Issuu on Google+

Selecção de itens do GAVE e do Projecto PISA (competência de leitura e aspectos formais) A. Aspectos formais contextualizados SIM! 1. Relê a frase (linha 6). «Amanhã vamos todos fazer uma visita à tua Madrinha!» Neste contexto, a palavra «todos» refere os elementos de uma família constituída por cinco pessoas. Transcreve do texto a frase ou a expressão que comprova esta afirmação. 2. Há, no texto, dois tipos de sonho: • sonho em sentido 1 – fantasia que se manifesta durante o sono; • sonho em sentido 2 – ideal que se pretende atingir. Mostra que Cuco teve sonhos de ambos os tipos, transcrevendo do texto uma expressão comprovativa de cada um desses diferentes modos de sonhar. Sentido 1: Sentido 2: 3. Pour obtenir des informations sur Disneyland Paris, vous posez quatre questions à envoyer par courriel. Rédigez-les. Utilisez les interrogatifs  Où/Quand/Combien/Quel(s) ou Quelle(s) 4. Se o nome «chão» (verso 4) for considerado metáfora de «ignorância», como se poderá interpretar o verso «Vai a caminho do Sol» (verso 3)? B. Leitura 1. Os pais prepararam com cuidado a visita a casa dos padrinhos. Por que razão as meninas iam tão bem vestidas e os pais lhes faziam tantas recomendações? 2. Lê novamente a seguinte passagem do texto (linhas 28 e 29). «Ora, neste dia, ele quis saber se eu já sabia ler, e eu, sem querer, disse que sim, mas a verdade é que ainda não sabia.» Por que razão deu a menina essa resposta? 3. Na massa do bolo não entram cerejas. Explica, então, por que razão a receita se chama Bolo de Cerejas. 4. Repara na frase: «Ninguém iria acreditar quando a visse com a sua nova cara, o ar alegre e bem disposto.» (linhas 38-39) Indica duas consequências positivas desta transformação de Catarina. 5. Indica tudo o que Catarina sentiu quando a «magia» da caixa começou a desaparecer. 6. Num pequeno texto, de 3 a 5 linhas, explica por que razão o autor deu o título «Cão como nós» ao poema. 7.Indica os dois cuidados de saúde que o criador afirma já ter prestado ao cão. 8. Pensa num título adequado ao texto que leste. Escreve o título em que pensaste. 9. No texto, a cegonha afirma: «Gosto de animais grandes, porque só os grandes têm importância neste mundo.» (linha 44) Concordas com a cegonha? Justifica a tua resposta. 10. Relê a frase «A noite avançava com um vagar exasperante, e ele tinha pressa.» (linhas 12 e 13). Relaciona, no contexto dessa frase, a expressão sublinhada com o estado de espírito da personagem. 11. Um leitor deste texto concluiu que o passageiro viajara para a América motivado pela ganância. Achas que esse leitor teve em conta o sentido da frase «Estava na América, a dois passos do trabalho e do pão, a um salto do seu destino.» (linhas 16 e 17)? Justifica a tua resposta. 12. Apresenta, com base no texto, dois motivos que justifiquem a criação de um clube de Educação Ambiental na tua Escola.


13. Depois de lerem o texto B, a Maria e a Matilde chegaram a conclusões diferentes: Maria: Tudo depende dos políticos e das autoridades: se eles não actuarem, os cidadãos não podem agir. Matilde: Não concordo contigo, as agressões ambientais devem ser, sobretudo, uma preocupação de todos nós. Com qual das afirmações estás de acordo? Escolhe apenas uma, justificando a tua opinião, com base nas afirmações do texto. 14. Lê atentamente a seguinte afirmação: «A leitura da estância 19 transmite-nos a ideia de que as naus navegavam no mar alto e de que as condições atmosféricas eram propícias à navegação.» Consideras que esta afirmação traduz uma interpretação adequada? Justifica a tua resposta com passagens do texto. 15. A estância 20 apresenta os deuses reunidos em «consílio glorioso». Identifica quem os manda convocar. 16. Apresente uma interpretação possível para o seguinte verso: «O coração latente das nossas duas luzes» (v. 13). 17. Comente o sentido da apóstrofe do último verso, tendo em conta a globalidade do poema. 18. Dê um título ao texto, fundamentando a sua escolha sem recorrer apenas a transcrições. 19. Na sua opinião, a que tipo de resposta ou de acção gostaria Arnold Jago que esta carta desse origem? 20. No rodapé da factura, podemos ler «Obrigado pela sua preferência». A inclusão desta frase pode ser simplesmente por uma questão de delicadeza. Indique outra razão possível. 21. A personagem principal desta narrativa é o vagabundo. Transcreve a frase do texto que melhor o descreve fisicamente. 22. Refere três reacções dos outros clientes da esplanada à presença do vagabundo. 23. Indica o que, na aparência e nas atitudes do vagabundo, desencadeou as reacções dos presentes. 24. Da leitura do texto, é possível deduzir o significado do aviso «É reservado o direito de admissão» (linha 36). Explica com que intenção se afixava esse aviso em lugares públicos como esplanadas, cafés,bares e restaurantes. 25. O vagabundo, quando compreendeu a advertência do empregado, começou por sentir tristeza, mas acabou por superar a situação com um misto de humor e ironia. Transcreve do texto duas frases ou expressões relativas a cada um desses momentos. http://www.gave.min-edu.pt/np3content/?newsId=32&fileName=linguaportuguesa22_pcc1_07.pdf (21 a 25) 26. Identifica um verso da primeira estrofe que ajude a compreender o comportamento descrito no verso «Quem tem medo não a sobe.» (verso 9). Justifica a tua escolha. 27. Explica de que modo os versos «Os degraus, quanto mais altos, / mais estragados estão.» (versos 5 e 6) podem caracterizar o ciclo de vida de um ser humano. 28. Tendo em conta o significado da «escada», no poema, o que nos diz sobre a vida o verso «Sobe-se numa corrida.» (verso 13)? 29. Qual é a «matéria-prima» (linha 9) referida no texto? 30. Com base no texto, recomenda, justificando, uma medida que possa diminuir um dos danos causados pela acção da indústria do cacau. http://www.gave.min-edu.pt/np3content/?newsId=32&fileName=pelpchamada1basico_2006.pdf (26 a 30)

31. Complétez les phrases suivantes avec des extraits du texte pour mieux comprendre ce qu’Internet a changé dans la vie de cette famille. Quand Cynthia a eu la possibilité de se connecter sur le Web, elle ......... (a) ......... et la conséquence c’est qu’ ......... (b) ......... en face de son ordinateur. Elle passait son temps à papoter......... (c) ......... et également ......... (d) ......... qu’elle ne connaissait même pas. Quand sa mère la priait......... (e) ........., Cynthia n’acceptait pas les ......... (f) ......... de celle-ci. Leur relation est devenue difficile car la mère de Cynthia n’avait pas envie de ......... (g) ......... et sa fille ......... (h) ......... d’ailleurs. Le père, lui, voulait ......... (i) ......... car il était très rarement à la maison. Le climat de la famille était très tendu. Cependant, dans un premier temps, la mère de Cynthia avait cru que l’ordinateur ......... (j) ......... pour les études de sa fille.


B. Aspectos formais descontextualizados NÃO! (Itens poucos válidos numa avaliação sumativa)

1. Catarina ouviu o velho do realejo dizer com voz sumida: «Vim hoje aqui com muito sacrifício só para te dizer adeus.» (linha 27) Transpõe esta frase do discurso directo para o discurso indirecto, procedendo às alterações necessárias. 2. Completa o texto, escrevendo os verbos destacados nos tempos e modos indicados entre parênteses. É fascinante observar as invenções que, ao longo dos séculos, ____________ (mudar – Pretérito Perfeito do Indicativo) o quotidiano das pessoas. Como seria o nosso dia-a-dia se tudo o que nos ____________ (facilitar – Presente do Indicativo) a vida não ____________ (existir – Pretérito Imperfeito do Conjuntivo)? A electricidade, por exemplo, que as pessoas já ____________ (conhecer – Pretérito Imperfeito do Indicativo) antes de o seu uso se ter generalizado, ____________ (ser – Pretérito Perfeito do Indicativo) um passo muito importante para o mundo moderno. Prova de Aferição 2009 – 2º ciclo

3. Reescreve na forma passiva a seguinte frase: ” O Eduardo tinha lido as notícias do dia.” 4. Faz a análise sintáctica da seguinte frase. Nos seus livros, a escritora conta aos leitores episódios divertidos.

5. Segue o exemplo e completa a tabela seguinte, tendo em conta que cada adjectivo e cada verbo têm de pertencer à mesma família do nome. Nomes sonho mágoa simpatia coragem velhice medo

Adjectivos sonhador

Verbos sonhar

6. Repara na frase: Os cães rafeiros são mais sensíveis e inteligentes do que os cães de raça. Reescreve a frase, transformando-a de modo a estabeleceres uma comparação de igualdade. Alternativas ao item C. 2.: 1ª Completa a descrição da gruta da tartaruga. Preenche os espaços em branco com as formas adequadas dos verbos indicados entre parênteses. Segue o exemplo. A gruta era tão agradável que a cegonha não queria sair dali. Por todo o lado, descobria novidades. A areia do chão __________ (parecer) fofa e __________ (haver) conchas e búzios a enfeitar. Os livros nunca mais __________ (acabar)! Uns __________ (ter) capa dura, outros não. Muitos deles _____________ (mostrar) ilustrações engraçadas, que _____________ (divertir) quem os lia! Prova de Aferição 2009 – 1º ciclo

2ª Completa o texto, escolhendo os verbos adequados na lista que se segue: conhecido , foi, existisse, mudará, facilitou, mudaram, facilita, conheciam. É fascinante observar as invenções que, ao longo dos séculos, ____________ o quotidiano das pessoas. Como seria o nosso dia-a-dia se tudo o que nos ____________ a vida não ____________?


A electricidade, por exemplo, que as pessoas já ____________ antes de o seu uso se ter generalizado, ____________um passo muito importante para o mundo moderno.

Alternativa ao item C. 6.: Frase a transformar: Os cães rafeiros são mais sensíveis e inteligentes do que os cães de raça. Lê atentamente o texto abaixo transcrito e reescreve a frase acima apresentada, introduzindo-lhe um mínimo de alterações de modo a que fique em sintonia com o ponto de vista apresentado no texto. Existem porém duas afirmações que pertencem certamente ao reino da lenda. Primeira, “Os cães rafeiros são mais espertos”; e segunda: “são sempre mais saudáveis que os cães de raça”. O que se passa é que muitos cães de raça criados em condições extremamente exigentes, devido a cruzamentos consanguíneos excessivos, tornam-se mais susceptíveis a doenças e/ou apresentam características não desejadas, desde tensão nervosa a histeria, mas ninguém pode garantir que o cachorro rafeiro não comporte estas mesmas predisposições. O que é correcto é que entre cães que crescem numa situação mais ou menos selvagem, segundo o princípio da selecção natural, somente os mais saudáveis e fortes sobrevivem. Este tipo de cães encontra-se frequentemente nos países do sul. http://www.companhiadosanimais.pt/web3.0/index.php?option=com_content&task=view&id=217&Itemid=191

http://fog.ccsf.cc.ca.us/~creitan/qchap5b.htm http://www.leshoekje.be/leshoekje/franse%20ICT-oef%20gramm/passe_compose_avoir.htm http://www.quia.com/quiz/356840.html http://www.aaaporto.com/site/php/destaques.php?idt=32063 Existem porém duas afirmações que pertencem certamente ao reino da lenda. Primeira, “Os cães rafeiros são mais espertos”; e segunda: “são sempre mais saudáveis que os cães de raça”. O que se passa é que muitos cães de raça criados em condições extremamente exigentes, devido a cruzamentos consanguíneos excessivos, tornam-se mais susceptíveis a doenças e/ou apresentam características não desejadas, desde tensão nervosa a histeria, mas ninguém pode garantir que o cachorro rafeiro não comporte estas mesmas predisposições. O que é correcto é que entre cães que crescem numa situação mais ou menos selvagem, segundo o princípio da selecção natural, somente os mais saudáveis e fortes sobrevivem. Este tipo de cães encontra-se frequentemente nos países do sul.

http://www.companhiadosanimais.pt/web3.0/index.php? option=com_content&task=view&id=217&Itemid=191


kjij