Issuu on Google+

Ano LXVII nº 257

Dai-lhes vós de comer Projetos sociais reforçam a relevância da missão

TESTEMUNHO

Ela tentou suicídio, mas foi alcançada pela Trans

ENTREVISTA

Mãe conta o drama de ter um filho dependente químico


PALAVRA DO DIRETOR

Mantendo a luz acesa Q

uero expressar toda a minha gratidão a Deus e a todos os batistas pelo lançamento da campanha SEJA LUZ. Agradeço o empenho e dedicação de todos nestes dias. Sei que ainda temos muito a fazer, mas já podemos celebrar, com alegria, os frutos que já estamos colhendo. A campanha de oração e evangelização tem sido realizada com muito esforço. Foi assim desde sua elaboração. Apesar das lutas, muitas são as vitórias e uma delas foi a realização do programa Seja Luz na TV. Quando assisti ao programa parecia que estava sonhando. Não foi fácil, mas Deus tem nos fortalecido e as portas estão se abrindo para que grandes coisas aconteçam. Não posso deixar de ter orgulho de nossa gente. Gente que ama a obra e não tem medo de desafios. Trabalha em tempo e fora de tempo, não importando o tamanho dos desafios e dos gigantes. Sempre com humildade e dedicação para fazer o que precisa ser feito. Seja o que for, sempre com mãos à obra. Obrigado a todos vocês. Não vamos recuar! O Senhor está conosco. Desafios e obstáculos virão, mas ELE pelejará por nós. Vamos continuar cavando os poços, pois a chuva já começou a cair em abundância. Estou feliz e sempre com as forças renovadas para avançarmos na conquista da pátria para Cristo. Pr. Fernando Brandão Diretor Executivo 1


ÍNDICE Cartas e e-mails.............................................................. 3 Gente que faz Missões Criatividade em prol da obra missionária................................... 4 Uma publicação da Junta de Missões Nacionais da Convenção Batista Brasileira Ano LXVII nº 257 Tiragem: 30.000 Maio/2012

Testemunho A diferença que a Trans faz......................................................... 6

Sempre Orando Agenda de oração de Maio de 2012......................................... 7

Clubinho Missionário Amor para todo mundo........................................................... 10

Mobilização Missões Nacionais entra na TV.................................................. 12

Matéria de Capa A questão social da missão....................................................... 14

Direção Executiva Pr. Fernando Brandão Gerência Executiva de Soluções Estratégicas Pr. Jeremias Nunes Redação Jornalista Responsável Marize Gomes Garcia – DRT 25.994/RJ Ana Luiza Menezes Tiago Pinheiro Monteiro Revisão Adalberto Alves de Sousa Arte Oliverartelucas

Especial A luz brilhou nas cracolândias.................................................. 22

Panorama Missionário Notícias do campo................................................................... 24

Entrevista Amor incondicional................................................................... 29

A Grande Comissão Cristolândia um novo alvorecer................................................ 31 2

Nossa Missão: Conquistar a Pátria para Cristo. Nossa Visão: Ser uma agência missionária dinâmica e criativa, com excelência na gestão missionária, voltada para servir às igrejas da CBB no cumprimento da sua missão. Endereço da Sede: Rua Gonzaga Bastos, 300 Vila Isabel - 20541-015 Rio de Janeiro – RJ Telefax: (21) 2107-1818


CARTAS E E-MAILS

EDITORIAL Uma igreja relevante Uma igreja relevante tem como missão atingir as necessidades de sua comunidade, sejam elas sociais ou espirituais. Dessa maneira, a Eclésia torna-se o ponto central para o desenvolvimento comunitário, ao tempo em que apresenta o que Deus deseja fazer em cada vida. Fazer do evangelho o cerne das questões humanas é o desafio de Missões Nacionais em cada um de seus projetos. Quando isso acontece, passa-se do assistencialismo ao desenvolvimento social, da dependência à liberdade que cria condições de sustento e altera para melhor o meio e os objetos de nossa ação. Esse cenário de igualdade, que vem como uma marca do Reino do Deus, é o tema central dessa edição, que comemora o Dia Batista de Ação Social. As ações de transformação de uma sociedade acontecem como reflexo de uma mudança interior. Uma vida que antes estava dominada pelas drogas e agora passa a desfrutar novas experiências com Cristo poderá ser um agente de transformação. Como afirma dona Mirian, personagem da seção Entrevista que aguarda a recuperação de um filho internado na Comunidade Terapêutica Reviver, “para Deus nada é impossível. Acredito que o homem pode cair, mas Jesus levanta, por isso não desisto de acreditar”. Impossível mesmo é deixar de ser impactado por testemunhos como o de Laís, que foi alcançada por voluntários da Trans em um momento crítico de sua vida. Depressiva, a jovem chegou a tentar suicídio, jogando-se na frente de um caminhão. Hoje Laís está na Cristolândia RJ, ajudando a alcançar marginalizados para Cristo. Ela é a personagem da nossa seção Testemunho. A campanha 100 Dias que Impactarão o Brasil continua a todo vapor. Uma das grandes ações de Missões Nacionais para esta ocasião foi o lançamento, no dia 22 de abril, do programa Seja Luz na TV, com exibições na Rede Gênesis, Boas Novas, Rede Super e NGT. Acompanhe nossa programação e informe-se sobre o andamento de nossa campanha na seção Mobilize-se. Cristolândias, Comunidades Terapêuticas, Lares Batistas... Eles expressam a igreja que Cristo deseja ver: um ponto de apoio para o aflito e um canal de paz para o necessitado. Faça uma visita a um destes projetos e veja como é fácil descobrir Deus em ação. Abra seu coração aos apelos da Pátria e tenha uma ótima leitura! Tiago Monteiro Gerência de Jornalismo Institucional da JMN

Neste espaço, publicamos opiniões, sugestões e comentários deixados em nossas redes sociais ou recebidos por cartas ou e-mails. Participe você também, enviando sua colaboração.

A nova APPC “Quero parabenizá-los pela inovação da revista, que está muito bonita, e pelo projeto Seja Luz. Que Deus continue abençoando a vida dos irmãos e que a cada dia vocês possam ser o ‘Sal da terra e a luz do mundo’”. Ana Beatriz Cardoso do Nascimento Por e-mail

Um gesto de amor “Missões Nacionais é amar o nosso Brasil a começar onde estamos levando as Boas-Novas!” Rosimery Leite Rangel No Facebook

JMN na TV “Fantástico ver um dos apresentadores de ‘A Liga’ com a camisa da Missão Batista Cristolândia. Parabéns, JMN!” Elvino Pinheiro No Twitter

Projeto Cristolândia “Gosto muito desse projeto e oro sempre por ele”. Ítalo Cael Souza Ramos No Facebook

Sobre a campanha Seja Luz “Vamos iluminar o Brasil com a luz de Cristo em nós!” Kézia Souza No Facebook


GENTE QUE FAZ MISSÕES

Criatividade em prol da obra missionária Most rando em penho para ajudar a obra m i ssi onári a, o i r m ão David Vi c t or G om es, da Segunda I g reja Bat i st a de Abreu e Li m a ( PE) , tem dedi c ado seus t al ent os c om o poet a e prom ot or de Mi ssões, v i sando desper t ar m ai s pessoas para a necessi dade de i nv est i r na proc l am ação do ev angel ho. “Ser prom ot or não é só um t rabal ho, m as si m um g rande e i nesquecível present e de Deus”, ac redi t a . C ri at i v o, el e c onseg ui u i m pl antar um novo m ei o de ofer t ar para m i ssões, um a vez que ant es era bast ant e di fí c i l ar recadar a c ont ri bui ç ão de sua i greja pa ra est a causa que el e t ant o am a. Irmão David falando sobre missões na igreja 4


A tática usada pelo irmão David foi a de distribuir pequenos cofres de barro, comprados em Tracunhaém (PE), para as famílias da igreja, do modo que todos os dias os irmãos juntam uma oferta, que é recolhida no fim do ano e dividida para Missões Nacionais, Mundiais e Estaduais. “Cada cofrinho tem um número para identificar as famílias e o ano da oferta. Depois recolhemos e separamos cada moeda, contamos e eu mostro num quadro para que todos possam ver o valor que conseguiram juntar. Não faço nada disso sozinho, mas com a comissão que me ajuda nessa parte, porque onde há finanças tem de haver transparência”, explica. A estratégia foi um sucesso e no último ano o valor total alcançado foi de mais de 10 mil reais. Segundo ele, um dos membros da igreja, chamado José Pereira, que obtém seu sustento e de sua família por meio da venda de salgados, às vezes, consegue entregar 3 cofres para missões. “Consegui implementar em minha igreja um trabalho de conscientização dos membros, que agora conhecem os desafios e as histórias dos missionários. Hoje, pela graça de Deus, 85% dos membros contribuem. Fiquei feliz porque consegui colocar minha igreja dentro de missões. Estamos na campanha dos 100 Dias que Impactarão o Brasil e meu pastor apoia integralmente missões”, conta irmão David, que em casa separa um cofre para ele e outro para sua esposa. Por meio do PAM Brasil, irmão David é também parceiro do pastor Walter Azevedo, que é missionário em Sapiranga (RS), e do projeto Cristolândia Recife. Neste ano, ele participará de cinco viagens missionárias com sua igreja para cidades do interior de Pernambuco, como Capoeiras, Serpente do Lerio, Caetés, Joaquim Nabuco e Correntes. Na última cidade, eles realizarão o Natal das Crianças, um evento beneficente realizado pela igreja. O amor de David por missões também ficou evidenciado na poesia “Desperta, Brasil” que ele escreveu e enviou para a União Feminina, que publicou na revista Visão Missionária. No ano seguinte, a poesia fez parte da Campanha de Missões Nacionais 2007. “Foi uma surpresa para mim, pois sempre quis ver o que

Com sua esposa

eu escrevia sendo publicado e quando vi no DVD de Missões Nacionais, fiquei muito feliz.” Sobre a inspiração para escrever, ele contou que tinha o interesse de destacar as grandezas. “Mas Deus me mostrou as necessidades do nosso país, que eram muito diferentes do que eu gostaria de ver.” O resultado foi uma poesia que apresenta a realidade de cada região, conclamando o povo a ir aos campos para pregar a Palavra. “Com muita sabedoria a Junta aproveitou minha poesia”. David também contou que sempre gostou de escrever e que já fez cerca de 100 poesias sobre temas variados como juventude, casamento, aniversário, Dia da Bíblia, aborto, entre outros.

Ele foi criado em um lar evangélico, mas saiu da igreja aos 14 anos de idade e só voltou aos 24, quando estava no Rio de Janeiro. “O Senhor me resgatou em 1964, na época em que houve a revolta dos marinheiros e eu era marinheiro. Fiquei sem emprego, mas aceitei a Cristo verdadeiramente na Igreja Batista Memorial em Cachambi”, contou David, que depois retornou para seu estado, onde se casou, fez faculdade, voltou a trabalhar na Marinha (onde se aposentou) e vive com sua família, além de ser dono uma clínica veterinária. “Tudo na minha vida aconteceu no tempo de Deus”, afirmou ele, que pretende no futuro dedicar um tempo como voluntário da Cristolândia Recife, afinal missões tem um lugar especial em seu coração.

“Deus me mostrou as necessidades do nosso país, que eram muito diferentes do que eu gostaria de ver” 5


TESTEMUNHO

A diferença que a Trans faz tava com 12 anos. A partir daí, passei a conhecer o mundo e ir para festas. Conheci pessoas que me influenciaram e comecei a beber. Conheci um homem bem mais velho e depositei nele todos os meus sentimentos e carências, mas fui muito maltratada física e emocionalmente por ele. Outras pessoas também me causavam dano emocional porque eu era muito frágil em função de tudo o que eu já tinha passado. O tempo passou e comecei a beber muito, tendo tentado suicídio algumas vezes, uma delas fazendo uso de remédios. Eu ficava planejando a minha morte e aos 13 anos de idade desenvolvi um quadro de ansiedade e fiz acompanhamento psicológico, mas nada adiantava.

Com uma nova vida, ela se prepara para compartilhar o amor que recebeu

S

ou de formação católica e não tinha nenhum evangélico em minha família. Tenho três irmãos e sou a caçula. Quando eu estava com 4 meses de vida, meu pai faleceu. Aos 6 anos, minha mãe passou a viver com outro homem e fui morar com a minha avó, que me envolveu ainda mais no catolicismo. Cantava no grupo de louvor, fazia parte do ministério de oração da Congregação Mariana e também fui professora de catecismo. Minha avó, que era a única referência que eu tinha de amor, faleceu e eu ainda es6

No carnaval de 2008, já aos 14 anos, após ter bebido muito, eu vi meu ex-namorado com outra menina e saí correndo em direção à BR 153. Eu ia entrar debaixo de um caminhão, mas Deus enviou cinco pessoas que conseguiram me segurar. Aquela noite foi a mais perturbadora de todas. Depois disso, entrei num estado muito ruim e minha mãe teve que ficar cuidando de mim porque eu bebia muito. Foi um sofrimento para a família inteira, pois meu estado emocional prejudicava a todos da minha casa. Eu odiava crentes, pois apesar de ter tido muitos vizinhos evangélicos, nenhum deles sequer me dizia: “Jesus te ama”. Mas num dia, em junho de 2008, quando eu estava me preparando para ir para a “farra”, duas voluntárias com a camiseta amarela da Trans pararam na porta da minha casa e perguntaram se poderiam falar comigo. Eu disse que sim e as convidei para entrar. Uma delas, chamada Tamires, me disse: ‘Laís, eu vim aqui para

Após depressão e tentativas de suicídio, Laís teve uma nova chance ao ser abordada por duas voluntárias da Trans. Conhecer a história dela é perceber a importância de compartilhar o amor de Cristo por meio do evangelismo. falar que Jesus te ama e ele quer uma nova história para você’. Aquilo abriu meus olhos, mas o que mais me motivou foi o jeito dela, o amor que senti através das duas voluntárias. Na última semana da Trans 2008, em Urubarana (SP), a minha história começou a mudar. O período da Trans acabou, mas os missionários que tinham ido plantar igreja na cidade, pastor Osmar e Ediane Oliveira, continuaram falando que Jesus me amava e me discipulando. Hoje, eu faço parte da Missão Batista em Ubarana. O relacionamento com a minha família mudou completamente. Estou aqui porque os amarelinhos me alcançaram. A virada da minha vida foi ter encontrado pessoas que realmente me amam, pessoas que investiram na minha vida. Trans para mim é reflexo do amor de Jesus nas pessoas. Às vezes, as pessoas não valorizam tanto a Trans por ser um evangelismo de impacto, mas para mim foi essencial. Em 2010 participei em uma Trans em Barueri (SP), onde tive várias experiências e pude ajudar uma mulher que nos disse que se não tivéssemos chegado em sua casa naquela hora, ela teria se suicidado. No Congresso Desperta pelo Brasil 2011, em São José do Rio Preto, tive a oportunidade de fazer oficina de missões e saber mais sobre a Cristolândia. Em novembro pude visitar a cracolândia e lá eu tive a confirmação de que Deus estava me chamando para esse tipo de trabalho. Minha igreja me ajudou muito para que eu conseguisse entrar para o treinamento do projeto radical e tenho aprendido muito. La í s Al v e s Ro dri gu e s, 18 a n os Radical Brasil 2012


SEMPRE ORANDO - MAIO

SEJA LUZ por meio da Intercessão Missionária “O povo que andava em trevas viu uma grande LUZ; e sobre os que habitavam na terra de profunda escuridão resplandeceu a LUZ.” (Isaías 9.2)

Estamos em plena campanha de oração. Deus já tem operado maravilhas no nosso Brasil. O povo de Deus, batistas brasileiros, tem impactado nossa Nação por meio da oração, sendo LUZ, fazendo frente ao avanço das trevas. A única chance que as trevas têm de prevalecer é se a LUZ não se manifestar. Continuemos a combater as trevas sendo LUZ por meio da oração!

ORANDO PELOS PEDIDOS DO LIVRO

“100 DIAS QUE IMPACTARÃO O BRASIL” 1-Por Lisura e Transparência nos Contratos do Setor Público; que os crentes sejam bons exemplos de cumpridores das Leis; pelas autoridades fiscais e alfandegárias do Brasil; que os crentes sejam agentes de mudanças na sociedade; que 2.500.000 pessoas sejam alcançadas para Jesus nas TRANS de 2012. 2-Pela Coordenação da TRANS em todos os níveis; pela mobilização de todas as igrejas: pastores e membros; pela produção e distri-

buição do material de treinamento e evangelização; pelas equipes da TRANS e seus líderes; pelos 100 mil voluntários e a evangelização de 2.500.000 pessoas. 3-Peçamos mais trabalhadores para a seara; que cada crente assuma o dever de evangelizar e discipular cada pessoa na sociedade; pelos empresários e profissionais liberais crentes; pelos políticos e servidores públicos crentes; para que a vida social dos cristãos seja

diferente; pelas bases e equipes da TRANS Goiás. 4-Pelos desempregados; pela abertura de oportunidade de trabalho; por oportunidade de formação; pelo crescimento da economia brasileira; por mais postos de trabalho formal; por recursos para alimentação nas TRANS 2012. 5-Pela presidente Dilma Rousseff; pelos ministros e secretários; pela salvação do povo brasileiro; por justiça social e solidariedade; que a 7


história de nosso país seja mudada pelo evangelho; pela TRANS 2012, que transformará o Brasil. 6-Por maturidade na fé cristã; por uma relação pessoal fervorosa com Cristo; por um ministério de Discipulado Multiplicador em cada igreja; por investimento de tempo diário para oração e leitura da Bíblia produzindo frutos dignos e relacionamentos saudáveis; pelo apoio das igrejas nas TRANS 2012. 7-Pelos missionários da JMM; por novos vocacionados; para que amemos todos os povos; para que Deus prepare o coração desses povos para ouvirem a mensagem; para que mais brasileiros se convertam e se engajem na obra da pregação do evangelho no mundo; por sustento da obra missionária. 8-Pelos missionários espalhados por todo o Brasil e o mundo, para que prossigam firmes e constantes; que recebam estratégias da parte do Senhor; que saibam comunicar bem a mensagem; por proteção, provisão e saúde da família missionária; para que aumente a visão missionária das igrejas; pelo despertamento de vocações; pelos treinamentos das TRANS 2012. 9- Pela restauração e salvação dos traficantes e usuários de drogas no Brasil; que os batistas do Brasil estejam alertas quanto às oportunidades de fazer diferença nestas comunidades e nestas vidas; por aqueles que estão sendo alcançados, em processo de recuperação, e pelos que atuam neste ministério; para que sejamos resposta ao clamor de tanta gente sofrida que deseja sair do mundo das drogas. 10-Pelos seminários e faculdades teológicas batistas e seus diretores, 8

professores e alunos; pela saúde financeira dessas instituições; pelos colégios e faculdades batistas do Brasil, de ensino secular; por novos vocacionados para o ministério da Palavra; pelas bases e equipes da TRANS no Maranhão. 11-Pela liderança de nossas igrejas; que deem exemplo e sejam referenciais para a sua geração; pela capacitação dos líderes e membros; pelo crescimento e desenvolvimento das igrejas; pela plantação de novas igrejas; pela semeadura abundante da Palavra de Deus. 12-Pelos pregadores da Palavra de Deus; que Deus lhes mostre a seriedade de subir ao púlpito e falar do evangelho; pelos ouvintes da Palavra de Deus para que obedeçam a ela; para que todos os crentes preguem a Palavra de Deus em todos os lugares; que Deus vocacione mais obreiros para a sua seara; que em 2012 haja uma abundante semeadura da Palavra de Deus, impactando o Brasil. 13-Para que os jovens evangélicos não se desviem dos caminhos de Deus; para que sejam grandes protagonistas na evangelização; para que vivam um cristianismo autêntico; para que sirvam a Deus nesta geração; para a eficácia do material de evangelização das TRANS 2012. 14-Pela busca de uma vida de santificação; por uma vida que evidencie o amor de Deus; por um testemunho de vida coerente, manifestando o fruto do Espírito; que a verdadeira amizade , comunhão e unidade seja conhecida e praticada em nosso meio; por um caráter cristão cada vez maior; pelos recursos financeiros para o material de suporte das TRANS 2012.

15-Pela conversão das famílias brasileiras; para que as famílias cristãs possam influenciar positivamente as demais famílias; por melhor relacionamento entre as gerações; para que os pais deixem como herança valores cristãos aos filhos; para que casais cristãos possam discipular casais não cristãos em crise. 16-Pela região Sudeste do Brasil; pelas igrejas batistas já existentes e pela plantação de novas igrejas; por corações abertos para receberem Jesus como Salvador; que Deus levante muitos voluntários dessa região para as TRANS 2012; por uma grande colheita durante as TRANS 2012 na região Sudeste. 17-Para que todos os povos indígenas sejam alcançados por Jesus; pelo envio de 5 novos casais para o trabalho indígena no biênio 2012/2013; pela vida espiritual, emocional e física dos nossos missionários dentro do trabalho indígena; pela Gerência Nacional para Evangelização dos Povos Indígenas (GENAPI); pelo despertamento de novos vocacionados para esse ministério; pela tradução da Bíblia que está sendo realizada em diferentes línguas. 18-Para que todas as igrejas batistas do Brasil sejam parceiras na obra missionária; que cada batista brasileiro seja um parceiro na obra missionária; pela obra missionária realizada por Missões Mundiais, Missões Nacionais e Convenções Estaduais ou Regionais: oração, vidas e sustento; para que Deus envie mais trabalhadores para os campos missionários; para que Deus levante 100 mil voluntários para a TRANS 2012.


19-Que a proteção de Deus esteja sobre os moradores de rua livrando-os dessa situação; que cada igreja esteja atenta às oportunidades de levar-lhes amor, cuidado e condições de resgatá-los dessa condição; que evangelizemos os moradores de rua, sendo-lhes o amor de Deus antes de lhes falarmos sobre o amor de Deus; que o Brasil ofereça boas condições de vida para o seu povo; pelas bases e equipes da TRANS na Paraíba. 20-Pela salvação dos surdos; pelos Projetos Alcance Surdos em 2012; que sejam evangelizados e discipulados; pelos cursos de capacitação e formação de liderança para este ministério; por novos vocacionados; pelos surdos que serão evangelizados na TRANS 2012. 21-Que haja em nós o mesmo sentimento de Jesus pelos carentes; que nossas igrejas reconheçam os necessitados ao seu redor; que Deus nos dê consciência de que nós somos a resposta para o mundo carente; que as igrejas organizem ou ampliem os ministérios comunitários; que contribuamos para as causas sociais com sustento e trabalho voluntário; pela transformação do Brasil pela pregação do evangelho. 22-Pelos governadores e prefeitos de todo o Brasil; que cuidem do povo (saúde, educação, segurança); para que governem com o temor de Deus e tomem medidas e atitudes corretas; para que todos sejam evangelizados pelas igrejas; pelos que são crentes para que deem bom testemunho; pelas bases e equipes da TRANS Amapá. 23-Gratidão pela vida dos voluntários; por orientação de Deus quanto ao campo de trabalho; por persistência nas ações e nos mi-

nistérios; que as igrejas se tornem referência no voluntariado para os projetos sociais; por 100 mil voluntários para as TRANS 2012; ore pelo despertar de mais e mais voluntários; pelas Bases Operacionais das TRANS em todo o Brasil. 24-Pela libertação espiritual dos presos e agentes prisionais; por estratégias de expansão da Capelania Prisional em todo o Brasil; pelos atuais missionários e voluntários que atuam entre eles e por novos vocacionados; pela reinserção dos egressos na sociedade e por suas famílias; pelas bases e equipes da TRANS em Rondônia. 25- Saúde dos brasileiros; hospitais Públicos; que tenham recursos materiais, tecnológicos e adequados; que tenham estruturas apropriadas e recursos financeiros; que os médicos sejam responsáveis e estudiosos; que sejam capazes de diagnosticar e ter procedimentos corretos; que tenham leitos suficientes; que tratem bem os pacientes; que invistam em pesquisas; capelanias e evangelização em todos os hospitais do Brasil. 26-Por trilharmos verdadeiros caminhos de justiça e integridade; pela proclamação de uma mensagem contra a corrupção e o erro; por ações constantes que busquem o bem comum; que haja evangelização para que o povo creia em Deus e tenha um coração puro; que cada crente seja sal e luz; por ações comprometidas com a Palavra de Deus; pelas bases e equipes da TRANS em Roraima. 27-Que Deus abençoe as escolas e as universidades brasileiras: pela direção, seus alunos e professores; que os estudantes crentes vivam a fé em Jesus Cristo sem nenhuma restrição ou acanhamento; pela

qualidade de ensino; democratização do acesso; por mais vocacionados para o ministério com os universitários; por valores cristãos; pelas bases e equipes da TRANS Bahia. 28-Para que o analfabetismo seja erradicado do Brasil; por sabedoria aos governantes para que invistam recursos nisso; para que as igrejas tenham ações que cooperem para livrar o Brasil do analfabetismo; para que sejamos sensíveis e pacientes com os analfabetos; para que evangelizemos os analfabetos e os discipulemos dentro de suas limitações. 29-Que todos os brasileiros possam ouvir sobre o arrependimento e a fé em Jesus Cristo; que nossas igrejas façam diferença na comunidade onde estão inseridas; que haja maior zelo na integração dos novos convertidos; que formemos uma rede com 100 mil discípulos multiplicadores; pelo mover do Espírito Santo convencendo os incrédulos; por mais intercessores; pelas bases e equipes da Trans Sergipe. 30-Por uma transformação na “Capital da Esperança” (Brasília); por todos os que estão em eminência e residem nessa capital; por piedade e honestidade nos meios políticos; pela redenção do seu povo que só o evangelho da Graça pode gerar; pelas bases e equipes da TRANS em Santa Catarina. 31-Pelos seminários batistas: direção e professores; pelos seminaristas; que guardem seus corações no Senhor e sejam transformados e sensibilizados pela essência do evangelho; pelo despertamento de genuínas vocações ministeriais; pelo sustento da obra de Educação Teológica; pelo engajamento dos seminaristas na TRANS 2012. 9


11


MOBILIZAÇÃO

Missões Nacionais entra na TV Divulgue a programação missionária dos batistas brasileiros

12


MATÉRIA DE CAPA

A questão social da missão 14

No mês em que o socorro aos necessitados se torna ênfase entre os batistas, mencionamos projetos que têm se destacado pelo Brasil


Novo Lar Batista F.F. Soren, um exemplo de excelência no cuidado de crianças.

O

foco no necessitado, a ajuda mútua em ações que manifestem a graça e a compaixão de Deus em prol da transformação de vidas foram ênfases entre os batistas no primeiro domingo de maio, quando a denominação celebrou o Dia Batista de Ação Social. Em Missões Nacionais, as proposições acima são uma constante, podendo ser vistas em projetos de desenvolvimento humano espalhados pelo Brasil. A atuação social de Missões Nacionais se manifesta por meio de missionários que atuam em projetos de plantação de igrejas multiplicadoras e instituições sociais próprias e conveniadas. Tais ações suprem necessidades através de diversas ações temáticas e alcançam diferentes faixas etárias e grupos sociais, com objetivos específicos. São projetos nas áreas de educação e cultura, saúde e nutrição, música, teatro, esporte, lazer, profissionalização, empreendedorismo, inclusão digital, entre outras, levando desenvolvimento aos necessitados desde os rincões da pátria às grandes capitais. Assistência a crianças Reescrever a história de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social é uma ênfase importante no trabalho social da JMN. Atualmente, cerca de 11 mil crianças são assistidas direta ou

indiretamente, em projetos desenvolvidos nas frentes missionárias e instituições.

sistência Social), em função de sua estrutura física e o trabalho desenvolvido com excelência.

Uma dessas instituições é o Lar Batista F. F. Soren, em Luzimangues, TO. No Lar, além de atendimentos médico, psicológico e projetos de desenvolvimento profissionalizante, os internos são envolvidos em ações de reinserção e fortalecimento dos vínculos familiares. Já existem alguns casos de sucesso, nos quais crianças assistidas pelo Lar foram novamente recebidas pelos pais em uma ação conjunta com os CRAs, Conselho Tutelar, Vara da Infância e da Juventude e igrejas batistas locais.

Outra instituição que se destaca no atendimento a crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social é o Lar Batista David Gomes, que desenvolve seu trabalho no município de Barreiras (BA). Os projetos postos em prática refletem a preocupação da JMN em cuidar integralmente dos meninos e meninas da casa. Dentre eles, destacamos os cursos profissionalizantes, reforço escolar, atividades esportivas, artesanato, culinária rentável, além de parcerias que fomentam a integração de adolescentes ao mercado de trabalho por intermédio do programa Jovem Aprendiz.

Hoje o Lar Batista F. F. Soren é tido como referência no estado do Tocantins através da SETAS (Secretaria Estadual de Trabalho e As-

O Lar conta com o apoio de 57 parceiros. Um deles é a Associa-

No a t e n d i m e n t o a c r i a n ç as e ad o l e sc e n t e s, o p r ó x i mo d e sa fi o d a J M N é a co n st r u ç ã o d o n o v o L a r B a t i st a Da v i d Go m e s 15


ção de Agricultores e Irrigantes da Bahia, que firmou convênio com a instituição para a construção de um Centro de Inclusão Digital. Também fazem parte desse rol de parceiros universidades, supermercados, distribuidora de alimentos, padarias, farmácias, escolas, empresas, igrejas, laboratórios, sorveteria, hospital, instituições e pessoas físicas, entre elas 29 voluntários, médicos, enfermeiros, dentistas e pastores.

do imóvel construído em Luzimangues (TO) – o novo Lar Batista F. F Soren. O projeto que visa construir o novo lar em Barreiras envolve a criação de quatro casas-lares, um prédio administrativo – com recepção, secretaria, sala de reunião e sala do diretor –, um espaço multiusuário para a realização de oficinas, refeitório, biblioteca, três chalés para visitantes, casa do diretor, praça temática, lavanderia, estacionamento, banheiros e depósitos.

O Lar Batista David Gomes tem um novo desafio nos próximos meses. Sentindo a necessidade de ampliação e reformulação da estrutura da instituição, Missões Nacionais lança mais uma vez a campanha Construtores do Futuro. Com isso, pretende-se arrecadar recursos para a construção de um novo centro de excelência nos moldes

A preocupação de Missões Nacionais é que cada instituição possa testemunhar da fé em Cristo, abrindo portas pela excelência dos resultados e, principalmente, pela motivação maior, que é compartilhar o amor, segundo a visão de Deus.

16

Educação e evangelização

Levando educação ao interior do país, o Instituto Batista de Carolina (MA) vem, desde 1936, mostrando que é possível formar cidadãos a partir de um programa pedagógico que envolva alunos em uma atmosfera cristã. O IBC oferece cursos de Educação Infantil e Ensino Fundamental (do 1º ao 9º ano), incluindo o atendimento a alunos com necessidades especiais. No período de um ano, cerca de 210 familiares são atendidas. Complementando o processo pedagógico, são oferecidas atividades como futsal, vôlei, balé, violão, inclusão digital, música coral, musicalização, teatro e reforço escolar. O Instituto Batista de Carolina conta com o apoio de igrejas e parceiros, além de profissionais


nas áreas de psicopedagogia e psiquiatria, que prestam assistência a alunos do Instituto que precisam de um acompanhamento especializado. Outro projeto é o Programa de Apoio e Desenvolvimento da Criança em Família na Comunidade (PEPE), que tem o objetivo ajudar no processo de inclusão social de crianças carentes em várias partes do mundo. A parceria de Missões Nacionais com o PEPE Networks para divulgação e multiplicação da estratégia do programa no Brasil permitiu a atuação de duas missionárias coordenadoras, uma para as regiões sul, sudeste e centro-oeste, e outra para as regiões norte e nordeste. Bianca Diacov e Rute Oliveira Araújo trabalham também para mobilizar e capacitar líderes de igrejas, associações e convenções estaduais para expansão deste programa. Estima-se que 3.071 crianças tenham sido atendidas pelo programa no período entre outubro de 2011 e janeiro de 2012.

Da morte à vida Adultos, jovens e crianças. Todos aprisionados pelo vício do crack, caminhando a passos largos para o inferno. Sem perspectiva, aguardavam a própria morte até que viram raiar uma luz no fim do túnel. Missões Nacionais, por meio do Ministério Cristolândia, decidiu desenvolver ações permanentes de resgate de dependentes químicos em meio às cracolândias do país. Nas Cristolândias, as ações acontecem em algumas etapas importantes, que passam pela abordagem nas ruas, atendimento na missão, triagem, encaminhamento às Comunidades Terapêuticas conveniadas e depois aos Centros de Formação Cristã, fase do processo em que os dependentes químicos têm a oportunidade de participar de cursos profissionalizantes e atividades que permitirão a geração de renda futura ou inserção no mercado de trabalho. O Ministério Cristolândia conta atualmente com a Missão Batista Cristolândia em São Paulo, Rio de Janeiro e Recife, com Centros de

Formação Cristã em Piratininga, Itaquaquecetuba, Cajobi e Campinas, no estado de São Paulo, e com Comunidades Terapêuticas em Muriaé/MG (masculina), Morungava/RS, Campos/RJ e Senador Canedo/GO (femininas). Encontra-se em implantação em Vitória/ES, Belo Horizonte/MG e Brasília/DF. Atualmente, cerca de 230 pessoas estão sendo assistidas integralmente pelo Ministério em São Paulo sob a forma de residência, além de 589 nos Centros de Formação Cristã. Seis integrantes da Cristolândia SP, recuperados do crack, estão cursando a Faculdade Teológica Batista de São Paulo, preparando-se para serem missionários, pastores e líderes da denominação. Dezessete rapazes (ex-usuários de drogas), treinados para o Radical Brasil no Rio de Janeiro, estão atuando na Cristolândia na Central do Brasil. Outros 15 jovens foram capacitados para o Radical Brasil em Recife, onde mais uma Cristolândia teve início em outubro de 2011.

Comunidade Terapêutica Águas de Meribá, em Senador Canedo (GO)

17


Batistas distribuem cestas b谩sicas no distrito de Vargem Grande, em Teres贸polis.

18


“ S e n ã o fo sse a i g r e j a , n ó s e st a r í a m o s se m n e n h u m a a ju d a ” Por conta da grande demanda por casas de recuperação, a JMN busca investir em obras de ampliação de suas redes de atendimento. A mais recente aconteceu na Comunidade Terapêutica Élcia Barreto Soares, de Campos dos Goytacazes. Com as novas instalações, a quantidade de vagas aumentou de 10 para 24; destas, 21 já estão preenchidas. Foram construídos mais dois banheiros coletivos e os quartos foram ampliados, passando por reformas no piso, forro e ganhando armários fabricados pelo voluntário Peter Dresen, da 1ª IB da Barra da Tijuca, Rio de Janeiro/ RJ. Peter, que já havia apoiado outras duas instituições de Missões Nacionias, agradece a Deus por mais esta oportunidade de abençoar quem precisa. “Sinto gratidão pela confiança da Junta de Missões Nacionais, que me dá oportunidade para participar destes projetos maravilhosos. Creio que preciso usar o talento que Deus me deu para ajudar, da melhor forma, aqueles que estão precisando. Na realização dos projetos, tive experiências de muita alegria em ver pessoas felizes, o que me deixa ansioso para participar de uma nova obra”, disse. Ação e Compaixão A Junta de Missões Nacionais também atua na mobilização de recursos e voluntários para o apoio a vítimas em situação de catástrofes. No início de abril, quando a cidade de Teresópolis foi novamente atingida pelas fortes chuvas que provocaram ala-

gamentos em vários pontos do município, uma quantia do fundo da campanha SOS foi destinada à Primeira Igreja Batista de Vargem Grande. Os recursos enviados pelos batistas brasileiros vieram em boa hora para Dona Nízia, uma das vítimas assistidas pela igreja. Ela estava em casa com dois filhos e duas netas quando foi pega de surpresa pela enxurrada que atingiu sua residência. “A água foi subindo e eu gritava ‘a gente vai morrer’ e a correnteza aumentando. Comecei a sentir câimbra dentro d’água, quando mais tarde meu filho veio e conseguiu me levar pela rua. Cheguei à rua com o corpo cheio de bicho. Nunca vivi um pânico tão grande como esse”, lembrou Dona Nízia. Apesar de ter perdido todos os móveis que possuía, ficou a própria vida e a de seus familiares. Eles estão sendo acompanhados pela igreja batista local. Em um primeiro momento receberam quentinhas preparadas por irmãos da 1ª Igreja, cestas básicas e agora o discipulado. Daniela Lima Vasconcelos foi quem liderou a distribuição dos donativos aos desabrigados de Vargem Grande. A visão das casas atingidas pelas águas, das lavouras perdidas e da desolação das pessoas deixou um grande impacto em sua vida. “Quando chegamos aqui vimos uma situação muito complicada. Começamos a entrar na casa das pessoas e perguntar o que elas estavam precisando. A igreja recebeu essa incumbência de ajudar es19


Projeto Dentista Cidadão na comunidade da Mangueira (RJ)

sas pessoas. Apesar de ser uma catástrofe, foi um privilégio ajudar essas pessoas. Deus me deu a oportunidade de entrar em lares que a gente nem sabia qual era a real situação. Vimos muita coisa difícil que está abrindo nossos olhos para ajudar essas pessoas com o alimento material e espiritual também”, comentou. Entre uma visita e outra, Daniela avisava à população atingida que as doações vieram da parte de Deus e que os beneficiados deveriam agradecer a Ele por mais essa bênção. Aos poucos as mensagens do evangelho eram plantadas e, em meio a lágrimas, muitos agradeciam e confessavam: “Se não fosse a igreja, nós estaríamos sem nenhuma ajuda”. O pastor da 1ª IB de Vargem Grande, Carlos Maia Barbosa, apesar de ter acabado de assumir o pastorado local, deu provas de que a unidade e a compaixão são essenciais para a igreja que deseja fazer a vontade de Deus, transformando realidades. “Este é o momento em que a igreja se 20

mobilizou com o propósito de abençoar a comunidade. Foi um grande mutirão com revezamento na cozinha, fornecendo uma média de 600 quentinhas por dia. A própria igreja se tornou uma espécie de quartel general”. É a igreja sendo relevante em momentos de crise. Dentista Cidadão Trabalhando mais diretamente com a saúde, o programa Dentista Cidadão, por meio de parcerias entre empresas, instituições e igrejas em todo o país, leva cuidados odontológicos à população carente. Entre outubro de 2011 e janeiro de 2012, foram prestados atendimentos a 1.489 pessoas, totalizando 1.771 procedimentos nas unidades de atendimento social implantadas em Santa Catarina, São Paulo e Rio de Janeiro. Novas unidades do projeto encontram-se em fase final de implantação em lugares como Palmas/TO, Itajaí/SC, Barreiras/BA, Duque de Caxias/RJ, Belém/PA, Curitiba/PR e Brasí-

lia/DF; só na capital federal serão duas unidades, uma no Vale do Amanhecer e outra na Igreja Memorial Batista em Brasília. A rede de dentistas, técnicos e assistentes tem atuado em mutirões e ações de impacto, dentre os quais podem ser destacados os projetos realizados em parceria com a Sociedade Bíblica do Brasil. As ações e projetos desenvolvidos pelo Dentista Cidadão tiveram como resultado , no último ano, a realização de 765 estudos bíblicos, 362 conversões, participação de 41 profissionais de odontologia entre outros voluntários, além da distribuição de 673 bíblias e 329 livros com temas bíblicos. Segundo o coordenador do programa, o missionário Dani Alves Paes, mais de 28 milhões de brasileiros sofrem pela falta de cuidados com a saúde bucal. “Apresentamos às pessoas um ‘Jesus’ que se preocupa com elas e mostramos uma igreja que está ali para doar”, disse. Novidade A experiência adquirida ao longo de anos e a excelência alcançada pelos projetos implementados gerou uma novidade: a nova edição do livro Ministério Social Cristão, lançado no mês de maio. A literatura é uma releitura do livro da missionária norte-americana Catherine Chappell, com acréscimos que refletem uma nova realidade social e eclesiástica. Participam da nova edição Alice carolina Barbosa Cirino, gerente de Ação Social da JMN, e o pastor Mark Greenwood, coordenador de Ação Social da Convenção Batista Brasileira. Segundo Alice, o objetivo do livro é “fornecer ferramentas para que a igreja e cristãos em geral possam engajar-se de uma maneira eficaz na sociedade, em conformidade com as leis, e em parceria com outras organizações sociais, governamentais ou não”. Espera-se, com isso, um engajamento amplo da igreja em missões.


21


ESPECIAL

A luz brilhou nas cracolândias Trans leva a mensagem do evangelho a pontos de concentração de drogas no Rio e em São Paulo.

O

lhos cansados, corpos lançados ao chão e o cheiro do crack no ar. As características descrevem o cenário das cracolândias do Rio e São Paulo com as centenas de vidas prisioneiras das drogas. Mas, entre os dias 16 e 20 de abril, essa triste paisagem ganhou novos elementos. Ganhou cor, como se raios de luz enfraquecessem as trevas daquele ambiente mórbido. Eram os voluntários da Trans Cracolândia que, com suas camisas amarelas, faziam contato direto com os usuários e traficantes, propondo um novo estilo de vida.

Nas madrugadas, voluntários distribuíam sopa e porções da Palavra. 22

A primeira Trans Cracolândia foi um desafio pessoal para muitos participantes. O repórter fotográfico aposentado Joezer Barreto, 55 anos, da PIB em Cordeiro (RJ), além de registrar com sua câmera o agir de Deus, foi chamado para deixar a atividade fotográfica e assumir o microfone para o alcance de vidas. “Eu não estava preparado, mas a moça que dirigia o culto disse: ‘Este missionário vai parar de tirar fotos. Alguém pega a câmara dele porque ele vai nos trazer uma mensagem’. Deus me usou tremendamente e fiquei muito emocionado”, contou.


A irmã Ana Lúcia Venceslau Cordeiro, de 31 anos, da PIB no Jacaré, contou que sacrificou trabalho e o período de provas na faculdade para ajudar como voluntária em sua igreja, que foi uma das bases da Trans. “Para mim, é gratificante saber que fiz algo que contribuiu para o crescimento do reino de Deus. Não é fácil, é um trabalho muito árduo, mas vale a pena”, declarou. Os radicais que estavam na igreja dela encontraram um rapaz que já tinha passado pela Cristolândia RJ e, após uma recaída, estava buscando uma nova chance. André Silva, de 25 anos, chegou a ficar 10 dias na Cristolândia. “Um dos motivos que para mim é difícil voltar e tentar caminhar de novo é porque eu já recaí mais de 15 vezes. Então o inimigo sopra na mente: ‘Você vai tentar de novo? Não vai conseguir. Vai fazer o que lá?’. Querendo ou não, essas coisas vêm à nossa cabeça e isso estava me impedindo de voltar para os caminhos do Senhor. Um abismo puxa o outro e a droga é assim, é uma coisa maligna. Eu pedia a Deus para me tirar de onde eu estava, pedi por mais uma oportunidade para que eu pudesse estruturar meus sonhos novamente, porque meus sonhos estavam quase mortos”. No Rio, a mobilização missionária alcançou 65 vidas decididas por Cristo e 43 reconciliações. Entre estas vidas, algumas histórias impactantes e outras curiosas, como menciona o gerente regional da JMN para o Rio de Janeiro, pr. Cleber Souza: “A equipe da Central do Brasil, abordou um dependente químico a fim de apresentar-lhe o evangelho, bem como

Ação missionária nas ruas de São Paulo.

a oportunidade de ir à missão ouvir a mensagem, alimentar-se, tomar banho e trocar de roupa. O usuário fugiu, pois, por onde andava via os amarelinhos. Sua alternativa foi ir ao Jacarezinho. Ao chegar nesse outro local, foi abordado novamente pela equipe da Trans, ao que disse: ‘Eu fugi da Central, pois os amarelinhos queriam me tirar das ruas. Vim para o Jacarezinho e aqui encontro outros amarelinhos. Isso é Deus que quer me tirar das ruas’” Este jovem foi retirado e encaminhado ao Centro de Formação Cristã Cristolândia. Em São Paulo, a Trans alcançou mais de 1300 pessoas. Foram dias intensos, cheios de desafios, mas repletos da manifestação do poder de Deus. “Com a Trans, alcançamos novas localidades e conversamos com pessoas que nunca ouviram falar da Cristolândia”, contou Diego Feitosa, voluntário do Projeto Radical Brasil que falou sobre a importância desse apoio que a Missão recebeu nestes dias.

Na Cristolândia Rio, vidas alcançadas participam dos cultos da missão.

Histórias realmente impactantes ilustraram esse período de atividades na Trans. Uma delas é a situação de muitas crianças na comunidade do Moinho. “Estão vendo aquelas crianças ali?”, disse uma voluntária, “são usuárias de drogas e a maior (que aparentava ter 11 anos) é a que distribui para as crianças da comunidade”. Mas aqueles meninos e meninas também ouviram falar de Cristo, por meio dos voluntários que cantaram e fizeram brincadeiras. Em outra localidade, uma voluntária que cortava cabelos de moradores de rua chegou a ser ameaçada por um traficante que ao final da Trans, acabou se convertendo a Cristo, compondo o grupo que será encaminhando a uma casa de recuperação. Da parte dos voluntários da Trans, ficou a maravilhosa sensação de ver o agir de Deus de maneira tão direta. “Ter a oportunidade de ver vidas transformadas é a melhor coisa que pode acontecer. A gente percebe Deus atuando ao nosso lado, em favor dessas pessoas. Isso é maravilhoso e acredito que todos devem participar de uma experiência dessas”, afirmou Marcelo Duduchi, voluntário da IB Ebenézer de São Paulo. Em julho, os batistas se preparam para mais um movimento de evangelização: a MEGATRANS. Haverá bases em todos os estados brasileiros, oferecendo a líderes e membros a chance de serem marcados por Deus em missões. Faça sua inscrição pelo site www.sejaluz.com e escreva seu nome na história da evangelização do Brasil. 23


PANORAMA MISSIONÁRIO

Celebração no Maranhão

soas já aceitaram a Cristo e estão recebendo estudos bíblicos. Segundo os obreiros, esse é o primeiro trabalho batista na cidade. A oportunidade de abertura de um trabalho na cidade ocorreu após uma família que tinha sido alcançada pelos missionários em Porto Alegre ter se mudado para Atlântida Sul. “Sem que pudéssemos imaginar, o Senhor os enviou a nossa frente para o litoral, tendo em vista a expansão do Reino”, contou o pastor Ubirajara. Para ele, as oportunidades que têm surgido confirmam o direcionamento e o chamado do Senhor para o lugar em que está agora. Continue orando para que o Senhor abra ainda mais portas para a pregação do evangelho no Rio Grande do Sul.

Alunos prestaram homenagem durante o culto

Dentista Cidadão chega ao Vale do Jequitinhonha

O

Instituto Batista de Carolina, no Maranhão, comemorou seus 76 anos de existência com um culto em ação de graças realizado no templo da Igreja Batista em Carolina. Alunos, pais, professores e membros da comunidade local estiveram presentes para juntos louvarem a Deus porque o Instituto tem sido bênção por meio da educação de qualidade. “Rendemos graças porque até aqui nos ajudou o Senhor”, comentou a missionária Renata Keli Marinho. Além da mensagem ministrada pelo pastor Jademir Ribeiro Gomes, da IB em Carolina, todos assistiram a um vídeo com a saudação do pastor Fernando Brandão, diretor executivo de Missões Nacionais. Os testemunhos de um ex-aluno, da mãe de um ex-aluno e de uma ex-professora relataram a singularidade do ensino, que também agrega valores cristãos.

Novo trabalho no litoral gaúcho

Dani e alguns voluntários da prefeitura

M

ais de 250 pessoas foram atendidas em uma ação do Programa Dentista Cidadão, que de forma inédita envolveu toda a equipe de sa��de bucal de Ponto dos Volantes, município do Vale do Jequitinhonha (MG). Foram voluntários os 16 funcionários da prefeitura, que se dedicaram durante um dia inteiro para que os moradores da cidade fossem contemplados pelo projeto. Além da ajuda na área da saúde, crianças e adultos foram evangelizados, recebendo materiais de conteúdo cristão.

Na reunião de estreia, visitantes mostraram interesse em receber estudos bíblicos

J

á foi iniciada a Missão Batista em Atlântida Sul (RS), sob a liderança dos missionários Ubirajara e Bárbara Alves. De acordo com eles, na primeira reunião sete visitantes estiveram presentes e, desse grupo, quatro pes24

“A ação abriu portas para estudos bíblicos nos lares e deixou a cidade impactada”, relatou Dani Alves Paes, coordenador do Dentista Cidadão. Em Ponto dos Volantes ainda não há trabalho batista, mas os moradores já perguntaram onde será a igreja batista e quando será inaugurada. O Vale do Jequitinhonha é ainda muito conhecido como ‘vale esquecido’ ou ‘vale da miséria’, estando entre as regiões mais carentes do país. São cerca de 105 municípios com pouca estrutura, rodeados de pobreza, falta de emprego, prostituição e abandono. Interceda você também para que essa realidade seja mudada pelo poder de Deus.


Crescimento no Rio Grande do Norte

Mais 15 pessoas foram batizadas em Patu

O

s missionários Luzinaldo e Maria das Graças Tomaz têm tido muitos motivos para agradecer a Deus, pelas bênçãos que têm alcançado no campo. Recentemente, mais de 15 novos irmãos foram batizados, e destes, 8 são alunos do projeto desenvolvido por eles, chamado “Jesus Transforma”, que oferece aulas de violão e informática, prática de esportes e estudos bíblicos. Nesse mesmo grupo de batizados estava o primeiro jovem surdo alcançado pelo projeto, que atualmente atende 70 pessoas, entre crianças, adolescentes e jovens.

Campo Limpo (SP). O objetivo do grupo era ajudar o trabalho desenvolvido pelo pastor Franscisco Ivan de Almeida, missionário na congregação batista da cidade. Na equipe estavam profissionais de estética, psicólogos, advogados e enfermeiros. Como resultado, foram realizados 15 testes de glicemia, 35 pessoas puderam medir a pressão arterial e muitas outras foram ajudadas por meio de orientação jurídica e psicológica. Também foram oferecidos à comunidade oficinas de artesanato e serviço de corte de cabelo, que beneficiou 53 pessoas, graças à colaboração de duas irmãs da 1ª IB de Campo Limpo e da Igreja Batista do Jardim Leme. No evangelismo, foram visitadas cerca de 300 casas e distribuídos mais de mil folhetos. Com isso, 20 pessoas aceitaram receber visitas, outras 12 pediram oração em suas casas e 5 desejam participar de estudos bíblicos. Ao todo, 39 crianças participaram do Kids Games, que promoveu atividades de pintura facial, além da distribuição de algodão doce. “Louvamos a Deus pela vida de todos que participaram deste trabalho, que nos abriu mais portas para entramos com o evangelho de Jesus Cristo”, disse o pastor Francisco Ivan.

Batismos em Arapiraca

Estando desde 2008 em Patu (RN), os obreiros conseguiram revitalizar o trabalho local, fazendo com que a antiga congregação se tornasse igreja, estando hoje com cerca de 90 membros. Eles também expandiram o trabalho para outras cidades potiguares, como Almino Afonso, Olho d’Água dos Borges e Rafael Cordeiro, além de terem aberto uma congregação em outro bairro de Patu. Por meio do programa de rádio, Raio de Luz, semanalmente eles evangelizam e divulgam os trabalhos da igreja. “Tem sido uma grande ferramenta de divulgação do evangelho”, contaram.

Presença de parceiros abençoa obra em cidade paulista

Jovens passaram pelas águas e já são ativos no ministério

N

Grupo evangelizou e prestou serviços sociais

U

ma caravana formada por 45 irmãos da Primeira Igreja Batista em Cubatão (SP), sob a liderança do pastor Joel Baptista de Souza, impactou vidas em

a Congregação Batista Boas-Novas, em Arapirpiraca (AL), plantada pela missionária Vera Lúcia Mattos, cinco novos irmãos foram batizados pelo pastor de evangelismo e missões da Igreja Batista do Farol, de Maceió (AL), Luiz Carlos Moraes Barreto. Todos os batizados são jovens que já fazem parte da equipe de música. “Foi uma boa oportunidade para os familiares e amigos estarem na igreja e poderem testemunhar a fé e ouvir a mensagem de Jesus. Uma das mães disse o quanto estava grata pelo que Deus tem realizado na vida do filho dela”, contou a missionária Vera. Agora, a Congregação passa a contar com 30 membros. 25


O culto de celebração dos batismos contou com a presença dos irmãos da Missão Batista em Libras, liderados pelos missionários Flávio Alan e Patrícia dos Santos, cujo filho interpretou o culto para os surdos. Almir e Ormir Gonçalves, coordenadores regionais de missões em Alagoas, também estiveram no culto. Segundo eles, os batismos são motivos de celebração porque Arapiraca é a segunda maior cidade de Alagoas, com cerca de 230 mil habitantes e apenas uma igreja batista, além dos três projetos lá implantados por Missões Nacionais. “Louvamos a Deus pelo ministério realizado pela missionária Vera, que tem servido ao Senhor em Alagoas”, disseram.

em suas cidades de origem mas também na MEGATRANS 2012. A notícia sobre os 500 mil livros infantis, com o título “A História de Jesus”, que chegarão ao estado de Minas Gerais para distribuição gratuita às crianças para ser usado como ferramenta de evangelismo, empolgou a todos os presentes. “Louvamos a Deus pelos resultados e pelo impacto que este congresso causou em muitas vidas. Estas pessoas não deixarão a bola da evangelização de crianças cair”, comemorou Jaqueline.

Curso bíblico no Sul

“Vinde a mim os pequeninos”

Mais de 20 pessoas estiveram na aula inaugural

V

D

urante o Congresso de Igrejas Multiplicadoras, que reuniu pastores e líderes do sudeste de Minas Gerais, na cidade de Juiz de Fora, os missionários Renê e Jaqueline Santos dirigiram a oficina chamada “Evangelização de Crianças”. Aproveitando que o congresso deu ênfase à evangelização de grupos específicos como crianças, surdos e dependentes químicos, eles compartilharam o desafio da evangelização de crianças e apresentaram o PEC – Programa de Evangelização de Crianças da JMN, abordando diversos temas. A campanha Crianças Para Jesus também foi ressaltada pelos missionários, que conseguiram despertar nos corações dos participantes da oficina o ardor pela evangelização de crianças. “Foram momentos muito relevantes. As histórias de crianças que tiveram suas vidas mudadas a partir do encontro com Jesus emocionaram todos os ouvintes, trazendo um senso de responsabilidade e urgência na tarefa de compartilhar as Boas-Novas aos pequeninos”, afirmou a missionária, coordenadora do PEC na JMN. Os participantes foram desafiados a não somente se envolverem mais no evangelismo de crianças

26

isando ao aperfeiçoamento dos irmãos da Congregação Batista de Sapiranga (RS), foi iniciado um curso bíblico, com mais de 20 pessoas na primeira aula. Segundo o pastor Walter Azevedo, missionário no local, o curso é resultado do investimento na preparação de líderes, uma vez que os estudos foram preparados por um dos membros, que tem mostrado compromisso com a Palavra, e irá revezar o pastor durante a ministração das aulas. Segundo o missionário, o curso é destinado a todos que se interessarem, sejam membros, novos convertidos ou congregados. “Nossa intenção é oferecer bases bíblicas para nossas ovelhas, a fim de enraizar em suas vidas, corações e mentes as verdades bíblicas”, disse. Entre os temas abordados nos estudos do curso, estão as doutrinas de Deus, das Escrituras, Cristo, Espírito Santo, homem, pecado, salvação, igreja e outros aspectos. O número de alunos superou as expectativas, como prova de que apesar dos desafios Deus tem agido na cidade. Atualmente, o Rio Grande do Sul é considerado o maior campo missionário do Brasil, com muitas pessoas presas ao espiritismo e a tradições. Interceder para que Deus continue usando os missionários locais, desperte e envie novos obreiros, é de grande importância.


ENTREVISTA

AMOR incondicional Fale sobre o início da dependência do seu filho. Desconfiou logo no início? Meu filho foi criado na igreja e chegou a fazer parte dos Embaixadores. Em casa, ele até fazia culto comigo, mas depois enfraqueceu na fé. Começou a beber aos 14 anos e aos 18 se envolveu com drogas. Ele fazia tudo isso escondido, mas de Deus não se pode esconder. Eu comecei a desconfiar porque aqui tinha muitos casos de pessoas envolvidas com drogas. Eu falava para ele ter cuidado, mas ele dizia que não se envolveria com essas coisas. Acredito que o Valmir começou

A irmã Miriam do Nascimento, da Segunda Igreja Batista em Fragoso, em Magé (RJ), sempre criou seus filhos nos caminhos do Senhor, porém um deles, Valmir do Nascimento, de 35 anos, se envolveu com drogas ainda na adolescência. Apesar das várias recaídas do filho, que está na Comunidade Terapêutica Reviver, em Muriaé (MG), ela continua esperando em Deus pela recuperação total dele. 29


por curiosidade, quando ele estava com 15 anos, falou que ia sair da escola e eu tive que ir conversar com a professora, mesmo assim, ele continuava faltando ou quando acabavam as aulas ele não voltava direto para casa. Depois de um tempo, ele começou a chegar em casa cada vez mais tarde e eu ficava esperando acordada até que ele chegasse. Meu marido me dizia para dormir, mas eu não conseguia.

Como é ser mãe de um dependente químico? Passar por isso é horrível. Nunca pensei na possibilidade de viver um problema como este. Chorei muito quando descobri. Teve uma reunião de conselho na minha igreja e falei do meu problema. Na época, eu disse: “Estou aqui na igreja para salvar vidas e agora aconteceu isso com meu filho”. Eu ensinei tudo o que pude, ele foi criado corretamente. Nunca dei algo para ele que não pudesse dar para os irmãos dele. Ele ainda está em tratamento e visito quando posso. No dia 24 de abril fui visitá-lo em seu aniversário. Comigo foi um grupo de 9 pessoas da igreja e mais alguns parentes. A família torce para ele ficar bem. Pedi muito a Deus para tirar a tristeza dos nossos corações e espero a cura e a melhora dele.

Como foi o sofrimento da família? Foi muito difícil. Uma vez, ele tomou uma cartela de Diazepam e foi para o botequim, e também voltou a “cheirar”. Me deu um desespero e eu perguntava a Deus se iria acontecer alguma tragédia. Fiquei com medo, mas orei. O pastor Paulo Sérgio Bezerra Garcia, da minha igreja, me ajudou muito em oração e também conversando comigo. Valmir é o caçula e eu queria que ele tivesse seguido o exemplo dos irmãos. Um deles, chegou a ajudar, pagando o tratamento, mas já foram 30

tantas internações que é muito difícil para a família.

Como consegue continuar crendo na recuperação de seu filho, apesar das muitas internações? O que a faz saber que dessa vez é pra valer? Apesar de tudo, eu considero o Valmir um bom filho. É verdade que chegou a tirar coisas de casa para vender, mas depois que se internou, me escreveu uma carta confessando tudo o que fez e pediu perdão. Ele chegou a trabalhar como pedreiro e tinha esposa e dois filhos, mas acabava gastando tudo com drogas; comprava comida e gastava o restante do salário no vício. Chegou a gastar 200 reias por noite. Agora, ele está na sexta internação. Entrou no Reviver em 2002, depois que eu li sobre esse projeto na revista A Pátria para Cristo. Na época, ele foi levado pelo irmão. Passei por muitas lutas por causa desse problema, mas creio que agora ele está curado. Ele entrou e saiu várias vezes, teve problemas no casamento, que acabou, mas agora disse que “a ficha caiu” e reconhece que errou. Ele é meu filho; como posso desistir dele? Entreguei nas mãos de Deus a vida do Valmir assim como fiz quando ele ainda estava no meu ventre. Desejo o melhor para o futuro dele. Apesar das várias internações, eu acredito que ele vai se recuperar. Para Deus nada é impossível. Acredito que o homem pode cair, mas Jesus levanta, por isso não desisto de acreditar.

Como era estar na igreja passando por isso? Recebeu ajuda ou se sentiu julgada? Por alguns sim, mas muitos irmãos não me julgaram porque sabiam que eu tinha criado bem os meus filhos. Conheci pessoas na igreja que também tiveram problemas com filhos envolvidos com drogas. Eu perguntava para o pastor por que o meu

filho não se recuperava logo enquanto os filhos dos outros irmãos não precisavam de internação para deixar as drogas, então ele me explicava que meu filho era mais fraco e me dizia para orar, chorar aos pés de Deus e me deixava desabafar. Quantas vezes eu fui ao gabinete... Na igreja, os irmãos me ajudaram muito. Nas reuniões de oração, sempre lembravam de mim. Apesar de tudo, fui convidada para ser diaconisa e estou nessa função há 9 anos. Continuo firme na igreja, esperando o dia dessa vitória. Espero em Deus que ele não caia mais.

O que tem a dizer sobre a Comunidade Terapêutica Reviver? Agradeço a Deus pelo Reviver, que tem acolhido tantas pessoas que estavam na sarjeta. Parece que seis rapazes que já passaram por lá, quando ninguém dava nada por eles, hoje são pastores. Meu clamor é para que Deus abra as janelas dos céus e abençoe esta obra. Este é um projeto fundado por Deus. É uma bênção não só para a vida do meu filho mas para outras vidas.

Qual o conselho que daria para as mães que estão passando pela mesma situação? Em primeiro lugar, para confiar em Deus. É importante orar e ler a Palavra, pedindo força para ajudar nossos filhos. Um dia, eles vão acabar superando isso e nós temos que estar com eles, acompanhá-los. Em minha igreja, além de mim, tem uma avó que criou seus netos e está passando por este tipo de problema com um deles. Ele era embaixador junto com meu filho, mas já está se recuperando. Deus pode tudo. É importante sempre observar o nosso filho, perguntar onde estava porque mais cedo ou mais tarde vem a fase da rebeldia. Então, temos orar sempre e nunca deixar de crer em Deus.


A GRANDE COMISSÃO

MISSÕES HOJE: LOCAL E GLOBALMENTE Carlito Paes Pastor Sênior da Primeira Igreja Batista em São José dos Campos - SP

Disse Jesus: “Foime dada toda a autoridade nos céus e na terra. Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos”. – Mt 28.19,20. “Mas receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judeia e Samaria, e até os confins da Terra”. – At 1.8 31


O

eva n g elh o a se r p r e g a d o s e m p r e ser á o m e s m o , c o nt ud o a for m a d e pr eg a r e s s e e v ang e l ho prec isa sem p r e se r a v al i a d a e e x pan did a . Missões é uma realidade global, a partir de cada igreja local, nossa Jerusalém, que se estende a todo o globo, o que a Bíblia denomina de confins da Terra. Isto não é algo opcional para cada discípulo de Cristo e para a igreja local, é uma questão de obediência; a ordem já foi dada: a salvação é para a sua cidade, para o Brasil e para o mundo. Agora só nos cabe obedecer! E também por isso, em 1907, foram criadas as Juntas de Missões Nacionais e Mundiais para ajudar cada igreja local a executar esta tarefa dentro e fora do Brasil, indo além. Porém, se devemos fazer isto por intermédio das duas organizações, ou podemos unificar este trabalho, é algo que atualmente tanto os pastores, as igrejas e até mesmo a nossa denominação já está estudando e avaliando, porque os recursos e tempo são limitados, e necessitamos avaliar nossa estrutura também. Mas o que importa é que precisamos executar esta tarefa de forma efetiva, eficiente e eficaz! Diante disto, sabemos que temos uma missão global a realizar por meio de cada igreja local. O homem moderno vive em constantes mudanças. Contudo me questiono: por que ainda existem pastores e líderes cristãos que mantêm em seus ministérios uma visão apenas local, limitada e voltada simplesmente para suas necessidades de evangelismo local? Jesus foi claro e contundente em suas Palavras. Precisamos frisar que ele não nos deixou um conselho, uma sugestão, ele nos deu uma ordem, nos comissionou para uma missão global, que se inicia de forma pessoal, depois local, chegando ao plano nacional e global. O que devemos dar em resposta como bons servos é apenas o cumprimento, isto é, a obediência irrestrita e incondicional a esta ordem, do contrário estamos nos omitindo ou desprezando a Palavra de Cristo, significando que estamos em pecado de desobedi32

ência e rebelião. Servos de primeira linha, conectados com a Palavra revelada e com o tempo presente pensam globalmente. Minha pergunta é a seguinte: somos cristãos e esta ordem é tão clara nas Escrituras, por que muitas igrejas não obedecem? Lamentavelmente a grande comissão está sendo negligenciada por igrejas pequenas e grandes, tradicionais e contemporâneas. Esta doença atinge qualquer tipo de igreja e liderança e em qualquer lugar. Sejam igrejas que apenas abrem suas portas aos domingos e no meio de semana para cultos de oração, ou as igrejas comunitárias, algumas delas abrindo suas portas todos os dias, para mais uma semana de “poder” e que não cuidam de seus membros por meio de pastoreio intencional, não servem a cidade onde vivem por meio de ministérios sociais de cuidado e misericórdia aos mais carentes. Igrejas saudáveis precisam pensar globalmente a partir da realidade local. Missões como estilo de vida é para todos – jovens, universitários, profissionais liberais, empresários, líderes, pessoas que têm um chamado para seguirem e servirem a Jesus, independentemente de sua formação acadêmica ou teológica. Temos um chamado para obedecer e como igreja nós não podemos ignorar ou desprezar a grande comissão dada pelo nosso Senhor Jesus em função apenas de nossos desejos, preferências ou agenda lotada. Recuso-me a ser pastor e líder de uma igreja voltada para si mesma e para agendas estabelecidas sem visão global. Tenho fé que vou prestar contas diante de Deus de um grande rebanho composto por grandes servos de Deus, gente da Palavra, da oração e da prática; gente corajosa, amorosa, abnegada na sua missão de forma pessoal, local e global; um povo destemido de fé e amor; uma igreja que se importa com a dor e as mazelas das pessoas. Um povo que acredita no mover sobrenatural da fé, que tem o real poder de Deus sobre suas vidas para ser agentes de milagres e

transformação de vidas. Uma igreja saudável dirigida pelos eternos propósitos de Deus, que é permanecedora em Cristo, que vive e celebra sua recuperação dia após dia na dependência do Espírito Santo; uma igreja que faz missões globalmente plantando novas igrejas, equipando líderes servos, assistindo os pobres, curando os enfermos e educando crianças para a próxima geração, sempre que possível em parceria com outras igrejas e entidades sociais e missionárias, porque podemos até ir sozinhos, mas, se formos juntos, iremos mais longe! Creio em vivermos a realidade de uma igreja viva, uma igreja peregrina, contextualizada, que vive em obediência à Palavra do Senhor. Já passamos do tempo de ter apenas ovelhas tradicionalistas acomodadas em suas tradições e por outro lado, também o Senhor nos livra de sermos um rebanho consumista das bênçãos de Deus que deseja apenas receber, que vem à igreja apenas para apanhar a última noticia de poder, e se esquecem que vida cristã está mais relacionada a dar do que receber:“Há maior felicidade em dar do que em receber” – At. 20. 35. Acredito que devemos ser igreja com visão local e global, cumprindo o grande mandamento e a grande comissão de Jesus na Terra até a sua volta, mesmo porque, como está escrito no Salmo 67.1 e 2: “Que Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe, e faça resplandecer o seu rosto sobre nós, para que sejam conhecidos naTerra os teus caminhos, a tua salvação entre todas as nações”. Fomos abençoados para abençoar declarando a glória do Senhor para todas as nações, entregando o amor de Cristo momento a momento. Vamos viver missões como estilo de vida, de forma pessoal, relacional e institucional. Vamos investir todo o nosso esforço para fazer da melhor forma, maximizando recursos e alcançando o maior número possível de vidas para o Reino de Deus!



APPC-257