__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

ASSOCIAÇÃO PAULISTA DOS TÉCNICOS DE SEGURO

APTS Associação Paulista dos Técnicos de Seguro

notícias

APTS sob novo comando

Ano XXVII - Nº 119 / 2015

Osmar Bertacini, novo presidente da APTS


palavra do presidente

Que venha 2016! Caros amigos, Apesar dos problemas políticos e econômicos que afetam o país, não podemos deixar de reconhecer que o ano foi positivo para o setor de seguros. É possível que em 2016 o setor sofra algum impacto do agravamento da crise econômica e política, mas, tenho certeza que a instituição seguro é sólida e está preparada para atravessar esse período. Na APTS, tivemos a nossa posse festiva em um evento que ficará marcado não apenas pela importância de configurar o início de uma nova etapa na entidade, como também pelo clima de amizade e confraternização. Registro aqui o agradecimento da diretoria a todos os patrocinadores e apoiadores, que confiaram na tradição e competência da APTS.

Osmar Bertacini Presidente da APTS

ASSOCIAÇÃO PAULISTA DOS TÉCNICOS DE SEGURO

APTS Associação Paulista dos Técnicos de Seguro

notícias

APTS SOB NOVO COMANDO Presidente Osmar Bertacini retorna ao cargo 18 anos depois, prosseguindo com a missão de valorizar a técnica de seguros

Neste ano, a diretoria da APTS tem se reunido com frequência para traçar os rumos dos trabalhos no próximo ano. Composta por elementos capazes e motivados, a diretoria já estabeleceu, em linhas gerais, que a APTS deverá concentrar seus esforços em eventos de maior porte e com conteúdo técnico. Aliás, a valorização da técnica de seguro, razão de criação da APTS, será a diretriz de nossa gestão. Até porque, considero a técnica um dos pilares da atividade seguradora e, como tal, essencial para manter o desenvolvimento do seguro.

Ano XXVII - Nº 119 / 2015

Desejo a todos Feliz Natal e Ano Novo repleto de realizações.

8 . capa

Retornando à presidência da APTS, Osmar Bertacini e diretoria realizaram posse festiva no final de outubro. Além do clima de confraternização, evento foi marcado pela emoção das homenagens, em especial ao ex-presidente e fundador Luis López Vázquez

revista APTS edicão 119 l

sumário 4. REGISTRO 7. especial Em evento do Sindseg-SP, o ex-ministro Maílson da Nóbrega traçou um panorama da economia para os próximos anos

20. DESTAQUE Os crimes cibernéticos são uma ameaça crescente 21. PALESTRA DO MEIO-DIA • “Prática Atuarial e Longevidade”, por Magali Zeller 24. Mercado 28. GERAL 3


registro

Ricardo Viveiros recebe título

5º Encontro de Amigos da CIS

O último encontro do ano dos “Amigos da CIS”, série de eventos que reúne os ex-funcionários da extinta Companhia Internacional de Seguros (CIS), foi realizado dia 3 de dezembro, no Circolo Italiano. O encontro contou com as ilustres presenças do ex-presidente da CIS, Plácido da Rocha Miranda, sua esposa Maria Pia e o sobrinho Rodolfo da Rocha Miranda. Na ocasião, Plácido, que tem 96 anos e reside em Petrópolis (RJ), recebeu uma placa em sua homenagem. Ex-funcionário da CIS, o presidente da APTS, Osmar Bertacini, também participou do encontro.

Amigo de Ricardo Viveiros, Osmar Bertacini participou da solenidade de entrega do título de Doutor Notório Saber do Mackenzie, dia 3 de dezembro. O título outorgado ao jornalista e escritor, que comemora 50 anos de atividades, tem equivalência acadêmica de doutorado stricto sensu.

Sincor-SP promove confraternização com a imprensa

A imprensa de seguros se reuniu em happy hour promovida pelo Sincor-SP dia 30 de novembro no Bar Brahma, em São Paulo (SP). Representantes dos principais veículos de comunicação do setor foram recepcionados pelo presidente do Sincor-SP, Alexandre Camillo, e diretoria. Osmar Bertacini, que também é 2º secretário do Sincor-SP, marcou presença no evento.

Almoço de fim de ano do mercado paulista

O presidente Osmar Bertacini e toda a diretoria da APTS participaram do almoço de fim de ano do mercado segurador de São Paulo, promovido pelo Sindseg-SP, dia 2 de dezembro no Maksoud Plaza. O evento contou com a palestra do ex-ministro Maílson da Nóbrega, que avisou: “a crise ainda vai piorar para depois melhorar”. 4

revista APTS edicão 119 l


Festa de confraternização da UCS

A União dos Corretores de Seguros (UCS) festejou o fim de ano na noite de 27 de novembro, no Buffet Espaço Tender II, no Ipiranga, capital paulista. Ao lado do presidente da UCS, Marcelo Guirao, o presidente da APTS participou do sorteio de brindes. Animada por DJ, a festa surpreendeu os convidados com uma atração artística futurista, os robôs de led, estilo transformers, com fantasias de cerca de dois metros de altura e cobertos por luzes.

Prêmio Cobertura 2015

As empresas que se destacaram em 2015, tiveram o seu mérito reconhecido durante o XVIII Prêmio Cobertura Performance, realizado em 23 de novembro, na Casa Petra, em São Paulo, com a presença de 400 pessoas. A APTS foi representada no evento por seu presidente, Osmar Bertacini, e o secretário, Evaldir Barboza de Paula. Na ocasião, Bertacini fez a entrega de troféus a empresas vencedoras em algumas categorias.

Troféu Pinhão de Ouro 2015

A edição 2015 do Troféu Pinhão de Ouro foi promovida pelo CVG-PR na noite de 26 de novembro, no Buffet Nova Curitiba, na capital paranaense. Realizada anualmente, a premiação reconhece os destaques do mercado de seguros de Vida, Previdência, Saúde e Dental no território paranaense. O levantamento é feito por meio de votação online, no site da entidade, pelos corretores de seguros que atuam na região. Durante a solenidade, foi realizada a escolha presencial dos vencedores das 17 categorias premiadas. Recebido pelo presidente do CVG-PR, David Novloski, o presidente da APTS, Osmar Bertacini, fez a entrega de troféus. revista APTS edicão 119 l

Mitsui Sumitomo comemora 50 anos

A Mitsui Sumitomo Seguros no Brasil celebrou 50 anos de presença no Brasil em evento no dia 21 de outubro, com a presença do Yasuyoshi Karasawa, CEO global do MS&AD Insurance Group. “A estratégia do Grupo MS&AD é a formar um grupo financeiro e de seguros em nível de líder mundial. Consideramos o Brasil como uma base extremamente importante para avançar com a estratégia de negócios internacionais”, disse ele em entusiasmado discurso. Osmar Bertacini prestigiou o evento. 5


registro

Posse de diretoria da Aconseg-SP

Marcos Colantonio, da Copa Sul Assessoria de Seguros, foi empossado presidente da Aconseg-SP para o biênio 2016-2018 em cerimônia realizada dia 17 de novembro, no Circolo Italiano. O evento também marcou a comemoração de 12 anos da Aconseg-SP. Prestigiando o evento, o presidente da APTS, que já exerceu o cargo de presidente da Aconseg-SP, levou os cumprimentos da entidade para Colantonio.

Congresso do CIST

O CIST (Clube Internacional de Seguros de Transportes) realizou o III Congresso Latino Americano de Seguros de Transportes & Cascos, maior evento de seguros de transportes da América Latina, em parceria com a ALSUM (Associação Latino Americana dos Subscritores Marítimos). O presidente da APTS, Osmar Bertacini, marcou presença no evento, que aconteceu entre os dias 16 e 19 de novembro, no Hotel Tivoli Mofarrej São Paulo.

APTS na campanha “DPVAT” Vestido com a camiseta e o boné da campanha “DPVAT - Corretores de Seguros Juntos com Você”, o presidente da APTS, Osmar Bertacini, se encontrou com um grupo de corretores do Sincor-SP em frente ao Teatro Municipal, dia 18 de novembro. Em apoio à campanha, ele distribuiu folhetos informativos e lixeirinhas de carro para motoristas e pedestres, com o intuito de divulgar o direito de receber integralmente as indenizações do seguro obrigatório de trânsito. Bertacini também levantou faixas no cruzamento da Rua Xavier de Toledo, com mensagens sobre a atuação da categoria no atendimento gratuito 6

à população. “Quis apoiar e participar da campanha porque considero extremamente importante a conscientização da população em relação aos seus direitos no seguro DPVAT”, disse. revista APTS edicão 119 l


especial

“Impeachment piora a economia, mas não acaba com o país” Em evento do Sindseg-SP, Maílson da Nóbrega considerou que a saída da presidente poderá agravar a situação da economia, mas não impedirá sua recuperação Poucas horas antes do anúncio de acolhimento do pedido de impeachment por Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados, o ex-ministro Maílson da Nóbrega (foto) falava para uma plateia atenta de lideranças do setor de seguros sobre o cenário econômico futuro, com ou sem a troca de comando no governo. No dia 2 de dezembro, em almoço de fim de ano do mercado segurador de São Paulo, realizado pelo Sindseg-SP, no Maksoud Plaza, o ex-ministro trouxe uma notícia ruim e uma boa. A ruim é que a crise ainda vai piorar; a boa é que depois melhora. Significa que o próximo ano será difícil, mas a recuperação econômica começará em 2017 e avançará até 2018, quando então haverá a eleição de novo presidente da República. Seu palpite é que o eleito sairá dos quadros do PSDB. Maílson se mostrou cético em relação à possibilidade de impeachment. “Acho que não haverá e que a Dilma concluirá o seu mandato. Ela precisa estar lá para que as leis sejam cumpridas, as normas sejam observadas e para pagar seus pecados”, afirmou. Mas caso essa possibilidade se confirmasse, também poderia apostar na permanência da presidente. O ex-ministro lembrou que, exceto pela decisão solitária do presidente da Câmara, todas as outras quatro etapas do processo envolvem muitas pessoas, inclusive dois terços dos deputados. E se o processo avançar, tranquilizou: “o Brasil não vai acabar”. Desde o impeachment do presidente Collor, o Brasil obteve conquistas, como a democracia, as instituições e o amadurecimento da população, que em sua opinião são “indestrutíveis”. Maílson previu o agravamento da crise econômica e política no próximo ano, mas tratou tranquilizar a plateia de seguradores, afirmando que o país reúne todas as condições para não apenas se recuperar, como para voltar a crescer. A chave para o crescimento econômico será a produtividade. Porém, alertou que depende de reformas, tributária, previdência social, infraestrutura e logística etc., reconhecendo, em seguida, que “estas reformas são complicadas, porque hoje há uma deficiência no governo”. Mesmo que a presidente permaneça no poder - o que seria o melhor cenário para o país, a seu ver -, será preciso seguir a lei. “Erramos na escolha da presidente, mas ela não pode sair do poder, a não ser de acordo com a lei”, frisou. Na avaliação de Maílson, o país reúne os três elementos de uma ordem política virtuosa, como bem identificou o cientista politico americano Francis Fukuyama em suas obras. O país possui um estado forte, no sentido institucional de prover educação de qualidade e ambiente para a prosperidade dos negórevista APTS edicão 119 l

cios; um estado de direito, segundo o conceito inglês de que ninguém está acima da lei; e accountability, termo que não tem tradução, mas que representa a obrigação da prestação de contas. “Isso não significa que não haverá crise, mas essa ordem será preservada ao longo do tempo”, disse. Ainda que 3 milhões de famílias retornem às classes D e E, conforme apurou estudo da Tendências, o ex-ministro descarta o risco de convulsão social, já que a maioria está amparada por um amplo programa social. Nas suas contas são 150 milhões de assistidos pelo governo: 50 milhões do Bolsa Família; 80 milhões da Previdência Social (com 32 milhões de segurados); 10 milhões de funcionários públicos; seguro desemprego, Bolsa Presidiário etc. “Em resumo, a comida não vai sumir do prato do pobre”, afirmou. O que poderia piorar o cenário, em sua visão, é a perda do grau de investimento, desta vez pela Moodys. Entretanto, por maior que sejam as manobras do governo para reduzir gastos, como foi o caso do corte do número de ministérios, o orçamento é rígido. Dai porque dependerá da CPMF para fechar as contas. “Sem o imposto, o governo poderá caminhar para uma situação de insolvência”, disse. Mas, o ex-ministro apontou a solidez das instituições e as oportunidades que o país apresenta como as condições necessárias para “atravessar esse deserto”. Ele confia que o Brasil tem condições de iniciar um novo ciclo de prosperidade em 2018. 7


capa

Festa de posse marca o inĂ­cio de nova fase na APTS 8

revista APTS edicĂŁo 119 l


Depois de 18 anos, Osmar Bertacini retorna ao comando da entidade com disposição para trabalhar pela disseminação da técnica de seguros

A emoção deu o tom da festa de posse da nova diretoria da APTS, realizada na noite de 29 de outubro, no Circolo Italiano, na capital paulista. Com a presença de 250 pessoas, entre associados, convidados e autoridades, o evento marcou o retorno de Osmar Bertacini à presidência da APTS, 18 anos depois de ter cumprido duas gestões consecutivas, entre 1993 e 1997. Quarto presidente em 32 anos de existência da entidade, Bertacini foi eleito por aclamação, em setembro, juntamente com sua diretoria, para cumprir a gestão 2015/2017.

revista APTS edicão 119 l

9


capa

Em seu discurso de posse, Bertacini manifestou a satisfação de voltar ao comando da APTS. “É um momento especial, em que aceitei o desafio profissional, juntamente com minha diretoria, de conduzir a APTS, uma entidade querida”, disse. Ele aproveitou a ocasião para fazer uma retrospectiva dos seus 54 anos de carreira na área, iniciada em 7 de junho de 1962, na Companhia Internacional de Seguros (CIS). Quando a APTS foi fundada, em 1983, Bertacini ainda ocupava o cargo de superintende de Pessoas na Internacional de Seguros, primeira e única seguradora em que trabalhou e na qual permaneceu por 22 anos. Presença assídua nos eventos da entidade, ele passou a cultivar um carinho especial pela associação. “Gostei tanto da APTS que desejei ser o seu presidente”, relata. Eleito em 1993, sua gestão na presidência da entidade foi marcada pela realização de importantes eventos. Bertacini concluiu sua gestão em 1995 e decidiu concorrer novamente à presidência da APTS. Mas, um fato até então inédito na história da entidade marcou esse pleito, com a disputa de dois candidatos ao cargo. Vencedor da eleição, ele encerrou a gestão em 1997, concluindo que havia cumprido sua missão. “Dei continuidade ao trabalho de meus antecessores e consegui fortalecer a APTS”, pondera. Hoje, seu desafio à frente da APTS será trabalhar pela valorização da prática técnica em seguros. “Discordo daqueles que dizem que o técnico de seguros não existe mais, já que 90% dos corretores concentram suas vendas em seguro automóvel. Há, sim, espaço para técnica e tudo é uma questão de iniciativa e de desenvolvimento de um trabalho”, afirma. 10

Para o presidente da APTS, a técnica de seguros é o pilar da atividade seguradora e essencial para o seu desenvolvimento. No encerramento do evento, o presidente da APTS transmitiu uma mensagem aos jovens: “Não se deixem levar pela idade, continuem trabalhando, porque o trabalho faz bem, enobrece. Eu poderia estar descansando, mas me sinto confortável em fazer o que gosto. Enquanto Deus permitir, continuarei trabalhando em prol do mercado de seguros”.

Patrocinadores A festa de posse de diretoria da APTS foi patrocinada pelas empresas: Alfa Seguradora; Argo Seguros; Berkley; Chubb Seguros; Cia. Excelsior Seguros; Delphos; Europ Assistance; Fenacor; HDI Seguros; Icatu Seguros; Minuto Seguros; Mitsui Sumitomo Seguros; Mongeral Aegon; Plano de Amparo Social Imediato (PASI); Sindicato dos Securit ários do Estado de São Paulo; Sindseg-SP; Suhai Seguradora; SulAmérica Seguros; Terra Brasis Resseguradora; Travelers; Yasuda Marítima Seguros. revista APTS edicão 119 l


Ex-presidente da APTS é homenageado Na festa de posse, um dos momentos mais emocionantes foi a homenagem surpresa que o novo presidente preparou para o seu antecessor, Luis López Vázquez, fundador da APTS. “Meu caro amigo, que, oriundo da Espanha, construiu em território brasileiro sua história, com muita capacidade e inteligência, contribuindo com o mercado de seguros”, disse Bertacini. Em seguida, também registrou a presença de seu antigo professor na Funenseg, José Francisco de Miranda Fontana. “Obrigado por sua honrosa presença”, disse. Para completar a surpresa, Bertacini fez suspense sobre a entrega da placa. “Será realizada por uma pessoa muito especial”, disse. Em seguida, ao som de Canção da América, surgiu no salão o filho de Vázquez, Luis Octávio López Vázquez, acompanhado da esposa. Sob muitos aplausos, ele leu a placa, cujos dizeres iniciavam com uma frase do filósofo alemão Goethe, em espanhol:

“No basta con saber, también hay que aplicar. No basta con querer, también hay que actuar”. “A Associação Paulista dos Técnicos de Seguro nasceu, há 32 anos, do seu sonho de disseminar o conhecimento técnico. Desde então, a APTS vem promovendo o saber e colaborando para o desenvolvimento do mercado de seguros. Muito obrigado por sonhar, acreditar e realizar. Que a sua obra se perpetue e o seu exemplo inspire gerações futuras”. revista APTS edicão 119 l

11


capa

Noite de muitas homenagens Entre as diversas seguradoras representadas na festa, algumas prestaram homenagens ao atual presidente da APTS. O presidente da Tokio Marine José Adalberto Ferrara e outros diretores entregaram placas a Bertacini e a Vázquez. Representando o presidente da Chubb Seguros, Nivaldo Venturini, a diretora Priscila Magni se juntou a outros colaboradores da empresa para render homenagem ao novo presidente. Cristina Lopes, da SulAmérica, presenteou Bertacini com um arranjo de flores. Os executivos da Dekra também trouxeram um presente para Bertacini. Ao lado do diretor da APTS, Pedro Barbato Filho, que atuou como mestre de cerimônia, Bertacini encerrou as homenagens chamando ao palco às colaboradoras da APTS. Ele fez questão de registrar seu agradecimento pela organização do evento à Lucilaine Mendes, Cirlene Siqueira e Márcia Alves.

Outra grata surpresa da noite foi a apresentação da cantora lírica Giovanna Maira, que perdeu a visão ainda na infância. Bertacini contou que a conheceu em um evento do setor e ficou emocionado com a sua bela voz e o seu exemplo de superação. “Fiz de tudo para trazê-la à minha posse”, disse. Giovanna cantou o hino nacional e alguns sucessos internacionais, encantando a plateia. 12

revista APTS edicão 119 l


capa D i r e t o r i a d a A P T S ( G est ã o 2 0 1 5 / 2 0 1 7 ) Presidente: Osmar Bertacini Depois de 22 anos na Internacional de Seguros, Bertacini fundou a sua empresa, a Humana Seguros, em 1991. Na área associativa, foi fundador e presidente do CVG-SP por duas gestões (2009 a 2012); primeiro presidente da Aconseg-SP; sócio fundador da UCS e diretor do CCS-SP (2012 a 2013). Atualmente, é o 2º secretário do Sincor-SP, diretor da Camaracor-SP, da SBCS da ANSP, presidente do Conselho Administrativo do CVG-SP e diretor do Lions Clube de Santana.

Secretário: Evaldir Barboza de Paula Corretor de seguros e advogado, atua no mercado de seguros há 45 anos. Foi professor da Funenseg no curso de RCG (entre 1982 e 1992) e coordenador da Comissão Político Parlamentar do Sincor-SP (entre 2008 e 2015). Atualmente, ocupa o cargo de diretor-secretário do Clube dos Corretores de Seguros de São Paulo (CCS-SP).

14

Tesoureiro: Hélio Opípari Junior Formado em engenharia mecânica, iniciou em seguros na área de inspeção de riscos na empresa Perfecta, na década de 80. Nesse período, teve passagem pela área técnica da SulAmérica Seguros e, posteriormente, dirigiu a filial paulista da Senra Assessoria. Atualmente é diretor da Padrão Opípari Assessoria em Seguros.

revista APTS edicão 119 l


C o n s e l h o Ad m i n i s t r a t i v o / E fetivos

Luiz Gustavo Miranda de Souza Atuou na Ajax, em meados da década de 60; fundou a Interseg Corretores de Seguros. Foi fundador e presidente por quatro anos da Aconseg-SP e conselheiro da APTS. Atualmente, é presidente do grupo Continental.

Paulo de Tarso Meinberg Consultor e corretor de seguros, formado em Administração de Empresas, técnico de seguros, atua no mercado de seguros há mais de 40 anos. Ocupou cargos de direção em diversas seguradoras; foi presidente do CVG-SP. Atualmente, é membro de associações do mercado de seguros, diretor do Ibracor e sócio gerente da Meinberg & Meinberg STA Corretagem de Seguros.

Pedro Barbato Filho Corretor de seguros, advogado, foi mentor do CCS-SP entre 2000 e 2002. Atualmente é presidente da Câmara dos Corretores de Seguros do Estado de São Paulo (Camaracor-SP), membro do conselho da SBCS e âncora do programa A Grande Jornada pelo Mundo do Seguro, na Rádio Imprensa FM 102,5 MHz, desde 1991.

C o n s e l h o Ad m i n i s t r a t i v o / S up l entes

José Cesar Caiafa Junior

Josafá Ferreira Primo

Engenheiro com pós-graduação em Engenharia de Segurança e corretor de seguros pela Funenseg. Foi gerente na Itaú Seguros, superintendente na Sul América e diretor na Iochpe. Atuou como diretor da Interbrook e membro do IAAI (International Association of Arson Investigators) e do IIV (Internacional Instituto of Valuers). Atualmente, é diretor da corretora de seguros Flex.

Corretor de seguros e administrador de empresas; gestor de risco em saúde suplementar; palestrante e coach de gestão de riscos. Iniciou carreira SulAmérica Saúde. Foi membro da pasta de saúde suplementar no Sincor-SP e único corretor a se classificar no Prêmio Antônio Carlos de Almeida Braga, da CNseg, em 2013, com o projeto de “Aprimoramento da Governança do Corretor de Seguros”.

15 revista APTS edicão 119 l

Maria Amélia Saraiva Advogada, atuou como superintendente Jurídica da Liberty Paulista Seguros, de 1991 a 1999. Ocupou a gerência Jurídica da Manah, de 1985 a 1991. Foi gerente do Contencioso Tributário do Banco Comércio e Indústria de São Paulo, de 1983 a 1985. Integrou a Comissão de Assuntos Jurídicos da Fenaseg, de 1992 e 1999, na qual participa, hoje, na condição de convidada. É acadêmica da ANSP. 15


capa Flash

16

Flash

Flash

Flash

Flash

Flash

Flash

Flash

Flash

revista APTS edic達o 119 l


Flash

Flash

revista APTS edic達o 119 l

Flash

Flash

Flash

Flash

Flash

Flash

Flash

17


capa Flash

18

Flash

Flash

Flash

Flash

Flash

Flash

Flash

Flash

revista APTS edic達o 119 l


Flash

Flash

revista APTS edic達o 119 l

Flash

Flash

Flash

Flash

Flash

Flash

Flash

19


destaque

Cibercrimes provocam prejuízos de US$ 325 milhões Com novo tipo de vírus, cibercriminosos cobram resgate para liberar acesso de empresas aos seus sistemas de dados O CryptoWall, um agente malicioso do tipo ransomware bastante agressivo, já rendeu aos cibercriminosos uma receita US$ 325 milhões. Os dados são do relatório “Lucrative Ransomware Attacks: Analysis of the CryptoWall Version 3 Threat,” o primeiro estudo publicado que combina a inteligência e as pesquisas de ameaças dos membros fundadores e contribuintes da Cyber Threat Alliance (CTA), órgão composto por empresas, como a Fortinet, a Intel Security e a Symantec Corp., entre outras. Os vírus da categoria ramsonware se espalham por meio de anexos de e-mails (com extensões JPG, PDF, DOC e PPT), enviados em nome de remetentes conhecidos pela vítima. Um exemplo deste tipo de malware é o Arhiveus-A, que compacta arquivos no computador da vítima em um pacote criptografado. Ao infectar a máquina, o vírus restringe o acesso ao sistema e o cibercriminoso cobra um valor de resgate para liberar o acesso. Quando a vítima realiza o pagamento, geralmente através de moeda eletrônica como o bitcoin, recebe uma chave do criminoso cibernético para desbloquear seus dados. Se não pagar e não tiver feito uma cópia de segurança dos seus dados, a perda será permanente.

20

No Brasil, a percentagem de negócios prejudicados por invasões cibernéticas nos últimos doze meses até outubro foi de 11%, a mesma computada para toda a América Latina. Tal índice está um pouco abaixo da média global, de 15%, segundo pesquisa da pesquisa da Grant Thornton, empresa do ramo de auditoria, consultoria e outsourcing no Brasil. O estudo realizado com mais de 2,5 mil líderes empresariais em 35 economias, diz que mais de uma em cada seis companhias pesquisadas foi alvo de um ataque cibernético no ano passado. Proteção do seguro Em matéria de proteção financeira contra riscos cibernéticos, o seguro ainda dá os primeiros passos. Em seminário promovido pela Associação Brasileira de Gerência de Riscos (ABGR), no final de outubro, o representante do Clyde&Co, escritório de advocacia inglês, Jai Sharma disse que menos de 10% das empresas compram seguro específico contra risco cibernético no mundo. Ele explicou que a baixa penetração do seguro é resultado da complexidade do tema e da falta conhecimento, inclusive das seguradoras. “É um território ainda desconhecido para um produto de grande escala. O ponto é que se trata de um ambiente difícil de rastrear; é como uma floresta”, afirmou. No artigo “Riscos Cibernéticos e a Dificuldade em sua Análise de Risco”, Pedro Cardoso Costa, advogado do escritório Poletto & Possamai, comenta a dificuldade de se analisar o risco cibernético, tanto por parte de segurados como de seguradoras. “A análise é bastante árdua, especialmente quanto à mensuração da exposição ao risco pelo segurado”. Ele cita Tom Bolt, diretor do Lloyd’s, segundo o qual esse comportamento é atribuído a três fatores: a exposição sistêmica a redes de comunicação que levam a sucessivos ataques; o fato de que o ataque cibernético é, em sua essência, não sentida de imediato pelo ofendido; e a natureza dinâmica da ameaça existente. “Os riscos cibernéticos ainda possuem muito espaço para discussão e desenvolvimento no setor de seguros”, conclui Costa. revista APTS edicão 119 l


PALESTRA DO MEIO-DIA

PATROCINADORES

APOIO


palestra do meio-dia

Seguro longevidade é opção para fundos de pensão A atuária Magali Zeller defende o compartilhamento do risco de longevidade entre fundos de pensão e seguradoras O aumento da expectativa de vida e o envelhecimento acelerado da população brasileira trouxeram novos desafios para o sistema de previdência complementar fechada. Hoje, os cerca de 320 fundos de pensão do país somam R$ 704 bilhões e ostentam o oitavo patrimônio mundial do setor, atendendo 736 mil assistidos, 2,5 milhões de participantes ativos e quase 4 milhões de dependentes. Mas, além de enfrentar o desequilíbrio entre contribuições e pagamentos - no ano passado, por exemplo, o sistema pagou R$ 54,6 bilhões benefícios, enquanto as contribuições somaram R$ 34,85 bilhões -, os fundos também têm pela frente o risco de longevidade. “A situação pode se agravar e muito se não for implantado e aprovado rapidamente o seguro para o risco de longevidade”. Esta foi a conclusão da atuária Magali Zeller, da consultoria AT Service Atuarial, durante sua participação em Palestra do Meio-Dia da APTS, realizada no dia 21 de outubro, quando apresentou o tema “Prática Atuarial e Longevidade”. Segundo ela, o envelhecimento acelerado da população, as transformações na estrutura do mercado de trabalho e os desequilíbrios fiscais da economia brasileira podem impactar na solvência dos fundos e comprometer o pagamento de benefícios aos participantes, por ocasião da aposentadoria. A longevidade implica na necessidade crescente de recursos para os pagamentos extras aos seus assistidos. A solução para essa problemática foi encontrada pelo Conselho Nacional de Previdência Complementar (CNPC), por meio da Resolução nº 17, publicada em março, que permitiu aos fundos de pensão compartilhar o risco de longevidade como mercado segurador. A resolução autorizou as Entidades Fechadas de Previdência Complementar (EFPC) a contratar seguros para os riscos de invalidez, morte e sobrevivência do participante ou assistido e, ainda, para os desvios das hipóteses biométricas. O seguro longevidade para fundo de pensão ainda não foi aprovado na Susep, mas a expectativa é que a partir de 2016 já esteja disponível. O diretor de Autorizações da Susep, Flávio Girão Guimarães, afirmou que, no momento, a Susep e a Previc estão trabalhando em conjunto para regulamentar o seguro. O objetivo será definir os procedimentos operacionais e demais parâmetros que deverão 22

nortear a transferência de riscos dos planos de benefícios geridos por EPFC para as seguradoras. “Tal instrução conjunta vem sendo construída pelos técnicos de ambas as autarquias, devendo ser apreciada pelas respectivas diretorias nos próximos meses”, diz. Guimarães reconhece a importância do compartilhamento de riscos com o mercado segurador. “As seguradoras poderão emprestar sua capacidade financeira e o seu conhecimento técnico aos planos de benefício, especialmente para aqueles que enfrentam riscos não previstos quando da aprovação de seus regulamentos junto à Previc”, diz. Segundo ele, estes riscos são decorrentes, principalmente, de desvios das hipóteses biométricas, tais revista APTS edicão 119 l


como morte, invalidez total ou parcial e, especialmente, sobrevivência de participantes e assistidos. O diretor da Susep esclarece, ainda, que o desvio de hipóteses biométricas se refere aos planos de benefício constituídos como benefício definido ou contribuição variável. “Mas, os planos de contribuição definida não serão esquecidos na nova regulamentação”, garante. Segundo ele, a longevidade do participante está entre os riscos que poderão ser cobertos pelas seguradoras. “Dessa forma, por intermédio do mercado segurador, será possível transformar um benefício temporário, como o existente em um plano CD, em um benefício vitalício”, diz. Para Magali Zeller, a cobertura de longevidade resolve um aspecto crítico, trazendo benefícios para a população ao oferecer uma proteção previdenciária efetiva para quem irá se aposentar dentro de 15 ou 20 anos. Segundo ela, a formatação do produto, sua precificação e custos, devem garantir ao menos uma renda mínima a partir de determinado momento, seja pela compra de anuidades ou pela contratação de benefício diferido vitalício. Modelos de transferência de risco Na opinião de Magali, diante desse desafio demográfico, o seguro longevidade para fundos de pensão seria a única alternativa. Em sua palestra, ela analisou a viabilidade de alguns modelos de transferência do risco de longevidade ao mercado de seguros. Um, é o que prevê a retirada de patrocínio. “Ao fazer a retirada de patrocínio, empresas contribuintes transferem todos os ativos e passivos para uma seguradora, que assume todas as responsabilidades do fundo de pensão”, explicou. O desenho deste modelo serve para o fundo de pensão fechado e totalmente financiado, composto, em sua maioria, por pensionistas e membros em gozo de benefício, que tenha grande impacto no balanço da empresa pa-

trocinadora. “Neste caso, a empresa patrocinadora terá de simplificar a estrutura de governança”, sugeriu. Em outro modelo, o fundo de pensão permanece intacto, com todos os seus participantes, e apenas a parte do risco atuarial e financeira é removida. Segundo Magali, este modelo pode ser instaurado independentemente do nível de reservas do fundo de pensão. É mais indicado para patrocinadoras que queiram minimizar o impacto do fundo em seu balanço ou para o fundo que pretenda fazer a retirada do patrocínio ou apenas remover riscos, permanecendo com o controle. Outra maneira de promover a transferência parcial de riscos atuariais e financeiros dos fundos de pensão ao seguro é por meio de anuidades. A anuidade poderia contemplar um período mais longo da vida do participante – entre 65 e 85 anos (temporária) - ou mais curto – a partir dos 85 anos (diferida). Neste caso, Magali explica que o modelo pode ser aplicado apenas para alguns participantes, com contrato individual com a seguradora e possibilidade de portabilidade de formação de reserva para a obtenção de renda. A proteção contra longevidade seria embutida nos planos de renda vitalícia. Já no seguro de longevidade, não haveria troca de ativos. De acordo com a atuária, os fluxos de caixa seriam trocados a cada período e os pagamentos fixos e flutuantes liquidados (encontro de contas). “O contrato deve ter colaterais para proteger ambas as partes de risco de crédito”, disse. Na prática, o fundo de pensão compraria a proteção do seguro e a seguradora, por sua vez, garantiria os pagamentos mensais para os pensionistas existentes (desde que o fundo de pensão tenha desembolsos conhecidos previamente). “Em troca, o fundo pagaria um prêmio de risco, que é incluído na curva de desembolso acordada, com a possibilidade de recomprar o contrato no futuro, caso tenha interesse”, disse.

Modelos de transferência de risco Magali defende que a prática atuarial é fundamental para prever cenários futuros, por meio da análise de riscos e expectativas. Segundo ela, a gestão de riscos consiste no mapeamento e identificação dos riscos inerentes ao passivo atuarial de cada plano de benefícios, considerando as hipóteses biométricas, demográficas, econômicas e financeiras, seus regimes financeiros e métodos de financiamento. O resultado será a definição da Matriz de Risco Atuarial, contemplando o mapeamento e a identificação de fatores potenciais de risco, quantificação, ajuste, controle e acompanhamento do processo. “Quando regulamentada, a transferência de riscos entre planos de benefício e seguradoras abrirá um novo – e grande – mercado para o seguro”, diz o diretor da Susep Guimarães. revista APTS edicão 119 l

Na estimativa do superintendente da Susep, Roberto Westenberger, será um mercado de R$ 20 bilhões, no longo prazo, dos quais R$ 10 bilhões já em 2016. Recentemente, ele adiantou que a autarquia já recebeu pedidos de aprovação dos primeiros produtos formatados de acordo com a Resolução CNPC 17/2015. “A necessidade de proteção para o risco de longevidade é imediata”, disse o superintendente em entrevista à imprensa. Para Magali, cabe aos atuários e ao mercado segurador desenvolver práticas que possam minimizar em seus cálculos o risco da longevidade. “Um plano que tenha seu passivo mal precificado certamente terá um custo maior para contratar o seguro, do ponto de vista da regulação”, afirmou. 23


mercado

SulAmérica comemora 120 anos Fundada 1895 por Dom Joaquim Sanchez de Larragoiti, empresa comemora com cerimônia especial, campanha publicitária e nova sede em São Paulo. Comemorando 120 anos de existência neste mês de dezembro, a SulAmérica realizou dia 1º a celebração oficial no Clube Atlético Monte Líbano, em São Paulo. Atualmente, a seguradora conta com cinco mil colaboradores, uma rede de distribuição que ultrapassa 30 mil corretores independentes e mais de 7 milhões de clientes. A SulAmérica teve sua trajetória pontuada por diversas inovações, como a criação do seguro de vida em grupo e da primeira empresa de capitalização do Brasil, ainda em 1929. Produtos e soluções como a Assistência 24 Horas, o serviço Motorista Amigo e o Garantia de Aluguel são algumas das novidades também trazidas pela empresa ao longo dos anos. “A diversificação de atividades e produtos, além das aquisições e parcerias ao longo destes anos foram fundamentais para o crescimento e consolidação da empresa como a maior seguradora independente do país”, afirma Gabriel Portella, presidente da SulAmérica. “Temos convicção de que a companhia está preparada para os novos desafios do setor e celebrar tantas outras datas importantes”.

zem invenções e fatos imprevistos que assinalaram a história do Brasil e do mundo nos últimos 120 anos e circulam em TV aberta, TV paga, rádios, sites e redes sociais. O filme mostra momentos pitorescos, como a descoberta do Raio-X, que ocorreu por obra do acaso quando o físico alemão Wilhelm Conrad Roentgen, em 1895, trabalhava com material fluorescente e, ao colocar a mão na frente de um tubo, viu seus ossos projetados na tela, ou relembrar acontecimentos inesperados, como o caso do gari Sorriso, símbolo da

Nova sede No mês de dezembro, a empresa comemora ainda a abertura oficial de sua nova sede em São Paulo, localizada no bairro de Pinheiros. O novo prédio da O presidente da SulAmérica, Gabriel Portella, e o presidente do Conselho Administrativo e herdeiro do Grupo, Patrick Larragoiti companhia possui ampla estrutura, que inclui 13 andares e uma cobertura, vasta área verde e sistemas inteligentes que possibili- humildade e alegria e que, por acaso, foi descoberto tam um consumo consciente dos recursos. Sua loca- como um artista e acabou representando o País na feslização estratégica, nas proximidades do metrô Faria ta de encerramento da Olimpíada. Lima, servida por diversas linhas de ônibus e conecta“Levamos o conceito fundamental da comunicação da ao sistema de ciclovias, visa oferecer comodidade a da SulAmérica, que é o lado bom do imprevisível, funcionários, parceiros comerciais e clientes. para esta celebração especial. Imprimimos a mensagem de que quem já viveu tantas experiências nos Campanha últimos 120 anos está muito bem preparado para as A seguradora também está lançando uma campa- décadas que estão por vir”, destaca o vice-presidente nha na mídia. Com o mote “A vida é imprevisível e, de Projetos, Estratégia e Marketing da SulAmérica, acredite, isso é muito bom”, as peças publicitárias tra- Carlos Alberto Trindade Filho. 24

revista APTS edicão 119 l


Atletas da Delphos na Corporate Run Mais de 40 atletas da Delphos participaram da Corporate Run, realizada dia 29 de novembro, no Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro. Na tenda da empresa, a confraternização dos corredores foi animada. A empresa contou com 25 equipes de quatro pessoas. Quatro integrantes, de cada equipe, que largaram juntos para percorrer a distância escolhida (6 km ou 10 km). A disputa é uma das mais aguardadas pelas empresas e única do gênero no Brasil. Os participantes pertencem a equipes formadas, treinadas e incentivadas pelas organizações. No caso da Delphos, uma das pioneiras nesta prática,

o estímulo à corrida de rua - uma das modalidades mais preferidas dos cariocas - existe desde 2004 e deu origem ao Programa Qualivida, que proporciona ações para um cotidiano mais saudável dos parceiros internos da empresa.

Europ Assistance Brasil conquista prêmio Cobertura A Europ Assistance Brasil, líder no mercado de assistência do país, recebeu o Prêmio Cobertura Performance – um dos mais importantes do mercado de seguros. A empresa foi reconhecida pela qualidade da prestação de serviços na categoria “Empresa de Assistência 24 Horas”. O projeto de Digitalização da Assistência, desenvolvido pela EABR, permite que usuários tenham acesso a um novo canal de atendimento, assim como ao acionamento automatizado do prestador de serviço. “Por meio da plataforma online a EABR alcançou melhorias significativas nos processos, o que benefi-

ciou todas as partes envolvidas no serviço de assistência. Por exemplo, os consumidores podem ter acesso ao status da operação durante o atendimento e os prestadores podem trocar mensagens com os clientes sobre o status do pedido, o que os permite uma visão total da demanda antes mesmo de chegar ao local da solicitação”, afirma José Luis da Silva, diretor comercial e marketing - que recebeu o prêmio em nome da companhia. O evento realizado no dia 23 de novembro na Casa Petra, em São Paulo, reuniu os principais players do mercado de seguros e entidades do setor.

Porto Seguro Auto inaugura Centros Automotivos no litoral A Porto Seguro amplia atuação com duas novas unidades do Centro Automotivo Porto Seguro (CAPS), no litoral paulista, um em Santos e outro em São Vicente. Inauguradas na primeira semana dezembro, as novas unidades passam a oferecer aos segurados e não segurados reparos e revisões automotivas. Dentre os diagnósticos gratuitos estão suspensão e direção, amortecedores e molas, sistema de arrefecimento, óleo do motor e filtros, bateria e alternador, sistema de freio. Há também o alinhamento de direção, balanceamento de rodas, entre tantos outros serviços. Segurados podem contar também com cristalização de para-brisa, revisão de luzes, regulagem de foco dos faróis, troca de lâmpadas convencionais externas, rodízio e reparo de pneus. A iniciativa tem como intuito orientar os motoristas sorevista APTS edicão 119 l

bre a importância de realizar a revisão periódica dos veículos. Nas Linhas de Inspeção, os condutores têm acesso a uma série de diagnósticos gratuitos, que permitem conhecer melhor as reais condições de uso de seus carros. 25


mercado

HDI Seguros inaugura filial em Blumenau A HDI Seguros, quinta maior seguradora automotiva do Brasil, acaba de inaugurar uma filial em Blumenau, em Santa Catarina. A novidade segue o plano de expansão da companhia no Sul do país e tem como objetivo ampliar sua atuação no mercado local. A unidade está localizada na Rua Dois de Setembro, nº 1.150, em Itoupava Norte, Blumenau, e conta com Bate-pronto, central de atendimento para os usuários que se envolvem em sinistros. Nas centrais de Bate-pronto o segurado ou terceiro que tem o veículo acidentado é atendido em cerca de 30 minutos e já sai de lá com o encaminhamento para oficina referenciada, ou com a orientação para recebimento de indenização, no caso de perda total. Durante a festa de inauguração o presidente João Francisco Costa, o vice-presidente técnico Murilo Riedel e Fábio Leme, diretor de massificados e automóveis, prestigiaram esse novo momento da

companhia na região Sul do país. “A expansão em Blumenau, Santa Catarina, é reflexo da atuação que já temos com os corretores locais e a preocupação em estreitar relacionamento com esse público, facilitando o atendimento às necessidades dos segurados e melhorando a dinâmica de trabalho com os corretores”, conta Paulo Luckmann, diretor regional de Santa Catarina.

C

M

Y

CM

MY

CY

Generali reestrutura sua diretoria comercial

A Generali Seguros anunciou alterações na sua estrutura comercial. Com três anos na empresa, atuando como Diretora Executiva Comercial, Cláudia Papa assume como Head de Mass Consumer do Escritório 26

CMY

Regional das Américas. Em sua nova função, Cláudia será responsável pela estratégia e implantação de novos negócios relacionados ao mercado de Mass Consumer na Região, fundamental para o crescimento da seguradora no Brasil e no continente americano. Ela irá se reportar diretamente a Antonio Cassio dos Santos, CEO para Américas do Grupo Generali. Com formação em Marketing e Vendas, Cláudia tem mais de 19 anos de experiência na área comercial. Na área de seguros foi responsável por implantar o primeiro projeto de seguros massificados quando atuou como Diretora Executiva Comercial e Massificados da Aon Latin America e Diretora de Utilities Brasil e América Latina. Com a mudança, Sérgio Wilson, que atuava como Diretor Executivo de Sinistro, assume o papel de Diretor Executivo Comercial da Generali, se reportando diretamente a Hyung Mo Sung, CEO da Generali no Brasil. Para a Diretoria de Sinistros, a Generali Brasil convidou Marcelo Lohrmann, executivo que atua desde 1995, na conceituada empresa La Caja, do Grupo Generali, líder em seguros na Argentina. revista APTS edicão 119 l

K


geral

A APTS deseja a todos um

Feliz aniversário! Janeiro 06 Arlindo da Conceição

22 Gustavo de Medeiros Melo 24 Sérgio Elói dos Aflitos

Simões Filho 06 Celso Luiz Dobarrio de Paiva 07 Jose Carlos Muniz Falcon

24 Affonso Heleno de Oliveira Fausto

09 Dimas de Camargo Maia Filho

27 José Luiz Schneedorf F. Silva

09 Sérgio Luiz Tomelin

30 Alberto Dabus

10 José Roberto Ferreira da Silva

30 Josafá Ferreira Primo

ASSOCIAÇÃO PAULISTA DOS TÉCNICOS DE SEGURO

DIRETORIA EXECUTIVA Presidente: Osmar Bertacini Secretário: Evaldir Barboza de Paula Tesoureiro: Hélio Opípari Junior Conselho Administrativo Efetivos: Paulo de Tarso Meinberg, Pedro Barbato Filho e Luiz Gustavo Miranda de Souza Suplentes: José Cesar Caiafa Junior, Josafá Ferreira Primo e Maria Amélia Saraiva

APTS notícias

Montoro 14 Geraldo Antunes Pinto Junior

Fevereiro

15 Adriano Henrique Pereira

04 Carlos Eduardo Manteli

Duque

Martins

16 Plínio Machado Rizzi

08 Elzimar Antunes

19 Heney Fernandes

18 Jorge Eduardo de Souza

20 Jair Carvalheira

11 Manuel Augusto Garcia

22 Hélio Opipari Junior

24 Maria Amélia Saraiva

Órgão oficial da ASSOCIAÇÃO PAULISTA DOS TÉCNICOS DE SEGURO Redação e Publicidade: Largo do Paissandu, 72 - 17º andar - Conj. 1704 - São Paulo - SP CEP 01034-901 - Fones: (11) 3229 6503 - 3227 4217 - Fone/Fax: (11) 3313 0773. www.apts. org.br – e-mail: apts@apts.org.br Edição e Assessoria de Comunicação: Prisma Comunicação Integrada Jornalista Responsável: Márcia Alves (Mtb 20.338) madlis@uol.com.br Secretária: Lucilaine Siqueira Mendes Design gráfico: Anilton Rodrigues Marques

espaço publicitário Estas empresas colaboraram com a edição da revista APTS Notícias

Participe você também! Divulgue a logomarca de sua empresa para todo o mercado de seguros 28

revista APTS edicão 119 l


Processo Susep: 15414.001197/2004-41. O registro deste plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação à sua comercialização.

Entre depois de bater.

HDI Bate-pronto. O centro de atendimento que libera em minutos o conserto do veículo. Com a HDI, o segurado economiza até tempo. É de bate-pronto. Consulte seu corretor.

www.hdi.com.br

APTS| Jan. / Fev. | 29

Profile for APTS

Revista APTS Notícias (edição 119)  

Revista APTS Notícias (edição 119)  

Advertisement