Page 1

1


EDITORIAL

IDENTIDADE • Visão Missionária é uma publicação trimestral produzida desde 1999 pela SEMAP — Serviço de Missões aos Povos, Órgão oficial das Assembleias de Deus — Missão aos Povos, em Uberlândia/MG; e tem como motivação a expansão do Reino de Deus entre as Nações, trazendo informação, orientação e mobilizando a Igreja de língua portuguesa para o cumprimento da sublime tarefa de fazer Cristo conhecido “até o último da terra”. At 1.8

Da idéia à concretização. Do projeto ao fazer acontecer! Com vistas à inovação, a equipe da Revista Visão Missionária — SEMAP — reformulou todo o projeto gráfico e editorial, com layout diferenciado, garantindo a você, nosso leitor, um visual mais leve e dinâmico a fim de tornar sua leitura mais agradável. A temática missionária não mudou! Nosso compromisso é garantir que você vivencie momentos inspiradores e tenha uma experiência realmente valorosa por meio de nossas matérias, assumindo o protagonismo na construção de um futuro desejável: a Evangelização de todos os Povos da Terra! Esperamos que você goste deste novo trabalho. Cada detalhe foi cuidadosamente pensado de forma a compor um panorama e uma lembrança memorável. . Que a Revista Visão Missionária –SEMAP- continue sendo um instrumento de reflexão, alargando as bases de nossa atuação para além das fronteiras atuais.

Saulo Gregório — Diretor executivo SEMAP

Nesta edição 04 Editorial 05 Palavra do Pastor 06 Cartas e e-mails 08 Opinião Missionária — Por Russel Shedd 10 Coluna Missionária 13 Desafio Pés-solidários 16 Crônica Missionária — Ronaldo Lidório 18 Perfil Missionário — Rodrigo Message 20 Matéria da Capa 29 Projeto Tíquico 30 Igreja no Japão 32 Oração — Um dos Pilares da Obra Missionária 36 Testemunho que vem do campo 37 Semapinho

03 04 06 08 10 16 17 20 22 30 32 36 18 34

EXPEDIENTE

Ely Paschoalick — www.comoeducarosfilhos.blogspot.com.br

Presidente: Pr. Álvaro Alén Sanches

Colunista: Dr. Russel Shedd

Direção: Ev. Saulo Gregório de Lima

Revisão de Textos: Ericka Souza Nogueira

Editora: Ely Paschoalick

Publicidade: Saulo Gregório de Lima

Cronista: Rev. Ronaldo Lidório

Projeto Gráfico: Cia Alpha-Z Design

Fotos: Equipe SEMAP www.depositphotos.com

Equipe de Redação: Missionários SEMAP

Jornalista Responsável: Ivan Marcos Gonzaga RPMG 048733JP

Qual tem sido a prioridade da Igreja na proclamação do Evangelho? Temos utilizado as palavras de Paulo para ordenar nossas prioridades? (Rm 15.20,21). Com estes questionamentos, nosso colunista Ronaldo Lidório iniciou uma de suas conferências no VI CBM - Congresso Brasileiro de Missões. Disse ele que temos no planeta uma tarefa inacabada frente à seguinte realidade: 2000 línguas sem a tradução da Palavra; 1450 Povos sem uma igreja autóctone; 890 Povos resistentes ao Evangelho. Ainda alertou sobre o desafio nacional diante dos 8 segmentos menos evangelizados em nossa nação: Povos Indígenas (121 etnias sem conhecimento do Evangelho), Povos Ribeirinhos (10.000 comunidades ao norte do país); Ciganos (700.000 da etnia Kalon); Kilombolas; Estrangeiros; Os mais ricos dos ricos;Os mais pobres dos pobres; e os excluídos socialmente (prostitutas, drogados e etc). Inspirando-se nestas palavras de alerta, a Visão Missionária SEMAP traz neste número 44 uma matéria sobra a MEAP, suas estratégias de evangelismo aos pescadores artesanais e seus familiares, e cuidados ao povo ribeirinho em suas necessidades. Em nossos cadernos você poderá ler também sobre a obra missionária na Itália, Índia, Japão e o trabalho do Semapinho. Há também, neste número, um caderno especial de oração. E lembre-se sempre de orar pelos filhos dos missionários que trabalham em campos onde a pregação do evangelho é restrita ou proibida (Só a SEMAP conta com 7 deles). Boa leitura!

Realização: SEMAP Escritório: Av. Rondon Pacheco, 4094

REALIZAÇÃO: SEMAP Escritório: Av. Rondon Pacheco, 4094 • Bairro Saraiva CEP: 38408-404 • Uberlândia/MG • 34 3256 1700 • 3210 0693 Qualquer oferta missionária: Banco Bradesco • Ag. 1901 • C/C: 35612-3 E-mail: semap@semap.com.br Acesse rádio Dimensão • On-line: www.radiodimensao.com.br Assinaturas: www.semap.com.br Caro leitor, registre-se no site SEMAP para receber seu login e ter acesso aos complementos de nossas matérias. – www.semap.com.br

3


palavra do pastor

A boa semente, plantada com amor, uma grande colheita Pr. Álvaro Alén Sanches

Aquele que sai chorando, levando a semente para semear, voltará com cânticos de júbilo, trazendo consigo os seus molhos. Salmos 126.6

Li em um outdoor em certa estrada a frase: “No amor de fazer uma colheita, semeamos uma boa semente”. Sei que isto é marketing de um produtor de sementes, mas daqui tiro uma mensagem simples e real.

de, poder de frutificação, ação de transformação e sustentação nutritiva do que a comparação da Palavra de Deus com a semente.

[01] Boa Semente (Mt-13.1-13)

PRIMEIRO: A Palavra de Deus é uma dádiva divina ao homem (Jo 17.17), assim como a semente também é uma dádiva de Deus para a

Sem sombra de dúvidas, não existe nada mais comparativo em relação à originalida-

4

Devemos confiar na palavra que pregamos porque:


“Os que levam a semente amando, ainda que com lágrimas, voltarão com alegria e com molhos nos braços”. Conheço um irmão que serve ao Senhor e por toda sua vida trabalha na lida da lavoura, nunca fez um seminário em agronomia, porém é chamado por vários fazendeiros para plantar em suas terras, porque ele planta com amor e isto faz diferença na colheita. A Bíblia mostra com clareza a ação praticada com amor em I Co 13.1-13.

multiplicação - Dádiva esta que sustenta milhões de pessoas. SEGUNDO: A semente é uma demonstração do ato de fé (Lc 17.6 “Se tiver fé”). A ação da fé é como o grão de mostarda - uma pequena semente que se torna uma grande árvore. A semente é símbolo da multiplicação (Mt 13.3.1). A palavra escondida no coração do homem traz a multiplicação do Reino de Deus, pois esta palavra não fica sem ação e reação (Is 55.11).

[02] Semear com amor (SALMOS 126.5-6)

Este simples homem a quem chamo de irmão Kim está aqui representando grandes homens e mulheres que semearam e semeiam a Palavra de Deus, e por amor à Palavra deixam pátria, família e vão para outros países, outras culturas, colocando, muitas vezes, suas vidas em sacrifício e até a de seus familiares. Entre eles, temos como exemplo os pioneiros Daniel Berg e Gunnar Vingren. Sabemos que a semente traz vida em si, porem é preciso que alguém cuide desta semente com amor. Assim é a Palavra de Deus, ela tem vida em si, mas mesmo assim, a pregação da Palavra de Deus deve ser feita por quem crê na vida contida em si e, principalmente, na Vida Eterna.

[03] A colheita (Jo 4.35-37) Toda colheita boa e abundante inicia-se com uma boa semente e com os cuidados daquele que semeou, porque um é o que planta, outro rega e outro colhe (Jo 4.37). Paulo diz: “Deus dá o Crescimento” (I Cor. 3.6-7). Se Deus dá o crescimento, Ele faz o que cabe a Ele fazer e nós o que devemos fazer (IR) Mc 16.15 — LANÇAR; Ec 4.1 — PREGAR, ANUNCIAR; ver também I Cor 9.16 e Rm 10.14-15.

Leia o que li no livro O Século do Espírito Santo (p.183): Pacto das Assembleias de Deus 2.000 • Sabendo que estamos vivendo os últimos dias; • Reconhecendo que as pessoas sem Jesus estão para sempre perdidas; • Havendo recebido poder por meio do batismo do Espírito Santo para cumprir essa tarefa; • Sabendo que sem Jesus não somos nada; • Tendo do Senhor a promessa de provisão dos recursos necessários para cumprir seus mandamentos; • Sabendo que Deus nos recomissionou e nos capacitou; Nós, das Assembléias de Deus, somos parte de uma grande comunidade de crentes de todo o mundo, por isso mesmo nos comprometemos outra vez a obedecer à Grande Comissão e a buscar um novo revestimento de poder, a fim de cumprir essa tarefa. Em atitude sacrifical, daremos de nossos recursos e de nós mesmos e não descansaremos até que cada criatura tenha ouvido o evangelho, nos Estados Unidos e no mundo.

“ Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhe ordenei. E eu estarei sempre como vocês, até o fim dos tempos” (Mt 28.19,20). Caros leitores da revista Visão Missionária, isto foi escrito em 2000. Mas aqui para nós, recebo isto como uma ordem para hoje, receba-a também. Deus te abençôe (Sl 126.1-6).

5


cartas e e-mails

Tão somente temei ao SENHOR, e servi-o fielmente com todo o vosso coração; porque vede quão grandiosas coisas vos fez. (1Sm 12.24)

Oremos pelos filhos de missionários em países onde o Evangelho sofre restrições

Constantemente recebemos cartas e e-mails de missionários que atuam em campos onde o evangelho sofre perseguições e restrições. Tais correspondências nos relatam situações difíceis pelas quais seus filhos passam nas escolas pelo simples fato de terem comportamento diferente dos demais que, na sua maioria, praticam o Islamismo. Para que a oração de nosso leitor seja objetiva, transcrevemos aqui parte de uma destas mensagens que nos são enviadas em segredo: “É de extrema importância a interseção pelos filhos de missionários. Além de estarem em formação intelectual e espiritual, eles são confrontados com diferenças culturais e, embora a facilidade deles com aprendizado de línguas, isso também pode ser estressante. Lembre-se, cons-

6

tantemente, de estar cobrindo nossos filhos em teus momentos de oração. Caso deseje ser intercessor dedicado, serás muito bem vindo! Precisamos de gente que nos ajude com oração em todas as áreas. É imprescindível que tenhamos intercessores.”

a Jesus como Salvador de suas vidas e que continua fazendo alguns trabalhos ao ar livre, como evangelismo e cultos nas roças. “Estamos crendo que este trabalho venha a dar muitos frutos”, relata-nos o missionário.

Obs.: A SEMAP mantém 7 filhos de missionários que vivem em países que fazem restrições ao evangelho.

Aos 96 anos ainda é contribuinte com missões

Missionário é assaltado no Vale do Jequitinhonha

Pr. Álvaro e irmã Maria de Oliveira Marques (96 anos)

Missionário Waldir Farias e sua esposa Maria Nilza

Recebemos notícias de um assalto sofrido por nosso missionário Waldir Farias, o qual atua no povoado de Queixada, município de Novo Cruzeiro/MG, na região do Vale do Jequitinhonha. Ele recebeu um tiro no rosto e a bala ficou alojada a 3mm da veia artéria e a 3mm da coluna. Frente a toda esta dificuldade, o missionário nos escreve otimista relatando que mais 5 almas aceitaram

Pr. Eurípedes Menezes, irmã Maria e o Dc. João Cirilo

Irmã Maria de Oliveira Marques, 96 anos, congrega na Igreja dirigida pelo Pr. Elias Magalhães do bairro Jardim América, em Uberlândia. O Agente SEMAP - Diáco-


no João Cirilo, ao saber do desejo da irmã contribuinte e intercessora por missões, em conhecer a sede, levou-a em um de nossos cultos. A força de vontade e a alegria de irmã Maria foram motivadores suficientes para que ela subisse e descesse pela rampa sem o uso de cadeira de rodas, sendo somente apoiada por sua bengala. A Revista Visão Missionária registrou este momento de alegria e realização desta serva do Deus Altíssimo.

Recebemos do Pr. Rodrigo Message (Perfil Missionário página 20), responsável pela Igreja Assembléia de Deus Missão aos Povos, Ministério Faro, na cidade de Milão-Itália, a seguinte mensagem: “Clamamos a vocês irmãos, orem pela Itália! Estamos vendo a terra tremer, muitas vítimas ...Jesus está voltando! Aqui estamos em crise, terremoto, deslizamento, muitos suicídios nas famílias, crianças sendo roubadas e principalmente o esfriamento do povo de Deus e igrejas fechando. Clamo misericórdia pela Itália, termino com lágrimas nos olhos.” — Pr. Rodrigo e Mariele.

Notícias Luzitanas O compositor e cantor Regis Danesi prestigia a Revista Visão Missionária

Clamor pela Itália Família Moreira — Pr. Elizeu, Edna e o filho Eliézer

Família Carrijo — Pr. Cézar, Gláucia e seus filhos Ludmila e Cézar Jr.

A Igreja Evangélica Assembléia de Deus Missão aos Povos, pre-

sidida pelo Pr. Álvaro Alén Sanches, mantém um campo em Portugal na região da Grande Lisboa com congregações situadas em diferentes locais. O campo lusitano, que é liderado pelo Pr. Elizeu Moreira, tem como dirigente de uma de suas congregações, o missionário César Carrijo. Deus tem abençoado sobremaneira estas duas famílias missionárias que nos escreve: “Ação de graças pelo milagre na saúde de minha esposa Edna, que possuía lesão grave no coração que a deixaria dependente de medicamento por toda a vida. Seu esôfago também foi curado e hoje ela come normalmente e consegue dormir deitada. Ação de graças também, pois nosso filho Eliézer passou no segundo lugar no curso de audiovisual”— Pr. Elizeu. “Rogamos as orações dos leitores pelos novos convertidos do campo de Portugal que, quase via de regra, estão em “relacionamentos ilegítimos”, cuja causa é que a outra parte não se converteu. Isto torna o processo até o batismo lento e desgastante, ocasionando em desistências da decisão de seguir a Cristo. Queremos render Graças a Deus, pois nossa filha Ludmila conseguiu aprovação para integrar a Orquestra Juvenil de Cordas do Conservatório Musical de Sintra. Que Deus a proteja, para que ela faça a diferença entre estes jovens levando a mensagem salvadora de Cristo.” — Pr. Cézar Carrijo.

7


opinião missionária

Candidatos missionários recomendáveis Russel Shedd

Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Então disse eu: Eis-me aqui, envia-me a mim. IS 6:8

Quando Patrícia e eu nos sentamos naquele círculo de pastores em Nova Iorque em 1958, aguardando o pronunciamento dos representantes da Missão CBFMS sobre o nosso propósito de ir para Portugal, a pergunta chave foi - “Vocês têm um chamado?”. A minha reação a esta pergunta foi “Não sei se eu tenho chamado para missões em Portugal!”. De fato, não podia apontar a uma experiência específica que me convencia que Deus tinha me chamado para uma carreira missionária. Acreditava que poderia ficar feliz lecionando num seminário na América ou em qualquer lugar no mundo que necessitasse de um professor de Novo Testamento. Houve alguns minutos de discussão, que revelava as dúvidas dos membros da comissão se nós deveríamos ser aceitos ou não. Somente depois de um pastor se levantar e dizer: “Muitos candidatos, aceitos por causa da certeza que têm de um chamado para o trabalho transcultural, ficam apenas poucos anos, pois não conseguem se adaptar ou ganhar alguma fluência na língua, e logo voltam para casa. Talvez os Shedds ficarão”. Finalmente, a comissão nos aceitou!

8


Estou cada vez mais convencido de que o chamado pode ser confundido com um interesse num país, gostar de novas experiências e fazer turismo. Sentir que Deus tem selecionado um candidato para uma obra especial como Barnabé e Saulo em Atos 13.2, requer, em minha opinião, mais do que um sentimento. Os colegas na liderança da igreja de Antioquia não tinham qualquer dúvida que deveriam impor as mãos e os enviar porque o Espírito Santo os chamou especificamente. Vale a pena fazer um estudo cuidadoso da maneira que os autores do Novo Testamento usam o termo “chamado; chamar”. Quase todos os exemplos desta palavra referem-se ao chamado para seguir a Cristo, para ser um cristão. Raras vezes o chamado para a obra, tal como Barnabé e Saulo receberam, se repetem no Novo Testamento. Isto me leva a pensar que se confunde, geralmente, “o chamado” com um dom (charisma em grego). Os dons são distribuídos individualmente como o Espírito quer (1 Co 12.11). Os dons distinguem as habilidades e capacitações que Deus concede aos seus filhos. Entre estes dons, Paulo inclui “evangelismo” e “ensino”. São 19 dons, ao todo, mencionados no Novo Testamento. Acredito que seria mais importante para o candidato a missões ter facilidade de aprender uma língua, de se adaptar às circunstâncias e condições que caracterizam o local e cultura em que pretende trabalhar, do que ter a certeza de um “chamado”. O Prof. Peter Wagner, da Escola de World Mission do Seminário Fuller na Califórnia, sugeriu que deve haver um “dom de missionário” que inclui indicadores para que a pessoa enviada seja bem sucedida no campo. Indicadores da probabilidade do candidato ser útil na seara devem pesar na escolha de candidatos para missões como foram demonstrados nas vidas de Barnabé e Saulo (Paulo). Paulo (mais bem conhecido do que Barnabé) deu sinais de seu futuro sucesso no seu compromisso com a evangelização, com sua habilidade de ensinar a Palavra, com seu amor às pessoas não judaicas. Sua inteligência, sua mente privilegiada, sua coragem singular e sua experiência vivida em Tarso (uma cidade gentílica) na Cilícia, tudo contribuiu para criar a esperança de que Saulo seria um missionário eficaz. Ele era livre de responsabilidades de cuidar de

uma família. Isto lhe deu liberdade de ação. Nunca mencionou em suas cartas saudade pela terra natal, nem tristeza por estar longe da casa. A adaptabilidade do apóstolo junto aos gentios fica mais do que claro em 1 Coríntios quando ele disse: “Tornei-me judeu para os judeus, a fim de ganhar os judeus…Para os que estão sem lei, tornei-me como sem lei…a fim de ganhar os que não têm a Lei…Tornei-me tudo para com todos, para de alguma forma salvar alguns” (1 Co 9.20-22). Paulo entendeu perfeitamente a premente necessidade de contextualização e de adaptação à cultura em que se encontrava. Foi o Espírito Santo que escolheu Barnabé e Saulo entre os líderes da igreja de Antioquia. Uma mensagem tão claramente comunicada à equipe pastoral é rara em nossos dias. As igrejas com uma visão missionária devem rogar ao Senhor da seara por trabalhadores que têm conhecimento bíblico, que têm facilidade de aprender uma nova língua, que têm equilíbrio emocional e que não sofrem profunda saudade quando seja necessário que fiquem mais de um mês fora de casa. Quando um candidato tem amor pelas almas e dons que facilitam sua adaptação numa nova cultura, o desejo que ele possui para servir transculturalmente deve ser o mais claro sinal de que ele tenha um “chamado” para missões.

Russel Shedd formou-se em 1949 bacharel no Wheaton College. Ainda em Wheaton completou o mestrado em estudos do Novo Testamento, e em 1953 o mestrado em teologia no Faith Seminary, em Filadélfia. Aos 25 anos formou-se doutor (ph.D) na Universidade de Edimburgo. Casou-se com Patrícia em 1957. Possuem cinco filhos. São missionários no Brasil desde 1962. Além de ser autor de inúmeros livros, é também o autor das notas explicativas da Bíblia Vida Nova.

9


coluna missionária

Fiz-me fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns. (I Cor 9.22)

Hinduísmo traz deuses em várias formas gêneros e cores A Índia é uma nação predominantemente hinduísta organizada sob um rigoroso e fechado sistema de castas, e o poder se concentra na casta religiosa sacerdotal considerada superior entre as outras. Sendo a segunda maior população mundial, este país asiático possui um povo extremamente religioso, fiel em cumprir seus rituais e oferendas de idolatria. É neste cenário que o casal de missionários SEMAP Marcia e Vivek Dass desenvolve na cidade de Dehradun — Utarakhand, região norte da Índia, um trabalho de formação teológica cristã. A revista Visão Missionária transcreve para você o relato escrito pela missionária SEMAP Márcia Dass: “De todas as 5 maiores religiões do mundo em número de fiéis, o hinduísmo é a única crença com características politeístas, apesar dos seus fiéis crerem num deus supremo. Os deuses hindus se revelam em várias formas e gêneros, formando assim um número inacreditável de vários deuses e deusas, todos porém, como eles crêem, são parte de um deus supremo (Brahma, um deus impessoal). O número oficial de deuses na Índia chega a 330 milhões. Extra oficialmente, porém, essa conta bate na casa do bilhão. Como dizia Sri Ramakrishna, um santo hindu do século 19, “na Índia existem tantos

10

Família Dass: Vivek, Márcia Helena, Mishael e Aysha

deuses quanto o número de devotos”. A quantidade de templos é incerta, mas com um número superior a 8.000.000 de devotos, é seguro dizer que há mais de milhões de templos em toda a Índia. Este, porém, é apenas um dos desafios nesta terra de muitos deuses. Índia é também o segundo país com o maior número de muçulmanos e é o berço do budismo.


Raise the Banner é o nome da escola que, ao longo de três anos de existência, já graduou missionários nativos que saem prontos para levar as Boas Novas que um dia lhes foram dadas. Oremos para que Senhor envie alunos para compor a quarta turma.

Contudo, cremos em um Deus que está continuamente trabalhando, e é crendo nisso que nos empenhamos em treinar obreiros que estão saindo e conquistando terreno para a Glória do Senhor. Pelo treinamento Raise the Banner já passaram cerca de 20 alunos que hoje estão servindo em diversos campos. Além disso, organizamos seminários e retiros para jovens com o fim de alcançá-los, para que estes também alcancem a sua geração”.

11


coluna missionária

Workshop e Evangelismo em Portugal

Para fazer bem feita a obra do Senhor, é importante que recebamos orientações de quem tem experiência e domina estratégias de evangelismo em rua.

Liderança e jovens em frente à Igreja EAD-Missão aos Povos da Tapadas das Mercês — região de Sintra, prontos para um dia de evangelismo

Em parceria com a JOCUM de Portugal — Jovens Com Uma Missão — aconteceu na Igreja Evangélica Assembléia de Deus Missão aos Povos da Tapada das Mercês, na grande Lisboa, um workshop com o objetivo de capacitar os participantes ao evangelismo urbano. Animadamente os jovens da igreja, acompanhados de sua liderança, compareceram e receberam instruções para este trabalho diferenciado que tem como objetivo impactar pessoas para se entregarem a Jesus. O período foi curto para tanto trabalho e os jovens sentiram-se felizes e animados em cumprir o Ide de Jesus, sob a coordenação e instruções de uma entidade como a JOCUM, que possui larga experiência de evangelismo nas ruas das mais diferentes cidades de Portugal.

12

As oficinas contaram com as missionárias instrutoras da JOCUM e o evento teve a participação de todos os jovens das três igrejas AD de Portugal. As oficinas desenvolvidas foram: tereré, pintura facial, drama, dança, moldagem de balões, malabarismo e equilibrismo. Rogamos ao Senhor da Seara que abra oportunidades para estes jovens, uma vez instrumentalizados, colocarem muitas vezes em prática o aprendizado e alcançarem mais almas para o Reino.


Visita ao Japão

O presidente da SEMAP, Pr. Álvaro Alen Sanches, acompanhado do diretor executivo Ev. Saulo Gregório de Lima, estiveram participando de eventos missionários significativos no distante oriente. O Pr. José Gomes, da Igreja AD do Japão, nos relatou que a viagem iniciou-se com uma visita a cidade de Kasai, Estado de Hyogo Ken, onde o Pr. Álvaro ministrou a Palavra de Deus. No dia seguinte, eles foram até Hiroshima conhecer o museu da Paz, monumento inaugurado para perpetuar a história da primeira bomba atômica lançada pelos americanos durante a II Guerra Mundial. Na mesma noite, Pr. Álvaro ministrou na congregação de Kure. De pregação em pregação, a viagem continuou passando pelos Estados de Aichi Ken, Chiba Ken, Kanagawa Ken e Fukushima Ken. Entre pregações e visitas às igrejas, a comitiva encontrou-se com o Pr. Yukio Yassaka — líder da Assem

Presidência do campo AD no estado de Aichi Ken onde Pr. Álvaro foi preletor no XIV Encontro Geral de Obreiros.

bléia de Deus Kanagawa Ken, e junto ao Pr. Haroldo Yamamoto (ver página 32), e fizeram uma oração pela nação japonesa e em especial pelos sobreviventes do terremoto seguido do tsunami que vitimou mais de 32 mil pessoas, estando 20 mil delas ainda não encontradas.

13


coluna missionária

Missões em Burkina Fasso Com a visão de colaborar para que os Povos não-evangelizados conheçam e adorem a Jesus, a família Rodrigues desenvolve, no Sahel Africano, o Projeto CORAÇÂO MISSIONÁRIO que compreende projetos sociais com cunho evangelístico. Apresentamos algumas destas ações para que você possa conhecer, orar e contribuir. Na cidade de Ouagadougou, capital do país Burkina Fasso (Sahel Africano) trabalham os missinários SEMAP Ricardo e Lilian Rodrigues com suas filhas Jamila e Luana.

Projeto Boas Novas ao som do violão

(Acima) Formandos da primeira turma do Projeto Boas Novas através do violão. (ao lado) Ensinar a arte de tocar violão tem sido uma estratégia que muito auxilia a aproximação para a transmissão do evangelho.

14


Projeto Mão Amiga Em parceria com a Escola Siloé o projeto Mão Amiga alcança os deficientes visuais colaborando assim com a educação de uma parcela significativa dentre os mais de 500 mil cegos do país. O Projeto é realizado em parceria com a ASHVB (Associação para Salvação dos Deficientes Visuais DE Burkina-fasso) que tem como seu o fundador: Sr. Lucien Naré – Um testemunho de vida...

Fundadores da Escola Siloé — Sr. Naré Lucien e Sra. Naré): Irmão Naré foi responsável pela tradução do Novo Testamento da Bíblia em braile na língua More.

Projeto Mão Amiga alcançando adolescentes deficientes visuais na Escla Siloé.

Corte de unhas dos deficientes visuais é uma das ações sociais prestadas pela Escola Siloé no Projeto MÂO AMIGA.

Projeto Evangelizando através do Esporte.

O futebol como instrumento no plantio da BOA SEMENTE.

15


Queremos desafiar você, leitor da revista

Receba um cupom eletrônico a cada

Visão Missionária SEMAP, a contribuir com

R$5,00 (cinco reais) doados e concorra ao

a meta: 500 pares de chinelos para as

sorteio de 20 CDs CORAÇÃO MISSIONÁRIO

comunidades periféricas da África.

do missionário Ricardo cantando músicas evangélicas em dialetos africanos.

16

Faça sua contribuição através do site

Após sua doação comunique-se pelo e-mail:

www.semap.com.br ou deposite na

semap@semap.com.br ou pelo site para

conta B. Bradesco, Ag: 1901 c/c: 35612-3.

retirar seus cupons eletrônicos.


Crônica • Ronaldo Lidório

Chorando com os que choram “

Naquele dia levantou-se grande perseguição contra a igreja que estava em Jerusalém; A Igreja de Cristo ao redor do mundo é normalmente identificada com a livre comunhão, encontros públicos de adoração, leitura zelosa da Palavra e disposição para proclamar o Evangelho de Deus. Porém, essa não é a realidade de todos, especialmente da chamada Igreja Sofredora. Há muitos que, por seguirem a Cristo, estão sujeitos a diversos tipos de perseguição, descriminação e provações. Vários são sequestrados e sobre eles nada se sabe. Muitos vivem encarcerados, seja de forma física, social ou emocional. Milhares são deslocados de suas casas e terras a cada ano. Milhões são preteridos de professar abertamente a sua fé. Há ainda aqueles que sofrem pela exclusão familiar. Um em cada três cristãos no mundo de hoje enfrenta algum tipo de perseguição, e cerca de 120 milhões habitam em regiões onde há repressão hostil à sua fé. É certo que a perseguição não é um fenômeno novo na história do povo de Deus. Em Atos 8, a Igreja que amava a Jesus passou por uma longa provação. Lucas nos diz que a Igreja era “perseguida”, utilizando aqui o vocábulo grego diogmos, que significa um forte e visível ataque, para indicar que o sofrimento da Igreja nesta época de dispersão era perceptível por todos. Homens e mulheres eram mortos, outros encarcerados, famílias partidas ao meio e aqueles que conseguiam fugir deixavam para trás suas vidas e história.

Pintando esse quadro, Lucas também expõe que a Igreja “pranteava” a morte de Estêvão, usando a expressão kopeton, que significa dor da alma. Esse termo mostra o sofrimento emocional pelo qual passavam. No verso seguinte notamos que Saulo “assolava” o povo de Deus, a expressão utilizada é elumaineto, que possui a mesma raiz da usada em João 10.10, ligada à destruição da fé e das convicções, quando se refere aquele que veio roubar, matar e destruir. Trata-se de um sofrimento espiritual. Esses três tipos de sofrimento, descritos em contexto de perseguição em Atos 8 (físico, emocional e espiritual), podem muito bem ilustrar as vias de dor da Igreja ao longo de sua história, bem como nos dias de hoje. Há, neste momento, cristãos encarcerados e tantos outros sequestrados, na Argélia, Azerbaijão, Eritréia e Iêmen. No Irã a perseguição à Igreja foi intensificada, atingindo também a Igreja oficial. No Sudão a pressão sobre os que seguem a Cristo foi aumentada, com fortes expressões de violência. A Eritréia passa pela época de mais intensa perseguição religiosa em sua história. A distribuição de Bíblias não é permitida e em 2002 todas as igrejas evangélicas foram fechadas por ordem governamental. Cerca de dois mil cristãos foram presos por se reunir para louvar a Deus. Muitos são mantidos em condições desumanas, em celas subterrâneas ou contenners de metal. A Co-

(At 8.1ª)

réia do Norte apresenta possivelmente o mais alto índice de opressão aos que seguem a fé em Cristo. No Iraque milhares de cristãos continuam a fugir da violência, tanto em Bagdá quanto em Mosul, deixando para trás suas casas a procura de refúgio no Curdistão e outras áreas de fronteira. No norte da Índia há ataques pontuais à Igreja de Cristo. Apenas na região de Karnataka foram registrados 56 ataques ao longo de 2009 contra igrejas e cristãos. O Salmo 126 nos fala sobre a relação entre a caminhada e o choro da Igreja. Quem sai andando e chorando enquanto semeia voltará para casa com alegria trazendo seus feixes, o fruto do trabalho. Para seguirmos O Caminho é necessário andar e chorar, e é certo que muitos fazem ambas as coisas. Devemos nos lembrar da Igreja Sofredora. A dispersão indesejada, a insegurança que parece não amenizar, a incerteza do amanhã – também do hoje – e o sentimento de que há ainda um caminho longo demais a percorrer. Devemos nos juntar a estes para chorar com os que choram (encorajá-los, orar com eles e apoiá-los) para que na graça do Pai sigam com fervor este caminho estreito que os levará à alegria que se renova pela manhã. Pr. Ronaldo Lidório é missionário, tradutor e expositor bíblico. Doutor em Antropologia Cultural escreveu diversos livros, dentre eles “Missões, o desafio continua” e “Konkombas”.

17


testemunho que vem do campo

Deus advoga e revira cativeiro de português

E o SENHOR virou o cativeiro de Jó, q uando orava pelos seus amigos; e o SENHOR acrescentou, em dobro, a tudo quanto Jó antes possuía. Jó 42:10

Mário Alberto Vieira Nogueira é nascido no Distrito de Lisboa, capital de Portugal. Ele é casado com a paraense Rogéria Nascimento. E em 2005 o casal entregou suas vidas a Jesus. Em 2001 Rogéria despede-se de sua vida e família brasileira, inclusive de seus 2 filhos. E assim, procura iniciar uma nova vida separando-se de um relacionamento que lhe trazia muita infelicidade. Após 13 dias em Portugal, conheceu o próspero empresário Mário que possuía 3 lojas de frutas em 3 diferentes bairros. Rogéria e Mário frequentavam centros de bruxaria do Prof. Carambá de Guiné Bissau que atendia cada pessoa individualmente na sala de um escritório. Rogéria, que era filha de assembleiana, conversava sempre por telefone com sua mãe que continuava

18

no Brasil a olhar seus netos. Um dia Rogéria relata a sua mãe que seu companheiro estava tramando para buscar no Brasil uma feiticeira para fazer macumbas que iriam prosperá-lo ainda mais. Sua mãe, temente a Deus, iniciou uma campanha de oração e aconselhou a filha a levar o companheiro a alguma igreja. Deus, que é misericordioso e age sobre nossos desejos, movimentou o Pr. José Ferreira a entrar na loja de frutas e fazer um convite para todos visitarem a igreja Assembléia de Deus.

150 imagens são destruídas O casal resolveu aceitar o convite do Pr. José e foram a um culto de domingo. Naquele mesmo dia se renderam a Jesus e, no momento em que o pastor orou por eles, veio ao coração de Mário o desejo de jogar todas as mais de 150 imagens que enfeitavam a casa dele.


Sob oração a entrega de todos os santos foi realizada. No entanto, Deus revelou que um ainda permanecia lá, bem escondido. Após orações e buscas, o mesmo foi achado dentro de um pequeno porta-jóias e, apesar de seu valor financeiro, foi totalmente destruído.

Libertação — Restauração — Empobrecimento A libertação foi total e Deus começou a operar no coração do casal que a partir de então consertaram suas vidas perante os preceitos bíblicos. Dois anos se passaram e Deus agraciou o casal com um lindo e perfeito filho que recebeu o nome de Isaac. Este era mais um milagre do Senhor Jesus, pois Mário Alberto possuía uma maldição de nunca gerar filhos.

Deus advoga e perdoa dívidas públicas imperdoáveis No mês de junho de 2011, enquanto Rogéria dava à luz no hospital, o tribunal do sindicato patronal fez acontecer, mesmo sem a presença e o conhecimento do réu, apenas com um advogado público nomeado pelo próprio tribunal, o julgamento das dívidas de Mário Alberto Vieira Nogueira. Num ato inédito de acordo com as leis das finanças e segurança social do governo Português, o juiz resolveu efetivar o perdão da dívida, liberando seu nome das agências bancárias e no mercado. Hoje, Deus permitiu inaugurem uma nova loja, agora abençoada pelo Senhor.

Na mesma proporção que suas vidas espirituais e emocionais se equilibravam, seus prósperos negócios minguaram, até que Mário foi impedido de negociar, pois devido a dificuldades financeiras, começou a ter uma grande dívida pública que não lhe permitia mais empresariar. Até ameaça de prisão o casal recebeu, visto que a dívida ultrapassava os 70 mil euros (Quase duzentos mil reais).

O pouco com Deus é muito, e o muito sem Ele é nada! Em 2008 o casal foi ao Brasil para apresentar Isaac à família materna. Em um culto Mário recebeu a seguinte profecia: “Você hoje não entende o que está a se passar em Portugal, mas mais a frente haverá entendimento. Você chegará a Portugal e não conseguirá entender nada, vai olhar para um lado e para o outro e não verá saída, mas seu socorro virá do alto”.

Tudo pronto para a reinauguração. Agora, com Jesus à frente.

Estas foram as palavras incompreendidas, mas retornando a Portugal tudo se fez claro. Aquelas palavras serviram de ânimo para o casal enfrentar e aguentar dificuldades financeiras de toda sorte. Perderam as três lojas, mas mesmo assim continuaram a louvar, a adorar e a agradecer a Deus, pois aquelas palavras falaram fundo em seus corações, e compreendiam que tudo aquilo era o trabalhar de Deus em suas vidas. Foi uma lição prática de que o muito sem Deus é nada, e o pouco com Deus é muito. Frente às dificuldades, Deus continuou operando milagres e agraciou o casal com mais uma gravidez.

A bonança de Deus mesmo frente à crise na Europa.

19


Non sapete che siete il tempio di Dio e che lo Spirito di Dio abita in voi? Se uno guasta il tempio di Dio, Dio guasterà lui; poiché il tempio di Dio è santo; e questo tempio siete voi. (I Corinzi 3.16,17)

Nesta edição vamos publicar o perfil missionário de um jovem pastor que trabalha na obra missionária européia há mais de 10 anos. Nascido na cidade de Presidente Prudente/SP, no dia 22 de março de 1977, Rodrigo é o filho mais velho do casal Edson Message e Vera Lúcia Farinelli Message. Oriundo do seio de uma família sacerdotal, que conta hoje com mais de sete pastores, Rodrigo nos relata: “Desde pequeno uma chama ardia no meu coração quando meu avô, que é pastor, contava as histórias e milagres que Deus fazia. E essa vontade, confirmada por Deus, dia após dia crescia”. Quando jovem Rodrigo despontou como líder da mocidade e, entre suas recordações, considera como decisivo para sua entrega total à obra mis-

20

Pr. Rodrigo Message

perfil missionário


Jesus sozinha aos 7 anos e que louva ao Senhor desde esta idade. Pr. Rodrigo possui dois filhos, sendo um deles Gianluca, nascido no campo missionário da Sicília. Pr. Rodrigo, que serviu a Deus na Assembléia de Deus Cuiabá na Sicília e na Assembléia de Deus do Belém na Itália e Suíça, é desde 2008 o pastor responsável pela congregação Ministério Faro da Assembléia de Deus Missão aos Povos, na cidade de Milão (Itália). O Ministério Faro que em italiano significa Farol — Luz — foi inaugurado no dia 22 de maio de 2009, com sede localizada na Via Zenale 80, Garbagnate Milanese (Milano). O missionário finaliza nossa entrevista dizendo: “É verdade que nessa caminhada andei alguns quilômetros, falta muito, mas isso não importa, o importante é que já começamos a dar os primeiros passos.

Filhos: João Vítor nascido em Uberlândia — Brasil (06/11/1998) e Gianluca nascido na Sicília — Itália (11/02/2005)

sionária, o período de tempo em que serviu como motorista do pastor presidente da SEMAP — Álvaro Alen Sanches.

de me entregar completamente a esse chamado, pois o meu desejo era ser como o nosso pastor: um grande homem de Deus” – relata Pr. Rodrigo Message, grato a Deus por pertencer ao ministério Missão aos Povos.

“Foi nessa época que tomei a decisão

Casado com Mariele, que aceitou

Pr. Álvaro e Pr. Rodrigo por ocasião da inauguração da Igreja em Milão no ano de 2009

Agradeço a Deus pelo meu papai (Edson) que me ensinou a nunca desistir diante das dificuldades”. Oremos pela saúde da cantora Mariele, esposa do nosso perfil missionário, e também peçamos a Deus para oferecer oportunidades de crescimento de sua obra frente à crise financeira pela qual a Europa atravessa na atualidade.

21


matéria de capa

30 mil comunidades “não alcançadas”, segundo pesquisa divulgada pela SEPAL no site www.jmn.org.br. Colaborou com esta matéria a missionária Jandira Almeida — MEAPBR Comunicação e Desenvolvimento

Do Monte Caburaí em Roraima ao Arroio Chuí no Rio Grande do Sul, há milhões de pessoas nas margens dos diferentes rios e em toda a costa brasileira que moram em ilhas fluviais ou marítimas, canais de mar ou encostas de praias, distantes dos centros urbanos. São locais de difícil acesso, sem infra-estrutura básica e em condições sociais, educacionais e sanitárias desfavoráveis. É neste cenário que vivem e trabalham os pescadores artesanais, pessoas simples que fazem da pesca a sobrevivência de suas famílias. Para que possamos orar pela evangelização dos ribeirinhos, a revista Visão Missionária, em parceria com a Meap (Missão Evangélica de Assistência aos Pescadores), traz para você um pouco do perfil deste povo sofrido e que tanto necessita de Jesus.

E Jesus lhes disse: vinde após mim, e eu farei que sejam pescadores de homens. (Mc 1.17)

22


Perfil do Pescador Artesanal As características sociais dos pescadores artesanais variam muito de região para região, mas podemos descrever de modo geral alguns dados peculiares dessas comunidades: • Vivem Isolados — São encontrados em ilhas fluviais ou marítimas, beiras de rios e ribeirões, canais de mar e encostas de praias, distantes dos centros urbanos. Locais de difícil acesso, espalhados por todo território brasileiro. • São muito pobres — Suas comunidades não têm saneamento básico, escolas e assistência médica adequada. Os altos índices de analfabetismo e mortalidade infantil fazem dos pescadores artesanais um dos grupos mais carentes de todo o país. Confeccionam suas próprias redes, remos e canoas, enfrentando o mar, rios e igarapés com muita coragem e dificuldade. • São explorados — Muitos se aproveitam da precária condição em que vivem para explorá-los de várias formas:

Paulo, a palavra “muito” significa quase nada, enquanto a palavra “pouco” quer dizer abundância. Como eles usam “matar” ao invés de “pescar”, uma boa pescaria é descrita por eles assim: “Hoje matamos pouco peixe!”

os atravessadores, que compram seus peixes a preços baixíssimos; os grileiros, que usurpam as terras pertencentes às suas famílias há séculos; e os turistas, que pagam uma ninharia pelo trabalho doméstico em suas casas de veraneio e quando servem de guias para suas pescarias. Por causa dessa exploração, os pescadores são muitos fechados e desconfiados de todos que visitam suas comunidades. • Possuem linguajar próprio — A maneira diferente de utilizar a língua faz dos pescadores um povo ainda mais peculiar. Um exemplo: Na região de São

• Sua estrutura familiar é diferente — Seu sistema familiar é patriarcal. As crianças só passam a ser valorizadas pelo pai quando podem sair com ele para a pesca. Na região sul e sudeste reúnem-se com frequência ao redor do fogo para ouvir a “palavra dos antigos”, onde as experiências dos mais velhos são passadas às gerações mais novas. • Seus costumes são diferentes — Enquanto no meio urbano as pessoas norteiam suas atividades pelo dia e pela noite, os pescadores o fazem pelo subir e pelo baixar da maré. Quando a maré traz consigo o peixe, o pescador estará no mar. E isso pode acontecer tanto de manhã, como à tarde, à noite ou de madrugada!

Pescadores artesanais precisam de reconhecimento e valorização As dificuldades e as carências fazem dos pescadores um povo totalmente sem esperança. Antes de tudo, eles precisam de gente com disposição de ajudá-los com sinceridade, sem nenhum interesse pessoal.

Na foto vemos o missionário MEAP — Marcos — evangelizando dois pescadores em Barra do Ararapira/PR

“E vendo isto, Simão Pedro prostrou-se aos pés de Jesus, dizendo: Senhor, ausenta-te de mim, que sou um homem pecador.” (Lc 5.8)

23


matéria de capa

Conheça a MEAP : Missão Evangélica de Assistência aos Pescadores Nesta edição a revista Visão Missionária vai apresentar a seus leitores o trabalho de uma instituição que agrega uma equipe de trabalho composta por 12.092 Intercessores, 1303 Mantenedores, 1636 Voluntários, 27 Estagiários de médio e longo período e 60 obreiros. Crianças atendidas pela MEAP na Bahia falando com Deus.

Crianças e adolescentes atendidos pela MEAP na vila de Afuá.

Esta laboriosa equipe do Senhor fechou o ano de 2011 com um balanço de trabalho que compreendeu ações da Saúde (3779 consultas médicas / odontológicas); Educação (1002 crianças/adolescentes e 140 adultos); Educação Esportiva (190 adolescentes jovens); Socorro Imediato (auxílio a 11 famílias na reforma/ construção de casas e distribuição de 1913 cestas básicas) e, sua meta principal PLANTAÇÂO DE IGREJAS (agregando 173 Novos Crentes, 94 batizados, 246 pessoas em treinamento ou discipulado, 41 lideres autóctones, 22 novos células e frentes missionárias), além do Programa de rádio em Bailique no estado do Amapá que atinge 52 comunidades.

Saiba como tudo começou A MEAP — Missão Evangélica de Assistência aos Pescadores é uma entidade evangélica, interdenominacional, de caráter filantrópico, que tem por objetivo assistir um grupo ainda não totalmente alcançado em nosso país: o pescador artesanal – que vive basicamente da pesca, confecciona suas próprias redes, remos e canoas (Veja perfil à página 23). Formada por líderes evangélicos de diferentes denominações históricas, nasce a MEAP em 1986.

Trabalho MEAP no estado do Maranhão

24


Levando Luz às Trevas Havia, na década de 70-80 densas trevas espirituais sobre as mais de sessenta vilas de pescadores artesanais existentes na região lagunar entre Iguape (SP) e Paranaguá (PR). O crescimento das seitas e o sincretismo religioso, confundindo-se com a cultura, faziam deles um povo totalmente sem esperança. Foi então que, em 1980, o missionário Jaime Orr começou a fazer os primeiros contatos com aquelas comu-

nidades, navegando pelos canais de mar a bordo de um pequeno barco: o Mensageiro II. Em 1981 Jaime compartilhou, no Seminário Bíblico Palavra da Vida, a necessidade de obreiros para evangelização dos pescadores. Os alunos Márcio e Damaris foram então movidos por Deus para atender àquele apelo. Em fevereiro de 1984, depois de

dois anos ministrando aos pescadores nos finais de semana e férias, Pr. Márcio e Damaris Garcia, agora casados, uniram-se ao casal Jaime e Carmen, dando início ao trabalho de plantação de igrejas entre os pescadores artesanais naquela região. Perceberam rapidamente que não estavam tratando com uma região geográfica, mas sim com um grupo cultural.

Um Povo à beira d’água

Após algumas pesquisas, confirmando a existência de milhares de vilas de pescadores em nossa costa marítima, decidiram, em comunhão com um grupo de mantenedores que tinha a mesma visão, fundar uma agência missionária para promover o avanço da obra com aquele povo.

Nasceu então, em 1986, a MEAP — “Missão Evangélica de Assistência aos Pescadores” ­—em Santos (SP), formada por líderes evangélicos de diferentes denominações históricas, que tem por objetivo atender integralmente as necessidades deste povo, tão isolado e tão pouco evan-

gelizado em todo o litoral brasileiro. A MEAP leva a este povo a mensagem do ÚNICO que pode transportá-los do império das trevas (da pobreza, fome, solidão, injustiça social e sobretudo, do pecado e da morte) para a Luz.

25


matéria de capa

Projetos da MEAP Contando com o apoio e a participação de irmãos, igrejas e seminários, no envio de equipes voluntárias, no envio de missionários, no sustento de obreiros e embarcações, na intercessão, com doações em espécie e em vários projetos a MEAP desenvolve vários projetos comunitários, entre eles: • Educação de Crianças: Doce Lar, Meu Peixinho e Creches • Saúde: Barco Clínica e Saúde & Vida • Moradia: Projeto Cimentar • Esportivo: Craques para a Vida (surf e futebol) (Leia dados referentes ao trabalho de 2011 no início da página 24)

Bases da MEAP As embarcações da MEAP navegam em diferentes regiões, viabilizando o trabalho entre comunidades isoladas. Os obreiros MEAP vão de vila em vila evangelizando, discipulando, formando igrejas e atendendo a milhares de famílias de pescadores através do programa de assistência social, médica e odontológica, organização e manutenção de creches e centros sociais, e doação de cestas básicas. Atualmente, A MEAP — Missão Evangélica de Assistência aos Pescadores, mantém bases nos estados do Maranhão, Piauí, Amapá, Pará, Bahia e São Paulo. São cerca de 90 missionários vivendo entre os pescadores auxiliados por profissionais evangélicos voluntários que atendem as pessoas na área de saúde, educação, assistência social e jurídica; evangelizando e distribuindo Bíblias e literatura infantil para a população ribeirinha. Fotos do Centro de Vida da Missão Evangélica de Assistência aos Pescadores – em Afuá no Amapá.

26


Indo Além

Tente achar Puruquara no mapa... Acredite, esse é um grande desafio. Provavelmente, você não obterá êxito. Puruquara é uma comunidade isolada, no litoral norte do Paraná, situada em área de preservação ambiental, onde vivem poucas dezenas de famílias, pertencente ao Município de Guaraqueçaba. Há mais de vinte e cinco anos o evangelho chegou nessa vila, pela instrumentalidade de missionários pioneiros que venceram obstáculos e implantaram ali uma igreja.

Novos frutos têm surgido e é impactante a atuação da igreja na comunidade, e também em duas vilas vizinhas — Vila Fátima e Porto Velho — onde duas frentes missionárias são mantidas. A igreja prossegue feliz, sendo canal de bênção onde está implantada. Este ano, o grupo construiu um salão para atender melhor as crianças no ministério infantil. Ao saber da existência do salão, a prefeitura de Guaraqueçaba solicitou o local para funcionar ali uma classe do ensino fundamental. A igreja concordou prontamente, disponibilizando o espaço. Agora as crianças não precisam mais pegar um barco às 5h00

da madrugada até Tibicanga (outra vila), aguardar até às 9h00 para em outro barco chegar à escola em Guaraqueçaba. Deus foi ainda mais longe — a professora designada pela prefeitura é evangélica e aceitou a ajuda da missionária Paula, que passou a ministrar aulas de reforço aos alunos. Cremos que Deus irá muito além, salvando muitos dessa nova geração. Você pode não encontrar Puruquara no mapa, mas dê glória a Deus, pois Seu Olhar está sobre esse povo que tem experimentado as delícias do cuidado do Pai.

27


matéria de capa

Jesus Transformando Vidas Aonde o Evangelho chega é notória a transformação de vidas e do ambiente ao redor. Inúmeros são os depoimentos do progresso e mudanças que Jesus proporciona tanto na vida dos obreiros MEAP, dos missionários como da população alcançada.

cadas também na região do Afuá — Arquipélago de Marajó; com o objetivo de plantar mais 10 igrejas em 10 diferentes comunidades.

(Conheça alguns depoimentos nas páginas 21-24 e 26)

Em 2012 as ações de evangelização serão intensifi-

Em parceria com igrejas locais e de outras regiões é realizado o evangelismo pessoal e de impacto, visan-

Vamos em frente

Projeto Geração de Renda

Juntos, veremos as 400 comunidades ribeirinhas do Amapá alcançadas para a Glória de Deus.

A MEAP também desenvolve projetos tendo em vista a geração de renda e sustentabilidade para os ribeirinhos, capacitando-os para manejo dos recursos naturais disponíveis na Floresta Amazônica. Ex: Apicultura, artesanato, avicultura, horticultura, medicina natural (fito planto) e outros que

Conheça um pouco mais os projetos desenvolvidos no campo amapá/pará: O Arquipélago do Bailique é um conjunto de ilhas pertencente ao município de Macapá. São 42 comunidades localizadas em 8 ilhas. Existe o distrito do Bailique (todo o arquipélago) e apenas uma comunidade (ilha) pertencente ao distrito. Localiza-se a cerca de 185 quilômetros da capital do Estado — Macapá, por via fluvial. É formado por uma área continental, conhecida como região do Pacuí ou baixo Araguari. As 8 ilhas que fazem parte do arquipélago são, Bailique, Brigue, Curuá, Faustino, Franco, Igarapé do Meio, Marinheiro e Parazinho. É junto a estas comunidades que a MEAP atua e colocou como meta para 2012 intensificar sua atuação.

Contato

do plantar igrejas em comunidades sem a presença do evangelho. Muitas pessoas têm sido tratadas, curadas e aconselhadas; muitas já confessaram Jesus Cristo como Seu Senhor e Salvador. Assim, a igreja cresce e se consolida.

junto à transformação espiritual possibilitam o exercício da cidadania com dignidade. Através das embarcações KOINONYA I e KOINONYA II a MEAP transporta profissionais voluntários até as comunidades ribeirinhas do Amapá e Arquipélago de Marajó/ Pará.

Oremos por estes desafios • Intensificação dos treinamento de liderança local para consolidação e expansão da obra. • Capacitação dos missionários

educadores que trabalham no Doce Lar. • Alcance de comunidades ainda não alcançadas. • Manutenção das embarcações.

Para contribuir financeiramente, com qualquer quantia, comunique à MEAP seu endereço postal e receba boletos e informações, mensais. Caso queira conhecer melhor esse ministério e envolver-se com a expansão do evangelho no litoral brasileiro, entre em contato conosco ou diretamente com os escritórios da MEAP. MEAP — Missão Evangélica de Assistência aos Pescadores Av. Helena Maria, 381 • Jd Helena Maria • Guarujá/SP • CEP 11431-080 Fone: (13) 3383 3784 • Email: meapbr@meap.org.br • Skype: meap_br

28


ESSA EU ASSINO EMBAIXO Deus tem permitido que a Revista Visão Missionária seja um instrumento na mobilização e conscientização da Igreja de Jesus sobre missões, e ficamos felizes em saber de seu interesse em ser assinante. Para se tornar um assinante, basta efetuar uma oferta de R$ 60,00 e então começar a receber em sua residência ou trabalho, ao longo de um ano, 4 exemplares da revista e mais uma edição na renovação. Para efetuar o pagamento, você pode escolher um das três opções abaixo: [01] PAGAMENTO PESSOAL, contra recibo, a um de nossos agentes missionários ou representantes SEMAP. [02] DEPÓSITO IDENTIFICADO EM CONTA no Banco Bradesco - Agência 1901, C/C 35612-3. [03] DEPÓSITO no PagSeguro, através do site www.semap.com.br, com cartão de crédito ou boleto gerado no site PagSeguro.

FICHA DE ASSINATURA REVISTA VISÃO MISSIONÁRIA SEMAP • R$ 60,00 (4 EDIÇÕES + 1 EXEMPLAR DE RENOVAÇÃO) NOME COMPLETO:

ENDEREÇO:

COMPLEMENTO:

CIDADE:

NASCIMENTO:

UF:

FONE1:

(

)

CEP:

-

FONE2:

(

)

-

E-MAIL:

(Após a efetivação da assinatura, envie um e-mail para semap@semap.com.br ou comunique pelo telefone: 34 3210 0693 • horário comercial)


Projeto Tíquico

Projeto Tíquico chega à Alemanha

O qual vos enviei para o mesmo fim, para que saibais do nosso estado, e ele console os vossos corações. O projeto Tíquico tem por objetivo visitar os missionários nos campos e contribuir com encontros e palestras de crescimento espiritual, emocional, pessoal e profissional. Para o projeto foram formatadas palestras para vários públicos, entre eles: mulheres, líderes, crianças, pais, professores, jovens, círculo de oração e igreja em geral. Uma das fases do Projeto Tíquico aconteceu em fevereiro de 2012 na Igreja Assembléia de Deus Missão aos Povos na Alemanha.

30

Editora da revista Visão Missionária e equipe de louvor da Igreja ADMP da Alemanha

Representantes de várias nacionalidades se reuniram na Alemanha para falar sobre autoestima e a atuação da mulher evangélica

Ao centro, os missionários SEMAP Luiz e Valéria Pfeifer, por ocasião da reunião de liderança com o tema Perfil do líder evangélico

Jovens adolescentes na Alemanha refletem sobre Auto-controle e o papel do Jovem Evangélico no século XXI

Pr. Luiz Pfeifer, sua esposa Valéria e Ely Paschoalick do Projeto Tíquico com as crianças da Igreja ADMP na Alemanha.

(Ef 6.22)


igreja missionária

Pr. Haroldo e a família Yamamoto

Igreja Assembleia de Deus no Japão Pr. Haroldo Yamamoto, oriundo da Assembléia de Deus da Cidade de Jundiaí, é o pastor presidente responsável pelo trabalho missionário das Assembléias de Deus neste campo oriental de evangelismo. Ele está entre a nação japonesa há 21 anos, e trabalha com o ensino da língua portuguesa no Japão, tendo como público alvo os brasileiros descendentes de japoneses que têm visto de trabalho (Dekasseguis).

Cidade de Okasaki — Sede da AD Japão

32

O trabalho conta hoje com 24 congregações, com sede na cidade de Okazaki Estado de Aichi Ken. A região possui uma população estrangeira de 370 mil habitantes, oriundos de 71 países, sendo que mais da metade é formada por brasileiros, parentes consangüíneos de japoneses. Em abril de 2006, quando a igreja se instalou, havia 5.573 brasileiros registrados (3.042 homens e 2.531 mulheres) formando 51,79% da população estrangeira. Outras significantes comunidades que formam a população estrangeira no Estado incluem coreanos (17,43%), chineses (10,89%) e filipinos (8,88%). Há poucos ocidentais em geral (menos de 3%) e o número de estrangeiros registrados que vêm de países onde a maioria fala inglês é menor que 200.


Religião

Inserir uma foto comprada de templo japonês mostrando a arquitetura externa e outra mostrando o povo comemorando com orações o ano novo (Oshogatsu e hatsumode)

gelização, tanto no idioma japonês como no português. Temos tido muita liberdade para trabalhar no evangelismo entre os brasileiros e estrangeiros, porém com os japoneses é preciso ser mais cauteloso. Por exemplo, não podemos deixar a literatura nas caixas de correios, muito menos nos pára-brisas dos carros. Faz-se necessário que a entrega seja pessoalmente em mãos e a recusa é muito grande. Ocorreu um dia que um irmão deixou na caixa do correio a literatura de evangelização com o telefone da igreja, o japonês ligou para a igreja e pediu para nós tirarmos da sua caixa de correio a literatura.

Xintoísmo e budismo são as duas maiores religiões do país que possuem cerca de três mil templos espalhados por todo o arquipélago japonês. Tais templos, edificados com uma arquitetura caracteristicamente oriental, estão presentes tanto na agitação dos grandes centros urbanos, como Tokyo, quanto nas ilhas paradisíacas, como Miya-jima. São mais que uma expressão religiosa, são símbolos da cultura e da identidade nacional. Uma das maiores manifestações populares do país é o hatsumode, a primeira visita do ano a um templo budista ou xintoísta, que acontece no Oshogatsu, o Ano Novo japonês. Na primeira semana de janeiro, os templos ficam lotados de pessoas que fazem orações aos deuses para garantir saúde e sorte para o ano todo.

Liderança da Secretaria de missões

Contudo, Deus tem realizado maravilhas nesta nação! Através de nossos cultos com os brasileiros, japoneses estão se convertendo e o nome do Senhor está sendo glorificado.

Evangelismo

Fachada da sede AD presidida pelo Pr. Haroldo

Candidatos a batismo em maio de 2012

Todo o ministério possui um laborioso departamento de evangelismo, que objetiva conseguir materiais de evan-

Visite www.adjapao.com e conheça mais sobre o trabalho deste campo, presidido pelo Pr. Haroldo Yamamoto.

33


semapinho

OH! Quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união.

Reuniões Individuais ou em pequenos grupos

(Sl 133-1)

Para garantir a visão missionária transcultural e urbana que o Semapinho objetiva implantar no coração das crianças, toda vez que um líder de algum bairro deseja uma explicação individual, a SEMAP abre suas portas para agendar uma reunião individual ou em pequenos grupos. Neste ambiente mais aconchegante, com menos pessoas, é possível resolver as situações mais específicas, efetivando uma orientação direta e garantindo que as reuniões semanais dos agentes mirins semapinho não sejam apenas mais um encontro para crianças e adolescentes ensaiarem um hino ou uma coreografia.

Foto registrando uma reunião em pequeno grupo.

Reuniões coletivas e Workshops As reuniões coletivas, que acontecem mensalmente com a liderança do Movimento Semapinho, garantem a uniformidade do trabalho nos mais de 40 bairros onde se reúnem crianças e adolescentes semanalmente para estudar, orar, contribuir e aprender a evangelizar. Além de ser uma oportunidade que Deus nos permite uma rica troca de experiências e idéias, é também costume nestas reuniões as congregações trazerem seus cadernos de ata, para que a liderança geral tenha conhecimento do que acontece nestas reuniões semanais com crianças e adolescentes. Na ocasião fazemos a entrega de DVDs, CDs, apostilas, fotografias, roupas típicas, bandeiras, globos, mapas e demais instrumentos que enriquecem as reuniões semanais. Também programamos workshops com o objetivo de preparar a liderança para atuar frente à Igreja e as crianças e adolescentes. Os diversos temas já trabalhados, entre outros, foram: Dinâmica de grupo e técnicas de teatro e coreografia; Como fazer parcerias; Como divulgar a revista Visão Missio-

34

Liderança geral do Semapinho com a liderança de cada bairro em um workshop sobre Como fazer Parcerias

Landi, secretário Semapinho; Pr. Édson, tesoureiro SEMAP e Hugo, Agente Semapinho do bairro Jardim Botânico em Uberlândia.


nária; Como instruir adolescentes a fazer Atas; Relatórios e livro Caixa; Conhecendo os campos onde a SEMAP atua; Conhecendo os missionários SEMAP e seus

trabalhos; Preparando uma Feira das Nações; Maneiras práticas de preparar roupas típicas; Estratégias de oração. Consulte o site: www.semap.com.br.

Semapinho presente em sua Congregação Constantemente a liderança do Semapinho é convidada para estimular os membros da Igreja de Jesus a se conscientizarem sobre os 4 pilares do trabalho missionário que são: orar objetivamente por missões - contribuir com o sustento de missionários em campos diversos – estu-

dar a palavra de Deus e os diferentes blocos religiosos – evangelizar divulgando a Mensagem da Salvação.

Os Agentes Semap e Semapinho, em parceria, realizaram um culto com o objetivo de conscientizar a Igreja à obra missionária.

Missão se faz pelo modelo: à esquerda Pr. Carlos Antonio Fabiano, dirigente dos Garcias, participando ativamente do trabalho de conscientização missionária com os jovens

Liderança Semapinho conscientizando a Igreja dos Garcias a perseverar nas contribuições. Veja dinâmica no site: www.semap.com.br

Liderança Semapinho com os bonecos, pastor local e sua esposa, saindo para levar a mensagem da Salvação à população do povoado dos Garcias, na zona rural de Uberlândia

Registramos aqui um trabalho na congregação do São Lucas e na zona rural dos Garcias.

35


oração

Oração: Um dos Pilares da Obra Missionária “

Não rogo somente por estes, mas também por aqueles que vierem a crer em mim, por intermédio da sua Palavra. (Jo 17.20)

A intercessão constitui um dos pilares da obra missionária, e quando falamos em oração missionária estamos nos referindo àquela oração que deixa de focar nossos próprios interesses e daqueles que nos são próximos para entrar em uma ação de intercessão mais altruísta, cujo foco é o outro, o distante, o desconhecido.

36

A intercessão missionária é feita para que o Evangelho seja anunciado com confiança em regiões específicas (Ef 6.19), curas, abertura de caminhos e oportunidades, milagre da libertação, transformação política e social, livramentos para uma nação que não é a sua, para irmãos e ímpios que, provavelmente, nem saberão que você existe.

Tarefa de Clamar Como diz Durvalina Barreto Bezerra, Diretora do Seminário Teológico do Betel Brasileiro: “A oração na obra missionária tem papel fundamental, porque cremos que pela invoca-

ção apressaremos a definida e concreta vinda do Reino de Deus ao mundo (II Pe 3.12). Cumprir a tarefa de intercessor é pedir como Jesus nos mandou: “Venha o teu Reino”. Para que o Reino se estabeleça na terra, deve, primeiro, ser estabelecido no coração do homem. Por isso a nossa tarefa é clamar!”

(Retirado do artigo Missão e Oração escrito pela Profa. Durvalina na aula do CAAM-SEMAP – Curso de Aperfeiçoamento para Agentes Missionários).


Vigília Missionária

Egito e Japão estiveram presentes no clamor da vigília.

A equipe SEMAP e os irmãos da Igreja realizam com muito carinho várias oportunidades de oração missionária, entre elas podemos destacar as manhãs de terças feiras e as vigílias periódicas.

Brasil & Portugal — Unidos em oração

Tenda da Oração

Muitas são as estratégias para estimular a igreja à intercessão missionária. Entre elas, citamos a Tenda da Oração - um espaço específico ornamentado e reservado para intercessão missionária objetiva. A tenda da oração recebe pessoas intercessoras durante toda a realização de eventos, como congressos e seminários.

Círculo de Oração — Parceiros sempre presentes As irmãs e irmãos das diferentes congregações, que formam os mais de 70 grupos de Círculo de Oração da AD Missão aos Povos do campo de Uberlândia, são parceiros presentes na intercessão missionária.

Círculo de Oração de Uberlândia — 57 anos de intercessão pela Obra Missionária

Trimestralmente a SEMAP prepara uma apostila com MOTIVOS DE ORAÇÃO vindos do campo para os Agentes Missionários, para que levem à congregação onde atuam e façam um trabalho de intercessão junto a toda igreja.

Com o tema “Escolhidos e nomeados para Frutificar” (Jo 15.16), o Círculo de Oração de Uberlândia agradeceu a Deus pelos 57 anos de reuniões intercessoras

São orações de agradecimento e súplica que vêm dos diferentes campos onde estão nossos missionários, além de testemunhos sobre mover do Senhor da Seara.

37


oração

O Deus que transforma Catástrofe em Oportunidades

A Indonésia foi palco de um tsunami que provocou a morte de 250 mil pessoas, deixando mais de 100 mil órfãos. Este fato fez com que a população enxergasse melhor o papel da Igreja. Pois logo após este

episódio, os cristãos se mobilizaram para socorrer as vítimas. Os líderes mulçumanos não conseguiam entender e questionavam: “Nós queimamos suas igrejas, violentamos suas mulheres, matamos seus filhos,

destruímos suas casas e vocês ainda vem nos ajudar, como pode ser isso?”, e a resposta da igreja era sempre o amor: “O Deus a quem servimos, e que enviou seu filho Jesus para nos salvar e ir à cruz em nosso

lugar, nos ensina a amar e a servir, como Ele mesmo fez por nós”. O resultado foi milhares de mulçumanos convertidos à fé cristã, e em poucos anos a população do país saltou de 2% para quase 30% de cristãos.

Segunda Assembleia Mundial de Oração na Indonésia panharam, ao vivo, o encontro. A China Continental estava presente com seus 600 delegados que contaram que, a despeito da perseguição, a igreja chinesa cresce exponencialmente.

Aconteceu em Jakarta – Indonésia, na maior nação muçulmana do mundo, entre os dias 14 a 18 de maio, o congresso que teve como co-anfitriã a Igreja Coreana, organizadora da I Assembléia Mundial de Oração em 1984, e que reuniu cerca de 10 mil pessoas de mais de 80 países, entre elas 15 integrantes da delegação do Brasil. O evento, marcado pelo encontro de quatro gerações, teve por objetivo promover a oração global em prol dos movimentos missionários, além de incentivar a união entre os cristãos, a renovação espiritual e a reflexão sobre a transformação social de todo o mundo. O público celebrou o amor de Deus por meio da oração e da adoração. E em um ato profético, foi promovida a

38

reconciliação da Coréia de Norte com a Coréia do Sul pelos seus representantes. Dentre os vários momentos marcantes, destacamos o testemunho de um proeminente pastor que impactou a todos. Ele havia fundado 500 igrejas. E em oração, Deus lhe disse: “tire todas as placas das igrejas fundadas e depois vá a cada pastor e peça perdão por sua arrogância e orgulho”. Ele obedeceu,

e escreveu cartas a todos eles. Como resultado, a igreja desfruta hoje de uma unidade, que é fruto do Espírito Santo. O ponto alto do evento aconteceu na concentração de 120 mil pessoas no estádio Utama Gelora Bung Karno, com mais de 362 cidades conectadas em oração. Pela internet, mais de 200 mil pessoas ao redor do mundo acom-

Caro leitor da Visão Missionária SEMAP, vale à pena finalizar este artigo com as palavras de nossa mestra Durvalina Bezerra: “O ministério da oração nos põe em posição de combate. Sob a liderança e no poder do Espírito Santo, obteremos resultados em uma dimensão que só a eternidade nos revelará”. Referência: http://www.odiario.com/blogs/ inforgospel/2012/05/17/cristaos-de-60-paises-oram-na-indonesia-para-haja-salvacao-e-cura-em-cristo-para-as-nacoes/ http://www.pmsdecristo.org.br/


39


A Bíblia de Estudo Defesa da Fé ajudará os cristãos de hoje a entender, defender e proclamar sua fé em meio a um tempo de crescente relativismo moral e espiritual. Mais de uma centena de artigos e questões sobre fé e ciência fornecem uma experiência recompensadora a cada estudo. Ainda apresenta como diferencial uma introdução para cada livro da Bíblia, focada nos elementos inerentes à apologética, e perfis históricos de apologistas desde Justino a C.S. Lewis. Também apresenta valiosas contribuições dos mais consagradas apologistas modernos, como Charles Colson, Norman Geisler, Hank Hanegraaff, Josh McDowell, Albert Mohler, Ravi Zacharias, e mais de 90 outros colaboradores. • • • • • • • • •

Os melhores pensadores da apologética de nossos dias em um só lugar Uma Bíblia de Estudo com recursos únicos sobre questões de vida e fé Estudos bíblicos que respondem questões realmente difíceis sobre a fé Permite estudar a fundo os falsos ensinamentos e evidenciar suas heresias Fortalece e dá confiança para aqueles que desejam compartilhar sua fé Ferramenta perfeita para pastores e pregadores da Palavra Uma ajuda real para Cristãos de todos os tipos Derruba os obstáculos à fé Mostra por que a Bíblia é confiável

Perguntas Reais, Respostas Diretas, Fé Solidificada

Profile for Ana Paula Takahashi

Visão Missionária Semap  

N.44

Visão Missionária Semap  

N.44

Advertisement