Page 1

Informativo Científico da Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas de São Caetano do Sul - Ano XIV - nº 80 - Julho-Agosto de 2010


Corpo Editorial EDITOR DR. FRANCISCO GOUVEIA CONSULTORES CIENTÍFICOS DENTÍSTICA E LASER PROF. DR. JOSÉ EDUARDO PELIZON PELINO ENDODONTIA PROF. CELSO LUIS CALDEIRA PROF. LUCIANO NATIVIDADE CARDOSO ODONTOLOGIA ESPORTIVA PROF. ALEXANDRE BARBERINI ODONTOLOGIA DO TRABALHO PROFA. DRA. DAGMAR DE PAULA QUELUZ ODONTOPEDIATRIA PROFA. DRA. LOURDES A. MARTINS DOS SANTOS PINTO ORTODONTIA PROF. DR. ARY DOS SANTOS PINTO PROFA. DRA. CRISTINA ORTOLANI PATOLOGIA BUCAL E SEMIOLOGIA PROF. DR. WALTER NICCOLI FILHO PROFA. DRA. FRANCINE CRISTINA SILVA ROSA PROF. CAETANO BAPTISTA PERIODONTIA PROFA. DRA. FABÍOLA LEITE PROF. DR. PAULO MAZZINI PROF. DR. RENATO JOIAS RADIOLOGIA ODONTOLOGIA E IMAGINOLOGIA PROF. DR. EDUARDO KAZUO SANNOMIYA PROF. DR. LUCIANO PEREIRA ROSA

Acessem o nosso site: www.apcdscs.com.br

Ao Leitor

Nosso Editorial

Caros colegas, passado o período de eleições em todo território nacional. Eleitos Presidente do Brasil, Governadores, Senadores, Deputados Federais e Estaduais, entramos num novo ciclo. Independentemente se os eleitos foram os escolhidos por nós ou não, teremos de conviver com a nova administração pelos próximos quatro anos, de acordo com a democracia conquistada por todos nós. Levando em consideração que a previsão de crescimento da economia foi reajustada para 7,5% ao ano, podemos supor que a demanda em nossos consultórios tende a aumentar no mesmo ritmo, tanto em número de pacientes como em aumento no poder de aquisição de serviços pelos pacientes que já conquistamos em nossa vida profissional.

É importante termos consciência de que nessa hora é preciso estarmos preparados para essa nova demanda, devemos procurar modernizar nossos consultórios, aumentar nossa qualificação técnica, e também de toda nossa equipe, para podermos aproveitar esse momento raro da economia brasileira e crescermos todos juntos. Hoje precisamos estar constantemente nos aprimorando para manter o que já foi conquistado e muito mais ainda se almejarmos um crescimento profissional. Para isso conte com a APCD de São Caetano do Sul, com a revista Espelho Clínico e com nosso site: www.apcdscs.com.br. Dr. Francisco Candido Gouveia

Expediente

ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE CIRURGIÕES DENTISTAS DE SÃO CAETANO DO SUL AV. TIETÊ, 281, BAIRRO NOVA GERTE, CEP: 09572-000 TELS: 4232.8333 E 4238.6761. SITE: WWW.APCDSCS.COM.BR Presidência - Dr. Antonio Francisco David - 1º Vice-Presidente- Dr. Djalma Faria Maccheronio Junior - 2º Vice-Presidente - Dr.Agostinho F. S. Pedrosa - Secretária - Dra. Semyra Giovannini Maccheronio - Tesoureiro - Dr. Miguel Damiani Neto - Patrimônio - Dr. Alcione Nelli Beluzzo - Diretor de Comunicações - Dr Francisco Candido Gouveia - Social - Dra. Leila Marchetti Belluzzo - Ação Social - Dra. Ladisleine Quaglia Pedrosa - Representante junto ao CORE Dr. Diomar Gonçales Castanheira e Dr. Lázaro de Paula - EAP - Dr. José Giovannini - Biblioteca - Dra Lilian Vieira Rocha Gouveia - Informática/Marketing: Dr Alfredo Holzer Junior - Jornalista Responsável: Humberto Domingos Pastore (Mtb 13.382) - Design Gráfico: Rubens Justo . As informações e opiniões emitidas em artigos assinados e em publicidade são de inteira responsabilidade do (s) autor (es). Distribuição Gratuita - Periodicidade Bimensal - Tiragem 8.500 exemplares.

ERRATA inserção equivocada, já que, ao contrário de ter inserida a nova arte, acabou por ser impressa a mesma da edição anterior (nº 78), e que ainda continha a logomarca da “O3D Odontologia Diagnóstica”. Portanto, isentamos as empresas Radiun Radiologia e Diagnóstico Unificado e SAT Studio Avançado de Tomografia, bem como seus sócios, de qualquer responsabilidade pela publicação indevida.

Declaramos para os devidos fins e a quem possa interessar que ocorreu um erro na publicação dos anúncios publicitários das empresas Radiun Radiologia e Diagnóstico Unificado e SAT Studio Avançado de Tomografia, na página 17 da Revista Espelho Clínico nº 79, na qual, por falha de nossa edição, constou equivocadamente e indevidamente, a logomarca da “O3D Odontologia Diagnóstica”. Por esta razão estamos veiculando na edição nº 80 o anúncio correto, que suprirá no contrato a data da

Revista Espelho Clínico

O editor

2

Julho/Agosto


Barra Palatina Associada à Mini-Implantes: Uma Opção Para Intrusão de Molares Superiores.

va opção de ancoragem absoluta7,8.Esta técnica eficiente e consagrada pelo uso, confortável, de grande aceitação por parte do paciente, que torna a mecânica ortodôntica mais efetiva, por meio do maior controle da unidade de ancoragem, sem presença de movimentos recíprocos indesejáveis4.Ainda assim algumas vezes apresenta dificuldades quando o mini-implante tem de ser instalado entre as raízes dos molares na região posterior do palato8. Outra técnica descrita na literatura seria a instalação cirúrgica de mini placas de titânio, porém o seu uso está indicado especialmente em situações de grande amplitude, envolvendo um problema vertical1. Ao invés disto, o ortodontista pode solicitar a confecção de uma barra palatina modificada contendo ganchos, onde elásticos intra-orais podem ser encaixados e a força de intrusão seja exercida pela face palatina, balanceando a força feita pela face vestibular através do mini-implante. A barra transpalatina atualmente é um dispositivo de eleição na prática ortodôntica, por ser um aparelho versátil, de fácil confecção e manuseio5 e pode provocar bloqueio do crescimento vertical do processo dento-alveolar ou até mesmo intrusão dos molares2 pela pressão que a língua exerce sobre a BTP3. Além disso, numa população onde uma grande porcentagem das pessoas é de baixa renda, esta técnica diminui bastante os custos do tratamento.

Autores: Profª Drª Sandra Tiberio Coordenadora do Curso de Especialização em Ortodontia da APCD-SCS Prof Dr André Marçal Guerreiro Professor do Curso de Especialização em Ortodontia da APCD-SCS Profª Drª Semyra Giovannini Maccheronio Professora do Curso de Especialização em Ortodontia da APCD-SCS Prof Dr Maxwell Lopes de Carvalho Professor do Curso de Especialização em Ortodontia da APCD-SCS Dr Henrique de Oliveira Moreira Especializando em Ortodontia pela APCD-SCS RESUMO A utilização de mini-implantes para intrusão de molares tem sido difundida nestes últimos anos. Este artigo aborda a inclusão de uma barra palatina ao tratamento, tornando-o mais simples e mais econômico. O caso clínico apresentado neste artigo apresenta uma extrusão acentuada nos molares superiores de ambos os lados devido a falta de todos os molares inferiores. Para solucionar o problema foi instalado um mini-implante por vestibular entre o primeiro e o segundo molar superior, em cada hemi-arco, alem da confecção de uma barra palatina com ganchos para a utilização de elásticos intra-orais. Unitermos: dente molar, barra palatina, mini-implantes ABSTRACT The use of mini-implants for intrusion of molars has been widespread in recent years.This article discusses the inclusion of a palatal arch to treatment, making it simpler and more economical.The case presented in this paper presents a marked extrusion of molars in both sides due to the absence of all molars. To solve the problem has installed a mini-implant on vestibular between the first and second molar in each hemi-arch, beyond the making of a palate bar with hooks for the use of intra-oral elastics. Uniterms: molar, palatal arch, mini-implants

Fig.1 Fotos de frente e perfil da paciente

RELATO DE CASO CLÍNICO A paciente MJMO de 27 anos e 5 meses, sexo feminino, apresentou-se à clinica da EAP APCD de São Caetano do Sul no curso de Especialização em Ortodontia com uma mordida profunda de 5 mm, ausência de todos os molares inferiores, curva de Spee superior revertida, com lingualização dos incisivos superiores, discreto apinhamento nos dentes anteriores superior e inferior e uma severa extrusão dos molares superiores bilateralmente. A mesma relatou que procurou o tratamento ortodôntico pelo desejo de repor os órgãos dentários perdidos, o que não seria possível devido à falta de espaço protético causado pela extrusão dos molares superiores. O tratamento começou com a instalação do aparelho fixo

INTRODUÇÃO A extrusão dos molares superiores é consequência da falta de contato oclusal com os molares antagonistas. O tratamento para estes casos é um obstáculo muitas vezes intransponível para os ortodontistas.A técnica mais utilizada é a instalação de dois mini-implantes, sendo um por vestibular e outro pela face palatina, associados com elásticos intra-orais. Com a introdução dos microparafusos na prática ortodôntica, surge uma no-

www.apcdscs.com.br

3

Revista Espelho Clínico


Fig. 2 Fotos iniciais intra-bucais, da paciente.

superior, seguindo a técnica do arco continuo, com prescrição Roth de slot .022 x .030. Logo de início, o foco principal do tratamento foi intruir os molares superiores. Com isto, foram adquiridas radiografias inter-proximais para observar o espaço entre as raízes dos molares para a instalação dos mini-implantes. Depois de uma avaliação criteriosa é necessário que o ortodontista determine o centro Fig.3 Nivelamento dentário com de resistência do dente ou grupo de aparelho fixo dentes a ser movimentado e, a partir para conseguir deste diagnóstico e planejamento, dedivergência entre as raízes dos termine o melhor posicionamento do molares superiores mini-implante, assim como o local do e diminuir a dente ou arco onde haverá a aplicação sobremordida. da força6. As radiografias mostraram uma grande convergência radicular entre o 1º e o 2º molar de ambos os lados, acarretando falta de espaço cirúrgico. Após esta constatação, iniciou-se uma mecânica ortodôntica com intuito de promover uma divergência entre as raízes dos molares, aumentando o espaço disponível. Para tanto, foi utilizado uma sequência de fios de níquel-titanio somado a mudanças de angulação nos tubos dos órgãos dentários 16, 17, 26 e 27. Quando se obteve o espaço necessário, foi realizada uma cirurgia para instalação dos mini-implantes. Ambos foram implantados entre a raiz disto-vestibular do 1º molar direito e a raiz mesio-vestibular do 2º molar esquerdo. Somado a isto, a equipe da especialização em ortodontia da APCD de São Caetano do Sul projetou uma barra palatina contendo ganchos. Nestes ganchos foram adaptados elásticos intra-orais (1/8 curto) ligados a botões linguais soldados às bandas dos molares, com o objetivo de contrabalancear a força exercida por elásticos intraorais, da mesma espessura, adaptados pela face vestibular entre os miniimplantes e os tubos dos molares. Dentro de poucos meses uma discreta intrusão foi observada. Após 6 meses, utilizando os elásticos intra-orais, o resultado máximo e definitivo foi alcançado e as fotos finais mostraram um Fig.4 - Vista oclusal aumento considerável no espaço protéda barra palatina tico entre o rebordo posterior inferior e com ganhos a face oclusal dos molares superiores e laterais dos bilateralmente. mini-implantes após 6 meses de uso de elásticos intra-orais.

Fig. 5 – Comparação das fotos iniciais e final de nivelamento superior, com o aumento conseguido do espaço posterior para reabilitação protética.

para solucionar casos de extrusão dos molares superiores. A barra palatina serve como opção quando há dificuldade na instalação do mini-implante em regiões desfavoráveis como as regiões posteriores do palato alem de possuir um custo bem menor.

REFERÊNCIAS 1 - Araújo TM. Ancoragem esquelética em ortodontia com miniimplantes. Rev. Dent. Press Ortodon. Ortop. Facial; 2006 11(4). 2 - Barbosa JA, Caram CSB, Suzuki. Uso da barra transpalatinano controle da rotação da mandíbula. Rev. Dent. Press Ortodon. Ortop. Facial 2005; 10(5): 55-71. 3 - Barbosa JA. Controle vertical do processo dento alveolar com uso da barra transpalatina. RGO 2003; 51(4): 267-298. 4 - Nascimento MHR, Araújo TM, Bezerra F. Microparafuso ortodôntico: instalação e orientação de higiene periimplantar. Rev. Dent. Press Ortodon. Ortop. Facial 2006; 5(1): 24-31. 5 - Vedovelo Filho M. Barra transpalatina. RGO 2004; 52(5): 373376. 6 - Villela HM. Microparafusos ortodônticos de titânio autoperfurantes: mudando os paradigmas da ancoragem esquelética na ortodontia. Rev. Imp. News 2006; 3(4): 369-375. 7 - Villela HM, Sampaio ALS, Bezerra F. Utilização de microparafusos ortodônticos na correção de assimetrias. Rev. Dent. Press Ortodon. Ortop. Facial 2008; 13(5). 8 - Lacerda CH. Mini-implante ortodôntico auxiliando o tratamento ortodôntico. In:Tiberio S. Ortodontia: contemporânea e multidisciplinar. São Paulo: Santos; 2010. cap 5

CONCLUSÃO A associação de uma barra palatina a mini-implantes mostrou-se valida

Revista Espelho Clínico

4

Julho/Agosto


www.apcdscs.com.br

5

Revista Espelho ClĂ­nico


Normas de publicação

Revista Espelho Clínico

6

Julho/Agosto


www.apcdscs.com.br

7

Revista Espelho ClĂ­nico


revista 80 - Julho-Agosto de 2010  

Informativo Científico da Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas de São Caetano do Sul - Ano XIV - nº 80 - Julho-Agosto de 2010

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you