitora era ela”, ao apontar para santa. E mesmo depois de criada a UFSM, Mariano manteve este quadro de Nossa Senhora da Medianeira em sua sala de trabalho até seu último dia de reitorado, em 1973. Foi com está fé que ele começou a construir a universidade. Tanto que muito tempo depois ele me confessou que naquele dia, de sua posse na Farmácia, já pensava em criar uma universidade em Santa Maria, só que estaria ligada a UFRGS ou seria particular, com mensalidades pagas”. O amigo Mariano “Conheci o doutor Mariano quando meu pai ficou doente. Ele era o seu médico e começou a visitar nossa casa para acompanhar o paciente. No mínimo, duas vezes por semana. Era um jovem médico, extrovertido, contava histórias e logo eu me encantei com sua personalidade. Bem depois, quando o Salvador (Isaia) resolveu construir a Galeria do Comércio, ele se associou a nós no empreendimento e começamos a nos encontrarmos mais. Aliado a isto, nós dois vínhamos participando de campanhas pró-ensino superior em Santa Maria: eu pela Faculdade de Ciências Políticas e Econômicas, e ele pela Faculdade de Farmácia. Pode-se dizer que as pessoas aqui na cidade, as quais eu me incluo, não entendiam o Mariano porque ele via além, muito além. Pareciam-lhes utópicos os seus sonhos. Elas somente entenderam depois. Com a UFSM na sua frente. Mas para fazer alguma coisa que todos acham inviável, é preciso imaginar antes. Ele era assim. Imagine que ainda no tempo de diretor da Farmácia, em um discurso de formatura, quando ninguém cogitava outra faculdade, quanto mais uma universidade, o Mariano chegou a dizer:

Fotos Arquivo UFSM

- “Só os cegos não veem a futura universidade de Santa Maria”. Nós éramos todos cegos”... (exclamou o Isaia já soltando uma boa risada). O primeiro passo de um sonho “Um sonho do Marianinho”. Conforme as recordações do professor, assim toda Santa Maria definia a ideia de criação de uma universidade no interior gaúcho ainda na primeira metade do século XX. Uma utopia nutrida por um médico jovem e idealista. Porém, em 1948, uma iniciativa de Mariano da Rocha começa a mudar as perspectivas de outras pessoas e, segundo Isaia, até a dele própria. O sonho estava ao alcance. Há uma possibilidade de se concretizar. E o primeiro passo foi dado com a fundação da Aspes – Associação Santamariense Pró-Ensino Superior. “Em 1948, o futuro reitor da UFSM convidou Dorvalino Tonin, Willy Schwark, Vitor Schuch, Antonio Abelin e eu (que já atuávamos na Campanha pró-criação da Faculdade de Ciências Políticas e Econômicas) para se unir com a Campanha Pró- Faculdade de Farmácia. Em um primeiro momento, Mariano nos pediu a elaboração de um estatuto para criação de uma entidade que apoiasse permanentemente a implantação de ensino superior em Santa Maria. Na primeira reunião oficial, foi aprovado que o estatuto teria um Conselho, e que este seria integrado pelas maiores autoridades da cidade: o comandante da Guarnição, o diretor do Foto, o prefeito, o presidente da Câmara de Vereadores, o bispo, enfim, todos que pudessem colaborar na incorporação da Faculdade de Farmácia à UFGRS e na criação de novos cursos na


Julho 2016

07

Publicação mensal da Associação dos Professores Universitários de Santa Maria

Memória / Geral cidade. Ele vinha pleiteando isto há tempos e, até então, não havia conseguido nada. Em 4 de março de 1948, o estatuto foi aprovado e, no final de uma reunião histórica, Mariano da Rocha foi aclamado o primeiro presidente da Aspes, assumiu a sua direção e daí em diante ele teve mais forças para pleitear a suas ideias. Tanto que esse pedido das autoridades santa-marienses chegou ao governador Walter Jobim que, em poucos meses, apresentou a Lei nº 414, de dezembro de 1948, incorporando a Faculdade de Farmácia de Santa Maria a Universidade Federal do Rio Grande do Sul. E foi este passo, o de criar a Aspes, o primeiro movimento concreto para fundação da UFSM”. A articulação política da fundação Luiz Gonzaga Isaia também salienta a participação do Tarso Dutra na criação da UFSM. Conforme o

professor, Tarso mantinha um estreito contato com o Mariano, sabia de sua luta, como também das entidades católicas santa-marienses que aspiravam ao ensino superior na cidade. O professor considera como decisiva a atuação de Tarso no front político da criação da universidade santa-mariense. “Nos últimos meses de presidência, Juscelino Kubitschek manifestou a sua vontade de criar a Universidade Federal de Goiás e tomou as iniciativas cabíveis neste sentido. Foi então que o deputado Tarso Dutra tomou conhecimento do projeto, se uniu ao senador Daniel Krieger e, fazendo as coisas o mais reservadamente possível, conseguiram colocar uma emenda que criava junto a Universidade Federal de Santa Maria. As visões do Mariano haviam se concretizado” A UFSM e seus fundadores. “Uma iniciativa que eu acho

que a universidade deve ter hoje é colocar o nome do professor Mariano na entrada do campus. Nós aprovamos em Conselho que a Cidade Universitária seria chamada de Professor José Mariano da Rocha Filho. E isto não está muito divulgado e eu acredito deva ser feito. Concomitantemente, eu acredito que, sim, devemos também fazer uma homenagem ao Tarso Dutra. Depois de atuar politicamente na criação da UFSM, ele também, quando foi ministro da Educação, trazer para Santa Maria a Faculdade Interamericana,

Foto Arquivo APUSM

que influenciou positivamente na implantação e crescimento do Ensino Superior por aqui. O Tarso trabalhou, e muito, pela universidade.

Na estrada com o Coral da APUSM

A

turma do Coral da APUSM vai pegar a estrada e representar Santa Maria na 3ª edição do Cantoritiba, o jovem e já conceituado festival internacional de canto coral que acontece na capital paranaense entre 15 e 24 de julho e tem como objetivo difundir este estilo musical milenar na América do Sul. O grupo se apresenta no dia 23, competindo na categoria de Canto Erudito. E haja fôlego para tanto ensaio! O nosso coral vem se preparando desde janeiro para essa programação e, além da dedicação de sempre do regente Nei Beck, vem recebendo também acompanhamento de excelentes profissionais para auxiliar seus ensaios e aprimorar ainda mais a afinação deste pessoal. Esperamos que todas essas horas de dedicação sejam recom-

William Moura

pensadas com o primeiro lugar na competição, mas ressaltando que a competição em si só é simples-

mente uma diversão a parte, pois o que importa realmente é a amizade e poder mostrar para o público um

resultado cada vez melhor de seu trabalho. William Moura - Especial APUSM


08

Publicação mensal da Associação dos Professores Universitários de Santa Maria

Julho 2016

Artigo:

Como vejo o mundo Noli Brum de Lima Ex-presidente da APUSM

O

Quintino me pediu um texto para ser publicado no Jornal da APUSM. Fiquei intimidado. Mas como rejeitar um pedido seu? Intimidado? Por quê? Por prudência e vaidade. A prudência me diz que o melhor é ficar quieto no meu canto. E a vaidade me lembra que “entrar nessa” - de escrever para um público leitor como o do jornal da Apusm – é oferecer um frágil telhado a toda sorte de críticas de quem entende do riscado. Fantasio, penso e escrevo como sempre: dando livre curso às associações de ideias. A primeira que me ocorreu é uma antiga piada: “Deus e o Diabo, como se sabe, são concorrentes. Por isso, tudo o que Deus faz, o Diabo anula: Deus criou o dia, o Diabo criou a noite; Deus criou o doce, o Diabo o salgado; Deus criou o amor, o Diabo, o ódio, e assim por diante. Pois bem, um dia, chateado, Deus resolveu fazer uma criação que o Diabo não pudesse anular. Foi aí que Ele criou o Professor Universitário! … O Diabo criou o Colega ...” Não acredito muito nessa história, pois, se assim fosse, a Apusm não teria sido criada, desenvolvida e enriquecida. Estou pensando nos vinte e poucos colegas fundadores da Apusm, nos cento e poucos que o Tabajara convenceu a associarem-se e

nos mais de trezentos que atenderam os apelos do Arlindo Mayer. Tudo isso, naqueles tempos bicudos dos Atos Institucionais. Todos os outros presidentes deram importantes contribuições em circunstâncias e problemas que foram se apresentando à medida que a História se fazia. Hoje, entre minhas melhores lembranças de vida, está a Apusm. Foi muito bom trabalhar nela e por ela. Muitos de meus melhores amigos ainda militam aí, entre os quais o Quintino, sempre atento, solidário, criativo. Mas, como vejo o mundo? Mais ou menos como Albert Camus: “No homem há mais coisas a admirar do que a lamentar”. Devo confessar, no entanto, que tem sido difícil manter essa opinião, pois qualquer pessoa – mesmo que seja pouco informada – sabe e sente as guerras estão acontecendo e que há ameaças de novas guerras. Além disso, há o terrorismo, o fanatismo político, a corrupção, os sistemas ideológicos esgotados, as epidemias, o ódio, homofobia, racismo, fanatismo religioso, falta de esperança num futuro melhor, migrações forçadas pela escassez de água e o esgotamento do solo com o consequente empobrecimento das populações. Como viver bem – sem ser míope ou demasiado egoísta - num mundo assim? Sei que estou ficando parecido

com aqueles velhos de antigamente que, com saudade do passado, viviam se queixando do presente (nos anos cinquenta do século XX). Adolescente, eu detestava esses queixumes e conversas. Tinha esperança no progresso e provas de que melhorias estavam acontecendo: instalação da energia elétrica e da água encanada em Santa Rosa, além do calçamento das ruas. Baita revolução! E os remédios e tecnologias que se inventavam? Combatiam infecções, além de combater a dor, e ajudavam a diagnosticar males que podiam matar se não fossem descobertos a tempo. Isso sem falar nas doenças invalidantes. Hoje, até alguns tipos de câncer começam a ter cura!!! E tem um médico chinês que aposta no transplante de um corpo inteiro noutra cabeça!!! ... Como, então, continuar se queixando? E os modernos meios de comunicação e transporte? Sempre me lembro – com pena - de Dom Pedro II visitando o RGS, depois da Guerra dos Farrapos: do Rio de Janeiro a Porto Alegre e Santa Maria, de carroça!!! … Como não havia estradas em todo o trajeto, um batalhão de engenharia do exército ia na frente para arrumar o que pudesse. A inteligência e criatividade humanas fazem parte daquelas coisas das quais falava Camus e que todos podemos ver e admirar. Além disso, temos a capacidade de amar, de nos enternecer e comover com pessoas em dificuldade. É aí que emergem

outras importantes virtudes humanas como a generosidade e a solidariedade. E há os heróis anônimos do quotidiano que lutam, não apenas para sobreviver, mas para educar seus filhos. Claro, há as nossas fraquezas e a tendência para a violência, as infinitas ambições de poder, glória e dinheiro sem fim, a corrupção e a surpreendente inconsciência de alguns: “Há pais que perdem o sono por terem ralhado com os filhos. E corruptos há que dormem tranquilos depois de roubar dinheiro que deveria ser encaminhado para a alimentação, saúde, educação, moradia, transporte, etc. (Roberto DaMatta). Para esses males, creio que há solução: combate à ignorância, aos desvios de conduta – com uma justiça implacável – participação popular nas atividades políticas, educação para a solidariedade e cidadania. A ignorância é, talvez, o problema maior. Povo ignorante se deixa engambelar, mesmo por políticos sem propostas viáveis. Um dos problemas é que, ao observar nossos atuais líderes políticos, tendo a esmorecer. Vi seus discursos e caras por ocasião do voto na Câmara Federal pelo impeachment da Dilma. Nossa Senhora!!! Penso que entidades como a UFSM e associações como a Apusm poderiam contribuir de maneira poderosa para conceber e tentar aplicar alternativas de vida.


Julho 2016

09

Publicação mensal da Associação dos Professores Universitários de Santa Maria

Jantar Italiano

D

“Una notte a cantare e ballare”

entro do mosaico étnico-cultural brasileiro, a imigração italiana é uma saga belíssima que nos remete a muito trabalho, perseverança e, é claro, à celebração da vida através da alegria em torno de uma boa mesa, muita música de qualidade e à presença querida da família e amigos. E são estas características, aliadas ao uma organização impecável, que marcaram este que é um dos mais tradicionais eventos da Associação nos últimos anos: o Jantar Italiano, que este ano aconteceu no último dia 1º de julho e deixou completamente lotado o Salão Cultural da APUSM. “Na trajetória da nossa Associação em valorizar e preservar a memória cultural da região através de suas diferentes etnias, a APUSM vem há mais de uma década promovendo este evento com objetivo de marcar e enaltecer a presença italiana com sua contribuição para o desenvolvimento deste polo que é Santa Maria”, enfatizou a presidente da APUSM, Tania Moura da Silva,

Máximo, Eunice Trevisan e o Grupo Armazém Cultural e Entretenimento

ao recepcionar os três convidados especiais da noite e suas esposas. São eles: o Agente Consular da Itália, Oscar José Carlesso, que recebeu homenagem de reconhecimento pelo empenho voluntário, dedicação e colaboração ao Consulado Italiano de Porto Alegre; o presidente da Associação Italiana de Santa Maria, professor Neuton

Antonio Pasin, por se destacar em sua competente gestão à frente da Associação Italiana de Santa Maria; e o professor José Zanella, por seu brilhante trabalho como conselheiro do Comitê de Italianos do Rio Grande do Sul. Cabe também ressaltar o trabalho incansável dos associados anfitriões que, ao planejarem cada

detalhe deste encontro memorável, transformaram aquela noite fria do início de julho em uma celebração calorosa, festiva e inesquecível. Todos foram também homenageados pela direção da Associação e bastante elogiados pela impecável promoção: Luis Fernando Sangoi e esposa, Sirlei Dalla Lana, Gildo Meneghello e esposa, José Zanella e esposa, Adarci Antoniazzi e esposa, José Américo de Melo Filho e esposa e João Cleber Delazana e esposa. A noite italiana na Associação também contou com a boa música do Trio Realce, que fez todos cantarem e dançarem até a madrugada. A arte culinária da Via Gastronômica trouxe os sabores da península itálica até a Boca da Monte e a alegria dos atores do Grupo Armazém Cultural e Entreterimento que recepcionaram, com muito humor, todos que foram prestigiar mais uma das promoções sociais da APUSM. Confira nas próximas páginas quem foi e viveu a noite italiana na Associação:


10

Publicação mensal da Associação dos Professores Universitários de Santa Maria

Agente Consular da Itália, Oscar José Carlesso e esposa

Reitor da UFSM, Paulo Burmann e esposa

Grupo Armazém Cultural e Entretenimento fazendo a alegria dos presentes

Marionaldo Ferreira e esposa

Claudio Emanuelli e Regina Biachi Emanuelli

Tassia Moura da Silva e Rodrigo Martini

Julho 2016


Julho 2016

Publicação mensal da Associação dos Professores Universitários de Santa Maria

11

Jorge Flores, Maria Rodrigues, Sirlei Dalla Lana, Carmem Dalla Lana, Marilene Porto e Carlos Porto

Janne e Ovidio Marques, Jaime Guterres, Patrícia de Borba e Cátia Ferreira

Régis Bernardes, Maria Meneguello Bernardes, Fátima, Gildo Meneguello e esposa, Oscar e Cátia Carlesso

Professora Darcila Castelan, Adarci Antoniazzi e Ana Aozani

José e Maria Helena Zanella, Álvaro e Maristela Rossi

Turma do futebol e suas esposas: Kozoroski e Maristela, Luiz, Fornel, Cleber, Caio Da Cás e Vera, e Delameia e Luciane

Juliana Schuch, responsável pela arte culinária da Via Gastronômica

Ricardo Paim e o Grupo Armazém Cultural interagindo com os convidados


12

Publicação mensal da Associação dos Professores Universitários de Santa Maria

Cinema

Telão em casa

por Carlos Costabeber

Um Homem Entre Gigantes Título original: “Concussion” Lembro que quando foi lançado, o filme gerou polêmica nos EUA, pois relata a história real do médico legista Bennet Omalu (nascido na Nigéria), que descobriu uma doença degenerativa em jogadores de futebol americano. Ele provou que o elevado grau de impactos na cabeça, levava muitos jogadores à morte precoce. FANTÁSTICO! Para mim, O MELHOR FILME DO ANO.

Steve Jobs Título original: “Steve Jobs” Steve Jobs foi o Henry Ford dessa geração, por isso tem a sua história divulgada aos quatro ventos. O filme mostra a vida de Steve Jobs a partir de 3 blocos, cada um centrado no lançamento de produtos que marcaram a sua carreira: Macintosh (1984), NeXT (1988) e iMac (1998), que alavancou seu retorno triunfal à Apple. Mas o filme peca ao exagerar na difícil relação com a mãe de sua filha. UMA AULA DE EMPREENDEDORISMO

Trumbo: Lista Negra Título original: “Trumbo” Bryan Cranston dá um show de interpretação (indicado ao Oscar 2016) como Dalton Trambo, um dos mais brilhantes roteiristas da história de Hollywood. Perseguido e preso na década de 50 por ser comunista, conseguiu sobreviver escrevendo filmes com nomes fictícios. Ganhou 2 Oscars por “A Princesa e o Plebeu” e “Arenas Sangrentas”. E mais: “Spartacus”, “Exodus”, entre tantos. ESPETACULAR! FILMAÇO!

Carol Título original: “Carol” O que era tabu quando Patricia Haigtsmith lançou sua polêmica obra “The Price of Salt” (1952), hoje faz parte do cotidiano. A paixão entre duas mulheres em meio ao ambiente chique dos anos 50, se transforma em um drama inteligente e elogiadíssimo pela crítica. Show da bela Cate Blanchett, que concorreu ao Oscar de Melhor Atriz de 2016. SENSACIONAL!

Julho 2016


Julho 2016

Publicação mensal da Associação dos Professores Universitários de Santa Maria

Literatura Professor Aguinaldo Severino

“Una voz en la noche”

V

igésimo-quarto livro da série Montalbano, “Una voz en la noche” garante bons momentos de leitura. Os truques de Andrea Camilleri são conhecidos: Montalbano sempre está as voltas com as trapalhadas linguísticas de Catarella; com o transtorno obsessivo de Fazio com os detalhes biográficos dos criminosos; com as delícias gastronômicas produzidas por Adelina ou Enzo; sempre faz uso da amizade com um jornalista ético para se contrapor aos planos de um jornalista canalha que trabalha para a máfia; sempre alimenta a tortura psicológica que é seu relacionamento à distância com Lívia; sempre faz uso de um elemento teatral ou onírico na trama. Todavia não é apenas a repetição dos métodos e situações que conquista a fidelidade do leitor. A inventivi-

dade das descrições, a complexidade da trama e a riqueza dos diálogos que ele cria dão relevo a uma literatura que, afinal, é produzida para entreter sem compromisso. Montalbano, no dia de seu aniversário, 58 anos, precisa resolver dois crimes aparentemente distintos: o assassinato da garota de um político importante e o suicídio de um comerciante. Montalbano é sobretudo um investigador, que

sabe enxergar as camadas de verdade e mentiras nas histórias que ouve de suspeitos e vítimas, mas também é um sujeito que esquece, comete erros, sente o corpo e a mente cansados. A máfia operacionaliza um judiciário corrupto (que dá a alguns suspeitos um impenetrável foro privilegiado, nada com que um brasileiro já não esteja familiarizado), mata ou compra o silêncio das testemunhas. Entretanto não há problema ou dificuldade que seja obstáculo à determinação de Montalbano para solucionar o mistério dos dois crimes. Em uma curta nota no final Camilleri diz que esse texto foi produzido há muito tempo (a publicação original é de 2012) e que ele reconhece que algumas situações não se encaixam bem na cronologia dos eventos descritos nos livros anteriores de seu protagonista (a culpa é dos editores, sempre, ele avisa). Divertido, as usual. “Una voz en la noche”, Andrea Camilleri, tradução de tradução de Carlos Mayor, Barcelona: publicaciones y ediciones Salamandra, 1a. edição [edição original: Una voce di notte (Palermo: Sellerio editore) 2012]

13


14

Publicação mensal da Associação dos Professores Universitários de Santa Maria

Fotografia

Julho 2016

Fotos Divulgação PMSM

2º Prêmio: Ana Caroline de Lima FOTOGRAFIA: Pescador no lago Inle CIDADE

As imagens dos vencedores Fotos vencedoras do Concurso Fotográfico Cidade de Santa Maria

1º Prêmio: José Bezerra Neto Segundo FOTOGRAFIA: “Entre bichanos” Andrea Capssa FOTOGRAFIA: “Ponto de partida”

Menção: Marcio Barbosa Cordeiro de Freitas FOTOGRAFIA: “O empilhador” Gabriel Santini Pompeo FOTOGRAFIA: “através dos Canais” Otaviano A. S. Caldas FOTOGRAFIA: “Disparada”

2º Prêmio: Firmino Chagas Costa FOTOGRAFIA: “Sinfonia”

Cristina Kazumi Teranisi FOTOGRAFIA: “Iluminati”


Julho 2016

Publicação mensal da Associação dos Professores Universitários de Santa Maria

15

1º Premio: Firmino Chagas Costa FOTOGRAFIA “Velha estação ferroviária”

1º Prêmio: Eliseu Balduino FOTOGRAFIA: “Era do Vazio”

2º Prêmio: Carlos Eduardo Lombardi Castilhos FOTOGRAFIA “Brooklin Bridge”

Douglas Brandão da Silva FOTOGRAFIA “Ruína divina caminha”

Jefferson Bataglin Cezimbra FOTOGRAFIA: “Mais amor, por favor”

Menção Honrosa: José Bezerra Neto Segundo FOTOGRAFIA: “Tanger”

2º Prêmio: Wellendjow Pereira da Silva FOTOGRAFIA: “Ossos do Oficio”

1º Prêmio: Marcos Evangelista de Melo FOTOGRAFIA: “Salgado”

1º Prêmio: Francisco Franco N. da Costa FOTOGRAFIA: “Três, três, três”


16

Publicação mensal da Associação dos Professores Universitários de Santa Maria

Julho 2016

Saúde

Adoçantes que estragam sua dieta

A

s pessoas consomem bebidas com adoçantes artificiais acreditando eles ajudam a gente a controlar o peso, mas um estudo divulgado nesta terça-feira mostra que esses produtos podem ter um efeito contrário ao desejado. A explicação é simples. Quando um indivíduo consome alimentos adoçados artificialmente, o cérebro reconhece o gosto doce, mas logo sente falta das calorias que deveriam acompanhar a sensação. Consequentemente, o cérebro envia impulsos nervosos informando ao organismo que “ainda estamos com fome”, levando a pessoa a querer mais comida. O estudo foi realizado usando moscas de fruta como cobaias. Os cientistas da Universidade de Sydney, na Austrália, perceberam que, quando submetidos a uma dieta com alimentos adoçados artificialmente, esses insetos comiam até 30% a mais do que os outros, no grupo de controle. Em seu trabalho, publicado

pelo periódico científico “Cell Metabolism”, os pesquisadores utilizaram o adoçante sucralose, muito presente em diversos refrigerantes. Mas eles dizem que o mesmo efeito deve ser observado com outros produtos. De acordo com o professor Greg Neely, um dos autores do estudo, tudo pode ser explicado pelo mecanismo de recompensa do cérebro. Quando nosso corpo ingere calorias, que são a fonte de energia para qualquer atividade, esse mecanismo ativa uma sensação de prazer, que é a tal recompensa. É como se o cérebro dissesse: “Muito bem, você ingeriu calorias. Precisamos disso para viver”. Por outro lado, quando o cérebro reconhece o gosto de doce, mas percebe a ausência de calorias, ele não ativa a sensação de prazer e saciedade. Pelo contrario: pede mais comida. A pesquisa também concluiu que adoçantes artificiais levam a insônia e outros problemas associados com desnutrição ou com o

Leo Martins / Agência OG

Adoçante: estudo diz que produto pode ter efeito contrário

estado de jejum. Segundo o estudo, quando você deixa uma mosca de fruta com fome, o cérebro do inseto não o deixa dormir porque pensa

que o corpo precisa de mais calorias. E não se consegue mais calorias durante o sono. (Fonte: Agência O Globo)

Alternativas saudáveis para adoçar sua vida: É uma unanimidade na medicina que qualquer açúcar ou adoçante, ainda que natural, deve ser usado com moderação. A base de uma alimentação saudável deve ser sempre com frutas, verduras, grãos integrais, sementes e castanhas, carnes, peixes e ovos. Portanto, a ingestão de açúcar deve ser esporádica, mesmo que às vezes todos tenham a vontade de comer algo doce. É natural. E o que fazer, quais são as alternativas mais saudáveis para sua saúde.... Nesse caso, a recomendação é o uso de açúcar mascavo, melado de cana, mel, stévia, ou, no caso dos diabéticos, açúcar de coco ou xylitol. Receitas com estes produtos são facilmente encontradas na internet, além de farta literatura. Açúcar branco refinado, aspartame, sacarina ou sucralose, são, definitivamente, substâncias que todos especialistas recomendam para serem cortadas de vez da sua dieta.


Julho 2016

Publicação mensal da Associação dos Professores Universitários de Santa Maria

17


18

Publicação mensal da Associação dos Professores Universitários de Santa Maria

Julho 2016

Mudanças climáticas

Previsão de forte impacto no RS

O

Rio Grande do Sul precisa estar cada vez mais preparado para enfrentar eventos climáticos como o que ocorreu na capital gaúcha, em 29 de janeiro”. O alerta foi feito pelo presidente da Comissão Rio Grande Resiliente da Assembleia Legislativa, deputado João Reinelli (PV), durante audiência pública para tratar sobre o Combate as Mudanças Climáticas na Região Sul do Brasil. Na avaliação do geógrafo e professor de Climatologia do departamento de Geografia da UFRGS, Franscisco Aquino, o debate sobre mudanças climáticas que estão acontecendo precisa ser difundido e ampliado pela sociedade brasileira e essa discussão deve começar nas escolas gaúchas, assim como de todo país. Conforme Aquino, a comunidade científica brasileira vem subsidiando o governo federal e estadual com informações sobre o estado das alterações do clima e os impactos previstos. “Tivemos avanços no âmbito nacional e regional com o menor consumo de combustíveis fósseis e menor desmatamento, mas são avanços pequenos em relação aos efeitos da mudança climática global”, explicou. Segundo ele, a Região Sul será fortemente impactada por essas alterações e, por isto, a necessidade de difundir o conhecimento sobre o evento. “Deveríamos ter feitos ações para diminuir esse impacto há pelo menos uma década”, destacou o professor.

Porto Alegre acordou assustada com os grandes estragos do temporal do dia 29 de janeiro

ONU pede agilidade em novas regras para o clima Ao abrir a Sessão de Assinatura do Acordo de Paris, em Nova York, o secretário-geral da ONU, Ban Kimoom, pediu aos países-membros que acelerem a adoção das novas regras sobre mudanças climáticas a fim de evitar que o mundo siga em processo de perigoso aquecimento. “Este documento, em conjunto com a Agenda Para o Desenvolvimento Sustentável – 2030, tem o poder de mudar o mundo”, ressaltou. Criado durante a Conferência de Mudança Climática da ONU,

em 12 de dezembro de 2015, o Acordo de Paris foi adotado por todos os 196 países que integram a Convenção das Nações Unidas sobre a Mudanças no Clima. No texto, as nações se comprometem a trabalhar não só para limitar o aumento da tempetura global em 2 graus Celsius, como também assumiram o compromisso a meta para 1,5º Celsius. “A era do consumo sem consequências chegou ao fim. Nós temos que intensificar nossos esforços para descarbonizar nossas economias”, enfatizou Ban.


Julho 2016

Publicação mensal da Associação dos Professores Universitários de Santa Maria

19

Vista a camisa de futebol da APUSM. Seja um dos nossos atletas!

2

016, para o Departamento de Futebol da APUSM tem significado trabalho e reconhecimento. Após disputar, no primeiro semestre, a Copa AFUVESMA, as três equipes se preparam para futuras competições. Ivan Henrique Vey, Coordenador da Equipe Imembuy/ APUSM- categoria 55 anos: Temos um bom time, um bom plantel. Com alguns reforços somados à sequência de jogos, vamos adquirir entrosamento e melhores resultados. Nesse segundo semestre estamos ainda mais fortes e vamos em busca dos títulos possíveis. Cleber Biazus, Coordenador da APUSM B - categoria 60 anos: Estamos evoluindo e buscando cada vez mais a integração dos associados, dos professores na nossa equipe. Realizamos dois amistosos, queremos entrosar o

time para ir além. Clauton Machado, Coordenador da APUSM A - categoria 60 anos: Há um processo de reestruturação na APUSM A, o time está cada vez mais forte, voltado ainda mais para o associado. Nesse segundo semestre o que buscamos é saúde, coleguismo e bola na rede. Quem tiver interesse em vestir a camisa, calçar as chuteiras e fazer gols, basta entrar em contato com a APUSM. O e-mail para contato é apusm@apusm.com.br , o telefone é o 55 3221-4856. Mas um aviso: as novas inscrições podem ser realizadas até o final do mês de Julho. Quem pode participar: Categoria 55 anos: atletas com idade entre 50 e 54 anos. Categoria 60 anos: atletas nascidos até 1957.

Você quer praticar exercícios físicos na Associação.....

Então confira os dias e horários na sede da APUSM abaixo: ATIVIDADES FÍSICAS 3ª e 5ª das 18 às 19h PILATES 3ª e 5ª - Manhã das 9:30 às 10:30h Tarde das 16:30 às 17:30 h Mais informações na Secretaria da APUSM ou pelo e-mail apusm@ apusm.com.br


20

Publicação mensal da Associação dos Professores Universitários de Santa Maria

Julho 2016

Artigo

Um mundo sem fronteiras… utopia ou possibilidade real? Eloisa Antunes Maciel

E

ssa questão tem sido discutida com alguma frequência atualmente. E, ao que corresponde à sua repercussão, uma pergunta – um tanto vaga - tem sido modestamente evidenciada: Seria concebível a idéia de um mundo sem fronteiras ainda no presente estágio de civilização da Humanidade? Referimo-nos às fronteiras de pensamentos, de liberdades pessoais e grupais - de agremiações, entre outras… Fronteiras que se consubistanciem na ampla e múltipla gama dos direitos dos Direitos Humanos em toda a sua extensão e diversidade? Essa concepção, portanto, estaria determinada – ou condicionada- à de Direito associada à diversidade x acessibilidade multidimensional como fatores mais evidenciáveis numa perspectiva de concessões internacionais de enormes repercussões e significados para os representantes das nações envolvidas ou interessadas, tanto quanto os seus defensores ou mantenedores formais

ou informais. Considerando-se, no entanto, que diferentes países mantm suas normas e padrões de conformidade com princípios estatuidos de acordo com referências instiucionalizadas, mister se faz a consideração aos perfis dos “pretendentes”ao acesso formal ou informal ao território geopolítico-social, visando-se, dessarte, evidenciar-se a compatibilidade desejável à convivência agregadora entre “residentes” e “forasteiros”.

Sob essa ótica, uma vez observados os requisitos que tendam a garantir o êxito almejado, esse êxito tenderia a consolidar a interação entre ambos e, sob o prisma da interação bilateral desejada,estariam basicamente estabelecidos os verdadeiros pilares da construção de um novo mundo sonhado desde os tempos remotos… Essa consideração seria centrada em normas acordadas em consonância com propósitos apre-

sentados por “forasteiros” e ratificadas por “residentes” como um aval ao ganho recíproco visado. Tendem a enquadrar-se nessa situação os casos de missões especiais de estudo, a maioria das ações humanitárias de caráter universal, além de outras iniciativas cujo mérito e a amplitude se justifiquem por sua condição integradora e construtiva, tanto quanto promotora da Paz Universal– escopo sem fronteiras e sem visarem-se meros ganhos unilaterais – ou restritos a uma ou àlgumas das partes envolvidas nos empreendimentos. A cooperação associada aos princípios adotados seria uma constante nesse amplo processo de construção humanitária. Nesse amplo sentido, não existiriam fronteiras entre as nações do Planeta – pois essa meritória iniciativa tenderia a plasmar uma condição de acesso que, embora sob determinada identificação e observância de requisitos pré-determinados,tenderia a garantir o mérito universal de congregar para agregar e, dessarte, viabilizar a verdadeira existência de um VERDADEIRO MUNDO SEM FRONTEIRAS…


Julho 2016

Publicação mensal da Associação dos Professores Universitários de Santa Maria

21

Quem ama cuida

U

ma pergunta rápida: qual é o lugar que você mais gosta de estar? Em casa? No trabalho? Viajando pelo mundo? Para os alunos da Associação Colibri, a resposta carregada de sorrisos e emoção, só podia ser uma, na escola. Se para alguns as férias significam repouso, descanso e passeios, para outros é saudade. A iniciativa que teve início em 07 de dezembro de 1988 foi idealizada por pais que buscavam prestar um atendimento especializado a seus filhos portadores de necessidades especiais. Hoje, a entidade filantrópica atende cerca de 50 jovens e adultos com Síndrome de Down, problemas intelectuais, dificuldades de locomoção e visuais. Além do convívio e bem-estar social, a Associação oferece aos seus alunos em dois turnos, manhã e tarde, de segunda a sexta-feira, oficinas de dança, artesanato, informática e letras. A escola se sustenta por meio de doações e programas assistenciais. Para angariar fundos, os alunos e professores realizam eventos abertos à comunidade em datas co-

memorativas como Páscoa, Festa Junina e Natal. Com poucos recursos e tendo que arcar com encargos burocráticos, a instituição passa por momentos tênues. Segundo funcionários “há dias que faltam lanche”. Embora hajam dificuldades, nada tira a alegria de viver deles, que de maneira positiva nos fazem repensar e valorar as relações

de amizade. Quem tem o interesse em conhecer mais sobre o projeto e quer ajudar, pode doar alimentos, roupas, direto na sede da instituição, Rua Ernesto Becker, nº 478, no Bairro Passo D’areia, em Santa Maria. O telefone para contato é (55) 32233486. Se preferir auxiliar com uma quantia em dinheiro, basta se dirigir

a uma agência do Banco do Brasil, com os seguintes dados: Agencia: 0126-0; Conta: 4265-x; Contribua. Dê mais motivos para os alunos sorrirem e se emocionarem. Colibri: Uma bela história de educação e cuidado com a vida. Ah, a saudade dá-se porque a Associação Colibri está em recesso até 1º de Agosto.


22

Publicação mensal da Associação dos Professores Universitários de Santa Maria

Julho 2016

Novos convênios Nação Verde e APUSM: sinônimo em qualidade de vida

APUSM e Vanis Cabelereiros: realce sua beleza

Qualidade de vida e saúde. Estes são os principais desejos da Associação dos Professores Universitários de Santa Maria com seu público e comunidade. Com o intuito de alentar ao associado para um “viés naturalista”, que a APUSM firma parceria com a Nação Verde- Loja de produtos sustentáveis (naturais, orgânicos, de baixo impacto ambiental). A Nação verde tem o objetivo de mudar a realidade das pessoas, para que elas venham a substituir produtos artificiais e prejudiciais por naturais. A loja sustentável não se detém apenas à alimentação. Além de suplementos, alimentos naturais e orgânicos e, um bistrô de lanches e comidas funcionais, você encontra também, cosméticos e maquiagens orgânicas. O convênio junto a APUSM inclui Desconto de 10% em todos os produtos e serviços, e a Parceria com degustação de produtos e presença de profissionais qualificados, em eventos proporcionados pela Associação. Invista em qualidade de vida. Alimente-se bem. Use Nação Verde. A loja localiza-se na Avenida Nossa Senhora das Dores, 391, próximo à igreja das Dores. O horário de atendimento é de segunda-feira a sábado das 9h às 19h. Para mais informações, acesse o site: Nação Verde; a fanpage: Nação Verde; Se preferir, ligue: 55 3307-2226.

Sentir-se bem consigo mesmo. Estar com autoestima elevada, torna qualquer pessoa radiante. Para isto, a Associação dos Professores Universitários de Santa Maria apresenta mais uma opção de beleza: Vanis cabeleireiros. O salão de estética oferece 10% de descontos aos associados em todos os serviços. Confira: Depilação de Rollon e Cera de panela; Designer de sobrancelhas e Henna; Escova progressiva e definitiva; Cote e colorimetria; Maquiagem e peteados; Manicure e pedicure; Unhas decoradas; Especialista em escova AFRO; Corte masculino- sala exclusiva. Você encontra a Vanis Cabeleireiro na Rua Venâncio Aires, 1831, Sala 08, na tradicional galeria do comércio, de segunda a sábado das 9h às 19h. Para marcar um atendimento, ligue: 55 3317199.

APUSM e STOIKA: uma parceria de força

Todos os dias, nosso corpo é exigido em intensidade e formas diferentes, seja nas atividades de vida diária ou na prática esportiva. Para dar um “Up” no seu preparo físico e fortalecer seu corpo para enfrentar as barreiras do cotidiano, a APUSM apresenta mais esta novidade ao seu associado: Stoika- academia especializada em treinamento funcional. A academia possui uma equipe formada por profissionais qualificados da área da educação física e fisioterapia, comprometidos em auxiliar os alunos a atingirem seus objetivos de forma organizada e eficaz, respeitando a individualidade de cada um. O método de treinamento é “explorar” o corpo de forma integrada, através de padrões básicos de movimento, como puxar, agachar e empurrar. Os associados APUSM tem 10% de descontos nos serviços. A Stoika localiza-se em Santa Maria, na Rua Gaspar Martins, 1751. O horário de funcionamento é das 7h às 22h. Para mais informações acesse o site: STOIKA Obs: Crianças a partir dos cinco anos podem integrar aos treinamentos. Não há uma idade máxima.

A APUSM fechou mais um novo convênio, desta vez com a cirurgiã-dentista, Alessandra Camponogara de Freitas. A odontóloga realiza todos os tipos de tratamentos: restaurações estéticas, próteses, clareamento dental, tratamentos preventivos, extrações, atendimento de urgência, entre outros. Todos os procedimentos terão valor especial para os associados e seus dependentes. Aproveite a nova parceria e marque sua avaliação e consulta.


Julho 2016

23

Publicação mensal da Associação dos Professores Universitários de Santa Maria

Conveniados da APUSM Saúde

Serviços diversos

Agafarma Telefone (55)3222.6509 *Desc. especiais para associados APUSM (consulte).

Centro Óptico Fone: (55)3307.1337 *Desc. especiais para associados APUSM (consulte)

Superauto Telefone:(55) 3027.7974 *Desc. especiais para associados APUSM (consulte)

Fisioterapeuta Marcelo de Carvalho Pozza Telefone (55)9989.3099 *Desc. especiais para associados APUSM (consulte)

Gaiger Telefone:(55) 3026.0022 Descontos de 20% nas compras à vista e 10% no crediário.

Wagner Advogados Associados Fone: (55) 3026.3206 *Desc. especiais para associados APUSM

Reni Farmácias

*Desc. especiais para associados APUSM (consulte)

Jornal A Razao Telefone: (55) 3220.2100 Descontos de 15% na assinatura anual

Sicredi Telefone:(55) 3026.0198 *Condições especiais para associados APUSM

Delínea – Pilates e Atividades Físicas Telefone (55)3317.0493 *Desc. especiais para associados APUSM (consulte)

Up-Escola de Idiomas Telefone (55) 3025-6217 *Desc. 10% de descontos em qualquer de seus cursos

River’s Grill e Restaurante Fone: (55) 3347.2019 *Desc. de 10% para associados APUSM

Centro Clínico Camobi Fone: (55) 3226.6571 10% a 20% de desconto para associados e familiares

Curso de Inglês CNA Telefone:(55) 3028.0050 *Desc. especiais para associados APUSM (consulte)

Minami Motors de Santa Maria Consórcio Honda. (55)2101.1300 *Desc. especiais para associados APUSM (consulte)

Laura Weber – Fisioterapia, RPG e Pilates Telefone (55)9608.0048 *Desc. 10% para associados APUSM (consulte)

Pet Life Telefone: (55) 3015.5815 *Desc. especiais para associados APUSM (consulte)

Consultório Psicológico de Juliana Martins Telefone (55) 9114 9919 *Desc. 30% de desconto nas consultas e atendimentos

Lavagem Zero Grau Fone: (55)9998.2050 / 9902.4477 10% de desconto

Andréa Machado - Psicóloga Telefone (55) *Desc. 50% de desconto nas consultas e atendimentos

Cia Todo Dia Telefone: (55) 3307.4661 Descontos 10% para associados.

Beleza Ville Telefone (55) 3347.1113 *Desc. especiais para associados APUSM (consulte)

Andréa HOME CARE – Psicóloga Telefone: (55) 9133 9633 50% de desconto.

Adriana Stiler Bohrer - Estética e Cosmética em Santa Maria Telefone (55)9680.0043 *Desc. 15% para associados APUSM (consulte)

Eleven Burger Telefone: (55) 9124-0288 Descontos 10% para associados.

Fone: 0800 510 1933 - (55) 3223 1930

Mariane Noal Moro: Pilates e massagem Telefone: (55) 3025-2216 Descontos de 5 a 15% para associados. Psicólogos - Diego Gomes e Volnei Telefone: (55) 9673-8293 / 9953-3693 Consulte descontos para associados. Amanda Facco - Terapeuta da Postura Telefone: (55) 3317.2442 Descontos especiais para associados e familiares. Dr. Luciano Ceron – Dentista Telefone: (55) 3225 3123 10% de desconto. Stefani Brondani – Nutricionista Telefone: (55) 9948 3060 10% de desconto.

Unidas – Aluguel de carros Telefone: (55) 9641 8888 10% de desconto. Nova Derme – Farmácia de manipulação Telefone: (55) 3025 2115 15% de desconto. Empório dos Cupcakes Telefone: (55) 9663-8366 Descontos de 5 a 10% para associados. Santo Garden - Restaurante Telefone: (55) 3027.7898 Descontos 10% para associados.

Matheus Bortolaso - Cirurgião Dentista Telefone: (55) 3015.5300 Descontos para associados.

Wizard Escola de Idiomas Telefone:(55) 3222.2293 Descontos de 20% em todos os idiomas para funcionários, dependentes e associados da APUSM Clínica Kowalski Odontologia Telefone: (55) 3026-2962 *Desc. especiais para associados APUSM (consulte) Diego Gonçalo Gomes - Psicólogo Telefone: (55) 9167.7797 Descontos para associados.

Hotéis Lar Residence - Porto Alegre/RS Fone/Fax: (51) 3226.6126 *Desc. especiais para associados APUSM (consulte) Holiday Inn - Porto Alegre/RS Telefone (51)3378.2727 *Desc. especiais para associados APUSM (consulte) Dall´Onder Hotéis (Bento Gonçalves - RS) Grande Hotel Telefone:(54) 3455-3555 Vittoria Hotel Telefone:(54) 3455-3000 *Desc. especiais para associados APUSM (consulte) Hotel Jandaia (Rede Versare) - Santana do Livramento/RS Fone: (55) 3242.2288 *Desc. especiais para associados APUSM (consulte) Hotel Continental Santa Maria - SM Telefone:(55) 3028-7070 *Desc. especiais para associados APUSM (consulte)


24

Publicação mensal da Associação dos Professores Universitários de Santa Maria

Julho 2016

Profile for Apusm Santa Maria

Jornal APUSM edição Julho 2016  

Jornal APUSM edição Julho 2016  

Advertisement