Issuu on Google+

Campanha 2010: A resposta das igrejas aos apelos de Missões Mundiais Pág. 22

Brasil

Ministério com Surdos ganha reforço com a formação de mais líderes para o trabalho.

Mundo

Abençoado Convênio em Cuba

Mobilização Missionária

Pág. 4 Pág. 15

Congressos Conexão Missionária

Pág. 23

Batistas do Nordeste recebem treinamento de Igrejas Multiplicadoras. Pág. 5

M ISSÕES JORNAL DE

Órgão Oficial das Juntas de Missões Mundiais e Nacionais da Convenção Batista Brasileira Ano VII | Nº 32| Março • Abril | 2010

Após terremotos, Haiti e Chile recebem ajuda dos batistas brasileiros D ois devastadores terremotos atingiram Haiti e Chile, respectivamente, nos meses de janeiro e fevereiro. Coincidentemente os dois países são destaques na Campanha de Missões Mundiais deste ano. Apesar do rastro de destruição e mortes, essas tragédias também criaram oportunidades para que os povos desses dois países sejam alvos de ações missionárias e sintam o consolo do amor de Deus. No Haiti, apesar da dor que permanece, já há relatos de obreiros da terra dando conta de que um grande avivamento está acontecendo entre os crentes. E no Chile, todos os missionários afirmaram que ficaram atônitos com o terremoto, mas esesperam que o terremoto possibilite uma aproximação do povo chileno ao Senhor.

Destruição: Haiti sofreu com o terremoto de janeiro

É

Págs. 10 e 11

Exemplo de multiplicação

impossível pensar na conquista da Pátria sem ter uma consciência de multiplicação. Nesse sentido, o Tabernáculo Batista de Marituba, no Pará, tem sido um grande exemplo de preocupação com a expansão do Reino de Deus, dando dinâmica à formação de novos líderes e, consequentemente, à implantação de diversas frentes em seu território de atuação. Em 15 anos, os missionários pr. Luís Gonzaga e Aurideia Ferreira revitalizaram uma igreja e agora estão

à frente de outras seis congregações. Mas, como eles deixam claro, o desafio continua e a meta é avançar, chegando a, no mínimo, 10 frentes plantadas em localidades mapeadas por Missões Nacionais. Administrar, dar crescimento e base sólida a cada uma delas parece dif ícil... e realmente é. Porém, devoção a Deus e estratégia são armas potentes a favor dos que desejam tornar acessível aos brasileiros o Reino de Deus. Pág. 7

Radical Brasil inaugurará Missão Batista Cristolândia em meio à cracolândia paulista.

Pr. Luís acompanhando obra de uma das seis congregações

Radical Brasil

Mais um passo

JORNAL-32.indd 1

Logo após a devastação que matou mais de 250 mil pessoas no Haiti, milhares de iniciativas ao redor do mundo passaram a ser executadas para ajudar na reconstrução do país. Já no ano passado, Missões Mundiais lançara o Projeto Por um novo Haiti a fim de avançar com a obra missionária recém-iniciada. E agora, mais do que nunca, também os batistas brasileiros poderão ajudar a reconstruir aquela nação através dessa iniciativa. Já no Chile, onde o número de vítimas não chegou a mil, as necessidades apontam para a reconstrução de igrejas e seminários, e a ajuda poderá ser feita através do SOS Chile.

Pág. 8

Uma experiência transformadora

Retornando aos campos da África Radicais formam-se no STBSB e regressam ao campo melhor preparados.

Pág. 12

16/03/2010 16:16:51


2

Jornal de Missões Março/Abril • 2010

Editorial

Palavra do Diretor

Tempo de reconstrução

A

s matérias das páginas 10 e 11 desta edição continuam tratando das duas grandes tragédias que abalaram o mundo neste início de 2010: os terremotos que devastaram o Haiti e o Chile. Não temos, portanto, a intenção de continuar falando de um assunto já fartamente explorado pela imprensa do mundo inteiro. O que desejamos mostrar, sim, é que temos a grande oportunidade de participar da reconstrução dessas nações. E devemos entender isso de duas formas. A primeira é com ações imediatas de ajuda humanitária; no Haiti o povo está com fome; é preciso dar-lhe comida. No Chile, as famílias das vítimas estão desesperadas; é preciso levar-lhes esperança. Precisamos agir rápido. A segunda maneira é soerguendo-as sobre um novo alicerce de vida e esperança. Investir tempo em oração, recursos financeiros e na preparação de vidas para que o Haiti e o Chile experimentem um verdadeiro avivamento. Veja o caso do Haiti. O país conseguiu a sua independência há 200 anos, porém o povo continua escravizado pelas crenças demoníacas e pela extrema pobreza. No terremoto, os símbolos que oprimem os haitianos foram destruídos. O tempo, então, é de recomeçar; ou melhor, de começar do zero. Esses povos precisam, acima de tudo, da transformação espiritual. Clamar e agir por um avivamento será, sem dúvida, a maior contribuição que os crentes brasileiros poderão dar para que esses países comecem uma nova história. Está diante de nós, portanto, a oportunidade sem igual para reconstruirmos essas nações. Quantos terremotos precisarão acontecer nesses países para que percebamos isso? Pr. Luiz Cláudio Marteletto

Gerente de Comunicação e Marketing da JMM

Expediente O JORNAL DE MISSÕES é uma publicação bimestral das Juntas de Missões Mundiais e Nacionais da CBB. JornalistaS ResponsáveIS: Sérgio Dias 25.944/DRT-RJ (JMM) Marize Gomes Garcia 41.487/DRT-RJ (JMN) MISSÕES MUNDIAIS: Rua Senador Furtado, 71 Praça da Bandeira, Rio de Janeiro, RJ - CEP: 20270-021 Tel.: (21) 2122-1900 - Fax: (21) 2122-1911 E-mails: redacao@jmm.org.br; jmm@jmm.org.br Portal: www.jmm.org.br DIRETOR EXECUTIVO (Interino) Pr. João Marcos Barreto Soares GERENTE DE COMUNICAÇÃO E MARKETING Pr. Luiz Cláudio Marteletto REDATORES: Ailton de Faria Figueiredo, Márcia Pinheiro e Sérgio Dias PROJETO GRÁFICO: Joatan de Souza EDITORAÇÃO: Rosimar Costa MISSÕES NACIONAIS: Rua Gonzaga Bastos, 300 Vila Isabel CEP: 20541-000 - Rio de Janeiro, RJ Tel.: (21) 2107-1818 | Fax: (21) 2107-3851 E-mail: falecom@missoesnacionais.org.br Site: www.missoesnacionais.org.br DIRETOR EXECUTIVO: Pr. Fernando Brandão REDAÇÃO: Tiago Monteiro REVISÃO: Adalberto Alves de Sousa COORDENAÇÃO DA PRODUÇÃO EDITORIAL: Gerson Daminelli Ribeiro DIAGRAMAÇÃO: Wellington Nunes • Oliverartelucas TIRAGEM: 170.000 exemplares

JORNAL-32.indd 2

I

Sentimentos, desejos e desafios

nicio meu ministério na JMM com um misto de sentimentos bem diversos. O primeiro que desejo destacar é gratidão. Gratidão a Deus por me dar a oportunidade de trabalhar para Ele. Devo acrescentar a este privilégio o de trabalhar com uma área ministerial pela qual tenho grande paixão, a de missões. Mas a gratidão também é dirigida a você que orou pelo processo sucessório e que tem orado por mim e pela equipe da JMM. Seu suporte em oração é fundamental para que tenhamos sucesso em cumprir a missão que Deus nos deu. Sou grato também a toda equipe da Junta que me recebeu como alguém que vem para somar e tem me dado apoio integral. Todos, missionários e funcionários, têm me abençoado com palavras de ânimo e demonstrado compromisso com a obra. Agradeço também à liderança da CBB, das convenções estaduais e aos pastores das igrejas batistas pela confiança e apoio que têm me dado. Outro sentimento presente neste momento é o peso da responsabilidade. Este sentimento advém do fato de saber que a obra é gigante e que sou pequeno demais para cumpri-la. Mas estou confiante, pois sei que quando Deus comissiona Ele mesmo capacita e provisiona. Sei que é Ele quem faz o trabalho através de nós. Sei também que não estou sozinho, pois posso contar com você, leitor, com suas orações, contribuições e ações. E que posso contar com todos os que amam missões. O terceiro sentimento que desejo destacar é o de desafio. Temos uma oportunidade ímpar para realizar a missão. Deus tem preparado toda a situação

P

para que a obra missionária tenha grande expansão e sucesso. Olhar para esta oportunidade como dada por Deus nos anima e nos faz sonhar. É impossível não se entusiasmar ao ver como Deus tem agido para que anunciemos o Seu amor a todos os povos. Tais sentimentos me levam a desafiar você a participar de forma ainda mais ativa da obra missionária mundial. Ao ouvirmos sobre o tema da Campanha deste ano somos levados a refletir sobre a razão da nossa ação missionária: Cristo. É por ele que vamos aos confins da Terra. Por causa de Seu amor, expresso de forma definitiva na cruz, somos levados a anunciáLo a todos com alegria e entusiasmo. Neste ano a Campanha apresenta a ênfase na América Latina, esta região tão sofrido por questões humanas e naturais; que apresenta problemas que só podem ser resolvidos com a mudança de atitude diante de Deus. Por isso peço que você ore por nossos missionários que atuam nesta região, pelo despertamento de mais vocacionados e por estratégias novas para realizarmos este trabalho. E que estes motivos de oração sejam também apresentados em relação aos demais continentes. Por Cristo, vamos até os confins da Terra! Pr. João Marcos Barreto Soares Diretor Executivo de Missões Mundiais

O tempo está próximo

arece que está fora de moda falar sobre a volta do Senhor Jesus para julgar todos os homens e mulheres, vivos e mortos. Na minha época de adolescência ouvia mais os pregadores falando sobre a volta de Cristo e o fim de todas as coisas. Nos tempos atuais é mais producente agradar com a mensagem para cativar os ouvintes e manter a fidelidade dos freqüentadores dos cultos. Falar sobre o fim de todas as coisas quando o que se busca é desfrutar as bênçãos terrenas e aproveitar plenamente as oportunidades da vida aqui na terra, não soa bem aos ouvidos daqueles que desejam mais o mundo do que o Reino; ou o medo de se expor ao ridículo falando de um tema que, inevitavelmente, leva o ser humano a um confronto com seus limites e sua condição de pecador que necessita de arrependimento e restauração espiritual para encarar o julgamento final. É preciso pregar a Palavra sem a preocupação de agradar alguns ouvintes “clientes”. Como nós, Igreja de Cristo, deixamos de pregar estas coisas, as pedras estão clamando. Os governos, os cientistas e várias organizações não governamentais estão bastante preocupados com tantas circunstâncias e fenômenos da natureza que indicam que o planeta terra caminha para o fim. Leis estão sendo criadas na tentativa de se evitar uma catástrofe de proporções apocalípticas com a raça humana. A imprensa tem noticiado diariamente tudo o que a Bíblia apresenta como sinais do fim dos tempos. Não há nada novo debaixo do céu. Outro dia eu assistia a um telejornal e o apresentador lançava mão das profecias do Apocalipse de João para tentar justificar algumas tragédias que têm assolado o mundo. O circulo está se fechando. E o que tudo isso tem a ver com a obra missionária? Celeridade. Há urgência urgentíssima na proclamação

do evangelho a todos os povos. É prudente que a Igreja do Senhor esteja servindo como o mordomo bom e fiel que sempre se manteve leal à missão de cuidar dos interesses do seu senhor, pois a qualquer momento ela encontrará com o Rei dos reis. Não podemos ficar acomodados enquanto há milhões e milhões de pessoas em todo o mundo necessitando ouvir o evangelho e ser libertos das garras do reino das trevas. Há igrejas adormecidas em seus templos como se estivessem vivendo em um piquenique. Outras com um potencial extraordinário para impactar seu bairro, cidade, estado, Brasil e até os confins da terra, mas se limitam ao serviço de culto. Crentes que não dão a mínima para a pregação do evangelho, não oram, não testemunham, não discipulam ninguém, não ofertam para o sustento da obra e não se tocam com a urgência da missão. Em Missões Nacionais entendemos que não podemos perder nem um segundo, pois os desafios em solo brasileiro são imensos e há milhões que precisam ser alcançados antes que venha o fim. Estamos trabalhando como se Jesus voltasse a qualquer momento. Não há tempo a perder. Por isso estamos investindo na multiplicação de igrejas para que o evangelho chegue aos ouvidos e ao coração de todos. O Rei está voltando para buscar o Trigo, sua Igreja, e os seus servos devem ser fieis à missão recebida dele, pois prestaremos conta de tudo. Por Fernando Brandão Diretor Executivo de Missões Nacionais

16/03/2010 16:16:53


Jornal de Missões Março/Abril • 2010

Mais obreiros são apresentados para levar a Palavra aos campos de Missões Nacionais

3

Brasil

Ex-coordenadores do RS tomam posse na PIB de São João de Meriti

O

ex-coordenador regional de Missões Nacionais para o Rio Grande do Sul, missionário Cláudio José Farias de Souza, tomou posse, no dia 27 de fevereiro, como pastor da Primeira Igreja Batista de São João de Meriti, com culto solene que contou com a participação de pastores e amigos, entre eles os pastores Wanderlei Marins – presidente da Convenção Batista Fluminense, Enes Gomes da Silva – presidente da Ordem dos Pastores do RS, Joacyr Magioli – missionário da JMN e presidente da Junta de Administração e Missões da Convenção Batista do RS, e Fernando Brandão - diretor executivo da JMN. Em nome de Missões Nacionais, pastor Fernando agradeceu ao casal pelo empenho com o qual trabalhou nos campos durante os 17 anos de ministério junto à JMN, afirmando ser

N

Oração de posse na PIB de São João de Meriti

um privilégio para a agência ceder um de seus obreiros a uma igreja como a 1ª IB de São João de Meriti. Desde quando foram comissionados ao campo, em dezembro de 1992, plantaram igrejas nas cidades de Vacaria, Osório, Porto Alegre além de dar assistência a um trabalho batista em Tramandaí.

JMN homenageia ex-coordenadores

Flávia, Luíza e Laura Moreira – mãe, filha e neta, respectivamente – da Igreja Batista Missionária em Porto Alegre, último campo da família missionária, compareceram ao culto de posse na 1ª IB de São João de Meriti. Segundo elas, pastor Cláudio “foi e sempre será um exemplo para nossa família com sua conduta indiscutível... Sem palavras

para descrever uma pessoa escolhida por Deus, uma pessoa amorosa, ética, um líder que soube comandar e deixar liderados por onde passou no RS”. Felizes com a condução de Deus na vida da família missionária, elas concluíram: “que esta igreja possa amá-los tanto ou até mais do que eles foram e sempre serão amados por nós”.

Aprovação de novos missionários

o último domingo de fevereiro, Missões Nacionais apresentou mais 22 novos missionários aprovados pela Comissão de Avaliação de Novos Missionários do Conselho da CBB, em um culto de gratidão a Deus na Primeira Igreja Batista em Alcântara, RJ. O culto contou com o cântico de uma música preparada pelo grupo de novos missionários, testemunho de um dos casais, pregação do gerente executivo de expansão missionária da JMN, pastor Samuel Moutta, e a presença de integrantes da equipe da sede de Missões Nacionais.

Pastor Vanderlei Marins fez a oração de dedicação de vidas e afirmou que apesar de todos terem o direito de receber igual tratamento, em sua casa, missionários são tratados de maneira especial. Este carinho não foi dedicado apenas pelo pastor, mas sim por todos os membros da igreja, desde os pequeninos até os mais

Novos candidatos apresentados por Missões Nacionais

Obreiros com a Comissão de Avaliação de Novos Missionários

JORNAL-32.indd 3

velhos. A igreja teve o cuidado de, previamente, saber o nome de cada integrante da JMN que estaria presente ao culto, missionários e equipe da sede, distribuiu estes nomes entre grupos de membros,

que ao final do culto entregaram presentes para cada um deles. Além de presentes, os missionários receberam cartas dos Amigos de Missões da 1ª IB de Alcântara. Entre os presentes, estiveram a prefeita e o secretário de Saúde de São Gonçalo, Maria Aparecida Panisset e Márcio Panisset, que tomaram a decisão de investir financeiramente na obra missionária nacional, mais especificamente no Rio Grande do Sul.

Com esta nova turma de missionários, oito estados brasileiros (AC, CE, PB, RN, MT, GO, MG, SP) receberão obreiros para a proclamação da mensagem de salvação em Cristo Jesus. Missões Nacionais e este grupo de obreiros trabalham, no momento, para levantar o sustento necessário para que possam seguir aos campos. Se você deseja investir nestes projetos, entre em contato com pambrasil@missoesnacionais.org.br .

16/03/2010 16:17:01


4

Jornal de Missões Março/Abril • 2010

Brasil

Ministério com Surdos ganha reforço com a capacitação de novos líderes

Missões Nacionais forma novos líderes para ministérios com surdos

A

pesar de os estudos do IBGE apontarem para um índice de mais de 6 milhões de surdos no Brasil, o trabalho de inclusão desse grupo na maioria das igrejas ainda acontece de maneira acanhada. Sabendo dessa necessidade, Missões Nacionais realizou, no mês de janeiro, o segundo Curso de Formação de Líderes para Ministérios com Surdos, cujo objetivo foi formar pessoas com uma visão centrada na evangelização e discipulado, tendo como plataforma a cultura surda. Apesar de ser a segunda turma formada, foi a primeira vez que ouvintes e surdos desfrutaram de um processo de aprendizado inclusivo, em que ambos os grupos receberam o mesmo conteúdo. “Vale a pena ressaltar que o Novos líderes para ministérios com surdos processo educacional brasileiro tem tentado de várias maneiras incluir os surdos na educação formal, mas tem esquecido que a melhor maneira de incluí-los é tão somente respeitar sua língua e cultura, tornando acessíveis as mesmas possibilidades de aprendizagem”, apontou a coordenadora do Ministério com Surdos da JMN, a missionária Marília Moraes Manhães. Foram matriculados 33 alunos – sendo 11 surdos, representantes de 14 estados brasileiros. Também fizeram parte do curso missionários surdos da JMN e Renata Keli Marinho, obreira que atua no Instituto Batista de Carolina, que decidiu aprofundar seus Teoria e prática na evangelização de surdos estudos na área a fim de alavancar o processo de inclusão de surdos no co- va ser mudado em seu ministério. légio maranhense. O curso acabou ul- Mesmo com 10 anos de envolvimentrapassando as 312 horas-aula previstas to no trabalho com surdos, confessa e o resultado não poderia ter sido outro: ter recebido uma visão aperfeiçoada. líderes fortes, com grande capacidade “Na verdade, quando estamos muito de atuação. As aulas, que aconteceram tempo no ministério, nos acostumanas dependências do Seminário Teoló- mos até com o erro. Vamos errando e gico Batista do Sul do Brasil (STBSB), achando que estamos fazendo o cerno Rio de Janeiro, abordaram, entre ou- to”. Ela, que veio do Amapá, sabe bem tros, os seguintes temas: Teologia Bíbli- o quanto esse ministério é precioso, ca em Missões, Teologia para Prática de já que o alvo principal é cuidar de viEvangelização, Elaboração de Projetos, das. “Sabemos que os surdos precisam Doutrinas Bíblicas e Libras. de uma atenção especial e aqui ficou A jovem Regiane Coutinho, de- muito claro onde erramos e onde não pois do curso, viu o quanto precisa- podemos errar”.

JORNAL-32.indd 4

Os professores envolvidos também vibraram com a iniciativa de Missões Nacionais e a experiência de ministrar a alunos surdos. O pastor Henrique Ribeiro de Araújo foi um dos professores que apostaram na implementação de novos elementos visuais para ampliar a qualidade do processe ensino-aprendizagem. Além disso, segundo ele, o curso veio para mudar o quadro de negligência de algumas igrejas com relação à evangelização desse grupo. “Os surdos, como qualquer campo missionário, apresentam determinadas características peculiares que, somadas, acabam perfazen-

do uma cultura própria. Destarte, torna-se necessário um ambiente no qual o próprio surdo sinta-se à vontade no desenvolvimento de relacionamentos interpessoais ou eclesiásticos. Proporcionar ao surdo esta possibilidade de ambiência no seio da igreja é cumprir a determinação bíblica de açambarcar em si aqueles que desejam fazer parte desta grande família. A JMN está de parabéns por esta iniciativa”, afirma o professor. Marília conhece bem a pouca atenção dada por muitas igrejas ao ministério com surdos, mas afirma que esse cenário está mudando. Exemplo disso foi que a maioria dos alunos do curso foi enviada pela própria igreja, sinal de que tem valido a pena todo o esforço em tornar consciente a necessidade espiritual dos surdos. “Já perdemos muito tempo. Agora temos que olhar para frente e, como Josué, enfrentar toda a batalha que temos pela frente contra o inimigo, guiando e orientando o exército de salvos, surdos e ouvintes comprometidos, que desejam ganhar outros surdos para Jesus. Não podemos perder esta batalha travada contra o inimigo, que tem levado muitos surdos para as drogas, homossexualidade e outras armadilhas satânicas. Esta foi a segunda turma dentre muitas que virão. Creio que este é o tempo de Deus para erguermos um grande exército para salvação dos mais de seis milhões de surdos de nossa Pátria”, ressaltou. Para o pastor Josué Campanhã, executivo da Sepal e professor de Liderança Cristã no curso, há muito tempo a igreja esteve de olhos voltados para a maioria, deixando de ultrapassar as fronteiras que a impediam de chegar aos excluídos. No culto de formatura, realizado na capela do STBSB, comentou: “Muitos aqui cresceram na igreja e lembro que há 10 anos quase ninguém tinha o desejo de servir a essas pessoas. Pregávamos o evangelho dentro das fronteiras que nós mesmos estabelecíamos. Jesus veio para servir além das fronteiras. Quando olho para este grupo (líderes formados), vejo que eles estão fazendo a mesma coisa que Jesus fez: servindo além das fronteiras”.

16/03/2010 16:17:04


Jornal de Missões Março/Abril • 2010

“O treinamento, de alto nível com profissionais atuantes no mercado, nos deu boas ferramentas para nosso trabalho”

S

Brasil

Nordeste recebe treinamento de Igreja Multiplicadora processo de avaliação da JMN, conclui: “saímos daqui com a certeza de que nada nos impedirá de executar a visão que Deus nos deu”. “Cremos que depois deste encontro, o Nordeste não será mais o mesmo, pois todos saíram muito motivados para evangelizar, fazer discípulos e plantar igrejas multiplicadoras como a melhor forma de alcançarmos o nordeste e assim, juntos, cumprirmos a Grande Comissão”, comentou pr. Francisco Washington. O encontro foi encerrado com a entrega dos certificados aos participantes e uma placa congratulatória ao casal pr. Cirino e miss. Regina Refosco pela comemoração de 25 anos de serviços prestados à Junta de Missões Nacionais da CBB, servindo especialmente no Nordeste.

ob a liderança do pastor Cirino Dentre os assuntos abordados, o pr. O encontro empolgou os participanRefosco, gerente regional de Mis- Cirino Refosco apresentou o principal tes. Para o missionário Jurany Milhosões para o Nordeste, e do Pastor conteúdo do Manual; o pr. Washington mem, missionário de Missões Estaduais Francisco Washington de Oliveira, co- apresentou o material de Pré-Evangeli- na cidade de Palmeirais (PI), o encontro ordenador regional de Missões do Ce- zação e Integração no contexto de Igre- foi uma grande oportunidade de aprenará, a Junta de Missões Nacionais pro- ja Multiplicadora; o Pr. Samuel Meira dizado. Tal oportunidade foi vista por moveu, nos dias 23 a 26 de fevereiro, o 1º Treinamento de Igreja Multiplicadora para o Nordeste. A programação, realizada em Barbalha, CE, contou com 96 inscritos, dentre eles missionários de Missões Estaduais de algumas Convenções, secretários Participantes vibram com o modelo de plantação de igrejas multiplicadoras executivos, pastores de igrejas locais e líderes de Associa- Moutta, Gerente Executivo de Expan- pr. Mário, da PIB de Picos, PI, como ções dos estados do Maranhão, Piauí, são Missionária, falou sobre Práticas “uma resposta para a confusão eclesioCeará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Eclesiológicas no campo missionário; lógica que se vive hoje”. Ele entende que Pernambuco. e o Pr. João Marcos deu explicações haverá uma unificação da linguagem de O objetivo do evento foi a capaci- sobre o sistema que irá gerenciar os plantação de igrejas batistas. Anderson tação de missionários para plantação relatórios dos missionários de Missões Gama, um professor de química da cide igrejas com DNA de multiplicação. Nacionais. dade de Avelino Lopes (PI) que está em

Missões Nacionais investe em capacitação

conteceu entre os dias 1º e 5 de março, na sede de Missões Nacionais, no Rio de Janeiro, um treinamento para os gerentes regionais e alguns coordenadores. A equipe da Christian Leadership Center tratou de temas como Gestão de Projetos, Gestão de Pessoas, Comunicação Estratégica, Liderança e Desenvolvimento de Pessoas. Outros temas, como Planejamento Estratégico e Sistema Corporativo, foram tratados no período do treinamento. Segundo o gerente de Expansão Missionária, pastor Samuel Moutta, esse treinamento faz parte de um programa de capacitação continuada para formação de líderes estratégicos, de acordo com o ideal da JMN de treinar e desenvolver a equipe para que o nome do Senhor seja glorificado em tudo o que for feito. “O treinamento, de alto nível, com profissionais atuantes no mercado, nos

JORNAL-32.indd 5

Selio Morais

A

5

Gerentes e coordenadores reunidos na Sede da JMN

deu boas ferramentas para nosso trabalho e contribuirá para que ele seja realizado de forma mais eficaz e eficiente”,

afirmou a gerente regional da JMN no Rio de Janeiro, Cláudia Souza, demonstrando que trabalho missionário, profis-

sionalismo e vocação devem caminhar juntos. Eliane Aguiar, gerente de Recursos Humanos, afirma que o primeiro treinamento no Programa de Desenvolvimento de Líderes Estratégicos superou as expectativas e que, certamente, marca um novo tempo, abrindo novos horizontes. “Tivemos uma equipe motivada, comprometida e buscando novos conhecimentos para agregar valor às suas atividades missionárias”. Ainda na primeira quinzena de março, aconteceram encontros de capacitação missionária no Sul e no estado de São Paulo, reunindo todos os missionários das respectivas regiões. Assim como foi realizado no Ceará, o encontro tem como foco a Igreja Multiplicadora, mas também contou com palestras sobre Liderança, Eclesiologia Missionária, Gestão de Projetos, Lar Cristão, Doutrinas Bíblicas entre outras.

16/03/2010 16:17:07


6

Jornal de Missões Março/Abril • 2010

“Nunca se viu tantas famílias, em todos os estados do Brasil, pedirem socorro para seus queridos, que já estão dominados pelo crack e outras drogas”

Brasil

Combate às drogas

N

Mais uma comunidade terapêutica à vista

o ano de 2009, Missões Nacionais recebeu vários pedidos para que Comunidades Terapêuticas fossem implantadas em vários estados. O caso mais recente foi na cidade de Cuiabá, MT, depois de o prefeito da cidade ouvir falar do trabalho que os batistas brasileiros têm realizado junto a dependentes químicos. Uma nova parceria está sendo estabelecida entre JMN e Prefeitura de Cuiabá, por meio de um contrato de comodato, para instalação de uma CT na cidade. A Prefeitura montará o local onde funcionará a CT e Missões Nacionais será responsável por sua gestão. Diante de tantos pedidos e novas comunidades, pastor Fernando Arêde, diretor da CT Reviver, em Muriaé, e coordenador da rede de CTs, afirmou: “Deus tem pressa neste negócio”. O pastor ressalta ainda que é fundamental uma ação conjunta com as igrejas batistas para colocarmos em prática ações assertivas em prol das vidas. Existe uma possibilidade de fazermos diferença nesta geração. Pelo nome do Senhor Jesus, colocarmos os pés e os braços, além dos corações, em luta conjunta para salvarmos vidas. O trabalho de evangelização nos locais onde há consumo e tráfico de drogas está sendo realizado, assim como a implantação de comunidades terapêuticas, porém as igrejas podem contribuir de forma relevante nas comunidades onde estão inseridas. Em sua própria experiência de trabalho, pastor Fernando Arêde verifica que pelos menos 20% dos casos atendidos poderiam ser recuperados se existisse um mínimo de ajuda externa como, por exemplo, uma igreja que tivesse um Grupo de Apoio ao Dependente (GAD). Sozinho é muito dif ícil um usuário libertar-se das drogas, mas com apoio emocional e acompanhamento diário as chances aumentam consideravelmente. O pastor afirma ainda que muitos usuários que atendeu já fizeram parte de uma igreja,

JORNAL-32.indd 6

mas ao se afastarem ninguém tentou ajudar ou estender o ombro. “Isto não é uma acusação, apenas o testemunho que ouvi de vários. O erro é do usuário, mas a parte da segunda milha ficou só na Bíblia”. Neste sentido, Missões Nacionais lançou um manual sobre o trabalho com dependência química para auxiliar as igrejas a desenvolver o acompanhamento e resgate de vidas envolvidas com drogas. Com este avanço das drogas no país e o investimento no resgate de vidas, um dos atuais desafios é selecionar obreiros capacitados para o trabalho nas comunidades terapêuticas. Os que desejam se envolver com este ministério devem apresentar os seguintes pré-requisitos: • Comprovar experiência de trabalho dentro de uma Comunidade Terapêutica por, pelo menos, três anos; • Ser recomendado pelo líder da CT onde trabalhou; • Ter conhecimento teórico sobre drogas e suas consequências; • Ser maior de 21 anos; • Ser membro de uma igreja batista da CBB por no mínimo 2 anos; • Ser recomendado pela igreja local onde é membro; • Estar em concordância com as doutrinas e princípios batistas; • Possuir características pessoais como: resiliência, flexibilidade, firmeza de atitudes, bom relacionamento interpessoal, capacidade de trabalhar sob pressão, capacidade de discernimento, equilíbrio emocional, maturidade espiritual. Se você atende a estes requisitos e sente o chamado de Deus para trabalhar em comunidades terapêuticas, na restauração de vidas, faça contato conosco pelo e-mail: candidato@missoesnacionais.org.br Fomos chamados para ser sal e luz neste mundo. O tempo é agora!

O QUE ESTÁ ACONTECENDO EM NOSSO PAÍS • Desde a década de 70/80 já se

ouvia falar dos maconheiros ou dependentes da cocaína. O problema foi o aumento incomensurável das drogas, em todas as direções. Atualmente procuro saber de um lugar onde não haja drogas. Sabe-se que atualmente o narcotráfico só perde financeiramente para o petróleo e para o material bélico. Quando se ouve uma notícia de apreensão de drogas, normalmente, diante do mundo das drogas aquele material é apenas uma percentagem mínima, já calculada como perda natural.

Pela primeira vez o governo lançou um estudo nacional que inclui a participação da igreja, como necessária. O título do estudo, lançado em 2009, é “Fé na Prevenção” e novo estudo está sendo elaborado para este ano.

Foi registrado um aumento no uso e na produção de drogas sintéticas (anfetaminas, metanfetamina e ecstasy) nos países em desenvolvimento. É importante salientar que para essas drogas há uma inversão do mercado: enquanto os maiores produtores são países desenvolvidos, são os países em desenvolvimento que vêm registrando uma tendência de maior consumo ao longo do tempo.

Uma notícia do Diário Oficial do Estado de São Paulo em edição de julho de 2009 traz um alerta importante para a saúde pública: o aumento do número de casos femininos internados por uso de cocaína no estado de São Paulo cresceu incríveis 91% (somente as que foram para hospitais) nos últimos três anos. Partindo de 365 mulheres internadas

em hospitais da rede pública por uso de cocaína em 2006, chegando a 589 em 2007 e por fim 696 em 2008. A idade média dessas mulheres foi registrada em 29 anos.

Com a dependência química, não basta pregar o evangelho. Muitas vezes é fundamental cuidar do(a) usuário(a). Aqui, tirando carrapichos das almas, as Comunidades Terapêuticas (CT) masculinas e femininas se mostram fundamentais. Nunca se viu tantas famílias, em todos os estados do Brasil, pedirem socorro para seus queridos, que já estão dominados pelo crack e outras drogas. Grande parte já esteve em alguma igreja ou é filho de cristãos. Vale lembrar que o tempo de divulgação do crack está terminando (prateleira da divulgação pelo narcotráfico). Uma nova droga, mais forte e barata, já está bem espalhada nos EUA e chegou ao Brasil com o nome de cristal (metanfetamina). A maconha e a cocaína continuam, porém o crack ainda é o carro-chefe, com os coadjuvantes merla, ecstasy e outras. Mas, provavelmente, o cristal deverá ser o novo titular ou carro-chefe por um bom período, até que algo novo e pior apareça. Não falo somente segundo a minha opinião, mas com base em dados já comprovados. Quantas são as Cracolândias no Brasil... agora eu não sei mais. Quantos soldados de Deus serão necessários para iniciar um combate contra o inimigo das nossas almas? Deus sabe. Pr. Fernando Arêde Coordenador da rede de Comunidades Terapêuticas da JMN

16/03/2010 16:17:07


Jornal de Missões Março/Abril • 2010

“O líder que não multiplica seu projeto está completamente fora do foco da missão estabelecida por Cristo aos seus seguidores”

M

este mês de março, os missionários Luzinaldo e Graça Tomaz iniciaram o projeto Meus familiares e amigos para Jesus, na Congregação Batista Emanuel, em Patu, RN. O projeto consiste em que os membros da congregação selecionem familiares e amigos para visitálos, estudar o evangelho de João e orar semanalmente por eles. “Concluímos a primeira etapa, que foi a seleção dos familiares e amigos e os convidamos para participarem da manhã de louvor e almoço na igreja”, compartilhou a missionária Graça. Como fruto desta primeira etapa, no dia 7 de março, 45 pessoas participaram da programação, sendo acolhidos pelos membros da congregação. “Durante a ministração do louvor, vimos várias pessoas chorando e buscando a Deus”.

Segundo o pastor Luís Gonzaga, a meta é multiplicar, chegando a, pelo menos, 10 frentes que atendam às necessidades da região, mudando o quadro de violência e miséria nas localidades mapeadas por Missões Nacionais. “O líder que não multiplica seu projeto está completamente fora do foco da missão estabelecida por Cristo aos seus seguidores”, comenta o missionário, que defende a ideia da multiplicação em todos os níveis, construindo um evangelho contextualizado e integral. Como exemplo disso, ele cita a atuação de uma de suas congregações, que, ciente da carência da comunidade local na área da educação, construiu uma escola que atende 80 crianças. Para a missionária Auridéia, as igrejas que não multiplicam não costumam investir na área missionária, na área de capacitação de membros que saiam das quatro paredes. O Tabernáculo Batista sabe bem como deve ser esse investimento, pois já conta com 10 seminaristas e um evangelista para a coordenação de suas frentes. “A questão é o investimento em liderança, o discipulado... o caminhar juntos. Aonde vamos temos a Inauguração do templo de Marituba, em 2005 preocupação de

desses desafios, os missionários pastor Luís Gonzaga e Auridéia Ferreira fizeram do Tabernáculo Batista de Marituba, que até os 46 anos realizava um tímido trabalho, uma frente missionária multiplicadora. Após 15 anos em Marituba, de seis membros idosos a igreja passou a ter 160 membros ativos e outras 6 congregações. “O Tabernáculo Batista foi a primeira igreja evangélica. Já se passaram 60 anos... Não havia nenhuma evolução, só preconceito. Para a glória de Deus rompemos com o preconceito, ajudamos na autoestima, lutamos pela integração do paciente (hanseniano) na comunidade”, lembrou o pastor Luís. Depois de tanta dedicação, a igreja caiu na graça do povo. “Hoje ganhamos crédito, o Tabernáculo mudou a cara da comunidade. É uma igreja organizada, que a comunidade tem como local onde há mudança de vidas por intermédio do poder do evangelho. É a mais querida da cidade”.

Ação social em Ilha de Marajó, um dos trabalhos do Tabernáculo de Marituba

JORNAL-32.indd 7

Brasil

O desafio da multiplicação

ultiplicar igrejas é um grande desafio para os batistas brasileiros e, ao mesmo tempo, uma necessidade para a conquista da Pátria para Cristo. Não por acaso, os investimentos de Missões Nacionais giram em torno da solidificação dessa consciência e, mais que um discurso, a agência missionária desenvolve trabalhos em que essa característica vem sendo observada com excelência. É o caso do trabalho missionário em Marituba, no Pará. No município há quase 90 mil habitantes, segundo estimativas do IBGE, e lá se encontra uma das maiores invasões da América Latina, o residencial Che-Guevara, localizado no km 16 da BR 316. A cidade também se caracteriza por abrigar durante muitos anos uma colônia de tratamento de hansenianos, cujo fim desencadeou uma ocupação desordenada de terras e, consequentemente, o crescimento do índice de pobreza da região. Apesar

N

7

enxergar as pessoas que gostam de fazer esse trabalho. Eu, por exemplo, comecei a plantar igreja na adolescência”, afirmou. Mas, como aponta a missionária, não é plantar igrejas só para constar em relatórios, mas sim sustentá-las. “A gente precisa planejar, orar, manter e dar sustento. Trabalhamos de segunda a segunda, com cultos... pregamos todos os dias porque damos assistência nas congregações”. O crescimento dos batistas em Marituba também chama a atenção das trevas, que tentam a todo custo frustrar os planos do casal de missionários. As dificuldades são as mais diversas, sendo uma delas o fato de terem sido roubados por três vezes. “Os bandidos estão de olho em nós, observando os horários que saímos de casa para fazer o trabalho de Deus. Arrombaram nossa residência e levaram equipamentos que serviam para documentar nosso ministério como máquinas fotográficas, DVD, e outros objetos de uso pessoal”. Uma das saídas encontradas pelo casal foi ter que deixar um irmão de prontidão na residência, a fim de que pudessem garantir o andamento da evangelização local. “Não vamos recuar, o inimigo está derrotado. O nosso trabalho o incomoda. Marituba está crescendo muito e precisamos investir em plantação de novos trabalhos. Está surgindo uma nova invasão e já estamos de olho para começar um novo trabalho nessa comunidade”, concluiu o obreiro, pronto para dar mais um passo em direção à conquista da Pátria.

Manhã de Louvor

Familiares e amigos participam de culto matutino

À noite, muitos dos que estiveram pela manhã retornaram para o culto e testemunharam como haviam sido abençoados pelo Senhor. Uma senhora chegou a afirmar: “Eu não sabia que era tão bom estar com os crentes!” Colocando em prática o amor e o discipulado, membros da Congregação

Equipe de Patu em Olho d’Água dos Borges

Batista Emanuel seguem juntos realizando a obra do Senhor. Inclusive os adolescentes que participaram ativamente do impacto na cidade de Olho D’ Água dos Borges no mês de janeiro, onde uma nova frente missionária foi iniciada. Na cidade, que apresenta alto índice de prostituição infantil, avanço das drogas

e déficit de empregos, pessoas já estão frequentando os cultos, sendo discipuladas e até já contribuem financeiramente para a obra de Deus. “As pessoas ainda não possuem o conhecimento de um Deus que perdoa, mas percebemos que há um clamor por Jesus nessa região!”, concluiu a missionária.

16/03/2010 16:17:15


8

Jornal de Missões Março/Abril • 2010

Missão Batista Cristolândia será inaugurada na cracolândia

Brasil I

rmã Irene Sobreira da Silva, membro da IB em Eurico Sales, na Serra, ES, decidiuse por missões, mas como não foi possível seguir para os campos missionários exerce seu ministério onde vive, afirmando: “Meu trabalho é voltado para as coisas do Senhor”. Conversamos com ela durante a 90ª Assembleia da CBB, em Cuiabá, MT, onde estava acompanhada do pai, irmão Pedro da Silva Sobreira, 82 anos, restabelecendo-se de uma cirurgia. Nem o fato de terem perdido celulares e a câmera fotográfica diminuía a alegria de pai e filha. Ela apenas lamentava ter perdido as fotos que registravam os momentos ali vividos. Na bagagem de volta para casa, levava tudo o que havia ouvido durante os cultos para compartilhar com a igreja. “Minha igreja

N

Amor por missões

é pequena, não tem as organizações, mas o que posso fazer pra levar alguém a conhecer mais da obra eu faço”. Parceira da obra missionária nacional, irmã Irene apóia dois campos do Sul do Brasil. Além disso, faz parcerias em nome de seus netos – Luís Otávio (5 anos) e João Heitor (4 anos), para que cresçam amando a obra missionária. Gabriel, nascido enquanto a avó estava em Cuiabá, já se tornou parceiro na ação missionária, apoiando o trabalho na Cracolândia, em São Paulo. A avó investe em seus netos, ensinando-os sobre a Bíblia, dando presentes e literaturas relacionadas à Palavra de Deus. “Quando chegam os porta-retratos do Clubinho Missionário levo para

a casa deles e está tudo no quarto deles, que já dizem: é de missões”, compartilha a cuidadosa avó. Este empenho encontra respaldo em sua própria história, pois Irene afirma que “depois de Jesus, minha inspiração é o meu pai”. Ele foi o primeiro a se converter na família e sempre dava literatura para a filha. Por 14 anos apenas Irene e seu pai eram crentes, sendo acompanhados pela mãe depois que esta enfrentou uma luta contra um câncer. Apesar dos prognósticos médicos, a mãe está hoje com 78 anos e firme na fé há mais de 30 anos. Irmão Pedro plantou igrejas, participou da liderança dos homens batistas, é assinante de O Jornal Batista, mantendo-se sempre atualizado e

prontamente completou: “Me converti em 29 de maio de 1950, em Minas Gerais”. Irmã Irene não perde tempo: distribuiu exemplares do Evangelhos de João aos empregados do hotel onde estava hospedada e compartilhou Jesus com a menina da limpeza do Centro de Eventos do Pantanal, onde aconteceu a Assembleia, pois seu maior desejo é ver pessoas transformadas. “Se pudesse faria com que as pessoas sentissem como é prazeroso colocar Jesus no centro de nossa vida. Temos que vestir a camisa e avançar. Não importa estar doente ou não ter teto, o importante é ter Jesus”, assegurou a irmã, que acalenta o sonho de ver suas três filhas no centro da vontade de Deus.

Inaugurada nova frente missionária em Guarulhos

o último sábado, dia 6, os missionários pastor Josias e Givonete Francisco inauguraram a Missão Batista no Jardim Marilena, em Guarulhos, SP. A frente missionária está sendo patrocinada pela 1ª IB de Taboão, com o apoio de outras igrejas e mantenedores do PAM Brasil.

A inauguração foi celebrada com um culto de gratidão, que contou com a presença de mais de 120 pessoas. O dirigente foi o pastor José Maurício, da 1ª IB de Taboão, e o pregador, o pastor Amaro Ribeiro Albino, da 1ª IB Cohab I. O imóvel adquirido está localizado em um centro comercial e,

com a ajuda dos 30 membros e parceiros, os obreiros já conseguiram adquirir cadeiras e equipamentos de sonorização. Eles agradecem a todos que de alguma maneira contribuíram para a plantação da nova igreja e pedem oração em favor dos novos decididos, para que se firmem na fé.

Noite de celebração na Missão Batista no Jardim Marilena

Radical Brasil ganha QG na Cracolândia

N

o dia 27 de março, o Projeto Radical Brasil na Cracolândia inaugurará um espaço destinado ao atendimento espiritual e social de dependentes químicos do centro da capital paulista. Denominada Missão Batista Cristolândia, será o quartel-general do projeto, que funcionará 24 horas por dia. O imóvel foi alugado com a ajuda da Igreja Batista do Bom Retiro - SP, e, desde janeiro, vem sendo reformado com o apoio de voluntários e de integrantes do Radical Brasil. “A Missão é a resposta dos batistas brasileiros a esta atrocidade chamada Cracolândia”, afirmou a coordenadora local do projeto, missionária Soraya Machado. Segundo Soraya, nesse espaço, os marginalizados poderão contar com 300 refeições diárias – café, almoço e jantar, espaço para banho, lavanderia, doação de roupas e calçados, além do principal, o investimen-

JORNAL-32.indd 8

to espiritual com quatro cultos por dia nos períodos da manhã, tarde, noite e madrugada. Na Missão também funcionará o Centro de capacitação para trabalho com os excluídos sociais, que objetiva treinar Visão interna da Missão Batista Cristolândia Força voluntária prepara imóvel para inauguração pessoas para traA Missão Batista Cristolândia fica Uma nova turma do Radical Brasil balhar com este grupo. “Os interessados estarão, por um período de três meses, na Alameda Barão de Piracicaba, está sendo preparada e seguirá em maio residindo no alojamento do projeto e de- 509, São Paulo – SP. Para participar para São Paulo, dando sequência ao trapois retornarão para suas igrejas como um do treinamento para evangelização balho iniciado na Cracolândia. Se você agente multiplicador”, comentou a missio- e assistência aos marginalizados, en- sente o desejo de participar deste projeto, nária. A primeira turma deve começar em tre em contato com a regional pelo faça contato com radicalbrasil@missoesabril deste ano, com inscrições sendo feitas telefone (11) 3224-0916 ou e-mail nacionais.org.br, pois ainda este ano será pela Sede Regional de Missões Nacionais re g i o n a l s a o p au l o @ m i s s o e s n a c i o - aberto novo processo de seleção de missionários voluntários. nais.org.br. em São Paulo.

16/03/2010 16:17:21


Jornal de Missões Março/Abril • 2010

9

Institucional

JORNAL-32.indd 9

16/03/2010 16:17:25


10

Jornal de Missões Março/Abril • 2010

Missões Mundiais programou mais duas caravanas para o Haiti neste ano. Informe-se. As vagas são limitadas!

Mundo

Começa a reconstrução do Haiti

Por Sergio Dias, da redação da JMM

Arquivo JMM

Uma nova história é possível Pr. Mayrinkellison Wanderley

Pr. Mayrinkellison entrega doações de igrejas e crentes brasileiros a uma obreira da terra haitiana

O

Haiti, um dos países em destaque na Campanha de Missões Mundiais deste ano, foi atingido por um terremoto de grande magnitude no dia 12 de janeiro que deixou milhares de mortos e feridos, devastou várias cidades e expôs a precária infraestrutura do país. Diante de um quadro de destruição e dor, milhares de iniciativas ao redor do mundo instantaneamente passaram a ser executadas. Antes mesmo do terremoto, Missões Mundiais lançara o Projeto Por um novo Haiti. Assim, através dessa iniciativa os batistas brasileiros também poderão ajudar a reconstruir aquela nação. E muitas igrejas já estão fazendo isso. Na primeira semana de fevereiro, o Pr. Mayrinkellison Wanderley, coordenador da JMM para o Haiti, visitou o país acompanhado dos pastores Aílton Desidério (PIB em Lins de Vasconcelos – Rio de Janeiro/ RJ), Paulo Albuquerque (IB Memorial de Duque de Caxias/RJ e 2ªIB em Rio Bonito/ RJ), David Pina (Representante da JMM para o Nordeste) e Roberto Amorim (IB do Farol – Maceió/AL). Eles encontraram com o Pr. Jonathan Joseph e os demais missionários da terra para levar a ajuda dos batistas brasileiros ao povo haitiano. Os pastores, representando suas igrejas, doaram um gerador, um inversor de energia, baterias para carga de energia e um kit de internet/telefone. Eles levaram ainda calçados, roupas, remédios, comida, água, entre outras doações para os obreiros. O grupo visitou locais atingidos pelo terremoto e viu o sofrimento da população. Na visita à comunidade de Fort National, na periferia da capital Porto Príncipe, uma cena triste mexeu com o grupo. “Ali a destruição foi completa. Nenhuma casa de pé, ninguém morando; uma verdadeira

JORNAL-32.indd 10

cidade-fantasma. Em pé, solitário, estava um homem que olhava para uma casa. Indagado, ele respondeu: ‘Eu venho aqui todos os dias desde 12 de janeiro, pois ali embaixo estão meus dois filhos, que ainda não pude sepultar’”, conta o coordenador . O Pr. Mayrinkellison conversou com o Pr. Jonathan sobre os planos de Missões Mundiais para o Haiti e ouviu dele as necessidades mais urgentes. Assim, foi reafirmado o interesse e a intenção da JMM de ajudar o Haiti; não apenas nesse momento, mas com um plano mais duradouro de reconstrução do país através do Projeto Por um novo Haiti.

Deus quer o povo haitiano

Pr. Jonathan Joseph, missionário da terra “O terremoto foi terrível para nós. Vivemos dias de dor e luto. Mas, em meio a destruição, foi possível ver a glória de Deus se manifestando no Haiti. Deus nos deixou vivos para cumprirmos a missão que Ele nos confiou. Em agosto de 2009, preguei uma mensagem baseada em Mateus 28.2, sobre um tremor que removia a pedra do sepulcro de Cristo. Não imaginava que Deus usaria um terremoto, meses depois, para remover a ‘pedra’ espiritual que escravizou o nosso país por mais de 200 anos. Hoje, após a tragédia, sinto que Deus usou aquele momento como estratégia para trazer o povo do Haiti para si. As igrejas do país estão começando um avivamento, pessoas têm buscado respostas em Deus e até os feiticeiros clamaram a Jesus, a verdade suprema, por misericórdia. Neste novo momento, creio que Deus está cumprindo o que prometeu para o Haiti: que removam a pedra, mesmo que seja num terremoto, para que Jesus seja reconhecido como salvador do povo haitiano”.

Pude ver o estrago que o terremoto causou no Haiti. Casas destruídas, comércios derrubados, prédios públicos devastados, escolas e hospitais inutilizados. Uma grande tristeza foi visitar a comunidade de Trou-Sable, onde estive algumas vezes. Foi doloroso lembrar como era aquela favela, com crianças correndo para todo lado, bandeira do Brasil nas paredes e uma igreja vibrante. Agora, a cena era digna de um filme apocalíptico, com casas derrubadas e a igreja batista completamente destruída. Também não foi fácil ouvir o Pr. Berthony Denaud, nosso missionário da terra, que morava em Trou-Sable antes do sismo. Na hora do tremor ele estava no Seminário. Imediatamente foi para casa e, ao chegar, viu sua casa em ruínas. Chorava e buscava pela sua esposa e filhos, mas seus vizinhos diziam que não adiantava procurar por eles. Ele ouviu a voz da esposa clamando para que não desistisse, que ela estava viva. Depois disso, sozinho, e com

as próprias mãos, retirou dali sua mulher e os dois filhos. Apesar da destruição que vi, surge a oportunidade de fazer uma nova história no país. O que Deus quer que façamos? Faremos o que for possível ‘Por um novo Haiti’”.

Silêncio ensurdecedor

Pr. David Pina “Chegamos do Haiti, mas ainda é possível sentir o cheiro, o grito e a dor de um lugar que é real, mas não existe mais. Ver o olhar daqueles que insistem em não morrer é de matar; ouvir o silêncio daqueles que estão calados é ensurdecedor. Por detrás dos vidros do nosso carro testemunhamos a devastação do terremoto. Em Porto Príncipe encontramos uns poucos cristãos numa casa que ainda se mantinha de pé. Em meio às tristezas pelas lembranças daqueles que se foram, os crentes demonstravam alegria e fé em um Deus que é soberano e que não se pode abalar. Se você também é um sobrevivente, vamos juntos retirar os escombros. Adote um missionário ou envie uma oferta; assim, você estará ajudando na reconstrução do Haiti”.

Projeto Por um novo Haiti

A

s principais necessidades do Projeto, que auxiliarão na reconstrução do Haiti, são: a ampliação do número de missionários, passando de 11 para 20; transporte para os obreiros poderem alcançar as comunidades no interior; preparação de uma nova geração de líderes para as igrejas haitianas através do Centro de Formação Integral do Caribe (onde o aluno terá formação em Teologia e em Desenvolvimento Comunitário); a implantação do Programa de Educação Pré-Escolar (PEPE) nas igrejas batistas, com uniformes, merenda, materiais didáticos e ajuda para as profes-

soras; e a construção de um Centro de Saúde Comunitário para atendimento básico nas comunidades rurais. Com sua participação o Haiti começará uma nova história. Por Cristo, vamos levar esperança aos haitianos!

Como enviar sua oferta

Quem deseja enviar uma oferta para ajudar o povo haitiano, pode entrar em contato com Missões Mundiais através dos telefones (21) 2122-1901 e 2122-1911, ou enviar e-mail para pam@jmm.org.br, solicitando um boleto especialmente para essa contribuição.

Missões Mundiais levará duas caravanas ao país

A

JMM programou mais duas caravanas para este ano. A primeira será em abril, específica para profissionais das áreas de saúde (médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionistas, odontólogos e psicólogos) e de interpretação da língua francesa. A segunda caravana acontecerá na primeira quinzena de outubro, e terá como foco o trabalho com esportes, além de atendimento médico, trabalho com crianças e treinamento de líderes.

Os custos das viagens ficarão em torno de 2 mil dólares cada (incluindo os gastos com passagem, hospedagem, alimentação e vistos). O embarque para a primeira caravana será feito no dia 15 de abril, a partir de São Paulo. Os interessados devem escrever para voluntarios@jmm.org.br com o título: “Caravana para o Haiti em abril” ou “Caravana para o Haiti em outubro”, segundo sua opção, para obter mais informações e se inscrever.

16/03/2010 16:19:09


Jornal de Missões Março/Abril • 2010

Missões Mundiais mantém no Chile 14 missionários brasileiros (seis casais e duas solteiras) e nove obreiros da terra, que nada sofreram

11

Mundo

Terremoto abala o Chile, mas missionários nada sofrem Arquivo JMM

Destruição e angústia após o terremoto

U

m terremoto de 8,8 graus na Escala de Richter, que mede as intensidades sismográficas e vai até o grau 10 – até hoje nunca registrado, atingiu a região centro-sul do Chile, na madrugada de 28 fevereiro, deixando várias cidades devastadas. Segundo informações de agên-

cias de notícias internacionais, devido às condições nas cidades de Concepción, a 2ª maior do país e a mais devastada no sismo, e de Santiago, capital do país, o número de mortos pode ultrapassar a marca de 1.000 pessoas. O tremor teve intensidade mais forte daquele que atingiu o Haiti em janeiro, e foi sentido até no Brasil. Missões Mundiais mantém no Chile 14 missionários brasileiros (seis casais e duas solteiras) e nove obreiros da terra, que nada sofreram. Todos afirmaram, unânimes, que ficaram atônitos com o ocorrido, mas esperam que o terremoto possibilite uma aproximação do povo chileno com o Senhor.

Susto em Santiago

No dia do terremoto, o casal Pr. Armando e Catarina de Oliveira, que trabalha na capital, Santiago, completava 10 anos em solo chileno. Eles disseram que o susto foi

Para alcançar os chilenos Arquivo JMM

Casal missionário no Chile: Pr. Silas e Aldair Gomes

H

á 20 anos como missionários de Missões Mundiais no Chile, o casal Pr. Silas Luiz e Aldair Gomes, que atua em Antofagasta, no norte do país, têm desenvolvido trabalhos direcionados aos jovens, crianças e idosos alcançando resultados expressivos, para a glória de Deus. Em passagem pelo Brasil para o período de férias e promoção nas igrejas, o Pr. Silas revelou as estratégias utilizadas em seu ministério para aproximar-se dos chilenos, bastante reservados segundo ele, para anunciar-lhes a salvação em Cristo. Atualmente, o ministério dos missionários é baseado no projeto MIES (Ministério Evangelístico Social), que funciona num local alugado com capacidade para 700 pessoas. As atividades são direcionadas para idosos, crianças e jovens. Há também aconselhamentos, estudos bíblicos e cursos variados. Hoje, aproximadamente 120 pessoas frequen-

JORNAL-32.indd 11

tam o local. Recentemente foi aberta, no projeto, a segunda unidade do PEPE (Programa de Educação Pré-Escolar) sob responsabilidade do casal. Ali também são atendidos cerca de 25 idosos. O desejo dos missionários é comprar o espaço e vê-lo completamente cheio. Outra grande preocupação dos missionários é com o alto índice de suicídios no Chile. Na tentativa de evitar este ato, quase sempre decorrente da depressão, eles criaram um telefone de emergência. O número é divulgado através de uma rádio secular, pois, segundo raciocínio do Pr. Silas, pessoas nessa condição normalmente não ouvem um programa evangélico. E a estratégia tem rendido resultados; várias conversões já foram registradas para a honra e glória de Deus. O sistema de siga-me permite que as ligações destinadas a esse número sejam direcionadas para o celular do pastor e, assim, ele pode atendê-las de qualquer região chilena. Com o objetivo de tornar este número conhecido entre os 380 mil habitantes de Antofagasta, os missionários contam também com sua divulgação através de um programa de TV. Para 2010, o desafio é implantar no MIES uma escolinha de futebol. Com a chegada dos missionários Luiz César e Deise Queiróz, que pretendem desenvolver um trabalho de evangelização através do esporte, o Pr. Silas espera atingir mais esta meta, que não é apenas uma realização pessoal, e sim mais uma prova de amor a Cristo.

grande, mas que confiaram em Deus apesar das circunstâncias. “Tentem imaginar a situação de estar numa canoa em alto mar durante a madrugada, sem remo, sem bússola, sem luz, com um barulho enorme vindo das profundezas e tendo que ficar em pé... Por três minutos, que mais pareciam uma eternidade, nos colocamos embaixo do batente da porta do nosso quarto vivendo uma incerteza semelhante àquela da canoa que fiz você imaginar. Ficamos (Catarina, eu e nossos dois filhos) abraçados e orando. Gritos por toda a parte; desespero nos prédios vizinhos, gente pelas ruas, sirenes de ambulâncias, bombeiros etc. Houve várias réplicas do terremoto e, em cada movimento, tínhamos a impressão que começaria tudo de novo. É um total sentimento de impotência diante desta força da natureza”, conta o Pr. Armando. De acordo com o missionário, agora é tempo de reconstruir. Uma boa parte do

prédio do Seminário Batista do Chile, em Santiago, uma construção histórica, deverá ser interditada. Houve várias rachaduras na estrutura. “Queridos irmãos, contamos ainda mais com suas orações não só por nós, seus missionários, mas pela igreja do Chile e por este povo que amamos tanto”, relata a família missionária.

Como ajudar o Chile

As pessoas sensibilizadas pela tragédia que abateu o Chile, e que desejam enviar uma oferta para ajudar o trabalho missionário no país, especialmente a recuperação de igrejas e prédios, como o Seminário Batista Chileno, comprometidos pelo terremoto, podem entrar em contato com Missões Mundiais através dos telefones (21) 2122-1901 e 21221911, ou enviar e-mail para pam@jmm.org.br, solicitando informações sobre o Projeto SOS Chile e o boleto de contribuição.

25 anos de trabalho na Bolívia Arquivo JMM

Início do ministério missionário em terras bolivianas

No dia 10 de janeiro foi realizado, na Igreja Batista Filadélfia em Santa Cruz de la Sierra, um culto em Ação de Graças pelos 25 anos de ministério missionário do casal Pr. José Genário e Teremar Rocha na Bolívia e pelos 29 anos de seu casamento. Na oportunidade, eles agradeceram a Deus pelo Seu amor, pela chamada missionária e pelo privilégio de poder trabalhar para o crescimento de Seu Reino naquele país. “Louvamos a Deus pelas nossas famílias, pela JMM e pelas igrejas brasileiras que oraram por nós e nos sustentaram. Agradecemos aos que nos acolheram em suas casas e nos ajudaram no que necessitávamos”, disse o Pr. Genário. O casal missionário também agradeceu à Convenção Batista Boliviana por recebê-lo com amor e dar-lhe oportunidades para trabalhar durante todo esse tempo no país. Durante esse período de ministério na Bolívia, igrejas foram organizadas, outras reorganizadas e muitas frentes missioná-

rias abertas. Dentre essas, destaque para: a Segunda Igreja de Montero, a Igreja em Vila Primeiro de Maio, a Igreja Jesus É o Caminho, a Igreja Batista Cristo Vem, a Igreja Batista Missionária Ebenézer, a Igreja Batista Filadélfia (onde os missionários congregam atualmente) e sua nova filha, em Quior, Santa Cruz de la Sierra. “Só Deus poderá recompensar o esforço de cada um dos irmãos que participaram de nosso trabalho”, encerra a missionária Teremar.

Breve resumo

Em 1978, com a leitura do livro “Aventuras em Terras Bolivianas” (do Pr. Waldomiro Motta), o jovem José Genário sentiu o Senhor confirmando sua chamada missionária para a Bolívia. A aprovação do casal, como missionários dos batistas brasileiros, aconteceu no dia 3 de maio de 1984. O casal chegou no dia 5 de janeiro de 1985 na Bolívia. Arquivo JMM

Pr. Genário e Teremar Rocha (à dir.), em foto recente

16/03/2010 16:19:12


12

Jornal de Missões Março/Abril • 2010

“Em “Em Uíge, Uíge, entre entre os os bacongos, bacongos, iniciamos em 1997 os primeiros iniciamos em 1997 os primeiros passos passos para para aa plantação plantação do do Instituto Teológico Batista local” Instituto Teológico Batista local”

Mundo

Novos desafios em São Tomé e Príncipe Arquivo JMM Arquivo JMM

Crianças sãotomenses Crianças sãotomenses

D

urante urante nove nove anos anos aa missionária missionária Rosângela Batista Rosângela Batista da da Silva Silva esteve esteve em em São São Tomé Tomé ee Príncipe Príncipe ee seu seu tratrabalho balho foi foi desenvolvido desenvolvido em em cadeias cadeias ee colécolégios gios públicos públicos da da capital. capital. Em Em seu seu ministério ministério ela contou com o apoio de uma ela contou com o apoio de uma obreira obreira da da terra e com uma equipe de quatro terra e com uma equipe de quatro Radicais Radicais

do do Projeto Projeto Voluntários Voluntários Sem Sem Fronteiras: Fronteiras: Gabriele Santos, Eula Maria Gabriele Santos, Eula Maria Gonçalves, Gonçalves, Aline Aline Cristine Cristine Caetano Caetano ee Edilon Edilon Moreira. Moreira. Segundo a missionária, Segundo a missionária, seu seu ministério ministério teve teve uma uma marca: marca: “Perseverança, “Perseverança, de de acordo acordo com Tiago 1.2-6. Esta foi a chave com Tiago 1.2-6. Esta foi a chave do do meu meu trabalho trabalho em em São São Tomé, Tomé, onde onde as as coisas coisas

acontecem acontecem muito muito devagar, devagar, mas mas Deus Deus me me deu muitas oportunidades e vitórias”, deu muitas oportunidades e vitórias”, conta conta aa missionária. missionária. Para Para substituir substituir aa missionária missionária Rosângela, Rosângela, em abril de 2009 Missões em abril de 2009 Missões Mundiais Mundiais enviou enviou para para São São Tomé Tomé as as obreiras obreiras Aline Aline Cristine Cristine Caetano Caetano ee Renata Renata Santos Santos de de Oliveira, Oliveira, que que fifizeram parte dos Voluntários zeram parte dos Voluntários Sem Sem FronFronteiras, teiras, agora agora como como missionárias missionárias Efetivas Efetivas Radicais. Elas apoiam Radicais. Elas apoiam os os trabalhos trabalhos da da PIB PIB de São Tomé, dando assistência às de São Tomé, dando assistência às suas suas congregações. congregações. Nova Nova Jerusalém, Jerusalém, uma uma das das congregações congregações onde as missionárias trabalham, onde as missionárias trabalham, atualmenatualmente te tem tem cerca cerca de de 20 20 pessoas pessoas ee ainda ainda não não tem tem um pastor. Aline e Renata, juntamente um pastor. Aline e Renata, juntamente com com aa liderança liderança local, local, têm têm traçado traçado diversas diversas metas para o crescimento da metas para o crescimento da congregação congregação ee para para sua sua concretização concretização em em igreja. igreja. Uma Uma das das estratégias para o crescimento dessa estratégias para o crescimento dessa obra obra éé aa projeção projeção de de fifilmes lmes que que contam contam histórias histórias da Bíblia. Segundo as missionárias, da Bíblia. Segundo as missionárias, essa essa esestratégia tem atraído muitos jovens e tratégia tem atraído muitos jovens e oo espaespaço ço já já está está fificando cando pequeno. pequeno. Outra Outra estratégia estratégia éé oo apoio à escolinha de futebol apoio à escolinha de futebol de de um um dos dos

membros membros da da congregação. congregação. Aos Aos poucos, poucos, os os jovens da escolinha de futebol têm jovens da escolinha de futebol têm participarticipado pado de de eventos eventos na na congregação. congregação. Os missionários, Os missionários, que que estão estão nesse nesse país, país, necessitam da ajuda em oração necessitam da ajuda em oração ee fifinanceinanceiramente. ramente. Arquivo JMM Arquivo JMM

Missionária Aline Cristine Missionária Aline Cristine

Retornando aos campos da África D Arquivo JMM Arquivo JMM

Filipe e Anne, Hugo e Gabriele (da esq. para a dir.) Filipe e Anne, Hugo e Gabriele (da esq. para a dir.)

urante urante três três anos anos (2004 (2004 aa 2007) 2007) oo primeiro grupo do Projeto primeiro grupo do Projeto Radical Radical África África – – Voluntários Voluntários Sem Sem FronFronteiras, teiras, composto composto por por 15 15 jovens, jovens, atuou atuou nos nos campos campos de de Níger, Níger, Senegal, Senegal, Mali Mali ee Guiné, Guiné, no no Norte Norte ee Noroeste Noroeste do do continente continente africano. africano. Eles Eles abriram abriram várias várias frentes frentes missionárias missionárias em em aldeias longínquas das capitais aldeias longínquas das capitais ee muitas muitas vidas vidas foram foram alcançadas alcançadas pelo pelo Evangelho Evangelho de Cristo. de Cristo. Em Em janeiro janeiro deste deste ano, ano, os os jovens jovens Hugo Hugo Bertolot, Filipe e Anne Dias, Bertolot, Filipe e Anne Dias, Gabriele Gabriele

JORNAL-32.indd 12

mas, mas, no no Senhor, Senhor, tivemos tivemos força força ee ânimo ânimo para para continuar nossa caminhada”, disse continuar nossa caminhada”, disse Filipe. Filipe. Para Para aa honra honra ee glória glória de de Deus, Deus, esses esses jovens missionários continuam jovens missionários continuam persistindo persistindo em em obediência obediência ao ao Pai, Pai, pela pela convicção convicção do do seu chamado, por amor ao povo seu chamado, por amor ao povo africano africano ee pelo pelo incentivo incentivo que que têm têm recebido recebido de de milhares de crentes que têm milhares de crentes que têm segurado segurado as as cordas cordas aqui aqui no no Brasil. Brasil. Por Por Cristo, Cristo, os os Efetivos Efetivos Radicais Radicais estão estão retornando retornando aos aos campos campos na na esperança de ganhar mais africanos esperança de ganhar mais africanos para para oo Reino Reino de de Deus. Deus.

Obreiros capacitados em Angola

Pr. Pr. Gilberto Gilberto Campos, Campos, missionário missionário da da JMM JMM em em Uíge, Uíge, Angola Angola pastor áá há alguns anos que os missionários local que, que, apesar apesar das das lutas, lutas, tem tem cacahá alguns anos que os missionários pastor local pacitado obreiros com o curso básico. de Missões Mundiais têm unido seus Em de Missões Mundiais têm unido seus pacitado obreiros com o curso básico. Em esforços Uíge, entre entre os os bacongos, bacongos, iniciamos iniciamos em em 1997 1997 esforços ao ao de de obreiros obreiros angolanos angolanos na na Uíge, os primeiros passos para a plantação luta pela capacitação teológica de pastores do InsInsluta pela capacitação teológica de pastores os primeiros passos para a plantação do ee vocacionados tituto Teológico Teológico Batista Batista local, local, que que não não foi foi vocacionados ao ao Ministério Ministério Santo Santo em em tituto Angola. diferente dos dos demais, demais, envolveu envolveu muita muita luta, luta, Angola. Nesta Nesta luta luta surgiram, surgiram, pelo pelo menos, menos, diferente quatro dedicação, persistência persistência ee fé. fé. Foram Foram muitos muitos quatro iniciativas iniciativas muito muito boas boas visando visando aa dedicação, os momentos que a luz de capacitação desses obreiros. Uma delas está um lampião lampião aa capacitação desses obreiros. Uma delas está os momentos que a luz de um em querosene, professores professores ee alunos alunos encararam encararam em Huambo Huambo onde onde aa união união entre entre angolanos angolanos querosene, horas de treinamento numa ee brasileiros levou ao preparo dos primeiros pequena sala sala brasileiros levou ao preparo dos primeiros horas de treinamento numa pequena obreiros onde até até para para respirar respirar era era difícil, difícil, devido devido ao ao obreiros batistas batistas formados formados com com curso curso supesupe- onde rior aperto ee pouca pouca ventilação ventilação da da mesma. mesma. rior em em Teologia. Teologia. Em Em Luanda Luanda há há uma uma outra outra aperto No iniciativa No momento momento nossa nossa escola escola oferece oferece aos aos iniciativa muito muito séria séria que, que, sob sob aa direção direção do do vocacionados, no Norte do país, pastor João César, vai formar neste ano a uma gama gama pastor João César, vai formar neste ano a vocacionados, no Norte do país, uma primeira de capacitação capacitação que que vai vai até até oo Curso Curso Médio Médio primeira turma turma de de bacharéis bacharéis depois depois de de já já de em Teologia. No curso Básico, ter capacitado vários obreiros nos cursos 90% das das ter capacitado vários obreiros nos cursos em Teologia. No curso Básico, 90% básico disciplinas são são lecionadas lecionadas por por alunos alunos que que básico ee médio. médio. Em Em Benguela, Benguela, da da mesma mesma disciplinas forma, foram capacitados capacitados no no próprio próprio Instituto Instituto de de forma, existe existe um um trabalho trabalho iniciado iniciado por por um um foram

J

Santos Santos ee Josué Josué Pacheco, Pacheco, que que fifizeram zeram parte parte das primeiras turmas dos Voluntários das primeiras turmas dos Voluntários Sem Sem Fronteiras, Fronteiras, concluíram concluíram graduação graduação em em TeoTeologia, logia, pelo pelo Seminário Seminário Teológico Teológico Batista Batista Sul Sul do Brasil, no Rio de Janeiro. Agora, do Brasil, no Rio de Janeiro. Agora, mais mais preparados preparados academicamente, academicamente, eles eles estão estão reretornando àqueles campos africanos tornando àqueles campos africanos como como missionários minha missionários Efetivos Efetivos Radicais. Radicais. “A “A minha monografi a e a de minha esposa monografia e a de minha esposa fificaram caram prontas prontas aa tempo tempo ee conseguimos conseguimos excelentes excelentes notas. notas. Confessamos Confessamos que que muitos muitos foram foram os os momentos de dificuldades e fraquezas, momentos de dificuldades e fraquezas,

Uíge. Uíge. Nesta Nesta cidade, cidade, nos nos últimos últimos tempos, tempos, temos lutado e trabalhado temos lutado e trabalhado para para erguer erguer aa primeira primeira infraestrutura infraestrutura de de nossa nossa escola escola num terreno que Deus nos num terreno que Deus nos deu deu ee que que já já representa uma das maiores propriedarepresenta uma das maiores propriedades des dos dos batistas batistas angolanos angolanos em em território território bacongo. São as primeiras cinco bacongo. São as primeiras cinco salas salas de de aula e um salão para uma biblioteca aula e um salão para uma biblioteca que que atenderá atenderá os os cursos cursos teológicos, teológicos, universitáuniversitários e pré-universitários rios e pré-universitários em em Uíge, Uíge, conforme conforme prometemos prometemos ao ao governo governo local local na na época época que que conseguimos conseguimos oo terreno. terreno. Hoje, Hoje, pela pela graça graça de de Deus, Deus, estamos estamos próximos de realizar o sonho próximos de realizar o sonho que que torna torna visível visível oo esforço esforço ee aa visão visão do do povo povo batista batista brasileiro brasileiro através através de de seus seus missionários missionários no no Norte de Angola, juntamente Norte de Angola, juntamente com com oo povo povo batista batista angolano angolano em em Uíge. Uíge. Conseguimos Conseguimos

levantar levantar nossa nossa obra, obra, bloco bloco por por bloco, bloco, incluinclusive blocos que também tivemos sive blocos que também tivemos que que fazer. fazer. Neste Neste momento momento nossa nossa obra obra está está levantada levantada esperando esperando os os recursos recursos necessários necessários para para aa colocação do telhado. colocação do telhado. Apelamos Apelamos às às igrejas igrejas ee irmãos irmãos brasibrasileiros que orem para que consigamos leiros que orem para que consigamos os os recursos recursos que que precisamos precisamos para para concluir concluir aa primeira primeira fase fase dessa dessa obra. obra. Também Também espeesperamos que os irmãos participem ramos que os irmãos participem fifinannanceiramente ceiramente para para nos nos ajudar, ajudar, enviando enviando uma uma oferta oferta de de desafi desafioo através através de de Missões Missões Mundiais. Entre em contato através Mundiais. Entre em contato através dos dos telefones telefones (21) (21) 2122-1901 2122-1901 (de (de cidades cidades com com DDD DDD 21) 21) ou ou 0800 0800 709 709 1900 1900 (das (das demais demais localidades). Ajudando na colocação localidades). Ajudando na colocação do do telhado telhado ee acabamento acabamento dessa dessa obra, obra, você você esestará tará abençoando abençoando nosso nosso trabalho. trabalho.

16/03/2010 16:19:21


13

Jornal de Missões Março/Abril • 2010

O Pr. Zick tem como meta para 2010 alcançar 40 novos convertidos nos trabalhos com atletas em Portugal

O

Mundo

Crescimento contínuo na Espanha

casal missionário em Sevilha, na Espanha, Pr. Elton e Miriam Rangel, está há 15 anos naquele campo colhendo significativos frutos, que se olhados apenas com a perspectiva da atual situação da igreja não possibilita dimensionar a dura semeadura feita por eles no início daquele ministério. Quando chegaram à cidade, em 1995, encontraram uma igreja esvaziada, com a membresia dividida, imersa em dívidas e imperceptível para a comunidade. Segundo a missionária Miriam Rangel, o início do trabalho foi difícil e não haviam pessoas preparadas para assumir responsabilidades. “Não podíamos delegar atividades, como a direção de reuniões de oração ou ministração de aulas na EBD, devido à situação espiritual do povo à época. A igreja tinha 45 anos e, apesar disso, lamentavelmente teríamos que começar algumas coisas ‘do zero’. Trabalhamos as pessoas através dos ensinos da vida de Jesus e passamos a tratar as carências e virtudes de cada um para depois usá-las em nosso ministério”, conta a missionária. Depois de algum tempo e muito esforço, a igreja passou a dar sinais de recupe-

ração. Os cultos recebiam cada vez mais visitantes, os problemas da membresia iam sendo resolvidos pela Palavra e a crise financeira caminhava para a quitação – realizada em 2006. Hoje, a Igreja Batista em Sevilha é um referencial da cidade. O templo, que antes estava vazio, foi reformado recentemente e agora recebe até mil pessoas, inclusive sendo solicitado para eventos de outras congregações e até da prefeitura, que anualmente realiza no local um festival de música clássica. E uma ONG de apoio às famílias carentes funciona no local, prestando um serviço abençoado para a comunidade. Um desses novos frutos colhidos é a jovem Maria (nome fictício). Em busca de paz em sua vida, a jovem procurou a irmã Miriam na igreja através de referências da comunidade de Sevilha. A missionária conta que estava em casa quando Maria telefonou pela primeira vez com uma voz destemperada. “Ela me contou que trabalhava na prefeitura da cidade e que cuidava de pessoas idosas, mas seu supervisor havia cortado metade de seu pagamento e, por isso, estava com medo de ficar desempregada. Passamos a orar e estudar a Bíblia,

para que ela aprendesse a confiar em Deus”, conta Miriam. De acordo com a obreira de Missões Mundiais, a jovem procurou-a para dar uma notícia que colocaria todos os estudos à prova. “Um dia ela me disse para dizer que um dos idosos havia falecido e que estava com medo de ser demitida. Lembrei-a das lições, oramos juntas e disse a ela que apenas confiasse. Poucos dias depois Maria veio à igreja e me disse que a prefeitura ofereceu-lha um contrato fixo. Glórias a Deus!”, relata a missionária. Porém, a batalha pela vida de Maria ainda não terminou. A “nova discípula”, como a irmã Miriam a chama, foi educada de acordo com tradições religiosas do país e ainda não está totalmente livre de alguns dogmas. “Ela estuda a Bíblia como poucos, mas quando veio agradecer a bênção do novo emprego disse-me que foram as intercessões dos velhinhos que cuidava que ajudaram na sua contratação. Fiquei triste com a resposta, mas disse a ela que suas orações foram atendidas por Deus, sem necessidade de intercessores. Confio que o Espírito Santo vai completar a obra que começamos”, conta a missionária da JMM. Novos desafios surgem diariamente

Arquivo JMM

Casal missionário Pr. Élton e Miriam Rangel

para a Igreja Batista em Sevilha. Os missionários estão trabalhando com dedicação para anunciar a salvação em cristo naquela cidade. Mas nada disso seria possível sem o apoio das igrejas no Brasil. “Quero agradecer às igrejas e aos irmãos brasileiros pelos apoios espiritual e financeiro oferecidos até hoje. Unidos na tarefa de evangelização, seguiremos anunciando a Jesus a todos os que ainda não O conhecem”, encerra Miriam Rangel.

Rumo ao alvo em Portugal Arquivo JMM

Pr. Zick (à esq.) ouve testemunho de atleta cristão

C

om um trabalho voltado para ganhar almas entre atletas e seus familiares em Portugal, através de encontros de pequenos grupos nos lares, o Pr. Ezequiel Batista da Luz, mais conhecido como Pr. Zick, tem como meta para 2010 alcançar 40 novos convertidos. O início da obra para chegar a este objetivo é animador, conforme relata o próprio pastor. “Até agora, 18 pessoas já fizeram a

JORNAL-32.indd 13

oração de entrega das suas vidas para Jesus Cristo”, conta, entusiasmado, o missionário. Outra boa notícia, e que colabora para o alcance desta meta, é o batismo de um casal de portugueses, João Pedro – conhecido no futebol como China – e sua esposa Sandra Cristina, convertidos há cinco anos. Em janeiro, o Pr. Zick e sua esposa Ione estiveram no arquipélago dos Açores, região autônoma de Portugal. Lá o casal deu assistência ao seu grupo local e seu mais novo líder, o Pr. Róbson Nogueira da Silva, substituto do Pr. Jairo José da Silva, que apoiou esta obra nos Açores nos últimos quatro anos. “Durante todas as noites reunimos alguns atletas para estudos bíblicos e, num dia, fizemos um encontro em um auditório no Centro Cultural e Cívico de Santa Clara, um belíssimo local cedido totalmente grátis para os atletas. Ione esteve reunida numa das tardes com mais de 20 mulheres, esposas de atletas e amigas; ocasião em que pôde compartilhar da Palavra com elas. A Palavra foi lançada e esperamos a colheita no tempo certo”, diz o Pr. Zick.

O casal retornou dos Açores grato a Deus por ter sido abençoado e usado para abençoar. Na sua lista de orações, os missionários trouxeram os nomes dos líderes locais, Danilo, Netinho e Rui, citados pelo Pr. Róbson como homens de compromisso com a obra de evangelização. De volta à cidade do Porto, base do ministério do casal, os missionários seguem com as reuniões com atletas às segundas-

feiras no auditório de um hotel, com a participação de um bom número de pessoas. O ministério esportivo é forte aliado da obra missionária em Portugal, e os encontros com atletas são muito bem aceitos pela comunidade. Eles ajudam os missionários a ganhar a confiança e a amizade dos atletas e seus familiares, criando uma aproximação maior para se compartilhar as boas novas do Evangelho. Arquivo JMM

Reuniões dirigidas pelo casal missionário Pr. Zick e Ione Luz são estratégicas para alcançar atletas e esposas

16/03/2010 16:19:27


14

Jornal de Missões Março/Abril • 2010

Os missionários sentiram Os missionários sentiram a poderosa mão de Deus a poderosa mão de Deus cuidando de Rebeca a cada cuidando de Rebeca a cada enjoo, perda de peso e de cabelos enjoo, perda de peso e de cabelos causados pelo tratamento causados pelo tratamento

Mundo

Missionária testemunha sobre cura Foto ilustrativa Foto ilustrativa

beca e desencadear uma série de efeitos beca e desencadear série de efeitos colaterais, entre eles auma infertilidade. colaterais, entre eles a infertilidade. Na época, o casal não entendeu o porquê Na época, o casal não entendeu porquê daqueles problemas, já que estava oservindo daqueles problemas, já que estava servindo ao Senhor num dos piores locais do mundo ao Senhor num dos Durante piores locais doum mundo para evangelização. quase ano, para evangelização. Durante quase um ano,a a caminhada deles foi dolorosa, mas viram apoderosa caminhada foi dolorosa, mas mãodeles de Deus cuidando de viram Rebecaa poderosa mão de Deus cuidando de Rebeca a cada enjoo, perda de peso e de cabelos cauasados cadapelo enjoo, perda de peso e de cabelos cautratamento. “Ver minha preciosa sados pelo tratamento. “Ver minha preciosa e querida guerreira Rebeca passar por todos queridaefeitos guerreira Rebeca passar todos casal missionário no Oriente eaqueles indesejáveis que opor medicacasal missionário no Oriente aqueles efeitos indesejáveis que o medicaMédio, Pr. Caleb e Rebeca, é tes- mento proporciona e ainda permanecer de Médio, Pr.que Caleb é tesmento proporciona aindasobrenatural. permanecer Eu de temunha valeeaRebeca, pena confi ar pé na batalha foi deefato temunha que vale a pena confi ar pé na batalha foi de fato sobrenatural. Eu e esperar no Senhor, porque Ele satisfaz os sempre me perguntava de onde ela tirava e esperardono Senhor,doporque Ele satisfaz os sempre mepara perguntava de onde tirava desejos coração justo, segundo a Sua tanta força seguir adiante. Semela dúvidas desejos do coração do justo, segundo a Sua tanta força para seguir adiante. Sem dúvidas boa, perfeita e agradável vontade. Em abril essa força veio e continua vindo do alto”, boa, perfeita agradável vontade. Em veioCaleb. e continua vindo do alto”, de 2009, eles eforam surpreendidos porabril um essa relataforça o pastor de 2009, eles foram surpreendidos por um relata o pastor Caleb. diagnóstico médico que mostrava que a Mesmo em meio às dores, eles permadiagnóstico médico mostrava quenaa neceram Mesmo emà meio eles permamissionária tinha umque Microadenoma fiéis obra às dedores, evangelização do missionária tinha um Microadenoma na neceram fi éis à obra de evangelização do Hipófise. Trata-se de um tumor benigno campo destinado a eles por Deus, sempre Hipófi se. Trata-se de um tumor benigno campo destinado a eles por Deus, sempre numa glândula no cérebro, responsável contando com intercessão dos batistas numa glândula de no muitos cérebro,hormônios responsávele contando com intercessão dos batistas pela produção brasileiros. A resposta a essa fidelidade veio pela produção de muitos hormônios e A resposta a essa fi delidade veio também pela produção de leite materno. A brasileiros. recentemente. No início deste ano, quando também pela produção de leite materno. A recentemente. No início deste ano, quando grande preocupação era que um aumento retornaram ao Brasil, o casal procurou um grande preocupação queaum aumento ao Brasil, oum casal procurou um desse tumor poderia era afetar visão de Re- retornaram médico e encontrou neurologista da desse tumor poderia afetar a visão de Re- médico e encontrou um neurologista da

igreja que os enviou. O especialista avaliou os O especialista avaliou os igreja queantigos os enviou. exames e pediu alguns novos. Uma exames antigos e pediu alguns novos. Uma semana depois, momentos antes de Rebeca semana momentos antes de Rebeca ministrardepois, a Palavra em sua igreja, o médico ministrar a Palavra em sua igreja, o médico revelou-lhes que, segundo o laudo dos atuais revelou-lhes que, havia segundo o laudo dos“Rebeatuais exames, o tumor desaparecido! exames, o tumor havia desaparecido! “Rebeca está curada, para a Glória de Deus! Ele é ca está curada, para a Glória de Deus! Ele é

fiel! Antes de começar a pregar, Rebeca deu fia el! Antes de acomeçar a pregar, Rebeca deu notícia para igreja, muito emocionada. Ela achorou notíciaepara a igreja, muito emocionada. Ela agradeceu aos irmãos que oraram chorou e agradeceu aos irmãos que oraram incessantemente pela sua vida. Depois, com incessantemente sua vida. Depois, com muita autoridade,pela ela entregou o recado de muita autoridade, ela entregou o recado de Deus, que encerrou aquela noite com chave Deus, que encerrou aquela noite com chave de ouro”, alegra-se o Pr. Calebe. de ouro”, alegra-se o Pr. Calebe. Arquivo JMM Arquivo JMM

O

O Islamismo é a religião predominante em praticamente todos os países do Oriente Médio O Islamismo é a religião predominante em praticamente todos os países do Oriente Médio

Frutos de um abençoado convênio em Cuba

Pr. Antônio Galvão - Coordenador dos missionários da JMM nas Américas Pr. Antônio Galvão - CoordenadorArquivo dos missionários da JMM nas Américas JMM Arquivo JMM 150 obreiros provisionados pelas igrejas 150 obreiros provisionados pelas igrejas brasileiras através de Missões Mundiais. brasileiras através de Missões Mundiais. Só Deus faz isso, irmãos! Só Deus isso, irmãos! A cadafazviagem que faço a Cuba, levando A cada viagem faço apara Cuba,pastorear levando caravanas ou indoque sozinho caravanas ou indo sozinho para pastorear os obreiros e realizar cruzadas, são mais os obreiros realizar são cruzadas, mais bênçãos! Os enúmeros sempresão impresbênçãos! Os números são sempre impressionantes. Nesses anos, contabilizamos sionantes. Nesses 500 anos, contabilizamos aproximadamente igrejas organizadas aproximadamente 500 igrejas organizadas (existem cerca de 300 congregações em (existem cerca de 300 congregações processo para os próximos dois anos), em foprocesso para os de próximos dois de anos), foram abertas mais 1.250 células oração ram abertasde mais de 1.250 células de oração ou núcleos Estudo Bíblico, registramos ou núcleos de Estudo Bíblico, registramos precisamente 162.500 decisões e celebraprecisamente decisões e celebramos mais de 15162.500 mil batismos. Além desses mos mais de 15 mil batismos. Além desses números, ajudamos na reforma e aumento Pr. Galvão pregando em Cuba números, ajudamos reformasugerimos e aumento do Seminário em na Santiago, Pr. Galvão pregando em Cuba do Seminário em Santiago, sugerimos aquele dia 16 fevereiro de 1996, a abertura de uma Extensão na cidade aquele fevereiro de 1996, de uma Extensão nado cidade quandodiaeu16desembarcava em adeabertura Camaguey, na região central país, quando eu desembarcava em de Camaguey, na região central do Cuba para assinar um convênio onde passaram mais de 100 alunos país, que, Cuba para assinar um convênio onde passaram mais de 100 alunos que, de quatro anos com a Convenção Batista devidamente capacitados, serviram com de quatro anos com a Convenção Batista devidamente capacitados, serviram com de Cuba Oriental, não imagina onde a excelência e ajudaram na multiplicação do de Cuba nos Oriental, imagina onde14a trabalho excelência e ajudaram na multiplicação parceria levaria.não Hoje, passados local: de 45 para 90 igrejas. do parceria nos levaria. Hoje, passados 14 trabalho local: de 45 para igrejas. anos, colhendo a cada período mais e mais Fomos instrumentos90para levar às anos, colhendo a cada período mais e mais Fomos instrumentos para levar àsa frutos para a glória de Deus, temos, como igrejas e denominação batista cubana frutos para a glória de Deus, temos, como igrejas e denominação batista cubana agência missionária dos batistas brasileiros, visão missionária dos brasileiros. Assim,a agência missionária dos batistas missionária brasileiros. Assim, a certeza que os caminhos de brasileiros, Deus não visão os batistas cubanosdos criaram a sua Junta de asão certeza que os caminhos de Deus não os batistas cubanos criaram a sua Junta de os nossos (Isaías 55.8); são melhores! Missões. Esta agência cuida e administra são os nossos são melhores! Estamissionários, agência cuida e administra Cheguei para (Isaías assinar55.8); um convênio com Missões. cerca de 200 entre os 130 que Cheguei para assinar um convênio com cerca de 200 missionários, entre 130 que a intenção de sustentar, no máximo, 15 os batistas brasileiros sustentam,osalém dos amissionários intenção dedasustentar, no máximo, 15 os batistas brasileiros sustentam, além dos terra. Hoje são mais de missionários da própria Convenção. Isso missionários da terra. Hoje são mais de missionários da própria Convenção. Isso

tudo apesar da crise econômica imposta tudo apesar da crise econômica imposta ao país. ao país. Olhando para frente, diante do que Olhando para doquais que Deus tem feito, nãofrente, fazemosdiante ideia de Deus tem feito, não fazemos ideia de quais resultados alcançaremos, mas o Senhor já resultados alcançaremos, o SenhorOs já os sabe e, certamente, são mas os melhores. os sabe e, certamente, são os melhores. Os líderes batistas cubanos não olham para as líderes batistas cubanos olham para as dificuldades, não fazem não como os israelitas dificuldades, não fazem como os israelitas

no deserto; eles olham para o futuro, para no deserto; eles para o futuro, para oportunidade deolham alcançar todo o país. Que oportunidade de alcançar todo o país. Que todos nós, em breve, possamos habitar todos emoubreve, possamos não emnós, Cuba no Brasil, mas nahabitar Canaã não em Cuba ou no Brasil, mas na irmão, Canaã Celestial. Quero desafiar você, meu Celestial. Quero desafi ar você, meu irmão, minha irmã, pastor ou líder, a juntar-se aos minha irmã, pastor ou líder, a juntar-se aoso batistas cubanos e ajudá-los a conquistar batistas e ajudá-los a conquistar o . seu povocubanos para Cristo Arquivo JMM seu povo para Cristo. Arquivo JMM

N

JORNAL-32.indd 14

Irmãos batistas cubanos: alvos do apoio de Missões Mundiais nos últimos anos Irmãos batistas cubanos: alvos do apoio de Missões Mundiais nos últimos anos

16/03/2010 16:19:37


15

Jornal de Missões Março/Abril • 2010

Pr. João Marcos tem 44 anos e é casado com a psicóloga Elzi Maciel Soares

Mundo

Capacitação para servir com excelência Arquivo JMM

Grupo de vocacionados em treinamento visitam a sede da JMM

A

cada ano, Missões Mundiais recebe muitos vocacionados que se apresentam para seguir aos campos missionários. São pessoas que sentiram o chamado do Senhor da seara e que precisam se preparar para cumprir a missão. Além da vocação e da convicção da chamada, o processo de entrada no quadro de obreiros não se resume apenas ao chamado missionário. Há o preenchi-

mento de requisitos importantes, como o perfil do candidato para determinado campo, idade, saúde etc. O processo inicial envolve, ainda, a apresentação da biografia e a realização de exames médicos e psicológicos. Depois, segue-se o preparo missiológico, chamado de Capacitação Missionária. Após esse processo, vem a nomeação como missionário, que é realizada nas entrevistas com a Comissão de

Missões do Conselho Geral da CBB. Desde 2007, todo o treinamento dos obreiros de Missões Mundiais é feito no Seminário do Sul. Para esse período de preparo, Missões Mundiais envia os vocacionados para o Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil (STBSB), no Rio de Janeiro. Lá eles aprendem mais sobre imersão cultural (costumes, comidas, tradições, cotidiano etc.), aprimoram seus conhecimentos bíblicos e aperfeiçoam conceitos como trabalho em equipe e caráter cristão. O período de capacitação dura até seis meses e, em seguida, sendo aprovado pelo Conselho Geral da CBB, o missionário parte rumo ao campo designado. Atualmente, 10 alunos estão em preparação.

Conheça o grupo: Daniel e Gisele Soler – PIB São Gonçalo/RJ; Freddy e Elaine Ovando – IB em Belém, São Paulo/SP; Elizete Dias – 2ªIB Jacaraípe/ES; Luciana Marques – IB em Paulicéia/RJ; Paulo Garbino – IB Estoril/ SP; Rosenilda Assis – PIB São Miguel Paulista/SP; Samir do Amaral – IB Itacuruçá, Rio de Janeiro/RJ e Tatiana França – PIB Senador Camará/RJ.

Atualização Missionária: um bálsamo para os cansados Pr. Lauro Mandira – Gerente de Missões da JMM

T

odos os anos, Missões Mundiais promove com os missionários em férias no Brasil um encontro chamado Atualização Missionária. Este ano, o evento aconteceu em Papucaia, Cachoeiras de Macacu/RJ, entre os dias 1 e 6 de fevereiro. O encontro é organizado pela Gerência de Missões e pela coordenação de Recursos Humanos e o objetivo é apoiar e treinar os missionários que chegam cansados dos campos, alguns precisando de tratamento e outros carentes de apoio psicológico. Tudo devido às fortes pressões vividas no campo missionário, tanto pelo fato de estarem longe de seus familiares e igrejas quanto pela Arquivo JMM

Missionários atentos durante Atualização

JORNAL-32.indd 15

batalha espiritual que enfrentam. Além disso, quando voltam ao Brasil, os missionários encontram muitas mudanças – inclusive em suas igrejas. A Atualização também é um tempo para tratá-los, pastoreá-los e dar-lhes o carinho e o apoio que precisam. O preletor do evento foi o novo Diretor Executivo de Missões Mundiais, Pr. João Marcos Barreto Soares. Ele falou sobre seus alvos, projetos, visão, e foi uma ótima oportunidade para se fazer conhecido dos missionários. Além do alimento para a alma, a equipe de Comunicação e Marketing da JMM pôde prepará-los para o período de promoção nas igrejas ao apresentar o material da Campanha 2010 Na semana de atualização os missionários descansam, trocam experiências com colegas de outros campos, compartilham, choram e derramam a sua alma diante do Senhor, sempre acompanhados dos seus coordenadores e da equipe de Missões Mundiais. Anualmente, esse período tem sido um bálsamo para a maioria, de acordo com os testemunhos que ouvimos.

Fomos capacitados Missionários Filipe e Anne dos Santos “Tudo começou em 2003, com a primeira turma do Projeto Radical África – Voluntários Sem Fronteiras. Foi um ano extremamente puxado para todos que participaram do novo projeto de Missões Mundiais. A experiência no campo africano durou 2 anos e nove meses. O retorno ao Brasil aconteceu em novembro de 2006 e a ansiedade em retornar ao campo era grande. Então, a JMM nos direcionou para o Curso de Capacitação Missionária. Confesso que não foi fácil passar por um período de capacitação integral. Estudávamos manhã e tarde, tendo as noites livres para as muitas leituras e trabalhos extensos. Porém, Deus nos sustentou e terminamos o curso. Logo após, complementamos a formação com o bacharelado em Teologia pelo STBSB. Formamo-nos com a certeza de que vale a pena o esforço, vale a pena encarar o desafio de uma melhor preparação para servir ao Senhor”.

Pr. João Marcos toma posse como Diretor Executivo

T

omou posse durante a Noite Missionária na 90ª Assembleia da Convenção Batista Brasileira (CBB), em Cuiabá/MT, no dia 25 de janeiro, o novo Diretor Executivo de Missões Mundiais, Pr. João Marcos Barreto Soares. A cerimônia foi celebrada pelo Presidente da Convenção Batista Brasileira, Pr. Josué Mello Salgado. O Pr. João Marcos sucede o Pr. Sócrates Oliveira de Souza, Diretor Executivo da CBB, que ocupava a posição interinamente desde o falecimento do Pr. Waldemiro Tymchak, em abril de 2007. O Diretor Executivo de Missões Mundiais disse estar grato a Deus pela acolhida que recebeu dos batistas do Brasil e que isto o anima ainda mais a trabalhar para anunciar o Evangelho a todas as nações. Ele afirmou ainda que pretende conhecer mais profundamente o trabalho realizado por Missões Mundiais para planejar sua ampliação. Entre as metas está a descoberta de novos vocacionados e o posterior encaminhamento aos campos. “Um de nossos desafios é de aumentar o número total de missionários em 50% em três anos. É nosso papel levar o

Arquivo JMM

Pr. Sócrates (em pé, à esq.) ora pelo Pr. João Marcos

Evangelho aos confins da Terra”, disse. O Pr. João Marcos tem 44 anos e é casado com a psicóloga Elzi Maciel Soares. O casal tem três filhos: João Gabriel (15 anos), Rafaela (13) e Pedro Marcos (10). O novo Diretor Executivo de Missões Mundiais foi ordenado há 21 anos ao ministério pastoral, é bacharel em Teologia pela Faculdade Teológica Batista de São Paulo e mestre em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo.

16/03/2010 16:19:43


16

Jornal de Missões Março/Abril • 2010

“E eu também sou fruto daquelas preciosas ofertas, embora pequenas e sacrificiais, que os irmãos brasileiros fizeram na segunda década dos anos de 1900”

Artigo

Os dividendos das ofertas para Missões

Pr. João Virgílio Ramos André*

para começar o preparo para o pastorado e, em 1961, já estava no Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil (STBNB), em Recife. Este intróito não teria valor algum se não fosse para exaltar o valor de Missões Mundiais. É que aquela igreja foi fundada em 1908 como trabalho missionário do Brasil. Esse foi um trabalho sustentado por um grupo de irmãos do Rio de Janeiro, posteriormente assumido pela Junta de Missões Mundiais, então chamada Junta de Missões Estrangeiras – JME. A pequenina semente foi cuidadosamente tratada por João Jorge de Oliveira e continua produzindo muitos frutos. João Jorge veio para o Brasil com 12 anos e aos 16, no Rio de Janeiro, converteuArquivo JMM

Tabernáculo Batista do Porto

E

m junho de 1949 conheci o Evangelho no Tabernáculo Batista, primeira igreja batista do Porto, e também a primeira de Portugal. Dois meses depois fiz a minha decisão e, em novembro, fui batizado. Num trabalho de evangelização senti a chamada para o Ministério. Deixei os estudos no Instituto Comercial do Porto

se. Vocacionado, entregou-se à colportagem (venda de livros, especialmente religiosos, de porta em porta). Amigo de Jephte Hamilton, acompanhou a sua viúva aos Estados Unidos e, em 1905, matriculouse na Baylor University. Concluído o curso, cinco anos depois, foi consagrado no Tabernacle Baptist Church, de Waco. Ele regressou ao Brasil e ofereceu-se à JME como missionário para Portugal. Passou por Recife onde casou-se com Prelediana Frias, filha do pioneiro do trabalho batista em Garanhuns, Inocêncio Frias. Ela foi a primeira missionária brasileira a ser enviada ao exterior, em 1911. João Jorge foi um obreiro de grande visão, vastos conhecimentos e grande pregador. Deu grande impulso ao trabalho batista em Portugal. Fundou igrejas, mandou jovens aos seminários do Brasil, como Antônio Maurício e Antônio Simões. E, com ajuda do Brasil, onde veio fazer campanhas, construiu o Tabernáculo Batista do Porto, ainda hoje o mais belo templo dos batistas portugueses, modelo do Taberná-

culo Batista de Londres. O Tabernáculo tornou-se numa grande agência missionária. De lá saíram, entre outros obreiros, Avelino Ferreira que, depois de passar por Angola, dedicou sua vida ao trabalho no Paraná, honrado recentemente com o Título de Cidadão de Curitiba. Lá se converteu e preparou Luiz Rodrigues de Almeida que, juntamente com sua esposa, Dra. Maria José Pato, foram os pioneiros do trabalho batista em Moçambique. E eu também sou fruto daquelas preciosas ofertas, embora pequenas e sacrificiais, que os irmãos brasileiros fizeram na segunda década dos anos de 1900, para sustentar o seu missionário e construir o templo. É a lição das migalhas. Naquele tempo o Brasil pouco podia fazer. Só migalhas, que na economia divina podem e se tornaram de um valor incalculável. Deus multiplicou os “pães”. * Ex-membro da JMM, professor do STBNB por 27 anos, membro da IB Capunga e Cidadão de Recife/PE.

Vale do Javari clama por saúde Pr. Valdir Soares da Silva, coordenador do trabalho indígena da JMN

O

dia 31 de janeiro de 2010 foi marcado por um encontro histórico na aldeia Tikuna Filadélfia, no município amazonense de Benjamim Constant, com líderes indígenas do Vale do Javari-Amazonas, idealizado pelo missionário Eli Tikuna, vicepresidente do Conplei (Conselho de Pastores e Líderes Indígenas). O objetivo do encontro, que contou com representantes de organizações missionárias da Colômbia, Equador, Estados Unidos e Brasil, foi ouvir o clamor dos povos indígenas do Vale no campo da educação e especialmente na área da saúde. O Vale do Javari é composto pelas etnias Matis, Mayoruna, Kanamari, Korubo, Kulina e Marubo, com uma população estimada em 10 mil índios. Nesta reunião, os caciques presentes clamaram por apoio aos líderes das agências missionárias no envio de voluntários médicos, dentistas e enfermeiros para atender os povos destas etnias, pois, segundo os indígenas, a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) sempre informa que há uma grande carência de profissionais de saúde para atender a região. Como fruto do encontro, um documento foi elaborado e assinado pelos caciques das

JORNAL-32.indd 16

respectivas etnias, para ser entregue às autoridades governamentais em Brasília, pedindo autorização para uma ação não-governamental naquela região do Vale do Javari. Atalaia do Norte, no Amazonas, é a cidade onde moram vários indígenas. É o local, também, da base da Funai e onde organizações não-governamentais se instalaram. Nós somos impedidos por órgãos governamentais de desenvolver uma ação integral com estes povos. Mas há muitos órgãos não-governamentais com livre acesso ao Vale do Javari. Há dois casais de missionários de uma agência missionária trabalhando com os Matis (morando da cidade de Atalaia e Marubo). Mas o grito deles é por missionários com formação na área da saúde e educação. Como seria maravilhoso se os batistas brasileiros enviassem dois casais de missionários que pudessem se juntar aos missionários já existentes para desenvolver um grande projeto para alcançar aqueles povos. Visitei a casa de apoio da etnia Matis, em Atalaia do Norte, na companhia do casal de missionários da MNTB e o seu presidente, pastor Edward Luz. Foi também uma tarde histórica. Ali foi possível tirarmos fotos com a

Pr. Valdir recebe presente de indígenas

permissão do Cacique. Nesta visita, um deles nos falou com auxílio de um intérprete: “Quem de vocês irá ensinar a Bíblia para nós?”. Neste momento eu comecei a orar: “Senhor, envia mais obreiros para esta seara... com urgência”. Lanço aos batistas brasileiros o seguinte desafio: O Vale do Javari clama por saúde, educação, esportes, cursos profissionalizantes e tantos outros, mas sua grande necessidade é espiritual. Coloque-se à disposição para fechar estas brechas da obra missionária em nosso

Brasil, no trabalho Indígena. Faz-se necessário desenvolvermos, em todo o Brasil, uma grande rede de oração em prol destes povos e das suas necessidades. E que nosso Deus, Deus cheio de graça e de misericórdia, possa conduzir estes indígenas com o evangelho da graça do Senhor. Nosso Deus está nos proporcionando uma grande oportunidade para termos acesso a estes povos. Não devemos perder tempo. Vamos avançar na evangelização destes grupos isolados.

16/03/2010 16:19:48


Jornal de Missões Março/Abril • 2010

17

Institucional

JORNAL-32.indd 17

16/03/2010 16:20:01


18

Jornal de Missões Março/Abril • 2010

Cartas Campanha 2009 Nossa igreja ficou impactada a contribuir, orando e ofertando, pela expansão do evangelho em nossa Pátria. A Campanha de Missões nacionais 2009 foi primordial para o envolvimento de nossa igreja a prática de missões; ao Senhor Jesus toda a glória!. Satisfação é que sentimos pela Campanha 2009, de como o senhor nos usa para seu louvor. Aprendemos, como igreja amada do Senhor, a dizer: Por Ti, darei a minha vida. “Cristo será, tanto agora como sempre, engrandecido no meu corpo, seja pela vida, seja pela morte.” Filipenses 1.20 Márcio Fernandes da Silva, 2ª Igreja Batista da Iputinga, Recife-PE Youtube Maravilhosa iniciativa da JMN e pretendo contribuir. Deus espera de nós atitude de expansão missionária como esta. Sinto-me um missionário atuante, junto dos meus irmãos nos campos distantes. Ricardo, Mensagem postada no canal TV Missões Nacionais (Youtube) Transradical Quero expressar publicamente minha paixão pelo trabalho desenvolvido no Transradical Urbano e como aquele evento foi instrumento de Deus para lapidação da visão e confirmação da chamada para missões em meu coração. Adilene Azevedo, Voluntária de Missões Nacionais

Geral Transferência do Lar

N

o mês de fevereiro, a gerente de Ação Social de Missões Nacionais, Alice Carolina B. Cirino, foi a Itacajá, TO, para iniciar o programa de adaptação das crianças do Lar Batista F. F. Soren para a nova realidade em Palmas.  Os pequeninos foram ouvidos em suas necessidades e receberam informações sobre o estágio atual da construção do novo lar. A transferência deverá acontecer no segundo semestre deste ano. O Conselho Tutelar e Ministério Público estão analisando, caso a caso, os pedidos de transferência. Em decorrência dessas análises, 14 crianças e adolescentes foram reinseridos nos lares de origem, uma foi adotada e um retornou para o convívio com o pai, após a maioridade. O

“Louvo a Deus pelo material da Campanha 2010! Orei muitas vezes pela equipe responsável pela elaboração dessa ferramenta tão útil e abençoadora. Ao receber o envelope, antes de abri-lo, coloquei uma mão sobre ele e a outra levantei ao céu, pedindo ao pai sabedoria na utilização, como responsável pela mais sublime tarefa, ao longo de tantos anos, em minha igreja: coordenar a mobilização missionária”. Aliete Carneiro, PIB do Ipiranga, São Paulo/SP

A

“Música, imagens, vídeos, revistas... Missões Mundiais está de parabéns pelo preparo do material da Campanha 2010! Não vejo a hora de começar a usar tudo isso na minha igreja. Louvamos a Deus pela Campanha passada que foi um sucesso. E nesta, com certeza, levaremos a Palavra até os confins da Terra!”. Vinícius Gusmão, Governador Valadares/MG

C

“Missões Mundiais está de parabéns pelo material enviado. Temos, como povo chamado pelo Senhor, todos os recursos para realizar uma grande e inesquecível campanha! Que Deus nos ajude!” Elen Manhães, Jauru/MT

ESCREVA-NOS CONTANDO SUAS EXPERIÊNCIAS COM MISSÕES Envie sua carta ou e-mail com experiências com a obra missionária. Sua opinião sobre o nosso trabalho, e o conteúdo do Jornal de Missões, é muito importante. Escreva para redacao@jmm.org.br ou redacao@missoesnacionais.org.br.

JORNAL-32.indd 18

Lar Batista F. F. Soren entrou em contagem regressiva para sua transferência, e você pode ajudar a agilizar esse processo. Para isso, acesse a Loja Virtual do site www.missoesnacionais.org.br e faça a doação de uma mobília para o novo Lar.

Novo trabalho em Portugal

Campanha 2010 de Missões Mundiais “A Junta de Missões Mundiais está de parabéns pelo trabalho que tem realizado. Recebemos em nossa igreja, no final de dezembro, o envelope contendo todo o material da Campanha 2010. Sou adotante de missionários da JMM desde fevereiro de 2004 e sou muito feliz. Deus tem me abençoado e tenho muita gratidão pela obra de missões que é realizada pelos batistas brasileiros”. Eleni de Oliveira Oshiro, IB Boas Novas, Aquidauana/MS

“Parabenizo a todos que fazem parte da equipe de Missões Mundiais pelo brilhante material da Campanha 2010. Esse material é de grande importância para todos nós, especialmente para os Promotores de missões. Que o Senhor Jesus continue abençoando a vida e o trabalho de cada um de vocês. Parabéns!”. Deiffy de Lima, PIB em Cidade Universitária, Recife/PE

Vista interna de uma das casas-lares do novo F.F. Soren

Convenção Batista Portuguesa solicitou o apoio da JMM para que envie obreiros para a plantação de igrejas e solidificação do trabalho batista no país.

O primeiro casal a ser enviado será o Pr. José e Suely Calixto, que desenvolverá seu trabalho na região Trás os Montes, no Norte de Portugal, em parceria com Missões Mundiais. O casal já foi missionário durante 17 anos (1977 a 1994) na Venezuela e cinco anos na Costa Rica. Eles foram os primeiros batistas brasileiros a cooperarem com a Convenção Batista Venezuelana onde organizaram cinco igrejas (Barcelona, Puerto La Cruz, Caracas, Puerto Ordaz e Clarines) e fundaram várias congregações. Em setembro de 1994, a família passou a apoiar o ministério do Pr. Billy Wesley Rios, na PIB de Língua Portuguesa de San Francisco, Califórnia.

Amapá para Cristo resce o número de batistas no Amapá. Isso porque no dia 31 de janeiro, a frente missionária de Marabaixo celebrou o batismo de quatro novos na fé, sendo três pessoas da congregação e uma da igreja-mãe – IB Central de Macapá. “Para nós, obreiros, é prova de que estamos realizando a vontade do Senhor Jesus e que todo o nosso empenho tem se transformado em fruto que engrandece o nome do Senhor. Estamos na direção certa, avançando com o evangelho poderoso de

R

Novos batistas de Marabaixo

Jesus”, concluiu o pastor Dirceu Bonomo, missionário local.

Reforços em Moçambique

etornou para esse país, no dia 14 de fevereiro, o jovem moçambicano Portásio Dique. Ele foi bolsista da Junta de Missões Mundiais e cursou Teologia no Seminário Teológico Batista de Dourados/MT por quatro anos. Ele retorna para a Província de Nampula, Norte de Moçambique, para ajudar no Instituto Bíblico daquela região e desen-

volver o Ministério da Palavra. Também seguiu, na mesma data para Maputo, a jovem Dione Virgínio para colaborar com a missionária Dra. Maria Conceição Antônio, no Projeto Kogmotso. Dione é formada em Educação Religiosa no Centro Integrado de Educação e Missões – CIEM e membro da IB Central de São João do Meriti/RJ.

16/03/2010 16:20:03


Jornal de Missões Março/Abril • 2010

Priscila Pancoti retornou para a Guiné, onde já esteve como Radical África, para ajudar a missionária Ana Lúcia Rosa Pereira

Geral

Haitianos impactam vocacionados

A

F

O casal de haitianos Alexandra Joseph (1 ª à esq.) e Pr. Jonathan (1º à dir.): vidas impactadas

grupo serão apresentados como missionários da JMM.

Visita ao campo

Frente Missionária Batista da Scharlau, em São Leopoldo, RS, recebeu, no dia 27 de fevereiro, a visita dos jovens e adolescentes da Primeira Igreja Batista de Sapucaia do Sul. Liderados pelo pr. Sandro e sua esposa Celestina, o grupo de 43 pessoas abençoou o campo missionário em uma tarde de evangelismo pelas ruas do bairro, onde distribuíram 650 folhetos e à noite apoiaram na direção de um culto ao ar livre. Segundo os missionários que coordenam o trabalho em São Leopoldo, pr. Gilnei e Deise Silva, o maior impacto

foi a motivação da igreja, envolvendo-se na obra de evangelização. “Nesse dia, nenhuma pessoa manifestou publicamente sua decisão por Cristo, mas a semente foi mais uma vez lançada,  cerca de trinta pessoas estiveram pela primeira vez conosco e muitos, mesmo sem saírem de casa, puderam ouvir a Palavra de Salvação”, comentou o obreiro. Você também pode conhecer de perto os campos missionários de Missões Nacionais. Para isso, entre em contato através do telefone (21) 2107-1818 e agende uma visita.

o Instituto Bíblico local, as igrejas e o Programa de Educação Pré-Escolar – PEPE. Ore pelo ministério e saúde desses missionários.

Bimestre abençoado

O

primeiro bimestre da Frente Missionária do Pacaembu, em Uberaba, MG, foi bastante concorrido. Entre os dias 28 e 31 de janeiro, ela comemorou o sétimo aniversário com uma grande festa. A programação contou com a participação da Segunda Igreja Batista em Uberaba, que desde o início tem se mostrado parceira do projeto. Como parte das celebrações, a frente promoveu três dias de Escola Bíblica de Férias, levando aos pequeninos as Boas Novas de Cristo. Em fevereiro, a frente também realizou o primeiro acampamento de carnaval com cerca de 80 participantes, sendo a maioria jovens e adolescentes, todos com menos de três anos de vida cristã. “Nossas Mensageiras e Embaixadores do Rei deram um gran-

o último fim de semana de janeiro, a Igreja Batista de Barra da Estiva, BA, inaugurou mais uma frente missionária, dessa vez no Centro. Apesar do acompanhamento do missionário Marcos Azevedo no processo de inauguração, a programação aconteceu sem a presença deste, já que o obreiro participava da Assembleia da CBB em Cuiabá. Essa saudável independência dos irmãos de Barra da Estiva tem uma explicação. “Ao longo desse período, investimos incansavelmente na vida de cada irmão que entregou sua vida ao Senhor Jesus. Procuramos seguir fielmente as orientações do Manual de Igrejas

EBF - uma das celebrações de aniversário da Missão Batista

de exemplo de disciplina e reverência. Foram três dias e meio abençoadíssimos para todos nós. É a frente missionária do Pacaembu cada vez mais forte para a glória do Senhor”, comentou o missionário Jonas Coelho da Silva.

retornou para aquele país, agora como Radical Efetiva, para ajudar no ministério da missionária Ana Lúcia Rosa Pereira. “Foi gostoso ver a alegria do povo ao reencontrá-la”, informa Ana Lúcia.

Nova frente de Barra da Estiva

Multiplicadoras e aplicamos a Palavra de Deus em cada detalhe dessa trajetória”, comentou o missionário.

Argélia, Mauritânia ou Tunísia

O

casal missionário Hugo e Talvânia Bertolot está feliz da vida. Ela está grávida de Noemí e, mesmo assim, no final de janeiro conseguiu concluir toda a grade curricular de seu curso de Enfermagem. No primeiro sábado de fevereiro foi a colação de grau de Bacharel em Teologia de Hugo, na PIB do Rio de Janeiro. Agora ele se prepara para seu concílio, que será no final de março. O casal missionário aguarda a definição do campo para o qual irá. Provavelmente será um desses: Argélia, Mauritânia ou Tunísia.

E

Estavam presentes ao culto alguns pastores da cidade de diversas igrejas, inclusive da liderança da associação de pastores. Também compareceram as lideranças do Centro Calon de Desenvolvimento Integral. Segundo o missionário, foi o primeiro encontro reunindo ciganos e evangélicos na história dessa comunidade, fixada na cidade há cerca de 30 anos.

Necessidades em São Tomé e Príncipe

Pr. Levi Godinho, missionário dos batistas brasileiros e pastor da PIB em São Tomé, capital de São Tomé e Príncipe, na África, informa que o país está aberto para o Evangelho de Cristo. Mas as necessidades e os desafios na evangelização do país são alguns empecilhos para o desenvolvimento

O

Casal missionário Hugo e Talvânia Bertolot

Ciganos da Paraíba

m visita à Paraíba, pastor Igor Shimura relatou as maravilhas que o evangelho tem proporcionado aos ciganos do município de Souza. Em culto realizado em acampamento calon, no dia 26 de fevereiro, houve bastante entusiasmo pela forma como o grupo recebeu o evangelho. “Pela fé, posso dizer que aconteceram algumas conversões genuínas”, disse o pastor Igor.

O

De volta à Guiné

e 2005 a 2007, Priscila Pancoti esteve em Guiné, atuando como Radical África. Naquele período, Deus colocou em seu coração um grande amor por aquele povo. No final do ano passado ela

JORNAL-32.indd 19

N

Transferência de campo

oram transferidos da cidade de Beira para Nampula, Moçambique, os missionários Antônio e Sirley da Silva e seus filhos Débora e Davi. Eles apoiarão

D

Multiplicando igrejas Arquivo JMM

U

ma turma formada por 10 jovens está se preparando no Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil – STBSB, para se tornar missionários transculturais dos batistas brasileiros. No dia 2 de março, oito alunos que fazem parte do grupo participaram do culto que Missões Mundiais realiza às terças-feiras em sua Sede. Os futuros missionár ios foram impact ados e se sentiram abençoados ao ouvir o testemunho marcante do casal Pr. Jonathan e Alexandra Joseph, obreiros da terra no Haiti. Na próxima reunião do Conselho G eral da Convenção Batista Brasileira, três integrantes do

19

dos trabalhos dos missionários. Ele destaca a necessidade da construção do templo de sua igreja e a compra de propriedades para a reunião de algumas de suas congregações. Eles ainda aguardam a regularização da documentação do terreno para iniciar o alicerce da PIB em São Tomé.

Transferência de campo

s missionários pastor Gerson e Lizete Perruci, que coordenavam os trabalhos missionários na Bahia e Sergipe, foram transferidos para Minas Gerais, atuando como gerentes regionais do estado. O culto de posse aconteceu no dia 25 de fevereiro, no templo da Igreja Batista de Barro Preto, em Belo Horizonte.

Oração de posse dos gerentes regionais de MG

16/03/2010 16:20:08


20

Jornal de Missões Março/Abril • 2010

Mobilização Missionária

Batistas baianos realizam acampamento com foco missionário

Acampamento dos batistas baianos

E

ntre os dias 12 e 16 de fevereiro, 310 batistas inscritos participaram do 68º Acampamento Geral dos Batistas Baianos, atualmente chamado AcampBab. O evento surgiu em 1942 por iniciativa do casal pastor Carlos e Stela Dubois, então diretor do Colégio Taylor-Egídio, em Jaguaquara, com o objetivo de oferecer ao povo batista uma oportunidade de convívio e comunhão, em que a ênfase principal fosse a edificação por meio da exposição das Escrituras Sagradas aliada a uma boa música, já que Stela era musicista e poetisa. Mesmo com a posse de novos diretores do Colégio, que sempre sediou o evento, o acampamento tem sido mantido, assim como seu foco na comunhão, música e edificação na Palavra. Nesta 68ª edição do evento, Missões Nacionais teve uma forte participação com a presença de seu diretor executivo, pastor Fernando Brandão, como orador, e os missionários pastor Guenther Carlos e Wanda Krieger, Margarida Lemos Gonçalves como pregadores, além dos missionários Jaqueline Carvalho, Josivaldo e Valdelina Beda (surdos), Lídia Cerqueira e pastor Marcos Azevedo (dos campos baianos de Morro do Chapéu, Alto da Bola e Barra da Estiva, respectivamente), que ministraram clínicas na área de evangelização, e dos gerentes regionais do Nordeste, pastor Cirino

Acampantes se dedicam à obra missionária

e Regina Refosco, e de Minas Gerais, pastor Gerson e Lizete Perruci. Na oficina dirigida pela missionária Jaqueline e o missionário voluntário da CBBA Renê Santos, foram apresentados os objetivos para a evangelização e discipulado, com ênfase no atual programa da JMN. Durante quatro dias, os 33 inscritos na oficina receberam treinamento e foram  motivados a ganhar vidas para Jesus  e também a levar para suas igrejas o desafio de plantar novas igrejas, partindo da evangelização pessoal. Na segunda-feira de carnaval, no período da tarde, os participantes saíram às ruas para colocar em prática o que foi ensinado na oficina e, como resultado, houve 22 decisões ao lado de Cristo, reconciliação e mais de 20 casas abertas para estudos bíblicos. As irmãs Ulda Barbosa e Elizete Santos participantes

Missionários ministraram oficinas

da oficina e membros da 1ª IB de Jaguaquara receberam das mãos dos missionários e da irmã Jussara Hübner (coordenadora do ACAMPBAB) as fichas dos decididos e dos que solicitaram estudos bíblicos, para que sejam acompanhados pela igreja. “Todos os anos anteriores temos realizado uma noite missionária ao longo do evento. Desta vez, foi diferente: todas as cinco noites bem como todos as manhãs foram missionárias. Aliás, todo o evento, de ponta a ponta, foi voltado para o tema MISSÕES. Só nos resta agradecer a Deus e a JMN pelas bênçãos alcançadas”, afirmou pastor Arno Hübner, organizador do evento. Segundo o pastor, ao longo desses quase 70 anos inúmeros acampantes (especialmente moços e moças) foram chamados para o ministério pastoral e para a obra missionária.

Entrega de fichas de decididos

“Desses inúmeros tomo a liberdade de citar dois: Fernando Brandão e Jônatas David Hübner”. O primeiro converteu-se em um destes acampamentos e destaca: “Este acampamento é para mim uma marca especial, pois foi onde tomei a decisão mais importante da minha vida”. O segundo é filho do pastor Arno, “que em pleno curso de Engenharia Mecatrônica, após a Noite Missionária em um Acampamento, resolveu seguir a voz de Deus e no fim do ano passado concluiu seu curso de teologia pela Faculdade Teológica de Brasília. São dois nomes que falam mais de perto ao nosso coração. Impossível seria aqui relacionar todos os que foram chamados bem como outros tantos que entregaram suas vidas aos cuidados do Mestre”, compartilhou.

Retiros e ações evangelísticas marcam frentes de Missões Nacionais

N

o período do carnaval, as frentes missionárias de Missões Nacionais estiveram em plena atividade. Algumas conduziram seus membros aos tradicionais retiros espirituais como forma de aprofundar o relacionamento destes com Deus, enquanto outras realizaram evangelismo de impacto, apresentando Cristo como a verdadeira alegria. A Primeira Igreja Batista de Palestina, em São José do Rio Preto, SP, aproveitou o feriado para consagração e comunhão de seus membros, juntamente com irmãos de outras cinco cidades: Riolândia, Cardoso, Ubarana, Cosmorama e Tanabi. Segundo o pastor Fernando Julião, da 1ª IB de Palestina, o retiro é um período para recarregar as baterias. “Durante todo o ano de 2009 entregamos mais de 6,5 mil folhetos, fizemos cultos ao ar livre, recebemos mais de 50 pessoas de diversas partes do Brasil para trabalho de evangelismo em nossa querida Palestina. Diante de tantos

JORNAL-32.indd 20

afazeres, fora as atividades normais da igreja, tais como encontros, cultos e projetos sociais, separamos esses dias para as pessoas da igreja”, explicou o missionário. Feliz com os resultados, ele afirmou: “não tenho como agradecer o compromisso que essas pessoas têm, não com a igreja ou o pastor, mas com o Senhor Deus”. Em Barreiras, na Bahia, o retiro espiritual foi uma alternativa para a aproximação dos internos do Lar Batista David Gomes com os batistas da região. Eles foram convidados para participar do Acampamento da Igreja Batista Manancial. Com um desconto de 50% no valor do evento, missionários e adolescentes decidiram investir na venda de geladinhos (sacolé) para completar o valor do passeio. Para os internos do David Gomes, estar no retiro foi bastante significativo. R., de 17 anos, disse que as mensagens foram impactantes. “Foi ótimo! Aprendi que precisamos ter fé e também sonhar e bus-

car de Deus nossos sonhos”. Além da fé, item fundamental para agradar a Deus, os adolescentes foram instruídos a enxergar além do que os olhos podem ver, sonhar com um futuro cheio de esperança. “Descobri que a palavra que foi trazida a nós era nova, diferente. Porque estamos no lar, achamos que não podemos sonhar”, concluiu L., 16 anos. Representando o grupo dos que aproveitaram a aglomeração popular do carnaval para evangelizar, estão as frentes missionárias de Taiaçu, SP, e Garuva, SC. Na primeira, a ação missionária contou com a participação de jovens da IB do Valo Velho, em Itapecerica da Serra, para a evangelização na cidade de Jaboticabal. O impacto resultou em 292 pessoas abordadas, sendo 61 o número de convertidos, além de 56 estudos bíblicos agendados. O casal missionário que atua em Taiaçu, pastor Marcos e Sonia de Lima, a partir de agora lutarão para a manutenção dos

frutos que surgiram. “Que o Senhor conserve os resultados, para que possamos abrir uma frente missionária em Jaboticabal, cidade com quase 70 mil habitantes, em que só há uma igreja batista filiada à Convenção. Assim poderemos conquistar a Pátria para Cristo”. Em Garuva, os missionários Walter e Elizabet Caetano receberam em seu campo o grupo do Projeto Resgate, da Igreja Batista da Penha, no Rio de Janeiro. Há alguns anos esses irmãos têm apoiado os campos de Missões Nacionais, levando a Palavra de Deus de uma maneira contextualizada e impactante. A frente de Garuva registrou a decisão de 135 pessoas. Para os missionários, esse apoio veio em bom momento. “Louvamos  a Deus pelas vidas aqui  alcançadas,  pelo trabalho incansável desses amados irmãos. Que  o Senhor  Deus de misericórdias e graça os recompense  por  tudo”, concluíram os obreiros.

16/03/2010 16:20:14


“Quem acha que já faz muito só ajudando financeiramente ou orando, está perdendo”

Jornal de Missões Março/Abril • 2010

21

Mobilização Missionária

Parceria alavanca evangelização do ES

N

o início de janeiro, a Juventude Batista esteve envolvida nas atividades evangelísticas do projeto Pés no Arado, que em 2010 aconteceu em Vitória, ES. Como a JUMOC é parceira de Missões Nacionais, a organização missionária dos batistas também marcou presença, apoiando os jovens, dando instruções sobre técnicas de abordagem e informações do campo. Representaram Missões Nacionais a gerente regional do ES, missionária Fabíola Molulo Tavares, e o pastor Ulisses Torres, da sede da JMN. Eles ministraram aos 103 voluntários – representantes do Amazonas, Mato Grosso, Goiás, Brasília, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo –, que se apresentaram para percorrer cinco localidades do campo capixaba, incluindo um projeto da JMN na Grande Vitória, o bairro de Lourdes, onde estão as missionárias Rosilene Vieira e Laudicéia Mirandola. A Igreja Batista em Mata da Praia, parceira no projeto de Lourdes, cuidou de toda a estrutura que abrigou a equipe responsável por cobrir essa área durante o período do Pés no Arado.

Como explica a secretária executiva da JUMOC, Gilciane Abreu, as igrejas e a frente missionária receberam do Pés no Arado um grande apoio para a evangelização da comunidade onde estão inseridas. “O objetivo foi de contribuir com as igrejas locais em suas necessidades. As comunidades foram envolvidas de forma surpreendente”. Para o cumprimento desse desafio, foram implementadas estratégias arrojadas, entre elas, formas de evangelização por meio de atividades esportivas, modelo apresentado pelo pastor Ulisses. Segundo ele, evangelismo por intermédio do esporte tem atraído muitos e o conhecimento dessa ferramenta se torna cada vez mais relevante em virtude dos eventos que acontecerão no país em 2014 e 2016. Com essa metodologia, os jovens estarão preparados para “evangelizar pessoas de vários estados de nosso país, vários países e culturas, várias línguas, utilizando a linguagem universal do esporte”. O apoio de Missões Nacionais na capacitação da Juventude Batistas Brasi-

Voluntários do Pés no Arado 2010

leira foi de grande importância. É o que aponta Gilciane: “Desde o treinamento até definir as comunidades a serem alcançadas, a JMN teve um papel muito relevante. Esperamos permanecer com essa parceria para o fortalecimento e desenvolvimento de nossa juventude”. Da mesma forma, para Missões Nacionais, a presença da juventude nos eventos mis-

sionários tem garantido a conquista da Pátria. Neste ano, com as 13 Trans que acontecerão em julho, não será diferente. “Nosso desejo é trabalhar em parceria. Se o desafio é grande, continuaremos lutando e incentivando para que cada dia mais jovens se disponibilizem ao serviço de missões em nosso país”, finaliza a executiva.

Transradical Urbano

Projeto leva mensagem de salvação à comunidade em Vila Velha, ES

D

urante o mês de janeiro, 22 voluntários participaram da primeira edição do projeto Transradical Urbano em Vila Velha, ES, que visa a auxiliar as igrejas no cumprimento de sua missão de transformar o mundo, a partir do local onde estão inseridas. O alvo deste trabalho são comunidades carentes e de risco social, visando à plantação de igrejas. Assim para a primeira edição foi escolhido o morro do Jaburuna, com uma população de cerca de 9 mil habitantes. Outra característica do projeto é contar com o envolvimento direto de uma igreja-mãe, que se responsabilizará pela continuidade do trabalho. Desta forma, a Igreja Batista da Glória, em Vila Velha, ES, é a igreja-mãe do trabalho no Jaburuna e enviou 12 voluntários. Além destes, 10 voluntários vieram de outros estados como, por exemplo, Bahia, Rio de Janeiro, e de outras cidades do ES. Apoiaram também o projeto o grupo evangelístico Kings Company, além de outros voluntários da IB da Glória em dias como o de ação social, ocasião em que foram realizados cerca de 800 atendimentos nas áreas de saúde, nutrição, aulas de artesanato, etc.

JORNAL-32.indd 21

Voluntários do primeiro Transradical Urbano

Gabriela Rocha, membro da IB da Glória, compartilhou que se preocupava um pouco com missões, mas pensava que já havia muita gente fazendo missões, restringindo-se apenas a contribuir financeiramente e a orar pela

obra. Ao participar do projeto, afirmou: “Quem acha que já faz muito só ajudando financeiramente ou orando, está perdendo, pois é muito bom estar aqui vivendo isso, cumprindo o ide que Deus falou em sua Palavra”.

Outra voluntária, esta da Chapada da Diamantina, BA, apesar de seus 9 meses de convertida, afirma que à medida que caminha com Cristo desperta para missões. “Estou descobrindo meu chamado missionário, pois Deus tem colocado no meu coração o desejo de ser missionária”, afirmou Taíse Vieira, fruto do trabalho missionário em Barra da Estiva, iniciado com a mobilização missionária Jesus Transforma, em 2008. O culto da vitória, no dia 31.01 na IB da Glória, celebrou a visita a 240 casas, nas quais 127 estudos bíblicos foram agendados; uma centena de decisões por Cristo, entre as quais a de uma senhora que desejava a morte, por não ter expectativa de vida. No forro do sofá de sua casa podiase ler: “Quero morrer!”. Ao receber a visita dos voluntários, aceitou a Cristo, desfezse não apenas do forro, mas do desejo maligno de acabar com sua vida. Agora tem vida nova em Cristo Jesus. “Acreditamos que fizemos aquilo para o que Deus nos escolheu para fazer e estamos muito felizes e satisfeitos com os resultados”, afirmou pastor Celso Godoy, coordenador do projeto, que prevê uma edição para o Rio de Janeiro em janeiro de 2011.

16/03/2010 16:20:20


22

Jornal de Missões Março/Abril • 2010

Mobilização Missionária

“ A Campanha de Missões Mundiais me fez acordar, a tempo, para ir até os confins da Terra por Cristo.”

CAMPANHA 2010

A resposta das igrejas batistas aos apelos de Missões Mundiais Louvamos a Deus pelas milhares de igrejas e irmãos que estão em plena atividade missionária para levantar ofertas para o avanço da obra de Missões Mundiais. Temos recebido testemunhos que mostram o quanto estão dando o seu melhor para ver o mundo salvo por Cristo.

Ferro-velho missionário Divulgação da igreja

“Tia Luciane” com crianças da igreja

Uma idéia genial teve a “tia Luciane”, uma das líderes do Ministério Infantil

de nossa igreja. Seguindo suas instruções, lançamos alguns desafios para que possamos ensinar a importância de ajudar os missionários e mobilizar as crianças nessa tarefa de amor: elas vão ajuntar latinhas e garrafas plásticas. Além disso, as crianças estão pesquisando na vizinhança quem tem em suas casas ferro velho que possa doar para missões. Cada criança levou seu cofre missionário para que toda a família participasse desse desafio. Fizemos um mural para mostrar o desenvolvimento das crianças. Ao fim da campanha teremos a premiação dos que mais se destacaram. Agora... mãos à obra e vamos trabalhar!” Quelly Silva, IB Central em Agostinho Porto, São João de Meriti/RJ

Programações em prol de Missões Mundiais

M

árcio Fernandes da Silva, membro da Segunda Igreja Batista da Iputinga, Recife/PE, parabeniza Missões Mundiais pelo material da Campanha de 2010, “Por Cristo vou até os confins da Terra”. Segundo ele, o material está muito bom e é um instrumento valioso de evangelismo. Márcio informa que sua igreja realizou programações missionárias destinadas aos adultos e crianças que fizeram sucesso. Também a realização de um bazar, em prol de Missões Mundiais, ajudou a alcançar o alvo de Missões Mundiais.

Foto: Arquivo pessoal de Aurélio Campos

Aurélio Campos da Silva

JORNAL-32.indd 22

Acordando para ir aos confins da Terra

Há uns seis anos que sou membro emminha igreja e, confesso, a Campanha de Missões Mundiais ‘Por Cristo vou até os confins da terra’ foi a que mais mexeu comigo em todos esses anos. A letra do tema da campanha é maravilhosa e me fez pensar, profundamente, sobre o que eu

tenho feito por Cristo. Quero agradecer a todos que se empenharam nesta campanha e por ter feito com que eu acordasse, a tempo, para ir até os confins da Terra por Cristo. Fiquem com Deus.” Cláudia Maria da Cruz, membro da PIB de Miguel Pereira/RJ

Sensacional o HotSite de Missões Mundiais

Quero parabenizar à equipe de Missões Mundiais pelo HotSite da Campanha Missionária de 2010: www.porcristovou. org.br. Está sensacional! É simples para aqueles internautas aprendizes e podemos

obter o material quantas vezes for necessário. Deus abençoe a todos grandemente. Graça e paz no amor de Cristo.”

Cristo vou até os confins da Terra’. Cada domingo damos destaque a um país diferente. Que Deus continue abençoando o trabalho dos irmãos!”

Parabéns a toda a equipe de Missões Mundiais por proporcionar este maravilhoso kit para as igrejas de nossa denominação. Sou Promotor de Missões em minha igreja e estamos, desde o início de fevereiro, mobilizando todos os membros com o tema de Missões Mundiais: ‘Por

Ana Izabel Macedo Garcia, Santos/SP

Renato C. do Carmo, PIB em Vila Oportunidade, Osasco/SP

Divulgação da igreja

V

Irmãs trabalhando no Bazar Missionário

Ações por um novo Haiti

aléria Mendes, da Congregação Batista em Vila Romar, Peruíbe/SP, informa que sua igreja, comovida com a situação de nossos irmãos haitianos, levantou uma oferta especial de amor, no culto do dia 24 de janeiro, para o Projeto “Por um novo Haiti”. Os jovens de sua igreja também se mobilizaram e promoveram um lava-jato para ajudar o povo haitiano. “Como nossa igreja tem poucos membros e não tem mais que ‘meia dúzia’ de carros, eles lavaram motos e até bicicletas. Agradeço a Deus,

Fazendo missões através da voz A

urélio Campos da Silva, o locutor que narra os vídeos de Missões Mundiais, ficou conhecido no meio evangélico brasileiro e foi convidado a ser um missionário numa rádio cristã nos Estados Unidos. Com sua voz firme e inconfundível, Aurélio Campos é um exemplo de missionário em sua profissão. Desde janeiro de 2008, ele com sua esposa, Rejane, e as filhas Jéssica

e Gabriela, são uma família missionária que evangeliza através da mídia em Charlotte, na Carolina. Quando Aurélio estava no Brasil gravava para a Junta e recebia por isso, afinal era o seu trabalho. Mas sempre buscava um bom acordo, pois era para divulgar a Palavra de Deus e mostrar o trabalho dos missionários ao redor do mundo. “Neste ano, ao partici-

Arquivo JMM

Crianças haitianas

pois alguns desses jovens têm levado muito a sério a obra de missões”, disse Valéria.

par na Campanha de 2010, senti vontade de colaborar com os missionários que estão nos campos – dedicando suas vidas a levar a salvação aos perdidos – resolvi ofertar meu trabalho para Missões Mundiais, sem receber por isso”, conta Aurélio. Assim, os batistas brasileiros estão sendo abençoados através de sua vida e profissão.

16/03/2010 16:20:29


Os Acampamentos de Promotores de Missões Mundiais têm como objetivo capacitar o promotor para melhor desenvolver seu ministério junto à igreja local

Jornal de Missões Março/Abril • 2010

23

Mobilização Missionária

Congressos Conexão Missionária 2010 Arquivo JMM

Pr. Fabiano Araújo (ao microfone), Representante da JMM, dirige o Conexão em Bebedouro/SP

J

á começaram os congressos Conexão Missionária de Missões Mundiais, que têm como objetivo ser, em parceria

com as igrejas e associações, um poderoso instrumento de aproximação, unidade e mobilização missionária durante

a promoção da Campanha que a JMM jovens do Radical África – Voluntários realiza no primeiro semestre de cada ano. Sem Fronteiras. Leia abaixo um pouco do que aconteceu Em Macapá, nos dias 27 e 28 de fevenos congressos em Macapá/AP e Bebe- reiro, aconteceu o primeiro congresso douro/SP, duas das primeiras cidades a missionário da JMM no Estado do Amareceberem o Conexão Missionária. pá. A PIB de Macapá foi a anfitriã e mais Entre os dias 5 e 7 de fevereiro acon- de 500 pessoas estiveram presentes nos teceu o Conexão Missionária na Igreja dois dias de programação, representando Batista Jardim Progresso em Bebedouro/ 28 igrejas do Estado. SP. Estiveram representadas 15 igrejas e Os congressitas foram impactados cerca de 520 pessoas participaram dos através das mensagens que alertavam três dias de evento, que comprovou para a realidade daqueles que perecem o grande envolvimento do Nordeste sem Cristo. O missionário Pr. Caleb, que Paulista com a obra de evangelização do atua no Oriente Médio, testemunhou dos mundo. Os preletores foram os missio- desafios das igrejas “subterrâneas” naquenários de Missões Mundiais Pr. Fabiano la região e levou grande reflexão aos preAraújo (Trabalhou em Botsuana, na Áfri- sentes. Houve, também, um momento ca, no Projeto Tenda da Esperança e hoje de intensa intercessão pelas vítimas dos é um dos Representantes da JMM em São terremotos no Chile e no Haiti. Paulo), Pr. Juan Carlos e Narrimãn Nuñes (Chile), Pr. Luiz Moreira e Sandra (Itália) Confira a relação completa dos Conexão e contou ainda com a participação de oito Missionária 2010 na página 24.

Missões Mundiais promove Acampamentos para Promotores C

omo parte da estratégia de ampliação da mobilização missionária nas igrejas, gerando maior investimento nos campos missionários, Missões Mundiais tem realizado Acampamentos de Promotores em várias partes do Brasil. Esses encontros têm como objetivo capacitar o Promotor para melhor desenvolver seu ministério junto à igreja local e despertá-lo para sua importância estratégica na obra missionária mundial. Rio de Janeiro Aconteceu, entre os dias 5 a 7 de fevereiro, o 3º Acampamento de Promotores de Missões Mundiais do Rio de Janeiro. Além de missionários e Representantes da Junta, cerca de 480 pessoas participaram do evento que aconteceu no Acampamento Batista em Rio Bonito, a 90 km do Rio de Janeiro. O Diretor Executivo da Junta de Missões Mundiais, Pr. João Marcos Barreto Soares, esteve presente e falou da experiência missionária que teve em recentes viagens Arquivo JMM

Promotores atentos no Acampamento do RJ

JORNAL-32.indd 23

missionárias. Os promotores tiveram a oportunidade de mostrar o que têm feito pela obra em suas igrejas.

São Paulo Nos dias 26, 27 e 28 de fevereiro foi realizado, no Acampamento Batista em Sumaré, o mais um Acampamento de Promotores do Estado de São Paulo. Mais de 400 pessoas, entre promotores e pastores, participaram do evento. Os preletores foram os pastores Adilson Ferreira e Fabiano Araújo (Representantes da JMM para o Estado de São Paulo) e João Marcos Barreto Soares, além das participações dos missionários Pr. Juan Carlos e Narrimãn Nuñes (Chile), de Radicais África e de Abdallah Fadel, ex-muçulmano. Espírito Santo Os Promotores de Missões do Estados do Espirito Santo também encontraram-se entre os dias 26 e 28 de fevereiro no Centro de Treinamento Batista Capixaba – ABC, localizado na cidade de Viana, para seu acampamento. Cerca de 200 pessoas estiveram presentes e receberam capacitação para desenvolverem, com mais eficiência, sua função na igreja. Palestraram os pastores Fábio Daniel (Representante da JMM para o Estado do Espírito Santo) e José Calixto Patrício (Portugal). Região Sul Em Curitiba, os Promotores de Missões da Região Sul do Brasil reuniram-se

no Acampamento Batista da capital paranaense, nos dias 26 a 28 de fevereiro, para a realização do seu 3º encontro. O Pr. Cláudio Andrade (Representante da JMM para a Região Sul) coordenou o evento, que contou ainda com as mensagens dos missionários Pr. Henrich e Olga Friesen (Equador), Khalil Samara (Povos Árabes), Issa Samara (Oriente Médio) e Edna Dias (Guiné-Bissau), entre outros.

Arquivo JMM

Momento de intercessão em Curitiba/PR

Depoimentos demonstram impacto causado nos Acampamentos Os Promotores ficaram entusiasmados com o que viram e ouviram nos Acampamentos. Eles voltaram para suas igrejas com a visão e o ânimo renovados, e estão ajudando a manter acesa a chama do despertamento missionário. Confira alguns depoimentos. “Louvo a Deus por mais este Acampamento. Eu e minha filha saímos com esses sentimentos: amor pelas almas perdidas, solidariedade e paz”. (Lídia Silva/RJ – Acampamento/RJ) “Renovei as minhas forças nesse acampamento. Conheci a realidade dos campos missionários, fui impactada com os testemunhos e aprendi muito. Renovei meu compromisso com o Senhor de Missões”. (Sandra Grothe/RS – Acampamento Sul)

“Cada testemunho que ouvi foi como uma explosão, que me impulsiona a lutar cada vez mais pela obra missionária”. (Francielli Porcides/PR – Acampamento Sul) “Há um grande movimento missionário acontecendo através de nossos missionários. O tema de Missões Mundiais deste ano, Por Cristo vou até os confins da Terra, está nos desafiando a ir”. (Pr. Adonias da Silva, IB Memorial de Irajá, Rio de Janeiro – Acampamento/RJ)

16/03/2010 16:20:33


24

Jornal de Missões Março/Abril • 2010

Institucional

JORNAL-32.indd 24

16/03/2010 16:20:37


Jornal de Missões - Edição 32