Page 1

EDIÇÕES

1

2

3

4

“AMO MUITO TUDO ISSO”

Porto Velho e Região São Gonçalo Ano 1 Nº 5 MARÇO de 2011 apologiabrasil@gmail.com

Ele pensa, pensa e até hoje não sabe por que praga não morre

Nas Bancas Contribuição R$ 0,20

COTAÇÕES - Aluguel/média: 1 Quarto: R$ 350. 2 Quartos: R$ 550. 3 Quartos: R$ 690. CERVEJA GELADA - R$ 3,50 (ANTARCTICA LITRÃO): Campo da Brahma

A CHAPA ESQUENTOU NA MANUEL DUARTE

Cultura “ÚLTIMA DANÇA” NOS CONVIDA PARA UM BAILE DIFERENTE

D4

Daki e Delá 2011 COMEÇA COM MUITO TRABALHO, SUOR E CERVEJA Agente sabe que no Brasil o ano começa duas vezes. Oficialmente no dia 1º de janeiro e oficiosamente “depois do “Carnaval”. Agora é saber se as promessas serão cumpridas. Ou a vida é só procrastinar... D2

O jornal DAKI vem cantando a pedra há um tempão: os moradores da Manuel Duarte um dia iam perder a paciência com a prefeitura. No dia 1 de março veio a resposta. Esgoto insuportável a céu aberto tirou a rapaziada do sério que interditou rua. D3

De balde FALTA DÁGUA AINDA É O GRANDE TORMENTO DESTE VERÃO

JOÃO, MANUEL E CRUZEIRO: O CORREDOR DO EMPREGO NOEM BREVE PV

EXTRA! EXTRA! Cachaceiros do Gradim assumem poder do Rio D4

Quer comprar, alugar ou vender? Aqui você acha.

Bar, que já foi Bahamas e que já foi meio esquisitão, agora toca som de primeira com jabá e girimum sob direção de pernambucano arretado

Flagrante no PV em foto espirituosa de Thiago Louza do Jornal OSG D2

De Ladim SOLTA! SOLTA! guia, página 3

Conheça os atravivos Escola no PV investe turísticos e de lazer em valorização local da região e faz sucesso no bairro

APTO BRASILÂNDIA - R$ sem txs, 2 QTOS, SALA, COZINHA. Sem fiador. 2 meses de depósito. Contatos: 7512997/97625454/881637 57. Falar com sr. Sérgio ou dona Elaine. Visitas agendadas.

guia, PÁGINA 3

Participe do Projeto “Repórter Daki”. Envie a sua matéria com foto que a gente pública

Em bar do PV o bicho pega: Forró de boa e TecnoBrega bombam

EM BREVE

PROMOÇÃO

CASA ZÉ GAROTO - ALUGA-SE UMA CASA ( SOBRADO ) COM 2 QUARTOS, SALA, COZINHA GRANDE, 1 BANHEIRO PEQUENO, 1 VARANDA , 1 AREA DE SERVIÇO. R$ 450. 85034833 / 8253-0475

É MELHOR AMOR SEM SEXO QUE PAIXÃO SEM AMOR Belle Bup faz comparação entre amor e paixão em novo artigo D2

guia de compras CASA PV - 2 QUARTOS, SALA, COZINHA, BANHEIRO, AREA DE SERVIÇO, POSSIBILIDADE GARAGEM, QUINTAL FUNDOS . OTIMA LOCALIZAÇÃO. R$ 50.000. SR. ALBERTO. 91650464/ 36855731


D2

Porto Velho, São Gonçalo Ano 1 Nº 5 MARÇO de 2011

JORNAL DAKI Daki e Delá Helcio Albano

Amigos leitores. Para algumas centenas de milhares o ano começa agora. Já que este carnaval aconteceu em março (confesso que nunca entendi esse calendário direito) começamos o ano um pouco tarde. Todos sabem que este modesto e humilde veículo informativo é uma correia de transmissão das críticas à nossa alcaide Aparecida Panisset, mas quero, aqui, prestar justiça ao seu esforço em fazer um belo carnaval nos bairros gonçalenses. Muito embora tenhamos recebido denúncias do loteamento da festa entre alguns vereadores. E nunca é demais agradecer o apoio - a cada dia maior, diga-se - que recebemos de leitores, cada vez mais colaboradores, e dos empresários e comerciantes, não só do glorioso Porto Velho, mas também do Gradim, Pontal e Paraíso. Temos certeza que os outros bairros do Distrito de Neves chegarão com a gente neste empreendimento. No mais, feliz 2011. Felicidade e fartura a todos.

De Ladim

Dilema da água continua. ARREDORES Protestos também Pontal e Vila Oriente são os mais castigados. Mas CHUVA ATRAPALHA CARNAVAL NOS BAIRROS DE SG geral tá reclamando da Cedae que segue calada Uma série de protestos contra a companhia estadual de abastecimento de água do estado (Cedae) tomou a BR 101 durante o mês de fevereiro e obrigou as polícias federal e militar a entrar em ação e arrefecer os ânimos exaltados de gente que não vê uma gota dágua há mais de 3 meses. “Estamos cumprindo nosssa obrigação de desobstruir a rua. Existem outras formas de reivindicação”, disse Álvaro Becher, chefe do 2º Dpto. de Polícia Rodoviária Federal que comandou a operação de dispersão da multidão na BR 101 no dia 22 de fevereiro. Já na outra ponta, os moradores

Ameaça de chuva forte causa calafrios em quem já está por um fio

Belle Bup

Oi meninas. Desta vez falarei de (do) amor. Mas longe, bem longe de mim, achar que sou dona da Verdade. O que vou falar pra vocês aqui é um pouco do que já vivi e vi por aí com as pessoas. Olha, gente: quem ama consegue, acima de tudo, identificar e suprir as necessidades do outro. Isso é uma coisa muito séria e exige um desprendimento muito grande. Não é nada fácil amar. Nós confundimos tesão e paixão com amor. Isso é a carne que pede. O amor é a mente e o espírito. Paixão é sexo. Amor se basta um sorriso. A paixão pede, exige, reclama. Amor dá. É quando o querer bem ao outro transborda-nos em felicidade. O amor é uma luz sempre acesa. A paixão é brasa que se apaga. É melhor amor sem sexo que paixão sem amor. A paixão é cercada de medo e incerteza. O amor é esperança e convicção. Amar não é um sacrifício, mas um sentimento divino de quem foi tocado por Deus.

e usuários da Cedae: “Já enviamos ofício e fomos pessoalmente à empresa e nada. Se nada dá jeito só mesmo fechando a BR pra chamarmos a atenção das autoridades”, rebateu um manifestante que não quis se identificar. Recentemente o supervisor regional da Cedae, fulano de tal, foi exonerado do cargo. “Havia supeitas de irregularidades em sua gestão”, afirma uma funcionária da empresa que também preferiu o anonimato. Enquanto o quiprocó não se resolve, haja balde e muita grana pra pagar carro pipa. Fato nunca ocorreu antes na região.

A prefeitura fez a sua parte. Investiu pesado no carnaval de rua para os foliões gonçalenses em vários bairros da cidade. No Paraíso, onde ocorreram os desfiles das agremiações da cidade o saldo foi mea boca por conta da chuva que insistiu em cair desde o dia 2 março até a quarta-feira de cinzas apenas com alguns momentos de trégua. Policiamento Se o número de foliões nas ruas foi menor do que o esperado, o mesmo não se pode dizer da presença da polícia. O 7º Batalhão, em ação conjunta com a Guarda Municipal, não economizou efetivo para a segurança das pessoas que foram curtir com amigos ou com a família as brincadeiras do carnaval.

Morro do Almirante

Foliões fazem “pit stop” em bar do Porto Velho tomando uma gelada enquanto a chuva descia forte do céu

Aquela casa vai cair. Os morros do Almirante e Madama sofreram com as chuvas do ano passado. A barranceira caiu e levou algumas casas. As que sobraram penduradas no barro esperam o mesmo destino. Alô defesa Civil. Estamos esperando vocês...

No Gradim, mercado de peixe e leilão frenéticos

Que contrasta com a calmaria da Praia da Esso

Camarãozão a R$ 17 o Kilo. Sardinha a R$ 1.80. Corvina e corvinota baratim, baratim, que deixam a patroa, donos de restaurantes e petisqueiros de boteco felizes da vida. O tradicional mercado do Gradim recebe gente de tudo quanto é canto. O endereço é rua Cruzeiro do Sul (Cassinu).

VOZ DO LEITOR apologiabrasil@gmail.com Li o jornal Daki e adorei!!! Gostaria muito de fazer parte ajudando de muitos maneiras: correção de textos, enviando matérias, etc. Acho que o caminho é através do jornal, da informação. Moro na rua da IGREJA N. S. DAS GRAÇAS. SOU PROFESSORA DE LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA. Luiza Castro Alves, por email. Obrigado. Os elogios vindos de uma professora nos deixam ainda mais encorajados em nosso trabalho. A senhora e qualquer leitor podem participar sim. Vamos combinar. Helcio Albano - Editor-Chefe

Uma publicação Editora Apologia Brasil Ltda. Travessa Lafaiete Silva, 463, Porto Velho - SG. Telefone: 8361-7818. Email: apologiabrasil@gmail.com Editorias: Geral: Jessica Santos - Editor-Chefe: Helcio Albano Todos os Direitos Reservados. Ano 1 Nº 5 MARÇO de 2011 Distribuição Gratuita em Estabelecimentos Conveniados


Porto Velho, São Gonçalo Ano 1 Nº 5 MARÇO de 2011

Moradores perdem a paciência com descaso Manuel Duarte é interditada por gente que não aguenta mais tanto tempo de abandono de uma das mais importantes vias da cidade de São Gonçalo A Rua Manuel Duarte ( a via mais problemática do bairro) foi interditada no dia 2 de março pelos moradores cansados de esperar solução do poder público que insiste em não vir. Desta vez o furdunço acontenceu na altura da Faetec, vizinha silenciosa do esgoto que corre impunemente a céu aberto há pouco mais de um ano sem que prefeitura ou Cedae tomassem alguma providência para justificar o imposto e tarifas cobrados dos contribuintes. Um morador e comerciante do local liderou o protesto cívico pela melhoria da rua e sentiu na pele as consequências de seu ato extremado e desesperado por atenção e providências da prefeitura. “Fui tratado pela polícia como bandido por ter interditado a rua. Mas isso não é caso de polícia. Se temos nossas obrigações com os impostos, a prefeitura tem a obrigação em nos oferecer um bom serviço público. É só isso que queremos: que a prefeitura cumpra com suas obrigações conosco”, disse Danilo Diniz, que paga anualmente R$ 1.200,00 de IPTU e de taxa de alvará de seu comércio às margens da água fétida de mijo e cocô. A rua supracitada nesta matéria, sofrida, esquecida, além da Faetec (escola técnica mantida pelo governo do estado) abriga 4 estaleiros de médio porte e um dos maiores frigoríficos do estado do Rio que, por si só, já era para ter mais atenção do poder público devido à sua importância para a economia da cidade. E não para por aí. Ela é paralela à Baía de Guanabara, que guarda ali uma simpática e tradicional colônia de pescadores. “Temos que fazer um convênio com o governo do estado e com as empresas para recuperar esta área. Temos que investir pesado em infraestrutura. Todo mundo sai ganhando, principalmente os moradores”, observa o vereador Marlos Costa.

D3

JORNAL DAKI

Sr. Marco Antônio mostra a pequena piscina repleta de micróbios, bactérias e seres mutantes. O tráfego pesado foi para as ruas Mauá e Lafaiete. Outro problema

Há 40 anos Marco Antônio (foto) mora na Rua Manuel Duarte. Ele aponta para a vala de esgoto em frente à sua casa. Coisa sem solução faz tempo. Mas o perigo e o incômodo não vêm só do chão. Atrás de sua casa tem um baranco que não custa descer e ceifar a sua vida e a de sua família. Ano passado a chuvarada derrubou casa lá no morrão do Almirante e encheu de barro o terreno. Esse ano só Deus sabe. “O único que se preocupava com a gente era o Lavoura (ex-prefeito de São Gonçalo)”, diz ele saudosista.

Tribuna Parlamentar Por Marlos Costa Advogado, Auditor do Tribunal de Contas do Estado (TCE), vereador pelo Partido dos Trabalhadores

INFRAESTRUTURA: O maior problema de SG Especialistas em urbanização, políticos (incluindo a própria prefeita) e gonçalenses com os quais converso concordam que o maior gargalo para o desenvolvimento de nossa cidade é a falta de infraestrutura que impede qualquer tipo de planejamento e investimentos a longo prazos. E planejar uma cidade do tamanho de São Gonçalo não é uma tarefa simples. Exige conhecimento técnico dos seus problemas bem como suas vocações em sintonia com as oportunidades atuais e futuras, engajamento e comprometimento políticos, participação da sociedade nas discussões e decisões que irão afetar nossas vidas durante muitos anos e, principalmente, muito dinheiro para por tudo isso em prática. A cidade vive um momento espetacular. Vários investimentos em diversas áreas aportam em nossa cidade. O COMPERJ é o carro abre-alas de uma série de intervenções que a prefeitura precisa fazer em áreas de transporte e logística, por exemplo. O impacto por demanda de serviços obriga a administração a modernizar a sua relação com o contribuinte para tornar a vida mais fácil para todos que procuram a prefeitura para abrir ou expandir o seu negócio. Com isso, quem sai ganhando é o próprio gonçalense. Visite nosso site: www.vereadormarlos.com.br

PREFEITURA AGE RÁPIDO E TIRA DA RUA “BARRICADAS” DOS MORADORES Depois do sururu formado e da cobertura da imprensa, a prefeitura correu e ajeitou o trecho da Rua Manuel Duarte onde os moradores a interditaram com galões, lixo, paus e pedras. Os responsáveis pela Divisão de Conservação da região prometem dar mais atenção à rua e a criação de um plano de restauração.

ANUNCIE AQUI. NÃO TEM JEITO, TODO MUNDO VÊ


Porto Velho, São Gonçalo Ano 1 Nº 5 MARÇO de 2011

D4

JORNAL DAKI

Brasil mata negros a torto e a direito em proporção de 2 para 1 em relação a brancos Foto: Luiz Mourier JB/1982

Ilustração

MEMÓRIA DAKI

Cachaceiros do Gradim tomam o poder do Rio Produtores de aguardente do bairro cruzaram a Baía em 1660 e bagunçaram o governo que havia proibido o comércio e a produção da “branquinha” no Brasil

Poucos gonçalenses e um número ainda menor de gradinenses sabem que um dia o Rio de Janeiro foi nosso. Tudo por causa da “marvada” cachaça que Portugal então proibira, no século 17, a sua produção e o seu comércio no Brasil. Coube a um fazendeiro e grande produtor de aguardente da região da Ponta do Bravo (Porto Velho, Pontal e Gradim), Jerônimo Barbalho, liderar um movimento que ficou conhecido como a “Revolta da Cachaça”, que teve início em novembro de 1660 e só terminou no ano seguinte, em 1661. O então governador do Rio, Salvador de Sá e Benevides, de olho na grana dos alambiqueiros - que faziam fortuna com o tráfico de cachaça, principalmente para Angola - pressionou os representantes (deputados da época) a baixar uma cobrança em cima da riqueza dos fazendeiros. Tanto o império português, quanto o Rio de Janeiro, em particular,

viviam uma séria crise de arrecadação. Barbalho juntou uma rapaziada na praia do Cassinu e atravessou a poça com a idéia fixa de acabar com a tal cobrança do imposto, aproveitando a ausência do governador que fora para São Paulo, deixando no seu lugar o banana do seu tio, Tomé de Alvarenga que, com rabo entre as pernas, refugiou-se no mosteiro de São Bento com medo dos revoltosos. Durante longos cinco meses Jerônimo Barbalho mandou no Rio de Janeiro; revogou a cobrança dos impostos e se entorpeceu com o poder. Isso, porém, custou-lhe a cabeça decapitada e dependurada em praça pública em abril de 1661. A Revolta da Cachaça teve ecos em Portugal, que liberou a sua produção e comercialização. Ao mesmo tempo em que fez a família Sá e Benevides entrar em desgraça. “Ô do balcão, desce uma aí e passa a régua...”

Retomando o som gótico oitentista pós-punk, a banda gonçalense Última Dança usa e não abusa da programação eletrônica e de letras que nos remetem à crueza e aos desencontros amorosos e existênciais da vida urbana. Fabiano Souza, voz e mago da programação, é o principal letrista que divide a responsa com Marcos Guedes (guitarra) e Marcelo Oliveira (baixo). Engana-se, porém, que a Última Dança é uma banda hermética e pesada. O som é dançante e cai muito bem na pista.

Bar underground de São Gonçalo é refúgio de bandas independentes

ANOS 80 SÉCULO 20

ANOS 80 SÉCULO 17

O esporte preferido da polícia brasileira é matar preto e pobre numa proporção de 2 para 1 em relação aos brancos. Fato este que nos obriga a refletir se no Brasil afinal existe ou não racismo

como causa desta triste e vergonhosa realidade. Os dados são de estudos do Mapa da Violência 2011 que acompanha desde de 2002 a evolução da violência étnica no Brasil. Segundo o estudo, a violência contra

ESPORTE DAKI

brancos diminui, mas contra negros, aumenta. O aumento do emprego e da renda entre os brasileiros negros contradiz a teoria do fator pobreza para tanta matança. Seria o racismo a causa?

com IRÊNIO O esporte com o nosso olhar

Diego Souza e Eder Luis vão fazer história no Vasco da Gama em 2011. Duvida? Desde que os elitistas do América, Botafogo, Flamengo e Fluminense detonaram o Vasco da Gama do Campeonato Carioca em 1924, o clube nunca deu muita importância mesmo pra essa pré-temporada. Faz muito bem. O primeiro clube Campeão do Mundo em 1957 e Campeão das Américas em 1948 monta um time na surdina aos moldes de 1997 com Edmundo e Cia. Dessa vez chega o Diego Souza (foto) para fazer dupla com o Éder Luis. Agora só falta o nosso reizinho.

um oferecimento

BAR DO IRÊNIO

“Aqui eu encontro meus amigos” Rua Manuel Duarte, 26

Amor, desilusão e melancolia em som de banda gonçalense

Marcos Guedes, Marcelo Oliveira, Fabiano Souza

Anota aí

SUGESTÃO DE PESQUISA: SITE GOOGLE

VIBE SHOW. PagoFunk toda segundafeira. Cerveja R$ 0,25 a noite toda. Quinta, Sexta e Sábado atrações variadas e shows com os melhores artistas de todos os tempos e da atualidade. Reservas: tel. 3303-1616

A Última Dança sempre marca presença no Metallica Pub no Porto Novo

CAPONES - Toda sexta o melhor pagode de mesa da cidade. Aos sábados SABADÃO SERTANEJO. Reservas: tel.: 2720 8091 - 2720 7965. Até meia-noite mulheres têm desconto no ingresso. Ambiente Classe A.

Banda mantém acervo de música e vídeos através da Web

www.myspace/ultimadanca PORTO DA PEDRA - Toda quarta sambão na quadra da escola no Vila Lage. Ensaios técnicos para o Tigre esquentar os tamborins para o carnaval. Contato e Reservas: 3707-1518. Participe das feijoadas do Tigre.

O Metallica Pub, no Porto Novo, ao lado do Clube Tamarilândia, é a verdadeira “Meca” da rapaziada alternativa e descolada que não tem o mínimo saco para vibes, canecos e capones da vida. Além de bar, o Metallica abriga a sede do Moto Rock Club. Vale a pena conferir as bandas que passam por lá.

ESPAÇO SÃO JORGE 2 - Toda segunda música instrumental, jazz e samba. 20 horas. Às quintas, Leandro Ribeiro e convidados. Também às 20 horas. Local coberto e gratuito. Rua Eduardo Ornelas, 45. Parada 40 - São Gonçalo.

DAKI ED. 5  

DAKI ED. 5 completo

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you